Ponto de Corte do Milho para Silagem

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ponto de Corte do Milho para Silagem"

Transcrição

1 Setor de Forragicultura Ponto de Corte do Milho para Silagem Eng. Agr. Igor Quirrenbach de Carvalho 23/8/213 Acertar o ponto de corte é fundamental para ter alta produção de massa e alta qualidade nutricional. Muitos técnicos e produtores dão pouca importância a esse critério, mas faz toda diferença no sucesso ou fracasso de uma silagem. Além do mais, o custo de cortar no ponto, ou antes, ou depois do ponto é praticamente o mesmo. A linha do leite foi utilizada por muito tempo como indicativo do ponto de corte. A recomendação era cortar com ½ linha do leite. Hoje, com a utilização de híbridos com Stay Green mais acentuado e melhor controle de doenças, tem ocorrido baixos teores de matéria seca na fase de ½ linha do leite. Atualmente, os melhores resultados tem se obtido com 2/3 da linha do leite, ou seja, 2 partes farináceo e 1 parte leitoso. A linha do leite é avaliada pela parte farinácea do grão. Ela começa a se formar de fora para o centro da espiga. Para verificar a linha do leite, selecionar uma espiga representativa da lavoura, nem muito seca, nem muito verde, quebrar ao meio, pegar a parte da ponta e cortar alguns grãos com canivete, conforme figura acima. Raspar com a ponta do canivete a parte leitosa, delimitando-a da parte farinácea. Como observação prática, a linha do leite avança em torno de 5% ao dia, ou seja, se tiver com 35% de linha do leite, vai levar 6 dias para atingir 65%, ou 2/3 da linha do leite. Contudo, diferentes híbridos e condições ambientais influenciam o teor de matéria seca (MS) numa mesma condição de linha do leite. Alguns híbridos ainda estão

2 verdes com 2/3 da linha do leite (MS < 3%), enquanto outros já estão passados com 2/3 da linha do leite (MS > 35%). Por esse motivo, o ideal é verificar o ponto de ensilagem pelo teor de matéria seca das plantas. Em países onde as técnicas de ensilagem são mais desenvolvidas, se considera o teor de MS para definir o ponto de corte. Não se utiliza mais a linha do leite. O teor de MS ideal para silagem de milho é de 3 a 35%. Nessa faixa de MS, se obtém as melhores produções de massa seca, melhor qualidade nutricional, maior digestibilidade, maior consumo pelos animais e maior produção de leite por animal, por tonelada de silagem e por hectare. O gráfico abaixo demonstra a produção de massa seca de milho em função do teor de MS das plantas. Trabalho conduzido pela Fundação ABC, com quatro híbridos, em Carambeí-PR, na safra 27/28. Massa Seca (kg ha -1 ) R² =, Matéria Seca Silagem (%) O teor de 3 a 35% de MS também é o ponto onde se consegue melhor compactação e melhor fermentação da silagem, reduzindo as perdas de massa seca e favorecendo a conservação da silagem. Silagens abaixo de 3% de MS produzem menos massa seca por hectare, tem menor qualidade nutricional, menor consumo pelos animais, menor produção de leite, além de ocorrer fermentação indesejável pelo excesso de umidade (fermentação butírica) e ocorrer perdas de nutrientes nos efluentes (chorume). Acima de 35% de MS, a qualidade das fibras começa a cair, afetando a digestibilidade da silagem. Além disso, fica mais difícil picar as plantas com a ensiladeira, quebrar os grãos e compactar um material mais seco. Se a compactação não é adequada,

3 fica maior quantidade de O 2 na massa, que irá aumentar as perdas de MS, favorecer o desenvolvimento de fungos e reduzir a qualidade da forragem. No gráfico abaixo, construído com amostras de produtores da região ABC, podese notar a perda de qualidade na forma de energia quando a colheita é antecipada a menos de 3% de MS. NDT (%) MS (%) Isso ocorre devido à perda de grãos na massa da silagem pela colheita antecipada, como demonstrado na figura abaixo. Quando se corta a silagem no ponto correto, 3-35% de MS (2/3 linha leite) se colhe em torno de 9% da produção potencial de grãos da lavoura. Se cortar entre o ponto de pamonha a ½ grão, são colhidos apenas de 5 a 8% do potencial de grãos. Essa perda de grãos (amido) terá que ser compensada posteriormente com a compra de ração, fubá de milho ou outra fonte de energia. Produção e Umidade dos Grãos Trabalho realizado no CDE Castro, safra 29/21, híbrido AG 825.

4 O trabalho de Wiersma et al. (1993) demonstra menor teores de fibras e maior digestibilidade da MS com teor de MS próximo a 34%. % FDN FDA DIVMS MS (%) O trabalho abaixo mostra maior consumo de silagem de milho e produção de leite por vaca com matéria seca de 33%. Isso ocorre devido à melhor qualidade nutricional, que é influenciada pela porcentagem de espigas da massa. Determinação do teor de MS Como vimos, é importante conhecermos o teor de MS das plantas de milho para acertarmos o ponto de corte. Como macete prático, a MS das plantas de milho aumenta em torno de,6% por dia. Mas há variação de acordo com o híbrido e condições ambientais, podendo variar entre,4 a 1,%. Nas páginas seguintes, segue metodologias para determinação da MS:

5 Setor de Forragicultura MATÉRIA SECA EM MICRO-ONDAS Cortar 5 plantas de milho Picar em triturador ou ensiladeira e misturar bem Colocar um prato de papelão na balança e zerar Colocar 1 g de forragem no prato Colocar no micro-ondas por 5 minutos, com copo de água no fundo Retirar, pesar e misturar o material Colocar no micro-ondas por mais 3 minutos Retirar, pesar e misturar o material Colocar no micro-ondas por mais 1 minuto Ir secando de 1 em 1 minuto até repetir três vezes o mesmo peso O último peso é a porcentagem de matéria seca. Fonte: EMBRAPA MILHO E SORGO. Produção e utilização de silagem de milho e sorgo. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 21. Adaptado em: 15/1/28 por Igor Quirrenbach de Carvalho

6 MATÉRIA SECA UMITEST Conhecido como Koster nos EUA Colocar 1 gramas de forragem na peneira do equipamento Deixar secando por 6 minutos O peso final é a porcentagem de matéria seca do material Quem tiver interesse em adquirir, pode encontrar em: (R$ Umitest) (R$ Koster) (U$ 34 - Koster) MATÉRIA SECA FARMEX 121 Neste equipamento é exercida uma pressão sobre o material Circula uma corrente elétrica O equipamento realiza uma leitura desta corrente Este valor é relacionado em uma tabela com o teor de matéria seca Quem tiver interesse em adquirir o Farmex 121, pode encontrar em: (R$ 943) (U$ 245)

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Determinação da matéria seca em forno de micro-ondas doméstico Por Bleine Conceição Bach e Patrick

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE SeGurança para produzir mais e melhor! Programa Qualidade Total: SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Autor: Eng. Agr., Dr. Mikael Neumann Ano: 2009 SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Mikael Neumann 1 1

Leia mais

Aspectos Gerais e Agronômicos. Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira 05/04/2013. Silagem de Milho Aspectos Gerais

Aspectos Gerais e Agronômicos. Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira 05/04/2013. Silagem de Milho Aspectos Gerais Silagem de Milho na Bovinocultura Leiteira % 60 50 40 30 20 10 0 Prof. Thiago Bernardes DZO/UFLA Ciclo de Palestras em Bovinocultura de Leite e Corte Terra Jr Consultoria 31 de Janeiro de 2013 Utilização

Leia mais

Comunicado Técnico 94

Comunicado Técnico 94 Comunicado Técnico 94 ISSN 0101-5605 Novembro, 2004 Sete Lagoas, MG Avaliação de Cultivares de Milho e Sorgo para Produção de Forragem Antônio Carlos Viana 1 Marco Aurélio Noce 2 As silagens de milho e

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR)

Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) Universidade Federal do Paraná Departamento de Zootecnia Centro de Pesquisa em Forragicultura (CPFOR) EXCESSO DE PICAGEM NA SILAGEM DE MILHO: DESEMPENHO E SAÚDE DAS VACAS Elinton Weinert Carneiro Méd.

Leia mais

SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente

SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente SILAGEM DE MILHO E SORGO: Opção Inteligente Marcio Pelegrini Engenheiro Agrônomo, Ms. Tecnologia de Sementes. Consultor de silagem da Santa Helena Sementes. 1 Os avanços tecnológicos cada vez mais presentes

Leia mais

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Engº Agrº Robson F. de Paula Coordenador Técnico Regional Robson.depaula@pioneer.com Silagem de qualidade começa no campo! E no momento

Leia mais

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Ramon C. Alvarenga¹ e Miguel M. Gontijo Neto¹ Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) A Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos FMVZ Unesp Botucatu João Ricardo Ronchesel Henrique Della Rosa Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Evolução do manejo nutricional

Leia mais

Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade

Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade Produção, Uso e Vantagens de Silagens de Alta Qualidade Luis Eduardo Zampar - Consultor Biomatrix A silagem de milho de alta qualidade tem sido muito utilizada por produtores de gado de corte e leite,

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO

MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO-PR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL MATERIAL DIDÁTICO CADERNO TEMÁTICO PROFESSOR PDE: CARLOS EDUARDO KAPP COLÉGIO AGRÍCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS PROFESSOR ORIENTADOR

Leia mais

Qualidade da silagem de milho em função do teor de matéria seca na ocasião da colheita

Qualidade da silagem de milho em função do teor de matéria seca na ocasião da colheita ISSN 1518-4269 Qualidade da silagem de milho em função do teor de matéria seca na ocasião da colheita 112 A forragem obtida a partir do milho é a mais tradicional por apresentar condições ideais para uma

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

Conservação de Forragem Silagem. Sistema de Produção de Carne. Produção de forragem O QUE FAZER COM ESSES ANIMAIS NA ÉPOCA SECA???

Conservação de Forragem Silagem. Sistema de Produção de Carne. Produção de forragem O QUE FAZER COM ESSES ANIMAIS NA ÉPOCA SECA??? Conservação de Forragem Silagem Sistema de Produção de Carne Terminados a pasto aproximadamente 90 % Terminados em confinamentos aproximadamente 10% Produção de forragem > Quantidade Forragem > Qualidade

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

CULTIVARES DE MILHO PARA SILAGEM

CULTIVARES DE MILHO PARA SILAGEM CULTIVARES DE MILHO PARA SILAGEM Solidete de Fátima Paziani, Pólo APTA Centro Norte, Pindorama/SP Aildson Pereira Duarte, Programa Milho IAC/APTA, Assis/SP Luiz Gustavo Nussio, USP/ESALQ, Piracicaba/SP

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

Webinar o Nutricionista

Webinar o Nutricionista Webinar o Nutricionista Dr. Dan Undersander PhD / Professor Universidade de Wisconsin - Madison Silagem de milho: da colheita ao silo. O que eu preciso saber para produzir o máximo de leite com minha silagem.

Leia mais

Custo Unitário do Nutriente (CUN) = A (B 100 x C 100),

Custo Unitário do Nutriente (CUN) = A (B 100 x C 100), CÁLCULO DE UM SUPLEMENTO PARA BUBALINOS DE CORTE Para se calcular um suplemento é necessário o conhecimento prévio de quatro fatores: o o o o Composição nutricional da pastagem Consumo da pastagem Identificação

Leia mais

Relatório dos Resultados: 9º CONCURSO DE SILAGEM DE MILHO DA FUNDAÇÃO ABC

Relatório dos Resultados: 9º CONCURSO DE SILAGEM DE MILHO DA FUNDAÇÃO ABC 1 FUNDAÇÃO ABC SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA O AGRONEGÓCIO SETOR DE FORRAGICULTURA Relatório dos Resultados: 9º CONCURSO DE SILAGEM DE MILHO DA FUNDAÇÃO ABC Coordenação: Eng. Agr. Dr. Igor Quirrenbach de

Leia mais

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Henrique Antunes de Souza Fernando Lisboa Guedes Equipe: Roberto Cláudio Fernandes Franco Pompeu Leandro Oliveira Silva Rafael Gonçalves Tonucci

Leia mais

SILAGEM DE MILHO COMO ALIMENTO PARA O PERÍODO DA ESTIAGEM: COMO PRODUZIR E GARANTIR BOA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO COMO ALIMENTO PARA O PERÍODO DA ESTIAGEM: COMO PRODUZIR E GARANTIR BOA QUALIDADE SILAGEM DE MILHO COMO ALIMENTO PARA O PERÍODO DA ESTIAGEM: COMO PRODUZIR E GARANTIR BOA QUALIDADE Eder Christian de M. Lanes¹ Jackson S. Oliveira² Fernando César F. Lopes³ 4 Ecila M.A. Villani RESUMO Devido

Leia mais

Uso do microondas doméstico para determinação de matéria seca e do teor de água em solos e plantas: avaliação econômica, social e ambiental

Uso do microondas doméstico para determinação de matéria seca e do teor de água em solos e plantas: avaliação econômica, social e ambiental 80 Uso do microondas doméstico para determinação de matéria seca e do teor de água em Recebimento dos originais: 27/10/2007 Aceitação para publicação: 07/08/2008 Marcela de Mello Brandão Vinholis Mestre

Leia mais

Manual de Ensilagem. Manual de Ensilagem Kera. Copyright 2012 Kera Nutrição Animal

Manual de Ensilagem. Manual de Ensilagem Kera. Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Manual de Ensilagem Manual de Ensilagem Manual de Ensilagem Kera Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Propriedade literária reservada. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, memorizada ou

Leia mais

KWS Inovação e Selecção. Catálogo 2014

KWS Inovação e Selecção. Catálogo 2014 KWS Inovação e Selecção Catálogo 2014 KWS, 158 anos dedicados em exclusivo à selecçâo, multiplicação e comercialização de semente Sabia que em 2013 foi de novo lider europeu de vendas de sementes para

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DOW AGROSCIENCES. Qualidade em nutrição é herança de família.

SILAGEM DE MILHO DOW AGROSCIENCES. Qualidade em nutrição é herança de família. SILAGEM DE MILHO DOW AGROSCIENCES. Qualidade em nutrição é herança de família. Guia de SilaGem 2011 DOW AGROSCIENCES SEMEANDO CONHECIMENTO Ao semear conhecimento, a Dow AgroSciences participa do processo

Leia mais

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:24 Culturas A Cultura do Milho Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do milho

Leia mais

Máquinas para Pecuária

Máquinas para Pecuária Máquinas para Pecuária Thaís Nascimento Santos 1 ; Bruno Silva Torquato 1 ; Karen Cappi do Carmo Brig 1 ; Maria Alexandra Estrela 2 Aluno (a) do Curso de Zootecnia da Faculdade de Imperatriz FACIMP, Imperatriz

Leia mais

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Roberta Aparecida Carnevalli Pesquisadora Embrapa Agrossilvipastoril Cana-de-açúcar Alimentação humana xaropes sacarose Aguardente Combustível etanol energia

Leia mais

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 A evolução da produção de milho no Mato Grosso: a importância da safrinha Jason de Oliveira Duarte 1 José Carlos Cruz 2 João Carlos Garcia 3 Introdução

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br.

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br. Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. Mauricio Vicente Alves², Luiz Armando

Leia mais

Impacto econômico, social e ambiental do uso do microondas doméstico para determinação de matéria seca e do teor de água em solos e plantas

Impacto econômico, social e ambiental do uso do microondas doméstico para determinação de matéria seca e do teor de água em solos e plantas IMPACTO ECONÔMICO, SOCIAL E AMBIENTAL DO USO DO MICROONDAS DOMÉSTICO PARA DETERMINAÇÃO DE MATÉRIA SECA E DO TEOR DE ÁGUA EM SOLOS E PLANTAS MARCELA DE MELLO BRANDÃO VINHOLIS; GILBERTO BATISTA SOUZA; ANA

Leia mais

Relatório dos Resultados: 8º CONCURSO DE SILAGEM DE MILHO DA FUNDAÇÃO ABC

Relatório dos Resultados: 8º CONCURSO DE SILAGEM DE MILHO DA FUNDAÇÃO ABC 1 FUNDAÇÃO ABC SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA O AGRONEGÓCIO SETOR DE FORRAGICULTURA Relatório dos Resultados: 8º CONCURSO DE SILAGEM DE MILHO DA FUNDAÇÃO ABC Coordenação: Eng. Agr. Dr. Igor Quirrenbach de

Leia mais

Importância das Pastagens na Produção de Leite dos Campos Gerais

Importância das Pastagens na Produção de Leite dos Campos Gerais Importância das Pastagens na Produção de Leite dos Campos Gerais Eng. Agr. Dr. Igor Quirrenbach de Carvalho O que vamos ver hoje? Fundação ABC Como é a produção de leite no Brasil? Como reduzir os custos

Leia mais

Mais Milho Para Produção de Leite e Menos Milho nas Fezes

Mais Milho Para Produção de Leite e Menos Milho nas Fezes Texto: Marcos André Arcari Marcos Veiga dos Santos Mais Milho Para Produção de Leite e Menos Milho nas Fezes Dentre os ingredientes utilizados na alimentação de vacas leiteiras, o milho grão é o principal

Leia mais

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos SECAGEM DE GRÃOS Disciplina: Armazenamento de Grãos 1. Introdução - grãos colhidos com teores elevados de umidade, para diminuir perdas:. permanecem menos tempo na lavoura;. ficam menos sujeitos ao ataque

Leia mais

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO Aditivos alimentares são utilizados em dietas para bovinos de corte em confinamento com o objetivo

Leia mais

VOLUMOSOS SUPLEMENTARES: ESTRATÉGIAS PARA ENTRESSAFRA

VOLUMOSOS SUPLEMENTARES: ESTRATÉGIAS PARA ENTRESSAFRA VOLUMOSOS SUPLEMENTARES: ESTRATÉGIAS PARA ENTRESSAFRA 1. Introdução 1 Rogério Marchiori Coan 2 Djalma de Freitas 3 Ricardo Andrade Reis 4 Sérgio de Souza Nakagi Apesar do Brasil deter um dos maiores rebanhos

Leia mais

Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo. 0800156265 www.sementesagroceres.com.br

Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo. 0800156265 www.sementesagroceres.com.br Guia do Campo Sementes Agroceres Milho & Sorgo S I L A G E M 0800156265 www.sementesagroceres.com.br No Brasil, pela tradição dos colonizadores em agricultura, Com a globalização do mercado, a pecuária

Leia mais

Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja

Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja 53 Marcos César Colacino 1 ; Carolina Maria Gaspar de Oliveira 2 RESUMO A antecipação da colheita da soja resulta em uma grande quantidade de vagens verdes

Leia mais

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 Pergunta fundamental 1 Quanto custa produzir um quilo de carne????????? Pergunta fundamental 2 O que produz o pecuarista?

Leia mais

PRINCÍPIOS DA PRODUÇÃO E MANEJO DE SILAGENS. André de Faria Pedroso Pesquisador, Doutor; Embrapa Pecuária Sudeste

PRINCÍPIOS DA PRODUÇÃO E MANEJO DE SILAGENS. André de Faria Pedroso Pesquisador, Doutor; Embrapa Pecuária Sudeste PRINCÍPIOS DA PRODUÇÃO E MANEJO DE SILAGENS André de Faria Pedroso Pesquisador, Doutor; Embrapa Pecuária Sudeste I. Introdução Os bovinos precisam de um suprimento contínuo de alimento de boa qualidade

Leia mais

Alimentação da vaca leiteira

Alimentação da vaca leiteira Alimentação da vaca leiteira A exploração leiteira consiste em atividade de converter recursos alimentares em leite, cujo valor agregado é superior a matéria-prima original. Recursos alimentares: Volumosos

Leia mais

Produção de silagem de milho no planejamento alimentar do rebanho

Produção de silagem de milho no planejamento alimentar do rebanho Produção de silagem de milho no planejamento alimentar do rebanho Prof. Dr. João Ricardo Alves Pereira Universidade Estadual de Ponta Grossa-PR Vitalle Nutrição Animal Pecuária é um bom negócio,mas...

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE SILAGEM SAFRA 2012/2013

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE SILAGEM SAFRA 2012/2013 SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE SILAGEM SAFRA 2012/2013 Aildson Pereira Duarte (IAC, Campinas) Luiz Gustavo Nussio (USP/ESALQ, Piracicaba) Solidete

Leia mais

SORGO FORRAGEIRO : OPÇÃO CERTA PARA O SEMI-ÁRIDO JOSE AVELINO SANTOS RODRIGUES EMBRAPA MILHO E SORGO

SORGO FORRAGEIRO : OPÇÃO CERTA PARA O SEMI-ÁRIDO JOSE AVELINO SANTOS RODRIGUES EMBRAPA MILHO E SORGO SORGO FORRAGEIRO : OPÇÃO CERTA PARA O SEMI-ÁRIDO JOSE AVELINO SANTOS RODRIGUES EMBRAPA MILHO E SORGO Introdução Vocação Forrageira do Sorgo Rações Ruminantes Grãos Rações Monogástricos Alimentação humana

Leia mais

LIMPEZA DE CANA A SECO TECNOLOGIA EMPRAL

LIMPEZA DE CANA A SECO TECNOLOGIA EMPRAL LIMPEZA DE CANA A SECO TECNOLOGIA EMPRAL 1 Novas necessidades da indústria - Redução do consumo de água - Proibição da queimada da cana de açúcar - Mecanização da colheita de cana de açúcar 2 Interferência

Leia mais

Descritivo de produto. Fornecedor. www.unityscientific.com

Descritivo de produto. Fornecedor. www.unityscientific.com Descritivo de produto Fornecedor www.unityscientific.com Analisador de Forragem NIR DESCRIÇÃO O Analisador de Forragem UNITY oferece soluções comprovadas para os mercados de forrageiras, ingredientes e

Leia mais

para que da terra germine futuro... CATÁLOGO DE MILHOS

para que da terra germine futuro... CATÁLOGO DE MILHOS para que da terra germine futuro... CATÁLOGO DE MILHOS ...opção de futuro Lusosem Milhos Híbridos A gama actual da Lusosem reflecte o esforço de uma equipe de peritos em milho que ao longo dos anos tem

Leia mais

Classificação de Grãos MT

Classificação de Grãos MT Classificação de Grãos MT Alex Utida Aprosoja MT Agosto, 2014 Documento Interno e de Uso Exclusivo da Aprosoja-MT Classificação de Grãos A entidade, consciente da importância que a produção de grãos tem

Leia mais

Avaliação de diferentes híbridos de milho com aptidão para silagem

Avaliação de diferentes híbridos de milho com aptidão para silagem Avaliação de diferentes híbridos de milho com aptidão para silagem Renato SOARES OLIVEIRA¹; Antônio Augusto ROCHA ATHAYDE²; Felipe EVANGELISTA PIMENTEL 3 ; Fabíola Adriane CARDOSO SANTOS 4 1 Estudante

Leia mais

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA NOVO PROTOCOLO AMBIENTAL (Única, Orplana e Secretaria do Meio Ambiente) Áreas mecanizáveis Extinção das queimadas

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Híbridos de milho e sorgo para silagem na alimentação de bovinos leiteiros

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Híbridos de milho e sorgo para silagem na alimentação de bovinos leiteiros PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Híbridos de milho e sorgo para silagem na alimentação de bovinos leiteiros Daniel Pizzotti Pescumo 1 e Mauricio Scoton Igarasi 2 1 Graduando do

Leia mais

TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE MILHO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE

TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE MILHO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE MILHO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE Autor: Igor Quirrenbach de Carvalho Orientador: Prof. Dr. Clóves

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

Comunicado Técnico. Plantio de milho para silagem. Introdução. João Eustáquio Cabral de Miranda 1 Humberto Resende 2 José de Oliveira Valente 3

Comunicado Técnico. Plantio de milho para silagem. Introdução. João Eustáquio Cabral de Miranda 1 Humberto Resende 2 José de Oliveira Valente 3 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comunicado Técnico Dezembro, 27 ISSN 1678-3131 Juiz de Fora, MG 2002 Plantio de milho para silagem João Eustáquio Cabral de Miranda 1 Humberto Resende

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM

BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM ISSN 2318-3837 Descalvado, SP Junho, 2012 BOAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM Autores: 1 Käthery Brennecke 1 Paulo Henrique Moura Dian 1 Liandra Maria Abaker Bertipaglia 1 Vando Edésio Soares 2 Thiago Rossi Simões

Leia mais

Silagem Produção e análise econômica

Silagem Produção e análise econômica Pelotas, RS - Outubro de 2013 Silagem Produção e análise econômica Sérgio Toledo Filho Solution Manager Ruminants Estacionalidade de produção de forragem Excedente Forragem Silagem 2 Processo de ensilagem

Leia mais

Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração Lavoura Pecuária

Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração Lavoura Pecuária XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração

Leia mais

Produção de Leite a Pasto

Produção de Leite a Pasto Produção de Leite a Pasto Levar o gado ao pasto e não o pasto ao gado Menor custo, redução da mão-de-obra Mais saúde para os animais Menor impacto ambiental Maior rentabilidade PRODUÇÃO DE LEITE A PASTO

Leia mais

Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo

Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo Milho: o grão que vale ouro nas dietas de aves...... mas que ainda não recebeu a devida importância do setor produtivo Gustavo J. M. M. de Lima 1 1 Eng.Agr o., Ph.D., Embrapa Suínos e Aves, gustavo@cnpsa.embrapa.br.

Leia mais

Qualidade de grãos de milho

Qualidade de grãos de milho 55ª Reunião Técnica Anual do Milho 38ª Reunião Técnica Anual do Sorgo 19 a 21 de Julho de 2010 (Vacaria, RS) Qualidade de grãos de milho Composição do grão de milho Proteína 9% Óleo 4% Açucares 1,7% Minerais

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola Primeiro e Pecuário Relatório de Avaliação Nacional PAP 2013/2014 sobre Mudanças Climáticas ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Nelson

Leia mais

Manejo nutricional dos ovinos Profa. Fernanda Bovino

Manejo nutricional dos ovinos Profa. Fernanda Bovino Manejo nutricional dos ovinos Profa. Fernanda Bovino Introdução Representa até 60% custos Mais importante para o sucesso Exigências nutricionais Mantença Produção Reprodução Alimentos Nutrientes Energia,

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS

COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS Cristiane Otto de Sá 1 e José Luiz de Sá 2 1. QUE TIPO DE PESSOA TEM VOCAÇÃO PARA CRIAR OVINOS O ovino foi um dos primeiros animais a ser domesticado pelo homem. Após

Leia mais

TRATAMENTO QUÍMICO DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COM SOLUÇÃO DE URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES

TRATAMENTO QUÍMICO DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COM SOLUÇÃO DE URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES TRATAMENTO QUÍMICO DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS COM SOLUÇÃO DE URÉIA NA ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES INTRODUÇÃO Onaldo Souza 1 Mariah Tenório de Carvalho Souza 2 Izabele Emiliano dos Santos 3 Cereal é a denominação

Leia mais

Tecnologia EM no Meio Ambiente

Tecnologia EM no Meio Ambiente Tecnologia EM no Meio Ambiente Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também podem ajudar a amenizar impactos ambientais. O EM 1 tem uma ampla gama de aplicações

Leia mais

Webinar O Nutricionista. Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia

Webinar O Nutricionista. Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia Webinar O Nutricionista Dr. Noelia Silva Universidade da Califórnia O que podemos fazer para diminuir a diferença entre a dieta formulada e a dieta no cocho dos animais Marcelo Hentz Ramos PhD / Diretor

Leia mais

A cevada será recebida exclusivamente à granel.

A cevada será recebida exclusivamente à granel. I Instrução Interna Nr. 10/2015 DE :Diretoria PARA :Todos os Setores REF.: NORMAS DE RECEPÇÃO DA SAFRA DE INVERNO-2015 CEVADA CERVEJEIRA 01 - RECEPÇÃO: A cevada será recebida na seguinte unidade: L O C

Leia mais

1. Planilha: Indicadores de Desempenho da Propriedade Leiteira (IDPL)

1. Planilha: Indicadores de Desempenho da Propriedade Leiteira (IDPL) Uso de planilhas para controle e avaliação de indicadores técnicos na pequena propriedade leiteira José Ladeira da Costa 1 Embrapa Gado de Leite Introdução A metodologia proposta neste artigo para controle

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Produtividade, composição morfológica e valor nutritivo de cultivares de milho (Zea mays L.) para produção de silagem sob os efeitos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA GUILHERME CARDOSO GOMIDES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FATORES DETERMINANTES NA ENSILAGEM DE MILHO: DA COLHEITA

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO Valdecir Batista Alves (1), Gessí Ceccon (2), Júlio Cesar Salton (3), Antonio Luiz Neto Neto (4), Leonardo

Leia mais

ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em

ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em cafeicultura, J.B. Matiello Eng Agr Fundação Procafé e

Leia mais

MODELOS NUTRICIONAIS ALTERNATIVOS PARA OTIMIZAÇÃO DE RENDA NA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE

MODELOS NUTRICIONAIS ALTERNATIVOS PARA OTIMIZAÇÃO DE RENDA NA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE MODELOS NUTRICIONAIS ALTERNATIVOS PARA OTIMIZAÇÃO DE RENDA NA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE Sebastião de Campos Valadares Filho 1 ; Pedro Veiga Rodrigues Paulino 2 ; Karla Alves Magalhães 2 ; Mário Fonseca

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO:

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO: NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO: 1750 Europa com o início do processo da Revolução Industrial houve aumento da população nas cidades, com

Leia mais

Código de Conduta Módulo Café

Código de Conduta Módulo Café Código de Conduta Módulo Café Versão 1.1 www.utzcertified.org 1 Cópias e traduções deste documento estão disponíveis em formato eletrônico no site da UTZ Certified: www.utzcertified.org Este documento

Leia mais

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui.

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui. bovinos de corte A resposta para o da sua questão está aqui. índice Linha Campo Linha PSAI Linha Branca Linha Araguaia Núcleos Rações Linha Phós Aditivos 6 11 12 16 17 21 24 26 2 A Premix está comprometida

Leia mais

Passo a passo na escolha da cultivar de milho

Passo a passo na escolha da cultivar de milho Passo a passo na escolha da cultivar de milho Beatriz Marti Emygdio Pesquisadora Embrapa Clima Temperado (beatriz.emygdio@cpact.embrapa.br) Diante da ampla gama de cultivares de milho, disponíveis no mercado

Leia mais

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE 1. Introdução MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE Rogério Marchiori Coan 1 O complexo pecuário brasileiro de corte apresenta diversos pontos de ineficiência, destacando-se a produtividade extremamente

Leia mais

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso Leitõezinhos se alimentam na mãe até os 22 dias de idade, quando seguem para engorda Diversificação, sustentabilidade e dinheiro no bolso Cooperativa em São Gabriel do Oeste, MS, tem faturamento quatro

Leia mais

Olericultura. A Cultura do Morango. Nome Cultura do Morango Produto Informação Tecnológica Data Janeiro -2001 Preço - Linha Olericultura Resenha

Olericultura. A Cultura do Morango. Nome Cultura do Morango Produto Informação Tecnológica Data Janeiro -2001 Preço - Linha Olericultura Resenha 1 de 6 10/16/aaaa 11:54 Olericultura A Cultura do Morango Nome Cultura do Morango Produto Informação Tecnológica Data Janeiro -2001 Preço - Linha Olericultura Resenha Informações gerais sobre a Cultura

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição Juliana Sávia da Silva 1, Ana Luiza Costa Cruz Borges 2, Alessander Rodrigues Vieira

Leia mais

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem.

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. DAMASCENO, T. M. 1, WINDER, A. R. da S. 2, NOGUEIRA, J. C. M. 3, DAMASCENO, M. M. 2, MENDES, J. C. da F. 2, e DALLAPORTA, L. N.

Leia mais

TRIGO PARANÁ - BRASIL 2009. Brasília, 21 de outubro 2009 Ivo Carlos Arnt Filho

TRIGO PARANÁ - BRASIL 2009. Brasília, 21 de outubro 2009 Ivo Carlos Arnt Filho TRIGO PARANÁ - BRASIL 2009 Brasília, 21 de outubro 2009 Ivo Carlos Arnt Filho Área Produção Rendimento Médio 08-09 07-08 08-09 07-08 08-09 07-08 UF % % % a/b a b a/b (a) (b) a/b (a) (b) PR 34 1.100 820

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO 1 Ricardo Dias Signoretti A atual situação econômica da cadeia produtiva do leite exige que os produtores realizem todas as atividades

Leia mais

Manual Técnico. Confinamento de Bovinos de Corte CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE

Manual Técnico. Confinamento de Bovinos de Corte CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE CAPA - FTE Manual Técnico Campinas/SP - 19.3729 4477 Sales Oliveira/SP - 16.3852-0011 Pará de Minas/MG - 37.3231-6055 Anápolis/GO - 62.3316-1366 Além Paraíba/MG - 32.3462-8585 Goiana/PE - 81.3625.5055

Leia mais

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE ÍNDICE Suplementos minerais pronto para uso Mitsuisal 40 - Bovinos de corte Mitsuisal 60 - Bovinos de corte Mitsuisal 65 - Bovinos de corte Mitsuisal 80 - Bovinos de corte Mitsuisal 88 - Bovinos de corte

Leia mais

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte?

Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Água: Qual a sua importância para ganho de peso em gado de corte? Animais necessitam de oferta abundante de água limpa para: 1. fermentação ruminal e metabolismo; 2. fluxo de alimentos através do trato

Leia mais

APROVEITAMENTO DA BIOMASSA RESIDUAL DE COLHEITA FLORESTAL

APROVEITAMENTO DA BIOMASSA RESIDUAL DE COLHEITA FLORESTAL APROVEITAMENTO DA BIOMASSA RESIDUAL DE COLHEITA FLORESTAL XIV Seminário de Atualização Sobre Sistemas de Colheita de Madeira e Transporte Florestal Curitiba, Agosto 2006 1. Introdução O preço do petróleo

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

Tabela 1. Estimativas de perdas que podem ocorrer nas diversas fases do processo de confecção e na utilização da silagem de milho.

Tabela 1. Estimativas de perdas que podem ocorrer nas diversas fases do processo de confecção e na utilização da silagem de milho. 43 ISSN 1678-3123 Juiz de Fora, MG Dezembro, 2004 Silagens: oportunidades e pontos críticos Luciano Patto Novaes 1 Fernando César Ferraz Lopes 2 Jailton da Costa Carneiro 3 O consumo de forragem diretamente

Leia mais

Comunicado Técnico 06

Comunicado Técnico 06 Comunicado Técnico 06 ISSN 2177-854X Agosto. 2010 Uberaba - MG Irrigação de Pastagens Instruções Técnicas Responsáveis: André Luis Teixeira Fernandes; E-mail: andre.fernandes@fazu.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

Relatório Final do Experimento

Relatório Final do Experimento Relatório Final do Experimento Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bst) na produção de leite de vacas de alta produção. Prof. Dr. Rodrigo de Almeida (DZ-UFPR) Coordenador

Leia mais

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente.

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente. Conceitos aplicados a alimentação animal Introdução Produção animal Marinaldo Divino Ribeiro EMV Depto de Produção ão Animal - UFBA Genética Sanidade Nutrição Alimento Susbstância que, consumida por um

Leia mais

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Lutécia Beatriz Canalli Eng. Agr., MSc Solos, Dra em Agronomia - Produção Vegetal Sistemas de produção sustentáveis

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG - No Brasil o Sistema de Integração Lavoura Pecuária, sempre foi bastante utilizado,

Leia mais

TEOR DE UMIDADE DOS GRÃOS

TEOR DE UMIDADE DOS GRÃOS Teor de Umidade dos Grãos TEOR DE UMIDADE DOS GRÃOS O teor de umidade dos grãos representa a quantidade de água por unidade de massa do grão úmido ou seco. Pode ser expresso pela relação entre a quantidade

Leia mais