Projeto Piloto de Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia de Petróleo, Gás e Naval

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Piloto de Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia de Petróleo, Gás e Naval"

Transcrição

1 Projeto Piloto de Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia de Petróleo, Gás e Naval Comitê Nacional Comitê Regional Minas Gerais 1

2 Sumário Objetivo do projeto... 3 Público Alvo... 3 Funding... 3 Justificativa... 3 Como será feito... 3 Resultados Específicos... 3 Impactos Esperados... 4 Requisitos obrigatórios para as empresas participantes... 4 Documentos Comprobatórios... 4 Critérios Classificatórios... 5 Documentos Comprobatórios

3 Objetivo do projeto Ampliar a participação das indústrias nacionais na cadeia de negócios do setor de P,G&N através do desenvolvimento e da qualificação de fornecedores para atender as demandas dos empreendimentos estruturantes no país, inicialmente (em caráter Piloto) para os estados da Bahia, Minas Gerais e Pernambuco, com possibilidade de ampliação para outros estados. Público Alvo Empresas médias e médias-grandes (segundo critério BNDES) que já forneçam ou que sejam potenciais fornecedoras da cadeia de P,G&N e que preferencialmente tenham o CRCC. Funding O projeto Piloto tem como patrocinadores o MDIC e ABDI, aportando recursos conforme abaixo: MDIC R$ ,00. ABDI R$ ,00. Justificativa Considerando a complexidade do setor de P,G&N, se faz necessário identificar soluções integradas voltadas ao desenvolvimento de fornecedores, como um esforço coordenado pelo sistema de desenvolvimento econômico e industrial do governo na utilização de instrumentos de política industrial típicos, tais como: capacidade de financiamento e crédito, apoio tecnológico, formação de pessoal especializado, política de conteúdo local, apoio na melhoria de gestão e consolidação de polos empresariais. Como será feito O Comitê Gestor do projeto formado pelo MDIC, ABDI, Petrobras e no âmbito dos estados, as secretarias de desenvolvimento econômico e as federações de indústrias, irão selecionar três empresas por estado para se beneficiar com a iniciativa. Estas receberão uma consultoria especializada in loco que diagnosticará as oportunidades do setor de P,G&N onde elas já atuam ou onde poderão direcionar seus esforços. No sentido de desenvolver a indústria nacional de forma eficaz, serão entregues pela consultoria Planos de Negócio às empresas atendidas e a Alta Administração de cada empresa receberá Coaching e Mentoring viabilizando assim um melhor aproveitamento da implementação do Plano de Negócio pelas empresas. Resultados Específicos O projeto prevê as seguintes entregas: 3

4 Metodologia para o desenvolvimento de empresas médias e médias-grande considerando as especificidades do setor de P,G&N, que poderá ser aplicada em outros estados. Coaching e Mentoring para cada uma das 9 empresas envolvidas para a definição de estratégias de atuação no setor. Discussão sobre as estratégias para a modernização, expansão industrial, criação de novas linhas de negócios, gestão da inovação e desenvolvimento da rede de fornecedores para cada empresa. Identificação das alternativas de financiamento para a ampliação e modernização da capacidade produtiva, gestão, qualificação de recursos humanos, inovação e tecnologia. Entrega de Plano de Negócios detalhada para atuação na cadeia, com análise das áreas de gestão, recursos humanos, capacidade produtiva, inovação, tecnologia e marketing para cada empresa. Impactos Esperados Possibilidade de inclusão das empresas para acesso ao Programa Inova Petro, visto que o mesmo requer a apresentação de Plano de Negócios das empresas candidatas ao Programa. Efetivação do Plano de Negócios apresentado por meio de financiamentos via BNDES ou capital próprio das empresas. Ampliação da base de fornecedores nacionais para o setor. Ampliar o fornecimento de produtos para a Petrobras e principais contratantes da cadeia de P,G&N (EPCistas, estaleiros e fabricantes de grandes sistemas e equipamentos). Requisitos obrigatórios para as empresas participantes a. Matriz sediada no Brasil. b. Receita Operacional Bruta anual de 16 até 300 milhões de reais em 2012, podendo considerar a receita do grupo de empresas do mesmo sócio majoritário. c. Fornecimento ou potencialidade de fornecimento para a Indústria de Petróleo, Gás e Naval (produtos comprovadamente incluídos na demanda dos setores de Petróleo, Gás e Naval do Brasil ou do exterior). d. Certidão negativa regularizada da Dívida Ativa da União, INSS, FGTS, Débitos Trabalhistas, Receita Estadual, Receita Municipal, Falências e Cadastro no CNPJ. Documentos Comprobatórios Matriz sediada no Brasil Ato constitutivo, Contrato Social ou Estatuto, em vigor, devidamente registrado. Em se tratando de sociedades empresariais, e no caso de Sociedades por Ações, acompanhado de documentos de eleição de seus administradores. Deverão ser anexadas todas as alterações registradas ou a última alteração consolidada. 4

5 Receita operacional bruta entre 16 e 300 milhões de reais em 2012, podendo considerar a receita do grupo de empresas do mesmo sócio majoritário. Declaração anual do Imposto de Renda Pessoa Jurídica de Fornecimento ou potencialidade de fornecimento para a Indústria de Petróleo, Gás e Naval (produtos comprovadamente incluídos na demanda dos setores de Petróleo, Gás e Naval do Brasil ou do exterior). Fornecimento: Notas fiscais de fornecimento ou contratos com empresas do setor Petróleo, Gás e Naval nos últimos 5 anos. Se potencialidade: Comprovar ter em seu portfólio de produtos, através de apresentação formal da empresa, produtos que estejam incluídos na demanda dos setores de Petróleo, Gás e Naval do Brasil e/ou do exterior. Ou, ainda, declaração de empresas do setor do Petróleo, Gás e Naval de interesse no desenvolvimento da candidata como fornecedora de um produto específico que esteja comprovadamente na demanda do setor do Petróleo, Gás e Naval. Critérios Classificatórios Pontuação a. Comprovada decisão de instalação na região de abrangência do APL de Petróleo, Gás e Naval de Ipatinga e Entorno. 30 pontos b. Alinhamento do seu portfólio de bens e serviços com a demanda de itens críticos das empresas âncoras 20 pontos c. Empresa selecionada pelo Pró-Valor 10 pontos d. Existência de uma área formal de Engenharia de Produtos ou de Serviços Especializados 20 pontos e. Certificação válida pela norma ISO 9001 ou NBR ISSO pontos f. Comprovação de atuação junto a Universidades e/ou Centros de Tecnologia voltados à produção e desenvolvimento de produtos e serviços Total 10 pontos 100 pontos Critério de desempate: CRCC 5

6 Documentos Comprobatórios Comprovada decisão de instalação na região de abrangência do APL de Petróleo, Gás e Naval de Ipatinga e Entorno Comprovada decisão de instalação na região de abrangência do APL de Petróleo, Gás e Naval de Ipatinga e Entorno. Documentos comprobatórios: ata de conselho, carta consulta a SDEC (Secretaria de Desenvolvimento Econômico) ou outros documentos de exigência do APL local. Alinhamento do seu portfólio de bens e serviços com a demanda de itens críticos das empresas âncoras Apresentação de documentação de produção de bens e serviços que estejam incluídos na demanda de itens críticos das empresas âncoras (a ser informado pela Federação e âncoras locais). Empresa selecionada pelo Pró-Valor Empresa já selecionada pelo programa Pró-Valor. Existência de uma área formal de Engenharia de Produtos ou de Serviços Especializados Declaração formal da empresa de que tem área de engenharia de produtos e ou serviços especializados em seu organograma, detalhando a quantidade de pessoas, o tempo de existência desta área, o nome e o currículo do profissional chefe da área, com comprovação do tempo de seu vínculo empregatício com a empresa. Certificação válida pela norma ISO 9001 ou NBR ISO 9001 Apresentação de documento válido da certificação ISO 9001 ou NBR ISO9001. Comprovação de atuação junto a Universidades e/ou Centros de Tecnologia voltados à produção e desenvolvimento de produtos e serviços Declaração de parceria com uma Universidade e ou Centro Tecnologia para o desenvolvimento de produtos ou serviços para qualquer tipo de produto ou serviço, que esteja em vigor a pelo menos seis meses. Inscrição As empresas interessadas em participar do processo de seleção devem acessar o link 6

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Objetivos do Cadastro de Fornecedores Legal: atender o decreto 2745 e preservar a Cia. em questões relacionadas ao mercado fornecedor; Empresarial:

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Cooperativa é uma sociedade de pessoas, com forma e caráter jurídico próprio, de natureza civil, constituídas para prestar serviços aos cooperados. Sua missão é promover a qualidade de

Leia mais

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Ubirajara Sampaio de Campos Subsecretário de Petróleo e Gás Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Santos Offshore 09 Abril 2014 Indústria

Leia mais

PROGRAMA STANFORD. Esta é uma 2ª chamada, com foco em empresas Médias e Grandes.

PROGRAMA STANFORD. Esta é uma 2ª chamada, com foco em empresas Médias e Grandes. PROGRAMA STANFORD 1. O QUE É O programa, cujo foco é a Inovação e Empreendedorismo para empresas de base tecnológica, é voltado para capacitar empresários em conhecimentos sobre inovação, modelos de negócios

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

PROGRAMA INOVACRED /FINEP. Empresas com receita bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, divididas nos seguintes portes:

PROGRAMA INOVACRED /FINEP. Empresas com receita bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, divididas nos seguintes portes: PROGRAMA INOVACRED /FINEP Classificação do porte das empresas Empresas com receita bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, divididas nos seguintes portes: Porte I empresas com receita operacional

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N.º 013/2014

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N.º 013/2014 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS N.º 013/2014 CONVÊNIO CÁRITAS BRASILEIRA E MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO E SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDARIA MTE/SENAES CONVÊNIO N.º 793007/2013 A Cáritas Brasileira

Leia mais

POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS

POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS sicoobcentro.com.br POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS Cooperativa de Crédito *Esta Política de Apoio a Projetos Sociais é baseada no projeto da Cooperativa Sicoob Credip* ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...3

Leia mais

Apresentação. Objetivos

Apresentação. Objetivos PROCEDIMENTOS E CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO DE CONSULTORIAS, INSTRUTORIAS, FORNECIMENTOS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS INDIVIDUAIS Apresentação O presente instrumento apresenta os procedimentos e critérios

Leia mais

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011

PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP. Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 PROJETO IND P&G 6.1 PROMINP Workshop Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores SP 25/outubro/2011 AGENDA 1 O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 2 O CONVÊNIO PETROBRAS-SEBRAE 3 GESTÃO E RESULTADOS DOS PROJETOS CENÁRIO

Leia mais

Sistema de Cadastramento de Fornecedores ONIP

Sistema de Cadastramento de Fornecedores ONIP Sistema de Cadastramento de Fornecedores ONIP Apresentação para Oil & Gas Day FEIMEC - 03/05/2016 Agenda I. ONIP II. Cadastros ONIP existentes 2 Agenda I. ONIP II. Cadastros ONIP existentes 3 ONIP ONIP

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

REVISÃO 21 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS - RENOVAÇÃO QUALIFICAÇÃO TÉCNICA PASTA AMARELA

REVISÃO 21 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS - RENOVAÇÃO QUALIFICAÇÃO TÉCNICA PASTA AMARELA REVISÃO 21 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS - RENOVAÇÃO QUALIFICAÇÃO TÉCNICA PASTA AMARELA 1. Na renovação a empresa deverá informar, por escrito, se houve ou não alteração dos documentos de Qualificação Técnica

Leia mais

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE PETROBRAS - REGAP Contagem 19 de outubro de 2011 Iniciativas de Qualificação - PROMINP PROMINP O PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo e

Leia mais

O BNDES mais perto de você. abril de 2009

O BNDES mais perto de você. abril de 2009 O BNDES mais perto de você abril de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Apoio ao mercado

Leia mais

Incidência em políticas públicas: ampliando as possibilidades. Rafael Gioielli Instituto Votorantim / Brasil

Incidência em políticas públicas: ampliando as possibilidades. Rafael Gioielli Instituto Votorantim / Brasil Incidência em políticas públicas: ampliando as possibilidades Rafael Gioielli Instituto Votorantim / Brasil Políticas públicas e Investimento Social Privado MODELO MAIS COMUM MODELO ALTERNATIVO ISP INFLUENCIAR

Leia mais

Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/ Pesquisa-ação em iniciativas educacionais

Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/ Pesquisa-ação em iniciativas educacionais MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DE POLÍTICAS CULTURAIS - SPC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO - DEC CHAMAMENTO PUBLICO N 01/2011 Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Estatuto é utilizado em casos de sociedades por ações ou entidades sem fins lucrativos.

Estatuto é utilizado em casos de sociedades por ações ou entidades sem fins lucrativos. Documento 1 Estatuto ou Contrato Social consolidado com todas as alterações realizadas, devidamente arquivado no registro de comércio da sede da sociedade participante. É o documento pelo qual uma empresa

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

Bem-Vindos NAGI P&G Campinas

Bem-Vindos NAGI P&G Campinas Bem-Vindos NAGI P&G Campinas Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo 2013-2014 Edital Pro-Inova FINEP/2010 Há oportunidades para participação de empresas

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 002 2013. OBJETO: Credenciamento de Consultores

ATO CONVOCATÓRIO 002 2013. OBJETO: Credenciamento de Consultores ATO CONVOCATÓRIO 002 2013 OBJETO: Credenciamento de Consultores O INSTITUTO QUALIDADE MINAS, pessoa jurídica de Direito privado sem fins lucrativos, qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse

Leia mais

COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS. Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis

COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS. Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis GERÊNCIA - MATERIAIS/CDBS Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social

Leia mais

CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO. I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br);

CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO. I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br); CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br); II. Efetuar o Cadastramento da Entidade no SICONV e validação das informações

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO

EDITAL DE CREDENCIAMENTO EDITAL DE CREDENCIAMENTO 01 Convênio ATN/ME- 11533-BR Cooperação Técnica Não- Reembolsável. Desenvolvimento de Metodologia para Implantação de Microfranquias 02 Identificação do Edital de Credenciamento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Bem Vindos NAGI P&G MOGI DAS CRUZES

Bem Vindos NAGI P&G MOGI DAS CRUZES Bem Vindos NAGI P&G MOGI DAS CRUZES Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo 2013-2014 Edital Pro-Inova FINEP/2010 SETOR DE PETRÓLEO E GÁS NO BRASIL TIPOS

Leia mais

ITS Instituto de Tecnologia de Software

ITS Instituto de Tecnologia de Software www.itsbr.org ITS Instituto de Tecnologia de Software Desenvolvendo mercados e acelerando negócios ITS Instituto de Tecnologia de Software Há mais de 18 anos apoiando o desenvolvimento da indústria de

Leia mais

ABRIGO DO MARINHEIRO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS SOCIAIS PESQUISA DE PREÇOS (ESPECIFICAÇÕES E INSTRUÇÕES)

ABRIGO DO MARINHEIRO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS SOCIAIS PESQUISA DE PREÇOS (ESPECIFICAÇÕES E INSTRUÇÕES) ABRIGO DO MARINHEIRO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS SOCIAIS PESQUISA DE PREÇOS (ESPECIFICAÇÕES E INSTRUÇÕES) REFORMA DAS INSTALAÇÕES DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO DO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS SOCIAIS DO ABRIGO DO

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA 01/2014 ANEXO I - MINUTA DO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO PETRÓLEO, GÁS E NAVAL - COORDENAÇÃO DE ENERGIA/GERÊNCIA I

CONSULTA PÚBLICA 01/2014 ANEXO I - MINUTA DO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO PETRÓLEO, GÁS E NAVAL - COORDENAÇÃO DE ENERGIA/GERÊNCIA I CONSULTA PÚBLICA 01/2014 ANEXO I - MINUTA DO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO PETRÓLEO, GÁS E NAVAL - COORDENAÇÃO DE ENERGIA/GERÊNCIA I 1. OBJETO 1.1. Objetivo Geral CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA PARA PRESTAÇÃO

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 Regulamenta a concessão de Auxílio para Apoio a Incubadoras

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS SEGER PORTARIA Nº. 39-R, DE 29 DE AGOSTO DE 2013.

GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS SEGER PORTARIA Nº. 39-R, DE 29 DE AGOSTO DE 2013. I - Órgãos e Entidades Públicas PORTARIA Nº. 39-R, DE 29 DE AGOSTO DE 2013. a) Cédula de Identidade do representante; b) Inscrição no CPF do representante; c) Cartão de inscrição do órgão ou entidade pública

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES SOLICITANDO O CARTO BNDES NO PORTAL DE OPERAÇÕES DO BNDES CARTO Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES - Cartão BNDES Formatados: Marcadores e numeração C:\BNDES - SOLICITACAO DE CARTAO.doc

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS SOCIAIS EDITAL 2014

SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS SOCIAIS EDITAL 2014 Instituto Marca de Desenvolvimento Socioambiental - IMADESA SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS SOCIAIS EDITAL 2014 >> Leia com atenção o Edital antes de preencher o formulário para apresentação de projetos. I.

Leia mais

GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec

GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec de temas para a agenda do GT Industrial 2010 27 de Novembro de 2009 MDIC - Brasília SINDUSFARQ Base sindical 750 empresas dos setores representados: Indústria Farmacêutica

Leia mais

A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore

A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore CCPGE 28 de maio de 2014 Atuação FIERGS CCPGE

Leia mais

Edital 06/2012. Projeto Litoral Sustentável. convênio 6000.0064846.11.4 MELHOR PROPOSTA DE PLANO DE MÍDIA COTAÇÃO PRÉVIA DE ASSESSORIA DE IMPRENSA.

Edital 06/2012. Projeto Litoral Sustentável. convênio 6000.0064846.11.4 MELHOR PROPOSTA DE PLANO DE MÍDIA COTAÇÃO PRÉVIA DE ASSESSORIA DE IMPRENSA. Edital 06/2012 Projeto Litoral Sustentável convênio 6000.0064846.11.4 MELHOR PROPOSTA DE PLANO DE MÍDIA COTAÇÃO PRÉVIA DE ASSESSORIA DE IMPRENSA. O Pólis Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização da

Leia mais

NATUREZA JURÍDICA Documentação exigida para cada nível de cadastramento

NATUREZA JURÍDICA Documentação exigida para cada nível de cadastramento NATUREZA JURÍDICA Documentação exigida para cada nível de cadastramento 1- Pessoa Física 2- Pessoas Jurídicas: 2.1- Órgão Público 2.2- Autarquias e Fundações Públicas 2.3- Sociedade de Economia Mista 2.4-

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ fevereiro de 2014 Principais Linhas para o setor de BK FINAME: produção e comercialização de máquinas, equipamentos, bens de informática

Leia mais

CADASTRO DE FORNECEDORES E RENOVAÇÃO CADASTRAL DME DISTRIBUIÇÃO S/A - DMED DOS PROCEDIMENTOS

CADASTRO DE FORNECEDORES E RENOVAÇÃO CADASTRAL DME DISTRIBUIÇÃO S/A - DMED DOS PROCEDIMENTOS CADASTRO DE FORNECEDORES E RENOVAÇÃO CADASTRAL DME DISTRIBUIÇÃO S/A - DMED DOS PROCEDIMENTOS A Supervisão de Suprimentos é a responsável pelo cadastramento dos fornecedores, bem como pela renovação cadastral

Leia mais

Crédito Rural Safra 2014/2015 FINAME AGRÍCOLA. Produtores rurais Pessoas Jurídicas e Cooperativas Agropecuárias:

Crédito Rural Safra 2014/2015 FINAME AGRÍCOLA. Produtores rurais Pessoas Jurídicas e Cooperativas Agropecuárias: Linha PSI RURAL Produtores rurais Pessoas Jurídicas e Cooperativas Agropecuárias: a) Aquisição de máquinas e equipamentos; b) Aquisição de implementos agrícolas, tratores, colheitadeiras e similares; Produtores

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DOS JOGOS INDÍGENAS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015/SEJI

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DOS JOGOS INDÍGENAS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015/SEJI PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DOS JOGOS INDÍGENAS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015/SEJI EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE INTERESSADOS NA OPERAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

BNDES. Carta Al/DECOS n 97/2015 Rio de Janeiro, 26 de junho de 2015.

BNDES. Carta Al/DECOS n 97/2015 Rio de Janeiro, 26 de junho de 2015. . Carta Al/DECOS n 97/2015 Rio de Janeiro, 26 de junho de 2015. Ao Parque Tecnológico de Belo Horizonte bh.tec At.: Sr. Ronaldo Tadêu Pena Diretor-Presidente Rua Professor José Vieira de Mendonça, 770

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SERVIÇOS DO VALE DO RIO PARDO - CISVALE

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SERVIÇOS DO VALE DO RIO PARDO - CISVALE HABILITAÇÃO JURÍDICA Documentos para Credenciamento - Registro comercial no caso de empresa individual; - Ato Constitutivo, Estatuto ou Contrato Social em vigor, devidamente registrado em se tratando de

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 001 2013. OBJETO: Credenciamento de Consultores

ATO CONVOCATÓRIO 001 2013. OBJETO: Credenciamento de Consultores ATO CONVOCATÓRIO 001 2013 OBJETO: Credenciamento de Consultores O INSTITUTO QUALIDADE MINAS, pessoa jurídica de Direito privado sem fins lucrativos, qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015 REDE NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E FEMINISTA A GUAYÍ, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, sediada na Rua José do Patrocínio 611, Bairro Cidade Baixa, Porto

Leia mais

Programa Nota CAPES COTA

Programa Nota CAPES COTA PROGRAMA DE BOLSAS FAPESB - COTAS INSTITUCIONAIS MESTRADO PROFISSIONAL, MESTRADO E DOUTORADO 1. INTRODUÇÃO A FAPESB tem como um de seus principais objetivos apoiar a formação científica através da concessão

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL nº 45/2015 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES MODALIDADE:

Leia mais

2 Instruem o Processo, dentre outros, os seguintes documentos:

2 Instruem o Processo, dentre outros, os seguintes documentos: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Comissão de Educação Infantil Parecer n.º 003/2015 CME/PoA Processo nº 001.033993.13.0 Credencia/autoriza

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Porto Alegre, 27 de julho de 2011 Panorama Brasileiro Novo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2014. Seleção de Empresas para Participação na Feira SIAL Paris

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2014. Seleção de Empresas para Participação na Feira SIAL Paris CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2014 Seleção de Empresas para Participação na Feira SIAL Paris Porto Alegre 2014 2 PREÂMBULO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SEBRAE/RS,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA A Rede de Desenvolvimento Humano - REDEH, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda sob o nº 39.064.233/0001-93,

Leia mais

CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS)

CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS) CADASTRO DE FORNECEDORES (MATERIAL/SERVIÇOS) ÍNDICE RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CADASTRO DE FORNECEDORES DE MATERIAL/SERVIÇOS PÁGINA 2 FICHA DE INFORMAÇÕES PARA CADASTRO DE FORNECEDORES PÁGINA 4 DECLARAÇÃO

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES É obrigatório oferecer contrapartida? Em caso afirmativo, quanto devo oferecer de contrapartida? Sim. O

Leia mais

Quais são as 4 principais certidões indispensável para participar em uma licitação?

Quais são as 4 principais certidões indispensável para participar em uma licitação? Quais são as 4 principais certidões indispensável para participar em uma licitação? As certidões indispensáveis à participação nas licitações, conforme previsto no artigo 27 da Lei 8.666/93, são: certidão

Leia mais

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 ELABORAÇÃO DE PLANOS DE SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA PARA EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS ORGANIZADOS EM REDES DE COOPERAÇÃO NOS TERRITÓRIOS DA MATA SUL/PE, MATA

Leia mais

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Secretaria de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia - SERHMACT Fundação de Apoio à Pesquisa - FAPESQ Setembro/Outubro de 2013 TECNOVA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação.

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional 1. Função no Projeto: Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2. Nosso Número BRA/12/010 3. Antecedentes A missão

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS Objetivos da apresentação Exposição dos principais detalhes do edital,

Leia mais

Informamos que os documentos exigidos no Termo de Referência deverão ser apresentados, visto que o mesmo é parte integrante do Edital.

Informamos que os documentos exigidos no Termo de Referência deverão ser apresentados, visto que o mesmo é parte integrante do Edital. Senhor Licitante, Informamos que os documentos exigidos no Termo de Referência deverão ser apresentados, visto que o mesmo é parte integrante do Edital. Atenciosamente, Vera Lucia M. de Araujo Pregoeira

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

QUEM PODE HABILITAR-SE NO SICONV?

QUEM PODE HABILITAR-SE NO SICONV? O QUE É SICONV? Criado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o SICONV Sistema de Convênio, tem como uma das finalidades, facilitar as apresentações de projetos aos programas ofertados pelo

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES

Solicitando o Cartão BNDES Solicitando o Cartão BNDES Atualizado em 03/03/2010 Pág.: 1/18 Introdução Este manual destina-se a orientar as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) na solicitação do Cartão BNDES no Portal de Operações

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR

EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR A Superintendência da Zona Franca de Manaus SUFRAMA e o Centro de Biotecnologia da Amazônia CBA selecionarão

Leia mais

APOIO E FOMENTO ÁS INICIATIVAS DE FINANÇAS SOLIDÁRIAS COM BASE EM BANCOS COMUNITÁRIOS DE DESENVOLVIMENTO

APOIO E FOMENTO ÁS INICIATIVAS DE FINANÇAS SOLIDÁRIAS COM BASE EM BANCOS COMUNITÁRIOS DE DESENVOLVIMENTO INSTITUTO PALMAS DE DESENVOLVIMENTO E SOCIOECONOMIA SOLIDÁRIA Av. Val Paraíso, 698, Conjunto Palmeira Fortaleza-CE CEP 60870-440 bancopalmas@bancopalmas.org.br / 55 85 3459-4848 CNPJ 05705438/0001-99 APOIO

Leia mais

EDITAL DE PRODUÇÃO DE VÍDEO DA JUSTIÇA RESTAURATIVA

EDITAL DE PRODUÇÃO DE VÍDEO DA JUSTIÇA RESTAURATIVA Instituto Cultural São Francisco de Assis Centro de Promoção da Criança e do Adolescente São Francisco de Assis Estrada João de Oliveira Remião, 4444 Lomba do Pinheiro - Porto Alegre RS www.franciscanos-rs.org.br

Leia mais

COTACAO PREVIA DE PRECO Nº 04/2015 EDITAL Nº 04/2015

COTACAO PREVIA DE PRECO Nº 04/2015 EDITAL Nº 04/2015 COTACAO PREVIA DE PRECO Nº 04/2015 EDITAL Nº 04/2015 Convênio MTE/SENAES nº 78/2012 SICONV 776109/2012 Processo Seletivo para Contratação de Profissional denível médio Auxiliar Técnico para atividades

Leia mais

EDITAL N 07/2015 - ESPP/SESA PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE.

EDITAL N 07/2015 - ESPP/SESA PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. EDITAL N 07/2015 - ESPP/SESA PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. A SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ SESA, CNPJ: 76.416.866/000-40

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2108 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2108 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 20/03/2013-17:37:38 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2108 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1.

Leia mais

EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA

EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA PROGRAMA DE CONSOLIDAÇÃO DAS LICENCIATURAS MEC/SESu/DEPEM 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu EDITAL Nº 05/2007 Brasília, 20 junho de 2007

Leia mais

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhada pela UTE para o Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - -

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhada pela UTE para o Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - - UTE INFORMAÇÕES PARA CONTATO: NOME: TELEFONES: ( ) EMAIL: AGENTE FINANCEIRO DE ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA: ( ) BANCO DO BRASIL ( ) BANCO DO NORDESTE ( ) CAIXA ECONÔMICA FEDERAL LINHA DE FINANCIAMENTO:

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO - 1 - PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar o investimento social

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008. EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado:

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008. EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado: SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008 EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado: Prezado (a) Senhor (a), O Projeto de Cooperação para Apoio às Políticas e à Participação

Leia mais

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhado pela UTE ao Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - -

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhado pela UTE ao Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - - UTE INFORMAÇÕES PARA CONTATO: NOME: TELEFONE: ( ) EMAIL: AGENTE FINANCEIRO DE ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA: ( ) BANCO DO BRASIL ( ) BANCO DO NORDESTE ( ) CAIXA ECONÔMICA FEDERAL LINHA DE FINANCIAMENTO: (

Leia mais

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006. (ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE) O ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE E O ESTADO E MUNICÍPIOS

Leia mais

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura Termo de Referência para Contratação de Consultoria - TR Modalidade Pessoa Física Vaga Código TR/PF/IICA-005/2010 PCT BRA/09/001 - Acesso e uso da energia elétrica como fator de desenvolvimento de comunidades

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis, informa

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI em Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI em Blumenau EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI em Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI em Blumenau EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnologia SENAI em Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI em Blumenau EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC

Leia mais

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses.

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses. REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Art. 1º O Prêmio de Nacional de Inovação na Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), com o apoio da Financiadora

Leia mais

1º Edital Petrobras de Festivais de Música

1º Edital Petrobras de Festivais de Música 1º Edital Petrobras de Festivais de Música REGULAMENTO OBJETIVOS DO EDITAL O apoio previsto neste regulamento tem como objetivos promover: 01. a formação de público para os diversos segmentos da música

Leia mais

EDITAL SAL/MJ Nº 9, DE 03 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Contrato de Pessoa Física Modalidade Produto Nacional

EDITAL SAL/MJ Nº 9, DE 03 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Contrato de Pessoa Física Modalidade Produto Nacional MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Secretaria de Assuntos Legislativos Esplanada dos Ministérios, Ed. Sede, bloco T, 4º andar, sala 44 (61) 2025 76 / 114 E-mail: sal@mj.gov.br EDITAL SAL/MJ Nº 9, DE 0 DE JULHO DE 2015

Leia mais

Memorial Técnico para Elaboração de Proposta Comercial

Memorial Técnico para Elaboração de Proposta Comercial I MEMORIAL TÉCNICO DO XXVII CBP: 1. Objeto da Concorrência: 1.1. Selecionar a(s) Montadora(s) prestadora(s) de serviços de montagem para as diversas fases BLOCOS para a implantação do XXVII CBP no Transamérica

Leia mais

Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM

Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM O BNDES Mais Perto de Você Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM 25 de novembro de 2009 Como apoiamos Operações Diretas Contratadas t diretamente t com o BNDES Operações Indiretas Instituições i

Leia mais

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba 1 OBJETIVO 1.1 Realizar, em 2013, apoio financeiro para viabilizar a execução de serviços em inovação e tecnologia

Leia mais