Ideias de Negócios para Hotéis, Pousadas e Similares

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ideias de Negócios para 2014. Hotéis, Pousadas e Similares"

Transcrição

1

2 Hotéis, Pousadas e Similares Este material faz parte da Série Ideias de Negócios para 2014, que tem como objetivo explorar oportunidades para que os pequenos negócios apropriem-se dos investimentos programados para os megaeventos que ocorrerão no Brasil, bem como do maior volume de movimentação econômica antes, durante e após esses eventos. Este material não substitui a elaboração de um Plano de Negócio. As informações contidas aqui fazem parte de pesquisas e entrevistas com especialistas e empreendedores, com o objetivo de oferecer uma visão estratégica das atividades envolvidas em hotéis, pousadas e similares. A decisão de investir em determinada atividade exige uma análise mais aprofundada de informações e alternativas com o intuito de diminuir os riscos e incertezas. Quando são realizadas projeções, para aumentar a precisão da análise, são consideradas variáveis como tamanho de mercado, preços, custos de capital, custos operacionais, entre outras. Caso o empreendedor decida promover investimentos neste ou em qualquer ramo de atividade, sugere-se que seja elaborado um Plano de Negócio e que o mesmo procure orientações na unidade do Sebrae mais próxima da sua região. Serão apresentados conceitos e informações relativas a processo produtivo, mercado, marketing e vendas, canais de comercialização, estrutura, localização, equipamentos, tecnologia, necessidade de pessoal, custos e capital de giro, fonte de recursos, planejamento financeiro, legislação, cursos, eventos e sites com informações de interesse do empreendedor. 1

3 1- Ficha Técnica da Atividade: Oportunidade Produto Principal Setor Função Área Atividade Hotéis, pousadas e similares Serviços de hospedagem Turismo Alojamento Meios de hospedagem Prestação de serviços de hospedagem em hotel, pousada e similares. Atividades Relacionadas Serviços de informação turística. Serviços de internet sem fio. Serviços de tradução e interpretação. Serviços de leasing ou aluguel de equipamentos para esportes. Serviços de beleza/estéticos. Serviços de casas de câmbio. Guarda-volumes. Código CNAE Descrição CNAE 2.0 Hotéis e similares 2- Sumário Executivo: 2

4 Geral: A hospedagem é um dos pontos mais críticos na organização e realização de um megaevento como a Copa do Mundo da FIFA Na Copa de 2010, na África do Sul, 69% dos entrevistados se hospedaram em hotéis, dos quais mais de dois terços eram econômicos e médios. O Brasil espera receber 500 mil visitantes estrangeiros durante os jogos. Isso significa que haverá uma demanda de, no mínimo, 230 mil leitos em hotéis pequenos e médios, pousadas e similares nas cidades-sede. Há, ainda, de considerar os turistas brasileiros, que estarão presentes em número cinco vezes maior que o de estrangeiros. O alojamento de turistas em hotéis, pousadas e similares pode ser uma solução para a falta de leitos. Além disso, a atividade abre várias oportunidades para a prestação de outros serviços relacionados e associados aos pequenos negócios de hospedagem. Tendências e Oportunidades: ü Maiores investimentos: Aumentam os investimentos em hotelaria devido ao interesse de grandes grupos estrangeiros no mercado brasileiro. Ampliam-se as linhas de crédito destinadas ao setor hoteleiro, e melhoram as condições para os pequenos negócios. ü Vendas pela internet: A internet tende a se consolidar como importante canal de vendas, tornando-se mais ativa e independente. ü Responsabilidade ambiental: Aumenta o interesse dos clientes por atividades e produtos sustentáveis. ü Mercado interno: O aumento da renda per capita dos brasileiros incentiva o turismo interno. Clientes: ü Turistas estrangeiros: Espera-se a chegada de 500 mil turistas vindos do exterior na época dos jogos. Esse turista é um viajante bem informado e sabe o que busca. Utiliza as tecnologias atuais para organizar suas viagens e comprar serviços turísticos. ü Mercado interno: O aumento da renda dos brasileiros fez aumentar o número de viajantes dentro do país. Haverá cinco brasileiros para cada 3

5 estrangeiro nas cidades-sede durante os jogos da Copa do Mundo FIFA Produtos e Serviços Demandados: ü Principais demandas: Os hóspedes esperam apartamentos e ambientes confortáveis, com equipamentos e serviços tecnológicos atuais, e canais de comunicação on-line com o hotel e outros serviços locais. O estabelecimento deve contar com instalações adequadas para permitir acessibilidade a pessoas com deficiências físicas. ü Outras demandas: O uso de produtos sustentáveis e ambientalmente corretos é preferido pelos clientes. Serviços de estética, beleza e saúde agregam valor ao negócio, bem como a existência de um ponto de venda de produtos associados ao turismo. Concorrência: ü Diferencial competitivo: O empreendedor deve fazer a diferença, oferecendo, além de conforto e bom atendimento, um tratamento personalizado. Outro grande diferencial é adotar um tema para o estabelecimento, que pode incluir desde a decoração dos ambientes e fachadas até uniformes e utensílios que retratem a imagem escolhida. ü Competidores aliados: Além de cuidar da própria imagem, o empreendedor deve participar dos cuidados e providências para manter a cidade e os atrativos em perfeitas condições para manter o lugar interessante. Desse modo, os competidores se tornam importantes aliados, e o trabalho em grupo passa a ser fundamental. Dica do Especialista: Conhecer as tendências de consumo dos possíveis clientes, atrair clientela com serviços especiais e promoções, adotar inovações tecnológicas, manter uma equipe capacitada e preocupar-se com o meio ambiente por meio da adoção de práticas sustentáveis são pontos prioritários para hotéis e pousadas aproveitarem ao máximo as oportunidades proporcionadas pela Copa do Mundo da FIFA

6 3- Divulgação O principal propósito da divulgação é a conquista de clientes. O ideal é elaborar um plano de marketing. Os gastos criados pela divulgação devem ser considerados despesas fixas. Divulgue seu hotel ou pousada procurando os meios mais acessíveis como internet, outdoors, cartazes, rádio. As parcerias com agências de turismo e de taxistas são de extrema importância para a captação de clientes. A logomarca, as fachadas e os ambientes do negócio podem seguir um padrão que seja facilmente reconhecível e que identifique e associe essa imagem ao estabelecimento. Recomenda-se a criação e manutenção de um site na internet para mostrar mais informações sobre o estabelecimento, receber reservas e pagamentos on-line e comunicar-se diretamente com os clientes. O site precisa ser bem claro; e as informações sobre o negócio, fáceis de encontrar (no máximo, três cliques). O endereço da página eletrônica deve ter o mesmo nome do estabelecimento, ou bastante parecido, e ser fácil de lembrar, facilitando um acesso mais frequente por parte dos clientes. A internet é como uma filial que funciona 24 horas, sete dias na semana e que deve ser usada como ferramenta de negócios. Informações sobre novos produtos, serviços, promoções, eventos e depoimento de clientes satisfeitos podem ser colocados na rede. Mantenha o site e o negócio visível na internet por meio de promoções em redes sociais e comunidades virtuais. Versões do site em inglês e espanhol são altamente recomendáveis. Na comunicação com os clientes é importante usar uma linguagem fácil, com transparência, sinceridade e honestidade. O cliente precisa perceber que está sendo ouvido e que seus anseios e sugestões realmente contribuirão para o desenvolvimento de soluções mais completas e que tenham mais qualidade. As reclamações dos clientes devem ser percebidas como oportunidades de melhorias. É importante ter entre o pessoal do hotel pessoas habilitadas em línguas estrangeiras, principalmente as mais comuns, como inglês e espanhol. 5

7 É essencial produzir material impresso a ser distribuído nos locais dos jogos, nos aeroportos. Esse material promocional deve estar sempre disponível na recepção do hotel e também em agências de turismo. Recomenda-se preparar material de divulgação em língua estrangeira, pelo menos, inglês e espanhol. A criação de promoções para o período, em especial aquelas ligados à cultura da região, manterá o empreendimento visível nos meios de divulgação. Destacamos a oportunidade de desenvolver serviços especiais direcionados à imprensa e às autoridades nacionais e internacionais, bem como serviços especiais para os atletas. A participação em feiras e bolsas de turismo é de crucial importância para angariar parcerias e novos pontos de oferta dos serviços e produtos do estabelecimento. O empreendedor deve procurar participar de seminários e palestras realizadas pela organização dos megaeventos sobre as condições de participação e desempenho de empresas nas atividades durante a época dos jogos. O empreendedor definirá, conforme a sua capacidade de investimento e o tamanho de seu negócio, a estratégia que irá adotar para a ocupação ótima ou a ampliação desejada. A ideia é não só ampliar a quantidade de quartos ocupados, mas também o número de dias de permanência do cliente no hotel. 6

8 4- Mercado: 4.1- Tendências e Oportunidades Os gastos de turistas estrangeiros no Brasil têm aumentado as receitas cambiais, e o país vem se consolidando como sede de eventos internacionais. Há uma tendência em acelerar esse crescimento através do aumento de fluxo de turistas estrangeiros para o Brasil. Com a motivação da Copa do Mundo da FIFA 2014, espera-se a vinda de 500 mil turistas estrangeiros, dos quais cerca de 25% deverão aproveitar para circular pelo país e conhecer outras localidades brasileiras fora do circuito do torneio. Há uma tendência de ampliação dos investimentos em hotelaria, devido ao aumento do interesse de grandes grupos estrangeiros de hotelaria no mercado brasileiro. Existe não só a possibilidade de concentração da atividade, mas também a oportunidade de conseguir parcerias externas. A internet tende a se consolidar como um dos principais canais de venda, tornando-se mais ativa e independente. Cresce o número de pessoas que organiza suas viagens dispensando o trabalho de agências e operadoras de turismo. A discussão sobre os problemas do meio ambiente e as maneiras de enfrentar esses problemas tem alcançado um número crescente de pessoas. A noção de conservação dos recursos naturais cresce continuamente, haja vista a constante presença do assunto nos meios de comunicação. Como consequência, aumenta o interesse dos clientes por atividades e produtos sustentáveis e de baixo impacto ambiental. As mudanças na economia do país, além dos programas sociais do governo, aumentaram a renda per capita dos brasileiros. Cresce o número de viajantes do turismo interno. O Ministério do Turismo calcula que na época dos jogos haverá uma proporção de cinco turistas brasileiros para cada estrangeiro. Existe a grande possibilidade de aumentar a clientela de brasileiros. Ampliam-se as linhas de crédito destinadas ao setor hoteleiro e melhoram-se as 7 condições para os pequenos negócios. É tempo de investir em gestão, inovação e

9 tecnologia, bem como em treinamento das equipes de trabalho, de modo a agregar ao sistema de trabalho o valor da eficiência e da qualidade. Aumenta o fluxo de viagens em função dos negócios ligados ao evento, principalmente para as cidades-sede Clientes Turistas estrangeiros O Ministério do Turismo realizou uma pesquisa sobre o perfil do turista da Copa entre o público que compareceu ao mundial da África do Sul em A maioria dos visitantes era do sexo masculino (83%), solteiros (60%), com ensino superior (86%), idade entre 25 e 44 anos (70%) e uma renda média mensal de R$ ,00. A maior parte dos visitantes (87%) pagou a viagem do próprio bolso. Os entrevistados gastaram em média R$ ,00, sem contar as despesas com a passagem. Em primeiro lugar nos gastos estão alimentos e bebidas, seguidos de hospedagem, transporte local, bilhetes para jogos e presentes. O estudo apontou ainda que 36% dos turistas viajaram pelo gosto por futebol, seguido pelos atrativos de aventura, sol e praia. O estudo demonstra também que esse visitante tem interesse em conhecer o país-sede do evento e sua permanência aumenta em, no mínimo, três dias. A pesquisa revela que os turistas que foram à África do Sul permaneceram no país 18 dias em média, visitaram quatro cidades, além das sedes dos jogos. Os meios de hospedagem mais escolhidos foram os hotéis (69%). Verificouse que 10% preferem se hospedar em empreendimentos do tipo bed & breakfast. Turistas brasileiros A maioria dos turistas brasileiros pertence às classes A e B, tem entre 31 e 40 anos e coloca a qualidade dos serviços antes do preço. Esse perfil foi traçado pela pesquisa Quem é o viajante brasileiro, realizada em 2011 pelo Grupo Abril com apoio da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e do Ibope. A pesquisa revelou que a Classe C emergente ainda viaja bem pouco pelo Brasil, representando apenas 4% de todos os turistas. Segundo a pesquisa, a nova classe 8

10 média ainda não se acostumou a realizar viagens constantes, o que pode ser um alerta aos empresários para focarem nesse nicho. A Confederação Nacional de Turismo (CNTur) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-DF) realizaram a pesquisa Perfil do turista e dos segmentos de oferta comportamentos e percepções. Com base em dados coletados entre agosto e outubro de 2011, nas cidades de Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Brasília (DF), Belém (PA) e Salvador (BA), o estudo ajuda a entender o setor do turismo e as expectativas para a realização dos grandes eventos de 2014 e De acordo com as respostas dos entrevistados, o público das classes B2 e B1, entre 35 e 50 anos, casado e com filhos, gostam de conhecer o país e planejam a viagem com antecedência. Preferem viajar na baixa temporada. Já os homens e mulheres da mesma faixa econômica, entre 25 e 32 anos, solteiros e sem filhos, buscam bem-estar e intercâmbio cultural vinculados a outros entretenimentos. Neste caso, o estresse é um dos motivadores de viagem. Esses viajantes analisam o custo-benefício e também preferem a baixa temporada. Homens e mulheres da classe C, entre 25 e 45 anos, planejam muito a viagem, e os filhos (detentores das informações da internet) exercem grande influência na decisão de escolha do destino. Eles procuram agências de viagens reconhecidas no mercado e formam o grupo com a visão mais otimista do turismo no Brasil. Os casais com mais de 55 anos buscam novidades e renovação. Gostam de celebrar a vida e a alegria. Para isso, procuram atividades que respeitem as limitações da idade. Viajam sempre com amigos e parentes e também preferem pacotes de agências de viagens reconhecidas no mercado. Entre os jovens, de 16 a 22 anos, a diversão é o foco da viagem. São aventureiros e se tiverem um parceiro e dinheiro não se preocupam com planejamento. Valorizam indicações, não gostam de ser tratados como turistas, e as informações devem ser fáceis e objetivas. Este grupo se preocupa com segurança, agilidade e rapidez. A pesquisa revela ainda que o atendimento conta muito na hora de avaliar a 9 experiência no destino. A gastronomia também foi identificada como forte atrativo. O

11 estudo indica que receber bem o turista de negócios, por exemplo, é importante para fidelizar e dinamizar as vendas de determinado destino. A oferta diversificada implica o aumento da receita. Já o fator inflação demonstra a necessidade de transparência e adequação do produto ou serviços ao preço cobrado. As estatísticas e indicadores citados orientam os pequenos empreendimentos em relação ao perfil do cliente que deseja atingir e a que oferta de produtos e serviços direcionar para cada segmento Produtos e Serviços Demandados Os hotéis e pousadas vendem experiências e não a simples chave para alguém abrir um quarto e nele repousar e tomar banho. Ter um quarto, apartamento ou salão para alugar não é garantia de sucesso. Os hóspedes desejam instalações e serviços que satisfaçam suas expectativas e sempre esperam ser surpreendidos com um algo mais. Conforto, comodidade, segurança, qualidade e boa infraestrutura são requisitos básicos exigidos por todos os hóspedes. Serviços de comunicação on-line com agências de turismo, locadoras de veículos e serviços de táxi estão entre as principais demandas. Os turistas querem apartamentos e ambientes com vários tipos de equipamentos e serviços tecnológicos, como internet wireless grátis, dockstation para tablets, SmartTV, mesa para notebook e acesso à TV a cabo. Os serviços de alimentos e bebidas podem proporcionar experiências inesquecíveis de degustação, apresentando sabores locais e regionais. Um ponto de venda de produtos associados ao turismo é uma iniciativa que agrega valor à hospedagem e desperta a curiosidade do cliente. Serviços de beleza e saúde, como cabeleireiro e massagista, podem ser um algo mais, bem como atividades artísticas para entretenimento e lazer, como apresentações de músicos. 10

12 Espera-se que os serviços de lavanderia e limpeza usem produtos ambientalmente inofensivos. Quanto menor a distância entre o hóspede e a gestão do empreendimento, maior será a satisfação em relação à experiência vivenciada. Acolhimento, trocas, informação e atendimento personalizado possibilitam o sentimento de segurança, conforto e bemestar do hóspede. As pousadas e pequenos hotéis têm que adaptar suas instalações aos hóspedes com algum tipo de deficiência de locomoção, seguindo tendências de mercado e leis de acessibilidade para locais públicos e comerciais. A adaptação de um estabelecimento para determinado tema é uma tendência forte na hotelaria. Existe uma grande variedade de temas que podem ser explorados no Brasil, desde características regionais como cultura indígena, culinária nordestina e carnaval até temas específicos associados aos megaeventos. Contudo, o empreendedor deve estar atento às limitações impostas pela FIFA no que concerne à propaganda de patrocinadores e comunicação visual Concorrência Para que um empreendimento se destaque em meio à concorrência, precisa adotar alternativas estratégicas para atrair clientes e fidelizar aqueles já conquistados. O termo aqui é diferencial competitivo. A expectativa é a de que o empreendedor faça a diferença, oferecendo, além de conforto e bom atendimento, um tratamento personalizado, com funcionários que atendam o cliente pelo nome e saibam seus gostos e expectativas. Isso é o mínimo indispensável, mas, se bem executado, pode ser o mais importante diferencial do estabelecimento. Outro grande diferencial é adotar um tema para o estabelecimento, que pode incluir desde a decoração dos ambientes e fachadas até uniformes e utensílios que retratem a imagem escolhida. Em um país como o Brasil, de tantos povos e influências, não é difícil encontrar um tema realmente diferente. 11

13 Os concorrentes diretos, em grande parte, são estabelecimentos que oferecem produtos e preços similares. Porém, deve-se ter em conta que todos pertencem a um mesmo destino ou cidade-sede que deve ser trabalhado como um todo. Com essa noção, a competitividade do destino é mais importante que a do estabelecimento isolado. Por isso, além de cuidar da própria imagem, o empreendedor deve participar dos cuidados e providências para manter a cidade e os atrativos em perfeitas condições para manter o lugar interessante. Desse modo, os competidores se tornam importantes aliados e o trabalho em grupo passa a ser fundamental. Na época dos megaeventos, grande parte dos clientes serão pessoas que visitam a cidade por primeira vez, motivadas pelos jogos. Para estes clientes eventuais, talvez a melhor estratégia seja uma ação de comercialização agressiva, por meio de agências e operadoras, publicidade em revistas e ação cooperada dos estabelecimentos com promoções coletivas. Esses gastos com marketing devem ser considerados com muita seriedade, pois trata-se do canal para a captação de novos hóspedes e fidelização de clientes existentes Fornecedores Os meios de hospedagem, nas suas diversas categorias, dependem fortemente de fornecedores de alimentos e bebidas, material de limpeza e uma série de outros itens essenciais. O empreendedor deve conhecer toda a cadeia produtiva e verificar a disponibilidade de fornecedores para as necessidades do negócio. Os contratos com fornecedores devem ser reavaliados periodicamente. Os parceiros podem definir uma cadeia de valor para a hospedagem que alcance e inclua todas as atividades necessárias para preparar os ambientes a serem alugados, bem como as requeridas para manter o estabelecimento em funcionamento. Além dos fornecedores básicos, os serviços relacionados à tecnologia são cada vez mais solicitados. Procura-se por idoneidade e prazos de garantia de serviços. As relações entre os parceiros devem garantir ações de fornecimento rápidas e eficazes. 12

14 Fornecedores de serviços como os de guia de turismo e cooperativas de taxistas podem fazer ofertas diferenciadas, capazes de proporcionar vivências particulares e personalizadas. Na época dos megaeventos haverá diversas oportunidades para o fornecimento de pacotes que incluem vários serviços, de modo a facilitar a participação dos clientes nos eventos e a visitação a outros atrativos da região. Quanto mais personalizados os produtos e serviços oferecidos, maiores são as possibilidades de satisfação e fidelidade do turista. 13

15 5- Canais de Comercialização O principal canal de comercialização de um hotel é seu sistema de reservas e o conjunto de parcerias que o divulga e vende. Tradicionalmente, a venda dos serviços de hospedagem é feita por agentes de turismo, que atuam como representantes, oferecendo promoções e pacotes para empresas e grupos, bem como para viajantes avulsos. Com o advento da internet, os sistemas de reserva dos hotéis tornaram-se acessíveis para o público em geral e cresce o número de reservas feitas diretamente pelos clientes, sem a intermediação das agências de turismo. Por outro lado, os clientes tem usado cada vez mais smartphones e tablets, abrindo espaço para uma comunicação mais pessoal e exclusiva. É tempo de formar clientelas virtuais. Mostrar o negócio em redes sociais e blogs serve para aumentar o conhecimento do público sobre o estabelecimento e ajuda a desenvolver o produto e o atendimento por meio de pesquisas e enquetes bem conduzidas. A grande vantagem das redes sociais é permitir a conversa direta com o cliente. A troca de informações ajuda a conhecer melhor os clientes, seus comportamentos e expectativas. A estratégia de preços precisa atender as necessidades dos clientes e suas segmentações. As decisões sobre preços devem considerar itens como flexibilidade para todos os períodos do ano, promoções especiais, preços adequados para cada segmento, fidelização de clientes e ofertas estratégicas. Todas essas providências visam adequar e atualizar os meios de hospedagem para atender as demandas do público que será atraído para o Brasil na época da Copa do Mundo da FIFA Além das agências e operadoras de turismo, o pequeno empreendedor de hotelaria deve direcionar os esforços de venda direta para empresas organizadoras de eventos, pontos de atendimento ao turista, associações de aposentados e clubes da melhor idade, clubes de turismo e eventos com características turísticas. 14

16 6- Estrutura O fornecimento do serviço de hospedagem é o foco central do negócio de hotel ou pousada e, portanto, deve ter uma atenção especial. Um hotel pequeno ou uma pousada precisa de uma estrutura bem simples e enxuta, para racionalizar custos e possibilitar um controle adequado. A área de hospedagem, geralmente, é composta por recepção/reservas, telefonia e governança. A recepção interage continuamente com o cliente, seja no momento da reserva da hospedagem, seja no registro e controle da entrada e da saída dos hóspedes (check-in e check-out). Também recebe os valores referentes ao pagamento das diárias. A telefonia recebe as ligações para os hóspedes e através dela os hóspedes tem à sua disposição o serviço de despertador, o serviço de quarto e os canais de comunicação com agências, locadoras e outros provedores de serviços e produtos. A governança cuida da arrumação e limpeza dos apartamentos, bem como das áreas sociais e externas, além de verificar o estado das instalações e equipamentos. Também faz a manutenção das roupas de cama & banho e da lavanderia. O fornecimento de alimentos e bebidas é a área de mais complicada na estrutura de um hotel ou pousada, além de ter proporcionalmente o maior custo. Os pequenos hotéis e pousadas, em sua grande maioria, mantêm apenas o café da manhã e um minibar. Alguns mais elaborados e situados em regiões turísticas oferecem também em seu pacote a alimentação completa diária. A atividade de lazer em uma pousada é um item que depende do perfil do negócio e, muitas vezes, de sua localização. São pequenas instalações, como ambiente para jogos que pode ser a própria sala de estar ou terraço, bicicletas para alugar ou grátis, jardins e áreas externas, cavalos e charretes, sala de TV, piscina, churrasqueira, quiosques etc. 15

17 7- Localização Um dos aspectos mais importantes para o sucesso do negócio é sua localização, pois a partir daí é que se podem planejar a estrutura, os preços e o perfil do cliente que será atendido. Acesso fácil à infraestrutura da região é um aspecto que deve ser considerado. Estradas e ruas sem sinalização e com dificuldades de acesso podem influenciar negativamente o cliente na decisão de escolher onde passar a temporada dos jogos, o final de semana ou as férias. O empreendedor deve prever as necessidades operacionais quanto à localização, capacidade de instalação, características da vizinhança, serviços de água, energia, esgoto e telefone. O perfil do cliente, seus desejos e hábitos influenciam a maneira como o estabelecimento vai funcionar. A estrutura física do empreendimento, o projeto arquitetônico, os equipamentos, a ambientação e os serviços disponíveis são fortemente influenciados pelo segmento ao qual pertencem os clientes do negócio. O ideal é que o estabelecimento esteja próximo a um atrativo turístico. Em qualquer lugar, o importante é estar o mais próximo possível do ponto de atração. Essa proximidade agrega valor à diária contratada. No caso da Copa do Mundo da FIFA 2014, o principal atrativo são os estádios onde serão disputadas as partidas do campeonato. Assim, há vantagem para os empreendimentos mais próximos aos estádios ou que tenham facilidade de acesso a vias de transporte que conduzam diretamente e com rapidez aos estádios. Além disso, devem estar próximos a algum centro comercial com restaurantes e bares. Empreendimentos urbanos devem estar próximos a grandes centros, pontos de ônibus e táxis, bancos, restaurantes etc. 16

18 8- Equipamentos Os gastos com tecnologia usada nas atividades de operação de uma pousada são relativamente baixos, pois tanto o atendimento quanto as demais atividades desse tipo de empreendimento podem ser desenvolvidas com metodologia simplificada e manuais de orientação. No caso de eventos especiais, como a Copa do Mundo da FIFA 2014, alguns equipamentos sofisticados podem ser adquiridos por hotéis e pousadas. Seus funcionários devem ter um treinamento para utilizá-los, uma vez que equipamentos melhores podem contribuir para a redução de custos do empreendimento. Os equipamentos necessários em um pequeno hotel ou pousada são destinados ao uso dos hóspedes ou fazem parte da estrutura do hotel. Os equipamentos destinados aos hóspedes devem ser divulgados nas atividades de propaganda e podem ser importante atrativo para o estabelecimento. É importante destacar sua qualidade e singularidade. Apartamentos equipados com TV, arcondicionado, telefone e frigobar são incrementados com o fornecimento de conexão de internet e canais de TV por assinatura. Outros equipamentos que atualizam o apartamento são SmartTv e internet sem fio (wi-fi). É muito importante avisar o hóspede sobre a voltagem da energia elétrica na cidade onde está localizado o hotel. Essa informação deve estar também na propaganda e reafirmada na ocasião do checkin. Da mesma forma, as áreas comuns podem ter a qualidade incrementada com a instalação de móveis e equipamentos avançados. Instalações e equipamentos voltados ao atendimento de pessoas com deficiências físicas são diferenciadores marcantes frente à concorrência e, sobretudo, visa à demanda de um nicho de mercado escassamente atendido. A marca com acessibilidade por certo vai diferenciar positivamente o estabelecimento. É bastante conveniente enquadrar o estabelecimento em uma das categorias de classificação do Ministério do Turismo. As planilhas de classificação são bem 17

19 específicas quanto à presença de equipamentos. Ambientes aconchegantes e bom serviço proporcionam mais bem-estar aos hóspedes e melhoram sua categoria e classificação. Outro grande diferencial é a adoção de medidas de preservação ambiental e a participação em projetos sociais junto à comunidade local. Mostrar a imagem do empreendimento associada a um selo verde conta pontos favoráveis na decisão de escolha do cliente. Para ganhar o selo de sustentabilidade, os hotéis devem seguir as medidas elaboradas pela Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), dos Estados Unidos, e do Green Star Accreditation, da Austrália, órgãos que são referências mundiais na certificação de empreendimentos sustentáveis. As medidas de sustentabilidade requerem a aquisição de equipamentos e acessórios que economizem água e energia, bem como a utilização de materiais reciclados ou com certificação ambiental. A coleta seletiva de lixo destina os resíduos adequadamente para reaproveitamento ou reciclagem. O hotel pode até instalar um sistema de captação de água da chuva e um sistema de energia paralelo com geração eólica ou solar. 18

20 9- Tecnologia A tecnologia da informação obrigou os pequenos negócios de hospedagem a mudar seus processos internos e externos de gerenciamento e operação, de comercialização de serviços e de distribuição ao mercado global. A internet é uma ferramenta bastante popularizada e utilizada para a compra e venda de produtos e serviços de forma rápida e eficiente. Na empresa, a internet aumenta a eficiência e produtividade dos funcionários, qualifica os meios e processos relacionados à prestação de serviços, além de otimizar os recursos. Proporciona ainda a internacionalização de informações, fornece dados e contatos, amplia o acesso às redes sociais e fornece assistência tecnológica para viajantes. No mercado hoteleiro a internet é utilizada para desenvolver atividades e operar sistemas de reservas, gerenciar correio eletrônico e recursos humanos, marketing e propaganda, entreter os clientes, comunicar-se diretamente com consumidores e parceiros e até efetivar diversas formas de compras. Através da internet, os hotéis podem acessar seu público diretamente e oferecer produtos personalizados. As redes sociais, quando bem geridas, são formas eficientes de fixar a marca da empresa na mente do cliente, comunicar-se diretamente com o consumidor final e fornecer dicas e informações sobre a região de destino, fazendo parte da construção do sonho da viagem, fidelizando e percebendo quais as necessidades dos diferentes perfis de consumidores. Atualmente as pessoas querem funcionalidade e praticidade na busca de informações e na realização de certas tarefas, além de compartilhar as suas experiências pessoais ou profissionais, negativas ou positivas, onde quer que estejam, com milhares de internautas, comunicando-se assim em uma escala global. Por isso, hotéis e pousadas precisam se adaptar e modernizar-se para atender a estes novos consumidores, oferecendo serviços que atendam suas exigências e necessidades, em um salto de qualidade que vai além da Copa do Mundo da FIFA 2014 e das Olimpíadas As novas tecnologias, como serviço wireless, GPS, E-commerce, TV interativa, terminais de informações turísticas, devem ser estudadas e incorporadas aos 19

Ideias de Negócios para 2014. Hotéis, Pousadas e Similares

Ideias de Negócios para 2014. Hotéis, Pousadas e Similares Hotéis, Pousadas e Similares Este material faz parte da Série Ideias de Negócios para 2014, que tem como objetivo explorar oportunidades para que os pequenos negócios apropriem-se dos investimentos programados

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

BNDES Turismo. BNDES Turismo. Foz do Iguaçu 18 de Junho 2011

BNDES Turismo. BNDES Turismo. Foz do Iguaçu 18 de Junho 2011 BNDES Turismo BNDES Turismo Foz do Iguaçu 18 de Junho 2011 Agenda Informações Institucionais Apoio ao Turismo Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas - Projetos de Investimento; - Aquisição

Leia mais

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA Viviane Santos Salazar 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O mercado Crescimento da demanda por hospedagem Copa do Mundo Olimpíadas Qual a representatividade

Leia mais

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados)

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) Plano de Negócio MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) O Projeto 04 Cenário Econômico A Demanda Concorrência Estratégia Comercial Operação Rentabilidade O Empreendedor 06

Leia mais

Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012

Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012 Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012 PACOTE ENTRADA SAÍDA DIÁRIAS DEZEMBRO 30/11/2011 QUA 05/12/2011 SEG 5 07/12/2011 QUA 12/12/2011 SEG 5 14/12/2011 QUA 19/12/2011 SEG 5 NATAL 21, 22,

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

Coordenação-geral de Competitividade e Inovação

Coordenação-geral de Competitividade e Inovação Coordenação-geral de Competitividade e Inovação Legislação Turística LEI N º 11.771/2008 DECRETO N 7.381/2010 PORTARIA N 197/20103 PORTARIA Nº 311/2013 Legislação Turística Lei Geral do Turismo 11.771/2008

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso!

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso! Fornecedores www.grupoquantica.com Apresentação 2010 A idéia Fundado e idealizado por Cleber Ferreira, Consultor de Marketing e Vendas, autor do livro Desperte o Vendedor Interior com Técnicas de Vendas

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem 1º Semestre 2013 O Cadastur Registro Hotel, Hotel histórico, hotel de lazer/resort,

Leia mais

Cartilha do Crédito Consignado

Cartilha do Crédito Consignado Cartilha do Crédito Consignado Guia Prático para o Aposentado e Pensionista do INSS apoio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE BANCOS Caro aposentado ou pensionista Esta cartilha foi elaborada para o seu bem-estar.

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45%

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45% 1 2 A FECOMÉRCIO SC, com o intuito de mapear o perfil do turista e do empresário do turismo de carnaval em Santa Catarina, realizou uma pesquisa com esses públicos nas quatro cidades de maior movimento

Leia mais

Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios

Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios Objetivos do Projeto Geral Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios da atividade turística, como forma de fortalecimento do setor de turismo

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 Por Milton Karam 06.outubro.2010 COPA FIFA 2014 CRONOLOGIA 2003 03 de junho - a Confederação Sul-Americana de Futebol CONMEBOL anuncia Argentina, Brasil e Colômbia 2006

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL

RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE MINAS GERAIS RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL NRF 2013 BIG SHOW NOVA YORK - USA Montes Claros, fevereiro 2013 SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

Palestra MPME. 30 de junho de 2011

Palestra MPME. 30 de junho de 2011 Palestra MPME 30 de junho de 2011 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Empresário Informação e Relacionamento

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR

RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR Julho 2013 COPA DAS CONFEDERAÇÕES - CONSUMIDOR Pesquisa realizada pela CNDL e SPC Brasil. Foram realizadas 620 entrevistas, com um erro máximo de

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM

REGULAMENTO DO SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM REGULAMENTO DO SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre a classificação oficial dos Meios de Hospedagem. Art. 2º - Fica instituído o Sistema

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

UNIVERSIDADE GUARULHOS - UnG ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: PLANO DE NEGÓCIOS

UNIVERSIDADE GUARULHOS - UnG ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: PLANO DE NEGÓCIOS UNIVERSIDADE GUARULHOS - UnG ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: PLANO DE NEGÓCIOS MATERIAL COMPLEMENTAR PARTE 2 IDEIAS DE NEGÓCIOS PROFª MAISA ALVES masantos@prof.ung.br Fevereiro, 2014 PLANO DE NEGÓCIOS...

Leia mais

Ministério do Esporte. Cartilha do. Voluntário

Ministério do Esporte. Cartilha do. Voluntário Ministério do Esporte Cartilha do Voluntário O Programa O Brasil Voluntário é um programa de voluntariado coordenado pelo Governo Federal, criado para atender à Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

O EVENTO A Maior Feira para Hotelaria e Gastronomia do interior do RJ

O EVENTO A Maior Feira para Hotelaria e Gastronomia do interior do RJ O EVENTO A Maior Feira para Hotelaria e Gastronomia do interior do RJ De 12 a 14 de Agosto de 2014 das 16h às 22h Local: Geribá Tennis Park em Búzios/RJ Tema: O novo perfil do turista: Tendências e Oportunidades

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Dicas de Gestão para o Empresário do Setor Comércio Varejista

Dicas de Gestão para o Empresário do Setor Comércio Varejista Dicas de Gestão para o Empresário do Setor Comércio Varejista Você conhece o seu cliente? Não poupe esforços e invista no visual da loja Planejamento estratégico Cuide da Saúde Financeira da Sua Empresa

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Agenda de Trabalho Junho 2011 Claudio Langone Code-P1 OPORTUNIDADE PARA O BRASIL 2011 - Jogos Militares Mundiais 2012 - RIO + 20 - Cúpula das

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

ÍNDICE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO... 4 DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL... 6 GESTÃO E NEGÓCIOS...12 TURISMO, HOSPITALIDADE E LAZER...

ÍNDICE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO... 4 DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL... 6 GESTÃO E NEGÓCIOS...12 TURISMO, HOSPITALIDADE E LAZER... SENAC O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) é uma entidade vinculada ao Sistema Fecomércio, cujo principal propósito é conduzir processos de representatividade na defesa dos interesses e

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

NOSSO COMPROMISSO. Sendo o cliente um dos nossos bens mais valiosos é sempre um prazer recebê-lo em nosso hotel.

NOSSO COMPROMISSO. Sendo o cliente um dos nossos bens mais valiosos é sempre um prazer recebê-lo em nosso hotel. NOSSO COMPROMISSO Sendo o cliente um dos nossos bens mais valiosos é sempre um prazer recebê-lo em nosso hotel. A equipe do Hotel Pousada Brilho do Sol lhe deseja boas vindas e uma ótima estada. Nosso

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

1 Administração de caixa

1 Administração de caixa 3 Administração Financeira Edison Kuster Nilson Danny Nogacz O que é realmente importante saber para uma boa administração financeira? Esta pergunta é comum entre os empresários, em especial aos pequenos

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

Ideias de Negócios para 2014

Ideias de Negócios para 2014 Ideias de Negócios para 2014 Agência de Receptivo 2012 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Luiz Eduardo Barretto Filho Secretaria Executiva Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Diretor

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo,

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, suas necessidades e preferências, é o primeiro passo

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Luiz Eduardo Barretto Filho Secretaria Executiva Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Diretor

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO 1. A Empresa 1.1. Histórico / Aspectos Organizacionais 1.2. Razão Social 1.3. CNPJ 1.4. Inscrição Estadual e/ou Municipal 1.5. Número e data de registro

Leia mais

COSTAS MARIS POUSADA

COSTAS MARIS POUSADA COSTAS MARIS POUSADA Regras para efetivação de Reservas. 1 - Nossas diárias iniciam às 14:00hs e encerram às 12:00hs do dia seguinte com tolerância de 30 minutos após este período, será cobrada mais uma

Leia mais

COMO SE COMPORTAM OS HÓSPEDES?

COMO SE COMPORTAM OS HÓSPEDES? COMO SE COMPORTAM OS HÓSPEDES? INTRODUÇÃO Como uma consultoria em gestão hoteleira, a Mapie acredita no conhecimento como a principal ferramenta de desenvolvimento para empresas e profissionais do setor.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM. Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre os Meios de Hospedagem, estabelecendo:

REGULAMENTO GERAL DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM. Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre os Meios de Hospedagem, estabelecendo: REGULAMENTO GERAL DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre os Meios de Hospedagem, estabelecendo: I - o conceito de empresa hoteleira, meio de hospedagem e as expressões usualmente

Leia mais

CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL

CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE CASOS/EXEMPLOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO ROTEIROS DO BRASIL Considerações Gerais Para comemorar os cinco anos do Programa de Regionalização

Leia mais

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio 440mil pequenos negócios no Brasil, atualmente, não utilizam nenhuma ferramenta de gestão, segundo o Sebrae Varejo 2012 27% 67% de comerciantes que não possuíam computadores dos que possuíam utilizavam

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM. Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre os Meios de Hospedagem, estabelecendo:

REGULAMENTO GERAL DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM. Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre os Meios de Hospedagem, estabelecendo: REGULAMENTO GERAL DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM Art. 1º - O presente Regulamento dispõe sobre os Meios de Hospedagem, estabelecendo: I - o conceito de empresa hoteleira, meio de hospedagem e as expressões usualmente

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Índice. O projeto. Público-Alvo do Projeto. Critérios de Participação. Sistema de Convidados. Processo de Participação. Pedidos e Alocação

Índice. O projeto. Público-Alvo do Projeto. Critérios de Participação. Sistema de Convidados. Processo de Participação. Pedidos e Alocação Guideline Copa do Mundo da FIFA 2014 TM Índice O projeto Público-Alvo do Projeto Critérios de Participação Sistema de Convidados Processo de Participação Jogos com Hospitality Pedidos e Alocação As Responsabilidades

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

UGE Unidade de Gestão Estratégica Área de Estudos e Pesquisas

UGE Unidade de Gestão Estratégica Área de Estudos e Pesquisas Pesquisa Setorial Meios de Hospedagem Sebrae em em Goiás Goiás Conselho Deliberativo Conselho Deliberativo Marcelo Baiocchi Carneiro Marcelo Baiocchi Carneiro Presidente Presidente Diretoria Executiva

Leia mais

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping Retorno do investimento garantido em contrato ou a devolução da verba inicial investida* Cláusula vigésima: do retorno do investimento inicial 20.1 A Franqueadora se compromete

Leia mais

Guia de Abertura de um Hotel em Pernambuco (Brasil) Zeta Advisors

Guia de Abertura de um Hotel em Pernambuco (Brasil) Zeta Advisors Guia de Abertura de um Hotel em Pernambuco (Brasil) Zeta Advisors 1 The way to get started is to quit talking and begin doing. Walt Disney Company ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Licenciamento e Legislação...

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009 O BNDES Mais Perto de Você julho de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Subsidiárias BNDESPar

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE PLANO DE CONTAS Associações, Sindicatos e Outras Entidades. 1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. Disponibilidades 1.1.1.1. Caixa 1.1.1.2. Bancos c/ Movimento 1.1.1.3. Aplicações Financeiras 1.1.2. Créditos

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS)

PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS) Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS) "Dispõe sobre a organização e funcionamento do

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Luiz Eduardo Barretto Filho Secretaria Executiva Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Diretor

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA LINHAS DE FINANCIAMENTO E ACESSO AO CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO 13 / 4 / 09 ACESSO AO CRÉDITO PARA AS MICROS E

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais

FAQ CADASTRO DE PESSOAS

FAQ CADASTRO DE PESSOAS Sumário 1. O que é o cadastro de Clientes ou de Pessoas?... 4 2. Quando devo escolher entre o Cadastro Simplificado? E quando devo escolher o Completo?... 4 3. Devo cadastrar antes a Pessoa Física ou a

Leia mais

* Respectivamente, gerente, administradora e engenheiro da Gerência Setorial 4 do BNDES.

* Respectivamente, gerente, administradora e engenheiro da Gerência Setorial 4 do BNDES. HOTEL DE NEGÓCIOS Mary Lessa Alvim Ayres Ilka Gonçalves Daemon Paulo Cesar Siruffo Fernandes* Resumo Muito têm-se falado de hotéis de negócios: oportunidades de investimentos, grupos estrangeiros alardeando

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

COPA DO MUNDO... 35 E OLIMPÍADA... 35

COPA DO MUNDO... 35 E OLIMPÍADA... 35 APRESENTAÇÃO... 13 INTRODUÇÃO... 15 Fortes transformações...15 Principais desafios...16 Evolução do setor...16 PERSPECTIVAS... 17 E TENDÊNCIAS... 17 Otimismo brasileiro...17 Tarifas dos hotéis...18 Barreiras

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 A ATIVIDADE TURÍSTICA E O SEGMENTO DE EVENTOS. PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO GRAÇAS À COPA

Leia mais

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013 IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA Industria hoteleira brasileira JUNHO 2013 ENTIDADE ABIH NACIONAL Fundada em 09/11/1936 3.500 associados 35 escritórios 26 capitais + DF 08 regionais ENTIDADE 25.500 meios de

Leia mais

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como:

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: TENDÊNCIAS 1. Globalização Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: Grupo Casino Carrefour Wal-Mart C&A

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

Finanças. Contas a Pagar e a Receber

Finanças. Contas a Pagar e a Receber 2 Dicas de Finanças Finanças Você pode achar que falar de finanças é coisa para grandes empresas. Talvez este assunto nem tenha sido tratado com a devida importância mesmo em sua informalidade. Contudo,

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades UNIDADE 3 Identificação de oportunidades Provavelmente seja um dos maiores mitos sobre as novas idéias para negócios: a idéia deve ser única. Na realidade pouco importa se a idéia é única ou não, o que

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.954. Altera e consolida as normas que dispõem sobre a contratação de correspondentes no País.

RESOLUÇÃO Nº 3.954. Altera e consolida as normas que dispõem sobre a contratação de correspondentes no País. RESOLUÇÃO Nº 3.954 Altera e consolida as normas que dispõem sobre a contratação de correspondentes no País. O Banco Central do Brasil, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

CUSTOS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CUSTOS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1 CUSTOS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Temos observado que é muito comum encontrar empresários do segmento da prestação de serviços que apresentam dificuldades na Gestão dos Custos em suas empresas. Essas dificuldades

Leia mais

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011 Apoio às MPMEs Sorocaba/SP 30 de novembro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais