MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (MI) (SELEÇÃO DE CONSULTORES) Programa de Modernização de Instrumentos e Sistemas de Gestão da Administração Pública Federal SOLICITAÇÃO PARA A APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE N o 09/2014 do Contrato de Empréstimo nº 2192/OC-BR. Processo nº / Seleção Baseada na Qualidade e Custo nº 09/2014. A República Federativa do Brasil recebeu um financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e se propõe utilizar parte destes fundos para efetuar pagamentos de despesas elegíveis em virtude do Programa de Modernização de Instrumentos e Sistemas de Gestão da Administração Pública Federal para prover os seguintes serviços de consultoria: Apoio no Desenvolvimento do Desenho de uma Arquitetura de Mineração de Processos em Sistemas Estruturantes e Protocolos de Governo, baseado nos dados de sistemas de informação da APF, visando a identificação e a geração automática de modelos e descrição dos fluxos de trabalho no prazo de 12 (doze) meses. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão convida os consultores elegíveis a apresentar o seu interesse na execução dos serviços solicitados. Os consultores interessados deverão fornecer informação que demonstre que estão qualificados para prestar os serviços (folhetos, descrição de serviços semelhantes executados, experiência em condições idênticas, corpo técnico adequado etc.). É permitida a associação em consórcio para melhorar as suas qualificações. Os consultores serão selecionados de acordo com os procedimentos estabelecidos nas Políticas para Seleção e Contratação de Consultores Financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (edição atual), e está aberta a todos os Consultores de Países Elegíveis, conforme definido nestas normas. Os Consultores interessados poderão obter mais informação por meio do endereço abaixo indicado, durante o horário comercial [08h00-12h00 e 14h00-18h00].

2 As manifestações de interesse deverão ser enviadas via postal, ou correio eletrônico ao endereço abaixo indicado o mais tardar até às 18h do dia 04/11/2014. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Diretoria de Administração Coordenação-Geral de Aquisições Coordenação de Compras At: Priscila Alves de Castro Chefe de Divisão Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Esplanada dos Ministérios, Bloco K, Sala 216, CEP: , Brasília /DF - Brasil. Tel: /4997 Fax: com cópia para e 1. Objeto Contratação de empresa para apoiar o MP no Desenho de uma Arquitetura de Mineração de Processos em Sistemas Estruturantes e Protocolos de Governo, baseado nos dados de sistemas de informação da APF, visando a identificação e a geração automática de modelos e descrição dos fluxos de trabalho. As descrições devem ser escritas no padrão BPMN de forma que possibilite a sua execução em ferramentas de workflow livres, com o objetivo de garantir o acompanhamento e controle da movimentação dos processos internos e externos do MP. 2. Resultados Esperados A contratação visa aos seguintes resultados: a) Identificação e geração automática de modelos de processos e fluxos de trabalho, a partir dos dados existentes em sistemas de protocolos e logs de banco de dados dos sistemas estruturantes e protocolos (Ex: CPROD, SIASG, SICONV, etc.). b) Visualização dos modelos gerados, utilizando o padrão BPMN. c) Plano de automatização do processo de diagnóstico (análise de desempenho) dos modelos gerados e identificação de caminhos de tempo máximo, médio e mínimo.

3 d) Pilotos de geração automática da descrição dos processos e fluxos de trabalhos, através de Notação de Descrição de Processos (BPMN), para execução em ferramentas de workflow existentes no MP. 3. Produtos a Serem Fornecidos PRODUTO I: Plano de Projeto O Plano de Projeto é um documento que será gerado após um conjunto de reuniões técnicas com a equipe da CONTRATADA que irá desenvolver o projeto. Neste documento, deverão constar o detalhamento do escopo do projeto, seus riscos, responsabilidades, entregas, cronograma e o método de acompanhamento. O Plano de Projeto deverá estar acompanhado aos seguintes documentos: SUBPRODUTO I.1: Termo de Abertura do Projeto Documenta as necessidades de negócio e o grau de responsabilidade das áreas e pessoas envolvidas. Indica quem será o PO (Project Owner) do projeto e seus substitutos em caso de ausência nas reuniões de Comitê Estratégico. SUBPRODUTO I.2: Estrutura Analítica do Projeto (EAP) Documenta o dimensionamento do escopo do projeto. A EAP do projeto é visualização hierárquica que apresenta a decomposição do projeto em partes menores e gerenciáveis, em pacotes de trabalho. SUBPRODUTO I.3: Cronograma Documenta e relaciona as precedências entre as atividades do projeto. Deve ser gerado como um Gráfico de Gantt do projeto e detalhar claramente os 12 meses de projeto. SUBPRODUTO I.4: Matriz de Responsabilidades Documenta as responsabilidades dentro do projeto, sobretudo em relação a integração com o método ágil, definindo claramente os papéis de cada integrante das equipes. SUBPRODUTO I.5: Plano de Comunicações Documenta e identifica as partes interessadas, o que, como, quem, quando, porque e onde será comunicado cada tipo de informação e ainda como isto influencia no projeto. SUBPRODUTO I.6: Plano de Riscos

4 Identifica os potenciais riscos do projeto utilizando a abordagem Delphi para coletar e documentar os riscos identificados, qualitativamente e quantitativamente, além do plano de respostas aos riscos. SUBPRODUTO I.7: Modelo de Integração com o Método Ágil Documenta como as equipes do projeto irão utilizar o Método Ágil (SCRUM) ao longo do projeto. Deverá indicar a ferramenta de Governo apropriada para uso do Método. PRODUTO II: Documento de definição da Estratégia a ser utilizados na Identificação de Modelos de Processos, Padrões de Atividades e Fluxos de trabalho existentes nos Sistemas Estruturantes e Protocolos de Governo (Ex: CPROD, SIASG, SICONV). A implantação de qualquer processo pelo Governo deve estar baseada em um padrão que atenda aos diversos sistemas de governo. Esse produto visa gerar um modelo para garantir que as etapas de mineração de processos sejam executadas de forma padronizada. Os documentos que compõe o produto possibilitam a construção de um modelo que garanta o cumprimento do processo de identificação dos Processos e Fluxos de trabalhos existentes, pois descreve todas as etapas que deverão ser executadas no processo de Mineração dos Sistemas Estruturantes e de Protocolos. Esses documentos devem servir de padrão para execução em do processo em outros sistemas de governo. Para isso, deverão ser realizados um conjunto de entrevistas com usuários especialistas de domínio dos sistemas estruturantes e de protocolo do MP com objetivo de aumentar a compreensibilidade do ambiente para estabelecer uma estratégia/processo de mineração de processos que deverá ser implementada. SUBPRODUTO II.I: Relatório de Levantamento Inicial das Diretrizes do Projeto. Esse relatório descreve, a partir da compreensão dos sistemas de governo, as etapas do processo e recursos necessários para a execução do mesmo. Isso inclui a definição das diretrizes e orientações para a seleção das ferramentas que deverão ser utilizadas no processo de mineração, abrangendo: Instalação: plataforma de trabalho, Sistema Operacional, parâmetros de configuração; Resultados: descrição da abordagem que deverá ser adotada para a extração de modelos, os tipos de modelos que deverão ser gerados e a notação utilizada nesses modelos; Integração: integração e interoperabilidade com outras ferramentas e algoritmos, incluindo procedimentos a serem seguidos.

5 SUBPRODUTO II.II: Levantamento e Análise das informações existentes nos Sistemas Estruturantes e de Protocolo. Esse relatório descreve o resultado do estudo e compreensão da natureza dos dados disponíveis em termos de conteúdo e tipos de campos de dados e estrutura das relações entre os registros. A Lista das características de dados ajudará na escolha de uma abordagem de mineração de dados. SUBPRODUTO II.III: Diagrama de Processo das Etapas identificadas. Construção do diagrama contendo o modelo para descrever cada etapa do processo de Mineração dos sistemas de governo, utilizando linguagem padrão de descrição de processos utilizada pelo MP (por exemplo, BPMN (Business Process Model Notation), Redes de Petri ou FSM (Finite State Machines). Esta análise deve ser feita por ferramenta livre que permita mineração de processos, visualização e otimização de fluxos considerando a extração de logs, bases de dados e relatórios que permitam a definição de melhores práticas. As análises devem considerar tempo, pessoas, departamentos, comparação entre processos, etapas e hierarquia do SIORG, por exemplo. PRODUTO III: Estudo exploratório para a seleção de algoritmos de mineração de processos para a busca de padrões. Este relatório deve procurar buscar a luz de sistemas estruturantes e sistemas de protocolo de governo qual(is) o(s) tipo(s) de algoritmo(s) de mineração de processos é(são) mais adequado(s) ao(s) tipo(s) de aplicação. SUBPRODUTO III.I: Definição das necessidades de algoritmos segundo preceitos do Software Livre, E-Ping e padrões do SERPRO Resultado do estudo comparativo no contexto dos dados dos sistemas. A escolha da técnica de mineração de dados depende do problema de negócio a ser solucionado e das características dos dados disponíveis para análise, enquanto que na escolha da ferramenta de mineração devem ser levados em consideração vários parâmetros, tais como, características gerais da ferramenta (livre e adequada ou que permita adequação aos preceitos de software de governo), linguagem em que a ferramenta foi desenvolvida, sua facilidade de Configuração/Adaptação, conexão a bancos de dados, critérios de desempenho computacional, critérios de funcionalidade, critérios de usabilidade, etc. Então, esse relatório deve conter a definição desses parâmetros que deverão ser levados em conta no estudo exploratório. Os dados que serão analisados estarão dispostos no Repositório de Arquivos de Dados - RAD do SERPRO. Este repositório de arquivos de dados é definido como uma coleção dados tratados e disponíveis para compartilhamento com os diversos interesses em

6 informações de Governo. Os dados estão abertos para interoperação ou em base de dados hospedada em ambiente de aplicações de Governo. Neste ambiente são compartilhados os dados tratados e organizados por área de negócio do Governo, bem como os processos de transformação de dados para possível reutilização. O usuário do RAD fica isento de esforços para extração das fontes dos dados e de estruturação e carga de seus componentes e a gestão do RAD obedece ao fluxo de processamento de dados definido pela Coordenação Geral de Sistemas da Diretoria de Tecnologia da Informação do MP que implica, em linhas gerais, nos seguintes passos: extração das fontes de dados; tratamento dos dados e aplicação das regras de negócio; carga dos dados no formato determinado; catalogação do processo de tratamento (ETL). SUBPRODUTO III.II: Extração dos dados a serem realizados na seleção dos algoritmos. Para realização do estudo será necessária a realização de alguns testes sobre um conjunto de dados coletados junto aos sistemas que serão utilizados nos pilotos. Isso inclui o desenvolvimento de rotinas de extração de dados a serem considerados nos testes dos algoritmos. SUBPRODUTO III.III: Definição dos algoritmos a serem utilizados para cada base de dados dos Sistemas Estruturantes e de Protocolos para extração de informações de processos. Relatório contendo informações sobre os algoritmos que se adaptaram melhor às amostras confeccionadas para o experimento realizado, bem como os parâmetros de configuração necessários, as necessidades de adaptação e o ambiente de execução. PRODUTO IV: Estudo e Seleção de ferramentas de mineração de processos para identificação de modelos e padrões de atividades, com base nos algoritmos selecionados. SUBPRODUTO IV.I: Diretrizes para seleção da Ferramenta de mineração de Processos. Relatório contendo as características importantes na escolha da ferramenta de mineração de processos, onde devem ser relacionados parâmetros a serem considerados na escolha, tais como: A capacidade de produzir (saída) diferentes tipos de modelos. A capacidade de Customização/Adaptação de novos algoritmos. A capacidade de processamento com relação ao número máximo de instâncias a serem mineradas. A facilidade na produção dos dados de entrada. Características gerais da ferramenta: desempenho, funcionalidade, usabilidade e suporte de atividades principais de uma organização ou sistema.

7 SUBPRODUTO IV.II: Análise de algoritmos e ferramentas de mineração de processos capazes de identificar modelos de processos e padrões de dados dos sistemas estruturantes e protocolos do MP Estudo referencial de algoritmos e ferramentas computacionais de mineração de dados e processos que sejam capazes de identificar automaticamente gargalos, erros, pontos de melhoria e inconsistências nos processos que envolvem protocolos e sistemas estruturantes do MP. Este estudo deve contemplar análises comparativas, relatórios de benchmarking e ainda uma definição de um conjunto de funcionalidades e mecanismos que possam atender às necessidades de mineração de processos do MP que respeitem padrões de governo eletrônico e do SERPRO. PRODUTO V: Estudos e consultoria em customização de algoritmos de mineração de processos e ferramentas selecionadas com base nas diretrizes propostas. SUBPRODUTO V.I: Definição das interfaces de Integração dos Algoritmos e Ferramentas. Consultoria em análise de integração de mecanismos necessários para realizar o desenvolvimento do processo de integração dos algoritmos e ferramentas selecionados. SUBPRODUTO V.II: Estudo de viabilidade de implementação do Processo de Customização da Ferramenta e Adaptação dos algoritmos. Relatório com os resultados da prova de conceito utilizando algoritmos de otimização da ferramenta. SUBPRODUTO V.III: Documento de orientação para o desenvolvimento de ferramenta de mineração de processo de acordo com o padrão e a metodologia adotada pelo MP. PRODUTO VI: Validação da Estratégia de Identificação de Modelo de Processos e Padrões de atividades. Inclui os produtos necessários à execução do processo de Mineração dos Sistemas selecionados para realização dos projetos piloto. SUBPRODUTO VI.I: Definição dos mecanismos de Extração dos dados (ETL) para execução dos projetos piloto de sistemas de protocolo e estruturantes (ex: CPROD, SIASG, SICONV). Realização de testes em scripts para efetuar o processo de extração dos dados das bases de dados dos sistemas para gerar a base de dados no formato exigido pela ferramenta de mineração.

8 SUBPRODUTO VI.II: Execução de Projeto Piloto de Mineração e Identificação de Padrões de sistemas de protocolo e estruturantes (ex: CPROD, SIASG, SICONV). SUBPRODUTO VI.III: Relatório de execução do projeto piloto sobre os sistemas de protocolo e estruturantes (ex: CPROD, SIASG, SICONV). Diagramas contendo os modelos de processos e fluxos de trabalhos identificados resultantes do processo de Mineração de Processos, utilizando a descrição padrão BPMN. SUBPRODUTO VI.IV: Relatório de Análise e identificação de Melhorias nos resultados obtidos. Com base na aplicação da mineração de processos, gerar um relatório contendo o resultado da análise e proposição de melhorias nos modelos de processos identificados. A análise deve avaliar as dimensões temporais, número de processos, passagem por nós obrigatórios e possíveis caminhos derivados. PRODUTO VII: Descrição dos processos em formato de workflow para execução em ferramentas livres no formato BPMN. Gerar uma descrição dos fluxos de trabalho dos processos identificados e selecionados em linguagem de script para que possam ser executados e visualizados em sistema de workflow livre, com intuito de visualizar e controlar o fluxo de trabalho e seus relacionamentos. O conhecimento descoberto poderá ser divulgado e disseminado a todos que poderão analisar as melhorias propostas. PRODUTO VIII: Disseminação e Passagem de Conhecimento do processo de mineração, análise e melhorias de processos identificados e geração de descrição dos Fluxos de trabalho para sistemas de workflow. Disseminação da solução para externos ao projeto; Plano de implantação com a definição das plataformas de hardware e software necessárias; documento de boas práticas para construção de processo de extração, transformação e carga; Documento da mineração de processos; Plano de capacitação de pessoas para operação na ferramenta escolhida (mineração e análise). A fase de transferência de conhecimento e tecnologia consiste em conjunto de reuniões técnicas com as equipes de análise de negócio, de arquitetura de dados, de gestores, além de analistas de tecnologia da informação responsáveis por absorver conhecimento e métodos gerados pelo projeto.

9 A Contratada deverá realizar a transferência de conhecimento e tecnologia para integrantes do MP e através de documentação, apresentações e reuniões técnicas. A transferência de conhecimento e tecnologia deverá proporcionar aos gestores e analistas do MP, o conhecimento necessário ao entendimento dos trabalhos realizados, devendo ser ministrada pela própria empresa fornecedora dos serviços, em português e na cidade de Brasília-DF. A transferência de conhecimento e tecnologia deverá atender a todos os profissionais indicados pelo MP e deverá contar com pelo menos 2 seminários com carga horária mínima de 8 (oito) horas, 3 reuniões técnicas e entrega formal dos documentos de gerenciamento do projeto, métodos gerados, modelos de dados, arquitetura de informações, apresentações para posterior disseminação e relatório de transferência de conhecimento e tecnologia em formato digital. A Contratada deverá responsabilizar-se por todos os custos referentes à locomoção, alimentação e hospedagem dos profissionais que executarão o processo de transferência de conhecimento e tecnologia, bem como todo material utilizado para apoiar esse processo. O MP poderá solicitar a realização de um novo processo de transferência de tecnologia e conhecimento, com a reformulação que achar necessária, caso o processo executado pela Contratada não atenda às expectativas da Contratante. A Transferência de Tecnologia deve acompanhar os seguintes documentos: Artefatos (documentos, apresentações e relatórios) referentes aos seminários de transferência de conhecimento e tecnologia. Artefatos (documentos, apresentações e relatórios) referente às reuniões técnicas Documentação atualizada do projeto 4. Local de Execução dos Serviços Todas as apresentações gerenciais e as entregas dos produtos serão realizadas em Brasília. Reuniões técnicas serão realizadas em Brasília, nas instalações do SERPRO no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte e potenciais locais indicados pelo MP, onde o SERPRO possui instalações. 5. Qualificações Técnicas Para a execução dos trabalhos / elaboração dos produtos, a equipe deverá ser composta por, no mínimo, 4 profissionais nas funções definidas a seguir.

10 FUNÇÃO 1 Coordenador de Projetos 1 Gerente de Projetos 1 Analista de Banco de Dados 1 Analista de Sistema FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA MÍNIMA Formação em nível superior: na área de tecnologia da informação ou engenharia. Mestrado em engenharia de sistemas, sistemas de informação, ciência da computação ou área similar. Desejável Doutorado em engenharia de sistemas, sistemas de informação, ciência da computação ou área similar. Mínimo de 5 anos de experiência na coordenação de projetos com o Governo ou órgãos públicos. Experiência em pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados a Banco de Dados, Gestão de Conhecimento, Mineração de Dados. Formação em nível superior: ciência da computação ou área similar. Pós-graduação, MBA ou especialização em Gerência de Projetos (min 360h). Desejável Mestrado em engenharia de sistemas ou área similar. Desejável Doutorado em engenharia de sistemas ou área similar. Mínimo de 2 anos de experiência na gerência de projetos com o Governo ou órgãos públicos. Experiência comprovada em pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados a Banco de Dados, Mineração de Textos Formação em nível superior. Desejável Pós-graduação, MBA ou especialização em Gestão de Conhecimento (min 360h). Desejável Mestrado em engenharia de sistemas e computação ou área similar Mínimo de 5 anos de experiência em projetos com o Governo ou órgãos públicos Experiência comprovada em pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados a Banco de Dados, Gestão do Conhecimento, Colaboração e/ou Mineração de Processos. Formação em nível superior: ciência da computação ou área similar. Desejável Mestrado em engenharia de sistemas, tecnologia da informação ou área similar. Mínimo de 1 ano de experiência no desenvolvimento de projetos com o Governo ou órgãos públicos. Experiência comprovada de pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados à Gestão do Conhecimento, Sistemas de Suporte a Decisão e Fluxo de Processos (workflow)

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA A APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE - MI (PROJETOS DE ENGENHARIA)

SOLICITAÇÃO PARA A APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE - MI (PROJETOS DE ENGENHARIA) BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO PARA A APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE - MI (PROJETOS DE ENGENHARIA) MI 001-2014 PRÉDIO CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Nº

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS- Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da Histórico de Alterações Versão

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Riscos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Riscos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Planejando os Riscos Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Introdução Planejar o Gerenciamento dos Riscos. Identificar os Riscos Realizar a Análise Qualitativa

Leia mais

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Planejamento Estratégico

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Planejamento Estratégico Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Planejamento Estratégico Projeto de Modernização Fiscal do Tocantins (PMF/TO) Banco Interamericano

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Migração

Leia mais

Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos

Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Objetivos da disciplina Descrever o processo de Gerenciamento e Engenharia de Requisitos para projetos Treinar alunos no Gerenciamento de Requisitos Apresentar estudos de caso

Leia mais

Av. Paulino Rocha, 1343 Cajazeiras CEP: 60864-311 Fortaleza, CE, Brasil

Av. Paulino Rocha, 1343 Cajazeiras CEP: 60864-311 Fortaleza, CE, Brasil BRASIL Programa de Transporte Urbano de Fortaleza Consultoria Ambiental para elaboração do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) do Vale do Rio Cocó Solicitação de Manifestação de Interesse

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA Nº 15/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA O PROJETO REGISTRO DE IDENTIDADE CIVIL REPLANEJAMENTO E NOVO PROJETO PILOTO

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA Nº 15/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA O PROJETO REGISTRO DE IDENTIDADE CIVIL REPLANEJAMENTO E NOVO PROJETO PILOTO CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA Nº 15/2013 SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA O PROJETO REGISTRO DE IDENTIDADE CIVIL REPLANEJAMENTO E NOVO PROJETO PILOTO 1. PROJETO SELECIONA PROFISSIONAIS PARA DIVERSOS PERFIS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PROJETO BRA/10/007

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PROJETO BRA/10/007 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PROJETO BRA/10/007 BOAS PRÁTICAS EM REDES NA IMPLANTAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA: SIPIA CONSELHO

Leia mais

3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software

3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software 3. Fase de Planejamento dos Ciclos de Construção do Software A tarefa de planejar os ciclos de construção do software pode partir de diretrizes básicas. Estas diretrizes visam orientar que os ciclos de

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS Eduardo Christófaro de Andrade Eng. Agrônomo Juliana Maria Mota

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Executando o Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Executando o Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Executando o Projeto III Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Realizar Aquisições Realizar a Garantia de Qualidade Distribuir Informações Gerenciar as

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COORDENAÇÃO DE SISTEMAS (CODES) JUNHO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: codes@ifbaiano.edu.br Site:

Leia mais

PERGUNTA: [...] 1. Entendemos que a abrangência do trabalho deve considerar os seguintes órgãos do MEC:

PERGUNTA: [...] 1. Entendemos que a abrangência do trabalho deve considerar os seguintes órgãos do MEC: ESCLARECIMENTO II AOS INTERESSADOS. Brasília, 24 de outubro de 2008. REFERÊNCIA: PREGÃO 45/2008 Proc. nº: 23000.011534/2008-22 ASSUNTO: Respostas aos Questionamentos. Prezados Senhores interessados, Em

Leia mais

Gerenciamento de custos do projeto

Gerenciamento de custos do projeto PMBOK Visão Geral O PMBOK (Project Management Body of Knowledge) é um guia do Conjunto de Conhecimentos em de Projetos, o qual inclui práticas comprovadas que são amplamente aplicadas na gestão de s, além

Leia mais

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR. 3.1 O presente projeto básico consiste na contratação de empresa especializada

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR. 3.1 O presente projeto básico consiste na contratação de empresa especializada PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente projeto básico consiste na contratação de empresa especializada para prestação de serviços, por empreitada por preço

Leia mais

Project Management Body of Knowledge

Project Management Body of Knowledge PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS PUCMINAS (UNIDADE BARREIRO) CURSOS: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS / LOGÍSTICA Project Management Body of Knowledge Definição Também conhecido como PMBOK é um

Leia mais

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto Processos de gerenciamento de projetos em um projeto O gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de cumprir seus requisitos.

Leia mais

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Gestão Interna

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Gestão Interna Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área de Gestão Interna Projeto de Modernização Fiscal do Tocantins (PMF/TO) Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015 CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015 O Diretor do Centro Interdisciplinar de Estudos em Transportes (Ceftru), órgão da Universidade de Brasília-UnB, no uso de suas atribuições torna público

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Software. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr

Metodologia de Desenvolvimento de Software. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr Metodologia de Desenvolvimento de Software Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr Objetivos Discutir aspectos de Engenharia de Software Aplicar um método de desenvolvimento para especificação e projeto de software

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 3/1/212 17:2 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? Agência Nacional de Saúde Suplementar 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário? Órgão

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA EDITAL GABINETE/DEPEN BRA/14/011 Contratação de Consultoria Nacional Especializada para Formulação de Modelo de Gestão de Inteligência Penitenciária BRASÍLIA, AGOSTO DE 2015 TERMO

Leia mais

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br)

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br) Obrigado por acessar esta pesquisa. Sei como é escasso o seu tempo, mas tenha a certeza que você estará contribuindo não somente para uma tese de doutorado, mas também para a melhoria das práticas da Comunidade

Leia mais

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos Aperfeiçoamento/GPPP1301 T132 09 de outubro de 2013 Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de s em pequenas empresas Heinrich

Leia mais

Introdução à. Engenharia de Software. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.

Introdução à. Engenharia de Software. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu. "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet

Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet - TDS 2005/1 Organização Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 1 DADOS LEGAIS: Reconhecido

Leia mais

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS 3.4 O PROJETO DE MELHORIA DE PROCESSOS 3.4.1 - CONCEITO DE PROJETO

Leia mais

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. 2. Tipo Estudo de Caso X Situação Problema Pesquisa Projeto

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. 2. Tipo Estudo de Caso X Situação Problema Pesquisa Projeto PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS 1. Identificação Curso Técnico em Informática Unidade São José Coordenador da S.A Walter André de Almeida Pires Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s)

Leia mais

1. Serviços SAP Business Transformation and Plan Os serviços SAP Business Transformation and Plan atualmente incluem:

1. Serviços SAP Business Transformation and Plan Os serviços SAP Business Transformation and Plan atualmente incluem: Descrição de Serviços Serviços Business Transformation and Plan O SAP Business Transformation and Plan é um serviço de consultoria e prototipagem para promover a inovação e transformação da Licenciada

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2016

Questionário de Governança de TI 2016 Questionário de Governança de TI 2016 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Primeira Fase

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Primeira Fase 122 ANEXO A Questionário de Avaliação Este anexo contém o Questionário utilizado para avaliar as características do mantenedor, o nível de experiência da equipe de manutenção e o nível de conhecimento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, 19 de maio de 2008. Dispõe sobre o processo de contratação de serviços de Tecnologia da Informação pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. O SECRETÁRIO

Leia mais

Diretrizes de Qualidade de Projetos

Diretrizes de Qualidade de Projetos Diretrizes de Qualidade de Projetos Versão 1.5 MAPA/SE/SPOA/CGTI, 2012 Página 1 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 15/01/2012 1.0 Criação do Artefato Pérsio Mairon 10/03/2012 1.1 Inclusão

Leia mais

Introdução. Escritório de projetos

Introdução. Escritório de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é um documento formal que descreve normas,

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE PROPOSTA (SDP) Nº001/2015 SERVIÇOS DE CONSULTORIA

SOLICITAÇÃO DE PROPOSTA (SDP) Nº001/2015 SERVIÇOS DE CONSULTORIA SOLICITAÇÃO DE PROPOSTA (SDP) Nº001/2015 SERVIÇOS DE CONSULTORIA Brasil N o : ATN/ME-14644-BR (BR-M1119) Referência:1,2 iii Formulação da metodologia de aceleração Data: 24 de julho de 2015 O UNIETHOS

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

PROCESSO DE TESTE DE SOFTWARE. Emerson Rios emersonrios@riosoft.org.br www.emersonrios.eti.br

PROCESSO DE TESTE DE SOFTWARE. Emerson Rios emersonrios@riosoft.org.br www.emersonrios.eti.br PROCESSO DE TESTE DE SOFTWARE Emerson Rios emersonrios@riosoft.org.br www.emersonrios.eti.br PROJETO DE TESTE DE SOFTWARE Deixa eu te dizer uma coisa. Teste de Software é um projeto. Certo? CERTO? Você

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 2.1 - ANÁLISE DE PONTO POR FUNÇÃO - APF 1. INTRODUÇÃO Criada em 1979 por Allan J. Albrecht (IBM), a APF - ANÁLISE DE PONTOS POR FUNÇÃO é uma técnica para medição de projetos cujo objeto seja o

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº 008/2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM 08 DE MAIO DE 2015 Dispõe sobre a metodologia

Leia mais

Conceitos e definições

Conceitos e definições Conceitos e definições Hierarquia de processos Macro-processo Macro Atividade Atividade Tarefa Tarefas 1. ------------ 2. --------- 3. --------------- 1 Conceitos e definições Hierarquia de processos Macro-processo

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS

ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS CARGO/GRUPO Analista Informática Sistemas ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS ATRIBUIÇÕES Codificar e manter aplicações e classes Executar análise, diagnóstico e correção problemas

Leia mais

II. Na formação continuada de profissionais do magistério, utilizar-se-ão, especialmente, recursos e tecnologias de educação à distância.

II. Na formação continuada de profissionais do magistério, utilizar-se-ão, especialmente, recursos e tecnologias de educação à distância. Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 18/12/2013-10:24:09 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2831 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 01/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº de / /2011 Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação - CTI I FINALIDADE Instituir a Metodologia

Leia mais

PERGUNTA 1: RESPOSTA 1: ESCLARECIMENTO IV. PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 6/2013 Processo nº. 23000.014204/2012-75

PERGUNTA 1: RESPOSTA 1: ESCLARECIMENTO IV. PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 6/2013 Processo nº. 23000.014204/2012-75 MEC Ministério da Educação Esplanada dos Ministérios, Bloco L, Anexo I, sala 313 CEP 70047-900 Brasília-DF Telefone (61) 2022-7034 Fax (61) 2022-7041 PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 6/2013 Processo nº. 23000.014204/2012-75

Leia mais

EDITAL DO 1º CONCURSO DE IDEIAS E PROJETOS ECONOMIA VERDE

EDITAL DO 1º CONCURSO DE IDEIAS E PROJETOS ECONOMIA VERDE EDITAL DO 1º CONCURSO DE IDEIAS E PROJETOS ECONOMIA VERDE Sumário: 1. Apresentação 2. Finalidade do Prêmio 3. A quem se destina 4. Requisitos de elegibilidade para inscrição 5. Critérios de Avaliação 6.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA Contrato por Produto Nacional 1. Antecedentes e Justificativa O Projeto de Assistência à Implementação do Programa de Apoio à Agenda de Crescimento Econômico Equitativo e Sustentável

Leia mais

Definição: O escopo de um projeto descreve todos os seus produtos, os serviços necessários para realizá-los e resultados finais esperados. Descreve também o que é preciso fazer para que alcance seus objetivos

Leia mais

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL.

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Período 2015/2016 O Diretor da Santa Casa de Misericórdia de Sobral,

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (Versão 2.0)

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (Versão 2.0) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL DEPARTAMENTO NACIONAL DE OBRAS CONTRA AS SECAS Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (Versão 2.0) 1 Sumário 1Introdução... 5 1.1 Objetivo...

Leia mais

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação. Tema: Gestão de Projetos - Conceitos Básicos

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação. Tema: Gestão de Projetos - Conceitos Básicos Contatos: E-mail: profanadeinformatica@yahoo.com.br Blog: http://profanadeinformatica.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/anapinf Concurso da Prefeitura São Paulo Curso Gestão de Processos,

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 28 Revisão para a Prova 2 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 28-28/07/2006 1 Matéria para a Prova 2 Gestão de projetos de software Conceitos (Cap. 21) Métricas (Cap.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

A/C: Dra. Carolina Pecorari

A/C: Dra. Carolina Pecorari Proposta Comercial SP 0190/14 E Empresa: AMBEV S/A A/C: Dra. Carolina Pecorari Proposta SP 0190/14 E São Paulo, 25 de julho de 2014. AMBEV S/A Rua Dr. Renato Paes de Barros, 1017-4º andar Itaim Bibi São

Leia mais

1. DA AUTORIZAÇÃO 2. DO OBJETO

1. DA AUTORIZAÇÃO 2. DO OBJETO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES SECRETARIA DE INCLUSÃO DIGITAL AVISO DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 02, DE 4 DE OUTUBRO DE 2012 PROGRAMA COMPUTADORES PARA INCLUSÃO A União, por intermédio da Secretaria de Inclusão

Leia mais

ANÁLISE DOS CONTROLES DOS REPASSES FUNDO A FUNDO NA SAÚDE

ANÁLISE DOS CONTROLES DOS REPASSES FUNDO A FUNDO NA SAÚDE EDUARDO FAVERO ANÁLISE DOS CONTROLES DOS REPASSES FUNDO A FUNDO NA SAÚDE Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização em Auditoria

Leia mais

Curso de Gerência de Projetos Módulo VI Encerrando um

Curso de Gerência de Projetos Módulo VI Encerrando um Curso de Gerência de Projetos Módulo VI Encerrando um projeto (PMBOK) Revisão O que vimos até agora? Iniciando um projeto Desenvolver o termo de abertura Desenvolver o escopo preliminar do projeto Gerenciamento

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto Nº do Termo de Referência no Plano de Aquisições: 2.B.44 Acordo

Leia mais

29/05/2012. Gestão de Projetos. Luciano Gonçalves de Carvalho FATEC. Agenda. Gerenciamento de Integração do Projeto Exercícios Referências FATEC

29/05/2012. Gestão de Projetos. Luciano Gonçalves de Carvalho FATEC. Agenda. Gerenciamento de Integração do Projeto Exercícios Referências FATEC Gestão de Projetos 1 Agenda Gerenciamento de Integração do Projeto Exercícios Referências 2 1 GERENCIAMENTO DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO 3 Gerenciamento da Integração do Projeto Fonte: EPRoj@JrM 4 2 Gerenciamento

Leia mais

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área Especialista em TI Aplicada

Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área Especialista em TI Aplicada Termos de Referência para Serviços especializados de consultoria Individual na área Especialista em TI Aplicada Projeto de Modernização Fiscal do Tocantins (PMF/TO) Banco Interamericano de Desenvolvimento

Leia mais

Projeto Físico e Lógico de Redes de Processamento. Kleber A. Ribeiro

Projeto Físico e Lógico de Redes de Processamento. Kleber A. Ribeiro Projeto Físico e Lógico de Redes de Processamento Kleber A. Ribeiro Plano de projeto O Plano de Projeto é uma série de documentos ou uma coletânea lógica de documentos compilados pelo Gerente de Projetos

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo PRADO-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo PRADO-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo PRADO-MMGP Versão 1.6.4 Setembro 2009 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 2ª Edição (a publicar) Autor: Darci

Leia mais

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL APROVADA na 15ª reunião do Conselho Superior realizada em 12/04/2004 REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL Art. 1º - O presente texto institucionaliza e regulamenta as atividades

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

<NOME DO PROJETO> PLANO DO PROJETO

<NOME DO PROJETO> PLANO DO PROJETO PLANO DO PROJETO Goiânia 2013 Sumário 1. RESUMO EXECUTIVO DO PROJETO...3 1.1. JUSTIFICATIVA DO PROJETO...3 1.2. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO DO PROJETO...3 1.3. ESTRUTURA DE GESTÃO DO PROJETO...4

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP Versão 2.2.0 Julho 2014 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 3ª Edição (a publicar)

Leia mais

ANEXO V Edital nº 03508/2008

ANEXO V Edital nº 03508/2008 ANEXO V Edital nº 03508/2008 Projeto de integração das informações de mandado de prisão e processos dos Tribunais Regionais Federais e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios O objetivo

Leia mais

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira 3º semestre CONCEITOS CONCEITOS Atividade Ação executada que tem por finalidade dar suporte aos objetivos da organização. Correspondem

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Luiz Leão luizleao@gmail.com luizleao.com Atividades em PDS Análise econômica e de requisitos (Análise). Especificação do Software (Especificação). Desenho

Leia mais

Versão 6.04.00 Setembro/2013. Manual de Processos. Módulo Protocolo

Versão 6.04.00 Setembro/2013. Manual de Processos. Módulo Protocolo Versão 6.04.00 Setembro/2013 Manual de Processos Módulo Protocolo 1 1 2 2 Sumário Sumário... 3 Introdução ao Manual de Processos... 4 Conceituado os Processos de Negócio... 5 Estrutura do Manual de Processos...

Leia mais

Atendimento de Demandas CTIC

Atendimento de Demandas CTIC Fluxo de Atendimento de Demandas - CTIC Atendimento de Demandas CTIC Coordenação de Sistemas Fluxo de Atendimento de Demandas - CTIC Público Alvo: Áreas Usuárias dos Sistemas da UFOPA e Equipe de Coordenação

Leia mais

8.1 Planejar o Gerenciamento da Qualidade SAÍDAS

8.1 Planejar o Gerenciamento da Qualidade SAÍDAS Plano de Gerenciamento da Qualidade Descreve como as políticas de qualidade de uma organização serão implementadas. Como a equipe de gerenciamento do projeto planeja cumprir os requisitos de qualidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus São Gonçalo CoEX - Coordenação de Extensão EDITAL INTERNO

Leia mais

Dados do Projeto. Nome do Projeto. Fingerprint Access Users. Data de Inicialização 14/04/2012

Dados do Projeto. Nome do Projeto. Fingerprint Access Users. Data de Inicialização 14/04/2012 Fábrica de Software Dados do Projeto Nome do Projeto Data de Inicialização Responsáveis Autores Fingerprint Access Users 14/04/2012 Adriana Lima de Almeida, Espedito Alves Leal, Jaciel Dias de Souza, Samuel

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

Nome do Processo de Seleção: Consultor Profissional Junior (secretario) da Cooperação Técnica BR-X1028

Nome do Processo de Seleção: Consultor Profissional Junior (secretario) da Cooperação Técnica BR-X1028 CONVITE À APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE SERVIÇOS DE CONSULTORIA País: Brasil Nome do Processo de Seleção: Consultor Profissional Junior (secretario) da Cooperação Técnica BR-X1028 O Ministério

Leia mais

Política de desenvolvimento do acervo DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DE BELO HORIZONTE - FACISABH

Política de desenvolvimento do acervo DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DE BELO HORIZONTE - FACISABH Política de desenvolvimento do acervo DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DE BELO HORIZONTE - FACISABH Belo Horizonte 2014 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº 08/2014 - PROCESSO SELETIVO PARA CONSULTORES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº 08/2014 - PROCESSO SELETIVO PARA CONSULTORES ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº 08/2014 - PROCESSO SELETIVO PARA CONSULTORES PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES PARA A EXECUÇÃO DO PROJETO DE IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Versão 1 MDS Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas 1 Presidente INCRA Rolf Hackbart Diretor de Gestão Estratégica DE - INCRA Roberto Kiel Coordenador Geral

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1. INTRODUÇÃO: O Banco Pottencial, considera a gestão de riscos como um instrumento essencial para maximização da eficiência no uso do capital e para escolha

Leia mais

Automatização dos processos do CSC através da implantação de. São Paulo, Setembro de 2013. Novos mercados. Grandes shoppings.

Automatização dos processos do CSC através da implantação de. São Paulo, Setembro de 2013. Novos mercados. Grandes shoppings. Automatização dos processos do CSC através da implantação de ferramenta BPMS São Paulo, Setembro de 2013 Novos mercados. Grandes shoppings. Agenda Contexto Escopo do Projeto Modelagem e Automação dos Processos

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Unidade III MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Ciclo de Vida de Sistemas Engenharia de Software Aplicações de Software Diagramação de Software Ciclo

Leia mais

OBJETIVO DO PROGRAMA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA E CARGA HORÁRIA PREMISSAS DOS PROGRAMA INVESTIMENTO E PRÓXIMA TURMA I NSTRUTORES

OBJETIVO DO PROGRAMA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA E CARGA HORÁRIA PREMISSAS DOS PROGRAMA INVESTIMENTO E PRÓXIMA TURMA I NSTRUTORES PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM GESTÃO DE PROCESSOS DE OBJETIVO DO PROGRAMA O programa visa capacitar seus participantes em técnicas práticas e conceitos necessários para trabalhar em iniciativas de modelagem,

Leia mais

O Estado da Prática Profissional em Engenharia de Software na Cidade de Lavras/MG e Proposta de um Portal Web visando relacionamento e capacitação 1.

O Estado da Prática Profissional em Engenharia de Software na Cidade de Lavras/MG e Proposta de um Portal Web visando relacionamento e capacitação 1. O Estado da Prática Profissional em Engenharia de Software na Cidade de Lavras/MG e Proposta de um Portal Web visando relacionamento e capacitação 1. André Luiz Zambalde Universidade Federal de Lavras

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Especial de Licitação 01 - CEL 01

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Especial de Licitação 01 - CEL 01 A Secretaria de Estado de Planejamento SEPLAN, através da Comissão Especial de Licitação CEL 01, designada pelo Decreto N.º 058 de 07 de janeiro de 2015, publicado no Diário Oficial do Estado nº 11.473,

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA. Profa. Reane Franco Goulart

PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA. Profa. Reane Franco Goulart PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA Profa. Reane Franco Goulart Administrador de banco de dados O Administrador de banco de dados (DBA - DataBase Administrator) é responsável por manter e gerenciar bancos

Leia mais

PMBOK 4ª Edição III. O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto

PMBOK 4ª Edição III. O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto PMBOK 4ª Edição III O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto 1 PMBOK 4ª Edição III Processos de gerenciamento de projetos de um projeto 2 Processos de gerenciamento de projetos de um projeto

Leia mais