HÁRRISSON EMANUEL GRIGÓRIO DA SILVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HÁRRISSON EMANUEL GRIGÓRIO DA SILVA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO SERVIÇO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ADMINISTRAÇÃO HÁRRISSON EMANUEL GRIGÓRIO DA SILVA PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL NO SERVIÇO PÚBLICO: Diagnóstico perceptivo dos servidores técnico administrativos da UFPB. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS João Pessoa PB Junho de 2010

2 HÁRRISSON EMANUEL GRIGÓRIO DA SILVA PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL NO SERVIÇO PÚBLICO: Diagnóstico perceptivo dos servidores técnico administrativos da UFPB. Trabalho de conclusão de curso apresentado à Coordenação do Serviço de Estágio Supervisionado em Administração, do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal da Paraíba, em cumprimento às exigências para obtenção do Grau de Bacharel em Administração. Orientadora: Profª. Drª. Sandra Leandro Pereira João Pessoa PB Junho de 2010

3 S586p SILVA, Hárrisson Emanuel Grigório da Processo da avaliação de desempenho profissional no Serviço Público: diagnóstico perceptivo dos servidores técnico-administrativos da UFPB. /Hárrisson Emanuel Grigório da Silva. João Pessoa, PB, p.:il. Orientadora: Sandra Leandro Pereira Monografia (Graduação em Administração) 1. Avaliação de Desempenho. 2. Desenvolvimento Profissional. 3. Recursos Humanos. UFPB BS CDU: 658.3

4 À Professora Orientadora: Drª. Sandra Leandro Pereira Solicitamos examinar e emitir parecer no Trabalho de Conclusão de Curso do aluno Hárrisson Emanuel Grigório da Silva. João Pessoa, 13 de julho de Prof. Fábio Walter Coordenador do SESA/CCSA/UFPB Parecer da Professora Orientadora:

5 HÁRRISSON EMANUEL GRIGÓRIO DA SILVA PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL NO SERVIÇO PÚBLICO: Diagnóstico perceptivo dos servidores técnico administrativos da UFPB. Trabalho de Conclusão de Curso Aprovado em: / /. Banca Examinadora Profª. Drª. Sandra Leandro Pereira Orientadora Profª. Drª. Maria Camerina Maroja Limeira Examinadora Profª. Msc. Milene Félix de Almeida Examinadora

6 AGRADECIMENTOS Ao nosso Senhor Jesus Cristo pelo Dom da Vida. Louvado seja Seu nome sempre, por Tudo que tem feito em meu favor e por Sua graça e misericórdia por todos nós. Aos meus pais Manoel da Silva e Maria Alice Grigório da Silva, pelo Amor, carinho, atenção, zelo, orientação, educação, cuidado, incentivo, presteza, sempre presentes ao longo dos anos, a quem também dedico este trabalho. À minha noiva Sandra Karla pela compreensão, colaboração, disponibilidade e companheirismo sempre oferecidos. À professora Sandra Leandro Pereira pela dedicação e orientação, pela amizade e o valioso conhecimento compartilhado. Às professoras Milene Félix e Maria Limeira pelas sugestões e colaboração. Aos colegas de trabalho e aos de mais servidores da Universidade Federal da Paraíba, que colaboraram direta ou indiretamente para a realização desse trabalho.

7 O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. Provai e vede que o Senhor é bom; bem aventurado é o homem que Nele confia. Salmos 34:7, 8

