MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo."

Transcrição

1 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014

2 Metodologia 2

3 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa, com abordagem telefônica dos entrevistados. As entrevistas foram realizadas mediante a aplicação de questionário estruturado com cerca de 10 minutos de duração. Os entrevistados foram sorteados a partir de listagem fornecida pelo SIMPI. Universo Responsáveis por micro e pequenas indústrias do Estado de São Paulo. Abrangência Estado de São Paulo. Coleta de dados A coleta de dados ocorreu entre os dias 05 a 22 de maio de 2014.

4 Metodologia 4 Amostra Foram realizadas 316 entrevistas distribuídas da seguinte forma: Micro empresas (de 0 a 9 funcionários) = 203 entrevistas Pequenas empresas(de 10 a 50 funcionários) = 113 entrevistas Região metropolitana = 161 entrevistas Interior = 155 entrevistas Margem de erro A margem de erro máxima para o total da amostra é de 6 pontos percentuais para mais ou para menos considerando um intervalo de confiança de 95%.

5 Metodologia 5 Ponderação dos resultados Os resultados foram ponderados de acordo com a proporção de micro e pequenas indústrias no Estado de São Paulo, a natureza do município (região metropolitana e interior) e o setor de atividade segundo dados da Rais ano base Período de referência As perguntas de avaliação são remetidas a ABRIL, mês anterior à coleta de dados, e as de expectativa referem-se a JUNHO, mês posterior.

6 Perfil da empresa 6

7 Perfil das empresas - Porte (resposta espontânea e única, em %) 7 Pequena (de 10 a 50 funcionários) 14% 86% Micro (de 0 a 9 funcionários) P.F2 Excluindo sócios e proprietários, quantos funcionários registrados trabalham na sua empresa atualmente?

8 Perfil das empresas - faturamento (resposta espontânea e única, em %) Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar2 Abr2 Mai2 Até R$ De R$ a R$ De R$ a R$ Mais de R$ Recusa Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Março Abril Maio P.32 Em média, qual o faturamento mensal de sua empresa?

9 Perfil das empresas possui produção própria? Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Possui produção própria Atua somente na prestação de serviços Contrata serviço de produção de outras Fonte: P.1c Sua empresa possui produção própria, contrata o serviço de produção de outras empresas ou não está ligada à produção e atua na prestação de serviços?

10 Perfil das empresas possui produção própria? 10 Micro Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Possui produção própria Atua somente na prestação de serviços Contrata serviço de produção de outras Pequena Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fonte: P.1c Sua empresa possui produção própria, contrata o serviço de produção de outras empresas ou não está ligada à produção e atua na prestação de serviços?

11 Perfil dos entrevistados 11

12 Perfil dos entrevistados 12 sexo idade Masculino Feminino 18 a 24 anos 25 a 34 anos 35 a 44 anos 45 a 59 anos 60 anos ou mais natureza do município Capital Outros municípios da Região Metropolitana Interior Total Micro Pequena

13 Desempenho da empresa 13

14 Índice de Satisfação das MPI s do Estado de São Paulo* Avaliação da empresa Faturamento Margem de lucro Média de Satisfação *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à situação geral, faturamento e margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

15 Índice de Satisfação das MPI s do Estado de São Paulo* 15 Micro Avaliação da empresa Faturamento Margem de lucro Média de Satisfação *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à situação geral, faturamento e margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

16 Índice de Satisfação das MPI s do Estado de São Paulo* 16 Pequena Avaliação da empresa Faturamento Margem de lucro Média de Satisfação *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à situação geral, faturamento e margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

17 Avaliação da situação da empresa hoje 17 Aumenta de 36% para 44% o índice dos que avaliam a situação da empresa como regular Ótima/ boa Regular Ruim/ péssima Fonte: P.2 De forma geral, como você avalia a situação de sua empresa hoje: ótima, boa, regular, ruim ou péssima?

18 Avaliação da situação da empresa hoje 18 Micro Ótima/ boa Regular Ruim/ péssima Pequena Fonte: P.2 De forma geral, como você avalia a situação de sua empresa hoje: ótima, boa, regular, ruim ou péssima?

19 Faturamento no mês anterior 19 46% avaliam o faturamento do mês anterior de forma regular Ótimo/ Bom Regular Ruim/ Péssimo Fonte: P.4 Você diria que, no mês passado, o/a (cite cada um dos itens abaixo) de sua empresa foi ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

20 Faturamento no mês anterior 20 Micro Pequena Ótimo/ Bom Regular Ruim/ Péssimo Fonte: P.4 Você diria que, no mês passado, o/a (cite cada um dos itens abaixo) de sua empresa foi ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

21 Margem de lucro no mês anterior 21 Cai avaliação positiva da margem de lucro Ótima/ Boa Regular Ruim/ Péssima Fonte: P.4 Você diria que, no mês passado, o/a (cite cada um dos itens abaixo) de sua empresa foi ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

22 Margem de lucro no mês anterior 22 Micro Ótima/ boa Regular Ruim/ péssima Pequena Fonte: P.4 Você diria que, no mês passado, o/a (cite cada um dos itens abaixo) de sua empresa foi ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

23 Índice de Expectativa das MPI s do Estado de São Paulo Avaliação da empresa Faturamento Margem de lucro Média *Para se chegar a este índice, também apresentado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à expectativa geral, expectativa com faturamento e expectativa com margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos)

24 Índice de Expectativa das MPI s do Estado de São Paulo 24 Micro Avaliação da empresa Faturamento Margem de lucro Média de Satisfação *Para se chegar a este índice, também apresentado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à expectativa geral, expectativa com faturamento e expectativa com margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos)

25 Índice de Expectativa das MPI s do Estado de São Paulo 25 Pequena Avaliação da empresa Faturamento Margem de lucro Média de Satisfação *Para se chegar a este índice, também apresentado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à expectativa geral, expectativa com faturamento e expectativa com margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos)

26 Expectativa da situação da empresa para o próximo mês 26 Expectativa positiva cai de 43% para 33% Melhorará muito Melhorará um pouco Ficará como está Piorará um pouco Piorará muito Não sabe Fonte: P.3 E você acredita que a situação de sua empresa irá melhorar, piorar ou ficará como está no próximo mês? Muito ou um pouco?

27 Expectativa da situação da empresa para o próximo mês 27 Micro Melhorará Ficará como está Piorará Pequena Melhorará Ficará como está Piorará Fonte: P.3 E você acredita que a situação de sua empresa irá melhorar, piorar ou ficará como está no próximo mês? Muito ou um pouco?

28 Expectativa de faturamento 28 Para 56%, faturamento ficará no mesmo nível no próximo mês; 20% apostam em crescimento; 21% em queda Forte crescimento Crescimento moderado Mesmo nível atual Queda moderada Forte queda Fonte: P.11 E você prevê que o faturamento de sua empresa terá crescimento, queda ou ficará no mesmo nível atual no próximo mês? Forte ou moderado?

29 Expectativa de faturamento 29 Micro Forte crescimento Crescimento moderado Mesmo nível atual Queda moderada Forte queda Pequena Fonte: P.11 E você prevê que o faturamento de sua empresa terá crescimento, queda ou ficará no mesmo nível atual no próximo mês? Forte ou moderado?

30 Expectativa de margem de lucro 30 Maioria prevê margem de lucro no mesmo nível Forte crescimento Crescimento moderado Mesmo nível atual Queda moderada Forte queda Fonte: P.12 No próximo mês, você prevê que a margem de lucro de sua empresa terá crescimento, queda ou ficará no mesmo nível atual? Forte ou moderado?

31 Expectativa de margem de lucro 31 Micro Forte crescimento Crescimento moderado Mesmo nível atual Queda moderada Forte queda Pequena Fonte: P.12 No próximo mês, você prevê que a margem de lucro de sua empresa terá crescimento, queda ou ficará no mesmo nível atual? Forte ou moderado?

32 Investimentos 32

33 Índice de investimentos das MPI s do Estado de São Paulo* Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Investimentos *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes ao investimento no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

34 Índice de investimentos das MPI s do Estado de São Paulo* 34 Micro Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Investimentos Pequena Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes ao investimento no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

35 Investimentos em máquinas e equipamentos, reforma ou ampliação do espaço físico no mês passado Taxa de investimentos tem variação negativa Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fez algum investimento Não fez Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Em máquinas e equipamentos Em espaço físico Em ambos P.5A Sua empresa utiliza máquinas e equipamentos para fabricar produtos ou prestar algum tipo de serviço? P.5 No mês passado, sua empresa fez investimentos na compra de máquinas ou equipamentos? P.6A O trabalho de sua empresa é feito em local específico, como um barracão, ou é feito no local onde estão os clientes? P.6 No mês passado, sua empresa fez investimentos em reforma ou ampliação do espaço físico onde funciona?

36 Investimentos em máquinas e equipamentos, reforma ou ampliação do espaço físico no mês passado 36 Micro Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fez algum investimento Não fez Pequena Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai P.5A Sua empresa utiliza máquinas e equipamentos para fabricar produtos ou prestar algum tipo de serviço? P.5 No mês passado, sua empresa fez investimentos na compra de máquinas ou equipamentos? P.6A O trabalho de sua empresa é feito em local específico, como um barracão, ou é feito no local onde estão os clientes? P.6 No mês passado, sua empresa fez investimentos em reforma ou ampliação do espaço físico onde funciona?

37 Investimentos em máquinas e equipamentos, reforma ou ampliação do espaço físico no próximo mês Expectativa de investimentos passa de 26% para 21% Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai 2013 Pretende fazer investimentos Não pretende Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Em máquinas e equipamentos Em espaço físico Em ambos P.9 Agora falando no próximo mês, sua empresa pretende fazer investimentos na compra de máquinas ou equipamentos? P10. No próximo mês, a empresa pretende fazer investimentos em reforma ou ampliação do espaço físico onde funciona?

38 Investimentos em máquinas e equipamentos, reforma ou ampliação do espaço físico no próximo mês 38 Micro Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Pretende fazer investimentos Não pretende Pequena Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai P.9 Agora falando no próximo mês, sua empresa pretende fazer investimentos na compra de máquinas ou equipamentos? P10. No próximo mês, a empresa pretende fazer investimentos em reforma ou ampliação do espaço físico onde funciona?

39 Realização de investimentos para melhora da produtividade no próximo mês 39 Micro Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Pretende fazer investimentos Não pretende Pequena Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai P.41 Pensando em investimento como recurso utilizado para compra de máquinas e equipamentos, reformas e outras benfeitorias que melhorem a produtividade dos negócios, você diria que sua empresa pretende realizar investimentos no próximo mês, sim ou não?

40 Impostos 40

41 Avaliação dos impostos no desempenho da empresa 41 Metade acredita que os impostos dificultam muito o desempenho da empresa 1 - Não dificultam Dificultam muito Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fonte: P.36A Pensando em uma escala de 1 a 5 em que 5 significa DIFICULTA MUITO e 1 significa NÃO DIFICULTA EM NADA, o quanto os impostos cobrados de sua empresa dificultam o desempenho de seu negócio:

42 Avaliação dos impostos no desempenho da empresa 42 Micro 1 - Não dificultam Dificultam muito Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Pequena Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fonte: P.36A Pensando em uma escala de 1 a 5 em que 5 significa DIFICULTA MUITO e 1 significa NÃO DIFICULTA EM NADA, o quanto os impostos cobrados de sua empresa dificultam o desempenho de seu negócio:

43 Empréstimos e endividamento 43

44 Avaliação da dificuldade para obter empréstimo 44 45% consideram difícil obter empréstimos Muito fácil Um pouco fácil Nem fácil nem difícil Um pouco difícil Muito difícil Não sabe Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai P.37 Quando você precisa obter empréstimo para seu negócio em um banco ou financeira, você diria que isso é fácil ou difícil? Muito ou um pouco?

45 Avaliação da dificuldade para obter empréstimo 45 Micro Fácil Nem fácil nem difícil Difícil Não sabe Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Pequena Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai P.37 Quando você precisa obter empréstimo para seu negócio em um banco ou financeira, você diria que isso é fácil ou difícil? Muito ou um pouco?

46 Endividamento das empresas no mês passado 46 Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai DEIXOU DE PAGAR Deixou de pagar fornecedores Deixou de pagar dívidas em banco ou financeira Pagamento do empréstimo representa no faturamento da empresa... Deixou de pagar despesas Deixou de pagar algum imposto TOMOU EMPRÉSTIMOS Tomou empréstimo para ter capital de giro Tomou empréstimo para renegociar ou pagar dívidas Tomou empréstimo para pagar despesas Até 15% Mais de 15% a 30% Mais de 30% a 50% Mais de 50% Não sabe MÉDIA Tomou empréstimo para investir em benfeitorias para o seu negócio Tomou empréstimo para pagar fornecedores Base: Entrevistados que declararam que tomaram empréstimos P.38A No mês passado, sua empresa: / P.38A De 0 a 100%, quanto o pagamento desse(s) empréstimo(s) deve(m) representar no faturamento da sua empresa no próximo mês?

47 Dívidas 47 42% têm dívidas; 7% consideram endividamento alto TEM DÍVIDAS NÃO TEM DÍVIDAS Alto Moderado Baixo Fonte: P.16 Sua empresa tem dívidas atualmente? (SE SIM) E você classificaria o nível de endividamento de sua empresa como alto, moderado ou baixo?

48 Dívidas 48 Micro TEM DÍVIDAS NÃO TEM DÍVIDAS Alto Moderado Baixo Pequena Fonte: P.16 Sua empresa tem dívidas atualmente? (SE SIM) E você classificaria o nível de endividamento de sua empresa como alto, moderado ou baixo?

49 Nível de inadimplência no mês passado 49 Nível de calote oscila positivamente Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai SOFREU CALOTES Até 15% Mais de 15% a 30% Mais de 30% NÃO SOFREU CALOTES Base: Entrevistados que declararam que sofreram calote P.39A E no mês passado, sua empresa deixou de receber algum pagamento, ou seja, tomou calote de clientes? De 0 a 100%, quanto o que a empresa deixou de receber representa do faturamento do mês passado? / P.40 O nível de inadimplência ou calote que sua empresa sofreu no mês passado foi maior, menor ou igual aos meses anteriores? Muito ou um pouco?

50 Contratações e demissões 50

51 Índice de contratação e demissão das MPI s do Estado de São Paulo* Contratações Demissões Média (contratações/demissões) *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à abertura e fechamento de vagas no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

52 Índice de contratação e demissão das MPI s do Estado de São Paulo* 52 Micro Contratações Demissões Média (contratações/demissões) *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à abertura e fechamento de vagas no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

53 Índice de contratação e demissão das MPI s do Estado de São Paulo* 53 Pequena Contratações Demissões Média (contratações/demissões) *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes à abertura e fechamento de vagas no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

54 Contratações no mês anterior 54 Nível de contratações permanece estável Não Sim média 2,0 2,9 2,5 2,2 2,3 2,2 1,9 1,9 2,7 2,2 2,8 2,2 2,2 2,9 1,9 Fonte: P.7a No mês passado, houve abertura de novas vagas de trabalho em sua empresa? (SE SIM) Quantas vagas foram abertas?

55 Contratações no mês anterior 55 Sim Não Micro média 2,0 2,4 1,5 1,7 1,8 1,6 1,5 1,8 2,5 1,7 3,0 1,5 2,1 2,1 1,4 Pequena Média 3,7 3,4 2,9 2,6 2,8 2,6 2,6 2,1 3,0 3,0 2,6 3,3 2,4 3,4 2,7 Fonte: P.7a No mês passado, houve abertura de novas vagas de trabalho em sua empresa? (SE SIM) Quantas vagas foram abertas?

56 Demissões no mês anterior 56 Demissões ficam estáveis Não Sim Média 2,2 2,0 3,7 2,1 2,3 2,2 1,8 2,0 2,4 2,3 2,8 2,4 2,4 2,8 2,3 Fonte: P.8a No mês passado, houve fechamento de vagas de trabalho em sua empresa? (SE SIM) Quantas vagas foram fechadas?

57 Demissões no mês anterior 57 Sim Não Micro Média 1,6 1,3 4,3 1,5 2,1 2,1 1,7 1,7 2,2 2,1 3,1 2,0 2,5 2,9 2,2 Pequena média 3,2 2,6 2,5 2,6 2,8 2,2 2,1 2,5 3,1 2,6 5,2 3,2 2,2 2,7 2,4 Fonte: P.8a No mês passado, houve fechamento de vagas de trabalho em sua empresa? (SE SIM) Quantas vagas foram fechadas?

58 Contratações no próximo mês 58 Previsão de contratações fica estável Não Sim Média 3,1 4,1 3,3 3,2 3,8 2,8 3,2 2,6 3,1 3,1 3,2 2,6 2,9 3,6 3,4 Fonte: P.14 Para o próximo mês, há previsão de abertura de novas vagas em sua empresa? Quantas vagas deverão ser abertas?

59 Contratações no próximo mês 59 Micro Sim Não Média 2,5 2,8 2,4 3,0 2,6 2,2 2,9 2,3 3,0 3,1 3,1 2,5 3,0 3,7 2,9 Pequena média 4,6 7,6 5,3 4,4 6,4 4,4 4,7 3,9 3,4 3,4 4,2 2,8 2,9 3,4 6,2 Fonte: P.14 Para o próximo mês, há previsão de abertura de novas vagas em sua empresa? Quantas vagas deverão ser abertas?

60 Demissões no próximo mês 60 Demissões devem ficar no mesmo nível Não Sim Média 2,4 2,2 2,0 2,1 3,8 2,3 2,7 2,2 3,2 1,9 2,4 2,3 2,5 2,2 2,1 Fonte: P.15a No próximo mês, há previsão de fechamento de vagas em sua empresa? (SE SIM) Quantas vagas deverão ser fechadas?

61 Demissões no próximo mês 61 Sim Não Micro Média 1,4 1,5 1,8 1,8 2,6 1,8 2,4 1,8 3,0 1,4 1,6 1,3 2,7 1,8 1,7 Pequena Média 5,1 3,1 2,4 2,3 4,8 2,7 3,2 3,4 3,4 3,2 3,5 3,4 1,9 3,1 2,7 Fonte: P.15a No próximo mês, há previsão de fechamento de vagas em sua empresa? (SE SIM) Quantas vagas deverão ser fechadas?

62 Avaliação do ambiente de negócios 62

63 Avaliação do capital de giro do mês passado 63 51% têm capital de giro no montante exato que precisam Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Mais do que o suficiente Não é suficiente, às vezes falta É exatamente o que precisa É muito pouco, trazendo muitas dificuldades Fonte: P.42 No mês passado, o capital de giro da sua empresa foi:

64 Avaliação do capital de giro do mês passado 64 Micro Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Mais do que o suficiente É exatamente o que precisa Não é suficiente, às vezes falta É muito pouco, trazendo muitas dificuldades Pequena Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fonte: P.42 No mês passado, o capital de giro da sua empresa foi:

65 Linhas de crédito que utiliza Linha de crédito para pessoa jurídica 40% recorrem à linha de crédito para pessoa jurídica Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Empréstimo pessoal no banco Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Parentes e amigos Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Total Micro Pequena Fonte: P.34 Quando precisa ter acesso a mais capital de giro, a qual dessas fontes você costuma recorrer com mais frequência?

66 Linhas de crédito que utiliza 66 Empresas que fornecem empréstimos Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Cheque especial Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Nenhum Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Fonte: P.34 Quando precisa ter acesso a mais capital de giro, a qual dessas fontes você costuma recorrer com mais frequência?

67 Custos de produção 67

68 Índice de custos das MPI s do Estado de São Paulo* Custos *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes ao aumento nos custos de produção no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

69 Índice de custos das MPI s do Estado de São Paulo* 69 Micro Custos Pequena *Para se chegar a este índice, elaborado pela primeira vez nesta rodada, foram considerados os resultados das questões referentes ao aumento nos custos de produção no mês anterior. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos).

70 Custos de produção no mês anterior 70 Índice dos que tiveram aumento nos custos de produção tem oscilação positiva Sim, tiveram aumentos Não tiveram aumentos Onde tiveram aumentos significativos Mão-de-obra e salários Transporte e logística Matéria-prima e insumos Fonte: P.20 No mês passado, os custos de sua produção tiveram aumento significativo? (SE SIM) E qual dos itens que eu vou citar teve maior impacto nos custos de sua produção: mão de obra e salários, matéria-prima e insumos ou transporte e logística?

71 Custos de produção no mês anterior 71 Micro SIM, TIVERAM AUMENTOS Mão-de-obra e salários Transporte e logística Matéria-prima e insumos NÃO TIVERAM AUMENTOS Não sabe Pequena Fonte: P.20 No mês passado, os custos de sua produção tiveram aumento significativo? (SE SIM) E qual dos itens que eu vou citar teve maior impacto nos custos de sua produção: mão de obra e salários, matéria-prima e insumos ou transporte e logística?

72 Custos de produção no próximo mês Maioria não espera aumento nos custos de produção Sim, espera aumento Não espera Onde esperam aumentos significativos Mão-de-obra e salários Transporte e logística Matéria-prima e insumos Fonte: P.21 No mês que vem, você espera algum tipo de aumento significativo nos custos de sua produção? (SE SIM) E qual desses itens, na sua opinião, terá maior impacto nos custos de sua produção: mão de obra e salários, matéria-prima e insumos ou transporte e logística?

73 Custos de produção no próximo mês 73 Micro SIM, ESPERA AUMENTOS Mão-de-obra e salários Transporte e logística Matéria-prima e insumos NÃO ESPERA AUMENTOS Não sabe Pequena Fonte: P.21 No mês que vem, você espera algum tipo de aumento significativo nos custos de sua produção? (SE SIM) E qual desses itens, na sua opinião, terá maior impacto nos custos de sua produção: mão de obra e salários, matéria-prima e insumos ou transporte e logística?

74 Concorre com produtos importados? 74 28% concorrem com produtos importados Sim Não Não fabrica Fonte: P.22 Os produtos de sua empresa concorrem diretamente com produtos importados?

75 Concorre com produtos importados? 75 Micro Sim Não Pequena Fonte: P.22 Os produtos de sua empresa concorrem diretamente com produtos importados?

76 Avaliação da concorrência 76 Para maioria, importados têm vantagens Em condições iguais para ambos os lados Em condições favoráveis para os importados e desfavoráveis para os seus produtos Em em condições favoráveis para os seus produtos e desfavoráveis para os importados Fonte: P.23 Você diria que essa concorrência acontece: Base: Entrevistados cujos produtos concorrem com produtos importados

77 Avaliação da concorrência 77 Micro Em condições iguais para ambos os lados Em condições favoráveis para os importados e desfavoráveis para os seus produtos Em em condições favoráveis para os seus produtos e desfavoráveis para os importados Pequena Fonte: P.23 Você diria que essa concorrência acontece: Base: Entrevistados cujos produtos concorrem com produtos importados

78 Conjuntura econômica 78

79 Expectativa da situação econômica do país* *Dado bimestral a partir de setembro 79 Vai melhorar muito Vai melhorar um pouco Vai ficar como está Vai piorar um pouco Vai piorar muito Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.28a Nos próximos três meses, você acredita que a situação econômica do Brasil irá melhorar, piorar ou ficar como está? Muito ou pouco?

80 Expectativa da situação econômica do país* *Dado bimestral a partir de setembro 80 Micro Pequena Vai melhorar muito Vai melhorar um pouco Vai ficar como está Vai piorar um pouco Vai piorar muito Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.28a Nos próximos três meses, você acredita que a situação econômica do Brasil irá melhorar, piorar ou ficar como está? Muito ou pouco?

81 Expectativa da situação econômica do estado* 81 Vai melhorar muito Vai melhorar um pouco Vai ficar como está Vai piorar um pouco Vai piorar muito Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai *Dado bimestral a partir de setembro Fonte: P.28b E a situação econômica do Estado de São Paulo, irá melhorar, piorar ou ficar como está? Muito ou pouco?

82 Expectativa da situação econômica do estado* *Dado bimestral a partir de setembro 82 Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Pequena Vai melhorar muito Vai melhorar um pouco Vai ficar como está Vai piorar um pouco Vai piorar muito Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.28b E a situação econômica do Estado de São Paulo, irá melhorar, piorar ou ficar como está? Muito ou pouco?

83 Expectativa da situação econômica do setor 83 Vai melhorar muito Vai melhorar um pouco Vai ficar como está Vai piorar um pouco Vai piorar muito Fonte:P.28c E a situação econômica do setor em que sua empresa atua, irá melhorar, piorar ou ficar como está? Muito ou pouco?

84 Expectativa da situação econômica do setor 84 Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Mai Pequena Vai melhorar muito Vai melhorar um pouco Vai ficar como está Vai piorar um pouco Vai piorar muito Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Mai Fonte:P.28c E a situação econômica do setor em que sua empresa atua, irá melhorar, piorar ou ficar como está? Muito ou pouco?

85 Expectativas econômicas inflação* *Dado bimestral a partir de setembro 85 Expectativa do aumento da inflação recua Vai aumentar Vai diminuir Vai ficar como está Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.29a Nos próximos três meses, você acredita que a inflação no Brasil irá aumentar, diminuir ou ficar como está?

86 Expectativas econômicas inflação* *Dado bimestral a partir de setembro 86 Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Pequena Vai aumentar Vai diminuir Vai ficar como está Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.29a Nos próximos três meses, você acredita que a inflação no Brasil irá aumentar, diminuir ou ficar como está?

87 Expectativas econômicas desemprego* *Dado bimestral a partir de setembro 87 Para 40% haverá aumento de desemprego Vai aumentar Vai diminuir Vai ficar como está Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.29a Nos próximos três meses, você acredita que o desemprego no Brasil irá aumentar, diminuir ou ficar como está?

88 Expectativas econômicas desemprego* *Dado bimestral a partir de setembro 88 Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Pequena Vai aumentar Vai diminuir Vai ficar como está Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.29a Nos próximos três meses, você acredita que o desemprego no Brasil irá aumentar, diminuir ou ficar como está?

89 Expectativas econômicas poder de compra* *Dado bimestral a partir de setembro 89 Expectativa do poder de compra fica estável Vai aumentar Vai diminuir Vai ficar como está Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.29a Nos próximos três meses, você acredita que o poder de compra no Brasil irá aumentar, diminuir ou ficar como está?

90 Expectativas econômicas poder de compra* *Dado bimestral a partir de setembro 90 Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Pequena Vai aumentar Vai diminuir Vai ficar como está Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.29a Nos próximos três meses, você acredita que o poder de compra no Brasil irá aumentar, diminuir ou ficar como está?

91 Avaliação do desempenho presidente Dilma Rousseff * 91 Reprovação ao governo Dilma fica estável Ótimo/ Bom Regular Ruim/ Péssimo Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai *Dado bimestral a partir de setembro Fonte: P.30 A presidente Dilma Rousseff está completando 3 anos e 3 meses de governo. Na sua opinião a presidente Dilma Rousseff está fazendo um governo: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

92 Avaliação do desempenho presidente Dilma Rousseff * 92 *Dado bimestral a partir de setembro Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Pequena Ótimo/ Bom Regular Ruim/ Péssimo Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Fonte: P.30 A presidente Dilma Rousseff está completando 3 anos e 3 meses de governo. Na sua opinião a presidente Dilma Rousseff está fazendo um governo: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

93 93 Avaliação do desempenho do governador Geraldo Alckmin * Avaliação positiva de Alckmin segue estável Ótimo/ Bom Regular Ruim/ Péssimo *Dado bimestral a partir de setembro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai P.31 O governador Geraldo Alckmin está completando 3 anos e 3 meses de governo. Na sua opinião o governador Geraldo Alckmin está fazendo um governo: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

94 94 Avaliação do desempenho do governador Geraldo Alckmin * *Dado bimestral a partir de setembro Micro Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai Pequena Ótimo/ Bom Regular Ruim/ Péssimo Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Nov Jan Mar Mai P.31 O governador Geraldo Alckmin está completando 3 anos e 3 meses de governo. Na sua opinião o governador Geraldo Alckmin está fazendo um governo: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo?

95 Relatório 95

96 96 INDICADOR DE ATIVIDADE DA MICRO E PEQUENA INDÚSTRIA DE SÃO PAULO MAIO DE 2014 PEQUENAS INDÚSTRIAS PUXAM DESEMPENHO NEGATIVO NA CATEGORIA DAS MPI s DE SÃO PAULO EM MAIO Expectativa na categoria é pessimista para mês da Copa do Mundo Uma parcela significativamente menor de pequenas indústrias de São Paulo declarou faturamento e lucro negativos em maio, resultados que se somaram a um nível menor de investimentos e de contratações nesse universo e contribuíram para um cenário geral negativo para a categoria das micro e pequenas indústrias do Estado de São Paulo. Esses e outros resultados estão na 15ª rodada do Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo, levantamento mensal realizado pelo Instituto Datafolha a pedido do Simpi-SP (Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo) A 15ª rodada do Indicador de Atividade da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo foi realizada entre os dias 05 a 22 de maio, junto a 316 dirigentes de micros e pequenas indústrias em todo o Estado. Como parte das questões aos dirigentes de indústrias se referia ao mês anterior ou posterior da data da pesquisa, as respostas destas irão indicar resultados para abril e junho. Foram consideradas micro indústrias aquelas que empregam até 9 funcionários, e pequenas, as que empregam de 10 a 50 trabalhadores registrados. A margem de erro para o total da amostra, ou seja, para o conjunto de entrevistados, é de 6 pontos para mais ou para menos. PANORAMA DA INDÚSTRIA Em maio, 45% dos dirigentes de micros e pequenas indústrias atribuíram um desempenho ótimo ou bom à situação de sua empresa, índice em nível próximo ao registrado em abril (49%), mas ainda acima do verificado no mesmo mês de 2013 (38%). A taxa de insatisfeitos (11%), que avaliam a situação de seu negócio como ruim ou péssima, recuou na comparação com março deste ano (16%) e em relação a maio de 2013 (19%). A queda no índice de satisfeitos e insatisfeitos entre abril e maio cedeu espaço para o crescimento da fatia dos que avaliam como regular a situação do negócio (alta de 36% para 44% no período). A queda na fatia dos que têm uma situação ótima ou boa foi mais intensa entre as pequenas (de 73% para 59%, enquanto entre as micros oscilou de 44% para 42%). A avaliação positiva do faturamento voltou a cair, após alta no mês anterior. Em maio, 31% das empresas da categoria registraram faturamento ótimo ou bom no mês anterior ao levantamento, queda de 8 pontos percentuais na comparação com o verificado em abril (39%). No mesmo período, a fatia de micros e pequenas indústrias com faturamento ruim ou péssimo se manteve estável, em 22%, enquanto a parcela com faturamento regular cresceu de 38% para 46%. Entre as pequenas, a avaliação positiva do faturamento recuou de 42% para 29%, e subiu de 18% para 26% a fatia de descontentes com esse aspecto do negócio.

97 O lucro teve movimento semelhante, com recuo na satisfação após recuperação entre março e abril. Em maio, 33% avaliaram como ótimo ou bom a lucratividade do negócio no mês anterior, queda de 5 pontos percentuais em relação a abril de 2014 (38%). No mesmo período, oscilou de 22% para 26% o índice dos que consideraram o lucro ruim ou péssimo, e de 38% para 41% a fatia dos que o avaliaram como regular. Esse resultado, contudo, ainda é superior ao registrado em maio de 2013, quando 22% avaliavam o lucro como ótimo ou bom, 31%, como ruim ou péssimo, e 43%, como regular. 97 Esses resultados levaram o Índice de Satisfação das MPI s do Estado de São Paulo em maio (116 pontos) a uma leve queda, após se recuperar março e abril (de 111 ponto para 122 pontos). Para a obtenção deste índice, foram considerados os resultados das questões referentes à situação geral, faturamento e margem de lucro das empresas. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos). Foram então elaborados índices de pontos que variam de 0 a 200 para cada item, além de uma média geral, que congrega o resultado de todos eles. Quanto mais próximo de 200, melhor o resultado do conjunto de micros e pequenas indústrias. Entre as pequenas, esse índice caiu de 139 para 117 pontos. O menor número de empresas com resultados positivos para itens fundamentais como faturamento e lucro interferiu nas expectativas dos dirigentes da categoria das micros e pequenas indústrias, com diminuição da fatia de otimistas para seu negócio. Para o próximo mês, 33% acreditam que a situação geral da empresa irá melhorar muito ou um pouco, índice 10 pontos percentuais abaixo do registrado no levantamento anterior (43%). Em maio do ano passado, a parcela de otimistas também era de 43%. Em relação ao faturamento, apenas 20% avaliam que esse aspecto do negócio irá melhorar muito ou um pouco, 56% acreditam que irá ficar como está, e 21% preveem que irá piorar. Na pesquisa de março, esses índices eram de 28% e 59% e 11%, respectivamente. A perspectiva de lucro segue tendência semelhante: 15% acreditam que terá crescimento, 62%, que irá ficar estável, e 20%, que sofrerá queda. Em março, esses índices eram de 18% e 66% e 14%, respectivamente. Esses resultados levaram o Índice de Expectativa das MPI s do Estado de São Paulo a uma queda em maio (103 pontos) na comparação com abril (118 pontos). A comparação com o mesmo período do ano passado também é desfavorável: em maio do ano passado, o mesmo índice marcava 120 pontos. Para se chegar a este índice, foram considerados os resultados das questões referentes à expectativa geral, expectativa com faturamento e expectativa com margem de lucro. Para cada uma destas questões, subtraiu-se a taxa de menção positiva da taxa de menção negativa, somando-se 100 (para evitar números negativos). Foram então elaborados índices de pontos que variam de 0 a 200 para cada item, além de uma média geral, que congrega o resultado de todos eles. Quanto mais próximo de 200, melhor a expectativa da categoria.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Abril / 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Relacionamento dos médicos associados à SOGESP com os Planos de saúde. Apresentação em Agosto de 2012

Relacionamento dos médicos associados à SOGESP com os Planos de saúde. Apresentação em Agosto de 2012 1 Relacionamento dos médicos associados à SOGESP com os Planos de saúde Apresentação em Agosto de 2012 Índice 2 Objetivo Metodologia Perfil do médico associado Avaliação das operadoras de planos de saúde

Leia mais

RESULTADOS DE OUTUBRO DE 2013

RESULTADOS DE OUTUBRO DE 2013 1 RESULTADOS DE OUTUBRO DE 2013 Pesquisa realizada pelo Uni-FACEF em parceria com a Fe-Comércio mede o ICC (Índice de confiança do consumidor) e PEIC (Pesquisa de endividamento e inadimplência do consumidor)

Leia mais

RELATÓRIO DE RESULTADOS MARÇO/15 INDICADORES DO COMÉRCIO VAREJISTA DO DISTRITO FEDERAL PANORAMA E PERSPECTIVAS

RELATÓRIO DE RESULTADOS MARÇO/15 INDICADORES DO COMÉRCIO VAREJISTA DO DISTRITO FEDERAL PANORAMA E PERSPECTIVAS RELATÓRIO DE RESULTADOS MARÇO/15 INDICADORES DO COMÉRCIO VAREJISTA DO DISTRITO FEDERAL PANORAMA E PERSPECTIVAS 1. Resultados consolidados para todas as categorias associadas ao Sindivarejista 2. Resultados

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

Indústria. Prof. Dr. Rudinei Toneto Júnior Renata de Lacerda Antunes Borges

Indústria. Prof. Dr. Rudinei Toneto Júnior Renata de Lacerda Antunes Borges A Sondagem Industrial (SI) e o Índice de Confiança (ICEI) são elaborados pela unidade de Política Econômica da Confederação Nacional das s (CNI) em conjunto com as Federações das s dos 23 estados brasileiros

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 A exportação se consolida como perspectiva positiva para os próximos meses A Sondagem industrial, realizada junto a 162 indústrias catarinenses no mês de março, mostrou

Leia mais

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. Junho / 2014 Metodologia Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.126 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS JULHO DE 2013 JOB2726-8 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Trata-se de uma pesquisa de acompanhamento da opinião pública

Leia mais

Dificuldade no acesso ao crédito é disseminada na construção

Dificuldade no acesso ao crédito é disseminada na construção SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 5 Número 6 Junho de 2014 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Falta de crédito dificulta recuperação

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

PERÍODO AMOSTRA ABRANGÊNCIA MARGEM DE ERRO METODOLOGIA. População adulta: 148,9 milhões

PERÍODO AMOSTRA ABRANGÊNCIA MARGEM DE ERRO METODOLOGIA. População adulta: 148,9 milhões OBJETIVOS CONSULTAR A OPINIÃO DOS BRASILEIROS SOBRE A SAÚDE NO PAÍS, INVESTIGANDO A SATISFAÇÃO COM SERVIÇOS PÚBLICO E PRIVADO, ASSIM COMO HÁBITOS DE SAÚDE PESSOAL E DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS METODOLOGIA

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar o nível de satisfação dos estudantes com relação às FATECs

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Panorama da micro e pequena indústria de São Paulo. 1º semestre de 2014

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Panorama da micro e pequena indústria de São Paulo. 1º semestre de 2014 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Panorama da micro e pequena indústria de São Paulo 1º semestre de 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Introdução... 4. Percepção sobre a economia e o comércio... 5. Gargalos da economia brasileira... 7. Consumo das famílias... 8

Introdução... 4. Percepção sobre a economia e o comércio... 5. Gargalos da economia brasileira... 7. Consumo das famílias... 8 Conteúdo Introdução... 4 Percepção sobre a economia e o comércio... 5 Gargalos da economia brasileira... 7 Consumo das famílias... 8 Ambiente regulatório... 9 Logística pública... 10 Mão de obra... 10

Leia mais

Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina. Síntese dos resultados Meses Situação da família

Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina. Síntese dos resultados Meses Situação da família Núcleo de Pesquisas Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina Os dados levantados pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores (PEIC) de Santa

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

O FINANCIAMENTO DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL

O FINANCIAMENTO DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL O FINANCIAMENTO DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL Abril/2014 2014 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Abril/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Março/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Abril/2015. O mês de março mostrou mais uma queda no faturamento dos

Leia mais

Endividamento das famílias catarinenses aumenta mensalmente em função da retomada das vendas no crédito

Endividamento das famílias catarinenses aumenta mensalmente em função da retomada das vendas no crédito Endividamento das famílias catarinenses aumenta mensalmente em função da retomada das vendas no crédito Os dados coletados pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores (PEIC) de Santa

Leia mais

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 17 outubro de 2014 Organização:

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

Pesquisa Quantitativa Plastivida. Setembro de 2012

Pesquisa Quantitativa Plastivida. Setembro de 2012 Pesquisa Quantitativa Plastivida Setembro de 2012 objetivo geral Verificar a opinião da população de Belo Horizonte acerca da retirada das sacolas plásticas dos estabelecimentos comerciais da cidade e

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PORTO ALEGRE - RS JANEIRO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais

Indicadores SEBRAE-SP

Indicadores SEBRAE-SP Indicadores SEBRAE-SP Pesquisa de Conjuntura (resultados de julho de 2008) setembro/08 1 Principais destaques Em julho/08 as micro e pequenas empresas (MPEs) apresentaram queda de 3% no faturamento real

Leia mais

Construção intensifica insatisfação com a situação financeira

Construção intensifica insatisfação com a situação financeira SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 5 Número 3 Março de 2014 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Piora na situação financeira é

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CURITIBA - PR DEZEMBRO/2013 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3

Leia mais

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS - ICF

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS - ICF INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS - ICF Goiânia GO Janeiro 2010 SUMÁRIO Tabela 1 - Síntese dos Resultados 3 Tabela 2 - Variações percentuais sobre o mês anterior 3 Análise dos Resultados 4 Tabela 3 - Intenção

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC VITÓRIA - ES ABRIL/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

PLANO DE SAÚDE SETEMBRO DE 2011 1

PLANO DE SAÚDE SETEMBRO DE 2011 1 PLANO DE SAÚDE SETEMBRO DE 2011 1 CRESCEU O NÚMERO DE USUÁRIOS DE PLANOS DE SAÚDE Emmanuelle Serrano Queiroz Segundo reportagem publicada pela revista Exame, o crescimento dos gastos com saúde é tendência

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PORTO ALEGRE - RS JULHO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CAMPO GRANDE - MS JANEIRO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO MAIO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Financiamento de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Estado de São Paulo

Financiamento de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Estado de São Paulo Financiamento de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Estado de São Paulo SONDAGEM DE OPINIÃO Outubro de 2006 1 Características da Pesquisa Objetivos: Identificar as principais formas utilizadas pelas empresas

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO ABRIL/2013 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO JANEIRO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 -

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE. Leandro de Souza Lino

PLANOS DE SAÚDE. Leandro de Souza Lino 1 PLANOS DE SAÚDE Leandro de Souza Lino Na atualidade, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a qualidade de vida e, por sua vez, com a saúde. Assim, a necessidade de ter planos de saúde se faz

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO DEZEMBRO/2012 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 -

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Outubro/2012 (dados até setembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO JUNHO/2013 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PALMAS - TO FEVEREIRO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 -

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO ABRIL/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO JULHO/2014 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo:

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo: PESQUISA DE JUROS Após longo período de elevação das taxas de juros das operações de crédito, as mesmas voltaram a ser reduzidas em setembro/2014 interrompendo quinze elevações seguidas dos juros na pessoa

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indicadores CNI SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indústria da construção aprofunda deterioração A indústria da construção continua a se deteriorar. O índice de nível de atividade e o número de empregados

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO FEVEREIRO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2011 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 Junho de 2010 2 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 O objetivo geral deste estudo foi investigar as percepções gerais

Leia mais

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos)

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos) Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda (Oportunidades & Riscos) 1 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar

Leia mais

Intenção de voto para presidente da República PO813749. www.datafolha.com.br

Intenção de voto para presidente da República PO813749. www.datafolha.com.br Intenção de voto para presidente da República PO813749 01 e 02/07/2014 INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE JULHO DE 2014 EM MÊS MARCADO POR COPA, DILMA RECUPERA PREFERÊNCIA DE ELEITORES Queda nos votos em

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PORTO ALEGRE - RS JULHO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CAMPO GRANDE - MS JULHO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela

Leia mais

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS - ICF

INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS - ICF INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS - ICF GOIÂNIA - GO JULHO/2014 SUMÁRIO Série histórica do ICF... 3 Resultado do ICF... 4 Situação do emprego... 5 Perspectiva profissional... 6 Situação de renda... 7 Acesso

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil em 2014

O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil em 2014 O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil em 2014 Novembro 2014 1 Introdução Objetivos: - Avaliar as principais características do universo dos Pequenos Negócios no Brasil, quanto à questão do seu

Leia mais

Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina ICEC

Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina ICEC Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina ICEC Índice de Confiança do Empresário do Comércio Catarinense de julho de 2013 Piora da situação econômica e protestos pelo Brasil deterioram otimismo

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CUIABÁ - MT JUNHO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3 - Famílias

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC CURITIBA - PR SETEMBRO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3

Leia mais

Análise do Comério Varejista Janeiro-2016

Análise do Comério Varejista Janeiro-2016 Análise do Comério Varejista Janeiro-2016 A Análise do Comércio Varejista é uma avaliação bimestral que visa mostrar o desempenho dos negócios do comércio no mês de Dezembro/2015 e identifica a percepção

Leia mais

Dados de Crédito agosto

Dados de Crédito agosto 29/09/09 Dados de Crédito agosto O Banco Central divulgou relatório de política monetária e crédito referente ao mês de agosto. O crédito com recursos livres teve aumento real de 6, nos últimos 12 meses.

Leia mais

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Apresentação A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 Fase 2 apresenta a visão do empresário do transporte

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em setembro/2013, sendo esta a quinta elevação no ano. Esta elevação

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

Pesquisa de Orçamento Doméstico

Pesquisa de Orçamento Doméstico Fonte: Sistema Fecomércio MG EE A Pesquisa de Orçamento Doméstico de Belo Horizonte é um balizador do comportamento das famílias, relativo aos seus compromissos correntes e financeiros. A falta de planejamento,

Leia mais

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa: 623 casos, gerando um erro máximo de 3,9%

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC

PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC PESQUISA DE ENDIVIDAMENTO E INADIMPLE NCIA DO CONSUMIDOR - PEIC GOIÂNIA - GO DEZEMBRO/2015 SUMÁRIO Histórico da PEIC... 3 Tabela 1 - Nível de endividamento... 4 Tabela 2 - Tipo de dívida... 5 Tabela 3

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Construção encerra o ano em ritmo fraco

Construção encerra o ano em ritmo fraco SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 4 Número 12 Dezembro de 2013 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Dificuldade no acesso ao crédito

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período De 18 a 21 de setembro de 2015 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos ou mais Amostra 2002 entrevistas em 14 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais

Leia mais

Balanço do Crédito do Comércio Varejista

Balanço do Crédito do Comércio Varejista Receitas de Vendas A vista (cartão de débito, dinheiro e cheque) Vendas a Prazo (cartão de crédito, cheque pré-datado, etc.) Total Formas de vendas a prazo que a empresa aceita Cheque Cartão de Crédito

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 93 CNT 15 a 19 de Setembro de 2008 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Agosto de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing do Banco Itaú Indicadores de Mercado 2 Mercado de Cartões 2008 Indicadores de

Leia mais

Sumário. 1 A pirâmide social brasileira: 3 As aspirações e os desejos. 4 Um povo cada vez mais otimista...26. 5 As diferenças regionais:

Sumário. 1 A pirâmide social brasileira: 3 As aspirações e os desejos. 4 Um povo cada vez mais otimista...26. 5 As diferenças regionais: Sumário 1 A pirâmide social brasileira: uma mudança à vista?...4 Renda familiar e renda disponível: as classes DE chegam ao ponto de equilíbrio...10 3 As aspirações e os desejos de consumo do brasileiro...18

Leia mais

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA AVALIAÇÃO DO 1º SEMESTRE E PERSPECTIVAS PARA O 2º SEMESTRE DE 2014 Agosto/2014 Esta pesquisa tem como objetivo avaliar o desempenho do primeiro semestre de 2014, as

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil. Exame da Ordem

Ordem dos Advogados do Brasil. Exame da Ordem Ordem dos Advogados do Brasil Exame da Ordem Agosto/ 2010 Sumário METODOLOGIA DESTAQUES RESULTADOS 1. OPINIÃO SOBRE O EXAME DA ORDEM 2. OPINIÃO SOBRE POSSIVEIS PROBLEMAS COM O EXAME DA ORDEM 3. OPINIÃO

Leia mais

Índice de Confiança da Indústria Pernambucana mantém-se em queda em julho

Índice de Confiança da Indústria Pernambucana mantém-se em queda em julho Outubro de 2009 Julho de 2012 Índice de Confiança da Indústria Pernambucana mantém-se em queda em julho O Índice de Confiança da Indústria de Transformação de Pernambuco (ICI-PE) volta a recuar em julho

Leia mais

Avaliação do governo Desempenho pessoal da presidente

Avaliação do governo Desempenho pessoal da presidente RESULTADOS DA 129ª PESQUISA CNT/MDA A 129ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 20 a 24 de outubro de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos índices de popularidade

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS MARÇO DE 2014 JOB0402 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Avaliar a atual administração do município de Acopiara. Acopiara

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL Janeiro 2014

ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL Janeiro 2014 ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL Janeiro 2014 Relatório Sinop janeiro/2014 C I S E - U N E M A T Página 1 O ICE ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL O ICE Índice de Confiança Empresarial busca mapear a percepção

Leia mais

Em agosto, ICES interrompe alta e cai para 96,2

Em agosto, ICES interrompe alta e cai para 96,2 Dados de Agosto/2013, Relatório Número 10 Em agosto, ICES interrompe alta e cai para 96,2 Em agosto, o ICES interrompeu a pequena tendência de alta registrada em julho, e voltou a cair, indo para 96,2,

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 A Sondagem industrial, realizada junto a 154 indústrias catarinenses no mês de dezembro, mostrou

Leia mais

QUEDA NO NÍVEL DE ENDIVIDAMENTO DO CATARINENSE É ACOMPANHADA POR PEQUENA DETERIORAÇÃO DA QUALIDADE DAS DÍVIDAS

QUEDA NO NÍVEL DE ENDIVIDAMENTO DO CATARINENSE É ACOMPANHADA POR PEQUENA DETERIORAÇÃO DA QUALIDADE DAS DÍVIDAS QUEDA NO NÍVEL DE ENDIVIDAMENTO DO CATARINENSE É ACOMPANHADA POR PEQUENA DETERIORAÇÃO DA QUALIDADE DAS DÍVIDAS O percentual de famílias endividadas em Santa Catarina caiu de 93% em julho para 90% em agosto.

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 128ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 21/07/2015 A 128ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 12 a 16 de julho de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

Notas sobre a divulgação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) JUNHO/2010

Notas sobre a divulgação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) JUNHO/2010 Notas sobre a divulgação do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) JUNHO/2010 Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego para junho de 2010 confirmam a recuperação do emprego

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO. Fundação Getulio Vargas

A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO. Fundação Getulio Vargas A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO Fundação Getulio Vargas FGV Março 2015 A SONDAGEM ABCIC DESEMPENHO RECENTE DA CONSTRUÇÃO A Sondagem - Metodologia EMPRESAS A Sondagem - Metodologia Temas Pesquisados

Leia mais

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO 18 de Agosto de 2006 Demian Fiocca Presidente do BNDES www.bndes.gov.br 1 BRASIL: NOVO CICLO DE DESENVOLVIMENTO Um novo ciclo de desenvolvimento teve início em 2004.

Leia mais

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011 Pesquisa IBOPE Ambiental Setembro de 2011 Com quem falamos? Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas telefônicas. Objetivo geral Identificar

Leia mais

5 MOEDA E CRÉDITO. ipea SUMÁRIO

5 MOEDA E CRÉDITO. ipea SUMÁRIO 5 MOEDA E CRÉDITO SUMÁRIO Na reunião de fevereiro último, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a meta para a taxa Selic em 25 pontos-base (pb), fazendo-a chegar a 10,75% ao ano (a.a.). Essa redução

Leia mais

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2013 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN

COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN - Treinar e capacitar os profissionais que cobram e atendem inadimplentes nas escolas; - Cadastrar os inadimplentes

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais