RETRAÇÃO. Rolim afirmou que, apesar da queda da receita, arrecadação cresceu 8,7% no semestre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RETRAÇÃO. Rolim afirmou que, apesar da queda da receita, arrecadação cresceu 8,7% no semestre"

Transcrição

1 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,97 2,17 Comercial 2,035 2,037 Turismo 1,97 2,17 Euro / BC 2,4614 2,4622 Ouro (R$) Grama 106,000 Variação + 2,42% Blue Chips % Ult. cotação BMF Bov. ON R$ 10,80 +0,56 Bradesco PN R$ 29,46 +0,44 Gerdau PN R$ 16,70-1,82 Itaú Unib. PN R$ 30,40 +0,69 Petrobras PN R$ 19,00 +1,12 Sid Nac. PN R$ 9,33-3,91 Vale PNA R$ 35,12-0,09 Fruto de parceria entre os governos federal e fluminense, o Projeto de Extensão Industrial Exportadora (Peiex) já identificou 172 empresas da Região Serrana com potencial exportador. A iniciativa estimula a recuperação econômica da região. PÁGINA 5 Rio País Após três horas de reunião mediada pelo Ministério do Trabalho, a General Motors e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos não chegaram a um acordo sobre o futuro da fábrica. A GM informou que a unidade passará a produzir apenas o modelo Classic. PÁGINA 5 Mundo O ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, alertou ontem que o país vai agir imediatamente se descobrir que militantes islâmicos estão atacando os estoques de armas químicas e biológicas da Síria. O medo cresce no estado judeu. PÁGINA 7 José Geraldo da Fonseca Direitos & Deveres Prova é a soma dos meios produtores de certeza. Alegar e não provar é o mesmo que não alegar. O juiz não pode produzir prova pela parte. Se a parte alega e não prova, seu pedido deve ser julgado improcedente, a menos que a outra parte confesse o direito ou se trate de fato em favor do qual milita a presunção legal. PÁGINA 6 1ª FASE 1875 A ª FASE ANO III EDIÇÃO Nº 643 RIO DE JANEIRO, QUINTA-FEIRA, 26 DE JULHO DE 2012 R$ 1,00 O crescimento da arrecadação em junho desacelerou para 5,1%, bem abaixo da média do ano, 9% Rolim afirmou que, apesar da queda da receita, arrecadação cresceu 8,7% no semestre Preocupado com a continuidade dos serviços da Anvisa e da Receita, o governo publicou ontem no Diário Oficial da União decreto estabelecendo medidas para garantir que as atividades do serviço público funcionem durante o período de greve. A paralisação da Anvisa e da Receita é uma preocupação da presidente Dilma Rousseff, que não vai permitir o estrangulamento do estado por causa dessas paralisações. O ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Luis Inácio Adams, declarou que o decreto tem por objetivo garantir o funcionamento de setores essenciais no País, que estão sendo afetados pela Depois do encontro que reuniu a alta cúpula da TIM no Brasil e da Telecom Itália ontem, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, ressaltou que os representantes da operadora reclamaram da severidade das medidas adotadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que suspendeu a venda de novos planos de telefonia móvel e de internet em 19 estados. A proibição já teria causado prejuízos da ordem de US$ 2,5 bilhões, segundo a companhia. Eles achavam que talvez uma medida menos drástica fosse mais adequada. Mas eu acredito que essa é uma perda momentânea, disse. O presidente da Telecom Itália, Franco Bernabè, avaliou o encontro de forma positiva e espera que o plano de investimentos seja aprovado o mais rapidamente possível. PÁGINA 4 RETRAÇÃO Marcelo Casal Jr. / ABr O secretário de Políticas da Previdência Social, Leonardo Rolim, afirmou ontem que ainda não dá para avaliar se a desaceleração foi um fenômeno específico do mês ou se é uma tendência. Mesmo assim, Rolim garante que a expansão ainda assim foi substancial, muito acima do crescimento do PIB, ficando mais de 5% acima da inflação (IPCA, inflação oficial, variou 0,08% em junho). Foi, portanto, um crescimento considerável. O secretário enfatizou que, apesar de haver alguma preocupação com a possibilidade de a diminuição da alta das receitas se prolongar por mais meses, no acumulado do primeiro semestre do ano, o crescimento da arrecadação é de 8,7%. Ele mencionou que a expectativa do governo no início do ano era de um crescimento das receitas em torno de 6% em Há uns anos não imaginávamos um crescimento tão grande como o visto nos primeiros meses deste ano, mas, a partir do momento que vínhamos em um ritmo de crescimento de 9%, uma expansão de 5% preocupa. Vamos apenas lembrar que, para qualquer país do mundo, exceto a China, um crescimento de 5% é sensacional, comparou. PÁGINA 3 Decreto vai garantir serviços paralisação de diversos setores, disse Luis Inácio Adams. É preciso que as atividades essenciais sejam retomadas o mais rápido possível, disse o ministro. Adams explicou ainda que o decreto veio para simplificar o procedimento de liberação de mercadorias que estavam paradas, para garantir o fluxo de entrada de produtos no País. Segundo ele, os serviços essenciais, como desembaraço aduaneiro, que pode trazer risco à economia porque atrapalha quem importa, ou no caso de medicamentos que estão sendo aguardados pelo País para salvar vidas, têm de ser preservados. Para ele, esta medida vai surtir o efeito desejado. PÁGINA 5 Dida Sampaio / AE O presidente da Telecom Itália, Franco Bernabè, e o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, discutiram o rigor das sanções impostas à TIM para comercialização de planos

2 ECONOMIA 2 Quinta-feira, 26 de julho de 2012 O DIA NAS BOLSAS Vale comanda a queda de 0,06% da Bovespa O foco na mineradora fez com que o índice tivesse a quarta retração consecutiva Alessandra Taraborelli, Nalu Fernandes e Fabrício Castro A Bovespa registrou ontem a quarta queda seguida, puxada pelas ações da Vale. Ao contrário da manhã, quando o ritmo na Bolsa foi ditado principalmente pelo mercado norte-americano, à tarde o mercado acionário doméstico refletiu mais o comportamento da mineradora. A queda do Ibovespa só não foi maior porque Petrobras fechou no azul e os papéis da Vale reduziram as perdas. Com isso, o Ibovespa encerrou com leve declínio de 0,06%, aos ,54 pontos. Nos quatro dias de queda o índice acumula recuo de 4,94%. No mês, a perda é de 3,21% e, no ano, de 7,31%. Na mínima do dia, o índice atingiu pontos (-0,56%) e, na máxima, pontos (+1,13%). O giro financeiro ficou em R$ 5 bilhões. Hoje o mercado ficou totalmente focado em Vale. A mineradora foi a mão do mercado e o papel do momento hoje (ontem), avaliou o gerente de mesa de renda variável da Corretora Hcommcor, Ariovaldo Santos. Mais cedo, os papéis da mineradora registraram queda maior, também acompanhando a volatilidade externa. A ação ON fechou com recuo de 0,53% e a PNA, -0,09%. Isso tudo porque a Vale vai divulgar seu balanço referente o segundo trimestre do ano. Analistas calculam que o lucro líquido da companhia deverá somar US$ 3,18 bilhões, com queda de 16,7% em relação ao lucro de US$ 3,827 bilhões do trimestre anterior e de 50,6% ante igual período do ano passado (US$ 6,452 bilhões). Por outro lado, os papéis da Petrobras fizeram um contraponto e impediram uma queda maior do índice. A ação ON subiu 1,30% e a PN, +1,12%. As ações PN da Vivo terminaram o dia em queda (-1,52%), refletindo o recuo de 5,6% no lucro líquido no segundo trimestre ante igual período do ano passado, para R$ 1,085 bilhão. No exterior, o otimismo foi ditado pela maior expectativa de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) adotar um novo afrouxamento monetário (QE3). A percepção se deu após a divulgação de dados ruins sobre vendas de moradias novas nos EUA. Câmbio - O dólar à vista fechou a R$ 2,0360 no mercado de balcão, com queda de 0,59%. Na máxima, o dólar foi a R$ 2,0450 NY: elevação com balanços positivos Na Europa, alta moderada nas bolsas As bolsas europeias fecharam em sua maioria em alta nesta quarta-feira, após as fortes perdas registradas em pregões recentes, embora continuem as preocupações com a delicada situação da Espanha e Grécia. O dia foi de volatilidade, com as ações a princípio sustentadas por um comentário favorável de Ewald Nowotny, membro do Conselho do Banco Central Europeu (BCE), e depois pressionadas pelos últimos dados do mercado imobiliário dos EUA. Os mercados reagiram bem depois de Nowotny afirmar que o proposto fundo permanente de ajuda da zona do euro, o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), deverá receber uma licença bancária, o que lhe permitiria tomar empréstimos do BCE. Mais tarde, no entanto, as ações na Europa ficaram sob pressão após o Departamento de Comércio dos EUA informar que as vendas de moradias novas no país caíram em junho para o nível mais baixo em cinco meses. A quantidade de casas novas vendidas apresentou uma forte queda de 8,4% ante maio, para 350 mil unidades, o menor resultado desde janeiro. O índice FTSE Mib, de Milão, teve o melhor desempenho do dia, avançando 1,17%, para ,74 pontos. Em seu melhor momento, o índice italiano avançou mais de 2%, cortando parte dos ganhos após os números dos EUA. Em seguida veio o índice de Madri, o Ibex-35, que subiu Os mercados asiáticos encerraram os pregões em baixa nesta quarta-feira. As preocupações com a crise da dívida da Europa e o decepcionante balanço trimestral da Apple, que derrubou os fabricantes de tecnologia na Ásia, acabaram com o otimismo dos investidores. Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong. O Hang Seng caiu 0,14% e terminou aos ,33 pontos. As Bolsas da China também tiveram queda, com os investidores preocupados em saber quando a economia doméstica irá melhorar. O Xangai Composto perdeu 0,5% e terminou aos 2.136,15 pontos. O Shenzhen Composto recuou 0,7%, aos 887,54 pontos. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, fechou em queda, influenciada Balanços positivos de blue chips como a Boeing e a Caterpillar ajudaram o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, a fechar em alta, interrompendo uma série de três sessões consecutivas de forte baixa. Já o S&P 500 e o Nasdaq encerram o pregão no território negativo, sendo que o segundo foi pressionado mais fortemente pelas ações da Apple, que divulgou resultados decepcionantes na terça-feira, quando os mercados já estavam fechados. O Dow Jones subiu 58,73 pontos (0,47%), fechando em ,05 pontos. O Nasdaq recuou 8,75 pontos (0,31%), fechando em 2.854,24 pontos. E o S&P 500 perdeu 0,42 ponto (0,03%), fechando em 1.337,89 pontos. Na noite de terça, a Apple reportou lucro e receita do segundo trimestre que vieram abaixo das previsões dos analistas, com um aumento menor do que o esperado nas vendas do iphone. Foi apenas a segunda vez nos últimos 39 trimestres que os resultados da companhia, que é a maior do mundo em valor de mercado, ficaram abaixo do previsto. Assim, as ações encerraram a sessão de hoje com queda de 4,32%. Enquanto isso, os papéis da Boeing tiveram valorização de 2,78%, após a fabricante de aviões elevar suas projeções financeiras para este ano, com o aumento nas vendas internacionais de aeronaves militares e comerciais. Ontem, a companhia divulgou que teve lucro de US$ 967 milhões (US$ 1,27 por ação) no segundo trimestre, uma alta de 2,73% na comparação com igual período do ano passado. Quem também ajudou o Dow Jones foi a Caterpillar. As ações da companhia subiram 1,44%, depois de divulgar um aumento de 67% no lucro do segundo trimestre, para pelas perdas em ações de empresas fornecedoras da Apple. O índice Taiwan Weighted recuou 0,42%, aos 6.979,13 pontos. As perspectivas fracas para as empresas de tecnologia estão levando os fundos a buscar outros setores, disse um analista. Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul fechou em baixa com as renovadas preocupações com a Europa reduzindo a confiança dos investidores. Além disso, as ações tecnológicas recuaram diante dos decepcionantes resultados da Apple no terceiro trimestre fiscal. O índice Kospi caiu 1,37%, aos 1.769,31 pontos. A Bolsa de Sydney, na Austrália, encerrou o dia em baixa. O mercado foi influenciado pela crise da dívida soberana da Europa e pelos fracos dados econômicos dos EUA. O índice S&P/ ASX 200 retrocedeu 0,23%, aos 4.123,90 pontos. Tóquio - A Bolsa de Tóquio fechou em queda pelo quarto pregão seguido nesta quartafeira. O decepcionante balanço da Apple derrubou as principais ações do setor tecnológico, casos de Toshiba, que despencou 7,3%, e Sharp, que tombou 10% - ambas são fornecedoras de componentes para produtos da gigante norte-americana. O Nikkei caiu 122,19 pontos, ou 1,4%, e terminou aos 8.365,90 pontos, após perda de 0,2% na sessão de terça-feira - o índice ficou abaixo dos pontos pela primeira vez desde 5 de junho O sentimento do mercado e bateu R$ 2,0340 na mínima. Na BM&F, a moeda spot fechou em R$ 2,0370, com declínio de 0,29% (dado preliminar). O giro financeiro total somava US$ 2,177 bilhões (US$ 1,929 bilhão em D+2) perto das 16h30. No mesmo horário, o dólar para agosto de 2012 estava cotado R$ 2,039, com recuo de 0,54%. Juros - Ao final da sessão regular da BM&F, a taxa dos contratos futuros de juros com vencimento em janeiro de 2013 ( contratos) marcava 7,36%, ante 7,38% do ajuste de ontem. A taxa do DI para janeiro de 2014 ( contratos) estava em 7,67%, ante 7,73% do ajuste anterior. Na ponta mais longa, o DI para janeiro de 2017 ( contratos) tinha taxa de 8,87%, ante 8,97%, e o DI para janeiro de 2021 ( contratos) marcava 9,49%, ante 9,61%. US$ 1,7 bilhão (US$ 2,54 por ação). E os dados divulgados ontem sobre a economia norte-americana continuaram a decepcionar. As vendas de moradias novas recuaram 8,4% em junho, quando a previsão era de alta de 1,6%. Enquanto isso, os mercados europeus oscilaram entre perdas e ganhos, com as esperanças de que o fundo de resgate permanente da zona do euro tenha acesso a crédito ilimitado do Banco Central Europeu (BCE). Entre outras companhias norte-americanas que divulgaram balanços, as ações da farmacêutica Eli Lilly subiram 2,72. 0,82%, encerrando o pregão aos 6.004,90 pontos. Na terça, a bolsa espanhola havia registrado a maior queda, de 3,58%. Entre as ações mais ativas, os bancos BBVA e Santander ganharam 0,1% e 0,9%, respectivamente. O índice Dax, de Frankfurt, terminou o dia aos 6.406,52 pontos, alta de 0,25% em relação à terça-feira. Dados negativos do índice IFO de confiança das empresas da Alemanha, que já eram esperados, tiveram um efeito mínimo sobre o índice, segundo um trader. BMW e Volkswagen tiveram ganhos idênticos de 1,3% e a Siemens subiu 0,5%. O Deutsche Bank, por outro lado, despencou 4,1%, pressionado por um alerta de lucro feito na terça. A exceção de ontem foi a bolsa de Londres. O índice FTSE- 100 teve uma ligeira queda de 0,02%, encerrando o pregão aos 5.498,32 pontos. O BT Group recuou 3,3% depois de anunciar resultados trimestrais abaixo do esperado. Já a ARM Holdings, do ramo de semicondutores e software, deu um salto de 8,6%, por causa de seu bom desempenho no segundo trimestre. Apesar da alta da maioria das bolsas europeias, o índice Stoxx Europe 600 recuou 0,1% e encerrou o quarto pregão seguido de baixa aos 250,39 pontos. Entre bolsas menores, a de Atenas encerrou os negócios desta quarta com pequeno ganho de 0,3%. O índice grego, conhecido, como ASE, fechou aos 588,09 pontos. também foi afetado pelas perdas em Wall Street, por causa das preocupações persistentes sobre a crise da dívida da zona do euro. Dados de junho da balança comercial japonesa, divulgados pouco antes da abertura da bolsa, mostraram exportações lentas para a Europa e a China, o que reacendeu os temores sobre uma desaceleração econômica global. A menos que os formuladores das políticas econômicas enviem uma mensagem poderosa para acalmar as nossas preocupações, será difícil para os participantes do mercado assumir riscos diante das atuais condições econômicas globais, disse Yoshito Sakakibara, economista da JPMorgan Asset Management. ESPANHA UE aprova plano de recapitalização para os bancos As autoridades antitruste da União Europeia deram ontem sua aprovação temporária ao plano da Espanha para recapitalizar os bancos do país, como parte do programa de ajuda de até 100 bilhões de euros (US$ 121 bilhões) aprovado pela zona do euro na semana passada. A aprovação é válida até o final de Em comunicado, a Comissão Europeia disse que o plano de recapitalização de Madri está em linha com suas regras para apoio estatal aos bancos durante a crise porque é limitado no tempo e no alcance e contém incentivos de saída. Segundo o comissário para competição da UE, Joaquín Almunia, o programa de resgate concedido a Madrid ajudará a ALEMANHA Espanha pede ajuda sozinha CHINA reconstruir o setor financeiro da Espanha em condições mais saudáveis. Essa é uma precondição chave para o crescimento sustentável da Espanha, afirmou. Em outro comunicado, a UE disse que aprovou também o auxílio de reestruturação dado pelo governo espanhol ao banco catalão UNNIM Banc para ajudar a instituição a vender suas operações para o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA). De acordo com a comissão, o plano de reestruturação do UNNIM trata os problemas que levaram ao resgate do banco, ao mesmo tempo em que evita distorções indevidas de concorrência. O UNNIM foi adquirido em março pelo BBVA e será integrado à instituição. O governo alemão rejeitou ontem informação de qualquer jornal sugerindo que poderia forçar o governo da Espanha a pedir ajuda a seus parceiros internacionais. Essas informações são absurdas, isso não é assunto em debate, afirmou o porta-voz do ministro de Finanças da Alemanha, Johannes Blankenheim. O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, e da Economia da Espanha, Luis de Guindos, se encontraram em Berlim ontem para discutir a situação da Espanha e da União Europeia. Após a reunião eles divulgaram um comunicado conjunto que elogia as reformas em andamento na Espanha e o programa de resgate para os bancos espanhóis. Eles disseram que essas medidas ajudarão a restabelecer a confiança e a estabilidade dentro da zona do Euro. A Espanha recebeu na semana passada ajuda europeia no valor de 100 bilhões de euros para ajudar a resgatar o setor bancário do país. Ontem, o porta-voz do governo alemão, Georg Streiter, disse que o país vai continuar a ser a âncora de estabilidade da Europa apesar da perspectiva negativa atribuída pela Moody s Investors Service para a Alemanha e seis estados alemães no começo desta semana. O porta-voz do ministro de Finanças da Alemanha, afirmou que a perspectiva negativa não tem necessariamente impacto na taxa de juros que a Alemanha está pagando. Tudo é especulação e não se pode esperar uma avaliação séria sobre isso agora, disse Blankenheim. País deixa yuan se depreciar O Banco Central da China começou a permitir que o yuan se deprecie em relação ao dólar após dois anos de tentativas de expandir a taxa de câmbio. O movimento reflete a preocupações de Pequim com a desaceleração da economia chinesa e o risco de uma luta política nos EUA. O BC chinês permitiu ontem que a moeda enfraquecesse em relação ao dólar para o menor nível no ano, pelo terceiro dia consecutivo de conter o valor do yuan. A moeda chinesa já caiu quase 1,5% em relação ao dólar este ano, após ter registrado 4,7% de apreciação em relação à moeda dos EUA ano passado. C U R T A O PBoC não fez comentários sobre o assunto e não deixou claro se essa tendência vai se manter nos próximos dias e semanas. Analistas disseram que a mudança tem por objetivo ajudar os exportadores a lidar com a desaceleração nas vendas e reduzir as chances de grandes demissões em um ano sensível de mudança na liderança chinesa em uma década. O yuan mais barato deixa os produtos chineses mais baratos em termos de dólar. O impacto psicológico do enfraquecimento do yuan será forte, afirmou Dariusz Kowalczyk, economista do Credit Agricole em Hong Kong.. Petróleo sobe para US$ 88,97 o barril, impulsionado por bolsas Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta moderada nesta quarta-feira. O contrato do petróleo para setembro na Nymex avançou US$ 0,47 (0,53%), fechando a US$ 88,97 o barril. Na plataforma ICE,o petróleo do tipo Brent subiu US$ 0,96 (0,93%), fechando a US$ 104,38 o barril. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. Sidney Hartung Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Gabriel Felice Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 ECONOMIAQuinta-feira, 26 de julho de PREVIDÊNCIA Arrecadação desacelera 5,1% Analistas do órgão ainda não sabem se baixa está relacionada a fenômeno isolado do mês ou se vai virar uma tendência Da redação, com agências O crescimento da arrecadação previdenciária em junho desacelerou para 5,1%, abaixo do ritmo médio dos primeiros cinco meses do ano, de 9%. Não dá ainda para avaliar se foi um fenômeno específico do mês ou se é uma tendência, mas a expansão ainda assim foi substancial, muito acima do crescimento do PIB, ficando mais de 5% acima da inflação (IPCA, inflação oficial, variou 0,08% em junho). Foi, portanto, um crescimento considerável, avaliou nesta quarta-feira o secretário de Políticas de Previdência Social, Leonardo Rolim. O secretário enfatizou que, apesar de haver alguma preocupação com a possibilidade de a diminuição da alta das receitas se prolongar por mais meses, no acumulado do primeiro semestre do ano, o crescimento da arrecadação é de 8,7%. Ele mencionou que a expectativa do governo no início do ano era de um crescimento das receitas em torno de 6% em Há uns anos não imaginávamos um crescimento tão grande como o visto nos primeiros meses deste ano, mas, a partir do momento que vínhamos em um ritmo de crescimento de 9%, uma expansão de 5% preocupa. Vamos apenas lembrar que, para qualquer país do mundo, exceto a China, um crescimento de 5% é sensacional, comparou. A perda de fôlego no mês passado contribuiu para que o déficit da Previdência do Regime Geral ficasse em R$ 2,757 bilhões, 38,1% maior do que o de junho de 2011, quando somou R$ 1,997 bilhão, já descontada a inflação do período. O que mais pesou, no entanto, de acordo com o secretário, foi a expansão das despesas beneficiárias. Sabíamos que as despesas iam crescer mais este ano por causa do aumento real do salário mínimo de 7%. O impacto é ainda maior sobre o setor rural, porque a maior parte dos pagamentos tem o mínimo como base. Para o futuro, Rolim prefere não fazer um diagnóstico mais aprofundado. Ele manteve a estimativa de um rombo de R$ 39,5 bilhões para a Previdência em Se confirmado, o valor seria próximo dos R$ 36,5 bilhões de 2011 em termos nominais, após a correção da inflação. O secretário acredita, contudo, que é possível o Brasil registrar um déficit menor este ano, em torno de R$ 38 bilhões. Inicialmente, pensávamos que seria mais ou menos o mesmo resultado de 2011, mas achamos que será melhor. A análise leva em conta um reaquecimento da economia neste segundo semestre, o que deve fomentar o mercado de trabalho, que, por sua vez, gera mais contribuições previdenciárias. Por conta disso, a avaliação é que a desaceleração da arrecadação possa ser pontual. Especialistas dizem que o segundo semestre será melhor que o primeiro, mas mercado de trabalho sempre tem uma defasagem em relação à economia. É possível que aceleração de contratação venha a ocorrer mais para o final do ano. Pensões - O Brasil é o país no mundo que mais gastou com pensões por morte em 2011, o equivalente a R$ 100 bilhões. O valor equivale a 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB). Desse total, R$ 60 bilhões são gastos com contribuintes do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e R$ 40 bilhões com regimes de servidores da União, dos estados e dos municípios. BALANÇOS PATRIMONIAIS 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Em mi lha res de re a is) Reelaborado Ativo Circulante Caixa e equivalentes de caixa Contas a receber Estoques (Nota 4) Impostos a recuperar Adiantamentos e outras contas a receber Partes relacionadas Despesas antecipadas Outros Não circulante Realizável a longo prazo Partes relacionadas (Nota 5) Outros 15 1 Investimentos Em controladas e coligadas Outros Imobilizado (Nota 6) Reelaborado Passivo e patrimônio líquido Circulante Fornecedores e serviços públicos Obrigações tributárias Adiantamento de clientes Parcelamento de obrigações tributárias e previdenciárias pelo programa REFIS (Nota 7) Arrendamentos a pagar Dividendos a pagar Outros Não circulante Exigível a longo prazo Parcelamento de obrigações tributárias e previdenciárias pelo programa REFIS (Nota 7) Partes relacionadas (Nota 5) Outras obrigações Patrimônio líquido Capital social Reserva de lucros Dividendos adicionais propostos DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31/12/2011 E 2010 (Em mi lha res de re a is) Re ser va de lu cros Capital Reserva Re ser va de Retenção de Dividendos Lucros Social Legal lu cros a realizar Lucros Propostos acumulados Total Saldo inicial de 2009 conforme publicação Ajustes de exercícios anteriores (Nota 10) Saldo inicial ajustado Dividendos pagos (406) - (406) Lucro líquido do exercício Destinação do lucro líquido Dividendos propostos (509) (509) Dividendos adicionais propostos (1.528) 509 Em 31 de dezembro de Dividendos pagos (258) (2.037) - (2.295) Lucro líquido do exercício Destinação do lucro líquido Dividendos propostos (592) (592) Dividendos adicionais propostos (1.773) - Em 31 de dezembro de NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Em mi lha res de re a is, ex ce to quan do in di ca do de ou tra for ma) 1. Ope ra ções. Com pa nhia de Ho téis do Leme é uma em pre sa de ca pi tal fe cha - do, cuja ati vi da de é a pres ta ção de ser vi ços na in dús tria ho te le i ra. Atu al men te ad - mi nis tra o Leme Pa la ce Ho tel, de sua pro pri e da de no Rio de Ja ne i ro. 2. Ela bo ra - ção e Apre sen ta ção das De mons tra ções Fi nan ce i ras. As de mons tra ções fi - nan ce i ras fo ram ela bo ra das e es tão sen do pre pa ra das de acor do com as prá ti cas con tá be is ado ta das no Bra sil, as qua is in clu em as dis po si ções da Lei das So ci e - da des por Ações e nor mas es ta be le ci das pela Co mis são de Va lo res Mo bi liá ri as - CVM e os pro nun ci a men tos e in ter pre ta ções emi ti das pelo Co mi tê de Pro nun ci a - men tos Con tá be is - CPC. Para fim de me lhor com pa ra bi li da de dos sal dos, al guns cri té ri os de apre sen ta ção das de mons tra ções fi nan ce i ras fo ram al te ra dos. A au - to ri za ção para con clu são da pre pa ra ção des tas De mons tra ções Fi nan ce i ras ocor reu na re u nião da Di re to ria re a li za da em 15 de ju nho de Base de men su ra ção. As De mons tra ções Fi nan ce i ras fo ram pre pa ra das com base no cus to his tó ri co Uso de es ti ma ti vas e jul ga men tos. A pre pa ra ção das De - mons tra ções Fi nan ce i ras em con for mi da de com as prá ti cas con tá be is ado ta das no Bra sil, as qua is abran gem a le gis la ção so ci e tá ria, os Pro nun ci a men tos, as Ori - en ta ções e as Inter pre ta ções emi ti das pelo Co mi tê de Pro nun ci a men tos Con tá - be is (CPC) e as nor mas emi ti das pela Co mis são de Va lo res Mo bi liá ri os (CVM), re que rem que a ad mi nis tra ção da Com pa nhia faça jul ga men tos, es ti ma ti vas e su - po si ções que afe tam a apli ca ção das po lí ti cas con tá be is e os va lo res de ati vos, pas si vos, re ce i tas e des pe sas. Os re sul ta dos re a is po dem di ver gir des tas es ti ma - ti vas. As es ti ma ti vas e pre mis sas são re vi sa das anu al men te pela Admi nis tra ção da Com pa nhia, sen do al te ra ções re co nhe ci das no pe río do em que as es ti ma ti vas são re vi sa das e em qua is quer pe río dos fu tu ros afe ta dos. 3. Prin ci pa is Prá ti cas Con tá be is. As prin ci pa is prá ti cas con tá be is ado ta das pela com pa nhia es tão des - cri tas a se guir: a) Apu ra ção do re sul ta do. O re sul ta do das ope ra ções é apu ra do em con for mi da de com o re gi me con tá bil de com pe tên cia do exer cí cio. b) Re ce i ta. A re ce i ta é re co nhe ci da na ex ten são em que for pro vá vel que be ne fí ci os eco nô - mi cos se rão ge ra dos e quan do pos sa ser men su ra da de for ma con fiá vel. A re ce i - ta é men su ra da com base no va lor jus to da con tra pres ta ção re ce bi da, ex clu in do des con tos, aba ti men tos e im pos tos ou en car gos so bre ven das. c) Esto ques. Va - lo ri za dos ao cus to mé dio de aqui si ção, que não ex ce de ao va lor de mer ca do. d) Inves ti men tos. Nas De mons tra ções Fi nan ce i ras as par ti ci pa ções em so ci e da - des e co li ga das fo ram ajus ta das pelo mé to do de equi va lên cia pa tri mo ni al. Os de - ma is in ves ti men tos são re gis tra dos ao cus to. e) Imo bi li za do. De mons tra do ao cus to de aqui si ção ou cons tru ção, de du zi do da de pre ci a ção acu mu la da. A de pre - ci a ção de bens é cal cu la da pelo mé to do li ne ar às ta xas men ci o na das na Nota 6. Os itens do ati vo imo bi li za do são ba i xa dos quan do ven di dos ou quan do ne nhum be ne fí cio eco nô mi co fu tu ro for es pe ra do do seu uso ou ven da. Even tu al ga nho ou per da re sul tan te da ba i xa do ati vo (cal cu la do como sen do a di fe ren ça en tre o va - lor lí qui do da ven da e o va lor re si du al do ati vo) são re co nhe ci dos na de mons tra - ção do pe río do em que o ati vo for ba i xa do. Os va lo res re si du a is e a vida útil dos ati vos são re vi sa dos e ajus ta dos, se apro pri a do, ao fi nal de cada exer cí cio. f) De - ma is ati vos (cir cu lan te e não cir cu lan te). São apre sen ta dos pelo va lor lí qui do de re a li za ção. g) Pas si vo cir cu lan te e não cir cu lan te. São de mons tra dos pe los va lo res co nhe ci dos ou cal cu lá ve is, acres ci dos, quan do apli cá vel, dos cor res pon - den tes en car gos e va ri a ções mo ne tá ri as in cor ri das até a data dos ba lan ços. h) Impos to de Ren da e Con tri bu i ção So ci al. A tri bu ta ção so bre o lu cro com pre en - de o Impos to de Ren da e a Con tri bu i ção So ci al. O Impos to de Ren da é com pu ta - do so bre o lu cro tri bu tá vel à alí quo ta de 15%, mais adi ci o nal de 10% apli cá vel so - bre o lu cro ex ce den te ao li mi te es ta be le ci do pela le gis la ção, en quan to que a Con - tri bu i ção So ci al é com pu ta da pela alí quo ta de 9% so bre o lu cro tri bu tá vel. O re gi - me fis cal ado ta do pela so ci e da de é o lu cro real. i) Ajus te a va lor pre sen te. Con - for me ava li a do pela Com pa nhia, não hou ve a ne ces si da de de ajus tar a va lor pre - sen te os ati vos e pas si vos de cur to e lon go pra zos, em aten di men to ao pre vis to no CPC 12. j) Infor ma ção por seg men to. A Com pa nhia não ela bo ra ra suas de - mons tra ções por seg men to con for me ori en ta ção do CPC 22, de vi do sua ope ra - ção não pos su ir seg men tos dis tin tos, sig ni fi ca ti vos, mas ser re pre sen ta da, subs - tan ci al men te pela ati vi da de ho te le i ra. 4. Esto ques 31/12/ /12/2010 Mercadorias para revenda (alimentos e bebidas) Materiais de uso, consumo e manutenção Par tes Re la ci o na das Partes Cate- Ati vo Pas si vo Relacionadas go ri as Othon Administração outras Hoteis Othon S.A outras As prin ci pa is tran sa ções man ti das en tre a Com pa nhia e as em pre sas li ga das são em prés ti mos. Os con tra tos ven cem en tre ja ne i ro de 2012 a de zem bro de Imo bi li za do Taxa de Custo Depreciações Itens De preci Atualizado Valor Valor Terrenos, edificações a ção e Atribuido Acumuladas Liquido Liquido e construções (*) 10 (*) (8.579) Móveis e utensílios (528) Máquinas e equipamentos (327) Imobilizações em curso e outras (*) Total (9.434) (*) sal dos de ter re nos e imo bi li za ções em cur so, no mon tan te de R$ ,00 não são de pre ci a dos. 7. Par ce la men tos de Obri ga ções Tri bu tá ri as e Pre vi - den ciá ri as pelo Pro gra ma Re fis Cir cu lan te Não Cir cu lan te 31/12/ /12/10 31/12/ /12/10 REFIS Lei / gra ma de Re cu pe ra ção Fis cal - REFIS - Lei /2009. Com a edi ção da Lei Fe de ral nº de 27/05/2009, a Com pa nhia ade riu ao novo pro gra ma de par ce la men to de dé bi tos tri bu tá ri os ad mi nis tra dos pela Se cre ta ria da Re ce i ta Fe de ral do Bra sil - RFB e pe ran te a Pro cu ra do ria Ge ral da Fa zen da Na ci o nal. Com pa nhia já pro ce deu a in di ca ção dos dé bi tos que pre ten de in clu ir no par ce la - men to e já re a li zou a con so li da ção de acor do com o ca len dá rio di vul ga do pela Re ce i ta Fe de ral. 8. Con tri bu i ção So ci al e Impos to de Ren da. A re con ci li a ção dos im pos tos apu ra dos, con for me alí quo tas no mi na is e o va lor dos im pos tos re - gis tra dos no pe río do fin do em 31 de De zem bro está apre sen ta da a se guir: Lucro antes do IR e da contribuição social Alíquota nominal combinada de IR e da contribuição social 34% 34% IR e contribuição social às alíquotas da legislação Ajustes para cálculo pela alíquota efetiva Despesas não dedutíveis 54 - Equivalência patrimonial 70 - Adicional IRPJ (24) (24) Outras (24) - IR e contribuição social no resultado do período Correntes Alíquota efetiva 36,08% 33,21% As de cla ra ções de ren di men tos da Com pa nhia es tão su je i tas a re vi são e even tu - al lan ça men to adi ci o nal por par te das au to ri da des fis ca is du ran te o pe río do de cin co anos. Ou tros im pos tos, ta xas e con tri bu i ções es tão tam bém su je i tos a es - sas con di ções, con for me le gis la ção apli cá vel. 9. Ca pi tal So ci al. O ca pi tal subs - cri to e in te gra li za do da Com pa nhia é de R$ e com põem-se de ações or di ná ri as no mi na ti vas e sem va lor no mi nal. 10. Ajus te de Exer - cí ci os Ante ri o res. Re fe re-se ao re gis tro de ju ros e a re ver são de im pos to, já pres cri tos, so bre ope ra ções com par tes re la ci o na das no va lor to tal de R$ Dilvulgado Débito Crédito Reelaborado Dilvulgado Débito Crédito Reelaborado Ativo: Partes relacionadas Passivo: Provisão para impostos Patrimonio Liquido: Lucros acumulados Resultado: Receita financeira Dilvulgado Débito Crédito Reelaborado Dilvulgado Débito Crédito Reelaborado Ativo: Partes relacionadas Passivo: Provisão para impostos Patrimonio Liquido: Reserva de lucros Lucros acumulados Resultado: Receita financeira Se gu ros. A Com pa nhia pos su ía, em 31 de de zem bro de 2011, apó li ces de se gu ros com os se guin tes ca pi ta is se gu ra dos, os qua is en ten de se rem ade qua dos para co ber tu ra dos seus ati vos: Mo da li da de Impor tân cia se gu ra da Incêndio Roubo 22 Automóveis 101 Acidentes pessoais 34 Lucros cessantes Responsabilidade Civil 451 Outros 870 A Diretoria Contador: Marcelo Alves Hir - CRC - RJ /O-1 CPF: DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO 2011 E 2010 (Em mi lha res de re a is) Receita bruta das atividades Deduções da receita bruta (2.412) (2.049) Receita líquida das atividades Custos diretos dos serviços prestados (7.675) (6.876) Lucro bruto (Despesas) receitas operacionais Despesas comerciais (1.769) (1.574) Gerais e administrativas (13.615) (12.575) Resultado de equivalência patrimonial (207) - Outras (despesas) receitas operacionais 68 3 Resultado das atividades não continuadas (1.939) 9 Lucro antes das receitas e despesas financeiras Receitas financeiras (Nota 12) Despesas financeiras (Nota 12) (642) (698) (259) (641) Lucro operacional antes da contribuição social e do IR IR e contribuição social correntes (Nota 8) (1.335) (1.013) Lucro líquido do exercício DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Em mi lha res de re a is) Fluxo de caixa das atividades operacionais Lucro líquido do exercício Ajustes para conciliar o resultado às disponibilidades geradas pelas atividades operacionais: Depreciação e amortização Valor residual baixado do imobilizado Resultado de equivalência patrimonial Provisão (reversão) para perda em investimentos 20 - Provisão para devedores duvidosos Juros apropriados Juros sobre passivo fiscal Juros sobre associadas (97) Variações nos ativos e passivos: Redução (aumento) em contas a receber 219 (1.215) Redução (aumento) em estoques 39 (52) (Aumento) em impostos a recuperar (24) (51) Redução (aumento) de adiantamentos e outras contas a receber 429 (653) Redução (aumento) em outros ativos (1.389) Aumento em fornecedores (Redução) aumento em impostos a recolher (1.589) 931 (Redução) aumento de outras exigibilidades (29) 687 (Redução) aumento em adiantamento de clientes (2.089) Variação nas operações com partes relacionadas Redução (aumento) de contas a receber 999 (5.159) (Redução) aumento de contas a pagar (651) Disponibilidades líquidas geradas (aplicadas) pelas atividades operacionais Fluxo de caixa das atividades de investimentos Imobilizado (671) (771) Disponibilidades líquidas geradas (aplicadas) pelas atividades de investimentos (671) (771) Fluxo de caixa das atividades de financiamentos (Redução) em empréstimos e financiamentos - (2.874) Dividendos distribuídos (2.846) (960) Disponibilidades líquidas geradas nas atividades de financiamentos (2.846) (3.834) Aumento nas disponibilidades No início do exercício No final do exercício Variação no saldo de disponibilidades DEMONSTRAÇÕES DO VALOR ADICIONADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Em mi lha res de re a is) Receitas Serviços prestados e produtos vendidos Outras receitas 69 3 Provisão para crédito de liquidação duvidosa - (312) Insumos adquiridos de terceiros Serviços e materiais de uso e consumo (13.320) (11.822) Perda / recuperação de ativos (1.939) 9 Outras (62) (72) Valor adionado bruto Retenções: Depreciação e amortização (1.899) (1.883) Valor adicionado liquido produzido pela Companhia Valor adicionado recebido em transferência Resultado de equivalencia patrimonial (207) - Receita financeira Outras despesas operacionais (160) (13) Valor adicionado a distribuir Distribuição do valor adicionado Remuneração do trabalho Remuneração direta Benefícios FGTS Impostos, taxas e contribuições Federais Estaduais Municipais Remuneração de capitais de terceiros Juros Aluguéis Remuneração de capitais de próprios: Dividendos Valor adicionado distribuido Re sul ta do Fi nan ce i ro Receitas financeiras Juros recebidos Rendimentos de aplicação financeira Descontos obtidos 3 2 Outras 5 1 Despesas financeiras Juros sobre passivos fiscais Juros sobre faturas forncedores e serviços públicos 2 1 Descontos concedidos Ges tão de Ris cos. Ris co de cré di to - A se le ti vi da de e a aná li se cri te ri o sa da si tu a ção fi nan ce i ra e eco nô mi ca, as sim como do his tó ri co de cré di to dos seus cli en tes e ain da o acom pa nha men to se ma nal da pon tu a li da de de pa ga - men tos são pro ce di men tos que a Com pa nhia ado ta de modo a mi ni mi zar even - tu a is pro ble mas de "de fa ult". A ex po si ção ao ris co de cré di to é, des ta for ma, mo - ni to ra da com gran de ri gor, re sul tan do his to ri ca men te num pra zo mé dio de fa tu - ra men to in fe ri or a 20 dias e numa taxa de ina dim plên cia em tor no de 1,5%, o que res pal da a po lí ti ca de pre ser va ção de cré di tos ado ta da pela Com pa nhia. Ris co de taxa de ju ros - Esse ris co é ori un do da pos si bi li da de da Com pa nhia vier a in cor rer em per das por con ta de flu tu a ções nas ta xas de ju ros que au men - tem as des pe sas fi nan ce i ras re la ti vas a em prés ti mos. A Com pa nhia tem pro cu - ra do atre lar seus em prés ti mos à in di ca do res com me no res ta xas e ba i xa flu tu a - ção. Ris co dos ins tru men tos fi nan ce i ros - A com pa nhia não faz uso de ins tru - men tos fi nan ce i ros para fins de hed ge. Ris co de mer ca do - A Admi nis tra ção en ten de que, não exis tem ris cos emi nen tes à ati vi da de de Ho te la ria, e que nes - se mo men to o se tor en con tra con di ções bas tan te fa vo rá ve is, prin ci pal men te na ci da de do Rio de Ja ne i ro, onde está lo ca li za da nos sa base.

4 ECONOMIA 4 Quinta-feira, 26 de julho de 2012 ABIMAQ Faturamento da indústria de máquinas recua A indústria de máquinas e equipamentos fechou o mês de junho com faturamento bruto real de R$ 7,158 bilhões, o que representa uma baixa de 0,5% em relação a maio. Na comparação com junho de 2011 o faturamento bruto real registrou alta de 3,8%. Segundo a entidade, no acumulado do primeiro semestre de 2012 o setor faturou R$ 39,932 bilhões, o que representa um avanço de 2,1% ante igual período de O consumo aparente de máquinas e equipamentos atingiu, no fim do mês passado, R$ 9,458 bilhões, o equivalente a uma queda de 8,3% ante maio. Em relação ao mesmo mês de 2011, houve um crescimento de 7,6%. Nos seis primeiros meses do ano, o consumo aparente totalizou R$ 54,8 bilhões, uma alta de 9,17% ante igual período do ano anterior. As exportações somaram US$ 1,016 bilhão em junho, com alta de SUSPENSÃO 8 3% ante o mesmo mês de 2011 e recuo de 4,0% ante maio. Já as importações totalizaram US$ 2,354 bilhões no mês passado, baixa de 6,3% ante junho do ano passado e perda de 23,2% ante maio. No acumulado do ano até junho, as exportações somam US$ 5,987 bilhões, enquanto as importações totalizam US$ 15,231 bilhões, com crescimento de 11,6% e 7,6%, respectivamente. Os dados resultaram em um déficit para o setor de US$ 9,2 bilhões nos primeiros seis meses deste ano, o que representa aumento de 5,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados da Abimaq mostram ainda que o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) do setor fechou o mês de junho em 76 8%, ante 77,10% em maio. No fim do mês passado, o setor tinha empregados, com redução de 0,3% na força de trabalho em relação a maio. TIM: medidas são muito severas Anne Warth O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira que a diretoria da TIM reclamou, durante reunião realizada entre as duas partes em Brasília, da severidade das medidas adotadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que suspendeu as vendas da empresa desde a última segunda-feira em 18 Estados e no Distrito Federal. Segundo o ministro, o encontro foi muito positivo. Ouvi uma série de ponderações sobre medidas adotadas pela Anatel na semana passada. Eles reclamaram um pouco da severidade das medidas, afirmou. Estiveram presentes à reunião, além de Bernardo, o presidente da Telecom Italia, Franco Bernabè, o diretor presidente da TIM Celular no Brasil, Andrea Mangoni, e o diretor de Assuntos Regulatórios e Relações Institucionais da TIM no Brasil, Mario Girasole. Bernardo afirmou que os diretores relataram que as medidas tiveram impacto muito forte e C U R T A pesado sobre o valor de mercado das empresas do grupo. Segundo eles, a perda foi de US$ 2,5 bilhões. Eles achavam que talvez uma medida menos drástica fosse mais adequada, afirmou. Mas eu acredito que essa é uma perda momentânea. O presidente da Telecom Italia, Franco Bernabè, disse esperar que o plano de investimentos da empresa apresentado à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) seja aprovado o mais rapidamente possível. Ele disse que o encontro foi muito positivo e satisfatório. A empresa volta a se reunir com a diretoria da Anatel hoje, quando pretende levantar dados adicionais solicitados pelo órgão. Temos interesse que esse plano seja aprovado o quanto antes para que as operações da empresa voltem à normalidade, afirmou. A Anatel recebeu um plano bem detalhado. Amanhã teremos algumas informações adicionais, e depois disso a agência terá todos os elementos técnicos para decidir rapidamente sobre a volta da normalidade das operações da empresa. Citroën faz recall de Aircross e do C3 Picasso por falha no freio A Citroën anunciou ontem o recall dos veículos modelo Aircross e C3 Picasso, fabricados entre 2010 e 2012, em função de montagens incorretas dos flexíveis de freio dianteiros. A falha, segundo a empresa, pode provocar a perda de fluído de freio, ou seja, a diminuição da eficiência de frenagem e pode causar acidentes. De acordo com a Citroën, os modelos Aircross, fabricados entre Março de 2010 e Abril de 2012, e C3 Picasso, fabricados entre Agosto de 2010 e abril de 2012, devem passar pela reavaliação da concessionária. A empresa afirma ainda que a conformidade de todos os veículos levados ao recall terão a montagem dos flexíveis de freio dianteiro verificados. E, quando necessário, trocados. O atendimento aos proprietários dos veículos convocados para a revisão começa nesta quarta-feira sem previsão de término. Segundo a Citroën, a verificação dura aproximadamente 1h30 e todos os custos serão arcados pela empresa. CARTÓRIO DA 5ª VARA DE ORFÃOS E SUCESSÕES EDITAL DE CITAÇÃO Com o prazo de vinte dias O MM Juiz de Direito, Dr.(a) Tereza Cristina Sobral Bittencourt Sampaio - Juiz Titular do Cartório da 5ª Vara de Orfãos e Sucessões da Comarca da Capital, RJ, FAZ SABER aos que o presente edital com o prazo de vinte dias virem ou dele conhecimento tiverem e interessar possa, que por este Juízo, que funciona a Av. Erasmo Braga - 115, 107- C Lamina - I CEP: Centro - Rio de Janeiro - RJ Tel.: tramitam os autos da Classe/Assunto Inventário - Inventário, de nº ( ), movida por NEWTON CLETO DE CASTRO TORRES; ANNA KATIA DINIZ ROA em face de SANDRA MARIA DE OLIVEIRA DINIZ ANNA KARINA DINIZ BISCAYZACU, objetivando. Assim, pelo presente edital CITA o réu ORFANATO SÃO JOSÉ, que se encontra em lugar incerto e desconhecido, para dentro do prazo legal, venha a tomar conhecimento dos termos do presente inventário e da Partilha nele acostada, oferecer contestação ao pedido inicial, querendo, ficando ciente de que presumir-se-ão aceitos como verdadeiros os fatos alegados, caso não ofereça contestação.e para que chegue ao conhecimento de todos e de quem interessar possa, é expedido o presente que será publicado na forma da lei e afixado no local de costume. Dado e passado nesta cidade de Rio de Janeiro, 19 de julho de Eu, Leo Bravo Campos - Analista Judiciário - Matr. 01/31077, digitei. E eu, Ivaneli Vieira de Carvalho - Responsável pelo Expediente - Matr. 01/23917, o subscrevo. DESEMPREGO Construção assegura estabilidade em junho O setor contratou 78 mil trabalhadores nas sete regiões pesquisadas Francisco Carlos de Assis As contratações feitas pelo setor da construção civil em junho asseguraram a estabilidade da taxa de desemprego no Brasil em comparação com maio, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) realizada pela Fundação Seade e Dieese em seis regiões metropolitanas do País mais o Distrito Federal. No total das sete regiões, a construção contratou 78 mil trabalhadores no mês passado. A melhor notícia no que diz respeito ao desempenho do mercado de trabalho da construção, segundo o economista da Fundação Seade, Alexandre Loloian, é que na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), 40 mil pessoas foram contratadas pelo setor no mês passado. Ultimamente, segundo ele, as contratações pela construção em São Paulo têm ficado sistematicamente abaixo de outras regiões, especialmente as do Nordeste. Esperamos que o que está acontecendo na construção, especialmente na RMSP, seja o reflexo da fase de transição das operações de crédito para lançamentos de empreendimentos, afirmou Loloian. Esperamos que já seja uma retomada da atividade, disse. Para a técnica do Dieese, Ana Maria Belavenuto, o que está acontecendo com o mercado de trabalho este ano é muito semelhante com o que ocorreu no ano passado. De acordo com ela, para o conjunto das sete regiões metropolitanas, a taxa de desemprego em junho ficou praticamente estável. Saiu de 10,6% em maio para 10,7%. Na esteira da avaliação de que o comportamento do mercado de trabalho neste ano se assemelha com o do ano passado, a técnica do Dieese estima que, se forem confirmadas as previsões de que a economia crescerá mais no segundo semestre do que cresceu na primeira metade de 2012, a taxa desemprego poderá começar a cair a partir de setembro. No ano passado a economia cresceu mais no segundo semestre e a taxa de desemprego começou a cair a partir de setembro, disse Ana Maria. Loloian acredita que possa ocorrer alguma melhora a partir de agora, quando as empresas começam a se preparar para o final do ano. Para ele, a quase estabilidade da taxa de ocupação em junho, com apenas um ligeiro crescimento de 0,2%, não deve ser encarado como um resultado negativo, dado o elevado grau de deterioração da economia mundial. A estimativa é de que 9,691 milhões de pessoas encontram-se ocupadas na Região Metropolitana de São Paulo. No conjunto das sete regiões metropolitanas pesquisadas pela Fundação Seade e Dieese - seis regiões mais o Distrito Federal -, o total de ocupados foi estimado em 20,079 milhões de pessoas A População Economicamente Ativa (PEA) nestas regiões é estimada em 22,484 milhões de pessoas. INFLAÇÃO Fipe reduz projeção do IPC pela segunda vez consecutiva Flavio Leonel Da Agência O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Rafael Costa Lima, voltou a reduzir nesta quarta-feira a projeção para a inflação de julho na cidade de São Paulo. Ele disse que passou a trabalhar com um IPC de 0,21% para o mês por causa do momento atual de inflação mais baixa, que é esperada na capital paulista. Na semana passada, ele já havia reduzido a expectativa, de 0,27% para 0,24%. No geral, o panorama é muito próximo do verificado na semana anterior, disse Costa Lima. Mas esperávamos uma VAREJO Empresário usa só 7% do crédito bancário Eduardo Cucolo Estudo inédito sobre o perfil do empresário de pequeno e médio porte do varejo brasileiro mostra que apenas 7% desses empreendedores utilizaram crédito bancário para abrir suas empresas. A maioria (77%) usou recursos próprios As informações fazem parte de pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Os dados mostram também que 53% dos empreendedores pretendem investir em seu negócio por meio de ampliação de lojas, compra de máquinas ou contratação de funcionários. Entre os entrevistados, 25% disseram que vão fazer esses investimentos com empréstimos bancários e 3% terão como fonte de recursos as financeiras. Em relação à inadimplência, 34% preveem queda e 10% esperam aumento. O levantamento mostra ainda que 82% desses empresários não utilizam ferramentas tecnológicas em seu negócio; 85% não têm loja virtual e 61% não usam a internet. Os tributos foram apontados por 43% dos entrevistados, superando outros desafios, como concorrência (29%), juros altos (18%) e crédito e capital de giro limitados (10%). O levantamento foi realizado em junho nas 27 capitais no País, com 605 varejistas. aceleração maior da inflação, que não veio, comentou. Conforme levantamento divulgado ontem pela Fipe, o IPC registrou taxa de 0,19% na terceira quadrissemana de julho. O resultado foi ligeiramente menor que o de 0,20% da segunda medição do mês e ficou abaixo da previsão da Fipe, de 0,23%. Também foi menor do que o aguardado pelos economistas do mercado financeiro, já que o levantamento havia captado estimativas de taxa de 0,21% a 0,30%. IGS - O Índice Geral de Serviços (IGS) registrou taxa de 0,19% na cidade de São Paulo na terceira quadrissemana de julho, resultado que ficou acima do observado na segunda quadrissemana do mês, quando houve variação positiva de 0,13%. O indicador específico de inflação representa 45,485% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) calculado tradicionalmente pela Fipe. Enquanto o IPC é dividido em sete grupos, o IGS é composto por seis, já que Vestuário não entra na classificação. Entre os grupos que compõem o índice de Serviços, o de Alimentação foi o destaque de alta na terceira quadrissemana de julho, com variação de 0,52%, que foi menor, entretanto, que a elevação 0,77% na segunda medição do mês. No IGS, o grupo é formado totalmente pela Alimentação Fora do Domicílio, que teve a mesma variação de 0,52%. Na outra ponta, o grupo Habitação foi o destaque de baixa, com variação negativa de 0,02%, que já foi bem menos intensa, porém, que a de 0,14% da pesquisa da segunda quadrissemana do mês. No período, o item Energia Elétrica apresentou recuo menor (de 0,02%) que o de 0,42% da medição anterior. Além deste detalhe, a alta de gás canalizado passou de 5,44% para 6,64%. Em relação aos demais grupos pesquisados pela Fipe por meio do IGS, Saúde avançou 0,49%; Transportes subiu 0,45%; o grupo Educação mostrou variação positiva de 0,32% ante avanço de 0,18%; e o grupo Despesas Pessoais apresentou alta de 0,21%. CONSUMIDOR Receio com emprego Daniela Amorim e Fernanda Nunes O comportamento do mercado de trabalho está preocupando o consumidor. Apesar da estabilidade financeira das famílias, o receio de perder o emprego acaba limitando as compras, principalmente de bens duráveis, que comprometem o orçamento por um prazo maior. Ainda assim, a perspectiva é de melhora no segundo semestre, quando boa parte das dívidas já deve ter sido eliminada. Embora se sustente bem acima de sua média histórica, da mesma forma que a taxa de desemprego se mantém na mínima, a confiança dos consumidores começa a ceder de maneira mais evidente, ressaltou o analista da consultoria Tendências Rafael Bacciotti. O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) caiu 1,5% na passagem de junho para julho e acumulou queda de 5,5% nos últimos três meses. Em julho, o consumidor demonstrou mais cautela na aquisição de veículos e eletrodomésticos do que no início deste ano. Não apenas porque receia perder a sua fonte de renda, como também por conta da inadimplência, que mantém-se alta. O ICC demonstrou que a expectativa de compras de bens duráveis nos próximos seis meses caiu 4,2% na passagem de junho para julho e atingiu o menor patamar registrado desde fevereiro. Este índice estava crescente desde janeiro mas, neste mês, foi revertida a sua trajetória. As medidas do governo de incentivo ao consumo já foram absorvidas em meses anteriores. Em julho, prevaleceu a cautela com a situação econômica do país e com o endividamento, argumenta a economista do Ibre/FGV Viviane Seda. A novidade no cálculo do ICC neste mês foi a inclusão da pergunta sobre o prazo da dívida dos consumidores. Para 77,3% dos entrevistados em 2,1 mil domicílios de sete capitais brasileiras, os parcelamentos vencem em até seis meses. Os analistas pensavam que a compra parcelada tinha um prazo maior. Estamos com um cenário mais favorável do que o esperado. As contas podem ser mais rapidamente ajustadas, ressaltou Viviane. Não só há otimismo com o segundo semestre, como o orçamento das famílias não chega a estar comprometido atualmente. O indicador relativo à situação financeira atual dos consumidores, um dos componentes do ICC, manteve-se estável em julho, em 0,5%. ICF-Os consumidores ficaram levemente mais inclinados a consumir na passagem de junho para julho, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) aumentou 0,1% em julho ante junho, para 135,4 pontos. Na comparação com o mesmo mês de 2011, a alta foi de 1,3%. Segundo a CNC, o alto nível de comprometimento de renda e da inadimplência ainda impede uma retomada mais forte da disposição ao consumo. Entretanto, a evolução favorável do mercado de trabalho e os estímulos do governo ao consumo ainda sustentam a confiança das famílias em patamar superior ao verificado no ano passado. Dentro do indicador, houve melhora em relação a junho nos componentes relacionados ao consumo. As famílias mostraramse mais otimistas com as compras a prazo (2,1%), com o nível de consumo atual (1,7%) e com a perspectiva de consumo (0,7%). No entanto, houve deterioração na percepção sobre os componentes ligados ao mercado de trabalho e sobre o momento para bens duráveis (-1,5%). Os consumidores ficaram menos otimistas com o emprego atual (-1,1%), com a perspectiva profissional (-0,1%) e com a renda atual (-0,7%). Na comparação com julho de 2011, o aumento de 1,3% na confiança das famílias também foi puxado pelos componentes ligados ao consumo. Embora tenha havido recuo na expectativa sobre o emprego atual (-3,6%), a perspectiva profissional (-3,2%) e a renda atual (-1,6%), houve significativa melhora na perspectiva de consumo (6,4%) no momento para bens duráveis (5,5%), compras a prazo (2,7%) e nível de consumo atual (4,3%).

5 CONTINUIDADE Serviços públicos são mantidos por decreto Paralisação da Anvisa e da Receita é a grande preocupação do governo Tânia Monteiro e Rafael Moraes Moura RIO ESTÍMULO Projeto de capacitação para a Região Serrana Projeto de recuperação já identificou 172 empresas com potencial exportador Alana Gandra Fruto de parceria entre os governos federal e fluminense, o Projeto de Extensão Industrial Exportadora (Peiex) já identificou 172 empresas da região serrana do Rio de Janeiro com potencial exportador. A iniciativa estimula a recuperação econômica da região, duramente afetada pelas chuvas de 2011, que mataram mais de 900 pessoas. As primeiras 172 empresas com potencial exportador identificadas pelo Peiex já estão fazendo treinamento, 87 receberam visitas técnicas e 29 estão com os diagnósticos concluídos ou em fase de conclusão. Estão previstos investimentos de R$ 500 mil na região serrana, com meta de atender 230 empresas até Coordenado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), do governo federal, o Peiex começou a ser implementado há um ano, pela primeira vez, no estado do Rio, em articulação com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. A subsecretária estadual de Comércio e Serviços do Rio, Dulce Ângela Procópio, comemorou ontem os primeiros resultados, durante o Seminário Apex-Brasil: Exportar é Inovar, realizado no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Nova Friburgo. Dulce destacou que a preparação vai além da exportação. O projeto prepara a empresa também para a venda no mercado interno. Ou seja, se porventura essas empresas não quiserem ou não tiverem produção suficiente para exportar, elas estão aptas também para vender no mercado interno. A subsecretária ressaltou que o Peiex vem trazer novo estímulo à região serrana do Rio, que enfrentou em janeiro de 2011 uma das maiores tragédias climáticas da história do país. O projeto faz parte das ações de recuperação da indústria local e do comércio, disse a subsecretária. A expectativa da subsecretária é que ele será prorrogado, devido aos resultados já obtidos. A força de recuperação (da região) é muito grande, disse Dulce. Ela acredita que, a partir da incorporação dos sindicatos metalmecânico e de moda íntima, que são bem fortes nos municípios serranos, pelo menos mais 50 empresas irão se integrar ao Peiex. O núcleo operacional do Peiex na região serrana do Rio funciona desde dezembro de 2011, por meio de parceria da Apex-Brasil com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). O diretor de Negócios da Apex-Brasil, Rogério Bellini, esclareceu que a meta é atender, até o final deste ano, 130 empresas entre as 172 já identificadas pelo projeto com potencial exportador. Segundo frisou Bellini, o trabalho do Peiex é de capacitação. É feito um diagnóstico, são identificados quais os gargalos que devem ser explorados e, aí, o projeto propõe uma estratégia de atuação, no sentido de tornar essas empresas competitivas. Rogério Bellini admitiu que, dependendo de negociações e de parcerias que venham a ser feitas com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o Peiex pode ser expandido. Com isso, outras regiões fluminenses poderão abrigar novas unidades do projeto e, do mesmo modo, preparar suas micro, pequenas e médias empresas para atuar no comércio exterior. UFRJ Servidores são contra proposta Servidores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) protestaram ontem contra o reajuste oferecido anteontem pelo governo, que varia entre 25% e 40%. A manifestação ocorreu no prédio da reitoria da instituição, na Ilha do Fundão. Para o presidente da Associação de Docentes da UFRJ (ADUFRJ), Mauro Iasi, o governo O governo publicou ontem no Diário Oficial da União decreto estabelecendo medidas que garantam a continuidade das atividades do serviço público durante o período de greve. Segundo o decreto, compete ao ministro de Estado, supervisores dos órgãos ou entidades promover, mediante convênio, o compartilhamento da execução da atividade ou serviço afetado pela paralisação com Estados, Distrito Federal ou municípios. A preocupação do governo, segundo fontes, é com a possibilidade de interrupção da entrada de produtos essenciais para tratamento de doenças, em decorrência da greve dos funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da operação-padrão dos servidores da Receita Federal, além dos reflexos econômicos A decisão de assinar o decreto foi tomada ontem, durante reunião da presidente Dilma Rousseff com cinco ministros (Justiça, Saúde, Advocacia Geral da União, federal precisa apresentar proposta mais ampla para que a greve termine. Nós vamos insistir para que o governo responda aos pontos que foram apresentados na reunião passada. Enquanto não responder, a greve continua, destacou. Os professores e servidores reivindicam reestruturação das carreiras e investimentos nas universidades públicas. Agricultura e Fazenda), antes de ela embarcar para Londres. A paralisação da Anvisa e da Receita é uma preocupação da presidente. Ela já avisou que não vai permitir o estrangulamento do Estado por causa dessas paralisações. O governo não quer é que o quadro de crise econômica seja agravado com a redução do saldo comercial, por exemplo. A interrupção do fluxo comercial, segundo as mesmas fontes, é considerada inaceitável pelo Planalto. O ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Luis Inácio PREVIDÊNCIA Adiada a votação de novas regras da aposentadoria O governo desistiu de votar no próximo mês as mudanças nas regras de aposentadoria, conforme havia anunciado o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho. Havia a intenção do presidente da Câmara (Marcos Maia) de votar em agosto, mas em função do calendário de medidas provisórias não foi possível avançar nas negociações com o Congresso. Então não há mais previsão de quando será isso, disse nesta quarta-feira o secretário de Políticas de Previdência Social, Leonardo Rolim. Apesar do problema de calendário citado pelo secretário, ele admitiu que o Executivo também não fechou uma proposta única sobre as mudanças. Além da Previdência, também se debruçam sobre as novas medidas os ministérios da Fazenda e do Planejamento. O governo ainda não chegou a um estudo único, admitiu. O secretário salientou que, nos moldes de hoje, o sistema previdenciário brasileiro é muito parecido com o grego, um dos estopins da crise naquele país. Questionado por jornalistas se o Brasil poderia A coordenadora-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ, Noemi Andrade, que representa os servidores administrativos da universidade, criticou a forma de negociação do governo. É pelo menos um descaso, então ele [governo] está privilegiando uma classe de trabalhadores. Assim, joga na desmobilização porque Adams, declarou que o decreto assinado tem por objetivo garantir o funcionamento de setores essenciais no País, que estão sendo afetados pela paralisação de diversos setores, como a Anvisa e a Receita Federal. É preciso que as atividades essenciais sejam retomadas o mais rápido possível, disse o ministro. Adams explicou ainda que o decreto veio para simplificar o procedimento de liberação de mercadorias que estavam paradas, para garantir o fluxo de entrada de produtos no País. se tornar a próxima Grécia em razão desse semelhança, Rolim apenas comentou: este é um ponto. Rolim, assim como o ministro da Pasta, Garibaldi Alves Filho, defende o fim do fator previdenciário. As pessoas se aposentam cedo, mas com um corte brutal do fator, que corta 31% do benefício. Não dá para imaginar que é viável as pessoas se aposentarem em média com 54 anos. Em nenhum lugar do mundo isso se sustenta, argumentou. O secretário continuou sua alegação acrescentando que as pessoas se aposentam jovens no Brasil mas continuam trabalhando. Naquele momento, é um adicional de renda, por isso aceita um corte de 31% em média. Para muita gente é maior de 50%. Quando chega na velhice ele vai viver com benefício que foi fortemente reduzido, disse. Reconhecemos que o valor da aposentadoria é baixo em função do fator. Ele tem papel importante no equilíbrio financeiro, mas no sentido de política previdenciária ele é ruim, porque na hora que a pessoa mais precisa ele é baixo. negocia com um grupo e só debate com outro, reclamou. Além da paralisação dos servidores, cerca de 200 alunos da UFRJ ocuparam ontem (24) o prédio onde funcionava a casa de eventos Canecão, que foi devolvido à universidade há cerca de dois anos. Os estudantes querem que o local seja transformado em um centro cultural aberto ao público. PAÍSQuinta-feira, 26 de julho de SÃO JOSÉ DOS CAMPOS GM não chega a acordo sobre futuro da fábrica CAMINHONEIROS BÔNUS No Alemão, Paes promete aumento a policiais de UPPs Da redação, com agências O prefeito Eduardo Paes (PMDB) anunciou na manhã desta quarta-feira um aumento de 50% na bonificação que a Prefeitura do Rio paga aos Policiais Militares que trabalham nas Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs). Com o reajuste, que ainda não tem prazo para entrar em vigor, o bônus dado pela administração municipal a esses PMs subirá de R$ 500 para R$ 750. Cerca de 5,5 mil policiais de 25 UPPs serão beneficiados. Com o aumento da gratificação, que é somada ao salário pago pelo governo do Estado, a prefeitura terá um acréscimo de R$ 15 milhões por ano nos gastos com os policiais. O orçamento passa de R$ 30 milhões para R$ 45 milhões. O anúncio ocorreu em visita do prefeito ao Complexo do Alemão. Morte - Na segunda, a soldado da PM Fabiana Aparecida Souza, de 30 anos, foi morta com um tiro de fuzil após ataques de bandidos à UPP Nova Brasília, dentro da comunidade. Trata-se Após três horas de reunião mediada pelo Ministério do Trabalho, a General Motors (GM) e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos não chegaram a um acordo sobre o futuro da fábrica da GM no município. A montadora vem, gradualmente, transferindo a sua produção local para unidades localizadas em outras regiões do País. O sindicato diz que o processo poderá causar a demissão de até 1,5 mil trabalhadores. A GM informou, por meio de sua assessoria, que a fábrica de São José, que era responsável pela montagem de quatro modelos, passou a produzir, a partir de ontem, apenas o Classic. Com a diminuição da produção, a empresa admite um excedente de mão de obra, mas não precisou quantos trabalhadores poderiam ser dispensados. Ainda de acordo com a GM, ficou acertado que nem a empresa, nem o sindicato, tomarão qualquer medida até a nova reunião, marcada para o dia 4 de agosto. Apoio - As centrais sindicais Força Sindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, Nova Central Sindical de Trabalhadores e União Geral dos Trabalhadores manifestaram ontem, em nota, repúdio à atitude da montadora de dispensar funcionários da unidade. As centrais pedem negociação para que o impasse seja superado. Protesto no RS O movimento dos caminhoneiros autônomos, que pretendia bloquear algumas das principais rodovias gaúchas desde a zero hora de ontem acabou transformado em protesto pacífico, com churrascada durante o dia nos postos à beira de estradas, tradicional no dia do Motorista, comemorado nesta quartafeira. Os caminhoneiros protestam contra varias medidas impostas pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), como a regulamentação da profissão. Organizado pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), o protesto com barreiras ao trânsito nas estradas foi proibido na noite de terça-feira pela Justiça Federal, atendendo a um requerimento da Polícia Rodoviária Federal. No caso de interdição ou bloqueio das estradas federais a multa prevista seria de R$ 50 mil. Para Osmar Lima, representante do MUBC, a solução do protesto pacífico teve bom reflexo junto à população. Nosso protesto é paz e amor, assim causamos uma boa impressão, disse. do primeiro policial de uma UPP a ser executado em serviço. Seu corpo foi enterrado ontem em Valência, no sul do estado, com honrarias de Estado. A delegada-chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, o comandante geral da PM, Erir Costa Filho, e o comandante das UPPs, Rogério Seabra, acompanharam as homenagens. Muito abalada e amparada por colegas, a irmã da soldado, a também policial Luciana Souza, não falou com a imprensa. Tempo indeterminado O Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Polícia Militar fluminense, vai permanecer no complexo do Alemão até que os responsáveis pela morte da soldado sejam identificados e presos. O Bope começou a fazer uma operação de varredura em toda a região do Alemão com o apoio de dois carros blindados do batalhão. A Polícia Militar também quer apreender as armas usadas pelos criminosos no ataque à UPP Nova Brasília. Os criminosos usaram fuzis automáticos de alta precisão. JUÍZO DE DIREITO DA 06ª VARA CÍVEL REGIONAL DO MÉIER-RJ EDITAL DE 1ª e 2ª PRAÇA E INTIMAÇÃO, com prazo de 05 dias, extraído dos autos da ação proposta por CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO EDUARDO em face de ESPÓLIO DE JOSÉ ALVES PEIXOTO FILHO ( ): A Dra. BIANCA FERREIRA DO AMARAL MACHADO NIGRI, Juíza de Direito, faz saber ao DEVEDOR, de que no dia 31/07/12, às 13h, no Átrio do Fórum do Méier, na Rua Aristides Caire, 53, Méier/RJ, pelo Leiloeiro Público Rodrigo da Silva Costa, será apregoado e vendido a quem mais der acima da avaliação, ou no dia 14/08/2012, no mesmo horário e local, a quem mais der independente da avaliação, o imóvel: Apto 203, R. Alice Figueiredo, 55, Riachuelo/RJ; avaliado em R$ ,00. Registrado no 01 RI, onde constam: três penhoras da 12ª. VFP/RJ, ações movidas pela Prefeitura do RJ; Medida Cautelar da 1ª. V. Família de Brasília. Há débitos de IPTU no valor de R$ 2.478,13. Arrematação à vista ou em até 15 dias mediante caução, acrescido de 5% de comissão ao Leiloeiro, 0,25% de ISS, e custas de cartório. RJ, 28/06/12. Eu, Andrea Gloria Dra. Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri - Juíza de Direito.

6 JUSTIÇA 6 Quinta-feira, 26 de julho de 2012 CPI DO CACHOEIRA Delta tem contrato de R$ 71,9 milhões suspenso Chefe de licitação da Prefeitura de Palmas também está na mira da Justiça Lailton Costa A juíza substituta da 1ª Vara da Fazenda Wanessa Lorena Martins de Sousa Mota suspendeu o contrato, de R$ 71,9 milhões, firmado entre a prefeitura de Palmas a Delta Construções para a coleta de lixo na capital tocantinense e determinou a quebra de sigilo fiscal e bancário da empresa e de mais três réus da ação civil ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE). A Delta respondeu o seguinte sobre a decisão da justiça: A Delta recorrerá judicialmente em busca de seus direitos contratuais. A empresa é suspeita de ligação com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira e o atual contrato com a administração de Raul Filho (PT) vem sendo investigado pelo MPE desde 2009, ano em que foi assinado após licitação que escolheu a Delta. Antes, a empresa executara diversos contratos para a limpeza urbana e coleta de lixo sem licitação. Somados todos os contratos entre a empresa e a prefeitura o montante passa de R$ 119 milhões em seis anos. Todos os contratos são alvo de inspeção do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A decisão é de segunda-feira e impõe segredo de justiça ao processo a partir de agora, mas foi divulgada nesta quarta-feira pelo Ministério Público após intimação do promotor Adriano Neves, que havia pedido a suspensão em cautelar ajuizada no dia 18. Foi a terceira tentativa do MPE, em dois anos, de anulação do contrato. Além da Delta, a justiça determinou a quebra de sigilos bancários e fiscais do chefe de licitação da prefeitura de Palmas, Gilberto Turcato de Oliveira, do engenheiro da prefeitura, Luiz Marques Couto Damasceno, ex-responsável pela fiscalização do contrato e também do ex- secretário de Infraestrutura Jair Correa Júnior. Ao formular o pedido de quebra dos sigilos, o promotor afirmou ter encontrado indícios de uma notória máfia do lixo e acusou os envolvidos de conduta ilícita, como produzir falsos atestados de capacidade e manipular dados de forma dolosa para beneficiar a empresa e possibilitar a continuidade da empresa na licitação e fraude nas planilhas da medição de serviços que seriam preenchidas sem conferências, entre outras. Na decisão, a juíza atendeu outro pedido do MPE e proibiu os repasses financeiros da Prefeitura à Delta. Segundo o Portal da Transparência da prefeitura, de janeiro até agora houve 26 empenhos (reserva no orçamento para pagamento futuro) para a empresa que somam R$ 17,4 milhões. Do valor, R$ 4,5 milhões já foram pagos e R$ 4,4 anulados. A juíza negou, porém, o pedido de bloqueio de bens dos envolvidos. Sobre a negativa, o promotor disse ao Grupo Estado que aguarda a conclusão da ação. Se os réus forem condenados o juiz deve determinar o bloqueio dos bens para o ressarcimento ao erário dos prejuízos já anotados pela fraude à licitação ou pela manipulação das planilhas, disse. Com a decisão, a prefeitura tem um prazo de 20 dias para a administração contratar emergencialmente outra empresa para o serviço, mas durante o período a Delta terá de continuar a coleta de lixo. Em nota, a Procuradoria Geral do Município afirma que aguarda a notificação oficial da decisão da juíza substituta, mas adiantou que o Executivo de Palmas irá cumpri-la integralmente. MENSALÃO Advogados querem que o julgamento seja interrompido Mariângela Gallucci Cinco advogados de São Paulo pediram nesta quarta à presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia Antunes Rocha, que pondere com seus colegas de STF que é inoportuno julgar a ação do mensalão durante o período eleitoral. O julgamento está marcado para começar em 2 de agosto e deve durar pelo menos um mês. Na petição, eles observam que os debates entre defesa e acusação serão televisionados e noticiados pelos meios de comunicação. Segundo os advogados, a repercussão será ainda maior porque o julgamento ocorrerá durante o período eleitoral. O desequilíbrio, em desfavor dos partidos envolvidos, é evidente. Tem-se o pior dos mundos: a judicialização da política e a politização do julgamento. Perde a Democracia, CRIME ORGANIZADO Juízes e promotores terão proteção especial Renata Giraldi O Ministério Público e os tribunais terão 90 dias para adotar uma série de medidas de segurança com o objetivo de garantir o andamento e julgamento dos processos envolvendo organizações criminosas. A Lei , aprovada pelo Congresso Nacional, foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff. O texto está publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União. A iniciativa ocorre um ano depois do assassinato da juíza Patrícia Acioli, de 47 anos, em Niterói. A juíza foi morta por dois homens encapuzados que dispararam pelo menos 16 tiros. Patrícia Acioli investigava o crime organizado na região. O caso ganhou repercussão nacional porque os magistrados classificaram o crime de atentado à democracia. No texto os juízes, integrantes do Ministério Público e seus parentes poderão receber proteção especial, se considerarem que estão sob ameaça. A proteção especial poderá ser feita pela Polícia Judiciária, por órgãos de segurança institucional e agentes policiais. A prestação de proteção pessoal será comunicada ao Conselho Nacional de Justiça ou ao Conselho Nacional do Ministério Público, conforme o caso, diz o texto. A decisão permite que o juiz responsável por processos envolvendo organizações criminosas tome medidas como revogação de prisão e transferência de suspeitos para penitenciárias de segurança máxima. MATO GROSSO Funai: não índios devem sair das terras Alex Rodrigues Em breve, um grupo de pessoas que não pertencem à comunidade Xavante, inclusive grandes produtores rurais, terá de deixar a Terra Indígena Marãiwatsédé, no nordeste de Mato Grosso. Na última segunda-feira, a Fundação Nacional do Índio (Funai) atendeu às decisões judiciais e entregou à Justiça Federal no estado o plano de desocupação da reserva, que abrange hectares (um hectare equivale a aproximadamente um campo de futebol oficial) dos municípios de Alto Boa Vista, Bom Jesus do Araguaia e São Félix do Araguaia. Segundo a 1ª Vara da Justiça Federal em Mato Grosso, a data de início da retirada dos não índios da área ainda vai ser definida. Antes, o Ministério Público Federal (MPF) terá de se manifestar sobre o plano elaborado pela Diretoria de Proteção Territorial da Funai, o que deve ser feito até segundafeira (30). A Justiça Federal também disse não ter conhecimento do ajuizamento de algum recurso contra contra a última decisão, que é a do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), de maio deste ano. Quando ocorrer, a ação de retirada dos não índios deverá contar com a participação da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal. Nenhum órgão consultado pela reportagem soube precisar quantas pessoas vivem irregularmente e serão retiradas da área. O governo de Mato Grosso, contudo, trabalha com a estimativa de 7 mil pessoas. O número de índios vivendo em uma pequena parcela da terra indígena passa de 900. com a realização de uma eleição desequilibrada. Perde a República, com o sacrifício dos direitos dos acusados ao devido processo legal, afirmam na petição os advogados Marcelo Figueiredo, Marco Aurélio de Carvalho, Gabriela Shizue Soares de Araújo, Fábio Roberto Gaspar e Ernesto Tzulrinik. 13 DE MAIO Vítimas de desabamento continuam desamparadas Akemi Nitahara O desabamento de três edifícios na Avenida 13 de Maio, no Centro, que deixou 17 mortos e cinco desaparecidos, completou ontem seis meses. E quem perdeu o escritório na tragédia continua sem amparo. A advogada Ana Betiza, representante da Associação das Vítimas da 13 de Maio, disse que as pessoas afetadas pela tragédia chegaram a se reunir com a prefeitura para negociar empréstimos a fim de refazer os seus negócios, mas sem sucesso. Infelizmente não se avançou nada, estamos aguardando empréstimo em fonte, um adiantamento de um empréstimo maior, pelo Investe Rio (Agência de fomento do governo do estado do Rio de Janeiro), que foi prometido pela prefeitura. Quanto à recuperação de bens materiais, nós não recuperamos nada até agora. Então, a gente está lutando para obter essas coisas, mas não obtivemos êxito em nada, disse. De acordo com a advogada, o inquérito que apurou as causas do desabamento teve uma conclusão preliminar do delegado federal Fábio Scliar, com o indiciamento de sete pessoas. Mas o inquérito foi para o Ministério Público Federal (MPF), responsável por denunciar os culpados ou entrar com uma ação na Justiça, e ainda não teve resultado. O Ministério Público Federal informou que recebeu dois inquéritos policiais referentes ao desabamento, um deles sem número na Justiça. Por isso, os dois processos foram enviados à Justiça Federal para que fossem unificados e recebessem um único número. José Geraldo da Fonseca Direitos & Deveres blogzegera.blogspot.com Questão Bizantina O art. 333 do CPC diz que cabe ao autor o ônus de provar o fato constitutivo do seu direito, e ao réu, o de provar os fatos impeditivos, extintivos ou modificativos do direito do autor. O STJ está às voltas com uma questão de nenhuma importância processual: saber se a prova é um direito da parte ou uma obrigação processual imposta pelo Judiciário. Essa discussão bizantina está sendo travada no julgamento de um recurso especial interposto pela Itaipu Binacional. Em maio/91, a Itaipu contratou a Triagem Serviços Temporários Ltda. para fornecer pessoal para a sua área de energia elétrica. Por falta de pagamento de direitos trabalhistas pela Triagem, a Itaipu sofreu seguidas condenações na Justiça do Trabalho e, depois, demandou em face da Triagem, pedindo de volta o que pagou aos trabalhadores, em nome da prestadora. A Triagem contestou e reconveio, alegando que a falta de pagamento se dera por erros de contabilidade da própria Itaipu na preparação dos relatórios de frequência para cálculo de horas extras, adicionais noturnos e de periculosidade. Mesmo não tendo apresentado provas dos alegados erros contábeis, o pedido da Itaipu foi julgado parcialmente procedente e a Triagem condenada a ressarcir-lhe os danos. Ambas as empresas apelaram. O Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4) anulou a sentença, por falta de provas, e determinou a sua baixa à origem para que as provas fossem produzidas. A Itaipu apelou para o STJ alegando que o juiz não pode impor à parte o ônus de produzir qualquer prova, mas julgar a lide segundo a prova produzida. O ministro Ari Pargendler deu efeito suspensivo ao recurso até que relator da ação volte das férias. Prova é a soma dos meios produtores de certeza. A prova tem por fim levar a convicção ao juiz. Meios de prova são as fontes probantes, os meios pelos quais o juiz recebe os elementos ou motivos de prova. Elementos ou motivos de prova são os informes sobre fatos, ou julgamentos sobre eles. A prova refere-se a fatos. Quando se diz que tal e qual deve provar o fato, o que se quer dizer é que tem o ônus de provar o fato jurídico donde irradia o direito que pretende. Ônus da prova é o ônus que tem alguém de dar a prova de algum enunciado do fato. Antes de se saber a quem cabe o ônus de provar este ou aquele fato, impõe-se saber quem tem o ônus de afirmar e o que lhe toca afirmar. Por exigência da lei, cabe ao réu manifestar-se precisamente sobre os fatos narrados na petição inicial, presumindo-se verdadeiros os não impugnados, exceto se não for admissível a confissão, se a inicial não se fizer acompanhar do instrumento público que a lei considerar da substância do ato ou se estiverem em contradição com a defesa, tomada em seu conjunto. Ao contestar, o réu assume uma de duas posições: a) afirma que o fato não é verdadeiro, mas invenção ou ficção do autor; b) afirma que o fato ocorreu de modo diferente dos narrados pelo autor. No primeiro caso (quando o réu afirma que o fato não é verdadeiro), trata-se de uma inexatidão absoluta. No segundo(quando o réu admite o fato, embora diga ter ocorrido de outro modo), de inexatidão relativa. Na inexatidão absoluta, é suficiente afirmar a inexistência do fato, mas é conveniente que se alegue fato ou fatos incompatíveis com a narrativa do autor. Não se admite contestação por negação geral. Se o réu deixa de contestar um ou vários fatos, cessa sobre eles a controvérsia, não se exigindo outra prova, nem se permitindo que o réu a produza, exceto se o autor pretender produzila se a confissão lhe parecer insuficiente. A defesa pode ser direta ou indireta. Na defesa direta, o réu limita-se a enfrentar os fatos do autor, mas não aduz fatos novos: nega a verdade dos fatos deduzidos pelo autor ou nega-lhes as consequências jurídicas; na indireta, opõe-se aos fatos deduzidos pelo autor contrapondo fatos novos, extintivos ou impeditivos do direito do autor. Tratando-se de fatos novos fatos do réu, não são propriamente impugnações dos fatos alegados na inicial. Quem apenas oferece defesa indireta aceita os fatos do autor, não os impugna. A Itaipu está certa. Alegar e não provar é o mesmo que não alegar. Prova é a soma dos meios produtores de certeza. Alegar e não provar é o mesmo que não alegar. O juiz não pode produzir prova pela parte José Geraldo da Fonseca é desembargador Federal do Trabalho no Rio de Janeiro (2ª Turma), membro da SEDI e da Comissão de Jurisprudência do TRT/RJ, presidente do Conselho Consultivo da ESACS (Escola de Capacitação do TRT/RJ), especialista em Processo Civil pela PUC/SP e em Direito Processual do Trabalho pela UFF/Escola Judicial do TRT/RJ, autor e professor universitário. C U R T A Itaú indenizará cliente por travamento de porta automática O Itaú terá que indenizar, por danos morais, no valor de R$ 5 mil, Eli Teixeira de Morais. A cliente relata que, em 2010, tentava ingressar na agência Paracambi, mas teve o seu acesso negado em função do travamento da porta automática. Mesmo depois de retirar todos os objetos metálicos da bolsa e apresentar documentos que comprovavam seu vínculo com a agência, o acesso só foi liberado depois de acionada a polícia.

7 SÍRIA Israel diz que vai atacar se arsenal for violado Medo cresce no estado judeu, com israelenses encomendando máscaras de gás O ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, alertou nesta quarta-feira que o país vai agir imediatamente se descobrir que militantes islâmicos estão atacando os estoques de armas químicas e biológicas da Síria. O medo cresce no Estado judeu, com israelenses encomendando milhares de máscaras de gás. Refletindo o medo, autoridades reportaram o aumento na demanda por máscaras de gás. O número de pedidos chegou a 4,2 mil na terça, contra a média de 2,2 mil. Políticos e responsáveis pela segurança estão monitorando a violência na Síria com crescente preocupação, temendo que o libanês Hezbollah e outros grupos militantes tomem posse dos arsenais caso o governo do presidente Bashar Assad entre em colapso. Nos últimos dias, políticos de Israel vêm afirmando que o país está preparado para atacar os depósitos de armas para impedir que isso aconteça. Lieberman disse à Rádio Israel que o governo não vai tolerar que as armas químicas caiam nas mãos de terroristas. Para nós, esse é um casus belli, o fim da linha, disse ele. No entanto, o chefe militar de Israel, general Benny Gantz, aconselhou moderação na terçafeira, alertando que um ataque na Síria poderia arrastar o país para uma guerra mais ampla. Mas até agora a avaliação de Tel Aviv é que os sírios permanecem em controle de seus arsenais. Tudo começou na segunda, quando Damasco ameaçou utilizar seus armamentos químicos se o país for atacado por forças estrangeiras, uma declaração amplamente considerada ser contra Israel. Observadores da ONU - Um grupo de cerca de 150 observadores estrangeiros da Organização das Nações Unidas (ONU) deixou a Síria. No total, a ONU enviou 300 observadores para a região que deveriam permanecer lá até o final de agosto, conforme decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas, na semana passada. Porém, integrantes da entidade informaram que apenas cerca de 150 observadores ficarão até o final da missão na Síria. As Nações Unidas não informaram oficialmente o motivo da saída do grupo do país. A crise na Turquia fecha rota de suprimentos A Turquia bloqueou a passagem de caminhões na fronteira com a Síria nesta quarta-feira, fechando uma linha de suprimentos vital para o sírios. O ministro da Economia turco, Zafer Caglayan, afirmou que apesar dos veículos não poderem mais entrar no vizinho, nenhuma restrição foi imposta nos veículos vindos da direção contrária. Nós temos sérias preocupações com a segurança dos caminhoneiros turcos em relação à sua entrada e saída da Síria, disse o ministro, acrescentando que já houve uma queda de 87% nas travessias de caminhões neste ano. A Turquia era aliada da Síria antes do início da revolta contra o regime do presidente Bashar Assad, 16 meses atrás. Mas Ancara tornou-se um crítico feroz e seu território ao longo dos 911 quilômetros de fronteira é utilizado como ponto de apoio para os rebeldes bem como abrigo para os milhares de refugiados que fogem da violência. A obstrução privará a Síria de uma importante rota de importações. Dezenas de caminhões turcos foram saqueados ou queimados quando rebeldes capturaram o posto de fronteira de Bab al-hawa na semana passada. Caminhoneiros turcos também foram pegos no fogo cruzado e foram alvos de ataques na guerra civil. Em Washington, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Rodham Clinton, expressou confiança no avanço dos rebeldes, dizendo que estão tomando mais e mais território. Isso eventualmente resultará em IRÃ Embargo ocidental não vai alterar política O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse nesta quarta-feira que a pressão diplomática e o embargo econômico do Ocidente não forçarão o país a alterar seus projetos na área nuclear. Khamenei, que possui a palavra final sobre todos os assuntos políticos na república islâmica, deu as declarações após se reunir na noite de terça com o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, o qual anunciou avanços no programa nuclear ao aiatolá. Já o governo de Israel reafirmou ontem, após as declarações de Khamenei, que um Irã armado com bombas atômicas seria mais perigoso para o Estado judeu que as possíveis consequências de evitar que Teerã obtenha essas armas. Khamenei disse que o Irã conseguirá superar as dificuldades provocadas pelas sanções econômicas do Ocidente e prosseguirá com o programa nuclear. Eles (o Ocidente) disseram explicitamente que precisam aumentar a pressão e reforçar as sanções para forçar as autoridades iranianas a refazerem seus cálculos. Mas um olhar nos fatos nos leva não apenas a não reconsiderarmos nossos cálculos como a mantermos nosso caminho com uma confiança ainda maior, disse Khamenei. O governo de Israel voltou a se manifestar mais uma vez sobre a questão nuclear iraniana após as declarações de Khamenei. O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, disse que um Irã com armas nucleares representaria um risco maior para o Estado judeu do que as possíveis consequências de uma ação que impeça o Irã de adquirir essas armas. Nós poderemos ter que tomar decisões difíceis a respeito da segurança nacional de Israel para garantir seu futuro, disse Barak. Estou bem ciente e tenho um conhecimento profundo das dificuldades envolvidas para evitar que o Irã obtenha armas nucleares, disse Barak. Mas não tenho dúvidas que lidar com a mesma ameaça, se ela amadurecer, seria algo mais complicado, perigoso e que poderia exigir mais em vidas humanas e recursos, disse. Continuidade - Na noite da terça, o presidente iraniano Ahmadinejad disse que o Irã não só está prosseguindo com seu programa nuclear como também está ativando centenas de centrifugas de enriquecimento de urânio. Atualmente existem 11 mil centrífugas operando em instalações de enriquecimento, disse ele após encontro com Khamenei. O último relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), publicado em 25 de maio, contabilizava 10 mil centrífugas ativas no Irã. Ahmadinejad não especificou nem deu detalhes sobre quantas centrífugas funcionam nos dois complexos de enriquecimento de urânio do país, Natanz e o bunker subterrâneo altamente fortificado de Fordo, perto da cidade de Qom. País prepara novos sistemas militares O ministro da Defesa do Irã, Ahmad Vahidi, disse ontem que o país está preparado para lançar dois novos sistemas militares. O militar não deu detalhes, mas explicou que a linha de produção iraniana tem alta precisão e envolve mísseis e hidroaviões. O Irã é alvo de suspeitas da comunidade internacional que desconfia da produção de armas atômicas no país. Grupo de 150 observadores estrangeiros da ONU deixou a Síria. As Nações Unidas não informaram ainda o motivo da saída do país Porém, as autoridades iranianas negam a produção de arsenal atômico na região. De acordo com as autoridades do Irã, o programa nuclear tem o objetivo de produzir material para fins pacíficos. No entanto, a comunidade internacional não confia nas informações e adotou sanções ao Irã. As restrições incluem sanções comerciais, financeiras, econômicas e militares. Nos últimos anos, o Irã tem feito avanços importantes no setor de defesa e alcançado a autossuficiência na produção de equipamentos e sistemas militares, disse o ministro. Segundo ele, o governo se preocupa em assegurar o sistema militar do Irã como meio de garantir segurança em caso de ameaças. MUNDOQuinta-feira, 26 de julho de Síria dura 16 meses e deixou mais de 16 mil mortos, inclusive crianças e mulheres. Os observadores militares não estão armados e atuam acompanhados por peritos civis. Eles chegaram a Damasco há três meses. Em meados do ano passado, os peritos decidiram não sair mais para patrulhar devido à uma intensificação da violência. Paralelamente, o governo do Líbano reagiu ontem de forma contundente às violações de direitos humanos na Síria. O ministro dos Negócios Estrangeiros do país, Adnane Mansour, disse que há violações das fronteiras e pediu que não se repitam. Em nota encaminhada ao governo sírio, o Líbano oficializou a queixa. É a primeira vez que o governo libanês protesta oficialmente. Por cerca de 30 anos, o Líbano dominou a Síria e a relação entre os dois países é mantida com esforços para não ter acirramento de tensões. Há relatos de aumento dos confrontos e disparos de granadas na área fronteiriça entre a Síria e o Líbano nos últimos dias. O governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, alega que há terroristas infiltrados na Síria a partir da fronteira com o Líbano. A maior parte das regiões fronteiriças da Síria está sob domínio de grupos opositores a Assad. Deserções - Ativistas afirmaram ontem que a chefe da missão diplomática da Síria no Chipre e o último embaixador nos Emirados Árabes desertaram. O portavoz do Conselho Nacional Sírio, Yassin al-naggar, afirmou que encarregada de negócios Chipre, Lamia al-hariri, já está em Doha, capital do Qatar. Hariri é esposa do ex-embaixador sírio nos Emirados Árabes, Abdel Latif Dabbagh. De acordo com outro membro do Conselho Nacional Sírio, Shadi al-khesh, Dabbagh também desertou. Ele perdeu o cargo de embaixador quando as nações do Golfo expulsaram os diplomatas sírios, mas mesmo assim permaneceu nos Emirados Árabes. Na noite de terça, dois generais de brigada do Exército sírio atravessaram a fronteira com a Turquia, aumentando para 27 o número de generais que abandonaram o regime do presidente Bashar Assad. uma área segura dentro da Síria, que então servirá de base para futuras ações da oposição, disse ela na terça-feira. A principal batalha no país está acontecendo a apenas 60 quilômetros da fronteira com a Turquia, na cidade comercial de Alepo, a maior da Síria, que foi atacada no sábado por uma aliança de forças rebeldes. Eles infiltraram-se em vizinhanças simpáticas à sua causa no norte e sul da cidade e estão movendo-se gradualmente em direção ao centro histórico. INGLATERRA Dilma é recebida por David Cameron A presidente Dilma Rousseff foi recebida nesta quarta-feira pelo primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, em sua residência oficial em Londres, em Downing Street. Ontem mesmo eles participaram de uma reunião por cerca de uma hora. No início do encontro, Dilma afirmou que vê grande oportunidade para discutir o relacionamento bilateral e para aprender com o Reino Unido sobre a organização brilhante dos Jogos Olímpicos em Londres. Cameron, por sua vez, disse que os dois países têm uma ampla variedade de temas a desenvolver conjuntamente. A presidente Dilma estava acompanhada do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota; do ministro do Esporte, Aldo Rebelo; do ministro da Educação, Aloizio Mercadante; do ministro de Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp; e do embaixador brasileiro em Londres, Roberto Jaguaribe. A residência de David Cameron está decorada com bandeiras da Olimpíada de Londres O premiê inglês mostrou a decoração para a presidente Dilma, que respondeu muito colorido. O jardim na frente da casa do primeiro ministro da Inglaterra também está ornamentado com os anéis olímpicos. A agenda da reunião inclui a crise europeia, os conflitos na Síria e a Venezuela. POLÍTICA Paraguai: relatório da Unasul será divulgado dia 9 Renata Giraldi VENEZUELA O ministro das Relações Exteriores do Peru, Rafael Roncagliolo, disse que no próximo dia 9 de agosto será entregue o primeiro relatório do grupo de alto nível da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) sobre a situação política no Paraguai. Nos últimos dias, representantes do bloco regional se reuniram, em Lima, capital peruana, para avaliar a crise política instaurada no Paraguai depois da destituição do então presidente Fernando Lugo do poder, em 22 de junho. O Peru é o presidente temporário da Unasul. O Paraguai foi suspenso da Unasul até as eleições gerais no país em abril de O Mercosul também suspendeu o Paraguai pelo mesmo período. No entendimento das autoridades dos blocos regionais, não foram respeitados os direitos de defesa de Lugo. O governo foi assumido pelo ex-vice-presidente da República, Federico Franco. Para os líderes políticos sulamericanos, o processo como ocorreu o impeachment de Lugo rompeu com a ordem democrática no país. O então presidente teve o impeachment aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado em menos de 24 horas. As autoridades paraguaias negam irregularidades. Paralelamente, o grupo de alto nível da Unasul levantará mais informações sobre a situação no Paraguai a partir de dados coletados nas embaixadas dos países-membros do bloco, em Assunção, capital paraguaia. Mercosul vai ser um poderoso bloco Renata Giraldi A menos de uma semana da cerimônia que vai oficializar a incorporação da Venezuela ao Mercosul, o ministro das Relações Exteriores venezuelano, Nicolás Maduro, disse ontem que a iniciativa vai transformar o grupo em um poderoso bloco econômico. O objetivo, segundo Maduro, é diversificar a economia e buscar a igualdade financeira entre os nossos irmãos da região. A cerimônia está marcada para terça-feira, em Brasília. Será um poderoso bloco econômico com a incorporação da Venezuela ao Mercosul. Com a Venezuela, virão a força energética, o petróleo e a petroquímica, disse o chanceler. É uma grande oportunidade para alcançar um objetivo, o da diversificação econômica com os nossos irmãos do Mercosul, acrescentou. Maduro lembrou ainda que a incorporação da Venezuela ao Mercosul foi natural devido ao desenvolvimento das relações com o Brasil e a Argentina. (O ELEIÇÃO NOS EUA Mercosul) é um projeto que nasceu para ir para um processo de integração sul-americana, uma integração econômica, crescimento e conjunto complementar, disse ele. Integrante da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a Venezuela sob o comando do presidente Hugo Chávez aguarda há mais de 6 anos para ingressar no Mercosul. Após posicionamento favorável dos outros sócios do bloco, a decisão dependia de manifestação do Paraguai. No entanto, o Congresso paraguaio simplesmente não aprovava a adesão venezuelana. Com o país suspenso do bloco, houve a decisão de incorporação. No final de junho, quando foi anunciada a incorporação da Venezuela no bloco, Chávez comemorou a decisão. Na ocasião, disse que foi uma derrota do imperialismo. O Mercosul é formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai temporariamente suspenso por decisão unânime dos demais países do bloco, como resposta à destituição do então presidente Fernando Lugo. Obama muda o tom da campanha É consenso entre analistas políticos que a escolha do vice em uma disputa para cargo majoritário não ganha eleição. Mas quando Mitt Romney escolher seu candidato a vice na chapa do Partido Republicano para disputar a Casa Branca o assunto certamente passará dominar o debate político nos Estados Unidos. Enquanto isso não acontece, o republicano abre espaço para ataques do concorrente Barack Obama. Romney embarcou ontem, restando 104 dias para eleições de novembro, em um giro pelo exterior que o levará a Londres e a Israel, entre outros destinos, e nenhum anúncio em relação ao vice é esperado antes de seu regresso aos EUA, no início da próxima semana. Quando ele voltar, já restará menos de um mês para a Convenção Nacional do Partido Republicano, na qual sua candidatura deve ser oficializada. Segundo um amigo próximo de Romney citado pelo Wall Street Journal, o republicano quer escolher, acima de tudo, alguém em quem possa confiar como um parceiro. O estrategista republicano Charles Black observa que não é realista pensar em um companheiro de chapa capaz de garantir um estado em uma disputa apertada ou um determinado bloco do eleitorado. O objetivo, segundo ele, é que seja um companheiro de chapa com um mínimo de bagagem na vida pública, mas que não pareça mais interessante que o candidato principal, reforce a mensagem e ainda ajude a arrecadar dinheiro.

8 8 Quinta-feira, 26 de julho de 2012 ARTES PSIQUIATRIA A arte moderna de esquizofrênicos no IMS Raphael Domingues e Emygdio de Barros iam no ateliê de centro da Nise da Silveira Da redação, com agências Paralelamente à mostra de Bispo do Rosário em Londres, o Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro abriga, desde o dia 14, uma exposição que reúne cem obras de dois outros grandes artistas esquizofrênicos, Raphael Domingues ( ) e Emygdio de Barros ( ). Ambos frequentaram o ateliê de artes do Setor de Terapêutica Ocupacional e Reabilitação mantido no Centro Psiquiátrico Nacional, hoje Instituto Municipal Nise da Silveira, em homenagem à psiquiatra que criou a divisão como alternativa para os procedimentos agressivos aplicados nos anos 1940 em doentes mentais, como lobotomia, choque elétrico e injeções de insulina. A exposição Raphael e Emygdio: Dois Modernos no Engenho de Dentro, com curadoria de Heloísa Espada e Rodrigo Naves, não despreza o papel que a arte de crianças e doentes mentais têm na história do modernismo, mas destaca a autonomia da produção artística desses dois nomes que poderiam figurar entre os integrantes de importantes movimentos modernos sem a menor concessão. Raphael, lembra a curadora Heloísa Espada, chegou a ser comparado por críticos a Matisse - e, de fato, a delicadeza de seu traço justifica essa proximidade. A intensidade das cores de Emygdio, segundo o crítico Rodrigo Naves, guarda semelhança com o cromatismo dos expressionistas alemães - Kirchner, especialmente -, mas sua visão, ainda de acordo com o curador, talvez seja mais realista. Se a condição psíquica dos dois artistas impediu a aproximação com movimentos que se desenvolviam dentro e fora do País na época em que produziam obras artísticas - Raphael começou com 15 anos, em 1927, logo trocando a figuração por grafismos -, isso não impediu que seus trabalhos dialogassem, ainda que à distância, com o que melhor se produzia na modernidade. Pintores como Paul Klee, lembra a curadora Heloísa Espada, eram fascinados pela arte dos doentes mentais, identificada pelo suíço com a busca de traços artísticos essenciais que só crianças e insanos seriam capazes de expressar. Tanto é verdadeira a observação de Klee que o compromisso com a representação fiel (tridimensional) inexiste em ambos os casos. Os objetos e a natureza são apenas pretextos para o desenho e a pintura. O Instituto Moreira Salles segue até 7 de outubro com a exposição Raphael e Emygdio em sua sede carioca (Rua Marquês de São ESPORTES Exposição não despreza papel da arte dos doentes mentais Com dores musculares, Ronaldinho Gaúcho é dúvida no Atlético-MG para jogo contra Santos Vicente, 476, Gávea). O catálogo da mostra está à venda em todas as lojas do IMS por R$ 85. Nise da Silveira - O trabalho de ateliê no Centro, localizado no bairro carioca de Engenho de Dentro, tinha como meta fornecer subsídios para o tratamento desses pacientes. A médica Nise da Silveira ( ), marcada pelas teorias de Jung, queria não só estimular o convívio entre os doentes como desenvolver uma relação afetiva entre eles, além, é claro, de melhorar a autoestima dos confinados. Raphael e Emygdio chegaram a conviver nesse ateliê em seus primórdios. Ambos foram diagnosticados muito jovens como esquizofrênicos. Graças ao apoio do pintor Almir Mavigner, monitor do ateliê, eles se tornaram nomes de referência em ensaios críticos que estabelecem relações entre modernidade e insanidade mental. Bispo do Rosário - Um artista em constante movimento. Atento às marés que movem as paixões humanas mesmo internado em um manicômio (a Colônia Juliano Moreira) em uma época em que TV era artigo de luxo, Arthur Bispo do Rosário teceu faixas de misses, simbolizando a representação dos países diante da competição entre as mais belas do mundo. Criou também barcos a vela, tacos de golfe, mesas alvo, raquetes de tênis, argolas de ginástica olímpica, entre outros artigos esportivos. Não é por acaso que a grande exposição dedicada a um artista brasileiro pelo Victoria & Albert Museum, para celebrar os Jogos Olímpicos de 2012, escolheu Bispo do Rosário para representar o Brasil. Na maior exposição que ele já ganhou no exterior, parte da programação do London 2012 Festival, que irá levar à capital inglesa a obra de artistas de todo o mundo para celebrar os Jogos Olímpicos, o que o público do mundo todo verá é exatamente esta faceta esportista de Bispo do Rosário. Foi este recorte de 80 obras que o curador Wilson Lázaro, do Museu Bispo do Rosário, escolheu para levar a um dos mais importantes museus da Europa. A obra do Bispo se renova por ela mesma. Não tem uma data, nenhum nome. Ele sempre esteve em movimento. Mais que isso, foi um esportista na vida, campeão de boxe, praticante de exercícios físicos quando integrou a Marinha. O esporte e o movimento sempre fizeram parte de seu imaginário e de suas obras, conta Lázaro, que a partir do dia 4 de agosto, trabalhará diretamente no V&A para cuidar dos ajustes finais da exposição, com abertura para o público no dia 13. Governo terá plano para as Olimpíadas de 2016 Objetivo é garantir mais recursos para os atletas e às equipes esportivas Renata Giraldi londres O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse ontem, em Londres, capital britânica, que o governo prepara o anúncio de um plano detalhado para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Sem dar detalhes, o ministro confirmou que o objetivo é garantir mais recursos para os atletas e as equipes esportivas. Temos um plano especial para 2016 com mais recursos, sintetizou ele. Aldo acompanha a presidente Dilma Rousseff na visita a Ministro do Esporte Aldo Rebelo disse que, após quatro anos de preparação, está otimista com os resultados dos atletas brasileiros Londres até sábado. Também estão na comitiva da presidenta os ministros Antonio Patriota (Relações Exteriores), Helena Chagas (Comunicação Social), Gastão Vieira (Turismo), Aloizio Mercadante (Educação) e Marco Antonio Raupp (Ciência, Tecnologia e Inovação), além do Divulgação S Adriano Galliani, vice do Milan, abriu as portas do clube e sugere retorno do meia Kaká presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). O ministro disse estar otimista com os resultados que serão obtidos pelos brasileiros nas Olimpíadas de Londres cuja abertura ocorre no dia 28 com o tema Live Is One (Viva como se fosse o único, em português). Minha expectativa é a melhor possível. Creio que tivemos esses quatro anos para evoluir em relação aos resultados (anteriores), disse ele. Em Pequim (2008), o Brasil conquistou três medalhas de ouro natação, atletismo e vôlei -, quatro de prata e oito de bronze. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) reuniu uma equipe de 259 atletas 136 homens e 123 mulheres que disputarão 32 modalidades olímpicas. No total, são 29 modalidades e 26 esportes. A previsão é que aproximadamente 10,5 mil atletas de 192 países e 13 territórios participem dos jogos. João Marcos Cavalcanti MPB & outras histórias João Marcos Cavalcanti de Albuquerque é advogado formado pela PUC, escritor bissexto e estudioso da MPB. Sylvinha Telles ylvia Telles nasceu no Rio, em 1934, e faleceu em dezembro de Nesses seus 33 anos de vida tornou-se uma cantora de primeira linha e foi uma das precursoras da bossa nova. Filha de pais de classe média alta e filha de mãe francesa, estudou no Colégio Sacre Couer de Marie onde destacava-se por sua participação em todos os eventos culturais da escola. Seu sonho era ser bailarina, mas ao cursar a escola de teatro percebeu que seu destino estava na música e passou a investir em sua carreira de cantora. Em 1954 o grande compositor Billy Blanco, que era amigo de seus pais, descobriu o dom de Sylvia e apresentou-a a seus amigos músicos, introduzindo-a assim no meio artístico. Nas reuniões que eles faziam, pode conhecer os grandes compositores da época, tais como Aníbal Sardinha, O Garoto que a ajudou a encontrar trabalho em boates dando assim início a sua carreira profissional. Nessa época, conheceu seu primeiro namorado, o cantor e violonista João Gilberto, amigo de Mário Telles seu irmão. Esse relacionamento durou pouco, pois seus pai não gostavam do jovem, que vivia de favor dormindo na casa dos outros. No ano seguinte, Garoto escreveu-lhe um musical chamado Gente de bem e champanhota, que foi apresentado no extinto teatro Follies em Copacabana. Na ocasião, José Candido de Mello o Candinho, acompanhou Sylvinha com seu violão na canção Amendoim Torradinho (Henrique Beltrão), grande sucesso nas rádios e em vendagem de disco. Candinho e Sylvinha se apaixonaram a primeira vista e logo casaram. Desse casamento nasceu Claudia, que mais tarde tornar-se-ia cantora como a mãe. O casamento pouco durou e logo se separaram Pouco tempo depois, morreu Garoto, sem poder ver o lançamento do primeiro disco de sua afilhada. Em 1958, o local de encontro dos músicos passou a ser o apartamento de Nara Leão. Lá Sylvinha que já era cantora de sucesso foi convidada por Ronaldo Bôscoli para participar de um espetáculo no Grupo Universitário Hebraico. Foi neste show, Carlos Lyra, Sylvia Telles e os seus Bossa Nova, que a expressão bossa nova foi divulgada pela primeira vez. A vida amorosa de Sylvinha foi tumultuada pois depois de separa-se de Candinho casou-se com o produtor Aloysio de Oliveira casamento esse que durou pouco mais de um ano. Conheci Sylvinha quando ela namorava um amigo meu, Horacinho de Carvalho, e nos encontrávamos frequentemente na boate Zum Zum. Foi lá que em uma noite (se não me falha a memória dia 16 de dezembro de 1966) estávamos todos sentados a mesa de Paulinho Soledade bebericando nosso uísque, quando Horacio resolveu que iria naquela madrugada para sua fazenda em Maricá. Paulinho tentou dissuadi-lo dizendo. - Horácio, já está muito tarde e você está cansado. Porque não vai para casa, dorme e viaja amanha pela manhã? - Não Paulinho, estou bem, prefiro ir agora e amanhecer na fazenda. Foi. E o que Soledade temia aconteceu. Horácio deve ter adormecido ao volante. Fui acordado pela manhã com um telefonema de Paulinho avisando do acidente onde os dois tinham falecido. Esse dia foi de muita tristeza não só para nós seus amigos, como também para a Musica Popular Brasileira. Para você leitor que não conheceu o trabalho de Sylvinha Telles aí vão alguns de seu sucessos: Amendoim Torradinho,Menina (Carlos Lyra),Foi a Noite (Tom Jobim e Newton Mendonça),Chove Lá Fora (Tito Madi),Estrada do Sol (Tom Jobim e Dolores Duran), A Felicidade (Tom e Vinicius), Só Em Teus Braços (Tom Jobim) e muitos outros. Pena que você se foi tão cedo. Saudade. Os pilotos da Stock Car duvidam que o novo autódromo em Deodoro seja construído Iaaf tem nove casos de doping antes dos jogos A Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf) anunciou nesta quarta-feira ter sido bem sucedida nos testes que fez a partir do chamado passaporte biológico, que identifica modificações no sangue dos atletas e, assim, pode detectar tentativas sofisticada de dopagem. No total, nove esportistas foram punidos pela entidade. Os anúncios de hoje (ontem) sublinham a campanha contínua e inabalável da Iaaf contra o doping no atletismo. Eles demonstram o compromisso da Iaaf na utilização de métodos avançados para detectar doping e para impor sanções maiores quando isso se justifique. Nós não vamos desistir de nossa determinação de fazer tudo que estiver ao nosso alcance para erradicar a trapaça, disse Lamine Diack, presidente da entidade. Os testes da entidade identificaram doping de seis atletas: Abderrahim Goumri (Marrocos), Iríni Kokkinaríou (Grécia), Meryem Erdogan (Turquia), Svetlana Klyuka (Rússia), Nailiya Yulamanova (Rússia) e Yevgenina Zinurova (Rússia). Klyuka, Yulamanova, Erdogan e Zinurova admitiram o doping e receberam dois anos de suspensão cada um. Goumri foi punido pela federação de seu país com quatro anos de suspensão, mas a pena não é definitiva. Já Kokkinaríou foi punida por dois anos pela federação grega, mas a Iaaf vai recorrer, pedindo quatro anos de gancho.

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar

BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar ÚLTIMO INSTANTE - 11/03/2015 às 18h28 BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar Ásia perde com expectativa para decisão do Federal Reserve Os principais mercados acionários

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA OBSERVATÓRIO POLÍTICO DOS ESTADOS UNIDOS INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA ESTUDOS SOBRE OS ESTADOS UNIDOS INCT-INEU ISSN 2317-7977 VOL.

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil.

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil. Outubro de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Sexta-feira 31 34351 ares, me diante a exibição de ofí cio ou mandado em forma regular. 1º So men te se ex pe di rá pre ca tó ria, quando, por essa for ma, for

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA Filipe Carreira da Silva Resumo Este artigo tem por objectivo discutir a noção de esfera pública proposta por Jürgen Habermas. Para tanto,

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL Miguel Correia Pinto e Manuel Mira Godinho Resumo Com os avanços nos domínios da biotecnologia registados nas décadas mais recentes, os conhecimentos

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia

IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia José Manuel Leite Viegas Introdução Na úl ti ma dé ca da do sé cu lo pas sa do as sis tiu-se

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente

PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente Cristina Palma Conceição Resumo Tendo como pano de fundo algumas das questões suscitadas pelo debate teórico

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL José Nuno Lacerda Fonseca Resumo Analisando vários indícios da existência de efeitos anti-sociais da actividade dos meios de comunicação social, reflecte-se

Leia mais

Nota 2013 2012 2013 2012

Nota 2013 2012 2013 2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Em mi lha res de re a is) Controladora Consolidado Nota Ativo Reapresentado Caixa e equivalentes de caixa 3 214.968 28.295 242.605 44.602 Adquirentes

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa reduz ganhos no fechamento, pressionada por Wall Street Petrobras amplia exigências à Sete Brasil Por Lucro das empresas de capital aberto no Brasil cresce no 2º trimestre FGV: Índice

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL Carlos Bernardo González Pecotche RAUMSOL A Herança de Si Mesmo Editora Logosófica A HerAnçA de Si Mesmo Ao publicar o presente tra balho, o autor levou em conta a repercussão que ele pode alcançar no

Leia mais

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Informativo mensal da unidade Contagem da PUC Minas nº 78 Agosto de 2008 Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Com três li nhas de pro du tos bá si ca, es cri tó rio e es por ti va, a

Leia mais

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Agenda 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Cenário Internacional Cenário Internacional Mundo cresce, mas pouco. Preocupação com China 4 EUA

Leia mais

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões.

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões. Última Cotação em 30/09/2013 FBMC4 - R$ 43,90 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2013): R$ 31.893,9 milhões US$ 14.431,7 milhões São Bernardo do Campo,

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Julho de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Inflação e Salários...Pág.3 Europa: Grexit foi Evitado,

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net.

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net. UMA MEMÓRIA PARA A TECNOLOGIA Fa us to Co lom bo Re su mo O tema da me mó ria, quan do as so ci a do ao das no vas tec no lo gi as, pro duz in te res san tes cor re la ções na me di da em que a in for

Leia mais

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT RECENSÃO COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT [Lígia Noronha, Nelson Lourenço, João Paulo Lobo-Ferreira, Anna Lleopart, Enrico Feoli, Kalidas Sawkar, e A. G. Chachadi (2003),

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

Análise sobre a (não) caracterização do crime de racismo no Tri bu nal de Justiça de São Paulo

Análise sobre a (não) caracterização do crime de racismo no Tri bu nal de Justiça de São Paulo Análise sobre a (não) caracterização do crime de racismo no Tri bu nal de Justiça de São Paulo Anal y sis of the (non) char ac ter iza tion of the crime of rac ism in São Paulo Court of Jus tice Simone

Leia mais

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto Primórdios Afir mar que a so ci o lo gia por tu gue sa só co me çou ver da de i ra men te

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

Câmbio (R$) Ouro (R$)

Câmbio (R$) Ouro (R$) Publicação dos Despachos da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro PÁGINAS 4, 5, 6 e 7 1ª FASE 1875 A 1942 2ª FASE ANO II EDIÇÃO Nº 430 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,68 1,79 Comercial

Leia mais

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná.

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Advo ga dos Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Man da do de Se gu ran ça 768.003-5 Jul ga men to: Órgão Espe ci al. Rel.:

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

ECONOMIA INTERNACIONAL

ECONOMIA INTERNACIONAL No mês de fevereiro foram divulgadas as estatísticas das principais economias mundiais. Cabe ressaltar ainda, o efeito negativo da crise na Ucrânia nos mercados internacionais, uma vez que o grau de tensão

Leia mais

A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA

A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA A SEGMENTAÇÃO DO ESPAÇO DE INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA PORTUGUESA Luísa Oliveira e Helena Carvalho Resumo A inovação tecnológica como força motriz de um novo padrão de competitividade coloca, como questão central,

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1

ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1 ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1 Eládio Torret Rocha Ju iz de Direito do TJSC SUMÁRIO: 1. Intro du ção; 2. A im pren sa e a li mi ta

Leia mais

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8%

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8% Outubro de 2015 INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES O Geral Asset Long Term - GALT FIA é um fundo de investimento que investe em ações, selecionadas pela metodologia de análise

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13 O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 To dos so mos igua is, ape nas te - mos di fi cul da des di fe ren tes. Le o nar do

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos Pesqui Odontol Bras 2003;17(Supl 1):33-41 Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos Conselho Nacional de Saúde - Resolução 196/96 Pes qui sa Qu a li fi ca ção do pesquisador

Leia mais

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA Pedro Diniz de Sousa Resumo Parte-se de uma definição do conceito de dramatização e da identificação das funções que o discurso dramático pode desempenhar

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

Fi si o te ra pia re a li za jor na da aca dê mi ca nos 40 anos da pro fis são

Fi si o te ra pia re a li za jor na da aca dê mi ca nos 40 anos da pro fis são Informativo mensal da PUC Minas em Betim nº 91 Agosto de 2009 Fi si o te ra pia re a li za jor na da aca dê mi ca nos 40 anos da pro fis são As ins cri çõ es para apre sen ta ção de pôs ter es tão aber

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

DESTAQUES. Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10%

DESTAQUES. Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10% DESTAQUES Ibovespa renova máxima no ano Eletrobrás capta r$ 6,5 bilhões com BB e Caixa Lucro da Embratel sobe 10% Receita bruta da JSL no 2º trimestre sobe 20,4% Aliansce tem alta de 8,6% nos aluguéis

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

Mapeamento de Ações e Discursos de Combate às Desigualdades Raciais no Brasil

Mapeamento de Ações e Discursos de Combate às Desigualdades Raciais no Brasil Mapeamento de Ações e Discursos de Combate às Desigualdades Raciais no Brasil Rosana Heringer Resumo O ar ti go apre sen ta as prin ci pa is con clu sões da pes qui sa Ma pe a - men to de Ações e Dis cur

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais