UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE FARMÁCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE FARMÁCIA"

Transcrição

1 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE FARMÁCIA JESSYKA CORDEIRO DE GODOI AÇÕES DE MARKETING NAS DROGARIAS DA AVENIDA DO ESTADO, NO BAIRRO RECANTO DO SOL E NAS DROGARIAS DA AVENIDA 25, NO BAIRRO PARQUE RESIDENCIAL DAS FLORES, EM ANÁPOLIS - GOIÁS Anápolis 2014

2 1 JESSYKA CORDEIRO DE GODOI AÇÕES DE MARKETING NAS DROGARIAS DA AVENIDA DO ESTADO, NO BAIRRO RECANTO DO SOL E NAS DROGARIAS DA AVENIDA 25, NO BAIRRO PARQUE RESIDENCIAL DAS FLORES, EM ANÁPOLIS - GOIÁS Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Coordenação do Curso de Farmácia da Universidade Estadual de Goiás, Unidade Universitária de Ciências Exatas e Tecnológicas, como requisito parcial necessário à obtenção do título de Bacharel em Farmácia.. Orientador (a): Profa. MSc. Juliana Luiza Moreira Del Fiaco Anápolis 2014

3 2 Godoi, Jessyka Cordeiro de. Ações de Marketing nas drogarias da avenida do estado, no bairro Recanto do Sol e nas drogarias da avenida 25, no bairro Parque Residencial das Flores, em Anápolis - Goiás/ Godoi, Jessyka Cordeiro de f. Orientadora: Prof. Msc. Juliana Luiza Moreira Del Fiaco TCC (Graduação), Universidade Estadual de Goiás, Unidade Universitária de Ciências Exatas e Tecnológica, Marketing. 2. Composto de Marketing. 3. Drogaria. I. Título.

4 3

5 4 Dedico este trabalho aos meus pais pelo apoio, cooperação e compreensão em todos os momentos, aos amigos pela ajuda, o suporte e força nas horas mais difíceis. Obrigada por fazerem parte da minha história e de mais esta etapa na minha vida.

6 5 AGRADECIMENTOS Meus mais verdadeiros agradecimentos a Deus por me oferecer a oportunidade de aprender, crescer e me desenvolver junto a pessoas tão especiais e importantes. Agradeço também a Professora MSc. Juliana Luiza Moreira Del Fiaco, minha orientadora que muito colaborou na elaboração deste trabalhando sanando todas as minhas dúvidas e me auxiliando em todos os momentos necessários, agradeço também pela paciência, confiança e por acreditar na minha capacidade para a elaboração deste. Só tenho a agradecer também a todos os proprietários das drogarias analisadas que cooperaram, como a todos os entrevistados que me concederam tempo para às respostas dos questionários. Obrigada a todas as pessoas que de uma forma ou de outra adicionaram informações, experiências e conselhos para que este trabalho fosse concluído. Obrigado a todos!

7 6 O sucesso nasce do querer, da determinação e persistência em se chegar a um objetivo. Mesmo não atingindo o alvo, quem busca e vence obstáculos, no mínimo fará coisas admiráveis." José de Alencar

8 7 RESUMO Ao considerar a intensa concorrência existente no mercado varejista de medicamentos, utilizar-se das preconizações do Marketing torna-se imprescindível para qualquer drogaria que visa obter proeminência de mercado e conquistar seus clientes. Essa pesquisa que enfatizou o Marketing teve como problema científico o segmento de varejo farmacêutico, questionando se os preceitos do Marketing são bem desenvolvidos e quais são as consequências para as drogarias que o fazem? Assim, o objetivo geral foi ressaltar a importância das ações do Marketing no âmbito das drogarias, bem como este processo é realizado, empecilhos e desafios em busca do destaque no mercado. E como objetivos específicos o trabalho buscou compreender a forma como o Marketing é abordado pelas drogarias da Avenida do Estado, no bairro Recanto do Sol e pelas drogarias da Avenida 25, no bairro Parque Residencial das Flores em Anápolis Goiás; compreender como o Marketing farmacêutico é desenvolvido nestas drogarias; analisar o perfil socioeconômico dos clientes atendidos, bem como os produtos mais consumidos por estes clientes; enfatizar a participação do Marketing como um diferencial às drogarias e ressaltar as ações de Marketing que elevam uma drogaria quanto ao número de clientes e de vendas em comparação as demais. Para tal, realizou-se um levantamento bibliográfico em livros e artigos sobre a temática abordada. Procedeu-se com um estudo de caso identificando as influências das ações de Marketing nas drogarias analisadas, também uma pesquisa de campo realizada através de questionário aos clientes e entrevista com os proprietários das drogarias. A amostragem contou com 359 clientes e 4 proprietários. Através do programa Microsoft Office Excel 2007 construiu-se gráficos. Os dados obtidos foram analisados qualitativamente e quantitativamente. As drogarias analisadas que mais se destacam são as que oferecem produtos e serviços adicionais, pois, drogarias que superam as expectativas conquistam mais clientes. No contexto geral, a drogaria Visão do bairro Parque Residencial das Flores proporciona a maior gama de benefícios aos clientes, enquanto a drogaria Drifarma utiliza com menor ênfase de tais ideais. Por fim, observa-se que no âmbito farmacêutico, em especial as drogarias, o Marketing é pouco aprimorado e explorado. Através da abordagem do tema, constatou-se que o Marketing possui um vasto campo a ser desenvolvido para respaldar inteiramente o segmento das drogarias, beneficiar a economia, exaltar as receitas do setor, bem como conceder um atendimento mais completo e satisfatório aos clientes. Palavras-chave: Marketing, Composto de Marketing, Drogaria.

9 8 ABSTRACT Considering the intense competition in the retail drug market, marketing tools and skills become essential for any drugstore that seeks notoriety in the market and to win customers. That search emphasized the Marketing the analyzed scientific problem was: In pharmaceutical retail field, are the precepts of Marketing well developed by drugstores? And what are the consequences for the drugstores that do it? Such the main goal of this study was to highlight the importance of the Marketing initiatives within the drugstores, and how this process is accomplished, in addition to know more about the obstacles and challenges found along the way when pursuing prominence in the market. More specifically, this study aimed to understand how the marketing is approached in drugstores located on Avenida do Estado, at Recanto do Sol district, and in drugstores located on Avenida 25, at Parque Residencial das Flores neighborhood in Anapolis - Goias. Moreover, we aimed to understand how the pharmaceutical marketing is developed in these drugstores, what the socioeconomic profile of their customers look like, and the most consumed products by these customers. Emphasizing how the presence of Marketing tools in these drugstores provide them with a remarkable overview when comparing to others, and highlighting the marketing initiatives that causes an overall improvement in a drugstore concerning the number of customers and sales were also specific goals of this study. For this purpose, extensive bibliographical research in books and papers was done. We proceeded with a case study that aimed to identify the influence of marketing actions in the drugstores previously mentioned. Such as, field research conducted by surveys, and interviews with customers and drugstores owners. The sample had a total of 359 customers and 4 owners. The data acquired was analyzed qualitatively and quantitatively and further plotted in graphics using Microsoft Office Excel From the assessed drugstores the ones that stood out were those that offered additional products and services. Thus, drugstores that exceed customers expectations present a growing number of customers. Overall, Visao Drugstore located on Parque Residencial das Flores neighborhood provides the largest range of benefits to customers, while Drifarma Drugstore does not emphasize much on such ideals. Finally, we observed that in the pharmaceutical field, especially in drugstores, Marketing has not been quite yet improved and explored. We also realized that Marketing has a vast field that needs to be developed to fully endorse the drugstore field, which will potentially bring benefits to the economy by increase revenues, as well as provide a more complete and satisfactory service to customers. Keywords: Marketing, Marketing Mix, Drusgtore.

10 9 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1: Composto de Marketing...21 Figura 2: Pilares do Mix Marketing...22 Figura 3: Estrutura organizacional orientada para os serviços...28 Gráfico 1: Análise dos produtos de maior consumo...36 Gráfico 2: Variáveis que mais influenciam a compra de produtos pelos clientes...37 Quadro 1: A variável produto segundo os proprietários...39 Quadro 2: Disposição dos medicamentos...41 Quadro 3: Margem de desconto oferecido...41 Quadro 4: Ações de promoção...43 Imagem 1: Fachada da drogaria Genérica...45 Imagem 2: Fachada da drogaria Visão do bairro Recanto do Sol...45 Imagem 3: Fachada da drogaria Drifarma...46 Imagem 4: Fachada da drogaria Visão do bairro Parque Residencial da Flores...46

11 10 LISTA DE ABREVIATURAS ANVISA - Agencia Nacional de Vigilância Sanitária ABRADILAN - Associação Brasileira dos Distribuidores de Laboratórios Nacionais CFA - Conselho Federal de Administração CEP Comitê de Ética em Pesquisa CFF - Conselho Federal de Farmácia CMED - Câmara de Regulamentação do Mercado de Medicamentos FEBRAFAR - Federação Brasileira das Redes Associativistas de Farmácias HPC - Higiene, Perfumaria e Cosméticos IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística SUS - Sistema Único de Saúde MIP Medicamentos Isentos de Prescrição MNSRM - Medicamentos que Não são Sujeitos a Receita Médica OMS Organização Mundial da Saúde RAE - Revista de Administração de Empresas SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas TCLE - Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

12 11 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO OBJETIVOS OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS REFERENCIAL TÉORICO CONCEITOS DE MARKETING O MARKETING EM DROGARIAS IMPORTÂNCIA ECONÔMICA DAS DROGARIAS PARA O BRASIL PRECEITOS BÁSICOS DO MARKETING PARA AS DROGARIAS O MIX DE MARKETING PRODUTO PREÇO PRAÇA PROMOÇÃO O MIX MARKETING FARMACÊUTICO PRODUTO PREÇO PRAÇA PROMOÇÃO MARKETING DE RELACIONAMENTO CONFIANÇA LEALDADE METODOLOGIA RESULTADOS E DISCUSSÕES PERFIL DO CLIENTE PERFIL DOS CLIENTES DA DROGARIA GENÉRICA PERFIL DOS CLIENTES DA DROGARIA VISÃO DO RECANTO DO SOL PERFIL DOS CLIENTES DA DROGARIA DRIFARMA PERFIL DOS CLIENTES DA DROGARIA VISÃO DO PARQUE RESIDENCIAL DAS FLORES...35

13 O MIX MARKETING PARA OS CLIENTES PRODUTO DO PONTO DE VISTA DOS CLIENTES PREÇO, PRAÇA E PROMOÇÃO DO PONTO DE VISTA DOS CLIENTES O MIX MARKETING PARA OS PROPRIETÁRIOS PRODUTO DO PONTO DE VISTA DOS PROPRIETÁRIOS PRAÇA DO PONTO DE VISTA DOS PROPRIETÁRIOS PREÇO DO PONTO DE VISTA DOS PROPRIETÁRIOS PROMOÇÃO DO PONTO DE VISTA DOS PROPRIETÁRIOS O MARKETING DE RELACIONAMENTO O MARKETING FARMACÊUTICO CONCLUSÃO REFERÊNCIAS...50 ANEXOS APÊNDICES

14 13 1. INTRODUÇÃO Em sua essência, o Marketing compreende um conjunto de ações que buscar identificar as oportunidades mercadológicas e desenvolver ações capazes de atendê-las e em casos de empresas com fins lucrativos gerar lucros ao empreendimento (KELLER; KOTLER, 2012). Até pouco tempo, o Marketing era considerado apenas como uma maneira de se vender produtos, concepção esta que vem diminuindo à medida que o intuito do Marketing é satisfazer o cliente que se consolida (KOTLER, 1999). O Marketing reúne as ações envolvidas na troca, objetivando satisfazer as vontades e necessidades dos clientes, buscando atingir os objetivos empresariais e considerando os impactos desta relação com a sociedade (LAS CASAS, 1997). Uma estratégia de Marketing capaz de exaltar as ações de Marketing de uma empresa é resultado da junção de vários fatores que elevam o empreendimento frente a seus concorrentes, trata-se da união de ações bem sucedidas que resultam no sucesso do negócio e não somente uma boa atuação de um campo ou de outro (KOTLER, 1999). Para as drogarias o elemento essencial é o consumidor. Numa vertente comercial de preços bastante semelhantes, o bom atendimento faz toda a diferença. Outro fator importante é o perfil dos clientes atendidos, ao contrário de outras empresas, os clientes de drogarias em geral encontram-se doentes tornando ainda mais necessário o uso dos preceitos do Marketing, em especial o Marketing de Relacionamento na solidificação da relação com os clientes e sua fidelização (BRANGHIN et. al., 2007). Apenas nos primeiros cinco meses do ano de 2014 as indústrias farmacêuticas arrecadaram mais de 25 bilhões de reais (JORNAL ESTADÃO, 2014). O varejo farmacêutico é o principal veículo de distribuição de medicamentos seguido pelo SUS sendo um segmento de grande importância para o setor farmacêutico (SOUZA, 2009). As drogarias por meio da venda em varejo é um segmento que através de uma gestão eficaz pode acrescentar substancialmente valores a arrecadação do setor. Com o crescente número de drogarias em funcionamento, disponibilizando os mesmos medicamentos, o que influencia a escolha do cliente por determinada drogaria para a compra é exatamente a forma como o estabelecimento aborda o cliente, o bom atendimento, a atenção farmacêutica exercida, os preços atrativos, os serviços adicionais prestados, a maneira como os

15 14 funcionários se apresentam ao cliente bem como a estética do estabelecimento em si. Estes fatores estão envolvidos nas ações de Marketing que a drogaria decide adotar a fim de conquistar o cliente e lucrar com essa relação. Os empreendedores que buscam consolidação de mercado devem atuar de maneira coerente com seus objetivos empresariais, estes precisam analisar cuidadosamente e desenvolver ações em relação às variáveis controláveis do empreendimento que são: o preço, o produto, a praça e a promoção. Estas variáveis compõem o Mix Marketing proposto por McCarthy (1960) e quando bem desenvolvidas podem auxiliar bastante no destaque da empresa. O Marketing de Relacionamento é outro segmento do Marketing que quando abordado de forma eficaz pelo empreendedor pode acarretar na valorização do cliente pelo estabelecimento, pois, os clientes buscam cada dia mais por um atendimento individualizado. Para uma drogaria de pequeno porte situada numa região periférica onde, nas proximidades estão localizadas outras drogarias, a concorrência torna-se bastante elevada. Considerando tal premissa indagou-se: como as drogarias da região abordam o Marketing em seus estabelecimentos? Qual o perfil dos clientes atendidos pelas drogarias analisadas? Qual a participação do Marketing na diferenciação de uma drogaria para outra? Como os estabelecimentos analisados desenvolvem o Marketing farmacêutico? Quais as ações de Marketing que são desenvolvidas por um estabelecimento capazes de destacarem o mesmo em detrimento aos demais? Estes questionamentos, assim como outros que surgiram foram devidamente respondidos no decorrer da pesquisa que tratou-se de um estudo de caso. Desta forma, a pesquisa realizada teve relevância, pois, conciliou os preceitos, as teorias e as ferramentas do Marketing com a prática realizada pelas drogarias Visão e Genérica do bairro Recanto do Sol e pelas drogarias Visão e Drifarma do bairro Parque Residencial das Flores localizadas na região norte da cidade de Anápolis em Goiás, salientando através da pesquisa de campo as ações que mais corroboram para o destaque de uma drogaria em relação às demais. A monografia realizada foi dividida em partes, uma dedicada ao Referencial Teórico ressaltando os conceitos do Marketing, o Mix Marketing, o Marketing de Relacionamento e a importância do setor farmacêutico para a economia brasileira dentre outros. Outra parte correspondente à metodologia e para finalizar, os resultados que apresentam as ações desenvolvidas pelas drogarias capazes de as destacarem num mercado de intensa concorrência.

16 15 2. OBJETIVOS 2.1 OBJETIVO GERAL Ressaltar a importância das ações do Marketing no âmbito das drogarias, bem como este processo é realizado, empecilhos e desafios em busca do destaque no mercado. 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Compreender a forma como o Marketing é abordado pelas drogarias da Avenida do Estado no bairro Recanto do Sol e pelas drogarias da Avenida 25 no Bairro Parque Residencial Jardim das Flores em Anápolis, Goiás; Compreender como o Marketing farmacêutico é desenvolvido nestas drogarias; Analisar o perfil socioeconômico dos clientes atendidos, bem como os produtos mais consumidos por estes clientes; Enfatizar a participação do Marketing como um diferencial às drogarias; Ressaltar as ações de Marketing que elevam uma drogaria quanto ao numero de clientes e de vendas em comparação as demais.

17 16 3. REFERENCIAL TÉORICO 3.1 CONCEITOS DE MARKETING O conceito e demais definições das atribuições do Marketing tem sofrido inúmeras divergências inerentes ao fato do Marketing tratar-se de um sistema de Administração baseado principalmente no comportamento humano, e as alterações envolvendo pessoas refletem de alguma maneira nas delimitações do Marketing (TOLEDO; SANTOS, 1979). A existência de inúmeras definições para o Marketing se deve a ausência de distinção entre a função, a maneira com que essa função é exercida e a continuidade desta função nas vertentes empresariais (TOLEDO; SANTOS, 1979). Em conjunto com tal problemática, outro fator que justifica a várias conceituações para o Marketing é a falta de delimitação específica e clara da fronteira de ação de tal ciência (ALVES, 2006). Até pouco tempo, o Marketing era tido apenas como uma maneira de se vender produtos, algo que vem diminuindo à medida que a concepção de que o intuito do Marketing é satisfazer o cliente se consolida (KOTLER, 1999). A profusão de conceitos tem provocado certa dificuldade no sentido [...] de avaliar o impacto dessa atuação no mercado, na concorrência e na sociedade de uma forma em geral (TOLEDO; SANTOS, 1979, p. 45). Para Las Casas (1997, p. 26): Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem-estar da sociedade. Segundo Kotler (2011, p. 27), o Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros. No âmbito dos negócios, o Marketing é uma ferramenta que auxilia na relação com o cliente visando atraí-los com valores superiores e/ou manter sua satisfação (KOTLER, 1999). Para Richers (1994, p. 18) o Marketing compreende: as atividades sistemáticas de uma organização humana voltadas à busca e realização de trocas para com o seu meio ambiente, visando benefícios específicos. No contexto da definição os princípios do

18 17 Marketing findam na ideia da troca de qualquer tipo de valor entre indivíduos (RICHERS, 1994). O Marketing compreende em sua essência a um conjunto de ações que visa identificar oportunidades no mercado e desenvolver ações que sejam capazes de atendê-las e consequentemente, nos casos das empresas que possuem fins lucrativos, gerar lucro ao empreendimento (KELLER; KOTLER, 2012). Embora existam diversas conceituações para Marketing, em geral estas se fixam nos mesmos pilares, onde a troca de valores ocorre através do atendimento das necessidades existentes e que a qualidade será definida de acordo com a forma como a venda, troca e entrega do produto ou serviço ocorrerão (CORREIA; SANTOS; SETE, 2010). Segundo Kotler (1999, p. 32), o Marketing tem por principal responsabilidade o alcance do crescimento em receitas lucrativas para a empresa [...] deve identificar, avaliar e selecionar oportunidades de mercado e estabelecer estratégias para alcançar proeminência de mercado senão domínio, nos mercados-alvo. O Marketing inicia-se da vontade e da necessidade das pessoas, embora seja totalmente diferente a separação entre o que é necessário e o que é uma vontade tem se tornado cada vez mais complicada. A necessidade compreende a um estágio de privação de certa satisfação básica como alimento e roupa. Por sua vez, o desejo diz respeito às carências por satisfações específicas para suprir às necessidades, como um tipo de alimento e uma determinada marca de roupa (KOTLER 2011). Inúmeras vezes, o Marketing é associado exclusivamente a ações de propagandas e vendas, apesar de estes fazerem parte do conjunto de ações envolvidas no Marketing, não são unicamente estas ações, a delimitação de tal ciência (KOTLER, 1999). Muitas pessoas confundem Marketing com publicidade e propaganda, porém, Marketing tem uma vasta aplicabilidade onde, a propaganda assim como a publicidade são apenas componentes do mix de promoção que conta com um conjunto de ações que constituem o Marketing em sua totalidade (CORREIA; SANTOS; SETE, 2010). De acordo com a conceituação de Marketing, para se alcançar as metas organizacionais é necessário identificar os desejos e as necessidades do alvo mercadológico, a fim de elaborar estratégias que satisfaçam mais eficientemente o público-alvo em relação aos concorrentes (SILVA, 2008). Atualmente as empresas precisam abandonar a concepção de que a venda acontece através da promoção visando exclusivamente o lucro, e compreender que o Marketing é uma

19 18 ferramenta para que a venda ocorra e o lucro seja uma consequência, ao mesmo tempo em que a satisfação do cliente é proporcionada (COBRA, 1997). A satisfação corresponde ao contentamento ou não advindo da acareação do desempenho percebido de um produto em relação às perspectivas do cliente. A probabilidade de clientes satisfeitos mudarem de fornecedores é bem menor. Clientela altamente satisfeita vale dez vezes mais do que uma clientela apenas satisfeita (KOTLER, 2000). A elaboração de uma estratégia de Marketing que resulte no êxito das ações de Marketing se deve a uma associação de vários fatores que engrandeçam a empresa diante dos seus concorrentes, se trata muito mais de uma união de ações que resultam no sucesso do que necessariamente, a atuação em um campo ou outro com melhor qualidade (KOTLER, 1999). 3.2 O MARKETING EM DROGARIAS Para as drogarias um elemento essencial é o consumidor, eles vão até as drogarias buscando sanar uma necessidade, ou seja, um medicamento. Como os preços não alteram exorbitantemente, o atendimento é o que conquista os clientes. Outro fator de extrema importância no segmento é o perfil de cliente atendido, ao contrário dos clientes de outros empreendimentos, os clientes de drogarias em sua maioria encontram-se doentes. O quadro observado leva a uma necessidade do farmacêutico de se utilizar com maior ênfase das concepções do Marketing de Relacionamento no contato mais pessoal com o consumidor para solidificar uma relação com ele e uma possível fidelização (BRAGHIN et. al., 2007). Num contexto onde todos os clientes buscam a satisfação de diferentes desejos e/ou necessidades, as empresas necessitam de segmentar os clientes de acordo com interesses em comum de forma que o atendimento oferecido seja mais completo (BASTA, 2006). A segmentação deve ser realizada reunindo clientes com desejos e interesses em comum, pois, quando há esse vínculo, tais clientes tendem a interagir entre eles e até mesmo exercerem influência sobre a percepção a cerca dos serviços prestados (GRÖNROSS, 2009). As estratégias de Marketing para medicamentos tem sido tema de diversos debates pelo mundo visto que, a forma como o Marketing é trabalhado em prol de exaltar a importância de determinado medicamento leva a uma separação muito tênue, entre auxiliar na obtenção da cura por pessoas doentes, o que seria uma contribuição boa, e estimular que

20 19 pessoas sadias se considerem doentes, no caso o que seria uma contribuição indesejada e perigosa (NASCIMENTO, 2007). Por conta da utilização da publicidade e da propaganda no mercado farmacêutico e sua consequência sobre a saúde e o bem-estar dos indivíduos são desenvolvidos regulamentos que respaldam as propagandas voltadas para essa vertente mercadológica, a fim de expor informações relevantes e principalmente fidedignas sem qualquer interesse para tal (NASCIMENTO, 2007). A partir do momento em que a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) confere punição aos informativos irregulares referentes aos medicamentos, após sua vinculação nos meios de comunicação, salientando que tal punição leva cerca de trinta dias para ocorrer, este órgão governamental propicia que tais informativos estimulem o uso inconsciente, irracional e arriscado dos medicamentos e consequentemente deixa a irregularidade acontecendo até que as atitudes cabíveis sejam tomadas (NASCIMENTO; SAYD. 2005). As ações publicitárias intensificadas no âmbito farmacêutico tem incentivado o desejo excessivo pelos medicamentos, o que nem sempre indica algum caso patológico que justifique a intervenção medicamentosa de fato, mas sim uma vontade resultada da publicidade envolvida no Marketing de tais produtos (NASCIMENTO, 2007). Já a ação da propaganda conta com a cultura brasileira da automedicação para estimular o uso indiscriminado de medicamentos em prol de tratamentos relacionados ao bem-estar e a beleza que são baseados em poucos estudos e pesquisas que elucidam a ação farmacológica destes (NASCIMENTO; SAYD. 2005). 3.3 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA DAS DROGARIAS PARA O BRASIL Dentre as vertentes comerciais, as drogarias se mostram como um importante segmento do comércio varejista de medicamentos e um destaque para a economia do país (MADY, 2009). Estas empresas fazem parte do setor varejista, pois, atuam no processo de venda de produtos e serviços buscando atender as necessidades pessoais do consumidor final (PARENTE, 2007). Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a produção industrial brasileira avançou 2,9% na comparação de janeiro de 2014/dezembro de 2013, dos

21 20 ramos pesquisados as indústrias farmacêuticas foram as que apresentaram maior influência positiva (29,4%), resultado este que eliminou a queda de 12,3% observada em dezembro de 2013 (IBGE, 2014). De acordo com o Jornal Estadão (2014), no período de janeiro a maio de 2014, as indústrias farmacêuticas registraram receita bruta de 25, 636 bilhões de reais, valor 13% mais elevado do que o registrado no mesmo período do ano de A expectativa das indústrias farmacêuticas é de que o setor feche o ano com o crescimento na casa dos dois dígitos variando de 12 a 15% (JORNAL ESTADÃO, 2014). Dos associados à Abradilan (Associação Brasileira dos Distribuidores de Laboratórios Nacionais), 48% deles projetam crescimento nas vendas. Atualmente os brasileiros estão entre os maiores compradores de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPC) ocupando a posição de terceiro maior mercado global. O consumo crescente destes produtos pelos consumidores das classes emergentes levam os associados da Abradilan a investirem em especial no segmento de varejo farmacêutico (ABRADILAN, 2014). As drogarias e farmácias veem se destacando frente aos supermercados na venda de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. Com um mix de produtos mais diferenciado, o varejo farmacêutico conquistou 10% a mais de consumidores em relação ao ano de 2011, valor que representa elevação de 1,6 milhão de consumidores no ano de No mesmo período o gasto dos clientes com estes produtos elevou mais de 12% (GUIA DA FARMÁCIA, 2014). 3.4 PRECEITOS BÁSICOS DO MARKETING PARA AS DROGARIAS As drogarias são tidas como estabelecimentos empresariais responsáveis pela vendagem de produtos de saúde e cuidados pessoais, porém, frente ao aumento na concorrência, bem como o crescimento na venda dos medicamentos genéricos e similares, as drogarias vem oferecendo produtos e serviços adicionais que sejam mais atrativas ao públicoalvo e um diferencial a concorrência (SEBRAE B, 2014). Atualmente o consumidor entra em um estabelecimento devido a um conjunto de fatores como: preço, disponibilidade do produto, a forma de atendimento, a conveniência da drogaria dentre outros fatores (SOUZA, 2009).

22 21 Diante de tal realidade faz-se necessário que o empreendedor atue embasado por pilares básicos para que o estabelecimento tenha êxito comercial. Estes pilares são constituídos por: localização, layout das lojas, sortimento de mercadorias, exposição de mercadorias, ações de crediário, demonstração e ofertas diretas ao cliente propaganda e promoção (MIRANDA, 1997). Braghin et. al., (2007, p. 36) definem os compostos designer de varejo de forma diferente, mas sempre direcionando tais definições, ações e foco aos clientes. Para os autores com o decorrer do tempo os empresários envolvidos no varejo passaram a perceber o quanto as ações de Marketing envolvidas nestes compostos poderiam levar a fidelização da clientela. O mercado varejista prioriza a agregação de serviços aos seus produtos que levam a maior valorização da empresa e sua diferenciação frente aos concorrentes, bem como que acarreta na fidelização dos clientes (CORREIA; SANTOS; SETE, 2010). Diante as condições mercadológicas que as drogarias se enquadram e ao forte sistema de concorrência entre elas, torna-se necessário para muitas adotarem do associativismo como uma alternativa a concorrência, bem como a obtenção de produtos com menor custo (RIBEIRO; ZILBER; PRIETO, 2009). Apesar das drogarias arrecadarem uma grande soma de valores, estas não são tão bem trabalhadas e abordadas pelas indústrias farmacêuticas quando comparadas com a abordagem adotada aos consultórios médicos (CORRÊA, 2004). Vale ressaltar que o varejo farmacêutico é o principal veículo de distribuição de medicamentos, seguido pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e por tal razão são de grande importância para o setor farmacêutico (SOUZA, 2009). A maneira como o Marketing é desenvolvido por uma empresa é capaz de resultar na venda de um produto sem que este processo seja algo pesaroso. O bom Marketing é aquele onde se prioriza compreender o cliente alvo e as necessidades deste, de uma forma tão íntima e eficaz que o ato de vender torna-se apenas consequência destas ações e ocorre espontaneamente (DRUCKER, 2002). De acordo com o presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), o número de drogarias e farmácias registradas, segundo relatórios dos Conselhos Regionais de Farmácia enviados ao CFF, até o dia 31 de dezembro de 2013 era de (CFF, 2014). O Censo Demográfico do IBGE demonstrou que no ano de 2010 havia no Brasil mais de 190 milhões de habitantes, sendo assim existem para cada dez mil habitantes mais de 3 farmácias ou drogarias enquanto que a OMS (Organização Mundial da Saúde) preconiza que o ideal é uma drogaria ou farmácia para cada dez mil habitantes (IBGE, 2014).

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 553 A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Irene Caires da Silva 1, Tamires Fernanda Costa de Jesus, Tiago Pinheiro 1 Docente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Discente

Leia mais

Introdução ao Marketing. História do Conceito

Introdução ao Marketing. História do Conceito História do Conceito O termo marketing, de acordo com Cobra (1988, p. 34) é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema 1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema O papel do líder é muito relevante numa pequena empresa familiar. Isso se dá devido a vários fatores, dentre outros, deve-se enfatizar a dificuldade de criação

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

FIDELIZAÇÃO: DICAS PARA SEUS CLIENTES VOLTAREM E COMPRAREM MAIS

FIDELIZAÇÃO: DICAS PARA SEUS CLIENTES VOLTAREM E COMPRAREM MAIS Como conquistar e manter clientes Marketing de Relacionamento Visa a orientar como utilizar as ferramentas do marketing de relacionamento para aumentar as vendas e fidelizar clientes. Público-alvo: empresários

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração Faculdade Pitágoras de Uberlândia Apostila de Administração Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 SUMÁRIO 1 O PLANO DE NEGÓCIOS...2 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...5

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Gestão em Marketing CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br C1 Introdução Este guia traz noções essenciais sobre inovação e foi baseado no Manual de Oslo, editado pela Organização para a Cooperação

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA Flash Lan House: FOCO NO ALINHAMENTO ENTRE CAPITAL HUMANO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 COMPETITIVIDADE SOB A ÓTICA DAS CINCO FORÇAS DE PORTER: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA OXIFOR OXIGÊNIO FORMIGA LTDA JUSSARA MARIA SILVA RODRIGUES OLIVEIRA 1, LÍVIA COUTO CAMBRAIA 2 RESUMO: Neste trabalho,

Leia mais

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de viabilidade As perguntas seguintes terão que ser respondidas durante a apresentação dos resultados do estudo de viabilidade e da pesquisa de campo FOFA.

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

Obtendo resultados reais através do CRM

Obtendo resultados reais através do CRM Porque investir em CRM? Aresposta é simples: Seus clientes consideram o foco da empresa no consumidor como prérequisito, não como diferencial. Eles esperam poder negociar com você quando, onde e como quiserem.

Leia mais

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 425 FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA NA MICRO E PEQUENA EMPRESA Cassia de Matos Ramos 1, Dayane Cristina da Silva 1, Nathana

Leia mais

Análise do Perfil da Gestão Financeira Realizada Pelas Micro e Pequenas Empresas da Cidade de Itajubá

Análise do Perfil da Gestão Financeira Realizada Pelas Micro e Pequenas Empresas da Cidade de Itajubá Análise do Perfil da Gestão Financeira Realizada Pelas Micro e Pequenas Empresas da Cidade de Itajubá Adriano_fernandes_vianna@ymail.com cca@facesm.br Facesm João Paulo Guerreiro Gonçalves cca@facesm.br

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Pesquisa de Marketing

Pesquisa de Marketing Pesquisa de Marketing CONCEITOS INICIAIS Prof. Daciane de Oliveira Silva Fonte: MALHORTA, Naresh K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. MATTAR, Fauze Najib.

Leia mais

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade II MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Preço em varejo Preço Uma das variáveis mais impactantes em: Competitividade; Volume de vendas; Margens e Lucro; Muitas vezes é o mote

Leia mais

O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro

O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro Geraldo José Lombardi de Souza, Paulo César Ribeiro Quintairos, Jorge

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nesta aula, o aluno conhecerá os estágios iniciais do ciclo de vida do produto (CVP), que são de introdução

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line;

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line; Encontro Presencial Introdução ao Marketing e Marketing de Serviços Caro aluno, Conheça as três atividades distintas que ocorrerão durante o Encontro Presencial... 1. Revisão estudo, orientado pelo Professor-Tutor,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO

COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO CALDAS, Rosângela Formentini Departamento de Ciência da Informação UNESP/Marília A definição de marketing ainda permanece enquanto uma discussão

Leia mais

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé 1. Objetivo O presente guia tem como objetivo orientar o empreendedor a como preencher o Formulário de Pré-proposta para financiamento, item fundamental para início

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição BP COMO VENDER A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição PRODUTOS EDUCACIONAIS MULTIVERSO Avenida Batel, 1750 Batel CEP 80420-090 Curitiba/PR Fone: (41) 4062-5554 Editor:

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS

A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS ISSN 1984-9354 A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS Marcelo Bandeira Leite Santos (LATE/UFF) Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS NA EMPRESA RIBEIRO LIMPEZA

PLANO DE NEGÓCIOS NA EMPRESA RIBEIRO LIMPEZA 1 PLANO DE NEGÓCIOS NA EMPRESA RIBEIRO LIMPEZA Gustavo dos Santos Ribeiro 1 Gustavo Vinicius Geremias 2 Rodrigo Rocha Monteiro 3 José Antonio Bueno 4 RESUMO Nos dias atuais, não basta saber empreender

Leia mais

Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral

Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral Estratégia de negócio, estratégias de segmentação e posicionamento. Análise do potencial de demanda. Definição da missão. liderança.

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

ABM BLUE CONVÊNIO E PUBLICIDADE - LTDA CNPJ: 22.153.768/0001-38 Endereço: Rua C-5, lote 09, sala 101, Taguatinga - Centro Brasília / Distrito Federal

ABM BLUE CONVÊNIO E PUBLICIDADE - LTDA CNPJ: 22.153.768/0001-38 Endereço: Rua C-5, lote 09, sala 101, Taguatinga - Centro Brasília / Distrito Federal Sumário A. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. Sobre Nós... 3 1.1. - Missão... 3 1.2. - Visão... 3 1.3. - Valores... 3 2. Serviços... 4 2.1. Das atividades da BLUE CONVÊNIO: seus objetivos e finalidade...

Leia mais

Como tudo começou...

Como tudo começou... Gestão Estratégica 7 Implementação da Estratégica - BSC Prof. Dr. Marco Antonio Pereira pereira@marco.eng.br Como tudo começou... 1982 In Search of Excellence (Vencendo a Crise) vendeu 1.000.000 de livros

Leia mais

O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO

O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO Aliny Francielly de Oliveira Formada em Administração, atuante nos segmentos comércio varejista

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

Tema Nº 7 Gestão Comercial

Tema Nº 7 Gestão Comercial Tema Nº 7 Gestão Comercial Habilidades a Desenvolver: Identificar as diferenças entre marketing e vendas. Definir as ações de marketing a serem adotadas pela empresa. Estruturar os procedimentos comerciais

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS BUSINESS GAME UGB VERSÃO 2 Luís Cláudio Duarte Graduação em Administração de Empresas APRESENTAÇÃO (DADOS DE IDENTIFICAÇÃO) O Business Game do Centro Universitário Geraldo Di Biase (BG_UGB) é um jogo virtual

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Os desafios para a inovação no Brasil. Maximiliano Selistre Carlomagno

Os desafios para a inovação no Brasil. Maximiliano Selistre Carlomagno Os desafios para a inovação no Brasil Maximiliano Selistre Carlomagno Sobre a Pesquisa A pesquisa foi realizada em parceria pelo IEL/RS e empresa Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação durante

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais