FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO EMPREITEIRO E DE LIÇÕES APRENDIDAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO EMPREITEIRO E DE LIÇÕES APRENDIDAS"

Transcrição

1 FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO EMPREITEIRO E DE LIÇÕES APRENDIDAS Obra: Data: Responsável: Empreiteiro: Aspecto Sim Não Comentários (utilize folhas adicionais, se necessário) 1 Os serviços entregues correspondem aos previstos em contrato? 2 Houve desvios entre os prazos realizados e planejados? 3 Houve desvios entre os custos efetivos e os orçados? 4 Os desvios poderiam ter sido evitados? 5 O Empreiteiro estava com a documentação em ordem? 6 O Empreiteiro apresentou, durante a obra, todos os documentos exigidos? 7 O Empreiteiro demonstrou capacidade de negociação? 8 A equipe tinha a capacitação necessária para executar o serviço? 9 Houve cooperação e comprometimento gerentes / sócios da Empreiteira? 10 Houve cooperação e comprometimento dos funcionários do Empreiteiro? 11 Os sócios / gerentes da Empreiteira demonstraram preocupação com a Segurança do Trabalho? 12 A Empreiteira forneceu corretamente aos funcionários os EPI s? 13 A equipe da Empreiteira tinha todas as ferramentas necessárias? 14 A qualidade dos serviços ficou dentro da esperada? 15 Houve a necessidade de executar alguma manutenção após o término do serviço do Empreiteiro? Quais foram as causas dos desvios? De que forma? O que faltou? O que faltou? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? 16 A equipe do Empreiteiro procurou evitar o desperdício de materiais? 17 O desempenho da equipe ficou dentro do Planejado? 18 O que faríamos da mesma forma, com esse Empreiteiro? O que faltou? O que faltou? Quais foram as falhas? De que tipo? 19 O que faríamos de maneira diferente, com esse Empreiteiro? 20 Que recomendações devemos incluir para obter um melhor desempenho nas próximas contratações (de empreiteiros diversos)? Parte integrante do livro Como Gerenciar Contratos com Empreiteiros Manual de Gestão de Empreiteiros na Construção Civil. São Paulo: PINI, Autores: André Augusto Choma e Adriana Carstens Choma

EMPREITEIRA ZANCO LTDA ME CONSTRUÇÕES E PROJETOS CNPJ MARCOS PAULO ZANCO Arquiteto e Urbanista CAU (54)

EMPREITEIRA ZANCO LTDA ME CONSTRUÇÕES E PROJETOS CNPJ MARCOS PAULO ZANCO Arquiteto e Urbanista CAU (54) 61 62 EMPREITEIRA ZANCO LTDA ME CONSTRUÇÕES E PROJETOS CNPJ 88.598.313.0001-34 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102

Leia mais

Como Gerenciar Contratos com Empreiteiros 1

Como Gerenciar Contratos com Empreiteiros 1 Como Gerenciar Contratos com Empreiteiros 1 AGRADECIMENTOS Agradecemos aos nossos pais, que sempre lutaram para que seus filhos pudessem ter a oportunidade de estudar, de seguir suas vocações e, principalmente,

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROFESSOR PELO ALUNO. Leia com atenção os itens abaixo e assinale a alternativa que melhor corresponde à sua opinião.

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROFESSOR PELO ALUNO. Leia com atenção os itens abaixo e assinale a alternativa que melhor corresponde à sua opinião. FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROFESSOR PELO ALUNO Professor Disciplina Leia com atenção os itens abaixo e assinale a alternativa que melhor corresponde à sua opinião. 1 - APRESENTAÇÂO DO PROGRAMA: é esperado

Leia mais

COMO QUANTIFICAR AS VARIAÇÕES ORÇAMENTÁRIAS

COMO QUANTIFICAR AS VARIAÇÕES ORÇAMENTÁRIAS COMO QUANTIFICAR AS VARIAÇÕES! Saiba como justificar as diferenças entre o orçado e o realizado.! Mais uma ferramenta para o executivo de orçamento usar amanhã.! Cálculos com 3 variáveis. Francisco Cavalcante

Leia mais

Ref.: COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS

Ref.: COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS FSP Faculdade Sudoeste Paulista Departamento de Engenharia Civil Docente: Eng. Ana Lúcia de Oliveira Daré, Prof. M.Sc. Ref.: COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS

Leia mais

Política de Transparência nas Relações com Terceiros

Política de Transparência nas Relações com Terceiros Política de Transparência nas Relações com Terceiros Sumario Objetivo e Alcance 3 Princípios gerais 3 1. Declaração de conflito de interesses 4 1.1. Definição de conflito de interesses 4 1.2. Conflitos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Turno: MANHÃ Período: 1 Unidade: NÚCLEO UNIV SÃO GABRIE 1670.1.00-5-Filosofia I 07:40 1670.1.00-5-Filosofia I 1763.1.01-9-Informática 1763.1.02-9-Informática 1763.1.03-9-Informática 1763.1.01-9-Informática

Leia mais

ROTARY INTERNACIONAL ORGANIZAÇÃO MULTIDISTRITAL DE INFORMAÇÕES DE ROTARACT CLUBS - BRASIL EQUIPE DE PROJETOS GUIA BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTARY INTERNACIONAL ORGANIZAÇÃO MULTIDISTRITAL DE INFORMAÇÕES DE ROTARACT CLUBS - BRASIL EQUIPE DE PROJETOS GUIA BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTARY INTERNACIONAL ORGANIZAÇÃO MULTIDISTRITAL DE INFORMAÇÕES DE ROTARACT CLUBS - BRASIL EQUIPE DE PROJETOS GUIA BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1 INTRODUÇÃO O documento apresenta de forma objetiva

Leia mais

ORDEM INTERNA Nº 063C(VDA)

ORDEM INTERNA Nº 063C(VDA) CLUBE NAVAL ORDEM INTERNA Nº 063C(VDA) Rio de Janeiro, RJ. Em, 24 de abril de 2007 Alterada em 06/11/2009 Alterada em 01/05/2010 Alterada em 10/02/2011 Alterada em 05/04/2011 Alterada em 04/09/2013 Assunto:

Leia mais

REVESTEC. Há anos executando revestimento externo.

REVESTEC. Há anos executando revestimento externo. REVESTEC EMPREITEIRA DE REVESTIMENTOS Há 16 11 anos executando revestimento externo. Empresa A empresa Revestec Revestimentos foi constituída no ano de 2006, todavia, seus dirigentes, assim como a maioria

Leia mais

Avaliar o desempenho da obra finalizada, através da relação entre o custo orçado e o custo efetivo. Unidade de medida: %

Avaliar o desempenho da obra finalizada, através da relação entre o custo orçado e o custo efetivo. Unidade de medida: % 25 7. ANXOS ROCDIMNTOS DOS INDICADORS OBJTIVO Avaliar o desempenho da obra finalizada, através da relação entre o custo orçado e o custo efetivo. INSRÇÃO NO ROCSSO ara possibilitar esse cálculo, é necessário

Leia mais

Política de Treinamentos

Política de Treinamentos Política de Treinamentos Última Atualização em 10/01/2013 As informações neste documento estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. Copyright 2013 HBSIS. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte

Leia mais

DESCUBRA MAIS EM. EscolaDaPrevencao.Com/op/pendriveseguranca do trabalho

DESCUBRA MAIS EM. EscolaDaPrevencao.Com/op/pendriveseguranca do trabalho PENDRIVE SEGURANÇA DO TRABALHO DESCUBRA MAIS EM EscolaDaPrevencao.Com/op/pendriveseguranca do trabalho Conteúdo da PENDRIVE do Profissional de Segurança e Saúde do Trabalho Introdução Seja bem vindo ao

Leia mais

11 - Controle de produção

11 - Controle de produção 11 - Controle de produção Atingir a excelência na gestão corporativa é fundamental para o sucesso de qualquer negócio de panificação e confeitaria na atualidade. As empresas que possuem mecanismos de controle

Leia mais

ATA DA LXXXIV REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR DA TEC CAMPOS Realizada em 04 de abril de 2012, às 14h15m. Local: Sala de Reuniões da TEC CAMPOS

ATA DA LXXXIV REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR DA TEC CAMPOS Realizada em 04 de abril de 2012, às 14h15m. Local: Sala de Reuniões da TEC CAMPOS ATA DA LXXXIV REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR DA TEC CAMPOS Realizada em 04 de abril de 2012, às 14h15m. Local: Sala de Reuniões da TEC CAMPOS ATIVIDADE Responsável Prazo Pauta item nº 01 - Aprovação da Ata

Leia mais

M U L H E R E S D O B R A S I L

M U L H E R E S D O B R A S I L M U L H E R E S D O B R A S I L 2016 COMITÊ SOCIAL Vozes das Mulheres Palestras Andrea Chamma Cristina Schulman Inegociáveis Não advogamos em causa própria; Todo o trabalho deve ser coordenado nas ações

Leia mais

Depoimentos de executivos, xix. Prefácio, xxix. Estrutura do livro, xxxv

Depoimentos de executivos, xix. Prefácio, xxix. Estrutura do livro, xxxv Depoimentos de executivos, xix Prefácio, xxix Estrutura do livro, xxxv 1 Conceitos de planejamento e de sistema, 1 1.1 Introdução, 3 1.2 Conceituação de planejamento, 3 1.3 Princípios do planejamento,

Leia mais

DICIONÁRIO DA ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO - SISCOP. Data Versão Descrição Autor

DICIONÁRIO DA ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO - SISCOP. Data Versão Descrição Autor Sistema de Controle de Pedidos SISCOP Estrutura Analítica do Projeto Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 31/10/2010 1.0 Desenvolvimento da EAP Estrutura Analítica do Projeto Adriano

Leia mais

Menu Vendas Como fazer o fechamento de caixa? FECHAMENTO DE CAIXA

Menu Vendas Como fazer o fechamento de caixa? FECHAMENTO DE CAIXA Como fazer o fechamento de caixa? FECHAMENTO DE CAIXA O fechamento de caixa continua sendo uma das maiores preocupações de uma empresa, pois além de ser essencial para o controle do crescimento do negócio,

Leia mais

LIGA ACADÊMICA DE DERMATOLOGIA CLÍNICA E CIRÚRGICA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO LADECC 2º SEM. 2016/ 1º SEM.

LIGA ACADÊMICA DE DERMATOLOGIA CLÍNICA E CIRÚRGICA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO LADECC 2º SEM. 2016/ 1º SEM. LIGA ACADÊMICA DE DERMATOLOGIA CLÍNICA E CIRÚRGICA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO LADECC 2º SEM. 2016/ 1º SEM. 2017 A Liga Acadêmica de Dermatologia Clínica e Cirúrgica (LADECC) da Faculdade Ciências Médicas

Leia mais

EXPOPOSTOS & CONVENIÊNCIA

EXPOPOSTOS & CONVENIÊNCIA EXPOPOSTOS & CONVENIÊNCIA O evento oficial dos setores de distribuição e revenda de derivados de petróleo, equipamentos, lojas de conveniência e food service do Brasil. É o grande momento de atualização

Leia mais

- CE CEP : FOLHA DE PAGAMENTO. Nome do Funcionário : ADRIANA DE MAGALHAES SOUZA Departamento : SEDE C.B.O : Funcao: PROF FISCALIZAÇÃO P/21

- CE CEP : FOLHA DE PAGAMENTO. Nome do Funcionário : ADRIANA DE MAGALHAES SOUZA Departamento : SEDE C.B.O : Funcao: PROF FISCALIZAÇÃO P/21 1 Localização : 0001 CONSELHO REG DE CORRET DE IMOVEIS 15 REG Matricula : 00116 Nome do Funcionário : ADRIANA DE MAGALHAES SOUZA Departamento : SEDE C.B.O : 352310 Funcao: PROF FISCALIZAÇÃO P/21 1000 SALARIO

Leia mais

Nesse artigo falaremos sobre:

Nesse artigo falaremos sobre: Este conteúdo faz parte da série: Gerenciamento de Projetos Ver 6 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: Gestão de custos em um projeto de consultoria Ferramenta para controlar custos de projetos

Leia mais

Gestão de frotas pesadas gestão com econômia, segurança e eficiência

Gestão de frotas pesadas gestão com econômia, segurança e eficiência Gestão de frotas pesadas gestão com econômia, segurança e eficiência O Rei do Truck Diesel O Rei do Truck Diesel é uma empresa focada em Gestão e Solução de Manutenção de Frotas. Nosso objetivo é entender

Leia mais

TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES

TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES Folha: 1/6 TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DATA REVISÃO ITENS REVISADOS APROVAÇÃO 21/07/15 00 Emissão Inicial - Item 5.1.2 e 5.2.1 - Exclusão da referência a tratamento e 16/06/16

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Visão Geral Profa.Paulo C. Masiero masiero@icmc.usp.br ICMC/USP Algumas Dúvidas... Como são desenvolvidos os softwares? Estamos sendo bem sucedidos nos softwares que construímos?

Leia mais

Modelagem e Reprojeto de Processo de Negócio BR Transportes. Equipe: Hum-Rum

Modelagem e Reprojeto de Processo de Negócio BR Transportes. Equipe: Hum-Rum Modelagem e Reprojeto de Processo de Negócio BR Transportes Equipe: Hum-Rum Processo escolhido Logística de transporte e carregamento do caminhão A empresa recebe o carregamento dos fornecedores e o gerente

Leia mais

Orientações Gerais. d) Distribuição das vias 1ª Via: Via da Empresa. 2ª Via: Via do Aluno 3ª Via: Via da Escola

Orientações Gerais. d) Distribuição das vias 1ª Via: Via da Empresa. 2ª Via: Via do Aluno 3ª Via: Via da Escola Orientações Gerais a) Critérios para o início do estágio A documentação de estágio deverá ser entregue na Faculdade de Tecnologia SENAI Anchieta, no mínimo, uma semana de antes da data de início do processo

Leia mais

AUDITORIA DE QUALIDADE EM OBRAS RODOVIÁRIAS

AUDITORIA DE QUALIDADE EM OBRAS RODOVIÁRIAS Adriana Lúcia Preza B. de Carvalho / TCE-MT André Luiz Souza Ramos / TCE-MT Elci Pessoa Júnior / TCE-PE José de Paula Ramos / TCE-MT Norivaldo Jr. de Santana Salgado / TCE-MT AUDITORIA DE QUALIDADE EM

Leia mais

EXERCÍCIOS 1 Algoritmos Básicos

EXERCÍCIOS 1 Algoritmos Básicos EXERCÍCIOS 1 Algoritmos Básicos Adriano Mauro Cansian André Proto UNESP - São José do Rio Preto Linguagem Computacional Algoritmos Básicos Problemas simples e soluções Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian 1

Leia mais

Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF Assinatura: CARTÃO RESPOSTA

Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF Assinatura: CARTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A2 DATA 08/10/2009 ESTATÍSTICA 2009/2 Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF Assinatura: CARTÃO

Leia mais

Mestrado em Direito Empresarial 2017 Responsabilidade de gestores e de sócios Maria de Fátima Ribeiro. Objectivos da disciplina:

Mestrado em Direito Empresarial 2017 Responsabilidade de gestores e de sócios Maria de Fátima Ribeiro. Objectivos da disciplina: Mestrado em Direito Empresarial 2017 Responsabilidade de gestores e de sócios Maria de Fátima Ribeiro Objectivos da disciplina: Pretende-se fornecer aos alunos elementos que permitam identificar o tipo

Leia mais

A ESSÊNCIA DA LIDERANÇA

A ESSÊNCIA DA LIDERANÇA SUMÁRIO 1. As Definições 2. O Velho Paradigma e o Novo Paradigma 3. O Modelo da Liderança 4. O Legado do Líder Prof. Dr. Francisco Chaves 1. As Definições: Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver

Leia mais

Porque mudar é preciso!!

Porque mudar é preciso!! 5S Porque mudar é preciso!! COMO SURGIU: Após a Segunda Guerra (1950), o Japão, sem recursos, reuniu engenheiros japoneses e americanos para criar um método de combate ao desperdício Nosso Hospital SEIRI

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO A CLIENTES DO INAC, I.P. PARA APRECIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO

INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO A CLIENTES DO INAC, I.P. PARA APRECIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO A CLIENTES DO INAC, I.P. PARA APRECIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO FICHA TÉCNICA Título Relatório do Questionário a Clientes do

Leia mais

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS. HORMONAS PEPTÍDICAS, MARCADORES TUMORAIS E TESTE DE GRAVIDEZ hcg

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS. HORMONAS PEPTÍDICAS, MARCADORES TUMORAIS E TESTE DE GRAVIDEZ hcg Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS HORMONAS PEPTÍDICAS, MARCADORES TUMORAIS E TESTE DE GRAVIDEZ hcg Programa Analito Nº de distribuições por ano Nº de amostras por distribuição Péptidos

Leia mais

Exame final de estágio para solicitadores (2015/2016) 2.ª Época. Grupo I (16 valores)

Exame final de estágio para solicitadores (2015/2016) 2.ª Época. Grupo I (16 valores) Todo o enunciado deve ser entregue juntamente com a(s) respetiva(s) folha(s) de resposta ao exame e faz parte integrante dela(s) Exame final de estágio para solicitadores (2015/2016) 2.ª Época Grupo I

Leia mais

COMUSA. Obras de ampliação da Empresa de Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo iniciadas em Agosto

COMUSA. Obras de ampliação da Empresa de Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo iniciadas em Agosto CENTRO HISTÓRICO Inicia- se implantação dos últimos postes e luminárias da obra Centro Histórico, na Travessa Francisco Leonardo Truda. COMUSA Obras de ampliação da Empresa de Serviços de Água e Esgoto

Leia mais

Itens e Depósitos Soluções

Itens e Depósitos Soluções Itens e Depósitos Soluções Unidade: Determinação de preço Tópico: Conceitos de determinação de preço Ao concluir este exercício, você estará apto a: Responder perguntas sobre como os preços são calculados

Leia mais

Capítulo 8 Avaliação e Gerenciamento do Desempenho

Capítulo 8 Avaliação e Gerenciamento do Desempenho Capítulo 8 Avaliação e Gerenciamento do Desempenho slide 1 Objetivos de aprendizagem 1. Explicar o propósito da avaliação de desempenho. 2. Responder à pergunta: Quem deve fazer a avaliação?. 3. Discutir

Leia mais

COMO PROJETAR RAPIDAMENTE O CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO NA ANÁLISE DE UM NOVO INVESTIMENTO (e alguns cuidados adicionais)

COMO PROJETAR RAPIDAMENTE O CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO NA ANÁLISE DE UM NOVO INVESTIMENTO (e alguns cuidados adicionais) COMO PROJETAR RAPIDAMENTE O CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO NA ANÁLISE DE UM NOVO INVESTIMENTO (e alguns cuidados adicionais) Quando projetar o capital de giro líquido? Um procedimento rápido para projetar o CGL.

Leia mais

Administração e Projeto de Banco de dados. Aula 4 Modelagem Conceitual Tipos de Relacionamentos

Administração e Projeto de Banco de dados. Aula 4 Modelagem Conceitual Tipos de Relacionamentos Administração e Projeto de Banco de dados Aula 4 Modelagem Conceitual Tipos de Relacionamentos Profº Mauricio M. Faria UNIBAN 1 Relacionamento Unário Relacionamento Unário ou Auto-Relacionamento representa

Leia mais

Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013

Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013 Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013 Relatório de Indicadores elaborado pelo Grupo de Indicadores de Clientes versão 2010 Taxa de Satisfação

Leia mais

Seleção de Monitores EDITAL Nº 13, DE 15 DE AGOSTO DE FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA NÚCLEO DE ESTUDO, PESQUISA E EXTENSÃO-NEPE

Seleção de Monitores EDITAL Nº 13, DE 15 DE AGOSTO DE FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA NÚCLEO DE ESTUDO, PESQUISA E EXTENSÃO-NEPE EDITAL Nº 13, DE 15 DE AGOSTO DE 2016. Seleção de Monitores Dispõe sobre o Programa de Monitoria O Coordenador do Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão, no uso das suas atribuições institucionais, TORNA

Leia mais

Alojamento local Alteração de dados

Alojamento local Alteração de dados A Alteração de dados Titular Nome/Insígnia do alojamento Número de título de autorização de utilização do edifício/fração Morada do alojamento de alteração toponímica) (A morada do alojamento local apenas

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO 1 Nome do Projeto PENSAR O BRASIL E CONSTRUIR O FUTURO DA NAÇÃO 2 Coordenador(a) ENGENHEIRO CIVIL JOSÉ CARLOS XAVIER 3 Gestor(a) 4 Programa ENGENHEIRA QUÍMICA WANESSA SEVERINO BORGES ALMEIDA CAIS 5 Objetivo

Leia mais

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página:

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: PROCEDIMENTO DO SMS PR-99-991-CPG-005 Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir metodologia e responsabilidades para

Leia mais

Exemplo. Solange N. Alves de Souza 1

Exemplo. Solange N. Alves de Souza 1 Exemplo. v Sistema Aeroclube (fazer o modelo de classe, considerando apenas as classes persistentes) Num Aeroclube, estão inscritos pilotos, instrutores e alunos de pilotagem. Todos os sócios são identificados

Leia mais

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social.

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. 01 SOBRE Qualidade com parcerias de sucesso. A Mitra é uma cooperativa de trabalho que oferece serviços e soluções para sua área de Recursos

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA RETORNO DE PEÇAS EM GARANTIA - DISTRIBUIDORES

PROCEDIMENTO PARA RETORNO DE PEÇAS EM GARANTIA - DISTRIBUIDORES 1 de 5 2 de 5 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo orientar e padronizar os procedimentos a serem seguidos pelos Distribuidores de produtos Meritor. Este procedimento contém instruções referentes

Leia mais

ATA DA REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PELA DIREÇÃO

ATA DA REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PELA DIREÇÃO DATA: 28 / 02 / 2014 ATA DA REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PELA DIREÇÃO PARTICIPANTES: JOÃO LUIZ GARCIA DIRETORIA NILSON MERINO DIRETORIA ODAIR ROCHA REPRESENTANTE DA DIREÇÃO

Leia mais

Seminário de fornecimento para as Forças Armadas. 17 de agosto de 2015, segunda-feira

Seminário de fornecimento para as Forças Armadas. 17 de agosto de 2015, segunda-feira Seminário de fornecimento para as Forças Armadas 17 de agosto de 2015, segunda-feira Coordenação Realização Programação - manhã - 08:00 - Recepção e Credenciamento 08:30 - Abertura Oficial: Boas Vindas

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Campus Sobral Curso de Engenharia Elétrica

Universidade Federal do Ceará Campus Sobral Curso de Engenharia Elétrica Universidade Federal do Ceará Campus Sobral Curso de Engenharia Elétrica REGULAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO FINAL DE CURSO Comissão: - Prof. Raimundo Furtado Sampaio - Prof. André Lima - Prof.

Leia mais

Pro seu evento saltar mais longe

Pro seu evento saltar mais longe Pro seu evento saltar mais longe A KANGURU Há 20 anos, um grupo de amigos se reuniu para realizar uma brincadeira para o carnaval fora de época da cidade, o bloco Vai ter que dar. A partir dessa ideia,

Leia mais

Descrição Competências Organizacionais

Descrição Competências Organizacionais Descrição Competências Organizacionais Orientação para Resultados Sustentáveis Disciplina Operacional Competência Técnica Adaptabilidade e Flexibilidade Relacionamento e Colaboração Realiza tarefas dentro

Leia mais

Norma Administrativa Data Assunto Código Página. 21/10/2014 Norma para Viagens FN-001/12 Pág. 1 de 11

Norma Administrativa Data Assunto Código Página. 21/10/2014 Norma para Viagens FN-001/12 Pág. 1 de 11 21/10/2014 Norma para Viagens FN-001/12 Pág. 1 de 11 1. OBJETIVO Reduzir os problemas com acertos e padronizar o controle dos adiantamentos, através de critérios e limites para despesas com viagens, representações

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE FORMULÁRIO I IDENTIFICAÇÃO Nome: Matrícula SIAPE: Cargo: Função: Classe: Nível: Lotação: Data da Nomeação: / / Período de Estágio Probatório:

Leia mais

Dados Gerais PONTE DE LAGUNA. Extensão Total da Ponte: 2.815m. Valor do Contrato: R$ ,20. Data base: Março/2010. Prazo Contratual: 36 meses

Dados Gerais PONTE DE LAGUNA. Extensão Total da Ponte: 2.815m. Valor do Contrato: R$ ,20. Data base: Março/2010. Prazo Contratual: 36 meses 2 Dados Gerais Extensão Total da Ponte: 2.815m Valor do Contrato: R$ 597.390.145,20 Data base: Março/2010 Prazo Contratual: 36 meses Data da Assinatura do Contrato: 29/04/2011 Ordem de Reinício a partir

Leia mais

GESTÃO TERCEIRIZADA DE ATIVOS FLORESTAIS, ~

GESTÃO TERCEIRIZADA DE ATIVOS FLORESTAIS, ~ GESTÃO TERCEIRIZADA DE ATIVOS FLORESTAIS, ~ Origem do negócio Fundos de Pensão Outros investidores } Alternativas de investimentos T.I.M.O Compras de ativos florestais Gestão própria Operador florestal

Leia mais

Análise estatística do desempenho dos inscritos no ENEM em Campinas- SP: áreas CN, CH, LC e MT dos anos

Análise estatística do desempenho dos inscritos no ENEM em Campinas- SP: áreas CN, CH, LC e MT dos anos Análise estatística do desempenho dos inscritos no ENEM em Campinas- SP: áreas CN, CH, LC e MT dos anos 2009-2013 Dalton Francisco de Andrade - PPGEP/UFSC dalton.andrade@ufsc.br Adriano Ferreti Borgatto

Leia mais

REQUERENTE REPRESENTANTE. Qualidade de: Mandatário Sócio Gerente Administrador Procurador Outra: OBJETO DO REQUERIMENTO

REQUERENTE REPRESENTANTE. Qualidade de: Mandatário Sócio Gerente Administrador Procurador Outra: OBJETO DO REQUERIMENTO R e g i s t o d e E n t r a d a L I C E N C I A M E N T O S I M P L I F I C A D O D E I N S TA L A Ç Õ E S R E F E R E N T E S A C O M B U S T Í V E I S C L A S S E A 1, A 2 e A 3 Ex.mo Senhor Presidente

Leia mais

RESUMO DE EVENTOS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º

RESUMO DE EVENTOS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º ESCOLA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Serviço Social RESUMO DE EVENTOS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º Manaus Amazonas 2016/2º IDENTIFICAÇÃO Diretor Geral Marcelo José Frutuoso Medeiros Reitor

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS

POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS Junho/2016 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONTROLES FÍSICOS e LÓGICOS... 3 4. SIGILO BANCÁRIO... 4 5. PADRÃO DE CONDUTA... 4 6. INFORMAÇÕES

Leia mais

V FÓRUM REGIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EM ADMINISTRAÇÃO ANÁLISE FINANCEIRA DE UMA EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES

V FÓRUM REGIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EM ADMINISTRAÇÃO ANÁLISE FINANCEIRA DE UMA EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES V FÓRUM REGIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EM ADMINISTRAÇÃO ANÁLISE FINANCEIRA DE UMA EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES Daniela Kate Castro Graduando em Administração, UniEvangélica, Anápolis GO danykc@hotmail.com

Leia mais

Grupo passou a noite dentro de uma sala no hospital, diz sindicato. Instituto confirma ocupação e diz que analisa reivindicações.

Grupo passou a noite dentro de uma sala no hospital, diz sindicato. Instituto confirma ocupação e diz que analisa reivindicações. 1 de 12 28/09/2016 10:57 g1 globoesporte gshow famosos & etc vídeos MENU G1 Minas Gerais MENU G1 Minas Gerais 28/09/2016 09h16 - Atualizado em 28/09/2016 10h07 Grupo passou a noite dentro de uma sala no

Leia mais

CRC-Nacional Central de Registro Civil de Minas Gerais Hash para Certidão Negativa

CRC-Nacional Central de Registro Civil de Minas Gerais Hash para Certidão Negativa CRC-Nacional Central de Registro Civil de Minas Gerais Hash para Certidão Negativa Manual do usuário Data: 16/07/2016 Versão documento: 1.0 Prefácio 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA EMISSÃO DO HASH DA CERTIDÃO

Leia mais

ABASTECIMENTO VIAÇÃO SÃO GABRIEL V.001

ABASTECIMENTO VIAÇÃO SÃO GABRIEL V.001 ABASTECIMENTO VIAÇÃO SÃO GABRIEL V.001 ITENS QUE FORAM FEITOS/CORRIDOS DO MÓDULO ABASTECIMENTO 1- Foram configurados uma série de parâmetros dentro do sistema para que evite erros de digitação e fraudes,

Leia mais

Central de Atendimento Manual do Cliente Pixeon

Central de Atendimento Manual do Cliente Pixeon Central de Atendimento Manual do Cliente Pixeon Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 2. ACESSANDO AO SISTEMA COM UMA CONTA EXISTENTE...3 3. ABRIR CHAMADO...5 4. TIPOS DE CHAMADO...7 5. ACOMPANHAR CHAMADOS...8 6.

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO REALIZADO NA EMPRESA XXXXXXXXX

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO REALIZADO NA EMPRESA XXXXXXXXX UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS LONDRINA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE MATERIAIS NOME DO ALUNO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO REALIZADO NA EMPRESA XXXXXXXXX RELATÓRIO FINAL

Leia mais

Filhos e Filhas Ao Trabalho

Filhos e Filhas Ao Trabalho Dia de Levar Nossos Filhos e Filhas Ao Trabalho "Sparking Aha! Moments" Nível Secundário Pacote de Atividades de 2016 Diretrizes do Programa "Dia de Levar Nossos Filhos e Filhas ao Trabalho" Sinopse e

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA A TURMA 2016

EDITAL DE SELEÇÃO PARA A TURMA 2016 UFRRJ-PRÓ-REITORIA E PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Instituto de Ciências Exatas Departamento de Matemática Curso de Especialização em Estatística Aplicada EDITAL DE SELEÇÃO PARA A TURMA 2016 A Coordenação do

Leia mais

Nota Técnica Conjunta nº 02/2014/SRE/SUM-ANA Documento nº: / Em, 14 de janeiro de 2014.

Nota Técnica Conjunta nº 02/2014/SRE/SUM-ANA Documento nº: / Em, 14 de janeiro de 2014. Nota Técnica Conjunta nº 02/2014/SRE/SUM-ANA Documento nº: 00000.001000/2014-31 Em, 14 de janeiro de 2014. Aos Senhores Superintendentes de Regulação e de Usos Múltiplos. Assunto: Proposta de complementação

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Segurança Privada

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Segurança Privada SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Segurança Privada Campus Centro I Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Segurança Privada tem como missão, formar profissionais

Leia mais

Controle da qualidade on-line Prof. André Jun Nishizawa Capítulo 4

Controle da qualidade on-line Prof. André Jun Nishizawa Capítulo 4 Controle da qualidade on-line Prof. Capítulo 4 Sumário 7 ferramentas da qualidade 7 novas ferramentas da qualidade 7 ferramentas da qualidade Diagrama de causa-efeito Folha de verificação Histograma Gráfico

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES. Câmara Municipal de Mogadouro

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES. Câmara Municipal de Mogadouro RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES Câmara Municipal de Mogadouro ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. A IMPORTÂNCIA DE MEDIR A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES... 2 3. OBJETIVOS... 2 4. METODOLOGIA... 2

Leia mais

Nossa tecnologia. Seu sucesso.

Nossa tecnologia. Seu sucesso. Nossa tecnologia. Seu sucesso. Werner Stegmüller and Dr. Peter Buthmann Membros do Conselho de Gerenciamento da KSB AG Membros do Conselho de Gerenciamento da KSB AG. É basicamente uma questão de evolução

Leia mais

NOVA MODELAGEM DO BANCO DE DADOS DO GIS-SUB (SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE ENGENHARIA SUBMARINA)

NOVA MODELAGEM DO BANCO DE DADOS DO GIS-SUB (SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE ENGENHARIA SUBMARINA) NOVA MODELAGEM DO BANCO DE DADOS DO GIS-SUB (SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE ENGENHARIA SUBMARINA) Marcos Ferreira dos Santos Alessandro da Silva André Luís Neves de Souza Carlos Henrique Soares

Leia mais

Resultados. Estatísticas rápidas Questionário 'Avaliação Institucional - Sociedade Civil' Questionário

Resultados. Estatísticas rápidas Questionário 'Avaliação Institucional - Sociedade Civil' Questionário Resultados Questionário 643235 Número de registros nesta consulta: 43 Total de registros no questionário: 180 Percentagem do total: 23.89% página 1 / 22 Sumário dos campos para a1 1. Selecione o Câmpus

Leia mais

POLÍTICA DE FINANCIAMENTO DE AUTOMÓVEIS

POLÍTICA DE FINANCIAMENTO DE AUTOMÓVEIS POLÍTICA DE FINANCIAMENTO DE AUTOMÓVEIS Esta Política reúne os critérios e procedimentos referentes ao Financiamento de Automóveis. OBJETIVO Definir os critérios e regulamentar os procedimentos a serem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA-GERAL SECRETARIA DE ENSINO EXAME DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CANDIDATOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA-GERAL SECRETARIA DE ENSINO EXAME DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CANDIDATOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA-GERAL SECRETARIA DE ENSINO EXAME DE SELEÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CANDIDATOS À MATRÍCULA NA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO INTEGRADO - ÁREA DE FORMAÇÃO: TÉCNICO

Leia mais

Seleção de Monitores. EDITAL NEPE Nº 03, de 26 de fevereiro de FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA NÚCLEO DE ESTUDO, PESQUISA E EXTENSÃO-NEPE

Seleção de Monitores. EDITAL NEPE Nº 03, de 26 de fevereiro de FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA NÚCLEO DE ESTUDO, PESQUISA E EXTENSÃO-NEPE EDITAL NEPE Nº 03, de 26 de fevereiro de 2016. Seleção de Monitores Dispõe sobre o Programa de Monitoria a ser aplicado no 1 semestre de 2016. O Coordenador do Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão, no

Leia mais

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade A Elétrica Sena Campos, empresa prestadora de serviços no ramo de manutenção elétrica tem como principal valor preservar a integridade física, mental

Leia mais

Fluxograma Pseudocódigo Estruturas de decisão. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes

Fluxograma Pseudocódigo Estruturas de decisão. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes Programação de Computadores III Aula 4 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

Processo de Elaboração de um Padrão Internacional e de adaptação local. Padrões Válidos no Brasil e Internacional. Hierarquia do padrão.

Processo de Elaboração de um Padrão Internacional e de adaptação local. Padrões Válidos no Brasil e Internacional. Hierarquia do padrão. Processo de Elaboração de um Padrão Internacional e de adaptação local. Padrões Válidos no Brasil e Internacional. Hierarquia do padrão. Professor Edson Vidal Doutorando Colaboradora: Luciana Papp Padrão

Leia mais

GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA, IP-RAM

GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA, IP-RAM GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA, IP-RAM CANDIDATURA AO PROGRAMA PROJOVEM MEDIDA EXPERIÊNCIA GARANTIA (Portaria nº 136/2014 de 6 de agosto)

Leia mais

Muito Obrigado. Os materiais disponíveis listados em um inventário

Muito Obrigado. Os materiais disponíveis listados em um inventário 1 Inventário e a Administração de Empresas Inventário basicamente é uma lista de bens e materiais disponíveis em estoque que estão armazenados na empresa ou então armazenados externamente mas pertencentes

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 006/2016

RESOLUÇÃO Nº 006/2016 RESOLUÇÃO Nº 006/2016 Dispõe sobre a concessão de diárias e indenização de transporte à Secretária Executiva, Diretores e Gerentes do CISAMUSEP quando do seu deslocamento da cidade sede do Consórcio e

Leia mais

Lista Mestra. Conteúdo do Kit Passo a Passo ISO 9001:2015. Quality Innovation. Quality Innovation. Total de Páginas: Total de documentos: 192

Lista Mestra. Conteúdo do Kit Passo a Passo ISO 9001:2015. Quality Innovation. Quality Innovation. Total de Páginas: Total de documentos: 192 Lista Mestra Conteúdo do Kit Passo a Passo ISO 9001:2015 Total de Páginas: 1.225 Total de documentos: 192 Quality Innovation Copyright 2016 by Quality Innovation Todos os direitos reservados Quality Innovation

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Quem Indica Ganha Cartão pré-pago Para Alunos do Colégio Sesi Internacional no Paraná

REGULAMENTO. Promoção Quem Indica Ganha Cartão pré-pago Para Alunos do Colégio Sesi Internacional no Paraná REGULAMENTO Promoção Quem Indica Ganha Cartão pré-pago Para Alunos do Colégio Sesi Internacional no Paraná A Promoção QUEM INDICA GANHA" é promovida pelo Sesi no Paraná Serviço Social da Indústria, pessoa

Leia mais

Analista de Negócio 3.0

Analista de Negócio 3.0 Estudo de Caso A industria Santos é uma empresa siderúrgica que possui duas plantas industriais em dois municípios do interior de Minas Gerais. A sede da empresa fica no estado de São Paulo, na cidade

Leia mais

O que é o business plan

O que é o business plan O que é o business plan O business plan nada mais é do que o termo em inglês referente ao nosso tão famoso plano de. Essa é uma das melhores ferramentas para te ajudar a ter uma visão completa do seu negócio.

Leia mais

08/08/2013. Plano de Ensino e Aprendizagem (PEA) Atividades Práticas Supervisionadas (ATPS) Apresentação do professor. Apresentação da Disciplina

08/08/2013. Plano de Ensino e Aprendizagem (PEA) Atividades Práticas Supervisionadas (ATPS) Apresentação do professor. Apresentação da Disciplina Apresentação do professor Nome: André Luís Belini de Oliveira Formação: Bacharel em Sistemas de Informação MBA em Gestão Estratégica de Negócios Especialista em Didática e Metodologia do Ensino Superior

Leia mais

POLÍTICA. TÍTULO: PLT-SGR Política do SGSI - SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO APROVADO

POLÍTICA. TÍTULO: PLT-SGR Política do SGSI - SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO APROVADO 1/5 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO APROVADO 0000536 - André Delgado- SEGURANCA Danielle Souza; Oscar Zuccarelli; HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA REV. ALTERAÇÕES Atualização do item 2.2 - Solicitar

Leia mais

1/2006 CONTRATO DE SOCIEDADE POR QUOTAS. Artigo 1.º Tipo e firma

1/2006 CONTRATO DE SOCIEDADE POR QUOTAS. Artigo 1.º Tipo e firma CONTRATO DE SOCIEDADE POR QUOTAS Artigo 1.º Tipo e firma 1. A sociedade é [civil] OU [comercial], adopta o tipo sociedade por quotas e a firma. 2. A sociedade tem o número de pessoa colectiva e o número

Leia mais

BIOSSEGURANÇA DO PROFISSIONAL DE LAVANDERIAS: ÁREA CONTAMINADA X ÁREA LIMPA. Profa. Dra. Teresinha Covas

BIOSSEGURANÇA DO PROFISSIONAL DE LAVANDERIAS: ÁREA CONTAMINADA X ÁREA LIMPA. Profa. Dra. Teresinha Covas BIOSSEGURANÇA DO PROFISSIONAL DE LAVANDERIAS: ÁREA CONTAMINADA X ÁREA LIMPA Profa. Dra. Teresinha Covas Introdução Controle de Infecção Hospitalar; Qualidade dos profissionais; Área Suja (críticas) potencialmente

Leia mais

Como cuidar eficazmente da Gestão da Comunicação e do Processo de Demissão. Por José Augusto Minarelli

Como cuidar eficazmente da Gestão da Comunicação e do Processo de Demissão. Por José Augusto Minarelli Como cuidar eficazmente da Gestão da Comunicação e do Processo de Demissão Por José Augusto Minarelli É bom saber QUEM NUNCA DEMITIU, UM DIA VAI DEMITIR QUEM JÁ DEMITIU, VAI DEMITIR OUTRAS VEZES QUEM AINDA

Leia mais

CASO: IMPLANTAÇÃO DO SGD NA EMPRESA DECA

CASO: IMPLANTAÇÃO DO SGD NA EMPRESA DECA CASO: IMPLANTAÇÃO DO SGD NA EMPRESA DECA Sistema de Gestão Duratex com ênfase no estudo de caso sobre a redução de custos na unidade da Deca louças em Recife. Conheça a Duratex Ramo: Fabricação de Louças,

Leia mais

RAIS. GPE Gestão de Pessoal

RAIS. GPE Gestão de Pessoal GPE Gestão de Pessoal Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Objetivos do Treinamento... 3 2 Conceito... 3 3 Fluxo do Ambiente... 4 4 Geração - Requisitos... 4 5 Geração RAIS... 5 6 Relatório de Conferência da

Leia mais

Componentes de SIs. Pessoas Organiz. Tecnologia

Componentes de SIs. Pessoas Organiz. Tecnologia Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE)

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Algoritmos e Estruturas de Dados 1 Prof. Eduardo 1 ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Já vimos entrada, processamento e saída, que compõem os algoritmos puramente

Leia mais