8 SILVA, Hárrisson Emanuel Grigório da. PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL NO SERVIÇO PÚBLICO: Diagnóstico perceptivo dos servidores técnico administrativos da UFPB. 98 p. Monografia do curso de Graduação em Administração. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, RESUMO As transformações sociais e a conjuntura econômica atuais levaram o setor público a passar por reformas que priorizaram não mais uma lógica procedimental, mas uma lógica de resultados. A avaliação de desempenho que deve fazer parte de qualquer ambiente organizacional vem sendo extremamente necessária para averiguar e corrigir ações organizacionais, identificando as necessidades de adequação e melhoria dos processos de trabalho. Nesse cenário, deixa de ser vista como um recurso puramente operacional, para assumir uma função estratégica da administração de pessoas nas organizações. Seguindo as tendências administrativas das organizações do setor privado e também sendo submetido a uma maior cobrança de resultados por parte da sociedade em geral, o serviço público começa a ter que desenvolver estratégias no sentido de ter um melhor controle sob a eficiência de seus processos e apresentar um melhor desempenho nos serviços oferecidos. Um dos maiores desafios na administração de pessoas é justamente definir qual a forma mais adequada de avaliação do desempenho humano a ser utilizado na organização. Através da avaliação de desempenho, as organizações poderão coletar dados e informações sobre o desempenho de seus servidores e direcionar políticas no sentido de melhorar o desempenho organizacional, por intermédio de programas de melhoria do desempenho individual e grupal. Esta pesquisa procurou diagnosticar a percepção e o nível de conhecimento dos servidores técnico administrativos da UFPB acerca das questões relacionadas ao processo de avaliação de desempenho profissional atualmente aplicado na Instituição, além de perceber os potenciais impactos advindos da metodologia adotada. A pesquisa foi classificada de natureza aplicada, sob a abordagem quantitativa/amostral e enfoque descritivo. Quanto aos procedimentos, a investigação foi classificada como bibliográfica/documental sendo aplicada como investigação do tipo pesquisa-ação participante. Como instrumento de captação de dados, foi escolhido o questionário que foi composto por questões fechadas, com espaços para complementos. A análise dos dados coletados foi feita de modo sistemático em sequência aos objetivos formulados e de modo quantitativo, utilizando como subsídios o estudo teórico de autores que discorrem sobre o tema, a legislação concernente e demais informações advindas de fontes secundárias. Foi utilizada de forma complementar a análise qualitativa com a intenção de proporcionar uma base contextual descritiva para interpretação dos resultados alcançados. Os dados observados nessa pesquisa pretendem apontar informações, inclusive estratégicas, que poderão valer-se de subsídio para unidade de gestão de pessoas da UFPB, no que diz respeito à formulação de políticas e adequações necessárias ao processo de avaliação de desempenho profissional. Dentre os achados da pesquisa, destaca-se a grande necessidade de realização de eventos de sensibilização, que visem estimular os servidores ao envolvimento e comprometimento com o processo, e a criação de mecanismos conjuntos que proporcionem a elaboração e desenvolvimento de Planos de Trabalho individuais e setoriais enfocando a contribuição dessas atividades para o atingimento dos objetivos Institucionais. É oportuno reportar ainda, ao desafio que é imposto às Instituições de Ensino a utilizarem instrumentos de avaliação de desempenho associados à política de gestão de pessoas que visem estimular os servidores a um contínuo aprimoramento profissional. O presente estudo vislumbrou a importância da gestão de pessoas como elemento aglutinador da estratégia organizacional, visto que, é por intermédio daquela, que se promove a melhoria das relações interpessoais e, sobretudo, desenvolvimento profissional. Palavras-chave: Avaliação de Desempenho, Desenvolvimento Profissional, Recursos Humanos.

9 SILVA, Harrisson Emanuel Grigorio da. PROCEDURE FOR EVALUATION OF PROFESSIONAL PERFORMANCE IN PUBLIC SERVICE: Perceptive diagnosis of the servers technical-administrative of the UFPB.98 p. Monograph of the undergraduate course in Administration. Federal University of Paraiba, João Pessoa, ABSTRACT The social transformations and the current economic conjuncture led the public sector to pass for reforms that prioritized, no longer, a procedural logic, but a logical of results. The performance evaluation that should be part of any organizational environment has been extremely needed to investigate and correct organizational actions, identifying the needs of adequacy and improvement of work processes. This scenario, ceases to be viewed as a resource purely operational, to assume a strategic role in administration people in organizations. Following the administrative trends of organizations of the private sector and also being subjected to greater recovery of results by the society at large, the public service begins to develop strategies in order to have greater control over the efficiency of its processes and show a better perform in their services offered. One of the biggest challenges in managing people is precisely define which is the most appropriate form of avaliation of human performance to be used in the organization. Through the performance evaluation, the organizations may collect data and information about the performance of its servers and direct policies to improve the organizational performance, through programs of improvement of individual and group performance. This research sought to diagnose the perception and the level of knowledge of the servers technical administrative of UFPB about issues related to the process of evaluation of professional performance currently applied in the Institution addition to realizing the potential impacts resulting from this application. The research was classified as an applied nature, under the quantitative approach and descriptive focus. As for the procedures, the research was classified like bibliographic and documentary and actionresearch participant type, how to the captation mode and the techniques and instruments used for data collection. How to operationalization mode of research it was chosen a questionnaire that was composed for closed and open questions. The data analysis was done quantitatively and qualitatively, using like subsidies the theoretical study of authors that discuss about the topic, legislation concerning and other information derived from secondary sources. Was chosen in a complementary way the qualitative analysis with the intention of providing a contextual basis richer for interpreting and validating of results achieved. The data observed in this research intended to provide important information that might avail itself of allowance for the personnel management unit of the Institution, on with regard to policy formulation and adjustments necessary to the process of evaluation of professional performance. Among the research findings, highlight the great need of realization of events to raise awareness, that aim to stimulate the servers, to the involvement and commitment with the process and the establishment of joint mechanisms that provide the elaboration and development of individual and sector Work Plans focusing on the contribution of these activities to the achievement of Institutional goals. It is appropriate to report still, the challenge that is imposed to the Educational Institutions, to use tools for performance evaluation associated to the political people management that aimed to encourage servers to a continuous professional development.this study glimpsed the importance of people management as a agglutinating element of the organizational strategy, seeing that, is through that that promotes the improvement of the interpersonal relationships and, especially, professional development. Key words: Performance Evaluation, Professional Development, Human Resources.

10 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Modelo de Avaliação de Desempenho pelo método Escala Gráfica Figura 2 Modelo de Avaliação de Desempenho pelo método Escolha Forçada... 33

11 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1 Perfil dos sujeitos de pesquisa (1) Gráfico 2 Perfil dos sujeitos de pesquisa (2) Gráfico 3 Percepção acerca de aspectos da avaliação Gráfico 4 Importância dos fatores de desempenho (1) Gráfico 5 Importância dos fatores de desempenho (2) Gráfico 6 Importância dos fatores de desempenho (3) Gráfico 7 Importância dos participantes da avaliação Gráfico 8 Importância das dimensões da avaliação Gráfico 9 O processo de avaliação de desempenho precisa de modificações Gráfico 10 A sensibilização do processo de avaliação está sendo feita de forma suficiente à compreensão dos servidores participantes... Gráfico 11 Há percepção de melhoria no desempenho dos servidores da UFPB Gráfico 12 Os gestores da UFPB têm demonstrado interesse em relação à melhoria de desempenho dos servidores... Gráfico 13 Os formulários utilizados para avaliação são claros Gráfico 14 A nomenclatura conceitual utilizada é de fácil compreensão Gráfico 15 A aplicação do processo de avaliação em sistema On Line (Via Internet) tem facilitado sua execução Gráfico 16 A avaliação de desempenho tem sido apenas formalidade para concessão da progressão por mérito profissional aos servidores da UFPB... 97

12 LISTA DE QUADROS Quadro 1 Quadro Geral de Pesquisa... 48

13 LISTA DE TABELAS Tabela 1 - Resultado da avaliação de desempenho Tabela 2 Perfil dos sujeitos de pesquisa Tabela 3 - Periodicidade ideal para avaliação de desempenho Tabela 4 - Importância dos fatores de desempenho Tabela 5 - Importância dos participantes da avaliação Tabela 6 - Importância das dimensões da avaliação Tabela 7 - Questões acerca do processo de avaliação Tabela 8 - Conhecimento da legislação e diretrizes da avaliação Tabela 9 - Nível de compreensão de aspectos da avaliação Tabela 10 - Participação nos planos de trabalho do setor Tabela 11 - Questões acerca dos potencias impactos da avaliação... 79

14 LISTA DE SIGLAS E ABREVIAÇÕES UFPB UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA CCAE CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO CCA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CCHSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E AGRÁRIAS CCHLA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRA E ARTES CCS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS CE CENTRO DE EDUCAÇÃO CCSA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CCJ CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS CCEN CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA CTDR CENTRO DE TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL SRH SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS DSA DIVISÃO DE SELEÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CEPAD COMISSÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AD AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PAD PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PGD PROGRAMA DE GESTÃO DO DESEMPENHO CONSUNI CONSELHO UNIVERSITÁRIO PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDIPC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA PCCTAE PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO ADMINSTRATIVOS EM EDUCAÇÃO IFES INSTITUIÇÃO FEDERAL DE ENSINO SUPERIOR DASP DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO DO SERVIÇO PÚBLICO CHA CONHECIMENTOS, HABILIDADES, ATITUDES

15 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Delimitação do Tema e Formulação do Problema de Pesquisa Objetivos Objetivo Geral Objetivos Específicos Justificativa FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Histórico da Avaliação de Desempenho Avaliação de Desempenho no Contexto Organizacional Conceituando Avaliação de Desempenho e sua inserção no Serviço Público Métodos de Avaliação de Desempenho Métodos Tradicionais ou Clássicos Métodos Contemporâneos Instrumentos, participantes e críticas ao Processo de Avaliação PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Caracterização Geral do Estudo Universo e Amostra Método de Coleta de Dados Método de Análise dos Dados LEVANTAMENTO ANALÍTICO Identidade Organizacional APRESENTAÇÃO, ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS Perfil demográfico da amostra O processo de Avaliação de Desempenho Profissional da UFPB Descrição do Processo de Avaliação de Desempenho A percepção dos servidores/ufpb sobre o Processo de Avaliação de Desempenho Conhecimento dos servidores/ufpb quanto ao processo de avaliação e os potenciais impactos da metodologia Nível de conhecimento dos servidores sobre a Avaliação de Desempenho Potenciais impactos advindos da aplicação da avaliação CONSIDERAÇÕES FINAIS SUGESTÕES/RECOMENDAÇÕES REFERENCIAS

16 APÊNDICE A Instrumento de coleta de dados APÊNDICE B Demonstração gráfica dos achados da pesquisa... 92

17 1. INTRODUÇÃO Esta pesquisa busca conhecer como tem sido aplicado o processo de avaliação de desempenho junto aos servidores técnico - administrativos da UFPB, tendo o intuito de perceber a metodologia utilizada, as formas de aplicação e, sobretudo, os possíveis impactos advindos da avaliação na percepção dos próprios servidores participantes do processo. 1.1 Delimitação do Tema e Formulação do Problema de Pesquisa As organizações contemporâneas, sejam elas públicas ou privadas, passam por um momento em que grandes transformações econômicas, políticas e sociais são exigidas a cada momento, em decorrência do processo de globalização. Novas práticas de trabalho e novas dinâmicas de gestão são inseridas e exigidas a todo instante. O interesse pelo desenvolvimento organizacional deve considerar a complexidade no uso dos insumos disponíveis, tais como tecnologia, conhecimento, informação e, sobretudo, as pessoas que passam a significar um diferencial competitivo nas organizações contemporâneas. Percebe-se uma relação de mútua dependência através de uma estreita ligação entre o comportamento das pessoas e o das organizações. A avaliação do desempenho humano sempre esteve presente no cotidiano das sociedades, em que as pessoas voltam-se para avaliar as coisas e os fatos que cercam a vida prática. As pessoas sempre estão avaliando umas as outras, tanto nas relações interpessoais quanto profissionais com base nos esquemas de valores e expectativas de desempenho esperados. A Avaliação de desempenho serve como um dos mecanismos para transformações no âmbito funcional das organizações públicas, podendo ser usada no sentido de averiguar

18 deficiências e proporcionar políticas de desenvolvimento profissional. A avaliação é um mecanismo que busca conhecer e medir o desempenho dos indivíduos na organização, estabelecendo uma comparação entre o desempenho esperado e o apresentado por esses indivíduos (LOTTA, 2002). Pontes (1996) define avaliação de desempenho como um método que visa, continuamente, estabelecer um contrato com os funcionários referente a resultados desejados pela organização, acompanhar os desafios propostos, corrigindo os rumos, quando necessário, e avaliando os resultados conseguidos. Segundo Chiavenato (2005), as organizações são constituídas de pessoas e dependem delas para atingir seus objetivos e cumprir suas missões. E, para as pessoas, as organizações constituem o meio pelo qual elas podem alcançar vários objetivos pessoais com um mínimo de tempo, esforço e conflito. A avaliação pode ser definida como um instrumento de análise comparativa entre os desempenhos das pessoas, entre uma situação planejada e a ocorrida. A avaliação de desempenho é um sistema de apreciação do desempenho do indivíduo no cargo e de seu potencial de desenvolvimento. Toda avaliação é um processo para estimar ou julgar valor, a excelência, as qualidades ou status de alguma pessoa [...] A avaliação do desempenho está centrada no ocupante do cargo, isto é, nas pessoas.a avaliação de desempenho constitui uma técnica de direção imprescindível na atividade administrativa. De acordo com os tipos gerais de problemas identificados, a avaliação de desempenho pode colaborar na determinação e no desenvolvimento de uma política adequada às necessidades da empresa (CHIAVENATO 1996, p. 95). A avaliação de desempenho, portanto, visa estabelecer os resultados a serem perseguidos pelos indivíduos, como, acompanhar o processo de trabalho e fornecer feedback constante (PONTES, 1996, p. 23). Ainda de acordo com Pontes (1996), a avaliação é antes de tudo, um processo de comunicação visto como fator essencial, e que a metodologia de avaliação de desempenho deve se preocupar com o comportamento das pessoas no trabalho e não com as pessoas em si. A administração pública passa hoje por um momento de redefinição de estruturas. O que antes era marcado por ambientes extremamente técnicos, burocráticos e racionais passa a

19 encontrar exigências de renovação. A velha estrutura burocrática não encontra lugar quando nos referimos a organizações cada vez mais enxutas das quais é exigida mais qualidade na prestação de serviços. Nesse contexto, a área de Recursos Humanos tem papel fundamental, na medida em que se vê responsável por reelaborar sua política de ação com referencia aos servidores, incumbidos de assumir postura diferente frente à nova administração pública. Espera-se, assim, do servidor da área pública, um direcionamento para as ações, marcado pelo propósito de realizar. Além disso, espera-se que, ao invés de apenas obedecer, o servidor assuma responsabilidades e passe a apresentar um papel mais ativo dentro da organização (LOTTA, 2002). A literatura apresenta várias técnicas utilizadas para o desenvolvimento de sistemas de avaliação de desempenho que visam levantar as informações referentes ao desempenho funcional dos servidores. De acordo com Carvalho (1998), a avaliação de desempenho constitui em uma série de técnicas com a finalidade de obter informações sobre o comportamento profissional do avaliado durante o seu desempenho no trabalho. No âmbito das Instituições Federais de Ensino Superior, em decorrência das estruturações dos Planos de Cargos e Carreiras dos servidores, a avaliação de desempenho tem ganhado mais visibilidade e espaço nas discursões. Nos últimos processos de avaliação de desempenho ocorridos nos anos de 2008 e 2009 na UFPB foi diagnosticada uma abstenção de cerca de 10% em cada ano, dos servidores participantes do processo. Pressupõem-se diversos motivos tais como: falta de informação, desinteresse na participação, descrédito ao processo, dentre outros. Considerando a ausência de um feedback mais elaborado acerca da aplicação do sistema de avaliação de desempenho na Instituição, esta pesquisa pretende identificar: Qual a percepção dos servidores técnico administrativos acerca do processo de avaliação de desempenho aplicado na UFPB?

20 1.2 OBJETIVOS Objetivo Geral Diagnosticar a percepção dos servidores Técnico Administrativos em Educação acerca do processo de Avaliação de Desempenho da UFPB Objetivos Específicos Descrever o processo de avaliação de desempenho atualmente aplicado aos servidores da UFPB; Verificar o nível de conhecimento dos servidores quanto ao processo de avaliação de desempenho; Discutir os possíveis impactos advindos da metodologia de avaliação adotada. 1.3 JUSTIFICATIVA Seguindo as tendências administrativas das organizações do setor privado e também sendo submetido a uma maior cobrança de resultados por parte da sociedade em geral, o serviço público começa a ter que desenvolver estratégias no sentido de ter um maior controle sob a eficiência de seus processos e apresentar um melhor desempenho em seus serviços oferecidos. Segundo Araújo (2006), todas as organizações necessitam de sistemas de avaliação capazes de acompanhar o crescimento das pessoas que nela exercem suas atribuições, ao mesmo tempo, fazer uma ligação com os propósitos maiores não só das unidades em que as pessoas estão vinculadas, mas também com os propósitos da organização como um todo. A avaliação de desempenho no serviço público tem sido discutida no âmbito das Instituições Federais de Ensino vinculadas ao Ministério da Educação, sobretudo considerando que o Governo Federal, através da Lei Nº de 12/01/2005, dispôs sobre

21 a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico Administrativos em Educação PCCTAE. Este Plano de Carreira em seu art. 24 estabelece que cada Instituição de Ensino, deverá contemplar em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) um plano de desenvolvimento dos servidores contendo, além do dimensionamento das necessidades institucionais, com definição de modelos de alocação de vagas que contemplem a diversidade da instituição, um Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento e um Programa de Avaliação de Desempenho. No corpo do texto da referida lei, no que se refere a Avaliação de Desempenho Funcional, há uma definição como princípio ou diretriz, que se lê: processo pedagógico, realizado mediante critério objetivos decorrentes das metas institucionais, referenciada no caráter coletivo do trabalho e nas expectativas dos usuários. O Decreto de 29 de junho de 2006 do Ministério da Educação complementa a Lei Nº /2005, no estabelecimento das diretrizes para o Programa de Avaliação de Desempenho nas IFES. Conforme resolução nº. 17 CONSUNI - UFPB / 2007 o PAD é um instrumento gerencial que permite avaliar e mensurar de modo objetivo e sistemático como cada servidor está desempenhando o seu papel dentro da universidade, considerando os objetivos decorrentes das metas institucionais previamente estabelecidas com cada equipe de trabalho e o padrão de qualidade de atendimento ao usuário, definido pelas Instituições Federais de Ensino. De acordo com Hipólito e Reis (2002), a avaliação de desempenho funcional configura-se em um sistema de gestão do desempenho, pois tem o objetivo da melhoria global do desempenho e da produtividade das pessoas ao longo do tempo. Tal sistema deve ser compreendido como um processo que impõe uma divisão de responsabilidades pela gestão de pessoas na organização e, mais especificamente, pelos esforços de melhoria de desempenho em que a área de recursos humanos apóia e gerencia o sistema, mas seus principais atores são, de fato, os avaliadores e os avaliados (HIPOLITO ; REIS, 2002, p. 73). Um dos maiores desafios na administração de pessoas é justamente definir qual a forma mais adequada de avaliação do desempenho humano a ser utilizado na organização. Essa pesquisa é de suma importância, pois visa perceber subsídios que possam contribuir para a definição de um método e de formas mais eficazes de aferição do desempenho funcional dos servidores na Instituição. Faz-se necessário que os participantes de um sistema de avaliação de desempenho tenham a percepção do valor desse processo, pois a compreensão e o

22 envolvimento desses participantes ao processo de avaliação são fatores imprescindíveis à sua eficácia. Esta pesquisa torna-se viável, pelo fato de o pesquisador estar diretamente envolvido nas atividades de planejamento e execução do sistema de avaliação de desempenho aplicado na Instituição, o que facilita o acesso aos dados necessários à pesquisa. Soma-se a isso, o interesse e compromisso da professora orientadora Sandra Leandro Pereira em contribuir com a identificação de possibilidades de melhoria na gestão de pessoas da UFPB. A relevância dessa temática, que atualmente tem conseguido espaço com maior frequência nos debates acadêmicos, tem despertado interesse ao aprimoramento de metodologias de avaliação mais eficazes. Sobretudo no caso das IFES, que tem buscado atender às exigências impostas pelo governo federal e também diagnosticar, através de algumas ferramentas o desempenho de seus servidores. Através da avaliação, a instituição poderá coletar dados e informações sobre o desempenho de seus servidores e direcionar políticas no sentido de melhorar o desempenho organizacional, por intermédio de programas de melhoria do desempenho individual e grupal dos servidores. Além de atender a uma necessidade institucional alia-se também o atendimento a uma ansiedade e curiosidade pessoal acerca dos resultados do trabalho realizado, oportunizando com isso a possibilidade de aperfeiçoar o sistema de avaliação de desempenho aplicado na Instituição. 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1. Histórico da Avaliação de Desempenho A avaliação de desempenho tem se tornado fato corriqueiro em nossas vidas e nas organizações também. As pessoas estão a todo momento avaliando umas as outras e as coisas que a cercam. Em Lucena (1992, p. 35), vemos que a avaliação, entendida no seu sentido genérico, é tão antiga quanto o próprio homem, a qual vem a ser o exercício da análise e do julgamento sobre a natureza, sobre o mundo que nos cerca e sobre as ações humanas. É a base da

23 apreciação de um fato, de uma ideia, de um objetivo ou de um resultado e também, a base para uma tomada de decisão sobre qualquer situação que envolve uma escolha. A autora observa o exemplo dos jesuítas que partiram para suas missões religiosas nos países colonizados, e que já eram submetidos a processos de avaliação sobre a sua atuação, conforme indicam os registros históricos da época e cita o exemplo do rigoroso sistema de avaliação que a igreja católica adotava. Ainda para Lucena (1992, p. 36), no caso do serviço público (organização do estado nos níveis federal, estadual e municipal) foi absorvido o modelo militar, pelas semelhanças nos pressupostos, isto é, uma missão permanente (prestar serviços à sociedade), uma organização hierarquizada (para garantir sua missão), uma carreira estruturada (para assegurar a sua continuidade, independente de alternâncias dos governantes) e estabilidade que independem da vontade dos governantes. De acordo com Chiavenato (1996, p.92), as práticas de avaliação não são novas. Observa o autor que desde que um homem deu emprego a outro, seu trabalho passou a ser avaliado. Ainda no século IV, antes da fundação da Companhia de Jesus, Santo Inácio de Loyola utilizava um sistema combinado de relatórios e notas das atividades e, principalmente, do potencial de cada um dos jesuítas. Nos Estados Unidos, em 1842, o Congresso aprovou uma lei que obrigava os chefes dos departamentos executivos do Serviço Público Federal a fazer um relatório anual para, entre outras coisas, ver se cada um de seus contínuos tinha sido aproveitado corretamente e se a demissão de uns para permitir a admissão de outros levaria a um melhor desempenho no serviço público. Em 1845, o então presidente dos Estados Unidos, James Holk, ordenou que esses relatórios lhes fossem enviados diretamente. Em 1879, o departamento de pensões criou um sistema que tentou medir o desempenho dos funcionários, simplesmente contando o número de erros que eles cometiam durante o ano (CHIAVENATO, 1996). A partir de 1980, o exército americano desenvolveu um sistema de avaliação mais funcional que impressionou o Presidente Benjamim Harrison que, inicialmente, sugeriu e depois baixou uma ordem exigindo que os departamentos adotassem o sistema utilizado pelo Ministro de Guerra, o que foi feito com pouca uniformidade.

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di?

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di? GESTÃO DE DESEMPENHO Prof. WAGNER RABELLO JR Conceito de desempenho Níveis de desempenho O di? O que medir? Resultados Desempenho Competências Fatores críticos de desempenho 1 Segundo Chiavenato, existem

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos Gestão por Processos Gestão por Projetos Gestão por Processos Gestão de Processos de Negócio ou Business Process Management (BPM) é um modelo de administração que une gestão de negócios à tecnologia da

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO Esta pesquisa tem como objetivo abordar o tema voltado para a avaliação do desempenho humano com os seguintes modelos: escalas gráficas, escolha forçada, pesquisa de campo, métodos

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO Atualizado em 30/12/2015 GESTÃO DE DESEMPENHO A gestão do desempenho constitui um sistemático de ações que buscam definir o conjunto de resultados a serem alcançados

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional)

ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional) ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional) 1 Senhor (a) Avaliador (a), a) Para Autoavaliação: utilizar a coluna "A" do campo ; b) Para Avaliação da Equipe de Trabalho: utilizar

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas Glaucia Falcone Fonseca No contexto cada vez mais competitivo das organizações, a busca por resultados e qualidade é cada vez maior e a avaliação de pessoas assume o importante papel de instrumento de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II Departamento de Orientação Profissional - EEUSP PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL VERA LUCIA MIRA GONÇALVES AVALIAÇÃO JUÍZO DE VALOR Avaliação de desempenho

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD)

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE TREINAMENTO E AVALIAÇÃO SERVIÇO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROGRAMA DE

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

componente de avaliação de desempenho para sistemas de informação em recursos humanos do SUS

componente de avaliação de desempenho para sistemas de informação em recursos humanos do SUS Informação como suporte à gestão: desenvolvimento de componente de avaliação de desempenho para sistemas de Esta atividade buscou desenvolver instrumentos e ferramentas gerenciais para subsidiar a qualificação

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Existem três níveis distintos de planejamento: Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional Alcance

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS REFERENTES À AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES

PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS REFERENTES À AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS REFERENTES À AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES Jaqueline Reinert Godoy 1 ; Talita Conte Ribas

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos 1 Carreira: definição de papéis e comparação de modelos Renato Beschizza Economista e especialista em estruturas organizacionais e carreiras Consultor da AB Consultores Associados Ltda. renato@abconsultores.com.br

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS ECONÔMICAS

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS ECONÔMICAS 1. Princípios Teórico-Filosóficos A Faculdade da Região dos Lagos vem se destacando como uma das principais instituições na formação de administradores, empresários e gerentes em nossa região. Além disso,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

Experiência: MUDANÇA ORGANIZACIONAL EM BUSCA DA EXCELÊNCIA

Experiência: MUDANÇA ORGANIZACIONAL EM BUSCA DA EXCELÊNCIA Experiência: MUDANÇA ORGANIZACIONAL EM BUSCA DA EXCELÊNCIA Comissão Nacional de Energia Nuclear Instituto de Engenharia Nuclear Ministério da Ciência e Tecnologia Responsável: Isaac José Obadia - Coordenador-Geral

Leia mais

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO III Congresso Consad de Gestão Pública O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA SEPLAG Norma Maria Cavalcanti Alcoforado Painel 02/007 Avaliação de desempenho e remuneração variável O NOVO MODELO DE

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento;

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento; FRANCISCO BITTENCOURT Consultor Sênior do MVC VISÃO, AÇÃO, RESULTADOS Visão sem ação é um sonho, sonho sem visão é um passatempo. Fred Polak INTRODUÇÃO No conhecido diálogo entre Alice e o gato Ceeshire,

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Centro de Educação Superior Barnabita CESB 1 RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Clara de Oliveira Durães 1 Profª. Pollyanna

Leia mais

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los. Decorrência da Teoria Neoclássica Processo Administrativo. A Teoria Neoclássica é também denominada Escola Operacional ou Escola do Processo Administrativo, pela sua concepção da Administração como um

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

RECURSOS HUMANOS Avaliação do desempenho

RECURSOS HUMANOS Avaliação do desempenho RECURSOS HUMANOS ? Origem,conceitos e definição Origem: Surge como analogia ao trabalho das máquinas e ao aumento da sua eficiência; Com a aplicação de determinado tipo de princípios era possível obter

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 23/2012 Aprova a implantação do Sistema de Gestão de Pessoas por Competências (SGPC) da UFPB. O Conselho Universitário

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi Gestão de Recursos Humanos e Contratualização Nelson Marconi Estágios das Políticas de Recursos Humanos 1º estágio: controles e ajuste das despesas 2º estágio: definição de políticas consistentes porém

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO O estágio curricular obrigatório é aquele definido

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

Módulo 2: Fase de Diagnóstico: Avaliando o uso e a gestão da TI

Módulo 2: Fase de Diagnóstico: Avaliando o uso e a gestão da TI ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Conteúdo para impressão Módulo 2: Fase de Diagnóstico:

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 1 A avaliação de desempenho é uma apreciação sistemática do desempenho dos trabalhadores nos respectivos cargos e áreas de actuação e do seu potencial de desenvolvimento (Chiavenato).

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA drivanmelo@yahoo.com.br ADMINISTRAÇÃO AD Prefixo latino = Junto de AD MINISTRAÇÃO MINISTER Radical = Obediência, Subordinação Significa aquele que realiza uma função

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

ESCOLA PAULISTA DE NEGOCIOS DISCIPLINA: ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO CORPORATIVO PROFESSOR: CLAUDEMIR DUCA VASCONCELOS ALUNOS: BRUNO ROSA VIVIANE DINIZ

ESCOLA PAULISTA DE NEGOCIOS DISCIPLINA: ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO CORPORATIVO PROFESSOR: CLAUDEMIR DUCA VASCONCELOS ALUNOS: BRUNO ROSA VIVIANE DINIZ ESCOLA PAULISTA DE NEGOCIOS DISCIPLINA: ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO CORPORATIVO PROFESSOR: CLAUDEMIR DUCA VASCONCELOS ALUNOS: BRUNO ROSA VIVIANE DINIZ INTRODUÇÃO Estratégia é hoje uma das palavras mais utilizadas

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 04: ATIVIDADES DO ENFERMEIRO ATIVIDADES DO ENFERMEIRO SUPERVISÃO GERENCIAMENTO AVALIAÇÃO AUDITORIA

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

PLANOS DE CONTINGÊNCIAS

PLANOS DE CONTINGÊNCIAS PLANOS DE CONTINGÊNCIAS ARAÚJO GOMES Capitão SC PMSC ARAÚJO GOMES defesacivilgomes@yahoo.com.br PLANO DE CONTINGÊNCIA O planejamento para emergências é complexo por suas características intrínsecas. Como

Leia mais

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR Prof. Bento QUESTÕES Doc. # 1 Revisão Indique se é Verdadeira ou Falsa a seguinte afirmação UMA TEORIA É UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA OU ABSTRACTA DE UM PROBLEMA OU CONJUNTO DE

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL. Prof. Roberto Almeida

Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL. Prof. Roberto Almeida Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL Prof. Roberto Almeida Esta estratégia compreende o comportamento global e integrado da empresa em relação ao ambiente que a circunda. Para Aquino:Os recursos humanos das

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL 2012 ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL APRESENTAÇÃO Este Manual foi elaborado com o objetivo de normalizar o Estágio Profissional Supervisionado, para os

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D Ariadne Cedraz 1 Léa Monteiro Rocha 2 Luciana Cristina Andrade Costa Franco 3 A quarta e última etapa do processo refere-se à avaliação que tem por objetivo averiguar se os resultados

Leia mais

Escola Nacional de Administração Pública Diretoria de Formação Profissional Coordenação-Geral de Formação

Escola Nacional de Administração Pública Diretoria de Formação Profissional Coordenação-Geral de Formação Programa de Aperfeiçoamento para Carreiras 2013 Curso: Redes de Políticas Públicas O Desafio da Governança Turma: 01 Professores: Paulo Carlos Du Pin Calmon Arthur Trindade Maranhão Costa ROTEIRO PARA

Leia mais

Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações

Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações Mirella Paiva 1 e Flora Tucci 2 Em uma sociedade marcada pela globalização, pelo dinamismo e pela competitividade, atingir

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

2- FUNDAMENTOS DO CONTROLE 2.1 - CONCEITO DE CONTROLE:

2- FUNDAMENTOS DO CONTROLE 2.1 - CONCEITO DE CONTROLE: 1 - INTRODUÇÃO Neste trabalho iremos enfocar a função do controle na administração. Trataremos do controle como a quarta função administrativa, a qual depende do planejamento, da Organização e da Direção

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua!

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua! PROJETO-INTERVENÇÃO O curso de formação de gestores escolares que estamos realizando orientase por dois eixos básicos: a) a educação compreendida como direito social a ser suprido pelo Estado; b) a gestão

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais