Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)"

Transcrição

1 Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) EXCESSO DE PICAGEM NA SILAGEM DE MILHO: DESEMPENHO E SAÚDE DAS VACAS Elinton Weinert Carneiro Méd. Vet. CPFOR/UFPR A silagem de milho é o principal alimento volumoso suplementar usado no Brasil para animais de corte e leite, sendo ainda o principal ingrediente componente das rações de animais confinados. Para realizar o processo de ensilagem, o produtor e o técnico responsável devem estar atentos a todos os passos, como: Escolha da cultura e da variedade a ser plantada; Época de plantio; Adubação e manejo da lavoura; Ponto de colheita; Tipo de máquina e picagem da cultura a ser ensilada; Compactação e vedação; Retirada e fornecimento aos animais. Dentre estes passos, destaca-se a regulagem do implemento de picagem da lavoura, que derminará o tamanho médio das partículas. Este aspecto é muito importante no manejo nutricional, em especial no sistema intensivo de criação de bovinos. Muito já foi falado sobre os problemas de forragens mal picadas, prejudicando a compactação no silo e o consumo dos animais. Aqui discutiremos a situação oposta, a picagem em excesso. O excesso de picagem (Figura 1) provoca distúrbios digestivos, pela redução do tempo demastigação e ruminação, o que provoca menor salivação e queda na liberação de bicarbonato de sódio no rúmem, via saliva, resultando em queda no ph ruminal (acidose). Esse quadro poderá se agravar quando ocorre menor oferta de gramíneas verdes ou conservadas, num prazo específico, ou por longos períodos. Vale lembrar que quanto maior o nível de produção de leite das vacas, mais crítico será o problema do excesso de picagem.

2 Figura 1. Processamento excessivo na ensilagem. A acidose ruminal provoca diminuição da motilidade do rúmen, diminui a ruminação e o consumo de alimentos, altera a fermentação da fibra, além de acarretar problemas mais severos como laminite (Figura 2). Adicionalmente a todos estes fatores, ocorre queda na produção da gordura do leite. Figura 2. Animal com laminite. É importante lembrar do pagamento do leite pela qualidade, e um dos fatores que impactam no preço é justamente a gordura. Pode-se afirmar que a redução excessiva do tamanho da partícula das forragens utilizadas na dieta das vacas impacta negativamente o teor de gordura no leite. Este é outro motivo importante para que o técnico e ao produtor monitorem periodicamente o desempenho dos animais, pois o manejo nutricional deve ser ajustado baseando-se no impacto direto sobre a qualidade e quantidade de leite produzido. Para evitar os transtornos provocados pela excessiva picagem das silagens, é necessário ficar atento durante o processo de ensilagem.

3 Atualmente há dois sistemas operacionais de produção de silagens, seja através do uso de máquinas próprias (1 ou 2 linhas) ou seja através da terceirização (automotrizes com 4 a 12 linhas). Em ambas as formas, deve-se atentar para a regulagem do tamanho da partícula, evitando os dois extremos, nem muito fina, nem muito grossa. Ao utilizar as máquinas da fazenda, normalmente com produção de 3 a 5 ha por dia, procurar manter um equilibrio entre a picagem da forragem e o processamento dos grãos. Ao aumentar o tamanho da partícula na picagem da forragem, diminui-se a quebra dos grãos, ou seja, mais grãos vão para o silo sem terem passado por uma ação mecânica na ensiladeira, o que não expõe o amido a digestão no animal, aumentando a perda de grãos nas fezes (Figura 3). Figura 3. Perda de grãos no esterco por erro no processo de ensilagem. Já nas automotrizes, utilizadas na terceirização, pode-se- fazer o ajuste de aumento no tamanho da partícula, mantendo o processamento dos grãos, pois essas máquinas possuem um sistema de rolos chamado de corn-cracker com abertura entre 1,8 e 3 mm, e que faz a prensagem de toda a massa a ser ensilada, esmagando os grãos e facilitando a digestão pelos animais. Porém, muitas vezes o operador opta por diminuir o tamanho da partícula e aumentar a abertura dos rolos, o que melhora o desempenho do implemento de colheita, porém compromete o desempenho dos animais.

4 Nos sistemas intensivos de produção de leite, com o uso maior de concentrados na dieta, se procura um tamanho médio de partícula maior, mas sem comprometer o processamento dos grãos. Neste caso, o acompanhamento no momento da ensilagem é fundamental para se evitar transtornos digestivos, durante o fornecimento aos animais. Outro fator que tem contribuído para a redução do tamanho das partículas é a utilização de vagão TOTALMIX autocarregável, o qual retira a silagem através de uma fresa (tipo - enxada rotativa), reduzindo o tamanho da partícula (Figura 4). Após a retirada de silagem no silo, vai-se acrescentando os ingredientes para fazer a mistura completa, o que dependendo do tempo de mistura, reduz mais uma vez o tamanho da partícula. Figura 4. Vagão TOTALMIX autocarregável - retirada da silagem com uma fresa. Diante do exposto, pode-se concluir que temos a possibilidade de manipular o tamanho das partículas da dieta. O processo da ensilagem deve ser monitorado, ajustando o equipamento para que o tamanho das partículas e o processamento dos grãos saiam de acordo com o que se deseja. Não

5 esquecer de que com o passar do tempo, os equipamentos tendem a perder a afiação e podem precisar de ajustes quanto à picagem, dependendo do tempo que se está ensilando e do estágio da planta. Os padrões para a picagem podem ser aferidos pelo sistema de peneiras PENN STATE PARTICLE SIZE SEPARATOR, onde se utilizam 3 peneiras com crivos de diferentes diâmetros, estratificando o tamanho das partículas e o percentual de cada um sobre o volume total. Essa técnica será abordada em um próximo artigo. O processamento e o manuseio excessivos das silagens de milho fazem com que haja uma menor efetividade da fibra, piorando o desempenho e a saúde dos animais, o que gera perdas econômicas consideráveis. Deve-se lembrar de que o planejamento para o processo de ensilagem adequado inicia com uma boa revisão e regulagem das máquinas e equipamentos utilizados. Durante a ensilagem, fazer o acompanhamento do tamanho das partículas, ajustando a ensiladeira quando necessário. Nem muito grande, nem picado demais. Prestando atenção nestes aspectos, e garantindo o planejamento e a execução da ensilagem com qualidade, o produtor terá como consequência um rebanho mais saudável e retorno financeiro mais satisfatório.

Ponto de Corte do Milho para Silagem

Ponto de Corte do Milho para Silagem Setor de Forragicultura Ponto de Corte do Milho para Silagem Eng. Agr. Igor Quirrenbach de Carvalho 23/8/213 Acertar o ponto de corte é fundamental para ter alta produção de massa e alta qualidade nutricional.

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Determinação da matéria seca em forno de micro-ondas doméstico Por Bleine Conceição Bach e Patrick

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE SeGurança para produzir mais e melhor! Programa Qualidade Total: SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Autor: Eng. Agr., Dr. Mikael Neumann Ano: 2009 SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Mikael Neumann 1 1

Leia mais

Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade

Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade Luis Eduardo Zampar - Consultor Biomatrix A silagem de milho de alta qualidade tem sido muito utilizada por produtores de gado de corte e leite,

Leia mais

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 Pergunta fundamental 1 Quanto custa produzir um quilo de carne????????? Pergunta fundamental 2 O que produz o pecuarista?

Leia mais

Aspectos Gerais e Agronômicos. Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira 05/04/2013. Silagem de Milho Aspectos Gerais

Aspectos Gerais e Agronômicos. Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira 05/04/2013. Silagem de Milho Aspectos Gerais Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira % 60 50 40 30 20 10 0 Prof. Thiago Bernardes DZO/UFLA Ciclo de Palestras em Bovinocultura de Leite e Corte Terra Jr Consultoria 31 de Janeiro de 2013 Utilização

Leia mais

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Henrique Antunes de Souza Fernando Lisboa Guedes Equipe: Roberto Cláudio Fernandes Franco Pompeu Leandro Oliveira Silva Rafael Gonçalves Tonucci

Leia mais

PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG

PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG Realização: PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG Parceria: Programa do curso Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG O curso oferece 18

Leia mais

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Engº Agrº Robson F. de Paula Coordenador Técnico Regional Robson.depaula@pioneer.com Silagem de qualidade começa no campo! E no momento

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos FMVZ Unesp Botucatu João Ricardo Ronchesel Henrique Della Rosa Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Evolução do manejo nutricional

Leia mais

SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente

SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente Marcio Pelegrini Engenheiro Agrônomo, Ms. Tecnologia de Sementes. Consultor de silagem da Santa Helena Sementes. 1 Os avanços tecnológicos cada vez mais presentes

Leia mais

Máquinas para Pecuária

Máquinas para Pecuária Máquinas para Pecuária Thaís Nascimento Santos 1 ; Bruno Silva Torquato 1 ; Karen Cappi do Carmo Brig 1 ; Maria Alexandra Estrela 2 Aluno (a) do Curso de Zootecnia da Faculdade de Imperatriz FACIMP, Imperatriz

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO Ricardo Dias Signoretti 1 Na prática, o período seco e transição (pré-parto) constituem-se num desafio aos técnicos e produtores de leite, que devem ficar atentos

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE EQUINOS

ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE EQUINOS ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE EQUINOS Prof. Dr. João Ricardo Dittrich Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia ROTEIRO Particularidades anatômicas e fisiológicas. Características ambientais.

Leia mais

Efeitos do estresse calórico sobre a produção e reprodução do gado leiteiro

Efeitos do estresse calórico sobre a produção e reprodução do gado leiteiro 1 Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Pecuária www.ufpel.edu.br/nupeec Efeitos do estresse calórico sobre a produção e reprodução do gado leiteiro Marcelo Moreira Antunes Graduando em Medicina Veterinária

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO 1 Ricardo Dias Signoretti A atual situação econômica da cadeia produtiva do leite exige que os produtores realizem todas as atividades

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA BOVINOS LEITEIROS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA BOVINOS LEITEIROS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA BOVINOS LEITEIROS Prof. Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE VACAS SECAS E PERÍODO DE TRANSIÇÃO ponto de vista tecnológico = alimentar

Leia mais

Nestlé EM CAMPO. Período de transição. Eficiência e qualidade na produção leiteira

Nestlé EM CAMPO. Período de transição. Eficiência e qualidade na produção leiteira Nestlé EM CAMPO Eficiência e qualidade na produção leiteira Período de transição Cuidados no pré e pós-parto garantem a boa condição reprodutiva e produtiva Ano 2 Número 12 Nov./Dez. 2015 Nestlé EM CAMPO

Leia mais

Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo

Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves...... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo Gustavo J. M. M. de Lima 1 1 Eng.Agr o., Ph.D., Embrapa Suínos e Aves, gustavo@cnpsa.embrapa.br.

Leia mais

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 09 MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO Prof. Rodrigo de Almeida Ciclo de Produção - Curva de Lactação - Consumo de Matéria Seca - Escore de Condição Corporal - Desenvolvimento

Leia mais

Mais Milho Para Produção de Leite e Menos Milho nas Fezes

Mais Milho Para Produção de Leite e Menos Milho nas Fezes Texto: Marcos André Arcari Marcos Veiga dos Santos Mais Milho Para Produção de Leite e Menos Milho nas Fezes Dentre os ingredientes utilizados na alimentação de vacas leiteiras, o milho grão é o principal

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

A Importância do Fósforo na Dieta de Vacas de Leite

A Importância do Fósforo na Dieta de Vacas de Leite A Importância do Fósforo na Dieta de Vacas de Leite As pressões de mercado exigem uma eficiência cada vez maior no uso dos fatores de produção e no controle dos custos da atividade leiteira. A garantia

Leia mais

A PRODUCAO LEITEIRA NOS

A PRODUCAO LEITEIRA NOS A PRODUCAO LEITEIRA NOS ESTADOS UNIDOS Estatisticas A produção leiteira durante Janeiro de 2012 superou os 7 bilhões de kg, 3.7% acima de Janeiro de 2011. A produção por vaca foi em media 842 kg em Janeiro,

Leia mais

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO Aditivos alimentares são utilizados em dietas para bovinos de corte em confinamento com o objetivo

Leia mais

Conservação de Forragem Silagem. Sistema de Produção de Carne. Produção de forragem O QUE FAZER COM ESSES ANIMAIS NA ÉPOCA SECA???

Conservação de Forragem Silagem. Sistema de Produção de Carne. Produção de forragem O QUE FAZER COM ESSES ANIMAIS NA ÉPOCA SECA??? Conservação de Forragem Silagem Sistema de Produção de Carne Terminados a pasto aproximadamente 90 % Terminados em confinamentos aproximadamente 10% Produção de forragem > Quantidade Forragem > Qualidade

Leia mais

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Ramon C. Alvarenga¹ e Miguel M. Gontijo Neto¹ Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) A Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO

MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO-PR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO PROFESSOR PDE: CARLOS EDUARDO KAPP COLÉGIO AGRÍCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS PROFESSOR ORIENTADOR

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE 1. Introdução MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE Rogério Marchiori Coan 1 O complexo pecuário brasileiro de corte apresenta diversos pontos de ineficiência, destacando-se a produtividade extremamente

Leia mais

Webinar O Nutricionista. Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia

Webinar O Nutricionista. Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia Webinar O Nutricionista Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia O que podemos fazer para diminuir a diferença entre a dieta formulada e a dieta no cocho dos animais Marcelo Hentz Ramos PhD / Diretor

Leia mais

Sistema tampão. Um sistema tampão é constituído por um ácido fraco e sua base conjugada HA A - + H +

Sistema tampão. Um sistema tampão é constituído por um ácido fraco e sua base conjugada HA A - + H + Sistema tampão Um sistema tampão é constituído por um ácido fraco e sua base conjugada HA A - + H + Quando se adiciona um ácido forte na solução de ácido fraco HX X - + H + HA A - H + X - H + H + HA A

Leia mais

Estratégias alimentares para gado de corte: suplementação a pasto, semiconfinamento e confinamento

Estratégias alimentares para gado de corte: suplementação a pasto, semiconfinamento e confinamento CAPÍTULO Estratégias alimentares para gado de corte: suplementação a pasto, semiconfinamento e confinamento Rodrigo da Costa Gomes Amoracyr José Costa Nuñez Carolina Tobias Marino Sérgio Raposo de Medeiros

Leia mais

TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE MILHO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE

TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE MILHO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE MILHO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE Autor: Igor Quirrenbach de Carvalho Orientador: Prof. Dr. Clóves

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia Universidade Federal de Uberlândia Relatório Visita técnica Embrapa Gado de Corte-MS Grupo de estudos e pesquisa em forragicultra UFU GEPFOR Guilherme Amorim Soares da Silva Zootecnia Uberlândia 2014 I

Leia mais

Webinar o Nutricionista

Webinar o Nutricionista Webinar o Nutricionista Dr. Dan Undersander PhD / Professor Universidade de Wisconsin - Madison Silagem de milho: da colheita ao silo. O que eu preciso saber para produzir o máximo de leite com minha silagem.

Leia mais

Produção de silagem de milho no planejamento alimentar do rebanho

Produção de silagem de milho no planejamento alimentar do rebanho Produção de silagem de milho no planejamento alimentar do rebanho Prof. Dr. João Ricardo Alves Pereira Universidade Estadual de Ponta Grossa-PR Vitalle Nutrição Animal Pecuária é um bom negócio,mas...

Leia mais

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES NA PRODUÇÃO DE LEITE

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES NA PRODUÇÃO DE LEITE CALENDÁRIO DE NA PRODUÇÃO DE LEITE MÊS DE JANEIRO ALIMENTAÇÃO Pastagens perenes Diferir áreas para colher sementes ou deixar sementar as pastagens. Utilizar pastagens de verão (principalmente no sistema

Leia mais

PERDAS DE CANA E IMPUREZAS VEGETAIS E MINERAIS NA COLHEITA MECANIZADA

PERDAS DE CANA E IMPUREZAS VEGETAIS E MINERAIS NA COLHEITA MECANIZADA PERDAS DE CANA E IMPUREZAS VEGETAIS E MINERAIS NA COLHEITA MECANIZADA Mauro Sampaio Benedini Gerente Regional de Produto CTC Fernando Pedro Reis Brod Pesquisador Engª Agrícola CTC José Guilherme Perticarrari

Leia mais

Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite. Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal

Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite. Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal Impacto da nutrição na qualidade da carne e do leite Marcone Costa Zootecnista - DSc Ass. Téc. Nutrição Animal 1 Introdução: Brasil exportador - carne e leite ; Saltos de produtividade; Ganhos em escala;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA GUILHERME CARDOSO GOMIDES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FATORES DETERMINANTES NA ENSILAGEM DE MILHO: DA COLHEITA

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM

BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM ISSN 2318-3837 Descalvado, SP Junho, 2012 BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM Autores: 1 Käthery Brennecke 1 Paulo Henrique Moura Dian 1 Liandra Maria Abaker Bertipaglia 1 Vando Edésio Soares 2 Thiago Rossi Simões

Leia mais

05/09/2013. Planejamento forrageiro. PONTOS IMPORTANTES PARA DESENVOLVERMOS

05/09/2013. Planejamento forrageiro. PONTOS IMPORTANTES PARA DESENVOLVERMOS RENATO PALMA NOGUEIRA ZOOTECNISTA SÓCIO PROPRIETÁRIO ZOOTRIÂNGULO ESPECIALISTA EM MANEJO E NUTRIÇÃO A Crise "Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que

Leia mais

Regimento. Programa de Residência Zootécnica como formador de agentes de desenvolvimento. Regimento

Regimento. Programa de Residência Zootécnica como formador de agentes de desenvolvimento. Regimento Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regimento Programa de Residência Zootécnica como formador de agentes de desenvolvimento territorial 2013 Embrapa Gado de Leite Juiz de Fora

Leia mais

Eficiência no uso da terra: um dos caminhos para alcançar maiores rentabilidades

Eficiência no uso da terra: um dos caminhos para alcançar maiores rentabilidades Eficiência no uso da terra: um dos caminhos para alcançar maiores rentabilidades Christiano Nascif, zootecnista, coordenador de assistência do PDPL-RV e coordenador técnico do Projeto Educampo/Sebrae.

Leia mais

TRATAMENTO QUÍMICO DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COM SOLUÇÃO DE URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES

TRATAMENTO QUÍMICO DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COM SOLUÇÃO DE URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES TRATAMENTO QUÍMICO DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COM SOLUÇÃO DE URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES INTRODUÇÃO Onaldo Souza 1 Mariah Tenório de Carvalho Souza 2 Izabele Emiliano dos Santos 3 Cereal é a denominação

Leia mais

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi.

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. 0090_mar10 Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. Campinas/SP - 19. 3729 4477 Sales Oliveira/SP - 16. 3852 0011 Pará de Minas/MG - 37. 3231 7300 Além Paraíba/MG - 32. 3466 5555

Leia mais

Metabolismo de Lipídios PEDRO LEONARDO DE PAULA REZENDE

Metabolismo de Lipídios PEDRO LEONARDO DE PAULA REZENDE Universidade Federal de Goiás Escola de Veterinária Depto. De Produção Animal Pós-Graduação em Ciência Animal Metabolismo de Lipídios PEDRO LEONARDO DE PAULA REZENDE Zootecnista Especialista em Produção

Leia mais

GESTÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE GCQ

GESTÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE GCQ ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DE CRIADORES DE BOVINOS DA RAÇA HOLANDESA PROGRAMA DE ANÁLISE DE REBANHOS LEITEIROS DO PARANÁ Convênio APCBRH/UFPR GESTÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE GCQ MANUAL GESTÃO DE CONTROLE DE

Leia mais

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui.

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui. bovinos de corte A resposta para o da sua questão está aqui. índice Linha Campo Linha PSAI Linha Branca Linha Araguaia Núcleos Rações Linha Phós Aditivos 6 11 12 16 17 21 24 26 2 A Premix está comprometida

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

Alimentação da vaca leiteira

Alimentação da vaca leiteira Alimentação da vaca leiteira A exploração leiteira consiste em atividade de converter recursos alimentares em leite, cujo valor agregado é superior a matéria-prima original. Recursos alimentares: Volumosos

Leia mais

URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES

URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES Clenderson Corradi de Mattos Gonçalves 1 Júlio César Teixeira 2 Flávio Moreno Salvador 1 1 INTRODUÇÃO A utilização de fontes alternativas de proteína na produção de bovinos

Leia mais

Manual de Ensilagem. Manual de Ensilagem Kera. Copyright 2012 Kera Nutrição Animal

Manual de Ensilagem. Manual de Ensilagem Kera. Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Manual de Ensilagem Manual de Ensilagem Manual de Ensilagem Kera Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Propriedade literária reservada. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, memorizada ou

Leia mais

Amendoim forrageiro - alternativas destinadas ao consumo eqüino

Amendoim forrageiro - alternativas destinadas ao consumo eqüino Amendoim forrageiro - alternativas destinadas ao consumo eqüino Objetivando-se uma criação rentável e tecnicamente planejada, nada mais correto que o produtor venha a preocupar-se com a disponibilidade

Leia mais

Anatomia e fisiologia do sistema digestivo

Anatomia e fisiologia do sistema digestivo Anatomia e fisiologia do sistema digestivo Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura e Bovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Classificação do hábito alimentar

Leia mais

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte?

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Animais necessitam de oferta abundante de água limpa para: 1. fermentação ruminal e metabolismo; 2. fluxo de alimentos através do trato

Leia mais

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR.

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. Gelson Hein Médico Veterinário Unidade Local de Toledo NOVEMBRO

Leia mais

Forrageiras para corte e pastejo

Forrageiras para corte e pastejo Forrageiras para corte e pastejo Antonio Vander Pereira e Antonio Carlos Cóser * Introdução As pastagens e forragens cortadas representam formas mais econômicas de arraçoamento do gado leiteiro, podendo

Leia mais

Um projeto de curral para o manejo de bovinos de corte: reduzindo os custos e melhorando o bem estar animal e a eficiência do trabalho.

Um projeto de curral para o manejo de bovinos de corte: reduzindo os custos e melhorando o bem estar animal e a eficiência do trabalho. Um projeto de curral para o manejo de bovinos de corte: reduzindo os custos e melhorando o bem estar animal e a eficiência do trabalho. Mateus J.R. Paranhos da Costa (Grupo ETCO, Departamento de Zootecnia,

Leia mais

Tabela 1. Estimativas de perdas que podem ocorrer nas diversas fases do processo de confecção e na utilização da silagem de milho.

Tabela 1. Estimativas de perdas que podem ocorrer nas diversas fases do processo de confecção e na utilização da silagem de milho. 43 ISSN 1678-3123 Juiz de Fora, MG Dezembro, 2004 Silagens: oportunidades e pontos críticos Luciano Patto Novaes 1 Fernando César Ferraz Lopes 2 Jailton da Costa Carneiro 3 O consumo de forragem diretamente

Leia mais

Árvore da informação do agronegócio do leite. identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite

Árvore da informação do agronegócio do leite. identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite Árvore da informação do agronegócio do leite identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite 1. Introdução Claudio Nápolis Costa 1 A exposição dos mercados dos diversos países às pressões

Leia mais

SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE LEITE EM UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAI - RS

SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE LEITE EM UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAI - RS SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA DA PRODUÇÃO DE LEITE EM UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MIRAGUAI - RS José Rubens Hermann dos Santos 1 ; Anderson Clayton Rhoden 2, Fabiana Raquel Mühl 3, Neuri

Leia mais

Realização: PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos de Corte Palmas, TO

Realização: PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos de Corte Palmas, TO Realização: PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos de Corte Palmas, TO Parceria: Programa do curso Pós- Graduação em Nutrição de Bovinos de Corte Palmas, TO O curso oferece 16 encontros

Leia mais

Cana-de-Açúcar + Ureia. Volumoso de baixo custo para o rebanho na seca

Cana-de-Açúcar + Ureia. Volumoso de baixo custo para o rebanho na seca Cana-de-Açúcar + Ureia Volumoso de baixo custo para o rebanho na seca Esta tecnologia é indicada para sistemas de produção intensivos e extensivos de gado de leite ou gado de corte no período da seca,

Leia mais

Ano V - Edição 34 Agosto 2014

Ano V - Edição 34 Agosto 2014 da pecuária de leite Ano V - Edição 34 Agosto 2014 PODER DE COMPRA AUMENTA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014 Por Pedro de Lima, equipe Gado de Leite Cepea O poder de compra do pecuarista de leite esteve maior,

Leia mais

Compostagem. Gersina N. da R. Carmo Junior

Compostagem. Gersina N. da R. Carmo Junior Compostagem Gersina N. da R. Carmo Junior Compostagem É um processo de transformação da matéria orgânica do lixo em um composto orgânico (húmus). Composto orgânico Produto final da compostagem Compostagem

Leia mais

Qualidade de grãos de milho

Qualidade de grãos de milho 55ª Reunião Técnica Anual do Milho 38ª Reunião Técnica Anual do Sorgo 19 a 21 de Julho de 2010 (Vacaria, RS) Qualidade de grãos de milho Composição do grão de milho Proteína 9% Óleo 4% Açucares 1,7% Minerais

Leia mais

Descritivo de produto. Fornecedor. www.unityscientific.com

Descritivo de produto. Fornecedor. www.unityscientific.com Descritivo de produto Fornecedor www.unityscientific.com Analisador de Forragem NIR DESCRIÇÃO O Analisador de Forragem UNITY oferece soluções comprovadas para os mercados de forrageiras, ingredientes e

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Roberta Aparecida Carnevalli Pesquisadora Embrapa Agrossilvipastoril Cana-de-açúcar Alimentação humana xaropes sacarose Aguardente Combustível etanol energia

Leia mais

MANEJO DE COCHO: SUA IMPORTÂNCIA E COMO FAZER

MANEJO DE COCHO: SUA IMPORTÂNCIA E COMO FAZER ARTIGO TÉCNICO PREMIX 8ª edição MANEJO DE COCHO: SUA IMPORTÂNCIA E COMO FAZER INTRODUÇÃO O termo manejo de cocho (adaptado do inglês bunk management) refere-se à técnica de manejo alimentar utilizada em

Leia mais

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo O que esperar Desenvolver do do mercado de de leite no no e fortalecer Brasil e o e no agronegócio no mundo O que esperar do mercado de leite no Rafael Ribeiro de Lima Filho zootecnista Scot Consultoria

Leia mais

Importância da qualidade de fibra na dieta de bovinos de leite e novos conceitos de fibra em detergente neutro - FDN

Importância da qualidade de fibra na dieta de bovinos de leite e novos conceitos de fibra em detergente neutro - FDN Importância da qualidade de fibra na dieta de bovinos de leite e novos conceitos de fibra em detergente neutro - FDN Marcos Neves Pereira Universidade Federal de Lavras Fibra FDN: Fibra em detergente neutro

Leia mais

CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS

CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS PRINCIPIOS E RECOMENDAÇÕES ATIVIDADE CAPRINOCULTURA LEITEIRA É UM DOS RAMOS QUE MAIS TEM SE DESENVOLVIDO NO PAÍS, SENDO UMA OPÇÃO VIÁVEL AO PEQUENO PRODUTOR DE LEITE DE VACA,

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Digestivo - RUMINANTES

Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Digestivo - RUMINANTES Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Digestivo - RUMINANTES Ruminantes: Animais que mastigam e regurgitam o alimento ingerido Dividido em 2 subordens: 1-) Ruminantia: veado, alce, rena, antílope, girafa,

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

Curso RLM 2013 Gado de Corte

Curso RLM 2013 Gado de Corte Curso RLM 2013 Gado de Corte Programa de Formulação de Rações de Lucro Máximo Patrocinador Introdução Desenvolvido na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" ESALQ, USP, Piracicaba, sob a coordenação

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo. 0800156265 www.sementesagroceres.com.br

Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo. 0800156265 www.sementesagroceres.com.br Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo S I L A G E M 0800156265 www.sementesagroceres.com.br No Brasil, pela tradição dos colonizadores em agricultura, Com a globalização do mercado, a pecuária

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO ESTRATÉGICA DA SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO (Zea mays, L.) NA PROPRIEDADE LEITEIRA

IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO ESTRATÉGICA DA SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO (Zea mays, L.) NA PROPRIEDADE LEITEIRA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DE SAÚDE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PRODUÇÃO DE LEITE IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO ESTRATÉGICA DA SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição Juliana Sávia da Silva 1, Ana Luiza Costa Cruz Borges 2, Alessander Rodrigues Vieira

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO FRESCO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes CONCRETO FRESCO Conhecer o comportamento

Leia mais

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Estado do Rio Grande do Sul CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Boletim de Informações

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ZOOTECNIA. PRÉ-REQUISITO e/ou CO-REQUISITO (CR)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ZOOTECNIA. PRÉ-REQUISITO e/ou CO-REQUISITO (CR) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ZOOTECNIA Quadro 1- Matriz curricular do curso de zootecnia DISCIPLINA 1º Período Introdução à Zootecnia Nenhum 24 08 32 NC OB Exercício da Profissão de Zootecnista Nenhum

Leia mais

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE ÍNDICE Suplementos minerais pronto para uso Mitsuisal 40 - Bovinos de corte Mitsuisal 60 - Bovinos de corte Mitsuisal 65 - Bovinos de corte Mitsuisal 80 - Bovinos de corte Mitsuisal 88 - Bovinos de corte

Leia mais

1- Obtenção de animais prontos para abate, em épocas normalmente favoráveis de preços;

1- Obtenção de animais prontos para abate, em épocas normalmente favoráveis de preços; A pecuária de corte desempenha papel de real importância socioeconômica para o Brasil, quer seja para o suprimento de um alimento nobre para a população,quer na geração de divisas através da exportação.

Leia mais

ZOOTECNIA - SEQUÊNCIA IDEAL DO CURSO E PRÉ-REQUISITOS

ZOOTECNIA - SEQUÊNCIA IDEAL DO CURSO E PRÉ-REQUISITOS ZOOTECNIA - SEQUÊNCIA IDEAL DO CURSO E PRÉ-REQUISITOS 1º PERÍODO Obrigatória ou Carga Horária Anatomia dos Animais Domésticos Obrigatória 60 - Biologia geral animal Obrigatória 60 - Biologia geral vegetal

Leia mais

CONHEÇA O SISTEMA HIDRÁULICO DE UMA PISCINA

CONHEÇA O SISTEMA HIDRÁULICO DE UMA PISCINA TRATAMENTO FÍSICO Consiste na remoção de todas impurezas físicas visíveis na água ou depositadas nas superfícies internas das piscinas, como por exemplo, as folhas, os insetos, poeiras, argila, minerais

Leia mais

Proteína: digestibilidade e sua importância na produção. Fabrizio Oristanio (Biruleibe)

Proteína: digestibilidade e sua importância na produção. Fabrizio Oristanio (Biruleibe) Proteína: digestibilidade e sua importância na produção Fabrizio Oristanio (Biruleibe) Introdução Evolução das estimativas protéicas a partir da década de 80 Método fatorial Manutenção Produção Sistemas

Leia mais

Trato Digestivo do Suíno

Trato Digestivo do Suíno Trato Digestivo do Suíno Monogástrico onívoro com limitada fermentação pós-gástrica Estômago simples, incapaz de utilizar dietas ricas em forragem Incapaz de digerir algumas substâncias presentes em grãos,

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

Funções do sistema digestório

Funções do sistema digestório Sistema digestório Funções do sistema digestório Ingestão Digestão Absorção dos nutrientes Eliminação dos restos não-digeridos ou não absorvidos Processos Físicos Digestão Processos Químicos língua Cavidade

Leia mais

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?...

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?... A U A UL LA Fazendo a digestão Atenção De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis? Nosso corpo é semelhante a um carro. Como você acha que conseguimos energia para viver? Um corpo

Leia mais