ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA PARA GERENCIAMENTO DO RECEBIMENTO DE NOTAS FISCAIS ELETRÔNICAS ATRAVÉS DE CORREIO ELETRÔNICO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA PARA GERENCIAMENTO DO RECEBIMENTO DE NOTAS FISCAIS ELETRÔNICAS ATRAVÉS DE CORREIO ELETRÔNICO."

Transcrição

1 GIOVANI DE SOUZA ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA PARA GERENCIAMENTO DO RECEBIMENTO DE NOTAS FISCAIS ELETRÔNICAS ATRAVÉS DE CORREIO ELETRÔNICO. EMPRESA: BUSCHLE & LEPPER S.A. SETOR: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SUPERVISOR: RONALD EDUARDO SPITZNER ORIENTADOR: EDINO M. L. FERNANDES CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL NOVEMBRO 2012

2 ii APROVADO EM.../.../... Edino M. L. Fernandes Mestre em Ciência da Computação Professor Orientador Roberto Silvio Ubertino Rosso Junior Doutor em Mechanical and Manufacturing Engineering Rogério E. da Silva Mestre em Ciências da Computação e Matemática Computacional Ronald Eduardo Spitzner Supervisor

3 iii Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Buschle & Lepper S.A. CNPJ: / Endereço: Rua Inácio Bastos, 1000 Bairro: Bucarein CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: Eduardo Spitzner Cargo: Gerente de Projetos ESTAGIÁRIO Nome: Giovani de Souza Matrícula: Endereço: Rua dos Motociclistas, 234 Bairro: Santa Catarina CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Título do Estágio: Desenvolvimento de ferramenta para gerenciamento do recebimento de notas fiscais eletrônicas através de correio eletrônico. Período: 27/08/2012 a 30/11/2012 Carga horária: 240 AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO I e II PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor da Disciplina: CONCEITO FINAL DO ESTÁGIO I e II Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA ETG I (Média do Processo) NOTA ETG II (Média do Processo) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

4 iv Nome do Estagiário: Giovani de Souza QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontos QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Buschle & Lepper S.A. Representada pelo Supervisor: CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

5 v UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR I e II ESTAGIÁRIO Nome: Giovani de Souza Matrícula: Endereço (Em Jlle): Rua dos Motociclistas, 234 Bairro: Santa Catarina CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Endereço (Local estágio): Rua Inácio Bastos, 1000 Bairro: Bucarein CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Regularmente matriculado no semestre: 2012/2 Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2013/1 Curso: TADS UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Buschle & Lepper S.A. CNPJ: / Endereço: Rua Inácio Bastos, 1000 Bairro: Bucarein CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Atividade Principal: Comércio de Produtos Químicos Supervisor: Eduardo Spitzner Cargo: Gerente de Projetos DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Desenvolvimento de Software Departamento de atuação: Tecnologia da Informação Fone: Ramal: 2800 Horário do estágio: 8:00 11:30 Total de horas: 240h Período: 27/08/ /11/2012 Nome do Professor Orientador: Edino Fernandes Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 5 Quais: * Gerencia De Projetos (GPR) * Metodologia Cientifica (MCI) * Pesquisa Operacional (PES) * Redes De Computadores (REC) *Java Avançado II (TES-09)

6 vi OBJETIVO GERAL Desenvolver sistema para gerenciar o recebimento de correio eletrônico em transações de documentação fiscal, exportando arquivos XML para armazenamento e utilização em ERP. ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Levantamento de Requisitos Coletar as necessidades e objetivos funcionais do sistema 30 Análise e Modelagem de Sistema Definir e modelar os elementos que irão prover a solução 30 Pesquisa Pesquisar métodos e recursos a serem utilizados. 25 Documentação Documentar sistema para usuário final 30 Desenvolvimento Implementar o que foi definido 85 Testes Realizar testes unitários e testes integrados 30 Treinamento Realizar treinamento com o usuário final 5 Implantação Instalar sistema em servidor corporativo 5 Rubrica do Professor Orientador Rubrica do Comitê de Estágios Rubrica do Coordenador de Estágios Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Data: Carimbo da Empresa

7 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL ATIVIDADES Legenda: P: Previsto R: Realizado. PERÍODO (20 horas) Levantamento de Requisitos Análise e Modelagem de Sistema Pesquisa Documentação Desenvolvimento Testes Treinamento Implantação P R P R P R P R P R P R P R P R P R

8 Aos meus pais, João José de Souza Junior e Rose Cléia de Souza, a minha família, amigos e colegas de trabalho pelo carinho, paciência, compreensão e conselhos que tanto me valeram.

9 ix AGRADECIMENTOS A minha família, pelo apoio e motivação dada para eu acreditar em meus sonhos. Ao meu professor orientador, Edino Fernandes pelo auxílio dado no desenvolvimento deste relatório. Aos meus colegas de trabalho, especialmente Antonio A. Figueiredo Filho, pela atenção prestada ao compartilhar seus conhecimentos. A todos os professores que tive durante minha vida estudantil, por tudo que me ensinaram e instigaram a aprender. A todos que contribuíram direta ou indiretamente na realização deste relatório, meus sinceros agradecimentos.

10 x SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Objetivos Geral Objetivos Específicos Justificativa EMPRESA Histórico Missão Visão Principais Produtos Principais Clientes Considerações Gerais DESENVOLVIMENTO Coletar as necessidades e objetivos funcionais do sistema Definir e modelar os elementos que irão prover a solução UML Diagrama de caso de uso Fluxo de processo Pesquisar métodos e recursos a serem utilizados Desenvolver o que foi definido Lendo arquivo de configuração Conectando ao servidor de correio eletrônico Carregar mensagens novas em memória Validando arquivos compactados Salvando arquivo em diretório local Executando a aplicação como serviço no Windows Desenvolvendo interface gráfica Implantar a aplicação em ambiente tolerante a falhas Documentar o sistema para o usuário final Treinamento com usuário final Conclusão do capítulo... 21

11 xi CONSIDERAÇÕES FINAIS APÊNDICES GLOSSARIO REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 33

12 xii LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 Caso de uso GerenciadorXML FIGURA 2 Fluxo de processo do GerenciadorXML FIGURA 3 GerenciadorXML rodando como serviço no windows FIGURA 4 Interface gráfica de configuração do GerenciadorXML FIGURA 5 Exemplo de RAID

13 xiii LISTA DE TABELAS TABELA 1 Principais produtos por área... 5 TABELA 2 Principais clientes... 5 TABELA 3 Requisitos funcionais... 8 TABELA 4 Requisitos não funcionais... 9 TABELA 5 Map, configurações da aplicação TABELA 6 Validação de anexo... 15

14 xiv RESUMO O escopo das atividades do estágio foi desenvolver uma aplicação em Java para gerenciar o recebimento de mensagens de correio eletrônico com fins fiscais, dos fornecedores da empresa Buschle & Lepper S.A. para integrar ao ERP (Enterprise resource planning) os arquivos de notas fiscais eletrônicas, que são recebidos no formato XML. Foi realizada a adequação da integração do sistema utilizado pela organização que não pode dar entrada em uma nota fiscal eletrônica de compra recebida por correio eletrônico. Fez-se necessário uma aplicação que gerencie o recebimento destas mensagens, leia os anexos e quando validado como arquivo XML, disponibilize-os em um diretório de rede local que o sistema tenha acesso, desta forma a importação é realizada pelo sistema.

15 INTRODUÇÃO A Buschle & Lepper S.A. é uma empresa atuante no mercado atacadista e varejista que fabrica e distribui produtos químicos, agrícolas e materiais de construção. A empresa utiliza atualmente o sistema coorporativo Xseed e para gerenciamento de notas fiscais o sistema Neogrid. Com o passar dos anos novas tecnologias e uma maior integração entre os setores foram se fazendo necessárias, o que gerou o inicio do Projeto Dinamizar que tem por objetivo a implantação do ERP Microsoft Dynamics AX. Depois de implantado, o ERP irá fazer o gerenciamento das notas fiscais. Porém as notas fiscais de compras chegam através de mensagens de correio eletrônico e o ERP não efetua a leitura dos arquivos XML diretamente dessas mensagens OBJETIVOS Geral Desenvolver sistema para gerenciar o recebimento de correio eletrônico em transações de documentação fiscal, exportando arquivos XML para armazenamento e utilização em ERP Específicos Coletar as necessidades e objetivos funcionais do sistema; Definir e modelar os elementos que irão prover a solução; Pesquisar métodos e recursos a serem utilizados; Documentar sistema para usuário final; Implementar o que foi definido; Realizar testes unitários e testes integrados; Realizar treinamento com o usuário final; Instalar sistema em servidor coorporativo.

16 Justificativa O sistema corporativo Microsoft Dynamics necessita que os arquivos de notas fiscais eletrônicas, que são recebidos através de correio eletrônico no formato de arquivos XML, sejam salvos em um diretório na rede local, pois o sistema não faz leitura direta de mensagens de correio eletrônico e é ele que irá gerenciar as notas de compras. Caso essa aplicação não fosse desenvolvida, a empresa teria que alocar algum colaborador para gerenciar a caixa de entrada de correio eletrônico e manualmente salvar os arquivos XML das notas em um diretório na rede local para leitura do sistema. Com o sistema desenvolvido, este colaborador pode ser utilizado em outras funções, não desperdiçando tempo executando esta tarefa manualmente ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO Este trabalho está dividido em três etapas: apresentação dos Objetivos, da concedente e o desenvolvimento efetuado durante o estágio. A apresentação dos Objetivos está dividida em Objetivo Geral e Específicos e irá apresentar os objetivos a serem atingidos com a conclusão do projeto. A apresentação da concedente irá mostrar de forma resumida a empresa onde o estágio foi desenvolvido. No desenvolvimento serão detalhadas as atividades efetuadas durante o período de estágio.

17 3 2. A EMPRESA 2.1. HISTÓRICO Fundada em 01/12/43 pelos irmãos Baltasar e Hilário Buschle e o amigo Fernando Max Lepper. Filhos de tradicionais famílias de São Bento do Sul, tiveram inicialmente como colaboradores Jaime Corrêa, Francisco Eberhardt Neto e Ervino Mueller, que com muita determinação, tenacidade, disciplina e respeito mútuo souberam superar as dificuldades do pós-guerra, transformando um modesto comércio em sólida empresa conhecida e respeitada a nível nacional. A austera filosofia de retidão nos negócios visando sempre a satisfação do cliente fez com que a Buschle & Lepper representasse importante papel na trajetória do desenvolvimento de Joinville e do país. Funcionou inicialmente, de 1943 a 1951, em imóvel na Rua São Francisco, 42, e posteriormente na Rua dos Andradas, 139, até 1957, quando então transferiu sua sede para a Rua do Príncipe, 123, onde permaneceu até Da inicial representação comercial de produtos nacionais e importados, conseguiu estabelecer sua própria base fabril nas áreas de química e de insumos agrícolas, hoje com grande aceitação nos mercados do Sul e Centro do país e em alguns países da América do Sul e também Estados Unidos, Europa e Ásia. Atuando nos mercados de Produtos Químicos e Farmacêuticos, Materiais para Construção e Insumos Agrícolas, o sólido Grupo tem atualmente sua sede na Rua Inácio Bastos, 1000, Bucarein, em Joinville (SC). A Filial Joinville, instalada na Rua Inácio Bastos, 984, Bucarein, além do setor comercial e administrativo, a exemplo das demais filiais, abriga depósitos de produtos das três áreas básicas, permitindo assim um atendimento rápido das necessidades imediatas de sua clientela, representada especialmente pela indústria têxtil, metalúrgica, farmacêutica e alimentícia, construção civil e agricultura. Estabelecida desde 1956, hoje em local estratégico, na Rua Engenheiro Udo Deeke, 1218, Salto do Norte, a Filial Blumenau atende grande parte do território catarinense, com a mesma presteza de todo o grupo, zelando pela satisfação de seus clientes, seja pela qualidade dos produtos distribuídos, seja pela eficiência no atendimento. Criada em 1959 e agora situada na BR 116, nº , Xaxim, a Filial Curitiba atende ao promissor Estado do Paraná,

18 4 disponibilizando sua selecionada linha de produtos, que se identifica com as principais necessidades dos mercados em que atua, mantendo estoques que possibilitam entregas rápidas e programadas. Em 1992, foi instalada filial em Porto Alegre (RS) para atendimento ao mercado regional, especialmente com Produtos Químicos. Situada na Avenida A. J. Renner, 280, Navegantes, trabalha com estoques próprios de produtos da linha química mais consumidos na região e também com a linha agrícola, sob consulta. Voltada às necessidades do mercado interno e externo, a Divisão de Magnésio, desde 1970 com indústria no município de Balneário Barra do Sul, desenvolveu pesquisas de extração de magnésio da água do mar com tecnologia própria, para a indústria química e farmacêutica. São 22 tipos de magnésio e alumínio em forma de óxidos, hidróxidos, carbonatos e cloretos. Mais uma divisão compõe ainda o grupo: a transportadora, com frota própria de caminhões-tanque e de carga seca, atuando dentro das normas legais para transporte de cargas perigosas e comuns, garantindo segurança e rapidez na entrega das mercadorias. [BUSCHLE, 2012] 2.2 MISSÃO Gerar resultados, dentro da ética e legalidade, para atender as expectativas dos clientes, colaboradores, fornecedores, acionistas e comunidade [BUSCHLE, 2012] 2.3 VISÃO Agregar conhecimentos, visando melhoria contínua nos processos internos, na qualidade dos serviços e no relacionamento com o mercado [BUSCHLE, 2012] 2.4. PRINCIPAIS PRODUTOS A Buschle & Lepper S.A. tem como principal atuação a venda por atacado de produtos químicos (área Industrial, Alimentícia, Farmacêutica e Cosmética), mas também atua nas áreas de Insumos Agrícolas e Materiais para Construção. Possui em torno de nove

19 5 mil produtos cadastrados e comercializados. Os que se destacam pelo valor e rotatividade estão representados na Tabela 1. Tabela 1 Principais produtos por área Química Magnésio Agrícola Materiais Soda Cáustica Peróxido de Hidrogênio Carbonato de Sódio Metabisulfito de Sódio Hipoclorito de Sódio SodaBEL 99 Decrustan Tordon Cimento Óxido de Magnésio Tilt Aço Carbonato de Roudap Cal Magnésio Hidróxido de Uréia Aditivos para Magnésio concreto Sementes Telhas Fonte: Buschle & Lepper, PRINCIPAIS CLIENTES No Brasil, a Buschle & Lepper possui clientes em 22 estados e 762 municípios brasileiros. Também possui clientes em outros países da América do Sul, América do norte, Europa e Ásia. Dente esta vasta cartela de clientes, os que se destacam estão representados na Tabela 2. Tabela 2 Principais Clientes Avon Bridgestone Firestone Dohler S.A. Eurofarma Incasa S.A. Nestlé Brasil Pirelli Pneus Sadia Tupy Fundições Fonte: Buschle & Lepper, 2012.

20 CONSIDERAÇÕES GERAIS A Buschle & Lepper, atualmente, possui em torno de 600 funcionários distribuídos em nove filiais, todas localizadas na região sul do Brasil.

