Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD"

Transcrição

1 Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD Ricardo Gaspar (21) de Junho de 2013

2 Agenda Contextualização Diretrizes de Contagem Exemplo de Cenário para Contagem Outras diretrizes

3 Contextualização - PAD Planejamento Programa de Aplicativos Desenvolvidos (PAD) Gestão da Mudança Organizacional Desenvolvimento de Aplicativos Em implementação por contratação pública (Concorrência 05/2009) pelo Consórcio Interagir desde abril/2012; Consultoria em Consultoria Processos em de Negócio Processos de Negócio Operação Assistida Implantação de Processos de Negócio Atendimento e Suporte Integração com Sistemas Legados Garantia Manutenção Escopo do contrato envolve o desenvolvimento de aplicativos que apoiarão os processos da atividade fim do BNDES; Tecnologias envolvidas no contrato: - Aplicativos Transacionais, com utilização das tecnologias de BPM, barramento e GED; - Aplicativos Gerenciais (BI); - Aplicativos de Portal, com uso de ferramenta de gestão de conteúdo e portlets. 3

4 Contextualização - PAD Gestão da Mudança Organizacional Planejamento Implantação de Processos de Negócio Desenvolvimento de Aplicativos Programa de Aplicativos Desenvolvidos (PAD) Tamanho dos aplicativos implementados pela Contratada é medido e remunerado em Pontos de Função, em conformidade com as recomendações dos Acórdãos do Tribunal de Contas da União. Consultoria em Consultoria Processos em de Negócio Processos de Negócio Operação Assistida Atendimento e Suporte Integração com Sistemas Legados Garantia Manutenção Contrato prevê: Estimativa Inicial, ao final do planejamento do projeto; Estimativa Intermediária, ao final da Fase de Elaboração do projeto; Contagem Final, ao final do projeto. 4

5 Contextualização O Edital do PAD não incluiu nenhum roteiro de métricas. Desafios: Contrato do PAD envolve tecnologias recentes, não citadas pelo CPM; Como contar funcionalidades de BPM percebidas e requisitadas pelo usuário? Como considerar o barramento nas contagens de pontos de função? Como contar funcionalidades de portal que sejam oferecidas pela ferramenta (ex: gerenciamento de conteúdo)? Como contar manutenções nestas tecnologias? Surge a necessidade de definição de diretrizes complementares.

6 Agenda Contextualização Diretrizes de Contagem Exemplo de Cenário para Contagem Outras diretrizes

7 Diretrizes de Contagem - Histórico Para fazer uma gestão adequada do contrato do PAD, em relação aos pontos de função, o BNDES: Treinou profissionais envolvidos na gestão do contrato; Contratou empresa especializada em métricas através de pregão eletrônico (Abrantes Soluções); Solicitou à Abrantes estudo para definição das diretrizes de contagem; Coordenou reuniões de definição das diretrizes de contagem com a participação da Abrantes e do Consórcio Interagir (empresa Prime); Realizou apresentação no seminário Métricas Resultado: Constatação da inexistência de material relativo à BPM e Barramento; Criação de diretrizes de contagem para o PAD em conjunto com a Abrantes e a Prime.

8 Diretrizes de Contagem Histórico de Versões Versão 1 16/05/2012 Versão 1 23/05/2012 Criação do documento pelo Consórcio Interagir com as propostas iniciais de diretrizes. Revisão inicial do BNDES com ajuste do texto, revisão das diretrizes de acordo com as orientações do contrato e solicitação de inclusão dos itens: BPM, Barramento e Desenvolvimento de Aplicativos em Ondas. Versão 2 29/05/2012 Ajustes das diretrizes pelo Interagir devido à revisão do BNDES. Versão 2 31/05/2012 Revisão do BNDES do texto com solicitação de ajuste das diretrizes: Aplicativos Transacionais, BI, Portal, BPM e Barramento. Versão 3 11/06/2012 Ajustes das diretrizes pelo Interagir devido à revisão do BNDES. Versão 4 22/06/2012 Revisão final do BNDES. Versão 5 07/02/2013 Ajustes nas diretrizes de Barramento e BPMS. Criação dos tópicos Portlets e Monitor. Versão 6 01/04/2013 Ajustes nas diretrizes de Barramento (Cenário 3).

9 Diretrizes de Contagem - Exemplo Diagrama de Arquitetura - exemplo: Barramento RH <sap> Obter empregados <fluxo de mediação> empregado RHU <legado> Obter empregados SAP Adaptar dados de empregados Fornecer dados de empregados Obter empregados legado Log Solicitar Viagem <portlet> Lista de tarefas <portlet> exemplo: Analisar Solicitação de Viagem Normas de Viagem <site estático> Blog da GVIG <blog customizado> empregado VIAGENS <aplicativo transacional> Gerenciar viagens <fluxo de processo> solicitação de viagem Solicitar viagem Analisar viagem S Viagem aprovada? Aprovar viagem Instâncias de processos Log Envio de <componente> N Recusar viagem BPM

10 Diretrizes de Contagem Tecnologias envolvidas: Barramento é um middleware, isto é, um software com o objetivo de estabelecer regras de direcionamento ou roteamento de informações e solicitações. Para o BNDES, algumas funcionalidades serão criadas dentro deste middleware para seu reuso. BPMS é uma ferramenta de gestão de processos de negócio. Existe um módulo interno que oferece funcionalidade de workflow.

11 Diretrizes de Contagem Diretrizes Gerais para BPMS e Barramento: Contar a aplicação middleware/bpms apenas uma única vez, independente do número de aplicativos que utilizem a funcionalidade; Na manutenção dos arquivos lógicos da instituição, estes deverão ser mensurados no escopo da aplicação que a mantém primariamente; Posicionar a fronteira da aplicação ao redor do barramento/bpms, quando em manutenções específicas neste domínio.

12 Diretrizes de Contagem Diretrizes Específicas para BPMS: Na perspectiva funcional, sob a ótica das funcionalidades solicitadas pelo usuário, considerar: AIE: Usuário. ALI: Instância do Processo e Configurações do Processo. EE, necessária para manter as configurações do processo. EE, necessária para manter a instância (sinaliza o encerramento de uma atividade). CE, necessária para informar as instâncias e as tarefas disponíveis para execução pelo usuário. Com exceção do AIE Usuário, a regra deve ser aplicada para cada processo de negócio automatizado que necessitar de configuração específica.

13 Diretrizes de Contagem Diretrizes Específicas para Barramento: Primeiro cenário: Convivência entre Sistemas Dois sistemas (A e B) apresentam uma mesma transação de negócio. Caso esta transação seja executada através do Sistema A, por exemplo, o Barramento deverá direcioná-la imediatamente e corretamente ao Sistema B.

14 Diretrizes de Contagem Diretrizes Específicas para Barramento: Segundo cenário: Equalização de Informações Dois sistemas (A e B) apresentam uma mesma transação de negócio. Ao final do dia, ambos os sistemas enviam suas informações ao Barramento para que este realize a equalização das bases de dados.

15 Diretrizes de Contagem Diretrizes Específicas para Barramento: Terceiro cenário: Solicitação de Informações O Sistema A solicita, através de uma transação de negócio, informações do Sistema B através do Barramento.

16 Diretrizes de Contagem Diretrizes Específicas para Portal: Quando a solicitação do usuário for diferente do que já é oferecido nativamente pela ferramenta, as funcionalidades próprias do Portal (Cadastro de Notícias, Cadastro de Contatos, etc.), serão contadas conforme regras do CPM. Funcionalidades que serão efetivadas em outro ambiente e são disponibilizadas no Portal através de Portlets são contadas se tratarem de fronteiras e lógicas de processamento distintas. Arquivos serão contados como ALI ou ALR (nas transações) quando forem específicos do Portal ou se forem acessados em outras fronteiras diretamente (sem o uso de serviços). Contar uma única vez o componente, independente do escopo alvo da medição.

17 Agenda Contextualização Diretrizes de Contagem Exemplo de Cenário para Contagem Outras diretrizes

18 Diretrizes de Contagem Diagrama de Arquitetura - exemplo: Barramento RH <sap> Obter empregados <fluxo de mediação> empregado RHU <legado> Obter empregados SAP Adaptar dados de empregados Fornecer dados de empregados Obter empregados legado Log Solicitar Viagem <portlet> Lista de tarefas <portlet> exemplo: Analisar Solicitação de Viagem Normas de Viagem <site estático> Blog da GVIG <blog customizado> empregado VIAGENS <aplicativo transacional> Gerenciar viagens <fluxo de processo> solicitação de viagem Solicitar viagem Analisar viagem S Viagem aprovada? Aprovar viagem Instâncias de processos Log Envio de <componente> N Recusar viagem BPM

19 Exemplo de Cenário para Contagem Na onda 1 do programa, o projeto Viagens é priorizado com escopo de implementação do módulo 1 que consiste no requisito/caso de uso Solicitação de Viagem; com isso, são elaborados os seguintes componentes: Fluxo de mediação Obter empregados v1.0 Com o objetivo de obter dados de empregados que neste momento estão divididos em duas bases, SAP e legado; Aplicativo Transacional Viagens v1.0 Implementando apenas os casos de uso Solicitar Viagem e Consultar Solicitação de Viagem; Fluxo de Processo Gerenciar Viagens v1.0 Implementando apenas o subprocesso Solicitar Viagem;

20 Exemplo de Cenário para Contagem Na onda 1 do programa, o projeto Viagens é priorizado com escopo de implementação do módulo 1 que consiste no requisito/caso de uso Solicitação de Viagem; com isso, são elaborados os seguintes componentes: Portlet Solicitar Viagem v1.0 Interface adicional para o caso de uso Solicitar Viagem do Aplicativo Transacional; Portlet Lista de Tarefas Interface para listar tarefas atribuídas ao usuário dentre os processos ativos no BPM; Site estático Normas de Viagem v1.0 Contendo inicialmente 10 páginas de conteúdo; Blog customizado Blog da GVIG Possuindo uma página inicial com a chamada dos 10 artigos mais recentes além de uma página para leitura integral do artigo.

21 Exemplo de Cenário para Contagem Estimativa do Viagens Transacional 1: Processo Elementar ou Grupo de Dados Tipo Complexidade PF Viagens ALI Baixa 7 Solicitar viagens EE Média 4 Consultar solicitação de viagem EE Média 4 Alterar solicitação de viagem EE Média 4 Excluir solicitação de viagem EE Média 4 Empregados AIE Baixa 5 Obter Empregados SE Média 5 Instância do processo ALI Baixa 7 Configurações do processo ALI Baixa 7 Usuários AIE Baixa 5 Atualizar instância do processo EE Média 4 Atualizar configurações do processo EE Média 4 Consultar tarefas disponíveis para execução CE Média 4

22 Exemplo de Cenário para Contagem Detalhamento: Processo Elementar ou Grupo de Dados Viagens Solicitar viagens Consultar solicitação de viagem Alterar solicitação de viagem Excluir solicitação de viagem Empregados Obter Empregados Instância do processo Configurações do processo Usuários Atualizar instância do processo Atualizar configurações do processo Consultar tarefas disponíveis para execução Detalhamento Aplicativo Transacional Aplicativo Transacional Aplicativo Transacional Aplicativo Transacional Aplicativo Transacional SAP / Legado Barramento BPMS BPMS BPMS BPMS BPMS BPMS

23 Exemplo de Cenário para Contagem Estimativa do Viagens Portal 1: Processo Elementar ou Grupo de Dados Tipo Complexidade PF Solicitar Viagem EE Média 4 Listar Tarefas SE Média 5 Listar Artigos Recentes CE Média 4 Detalhar Artigo CE Média 4 Incluir Artigo EE Média 4 Alterar Artigo EE Média 4 Excluir Artigo EE Média 4 Instância do processo AIE Baixa 5 Artigos ALI Baixa 7 Detalhamento: Processo Elementar ou Grupo de Dados Solicitar Viagem Listar Tarefas Listar Artigos Recentes Detalhar Artigo Incluir Artigo Alterar Artigo Excluir Artigo Instância do processo Artigos Detalhamento Portlet Foi considerado que haverá cálculo da quantidade de tarefas para o usuário Blog da GVIG Blog da GVIG Blog da GVIG - considerando que haverá manutenção dessa informação no Portal Blog da GVIG - considerando que haverá manutenção dessa informação no Portal Blog da GVIG - considerando que haverá manutenção dessa informação no Portal AIE no Portal e ALI no BPMS Blog da GVIG - considerando que haverá manutenção dessa informação no Portal

24 Exemplo de Cenário para Contagem Na onda 2 o módulo de Aprovação/Recusa de Viagens é priorizado e alguns fatores ocorrem no programa, assim é necessário revisitar os seguintes elementos: Fluxo de mediação Obter empregados v2.0; Agora todos os empregados estão na base SAP e portanto não é mais necessário ler a base do legado; Aplicativo Transacional Viagens v2.0; Acrescentar o caso de uso Aprovar Solicitação de Viagem e Recusar Solicitação de Viagem; Fluxo de Processo Gerenciar Viagens v2.0; Acrescentar o subprocesso Analisar Solicitação de Viagem; O portlet Lista de Tarefas não precisa sofrer manutenção mas passa a disponibilizar a nova tarefa Analisar Solicitação de Viagem; Site estático Normas de Viagem v2.0 é alterado para disponibilizar a nova versão das normas de viagem.

25 Exemplo de Cenário para Contagem Estimativa do Viagens Transacional 2:

26 Exemplo de Cenário para Contagem Estimativa do Viagens Portal 2:

27 Agenda Contextualização Diretrizes de Contagem Exemplo de Cenário para Contagem Outras diretrizes

28 Outras Diretrizes Outras tecnologias presentes nas diretrizes: DW: diretrizes baseadas no white paper do IFPUG Hints to Counting Enterprise Data Warehouses, detalhando-as para 2 conceitos distintos para projetos de BI: Operacional e Gerencial; Portlets: componentes visuais independentes que podem ser utilizados para disponibilizar informações dentro de uma página Web; Monitor: permite a monitoração de eventos específicos dos processos criados no BPMS de acordo com as necessidades do usuário.

29 Outras Diretrizes Projetos de aplicativos gerenciais (BI): BI Operacional: possui uma correspondência direta com os respectivos sistemas transacionais e é voltado a um público-alvo com conhecimentos profundos e focado na tarefa de extrair e trabalhar informações mais detalhadas. BI Gerencial: é a visão tradicional de mercado, onde temos visões agregadas, voltadas para análises gerenciais com acompanhamento de indicadores de desempenho e análise estratégica.

30 Outras Diretrizes Projetos de aplicativos gerenciais (BI): BI Operacional: EE ALI Parâmetros AIE EE ALI CE SE EE EE ALI ALI CE SE

31 Outras Diretrizes Projetos de aplicativos gerenciais (BI): BI Gerencial: EE EE ALI EE ALI CE SE ALI EE ALI EE ALI CE SE

32 Outras Diretrizes Diretrizes Específicas para Portlets (cenários) 1- Portlets nativos ou não customizados referenciando funcionalidades de outros sistemas Diretrizes de Contagem: Nada deverá ser considerado, pois nenhum processo elementar novo é identificado. 2- Portlets customizados referenciando funcionalidades de outros sistemas Diretrizes de Contagem: Cada processo elementar novo identificado deverá ser metrificado conforme regras do CPM.

33 Outras Diretrizes Diretrizes Específicas para Monitor: Na perspectiva funcional, sob a ótica das funcionalidades solicitadas pelo usuário, considerar: BPMS Monitor Popular Eventos ALI: Parametrização do Sistema. ALI: Eventos. Visualizar Informações Para cada processo de negócio automatizado a ser monitorado: EE, necessária para manter o ALI Eventos. CE/SE para cada tipo de visualização solicitado pelo usuário.

34 Perguntas?

Diretrizes Propostas para Aplicação da APF em Programa Envolvendo Tecnologias Recentes Tais como Barramento, BPMS e Portal

Diretrizes Propostas para Aplicação da APF em Programa Envolvendo Tecnologias Recentes Tais como Barramento, BPMS e Portal Diretrizes Propostas para Aplicação da APF em Programa Envolvendo Tecnologias Recentes Tais como Barramento, BPMS e Portal Ricardo Gaspar, CFPS (21) 2172-8078 ricardo.gaspar@bndes.gov.br 29 de Novembro

Leia mais

Experiência de contratação de empresa de contagem de Pontos de Função para auxílio na gestão de contrato administrativo

Experiência de contratação de empresa de contagem de Pontos de Função para auxílio na gestão de contrato administrativo Experiência de contratação de empresa de contagem de Pontos de Função para auxílio na gestão de contrato administrativo Ricardo Gaspar (21) 2172-8078 ricardo.gaspar@bndes.gov.br 22 de Julho de 2014 Objetivo

Leia mais

Padrões de Contagem de Pontos de Função

Padrões de Contagem de Pontos de Função Padrões de Contagem de Pontos de Função Contexto Versão: 1.0.0 Objetivo O propósito deste documento é apresentar os padrões estabelecidos para utilização da técnica de Análise de Pontos de Função no ambiente

Leia mais

Definition of a Measurement Guide for Data Warehouse Projects

Definition of a Measurement Guide for Data Warehouse Projects Definition of a Measurement Guide for Data Warehouse Projects Claudia Hazan Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO) SGAN Quadra 601 Modulo V Brasilia, DF, CEP: 70836-900 BRAZIL 1 Agenda Cenário:

Leia mais

15/03/2010. Análise por pontos de função. Análise por Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função

15/03/2010. Análise por pontos de função. Análise por Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função Análise por pontos de função Análise por Pontos de Função Referência: Manual de práticas de contagem IFPUG Versão 4.2.1 Técnica que permite medir a funcionalidade de um software ou aplicativo, sob a visão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 13B DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar, discutir o conceito de métricas de software orientadas a função. DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Histórico de Revisão. Data Versão Descrição Autor

Histórico de Revisão. Data Versão Descrição Autor Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 04/2015 1.0 Elaboração do manual. Márcia Regina Guiotti Bomfim José Romildo Andrade Página 2 de 45 Sumário SUMÁRIO... 3 1. OBJETIVO... 5 2. REFERÊNCIAS

Leia mais

Pontos de Função. André Chastel Lima Andréia Ferreira Pinto Diego Souza Campos. Engenharia de Software Mestrado Ciência da Computação - UFMS

Pontos de Função. André Chastel Lima Andréia Ferreira Pinto Diego Souza Campos. Engenharia de Software Mestrado Ciência da Computação - UFMS Pontos de Função André Chastel Lima Andréia Ferreira Pinto Diego Souza Campos Engenharia de Software Mestrado Ciência da Computação - UFMS Roteiro Introdução Métricas de Projeto Análise de Pontos de Função

Leia mais

Análise de Pontos por Função

Análise de Pontos por Função Análise de Pontos por Função Uma Aplicação na Gerência de Subcontratação de Software Claudia Hazan, MSc. Certified Function Point Specialist Agenda! Introdução à Gerência de Subcontratação! Melhores Práticas:!

Leia mais

Implantação dos Processos Gerência de Projeto e Medição com Auxílio de Ferramenta Baseada em Planilhas Carlos Simões Claudia Lasmar Gleison Santos

Implantação dos Processos Gerência de Projeto e Medição com Auxílio de Ferramenta Baseada em Planilhas Carlos Simões Claudia Lasmar Gleison Santos Implantação dos Processos Gerência de Projeto e Medição com Auxílio de Ferramenta Baseada em Planilhas Carlos Simões Claudia Lasmar Gleison Santos Agenda: Carlos Simões cs@synapsisbrasil.com.br carlossimoes@cos.ufrj.br

Leia mais

Como Definir Processos de Estimativas aderentes às Melhores Práticas do CMMI?

Como Definir Processos de Estimativas aderentes às Melhores Práticas do CMMI? Como Definir Processos de Estimativas aderentes às Melhores Práticas do CMMI? Claudia Hazan Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO) Cenário Sintomas da Crise do Software As estimativas de prazo

Leia mais

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 12. Última atualização em: 03/09/2013

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 12. Última atualização em: 03/09/2013 ANEXO 12 Análise de Pontos de Função Guia de Contagem Última atualização em: 03/09/2013 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS 0 -XX - 51-3210-3100 http:\\www.procergs.com.br Sumário

Leia mais

Workflow como Proposta de. Workflow. O Gerenciamento de Processos. Prof. Roquemar Baldam roquemar@pep.ufrj.br

Workflow como Proposta de. Workflow. O Gerenciamento de Processos. Prof. Roquemar Baldam roquemar@pep.ufrj.br Workflow como Proposta de Automação Flexível O Gerenciamento de Processos Planejamento do BPM Diretrizes e Especificações Seleção de processo críticos Alinhamento de processos à estratégia www.iconenet.com.br

Leia mais

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 10. Última atualização em: 18/09/2011

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 10. Última atualização em: 18/09/2011 ANEXO 10 Análise de Pontos de Função Guia de Contagem Última atualização em: 18/09/2011 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS 0 -XX - 51-3210-3100 http://www.procergs.com.br Sumário

Leia mais

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 10. Última atualização em: 13/08/2014

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 10. Última atualização em: 13/08/2014 ANEXO 10 Análise de Pontos de Função Guia de Contagem Última atualização em: 13/08/2014 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS 0 -XX - 51-3210-3100 http:\\www.procergs.com.br Sumário

Leia mais

DIMENSIONANDO PROJETOS DE WEB-ENABLING. Uma aplicação da Análise de Pontos de Função. Dimensionando projetos de Web- Enabling

DIMENSIONANDO PROJETOS DE WEB-ENABLING. Uma aplicação da Análise de Pontos de Função. Dimensionando projetos de Web- Enabling DIMENSIONANDO PROJETOS DE WEB-ENABLING Uma aplicação da Análise de Pontos de Função Dimensionando projetos de Web- Enabling Índice INTRODUÇÃO...3 FRONTEIRA DA APLICAÇÃO E TIPO DE CONTAGEM...3 ESCOPO DA

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 10

Guia de Contagem. Análise de Pontos de Função ANEXO 10 ANEXO 10 Análise de Pontos de Função Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS 0 -XX - 51-3210-3100 http:\\www.procergs.com.br i Sumário 1. Apresentação...1 Sobre este documento...1 Objetivos...1

Leia mais

Roteiro de Métricas de Software da ANEEL - v1.0

Roteiro de Métricas de Software da ANEEL - v1.0 Roteiro de Métricas de Software da ANEEL - v1.0 Brasília DF Controle de Versão Data Versão Descrição Autor Revisor Aprovado por 24/09/2012 1.0 Emissão Inicial João Celestino 2 Sumário 1 Introdução... 4

Leia mais

Análise de Pontos por Função - O Processo de contagem

Análise de Pontos por Função - O Processo de contagem Análise de Pontos por Função - O Processo de contagem A seguir apresento uma versão do capítulo sobre o processo de contagem da APF que faz parte de minha monografia para conclusão do curso de especialização

Leia mais

Pontos de Função na Engenharia de Software

Pontos de Função na Engenharia de Software Pontos de Função na Engenharia de Software Diana Baklizky, CFPS Este documento contém informações extraídas do Manual de Práticas de Contagem do IFPUG. Essas informações são reproduzidas com a permissão

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO IV PROJETO BÁSICO: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS. Sumário

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO IV PROJETO BÁSICO: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS. Sumário CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO IV PROJETO BÁSICO: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS Sumário 1. DIRETRIZES PARA O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APLICATIVOS...172 1.1. INTRODUÇÃO...172

Leia mais

Etapas e Desafios. plataforma de BPM corporativa. BPMS Showcase 2014. Kelly Sganderla Consultora de Processos, CBPP Kelly.sganderla@iprocess.com.

Etapas e Desafios. plataforma de BPM corporativa. BPMS Showcase 2014. Kelly Sganderla Consultora de Processos, CBPP Kelly.sganderla@iprocess.com. BPMS Showcase 2014 Etapas e Desafios na seleção de uma plataforma de BPM corporativa Apresentado por: Kelly Sganderla Consultora de Processos, CBPP Kelly.sganderla@iprocess.com.br Apresentando a iprocess

Leia mais

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Abril/2012

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Abril/2012 Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Abril/2012 Nessa síntese foram abordados, em 127 mensagens, os seguintes assuntos: Correlação entre a estimativa de tamanho do novo sistema, o projeto e a migração

Leia mais

Medição de tamanho para Sistemas de Data Mart

Medição de tamanho para Sistemas de Data Mart 1 Universidade Católica de Brasília Programa de Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Medição de tamanho para Sistemas de Data Mart Angélica Toffano Seidel Calazans Orientadores:

Leia mais

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Julho/2010

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Julho/2010 Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Julho/2010 Assunto: Estimativa de Aumento de Produtividade Data: 01/07/2010 Link: http://br.groups.yahoo.com/group/livro-apf/message/2577 Dúvida: Existe alguma

Leia mais

Documento de Arquitetura

Documento de Arquitetura Documento de Arquitetura A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO #1 Pág. 1 de 11 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 28/10/2010 1 Elaboração do documento

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Recursos Naturais A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

Determinar o Tipo de Contagem. Identificar o Escopo de Contagem e Fronteira da Aplicação. Contagem das Funções de Dados. Calcular os PFs Ajustados

Determinar o Tipo de Contagem. Identificar o Escopo de Contagem e Fronteira da Aplicação. Contagem das Funções de Dados. Calcular os PFs Ajustados Análise de Pontos de Função (Hazan, 2001) A Análise de Pontos de Função (APF) é um método-padrão para a medição do desenvolvimento de software, visando estabelecer uma medida de tamanho do software em

Leia mais

Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI

Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI Núcleo de Métricas: Alcançando a Excelência na Governança de TI Gustavo Siqueira Simões - PMP e CFPS http://www.linkedin.com/in/gustavosimoes gustavo.simoes@fattocs.com.br skype: gustavosimoes +55(11)

Leia mais

Plano de Projeto. 1. Introdução. 2. Escopo do Projeto. Projeto: Biblioteca Central da UFES. Versão: 2.0. Responsável: Ricardo de Almeida Falbo

Plano de Projeto. 1. Introdução. 2. Escopo do Projeto. Projeto: Biblioteca Central da UFES. Versão: 2.0. Responsável: Ricardo de Almeida Falbo Plano de Projeto Projeto: Biblioteca Central da UFES Versão: 2.0 Responsável: Ricardo de Almeida Falbo 1. Introdução Este documento apresenta a versão 2.0 do Plano de Projeto para o projeto de desenvolvimento

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS CICLO DE VIDA DE PROJETOS (viabilidade até a entrega / iniciação ao encerramento) RELEVÂNCIA SOBRE AS AREAS DE CONHECIMENTO FATORES IMPACTANTES EM PROJETOS

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Gerenciamento da Infraestrutura de TI São Paulo, Abril de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula A Transição de Serviços da Infraestrutura

Leia mais

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Abril/2011

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Abril/2011 Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Abril/2011 Nessa síntese foram abordados, em 96 mensagens, os seguintes assuntos: Contagem em manutenção de Sistemas Legados Processos Elementares distintos de

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA Referência: CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 - BNDES Data: / / Licitante: CNPJ:

Leia mais

Uso de Métricas em Contratos de Fábrica de Software Roteiro de Métricas do SISP 2.0

Uso de Métricas em Contratos de Fábrica de Software Roteiro de Métricas do SISP 2.0 Uso de Métricas em Contratos de Fábrica de Software Roteiro de Métricas do SISP 2.0 Claudia Hazan claudia.hazan@serpro.gov.br claudia.hazan@serpro.gov.br 1 Objetivos Definir a Métrica Pontos de Função

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO Sumário 1. Objeto... 50 2. Descrição Resumida do Objeto... 50 2.1. Fase de Planejamento... 50 2.1.1. Concepção do PROGRAMA...

Leia mais

Guia de Contagem. Pontos de Função ANEXO XI. Última atualização em: 11/06/2015

Guia de Contagem. Pontos de Função ANEXO XI. Última atualização em: 11/06/2015 ANEXO XI Pontos de Função Guia de Contagem Última atualização em: 11/06/2015 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS 0 -XX - 51-3210-3100 http:\\www.procergs.com.br Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment Cláudio Muniz Machado Cavalcanti claudio.cavalcanti@planejamento.gov.br

Leia mais

O evento não fará uso do vídeo (webcam), somente slides e áudio. Se necessário, ajuste o idioma da sala na barra de ferramentas superior

O evento não fará uso do vídeo (webcam), somente slides e áudio. Se necessário, ajuste o idioma da sala na barra de ferramentas superior Orientações iniciais Dê preferência ao uso de uma conexão de banda larga O evento não fará uso do vídeo (webcam), somente slides e áudio Se necessário, ajuste o idioma da sala na barra de ferramentas superior

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

Implantação de um Processo de Medições de Software

Implantação de um Processo de Medições de Software Departamento de Informática BFPUG Brazilian Function Point Users Group Implantação de um Processo de Medições de Software Claudia Hazan, MSc., CFPS claudinhah@yahoo.com Agenda Introdução Processo de Medições

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 2.1 - ANÁLISE DE PONTO POR FUNÇÃO - APF 1. INTRODUÇÃO Criada em 1979 por Allan J. Albrecht (IBM), a APF - ANÁLISE DE PONTOS POR FUNÇÃO é uma técnica para medição de projetos cujo objeto seja o

Leia mais

Uma Aplicação da Análise de Pontos de Função

Uma Aplicação da Análise de Pontos de Função Uma Aplicação da Análise de Pontos de Função no Planejamento e Auditoria de Custos de Projetos de Desenvolvimento de Sistemas Renato Cesar da Cunha Ferreira renato.cesar@papem.mar.mil.br Pagadoria de Pessoal

Leia mais

Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais

Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais Wesley Vaz, MSc., CISA Sefti/TCU Brasília, 6 de novembro de 2012 Sistemas Integrados

Leia mais

Análise de Ponto de Função

Análise de Ponto de Função Complemento para o Curso Análise de Ponto de Função FUNÇÕES DO TIPO DADO O termo Arquivo não significa um arquivo do sistema operacional, como é comum na área de processamento de dados. Se refere a um

Leia mais

GUIA DE CONTAGEM DE PONTOS DE FUNÇÃO DO SISP PARA PROJETOS DATA

GUIA DE CONTAGEM DE PONTOS DE FUNÇÃO DO SISP PARA PROJETOS DATA GUIA DE CONTAGEM DE PONTOS DE FUNÇÃO DO SISP PARA PROJETOS DATA VERSÃO 1.0 BRASÍLIA 2015 1 Presidenta da República Dilma Vana Rousseff Ministro do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

Realização de Estimativas utilizando Análise de Pontos de Função

Realização de Estimativas utilizando Análise de Pontos de Função CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE PROFESSOR(A): MONALESSA PERINI BARCELLOS CÓDIGO: INF281 EMAIL: MONALESSA@INF.UFES.BR Realização de Estimativas utilizando

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Processo de Desenvolvimento de Software Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Processo de Desenvolvimento de Software... 04

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 SEÇÃO IX GUIA DE CONTAGEM DE PONTOS DE FUNÇÃO SEÇÃO IX. Guia de Contagem de Pontos de Função

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 SEÇÃO IX GUIA DE CONTAGEM DE PONTOS DE FUNÇÃO SEÇÃO IX. Guia de Contagem de Pontos de Função SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 SEÇÃO IX GUIA DE CONTAGEM DE PONTOS DE FUNÇÃO SEÇÃO IX SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 Guia de Contagem de Pontos de Função Guia de

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 02 IMPLANTAÇÃO DE 1 (UM)

Leia mais

PROCESSO ADMINISTRATIVO ELETRÔNICO. Samuel Fernandes Ribeiro Gerente do Projeto

PROCESSO ADMINISTRATIVO ELETRÔNICO. Samuel Fernandes Ribeiro Gerente do Projeto PROCESSO ADMINISTRATIVO ELETRÔNICO Samuel Fernandes Ribeiro Gerente do Projeto Agenda Contextualização Trabalho colaborativo Plataforma PAE Apresentação do Software Plano de sustentação e continuidade

Leia mais

Guia de Contagem APF Versão 1.00

Guia de Contagem APF Versão 1.00 Versão 1.00 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 20/11/2010 1.00 Criação do Guia de Contagem APF Célio Santana / Gustavo Santos Guia de Contagem APF ATI www.ati.pe.gov.br Pág. 2 de 65 SUMÁRIO

Leia mais

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Janeiro/2012

Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Janeiro/2012 Síntese das discussões do fórum Livro-APF: Janeiro/2012 Nessa síntese foram abordados, em 81 mensagens, os seguintes assuntos: Separação de Requisitos em Projetos de Desenvolvimento Modelo de Entidades

Leia mais

Fábrica de Software 29/04/2015

Fábrica de Software 29/04/2015 Fábrica de Software 29/04/2015 Crise do Software Fábrica de Software Analogias costumam ser usadas para tentar entender melhor algo ou alguma coisa. A idéia é simples: compara-se o conceito que não se

Leia mais

Métricas e Medições de Software

Métricas e Medições de Software 391 Métricas e Medições de Software MTF-BC - Método para Medição de Tamanho Funcional de Sistemas de Informação do Banco Central do Brasil Versão 01.01 de 23/07/2008 392 R E V I S Õ E S Versão Dt. Versão

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Gerenciamento das Comunicações

GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Gerenciamento das Comunicações GERENCIAMENTO DE PROJETOS Gerenciamento das Comunicações Gerenciamento das Comunicações Gerenciamento de Projetos Gerenciamento das Comunicações!!" #!$%& &#$%& '# # $(# ) Gerenciamento das Comunicações

Leia mais

BPC - ORÇAMENTO. Sistema. Objetivo SAP BW SAP BO SAP BPC SAP DASHBOARDS. Descrição do Produto Implanta BPC Orçamento

BPC - ORÇAMENTO. Sistema. Objetivo SAP BW SAP BO SAP BPC SAP DASHBOARDS. Descrição do Produto Implanta BPC Orçamento Sistema SAP BW SAP BO SAP BPC SAP DASHBOARDS Objetivo Descrição do Produto Implanta BPC Orçamento SUMÁRIO 1. DESCRIÇÃO DO P RODUTO...2 2. SISTEMAS...3 3. ARQUITETURA...3 4. FLUXO DA INFORMAÇÃ O...4 5.

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL)

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL) Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL) Versão 2.0 Escritório de Gerenciamento de Projetos - EGP Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

Guia de Contagem de Pontos de Função do DATASUS. Versão 2.3

Guia de Contagem de Pontos de Função do DATASUS. Versão 2.3 Guia de Contagem de Pontos de Função do DATASUS Versão 2.3 Guia de Contagem de Pontos de Função do DATASUS Versão 2.3 Data de Impressão 29/04/13 16:04:04 Guia de Contagem de Pontos de Função do DATASUS

Leia mais

Soluções. para o seu cliente mais importante. Governo

Soluções. para o seu cliente mais importante. Governo Soluções para o seu cliente mais importante. Governo A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 A capacidade dos portais corporativos em capturar, organizar e compartilhar informação e conhecimento explícito é interessante especialmente para empresas intensivas

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME

QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME Pregão n 062/2009 Lote 1: Lote 2: Operação, Gerenciamento de Redes, Servidores, Storage & Archive, Directory Services. Administração de Banco

Leia mais

PLANO DO PROJETO. TÍTULO: Novos sites Grupo Promon e Promon Engenharia. GERENTE DO PROJETO: Ricardo Mantovani

PLANO DO PROJETO. TÍTULO: Novos sites Grupo Promon e Promon Engenharia. GERENTE DO PROJETO: Ricardo Mantovani PLANO DO PROJETO TÍTULO: GERENTE DO PROJETO: Ricardo Mantovani HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Revisão Data Descrição das alterações Autor/Editor i V1R0 23/01/2012 Versão inicial RESPONSÁVEL PELO DOCUMENTO Nome

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

Gerenciamento de Processos de Negócio. Macaé. 08 de setembro de 2015. Marcos Santos. www.foccus.adm.br

Gerenciamento de Processos de Negócio. Macaé. 08 de setembro de 2015. Marcos Santos. www.foccus.adm.br Gerenciamento de Processos de Negócio 08 de setembro de 2015 Marcos Santos www.foccus.adm.br Macaé @santos_marcos adm.santos.marcos@gmail.com marcos..santos 22/99922-8672 A ABPMP (Association of Business

Leia mais

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor 1. Em relação ao módulo para Atribuição de Limites, entendemos que Banco do Brasil busca uma solução para o processo de originação/concessão de crédito. Frente a essa necessidade, o Banco do Brasil busca

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Treinamento em Alfresco Open Source Enterprise Content Management ( ECM ) - GED Gestão Eletrônica de Documentos

Treinamento em Alfresco Open Source Enterprise Content Management ( ECM ) - GED Gestão Eletrônica de Documentos Treinamento em Alfresco Open Source Enterprise Content Management ( ECM ) - GED Gestão Eletrônica de Documentos Sobre o treinamento Este é um curso para quem precisa conhecer o essencial do produto o Alfresco

Leia mais

Apresentação Comercial

Apresentação Comercial Apresentação Comercial Quem Somos O HANT é uma vertical da empresa NDDigital, com foco em desenvolver soluções através de software e serviços direcionados a atender a cadeia de compra das empresas, desde

Leia mais

Modelagem de Processos para Automação

Modelagem de Processos para Automação Treinamentos em Gestão por Processos Modelagem de Processos para Automação [ipe03] Implementando a Visão Futura: um curso prático para vencer a barreira existente entre negócio e TI. Implantar processos

Leia mais

Roteiro de Métricas de Software do SISP Versão 1.0

Roteiro de Métricas de Software do SISP Versão 1.0 Roteiro de Métricas de Software do SISP Versão 1.0 Brasília, 29 de novembro de 2010. Roteiro de Métricas de Software do SISP 2 Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministério do Planejamento,

Leia mais

Planejamento de Projetos. Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista )

Planejamento de Projetos. Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista ) Qualidade de Software Aula 9 (Versão 2012-01) 01) Planejamento de Projetos Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista ) Revisando...

Leia mais

Contabilização de Pontos de Função

Contabilização de Pontos de Função Contabilização de Pontos de Função Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior DCC PUC Minas Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com A técnica de Pontos de Função consiste em uma métrica para estimar tamanho

Leia mais

Channel. Visão Geral e Navegação. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Visão Geral e Navegação. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Visão Geral e Navegação Tutorial Atualizado com a versão 3.9 Copyright 2009 por JExperts Tecnologia Ltda. todos direitos reservados. É proibida a reprodução deste manual sem autorização prévia

Leia mais

Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr.

Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr. Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr. Novatec Sumário Agradecimentos... 17 Sobre o autor... 18 Prefácio... 19 Capítulo 1 Desenvolvimento de software para o valor de negócios... 20 1.1 Qualidade

Leia mais

Introdução - Cenário

Introdução - Cenário Como evitar Armadilhas em Contratos de Software Baseados na Métrica Pontos de Função Claudia Hazan Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO) 1 Introdução - Cenário Demanda crescente por Sistemas

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP SERVIÇOS DE CONSULTORIA EIXO TEMÁCO: GOVERNANÇA DE Implantação de Metodologia de Elaborar e implantar uma metodologia de gerenciamento de projetos no órgão solicitante, com a finalidade de inserir as melhores

Leia mais

Aplicação de Sistema Eletrônico para Planejamento das Etapas de Desenvolvimento de Produtos na Suspensys

Aplicação de Sistema Eletrônico para Planejamento das Etapas de Desenvolvimento de Produtos na Suspensys Aplicação de Sistema Eletrônico para Planejamento das Etapas de Desenvolvimento de Produtos na Suspensys Autor: Esequiel Berra de Mello, Suspensys, Grupo Randon Apresentador: Tomas L. Rech Ebis Soluções

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto

Plano de Gerenciamento do Projeto Projeto para Soluções Contábeis 2015 Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Brendon Genssinger o e Elcimar Silva Higor Muniz Juliermes Henrique 23/11/2015 1 Histórico de alterações

Leia mais

Gerenciamento Incidentes, Problemas e de Nível de Serviço. Treinamento OTRS ITSM

Gerenciamento Incidentes, Problemas e de Nível de Serviço. Treinamento OTRS ITSM Gerenciamento Incidentes, Problemas e de Nível de Serviço Treinamento OTRS ITSM Sumário Gerenciamento de Incidentes e Problemas...3 Cadastro de Serviços...4 Tipo de Serviço...4 Criticidade (Criticalidade)...4

Leia mais

Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Sistemas de informação Manual técnicas de arquivamento e recuperação de informações de grandes arquivos.

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais