ANÁLISE COMPARATIVA DA ESTRUTURA DE TRABALHO SCRUM COM OS REQUISITOS DA NORMA ISO9001

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE COMPARATIVA DA ESTRUTURA DE TRABALHO SCRUM COM OS REQUISITOS DA NORMA ISO9001"

Transcrição

1 ANÁLIS COPARATIVA DA STRUTURA D TRABALHO SCRU CO OS RQUISITOS DA NORA ISO9001 Autoria: Carlos Santos da Silva, arco Polo Corrêa afra, ax Fortunato Cohen RSUO mpresas de tecnologia, que desenvolvem produtos, executam projetos seguindo um processo padronizado com objetivo de estarem aptas ao padrão de qualidade gerido pela norma ISO9001 O diferencial em ter um bom processo, e seguir uma metodologia de desenvolvimento de produto, permitirá que uma empresa lance no mercado produtos no menor tempo e com maior qualidade sse tipo de empresa gerencia os projetos de acordo com abordagens recomendadas por órgãos responsáveis pela manutenção dos processos, ou arcabouços, a fim de que haja uma padronização na forma de desenvolver os produtos Tradicionalmente, as empresas orientadas a projetos utilizam técnicas recomendadas pela abordagem em cascata: analisar, projetar, implementar e testar Com o advento de novas tecnologias, necessidade de implementação e lançamento mais rápido no mercado, outras frentes de melhorias de processos criaram abordagens diferenciadas para desenvolvimento, como é o caso da abordagem ágil, especificamente a forma de trabalho Scrum O Scrum é desburocratizado e preza pelo empiricismo conseguindo a simpatia de muitos desenvolvedores que correm contra o tempo na etapa de desenvolvimento de produto Surge então a necessidade de investigar até que nível de compatibilidade com requisitos da norma de qualidade o Scrum poderá atender para poder seguir como ferramenta adotada por equipes de desenvolvimento dentro das organizações de projetos O presente artigo tem como objetivo analisar a compatibilidade do Scrum com a norma de qualidade ISO9001 A pesquisa realizada abordou um levantamento bibliográfico sobre a norma ISO9001 e sobre a fundamentação teórica do arcabouço Scrum Foi realizada uma pesquisa documental em sites oficiais que tratam sobre o tema, na Internet m seguida foi feita uma análise comparativa, confrontando itens do Scrum com requisitos da norma de qualidade, com o intuito de avaliar a compatibilidade entre os mesmos A pesquisa foi ainda do tipo descritiva, onde foram descritos os elementos que compõem os dois objetos do estudo: a ISO9001 e o Scrum Podese concluir que é possível compatibilizar um projeto que utiliza Scrum, visando atender às exigências da norma de qualidade ISO9001 O Scrum não é uma metodologia, nem cobre totalmente todas as etapas de gerenciamento de projetos Porém é uma forma de trabalho que possibilita a eficácia do projeto Como o Scrum não exige uso de ferramentas eletrônicas, todo o trabalho pode ser executado de forma cadenciada e rotineira a fim de que com poucos controles manuais A adaptação do Scrum à ISO9001 pode criar um processo ágil e manter o funcionamento do arcabouço sem modificação, possibilitando a manutenção da certificação de qualidade pelo órgão certificador internacional e evitando a distorção da forma de trabalhar original pregada pelos evangelizadores do Scrum mundo a fora 1

2 1 Introdução Uma das variáveis de grande importância para as organizações é a qualidade em seus processos, projetos ou produtos Com o aumento global da concorrência, tornou-se fundamental para a competitividade, e bom funcionamento das organizações, a implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade Nas indústrias de manufatura a norma de qualidade aplicável é a NBR ISO 9002, com foco em atividades de suporte e produção Na área de projetos de produtos, a norma de qualidade aplicável é a NBR ISO 9001, com foco em atividades de desenvolvimento de produtos Um Instituto de Pesquisa & Desenvolvimento, ou ngenharia de Desenvolvimento de Produto, normalmente trabalha de forma projetizada e deve atender às normas de qualidade Para tanto, utiliza-se da aplicação suas metodologias e processos com respectiva documentação técnica Busca-se evidenciar todas as fases do processo e seguimento do ciclo de planejamento, desenvolvimento, controle e ações de melhorias Áreas de desenvolvimento de produtos, em institutos de pesquisa ou empresas industriais, utilizam diferentes abordagens de gerenciamento de projetos para fazer seus produtos Abordagens mais tradicionais seguem uma metodologia alinhada com exigências da norma de qualidade Porém, muitas falhas podem ocorrer na gestão desses projetos que deixam abertura para diferentes interpretações do atendimento aos requisitos Abordagens de desenvolvimento de produtos mais atuais, que prezam pelo empírico, são preferidas por equipes jovens de desenvolvimento, mas não constituem uma metodologia completa de gerenciamento de projetos compatível com a norma Oliveira (2005) ressalta que não é possível alcançar todos os potenciais benefícios no processo do projeto se o sistema de gestão das empresas responsáveis pela sua produção for deixado em segundo plano O principal benefício de se implantar um Sistema de Gestão da Qualidade SGQ (certificado ou não) é que este auxilia na organização e administração de todos os processos de uma mpresa Um sistema documentado contribui para assegurar que as pessoas na organização não estejam apenas fazendo o seu trabalho, mas que estejam fazendo o trabalho do jeito que a organização deseja que o trabalho seja feito (SALGADO, 2006) De acordo com Boehm (2006), a partir de 2000 estamos vivendo uma tendência para o desenvolvimento ágil de aplicações devido a um ritmo acelerado de mudanças e inovações na tecnologia da informação, em organizações e no ambiente de negócios Seguindo tal pensamento, deve-se buscar encontrar formas mais eficientes de se gerenciar projetos Uma abordagem alternativa é o arcabouço Ágil o Scrum as, é possível aliar os requisitos da norma ISO com o Scrum? Diante de tal questionamento, tem-se o objetivo deste artigo com sendo o de analisar comparativamente a estrutura de trabalho Scrum com os requisitos da norma ISO9001 Buscou-se realizar uma pesquisa do tipo bibliográfica, comparativa, documental e descritiva Primeiramente foi feito um levantamento bibliográfico sobre a norma ISO9001 e sobre a fundamentação teórica do arcabouço Scrum, através da leitura de livros e artigos científicos Foi realizada uma pesquisa documental em sites oficiais que tratam sobre o tema, na Internet m seguida foi feita uma análise comparativa, confrontando itens do Scrum com requisitos da norma de qualidade, com o intuito de avaliar a compatibilidade entre os mesmos Por fim, pode-se afirmar que esta é também uma pesquisa descritiva, tendo em vista que foram descritas os elementos que compõem os dois objetos do estudo a ISO e o Scrum 2

3 ste trabalho está organizado da seguinte maneira: a Seção 2 descreve as principais características da norma ISO9001; a Seção 3 descreve os principais elementos do arcabouço Scrum; na Seção 4 é feita uma análise comparativa entre o Scrum e os requisitos da ISO9001; Finalmente, a Seção 5 apresenta as conclusões deste trabalho 2 A norma ISO 9001 A Organização Internacional de Normalização, popularmente conhecida como ISO, é o maior desenvolvedor de normas internacionais, atualmente englobando instituições padronizadoras de 175 países Sua sede é em Genebra, na Suíça Foi criada em 1947 com o objetivo de facilitar a coordenação internacional e a unificação de padrões técnicos, tendo publicado seu primeiro padrão em 1951 Atualmente está ligada também à normalização de padrões de gestão Zacharias (2001) descreve que a primeira norma relativa à Sistema da Qualidade foi a il-q editada em 1963 pelo Departamento de Defesa dos UA m 1970 foi emitido o documento 10 CFK 50-B pela comissão de nergia Atômica Americana, que fundamentou o conceito de Sistema de Garantia da Qualidade m 1987 surgiu uma nova família de normas, a ISO 9000, um conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade, que ganhou rapidamente a atenção de uma audiência muito maior que suas predecessoras porque se referia a toda a comunidade empresarial, e não só aos engenheiros Cada país membro da ISO possui uma entidade nacional como sua representante junto aos comitês da ISO, sendo representada no Brasil pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) O INTRO (Instituto Nacional de etrologia, Normalização e Qualidade Industrial) é a entidade responsável para determinar as diretrizes que os OCCs (Organismos Credenciados de Certificação) seguem ao emitir certificados ISO para entidades corporativas Os OCCs são encarregados da responsabilidade para interpretar a norma ISO 9001, avaliar sua aplicação às situações de negócio da companhia e determinar se o sistema de qualidade da empresa está em conformidade com a norma, para posterior certificação Até o final de dezembro de 2007, pelo menos certificados ISO 9001:2000 haviam sido emitidos em 175 países e economias A NBR ISO 9001:2008 faz parte da nova família de normas da série 9000 publicada no Brasil em dezembro de 2008, que é composta por três normas, com objetivos e propósitos distintos, conforme apresentado a seguir: NBR ISO 9000: Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e vocabulário: Define os principais conceitos utilizados nas normas da série NBR ISO 9000; NBR ISO 9001: Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos: Define os requisitos básicos para a implantação de um sistema de gestão da qualidade ssa é a norma de certificação; NBR ISO 9004: Sistemas de Gestão da Qualidade Diretrizes para elhoria de Desempenho: Fornece diretrizes para a melhoria do desempenho de um sistema de gestão da qualidade e determina a extensão de cada um de seus elementos Juntamente com a NBR ISO 9001 forma o par consistente Cada uma das normas, como pode ser observado, possui objetivos específicos e tem sido utilizada pelas organizações para apoiar a implantação de sistemas de gestão da qualidade ou 3

4 somente para fornecer a base conceitual para a implantação de melhores práticas relacionadas à melhoria da qualidade Apesar da série ISO referir-se a Gestão da Qualidade, todos os que a implantaram e utilizaram, conseguiram melhorias significativas em suas empresas, na produtividade, custos e mesmo no clima organizacional com responsabilidades e tarefas melhor definidas e controladas (FRRIRA, 2001) A NBR ISO 9001:2005 possui oito princípios que podem ser utilizados pela alta direção para conduzir a organização à melhoria do seu desempenho A seguir, esses princípios são apresentados, tendo sido extraídos na íntegra da NBR ISO 9000 publicada em dezembro de 2005 (ABNT, 2005): Foco no cliente: Organizações dependem de seus clientes, portanto é recomendável que atendam às necessidades atuais e futuras do cliente, os seus requisitos e procurem exceder as suas expectativas Liderança: Líderes estabelecem a unidade de propósito e o rumo da organização Convém que se crie e mantenha um ambiente interno, no qual as pessoas possam estar totalmente envolvidas no propósito de atingir os objetivos da organização nvolvimento de pessoas: Pessoas de todos os níveis são a essência de uma organização, e seu total envolvimento possibilita que as suas habilidades sejam usadas para o benefício da organização Abordagem de processo: Um resultado desejado é alcançado mais eficientemente quando as atividades e os recursos relacionados são gerenciados como um processo Abordagem sistêmica para a gestão: Identificar, entender e gerenciar os processos inter-relacionados como um sistema contribui para a eficácia e eficiência da organização no sentido de esta atingir os seus objetivos elhoria contínua: Convém que a melhoria contínua do desempenho global da organização seja seu objetivo permanente Abordagem factual para tomada de decisão: Decisões eficazes são baseadas na análise de dados e informações Benefícios mútuos nas relações com os fornecedores: Uma organização e seus fornecedores são interdependentes, e uma relação de benefícios mútuos aumenta a capacidade de ambos de agregar valor 3 O arcabouço Scrum A Gestão de Projetos Ágil surgiu a partir do anifesto para Desenvolvimento Ágil de Softwares (HIGHSITH, 2004), lançado em 2001 A essência dessa linha de desenvolvimento é a busca por métodos e técnicas de Gerenciamento de Projetos mais simples, que ofereçam maior flexibilidade com relação às alterações e maior foco no cliente A meta é alcançar maior velocidade na tomada de decisões, tornando-se ideal em ambientes inovadores, uma vez que permite adaptar o processo, absorver mudanças em requisitos e escopo do produto (ANGIONI, 2006) Boehm (2006) cita que no final dos anos 90 surgiram vários métodos ágeis, entre eles: Adaptive Software Development, Crystal, Dynamic Systems Development, extreme Programming (XP), Feature Driven Development (FDD) e Scrum Todos esses métodos 4

5 empregam princípios ágeis, tais como ciclos iterativos, entrega rápida de software funcionando e simplicidade, como definido no anifesto para Desenvolvimento Ágil (BCK et al, 2001) A essência desse movimento é a definição de novo enfoque de desenvolvimento de software, calcado na agilidade, na flexibilidade, nas habilidades de comunicação e na capacidade de oferecer novos produtos e serviços de valor ao mercado, em curtos períodos de tempo (HIGHSITH, 2004) O Scrum é uma abordagem enxuta de desenvolvimento de produtos ste arcabouço foi desenvolvido por Jeff Sutherland em 1993, baseado num artigo de Takeuchi & Nonaka (1986) sobre as vantagens dos pequenos times no desenvolvimento de produtos Originalmente, seu foco era somente o desenvolvimento de software, embora hoje seja aplicado ao desenvolvimento de produtos de maneira geral Apesar de ser uma abordagem nova, a utilização do Scrum tem aumentado bastante nos últimos anos, impulsionados pelas recentes pesquisas que mostram que seu uso aumenta a satisfação dos clientes e diminui o atraso em projetos em relação aos métodos tradicionais (ANN & AURR, 2005) O arcabouço, no jargão técnico framework, Scrum é uma prática Ágil que pode ser aplicada a qualquer tipo de desenvolvimento, onde haja no mínimo possibilidade de formar equipes de sete pessoas, com variação de mais ou menos duas pessoas O Scrum vem do termo em inglês atribuído ao time de rúgbi onde todos juntos trabalham em prol de um mesmo objetivo nquanto as metodologias tradicionais de desenvolvimento mantêm o foco na geração de documentação sobre o projeto e no cumprimento rígido de processos, a proposta ágil é concentrar as atenções no desenvolvimento em si e nas relações entre os participantes (UNDIN et al, 2002) A fase de planejamento inicial é reduzida para que os desenvolvedores possam se concentrar em cada iteração em vez de traçar diretrizes para o projeto como um todo O Scrum é composto por cerimônias, papéis e artefatos Deve obedecer a uma seqüência de execução para que proporcione sucesso ao projeto O framework é baseado em iterações compostas por períodos conhecidos como Sprints que variam entre duas a seis semanas A palavra Sprint vem do termo em inglês que significa corrida ou tomada de tempo, denotando exatamente que em cada período iterativo a equipe deve fazer o melhor de si para entregar o máximo possível do que foi comprometido A seguir é feita uma breve explanação dos itens que compõem o Scrum, conforme determina a Scrum Alliance, organização que rege o Scrum mundialmente, bem como certifica pessoas que se especializam na execução de projetos utilizando tal abordagem 31 Papéis Os membros que utilizam o arcabouço precisam atuar conforme os papéis designados durante a etapa de desenvolvimento Os papéis podem ser: Scrum aster (S) é o líder de pessoas, responsável por fazer o arcabouço funcionar Resolve os impedimentos levantados pela equipe, que possam atrapalhar a entrega do Sprint Product Owner (PO) é o líder técnico do produto a ser entregue É a pessoa que representa o cliente ou pode ser o próprio cliente, que sabe o que deseja receber e avalia as entregas parciais e entrega final do projeto O PO é o responsável por manter a lista de funcionalidades (Product Backlog) atualizada e priorizada, calcular e acompanhar o Retorno de Investimento do projeto 5

6 Scrum Team (ST) é a equipe auto-gerenciável e responsável por planejar, desenvolver e entregar as partes do produto de acordo com as prioridades estabelecidas pelo Product Owner, apontando os problemas ou impedimentos em maior escala que não consigam ser resolvidos para que o Scrum aster possa remover 32 Artefatos Os artefatos do Scrum são essenciais para manter a compatibilidade com a qualidade e compromisso de entregas São artefatos: Product Backlog é uma lista de funcionalidades do produto priorizada por valor de negócio e estimada pela equipe em forma de pontos ssa lista é mantida pelo Product Owner Sprint Backlog é um painel contendo as funcionalidades selecionadas para entrega num determinado Sprint com respectivas tarefas planejadas em forma de adesivos do tipo post-it Burndown Chart é um gráfico que mostra a evolução do produto ao longo do projeto ou de suas funcionalidades durante o sprint Impediment Backlog é uma lista ou painel contendo os impedimentos levantados pela equipe nas reuniões diárias, com acompanhamento de progresso e solução ssa lista é mantida pelo Scrum aster 33 Cerimônias As cerimônias executadas no Scrum são muito importantes para que possa ocorrer o ciclo PDCA (Planejar, xecutar, Controlar e Agir) São as seguintes: Sprint Planning1: primeiro planejamento da iteração Nessa reunião a equipe planeja o que se comprometerá a fazer em um período iterativo juntamente ao cliente, representado pelo PO São selecionados da lista de funcionalidades, os itens que serão trabalhados e entregues no final do sprint Sprint Planning2: segundo planejamento da iteração Nessa reunião a equipe planeja como farão as tarefas de cada funcionalidade no período do sprint Sprint Review: revisão da iteração Nessa reunião a equipe demonstra para o PO e convidados externos as funcionalidades executadas durante o Sprint Sprint Retrospective: retrospectiva da iteração Nessa reunião a equipe analisa criticamente o processo que foi executado durante o Sprint e sugere melhorias para as futuras iterações Daily Scrum eeting: reunião diária da iteração Nessa reunião, com duração máxima recomendada de quinze minutos, a equipe se comunica mutuamente informando o que fez no período de um dia, o que fará no período de um dia e o que poderá atrapalhar o desempenho de seu trabalho para entregar a funcionalidade stimation eeting: reunião de estimativa Nessa reunião a equipe estima o tamanho (em pontos) de cada funcionalidade que será trabalhada ao longo do projeto A cada final de iteração refina-se a pontuação a lista, pois a equipe vai se conscientizando melhor da complexidade das funcionalidades e tarefas planejadas ssa pontuação da 6

7 estimativa fica registrada no Product Backlog e mantida pelo Product Owner As reuniões de estimativa podem ocorrer mais de uma vez durante o Sprint, sempre que houver necessidade de mensurar em pontos ou refinar a lista de funcionalidades Cada uma das cerimônias tem um responsável A condução da reunião de estimativa é feita pelo Product Owner, a primeira reunião de planejamento é conduzida pelo Product Owner, a segunda reunião de planejamento é conduzida pelo Scrum aster, a reunião de revisão é conduzida pelo Product Owner, a reunião de retrospectiva é conduzida pelo Scrum aster e as reuniões diárias são conduzidas pela própria equipe auto-gerenciável Na figura 1 é mostrada a estrutura do Scrum, onde em uma iteração deve ocorrer no mínimo uma reunião de estimativa (), primeira reunião de planejamento (), segunda reunião de planejamento (), execução dos trabalhos (), reunião de revisão () e reunião de retrospectiva () Figura 1 Cerimônias do Sprint Fonte: Próprio autor 4 Análise Comparativa ISO 9001 x Scrum O projeto é um esforço temporário e único para o fornecimento de um produto ou serviço ste esforço é temporário, pois possui ao menos uma data de início e uma data de término bem definidos É único, porque representa o fornecimento de um produto ou serviço nunca feito antes e que nunca mais será fornecido de forma idêntica (PBoK, 2004) O gerenciamento de projetos é o ramo da administração utilizado para desenvolver um projeto, dentro do seu ciclo de vida (PRADO, 1998) Processo de gerenciamento de projetos na organização precisa ser padronizado, pois a norma de qualidade requer evidências de execução das etapas e domínio sobre ações a serem tomadas visando garantir a qualidade do produto Como o Scrum é bem aceito pelos desenvolvedores de software, por passar a impressão de desburocratização, foi visto como oportunidade para adaptá-lo no arcabouço de gerenciamento de projetos, aproveitando todos os atributos positivos que vão de encontro ao que é mais requerido na norma ISO 9001, ou seja, atender ao ciclo PDCA O Ciclo PDCA consiste em uma metodologia que tem com função auxiliar no diagnóstico, analisar e fornecer o prognóstico de problemas de uma organização, sendo muito útil na solução de problemas Poucas ferramentas se mostram tão efetivas na busca da melhoria contínua quanto o Ciclo PDCA, já que este conduz a ações sistemáticas agilizando a obtenção de melhores resultados visando garantir a sobrevivência e crescimento das empresas (QUINQUIOLO, 2002) Como a utilização do Ciclo PDCA está ligada ao conceito de 7

8 processo É importante que todos, os envolvidos em sua implementação, entendam a visão processual como a identificação dos insumos, clientes e saídas destes, além dos relacionamentos internos existentes na organização O Scrum é executado na camada de gerenciamento de projetos, especificamente mais concentrado nas etapas de Planejamento e xecução Na figura 2 é possível observar que podem ocorrer diversas iterações em um projeto com abordagem ágil, começando na fase de planejamento e se estendendo por toda a fase de execução m cada iteração, ou Sprint, acontece um planejamento, execução e teste nquanto não for possível entregar parcialmente um produto demonstrável ao cliente serão executadas iterações Co n ce i t o Plano xecução Suporte Sprint # 1 Sprint # 2 Sprint # 3 Sprint # N Figura 2 As iterações nas fases do projeto Fonte: Próprio autor Ao ser observadas as atividades dentro do ciclo iterativo do Scrum, é possível verificar que para cada período ocorre o planejamento, execução, controle e ações de melhoria, o que é o núcleo da ISO9001: o PDCA, conforme pode ser visualizado na figura 3 Cada cerimônia está compatível com o que é exigido pela ISO em termos que fechamento do ciclo de melhoria contínua em projetos P P D C A Figura 3 Ciclo PDCA presente em cada iteração (Sprint) no arcabouço Scrum Fonte: Próprio autor Ao acompanhar um processo baseado em Scrum, poderá ser observado que o PCDA não ocorre somente no período do Sprint, mas ocorre também diariamente Isso é decorrente do acontecimento de cada reunião diária (Daily Scrum) de 15 minutos a equipe presta conta do 8

9 que executou, planeja o que executará, controla os problemas evitando atrasos de entregas e sugere ações para que não aconteça repetição de problemas, melhorando assim o processo Portanto, significa que na parte D do Sprint ocorre outro PDCA Pode-se associar o sistema de qualidade aplicado a uma empresa projetizada conforme camadas hierárquicas que descrevem a compatibilidade entre o Scrum e a ISO9001 Figura 4 Compatibilidade do Scrum com a ISO9001 Fonte: Próprio autor Analisando a figura 4, a ISO9001 é o principal objetivo de compatibilidade e padronização entre os diversos processos de uma empresa Cada área escreve seus procedimentos explicando como ocorre o mapeamento de processo, documentos, instruções de trabalho e rotas de aprovações Na camada de instrução de trabalho, temos o Scrum no mesmo nível Os registros do framework são documentados através das minutas das cerimônias e artefatos Dessa forma ficam sincronizados os passos necessários para compatibilidade com a norma de qualidade e a abordagem utilizada durante o desenvolvimento do produto No Quadro 1 buscou-se dispor os requisitos da norma ISO com as cerimônias e artefatos em cada fase de projeto Observa-se, então, que o alinhamento de tais elementos é possível Requisito da norma ISO Conceito Planejamento xecução 71 Planejamento da realização do produto Processo de planejamento da realização do produto Processo de desenvolvimento da realização do produto 72 Processos relacionados a clientes 721 Determinação de requisitos relacionados ao produto 722 Análise crítica dos requisitos relacionados ao produto 723 Comunicação com o cliente sobre os requisitos do produto 72 Processos relacionados a clientes 722 Análise crítica dos requisitos Project Charter Plano de Projeto Product Backlog 9

10 relacionados ao produto 72 Processos relacionados a clientes 723 Comunicação com o cliente sobre os requisitos do produto 73 Controle de desenvolvimento do produto 731planejamento, projeto e desenvolvimento 73 Controle de desenvolvimento do produto 732 Definição das entradas de projeto e desenvolvimento 73 Controle de desenvolvimento do produto 733 Geração das saídas do projeto e desenvolvimento 73 Controle de desenvolvimento do produto 734 Revisão da realização projeto e desenvolvimento 73 Controle de desenvolvimento do produto 735 Realizar verificação do projeto e desenvolvimento 73 Controle de desenvolvimento do produto 736 Conduzir a validação do projeto e desenvolvimento 73 Controle de desenvolvimento do produto 737 Gerenciamento das mudanças no projeto e desenvolvimento Plano de Projeto Plano de Projeto Sprint Review Sprint Planning1 Sprint Planning1 Sprint Review Sprint Review Sprint Retrospective Sprint Review Sprint Review Product Backlog Quadro 1 Cerimônias e artefatos do Scrum alinhados aos requisitos da norma ISO9001 Fonte: Próprio autor Podemos observar na figura 5 as quatro fases do gerenciamento de projetos com abordagem ágil implementada num instituto de pesquisa: Proposta, Planejamento, xecução e ncerramento Para cada uma das fases foram destacados os principais documentos do arcabouço Scrum e do processo de gerenciamento de projetos, relacionados com os itens de requisitos da norma 10

11 Figura 5 Fases do projeto com Scrum atendendo à ISO9001 Fonte: Próprio autor Na camada de gerenciamento de projetos, o conteúdo dos documentos Project Charter (na fase Proposta) e Plano de Projeto (na fase Planejamento) atendem aos requisitos: 1 Processos relacionados a clientes, 2 Planejamento da realização do produto, e 3 Controle de desenvolvimento do produto Na fase xecução, o arcabouço Scrum atende aos subitens dos requisitos: 1 Análise crítica dos requisitos relacionados ao produto e gerenciamento das mudanças no projeto e desenvolvimento, 2 Definição das entradas de projeto e desenvolvimento e geração das saídas do projeto e desenvolvimento, 3 Revisão da realização projeto e desenvolvimento, 4 Realização da verificação do projeto e desenvolvimento, 5 Condução da validação do projeto e desenvolvimento, e 6 Comunicação com o cliente sobre os requisitos do produto Na fase ncerramento a norma é atendida pelo requisito condução da validação do projeto e desenvolvimento Dessa forma, o arcabouço sincroniza com os requisitos 7x da norma ISO9001, que se refere ao desenvolvimento de produto Para cada coluna de requisito da norma (Quadro 1) há um documento correspondente do Scrum na camada de gerenciamento 11

12 de projeto que permite compatibilizar assim o ciclo PDCA do Scrum com o da norma de qualidade 5 Considerações Finais ste artigo teve como objetivo analisar comparativamente a estrutura de trabalho Scrum com os requisitos da norma ISO9001 Buscou-se, através de uma pesquisa bibliográfica, comparativa, documental e descritiva, atingir tal objetivo Feita uma análise comparativa dos dois objetos estudados pode-se concluir que é possível compatibilizar um projeto que utiliza Scrum, visando atender às exigências da norma de qualidade ISO9001 O Scrum não é uma metodologia, nem cobre totalmente todas as etapas de gerenciamento de projetos Porém é uma forma de trabalho que possibilita a eficácia do projeto através da entrega parcial do produto antevendo os problemas, antecipando a satisfação do cliente, agindo preventivamente ou corretivamente no processo e fechando o ciclo PDCA, permitindo a compatibilização com a norma de qualidade relacionada a fazer produtos Como o Scrum não exige uso de ferramentas eletrônicas, todo o trabalho pode ser executado de forma cadenciada e rotineira a fim de que com poucos controles manuais Atua sem interferir burocraticamente no trabalho operacional da equipe, de modo que possa ser documentado, controlado, melhorado e planejado durante todo o ciclo do projeto Isso é o que a norma de qualidade ISO9001 pede, ou seja, nada precisa ser criado para se adequar à norma A norma pode ser atendida apenas com o PDCA executando o arcabouço da forma que foi concebido, com poucas formalizações de artefatos e cerimônias Quando da aplicação do Scrum, os documentos gerados nas cerimônias em forma de minutas e artefatos devem ser padronizados, de forma a atender os requisitos da norma Todo o conteúdo dos documentos das fases de gerenciamento de projeto (proposta, planejamento, execução e encerramento) devem ser analisados minuciosamente e readequados de forma a responder às perguntas do auditor relacionadas com o ciclo PDCA Na fase de execução, os documentos do Scrum (minutas e artefatos) servem como evidências de planejamento, desenvolvimento, controle e ações de melhorias com repetidos períodos durante todo o ciclo do projeto, permitindo assim ajustar o processo no decorrer do desenvolvimento e garantir a entrega do produto no tempo e com qualidade sta proposta de adaptação do Scrum à ISO9001 pode criar um processo ágil e manter o funcionamento do arcabouço sem modificação, possibilitando a manutenção da certificação de qualidade pelo órgão certificador internacional e evitando a distorção da forma de trabalhar original pregada pelos evangelizadores do Scrum mundo a fora Referências ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILIRA D NORAS TÉCNICAS Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR ISO9000 dição 30/12/2005 ANGIONI, et al Integrating XP Project anagement in Development, Journal of Systems Architecture, Vol 52, n 11, p , 2006 BCK, K et al (2001), anifesto for Agile Software Development, Dezembro 2006 BOH, B, A View of 20th and 21st Century Software ngineering, ICS 2006 FRRIRA, J J A A série ISO 9000:2000 São Paulo: Fundação Vanzolini, 2001 HIGHSITH, J Agile Project anagement: creating innovative products Boston: Addisson-Wesley,

13 ANN, C & AURR, F A Case Study on the Impact of Scrum on Overtime and Customer Satisfaction Proceedings of the Agile Development Conference I Cumputer Society 2005 OLIVIRA, OTÁVIO JOSÉ D odelo para gestão para pequenas empresas de projeto de edifícios f Tese (Doutorado em ngenharia Civil) POLI/USP, São Paulo, 2005 PRADO, D S Planejamento e Controle de Projetos Vol 2 Belo Horizonte: ditora de Desenvolvimento Gerencial, 1998 PROJCT ANAGNT INSTITUT Project anagement Body of Knowledge (PBoK) 3 ed Pennsylvania: Project anagement Institute Inc, 2004 QUINQUIOLO, J Avaliação da ficácia de um Sistema de Gerenciamento para elhorias Implantado na Área de Carroceria de uma Linha de Produção Automotiva Taubaté SP: Universidade de Taubaté, 2002 SALGADO, S Apostila para a disciplina - Gestão do Processo de Projeto na Construção do difício Rio de janeiro: PROARQ/ FAU/ UFRJ, 2006 SCRU ALLIANC ZACHARIAS, OCANO J; ISO 9000:2000 conhecendo e implantando: uma ferramenta de gestão empresarial 1ª edição, São Paulo: Assoc Religiosa Imprensa da Fé,

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Objetivos da Aula 1 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Entendimento sobre os processos essenciais do

Leia mais

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 Leonardo Rospi (UNIP Universidade Paulista) lrospi@terra.com.br Oduvaldo Vendrametto (UNIP Universidade Paulista)

Leia mais

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson Géssica Talita Márcia Verônica Prof.: Edmilson DESENVOLVIMENTO ÁGIL Técnicas foram criadas com o foco de terminar os projetos de software rapidamente e de forma eficaz. Este tipo de técnica foi categorizada

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação SCRUM Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM 2011 Bridge Consulting Apresentação Há muitos anos, empresas e equipes de desenvolvimento

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Danilo Sato e Dairton Bassi 21-05-07 IME-USP O que é Scrum? Processo empírico de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br SCRUM Otimizando projetos Adilson Taub Júnior tecproit.com.br Sobre mim Adilson Taub Júnior Gerente de Processos Certified ScrumMaster; ITIL Certified; Cobit Certified; 8+ anos experiência com TI Especialista

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

Desenvolvimento ágil de software

Desenvolvimento ágil de software Desenvolvimento ágil de software Desenvolvimento ágil de software (do inglês Agile software development) ou Método ágil é um conjunto de metodologias de desenvolvimento de software. O desenvolvimento ágil,

Leia mais

Quais são as características de um projeto?

Quais são as características de um projeto? Metodologias ágeis Flávio Steffens de Castro Projetos? Quais são as características de um projeto? Temporário (início e fim) Objetivo (produto, serviço e resultado) Único Recursos limitados Planejados,

Leia mais

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Carolina Luiza Chamas Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil carolchamas@hotmail.com Leandro Colevati dos

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente.

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Desenvolvido por Jeff SUTHERLAND e Ken SCHWABER ; Bastante objetivo, com papéis bem definidos; Curva de Aprendizado é

Leia mais

Gerenciamento de Equipes com Scrum

Gerenciamento de Equipes com Scrum Gerenciamento de Equipes com Scrum Curso de Verão 2009 IME/USP www.agilcoop.org.br Dairton Bassi 28/Jan/2009 O que é Scrum? Processo de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900 Metodologia SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484 Stelvio Mazza RM 63117 Tiago Pereira RM 63115 SCRUM? O que é isso? SCRUM é um modelo de desenvolvimento ágil de software que fornece

Leia mais

Objetivos do Módulo 3

Objetivos do Módulo 3 Objetivos do Módulo 3 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Conceitos do Scrum O que é um Sprint Decifrando um Product backlog Daily Scrum, Sprint Review, Retrospectiva

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2015 Desenvolvimento Rápido de Software 2 1 Para quê o Desenvolvimento Rápido de Software? Os negócios

Leia mais

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software de Desenvolvimento de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos Apresentação Executiva 1 O treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos tem como premissa preparar profissionais para darem início às

Leia mais

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks S C R U M Apresentação Tiago Domenici Griffo Arquiteto de Software na MCP, MCAD, MCSD, MCTS Web, Windows e TFS, ITIL Foundation Certified, MPS.BR P1 Experiência internacional e de offshoring Agradecimento

Leia mais

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Patrícia Bastos Girardi, Sulimar Prado, Andreia Sampaio Resumo Este trabalho tem como objetivo prover uma

Leia mais

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE?

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE? É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE Doubleday K. Francotti v 1.0 Onde foi parar os requisitos? Trabalhando 30h por dia! Manda quem pode... Caminho das pedras Hum... Acho que deu certo... Onde foi parar

Leia mais

Gestão Ágil de Projetos e a certificação PMI-ACP

Gestão Ágil de Projetos e a certificação PMI-ACP Gestão Ágil de Projetos e a certificação PMI-ACP Apresentação Roberto Gil Espinha Mais de 15 anos de experiência em Projetos Bacharel em Administração de Empresas pela UNIVILLE Pós-Graduado em Gestão Empresarial

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife Projeto de Dissertação de Mestrado FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum Eric de Oliveira

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS WESLLEYMOURA@GMAIL.COM INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS ANÁLISE DE SISTEMAS Introdução aos métodos ágeis Metodologias tradicionais Estes tipos de metodologias dominaram a forma de desenvolvimento de software

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes Workshop Scrum & Rational Team Concert (RTC) Sergio Martins Fernandes Agilidade Slide 2 Habilidade de criar e responder a mudanças, buscando agregar valor em um ambiente de negócio turbulento O Manifesto

Leia mais

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes Instituto Federal do Rio Grande do Norte IFRN Graduação Tecnologia em Analise e Desenvolvimento de Sistema Disciplina: Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 2 Prefácio 3 A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normatização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês

Leia mais

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR Em seu próprio Projeto Aprenda como Agilizar seu Projeto! A grande parte dos profissionais que tomam a decisão de implantar o Scrum em seus projetos normalmente tem

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr.

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Manifesto da Agilidade Quatro princípios Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software funcionando mais que documentação compreensiva Colaboração

Leia mais

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO RESUMO Eleandro Lopes de Lima 1 Nielsen Alves dos Santos 2 Rodrigo Vitorino Moravia 3 Maria Renata Furtado 4 Ao propor uma alternativa para o gerenciamento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT GUSTAVO ARCERITO MARIVALDO FELIPE DE MELO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT GUSTAVO ARCERITO MARIVALDO FELIPE DE MELO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA - FT GUSTAVO ARCERITO MARIVALDO FELIPE DE MELO Análise da Metodologia Ágil SCRUM no desenvolvimento de software para o agronegócio Limeira

Leia mais

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com.

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com. ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS (CASE STUDY: SCRUM AND PMBOK - STATES IN PROJECT MANAGEMENT) Aline Maria Sabião Brake 1, Fabrício Moreira 2, Marcelo Divaldo Brake 3, João

Leia mais

Scrum How it works. Há quatro grupos com papéis bem definidos:

Scrum How it works. Há quatro grupos com papéis bem definidos: Scrum É um processo de desenvolvimento iterativo e incremental. É utilizado quando não se consegue predizer tudo o que irá ocorrer. Em geral, utiliza-se em projetos complexos, de difícil abordagem pela

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

A PRIMMER possui casos importantes nesta área. Venha compartilhar conosco desta experiência magnífica no mundo das metodologias ágeis.

A PRIMMER possui casos importantes nesta área. Venha compartilhar conosco desta experiência magnífica no mundo das metodologias ágeis. METODOLOGIAS ÁGEIS Boas Práticas para o Gerenciamento de Projetos de TI utilizando métodos ágeis baseados em SCRUM e XP etc. DIFERENCIAIS Avaliação prévia das necessidades de cada participante para customização

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Diego R. Marins 1,2, José A. Rodrigues Nt. 1, Geraldo B. Xexéo 2, Jano M. de Sousa 1 1 Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - COPPE/UFRJ 2 Departamento

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE BOAS PRÁTICAS DO PMI COM OS MÉTODOS ÁGEIS Por: Sheyla Christina Bueno Ortiz Orientador Prof. Nelsom Magalhães Rio de Janeiro

Leia mais

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Fevereiro 2015 Versão Módulo de Projetos Ágeis O nome vem de uma jogada ou formação do Rugby, onde 8 jogadores de cada time devem se encaixar para formar uma muralha. É muito importante

Leia mais

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA TUTORIAIS Framework SCRUM Rafael Buck Eduardo Franceschini MSc., PMP, CSM MBA SCRUM vs. PMBOK SCRUM vs. PMBOK ESCOPO Restrições de um projeto (Tripla Restrição) TEMPO CUSTO Modelo de Contrato de projetos

Leia mais

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Workshop www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Rildo F Santos twitter: @rildosan skype: rildo.f.santos http://rildosan.blogspot.com/ Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010

Leia mais

Estudo de compatibilidade entre PMBOK e SCRUM

Estudo de compatibilidade entre PMBOK e SCRUM Estudo de compatibilidade entre PMBOK e SCRUM Resumo Marcela Silva Kardec O objetivo deste estudo é fazer uma revisão do conhecimento sobre o gerenciamento de projetos, sob a ótica do que é classificado

Leia mais

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Andre Scarmagnani 1, Fabricio C. Mota 1, Isaac da Silva 1, Matheus de C. Madalozzo 1, Regis S. Onishi 1, Luciano S. Cardoso 1

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS VANESSA WATZKO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS VANESSA WATZKO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS VANESSA WATZKO PROPOSTA DE MÉTODO DE GESTÃO DE PROJETOS INCORPORANDO CONCEITOS

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Renato Luiz Della Volpe Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. Formado em 1983 em Eng. Mecânica pela FEI e Pós-graduação em Administração pela USP 2001.

Leia mais

Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado

Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado Caxias do Sul, 16 de Agosto 2013 Gustavo Casarotto Agenda O Scrum Planejamento da Sprint 1 Execução da Sprint 1 Revisão da Sprint 1 Retrospectiva da Sprint

Leia mais

Ágil. Rápido. Métodos Ágeis em Engenharia de Software. Introdução. Thiago do Nascimento Ferreira. Introdução. Introdução. Introdução.

Ágil. Rápido. Métodos Ágeis em Engenharia de Software. Introdução. Thiago do Nascimento Ferreira. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução Métodos Ágeis em Engenharia de Software Thiago do Nascimento Ferreira Desenvolvimento de software é imprevisível e complicado; Empresas operam em ambiente global com mudanças rápidas; Reconhecer

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Método Aldeia de Projetos

Método Aldeia de Projetos MAP Método Aldeia de Projetos Como surgiu o MAP? Em mais de 15 anos de atuação experimentamos distintas linhas de pensamento para inspirar nosso processo e diversas metodologias para organizar nossa forma

Leia mais

Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse

Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE AUTO PEÇAS Renan Malavazi Mauro Valek Jr Renato Malavazi Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse Sistema de Gerenciamento de AutoPeças A aplicação

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE - UMA PROPOSTA DE INSTRUMENTALIZAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE - UMA PROPOSTA DE INSTRUMENTALIZAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE - UMA PROPOSTA DE INSTRUMENTALIZAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS Maíra Cecília Lewin (LATEC/UFF) Resumo Em uma organização certificada e projetizada,

Leia mais

SÃO PAULO - A metodologias ágeis viraram o mantra das equipes de desenvolvimento. Veja se você está preparado para entrar nessa.

SÃO PAULO - A metodologias ágeis viraram o mantra das equipes de desenvolvimento. Veja se você está preparado para entrar nessa. http://info.abril.com.br/noticias/carreira/pronto-para-o-scrum-09009-.shl Página de 7/09/009 Terça-feira, de setembro de 009-0h0 SÃO PAULO - A metodologias ágeis viraram o mantra das equipes de desenvolvimento.

Leia mais

METODOLOGIA ÁGIL. Lílian Simão Oliveira

METODOLOGIA ÁGIL. Lílian Simão Oliveira METODOLOGIA ÁGIL Lílian Simão Oliveira Fonte: Pressman, 2004 Aulas Prof. Auxiliadora Freire e Sabrina Schürhaus Alexandre Amorin Por quê???? Principais Causas Uso das Funcionalidades Processos empírico

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Agenda. Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias

Agenda. Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias Agenda Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias 1 Questão Central Como formar trabalhadores para o Século 21? 2 Visão Desafios do Cenário Atual

Leia mais

Scrum. Gestão ágil de projetos

Scrum. Gestão ágil de projetos Scrum Gestão ágil de projetos Apresentação feita por : Igor Macaúbas e Marcos Pereira Modificada por: Francisco Alecrim (22/01/2012) Metas para o o Metas para treinamento seminário Explicar o que é Scrum

Leia mais

Scrumming. Ferramenta Educacional para Ensino de Práticas do SCRUM

Scrumming. Ferramenta Educacional para Ensino de Práticas do SCRUM PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE INFORMÁTICA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Scrumming Ferramenta Educacional para Ensino de Práticas do SCRUM por ERASMO

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Faculdade de Informática e Administração Paulista Curso de Sistemas de Informação 2º SI-T Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Ágil SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484

Leia mais

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education [Agile] Scrum + XP Agilidade extrema Wagner Roberto dos Santos Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com 1 Apresentação Arquiteto Java EE / Scrum Master Lead Editor da Queue Arquitetura

Leia mais

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI Capítulo 6: PSP Capítulo

Leia mais

MODELO DE PROCESSO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SOFTWARE COM BASE EM METODOLOGIAS ÁGEIS

MODELO DE PROCESSO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SOFTWARE COM BASE EM METODOLOGIAS ÁGEIS MODELO DE PROCESSO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SOFTWARE COM BASE EM METODOLOGIAS ÁGEIS MIRILIAN CARLA ARAUJO CORILLO 1, ANDREA PADOVAN JUBILEU 2. 1 Tecnóloga em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

MANIFESTO ÁGIL. Esses conceitos aproximam-se melhor com a forma que pequenas e médias organizações trabalham e respondem à mudanças.

MANIFESTO ÁGIL. Esses conceitos aproximam-se melhor com a forma que pequenas e médias organizações trabalham e respondem à mudanças. METODOLOGIAS ÁGEIS SURGIMENTO As metodologias ágeis surgiram em resposta ao problema dos atrasos no desenvolvimento de software e aos cancelamentos, devido ao fato dos sistemas demorarem muito tempo para

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Disciplina: Engenharia de Software Tópico: Metodologias Ágeis Prof. Rodolfo Miranda de Barros rodolfo@uel.br O que é agilidade? Agilidade: Rapidez,

Leia mais

Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI

Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI Teresa Maria de Medeiros Maciel UFRPE/INES/UFPE tmmaciel@gmail.com Base de conhecimento disponível Maior controle ISO9001 MPS BR Padronização processual

Leia mais

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br Comparativo entre Processos Ágeis Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br O que discutiremos: Histórico Os Princípios Ágeis Comparação Do ponto de vista incremental Do ponto de vista funcional Vantagens e Desvantagens

Leia mais

Gestão de Projetos com Scrum

Gestão de Projetos com Scrum Gestão de Projetos com Scrum Curso de Verão - Jan / 2010 IME/USP - São Paulo Dairton Bassi dbassi@gmail.com Processo de gerenciamento de projetos. Processo iterativo de inspeção e adaptação. Usado para

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Felipe Furtado Engenheiro de Qualidade Izabella Lyra Gerente de Projetos Maio/2008 Agenda Motivação Pesquisas Adaptações do Processo Projeto Piloto Considerações

Leia mais

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum. Guia do Nexus O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.org Tabela de Conteúdo Visão Geral do Nexus... 2 O Propósito

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES Marcelo Augusto Lima Painka¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS 1

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS 1 1 GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS 1 Peter Rizzon 2 Resumo: Com a crescente demanda no desenvolvimento de softwares baseados na plataforma web, as empresas

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Outubro de 2011 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Índice O propósito do Guia do Scrum... 3 Visão geral do Scrum...

Leia mais

Análise de Escopo e Planejamento no Desenvolvimento de Software, sob a Perspectiva Ágil

Análise de Escopo e Planejamento no Desenvolvimento de Software, sob a Perspectiva Ágil Análise de Escopo e Planejamento no Desenvolvimento de Software, sob a Perspectiva Ágil Roberto Costa Araujo Orientador: Cristiano T. Galina Sistemas de Informação Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Leia mais