21 7 3. DESENVOLVIMENTO Este relatório destina-se a apresentar de forma detalhada o desenvolvimento das atividades de estágio, dentre as quais se destacam o desenvolvimento de uma aplicação em Java para realizar o gerenciamento do recebimento de notas ficais eletrônicas, em formato de arquivo XML, por correio eletrônico para integração com o sistema coorporativo Microsoft Dynamics AX, que está atualmente sendo implantado na Buschle & Lepper pela empresa MSBS. A aplicação desenvolvida, que foi nomeada como GerenciadorXML, faz a leitura das mensagens de correio eletrônico e salva os arquivos XML em diretório local onde o sistema corporativo possa fazer a leitura. O GerenciadorXML foi desenvolvido na linguagem Java e é executado como serviço no Microsoft Windows em um servidor tolerante a falhas de energia e perda de dados. Este capítulo foi dividido para apresentar as etapas do projeto que foi desenvolvido baseado no modelo cascata, onde são realizadas as atividades de levantamento dos requisitos, modelagem da solução, codificação, teste e operação e eventuais manutenções Coletar as necessidades e objetivos funcionais do sistema Como etapa inicial de desenvolvimento, foram coletados os requisitos que o sistema deve suprir. Conforme proposto por Sommerville [2007], os requisitos são descrições dos serviços fornecidos pelo sistema e as suas restrições operacionais. Esses requisitos refletem as necessidades dos clientes de um sistema que ajuda a resolver algum problema. [SOMMERVILE, 2007]. Também se pode dizer que requisitos são capacidades e condições às quais o sistema e em termos mais amplos, o projeto - deve atender [LARMAN, 2005]. Seguindo estas definições, foi realizado o levantamento dos requisitos divididos em funcionais, que estão listados na Tabela 3 e os não funcionais na Tabela 4. Requisitos funcionais são as declarações de serviços que o sistema deve fornecer, como o sistema de reagir a entradas específicas e como o sistema deve se comportar em determinadas situações. [SOMMERVILE, 2007]

22 8 Tabela 3 Requisitos Funcionais O sistema deve se conectar a uma conta de correio eletrônico. O sistema deve ler as mensagens de correio eletrônico e validar seus anexos como arquivos XML ou arquivo XML compactado. O sistema deve salvar os anexos em diretório local e em caso de arquivo compactado, o arquivo XML deve ser extraído. O sistema deve possuir uma interface gráfica para o usuário final alterar as suas configurações. Paralelamente pode haver requisitos não funcionais, que são restrições sobre os serviços ou as funções oferecidos pelo sistema. Eles incluem restrições de temporização, restrições sobre o processo de desenvolvimento e padrões. Os requisitos não funcionais aplicam-se, frequentemente, ao sistema como um todo. [SOMMERVILLE, 2007] Tabela 4 Requisitos Não Funcionais O sistema deve ser executado em Windows Server 2003 e Windows Server 2008 R2. O sistema deve ser executado como serviço do Windows. O sistema deve ser executado em uma maquina com redundância de fonte energia. Nesta etapa foi concluído o levantamento de requisitos que foi realizado elencando as funcionalidades que o sistema deve suprir quando o seu desenvolvimento estiver completo Definir e modelar os elementos que irão prover a solução Nesta etapa foram definidos e modelados os elementos que são utilizados para apresentar o sistema para o usuário final e definir o processo completo a ser realizado pela aplicação quando o seu desenvolvimento estiver completo UML - Diagrama de caso de uso O diagrama de caso de uso descreve a funcionalidade proposta para um novo sistema, que será projetado. Ele não descreve como o sistema irá ser desenvolvido, mas como ele deverá se comportar quando estiver pronto. Pode-se dizer que um caso de uso é um documento narrativo que descreve a sequência de eventos de um ator que usa um sistema

23 9 para completar um processo. [JACOBSON, 2005]. Pode-se dizer também que um diagrama de caso de uso representa graficamente as interações entre os atores e o sistema. Nesta etapa, foram demostrados os casos de uso do sistema em UML e foi dada uma descrição para cada caso de uso. Foi utilizada a ferramenta Astah UML 6.5 para criação do diagrama apresentado na Figura 1. Figura 1 Caso de uso Gerenciador XML Conectar ao Servidor de O sistema gerencia a conta de correio eletrônico responsável por receber as notas fiscais eletrônicas dos fornecedores da empresa concedente, desta forma se faz necessário que seja feita a conexão ao servidor de correio eletrônico da conta citada. O sistema se conecta ao servidor de correio eletrônico realizando autenticação com usuário e senha definidos pelo usuário final na hora da implantação do sistema. LerMensagens: Após feita a conexão com o servidor de , o sistema faz a leitura das mensagens não lidas na caixa de correio principal e, após efetuar a validação de arquivos, move as mensagens para a pasta de backup. As caixas: principal e de backup são pastas no servidor de correio eletrônico e são definidas pelo usuário na hora da implantação do sistema e podem ser alteradas conforme necessidade do usuário.

24 10 SalvarAnexos: Os anexos que são validados como arquivos XML, são salvos em uma pasta local no servidor que executa o sistema. Esta pasta pode ser acessada através de rede local onde o ERP faz a leitura dos arquivos. PararSistema: O usuário final tem acesso a uma interface gráfica onde pode parar o sistema para efetuar alterações nas configurações do mesmo. AlterarConfigurações: O usuário final pode definir/alterar as configurações do sistema desde que este não esteja sendo executado. As configurações são alteradas através de uma interface gráfica. IniciarSistema: O usuário final tem acesso a uma interface gráfica onde pode iniciar sistema após efetuar alterações nas configurações do mesmo Fluxo de processo Na Figura 2 é possível observar o fluxo de processo que será executado pela aplicação desenvolvida. Esse processo será executado periodicamente em um intervalo de tempo definido pelo usuário final. A Figura 2 foi criada utilizando a ferramenta Case Bizagi.

25 11 Figura 2 Fluxo de processo do GerenciadorXML Após concluir esta etapa, pode-se visualizar o sistema com visão do usuário e também utilizar essas informações para auxiliar no desenvolvimento da aplicação Pesquisar métodos e recursos a serem utilizados. Nesta etapa foram realizadas pesquisas para analisar os melhores métodos e recursos disponíveis para implementar o sistema. As pesquisas foram feitas pela internet e através de algumas bibliografias que serão citadas posteriormente. Como ferramenta de desenvolvimento foi utilizado o NetBeans versão 7.2. O IDE NetBeans é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE), modular e baseado em padrões, escrito na linguagem de programação Java. O projeto NetBeans consiste em um IDE de código-fonte aberto e em uma plataforma de

26 12 aplicativo, utilizado como uma estrutura genérica para construir qualquer tipo de aplicativo. [ORACLE, 2012] O NetBeans foi utilizado por se tratar de uma ferramenta já utilizada anteriormente e por possuir uma interface de desenvolvimento gráfico intuitivo. Ele foi utilizando tanto para desenvolvimento da aplicação que é executada como serviço quanto para a interface gráfica de alteração das configurações da aplicação. A linguagem utilizada foi o Java. O Java foi testado, refinado, estendido e comprovado por uma comunidade dedicada. Mais de nove milhões de desenvolvedores Java fazem dele a maior e a mais ativa comunidade de desenvolvimento do planeta. Com sua versatilidade, eficiência e portabilidade, o Java tornou-se inestimável para os desenvolvedores permitindo que eles [ORACLE, 2012]: Gravem software em uma plataforma e o executem virtualmente em qualquer outra plataforma. Criem programas que podem ser executados dentro em um web browser e acessem web services disponíveis. Desenvolvam aplicações do servidor para fóruns on-line, armazenamentos, pesquisas, processamento de forms HTML e mais. Combinem aplicações ou serviços usando a linguagem Java para criar aplicações ou serviços altamente personalizáveis. Gravem aplicações potentes e eficientes para telefones celulares, processadores remotos, produtos de consumo de baixo custo e praticamente qualquer outro dispositivo com pulso digital. Para realizar a conexão com servidor de correio eletrônico a aplicação foi desenvolvida utilizando a API JavaMail O JavaMail é uma API da plataforma Java que não está inclusa no pacote padrão JDK, por tanto deve ser feito o download da biblioteca e adicionado manualmente ao projeto de desenvolvimento. O JavaMail por padrão suporta os protocolos SMTP, IMAP, POP3 (inclusive versões seguras). Para que o requisito de executar o sistema como serviço no Windows seja atendido foi utilizado o programa Advanced Installer 9.6. Esse programa gera um pacote de instalação (.msi) de serviço no Windows a partir da aplicação desenvolvida em Java.

27 Desenvolver a aplicação Gerenciador XML A etapa de desenvolvimento foi dividida em duas partes. Na primeira, foi desenvolvida a aplicação GerencidorXML que executa o processo da Figura 1 já apresentada. O GerenciadorXML não possui interface gráfica e não tem interação com o usuário final, apenas executa as tarefas programadas em segundo plano. Na segunda etapa ocorreu o desenvolvimento de uma aplicação com interface gráfica que tem por objetivo, criar uma interface entre o usuário final e o arquivo de configurações do GerenciadorXML. Ou seja, esta aplicação apresenta as configurações atuais do GerenciadorXML e permite ao usuário altera-las de maneira intuitiva Coletar informações do arquivo configuração Conforme apresentado na figura 2, a primeira atividade do GerenciadorXML é ler o arquivo para carregar as configurações da aplicação. Para facilitar as alterações das configurações da aplicação e consequentemente do arquivo com as modificações que o usuário final poderá fazer, foi utilizada a classe Java.util.Properties. Essa classe é filha (extends) da classe Java.util.Hashtable e por consequência, implementa a interface Map, ou seja, armazena pares de valores (chave + valor). Nesta aplicação foi implementado a interface Map para armazenar pares de Strings. Desta forma sempre que consultar uma chave no arquivo ele retornará o valor a ela atribuído da mesma forma será possível alterar os valores pesquisando apenas pela chave e atribuindo os novos valores. Nesta etapa foi criado um arquivo de configuração com o nome conf e a extensão properties, este arquivo ficará no mesmo diretório de instalação da aplicação, para que sejam lidos/alterados seus valores. As chaves utilizadas estão relacionadas na Tabela 5 com uma descrição de sua função. No arquivo cada chave é seguida pelo caractere = e pelo valor (String) que a ela está atribuído (seja na instalação da aplicação, seja após alterar alguma configuração). As chaves foram nomeadas de acordo com a função que exercem quando são lidas e carregadas para as variáveis no programa.

28 14 Chave mail.pastaprincipal mail.pastabackup mail.login mail.senha mail.dirrar mail.pastaxml mail.host mail.porta mail.temp mail.usuario mail.senhausuario Tabela 5 Map, configurações da aplicação. Descrição Nome da pasta no correrio eletrônico em que o GerenciadorXML fará a leitura das novas mensagens Nome da pasta no correio eletrônico que irá receber as mensagens após estas terem sido tratadas Nome do usuário pra efetuar login no servidor de correio eletrônico. Senha da conta para efetuar login no servidor de correio eletrônico Caminho onde está instalado o Programa Winrar no maquina hospeira do GerenciadorXML Diretório local onde o GerenciadorXML irá salvar os anexos. Nome do servidor de correio eletrônico a ser consultado. Porta a ser utilizada na conexão ao servidor de correio eletrônico. Período de tempo em minutos para inicio do processo do GerenciadorXML. Usuario com o qual o sistema irá autenticar para controlar o serviço do GerenciadorXML no sistema operacional. Senha para autenticação do usuário local. Um arquivo preenchido com valores fictícios para melhor exemplificar o seu layout pode ser visualizado no Apêndice A. No início da execução, o GerenciadorXML lê os dados do arquivo conf.properties e carrega os valores em variáveis globais dentro da aplicação para que sejam utilizadas por todas as classes do programa. A implementação da classe Properties aliado a um arquivo de configurações garante facilidade para dar manutenção na aplicação sem que tenha a necessidade de recompilar o código fonte toda vez que for fazer uma alteração nas configurações do programa. Como o intuito é criar uma interface gráfica para o usuário final alterar as configurações da aplicação, esta estrutura atende a necessidade com eficiência, pois basta alterar o arquivo com as configurações, e isso será feito pelo usuário utilizando uma interface gráfica intuitiva, e reiniciar a aplicação Estabelecer conexão no servidor de correio eletrônico Com as informações em memória, o GerenciadorXML utiliza os métodos da API JavaMail para realizar conexão e autenticação no servidor de correio eletrônico. Nesta etapa foi utilizada a documentação do JavaMail para criar a classe Conexao. Nesta classe estão os

29 15 métodos de conexão e autenticação ao servidor de correio eletrônico, leitura e validação das pastas Principal (caixa de entrada) e Backup (pasta aonde irão às mensagens após serem lidas), e um método para marcar como lida as mensagens já tratadas Carregar mensagens novas em memória Após efetuar a conexão ao servidor de correio eletrônico, o GerenciadorXML carrega todas as mensagens não lidas da caixa Principal para um vetor do tipo Message (pertencente a JavaMail). Cada mensagem é tratada individualmente e são verificados os arquivos anexados a ela. Na Tabela 6 pode-se observar as verificações feitas em cada mensagem e as ações tomadas pelo GerenciadorXML.: Tabela 6 Validação de anexo Verificação Ação se verdadeiro Ação se falso Possui anexo? Valida Anexo Mensagem será marcada como lida e ignorada Anexo é XML? Salva arquivo no diretório local Avança para próxima verificação Arquivo é ZIP ou RAR? Valida Conteúdo Mensagem será marcada Conteúdo é XML? Salva arquivo no diretório local como lida e ignorada Mensagem será marcada como lida e ignorada Após efetuar a verificação em todas as mensagens do vetor, todas as mensagens que tiveram anexos salvos em diretório local são movidas para a pasta de backup no correio eletrônico. As mensagens que não tiverem anexos salvos são marcadas como lida e deixadas na caixa de entrada Validar arquivos compactados Como pode acontecer de fornecedores enviarem arquivos XML compactados, na etapa de validação dos anexos é necessário tratar arquivos do tipo ZIP e RAR. Para os arquivos ZIP foi implementada a classe AnexoZIP que utiliza a biblioteca Java.util.zip para salvar, ler o conteúdo e, se validado, extrair o arquivo XML. Para os arquivos RAR foi implementada a classe AnexoRar que utiliza o comando de extração de arquivos usando o programa Winrar, que é executado através de linha de comando no sistema operacional.

30 Armazenar arquivo em diretório local Para garantir que dois arquivos XML diferentes não sejam salvos com o mesmo nome em diretório local, o que ocasionaria substituição do primeiro, os arquivos são renomeados utilizando o método SimpleDateFormat que pega a data e hora atuais com três dígitos de milissegundos. O padrão adotado foi ddmmaaaahhmmsssss. (dia, mês, ano, hora, minuto, segundo e milissegundo) Executar a aplicação como serviço no Windows Após o término do desenvolvimento do GerenciadorXML, a aplicação foi compilada de modo a gerar um arquivo executável (jar). Este executável foi utilizado no programa Advanced Installer. Com o Advanced Installer, foi criado um pacote de instalação do Windows (msi) adicionando o GerenciadorXML como serviço no Windows. Além disso, o pacote de instalação do Windows trás um menu de instalação e desinstalação da aplicação facilitando a implantação do sistema. Esse pacote também permite a adição de arquivos no diretório de instalação da aplicação, assim foi possível adicionar o arquivo conf.propreties supracitado, e adicionar o GerenciadorXML na lista de programas instalados no Windows, facilitando ainda mais a desinstalação da aplicação caso ela seja necessária. A Figura 3 apresenta o GerenciadorXML, após instalado com sucesso, na página de serviços do sistema operacional Windows. Essa página por padrão, possui os recursos de controle do serviço (Iniciar, Reiniciar e Parar), modo de como o serviço será iniciado (Automático, se o serviço deve iniciar ao ligar o micro ou Manual se deve ser iniciado pelo usuário), status do serviço (se está iniciado) e informações do serviço que foram adicionados durante o seu desenvolvimento como nome e descrição.

31 17 Figura 3 Gerenciador XML sendo executado como serviço no Windows. Para que a aplicação pudesse ser executada como serviço no sistema operacional Windows, foi necessário desenvolve-la para tal. Foram criados os métodos Iniciar e Parar na classe principal da aplicação para que, quando o sistema operacional mandasse o comando de Inicio, Parar ou Reiniciar o serviço, a aplicação atendesse ao comando corretamente sem travar ou gerar inconsistências Desenvolver interface de configuração gráfica A interface gráfica foi desenvolvida para dar ao usuário final facilidade na hora de alterar as configurações do Gerenciador XML. Apesar de ter sido desenvolvida em um projeto separado no NetBeans, ela foi adicionada ao projeto do Advanced Installer para interagir com o arquivo conf.properties e ser instalada junto do GerenciadorXML. Ela será acessada por um atalho na área de trabalho criado na instalação do GerenciadorXML e quando executado manualmente pelo usuário, irá fazer a leitura do arquivo conf.properties utilizado pelo Gerenciador XML. A interface gráfica irá exibir ao usuário as configurações atuais e irá permitir que o mesmo altere os valores das configurações. A Figura 6 apresenta a interface gráfica desenvolvida nesta etapa trazendo valores fictícios em seus campos.

32 18 Figura 4 Interface Gráfica de Configuração do GerenciadorXML Todas as alterações salvas pelo usuário na interface gráficas são salvas diretamente no arquivo conf.properties do Gerenciador XML. Os botões Iniciar e Parar da interface gráfica, se destinam a iniciar e parar o serviço do Gerenciador XML diretamente no sistema operacional. As alterações nas configurações do Gerenciador XML só entram em vigor após o serviço ser parado e iniciado novamente. Por isso foi analisado que seria interessante à interface de configuração ter o comando sobre o serviço no sistema operacional.

33 Implantação do GerenciadorXML Nesta etapa foi feita análise da infraestrutura disponível para instalação da aplicação desenvolvida. Como a aplicação tem uma função crítica, é interessante que ela seja instalada em um servidor que seja tolerante a falhas de energia e de perdas de dados. O servidor disponibilizado para a instalação da aplicação foi o servidor Bel_Server_5. Este servidor é um maquina virtual instalado em um DELL Power Edge R720 que tem os seguintes requisitos: RAID10 Uma matriz RAID 10 usa quatro discos rígidos para criar uma combinação de níveis de RAID 0 e 1 formando uma matriz RAID 0 de duas RAID 1 redundantes. Como todos os dados na matriz RAID 0 são duplicados, a capacidade de uma matriz de RAID 10 é do tamanho da matriz RAID 0. Por exemplo, quatro unidades de disco rígido 120 GB em uma matriz RAID 10 parecerão uma unidade única de 240 GB ao sistema operacional. [INTEL, 2012] Figura 5 Exemplo de RAID 10 Fonte: Intel Foundation, O benefício principal da RAID 10 é que ela combina os benefícios de desempenho de tolerância a falhas da RAID 0 e RAID 1. Ela oferece confiança de dados no caso de falha em uma unidade. Quando um disco rígido falha, todos os dados estarão imediatamente disponíveis no outro disco sem nenhum impacto à integridade desses dados. No caso de falha de um dos discos, o sistema

34 20 permanece plenamente operacional, garantindo produtividade máxima. A tolerância a falha de dados pode ser restaurada substituindo-se a unidade com problema. [INTEL, 2012] O desempenho de uma matriz RAID 10 é maior que o de um disco único, pois os dados podem ser lidos em múltiplos discos simultaneamente. Comparada a uma RAID 0 de dois discos, o desempenho de leitura da RAID 10 é maior porque os dados podem ser lidos da metade do espelho, mas o desempenho de gravação é um pouco menor porque os dados são apagados completamente na matriz. [INTEL, 2012] Redundância de fonte de Energia: O servidor possui 2 fontes de energia ligadas, em caso de falha de uma das fontes a outra assumirá automaticamente. Nobreak Este estrutura está ligada em um nobreak com 18 baterias estacionárias que garantem seis horas de autonomia para o data center principal onde está instalado o Bel_Server_5 e também o próprio servidor de correio eletrônico. Ou seja, o Bel_Server_5 está condicionado à mesma estrutura de energia do próprio servidor de correio eletrônico da empresa concedente, o qual ele fará as consultas na conta de correio eletrônico. O GerenciadorXML foi instalado no Bel_Server_5. Seu pré-requisito para a instalação é que o computador que irá executa-lo tenha a versão SE do Java 1.6 ou superior instalado. Esse pré-requisito pode ser adicionado no projeto do Advanced Installer e foi testado nesta etapa. O instalador não realizou a instalação enquanto a versão SE do Java 1.6 ou superior não estive-se instalada respondendo positivamente ao teste. Não houve dificuldades na hora de instalar o GerenciadorXML no servidor. Foram realizados testes objetivos e a ferramenta se comportou da maneira esperada Documentar o sistema para o usuário final Como documentação para o usuário final foi desenvolvida uma instrução de trabalho utilizando o padrão corporativo da empresa concedente. Esta instrução pode ser visualizada no Apêndice B.

35 Treinamento com o usuário final O processo de treinamento foi realizado com 2 colaboradores da empresa concedente. Foi apresentada a eles a instrução de trabalho desenvolvida na etapa anterior e explicado como iniciar, parar e alterar as configurações do GerenciadorXML. A interface gráfica se mostrou bastante intuitiva e não foi encontrado problema para que os usuários utilizassem a ferramenta Conclusão do capítulo Foi possível realizar o desenvolvimento da aplicação utilizando as bibliotecas padrões da linguagem Java e a API JavaMail para atender a todos os requisitos funcionais levantados na etapa de análise. A utilização do Advanced Installer foi notavelmente positiva no alcance dos objetivos do desenvolvimento. Para desenvolver estas atividades, foi necessário utilizar os conhecimentos adquiridos no decorrer do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e também fora dele, os quais foram adquiridos com pesquisas e experiências profissionais e práticas. Conhecimentos adquiridos na empresa como configuração de serviços e do registro no Microsoft Windows e configuração de conta de correio eletrônico foram necessárias para desenvolvimento e implantação da aplicação.

