COACHING: ESTUDO DOS BENEFÍCIOS QUE A TÉCNICA PODE OFERECER A UMA REDE DE IMOBILIÁRIAS E A SEUS PARCEIROS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COACHING: ESTUDO DOS BENEFÍCIOS QUE A TÉCNICA PODE OFERECER A UMA REDE DE IMOBILIÁRIAS E A SEUS PARCEIROS"

Transcrição

1 COACHING: ESTUDO DOS BENEFÍCIOS QUE A TÉCNICA PODE OFERECER A UMA REDE DE IMOBILIÁRIAS E A SEUS PARCEIROS RESUMO Priscila Alves Moreira Robésio Teixeira Gomes Partindo do pressuposto de que o coaching traz benefícios pessoais, profissionais e organizacionais, a presente pesquisa tem como objetivo geral apresentar os benefícios que a técnica de coaching pode oferecer a uma Rede de Imobiliárias do Vale do Aço e a seus parceiros. Para alcançar tal feito, estabeleceu-se como objetivos específicos: observar o método de aplicação da técnica do coaching no contexto organizacional, pontuar as ações que são desenvolvidas pelo instrutor, bem como os materiais necessários, acompanhar e apoiar o desenvolvimento do coaching com os funcionários para apontar seus resultados e avaliar resultado do coaching com os funcionários e a gerência da empresa. A abordagem da pesquisa foi qualitativa e a técnica foi a do estudo de caso. A coleta de dados foi realizada por meio de observação simples das atividades, além de pesquisa documental e aplicação de questionário aos funcionários, gerente e coach, o que permitiu a análise dos resultados em perspectivas diferentes. Ao final da pesquisa pode-se concluir que a aplicação do coaching realmente gerou benefício para funcionários e organização. Com o recurso, a empresa conseguiu atuar na deficiência de seus funcionários, proporcionando um ambiente de trabalho mais favorável, melhorando a comunicação, inserindo mais foco nas atividades, além de desenvolver o trabalho em equipe e a cooperação, diminuindo o espírito de competitividade existente. Os resultados nas vendas também foram positivos, visto o aumento nas vendas dos imóveis exclusivos da Rede de Imobiliárias pela empresa parceira, após a aplicação do coaching. Palavras-chave: Coaching. Desenvolvimento. Competência. Carreira. 1 INTRODUÇÃO O mundo dos negócios está em constantes e rápidas mutações. Mesmo com os avanços da tecnologia, a sobrevivência no mercado e o sucesso das organizações dependem cada vez mais da competência e do desempenho das pessoas. O capital humano e o conhecimento devem se transformar em resultados. O maior desafio das empresas atualmente é aumentar a produtividade do conhecimento, possibilitando a pessoas comuns realizarem feitos extraordinários. Contudo, o que ainda se vem observando nas organizações é um desperdício de REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

2 talentos, habilidades, conhecimentos e competências. A mudança tem que acontecer rapidamente. As empresas precisam se tornar condutoras e incentivadoras desses talentos. É neste ponto que o coaching ganha força. Em uma análise histórica, o termo coach surgiu em meados do ano de 1500 e se referia à carruagem que levava pessoas ao seu destino, ou seja, direcionava-nas a seus objetivos. De forma mais estruturada, o coaching começou a se consolidar na década de 1930 e se efetivou no início da década de 1980, através do consultor internacional, Sir John Whitmore, junto com alguns professores da Harvard e um treinador e estudioso do tênis, que acreditavam que um treinador competente poderia auxiliar um atleta aumentar seus resultados e reduzir seus obstáculos. Com o coaching, os profissionais recebem auxílio para alcançar seus objetivos e metas pelos seus próprios meios, potencializando seus resultados e os da organização, ampliando o foco e implementando novas alternativas. Justifica-se abordar tal tema por demonstrar os benefícios do coaching e abranger o uso deste método que tanto auxilia na maximização do desempenho e resultados de pessoas, equipes e organizações. O objetivo geral do artigo é apresentar os benefícios que a técnica de coaching pode oferecer a uma Rede de Imobiliárias do Vale do Aço e a seus parceiros. Com isso, busca-se: a) Observar o método de aplicação da técnica do coaching no contexto organizacional, b) Pontuar as ações que são desenvolvidas pelo instrutor, bem como os materiais necessários, c) Acompanhar e apoiar o desenvolvimento do coaching com os funcionários para apontar seus resultados, d) Avaliar resultado do coaching com os funcionários e a gerência da empresa. 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 Administração de Recursos Humanos Segundo Chiavenato (1999, p.8), ARH é a função da organização que está relacionada com provisão, treinamento, desenvolvimento, motivação e manutenção REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

3 dos empregados. Mas, com a abordagem sistêmica, a segmentação funcional está sendo substituída por novas formas de organização empresarial. A substituição da organização funcional para a organização em Rede também está ocorrendo na Gestão de Pessoas. A Figura 1 expõe a organização funcional tradicional do órgão de RH com suas divisões por departamentos e processos isolados, o que proporciona uma comparação com a Figura 2, que demonstra a moderna Gestão de Pessoas, com total integração de processos. Figura 1 Organização funcional tradicional do órgão de RH Fonte: Chiavenato (1999, p. 14) Figura 2 Moderna Gestão de Pessoas Fonte: Chiavenato (1999, p. 15) REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

4 O presente trabalho visa focar o subsistema de desenvolvimento de pessoas, mais especificamente ao método de desenvolvimento de pessoas fora do cargo: o coaching, que visa guiar e orientar uma pessoa em sua carreira (CHIAVENATO, 1999). 2.2 Desenvolvimento de Pessoas A competitividade intensificou-se entre as organizações. Chiavenato (1999, p.30) informa que na era da informação, as organizações requerem agilidade, mobilidade, inovação e mudanças necessárias para enfrentar as novas ameaças e oportunidades em um ambiente de intensa mudança e turbulência. Para enfrentar este cenário atual, as empresas utilizam cada vez mais o conhecimento, o capital humano e o capital intelectual, pois os fatores tradicionais de produção, mão de obra e capital, estão produzindo retornos cada vez menores (CHIAVENATO, 1999). As pessoas passaram a constituir o principal ativo das organizações, tornando-as mais conscientes em relação a seus funcionários. A Gestão de Pessoas passou a se basear em três aspectos fundamentais: as pessoas como seres humanos, cada um com sua própria personalidade e capacidade, as pessoas como ativadores inteligentes de recursos organizacionais, como fontes de impulso que dinamizam a organização, as pessoas como parceiros, que conduzem a organização ao sucesso. Elas fornecem conhecimento, habilidades, capacidades e inteligência para as organizações, o que proporciona decisões racionais e direciona a objetivos globais (CHIAVENATO, 1999). Chiavenato (1999, p. 8) explica que as organizações bem sucedidas estão percebendo que somente podem crescer, prosperar e manter sua continuidade se forem capazes de otimizar o retorno sobre os investimentos de todos os parceiros, principalmente o dos empregados. Para mobilizar e utilizar plenamente as pessoas, as organizações estão alterando seus conceitos e práticas, impondo um novo e diferente padrão de comportamento REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

5 das pessoas, incentivando a criatividade e a inovação (CHIAVENATO, 1999). Mas, simplesmente possuir estes recursos não é o bastante. Mesmo que não seja mais aceito nas organizações modernas, ainda se vê muito desperdício e mau uso destes recursos. A orientação das pessoas é o primeiro passo para o sucesso empresarial. 2.3 Coaching Chiavenato (2012) afirma que o coaching não é somente um modismo no mercado ou novidade da mídia. Ele está se tornando uma necessidade primordial às organizações. Este autor ainda aponta cinco principais razões para tal fenômeno, conforme a seguir: 1. Mudança no mundo dos negócios: as organizações estavam acostumadas com um mundo estável e previsível. Hoje, as mudanças são rápidas e incertas. É a hora de construir carreiras que preparem as organizações para o futuro. 2. O Mundo mudou e as organizações também: as empresas precisaram se adaptar às novas realidades e cada um onde quer que esteja deve estar preparado para solucionar problemas, a fim de oferecer desempenho e agregar valor. 3. O capital humano tem maior importância no sucesso organizacional: os tradicionais fatores de produção estão dando lugar ao capital intelectual que está contido no capital humano, contribuindo para o conhecimento e a competência. 4. O capital humano somente pode se desenvolver através da aprendizagem: a aprendizagem é o combustível que move pessoas e organizações à excelência. 5. O capital humano é o investimento organizacional que mais pode aumentar e crescer: o investimento nas pessoas e em seus talentos é o investimento mais rentável atualmente. Para Chiavenato (2012, p.46), coaching é um processo definido em comum acordo REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

6 entre o coach (profissional que ajuda o outro) e o aprendiz (cliente, aprendiz, trainee ou coachee) para ajudar este a alcançar determinada meta ou objetivo pelos próprios meios e se baseia em um vínculo que impulsiona talentos, cria competências e estimula potencialidades (CHIAVENATO, 2012, p.47). Oliveira (2012) complementa o conceito, informando que ele visa o desenvolvimento pessoal e, principalmente, profissional, onde os resultados são previamente negociados e estabelecidos entre as partes. Para este mesmo autor, a essência do coaching é que ele não é simplesmente ensinar os outros, mas sim auxiliar os outros a aprender a aprender. Neste contexto, o autor demonstra que o coaching pode ser aplicado em diversas situações da vida pessoal e profissional. Entre elas, destacamse as abaixo, Quadro 1, como forma de focalizar o presente trabalho: Quadro 1 Aplicações do Coaching Fonte: Oliveira (2012, p. 7) O coaching geralmente é confundido com treinamento, orientação, gestão de carreira, liderança, mentoring e consultoria. Na verdade, ele é a junção dos quatro primeiros conceitos citados e alguns aspectos adicionais. É uma constante descoberta de competências, desenvolvimento de habilidades, preparação intelectual, orientação, incentivo, comunicação e motivação. O coach permanece com a pessoa até que os objetivos sejam alcançados, além de agregar valor às pessoas e organizações (CHIAVENATO, 2012). Justamente por tais qualidade é que muitas organizações incentivam o papel de coaching para ajudar as pessoas com objetividade, transparência e cuidado, a fim de que possam desenvolver-se com mais eficácia (CHIAVENATO, 2012, p. 50). O Autor acrescenta que existem alguns indicadores da importância do coaching em uma empresa. São eles: REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

7 1. Necessidade de promoção da inovação e de crescimento de resultados. 2. Necessidade de aumento de eficácia nos Recursos Humanos (recrutamento, desenvolvimento e retenção). 3. Necessidade de aumentar resultado dos programas de melhoria da qualidade. 4. Desenvolvimento de uma cultura organizacional mais forte e flexível. 5. Criação de sistema de desempenho gerencial. 6. Necessidade de estimular a criação de visão e tomada de decisão nos funcionários. 7. Ampliar a comunicação organizacional. 8. Promover o compartilhamento da responsabilidade pelo sucesso da organização. O mesmo autor ainda frisa que apoio, suporte, motivação, estímulo, orientação e retaguarda não podem faltar na relação entre o coach e seu aprendiz. As reuniões espontâneas geradas entre eles devem discutir aspectos como objetivos de carreira, melhoria de desempenho, aumento de produtividade, criação e inovação, espírito e comportamento ético, gestão de conflitos, trabalho em equipe, orientação pessoal e profissional, aprendizado e obtenção de conhecimento, entre outros aspectos. Entre as ferramentas utilizadas na aplicação do coaching, uma das mais clássicas é a denominada Roda da Vida. Ela pode ser usada de incontáveis formas e ajuda o cliente a refletir sobre um todo de sua vida e situar o desafio a ser trabalhado. Conforme demonstra a Figura 3, o aprendiz atribui o seu nível de satisfação para diversas áreas de sua vida. Conversas e debates são realizados, proporcionando uma abordagem holística da vida e interpretações para as necessidades de mudanças (PERCIA, 2012). REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

8 Figura 3 Roda da Vida Fonte: Percia (2012, p. 26) Souza (2014 a ) cita os benefícios da aplicação do coaching na perspectiva dos profissionais e também na das organizações. Na primeira perspectiva, tem-se a elevação dos níveis de satisfação e motivação para o desempenho de suas atividades, o reencontro do sentido do trabalho, o alinhamento da missão organizacional com a missão de vida, o foco para o que interessa, sem desperdícios de energia, a utilização de todas as potencialidades sejam elas profissionais e não profissionais, o desbloqueio das limitações mentais que impedem a atuação profissional, a reconfiguração de um novo modelo de atuação, a desconstrução de crenças limitantes sobre si mesmo e sobre o mundo do trabalho, a abertura para novas possibilidades profissionais, entre diversos outros benefícios. Já na perspectiva das organizações, o coaching proporciona o mapeamento das competências profissionais, a diminuição do desperdício de potencialidades, o alinhamento dos interesses dos profissionais aos da organização, a elevação no nível de produtividade e a redução do nível de absenteísmo e doenças ocupacionais. Souza (2014 b ) apresenta os benefícios do coaching, especificamente, na área de vendas. O atual consumidor é mais informado, mais exigente, mais consciente de suas necessidades e atento a seus direitos. O problema é que a maioria dos vendedores não sabem como atender a esse novo consumidor. A aplicação da REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

9 ferramenta proporciona aos vendedores facilidade para compreender as necessidades dos consumidores, melhorar o processo de comunicação, desenvolver a relação com o cliente com maior eficácia, aprender a fazer perguntas eficazes, além de resgatar a confiança, habilidades e a satisfação de vida. Com este levantamento sobre o tema, conclui-se que o coaching é uma das ferramentas mais modernas e de maior custo-benefício da atualidade, em se tratando de desenvolvimento de pessoas. 3 METODOLOGIA DE PESQUISA Este artigo aborda uma pesquisa qualitativa. Ela tem como características, segundo Godoy (1995, p.58), a obtenção de dados descritivos sobre pessoas, lugares e processos interativos pelo contato direto do pesquisador com a situação estudada, procurando compreender os fenômenos segundo as perspectivas dos sujeitos, ou seja, dos participantes da situação em estudo. Em relação à característica do objeto, trata-se de uma pesquisa exploratória, que, conforme Cervo e Bervian (2002), consiste na definição e na busca de um maior conhecimento em determinado do assunto. Ainda tem por objetivo a familiarização com tal fenômeno. Dentre as técnicas existentes na metodologia de pesquisas, foram utilizadas a revisão bibliográfica e o estudo de caso, que, conforme Gil (1999, p.72), é caracterizado pelo estudo profundo e exaustivo de um ou de poucos objetos, de maneira a permitir o seu conhecimento amplo e detalhado. A pesquisa teve como sujeito uma Rede de Imobiliárias do Vale do Aço. A coleta de dados foi realizada por meio de observação simples das atividades, além de pesquisa documental e aplicação de questionário aos funcionários, gerente e coach, o que permitiu a análise dos resultados em perspectivas diferentes. Em relação à observação simples, pode-se dizer que: embora a observação simples possa ser caracterizada como espontânea, informal, não planificada, coloca-se num plano científico, pois vai além da simples constatação dos fatos. Em qualquer REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

10 circunstância, exige um mínimo de controle na obtenção dos dados. Além disso, a coleta de dados por observação é seguida de um processo de análise e interpretação, o que lhe confere sistematização e controle requeridos dos procedimentos científicos (GIL, 1999, p 111). A pesquisa documental é realizada em materiais que não receberam ainda um tratamento analítico, ou que ainda podem ser reelaborados de acordo com os objetivos da pesquisa (GIL, 1999, p.66). Como forma de exemplificar, citam-se os relatórios das empresas, tabelas estatísticas, entre outros instrumentos. Já a aplicação de questionário consiste em uma técnica de investigação composta por um número mais ou menos elevado de questões apresentadas por escrito às pessoas, tendo por objetivo o conhecimento de opiniões, crenças, sentimentos, interesses, expectativas, situações vivenciadas etc (GIL, 1999, p.128). O universo de pesquisa trabalhado no presente artigo diz respeito ao efetivo de uma imobiliária parceira de uma Rede de Imobiliárias do Vale do Aço. Como amostra, foi utilizado um funcionário responsável pelas vendas dos imóveis e o gerente da empresa, que também é gerente na Rede de Imobiliárias. Foi incluído na pesquisa o coach contratado pela Rede de Imobiliárias para a aplicação do método, para avaliar, também, a perspectiva dele em relação aos benefícios. A observação foi realizada nos encontros semanais do coach com os funcionários, no mês de Janeiro de 2014, com o intuito de avaliar o comportamento das pessoas e a aplicação do método. Foi analisado os relatórios de vendas dos imóveis exclusivos da Rede de Imobiliárias, de 3 meses antes da aplicação do coaching e dos 3 meses subsequentes à aplicação, a fim de avaliar se houve evolução nas vendas, visto que este foi o problema que desencadeou a aplicação do método. A aplicação do questionário para avaliação dos benefícios através da perspectiva do funcionário, do gerente e do coach foi realizada por , objetivando facilitar e REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

11 agilizar o registro das informações. 4 ESTUDO DE CASO 4.1 Histórico da empresa A empresa foi fundada em 14 de Maio de 2013 por proprietários de quatro imobiliárias da região, a partir de em um modelo de negócio já existente, mas novo para este tipo de mercado no Vale do Aço: a organização em Rede. O intuito inicial era o de ampliação do mercado imobiliário, com possibilidades de expansão para outras cidades, através de parceiros associados à Rede, além de força para pleitear melhorias para a categoria e o investimento maciço em marketing. Desta forma, um maior volume de vendas e melhores condições de trabalhos a todos os parceiros poderiam ser vislumbradas. Devido aos negócios paralelos tocados pelos sócios, a ideia inicial não foi à frente, pois acabaram somente dividindo o mercado já existente. Dois deles resolveram sair da sociedade. Os dois que permaneceram, reformularam a ideia tornando-a mais atrativa. As imobiliárias parceiras passaram a ter um canal a mais de divulgação, além de suporte ao marketing, vendas e treinamentos, os corretores passaram a receber maiores incentivos e comissões nas vendas, os construtores maior divulgação de seus empreendimentos e pessoal capacitado para vendê-los e os clientes um leque variado de imóveis à disposição, agrupados em um só lugar. A Rede tem como missão Atuar com excelência no mercado imobiliário, promovendo parcerias e vantagens a todos os envolvidos. Valorizam a ética, a transparência, a qualidade, a sinergia e a inovação. Sua visão é Ser destaque no mercado imobiliário do Vale do Aço e regiões metropolitanas. Após a reestruturação, a empresa vem ampliando sua participação no mercado e aumentando seus parceiros. REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

12 4.2 Análise do Resultado Para desenvolver a técnica do estudo de caso foi escolhida a aplicação do coaching nos funcionários de uma imobiliária parceira de uma Rede de Imobiliárias do Vale do Aço, através do apoio ao desenvolvimento dos parceiros oferecido pela Rede. Para o confronto das informações levantadas no referencial teórico com os resultados práticos da aplicação do coaching, foi realizado entrevista com um dos funcionários (aprendiz), com o gerente da imobiliária parceira da Rede, que também é gerente da Rede, e com o coach que aplicou essa metodologia no local. O método foi implantado na empresa em Janeiro de 2014, sendo ministrado diariamente ao efetivo total da parceira, na sede da Rede de Imobiliárias, com duração aproximada de 30 a 40 minutos por encontro. O gerente citou a importância da escolha do coaching como forma de ajudar o funcionário a se conhecer melhor, e ter mais foco e motivação na sua vida e carreira, além de ajudar a empresa a conhecer melhor os funcionários e melhorar o relacionamento. Chiavenato (2012) comprova a importância e o foco correto da empresa na escolha da aplicação da técnica quando cita que o coaching promove a inovação e o crescimento de resultados, aumenta a eficácia dos recursos humanos, estimula a criação de visão e tomada de decisão nos funcionários e amplia a comunicação organizacional. O problema inicial para aplicação do método foi a observação de queda nas vendas dos imóveis, que estaria sendo acarretada principalmente por falta de motivação e interesse dos funcionários. O objetivo principal da aplicação foi aumentar a eficácia e eficiência dos funcionários nas tarefas diárias. Para a Rede de Imobiliárias, a melhoria nas vendas e na imagem das empresas parceiras é também muito importante, pois todas as empresas precisam estar alinhadas no desempenho para que o mercado perceba os benefícios de se tornarem parceiros da Rede. REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

13 Nas reuniões, a atividade Roda da Vida foi utilizada, onde cada participante preenchia a roda, que foi confeccionada por cada funcionário em uma folha de papel branca, com os objetivos e visões próprias, tanto da vida profissional, quanto na pessoal. Além disso, algumas atividades eram estabelecidas e inseridas nas agendas de cada funcionário para serem cumpridas no prazo acordado na reunião. Em cada encontro, o coach discutia os assuntos abordados na roda, fazendo com que o próprio aprendiz encontrasse as soluções para os problemas, além do levantamento das dificuldades nas atividades acordadas e não cumpridas. A metodologia utilizada pelo coach se apoia no que diz Oliveira (2012), onde o aprendiz é auxiliado a aprender a aprender. Em relação aos benefícios do coaching para a empresa, houve unanimidade entre as três perspectivas aprendiz, gerente e coach a de que a aplicação foi positiva. O quadro 3 mostra as opiniões de cada um dos entrevistados. Quadro 3 Perspectivas sobre benefícios do Coaching na empresa parceira da Rede de Imobiliárias Fonte: Entrevista realizada com aprendiz, coach e gerente pela própria autora. De forma geral, entre os benefícios citados por Costa (2011) e Souza (2014), os que foram percebidos pelos entrevistados foram: elevação dos níveis de satisfação e motivação para o desempenho de suas atividades, o reencontro do sentido do trabalho, o alinhamento da missão organizacional com a missão de vida, o foco para o que interessa, sem desperdícios de energia, aprendizado e comunicação REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

14 melhorados. Em relação à continuação da aplicação do processo, todos os entrevistados demonstraram que a metodologia deveria continuar a ser aplicada e acompanhada pela empresa. O próprio gerente justificou a continuação da metodologia afirmando que o coaching gerou bons resultados em pouco tempo de prática. A opinião dos entrevistados acompanha o que expressa Mendonça (2011) no sentido de que coach deve acompanhar o aprendiz até que ele atinja todas as metas estabelecidas no início do processo. As vendas foram monitoradas através dos negócios finalizados com as vendas de imóveis exclusivos da Rede realizadas por esta parceira. Conforme gráfico 1, o aumento das vendas no período de aplicação do coaching foi nitidamente maior que em outros períodos, demonstrando assim sua importância para a organização. Gráfico 1 Venda de Imóveis exclusivos de uma Rede de Imobiliárias realizada por uma parceira da empresa Venda de Imóveis exclusivos de uma rede de imobiliárias realizadas por uma parceira da empresa Vendas out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 Meses Fonte: Relatório de Vendas da Rede de Imobiliárias. De acordo com o gráfico apresentado e com a teoria de Souza (2014) em relação aos benefícios do coaching na área de vendas, o que mais se pode observar na empresa foi o resgate da confiança, habilidades e a satisfação de vida dos funcionários, proporcionando o aumento nítido da produtividade durante e após a aplicação da técnica. REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

15 5 CONCLUSÃO O objetivo do artigo foi apresentar os benefícios da aplicação do coaching para uma Rede de Imobiliárias e seus parceiros. Para tal levantamento, utilizou-se de questionário e análise dos relatórios de vendas da empresa, além de um paralelo entre estes e todo referencial teórico exposto. Com isso, pode-se concluir que o objetivo geral da pesquisa foi alcançado. Ao analisar a aplicação do coaching na empresa e as perspectivas através de diferentes visões sobre a aplicação da metodologia para o alcance dos objetivos da empresa estudada, verificou-se que o método se mostrou eficaz no que diz respeito ao desenvolvimento de pessoas e do alcance dos objetivos organizacionais. Com o recurso, a empresa conseguiu atuar na deficiência de seus funcionários, proporcionando um ambiente de trabalho mais favorável, melhorando a comunicação, inserindo mais foco nas atividades, além de desenvolver o trabalho em equipe e a cooperação, diminuindo o espírito de competitividade existente. Os resultados nas vendas também foram positivos, visto o aumento nas vendas dos imóveis exclusivos da Rede de Imobiliárias, pela empresa parceira, após a aplicação do coaching. Apesar de cada indivíduo ser responsável pelo seu próprio desenvolvimento, a empresa pode atuar como incentivadora no desenvolvimento de seus funcionários. O coaching é um recurso válido às organizações, que traz benefícios pessoais, profissionais e organizacionais. É de extrema importância que o método seja aplicado e monitorado pela empresa e que o coach acompanhe os aprendizes até que todos os objetivos sejam atingidos. REFERÊNCIAS CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall, REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

16 CHIAVENATO, I.. Construção de Talentos: Coaching e Mentoring. Rio de Janeiro: Elsevier, CHIAVENATO, I.. Gestão de Pessoas: O novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, GIL, A. C.. Métodos e Técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE, São Paulo, n. 35, v. 2, p , OLIVEIRA, D. P. R.. Coaching, Mentoring, Counseling: Um modelo integrado de orientação profissional com sustentação da universidade corporativa. São Paulo: Atlas, PERCIA, A.. Coaching, missão e superação: Desenvolvendo e despertando pessoas. São Paulo: Editora Ser Mais, SOUZA, F.. Coaching aplicado a Vendas: O novo profissional, Disponível em: Acesso em: 10 mar b. SOUZA, F.. Os benefícios múltiplos do Coaching, Disponível em: Acesso em: 10 mar a. REN Revista da Escola de Negócios, ISSN , Coronel Fabriciano, n. 1, p , nov./

Concurso: Recursos Humanos Aula 03 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR

Concurso: Recursos Humanos Aula 03 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Concurso: SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Recursos Humanos Aula 03 LEONARDO FERREIRA Conteúdo Programático! Recursos Humanos Senado Federal! Recrutamento e Seleção. Avaliação Desempenho. Treinamento e Desenvolvimento.

Leia mais

ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI CE

ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI CE ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. BARBOSA, Roger Eduardo 1 Resumo Neste artigo analisaremos como o planejamento estratégico na gestão de pessoas nas

Leia mais

Treinamento. Roteiro da Teleaula. Roteiro da Teleaula. Gestão de RH. Prof: Roberto Huck

Treinamento. Roteiro da Teleaula. Roteiro da Teleaula. Gestão de RH. Prof: Roberto Huck Gestão de RH Prof: Roberto Huck Treinamento Roteiro da Teleaula 1. Cenário atual; 2. Conceito de Treinamento e Desenvolvimento; 3. Desenvolvimento de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional; 4. Mútuo

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESEMVOLVIMENTO DE PESSOAS POR COMPÊTENCIAS. TURMA 2015/1 (Segunda e Quarta - Unidade CENTRO)

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESEMVOLVIMENTO DE PESSOAS POR COMPÊTENCIAS. TURMA 2015/1 (Segunda e Quarta - Unidade CENTRO) PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESEMVOLVIMENTO DE PESSOAS POR COMPÊTENCIAS TURMA 15/1 (Segunda e Quarta - Unidade CENTRO) COORDENADOR: Prof. Carmen Rizzotto Disciplina CH EMENTA Data Professor

Leia mais

Unidade III ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES. Prof. Tarciso Oliveira

Unidade III ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES. Prof. Tarciso Oliveira Unidade III ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES Prof. Tarciso Oliveira 7. A gestão da educação em ambientes não escolares A pedagogia como ciência da educação

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 5: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 5.1 Conceito de ARH Sem as pessoas e sem as organizações não haveria ARH (Administração de Recursos Humanos). A administração de pessoas

Leia mais

www.idsingular.com.br

www.idsingular.com.br Business and Executive Coach ID Coach Seu mundo do tamanho do seu conhecimento Tel. 31 3681 6117 ID COACH No que diz respeito ao desempenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo.

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESENVLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESENVLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESENVLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS Disciplina TURMA 2015/2 Segunda e Quarta - Unidade BUENO COORDENADOR: Profa. Camen Rizzotto da Trindade CH

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CONFLITO: ESTUDO DE CASO NO CAPRINOS CULINÁRIA REGIONAL. Anderson Augusto Farias de Goes, Rodrigo Guimarães anderson.goes@hotmail.

GERENCIAMENTO DE CONFLITO: ESTUDO DE CASO NO CAPRINOS CULINÁRIA REGIONAL. Anderson Augusto Farias de Goes, Rodrigo Guimarães anderson.goes@hotmail. GERENCIAMENTO DE CONFLITO: ESTUDO DE CASO NO CAPRINOS CULINÁRIA REGIONAL Anderson Augusto Farias de Goes, Rodrigo Guimarães anderson.goes@hotmail.com INTRODUÇÃO No respectivo trabalho, iremos abordar um

Leia mais

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Trabalho de Gestão de Pessoas Alunos: Nilce Faleiro Machado Goiânia,4 de dezembro de 2015 1 Sumário Capa...1 Sumário...2 Introdução...3

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO Cecília, Pereira¹ Rosalina, Batista¹ Cruz, Paulo Emílio² RESUMO Através deste artigo iremos abordar de forma objetiva,

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO NA MOTIVAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO NA MOTIVAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO NA MOTIVAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS YARA DE MATOS MENDES 1, WEMERTON LUÍS EVANGELISTA 2, MYRIAM ANGÉLICA DORNELAS 3, RITA DE CÁSSIA DA SILVA COSTA 4 RESUMO

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

RELATO DA SITUAÇÃO ANTERIOR À INTRODUÇÃO DA INOVAÇÃO

RELATO DA SITUAÇÃO ANTERIOR À INTRODUÇÃO DA INOVAÇÃO Experiência: GESTÃO POR PROJETOS ESTRUTURANTES Banco do Nordeste do Brasil S.A. Responsável: Valdemar Barros Filho Equipe: Antonio Carlos Rodrigues, Francisco Carlos Cavalcanti, Ana Altina Teixeira Marciano

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC 1. CONCEITOS E DEFINIÇÕES 1.1 Políticas de Gestão de Pessoas são o conjunto de estratégias ou políticas específicas

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras VAMOS ACABAR COM A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RODOVIAS BRASILEIRAS parceria estratégica parceria técnica Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração

Leia mais

Instituto Líder Coaching 2016 1

Instituto Líder Coaching 2016 1 Instituto Líder Coaching 2016 1 A distância entre o sonho e a realidade chama-se disciplina. (Bernardinho) Porque fazer um curso de Coaching? Felicidade, Realização, Conquistas e Mudanças. Atualmente,

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing

Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing Recursos Humanos cynaracarvalho@yahoo.com.br Conceitos A gestão

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Prof. Cassimiro Nogueira Junior PESSOAS CAPITAL HUMANO CAPITAL INTELECTUAL GRAU DE CONHECIMENTO: PRODUTIVOS E RECONHECIDOS

Leia mais

Como planejar e executar um treinamento

Como planejar e executar um treinamento Como planejar e executar um treinamento Treinamento: uma breve conceituação Não há possibilidade de nos desenvolvermos economicamente e, consequentemente, elevarmos o nosso nível social, sem aumentarmos

Leia mais

FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA

FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA FACULDADE FAMA ALEXSANDRA SOARES DA SILVA A NECESSIDADE DE CONSULTORIA NAS EMPRESAS RECIFE DEZ/2014 ALEXSANDRA SOARES DA SILVA A NECESSIDADE DE CONSULTORIA NAS EMPRESAS Artigo científico apresentado em

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS

Leia mais

Gestão de pessoas: revisão de conceitos

Gestão de pessoas: revisão de conceitos Glaucia Falcone Fonseca Chegamos ao final de nosso curso e vale a pena fazer uma retrospectiva sobre os principais aspectos da gestão de pessoas, algo tão importante no atual mundo do trabalho, caracterizado

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Rogério Carlos Tavares 1, José Luis Gomes da Silva² 1 Universidade de

Leia mais

O TRABALHO DE UMA PSICÓLOGA ORGANIZACIONAL COM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE. Eliane Pereira Messias¹; Sérgio Domingues²

O TRABALHO DE UMA PSICÓLOGA ORGANIZACIONAL COM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE. Eliane Pereira Messias¹; Sérgio Domingues² 439 O TRABALHO DE UMA PSICÓLOGA ORGANIZACIONAL COM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE Eliane Pereira Messias¹; Sérgio Domingues² Resumo: Este trabalho apresenta o resultado de uma entrevista realizada

Leia mais

A ATUAÇÃO DE LÍDERES NA MOTIVAÇÃO DE COLABORADORES, MANTENDO A UNIÃO DA EQUIPE

A ATUAÇÃO DE LÍDERES NA MOTIVAÇÃO DE COLABORADORES, MANTENDO A UNIÃO DA EQUIPE A ATUAÇÃO DE LÍDERES NA MOTIVAÇÃO DE COLABORADORES, MANTENDO A UNIÃO DA EQUIPE Augusto César de Aguiar CUÉLLAR 1 Victor Dutra MARTINS 2 Roberta Gomes CAVALCANTE 3 RESUMO: As empresas atualmente têm sofrido

Leia mais

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA UNIVERSIDADE COOPERATIVA Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA Educação Empresarial - Treinamento

Leia mais

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos Aperfeiçoamento/GPPP1301 T132 09 de outubro de 2013 Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de s em pequenas empresas Heinrich

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (S.I.G.) APLICADO EM SUPRIMENTOS E PROCESSOS DECISÓRIOS

O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (S.I.G.) APLICADO EM SUPRIMENTOS E PROCESSOS DECISÓRIOS O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS (S.I.G.) APLICADO EM SUPRIMENTOS E PROCESSOS DECISÓRIOS Hugo Bianchi BOSSOLANI 1 RESUMO: Sistema de Informações Gerenciais (S.I.G.) é o processo de transformação de

Leia mais

GESTÃO ORGANIZACIONAL NA EMPRESA: A OLIVEIRA S INFORMÁTICA

GESTÃO ORGANIZACIONAL NA EMPRESA: A OLIVEIRA S INFORMÁTICA GESTÃO ORGANIZACIONAL NA EMPRESA: A OLIVEIRA S INFORMÁTICA Braulio Oliveira dos Santos Fo Adriana Guimarães de Oliveira Leuzenir Barth de Oliveira Resumo: Este artigo retrata a maneira pela qual foi desenvolvido

Leia mais

O processo envolve quatro questões básicas:

O processo envolve quatro questões básicas: Planejamento de RH O planejamento de recursos humanos coleta e utiliza informações para apoiar as decisões sobre os investimentos que devem ser feitos com atividades de RH O processo envolve quatro questões

Leia mais

Ainda na visão dos entrevistados, as razões para profissionalização envolvem benefícios esperados, como a otimização da utilização de recursos, e

Ainda na visão dos entrevistados, as razões para profissionalização envolvem benefícios esperados, como a otimização da utilização de recursos, e 7 Conclusão No mundo de negócios, as organizações constantemente buscam melhorias e aperfeiçoamento de suas gestões para sobreviver e crescer em face de um mercado competitivo. Nesse movimento, percebe-se

Leia mais

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas 14.1. Treinamento é investimento O subsistema de desenvolver pessoas é uma das áreas estratégicas do Gerenciamento de Pessoas, entretanto em algumas organizações

Leia mais

ARTIGO: Gestão de recursos humanos, desenvolvimento profissional e coaching Uma perspetiva integrada

ARTIGO: Gestão de recursos humanos, desenvolvimento profissional e coaching Uma perspetiva integrada ARTIGO: Gestão de recursos humanos, desenvolvimento profissional e coaching Uma perspetiva integrada Os desafios colocados aos gestores de recursos humanos 1. A gestão de recursos humanos e o coaching

Leia mais

A evolução da liderança

A evolução da liderança A evolução da liderança De Chefe a Líder Ao longo da história identificamos diferentes tipos de chefes ou líderes. De autoritários, paternalistas, manipuladores, servidores... a verdadeiros líderes. A

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA GLOSSÁRIO DE TERMOS DO MARCO ANALÍTICO Avaliação de Projetos de Cooperação Sul-Sul: exercício fundamental que pretende (i ) aferir a eficácia, a eficiência e o potencial

Leia mais

FORMAÇÃO EM COACHING PROFISSIONAL & LÍDER COACH

FORMAÇÃO EM COACHING PROFISSIONAL & LÍDER COACH CHEGOU A HORA DE VOCÊ SE TORNAR UM COACH! CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING 4 ING AGORA, COMO CONSEGUIR É A QUESTÃO! A vida nunca está parada, existe sempre movimento, um fluxo que nos leva na direção

Leia mais

Ajudando você a fazer a diferença!

Ajudando você a fazer a diferença! Diretores da Lannes Consulting Luciano Lannes Consultor Organizacional e Palestrante com foco no Trabalho em Equipe e o processo de aprendizagem organizacional, visa o desenvolvimento empresarial e a educação

Leia mais

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS CONHEÇA OS FUNDAMENTOS O QUE É O COACHING? Coaching é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades profissionais

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

Responda as questões que orientam o sucesso na disciplina via web. Gestão de Pessoas. Qual o objetivo da disciplina?

Responda as questões que orientam o sucesso na disciplina via web. Gestão de Pessoas. Qual o objetivo da disciplina? Responda as questões que orientam o sucesso na disciplina via web Quem é a professora responsável? Qual o objetivo da disciplina? Como estudar e obter nota para aprovação? Qual é a bibliografia básica?

Leia mais

.:. Aula 2.:. Educação Corporativa e Mudanças Organizacionais. Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br

.:. Aula 2.:. Educação Corporativa e Mudanças Organizacionais. Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br .:. Aula 2.:. Educação Corporativa e Mudanças Organizacionais Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br Definições Treinamento e Qualificação: não dependem de políticas de Educação Corporativa,

Leia mais

Novidades do Guia PMBOK 5ª edição

Novidades do Guia PMBOK 5ª edição Novidades do Guia PMBOK 5ª edição Mauro Sotille, PMP O Guia PMBOK 5 a edição (A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK Guide) Fifth Edition), em Inglês, foi lançado oficialmente pelo

Leia mais

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe O guia do profissional de Recursos Humanos Como melhorar o desenvolvimento da equipe 1 Introdução 03 Conhecendo as dores do seu time 05 Investir nos colaboradores! 08 Estabelecendo metas 11 A meditação

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

A BUSCA DA QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE

A BUSCA DA QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE A BUSCA DA QUALIDADE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE Heliton E. M. Damasceno 1, Aline R. Gomes Damasceno 2, Antônio Pascoal Del arco Júnior 3, Francisco Cristovão de Melo 4 1 Graduação,Rua Visconde do Rio Branco,210,Centro,122000-000,Taubaté,SP,helitondamasceno@ig.com.br

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Caros colegas, orienta o modo como nossa organização trabalha para selecionar, desenvolver, motivar e valorizar o bem mais importante da Bausch + Lomb nossas

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

ORIENTADOR(ES): JANAÍNA CARLA LOPES, JOÃO ANGELO SEGANTIN, KEINA POLIANA PIVARRO DALMOLIN PAGLIARIN

ORIENTADOR(ES): JANAÍNA CARLA LOPES, JOÃO ANGELO SEGANTIN, KEINA POLIANA PIVARRO DALMOLIN PAGLIARIN Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MOTIVAÇÃO HUMANA - UM ESTUDO NA EMPRESA MAHRRY CONFECÇÕES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

COACHING - INVESTINDO PARA LUCRAR

COACHING - INVESTINDO PARA LUCRAR COACHING - INVESTINDO PARA LUCRAR Por: Trainer Coach Flávio Souza www.flaviosouza.com.br O que você acha de investir em um processo que pode lhe trazer como retorno o aumento de produtividade, a retenção

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

3 Metodologia da pesquisa

3 Metodologia da pesquisa 3 Metodologia da pesquisa Neste capítulo será abordada a caracterização da pesquisa abrangendo o tipo de pesquisa escolhido, critérios para seleção dos entrevistados, os procedimentos adotados para a coleta

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis - SEPesq PLANO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TALENTOS E LIDERANÇAS EM UMA COOPERATIVA DE ELETRIFICAÇÃO RURAL Aline Regina Bohn Bacharela em Administração Faculdade Três de Maio SETREM E-mail: aline.bohn@yahoo.com.br

Leia mais

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO Aula 0 Olá, pessoal! Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS E GESTÃO SOCIAL para o concurso de ANALISTA DE POLÍTICAS SOCIAIS do MPOG. Esta é uma carreira nova,

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO POT

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO POT 1 PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO POT 2 ESSE CURSO FOI CRIADO E É PROMOVIDO PELA INSTITUIÇÃO Todos os Direitos Reservados 3 1 Origem da Psicologia Organizacional e do Trabalho 4 ORIGEM Desde os

Leia mais

O PROCESSO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CURSO ON-LINE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS NÃO CONTADORES

O PROCESSO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CURSO ON-LINE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS NÃO CONTADORES 1 O PROCESSO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CURSO ON-LINE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS NÃO CONTADORES 100-TC-B5 05/2005 Daniela Karine Ramos Ilog Tecnologia, dadaniela@gmail.com B - Conteúdos

Leia mais

Mensuração de Resultados

Mensuração de Resultados Mensuração de Resultados A Educação Corporativa mais Próxima da Estratégia do Negócio coleção 3 02 olá! A Affero Lab, maior empresa de Educação Corporativa do Brasil, tem se envolvido com todos os aspectos

Leia mais

PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIJUÍ NO MERCADO DE TRABALHO 1

PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIJUÍ NO MERCADO DE TRABALHO 1 PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DOS EGRESSOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIJUÍ NO MERCADO DE TRABALHO 1 Ana Cláudia Bueno Grando 2, Eliana Ribas Maciel 3. 1 Trabalho de Conclusão de curso apresentado a banca

Leia mais

Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação

Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação Casa Civil Diretoria de Recursos Humanos Responsável: Selma Teresa de Castro Roller Quintella, Diretora de

Leia mais

Empreendedorismo e comportamento empreendedor: como transformar gestores em profissionais empreendedores

Empreendedorismo e comportamento empreendedor: como transformar gestores em profissionais empreendedores Empreendedorismo e comportamento empreendedor: como transformar gestores em profissionais empreendedores Ana Maria Bueno (CEFETPR/PG) ana@pg.cefetpr.br Dr ª. Magda L.G. Leite (CEFETPR/PG) magda@pg.cefetpr.br

Leia mais

Liderando Projetos com Gestão de Mudanças Organizacionais

Liderando Projetos com Gestão de Mudanças Organizacionais Jorge Bassalo Strategy Consulting Sócio-Diretor Resumo O artigo destaca a atuação da em um Projeto de Implementação de um sistema ERP, e o papel das diversas lideranças envolvidas no processo de transição

Leia mais

ATUAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU

ATUAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU ATUAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU Franciane Pereira dos Reis Bolsista de Gerenciamento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF.

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A FORMAÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A FORMAÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A FORMAÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS Lizandra Cristina Macedo PINTO¹ - lizacrisufpa@gmail.com Mara Jessyka Coimbra De MELO¹ - mjessykacoimbra@hotmail.com Layse Kristine

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL Júlio César de Almeida (FASA) julioc.almeida@hotmail.com Gisele Figueiredo Braz

Leia mais

PEDAGOGIA EMPRESARIAL NO ÂMBITO ORGANIZACIONAL. Palavras-chave: Pedagogia empresarial, capacitação, nova tendência.

PEDAGOGIA EMPRESARIAL NO ÂMBITO ORGANIZACIONAL. Palavras-chave: Pedagogia empresarial, capacitação, nova tendência. PEDAGOGIA EMPRESARIAL NO ÂMBITO ORGANIZACIONAL ZEBRAL, Denise da Silva SANTOS, Edilma Tavares Camilo 1 Palavras-chave: Pedagogia empresarial, capacitação, nova tendência. Introdução Este artigo apresenta

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

5 Conclusão. FIGURA 3 Dimensões relativas aos aspectos que inibem ou facilitam a manifestação do intraempreendedorismo. Fonte: Elaborada pelo autor.

5 Conclusão. FIGURA 3 Dimensões relativas aos aspectos que inibem ou facilitam a manifestação do intraempreendedorismo. Fonte: Elaborada pelo autor. 5 Conclusão Este estudo teve como objetivo a análise dos diversos fatores que influenciam tanto de maneira positiva quanto negativa no exercício do papel dos gerentes e também dos elementos que facilitam

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas

Gestão Estratégica de Pessoas Gestão Estratégica de Pessoas MBA FGV 1 Grandes Decisões sobre Pessoas Fatores que Garantem o Resultado As Tendências e Perspectivas de Gestão de Pessoas em Saúde Gestão de Pessoas e o Balanced Score Card

Leia mais

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA 1 Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA Diretor Acadêmico: Edison de Mello Gestor do Projeto: Prof. Marco Antonio da Costa 2 1. APRESENTAÇÃO Prepare seus alunos para explorarem o desconhecido, para

Leia mais

ESTUDO DE PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA EMPRESA PETROLEO BRASILEIRO S.A. COM ÊNFASE EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES

ESTUDO DE PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA EMPRESA PETROLEO BRASILEIRO S.A. COM ÊNFASE EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ESTUDO DE PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA EMPRESA PETROLEO BRASILEIRO S.A. COM ÊNFASE EM RELAÇÕES COM

Leia mais

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO Considerando que o ser humano é formado por características de personalidade únicas e complexas, o seu comportamento no trabalho e em outros lugares,

Leia mais

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Mário Rocha A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Missão Visão Objetivos estratégicos Competências Organizacionais Competências Conhecimento o que saber Habilidades - saber fazer

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 432 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

OS RESULTADOS DO E-LEARNING NO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO DE ACORDO COM A PERCEPÇÃO DOS GESTORES

OS RESULTADOS DO E-LEARNING NO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO DE ACORDO COM A PERCEPÇÃO DOS GESTORES 1 OS RESULTADOS DO E-LEARNING NO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO DE ACORDO COM A PERCEPÇÃO DOS GESTORES Porto Alegre RS Março 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação, Ciência e

Leia mais

A Grade Curricular da Habilitação de Relações Públicas da Universidade de Santa Cruz do Sul 1

A Grade Curricular da Habilitação de Relações Públicas da Universidade de Santa Cruz do Sul 1 A Grade Curricular da Habilitação de Relações Públicas da Universidade de Santa Cruz do Sul 1 Priscila dos Santos STEFFENS 2 Renata Gerhardt PICCININ 3 Jaqueline Lopes LUZ 4 Bruno KEGLER 5 Fabiana da Costa

Leia mais

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg Valores & Princípios Grupo Freudenberg C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o Nossos Princípios & Conduta e Comportamento 3 Os Nossos Princípios e o documento de

Leia mais

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ENSINO INOVADOR

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ENSINO INOVADOR FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ENSINO INOVADOR Título do Projeto: : Reengenharia de processos Unidade(s) de aprendizagem ou disciplina de referência: 1349 - FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Ponto de Vista da Mercer A avaliação 360 é um elemento vital para o desenvolvimento da liderança e planejamento de talentos Identifica pontos fortes e áreas de desenvolvimento

Leia mais

10 Análise dos recursos internos

10 Análise dos recursos internos 177 10 Análise dos recursos internos Essa seção do trabalho tem como objetivo fazer a análise dos recursos internos das duas empresas pesquisadas, Globo e Vivo. Como referencial teórico será utilizado

Leia mais

A GESTÃO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA INCUBADORA TÉCNOLÓGICA UNIVAP

A GESTÃO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA INCUBADORA TÉCNOLÓGICA UNIVAP A GESTÃO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA INCUBADORA TÉCNOLÓGICA UNIVAP Feitosa, R. 1, Santos, J. 2, Lourenção, P. 3 123 Curso de Administração de Empresas, Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas. Univap

Leia mais

Quem somos PRINCÍPIO: PROPÓSITO: PROPOSIÇÃO DE VALOR:

Quem somos PRINCÍPIO: PROPÓSITO: PROPOSIÇÃO DE VALOR: Quem somos PRINCÍPIO: Acreditamos no potencial de diversos atores cocriando soluções para os desafios da atualidade e colaborando para a transição da economia e da sociedade para modelos mais justos, sustentáveis

Leia mais

ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2

ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2 ANÁLISE ORGANIZACIONAL DE UMA EMPRESA DO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS EM SANTA MARIA (RS) Lúcia dos Santos Albanio 1 Ezequiel Redin 2 1 INTRODUÇÃO As empresas do setor moveleiro foram impulsionadas, nos

Leia mais

Gestão em Sistemas de Saúde

Gestão em Sistemas de Saúde INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão em Sistemas de Saúde Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia XX/XX/2013 Pró diretoria de

Leia mais