MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (MI) (SELEÇÃO DE CONSULTORES) Programa de Modernização de Instrumentos e Sistemas de Gestão da Administração Pública Federal SOLICITAÇÃO PARA A APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE N o 11/2014 do Contrato de Empréstimo nº 2192/OC-BR. Processo nº / Seleção Baseada na Qualidade e Custo nº 10/2014. A República Federativa do Brasil recebeu um financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e se propõe a utilizar parte destes fundos para efetuar pagamentos de despesas elegíveis em virtude do Programa de Modernização de Instrumentos e Sistemas de Gestão da Administração Pública Federal para prover os seguintes serviços de consultoria: construção de modelos, processos, requisitos técnicos e de interface para desenho da Arquitetura de Informações e Dados de um Framework de Geração de Aplicativos Móveis e Multiplataforma para o Governo no prazo de 12 (doze) meses. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão convida os consultores elegíveis a apresentar o seu interesse na execução dos serviços solicitados. Os consultores interessados (empresas) deverão fornecer informação que demonstre que estão qualificados para prestar os serviços (folhetos, descrição de serviços semelhantes executados, experiência em condições idênticas, corpo técnico adequado etc.). É permitida a associação em consórcio para melhorar as suas qualificações. Os consultores serão selecionados de acordo com os procedimentos estabelecidos nas Políticas para Seleção e Contratação de Consultores Financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (edição atual), e está aberta a todos os Consultores de Países Elegíveis, conforme definido nestas normas. Os Consultores interessados poderão obter mais informação por meio do endereço abaixo indicado, durante o horário comercial [08h00-12h00 e 14h00-18h00]. As manifestações de interesse deverão ser enviadas via postal, ou correio eletrônico ao

2 endereço abaixo indicado o mais tardar até às 18h do dia 05/11/2014. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Diretoria de Administração Coordenação-Geral de Aquisições Coordenação de Compras At: Priscila Alves de Castro Chefe de Divisão Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Esplanada dos Ministérios, Bloco K, Sala 216, CEP: , Brasília/DF - Brasil. Tel: Fax: / com cópia para e 1. Objeto Contratação de consultoria especializada para construção de modelos, processos, requisitos técnicos e de interface para desenho da Arquitetura de Informações e Dados de um Framework de Geração de Aplicativos Móveis e Multiplataforma para o Governo, que permita usuários não técnicos criarem aplicações móveis com efetividade, seguindo os padrões estabelecidos pelo Governo para disponibilização pública de aplicativos desta natureza. Este ambiente no formato de framework deverá ser desenhado como plataforma de fábrica de aplicativos de governo, prevendo suporte a diversos componentes genéricos e de integrações como georeferenciamento, indicadores de governo, acionamento de aplicações web de governo existentes, pesquisas de satisfação e requisição de serviços. No escopo do projeto, destaca-se também, o inventário de aplicações móveis de governo existentes no guia de aplicativos, que podem servir como indicativos de utilização em outras políticas públicas, assim como o inventário de aplicações móveis não governamentais produzidas sobre dados abertos (hackaton, concursos, etc) passíveis de homologação no guia de aplicativos. O projeto deve analisar frameworks de desenvolvimento de aplicações móveis existentes, realizar um comparativo entre os mesmos e destacar aspectos arquiteturais que podem trazer benefícios ao escopo deste projeto. Estes estudos irão balizar a arquitetura referencial de dados e informações do framework de desenvolvimento de aplicações móveis para o governo. Estudos de caso, através de provas de conceito e pilotos de aplicações devem ser analisados, o que resultará em um conjunto de

3 modelos de metadados de aplicações móveis passíveis de adaptações e/ou futuro desenvolvimento. Documentos de especificação, modelagem de dados, requisitos, casos de uso e arquitetura do framework devem ser atualizados ao final do projeto e disponibilizados de forma intuitiva no processo de transferência de conhecimento e tecnologia. 2. Resultados Esperados Os produtos e serviços deste projeto compreendem o desenho da Arquitetura Referencial de Informações e Dados do Framework de Geração de Aplicativos Móveis Multiplataforma para o Governo, que será capaz de suportar o desenvolvimento de aplicações com o objetivo de proporcionar aos cidadãos, empresas e governo, o acesso à informações e serviços governamentais sem restrições de localização ou horário. O projeto atuará na análise de outros frameworks e arquiteturas, no inventário de aplicativos cadastrados na Plataforma de Aplicativos Móveis de Governo e em aplicações livres, passíveis de adaptação para homologação, bem como em provas de conceito com análise de aplicações móveis genéricas e multiplataformas que suportem integrações com serviços de governo existentes, georeferenciamento, indicadores de governo, pesquisas de satisfação, entre outros. Neste cenário, os principais resultados esperados são: propor uma arquitetura referencial de informações e dados para um framework de geração de aplicativos móveis multiplataforma para o governo como forma de potencializar a difusão de informações ao cidadão, empresas e instituições; prover um desenho de ambiente integrado para tornar a geração de aplicações móveis de governo eficiente e descentralizada; prover uma arquitetura de informações e dados capaz de propor um framework que amplie as possibilidades de geração de aplicações móveis, a disponibilização de informações do Governo para cidadãos, empresas e entre órgãos da APF, promovendo a interação com sociedade, empresas e indústrias e fortalecendo a participação do cidadão por meio da troca de informações com mobilidade; viabilizar mecanismos para o incremento de aplicações móveis e a diversificação de aplicações multiplataformas dispostas no Guia de Aplicativos do Governo (www.aplicativos.gov.br); realizar estudos referenciais sobre frameworks de desenvolvimento de aplicações móveis e outras iniciativas em governos emergentes;

4 desenhar arquitetura tecnológica adequada e realizar provas de conceito que indiquem a viabilidade de integração com a RAD do SERPRO. identificar e inventariar aplicações móveis de Governo e outras aplicações passíveis de disponibilização para a população; realizar testes piloto que comprovem a maior facilidade no acesso dos usuários às informações de Governo em aplicações móveis capazes de trabalhar com componentes e integrações envolvendo georeferenciamento, indicadores de governo, acionamento de aplicações web já existentes, pesquisas de satisfação e requisição de serviços. 3. Produtos a Serem Fornecidos Os produtos desta contratação serão resultados de consultoria para o completo desenho de uma arquitetura de informações e dados de um framework para geração de aplicações móveis. Esta arquitetura deve estar alinhada às prerrogativas de Governo, considerando o tipo de dados disponíveis para oferta, o público e o conjunto de componentes tecnológicos capazes de proporcionar ao usuário um ambiente de criação de aplicações móveis de forma intuitiva, rápida e adequada aos padrões governamentais. Desta forma, os produtos serão compostos por documentos, eventuais arquivos de dados e scripts para validação das provas de conceito e transferência de conhecimento e tecnologia. A lista a seguir descreve os produtos a serem construídos e entregues ao longo do projeto. Plano de Projeto O planejamento do projeto requer documentação adequada, que deverá ser entregue no início do projeto e atualizada sempre que necessário. O Plano de Projeto é um documento que será gerado após um conjunto de reuniões técnicas com a equipe da Contratada que irá desenvolver o projeto. Neste documento, deverão constar o detalhamento do escopo do projeto, seus principais riscos, responsabilidades, entregas, cronograma e o método de acompanhamento. O Plano de Projeto deverá estar acompanhado dos seguintes documentos: Termo de Abertura do Projeto: documenta as necessidades de negócio e o grau de responsabilidade das áreas e pessoas envolvidas. Indica quem será o PO (Project Owner) do projeto e seus substitutos em caso de ausência nas reuniões de Comitê Estratégico.

5 Estrutura Analítica do Projeto (EAP): documenta o dimensionamento do escopo do projeto. A EAP do projeto é visualização hierárquica que apresenta a decomposição do projeto em partes menores e gerenciáveis, em pacotes de trabalho. Cronograma: documenta e relaciona as precedências entre as atividades do projeto. Deve ser gerado como um Gráfico de Gantt do projeto e detalhar os produtos e tempos de entrega do projeto. Matriz de Responsabilidades: documenta as responsabilidades dentro do projeto, sobretudo em relação a integração com o método ágil, definindo claramente os papéis de cada integrante das equipes. Plano de Comunicações: documenta e identifica as partes interessadas, o que, como, quem, quando, porque e onde será comunicado cada tipo de informação e ainda como isto influencia no projeto. Plano de Riscos: identifica os potenciais riscos do projeto utilizando a abordagem Delphi para coletar e documentar os riscos identificados, qualitativamente e quantitativamente, além do plano de respostas aos riscos. Plano de Interações pelo Método Ágil: documenta como as equipes do projeto irão utilizar o Método Ágil (SCRUM) ao longo do projeto. Deverá indicar a ferramenta apropriada para uso do Método. PRODUTO 1 Plano de Projeto SUB-PRODUTO 1.1 Termo de Abertura do Projeto SUB-PRODUTO 1.2 Estrutura Analítica do Projeto SUB-PRODUTO 1.3 Cronograma SUB-PRODUTO 1.4 Matriz de Responsabilidades SUB-PRODUTO 1.5 Plano de Comunicações SUB-PRODUTO 1.6 Plano de Riscos SUB-PRODUTO 1.7 Plano de Interações pelo Método Ágil

6 Inventário de Aplicações Móveis O guia de aplicativos do governo federal (http://www.aplicativos.gov.br/) é um catálogo de aplicativos para dispositivos móveis criados por órgãos do poder executivo federal. É um portal centralizador, no qual o cidadão obtém informações e conhece os aplicativos que o governo oferece à população. Todos os aplicativos disponibilizados no portal são gratuitos e de responsabilidade de órgãos de governo. Além deste portal, existem outras listas de aplicações móveis, como o catálogo do Ministério das Comunicações, passíveis de inventário. Este produto tem por objetivo inventariar aplicativos móveis de governo que não estão atualmente dispostos no guia de aplicativos e ainda aplicações não governamentais que possam ser adaptadas para homologação e disponibilização para o cidadão. PRODUTO 2 - Inventário de Aplicações Móveis SUB-PRODUTO 2.1 Relatório de Aplicações Móveis de Governo existentes no guia de aplicativos e que podem servir como indicativos de utilização em outras políticas publicas SUB-PRODUTO 2.2 Relatório de Inventário de Aplicações Móveis não governamentais produzidas sobre dados abertos (hackaton, concursos, etc) passíveis de homologação no guia de aplicativos Estudo sobre Plataformas de Desenvolvimento de Aplicações Móveis O inventário de aplicações apresentará um conjunto distinto de ferramentas de governo e passíveis de adaptação para publicação. Da mesma forma, este estudo destacará intuitivamente a diversidade de plataformas (android, ios, blackberry, windows phone, etc.) existentes. Saber trabalhar com esta diversidade de plataformas e encontrar um processo para lidar com este cenário é o objetivo deste produto. Desta forma, o estudo sobre plataformas de desenvolvimento deve comparar os aspectos técnicos de cada plataforma de desenvolvimento (android, ios, blackberry, windows phone, etc.) e como estes aspectos podem afetar o futuro desenvolvimento e publicação de aplicações móveis no Governo. PRODUTO 3 Relatório de Análise de Plataformas de Desenvolvimento de Aplicações Móveis

7 Especificação do modelo conceitual de dados Framework O Modelo conceitual de dados deverá ser capaz de identificar, mapear, integrar e evoluir alguns componentes estratégicos das dimensões de georeferenciamento, indicadores de governo, acionamento de aplicações web existentes, pesquisas de satisfação e requisição de serviços, além de alguns elementos de governança sobre componentes de geração de aplicações móveis. Os sub-produtos são compostos exatamente por um estudo sobre a viabilidade de utilização de cada componente estratégico, seus aspectos de negócio e sua viabilidade técnica, além dos desenhos dos modelos de dados que suportem os componentes estratégicos das dimensões de georeferenciamento, indicadores de governo, acionamento de aplicações web existentes, pesquisas de satisfação e requisição de serviços. Além disso, deve ser desenhado um documento explicando como integrar cada componente estratégico ao Framework proposto. PRODUTO 4 - Especificação do modelo conceitual de dados do Framework SUB-PRODUTO 4.1 Planejamento do estudo e identificação dos insumos, pessoas e projetos que serão analisados SUB-PRODUTO 4.2 Estudo de viabilidade técnica e desenho do modelo de dados da dimensão georeferenciamento SUB-PRODUTO 4.3 Estudo de viabilidade técnica e desenho do modelo de dados da dimensão indicadores de governo SUB-PRODUTO 4.4 Estudo de viabilidade técnica e desenho do modelo de dados da dimensão acionamento de aplicações web existentes SUB-PRODUTO 4.5 Estudo de viabilidade técnica e desenho do modelo de dados da dimensão pesquisas de satisfação SUB-PRODUTO 4.6 Estudo de viabilidade técnica e desenho do modelo de dados da dimensão requisição de serviços SUB-PRODUTO 4.7 Processo de integração das dimensões estratégicas à arquitetura de informações e dados proposta

8 Padrão de Publicação e Interoperabilidade de Aplicações Móveis de Governo A disponibilização de aplicações móveis de Governo deve possuir um padrão que envolve, por exemplo, elementos de negócio (publico alvo, necessidade dos dados, formato de apresentação, fonte de origem), elementos de formatação (diagramação, fontes, cores, ícones, mensagens, alertas) e elementos técnicos (base de dados externas ou internas, interoperabilidade, mecanismos de integração, frequência de atualização). Uma estratégia de disponibilização de informações através de aplicações móveis deve garantir que dados gerados ou atualizados sigam um padrão de apresentação, integração e publicação. Este produto visa gerar um documento, com explicações claras, exemplos e tutoriais para garantir que os atuais e os novos aplicativos sejam apresentados, disponibilizados e integrados de forma padronizada. O Padrão de Publicação e Interoperabilidade de Aplicações Móveis de Governo deverá estar acompanhado aos seguintes documentos: Estudo sobre portais de aplicativos móveis de outros governos: realiza uma busca de portais de aplicações móveis de governos de outros países, considerando um mínimo de 5 portais e 10 variáveis de comparação entre os mesmos, que serão definidos em tempo de plano de projeto. Estudo sobre ferramentas de desenvolvimento de aplicativos móveis: relatório comparativo sobre linguagens, ferramentas e ambientes de criação de aplicações móveis cujo objetivo é ter subsídios para definição da arquitetura do framework de geração de aplicações do Governo. Modelo de explicitação da finalidade da aplicação móvel: define um padrão de identificação da aplicação, com exemplos práticos para a correta documentação dos elementos de negócio dos dados disponibilizados nas aplicações, sua necessidade, público-alvo, a linguagem a ser utilizada, as fontes responsáveis, tags de busca, entre outros elementos. Modelo de apresentação visual: documenta a forma de apresentação visual dos aplicativos móveis de governo, considerando o tipo de dado a ser fornecido ao usuário, com sugestões de tipografia, cores, imagens, ícones, botões e formulários, por exemplo. Este modelo deverá estar aderente aos padrões de governo. Modelo de documentação de interoperabilidade: define a forma de documentação das integrações de cada aplicação móvel com suas bases de dados, avaliando impactos relacionados ao padrão e-ping.

9 PRODUTO 5 Padrão de Publicação e Interoperabilidade de Aplicações Móveis de Governo SUB-PRODUTO 5.1 Estudo sobre portais de aplicativos móveis de outros governos SUB-PRODUTO 5.2 Estudo sobre ferramentas de desenvolvimento de aplicativos móveis SUB-PRODUTO 5.3 Modelo de explicitação da finalidade da aplicação móvel SUB-PRODUTO 5.4 Modelo de apresentação visual SUB-PRODUTO 5.5 Modelo de documentação de interoperabilidade Desenho do Gerenciador dos Metadados das Aplicações Genéricas Aliado a arquitetura e definição dos metadados, o projeto deve contemplar ainda o desenho de um gerenciador de metadados e aplicações móveis genéricas de Governo. O desenho desta aplicação deverá prever desde funcionalidades básicas, como visualizar, editar, criar e excluir aplicações bem como uma estrutura capaz de lidar com componentes distintos e os metadados de cada aplicativo móvel genérico. O desenho deve prever interfaces capazes de importar e exportar arquivos xml, json, csv e outros padrões de interoperabilidade definidos pela e-ping e dados abertos, além de destacar padrões de acessibilidade para este gerenciador de metadados e aplicações. PRODUTO 6 Documentos de Especificação (modelagem de dados, requisitos, casos de uso e arquitetura) do Gerenciamento dos Metadados e Aplicações Genéricas do Governo PRODUTO 7 Documentos de implantação, processos e interoperabilidade entre o Gerenciador de Metadados e Aplicações e o Framework proposto. Provas de Conceito Dentre os objetivos de um framework de geração de aplicativos móveis está justamente a possibilidade de que aplicações genéricas sejam construídas para grupos de dados associados a diferentes políticas públicas, mas que guardem semelhança em seus

10 componentes tecnológicos e metadados. Para avaliar se a arquitetura contempla tal padronização, um conjunto de provas de conceito deverão ser realizados para validar o conjunto mínimo de metadados alcançados com o desenho da arquitetura do framework proposto. A prova de conceito deverá demonstrar a metodologia, os conceitos e as tecnologias dispostos na arquitetura de dados e informações desenvolvida. Cada prova de conceito deverá ser composta por uma pesquisa ou artigo técnico sobre cada componente estratégico (georeferenciamento, indicadores de governo, acionamento de aplicações web existentes, pesquisas de satisfação e requisição de serviços), a lista de tecnologias envolvidas, o modelo conceitual da solução e uma simulação através de protótipo. Serão desenvolvidas cinco provas de conceito, contemplando respectivos cinco modelos de metadados relativos a: georeferenciamento, indicadores de governo, acionamento de aplicações web existentes, pesquisas de satisfação e requisição de serviços. Um metadado descreve a lógica e o conjunto de funcionalidades associadas a um aplicativo genérico, definindo o modelo e o tipo de tratamento de dados. Por exemplo, se a lógica do aplicativo for georeferenciamento, significa que a prova de conceito deverá considerar dados de forma georeferenciada, conforme Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE) e ainda prever suporte a diversas variáveis onde, sempre haverá dados para latitude e longitude (que definem o requisito de georeferenciamento). Este tipo de protótipo pode identificar, por exemplo, como deverão ser tratados listagens, filtros e localização de unidades básicas de saúde, localização de empreendimentos do PAC ao redor do usuário, ou ainda, localização da farmácia popular mais próxima do usuário. PRODUTO 8 Documento de definição dos modelos de metadados e processo de execução das provas de conceito. PRODUTO 9 Relatório técnico dos resultados da prova de conceito com foco em aplicações de georeferenciamento PRODUTO 10 Relatório técnico dos resultados da prova de conceito com foco em aplicações envolvendo indicadores de governo PRODUTO 11 Relatório técnico dos resultados da prova de conceito com foco em aplicações capazes de acionar aplicações web existentes

11 PRODUTO 12 Relatório técnico dos resultados da prova de conceito com foco em aplicações de pesquisas de satisfação PRODUTO 13 Relatório técnico dos resultados da prova de conceito com foco em aplicações capazes de requisitar serviços PRODUTO 14 Relatório com as modificações de dados, estrutura e tecnologia necessários à Arquitetura proposta em função dos resultados das provas de conceito Arquitetura de Informações e Dados de um Framework de Geração de Aplicativos Móveis e Multiplataforma para o Governo A Arquitetura de Informações e Dados de um Framework de Geração de Aplicativos Móveis e Multiplataforma para o Governo deve agregar aspectos técnicos e de negócio identificados nos produtos anteriores a esta etapa e organizá-los de maneira centralizada através de artefatos como modelo de dados e arquitetura de componentes, considerando ainda os resultados das provas de conceito da etapa anterior. O modelo de entidade e relacionamento deverá contemplar pelo menos o conjunto mínimo de dados e componentes estratégicos estabelecidos. As arquiteturas de componentes devem prever ainda os aspectos de interoperabilidade, permissões e acesso, busca, mensageria e padrão visual através de desenhos e modelos de classe. Além disso, este produto deverá apresentar um Plano de Implantação, considerando os aspectos de interoperabilidade, integrações com sistemas estruturantes, permissões e acesso, buscadores de governo, comunicação com sociedade, empresas e governo, acessibilidade, entre outros aspectos. PRODUTO 15 Arquitetura de Informações e Dados de um Framework de Geração de Aplicativos Móveis e Multiplataforma para o Governo SUB-PRODUTO 15.1 Modelo de Dados SUB-PRODUTO 15.2 Arquitetura de Componentes de Interoperabilidade, Permissões e Acesso, Busca, Mensageria e Visualização SUB-PRODUTO 15.3 Avaliação do protótipo da Arquitetura do Guia de Serviços SUB-PRODUTO 15.4 Plano de implantação da Arquitetura de Informações e Dados do Framework proposto

12 Transferência de Tecnologia A transferência de conhecimento e tecnologia consiste em conjunto de reuniões técnicas com as equipes de análise de negócio, de arquitetura de dados, de gestores, além de analistas de tecnologia da informação responsáveis por absorver conhecimento e métodos gerados pelo projeto. A Contratada deverá realizar a transferência de conhecimento e tecnologia para integrantes do MP e através de documentação correlata, apresentações e reuniões técnicas. A transferência de conhecimento e tecnologia deverá proporcionar aos gestores e analistas do MP o conhecimento necessário ao entendimento dos trabalhos realizados, devendo ser ministrada pela própria empresa fornecedora dos serviços, em português e na cidade de Brasília-DF. A transferência de conhecimento e tecnologia deverá atender a todos os profissionais indicados pelo MP e deverá contar com pelo menos 2 seminários com carga horária mínima de 8 (oito) horas, 3 reuniões técnicas e entrega formal dos documentos de gerenciamento do projeto, métodos gerados, modelos de dados, de arquitetura de informações, apresentações para posterior disseminação e relatório de transferência de conhecimento e tecnologia em formato digital. A Contratada deverá responsabilizar-se por todos os custos referentes à locomoção, alimentação e hospedagem dos profissionais que executarão o processo de transferência de conhecimento e tecnologia, bem como todo material utilizado para apoiar esse processo. O MP poderá solicitar a realização de um novo processo de transferência de tecnologia e conhecimento, com a reformulação que achar necessária, caso o processo executado pela Contratada não atenda às expectativas da Contratante. A Transferência de Tecnologia deve acompanhar os seguintes documentos: artefatos (documentos, apresentações e relatórios) referentes aos seminários de transferência de conhecimento e tecnologia, artefatos (documentos, apresentações e relatórios) referente às reuniões técnicas e documentação atualizada do projeto, incluindo documentos, relatórios, protótipos, scripts de validação ou diagramas referentes a todos os produtos supracitados. PRODUTO 16 Relatório de Transferência de Conhecimento e Tecnologia

13 SUB-PRODUTO 16.1 Artefatos (documentos, apresentações e relatórios) referentes aos seminários de transferência de conhecimento e tecnologia SUB-PRODUTO 16.2 Artefatos (documentos, apresentações e relatórios) referente às reuniões técnicas SUB-PRODUTO 16.3 Documentação atualizada do projeto Desenvolvimentos específicos e interações realizadas deverão ser pautados em plataformas livres e nos demais padrões definidos pelo MP, utilizando como base as diretrizes dispostas no Guia de Aplicativos do Governo. Todos os produtos entregues serão analisados e homologados pelo MP em conjunto com o Contratatante, em especial se existirem scripts, queries e/ou códigos-fontes desenvolvidos ao longo do projeto. A eficiência na implantação deste projeto deve considerar ainda uma série de desafios, incluindo apoio ao ambiente de infraestrutura de dados, preocupações com privacidade e segurança, avaliação de questões jurídicas, análise da taxa de penetração da telefonia móvel em cada região, acessibilidade e usabilidade das aplicações. Neste sentido, o Ministério do Planejamento deve apoiar a Contratada nas questões que transcendem aos aspectos tecnológicos no desenvolvimento dos trabalhos. 4. Local de Execução dos Serviços Todas as apresentações gerenciais e as entregas dos produtos serão realizadas em Brasília. 5. Qualificações Técnicas Para a execução dos trabalhos / elaboração dos produtos, a equipe deverá ser composta por no mínimo 5 profissionais nas funções definidas a seguir.

14 FUNÇÃO 1 Coordenador de Projetos 1 Gerente de Projetos 2 Especialistas em Aplicações Móveis 1 Analista de Sistemas e Banco de Dados FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA MÍNIMA Formação em nível superior: na área de tecnologia da informação ou engenharia. Mestrado em ciências exatas, tecnologia ou engenharia ou área correlata. Desejável Doutorado em ciências exatas, engenharia de sistemas, ciência da computação ou área correlata. Mínimo de 5 anos de experiência em projetos com o Governo ou órgãos públicos. Desejável experiência comprovada em pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados à Gestão do Conhecimento e/ou Aplicações Móveis. Formação em nível superior: ciência da computação ou área similar. Pós-graduação, MBA ou especialização em Gerência de Projetos (min 360h). Desejável Mestrado em engenharia de sistemas ou área similar. Desejável Doutorado em ciência da computação, engenharia de sistemas ou área similar. Mínimo de 2 anos de experiência na gerência de projetos com o Governo ou órgãos públicos. Desejável experiência comprovada em pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados a Banco de Dados, Aplicações Móveis. Formação em nível superior: ciência da computação ou área similar. Desejável Mestrado em engenharia de sistemas ou área similar. Mínimo de 1 ano de experiência no desenvolvimento de projetos com o Governo ou órgãos públicos. Experiência comprovada em pesquisas acadêmicas e/ou trabalhos relacionados a Banco de Dados e Aplicações Móveis. Formação em nível superior: ciência da computação ou área similar. Desejável Mestrado em engenharia de sistemas ou área similar. Mínimo de 1 ano de experiência no desenvolvimento de projetos com o Governo ou órgãos públicos. Experiência comprovada em pesquisas e/ou trabalhos acadêmicos relacionados à Testes de Aplicações e Banco de Dados.

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

Dados Abertos, Transparência e Acesso à Informação Brasília, dezembro 2013

Dados Abertos, Transparência e Acesso à Informação Brasília, dezembro 2013 Dados Abertos, Transparência e Acesso à Informação Brasília, dezembro 2013 II Seminário sobre a Lei de Acesso à Informação e Encontro sobre Credenciamento e Segurança da Informação CONTEXTO G2C Brasil

Leia mais

AGENDA. O Portal Corporativo. Arquitetura da Informação. Metodologia de Levantamento. Instrumentos Utilizados. Ferramentas

AGENDA. O Portal Corporativo. Arquitetura da Informação. Metodologia de Levantamento. Instrumentos Utilizados. Ferramentas AGENDA O Portal Corporativo Arquitetura da Informação Metodologia de Levantamento Instrumentos Utilizados Ferramentas PORTAL CORPORATIVO Na sociedade da informação é cada vez mais presente a necessidade

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 006/2012 SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 006/2012 SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 006/2012 SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo IPEA/BID nº 1841/OC-BR Projeto: Dinâmica do Sistema Produtivo Brasileiro perspectivas

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Processo de Desenvolvimento de Software Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Processo de Desenvolvimento de Software... 04

Leia mais

Anexo VI Edital nº 03361/2008. Projeto de Integração das informações de Identificação Civil. 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP

Anexo VI Edital nº 03361/2008. Projeto de Integração das informações de Identificação Civil. 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP Anexo VI Edital nº 03361/2008 Projeto de Integração das informações de Identificação Civil 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP A Senasp procura adotar os padrões de interoperabilidade

Leia mais

MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Nº 001/2013

MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Nº 001/2013 MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Nº 001/2013 Secretaria de Ciência e Tecnologia de Pernambuco - SECTEC Associação Instituto de Tecnologia de Pernambuco ITEP/OS UGP PROAPL BRASIL PROGRAMA DE PRODUÇÃO E DIFUSÃO

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA 1. Número e Título do Projeto: OEI BRA09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Programa

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Objetivo dessa aula é mostrar a importância em utilizar uma metodologia de implantação de sistemas baseada nas melhores práticas de mercado

Leia mais

Disciplina: Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 3.

Disciplina: Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 3. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 3 Ago/2013 Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração Áreas de conhecimentos de gerenciamento de projetos ESCOPO TEMPO CUSTO QUALIDADE RECURSOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação.

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional 1. Função no Projeto: Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2. Nosso Número BRA/12/010 3. Antecedentes A missão

Leia mais

Padronização de Documentação de Sistemas. Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN e ANVISA

Padronização de Documentação de Sistemas. Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN e ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Padronização de Documentação de Sistemas Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN e ANVISA Brasília, junho de 2006. 1. IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS PROFESSOR: Itair Pereira da Silva DISCENTES: Maria das Graças João Vieira Rafael Vitor ORGANOGRAMA PRESIDENTE GERENTE

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 004/2010 1. Perfil: 001/2010-CGIR - POLÍTICAS PÚBLICAS E PATRIMÔNIO CULTURAL 3. Qualificação educacional: Profissional doutor, com

Leia mais

Governo Eletrônico no Brasil

Governo Eletrônico no Brasil Governo Eletrônico no Brasil João Batista Ferri de Oliveira Natal, 18 de Setembro de 2009 II Simpósio de Ciência e Tecnologia de Natal Estrutura da apresentação Estrutura organizacional Diretrizes Principais

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP SERVIÇOS DE CONSULTORIA EIXO TEMÁCO: GOVERNANÇA DE Implantação de Metodologia de Elaborar e implantar uma metodologia de gerenciamento de projetos no órgão solicitante, com a finalidade de inserir as melhores

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais. Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais. Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Entrega de Valor de TI...

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 003/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Aperfeiçoamento

Leia mais

Intranet 2014 - Termo de Referência: Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa

Intranet 2014 - Termo de Referência: Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa Intranet 2014 - : Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional CODIN Gerência de Informação

Leia mais

Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO:

Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO: Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 Compromisso celebrado entre [nome da CONTRATANTE], localizada à [inserir endereço completo], inscrita no [caso Administração indireta inserir número do CNPJ],

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS E INVESTIMENTOS CONSULTORIA

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS E INVESTIMENTOS CONSULTORIA GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS E INVESTIMENTOS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Como realizar inúmeros projetos potenciais com recursos limitados? Nós lhe mostraremos a solução para este e outros

Leia mais

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA NONA REGIÃO ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Planejamento 2008 Comitê Técnico de Implementação de Software Livre - CISL

Planejamento 2008 Comitê Técnico de Implementação de Software Livre - CISL Planejamento 2008 Comitê Técnico de Implementação de Software Livre - CISL Diretrizes, ações e objetivos para implementação de Software Livre no Governo Federal 2009/2010. I Fórum de Tecnologia em Software

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1383 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1383 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 23/03/2012-15:40:19 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1383 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR

Leia mais

Governo Orientado por Serviços

Governo Orientado por Serviços Governo Orientado por Serviços Qual a Sociedade da Informação que Queremos? Uso das tecnologias da informação e da comunicação na administração pública - combinado com mudanças organizacionais e novas

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS APRESENTAÇÃO O sistema abordado neste manual foi confeccionado pela IplanRio em parceria com a SMA de forma a atender o disposto no Art. 5º do Decreto Nº 30.539, que trata

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO GRANDE ABC

AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO GRANDE ABC AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2011 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 3/1/212 17:2 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? Agência Nacional de Saúde Suplementar 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário? Órgão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N.º

TERMO DE REFERÊNCIA N.º MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE DIRETORIA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL, DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

Ano III - Número 16. Versão 4.6.4

Ano III - Número 16. Versão 4.6.4 Versão 4.6.4 Sexta-feira, 08 de fevereiro de 2008 ÍNDICE 3 4 EDITORIAL NOVAS FUNCIONALIDADES 4 12 13 14 15 16 Novo Cronograma 4 5 5 6 7 8 8 9 9 10 10 Edição Rápida do Cronograma Recurso de Arrastar e Soltar

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica)

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) No decorrer da execução do Projeto, e tão logo sejam definidos os perfis dos consultores necessários para a consecução dos produtos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS PARA EDUCAÇÃO DO CAMPO E DIVERSIDADE COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu. Gerenciamento de Projetos Web Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/frufrek Possui Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados pela

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS BRUNO ROBERTO DA SILVA CESAR HENRIQUE MACIEL RIBEIRO GUSTAVO HENRIQUE PINHEIRO RICARDO SALLUM DE SOUZA VITOR

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Planejamento Estratégico 2011 para implementação de Software Livre

Planejamento Estratégico 2011 para implementação de Software Livre Planejamento Estratégico 2011 para implementação de Software Livre FÓRUM DE SOFTWARE LIVRE - 2010 Valdir Barbosa Agenda Plano estratégico 2011 para uso de Software Livre Diretrizes Objetivos e indicadores

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Migração

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E INVESTIMENTOS ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS CONSULTORIA

OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E INVESTIMENTOS ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS CONSULTORIA OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E INVESTIMENTOS ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Alcance melhores resultados através da gestão integrada de projetos relacionados ou que compartilham

Leia mais

Governança da Capacidade de TI

Governança da Capacidade de TI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança da Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Governança da... 04 3 Governança da... 05 4 Principais Serviços para Governança

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

MODALIDADE Business Process Outsourcing - BPO

MODALIDADE Business Process Outsourcing - BPO MODALIDADE Business Process Outsourcing - BPO Na solução BPO a ABGT SISTEMAS assume operação e execução da folha de pagamento, e rotinas da administração de pessoal, além de fazer a hospedagem e o gerenciamento

Leia mais

Proposta de trabalho para produção do website do Programa Café Colombo. Walmar Andrade atendimento@fatorw.com (81) 9922-7168

Proposta de trabalho para produção do website do Programa Café Colombo. Walmar Andrade atendimento@fatorw.com (81) 9922-7168 Proposta de trabalho para produção do website do Programa Café Colombo Walmar Andrade atendimento@fatorw.com (81) 9922-7168 01. Apresentação Fator W é a marca fantasia através da qual o desenvolvedor web

Leia mais

17/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2.

17/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.2 2 ESCOPO 3 1 Gerência do Escopo Processos necessários

Leia mais

Apresentação do Professor. Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini 20/11/2013

Apresentação do Professor. Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini 20/11/2013 Apresentação do Professor Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Formação Acadêmica: Bacharel em Sistemas de Informação Pós graduado em Didática e Metodologia para

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

MODALIDADE Business Service Provider - BSP

MODALIDADE Business Service Provider - BSP MODALIDADE Business Service Provider - BSP Na solução BSP a empresa delega à ABGT SISTEMAS a execução da folha de pagamento e sub-processos, além da hospedagem e do gerenciamento da infra-estrutura e tecnologia

Leia mais

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Manual do Usuário Página1 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 4 2 Objetivos... 4 3 Acesso ao Sistema... 5 3.1. Acessar 6 3.2. Primeiro

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal 1. Há planejamento institucional em vigor? Deverá ser respondido SIM caso o Órgão/Entidade possua um planejamento estratégico

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO Número e Título do Projeto Função no Projeto: Resultado: Atividades: Antecedentes: (breve histórico justificando a contratação)

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA ATUAÇÃO COMO INSTRUTORES NOS CURSOS GESTÃO DA ESTRATÉGIA COM O USO DO

PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA ATUAÇÃO COMO INSTRUTORES NOS CURSOS GESTÃO DA ESTRATÉGIA COM O USO DO PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA ATUAÇÃO COMO INSTRUTORES NOS CURSOS GESTÃO DA ESTRATÉGIA COM O USO DO BSC E MÓDULO 2 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORGANIZACIONAL (PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

MODELO TOR CONSULTOR PESSOA FÍSICA

MODELO TOR CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODELO TOR CONSULTOR PESSOA FÍSICA PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO E DO PLANEJAMENTO DOS ESTADOS BRASILEIROS E DO DISTRITO FEDERAL - PNAGE Subexecutor: Secretaria do Estado do... Componente:

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX Campinas 16 de abril de 2009. EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX A convida empresas especializadas em

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto

Plano de Gerenciamento do Projeto Projeto para Soluções Contábeis 2015 Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Brendon Genssinger o e Elcimar Silva Higor Muniz Juliermes Henrique 23/11/2015 1 Histórico de alterações

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Soluções em Documentação

Soluções em Documentação Desafios das empresas no que se refere à documentação de infraestrutura de TI Realizar e manter atualizado o inventário de recursos de Hardware e software da empresa, bem como a topologia de rede Possuir

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto (PGP)

Plano de Gerenciamento do Projeto (PGP) 1.JUSTIFICATIVA A administração pública vem nos últimos anos sofrendo mudanças estruturais em sua forma de atuação, saindo de um modelo patrimonialista e burocrático para um modelo gerencial, focando nos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015 TERMO DE REFERÊNCIA PARA REALIZAR A AUTOMATIZAÇÃO DA ANÁLISE DOS PROCESSOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO CEARÁ. SUMÁRIO Objetivo da contratação...2

Leia mais