36 22 CONSIDERAÇÕES FINAIS O desenvolvimento do estágio proporcionou, através do planejamento e execução do projeto de desenvolvimento da aplicação Gerenciador XML, contato direto com análise e desenvolvimento de software de maneira teórica, por meio de pesquisas e documentações e práticas ao efetuar o desenvolvimento da aplicação GerenciadorXML. A escolha da linguagem de programação utilizada foi válida, pois a utilização da linguagem Java proporcionou contato direto com programação orientada a objetos e a busca de conceitos em documentações disponíveis aos desenvolvedores. O fato de este projeto ter sido executado com sucesso deve-se ao processo de planejamento realizado e do convívio com os funcionários da empresa concedente que foi de grande valia para o seu desenvolvimento. Algumas disciplinas cursadas até o momento podem ser consideradas mais importantes para atuar como base no desenvolvimento dessas atividades, são elas: Introdução a Ciência da Computação e Linguagem de Programação I, no conteúdo de lógica de programação e programação orientada a eventos; Análise de Sistemas, no conteúdo dos métodos de análise; Engenharia de Software, na estruturação de como o estágio foi desenvolvido; Linguagem de Programação II, no conteúdo de programação orientada a objetos e linguagem Java e Estrutura de Dados I no conteúdo de arquitetura de dados. O desenvolvimento do projeto proporcionou a este acadêmico uma visão sobre a realidade de trabalhar com análise e desenvolvimento de software em ambiente coorporativo. Pode-se utilizar a teoria obtida no curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas para, de modo prático, atender a necessidade da empresa, o que foi mostrou-se proveitoso. Para a empresa, este projeto trouxe o beneficio de automatizar a tarefa que teria que ser realizada manualmente por algum colaborador. Com o projeto desenvolvido, este colaborador poderá ser utilizado em outras funções.

37 23 APÊNDICES APÊNDICE A: #Configurações do arquivo conf.properties #Thu Oct 04 14:27:49 BRT 2012 mail.pastaprincipal=inbox mail.pastabackup=teste mail.login=nfe.exemplo mail.senha=testeexemplo mail.pastaxml=c\:\\xml\\ mail.host=pop.buschle.com.br mail.porta=143 mail.dirrar=c\:\\program Files\\WinRAR\\WINRAR.exe mail.temp=15 mail.usuario=buschle\\administrador mail.senhausuario=senhaexemplo

38 24 APÊNDICE B: Sistema de Gestão de Documentos Instrução de Trabalho ALTERAR CONFIGURAÇÕES NO PROGRAMA GERENCIADOR XML IT Publicação: [22/10/2012] Revisão: 28/11/ OBJETIVO Esta instrução de trabalho tem por objetivo descrever o modo para alterar as configurações do sistema Gerenciador XML. 2. APLICAÇÃO Aplica-se ao setor de Tecnologia da Informação na Matriz da Buschle & Lepper. 3. RESPONSABILIDADE Funcionário de T.I.: Alterar as configurações na aplicação de acordo com as instruções deste documento. 4. TERMINOLOGIA IP: Internet Protocol. Identificação de um dispositivo em uma rede local ou publica. Bel_Server_5: Servidor pertencente a Buschle & Lepper. SysAid: Aplicação responsável, entre outras coisas, pelo gerenciamento de ativos de T.I. 5. ENTRADAS/ ORIGENS Entrada Acesso ao Bel_Server_5 Sistema Gerenciador XML parado Origem Estação de trabalho Bel_Server_5 6. ATIVIDADE 6.1 Alterar status do serviço Gerenciador XML Acessar o servidor Bel_Server_5 Através de uma estação de trabalho, acesse a Conexão de Área de Trabalho Remota do Windows: Iniciar > Acessórios > Conexão de Trabalho Remota do Windows, conforme Figura 1:

39 25 Figura 1 Uma tela semelhante à Figura 2 deverá ser exibida. Digitar o IP do servidor Bel_Server_5 (em caso de dúvidas, consultar a planilha de ativos do SysAid) na caixa que irá abrir e clique em conectar. Figura 2 Logar com usuário que tenha direitos administrativos no servidor Bel_Server_5. (Em caso de dúvidas consultar a planilha de IP s no SysAid.) A Figura 3 apresenta a tele de logon preenchida.

40 26 Figura Parar o serviço GerenciadorXML Com o logon efetuado, clicar em Iniciar > Executar. Uma tela semelhante à figura 4 irá ser exibida, digitar services.msc e clicar em Ok. Figura 4 A tela de Serviços do Windows será exibida conforme Figura 5, procurar pelo serviço GerenciadorXML, seleciona-lo e no menu esquerdo clicar em Parar. Obs: O status atual do serviço pode ser verificado na coluna Status. Caso esteja rodando aparecerá o valor Iniciado, caso esteja parado este valor estará em branco.

41 27 Figura 5 Verificar se a coluna Status ficou em branco, se sim o serviço foi parado com sucesso. O serviço também pode ser parado diretamente na interface do programa Gerenciador XML. É atraves desta interface que as configurações são alteradas. Para Parar ou Iniciar o serviço utizando a interface gráfica, basta utilizar os botões de Iniciar e Parar na coluna Serviço na interface gráfica do programa Gerenciador XML. O acesso a interface será descrito a seguir. 6.2 Alterando as configurações Na área de trabalho executar o atalho Configurações Ger.XML semelhante ao ícone da Figura 6: Figura 6 Caso o atalho não esteja disponível na área de trabalho ele pode ser acesso pelo menu Iniciar conforme Figura 7:

42 28 Figura 7 Ou ainda, acessando o diretório: C:\Program Files\Buschle & Lepper\Gerenciador XML. E dar 2 cliques no arquivo GUI.jar que será semelhante ao exibido na Figura 8. Figura 8 Uma tela semelhante ao da Figura 9 deverá ser exibida, com o serviço parado, basta clicar no botão Editar e fazer as alterações necessárias. Ao encerrar, clique em Salvar para efetivar as alterações ou em Cancelar para deixar as configurações originais.

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES FAQ PERGUNTAS FREQUENTES 1 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1.Quais são as características do Programa?...4 2.Quais são os pré-requisitos para instalação do Sigep Web?...4 3.Como obter o aplicativo para instalação?...4

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

Correio Eletrônico Outlook Express. Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br

Correio Eletrônico Outlook Express. Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br Correio Eletrônico Outlook Express Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br O Microsoft Outlook é o principal cliente de mensagens e colaboração para ajudá-lo a obter os melhores

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Motor Periférico Versão 8.0 1. Apresentação... 3 2. Instalação do Java... 3 2.1 Download e Instalação... 3 2.2 Verificar Instalação... 3 3. Download do Motor Periférico...

Leia mais

APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000

APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000 APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. INICIANDO O OUTLOOK 2000 III. OUTLOOK HOJE IV. ATALHOS DO OUTLOOK V. CONFIGURAR CONTA DE CORREIO ELETRÔNICO VI. RECEBER E-MAIL VII. FILTRAR MENSAGENS

Leia mais

Configuração do Outlook Express

Configuração do Outlook Express Configuração do Outlook Express 1/1 Configuração do Outlook Express LCC.006.2005 Versão 1.0 Versão Autor ou Responsável Data 1.0 Paula Helena 30/09/2005 RESUMO Este relatório tem como objetivo mostrar

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Introdução ao. Linux do MEC

Introdução ao. Linux do MEC Introdução ao Linux do MEC Abril/2006 ÍNDICE Software Livre 3 Linux do MEC 4 Inicializando e finalizando o sistema 5 Área de trabalho 6 Operações com arquivos 7 Administração do ambiente 9 Navegador Internet

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 Manual do usuário (Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 29-03-2011 1 de 32 Í ndice 1. Descrição Geral do Sistema 1.1 Descrição 1.2 Desenho do Processo 2. Aplicação

Leia mais

NFS-e AGL Versão X.X.0.26

NFS-e AGL Versão X.X.0.26 NFS-e AGL Versão X.X.0.26 Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos Add-on responsável pela integração do SAP Business One e diversas prefeituras para emissão de notas fiscais de serviços

Leia mais

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Versão 5.0.2 PDF-SERVER5-A-Rev2_PT Copyright 2013 Avigilon. Todos os direitos reservados. A informação apresentada está sujeita a alteração sem aviso

Leia mais

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse

Leia mais

Temas para a Primeira Avalição

Temas para a Primeira Avalição Temas 1. Envio de E-Mail Anônimo Quando um usuário deseja enviar uma mensagem de correio eletrônico pela Internet, ele utiliza um programa cliente Simple Mail Transfer Protocol (SMTP), tal como o Thunderbird,

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES SUMÁRIO 1. PREENCHIMENTO DA PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS...3 1.1 Menu...3 1.2 Termo de Abertura...4 1.3 Plano do Projeto...5 1.4

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

Guia do Usuário do Avigilon Control Center Server

Guia do Usuário do Avigilon Control Center Server Guia do Usuário do Avigilon Control Center Server Versão 4.10 PDF-SERVER-D-Rev1_PT Copyright 2011 Avigilon. Todos os direitos reservados. As informações apresentadas estão sujeitas a modificação sem aviso

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução

MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução MicrovixPOS Requisitos, Instalação e Execução Autor Público Alvo Rodrigo Cristiano dos Santos Suporte Técnico, Consultoria e Desenvolvimento. Histórico Data 13/06/2012 Autor Rodrigo Cristiano Descrição

Leia mais

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II)

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) A seguir vamos ao estudo das ferramentas e aplicativos para utilização do correio

Leia mais

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML...

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML... 1 Sumário 1 Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 3 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

VISTORIA DO SISTEMA REGIN PREFEITURAS

VISTORIA DO SISTEMA REGIN PREFEITURAS Página 1 / 29 ÍNDICE ÍNDICE... 2 APRESENTAÇÃO... 3 MÓDULO DE ACESSO... 3 CONFIGURAÇÃO MÓDULO VISTORIA... 4 ANÁLISE DOS PROTOCOLOS... 5 CONTROLE DE EXPORTAÇÃO MÓDULO VISTORIA... 8 DISPOSITIVO REGIN PREFEITURA...

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

Manual Operacional Linx Datasync Franchising

Manual Operacional Linx Datasync Franchising Linx Datasync Franchising Linx Datasync Franchising Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser reproduzida por qualquer forma ou meio gráfico, eletrônico, ou mecânico, incluindo

Leia mais

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2 Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Versão 5.4.2 2006-2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedido por escrito, nenhuma licença é

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 Conteúdo 1. LogWeb... 3 2. Instalação... 4 3. Início... 6 3.1 Painel Geral... 6 3.2 Salvar e Restaurar... 7 3.3 Manuais... 8 3.4 Sobre... 8 4. Monitoração... 9 4.1 Painel Sinóptico...

Leia mais

Manual Operacional Datasync Retail

Manual Operacional Datasync Retail Datasync Retail Datasync Retail Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser reproduzida por qualquer forma ou meio gráfico, eletrônico, ou mecânico, incluindo fotocópias, fotos

Leia mais

Guia de uso do Correio Eletrônico Versão 1.1

Guia de uso do Correio Eletrônico Versão 1.1 Guia de uso do Correio Eletrônico Versão 1.1 Índice Introdução ao Serviço de E-mail O que é um servidor de E-mail 3 Porque estamos migrando nosso serviço de correio eletrônico? 3 Vantagens de utilização

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Versão 5.2 PDF-SERVER5-B-Rev1_PT 2006 2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que expressamente concedida por escrito, nenhuma

Leia mais

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express)

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) A Secretaria de Estado da Educação está disponibilizando uma nova ferramenta para acesso ao e-mail @see. Essa nova ferramenta permitirá

Leia mais

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil.

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. De acordo com as leis de Copyright, nenhuma parte desta publicação ou do software pode ser copiada,

Leia mais

Manual do Cliente NFPS-e Versão 1.6.0.1

Manual do Cliente NFPS-e Versão 1.6.0.1 Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Prestação de Serviços Eletrônica Manual do Cliente NFPS-e Versão 1.6.0.1 FLORIANÓPOLIS - SC 1 Sumário 1 ACRÔNIMOS E ABREVIATURAS... 3 2 INTRODUÇÃO... 4 3

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DO OUTLOOK EXPRESS

CONFIGURAÇÃO DO OUTLOOK EXPRESS CONFIGURAÇÃO DO OUTLOOK EXPRESS Antes de configurar o Outlook, é necessário fazer a instalação do certificado de segurança. Veja a seguir como fazer 1 Faça o download do arquivo: https://www.pae.sc.gov.br/down/caciasc.crt

Leia mais

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6 Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos Add-on responsável pela integração do SAP Business One com o setor comercial através da internet.

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece:

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece: IOB Mitrius Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED O que faz: Valida os arquivos digitais através de regras automatizadas e constantemente validadas / aprimoradas; Antecipa a análise

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.0 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Manual de migração do e-mail Live@edu. Versão <01.00> Associacao Paranaense de Cultura

Manual de migração do e-mail Live@edu. Versão <01.00> Associacao Paranaense de Cultura Manual de migração do e-mail Live@edu Versão Associacao Paranaense de Cultura Histórico da Revisão 03/09/2010 01.00 Versão piloto Carlos Costa Cedro Confidencial Associacao Paranaense de Cultura,

Leia mais

Manual Framework Daruma para ECF

Manual Framework Daruma para ECF Manual Framework Daruma para ECF DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autor: Leandro Doc. Vrs. 01 Revisão: Laila Maria Aprovado em: Março de 2015. Nota de copyright Copyright 2015 Teorema Informática, Guarapuava. Todos

Leia mais

GUIA RÁPIDO SISTEMA ANTIFURTO THEFT DETERRENT

GUIA RÁPIDO SISTEMA ANTIFURTO THEFT DETERRENT GUIA RÁPIDO SISTEMA ANTIFURTO THEFT DETERRENT SUMÁRIO Prefácio... 1 A quem se destina... 1 Nomenclatura utilizada neste documento... 1 Tela de login... 2 Tela Inicial... 4 Gestão de Dispositivo Acompanhar

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

Guia Prático. GerXML

Guia Prático. GerXML Guia Prático GerXML Índice Sobre o GerXML... 4 Conceito... 4 Versão Básica versus Plus... 5 Instalando o GerXML... 6 Sobre a instalação... 6 Requisitos do sistema... 6 Registrando sua cópia... 6 Local

Leia mais

Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7

Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7 Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7 Conteúdo Etapa 1: Saiba se o computador está pronto para o Windows 7... 3 Baixar e instalar o Windows 7 Upgrade Advisor... 3 Abra e execute o Windows 7

Leia mais

Configuração do cliente de e-mail Outlook 2010 para usuários DAC

Configuração do cliente de e-mail Outlook 2010 para usuários DAC Configuração do cliente de e-mail Outlook 2010 para usuários DAC A. Configurando a autoridade certificadora ICPEdu no Outlook Os certificados utilizados nos serviços de e-mail pop, imap e smtp da DAC foram

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Shavlik Protect. Guia de Atualização

Shavlik Protect. Guia de Atualização Shavlik Protect Guia de Atualização Copyright e Marcas comerciais Copyright Copyright 2009 2014 LANDESK Software, Inc. Todos os direitos reservados. Este produto está protegido por copyright e leis de

Leia mais

TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015.

TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015. TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015. Sumário 1 - Objetivo deste manual.... 3 2 - Bem vindo ao TNT Radar.... 4 3 - Perguntas e respostas sobre a ferramenta TNT Radar.... 5 4 - Acesso a

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 02 IMPLANTAÇÃO DE 1 (UM)

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções.

Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções. Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções. Esse box destina-se ao cliente que já efetuou o seu primeiro acesso e cadastrou um login e senha. Após

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento do Jboss do Nimsoft jboss série 1.3 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente

Leia mais

Conteúdo Store manager... 2

Conteúdo Store manager... 2 Conteúdo Store manager... 2 Instalação StoreManager... 4 Servidor... 4 Estação... 4 Configurações necessárias para acessar o sistema... 4 Servidor... 4 Estações... 5 Configuração dos Importadores... 8

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP (CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS) TUTORIAL DE USO DO WEBMAIL - UFG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP (CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS) TUTORIAL DE USO DO WEBMAIL - UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP (CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS) TUTORIAL DE USO DO WEBMAIL - UFG Página 1 de 26 Sumário Introdução...3 Layout do Webmail...4 Zimbra: Nível Intermediário...5 Fazer

Leia mais

SIAFRO Módulo de Devolução 1.0

SIAFRO Módulo de Devolução 1.0 Conteúdo do Manual. Introdução. Capítulo Requisitos. Capítulo Instalação 4. Capítulo Configuração 5. Capítulo 4 Cadastro de Devolução 6. Capítulo 5 Relatório 7. Capítulo 6 Backup 8. Capítulo 7 Atualização

Leia mais

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Página1 e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é o e-nota R?... 03 2. Configurações e Requisitos...

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1 2 Índice 1. Escritório Virtual... 5 1.1. Atualização do sistema...5 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1.3. Cadastro do Escritório...5 1.4. Logo Marca do Escritório...6...6 1.5. Cadastro

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

Manual do Usuário ZKPatrol1.0

Manual do Usuário ZKPatrol1.0 Manual do Usuário ZKPatrol1.0 SOFTWARE Sumário 1 Introdução de Funções... 3 1.2 Operação Básica... 4 1.3 Seleção de idioma... 4 2 Gerenciamento do Sistema... 5 2.1 Entrar no sistema... 5 2.2 Sair do Sistema...

Leia mais

4. O que fazer quando tiver dúvidas sobre o número de registro do medicamento? O Farmacêutico Responsável Técnico deve realizar as seguintes ações:

4. O que fazer quando tiver dúvidas sobre o número de registro do medicamento? O Farmacêutico Responsável Técnico deve realizar as seguintes ações: 1 de 6 Site: http://www.solucaosistemas.com.br Gerado pela Solução Sistemas - Fonte: Anvisa Acesse o Portal do Perguntas Freqüentes atualizado em 19/04/2013 Funcionalidades do SNGPC 1. Como fazer o inventário

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

Como configurar o Outlook Express

Como configurar o Outlook Express EMPRESA CATARINENSE DE TECNOLOGIA Como configurar o Outlook Express Publicado em: 26 de agosto de 2003 Antes de usar o Outlook Express para enviar e receber mensagens de e-mail, você precisa configurar

Leia mais

Para que seja instalado o Bematef Total, é necessário que o computador onde seja efetuada a instalação

Para que seja instalado o Bematef Total, é necessário que o computador onde seja efetuada a instalação Rafael Ferreira Rodrigues REVISADO POR: Raquel Marques APROVADO POR: Renato Reguera dos Santos 1 - Objetivo Descrever o processo de instalação do Bematef Total. 2 - Campos de Aplicação É aplicável a área

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

Diveo Exchange OWA 2007

Diveo Exchange OWA 2007 Diveo Exchange OWA 2007 Manual do Usuário v.1.0 Autor: Cícero Renato G. Souza Revisão: Antonio Carlos de Jesus Sistemas & IT Introdução... 4 Introdução ao Outlook Web Access 2007... 4 Quais são as funcionalidades

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Manual de Transferência de Arquivos

Manual de Transferência de Arquivos O Manual de Transferência de Arquivos apresenta a ferramenta WebEDI que será utilizada entre FGC/IMS e as Instituições Financeiras para troca de arquivos. Manual de Transferência de Arquivos WebEDI Versão

Leia mais

O GABARITO É A PARTIR DA PÁGINA 4, POIS AS ANTERIORES FORAM CORRIGIDAS EM SALA.

O GABARITO É A PARTIR DA PÁGINA 4, POIS AS ANTERIORES FORAM CORRIGIDAS EM SALA. O GABARITO É A PARTIR DA PÁGINA 4, POIS AS ANTERIORES FORAM CORRIGIDAS EM SALA. 71 O computador em uso não possui firewall instalado, as atualizações do sistema operacional Windows não estão sendo baixadas

Leia mais

Seu manual do usuário F-SECURE ONLINE BACKUP http://pt.yourpdfguides.com/dref/2859647

Seu manual do usuário F-SECURE ONLINE BACKUP http://pt.yourpdfguides.com/dref/2859647 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para F-SECURE ONLINE BACKUP. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

Manual do Usuário Microsoft Apps

Manual do Usuário Microsoft Apps Manual do Usuário Microsoft Apps Edição 1 2 Sobre os aplicativos da Microsoft Sobre os aplicativos da Microsoft Os aplicativos da Microsoft oferecem aplicativos para negócios para o seu telefone Nokia

Leia mais

Manual do usuário. Mobile Client

Manual do usuário. Mobile Client Manual do usuário Mobile Client Mobile Client Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para a sua instalação e operação e traz

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Sistemas Enturma: Manual de Ferramentas do Usuário

Sistemas Enturma: Manual de Ferramentas do Usuário versão do manual: 1 1 Apresentação A evolução da tecnologia vem provocando uma revolução no ensino. O acesso à Internet e a disseminação do uso do computador vêm mudando a forma de produzir, armazenar

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Sumep Julho/2006 PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Objetivo

Leia mais

CA Nimsoft Unified Reporter

CA Nimsoft Unified Reporter CA Nimsoft Unified Reporter Guia de Instalação 7.5 Histórico de revisões do documento Versão do documento Data Alterações 1.0 Março de 2014 Versão inicial do UR 7.5. Avisos legais Este sistema de ajuda

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 09/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

CMS 2.0 NAZDA. Cms2.0 User Manual

CMS 2.0 NAZDA. Cms2.0 User Manual CMS 2.0 NAZDA Cms2.0 User Manual Parabéns por adquirido o nosso DVR! Este manual foi concebido para ser uma ferramenta de referência para a instalação e funcionamento do sistema de monitoramento remoto

Leia mais

1 - O que é o Conectividade Social? 03. 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04

1 - O que é o Conectividade Social? 03. 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04 Conteúdo 1 - O que é o Conectividade Social? 03 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04 3 - O que é necessário para instalar o Conectividade Social?.... 05 4 - Como faço para executar

Leia mais

O serviço de Gateway Remoto é instalado em um computador, onde um ou diversos rádios móveis Hytera podem ser conectados via cabo USB e áudio.

O serviço de Gateway Remoto é instalado em um computador, onde um ou diversos rádios móveis Hytera podem ser conectados via cabo USB e áudio. Visão Geral O Gateway Remoto Hytracks tem por objetivo atuar como uma extensão do Servidor principal, visando atender regiões muito distantes do servidor através de um link IP. O serviço de Gateway Remoto

Leia mais

Passo a Passo do Cadastro Empresas no SIGLA Digital

Passo a Passo do Cadastro Empresas no SIGLA Digital Página 1 de 7 Passo a Passo do Cadastro Empresas no SIGLA Digital O cadastro de Empresas permite cadastrar quais empresas estarão configuradas para utilizar o SIGLA Digital. Caso necessário cadastrar uma

Leia mais