10518/16 ap/ip 1 DG E 1A

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "10518/16 ap/ip 1 DG E 1A"

Transcrição

1 Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de junho de 2016 (OR. en) 10518/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 20 de junho de 2016 para: Delegações ENV 445 COMPET 389 AGRI 363 TRANS 254 MI 466 IND 143 CONSOM 156 ECOFIN 646 ENER 261 RECH 238 SAN 275 n.º doc. ant.: 10151/16 ENV 411 COMPET 372 AGRI 326 TRANS 231 MI 443 IND 137 CONSOM 146 ECOFIN 601 ENER 250 RECH 233 SAN 255 Assunto: Fechar o ciclo plano de ação da UE para a economia circular - Conclusões do Conselho (20 de junho de 2016) Enviam-se em anexo, à atenção das delegações, as conclusões do Conselho intituladas "Fechar o ciclo plano de ação da UE para a economia circular", adotadas pelo Conselho na sua 3476.ª reunião, em 20 de junho de /16 ap/ip 1 DG E 1A PT

2 ANEXO Fechar o ciclo plano de ação da UE para a economia circular Conclusões do Conselho O Conselho da União Europeia, RECORDANDO: A Estratégia Europa 2020 para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo, adotada pelo Conselho Europeu de 17 de junho de 2010, e a sua iniciativa emblemática "Uma Europa eficiente em termos de recursos"; A Decisão do Parlamento Europeu e do Conselho relativa a um programa geral de ação da União para 2020 em matéria de ambiente "Viver bem, dentro dos limites do nosso planeta" (7.º PAA) 1, que tem em vista uma economia hipocarbónica, eficiente na utilização dos recursos, verde e competitiva; A Resolução do Parlamento Europeu sobre "a eficiência de recursos: transição para uma economia circular" 2 ; A Resolução da AGNU de 25 de setembro de 2015 intitulada "Transformar o nosso mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável" e o Acordo sobre o Clima (COP 21, Paris); 1 2 JO L 354 de 28 de dezembro de 2013, p (2014)2208 (INI) 10518/16 ap/ip 2

3 As comunicações da Comissão intituladas "Inovação para um Crescimento Sustentável: Bioeconomia para a Europa" 3 ; "Plano de Ação para a Ecoinovação" 4 ; "Plano de Ação Verde para as PME" 5 e "Iniciativa Emprego Verde" 6 ; "Oportunidades para ganhos de eficiência na utilização dos recursos no setor da construção" 7 ; "Uma matriz destinada a preservar os recursos hídricos da Europa" 8 ; "Digitalização da Indústria Europeia Usufruir de todos os benefícios do Mercado Único Digital" e comunicações conexas 9 ; "Iniciativa Matérias- -Primas" 10 ; As conclusões do Conselho sobre: Gestão sustentável dos materiais e produção e consumo sustentáveis 11 ; Ecologizar o Semestre Europeu e a Estratégia Europa ; A comunicação da Comissão "Roteiro para uma Europa eficiente na utilização de recursos" ; Revisão intercalar da Estratégia de Biodiversidade da UE para ; Integração da competitividade industrial /12 COM(2012) 60 final 18874/11 COM(2011) 899 final 11616/1/14 REV 1 COM(2014) 440 final 11572/14 COM(2014) 446 final 11609/14 COM(2014) 445 final 16425/12 COM(2012) 673 final 8100/16 COM(2016) 180 final 8097/16 COM(2016) 179 final 8099/16 COM(2016) 178 final 8104/16 COM(2016) 178 final 16053/08 COM(2008) 699 final 17495/ / / / / / /16 ap/ip 3

4 CIENTE de que a economia circular oferece grandes potencialidades para atingir um crescimento sustentável e estimular a competitividade da UE, criar emprego, diminuir a dependência da UE de matérias-primas primárias não renováveis, alcançar a eficiência energética e de recursos e reduzir a pegada ambiental, promover os bens de produção local, prevenir e minimizar a produção de resíduos, proteger a natureza e o capital natural, reforçar a resiliência ecológica e atenuar as emissões de gases com efeito de estufa, contribuindo assim para a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e para os esforços envidados a nível mundial no sentido de uma economia verde, mantendo ao mesmo tempo o bem-estar dentro dos limites do nosso planeta e a proteção da saúde humana e do ambiente; SALIENTA a importância da hierarquia dos resíduos para apoiar a transição para uma economia circular, começando por aumentar a prevenção, a preparação para a reutilização e a reciclagem de resíduos e minimizando a eliminação de resíduos, em especial através de uma redução significativa da deposição de resíduos em aterros. ABORDAGENS POLÍTICAS INTEGRADAS 1. SAÚDA a comunicação da Comissão de 2 de dezembro de 2015 intitulada "Fechar o ciclo plano de ação da UE para a economia circular" 17 (a seguir designada por "plano de ação") e COMPROMETE-SE a apoiar a sua implementação a fim de facilitar a transição para uma economia circular; 2. SUBLINHA que a transição para uma economia circular exige um compromisso e uma ação a longo prazo, num vasto leque de políticas da UE, e a todos os níveis das administrações públicas dos Estados-Membros; EXORTA os Estados-Membros a estabelecerem e adotarem medidas e/ou estratégias a fim de complementar o plano de ação da UE e de para ele contribuir; INSTA a Comissão a integrar plenamente a economia circular em todas as suas políticas e estratégias pertinentes; RECONHECE ainda que, para acelerar a transição, deverão ser tidas em conta as diferentes condições e fases em que se encontram os Estados-Membros; / /16 ap/ip 4

5 3. CONSIDERA que a participação ativa do setor privado e de outras partes interessadas, em toda a Europa e a nível mundial, constitui um elemento-chave para uma transição bem sucedida e mais eficaz para a economia circular; INCENTIVA a UE e os Estados-Membros, a todos os níveis das administrações públicas, a implicarem ativamente o setor privado para promover a cooperação, a inovação e os projetos de simbiose industrial, a nível setorial e intersetorial e dentro das cadeias de valor e entre elas, inclusive enfrentando desafios específicos na transição para a economia circular, através de acordos entre as partes interessadas da sociedade e as administrações públicas, como o projeto-piloto sobre os "acordos de inovação" voluntários 18 ; 4. APELA à Comissão para que assegure que as propostas decorrentes do plano de ação sejam acompanhadas de uma avaliação de impacto completa; SALIENTA que as medidas políticas têm de apoiar o desenvolvimento sustentável e a competitividade a longo prazo da indústria da UE, em especial das PME, bem como melhorar o funcionamento do mercado interno; SALIENTA IGUALMENTE que as medidas políticas devem estar em consonância com os princípios de uma melhor legislação enunciados no acordo interinstitucional de 13 de abril de , ser proporcionadas, eficazes em termos de custos, aceitáveis do ponto de vista social e fáceis de adotar com encargos administrativos mínimos, evitar a fragmentação política para criar sinergias, e ter em conta as legislações nacionais em vigor que estimulem a circularidade e as iniciativas que promovam uma legislação da UE coerente e consistente, como o projeto "Make-it-Work"; "Legislar melhor sobre o investimento orientado para a inovação a nível da UE" (SWD(2015) 298) e -wp1617-focus_en.pdf JO L 123 de , p /16 ap/ip 5

6 5. REALÇA a necessidade de assegurar a utilização de fontes sustentáveis de matérias-primas primárias e o abastecimento sustentável dessas matérias-primas; DESTACA o papel do comércio equitativo ao assegurar que os preços das matérias-primas primárias e dos produtos refletem as suas externalidades ambientais e sociais e que, se necessário, é facilitada uma concorrência saudável entre os mercados de recursos primários e secundários; CONVIDA a Comissão a tomar iniciativas concretas para promover a utilização de fontes sustentáveis de matérias-primas primárias e o abastecimento sustentável dessas matérias-primas na UE e em cooperação com países terceiros (produtores de produtos de base), sem criar entraves pautais ou não pautais ao comércio; POLÍTICAS DE PRODUTOS E EFICIÊNCIA DE RECURSOS 6. APOIA a abordagem seguida pela Comissão no plano de ação, a qual consiste em tratar todo o ciclo de vida dos produtos, e SALIENTA que uma tal abordagem integrada e transversal é essencial para efetivamente "fechar o ciclo" e conseguir a transição para uma economia circular, em que o valor dos produtos, materiais e recursos se mantém na economia o máximo de tempo possível e a produção de resíduos é reduzida ao mínimo; INCENTIVA a Comissão e os Estados-Membros a criarem um clima político e um quadro legislativo coerentes e propícios à inovação sistémica a fim de promover a economia circular em toda a cadeia de valor, incluindo oportunidades para testar tais inovações; 7. SUBLINHA a importância de se dispor de um quadro político coerente a nível da UE para os produtos, em sintonia com o 7.º programa de ação para 2020 em matéria de ambiente; SAÚDA a intenção da Comissão de envidar esforços neste sentido; EXORTA VIVAMENTE a Comissão a assegurar a coerência, o reforço e a eficácia dos instrumentos ao dispor da UE que são pertinentes para a política de produtos; CONVIDA a Comissão a garantir que os instrumentos políticos podem facilitar as inovações sistémicas no futuro; 10518/16 ap/ip 6

7 8. SALIENTA a necessidade de assegurar que os produtos sejam concebidos e produzidos de forma mais sustentável, tendo em conta todo o seu ciclo de vida e minimizando o impacto negativo no ambiente e na saúde humana; neste contexto, REGISTA com preocupação que a Comissão não cumpriu o calendário constante do anexo do plano de ação no que respeita às ações relativas à conceção ecológica; SOLICITA à Comissão que dê seguimento a essas ações sem mais demora; INSTA a Comissão a incluir nos regulamentos da UE relativos à conceção ecológica e, se necessário noutra legislação, antes de 2020, medidas adequadas para melhorar a durabilidade, a reparabilidade, a possibilidade de reutilização, a possibilidade de utilizar materiais reciclados, a possibilidade de modernização e a reciclabilidade dos produtos; CONVIDA a Comissão a avaliar, antes do final de 2018, para que grupos de produtos, que não sejam os relacionados com a energia, seria possível considerar melhor a eficiência de recursos e o impacto no ambiente e na saúde humana, com base na experiência adquirida com a diretiva relativa à conceção ecológica; 9. REALÇA a necessidade de ação a nível europeu para prolongar o tempo de vida dos produtos, inclusive tratando da questão da obsolescência programada; CONVIDA a Comissão a desenvolver métodos comuns para avaliar e verificar o tempo de vida dos produtos; TOMA NOTA da proposta da Comissão relativa às vendas em linha de bens; AGUARDA COM EXPECTATIVA o debate sobre a possibilidade de alargar a garantia legal de todas as vendas de bens com base nessa proposta e no balanço em curso da qualidade da legislação da UE relativa aos consumidores e ao marketing; CONVIDA a Comissão a investigar que outras iniciativas podem ser tomadas a nível da UE no sentido de prolongar o tempo de vida dos produtos, por exemplo promovendo a disponibilidade de peças sobresselentes; 10518/16 ap/ip 7

8 10. REGISTA o papel crucial dos consumidores na transição para a economia circular; DESTACA a importância de aumentar a sensibilização, fomentar mecanismos de mercado adequados e desenvolver infraestruturas de apoio, a fim de estimular um comportamento, um consumo e uma produção sustentáveis, tanto nos mercados empresa-consumidor como nos mercados empresa-empresa; SALIENTA que o acesso a informações fiáveis, tempestivas e compreensíveis sobre as características ambientais dos produtos e dos serviços pode ajudar a fazer escolhas informadas; EXORTA a Comissão a desenvolver e propor uma metodologia para assegurar que as alegações ambientais, incluindo os rótulos, se baseiam em informações verificáveis e transparentes, tendo em conta as condições específicas dos Estados-Membros e os ensinamentos retirados dos projetos-piloto europeus em curso sobre a pegada ambiental e a verificação das tecnologias ambientais; INCENTIVA a Comissão e os Estados-Membros a apoiarem as atividades de sensibilização dirigidas aos consumidores para promover a economia circular; 11. REALÇA a importância de se dispor de uma legislação em matéria de produtos químicos que funcione corretamente para apoiar a economia circular, bem como a necessidade de cumprir os diversos objetivos do 7.º programa de ação em matéria de ambiente; APELA à Comissão para que, quando abordar, até 2017, a interface entre as legislações relativas aos produtos químicos, aos produtos e aos resíduos, desenvolva, em cooperação com os Estados-Membros, uma metodologia destinada a determinar se a reciclagem, a valorização ou a eliminação oferecem os melhores resultados globais para obter ciclos de materiais não tóxicos e maiores taxas de reciclagem, respeitando ao mesmo tempo o atual nível elevado de proteção da saúde humana e do ambiente e tendo em conta o princípio da precaução; neste contexto, SUBLINHA a necessidade de uma informação adequada sobre a presença de substâncias que suscitam elevada preocupação nos materiais, produtos e resíduos; 10518/16 ap/ip 8

9 12. SALIENTA a importância de se dispor de um mercado de matérias-primas secundárias eficiente e que funcione bem; REALÇA que importa estimular a procura de matérias-primas secundárias e a reciclagem de alta qualidade, promovendo, nomeadamente, a utilização de matérias-primas secundárias e melhorando a confiança na qualidade dessas matérias-primas, inclusive a acessibilidade das informações relativas ao conteúdo das substâncias que levantam problemas de reciclagem ou de valorização; EXORTA a Comissão a desenvolver critérios uniformes à escala da UE sobre o fim do estatuto de resíduo, quando adequado, e a promover a elaboração de normas de qualidade a nível internacional e da UE para as matérias-primas secundárias, a fim de facilitar a circulação transfronteiras, preservando simultaneamente o ambiente e a saúde humana; 13. APELA à Comissão para que estude a possibilidade de incentivar a reciclagem, de forma ambientalmente correta e segura, dos produtos usados exportados da UE quando se tornam resíduos, dentro ou fora da UE. 14. RECONHECE que a exportação de resíduos pode dificultar a obtenção de taxas de reciclagem mais elevadas; APELA ao reforço dos controlos na UE e nas suas fronteiras para prevenir o transporte ilegal de resíduos, em consonância com o regulamento revisto relativo a transferências de resíduos REAFIRMA a necessidade de impedir que o lixo marinho, em especial os plásticos, acabe por ir parar ao ambiente, a fim de alcançar uma redução significativa até 2020; CONSIDERA que a conceção ecológica dos plásticos e dos produtos de plástico, bem como a gestão correta dos resíduos de plástico, são essenciais para a prevenção da poluição; SAÚDA as iniciativas voluntárias tomadas pela indústria; EXORTA a Comissão a propor medidas robustas para reduzir a descarga de macro e micropartículas de plástico no ambiente marinho, no âmbito da estratégia anunciada para os plásticos, até 2017 o mais tardar, incluindo uma proposta de proibição de micropartículas de plástico nos cosméticos e propostas que contemplem outros produtos geradores de lixo marinho, se necessário, tendo simultaneamente em conta a evolução registada no contexto das convenções regionais sobre o mar como a OSPAR, a HELCOM e a Convenção de Barcelona; 20 Regulamento (CE) n.º 1013/2006 relativo a transferências de resíduos, com a última redação que lhe foi dada pelo Regulamento (UE) n.º 660/ /16 ap/ip 9

10 16. SALIENTA o contributo da utilização eficiente da água para a economia circular; a este respeito, SUBLINHA a importância de que se revestem a gestão integrada dos recursos hídricos, bem como uma maior reciclagem e reutilização da água e eficientes em termos de custos, tendo em conta as condições regionais, e ainda a reciclagem dos recursos das águas residuais, em sintonia com o acervo ambiental da UE; EXORTA a Comissão a assegurar que o quadro legislativo apoie, quando adequado, a reutilização das águas residuais tratadas no respeito do atual nível elevado de proteção da saúde humana e do ambiente 21 ; 17. APOIA os esforços de todos os intervenientes para reduzir os desperdícios alimentares, o que contribuirá para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 12.3, que, até 2030, visa reduzir para metade o desperdício alimentar per capita a nível mundial, de retalho e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e de abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita; APOIO À INOVAÇÃO E AO EMPREENDIMENTO CIRCULARES 18. SALIENTA que a investigação e a inovação são essenciais para desenvolver os processos industriais, económicos e sociais, necessários, sustentáveis e eficientes em termos de recursos, que estimulem a transição para a economia circular; EXORTA a Comissão a apoiar a indústria da UE em investigação e inovação, no melhoramento da cooperação interciclos e intersetorial e na incorporação de novas tecnologias e novos modelos empresariais, de soluções digitais, de serviços, produtos e processos de produção mais eficientes em termos de recursos, bem como de melhores alternativas aos produtos químicos e materiais perigosos, numa perspetiva de proteção da saúde humana e do ambiente; 21 Nomeadamente, com base nos pareceres da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos /16 ap/ip 10

11 19. RECONHECE os benefícios do capital natural, a importância dos ecossistemas e seus serviços e a necessidade de uma utilização sustentável dos recursos naturais; RECORDA a importância de se desenvolver um sistema de valorização do capital natural mediante indicadores adequados para monitorizar o progresso económico e de se aprofundar a contabilização dos ecossistemas, aproveitando o melhor possível os atuais instrumentos e iniciativas de sustentabilidade; CONVIDA a Comissão e os Estados-Membros a promoverem soluções de base natural e de base biológica e a utilização de materiais renováveis de origem sustentável, incluindo a biorrefinação de biomassa para objetivos de valor elevado, sem comprometer a segurança alimentar e a integridade ambiental, a eficiência dos recursos, a resiliência dos ecossistemas e seus serviços e a utilização sustentável de energias renováveis; ANOTA a intenção da Comissão de promover a utilização eficiente dos recursos de base biológica por meio de uma série de medidas, incluindo orientação e divulgação das melhores práticas sobre a utilização de biomassa em cascata e apoio à inovação na bioeconomia; SOLICITA à Comissão que analise o contributo da sua Estratégia para a Bioeconomia, de 2012, para a economia circular e que a atualize em conformidade; 20. REITERA que uma economia circular exige, não só, investimento em soluções sustentáveis e inovadoras, mas também a ecologização das despesas públicas, a fim de mobilizar iniciativas dos setores público e privado; SAÚDA, a este respeito, a disponibilização de apoio e uma crescente convergência de fundos e programas financeiros da UE para a economia circular; INSTA a Comissão a apoiar ativamente os Estados-Membros, o setor privado e outras partes interessadas, no sentido de utilizarem aqueles fundos e viabilizarem a transição para uma economia circular, melhorando a eficiência a nível da energia e dos recursos e reduzindo a produção de resíduos, inclusive pela aplicação da hierarquia dos resíduos; INCENTIVA a Comissão e os Estados-Membros a aplicarem o princípio do poluidor-pagador, com vista a cobrir, de modo sustentável, os custos das necessárias infraestruturas de gestão de resíduos; 10518/16 ap/ip 11

12 21. SUBLINHA que as administrações públicas têm um papel fundamental na criação de incentivos e na garantia de uma aplicação efetiva dos contratos públicos ecológicos (CPE), tendo em vista a economia circular; EXORTA a Comissão e os Estados-Membros a incentivarem e facilitarem modelos empresariais circulares que permitam aumentar a percentagem de contratos públicos ecológicos na despesa pública, a todos os níveis possíveis, a fim de criar mercados para produtos e serviços circulares; SOLICITA à Comissão que prepare orientações e incentivos para a aplicação de CPE destinados à economia circular, incluindo a aplicação dos custos do ciclo de vida; ENCORAJA a Comissão e os Estados- -Membros a reforçarem os atuais objetivos 22 em matéria de CPE, acelerarem a transição para a economia circular, melhorarem a monitorização e facilitarem ativamente o intercâmbio de conhecimentos e melhores práticas entre os Estados-Membros, bem como a prestarem apoio para programas de formação no domínio dos CPE; 22. RECONHECE que as PME, enquanto frequentes motores de inovação e na vanguarda da transição para uma economia circular, enfrentam desafios específicos; APOIA medidas que aumentem a possibilidade de as PME aproveitarem as oportunidades que a transição para uma economia circular oferece e que apoiem as PME na sua adaptação e no seu contributo para essa transição; SAÚDA o contributo do Plano de Ação para a Ecoinovação e do Plano de Ação Verde para as PME na transição para uma economia circular; 23. SUBLINHA a importância da educação e da formação em todos os domínios relevantes para facilitar a transição para a economia circular e garantir o seu contributo para reduzir o desemprego e, simultaneamente, criar postos de trabalho de elevada qualidade; 22 Em conformidade com o 7.º PAA e com base na experiência da Diretiva Eficiência Energética 10518/16 ap/ip 12

13 MONITORIZAÇÃO, SEGUIMENTO E COOPERAÇÃO 24. SALIENTA a necessidade de uma estrutura de governação a nível da UE e de um quadro de monitorização, a fim de reforçar e avaliar os progressos rumo à economia circular, minimizando ao mesmo tempo os encargos administrativos; a este respeito, ASSINALA que foram já comunicadas informações ao Eurostat; CONVIDA a Comissão, em cooperação com os Estados-Membros, a prosseguir a preparação de um painel de indicadores fiáveis, tendo em vista a formulação de objetivos ambiciosos e realistas 23 numa perspetiva de longo prazo, bem como a integração desses objetivos no seguimento da Estratégia UE 2020 e na aplicação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável; 25. REALÇA que é importante manter sob revisão regular, a nível político, os progressos alcançados com o plano de ação; SOLICITA à Comissão que forneça ao Conselho uma atualização anual, por escrito, dos progressos alcançados na execução do plano de ação; e PEDE à Comissão que, a partir de 2018, avalie regularmente o efeito das ações concretizadas, em consonância com os princípios de "legislar melhor", nomeadamente através de consulta às partes interessadas para incorporar as suas experiências, a fim de fazer o balanço dos resultados do plano de ação, determinar o conjunto de políticas mais eficaz e, quando necessário, atualizar o plano e os seus instrumentos propostos; 26. ASSINALA que as partes interessadas apelaram, entre outras coisas, a uma abordagem de longo prazo e a uma firme orientação e apropriação por parte da União e dos seus Estados- -Membros 24 ; APELA à coerência nas abordagens e normas nacionais, ao intercâmbio de melhores práticas e de ensinamentos adquiridos pelos Estados-Membros e pelas partes interessadas e a mais incentivos financeiros e instrumentos de mercado, a fim de incentivar a reutilização e o mercado de matérias-primas secundárias; Com base nas conclusões do Conselho intituladas "Ecologizar o Semestre Europeu e a Estratégia Europa 2020" (14731/14); /16 ap/ip 13

14 27. SUBLINHA a importância dos instrumentos de mercado para, onde se revele pertinente, criarem incentivos económicos de estímulo à utilização sustentável dos recursos; EXORTA os Estados-Membros a trocarem experiências e boas práticas no desenvolvimento e na utilização de instrumentos de mercado que apoiem a transição para a economia circular e a terem em conta o impacto de determinados instrumentos de mercado nos Estados-Membros vizinhos; SAÚDA as orientações da Comissão sobre o modo como os Estados-Membros poderão desenvolver esses instrumentos em prol da economia circular; RECONHECE o impacto negativo dos subsídios prejudiciais ao ambiente; EXORTA a Comissão a preparar, em cooperação com os Estados-Membros, orientações da UE sobre os subsídios prejudiciais ao ambiente e a desenvolver esforços com vista à identificação e à eliminação gradual desses subsídios, sem deixar de ter em conta os aspetos sociais e económicos; 28. EXORTA a Comissão a criar uma plataforma que facilite um intercâmbio mais estruturado de conhecimentos, tecnologias, boas práticas e experiências políticas (inclusive sobre instrumentos económicos), quer entre os Estados-Membros quer entre as partes interessadas a nível europeu, aproveitando, sempre que possível, as plataformas e experiências existentes /16 ap/ip 14

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10 ESPACE 19 COMPET 390 RECH 392 IND 161 TRANS 349 ENER 343 REGIO 95 ECOFIN 759 CODUN 47 ENV 804 EDUC 213 RESULTADO DOS TRABALHOS

Leia mais

10668/16 pbp/ml 1 DGG 2B

10668/16 pbp/ml 1 DGG 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de junho de 2016 (OR. en) 10668/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações FSTR 36 FC 30 REGIO 43 SOC 435 AGRISTR 37 PECHE 244

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 8 de Dezembro de 2011 (15.12) (OR. en) 18345/11

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 8 de Dezembro de 2011 (15.12) (OR. en) 18345/11 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 8 de Dezembro de 2011 (15.12) (OR. en) 18345/11 RECH 427 COMPET 602 REGIO 168 ENER 398 CULT 116 SOC 1099 SAN 270 ENV 939 AGRI 859 ESPACE 84 TELECOM 207 RESULTADOS DOS

Leia mais

CONCLUSÕES DO CONSELHO. de 27 de Novembro de 2003. sobre o contributo da política industrial para a competitividade Europeia (2003/C 317/02)

CONCLUSÕES DO CONSELHO. de 27 de Novembro de 2003. sobre o contributo da política industrial para a competitividade Europeia (2003/C 317/02) CONCLUSÕES DO CONSELHO de 27 de Novembro de 2003 sobre o contributo da política industrial para a competitividade Europeia (2003/C 317/02) O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA I. EM RELAÇÃO A QUESTÕES HORIZONTAIS:

Leia mais

15071/15 ip/arg 1 DG B 3A

15071/15 ip/arg 1 DG B 3A Conselho da União Europeia Bruxelas, 7 de dezembro de 2015 15071/15 SOC 711 EMPL 464 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado Geral do Conselho data: 7 de dezembro de 2015 para: Delegações n.º doc. ant.:

Leia mais

ANEXO COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

ANEXO COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.12. COM() 614 final ANNEX 1 ANEXO da COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES Fechar o ciclo

Leia mais

9200/16 fmm/hrl/ml 1 DG B 3A - DG G 1A

9200/16 fmm/hrl/ml 1 DG B 3A - DG G 1A Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de junho de 2016 (OR. en) 9200/16 ECOFIN 452 UEM 199 SOC 316 EMPL 212 COMPET 286 ENV 331 EDUC 186 RECH 178 ENER 194 JAI 440 NOTA de: para: n. doc. Com.: Assunto:

Leia mais

Conclusões do Conselho sobre a fraude e a evasão fiscais Adoção

Conclusões do Conselho sobre a fraude e a evasão fiscais Adoção CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 14 de maio de 2013 (21.05) (Or. en) 9549/13 FISC 94 ECOFIN 353 NOTA de: para: Assunto: Secretariado-Geral do Conselho Delegações Conclusões do Conselho sobre a fraude

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 18 de dezembro de 2015 (OR. en) EUCO 28/15 CO EUR 13 CONCL 5 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião do Conselho Europeu (17 e 18 de

Leia mais

ALTERAÇÕES 1-58. PT Unida na diversidade PT 2012/2039(INI) 16.10.2012. Projeto de parecer Regina Bastos (PE483.860v02)

ALTERAÇÕES 1-58. PT Unida na diversidade PT 2012/2039(INI) 16.10.2012. Projeto de parecer Regina Bastos (PE483.860v02) PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão do Emprego e dos Assuntos Sociais 16.10.2012 2012/2039(INI) ALTERAÇÕES 1-58 Regina Bastos (PE483.860v02) sobre o estatuto da mutualidade europeia (2012/2039(INI))

Leia mais

5306/15 ADD 1 ls/mpm/mjb 1 DG G 2A

5306/15 ADD 1 ls/mpm/mjb 1 DG G 2A Conselho da União Europeia Bruxelas, 30 de janeiro de 205 (OR. en) 5306/5 ADD FIN 28 PE-L 5 NOTA PONTO "I/A" de: para: Assunto: Comité Orçamental Comité de Representantes Permanentes/Conselho Quitação

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 15 de Maio de 2007 (OR. en) 9556/07 DEVGEN 88 RELEX 346 FIN 229 WTO 116 ONU 24

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 15 de Maio de 2007 (OR. en) 9556/07 DEVGEN 88 RELEX 346 FIN 229 WTO 116 ONU 24 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 15 de Maio de 2007 (OR. en) 9556/07 DEVGEN 88 RELEX 346 FIN 229 WTO 116 ONU 24 NOTA de: Secretariado-Geral data: 15 de Maio de 2007 n.º doc. ant.: 9179/07 Assunto:

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Outubro de 2010 (04.11) (OR. en) 15449/10 AUDIO 37 COMPET 311 CULT 98

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Outubro de 2010 (04.11) (OR. en) 15449/10 AUDIO 37 COMPET 311 CULT 98 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 26 de Outubro de 2010 (04.11) (OR. en) 15449/10 AUDIO 37 COMPET 311 CULT 98 NOTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Comité de Representantes Permanentes (1.ª

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2014-2019 Comissão dos Assuntos Jurídicos 21.4.2015 2015/2053(INI) PROJETO DE RELATÓRIO sobre a eventual extensão da proteção proporcionada pelas indicações geográficas da União Europeia

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento. Proposta de

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento. Proposta de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 27.3.2014 SWD(2014) 119 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO que acompanha o documento Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.7.2014 COM(2014) 398 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES Para uma economia circular:

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Transportes e do Turismo 2014/2241(INI) 22.5.2015 PROJETO DE RELATÓRIO sobre novos desafios e ideias para o fomento do turismo na Europa (2014/2241(INI)) Comissão

Leia mais

L 347/104 Jornal Oficial da União Europeia 20.12.2013

L 347/104 Jornal Oficial da União Europeia 20.12.2013 L 347/104 Jornal Oficial da União Europeia 20.12.2013 REGULAMENTO (UE) N. o 1291/2013 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 11 de dezembro de 2013 que cria o Horizonte 2020 Programa-Quadro de Investigação

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar 2011/2307(INI) 9.3.2012 PROJETO DE RELATÓRIO sobre a dádiva voluntária e não remunerada de tecidos e células

Leia mais

de 9 de Março de 2005

de 9 de Março de 2005 24.3.2005 PT Jornal Oficial da União Europeia L 79/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) DECISÃO N. O 456/2005/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 9 de Março de 2005 que

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2014-2019 Comissão da Cultura e da Educação 14.4.2015 2015/2006(INI) PROJETO DE RELATÓRIO sobre a promoção do empreendedorismo jovem através da educação e da formação (2015/2006(INI))

Leia mais

RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS. Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis

RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS. Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis O futuro que queremos não se concretizará enquanto a fome e a subnutrição persistirem,

Leia mais

Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros *

Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros * P6_TA(2006)0334 Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros * Resolução legislativa do Parlamento Europeu sobre uma proposta de directiva do Conselho relativa à tributação aplicável aos

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de junho de 2016 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de junho de 2016 (OR. en) Conselho da União Europeia Bruxelas, 21 de junho de 2016 (OR. en) 10120/1/16 REV 1 CODEC 869 POLGEN 58 INST 263 AG 9 PE 72 INF 109 NOTA de: para: Assunto: Presidência Comité de Representantes Permanentes/Conselho

Leia mais

RECOMENDAÇÕES. (Texto relevante para efeitos do EEE) (2013/473/UE)

RECOMENDAÇÕES. (Texto relevante para efeitos do EEE) (2013/473/UE) 25.9.2013 Jornal Oficial da União Europeia L 253/27 RECOMENDAÇÕES RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO de 24 de setembro de 2013 relativa às auditorias e avaliações realizadas por organismos notificados no domínio

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento Regional PROJECTO DE PARECER. da Comissão do Desenvolvimento Regional

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento Regional PROJECTO DE PARECER. da Comissão do Desenvolvimento Regional PARLAMENTO EUROPEU 2004 ««««««««««««2009 Comissão do Desenvolvimento Regional PROVISÓRIO 2004/0000 23.8.2005 PROJECTO DE PARECER da Comissão do Desenvolvimento Regional destinado à Comissão das Petições

Leia mais

Tendo em conta a comunicação da Comissão (COM(1999) 317 C5-0206/1999),

Tendo em conta a comunicação da Comissão (COM(1999) 317 C5-0206/1999), Tendo em conta a comunicação da Comissão (COM(1999) 317 C5-0206/1999), Tendo em conta o nº 1 do artigo 47º do seu Regimento, Tendo em conta o relatório da Comissão da Política Regional, dos Transportes

Leia mais

NOTA INFORMATIVA. O acompanhamento e a monitorização técnica da execução do Compromisso cabe ao Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI).

NOTA INFORMATIVA. O acompanhamento e a monitorização técnica da execução do Compromisso cabe ao Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI). NOTA INFORMATIVA Execução do Compromisso para a Competitividade Sustentável do Sector da Construção e do Imobiliário, celebrado entre o Governo e a CPCI Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário,

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Recomendação de PARECER DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Recomendação de PARECER DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 13.2.2007 SEC(2007) 190 final Recomendação de PARECER DO CONSELHO em conformidade com o n.º 3 do artigo 9º do Regulamento (CE) n.º 1466/97 do Conselho, de 7

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 16 de outubro de 2015 (OR. en) EUCO 26/15 CO EUR 10 CONCL 4 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião do Conselho Europeu (15 de outubro

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de junho de 2016 (OR. en) Secretário-Geral da Comissão Europeia, assinado por Jordi AYET PUIGARNAU, Diretor

Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de junho de 2016 (OR. en) Secretário-Geral da Comissão Europeia, assinado por Jordi AYET PUIGARNAU, Diretor Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de junho de 2016 (OR. en) 10651/16 EF 206 ECOFIN 654 DELACT 127 NOTA DE ENVIO de: data de receção: 24 de junho de 2016 para: n. doc. Com.: Secretário-Geral da Comissão

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.8.2015 COM(2015) 408 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES Projeto de Relatório Conjunto

Leia mais

A Declaração Política de Recife sobre Recursos Humanos para a Saúde: compromissos renovados para a cobertura universal de saúde

A Declaração Política de Recife sobre Recursos Humanos para a Saúde: compromissos renovados para a cobertura universal de saúde A Declaração Política de Recife sobre Recursos Humanos para a Saúde: compromissos renovados para a cobertura universal de saúde 1. Nós, representantes dos governos que se reuniram no Recife, Brasil, de

Leia mais

10128/16 cp/mjb 1 DGD 1C

10128/16 cp/mjb 1 DGD 1C Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de junho de 2016 (OR. en) 10128/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 9 de junho de 2016 para: Delegações n.º doc. ant.: 8770/16,

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS PARECER JOIN(2012}39 a Proposta Conjunta de DECISÃO DO CONSELHO relativa às regras de execução pela União da Cláusula de solidariedade 1 ASSEMBLEIA

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Resumo da Avaliação de Impacto. que acompanha o documento

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Resumo da Avaliação de Impacto. que acompanha o documento COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 20.10.2011 SEC(2011) 1218 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO Resumo da Avaliação de Impacto que acompanha o documento Proposta de Regulamento do Parlamento

Leia mais

Estratégia da União Europeia para a proteção e o bem-estar dos animais

Estratégia da União Europeia para a proteção e o bem-estar dos animais P7_TA-PROV(2012)0290 Estratégia da União Europeia para a proteção e o bem-estar dos animais Resolução do Parlamento Europeu, de 4 julho de 2012, sobre a estratégia da União Europeia para a proteção e o

Leia mais

ANEXOS ÀS CONCLUSÕES DA PRESIDÊNCIA

ANEXOS ÀS CONCLUSÕES DA PRESIDÊNCIA ANEXOS ÀS CONCLUSÕES DA PRESIDÊNCIA CONSELHO EUROPEU DE ESTOCOLMO 23 E 24 DE MARÇO DE 2001 SN 100/01 ADD 1 ANEXOS Anexo I Resolução do Conselho Europeu sobre uma regulamentação mais eficaz do mercado de

Leia mais

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66 OTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações n.º doc. ant.: 14061/1/11 REV 1 SOC 759

Leia mais

EVOLUÇÃO DA POLÍTICA EUROPEIA DE AMBIENTE

EVOLUÇÃO DA POLÍTICA EUROPEIA DE AMBIENTE Políticas de Ambiente EVOLUÇÃO DA POLÍTICA EUROPEIA DE AMBIENTE Francisco Nunes Correia IST, Ano Lectivo 2010/2011 Onde estamos? Projecto de Tratado que estabelece uma CONSTITUIÇÃO PARA A EUROPA 2001-2005

Leia mais

(Resoluções, recomendações e pareceres) RESOLUÇÕES PARLAMENTO EUROPEU

(Resoluções, recomendações e pareceres) RESOLUÇÕES PARLAMENTO EUROPEU 7.9.2013 Jornal Oficial da União Europeia C 258 E/1 I (Resoluções, recomendações e pareceres) RESOLUÇÕES PARLAMENTO EUROPEU O papel da política de coesão nas regiões ultraperiféricas da União Europeia

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 30 de Novembro de 2000 (13.10) (OR. fr) 14110/00 LIMITE SOC 470

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 30 de Novembro de 2000 (13.10) (OR. fr) 14110/00 LIMITE SOC 470 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de Novembro de 2000 (13.10) (OR. fr) 14110/00 LIMITE SOC 470 ENVIO DE TEXTO de: Conselho (Emprego e Política Social) para: Conselho Europeu de Nice Nº doc. ant.:

Leia mais

PROJETO DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROJETO DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Euro-Latin American Parliamentary Assembly Assemblée Parlementaire Euro-Latino Américaine Asamblea Parlamentaria Euro-Latinoamericana Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana Parlamentarische Versammlung

Leia mais

Análise jurídica para a ratificação da Convenção 102 da OIT

Análise jurídica para a ratificação da Convenção 102 da OIT Análise jurídica para a ratificação da Convenção 102 da OIT A análise do quadro jurídico para a ratificação da Convenção 102 da OIT por Cabo Verde, inscreve-se no quadro geral da cooperação técnica prestada

Leia mais

Estratégia de Biodiversidade da UE para 2020

Estratégia de Biodiversidade da UE para 2020 Dezembro 2011 PT Estratégia de Biodiversidade da UE para 2020 A biodiversidade Na Europa, perto de um quarto das espécies selvagens está agora ameaçado de extinção A biodiversidade a extraordinária variedade

Leia mais

Direito das sociedades e governo das sociedades: a Comissão apresenta um Plano de Acção

Direito das sociedades e governo das sociedades: a Comissão apresenta um Plano de Acção IP/03/716 Bruxelas, 21 de Maio de 2003 Direito das sociedades e governo das sociedades: a Comissão apresenta um Plano de Acção O reforço dos direitos dos accionistas e da protecção dos trabalhadores e

Leia mais

D/11/4 TEXTE PT. CONSELHO EUROPEU- CONCLUSÕES Bruxelas, 1-2 DE MARÇO DE 2012

D/11/4 TEXTE PT. CONSELHO EUROPEU- CONCLUSÕES Bruxelas, 1-2 DE MARÇO DE 2012 D/11/4 TEXTE PT CONSELHO EUROPEU- CONCLUSÕES Bruxelas, 1-2 DE MARÇO DE 2012 1 Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões do Conselho Europeu (1/2 de março de 2012). O Conselho Europeu discutiu

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 10.7.2013 SWD(2013) 252 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO que acompanha o documento Proposta de Decisão do Parlamento Europeu

Leia mais

Jor nal Oficial L 116. da União Europeia. Legislação. Atos não legislativos. 57. o ano 17 de abril de 2014. Edição em língua portuguesa.

Jor nal Oficial L 116. da União Europeia. Legislação. Atos não legislativos. 57. o ano 17 de abril de 2014. Edição em língua portuguesa. Jor nal Oficial da União Europeia L 116 Edição em língua portuguesa Legislação 57. o ano 17 de abril de 2014 Índice II Atos não legislativos DECISÕES 2014/203/UE: Decisão de Execução da Comissão, de 19

Leia mais

9602/16 pbp/hrl/jc 1 DG G 2B

9602/16 pbp/hrl/jc 1 DG G 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 3 de junho de 2016 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2013/0045 (CNS) 9602/16 FISC 90 ECOFIN 522 NOTA de: para: Assunto: Secretariado-Geral do Conselho Comité de Representantes

Leia mais

(Atos legislativos) DECISÕES

(Atos legislativos) DECISÕES 9.10.2015 L 264/1 I (Atos legislativos) DECISÕES DECISÃO (UE) 2015/1814 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 6 de outubro de 2015 relativa à criação e ao funcionamento de uma reserva de estabilização

Leia mais

ANEXO I QUADRO 1: CÓDIGOS DA DIMENSÃO «DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO» Investimento produtivo genérico em pequenas e médias empresas («PME»)

ANEXO I QUADRO 1: CÓDIGOS DA DIMENSÃO «DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO» Investimento produtivo genérico em pequenas e médias empresas («PME») PT 8.3.2014 Jornal Oficial da União Europeia L 69/71 ANEXO I Dimensões e códigos para as categorias de intervenção dos Fundos (1) no âmbito do objetivo de Investimento no Crescimento e no Emprego e da

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários 25.9.2013 2013/2174(INI) PROJETO DE RELATÓRIO sobre os seguros contra catástrofes naturais ou de origem humana (2013/2174(INI))

Leia mais

Programa Horizon 2020. Algumas Regras de Participação. Disposições Gerais

Programa Horizon 2020. Algumas Regras de Participação. Disposições Gerais Programa Horizon 2020 Fonte: Proposta de Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que estabelece as Regras de Participação e Difusão relativas ao «Horizonte 2020 Programa-Quadro de Investigação

Leia mais

PLANO DE AÇÃO UE-CELAC

PLANO DE AÇÃO UE-CELAC PLANO DE AÇÃO UE-CELAC O presente Plano de Ação inclui várias iniciativas conformes com as prioridades estabelecidas na 6.ª Cimeira UE-ALC, tal como foram inseridas na sua Declaração Final e em novos domínios

Leia mais

Educação, formação e Europa 2020

Educação, formação e Europa 2020 C 353 E/56 Jornal Oficial da União Europeia 3.12.2013 49. Salienta a necessidade de promover percursos coerentes e racionalizados de formação inicial e contínua para as mulheres, com o objetivo de desenvolver

Leia mais

Documento de sessão 12.3.2012 B7-0145/2012 } B7-0146/2012 } B7-0147/2012 } B7-0148/2012 } RC1

Documento de sessão 12.3.2012 B7-0145/2012 } B7-0146/2012 } B7-0147/2012 } B7-0148/2012 } RC1 PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Documento de sessão 12.3.2012 B7-0145/2012 } B7-0146/2012 } B7-0147/2012 } B7-0148/2012 } RC1 RESOLUÇÃO apresentada nos termos do n.º 4 do artigo 110.º do Regimento em substituição

Leia mais

Competências essenciais para um mundo em evolução: aplicação do Programa de Trabalho «Educação e Formação para 2010»

Competências essenciais para um mundo em evolução: aplicação do Programa de Trabalho «Educação e Formação para 2010» C 161 E/8 Jornal Oficial da União Europeia 31.5.2011 Competências essenciais para um mundo em evolução: aplicação do Programa de Trabalho «Educação e Formação para 2010» P7_TA(2010)0164 Resolução do Parlamento

Leia mais

ALTERAÇÕES 35-98. PT Unida na diversidade PT 2011/0371(COD) 7.6.2012. Projeto de parecer Silvia-Adriana Țicău (PE487.940v01-00)

ALTERAÇÕES 35-98. PT Unida na diversidade PT 2011/0371(COD) 7.6.2012. Projeto de parecer Silvia-Adriana Țicău (PE487.940v01-00) PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia 2011/0371(COD) 7.6.2012 ALTERAÇÕES 35-98 Projeto de parecer Silvia-Adriana Țicău (PE487.940v01-00) sobre a proposta de regulamento

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 MANUAL DA QUALIDADE FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1 Promulgação... 4 1.2 Âmbito e campo de aplicação do SGQ...

Leia mais

RESUMO. Contribuição da UE: 128 165 000 EUR Base jurídica Artigo 6. do Regulamento (CE) n.º 1889/2006 de 20.12.2006 (JO L 386 de 29.12.2006, p.

RESUMO. Contribuição da UE: 128 165 000 EUR Base jurídica Artigo 6. do Regulamento (CE) n.º 1889/2006 de 20.12.2006 (JO L 386 de 29.12.2006, p. RESUMO Programa de Ação Anual 2013, ao abrigo do Instrumento Europeu para a Democracia e os Direitos Humanos (IEDDH), a financiar pela rubrica orçamental 19 04 01 do orçamento geral da União Europeia 1.

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

Directiva 94/62/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 1994, relativa a embalagens e resíduos de embalagens

Directiva 94/62/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 1994, relativa a embalagens e resíduos de embalagens Directiva 94/62/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 1994, relativa a embalagens e resíduos de embalagens O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, Tendo em conta o Tratado

Leia mais

01. Missão, Visão e Valores

01. Missão, Visão e Valores 01. Missão, Visão e Valores 01. Missão, Visão e Valores 06 Missão, Visão e Valores Missão A missão do ICP-ANACOM reflecte a sua razão de ser, concretizada nas actividades que oferece à sociedade para satisfazer

Leia mais

Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes Rumo a um sistema de transportes competitivo e económico em recursos

Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes Rumo a um sistema de transportes competitivo e económico em recursos Seminário de Transporte Rodoviário Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes Rumo a um sistema de transportes competitivo e económico em recursos Isabel Seabra 26-05-2011 O Livro Branco

Leia mais

Linhas Gerais do Processo de Atualização do EDIC DE CABO VERDE

Linhas Gerais do Processo de Atualização do EDIC DE CABO VERDE Linhas Gerais do Processo de Atualização do EDIC DE CABO VERDE ATUALIZAÇÃO DO EDIC - ESTUDO DIAGNÓSTICO SOBRE A INTEGRAÇÃO DO COMÉRCIO DE CABO VERDE CONVITE / CONCURSO I. ENQUADRAMENTO Cabo Verde é beneficiário

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de 30.7.2014. que aprova determinados elementos do Acordo de Parceria com Portugal CCI 2014PT16M8PA001

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de 30.7.2014. que aprova determinados elementos do Acordo de Parceria com Portugal CCI 2014PT16M8PA001 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.7.2014 C(2014) 5513 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 30.7.2014 que aprova determinados elementos do Acordo de Parceria com Portugal CCI 2014PT16M8PA001 (APENAS FAZ

Leia mais

Mineração de aterros - enquadramento na estratégia de resíduos. Joana Sabino Chefe da Divisão de Resíduos Sectoriais

Mineração de aterros - enquadramento na estratégia de resíduos. Joana Sabino Chefe da Divisão de Resíduos Sectoriais Mineração de aterros - enquadramento na estratégia de resíduos Joana Sabino Chefe da Divisão de Resíduos Sectoriais Missão Executa a sua missão através da cooperação próxima e articulada com outros organismos

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS Parecer COM(2013)462 Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativo a fundos europeus de investimento a longo prazo 1 PARTE I - NOTA INTRODUTÓRIA Nos termos do artigo 7.º da Lei n.º

Leia mais

Comissão dos Assuntos Jurídicos PROJETO DE PARECER. dirigido à Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia

Comissão dos Assuntos Jurídicos PROJETO DE PARECER. dirigido à Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão dos Assuntos Jurídicos 25.6.2013 2013/2063(INI) PROJETO DE PARECER da Comissão dos Assuntos Jurídicos dirigido à Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia

Leia mais

CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE

CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE A Organização das Nações Unidas declarou 2010 como o Ano Internacional da Biodiversidade, com o objetivo de trazer ao debate público

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Desde a década de 1980 que a melhoria da segurança e da saúde no trabalho é uma questão importante para a UE. Com a introdução de legislação a nível europeu, foram fixadas

Leia mais

Cimeira Empresarial UE-CELAC eucelac-bizsummit2015.eu. Quarta-feira, 10 de junho de 2015, 14h30-16h30 Documento de síntese para o Workshop 3

Cimeira Empresarial UE-CELAC eucelac-bizsummit2015.eu. Quarta-feira, 10 de junho de 2015, 14h30-16h30 Documento de síntese para o Workshop 3 Cimeira Empresarial UE-CELAC eucelac-bizsummit2015.eu Quarta-feira, 10 de junho de 2015, 14h30-16h30 Documento de síntese para o Workshop 3 Acesso ao financiamento e aos instrumentos financeiros O importante

Leia mais

Declaração da Cidade de Quebec

Declaração da Cidade de Quebec Declaração da Cidade de Quebec Nós, os Chefes de Estado e de Governo das Américas, eleitos democraticamente, nos reunimos na Cidade de Quebec, na III Cúpula, para renovar nosso compromisso em favor da

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 25.04.2006 COM(2006) 173 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES Plano

Leia mais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Novos PO detêm um valor global de quase 12,2 mil M de financiamento comunitário Alerta de Cliente Dezembro de 2014 Temas/Assuntos: Numa cerimónia realizada

Leia mais

Comissão apresenta estratégia europeia para a energia

Comissão apresenta estratégia europeia para a energia Comissão apresenta estratégia europeia para a energia Numa época em que se assiste a importantes reestruturações empresariais no sector energético a nível europeu, a Comissão Europeia estabeleceu as bases

Leia mais

Acordo de Paris. Convieram no seguinte:

Acordo de Paris. Convieram no seguinte: Acordo de Paris As Partes deste Acordo, Sendo Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, doravante denominada "Convenção", De acordo com a Plataforma de Durban para Ação Fortalecida

Leia mais

(Atos legislativos) DIRETIVAS

(Atos legislativos) DIRETIVAS 14.11.2012 Jornal Oficial da União Europeia L 315/1 I (Atos legislativos) DIRETIVAS DIRETIVA 2012/27/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 25 de outubro de 2012 relativa à eficiência energética, que

Leia mais

Projecto de Lei nº 68/XII. Lei de Bases da Economia Social

Projecto de Lei nº 68/XII. Lei de Bases da Economia Social Projecto de Lei nº 68/XII Lei de Bases da Economia Social A Economia Social tem raízes profundas e seculares na sociedade portuguesa. Entidades como as misericórdias, as cooperativas, as associações mutualistas,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 433/2015 CAPÍTULO I DOS CONCEITOS

PROJETO DE LEI Nº 433/2015 CAPÍTULO I DOS CONCEITOS PROJETO DE LEI Nº 433/2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. CAPÍTULO I DOS CONCEITOS Art. 1º Esta Lei institui a Política Municipal de estímulo à Produção

Leia mais

L 347/320 Jornal Oficial da União Europeia 20.12.2013

L 347/320 Jornal Oficial da União Europeia 20.12.2013 L 347/320 Jornal Oficial da União Europeia 20.12.2013 REGULAMENTO (UE) N. o 1303/2013 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 17 de dezembro de 2013 que estabelece disposições comuns relativas ao Fundo

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 2 CONHECIMENTO Ação 2.2 ACONSELHAMENTO Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

Reforço da solidariedade na União Europeia no domínio do asilo

Reforço da solidariedade na União Europeia no domínio do asilo P7_TA-PROV(2012)0310 Reforço da solidariedade na União Europeia no domínio do asilo Resolução do Parlamento Europeu, de 11 de setembro de 2012, sobre o reforço da solidariedade na União Europeia no domínio

Leia mais

Conciliação entre vida profissional, familiar e privada

Conciliação entre vida profissional, familiar e privada C 102 E/492 Jornal Oficial da União Europeia PT 28.4.2004 P5_TA(2004)0152 Conciliação entre vida profissional, familiar e privada Resolução do Parlamento Europeu sobre a conciliação entre vida profissional,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 5.2.2015 COM(2015) 44 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES Uma parceria global para

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016

Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016 Projeções para a Economia Portuguesa: 2014-2016 1 Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016 As projeções para a economia portuguesa apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte.

Leia mais

Fundos Europeus e o Desenvolvimento Económico do País

Fundos Europeus e o Desenvolvimento Económico do País Fundos Europeus e o Desenvolvimento Económico do País CARLOS NEVES VICE-PRESIDENTE DA CCDR-N 12.MARÇO.2015 norte2020.pt Estrutura da apresentação 1. O Acordo de Parceria - Portugal 2020 2. NORTE 2020 Programa

Leia mais

circular ifdr Certificação de despesas relativas a um Grande Projeto previamente à decisão de aprovação do projeto pela Comissão Europeia SÍNTESE

circular ifdr Certificação de despesas relativas a um Grande Projeto previamente à decisão de aprovação do projeto pela Comissão Europeia SÍNTESE N.º 02/2013 Versão n.º 01.0 Data de aprovação: 2013/09/30 Certificação de despesas relativas a um Grande Projeto previamente à Elaborada por: Unidade de Certificação SÍNTESE A presente Circular atualiza

Leia mais

Guidelines. Orientações relativas a determinados aspetos dos requisitos da DMIF em matéria de adequação. 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387

Guidelines. Orientações relativas a determinados aspetos dos requisitos da DMIF em matéria de adequação. 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387 Guidelines Orientações relativas a determinados aspetos dos requisitos da DMIF em matéria de adequação 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387 Data: 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387 Índice I. Âmbito 3 II. Definições

Leia mais

(2005/C 71/13) TENDO EM CONTA o seu parecer sobre a Avaliação do programa IDA e uma segunda fase do programa IDA (CdR 44/98 fin) (4);

(2005/C 71/13) TENDO EM CONTA o seu parecer sobre a Avaliação do programa IDA e uma segunda fase do programa IDA (CdR 44/98 fin) (4); Parecer do Comité das Regiões sobre a «Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité das Regiões Ligar a Europa em alta velocidade: Estratégias

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA PARECER COM(201 3)195 Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera a Diretiva 96/531CE do Conselho, de 25 de julho de 1996, que fixa as dimensões máximas

Leia mais

CONTRATOS PÚBLICOS BASE JURÍDICA OBJETIVOS RESULTADOS

CONTRATOS PÚBLICOS BASE JURÍDICA OBJETIVOS RESULTADOS CONTRATOS PÚBLICOS As entidades públicas celebram contratos para assegurar o fornecimento de obras e a prestação de serviços. Estes contratos, concluídos mediante remuneração com um ou mais operadores,

Leia mais

PRÉMIOS EUROPEUS DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL MANUAL OPERACIONAL

PRÉMIOS EUROPEUS DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL MANUAL OPERACIONAL 2015 PRÉMIOS EUROPEUS DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL 2015 MANUAL OPERACIONAL Prémios Europeus de Promoção Empresarial 2015 2/13 ÍNDICE 1. DEFINIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO... 3 1.1. Um prémio que reconhece a excelência

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 24.7.2013 COM(2013) 547 final 2013/0264 (COD) Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativa aos serviços de pagamento no mercado interno, que altera as Diretivas

Leia mais

Empréstimo no domínio da eficiência energética e das energias renováveis no setor da construção habitacional (empréstimo para a renovação)

Empréstimo no domínio da eficiência energética e das energias renováveis no setor da construção habitacional (empréstimo para a renovação) L 271/38 ANEXO IV Empréstimo no domínio da eficiência energética e das energias renováveis no setor da construção habitacional (empréstimo para a renovação) Representação esquemática do princípio do empréstimo

Leia mais