Aspectos Gerais e Agronômicos. Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira 05/04/2013. Silagem de Milho Aspectos Gerais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aspectos Gerais e Agronômicos. Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira 05/04/2013. Silagem de Milho Aspectos Gerais"

Transcrição

1 Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira % Prof. Thiago Bernardes DZO/UFLA Ciclo de Palestras em Bovinocultura de Leite e Corte Terra Jr Consultoria 31 de Janeiro de 2013 Utilização das culturas na produção de silagens em fazendas produtoras de leite no Brasil, segundo 272 produtores; Fonte: Bernardes (2012) Projeção Projeção de custos de custos na produção volumosos de volumosos suplementares suplementares Silagem Total (R$ t MV) Total (R$ t MS) NDT (R$/t) Milho 99,5 310,9 457,2 Sorgo 88,2 293,9 474,0 Capim-Tanzânia 67,7 338,6 615,6 Cana-de-açúcar 61,4 204,8 341,3 Produtividade e valor nutritivo impactam diretamente no custo de produção de silagens Quantos litros de leite são necessários para produzir 1 tonelada de...? Litros de leite * Considerando o pagamento de R$ 0,85/L 366 Silagem de capim Silagem de milho Silagem de sorgo Silagem de cana-deaçúcar Silagem de Milho Aspectos Gerais Aspectos Gerais e Agronômicos Aspectos fermentativos: A planta apresenta concentração de MS ideal (30-35%) e alta concentração de açúcares no momento ideal do corte; Elevado potencial de produção de MS e elevado valor nutricional(relativo no nosso País) Flexibilidade quanto ao uso (silagem da planta inteira, silagemdogrãoougrãoseco) 1

2 Silagem de Milho - Aspectos Gerais Custo de produção fica vinculado ao mercado internacional A espécie exige tratos culturais freqüentes e intensos (adubação, uso de herbicidas, de inseticidas e de fungicidas) Colheita é realizada no período chuvoso (compactação do solo); A condução da cultura próxima a zonas urbanas se torna inviável(roubo de espigas) Silagem de Milho Aspectos Agronômicos Preparo do solo, uso de corretivos e fertilizantes e controle de plantas daninhas, doenças e pragas são fatores indispensáveis Época de plantio: o ideal é antecipar, ou seja, logo após o estabelecimento das chuvas (existe tendência de decréscimo na produção e no valor nutritivo em semeaduras tardias) Ciclo do híbrido: superprecoce, precoce ou tardio (varia em função da época de semeadura) Escolha do híbrido: avalie produtividade e valor nutricional Silagem de Milho Aspectos Agronômicos O híbrido destinado à ensilagem, de preferência, deve obedecer a maioria dos seguintes critérios: 1) ser produtivo; 2) apresentar colmos finos (alta relação entre fibra de folha e fibra de colmo); 3) apresentar boa qualidade na porção vegetativa; 4) apresentar lenta velocidade de maturação dos grãos (aumentar a janela de corte e exigir menos da colhedora no rompimento dos grãos); 5) ser tolerante a maioria das pragas e doenças; 6) possuir grãos farináceos Colheita Época de colheita Afuakwa & Crookston (1984 Crop Science) - elegeram a linha do leite no grão como o critério para definir o momento ideal de colheita A linha do leite faz a demarcação entre a matriz sólida (amido - amarelo) e a matriz líquida (açúcares - branco) do grão, a qual muda de posição no sentido da coroa para a base(insereogrãonaespiga) Observe os grãos! Jamais as folhas na porção inferior da planta Para visualizar a linha do leite é necessário partir a espiga. Elasetornavisívelsomentedeumlado,enquantodooutro está coberta pelo embrião em desenvolvimento 2

3 Am ido Linha do leite = 50 a 70% (30 a 38% MS) Matéria seca , ,4 32, ,1 % ,1 28,7 18, leitoso 1/4 linha leite 2/3 linha leite m at. fisiol. Estágio de maturidade do grão Influência do estágio de maturidade do grão no teor de matéria seca e de amido na planta de milho Fonte: Bal et al. (1997) Cuidados com a colhedora 3

4 Desabastecimento e Fornecimento de Silagem Nas silagens de milho e sorgo se deve ficar atento à quebra dos grãos! Índices técnicos de fazendas produtoras de leite (n = 19) e das silagens de milho utilizadas na alimentação do rebanho Grupo Consumo (kg/vaca) Produção de leite (kg/vaca/ano) Número de silos Temperatura ph silagem (oc) Avanço semanal (m) A ± ,1 0,98 B ± ,7 1,12 C ± ,9 2,17 Fonte: Borreani et al. (2003) Silo superdimensionado! 19 de setembro 26 de setembro? 03 de outubro Silagem de Milho Deteriorada? Avanço da massa de silagem 4

5 D E PA R T A M E N T O D E Z O O T E C N I A Considerações Finais Práticas agronômicas, de ensilagem (colheita) e de desabastecimento do silo são consideradas ferramentas chaves para silagem de milho de alta qualidade; Thiago F. Bernardes Emfunçãode apresentaralto custo,asilagem demilho deve fazer parte do plano alimentar de animais de médio a alto potencial genético. U N IV E R S ID A D E F E D E R A L D E L A V R A S 5

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Engº Agrº Robson F. de Paula Coordenador Técnico Regional Robson.depaula@pioneer.com Silagem de qualidade começa no campo! E no momento

Leia mais

Ponto de Corte do Milho para Silagem

Ponto de Corte do Milho para Silagem Setor de Forragicultura Ponto de Corte do Milho para Silagem Eng. Agr. Igor Quirrenbach de Carvalho 23/8/213 Acertar o ponto de corte é fundamental para ter alta produção de massa e alta qualidade nutricional.

Leia mais

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:24 Culturas A Cultura do Milho Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do milho

Leia mais

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 Pergunta fundamental 1 Quanto custa produzir um quilo de carne????????? Pergunta fundamental 2 O que produz o pecuarista?

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE SeGurança para produzir mais e melhor! Programa Qualidade Total: SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Autor: Eng. Agr., Dr. Mikael Neumann Ano: 2009 SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Mikael Neumann 1 1

Leia mais

SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente

SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente Marcio Pelegrini Engenheiro Agrônomo, Ms. Tecnologia de Sementes. Consultor de silagem da Santa Helena Sementes. 1 Os avanços tecnológicos cada vez mais presentes

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) EXCESSO DE PICAGEM NA SILAGEM DE MILHO: DESEMPENHO E SAÚDE DAS VACAS Elinton Weinert Carneiro Méd.

Leia mais

Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade

Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade Luis Eduardo Zampar - Consultor Biomatrix A silagem de milho de alta qualidade tem sido muito utilizada por produtores de gado de corte e leite,

Leia mais

Webinar o Nutricionista

Webinar o Nutricionista Webinar o Nutricionista Dr. Dan Undersander PhD / Professor Universidade de Wisconsin - Madison Silagem de milho: da colheita ao silo. O que eu preciso saber para produzir o máximo de leite com minha silagem.

Leia mais

Avaliação de diferentes híbridos de milho com aptidão para silagem

Avaliação de diferentes híbridos de milho com aptidão para silagem Avaliação de diferentes híbridos de milho com aptidão para silagem Renato SOARES OLIVEIRA¹; Antônio Augusto ROCHA ATHAYDE²; Felipe EVANGELISTA PIMENTEL 3 ; Fabíola Adriane CARDOSO SANTOS 4 1 Estudante

Leia mais

Conservação de Forragem Silagem. Sistema de Produção de Carne. Produção de forragem O QUE FAZER COM ESSES ANIMAIS NA ÉPOCA SECA???

Conservação de Forragem Silagem. Sistema de Produção de Carne. Produção de forragem O QUE FAZER COM ESSES ANIMAIS NA ÉPOCA SECA??? Conservação de Forragem Silagem Sistema de Produção de Carne Terminados a pasto aproximadamente 90 % Terminados em confinamentos aproximadamente 10% Produção de forragem > Quantidade Forragem > Qualidade

Leia mais

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem.

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. DAMASCENO, T. M. 1, WINDER, A. R. da S. 2, NOGUEIRA, J. C. M. 3, DAMASCENO, M. M. 2, MENDES, J. C. da F. 2, e DALLAPORTA, L. N.

Leia mais

Passo a passo na escolha da cultivar de milho

Passo a passo na escolha da cultivar de milho Passo a passo na escolha da cultivar de milho Beatriz Marti Emygdio Pesquisadora Embrapa Clima Temperado (beatriz.emygdio@cpact.embrapa.br) Diante da ampla gama de cultivares de milho, disponíveis no mercado

Leia mais

KWS Inovação e Selecção. Catálogo 2014

KWS Inovação e Selecção. Catálogo 2014 KWS Inovação e Selecção Catálogo 2014 KWS, 158 anos dedicados em exclusivo à selecçâo, multiplicação e comercialização de semente Sabia que em 2013 foi de novo lider europeu de vendas de sementes para

Leia mais

UMA EMPRESA DEDICADA À SUSTENTABILIDADE

UMA EMPRESA DEDICADA À SUSTENTABILIDADE UMA EMPRESA DEDICADA À SUSTENTABILIDADE Ricardo Blandy Vice - Presidente Nexsteppe Sementes do Brasil Novembro 2015 Nexsteppe Sede mundial em São Franscisco, CA Empresa de comercialização de SEMENTES DE

Leia mais

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera*

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* A história do algodão tecnificado no oeste da Bahia,

Leia mais

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Roberta Aparecida Carnevalli Pesquisadora Embrapa Agrossilvipastoril Cana-de-açúcar Alimentação humana xaropes sacarose Aguardente Combustível etanol energia

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Determinação da matéria seca em forno de micro-ondas doméstico Por Bleine Conceição Bach e Patrick

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

Departamento de Ciências Econômicas DCECO. Tel.: +55 32 3379-2537 E-mail: infover@ufsj.edu.br

Departamento de Ciências Econômicas DCECO. Tel.: +55 32 3379-2537 E-mail: infover@ufsj.edu.br 2013 InfoVer São João del-rei, fevereiro de 2013 InFover InfoVer Informativo sobre o Mercado de Leite de Vaca do Campo Uma publicação do DCECO- UFSJ Ano VI Nº 56 Setembro de 2013 Universidade Federal de

Leia mais

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA 1º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA Maia Barnabé Sambongo Dir. Fazenda Quizenga TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA ÁREA DE 1º ANO 1. Supressão Vegetal

Leia mais

Conte com a Pampa para uma colheita de sucesso na próxima safra!

Conte com a Pampa para uma colheita de sucesso na próxima safra! GUIA DE CULTIVARES A semente é a base do sucesso de uma lavoura. Sua qualidade é essencial para os bons resultados de cada safra, garantindo maior produtividade, competitividade e o lucro do produtor.

Leia mais

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Henrique Antunes de Souza Fernando Lisboa Guedes Equipe: Roberto Cláudio Fernandes Franco Pompeu Leandro Oliveira Silva Rafael Gonçalves Tonucci

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO

MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO-PR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO PROFESSOR PDE: CARLOS EDUARDO KAPP COLÉGIO AGRÍCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS PROFESSOR ORIENTADOR

Leia mais

Silagem Produção e análise econômica

Silagem Produção e análise econômica Pelotas, RS - Outubro de 2013 Silagem Produção e análise econômica Sérgio Toledo Filho Solution Manager Ruminants Estacionalidade de produção de forragem Excedente Forragem Silagem 2 Processo de ensilagem

Leia mais

CULTIVARES DE MILHO PARA SILAGEM

CULTIVARES DE MILHO PARA SILAGEM CULTIVARES DE MILHO PARA SILAGEM Solidete de Fátima Paziani, Pólo APTA Centro Norte, Pindorama/SP Aildson Pereira Duarte, Programa Milho IAC/APTA, Assis/SP Luiz Gustavo Nussio, USP/ESALQ, Piracicaba/SP

Leia mais

Qualidade da silagem de milho em função do teor de matéria seca na ocasião da colheita

Qualidade da silagem de milho em função do teor de matéria seca na ocasião da colheita ISSN 1518-4269 Qualidade da silagem de milho em função do teor de matéria seca na ocasião da colheita 112 A forragem obtida a partir do milho é a mais tradicional por apresentar condições ideais para uma

Leia mais

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Ramon C. Alvarenga¹ e Miguel M. Gontijo Neto¹ Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) A Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

SORGO FORRAGEIRO : OPÇÃO CERTA PARA O SEMI-ÁRIDO JOSE AVELINO SANTOS RODRIGUES EMBRAPA MILHO E SORGO

SORGO FORRAGEIRO : OPÇÃO CERTA PARA O SEMI-ÁRIDO JOSE AVELINO SANTOS RODRIGUES EMBRAPA MILHO E SORGO SORGO FORRAGEIRO : OPÇÃO CERTA PARA O SEMI-ÁRIDO JOSE AVELINO SANTOS RODRIGUES EMBRAPA MILHO E SORGO Introdução Vocação Forrageira do Sorgo Rações Ruminantes Grãos Rações Monogástricos Alimentação humana

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 15 de julho de 2015.

Clipping de notícias. Recife, 15 de julho de 2015. Clipping de notícias Recife, 15 de julho de 2015. Cepe Recife, 15 de julho de 2015. 14/07/2015 ATÉ QUE ENFIM: 'Secretaria de Agricultura de Tabira instala balança no Curral do Gado' O prefeito de Tabira,

Leia mais

Comunicado Técnico 06

Comunicado Técnico 06 Comunicado Técnico 06 ISSN 2177-854X Agosto. 2010 Uberaba - MG Irrigação de Pastagens Instruções Técnicas Responsáveis: André Luis Teixeira Fernandes; E-mail: andre.fernandes@fazu.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

VOLUMOSOS SUPLEMENTARES: ESTRATÉGIAS PARA ENTRESSAFRA

VOLUMOSOS SUPLEMENTARES: ESTRATÉGIAS PARA ENTRESSAFRA VOLUMOSOS SUPLEMENTARES: ESTRATÉGIAS PARA ENTRESSAFRA 1. Introdução 1 Rogério Marchiori Coan 2 Djalma de Freitas 3 Ricardo Andrade Reis 4 Sérgio de Souza Nakagi Apesar do Brasil deter um dos maiores rebanhos

Leia mais

GERAÇÃO POR BIOMASSA SORGO BIOMASSA COMO OPÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA PARA BIOENERGIA

GERAÇÃO POR BIOMASSA SORGO BIOMASSA COMO OPÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA PARA BIOENERGIA GERAÇÃO POR BIOMASSA SORGO BIOMASSA COMO OPÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA PARA BIOENERGIA Ricardo Blandy Vice Presidente de Desenvolvimento de Mercado Nexsteppe Sementes do Brasil rblandy@nexsteppe.com 19 3324-5007

Leia mais

Sorgo de alta biomassa. E( )pert. em sorgo

Sorgo de alta biomassa. E( )pert. em sorgo Sorgo de alta biomassa E( )pert em sorgo E( )periência de uma empresa sólida e focada. Com sede em Campinas/SP, a linha de produtos é comercializada sob a marca Blade, que tem autoridade quando o assunto

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Híbridos de milho e sorgo para silagem na alimentação de bovinos leiteiros

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Híbridos de milho e sorgo para silagem na alimentação de bovinos leiteiros PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Híbridos de milho e sorgo para silagem na alimentação de bovinos leiteiros Daniel Pizzotti Pescumo 1 e Mauricio Scoton Igarasi 2 1 Graduando do

Leia mais

Comunicado Técnico 94

Comunicado Técnico 94 Comunicado Técnico 94 ISSN 0101-5605 Novembro, 2004 Sete Lagoas, MG Avaliação de Cultivares de Milho e Sorgo para Produção de Forragem Antônio Carlos Viana 1 Marco Aurélio Noce 2 As silagens de milho e

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE SILAGEM SAFRA 2012/2013

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE SILAGEM SAFRA 2012/2013 SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE SILAGEM SAFRA 2012/2013 Aildson Pereira Duarte (IAC, Campinas) Luiz Gustavo Nussio (USP/ESALQ, Piracicaba) Solidete

Leia mais

2015 InfoVer São João del-rei, fevereiro de 2013

2015 InfoVer São João del-rei, fevereiro de 2013 2015 InfoVer São João del-rei, fevereiro de 2013 InFover InFover Informativo sobre o Mercado de Leite de Vaca do Campo Uma publicação do DCECO- UFSJ Ano VIII Nº 76 Junho de 2015 Universidade Federal de

Leia mais

para que da terra germine futuro... CATÁLOGO DE MILHOS

para que da terra germine futuro... CATÁLOGO DE MILHOS para que da terra germine futuro... CATÁLOGO DE MILHOS ...opção de futuro Lusosem Milhos Híbridos A gama actual da Lusosem reflecte o esforço de uma equipe de peritos em milho que ao longo dos anos tem

Leia mais

Avaliação econômica de silagens de capim e de milho.

Avaliação econômica de silagens de capim e de milho. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Área de concentração: Produção Animal Disciplina: SEMINÁRIOS

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM

BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM ISSN 2318-3837 Descalvado, SP Junho, 2012 BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM Autores: 1 Käthery Brennecke 1 Paulo Henrique Moura Dian 1 Liandra Maria Abaker Bertipaglia 1 Vando Edésio Soares 2 Thiago Rossi Simões

Leia mais

Comunicado Técnico. Plantio de milho para silagem. Introdução. João Eustáquio Cabral de Miranda 1 Humberto Resende 2 José de Oliveira Valente 3

Comunicado Técnico. Plantio de milho para silagem. Introdução. João Eustáquio Cabral de Miranda 1 Humberto Resende 2 José de Oliveira Valente 3 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comunicado Técnico Dezembro, 27 ISSN 1678-3131 Juiz de Fora, MG 2002 Plantio de milho para silagem João Eustáquio Cabral de Miranda 1 Humberto Resende

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br.

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br. Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. Mauricio Vicente Alves², Luiz Armando

Leia mais

Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração Lavoura Pecuária

Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração Lavoura Pecuária XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração

Leia mais

Forrageiras para corte e pastejo

Forrageiras para corte e pastejo Forrageiras para corte e pastejo Antonio Vander Pereira e Antonio Carlos Cóser * Introdução As pastagens e forragens cortadas representam formas mais econômicas de arraçoamento do gado leiteiro, podendo

Leia mais

Implantação de tecnologia na atividade leiteira com acompanhamento zootécnico e financeiro

Implantação de tecnologia na atividade leiteira com acompanhamento zootécnico e financeiro Implantação de tecnologia na atividade leiteira com acompanhamento zootécnico e financeiro Adriana Lopes Ribeiro Lelis Flávia de Carvalho Lage Ricardo de Magalhães Luz Brasília DF 2015 1. Introdução Com

Leia mais

Eng. Agro. Cristiano Moura Representante Comercial SP/PR

Eng. Agro. Cristiano Moura Representante Comercial SP/PR Eng. Agro. Cristiano Moura Representante Comercial SP/PR AGENDA Nexsteppe Sorgo Sacarino O que temos de novidade Como podemos ajudar o mercado? QUEM SOMOS Empresa de comercialização de sementes de sorgo,

Leia mais

- Visa otimizar e diversificar a produção;

- Visa otimizar e diversificar a produção; Sistemas Agroflorestais (SAF) - Combinação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas (fruticultura, plantas anuais, etc) ou criação de animais; - Visa otimizar e diversificar a produção; Sistemas Agroflorestais

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos FMVZ Unesp Botucatu João Ricardo Ronchesel Henrique Della Rosa Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Evolução do manejo nutricional

Leia mais

Qualidade de grãos de milho

Qualidade de grãos de milho 55ª Reunião Técnica Anual do Milho 38ª Reunião Técnica Anual do Sorgo 19 a 21 de Julho de 2010 (Vacaria, RS) Qualidade de grãos de milho Composição do grão de milho Proteína 9% Óleo 4% Açucares 1,7% Minerais

Leia mais

Desempenho de variedades de milho (Zea mays l.) para produção de silagem no município de Colorado do oeste-ro

Desempenho de variedades de milho (Zea mays l.) para produção de silagem no município de Colorado do oeste-ro Desempenho de variedades de milho (Zea mays l.) para produção de silagem no município de Colorado do oeste-ro Lucimara Ferreira de Figueredo 1, Ana Paula Salviana de lazari 2, Juliana Pereira da Silva

Leia mais

Comunicado. Engenheiro Agrônomo, D.Sc. Pesquisador da Embrapa Gado de Leite - persio.oliveira@embrapa.br 2

Comunicado. Engenheiro Agrônomo, D.Sc. Pesquisador da Embrapa Gado de Leite - persio.oliveira@embrapa.br 2 Comunicado Técnico Julho, 74 ISSN 1678-3131 Juiz de Fora, MG 2014 Produção de Silagem de Milho para Suplementação do Rebanho Leiteiro Pérsio Sandir D Oliveira 1 Jackson Silva e Oliveira 2 1. Introdução

Leia mais

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Milho + brachiaria: investimento mínimo, máximo retorno Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS CURITIBANOS BACHARELADO EM CIÊNCIAS RURAIS ALINE PEGORARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS CURITIBANOS BACHARELADO EM CIÊNCIAS RURAIS ALINE PEGORARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS CURITIBANOS BACHARELADO EM CIÊNCIAS RURAIS ALINE PEGORARO PASTA DE SOJA EM SUBSTITUIÇÃO À SILAGEM DE MILHO EM DIETAS PARA VACAS EM LACTAÇÃO: DESEMPENHO E VIABILIDADE

Leia mais

Terminação de Bovinos de Corte com Ênfase na Utilização de Volumosos Conservados

Terminação de Bovinos de Corte com Ênfase na Utilização de Volumosos Conservados Terminação de Bovinos de Corte com Ênfase na Utilização de Volumosos Conservados Flávio Dutra de Resende 1, Ricardo Dias Signoretti 1, Rogério Marchiori Coan 2, Gustavo Rezende Siqueira 1 1 Pesquisador

Leia mais

Manual de Ensilagem. Manual de Ensilagem Kera. Copyright 2012 Kera Nutrição Animal

Manual de Ensilagem. Manual de Ensilagem Kera. Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Manual de Ensilagem Manual de Ensilagem Manual de Ensilagem Kera Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Propriedade literária reservada. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, memorizada ou

Leia mais

Otimizando o uso da cana de açúcar fresca em fazendas leiteiras de pequeno porte. Thiago Bernardes

Otimizando o uso da cana de açúcar fresca em fazendas leiteiras de pequeno porte. Thiago Bernardes Otimizando o uso da cana de açúcar fresca em fazendas leiteiras de pequeno porte Thiago Bernardes II SIMLEITE Dracena, SP 07 de setembro de 2013 Área plantada (milhões ha) 1. A cana agrícola 28 27,7 24

Leia mais

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 8 APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE

Leia mais

3 Plantio e Semeadura

3 Plantio e Semeadura 3 Plantio e Semeadura 1 Plantio Éo ato de se colocar mudas ou partes vegetativas no solo para a instalação de determinada cultura. Exemplos: - Cana-de-açúcar; - Mandioca; - Arroz no cultivo com transplantio

Leia mais

PRINCÍPIOS DA PRODUÇÃO E MANEJO DE SILAGENS. André de Faria Pedroso Pesquisador, Doutor; Embrapa Pecuária Sudeste

PRINCÍPIOS DA PRODUÇÃO E MANEJO DE SILAGENS. André de Faria Pedroso Pesquisador, Doutor; Embrapa Pecuária Sudeste PRINCÍPIOS DA PRODUÇÃO E MANEJO DE SILAGENS André de Faria Pedroso Pesquisador, Doutor; Embrapa Pecuária Sudeste I. Introdução Os bovinos precisam de um suprimento contínuo de alimento de boa qualidade

Leia mais

Sistemas de manejo do solo

Sistemas de manejo do solo Sistemas de manejo do solo Introdução Uso e preparo do solo O arado. Evolução dos conhecimentos de uso e manejo do solo. O Ecossistema tropical Temperatura elevada e solos muito imteperizados 1 Sistemas

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Produtividade, composição morfológica e valor nutritivo de cultivares de milho (Zea mays L.) para produção de silagem sob os efeitos

Leia mais

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas De origem européia, a oliveira foi trazida ao Brasil por imigrantes há quase dois séculos, mas somente na década de 50 foi introduzida no Sul de Minas Gerais.

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS - CANA DE AÇÚCAR SEGURO AGRÍCOLA

CONDIÇÕES ESPECIAIS - CANA DE AÇÚCAR SEGURO AGRÍCOLA CONDIÇÕES ESPECIAIS - CANA DE AÇÚCAR SEGURO AGRÍCOLA 1. APLICAÇÃO 1.1. As presentes Condições Especiais complementam as Condições Gerais da apólice de Seguro Agrícola e se aplicam ao seguro de Cana de

Leia mais

Máquinas para Pecuária

Máquinas para Pecuária Máquinas para Pecuária Thaís Nascimento Santos 1 ; Bruno Silva Torquato 1 ; Karen Cappi do Carmo Brig 1 ; Maria Alexandra Estrela 2 Aluno (a) do Curso de Zootecnia da Faculdade de Imperatriz FACIMP, Imperatriz

Leia mais

Calendário para a ação extensionista na atividade de bovinocultura

Calendário para a ação extensionista na atividade de bovinocultura Calendário para a ação extensionista na atividade de bovinocultura Calendário para a ação extensionista na atividade de bovinocultura Belo Horizonte Emater MG Maio 2015 FICHA TÉCNICA Elaboração Médico

Leia mais

SILAGEM DE MILHO COMO ALIMENTO PARA O PERÍODO DA ESTIAGEM: COMO PRODUZIR E GARANTIR BOA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO COMO ALIMENTO PARA O PERÍODO DA ESTIAGEM: COMO PRODUZIR E GARANTIR BOA QUALIDADE SILAGEM DE MILHO COMO ALIMENTO PARA O PERÍODO DA ESTIAGEM: COMO PRODUZIR E GARANTIR BOA QUALIDADE Eder Christian de M. Lanes¹ Jackson S. Oliveira² Fernando César F. Lopes³ 4 Ecila M.A. Villani RESUMO Devido

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RONDONÓPOLIS

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RONDONÓPOLIS TÍTULO: AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE E DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS DE SORGO (SORGHUM BICOLOR L.) PARA ENSILAGEM EM FUNÇÃO DE DIFERENTES ÉPOCAS DE SEMEADURA. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO ESTRATÉGICA DA SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO (Zea mays, L.) NA PROPRIEDADE LEITEIRA

IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO ESTRATÉGICA DA SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO (Zea mays, L.) NA PROPRIEDADE LEITEIRA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DE SAÚDE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PRODUÇÃO DE LEITE IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO ESTRATÉGICA DA SILAGEM DE PLANTA INTEIRA DE MILHO

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 São Paulo, 23 de abril de 2014 ROTEIRO I. Safra 2013/2014 na região Centro-Sul: dados finais Condições climáticas e agronômicas Moagem e produção Mercados

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

Tipos de Sistema de Produção

Tipos de Sistema de Produção Tipos de Sistema de Produção Os sistemas de cultura dominantes conjunto de plantas cultivadas, forma como estas se associam e técnicas utilizadas no seu cultivo apresentam grandes contrastes entre o Norte

Leia mais

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO De 06 de outubro de 2014 TECNOLOGIA GENÉTICA ACESSÍVEL PECUÁRIA Laboratório fará transferência de embriões de animais de

Leia mais

Silvia Antoniali 1 Eng. Agr., Dr., PqC da UPD de Araçatuba do Polo Regional Extremo Oeste/APTA santoniali@apta.sp.gov.br

Silvia Antoniali 1 Eng. Agr., Dr., PqC da UPD de Araçatuba do Polo Regional Extremo Oeste/APTA santoniali@apta.sp.gov.br MILHO VERDE ORGÂNICO: PRODUÇÃO E PÓS-COLHEITA Silvia Antoniali 1 Eng. Agr., Dr., PqC da UPD de Araçatuba do Polo Regional Extremo Oeste/APTA santoniali@apta.sp.gov.br Neli Cristina B. Santos Eng. Agr.,

Leia mais

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO O laudo (Figura 1) indica os valores determinados no laboratório para cada camada do perfil do solo, servindo de parâmetros para direcionamento de métodos corretivos. Figura

Leia mais

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA NOVO PROTOCOLO AMBIENTAL (Única, Orplana e Secretaria do Meio Ambiente) Áreas mecanizáveis Extinção das queimadas

Leia mais

manual técnico, 24 ISSN 1983-5671 SILAGEM ORGÂNICA Paulo Francisco Dias Sebastião Manhães Souto

manual técnico, 24 ISSN 1983-5671 SILAGEM ORGÂNICA Paulo Francisco Dias Sebastião Manhães Souto 24 manual técnico, 24 ISSN 1983-5671 SILAGEM ORGÂNICA Paulo Francisco Dias Sebastião Manhães Souto Niterói-RJ Julho de 2010 PROGRAMA RIO RURAL Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DOW AGROSCIENCES. Qualidade em nutrição é herança de família.

SILAGEM DE MILHO DOW AGROSCIENCES. Qualidade em nutrição é herança de família. SILAGEM DE MILHO DOW AGROSCIENCES. Qualidade em nutrição é herança de família. Guia de SilaGem 2011 DOW AGROSCIENCES SEMEANDO CONHECIMENTO Ao semear conhecimento, a Dow AgroSciences participa do processo

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia Universidade Federal de Uberlândia Relatório Visita técnica Embrapa Gado de Corte-MS Grupo de estudos e pesquisa em forragicultra UFU GEPFOR Guilherme Amorim Soares da Silva Zootecnia Uberlândia 2014 I

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS SOJA E SOJA IRRIGADA SEGURO AGRÍCOLA 1. APLICAÇÃO 2. OBJETO DO SEGURO

CONDIÇÕES ESPECIAIS SOJA E SOJA IRRIGADA SEGURO AGRÍCOLA 1. APLICAÇÃO 2. OBJETO DO SEGURO CONDIÇÕES ESPECIAIS SOJA E SOJA IRRIGADA SEGURO AGRÍCOLA 1. APLICAÇÃO 1.1. As presentes Condições Especiais complementam as Condições Gerais da apólice de Seguro Agrícola e se aplicam ao seguro de Soja

Leia mais

Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo. 0800156265 www.sementesagroceres.com.br

Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo. 0800156265 www.sementesagroceres.com.br Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo S I L A G E M 0800156265 www.sementesagroceres.com.br No Brasil, pela tradição dos colonizadores em agricultura, Com a globalização do mercado, a pecuária

Leia mais

GUIA PRACTICA PARA CULTIVO DE ANANÁS

GUIA PRACTICA PARA CULTIVO DE ANANÁS GUIA PRACTICA PARA CULTIVO DE ANANÁS SEÇÃO 1: Preparação do solo para plantio de ananás 1. Identificação da área para o plantio de ananas 1.A área seleccionada deve ter via de acesso 1. Se não tiver via

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS - TRIGO E TRIGO IRRIGADO SEGURO AGRÍCOLA

CONDIÇÕES ESPECIAIS - TRIGO E TRIGO IRRIGADO SEGURO AGRÍCOLA CONDIÇÕES ESPECIAIS - TRIGO E TRIGO IRRIGADO SEGURO AGRÍCOLA 1. APLICAÇÃO 1.1. As presentes Condições Especiais complementam as Condições Gerais da apólice de Seguro Agrícola e se aplicam ao seguro de

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA Informações sobre o plantio do eucalipto no Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta COLETA DE SOLO NA

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS - TRIGO E TRIGO IRRIGADO SEGURO AGRÍCOLA

CONDIÇÕES ESPECIAIS - TRIGO E TRIGO IRRIGADO SEGURO AGRÍCOLA CONDIÇÕES ESPECIAIS - TRIGO E TRIGO IRRIGADO SEGURO AGRÍCOLA 1. APLICAÇÃO 1.1. As presentes Condições Especiais complementam as Condições Gerais da apólice de Seguro Agrícola e se aplicam ao seguro de

Leia mais

Manual Técnico. Confinamento de Bovinos de Corte CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE

Manual Técnico. Confinamento de Bovinos de Corte CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE Manual Técnico Campinas/SP - 19.3729 4477 Sales Oliveira/SP - 16.3852-0011 Pará de Minas/MG - 37.3231-6055 Anápolis/GO - 62.3316-1366 Além Paraíba/MG - 32.3462-8585 Goiana/PE - 81.3625.5055

Leia mais

Plantio de cana-de-açúcar

Plantio de cana-de-açúcar Plantio de cana-de-açúcar Época de plantio 1. Cana de ano e meio - Janeiro a maio; - Tempo de colheita (13 a 20 meses); - Variedades de ciclo precoce, médio e tardio; - Pode ser feito em solos de baixa,

Leia mais

Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001

Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001 Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001 1 Tema: PREPARO REDUZIDO E PLANTIO DIRETO Local: Ribeirão Preto - SP Palestrante: Hilário 2 LOCALIZAÇÃO Latitude: 20º28 41 S UAM Longitude: 47º52 21 W

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA MANEJO ALIMENTAR DE CORDEIROS MARIANNA MIETTO MENDES 3 ZOOTECNIA INTRODUÇÃO Mercado; Período de aleitam

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

PRODUÇÃO DE SILAGEM DE HÍBRIDOS DE MILHO E SORGO SEM NITROGÊNIO DE COBERTURA EM SAFRA DE VERÃO 1

PRODUÇÃO DE SILAGEM DE HÍBRIDOS DE MILHO E SORGO SEM NITROGÊNIO DE COBERTURA EM SAFRA DE VERÃO 1 PRODUÇÃO DE SILAGEM DE HÍBRIDOS DE MILHO E SORGO SEM NITROGÊNIO DE COBERTURA EM SAFRA DE VERÃO 1 Roni Fernandes Guareschi 2, Rafaella Belchior Brasil 2, Adriano Perin 2, Jessika Mara Martins Ribeiro 2

Leia mais

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E RESPOSTA DE MILHO SAFRINHA CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis À CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E 2012) Carlos Hissao Kurihara, Bruno Patrício Tsujigushi (2), João Vitor de Souza

Leia mais

PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG

PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG Realização: PROGRAMA DO CURSO Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG Parceria: Programa do curso Pós-Graduação em Nutrição de Bovinos Leiteiros Uberlândia, MG O curso oferece 18

Leia mais