ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL"

Transcrição

1 ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL Erick Lino Pedro 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina Claudio Zarate Sanavria NIPETI - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina Resumo: Este trabalho descreve uma proposta de elaboração e validação de um instrumento para avaliação da acessibilidade e da usabilidade em dispositivos computacionais móveis, considerando como usuários pessoas com necessidade especial visual total ou parcial. Neste contexto, o objetivo é propor um instrumento que identifique as principais características de acessibilidade e usabilidade presentes nos referidos dispositivos no que tange aos pressupostos descritos pelos principais autores da área e pesquisas correlatas. Assim, pretende-se contribuir para o aperfeiçoamento dos estudos da interação humano-computador, provocando reflexões acerca da inclusão digital. Palavras-chave: Usabilidade, Acessibilidade, Dispositivos Móveis. Introdução A evolução das tecnologias da informação e comunicação (TIC) é constante na chamada sociedade da informação. A cada dia, surgem novas soluções e propostas de mecanismos para o acesso e a troca de informações. Nesse processo, o desenvolvimento de equipamentos e aplicações para computadores de mesa predominou durante muito tempo. Porém, para Preece (2005), o advento das tecnologias sem fio, móveis e portáteis promoveram uma mudança de paradigma para além dos computadores tradicionais. Segundo Weiss (2002) citado por Araújo et al (2009), os dispositivos móveis 1 Bolsista do Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI/CNPq). 2 Núcleo Interdisciplinar e Pesquisa, Estudo e Desenvolvimento em Tecnologia da Informação.

2 2 são divididos em: celulares, pagers, PDAs e communicators. Atualmente o celular absorveu as funções de todos eles. Hoje com o celular podemos ouvir músicas, ver vídeos, acessar a internet, tirar fotos, entre outras. Dentro desta classificação que Weiss realizou podemos elencar mais dois dispositivos para esta classe, dispositivos este que são tablets e smartphones. De acordo Lagoá et. al (2008), a contínua evolução dos dispositivos vem acompanhada de uma enorme distância entre estes e os usuários com necessidade especial visual, que apresentam muitas dificuldades de utilização, impedindo o acesso à informação em geral ou mesmo em situações profissionais. Pode-se afirmar que a acessibilidade visa facilitar o acesso a conteúdo independentemente do dispositivo ou das necessidades especiais do usuário. Isso não significa que algo deva ser descartado se um grupo de pessoas não tiver acesso ao conteúdo que o dispositivo traz, mas deve se prever meios alternativos de acesso para aqueles usuários. Dentro deste contexto, o presente projeto consiste em propor e convalidar um instrumento de avaliação de acessibilidade e usabilidade de sistemas desenvolvidos especificamente para dispositivos móveis, considerando nesse processo o usuário portador de necessidade especial visual. Para isso, estabeleceram-se os seguintes objetivos específicos: Elaborar um instrumento que afira o nível de acessibilidade disponível num dispositivo móvel, analisando principalmente os recursos para deficientes visuais; Garantir que o instrumento identifique as principais características de usabilidade presentes nos referidos dispositivos no que tange às heurísticas de usabilidade descritas pelos principais autores da área; Contribuir para o aperfeiçoamento dos princípios de usabilidade em sistemas especificamente desenvolvidos para dispositivos móveis, assim como propor novas reflexões acerca da acessibilidade em sistemas computacionais. Breve revisão teórica Lagoá et. al (2008) defendem que, nos últimos anos, a área da acessibilidade, mais especificamente a área que abrange a necessidade especial visual, tem recebido

