EXIN Agile Scrum Fundamentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXIN Agile Scrum Fundamentos"

Transcrição

1 Exame Simulado EXIN Agile Scrum Fundamentos Edição Fevereiro 2015

2 Copyright 2015 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada num sistema de processamento de dados ou transmitida em qualquer forma por impressão, impressão de fotos, microfilme, ou quaisquer outros meios sem permissão por escrito da EXIN. Exame Simulado ASF.PR 2

3 Conteúdo Introdução 4 Exame simulado 5 Gabarito de respostas 11 Avaliação 21 Exame Simulado ASF.PR 3

4 Introdução Este é o modelo de exame que consiste de 20 questões de múltipla escolha. O exame real consiste de 40 questões de múltipla escolha. Cada questão de múltipla escolha possui um número de possíveis respostas, onde somente uma é a resposta correta. O número máximo de pontos que pode ser obtido neste exame simulado é 20. Cada questão correta corresponde a um ponto. Para ser aprovado você precisa acertar 13 (65%) ou mais pontos. O tempo máximo permitido para a realização do exame é de 30 minutos. Nenhum direito será derivado desta informação. Boa sorte! Exame Simulado ASF.PR 4

5 Exame simulado 1 de 20 A gerência sênior quer auditar regularmente se o time está seguindo as práticas e princípios ágeis. Quem está na melhor posição para conduzir tal auditoria? A. Product Owner B. Scrummaster C. Time D. Testadores 2 de 20 O time Scrum pensa em uma boa prática para definir claramente um checklist de itens que devem ser completados antes de chamar uma estória de completada. Que artefato eles podem estar usando para isto? A. Gráfico de Burndown B. Definição de pronto C. Backlog do produto D. Backlog da Sprint 3 de 20 Uma Sprint concluída foi um desastre total. Nenhuma das estórias planejadas foram cumpridas e a revisão foi cancelada. A gerência sênior quer estabelecer o responsável por isso. Quem é afinal, o responsável pelo sucesso ou fracasso de um time Scrum? A. Product Owner B. Scrummaster C. Gerência sênior D. Time Exame Simulado ASF.PR 5

6 4 de 20 Um membro do time Scrum sente que o arquiteto técnico sênior de outro time pode ter alguma percepção e comentário de valor sobre o produto. Qual é a melhor cerimônia para solicitar tal comentário? A. Reunião Diária B. Planejamento da Sprint C. Retrospectiva da Sprint D. Revisão da Sprint 5 de 20 No final de cada dia de trabalho, os membros do time atualizam o número de horas remanescentes nas tarefas no quadro. Em seguida, o Scrummaster resume as horas e traça uma linha em um gráfico. Qual é o nome deste gráfico? A. Gráfico de Burndown B. Gráfico de Burnup C. Gráfico de linhas D. Diagrama de estacionamento 6 de 20 Em quanto tempo um time Scrum, com cinco integrantes, deve finalizar o planejamento de uma Sprint com duração de 3 semanas? A. De uma a três horas B. De três a seis horas C. De seis a doze horas D. Quinze horas Exame Simulado ASF.PR 6

7 7 de 20 Um time Scrum está consciente que está atrasado na entrega de um componente que outro time Scrum esta esperando. Qual é a melhor cerimônia para discutir esta questão e encontrar uma solução? A. Reunião diária de uma das duas equipes B. Scrum-de-Scrums C. Revisão da Sprint D. Retrospectiva da Sprint 8 de 20 Um time está em transição para o Scrum. Eles já possuem um papel chamado Coordenador de Projeto, que facilita interações, remove impedimentos e atua como um coach dos processos do time. Qual deve ser o nome deste papel após a transição? A. Coordenador de Projeto B. Gerente de Projeto C. Scrummaster D. Gerente de Projeto Scrum 9 de 20 Ao rever o comportamento das barras verticais do gráfico de Burndown da versão de entrega, um Scrummaster recém chegado no time, observou que a parte inferior da barra tinha se movido acima do eixo horizontal entre as iterações três e quatro. O que pode ser concluído com esta observação? A. O time terminou menos estórias do que as alocadas para a iteração três B. O time terminou mais estórias do que as alocadas para a iteração três C. Foi adicionado trabalho para o projeto durante a iteração três D. Foi removido trabalho para o projeto durante a iteração três 10 de 20 Qual é uma afirmação do manifesto ágil? A. Valorizamos negociações de contrato sobre colaboração com o cliente B. Valorizamos seguir o plano sobre responder a mudanças. C. Valorizamos processos e ferramentas sobre interação com o cliente. D. Valorizamos o software funcionando sobre documentação excessiva. Exame Simulado ASF.PR 7

8 11 de 20 Qual é o melhor caminho para melhorar as comunicações em um time Scrum distribuído? A. A nomeação de um único ponto de contato para a comunicação entre todos os locais B. Co-localização de toda a equipe para uma sessão de planejamento da versão de entrega C. Estabelecer trilha de auditoria clara para toda a comunicação do projeto D. Apresentar etapas de transição adicionais no projeto para assegurar supervisão 12 de 20 Uma pessoa está trabalhando no código e outra pessoa está observando, criticando e ocasionalmente trocam de papéis entre eles. Qual prática esta sendo seguida aqui? A. Revisão de código B. Integração contínua C. Programação pareada D. Desenvolvimento orientado a testes 13 de 20 De acordo com as práticas ágeis, que tipo de time pode surgir com melhores requisitos, arquiteturas e design? A. Co-localizado B. Experiente C. Auto-organizado D. Bem treinado 14 de 20 O que o W representa no quadro de priorização MoSCoW? A. Whether B. Wish C. Won't D. Would Exame Simulado ASF.PR 8

9 15 de 20 Qual é o melhor momento para refatorar um código no projeto? A. Continuamente e na primeira oportunidade possível B. Durante as iterações mais difíceis C. Durante a última iteração D. Quando o Product Owner decidir por agendá-la 16 de 20 Qual das seguintes é uma característica desejável para um radiador de informação? A. Atual B. Detalhado C. Fornecido com base no que é preciso saber D. Estável 17 de 20 Que carga de trabalho o time deve planejar gastar em uma estória específica? A. Conforme determinado pela definição de pronto B. Design e desenvolvimento C. Design, desenvolvimento e testes D. Design, desenvolvimento, testes e documentação 18 de 20 Passadas oito Sprints, um time completou 85 pontos por estória em conjunto. O time tem sido solicitado para iniciar um trabalho em um novo projeto que está estimado em 64 pontos por estória. Quantas Sprints serão necessárias para completar este projeto? A. Cinco B. Sete C. Oito D. Dez Exame Simulado ASF.PR 9

10 19 de 20 Uma estória é estimada em cinco pontos por estória. Qual é a interpretação do número cinco? A. O número de horas de duração requeridas para completar a estória B. O número de homem/dia em esforço requerido para completar a estória C. O número de homem/hora de esforço requerido para completar a estória D. Tamanho relativo da estória com relação as outras 20 de 20 O Product Owner quer que uma estória seja completada em dois dias. O membro do time que está trabalhando na estória acha que ainda vai demorar cinco dias. O Scrummaster sente que isto deve durar três dias. Um especialista no assunto que já trabalhou em estórias similares no passado, pensa que deverá ter mais um dia de esforço. A estimativa de quem deve ser usada para o planejamento? A. Product Owner B. Scrummaster C. Especialista no assunto D. Membro do time Exame Simulado ASF.PR 10

11 Gabarito de respostas 1 de 20 A gerência sênior quer auditar regularmente se o time está seguindo as práticas e princípios ágeis. Quem está na melhor posição para conduzir tal auditoria? A. Product Owner B. Scrummaster C. Time D. Testadores B. Correta. Uma das responsabilidades do Scrummaster é ser o coach dos processos do time e garantir que o time siga as práticas corretamente. 2 de 20 O time Scrum pensa em uma boa prática para definir claramente um checklist de itens que devem ser completados antes de chamar uma estória de completada. Que artefato eles podem estar usando para isto? A. Gráfico de Burndown B. Definição de pronto C. Backlog do produto D. Backlog da Sprint B. Correta. A definição de pronto é o melhor entendimento, e claramente documenta a definição dos itens que devem ser estabelecidos para marcar a estória (ou iteração ou projeto) como completada. Exame Simulado ASF.PR 11

12 3 de 20 Uma Sprint concluída foi um desastre total. Nenhuma das estórias planejadas foram cumpridas e a revisão foi cancelada. A gerência sênior quer estabelecer o responsável por isso. Quem é afinal, o responsável pelo sucesso ou fracasso de um time Scrum? A. Product Owner B. Scrummaster C. Gerência sênior D. Time D. Correta. O time é o responsável coletivamente pelo sucesso ou fracasso de um projeto Scrum. 4 de 20 Um membro do time Scrum sente que o arquiteto técnico sênior de outro time pode ter alguma percepção e comentário de valor sobre o produto. Qual é a melhor cerimônia para solicitar tal comentário? A. Reunião Diária B. Planejamento da Sprint C. Retrospectiva da Sprint D. Revisão da Sprint D. Correta. A revisão da Sprint é um trabalho de demonstração do produto que está sendo construído e esta é a melhor cerimônia para convidar stakeholders externos e obter suas entradas para o projeto. Exame Simulado ASF.PR 12

13 5 de 20 No final de cada dia de trabalho, os membros do time atualizam o número de horas remanescentes nas tarefas no quadro. Em seguida, o Scrummaster resume as horas e traça uma linha em um gráfico. Qual é o nome deste gráfico? A. Gráfico de Burndown B. Gráfico de Burnup C. Gráfico de linhas D. Diagrama de estacionamento A. Correta. O gráfico de Burndown fornece medições diárias do trabalho restante na iteração. 6 de 20 Em quanto tempo um time Scrum, com cinco integrantes, deve finalizar o planejamento de uma Sprint com duração de 3 semanas? A. De uma a três horas B. De três a seis horas C. De seis a doze horas D. Quinze horas B. Correta. O planejamento da Sprint deve, idealmente, ter uma ou duas horas para cada semana de duração da Sprint. Exame Simulado ASF.PR 13

14 7 de 20 Um time Scrum está consciente que está atrasado na entrega de um componente que outro time Scrum esta esperando. Qual é a melhor cerimônia para discutir esta questão e encontrar uma solução? A. Reunião diária de uma das duas equipes B. Scrum-de-Scrums C. Revisão da Sprint D. Retrospectiva da Sprint B. Correta. A Scrum-de-Scrums é uma reunião de coordenação onde dependências e resoluções de questões de times distribuídos podem ser discutidas. 8 de 20 Um time está em transição para o Scrum. Eles já possuem um papel chamado Coordenador de Projeto, que facilita interações, remove impedimentos e atua como um coach dos processos do time. Qual deve ser o nome deste papel após a transição? A. Coordenador de Projeto B. Gerente de Projeto C. Scrummaster D. Gerente de Projeto Scrum C. Correta. É importante manter a filosofia dos papéis para ser capaz de obter o máximo de benefícios. Há uma razão para a escolha dos nomes para os diferentes papéis e é melhor não mexer com eles. Exame Simulado ASF.PR 14

15 9 de 20 Ao rever o comportamento das barras verticais do gráfico de Burndown da versão de entrega, um Scrummaster recém chegado no time, observou que a parte inferior da barra tinha se movido acima do eixo horizontal entre as iterações três e quatro. O que pode ser concluído com esta observação? A. O time terminou menos estórias do que as alocadas para a iteração três B. O time terminou mais estórias do que as alocadas para a iteração três C. Foi adicionado trabalho para o projeto durante a iteração três D. Foi removido trabalho para o projeto durante a iteração três D. Correta. Em um nível de versão de entrega do gráfico de Burndown, trabalhos removidos do escopo podem ser indicados pelo movimento para cima da barra inferior do gráfico. 10 de 20 Qual é uma afirmação do manifesto ágil? A. Valorizamos negociações de contrato sobre colaboração com o cliente B. Valorizamos seguir o plano sobre responder a mudanças. C. Valorizamos processos e ferramentas sobre interação com o cliente. D. Valorizamos o software funcionando sobre documentação excessiva. D. Correta. Valorizar software funcionando sobre documentação excessiva é uma afirmação do Manifesto Ágil. Exame Simulado ASF.PR 15

16 11 de 20 Qual é o melhor caminho para melhorar as comunicações em um time Scrum distribuído? A. A nomeação de um único ponto de contato para a comunicação entre todos os locais B. Co-localização de toda a equipe para uma sessão de planejamento da versão de entrega C. Estabelecer trilha de auditoria clara para toda a comunicação do projeto D. Apresentar etapas de transição adicionais no projeto para assegurar supervisão B. Correta. O time trabalhando junto para o planejamento da versão de entrega oferece mais valor, proporcionando um contato face-a-face entre os membros do time, uma oportunidade para estabelecer harmonia e formação de equipe, e o esclarecimento de expectativas e exigências que estão mais a frente. 12 de 20 Uma pessoa está trabalhando no código e outra pessoa está observando, criticando e ocasionalmente trocam de papéis entre eles. Qual prática esta sendo seguida aqui? A. Revisão de código B. Integração contínua C. Programação pareada D. Desenvolvimento orientado a testes C. Correta. Programação pareada é a prática de dois desenvolvedores trabalhando em um terminal de computador. Um como motorista e outro como o navegador. Exame Simulado ASF.PR 16

17 13 de 20 De acordo com as práticas ágeis, que tipo de time pode surgir com melhores requisitos, arquiteturas e design? A. Co-localizado B. Experiente C. Auto-organizado D. Bem treinado C. Correta. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times autoorganizáveis. 14 de 20 O que o W representa no quadro de priorização MoSCoW? A. Whether B. Wish C. Won't D. Would C. Correta. MoSCoW: Must, Should, Could e Won't. 15 de 20 Qual é o melhor momento para refatorar um código no projeto? A. Continuamente e na primeira oportunidade possível B. Durante as iterações mais difíceis C. Durante a última iteração D. Quando o Product Owner decidir por agendá-la A. Corret A. Refatoração contínua, ou seja, Refatorar sempre o código enquanto alterá-lo, é a melhor prática. Exame Simulado ASF.PR 17

18 16 de 20 Qual das seguintes é uma característica desejável para um radiador de informação? A. Atual B. Detalhado C. Fornecido com base no que é preciso saber D. Estável A. Correta. Um radiador de informação deve ser recente e atualizado. Todos os outros não são características desejáveis para um radiador de informação. 17 de 20 Que carga de trabalho o time deve planejar gastar em uma estória específica? A. Conforme determinado pela definição de pronto B. Design e desenvolvimento C. Design, desenvolvimento e testes D. Design, desenvolvimento, testes e documentação A. Correta. Ter uma estória com a situação de completada de acordo com a definição de pronto deve ser objetivo do time e deve ser usado como base do planejamento. Exame Simulado ASF.PR 18

19 18 de 20 Passadas oito Sprints, um time completou 85 pontos por estória em conjunto. O time tem sido solicitado para iniciar um trabalho em um novo projeto que está estimado em 64 pontos por estória. Quantas Sprints serão necessárias para completar este projeto? A. Cinco B. Sete C. Oito D. Dez B. Correta. A velocidade do time é 85/5. O número de Sprints requeridas para completar o projeto é 64/velocidade, trabalhando ligeiramente acima de seis. Com isso, sete é a resposta mais razoável. 19 de 20 Uma estória é estimada em cinco pontos por estória. Qual é a interpretação do número cinco? A. O número de horas de duração requeridas para completar a estória B. O número de homem/dia em esforço requerido para completar a estória C. O número de homem/hora de esforço requerido para completar a estória D. Tamanho relativo da estória com relação as outras D. Correta. Pontos por estória é uma técnica de estimativa análoga, referindo-se a tamanhos comparativos e não determinísticos. Exame Simulado ASF.PR 19

20 20 de 20 O Product Owner quer que uma estória seja completada em dois dias. O membro do time que está trabalhando na estória acha que ainda vai demorar cinco dias. O Scrummaster sente que isto deve durar três dias. Um especialista no assunto que já trabalhou em estórias similares no passado, pensa que deverá ter mais um dia de esforço. A estimativa de quem deve ser usada para o planejamento? A. Product Owner B. Scrummaster C. Especialista no assunto D. Membro do time D. Correta. No final do dia, a única estimativa que interessa é a dada pelo membro do time que irá trabalhar na estória. Exame Simulado ASF.PR 20

21 Avaliação A tabela a seguir mostra as respostas corretas às questões apresentadas neste exame modelo Número Resposta Pontos 1 B 1 2 B 1 3 D 1 4 D 1 5 A 1 6 B 1 7 B 1 8 C 1 9 D 1 10 D 1 11 B 1 12 C 1 13 C 1 14 C 1 15 A 1 16 A 1 17 A 1 18 B 1 19 D 1 20 D 1 Exame Simulado ASF.PR 21

22 Contato EXIN

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr.

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Manifesto da Agilidade Quatro princípios Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software funcionando mais que documentação compreensiva Colaboração

Leia mais

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900 Metodologia SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484 Stelvio Mazza RM 63117 Tiago Pereira RM 63115 SCRUM? O que é isso? SCRUM é um modelo de desenvolvimento ágil de software que fornece

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

Objetivos do Módulo 3

Objetivos do Módulo 3 Objetivos do Módulo 3 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Conceitos do Scrum O que é um Sprint Decifrando um Product backlog Daily Scrum, Sprint Review, Retrospectiva

Leia mais

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Motivação Manifesto Ágil Princípios Ciclo Papeis, cerimônias, eventos, artefatos Comunicação Product Backlog Desperdício 64% das features

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

Quando a análise de Pontos de Função se torna um método ágil

Quando a análise de Pontos de Função se torna um método ágil Quando a análise de Pontos de Função se torna um método ágil Carlos Oest carlosoest@petrobras.com.br Time Box: 60 minutos Backlog da apresentação: Apresentação do assunto 1 SCRUM 2 Estimativa com Pontos

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Danilo Sato e Dairton Bassi 21-05-07 IME-USP O que é Scrum? Processo empírico de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes Workshop Scrum & Rational Team Concert (RTC) Sergio Martins Fernandes Agilidade Slide 2 Habilidade de criar e responder a mudanças, buscando agregar valor em um ambiente de negócio turbulento O Manifesto

Leia mais

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br SCRUM Otimizando projetos Adilson Taub Júnior tecproit.com.br Sobre mim Adilson Taub Júnior Gerente de Processos Certified ScrumMaster; ITIL Certified; Cobit Certified; 8+ anos experiência com TI Especialista

Leia mais

Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse

Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE AUTO PEÇAS Renan Malavazi Mauro Valek Jr Renato Malavazi Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse Sistema de Gerenciamento de AutoPeças A aplicação

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum. Guia do Nexus O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.org Tabela de Conteúdo Visão Geral do Nexus... 2 O Propósito

Leia mais

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Objetivos da Aula 1 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Entendimento sobre os processos essenciais do

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o

Leia mais

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR Em seu próprio Projeto Aprenda como Agilizar seu Projeto! A grande parte dos profissionais que tomam a decisão de implantar o Scrum em seus projetos normalmente tem

Leia mais

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson Géssica Talita Márcia Verônica Prof.: Edmilson DESENVOLVIMENTO ÁGIL Técnicas foram criadas com o foco de terminar os projetos de software rapidamente e de forma eficaz. Este tipo de técnica foi categorizada

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM -

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - André Roberto Ortoncelli ar_ortoncelli@hotmail.com 2010 Organização da Apresentação Introdução as Metodologias Ágeis Scrum Conceitos Básicos Artefatos Papeis Cerimônias Estórias

Leia mais

Gerenciamento de Equipes com Scrum

Gerenciamento de Equipes com Scrum Gerenciamento de Equipes com Scrum Curso de Verão 2009 IME/USP www.agilcoop.org.br Dairton Bassi 28/Jan/2009 O que é Scrum? Processo de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos Apresentação Executiva 1 O treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos tem como premissa preparar profissionais para darem início às

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software em Larga Escala

Desenvolvimento Ágil de Software em Larga Escala Desenvolvimento Ágil de Software em Larga Escala Jutta Eckstein Encontro Ágil 2009 1 Agilidade é Quente Gerenciamento Ágil de Projetos Testes Ágeis Arquitetura Ágeis Offshore Ágil Investimento Ágil PLM

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Fevereiro 2015 Versão Módulo de Projetos Ágeis O nome vem de uma jogada ou formação do Rugby, onde 8 jogadores de cada time devem se encaixar para formar uma muralha. É muito importante

Leia mais

ScRUM na prática. Scrum no dia-a-dia. V Semana de Tecnologia da Informação

ScRUM na prática. Scrum no dia-a-dia. V Semana de Tecnologia da Informação ScRUM na prática Scrum no dia-a-dia V Semana de Tecnologia da Informação Agenda Manifesto Ágil; O Scrum; Os papéis do Scrum; Quem usa Scrum; O Scrum na Tray; Cerimônias; Artefatos. Qualidade. era uma vez

Leia mais

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO RESUMO Eleandro Lopes de Lima 1 Nielsen Alves dos Santos 2 Rodrigo Vitorino Moravia 3 Maria Renata Furtado 4 Ao propor uma alternativa para o gerenciamento

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA TUTORIAIS Framework SCRUM Rafael Buck Eduardo Franceschini MSc., PMP, CSM MBA SCRUM vs. PMBOK SCRUM vs. PMBOK ESCOPO Restrições de um projeto (Tripla Restrição) TEMPO CUSTO Modelo de Contrato de projetos

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente.

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Desenvolvido por Jeff SUTHERLAND e Ken SCHWABER ; Bastante objetivo, com papéis bem definidos; Curva de Aprendizado é

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS WESLLEYMOURA@GMAIL.COM INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS ANÁLISE DE SISTEMAS Introdução aos métodos ágeis Metodologias tradicionais Estes tipos de metodologias dominaram a forma de desenvolvimento de software

Leia mais

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br Agilidade parte 3/3 - Scrum Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br 1 Scrum Scrum? Jogada do Rugby Formação de muralha com 8 jogadores Trabalho em EQUIPE 2 Scrum 3 Scrum Scrum Processo

Leia mais

Scrum. Gestão ágil de projetos

Scrum. Gestão ágil de projetos Scrum Gestão ágil de projetos Apresentação feita por : Igor Macaúbas e Marcos Pereira Modificada por: Francisco Alecrim (22/01/2012) Metas para o o Metas para treinamento seminário Explicar o que é Scrum

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Faculdade de Informática e Administração Paulista Curso de Sistemas de Informação 2º SI-T Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Ágil SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484

Leia mais

Fundamentos de Teste de Software

Fundamentos de Teste de Software Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Fundamentos de Teste de Software Módulo 2- Teste Estático e Teste Dinâmico Aula 3 Teste Estático SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. Definição... 3 2. Custo Versus Benefício...

Leia mais

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo!

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo! Scrum 100 Lero Lero Um curso objetivo! Napoleãããõ blah blah blah Whiskas Sachê Sim, sou eu! Frederico de Azevedo Aranha MBA, PMP, ITIL Expert Por que 100 Lero Lero? Porque o lero lero está documentado.

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE?

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE? É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE Doubleday K. Francotti v 1.0 Onde foi parar os requisitos? Trabalhando 30h por dia! Manda quem pode... Caminho das pedras Hum... Acho que deu certo... Onde foi parar

Leia mais

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Workshop www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Rildo F Santos twitter: @rildosan skype: rildo.f.santos http://rildosan.blogspot.com/ Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia 1 Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Metodologias ágeis Princípios do Manifesto ágil 12 itens do manifesto

Leia mais

Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence. Trilha da Indústria - 2015

Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence. Trilha da Indústria - 2015 Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence Trilha da Indústria - 2015 Palestrante Graduação Ciência da Computação UFAL/2008 Mestre em Ciência da Computação UFPE/2011

Leia mais

Francielle Santos (francielle@deinfo.ufrpe.br)

Francielle Santos (francielle@deinfo.ufrpe.br) Francielle Santos (francielle@deinfo.ufrpe.br) Gerência de Projetos; Gerência de Configuração; Gestão do Conhecimento. francielle@deinfo.ufrpe.br 2 O Perfil do gerente Papéis envolvidos Planejar versus

Leia mais

Scrum How it works. Há quatro grupos com papéis bem definidos:

Scrum How it works. Há quatro grupos com papéis bem definidos: Scrum É um processo de desenvolvimento iterativo e incremental. É utilizado quando não se consegue predizer tudo o que irá ocorrer. Em geral, utiliza-se em projetos complexos, de difícil abordagem pela

Leia mais

Monitoramento e Controle. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Monitoramento e Controle. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Monitoramento e Controle Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br O que é? O plano pode ser visto como lacunas (contendo tarefas), que estão previstas mas ainda não foram executadas É possível

Leia mais

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks S C R U M Apresentação Tiago Domenici Griffo Arquiteto de Software na MCP, MCAD, MCSD, MCTS Web, Windows e TFS, ITIL Foundation Certified, MPS.BR P1 Experiência internacional e de offshoring Agradecimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 27 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento e entrega

Leia mais

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education [Agile] Scrum + XP Agilidade extrema Wagner Roberto dos Santos Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com 1 Apresentação Arquiteto Java EE / Scrum Master Lead Editor da Queue Arquitetura

Leia mais

Gestão de Projetos com Scrum

Gestão de Projetos com Scrum Gestão de Projetos com Scrum Curso de Verão - Jan / 2010 IME/USP - São Paulo Dairton Bassi dbassi@gmail.com Processo de gerenciamento de projetos. Processo iterativo de inspeção e adaptação. Usado para

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Engenharia de Software II: SCRUM na prática. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: SCRUM na prática. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: SCRUM na prática Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Construindo Product Backlog } O product backlog é o coração do Scrum. } É basicamente uma lista de requisitos, estórias,

Leia mais

Projetos Ágeis aplicados a TI. Júlio Cesar da Silva Msc.

Projetos Ágeis aplicados a TI. Júlio Cesar da Silva Msc. Projetos Ágeis aplicados a TI Júlio Cesar da Silva Msc. Apresentação Graduação em Matemática e TI MBA em Gestão em TI Mestre em Administração Certificado ITIL, Cobit e ScrumMaster Professor Graduação Professor

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Outubro de 2011 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Índice O propósito do Guia do Scrum... 3 Visão geral do Scrum...

Leia mais

Quais são as características de um projeto?

Quais são as características de um projeto? Metodologias ágeis Flávio Steffens de Castro Projetos? Quais são as características de um projeto? Temporário (início e fim) Objetivo (produto, serviço e resultado) Único Recursos limitados Planejados,

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

SCRUM IN HELL Aplicando agilidade em ambientes difíceis

SCRUM IN HELL Aplicando agilidade em ambientes difíceis SCRUM IN HELL Aplicando agilidade em ambientes difíceis Flávio Steffens de Castro Page 1 Apresentação Flávio Steffens de Castro Formado em Sistemas de Informação pela PUCRS Gerente de projetos da empresa

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

IT Management Principles

IT Management Principles Exame Simulado IT Management Principles Edição Julho 2012 Copyright 2012 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada num sistema

Leia mais

Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis

Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis Desenvolvedor / Orientador Rafael Raymundo da Silva Guilherme Lacerda Out / 2010 1 Sumário 1.Conhecendo a ferramenta...3 2.Gerência de projetos ágeis...3 2.1Product

Leia mais

Scrum no Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos

Scrum no Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos Scrum no Desenvolvimento de Jogos Eletrônicos Vinícius Kiwi Daros Orientador: Prof. Flávio Soares MAC 499 Trabalho de Formatura Supervisionado IME - USP 16 de novembro de 2011 Roteiro Roteiro Introdução

Leia mais

Agenda. Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias

Agenda. Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias Agenda Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias 1 Questão Central Como formar trabalhadores para o Século 21? 2 Visão Desafios do Cenário Atual

Leia mais

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Carolina Luiza Chamas Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil carolchamas@hotmail.com Leandro Colevati dos

Leia mais

Agilidade: SCRUM e XP

Agilidade: SCRUM e XP Agilidade: SCRUM e XP Facilitador Fernando Costa formado em Redes de Computadores Sócio da 3LJ Tecnologia www.3lj.com.br Agenda SCRUM: Contexto de projetos Valores ágeis Princípios ágeis Scrum Paradoxo

Leia mais

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Felipe Furtado Engenheiro de Qualidade Izabella Lyra Gerente de Projetos Maio/2008 Agenda Motivação Pesquisas Adaptações do Processo Projeto Piloto Considerações

Leia mais

Metodologia de Trabalho

Metodologia de Trabalho FUNDAMENTOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Projeto Prático de Desenvolvimento de Software Metodologia de Trabalho Teresa Maciel UFRPE/DEINFO FASES DO PROJETO PLANEJAMENTO DESENVOLVIMENTO CONCLUSÃO ATIVIDADES

Leia mais

Scrum. Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Sistemas de Informação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br

Scrum. Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Sistemas de Informação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br Scrum Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Sistemas de Informação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br Baseado em slides de Mike Cohn mike@mountaingoatsoftware.com traduzidos e adaptados por

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Julho de 2013. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Julho de 2013. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Julho de 2013 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Í ndice O propósito do Guia do Scrum... 3 Definição do Scrum...

Leia mais

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas.

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas. Métodos Ágeis Edes Garcia da Costa Filho edes_filho@dc.ufscar.br 1 Tópicos Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Extreme Programming (XP). Referências Bibliográficas. 2 Histórico

Leia mais

METODOLOGIA ÁGIL. Lílian Simão Oliveira

METODOLOGIA ÁGIL. Lílian Simão Oliveira METODOLOGIA ÁGIL Lílian Simão Oliveira Fonte: Pressman, 2004 Aulas Prof. Auxiliadora Freire e Sabrina Schürhaus Alexandre Amorin Por quê???? Principais Causas Uso das Funcionalidades Processos empírico

Leia mais

Caso Prático: Java como ferramenta de suporte a um ambiente realmente colaborativo no método Scrum de trabalho

Caso Prático: Java como ferramenta de suporte a um ambiente realmente colaborativo no método Scrum de trabalho Caso Prático: Java como ferramenta de suporte a um ambiente realmente colaborativo no método Scrum de trabalho UOL Produtos Rádio UOL Julho 2008 André Piza Certified Scrum Master Agenda Scrum como método

Leia mais

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO Um pouco de história... Década de 50: a gestão de projetos é reconhecida como disciplina,

Leia mais

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA NONA REGIÃO ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA

Leia mais

A Disciplina Gerência de Projetos

A Disciplina Gerência de Projetos A Disciplina Gerência de Projetos Atividades, Artefatos e Responsabilidades hermano@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar atividades da disciplina Gerência de Projetos Discutir os artefatos e responsáveis envolvidos

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 Extreme Programming (XP); DAS (Desenvolvimento Adaptativo de Software)

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Casa do Código Livros para o programador Rua Vergueiro, 3185-8º andar 04101-300 Vila Mariana São Paulo SP Brasil

Casa do Código Livros para o programador Rua Vergueiro, 3185-8º andar 04101-300 Vila Mariana São Paulo SP Brasil Casa do Código Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº9.610, de 10/02/1998. Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida, nem transmitida, sem autorização prévia por escrito da editora,

Leia mais

FIC Faculdade Integrada do Ceará Curso em tecnologia em analise e desenvolvimento de sistemas. OpenUp. Arquitetura de software

FIC Faculdade Integrada do Ceará Curso em tecnologia em analise e desenvolvimento de sistemas. OpenUp. Arquitetura de software FIC Faculdade Integrada do Ceará Curso em tecnologia em analise e desenvolvimento de sistemas OpenUp Arquitetura de software Fortaleza/2010 OpenUP Alguns anos atrás, vários funcionários da IBM começaram

Leia mais

Fevereiro 2010. Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Fevereiro 2010. Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Fevereiro 2010 Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Agradecimentos Geral Scrum é baseado nas melhores práticas aceitas pelo mercado, utilizadas e provadas por décadas. Ele é

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CURSO DE PROCESSAMENTO DE DADOS VICENTE DE FREITAS ALMEIDA NETO

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CURSO DE PROCESSAMENTO DE DADOS VICENTE DE FREITAS ALMEIDA NETO FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CURSO DE PROCESSAMENTO DE DADOS VICENTE DE FREITAS ALMEIDA NETO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE PMBOK E SCRUM SÃO PAULO

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

Versão 7 TraceGP Ágil

Versão 7 TraceGP Ágil Versão 7 Cadastro de Produtos Será possível cadastrar todos os produtos da empresa bem como descrever suas características particulares através da seleção de atributos dinâmicos para cada produto. Manutenção

Leia mais

Reuse in a Distributed Environment

Reuse in a Distributed Environment Reuse in a Distributed Environment É possível aplicar APF em um Ambiente Ágil? Alcione Ramos, MSc, CFPS, PMP, CSD Cejana Maciel, MSc, Scrum Master, ITIL, COBIT Ponto de função é coisa dos anos 70. É uma

Leia mais

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Diego R. Marins 1,2, José A. Rodrigues Nt. 1, Geraldo B. Xexéo 2, Jano M. de Sousa 1 1 Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - COPPE/UFRJ 2 Departamento

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS BRUNO ROBERTO DA SILVA CESAR HENRIQUE MACIEL RIBEIRO GUSTAVO HENRIQUE PINHEIRO RICARDO SALLUM DE SOUZA VITOR

Leia mais

Utilização de Práticas Genéricas do CMMI para apoiar a utilização de Metodologias Ágeis.

Utilização de Práticas Genéricas do CMMI para apoiar a utilização de Metodologias Ágeis. Utilização de Práticas Genéricas do CMMI para apoiar a utilização de Metodologias Ágeis. Célio Santana,1, Cristine Gusmão 1, Ana Rouiller 2, Alexandre Vasconcelos 3 1 Universidade de Pernambuco, Departamento

Leia mais

Capítulo 1. Extreme Programming: visão geral

Capítulo 1. Extreme Programming: visão geral Capítulo 1 Extreme Programming: visão geral Extreme Programming, ou XP, é um processo de desenvolvimento de software voltado para: Projetos cujos requisitos são vagos e mudam com freqüência; Desenvolvimento

Leia mais