Ideias de Negócios para 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ideias de Negócios para 2014"

Transcrição

1 Ideias de Negócios para 2014 Soluções Integradas de Software

2 2012 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei n.º 9.610). Informações e contatos Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae SGAS Quadra 605 Conjunto A Brasília/DF Fone: (61) Fax: (61) Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Diretoria Executiva do Sebrae Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho Diretor-Técnico Carlos Alberto dos Santos Diretor de Administração e Finanças José Claudio dos Santos Gerente da Unidade de Acesso a Mercados e Serviços Financeiros Paulo Alvim Equipe da Coordenação Nacional do Programa Sebrae 2014 Dival Schmidt Filho Ivan Lemos Tonet Rafael Gonçalves de Castro Apoio Técnico e Revisão UACS UNID. DE ATEND. COLETIVO SERVIÇOS Elaboração de Conteúdo Sílvio Oliveira & Associados

3 Índice Ficha Técnica da Atividade 5 Sumário Executivo 6 Marketing e Vendas 13 Localização 14 Equipamentos 15 Tecnologia 16 Pessoal 17 Custos e Capital de Giro 18 Fontes de Recursos 19 Planejamento Financeiro 21 Dica do Especialista 22 Legislação Geral e Específica 23 Soluções Sebrae 26 Feiras e Eventos 27 Sites Úteis 28 Anexo Requisitos do Setor 29

4 Fichas de Oportunidade 2014 Este material faz parte da Série Fichas de Oportunidades do Programa Fichas de Oportunidade 2014 que tem como objetivo explorar oportunidades para que as micro e pequenas empresas (MPEs) apropriem-se dos investimentos programados para os megaeventos que ocorrerão no Brasil, bem como do maior volume de movimentação econômica antes, durante e após esses eventos. Este material não substitui a elaboração de um Plano de Negócio. As informações contidas aqui fazem parte de pesquisas e entrevistas com especialistas e empreendedores, com o objetivo de oferecer uma visão estratégica das atividades selecionadas. A decisão de investir em determinada atividade exige uma análise mais aprofundada de informações e alternativas com o intuito de diminuir os riscos e incertezas. Quando são realizadas projeções, para aumentar a precisão da análise, são consideradas variáveis como tamanho de mercado, preços, custos de capital, custos operacionais, entre outras. Caso o empreendedor decida promover investimentos neste ou em qualquer ramo de atividade, sugere-se que seja elaborado um Plano de Negócio e que o mesmo procure orientações na unidade do Sebrae mais próxima da sua região. Serão apresentados conceitos e informações relativas a mercado, marketing e vendas, localização, equipamentos, tecnologia, necessidade de pessoal, custos e capital de giro, fonte de recursos, planejamento financeiro, legislação, cursos, eventos e sites com informações de interesse do empreendedor.

5 1 Oportunidade Produto Principal Setor Função Área Atividade Soluções Integradas de Software Projeto e implantação de soluções integradas de software Tecnologia da Informação e Comunicação Serviços de TI Consultoria, projetos e implantação Soluções integradas de software Ficha Técnica da Atividade Atividades Relacionadas Soluções integradas de hardware, Soluções integradas de arquitetura de TI, Consultoria em TI Código CNAE Descrição CNAE 2.0 Consultoria em Tecnologia da Informação 5

6 2 Geral: A atividade de Soluções Integradas de Software contempla serviços de consultoria para integração de sistemas e soluções, ou seja, atividades de estruturação e operacionalização de uma solução final funcional, a partir da união de diferentes sistemas, mantendo suas características essenciais. A integração de sistemas é uma atividade de desenvolvimento de software em que componentes de softwares separados são combinados em um todo. Sumário Executivo Tendências e Oportunidades: Mercado: O mercado brasileiro de TI emprega 1,2 milhão de profissionais e é o 7º maior do mundo, com faturamento de US$ 85 bilhões em Investimentos: A Brasscom estima que dos R$ 57 bilhões investidos em infraestrutura para a Copa 2014 e para as Olimpíadas 2016, só o setor de TI receberá 10% desse montante. Aspectos chave, como transportes, educação, saúde, sistemas financeiros, segurança, saúde e energia serão contemplados com investimentos. O setor de TI pode desenvolver soluções avançadas e inovadoras em todos esses segmentos. 6

7 Clientes: Demanda: Os principais clientes que demandam integração dos sistemas com fornecedores, clientes e consumidores estão no setor de serviços. Dados da FGV para o ano de 2009 revelam que 42% das empresas de serviços possuem sistemas de integrados com clientes e 39% com fornecedores. Na indústria, estes percentuais são de 38% e 37%, enquanto que no comércio são de 34% e 40% respectivamente. Mercado B2B: Pode-se observar que este é um mercado B2B, ou seja, onde empresas fornecem serviços e produtos para outras empresas. O aumento de demanda concentrada durante o período dos grandes eventos desportivos exigirá das empresas, sobretudo das ligadas ao comércio e a prestação dos serviços, a manutenção de níveis satisfatórios de estoques e qualidade no atendimento oferecido aos clientes. Eficiência no fluxo e na disponibilização das informações para a tomada de decisão é um fator competitivo estratégico para as empresas dos diversos setores. Associativismo: Muitas pequenas empresas têm acessado oportunidades quando associam-se a outras empresas do segmento. Em conjunto, essas empresas diminuem a necessidade de investimentos em capacidade produtiva e conseguem atender as demandas geradas pelos grandes eventos esportivos. Produtos e Serviços Demandados: Principais demandas: Grandes empresas que se instalam em regiões onde os megaeventos esportivos irão ocorrer necessitam integrar seus sistemas aos dos fornecedores locais. Estes últimos, em muitos casos, não têm capacidade para financiar os mesmos softwares das primeiras. Assim, devido à necessidade de fazer softwares independentes conversarem e compartilharem informações, também existe a demanda por parte de grandes empresas, muitas delas envolvidas diretamente na criação de infraestrutura das Olimpíadas de 2016 e da Copa do Mundo FIFA

8 Concorrência: Concorrentes: Estudo realizado pelo Sebrae em parceria com a FGV, verificou que apenas 20% das empresas registradas como consultorias em tecnologia da informação nos 12 estados-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 são caracterizadas como micro ou pequenas empresas. Isso sinaliza uma possível maior concorrência de grandes empresas neste ramo de atividade. Dica do Especialista: No momento da venda dos serviços é de grande importância que as entregas sejam bem especificadas. Essa é uma forma de conhecer as expectativas dos clientes e facilita o seu gerenciamento durante todo o trabalho. Empresas que trabalham com projetos devem estar atentas ao que vai ser entregue ao cliente. Nem mais, nem menos, o cliente deve receber exatamente aquilo que foi acordado. Esta é forma eficiente de trabalhar com projetos e manter os custos dentro do programado. 8

9 Tendências e Oportunidades No período 2003 a 2009, o número de empresas da IBSS (Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI), que contempla empresas que têm como atividade principal desenvolvimento e licenciamento de software, suporte técnico, manutenção, consultoria em TI, tratamento de dados, provedores, portais, equipamentos etc., cresceu, em média, 4,3% a.a. O mercado brasileiro de TI emprega 1,2 milhão de profissionais e é o 7º maior do mundo, com faturamento de US$ 85 bilhões em Se for considerada a variação media anual de crescimento do faturamento do mercado brasileiro de TI, de 23,6%, identificada pela Abes, compreendendo o período de 2004 a 2009, a participação da IBSS em relação ao PIB nacional chegará 3,5% até Mercado O Brasil tem tido nos últimos anos um crescimento expressivo da economia. É um momento histórico impar, com projeção política no cenário internacional e desenvolvimento social. O setor de TI é, certamente, um dos mais promissores e essenciais para o desenvolvimento e a competitividade do País, já que suas soluções inovadoras perpassam todos os setores da economia. Recentemente o governo federal tem divulgado programas como o Pronatec, para financiamento da formação técnica, Ciência sem Fronteiras, que fornecerá bolsas de estudos no exterior e Brasil Maior, que inclui a desoneração da folha de pagamentos para as empresas de TI. Merece destaque as ações divulgadas pelo MCTI dentro do Programa TI Maior, que incluem ainda a atração de centros de pesquisa globais, a consolidação de ecossistemas digitais, a certificação do software brasileiro de forma a diferenciá-lo do importado nos processos de compra e a preferência nas compras governamentais para as soluções com tecnologia nacional. Estes programas auxiliarão ainda mais o desenvolvimento do setor e do País. Os grandes eventos desportivos, Copa do Mundo FIFA 2014 e Olimpíadas de 2016, têm atraído para o Brasil um grande fluxo de recursos. Estima-se que só com a Copa de 2014, a economia do país terá um incremento de R$ 183 bilhões até Merece destaque a participação das tecnologias da informação na absorção destes investimentos. Só em 2011, o governo federal investiu R$ 200 milhões na infraestrutura das 12 cidades-sede da Copa do Mundo FIFA de 2014 com o objetivo de oferecer internet pelo telefone móvel e consequentemente transmissões de voz e imagens de alta qualidade. Entre as diversas medidas, pode-se destacar o aumento das redes de fibras óticas, a criação do mercado de provedores de conteúdo local e a difusão da telefonia 4G. A Brasscom estima que dos R$ 57 bilhões investidos em infraestrutura para a Copa 2014 e para as Olimpíadas 2016, só o setor de TI receberá 10% desse montante. 9

10 Aspectos chave, como transportes, educação, saúde, sistemas financeiros, segurança, saúde e energia serão contemplados com investimentos. O setor de TI pode desenvolver soluções avançadas e inovadoras em todos esses segmentos. Neste sentido, ainda em 2011 a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) destinou R$ 100 milhões para projetos ligados à Copa e Olimpíadas. O IBCD analisou em 2010 o perfil do uso de programas nas empresas em atividades associadas à convergência digital. O estudo indicou evolução do percentual de utilização de programas de software nas empresas, e do grau de integração dos sistemas nas companhias, que indica a evolução do percentual de integração dos sistemas das empresas com fornecedores, clientes e consumidores. O estudo destaca ainda que quando analisados os setores, a maior integração com clientes e consumidores ocorre no setor de serviços. Isto se deve às características desse setor, que demanda maior interação com clientes e consumidores. Já o comércio apresenta maior integração com fornecedores, devido às características de suas operações, pois as empresas desse setor, para aumentar a sua competitividade, têm que gerenciar com eficiência suas demandas e níveis de estoque. Grande parte do legado deixado pelos grandes eventos esportivos que se avizinham está relacionado a prestação de serviços de melhor qualidade para a população do País e para os turistas. A integração de sistemas e processos, melhorando o fluxo e o acesso a informações de maneira rápida e confiável é uma das principais contribuições do setor de TI. Neste sentido, a atividade de soluções integradas de software tem papel fundamental para o aumento da produtividade na indústria, a redução dos custos do comércio e a melhoria da qualidade dos serviços públicos e particulares Clientes Os principais clientes que demandam integração dos sistemas com fornecedores, clientes e consumidores estão no setor de serviços. Dados da FGV para o ano de 2009 revelam que 42% das empresas de serviços possuem sistemas de integrados com clientes e 39% com fornecedores. Na indústria, estes percentuais são de 38% e 37%, enquanto que no comércio são de 34% e 40% respectivamente. As empresas demandam ainda otimização dos processos, fluxo e qualidade da informação dentro da organização e melhorias no processo de tomada de decisão. A grande maioria não dispõe de conhecimento ou de equipe própria para realizar o diagnóstico e elaboração de projeto de implantação de uma solução integrada de software para atender as suas necessidades, e costumam demandar a contratação de serviços de terceiros. Pode-se observar que este é um mercado B2B, ou seja, onde empresas fornecem serviços e produtos para outras empresas. O aumento de demanda concentrada durante o período dos grandes eventos desportivos exigirá das empresas, sobretudo das ligadas ao comércio e a prestação dos serviços, a manutenção de níveis satisfatórios de estoques e qualidade no atendimento oferecido 10

11 aos clientes. Eficiência no fluxo e na disponibilização das informações para a tomada de decisão é um fator competitivo estratégico para as empresas dos diversos setores. Cabe ainda ressaltar que o Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte (Lei Complementar 123 de 14 de dezembro de 2006) garante tratamento diferenciado de acesso a mercado nos casos em que as licitações públicas tenham valor de até R$ ,00 (oitenta mil reais), licitações em que seja exigida dos licitantes a subcontratação de MPEs, desde que o percentual máximo do objeto a ser subcontratado não exceda a 30% do total licitado, e que se estabeleça cota de até 25% do objeto para a contratação de MPEs, em certames para a aquisição de bens e serviços de natureza divisível. Existem grandes oportunidades no setor público. O país precisará investir fortemente em tecnologia da informação para manter-se competitivo no mercado internacional. Contudo, o empreendedor deve se planejar para participar das concorrências públicas. Um ponto importante é o planejamento do capital de giro necessário ao atendimento das demandas, visto que os fluxos de recursos costumam ser irregulares. Muitas pequenas empresas têm acessado oportunidades quando associam-se a outras empresas do segmento. Em conjunto, essas empresas diminuem a necessidade de investimentos em capacidade produtiva e conseguem atender as demandas geradas pelos grandes eventos esportivos Produtos e Serviços Demandados Os serviços demandados envolvem consultoria para projeto e desenvolvimento e implantação de soluções integradas de software. Tais serviços devem contemplar as fases de diagnóstico e elaboração do plano de implantação. No diagnóstico é realizado o levantamento e análise da situação atual dos processos e serviços da empresa, avaliando a melhor solução ou adequação de uma solução integrada de forma a atender a real necessidade do cliente. A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras etc.) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio à decisão etc.). Logo após é definido o escopo do projeto, assim como suas fases e objetivos, cronograma e estratégia para aplicação de treinamentos, aquisição de software e hardware, além de um plano de manutenção e suporte a operação. Grandes empresas que se instalam em regiões onde os megaeventos esportivos irão ocorrer necessitam integrar seus sistemas aos dos fornecedores locais. Estes últimos, em muitos casos, não têm capacidade para financiar os mesmos softwares das primeiras. Assim, devido à necessidade de fazer softwares independentes conversarem e compartilharem informações, também existe a demanda por parte de grandes empresas, muitas delas envolvidas diretamente na criação de infraestrutura das Olimpíadas de 2016 e da Copa do Mundo FIFA

12 3.4- Concorrência O setor de TI é constituído, sobretudo, por microempresas e empresas de pequeno porte. Acima de 95% das empresas possuem até 19 pessoas ocupadas. Menos de 1% contam com 100 ou mais colaboradores. Contudo, entre as empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, a maior parcela dos produtos e serviços ofertados são justamente as consultorias em TI, com fatia preponderante relacionada com consultoria em sistemas e processos, onde a atividade de soluções integradas de software está inserida, caracterizando a baixa incidência de micro e pequenas empresas na atividade. Nos últimos anos a participação das micro e pequenas empresas têm crescido entre as consultorias em TI, mas o mercado ainda é fortemente habitado por médias e grandes empresas. Estudo realizado pelo Sebrae em parceria com a FGV verificou que apenas 20% das empresas registradas como consultorias em tecnologia da informação nos 12 estados-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 são caracterizadas como micro ou pequenas empresas. Isso sinaliza uma possível maior concorrência de grandes empresas neste ramo de atividade Fornecedores A cadeia de valor é o conjunto de atividades desempenhadas por uma organização desde as relações com os fornecedores, ciclo de produção e venda até a fase da distribuição final. Na atividade de soluções integradas de software, o principal insumo utilizado é o conhecimento. Regiões com centros universitários e tecnológicos bem desenvolvidos são ideais para o desenvolvimento de empresas dessa atividade. As empresas especializadas em integração de sistemas necessitam ter acesso a uma boa seleção de banco de dados, uma vez que terão que se adaptar às preferências e requisitos dos clientes. As plataformas de desenvolvimento também são importantes e variadas, cabendo a empresa estar apta a utilizar as diferentes ferramentas existentes no mercado. Por último, é muito importante possuir um bom software de gerenciamento de projetos, que entre outras funcionalidades permitirá ao cliente acompanhar o andamento dos trabalhos. 12

13 4 O planejamento de marketing é uma ferramenta estratégica para posicionamento da marca no mercado e definição dos diferenciais competitivos. A utilização das ferramentas de marketing para buscar diferenciar-se dos concorrentes é uma estratégia importante num setor onde as margens de lucro estão a cada dia mais achatadas. As micro e pequenas empresas têm o desafio de competir com grandes concorrentes. Para serem competitivas, devem aproveitar o seu menor tamanho e manter estruturas de custos mais enxutas, oferecendo serviços diferenciados e personalizados. Qualidade e pontualidade na entrega são fatores estratégicos para o setor. Uma das principais barreiras aos novos entrantes neste setor é a necessidade de ter a confiança do cliente. Quando a empresa contrata este tipo de serviço, ela abre um volume muito grande de informações que são estratégicas para ela, necessitando assim de bastante critério no momento da escolha da prestadora de serviços. Geralmente, recorrem aos atuais fornecedores de softwares para indicar empresas confiáveis. Estas empresas de software são os principais parceiros das empresas especializadas na integração de sistemas. Em alguns casos, no entanto, também são os principais concorrentes, visto que algumas migram para este mercado objetivando aumentar seu portfólio de serviços. Marketing e Vendas Na comunicação com os clientes, é importante ressaltar a experiência no mercado e os principais projetos desenvolvidos. Por ser um mercado que trabalha muito por indicação, vale aproximar-se do público-alvo em eventos setoriais frequentados pelos tomadores de decisão das grandes empresas contratantes. Estar próximo da academia e de polos tecnológicos também dá credibilidade às empresas que pretendam aumentar sua atuação no setor. 13

14 5 As micro e pequenas empresas desse ramo de atuação necessitam de estruturas simples. Uma sala com 40 m² é suficiente para o bom funcionamento das atividades administrativas e operacionais. Em geral, salas comerciais são alugadas suprindo de maneira satisfatória as necessidades das empresas da atividade de soluções integradas de software. O empresário deve analisar a possibilidade de estar instalado em regiões reconhecidas pela concentração de empresas de tecnologia. São cidades, bairros e polos tecnológicos que concentram empresas de TI, aumentando a sinergia e a geração de negócios entre estas empresas, além de ser um sinal positivo dado ao mercado, demonstrando que a empresa estar integrada no cenário tecnológico regional. Localização Neste ramo de atividade, a maioria dos serviços são contratados por indicação. Estar próximo da academia, agências de fomento e empresas de serviços e produtos de TI complementares a atividade de integração de sistemas, é um fator estratégico. O mercado de TI tem como principal insumo o conhecimento. Estar próximo de outras empresas do setor aumenta a interação e as redes de relacionamento por onde informações são compartilhadas. Os efeitos multiplicadores gerados por esses polos tecnológicos beneficiam todas as empresas envolvidas. É preciso estar atento à capacidade de pagamento da empresa e ao valor do aluguel ou da prestação do financiamento do imóvel. Vale destacar que nos primeiros meses de atividade é muito comum que as receitas geradas pelo empreendimento não sejam suficientes para cobrir todos os custos, devendo ficar atento à necessidade de capital de giro. Um ponto importante é a análise da relação custo-benefício entre a localização e o custo mensal dos aluguéis. Para as empresas de tecnologia existem ainda as incubadoras para empresas de base tecnológica. Esses são locais onde negócios nascentes ou novos produtos de empresas já consolidadas no mercado têm a possibilidade de se desenvolver com custos reduzidos, acesso a qualificações e às agências de fomento. 14

15 6 A prestação de serviços de soluções integradas de software demanda equipamentos simples para seu funcionamento. Em geral são computadores, estabilizadores e impressoras, scanners, linhas telefônicas e acesso a internet rápida, cabeamento, switches, roteadores, antenas wireless etc. O domínio de ferramentas de bancos de dados, plataformas de desenvolvimento e softwares de gestão de projetos são, como já observado, fatores essenciais. Equipamentos 15

16 7 A constante atualização tecnológica é um fator decisivo para que as empresas do setor de TI permaneçam no mercado. O gap entre o lançamento de novas soluções e o tempo que os concorrentes irão dominar a nova tecnologia é cada vez menor. Neste sentido, as instituições de fomento têm financiado os investimentos em pesquisa e desenvolvimento. O grande desafio para as micro e pequenas empresas está em manter sua equipe atualizada, conciliar os custos e lidar com a constante evasão de talentos. O mercado é extremamente dinâmico. Isso demanda das empresas do setor investimentos constantes em inovação. Para manter uma posição competitiva no mercado, é importante oferecer novas soluções para os clientes. Também é importante inovar nas formas de reter a mão de obra qualificada, uma vez que o turnover descapitaliza a empresa e aumenta os custos. Tecnologia 16

17 8 A necessidade de mão de obra vai depender do porte do negócio. A empresa deve possuir profissionais com habilidades na utilização de diferentes ferramentas de bancos de dados e nas diversas plataformas de desenvolvimento de softwares. As características específicas de cada serviço vão depender dos requisitos dos softwares utilizados pelos clientes, demandando das empresas especializadas na integração de softwares o domínio de diferentes tecnologias. Pessoal Muitos profissionais com habilidades específicas e valorizadas no mercado são contratados como prestadores de serviços durante a execução dos projetos. Esse tipo de procedimento é amplamente utilizado no mercado de TI, reduzindo os custos operacionais das empresas e assim, mitigando o risco da operação. O gerente de projetos é uma figura indispensável neste ramo de atividade. Gerenciar de maneira eficiente a relação custo-tempo-qualidade torna a empresa mais competitiva e confiável. Uma queixa constante dos empresários do setor é a escassez de mão de obra. Recente pesquisa realizada pela Softex indica que em 2020 existirá uma demanda de 1,545 milhão de profissionais contra 1,265 milhão que a indústria conseguiria efetivamente contratar, isto é, haveria um déficit de cerca de 280 mil profissionais no setor de software e serviços TI. Essa falta de mão de obra se reflete como aumento de custos para as empresas do setor. 17

18 9 Os custos são os valores gastos com a prestação dos serviços. O conhecimento dos custos é importante para que o empreendedor tenha subsídios para a tomada de decisão e para o conhecimento do lucro resultante das operações da empresa. A gestão dos custos é uma forma eficiente de obter lucratividade e reduzir os riscos da atividade. Existem ainda gastos referentes à comercialização e administração das atividades empresariais. Estes gastos são conhecidos como despesas e sua gestão e controle são estratégicos para manter a lucratividade e competitividade do empreendimento. Segundo estudos realizados pela Softex, os custos, as despesas operacionais e os gastos com pessoal no setor de TI cresceram em média, em termos reais, no período 2003 a 2009, 9,5% ao ano. A taxa é superior ao crescimento verificado na receita líquida, que foi de 8,2% a.a., para o mesmo período. Parcela importante dos custos e despesas diz respeito aos gastos com pessoal. Em 2009, eles representaram 48,5% do total, evidenciando uma realidade já conhecida: o principal insumo para as atividades de software e serviços de TI é o capital humano. As despesas operacionais foram responsáveis por 33,9% e os custos pelos 17,5% restantes. Custos e Capital de Giro O capital de giro são os recursos financeiros, próprios ou de terceiros, necessários para manter as atividades operacionais da empresa. A gestão do capital de giro é que vai determinar a capacidade de saldar os compromissos de curto prazo, como pagamento de financiamentos, aluguéis, a concessão de crédito, o pagamento de salários, impostos e demais encargos. Alguns fatores contribuem para a redução da necessidade de capital de giro das empresas. Entre eles, podemos destacar aumentos dos prazos para pagamento de fornecedores e redução dos prazos de recebimentos de clientes. A necessidade de recursos para capital de giro pode ser satisfeita por recursos próprios ou de terceiros. As instituições financeiras oferecem uma extensa variedade de produtos financeiros com taxas e prazos diferenciados. É importante que o empreendedor tenha conhecimento dos custos destas operações para que esteja apto a negociar e obter melhores condições no financiamento. Para isso, é importante pesquisar junto às diversas instituições financeiras públicas e privadas, promovendo visitas constantes e consultar os balcões de atendimento do Sebrae da região. 18

19 10 A estabilidade econômica e o advento de uma moeda forte proporcionou o amadurecimento do mercado financeiro nacional. Este amadurecimento se mostra às empresas em forma de produtos financeiros que atendam suas demandas de curto e longo prazo. A cada dia surgem produtos que exigem do empresário maturidade na gestão do crédito. Para isso, faz-se necessário a realização de planejamento financeiro e o conhecimento da capacidade de pagamento da empresa. O mercado nacional possui uma extensa variedade de instituições financeiras privadas com grande portfólio de produtos. Serão descritos a seguir alguns produtos do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). Este critério é uma mera simplificação e se justifica pela abrangência nacional dos produtos desta instituição. Vale ressaltar que os bancos e agências de desenvolvimento regionais também apresentam produtos bastante competitivos e merecem uma análise mais aprofundada. Fontes de Recursos Provido de recursos federais, os recursos geridos pelo BNDES destinam-se ao financiamento de investimentos de longo prazo e, de forma complementar, capital de giro ou custeio. A contratação e a liberação dos recursos é feita mediante diversos bancos comerciais, bancos de investimento e bancos múltiplos. Como exemplos de instituições repassadoras, citam-se: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Santander, Bradesco, Itaú etc. Em alguns casos, o acesso aos recursos pode ser feito diretamente junto ao BNDES (p.ex., operações acima de R$ 10 milhões). Dentre os principais programas de financiamento disponíveis à maioria dos empreendimentos, destacam-se: BNDES Finame: financiamento para produção e aquisição de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional; BNDES Automático: financiamento a projetos gerais de investimento (equipamentos, obras civis, capital de giro etc.); BNDES Exim: financiamentos a projetos do setor exportador, tanto na fase pré -embarque, como na fase pós-embarque; Cartão BNDES: crédito pré-aprovado de até R$ 1 milhão destinado às Micro, Pequenas e Médias Empresas para aquisição de produtos credenciados de diversos tipos. Especificamente para as empresas de TI, existe ainda o programa BNDES para o desenvolvimento da indústria nacional de software e serviços de tecnologia da informação - BNDES Prosoft. São financiáveis os investimentos e os planos de negócios de empresas de software e serviços de tecnologia da informação sediadas no Brasil, a comercialização no mercado interno e exportações. 19

20 O próprio BNDES, juntamente com instituições como Finep e CNPq apresentam ainda programas de subvenção a inovação. Os programas objetivam tornar a indústria nacional mais competitiva através do incentivo a inovação. Só no ano de 2011, a Finep destinou R$ 100 milhões para projetos de ligados à Copa e Olimpíadas. Para mais informações, consultar os sites do BNDES, Ministério da Ciência e Tecnologia, Finep e CNPq. Clique para acessar os sites 20

21 11 O acesso cada vez mais facilitado a informações, tanto dentro quanto fora das empresas, tem possibilitado uma administração mais criteriosa e apurada por parte das MPEs. No entanto, o que pode ser observado é que grande parte destas empresas continuam mantendo uma visão imediatista e centralizadora nas questões relativas à gestão. Os reflexos deste comportamento são inadimplência e elevação dos custos operacionais. Os controles financeiros quando praticados de forma eficiente disponibilizam aos gestores informações necessárias ao planejamento e a tomada de decisão. Um bom orçamento de caixa considera previsões de vendas, compras, despesas e investimentos para períodos futuros. O principal ponto do orçamento de caixa é a previsão das vendas. Estas projeções são realizadas a partir da análise de informações referentes ao histórico de períodos anteriores, projeções de crescimento da economia, expectativa de investimentos, objetivos e metas estratégicos, capacidade produtiva da empresa e sazonalidade. Planejamento Financeiro A partir das previsões de vendas, estimam-se os custos e despesas variáveis (que variam proporcionalmente ao volume de vendas) como impostos e comissões e os pagamentos aos fornecedores de matérias-primas. É importante que o empreendedor esteja atento aos prazos de pagamento e recebimento e para lançar as entradas e saídas de caixa no período correto. Também é importante estar atento às despesas fixas como telefone, energia, aluguel, água, funcionários, encargos etc. Esta visão do futuro auxilia o processo de tomada de decisão por oferecer informações sobre a geração de caixa da atividade, proporcionando reflexões sobre a viabilidade de investimentos e possíveis furos de caixa (descasamento entre entradas e saídas de caixa). A comparação do que foi planejado com o que está ocorrendo periodicamente é uma ferramenta de análise de desempenho importante. 21

Ideias de Negócios para 2014

Ideias de Negócios para 2014 Ideias de Negócios para 2014 para Brindes Corporativos 2012 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no

Leia mais

F r a n c h i s i n g

F r a n c h i s i n g F r a n c h i s i n g F r a n c h i s i n g www.ambientec.com franchising@ambientec.com Fone: 41 3352 5352 Franchising Com 20 anos de experiência na prestação de consultoria e serviços de Engenharia de

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

Ideias de Negócios para 2014

Ideias de Negócios para 2014 Ideias de Negócios para 2014 Agência de Receptivo 2012 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo

Leia mais

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio 440mil pequenos negócios no Brasil, atualmente, não utilizam nenhuma ferramenta de gestão, segundo o Sebrae Varejo 2012 27% 67% de comerciantes que não possuíam computadores dos que possuíam utilizavam

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

Prazo: 6 meses (a partir publicação da medida provisória em

Prazo: 6 meses (a partir publicação da medida provisória em LINHAS DE CAPITAL INFORME DE GIRO DEMPI e SIMPLES 1/2009 NACIONAL São Paulo, 04 de fevereiro de 2009. Prezado O Departamento Presidente encontro ampliar com as suas da Micro, propostas Pequena e objetivos,

Leia mais

NASCER BEM 2/59. Foto: Stock.Schng

NASCER BEM 2/59. Foto: Stock.Schng 2/59 Foto: Stock.Schng NASCER BEM OBJETIVOS: Fase 1: Fornecer informações e orientações para empreendedores que pretendem iniciar um negócio, sobretudo na elaboração do Plano de Negócio. 3/59 Foto: Stock.Schng

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria de Comunicação Carlos Alberto

Leia mais

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO 1. A Empresa 1.1. Histórico / Aspectos Organizacionais 1.2. Razão Social 1.3. CNPJ 1.4. Inscrição Estadual e/ou Municipal 1.5. Número e data de registro

Leia mais

Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Presidente. Diretoria Executiva Luiz Barretto Diretor-Presidente

Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Presidente. Diretoria Executiva Luiz Barretto Diretor-Presidente SISTEMA SEBRAE DIRECIONAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2022 1 2 2012 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350 ARTESANATO BOLETIM COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento Em 2012, o faturamento foi de R$ 22,5 bilhões no Brasil, e de aproximadamente R$ 28 bilhões em 2013.

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

20 12 RELATÓRIO DE GESTÃO

20 12 RELATÓRIO DE GESTÃO 20 12 RELATÓRIO DE GESTÃO SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE NACIONAL RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 Brasília / 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009 O BNDES Mais Perto de Você julho de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Subsidiárias BNDESPar

Leia mais

Visão Geral da Certificação CERTICS

Visão Geral da Certificação CERTICS Projeto 0113009300 - Implementação da CERTICS - Certificação de Tecnologia Nacional de Software IX Workshop Anual do MPS WAMPS 2013 Visão Geral da Certificação CERTICS Palestrante: Adalberto Nobiato Crespo

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente do Sebrae Luiz Barretto

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente do Sebrae Luiz Barretto 2012 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei n.º

Leia mais

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME Fortaleza, 30 de outubro de 2006 1 Sumário 1 - Mercado MPE 2 - Acesso ao

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA LINHAS DE FINANCIAMENTO E ACESSO AO CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO 13 / 4 / 09 ACESSO AO CRÉDITO PARA AS MICROS E

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Análise Panorâmica. Sumário 1. Introdução... 2

Análise Panorâmica. Sumário 1. Introdução... 2 Análise Panorâmica Análise Panorâmica Sumário 1. Introdução... 2 2. Indicadores de desempenho... 3 2.1 Carga Tributária da Empresa - Composição Anual... 3 2.2 Grau de Endividamento Tributário... 4 2.3

Leia mais

Manual de Relacionamento com Fornecedores de Materiais e Serviços

Manual de Relacionamento com Fornecedores de Materiais e Serviços Manual de Relacionamento com Fornecedores de Materiais e Serviços 2 1. Introdução Para que possamos crescer e nos desenvolver de forma sustentável garantindo a melhoria contínua nos processos, acreditamos

Leia mais

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação.

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação. A Finep -A FINEP Agência Brasileira da Inovação -é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em 24 de julho de 1967. -Seu objetivo é atuar em toda a cadeia

Leia mais

Boletim de Serviços Financeiros

Boletim de Serviços Financeiros PRODUTOS DE INFORMAÇ ÃO E INTELIGÊNCIA D E MERC ADOS Boletim de Serviços Financeiros BOLETIM DO SERVIÇO B RASILEIRO DE APOIO À S MICRO E PEQUENAS E MPRESAS WWW.SEBRAE.COM.BR 0800 570 0800 PERÍODO: NOVEMBRO/2014

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA. Márlon Alberto Bentlin Santa Cruz do Sul RS 04 de agosto de 2014

CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA. Márlon Alberto Bentlin Santa Cruz do Sul RS 04 de agosto de 2014 CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA INVESTIMENTOS EMPRESARIAIS Márlon Alberto Bentlin Santa Cruz do Sul RS 04 de agosto de 2014 Márlon Alberto Be INVESTIMENTO NA ATIVIDADE EMPRESARIAL? Márlon Alberto Be INVESTIMENTO

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES 1 INCIDÊNCIAS TRIBUTÁRIAS NAS EXPORTAÇÕES Optantes do SIMPLES Os transformadores plásticos exportadores optantes do SIMPLES devem analisar a conveniência da continuidade

Leia mais

COMO VENDER PARA O GOVERNO

COMO VENDER PARA O GOVERNO 2 COMO VENDER PARA O GOVERNO Manual prático para as agências de viagens A NOVA LEI GERAL PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (MPEs) O Congresso Nacional aprovou e a Presidência da República sancionou a Lei

Leia mais

O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável.

O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. INOVAR PARA CRESCER O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. Além disso, damos todo suporte

Leia mais

11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem

11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem 11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem São Paulo / SP 02 de outubro de 2015 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Situação atual do mercado nacional de fertilizantes minerais: altamente dependente

Leia mais

Acesso ao Crédito: Caminho para um Investimento Seguro

Acesso ao Crédito: Caminho para um Investimento Seguro Gestão Financeira Acesso ao Crédito: Caminho para um Investimento Seguro Diálogo Empresarial Manual do Participante Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade de Capacitação

Leia mais

1 Administração de caixa

1 Administração de caixa 3 Administração Financeira Edison Kuster Nilson Danny Nogacz O que é realmente importante saber para uma boa administração financeira? Esta pergunta é comum entre os empresários, em especial aos pequenos

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX Março de 2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...4 1.1 Objetivos...4 1.2 Público alvo deste documento...4 2 GLOSSÁRIO...5 3 POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX...7 3.1 Em relação aos ambientes

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Agosto de 2011

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Agosto de 2011 BNDES FGI BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Agosto de 2011 Por que solicitar a garantia do BNDES FGI? Em que ela é útil? A garantia do BNDES FGI pode aumentar as chances de uma empresa conseguir

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS Data Vencimento 07 (quinta-feira) 15 Obrigação Salário- Maternidade Salário-Família Folha de Pagamento Código Receita 1007 1163 Fato Gerador e Fundamento Legal Parto e aborto espontâneo, conforme certidão

Leia mais

Gestão Financeira. Caixa e Fluxo de Caixa. Diálogo Empresarial. Manual do Participante

Gestão Financeira. Caixa e Fluxo de Caixa. Diálogo Empresarial. Manual do Participante Gestão Financeira Caixa e Fluxo de Caixa Diálogo Empresarial Manual do Participante Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade de Capacitação Empresarial MANUAL DO PARTICIPANTE

Leia mais

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA Quem Somos: A GR Soluções Empresarias é uma empresa provedora de soluções corporativas e serviços personalizados em Advocacia, Contabilidade e Tecnologia da Informação, orientada pelos interesses das empresas

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

Linhas e Programas de Financiamento às MPMEs Inovadoras. Florianópolis, 09 de abril de 2010

Linhas e Programas de Financiamento às MPMEs Inovadoras. Florianópolis, 09 de abril de 2010 Linhas e Programas de Financiamento às MPMEs Inovadoras Florianópolis, 09 de abril de 2010 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos Atualizada em 29/04/2015 Capital de Giro BB Capital de Giro Mix Pasep Recebíveis Antecipação de Crédito Lojista ACL Financiamento de Investimentos BB Crédito Empresa BB Giro Empresa Flex BB Giro Cartões

Leia mais

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Qualidade Gestão O tecnólogo em Gestão da Qualidade é o profissional que desenvolve avaliação sistemática dos procedimentos, práticas e rotinas internas e externas de uma entidade, conhecendo e aplicando

Leia mais

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social EQ PS -Fortaleza Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software Marcio Wegmann masil@bndes.gov.br Depto. Indústria Eletrônica Área Industrial Princípios Norteadores da Atuação do BNDES

Leia mais

Linhas de Financiamento para a Construção Civil

Linhas de Financiamento para a Construção Civil Linhas de Financiamento para a Construção Civil Câmara Brasileira da Indústria de Construção 16 de dezembro de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho brasília-df 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços

Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços Reunião do Grupo Técnico do Siscoserv com setores de serviços Cenário do comércio exterior de serviços: Déficits crescentes na conta de serviços do balanço de pagamentos Carência de informações detalhadas

Leia mais

TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A

TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIABRASIL S.A. TBG PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO Edital PSPGEPE01/2007 De 16/10/2007 A

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes?

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? Apresentação - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? 2 Importância dos Pequenos Negócios 52% dos empregos formais 40% da massa salarial 62%

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

O BNDES mais perto de você. abril de 2009

O BNDES mais perto de você. abril de 2009 O BNDES mais perto de você abril de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Apoio ao mercado

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

EDUARDO TADEU SAGGIORATO Gerente de Negócios e Operações NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público 21.02.2013

EDUARDO TADEU SAGGIORATO Gerente de Negócios e Operações NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público 21.02.2013 EDUARDO TADEU SAGGIORATO Gerente de Negócios e Operações NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público 21.02.2013 QUEM SOMOS Legal Instituição Financeira do Estado de São Paulo, vinculada a Secretaria

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014 Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Curitiba / PR 17 de março de 2014 Agenda Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006. (ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE) O ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE E O ESTADO E MUNICÍPIOS

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Dito isso, vamos ao que interessa para se abrir um escritório contábil:

Dito isso, vamos ao que interessa para se abrir um escritório contábil: Introdução Como faço para abrir o meu escritório? Administrativamente falando, um escritório de contabilidade é um negócio como outro qualquer. Logo, abrir um escritório contábil vai requerer de você,

Leia mais

MD CONSULTORIA EM RECURSOS HUMANOS SITE WWW.MDRH.COM.BR E-MAIL MDRH@MDRH.COM.BR TELEFONE 49 3323 5804 CADASTRO TOTALMENTE GRATUITO

MD CONSULTORIA EM RECURSOS HUMANOS SITE WWW.MDRH.COM.BR E-MAIL MDRH@MDRH.COM.BR TELEFONE 49 3323 5804 CADASTRO TOTALMENTE GRATUITO SELECIONA: Farmacêutico Descrição: Para responder tecnicamente pela distribuição dos medicamentos, auxiliar os representantes nas orientações necessárias, auxiliar os clientes, fornecer treinamentos quanto

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS.

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA 2016 A Política de Responsabilidade Social da AngloGold Ashanti define como um de seus princípios que a presença de nossa

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Destaque

REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Destaque REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Destaque Walter Douglas Stuber e Adriana Maria Gödel Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio fundador de Amaro, Stuber e Advogados Associados, e ADRIANA MARIA GÖDEL é advogada

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PREFEITO

AGRICULTURA FAMILIAR UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PREFEITO AGRICULTURA FAMILIAR UM BOM NEGÓCIO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL PREFEITO Copyright 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. A reprodução não

Leia mais

O que é o PMAT e qual o seu objetivo

O que é o PMAT e qual o seu objetivo BNDES PMAT O que é o PMAT e qual o seu objetivo É uma modalidade de financiamento do BNDES, que tem como objetivo auxiliar na modernização da administração tributária e a melhoria da qualidade do gasto

Leia mais

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO I DA CONVOCAÇÃO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO Sebrae/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins econômicos, torna público que promoverá seleção de expositores para

Leia mais

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Alan Fischler Área Industrial Depto das Industrias de TICs 11/04/2012 Brasília

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor CATEGORIA: TRATAMENTO DIFERENCIADO

Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor CATEGORIA: TRATAMENTO DIFERENCIADO Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor Vencedores Estaduais na categoria Tratamento diferenciado CATEGORIA: TRATAMENTO DIFERENCIADO Município de Pelotas RS Vencedores do 4º Prêmio Sebrae

Leia mais