3 3 uma atenção cada vez mais acentuada por parte das grandes empresas de telefonia móvel. Neste contexto, tais produtos podem ser categorizados de duas formas: soluções de hardware e soluções de software, sendo que estas últimas podem funcionar em dispositivos móveis comuns e substituem o suporte visual como forma de retorno de informação para o usuário. Apesar desta preocupação, ainda é pouca a divulgação de experiências que denotem o uso de tais recursos em dispositivos móveis no Brasil. Além disso, as questões de usabilidade vão muito além das tentativas de melhorias de acesso, ou seja, além do desenvolvimento de tais tecnologias, é necessária uma aferição da eficiência de tais recursos. Araújo et. al (2009) asseguram que para se avaliar um sistema usam-se métodos de engenharia de usabilidade para elaborar testes que consideram se ele é fácil de usar, de aprender, de memorizar, isentos de erros e se causam satisfação do usuário. Para Gavasso et. al (2009) as novas tecnologias dos dispositivos móveis geram uma necessidade maior no projeto de uma interface com usabilidade, pois acopla inúmeras funcionalidades em uma pequena tela. Araújo et. al (2009), Gavasso et. al (2009), Lagoá et. al (2008), Melo e Silva (2010) e Ribeiro (2006) são alguns dos trabalhos que relatam a questão da acessibilidade e/ou da usabilidade em dispositivos móveis. Em Gavasso et. al (2009) são discutidas as características de usabilidade que devem ser consideradas em dispositivos móveis. Em Melo e Silva (2010) são descritos os resultados de um estudo comparativo dos principais dispositivos móveis, em especial o celular visando avaliar a usabilidade e a acessibilidade a portadores de necessidade especial visual. Para isso, criaram um roteiro de tarefas que foram realizadas por um grupo de usuários com tais características. Araújo et. al (2009) também descrevem a aplicação do teste de usabilidade em telefones celulares, envolvendo usuários experientes.

4 4 Metodologia A pesquisa estabelecida para esta pesquisa prevê as seguintes etapas: Levantamento teórico e definição dos critérios de acessibilidade e usabilidade; Elaboração do instrumento; Levantamento das tecnologias; Aplicação do instrumento (avaliação por inspeção e teste com o usuário); Análise dos dados coletados; Análise e convalidação do instrumento. Até o momento foram realizadas as etapas de levantamento e sistematização de conceitos e trabalhos correlatos. Foram definidos celulares e tablets como dispositivos a serem avaliados. A próxima etapa consiste na sistematização dos pressupostos para elaboração do instrumento e posterior aplicação e validação. A aplicação do instrumento a ser elaborado se dará em conjunto com uma pesquisa que ocorre em paralelo, cujo objetivo é avaliar a acessibilidade e usabilidade de dispositivos móveis visando usuários com necessidade especial visual. Assim, tal pesquisa contribuirá para a validação do instrumento proposto. A participação de usuários voluntários que são portadores de necessidade especial visual objetiva permitir a captação de informações muito mais fiéis em termos de acessibilidade e usabilidade dos sistemas analisados. Tal participação visa um retorno aos próprios usuários, uma vez que os resultados da análise pretendida constituem-se em elementos norteadores para a melhoria da acessibilidade e da usabilidade dos dispositivos em questão. Resultados e Considerações Finais A ideia deste projeto é reunir os pressupostos apresentados por estes e demais estudiosos, organizando um instrumento de avaliação que contemple aspectos de sucesso relatados. Espera-se com presente projeto uma contribuição para o conhecimento científico sobre a usabilidade em dispositivos móveis, assim como a promoção de discussões acerca da acessibilidade em sistemas computacionais dessa natureza. Apesar da acessibilidade ser aqui abordada com ênfase em portadores de necessidade

5 5 especial visual, pretende-se beneficiar todos os usuários, independente de existirem ou não necessidades especiais. Entende-se a aplicabilidade desta pesquisa no sentido de contribuir para o atendimento aos princípios da Interação Humano-Computador, permitindo que os usuários móveis sejam produtivos no uso do tempo e dos recursos e estejam sempre satisfeitos em relação aos atributos do sistema. Referências ARAUJO, Elaine Cristina Juvino; SOUZA, Lucas Vieira; GUEDES, Rhavy Maia; COUTINHO, Ana Flávia Borba. Avaliação da Usabilidade de Dispositivos Móveis. Prefácio Online Revista Científica da Faculdade de Tecnologia de João Pessoa. João Pessoa: FATEC, Disponível em <www.fatecjp.com.br/revista/artigo06.pdf>. Acesso em 15 nov GAVASSO, Gabriel; CALDERARO, Rodrigo; SPOLAVORI, Carlos Eduardo; ANDRES, Daniele. A Usabilidade em Dispositivos Móveis. Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Disponível em <guaiba.ulbra.tche.br/pesquisas/2006/artigos/sistemas/143.pdf>. Acesso em 15 nov LAGOÁ, Paulo; NICOLAU, Paulo; GUERREIRO, Tiago; GONÇALVES, Daniel; JORGE, Joaquim. Acessibilidade Móvel: Soluções para Deficientes Visuais. 3ª Conferência Nacional em Interacção Pessoa-Máquina. Universidade de Évora, Disponível em < vimmi.inesc-id.pt/publication.php?publication_id=295>. Acesso em 15 nov MELO, Eduardo Batista.; SILVA, Teresinha P. Diniz. Avaliação Comparativa da Usabilidade e Acessibilidade em Sistemas para Dispositivos Móveis. Anuário da Produção Discente. Anhanguera, Disponível em <sare.unianhanguera.edu.br/>. Acesso em 15 nov PREECE, Jennifer. Design de interação: além da interação humano-computador. Porto Alegre: Bookman, RIBEIRO, Daniel Francisco. Estudo de Interface Humano-Máquina em Dispositivos Móveis. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Santa Catarina, Disponível em < Acesso em 15 nov

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA ELABORAÇÃO DE AVALIAÇÕES DE ENSINO UTILIZANDO NOVAS ABORDAGENS DE DESENVOLVIMENTO

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA ELABORAÇÃO DE AVALIAÇÕES DE ENSINO UTILIZANDO NOVAS ABORDAGENS DE DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA ELABORAÇÃO DE AVALIAÇÕES DE ENSINO UTILIZANDO NOVAS ABORDAGENS DE DESENVOLVIMENTO Danilo Damaceno Lima 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS),

Leia mais

UMA PROPOSTA DE MODELO DE PROCESSO PARA DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS

UMA PROPOSTA DE MODELO DE PROCESSO PARA DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS UMA PROPOSTA DE MODELO DE PROCESSO PARA DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS Rodrigo de Assis Ramos 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina rodrigoramos_dpvat@hotmail.com

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

UM SISTEMA WEB PARA TORCEDORES EM CAMPEONATOS ESPORTIVOS ESTUDANTIS

UM SISTEMA WEB PARA TORCEDORES EM CAMPEONATOS ESPORTIVOS ESTUDANTIS UM SISTEMA WEB PARA TORCEDORES EM CAMPEONATOS ESPORTIVOS ESTUDANTIS Leonardo Assunção Rossi 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina Leonardo.a.rossi72@gmail.com

Leia mais

Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual

Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual Gláucio Brandão de MATOS 1 ; Alisson RIBEIRO 2 ; Gabriel da SILVA 2 1 Ex-aluno do Curso Superior

Leia mais

UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE BASQUETEBOL

UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE BASQUETEBOL UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE BASQUETEBOL Delvair Junior dos Reis Gonsalves 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina dj_reis96@hotmail.com Claudio

Leia mais

6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. - 6 Inscritos -

6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. - 6 Inscritos - 6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 6 Inscritos - Tema: [Área 9]: Comunidade - Tema: 4. Iniciativas para a redução das desigualdades sociais Título: Aplicação de IHC para Inclusão Social e Digital

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Quando nos referimos à qualidade da interação

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE

CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE Luciara Wanglon Afonso 1 Daniele Pinto Andres 2 RESUMO Este artigo tem por objetivo apresentar algumas questões

Leia mais

Multimídia e Interface Usuário - Máquina

Multimídia e Interface Usuário - Máquina Multimídia e Interface Usuário - Máquina Profa. Cristina Paludo Santos Slides baseados no livro: Design e Avaliação de Interfaces Humano Computador (Heloísa Vieira da Rocha/M.Cecília C. Baranauskas). Material

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME Java para Dispositivos Móveis Desenvolvendo Aplicações com J2ME Thienne M. Johnson Novatec Capítulo 1 Introdução à computação móvel 1.1 Computação móvel definições Computação móvel está na moda. Operadoras

Leia mais

Interação Humano-Computador: Conceitos Básicos INF 1403 Introdução a IHC Aula 03 19/02/2014 Conteúdo da Aula Interação, Interface e Affordance Critérios de qualidade de uso Usabilidade Experiência do Usuário

Leia mais

Arquitetura de Informação

Arquitetura de Informação Arquitetura de Informação Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Arquitetura de Informação? Ferramentas para Web Design 2 Arquitetura de Informação (AI): É a arte de expressar

Leia mais

Centro Universitário Barão de Mauá Pró- Reitoria de Pós- Graduação, Extensão e Iniciação Científica Programa de Iniciação Científica

Centro Universitário Barão de Mauá Pró- Reitoria de Pós- Graduação, Extensão e Iniciação Científica Programa de Iniciação Científica Centro Universitário Barão de Mauá Pró- Reitoria de Pós- Graduação, Extensão e Iniciação Científica Programa de Iniciação Científica Contribuição da Computação, Informática e Tecnologia da Informação para

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS Formulário para submissão de projeto Dados do Projeto e do (a) Orientador (a) do Projeto Título do Projeto: Um aplicativo

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

IHM Interface Humano-Máquina

IHM Interface Humano-Máquina A IHM Interface Humano-Máquina Prof. Dra. Sílvia Dotta Aula 1 - Introdução Roteirodaaula Apresentação da disciplina Motivação, Objetivos Metodologia de ensino Introdução e conceituação de IHM Histórico

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB Alan Francisco de Souza¹, Claudete Werner¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil alanfsouza.afs@gmail.com,

Leia mais

WEB 2.0 E MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES POR MEIO DA COLABORAÇÃO

WEB 2.0 E MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES POR MEIO DA COLABORAÇÃO WEB 2.0 E MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES POR MEIO DA COLABORAÇÃO Claudio Zarate Sanavria Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina claudio.sanavria@ifms.edu.br

Leia mais

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores;

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores; CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA MANTENEDOR DA ESCOLA DE ENSINO SUPERIOR FABRA Cred. Pela Portaria Ministerial nº 2787 de 12/12/2001 D.O.U. 17/12/2001 Rua Pouso Alegre, nº 49 Barcelona Serra/ES CEP 29166-160

Leia mais

DESIGN DE INTERFACES E USABILIDADE (AULA 1)

DESIGN DE INTERFACES E USABILIDADE (AULA 1) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br DESIGN DE INTERFACES E USABILIDADE (AULA 1) Apresentações Quem sou eu? Breno Leonardo http://blog.brenoleonardo.com.br

Leia mais

AÇÕES DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: COMPARTILHAMENTO DE EXPERIÊNCIAS EUGÊNIA BELÉM CALAZANS COELHO

AÇÕES DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: COMPARTILHAMENTO DE EXPERIÊNCIAS EUGÊNIA BELÉM CALAZANS COELHO AÇÕES DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: COMPARTILHAMENTO DE EXPERIÊNCIAS EUGÊNIA BELÉM CALAZANS COELHO A DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO À INFORMAÇÃO EM SAÚDE: ACESSIBILIDADE DA BVS MS ÀS PESSOAS

Leia mais

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas. A INTERAÇÃO DOS PROFESSORES DO CURSO DE FISIOTERAPIA COM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO PEDAGÓGICO Heloisa Galdino Gumueiro Ribeiro 1, Prof. Dirce Aparecida Foletto De Moraes 2

Leia mais

Conhecimento e compreensão do tema produção mais limpa em cursos de especialização: um estudo de caso

Conhecimento e compreensão do tema produção mais limpa em cursos de especialização: um estudo de caso Conhecimento e compreensão do tema produção mais limpa em cursos de especialização: um estudo de caso Prof. Claudio Luis Crescente Frankenberg - PUCRS Pablo Gustavo de Oliveira - UFRGS Introdução A sustentabilidade

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS GUARULHOS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS GUARULHOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS GUARULHOS PROJETO ACESSIBILIDADE TIC: ACESSIBILIDADE AO CURRÍCULO POR MEIO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Projeto aprovado

Leia mais

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

UM LEVANTAMENTO DE AÇÕES AMBIENTAIS DESENVOLVIDAS NO BRASIL POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA

UM LEVANTAMENTO DE AÇÕES AMBIENTAIS DESENVOLVIDAS NO BRASIL POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA 1 UM LEVANTAMENTO DE AÇÕES AMBIENTAIS DESENVOLVIDAS NO BRASIL POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA Jemison dos Santos 1 Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) / Câmpus Nova Andradina santos.jemison@hotmail.com

Leia mais

UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE VOLEIBOL

UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE VOLEIBOL UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE VOLEIBOL Caroline Paião dos Santos 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina carol.ifms@gmail.com Claudio Zarate

Leia mais

Florianópolis SC - maio 2012. Categoria: C. Setor Educacional: 3. Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro: A / Meso: L / Micro: N

Florianópolis SC - maio 2012. Categoria: C. Setor Educacional: 3. Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro: A / Meso: L / Micro: N LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ESPAÇO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E AMPLIAÇÃO DE CONHECIMENTOS REFERENTES À INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Florianópolis SC - maio 2012 Categoria: C Setor

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 04, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS.

INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS. INCLUSÃO DIGITAL: A TERCEIRA IDADE E SUAS DIFICULDADES ASSOCIADAS AS NOVAS TECNOLOGIAS. Cícero Gonçalves dos Santos Faculdade Sete de Setembro (FASETE), cycero_hsc@hotmail.com Denise Xavier Fortes Faculdade

Leia mais

MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012

MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012 MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO CATÁLOGO DE EXTENSÃO DA FURG 2009-2012 Simone Machado Firme FURG 1 Karine Vargas Oliveira FURG 2 Michele Fernanda Silveira

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Isac Velozo Aguiar Orientador: Eduardo Manuel de Freitas Jorge 19/06/2007

Isac Velozo Aguiar Orientador: Eduardo Manuel de Freitas Jorge 19/06/2007 MAX-FLOW UM ESTUDO DE INTERFACE E USABILIDADE DE UMA FERRAMENTA DE EDITORAÇÃO DE PROCESSOS Isac Velozo Aguiar Orientador: Eduardo Manuel de Freitas Jorge 19/06/2007 Agenda» Contexto;» Problemas;» Objetivos;»

Leia mais

USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NA MEDICINA

USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NA MEDICINA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NA MEDICINA Marcos Lima, Júlio César Pereira Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcos_jump@hotmail.com juliocesarp@unipar.br Resumo. Este artigo constitui

Leia mais

Figura 1: Problema do trânsito congestionado. Fonte: [autores]

Figura 1: Problema do trânsito congestionado. Fonte: [autores] APLICAÇÃO DO MODELO MEX: PROJETO DA INTERFACE DO BUSFALANTE Ana Elisa SCHMIDT 1, Heber Pedroso de ALMEIDA 2, Rafael Soares COSTA 2 1 Professor e Orientador - IFC-Campus Camboriú 2 Aluno curso Superior

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL ATRAVÉS DE CURSOS DE INFORMÁTICA NA ULBRA CAMPUS GUAÍBA

INCLUSÃO DIGITAL ATRAVÉS DE CURSOS DE INFORMÁTICA NA ULBRA CAMPUS GUAÍBA INCLUSÃO DIGITAL ATRAVÉS DE CURSOS DE INFORMÁTICA NA ULBRA CAMPUS GUAÍBA Daniele Pinto Andres RESUMO Este artigo aborda uma análise das atividades realizadas na ULBRA de Guaíba sobre os cursos de informática

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE CRITÉRIOS DE ACESSIBILIDADE E USABILIDADE EM DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS

UMA REFLEXÃO SOBRE CRITÉRIOS DE ACESSIBILIDADE E USABILIDADE EM DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS UMA REFLEXÃO SOBRE CRITÉRIOS DE ACESSIBILIDADE E USABILIDADE EM DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS Erick Lino Pedro, e7.ifms@gmail.com Claudio Zarate Sanavria, claudio.sanavria@ifms.edu.br Instituto Federal

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade

Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade Nove erros comuns que devem ser evitados ao selecionar e implementar uma solução de mobilidade Introdução Introdução A empresa de pesquisa IDC prevê que mais da metade dos trabalhadores usarão ferramentas

Leia mais

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico Vanessa Lopes da Silva 1 Leandro Marcon Frigo 2 Resumo A partir do problema dicotômico vivenciado pelo Ensino Técnico Integrado,

Leia mais

WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES ISSN 2316-7785 WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES Arlam Dielcio Pontes da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco arllan_dielcio@hotmail.com

Leia mais

GESTÃO DE PEDIDOS EM PLATAFORMA ANDROID:

GESTÃO DE PEDIDOS EM PLATAFORMA ANDROID: GESTÃO DE PEDIDOS EM PLATAFORMA ANDROID: UM SISTEMA PARA ESTABELECIMENTOS DO SETOR GASTRONÔMICO SAMUEL ELIAS BRAVO LOPEZ Prof. Rion Brattig Correia, M.Sc. - Orientador ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO Introdução

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 Eduardo Laguna Rubai, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR- Brasil eduardorubay@gmail.com, bonetti@unipar.br Resumo.

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

Educação a Distância: Limites e Possibilidades

Educação a Distância: Limites e Possibilidades Educação a Distância: Limites e Possibilidades Bernardo de Azevedo Ramos Brillian Aquino Fernandes Lucas Fernandes Barbosa Rafael Castro e Abrantes RESUMO: O trabalho tem como meta avaliar a Educação a

Leia mais

Modelos do Design de Software

Modelos do Design de Software Modelos do Design de Software Modelos do Design de Software O processo de design na Engenharia de Software parte de três pressupostos básicos: O resultado do design é um produto; O produto é derivado de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG campus Bambuí VIII Jornada Científica TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG campus Bambuí VIII Jornada Científica TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS Daniele Nazaré Tavares¹; Daniela Costa Terra² ¹Estudante de Engenharia da Computação. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Rod. Bambuí/Medeiros

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES Trabalho de Graduação Orientando: Vinicius Stein Dani vsdani@inf.ufsm.br Orientadora: Giliane

Leia mais

Assegurando Qualidade na Migração de Plataformas Moodle: Um Estudo de Caso Utilizando a UFPB Virtual

Assegurando Qualidade na Migração de Plataformas Moodle: Um Estudo de Caso Utilizando a UFPB Virtual Assegurando Qualidade na Migração de Plataformas Moodle: Um Estudo de Caso Utilizando a UFPB Virtual ANJOS 1, Eudisley Gomes dos ROLIM 2, Gabriel de Souza SIEBRA 3, Braulio José Alencar SILVA 4, Danielle

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 PROPOSTA DE UMA ARQUITETURA DE INTERFACE DE SOFTWARE PARA GERAÇÃO DE NOTAS MUSICAIS PARA DETECÇÃO DE OBSTÁCULOS MAGNA CAETANO DA SILVA 1, GABRIEL DA SILVA 2 RESUMO Para realização deste trabalho foi realizada

Leia mais

RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE APOIO EM FÍSICA E MATEMÁTICA DA UFSM - GAFM

RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE APOIO EM FÍSICA E MATEMÁTICA DA UFSM - GAFM ISSN 2177-9139 RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE APOIO EM FÍSICA E MATEMÁTICA DA UFSM - GAFM Samuel Sonego Zimmermann - samuel.sonego.zimmermann@gmail.com Universidade Federal de Santa Maria, Campus

Leia mais

Programa de Alfabetização na Língua Materna

Programa de Alfabetização na Língua Materna Programa de Alfabetização na Língua Materna 2014 Itatiba/ Campinas/SP BRASIL IES2 Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas Ltda 1. Definição do PALMA O PALMA é um programa de alfabetização complementar

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA NO AUXILIO A EDUCAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA E MENTAL

REALIDADE AUMENTADA NO AUXILIO A EDUCAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA E MENTAL 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. MINISTERIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Elaine Cristina Dias Calaça

Leia mais

1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA

1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA 1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA INTRODUÇÃO O curso de engenharia florestal possui 4395 horas de aulas em disciplinas obrigatórias e

Leia mais

Análise do formato semanal do AVEA Moodle utilizando o padrão WCAG 2.0 para alunos cegos

Análise do formato semanal do AVEA Moodle utilizando o padrão WCAG 2.0 para alunos cegos 10 Edição-2015 Análise do formato semanal do AVEA Moodle utilizando o padrão WCAG 2.0 para alunos cegos Eduardo Dalcin¹, Ana Cláudia Pavão Siluk² ¹Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha

Leia mais

ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE

ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE Gustavo Peloi da Silva 1, Valdecir Bertoncelo 2, Filipe Cogo 3 RESUMO:

Leia mais

Humano-Computador (IHC)

Humano-Computador (IHC) 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WA Professora: Clarisse Sieckenius de Souza Acessibilidade: Uma questão de lei e direitos humanos 15/Mar/2010 Stephen Hawking um dos maiores

Leia mais

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia.

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia. 1 Introdução aos Sistemas de Informação 2002 Aula 4 - Desenvolvimento de software e seus paradigmas Paradigmas de Desenvolvimento de Software Pode-se considerar 3 tipos de paradigmas que norteiam a atividade

Leia mais

Software Educacional Móvel de Apoio para Preparação das Olimpíadas Científicas

Software Educacional Móvel de Apoio para Preparação das Olimpíadas Científicas Software Educacional Móvel de Apoio para Preparação das Olimpíadas Científicas Giselle dos Santos Macena 2, Robson Soares Silva 1, Amaury Antônio de Castro Jr. 1 1 Prof. Câmpus de Ponta Porã Universidade

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

UMA PROPOSTA DISCENTE DE AVALIAÇÃO SOBRE A FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS NA UFJF. Elisângela Cristina dos Santos

UMA PROPOSTA DISCENTE DE AVALIAÇÃO SOBRE A FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS NA UFJF. Elisângela Cristina dos Santos UMA PROPOSTA DISCENTE DE AVALIAÇÃO SOBRE A FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS NA UFJF Elisângela Cristina dos Santos Rua Aladim Silva, 128 Bairro: Retiro, Juiz de Fora / MG - CEP: 36072-560 annaeorei@yahoo.com.br

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

RE-QUEST ENGLISH: O ENSINO DE INGLÊS POR MEIO DE UM JOGO INTERATIVO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

RE-QUEST ENGLISH: O ENSINO DE INGLÊS POR MEIO DE UM JOGO INTERATIVO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS RE-QUEST ENGLISH: O ENSINO DE INGLÊS POR MEIO DE UM JOGO INTERATIVO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Resumo Elane Kreile Manhães 1 IFF/UENF Mariáh da Cunha Correa 2 - IFF Orlando Afonso Pereira Junior 3 - IFF

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Isabela Gasparini, Avanilde Kemczinski Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Motivação IHC está relacionada

Leia mais

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE)

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE) Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Núcleo Docente Estruturante (NDE) 20/05/2015 Agenda 1 2 3 4 5 6 Introdução e Motivação Resultados da

Leia mais

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online.

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online. 1 Introdução Na época atual, as certezas definitivas já deram sinais de cansaço e à medida que avança a tecnologia, a sociedade se reformula. O conhecimento estabelecido durante séculos antes confinados

Leia mais

REFORÇO DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA EM LINGUAGEM C PARA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

REFORÇO DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA EM LINGUAGEM C PARA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA REFORÇO DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA EM LINGUAGEM C PARA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Andréa Willa Rodrigues Villarim (Voluntário) Marcelo Pereira Rufino (Bolsista) Larissa Aguiar (Bolsista) Nady Rocha

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul, de acordo com as atribuições previstas no seu Estatuto e Regimento Geral e em consonância

Leia mais

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito -

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito - POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE - Não seja portador de Preconceito - 2014 1 OBJETO As Políticas Institucionais de Acessibilidade Não seja portador de preconceito tem como objetivo promover ações

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB

IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB Isadora dos Santos Rodrigues, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil isadora.santosrodrigues@hotmail.com, bonetti@unipar.br

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos Marli Fátima Vick Vieira 1 ; Gicele Vieira Prebianca 2 ; Tháfila Krum de

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Local PRODEL. Programa de Extensão Institucional

Programa de Desenvolvimento Local PRODEL. Programa de Extensão Institucional Programa de Desenvolvimento Local PRODEL Programa de Extensão Institucional Programa de Extensão Institucional Um programa de extensão universitária é o conjunto de projetos de extensão desenvolvido por

Leia mais

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto PROJETO 7 1. Identificação do projeto Título:Cinema, vídeo e tridimensionalidade: o AVA-AV na integração do ensino presencial e a distância. Responsável:Dra. Ana Zeferina Ferreira Maio Vínculo institucional:professora

Leia mais

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Divane Marcon Fundação Universidade Federal do Pampa divanemarcon@unipampa.edu.br Fabiane C. Höpner

Leia mais

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Linguagem de Programação Visual Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Historico 50s Interfaces são painel de controles do hardware, usuário são engenheiros; 60-70s Interfaces são programas em linguagens

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Jeferson Boesing 1 ; Tiago Heineck 2 ; Angela Maria Crotti da Rosa 3 ; Leila Lisiane Rossi 4 INTRODUÇÃO Alunos

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Matemática. App Inventor. Aplicativos.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Matemática. App Inventor. Aplicativos. 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Conecta Positivo 2014 MANTER E INOVAR. Assessoria da Área de Informática Educativa

Conecta Positivo 2014 MANTER E INOVAR. Assessoria da Área de Informática Educativa Conecta Positivo 2014 MANTER E INOVAR Assessoria da Área de Informática Educativa http://tinyurl.com/avaliacao-spe Assessoria da Área de Informática Educativa Marileusa G. de Souza mgsouza@positivo.com.br

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

AS TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO

AS TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO AS TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO Alison Luis Kohl Diego Luis Eckstein Flávio Pedroso AS TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO Ergonomia de Interfaces; Usabilidade dos Sistemas. Problema de ergonomia e de usabilidade *Eficácia

Leia mais