CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE"

Transcrição

1 CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE Luciara Wanglon Afonso 1 Daniele Pinto Andres 2 RESUMO Este artigo tem por objetivo apresentar algumas questões que envolvem a usabilidade do Software Livre em relação ao Software Proprietário em projetos de Inclusão Digital e, em um segundo momento, aborda a necessidade de se realizar avaliações de usabilidade através de pesquisas com grupos heterogêneos de usuários para avaliar os problemas e as facilidades com que estes usuários se deparam ao utilizar Software Livre e a questão do aprendizado de informática básica com este tipo de software. Palavras-chave: Inclusão Digital, Software Livre, Usabilidade INTRODUÇÃO Esta pesquisa apresenta um estudo relacionado à Usabilidade do Software Livre em projetos de Inclusão Digital, visto que esta prática está sendo a cada dia mais difundida entre as entidades que estão associadas a este propósito, estimuladas pelo custo que diminui consideravelmente com a adoção desta idéia. Isto ocorre uma vez que existe a possibilidade do não pagamento de licenças pelo uso dos softwares utilizados, mesmo que em alguns casos seja necessário o pagamento pela aquisição dos mesmos. 1 Bacharel em Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba, < > 2 Professora do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba,< >

2 Algumas considerações nortearam a escolha deste tema para pesquisa, entre elas estão: Mesmo com custo inferior ao Software Proprietário, o Software Livre é de fácil acesso e torna agradável o aprendizado do usuário final? Utilizando os critérios de avaliação da usabilidade pode-se afirmar que esta é melhor solução em projetos de inclusão? O Software Livre em projetos de inclusão propicia que os excluídos digitais sejam preparados para o mercado de trabalho e para a sociedade em geral ou apenas proporciona que estes estejam aptos a utilizar apenas alguns programas de informática? Questões estas que deveriam ser trabalhadas quando da criação de projetos de inclusão digital. INCLUSÃO DIGITAL Ao se falar em Inclusão Digital, logo imagina-se "ensinar" informática às pessoas que de alguma forma não tem acesso a esse conhecimento. Mas o termo, apesar de estar um tanto quanto banalizado, abrange muito além do simples fato de treinar usuários em conceitos de informática, e está intimamente ligado ao conceito de Inclusão Social. Mas, muitos estudiosos do tema, afirmam que o combate à exclusão digital está ligado ao processo de exclusão social, pois hoje o acesso as TIC s beneficia as camadas mais altas da sociedade. Segundo Silveira (2003), atualmente começa a existir um consenso que amplia a noção de exclusão digital e a vincula ao acesso à rede mundial de computadores. A idéia corrente é que um computador desconectado tem uma utilidade extremamente restrita na era da informação, acaba o que o torna quase como uma mera máquina de escrever. A partir do momento em que a inclusão digital passa a ser considerada como inclusão a TIC s, surge à necessidade de acesso a vários outros serviços. Além do computador, passa a ser necessário o acesso ao serviço telefônico e o provimento de acesso e a formação básica em softwares aplicativos (SILVEIRA, 2003).

3 Existem vários fatores que tornam importante o fim da exclusão digital. Já há algum tempo, órgãos governamentais têm feito uso da Internet para prestar os mais variados tipos de serviço à população, tornando mais rápido e seguro seu funcionamento e o relacionamento com a sociedade. Através deste tipo de serviço é possível reduzir custos, controlar melhor as transações realizadas aumentado à eficácia destes serviços. No ponto de vista educacional, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), possibilitam um novo tipo de aprendizado, o Ensino à Distância, e ao mesmo tempo trazem através da rede mundial um mundo de informações sobre os mais diversos temas, desenvolvendo o conhecimento e também a criatividade de seus usuários. Em questão de cidadania, as TICs possibilitam o relacionamento com outras pessoas e grupos, a capacitação, o conhecimento, o acesso a um conjunto de serviços que muitas vezes não apresentam custos aos seus usuários e ainda a possibilidade de manifestar-se culturalmente. Para que se possam atingir os objetivos esperados com Inclusão Digital, existem alguns pré-requisitos que devem ser observados, por exemplo, a disponibilidade de computadores, o acesso à telefonia, a capacitação em tecnologia e o acesso a Internet. SOFTWARE LIVRE Segundo Silveira (2003), Richard Stallman que até então, era integrante do Massachusetts Institute of Technology (MIT), a partir de sua indignação contra a proibição de poder acessar o código-fonte de um software, que fora desenvolvido a partir do conhecimento de outros programadores, em 1985 cria a Free Software Foundation (FSF). Este movimento começou pequeno e tinha como objetivo reunir e distribuir ferramentas livres, com código-aberto para que todas as pessoas tivessem acesso aos programas e também aos seus códigos. Software livre, de acordo com a FSF, é qualquer programa de computador que possa ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído com algumas restrições, sendo que a maneira usual de distribuição é anexando a ele a licença de Software Livre e tornando o código-fonte do programa disponível.

4 A Free Software Foundation define quatro tipos de liberdade para usuários de software para que este seja considerado livre: Liberdade nº 0 A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito; Liberdade nº 1 A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade; Liberdade nº 2 A liberdade de redistribuir cópias de modo que possa ajudar ao próximo; Liberdade nº 3 A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie. Acesso ao código-fonte é pré-requisito para esta liberdade. Ao atender a essas liberdades, o software é considerado livre, ou seja, pode ser acessado, alterado, e repassado, com as alterações a toda comunidade. Software livre não é sinônimo de software gratuito, uma vez que as licenças livres permitem a comercialização, mas não permitem a falta de liberdade. A Internet permitiu que o movimento de Software Livre fosse difundido em todo o mundo e assim possibilitou a produção de um sistema operacional livre, denominado GNU/LINUX. Em 1992, Linus Torvald compilou todos os programas e ferramentas GNU em um núcleo central, denominado Kernel, e assim tornou possível o sistema operacional. Torvald chamou este sistema operacional de Linux (Linus for Unix). A idéia era produzir um sistema operacional livre que tivesse a lógica do sistema Unix que era proprietário, ou seja, pertencia a uma empresa. Por isso, os vários esforços de programação eram reunidos em torno do nome GNU (Gnu is Not Unix) (SILVEIRA, 2003). Segundo Stallman, o objetivo principal do GNU era ser um Software Livre. Mesmo se o GNU não tivesse vantagem técnica sobre o Unix, teria uma vantagem social, permitindo aos usuários cooperar entre si, e uma vantagem ética, respeitando a liberdade do usuário. Considerando o Software Livre nos projetos de inclusão, um grande número de estudiosos defende o uso deste, baseando-se principalmente no aspecto custo/benefício e na idéia que a inclusão digital não visa apenas mais micros para aqueles que não têm acesso, mas também deve oportunizar a busca do conhecimento com equipamentos baratos,

5 Software Livre, mão de obra criativa e especializada beneficiando assim a chamada Inclusão Social. Seria extremamente viável utilizar mais amplamente o Software Livre, pois além de não enviar royalties poder-se-ia firmarmos como um grande produtor e distribuidor de soluções em código-aberto (SILVEIRA, 2003). Usando Software Livre, os valores gastos com licenças passariam a ser empregados em hardware, treinamentos e suporte para cada unidade. No caso de projetos ligados ao governo, a economia com as licenças de softwares podem ser utilizadas para subsidiar equipamentos e ainda a montagem de outros pontos para garantir o acesso a Internet por parte de todos. Existem muitos projetos de inclusão bem sucedidos no Brasil que utilizam como base o Software Livre, entre eles estão: o Projeto Telecentros (SP), o Via Pública (RS), Sampa.Org (SP), entre outros. USABILIDADE Segundo Frederick van Amstel, professor de Web Design do Opet, pode-se entender usabilidade como sinônimo para facilidade de uso, ou seja, se um produto é fácil de usar, o usuário tem maior produtividade, aprende mais rápido, memoriza as operações e comete menos erros. Amstel ainda afirma que sempre que houver uma interface, ou seja, um ponto de contato entre um objeto físico (cafeteira) ou abstrato (software), pode-se observar a usabilidade que esse objeto oferece. Aplicando o termo mais precisamente na área de informática, conforme Nielsen (1993), pode-se dizer que usabilidade tem como objetivo principal a elaboração de interfaces que permitam uma interação fácil e agradável para o usuário e que seja ao mesmo tempo eficiente e eficaz. Ainda segundo Nielsen (1993), a usabilidade pode ser dividida em cinco atributos básicos:

6 Facilidade de Aprendizagem o sistema deve apresentar facilidade de uso permitindo que, mesmo um usuário sem experiência, seja capaz de produzir algum trabalho satisfatoriamente; Eficiência o sistema deve ser eficiente em seu desempenho apresentando um alto nível de produtividade; Facilidade de Memorização suas telas devem apresentar facilidade de memorização permitindo que usuários ocasionais consigam utilizá-lo mesmo depois de um longo intervalo de tempo; Baixa Taxa de Erros a quantidade de erros apresentados pelo sistema deve ser o mais reduzido possível, além disso, eles devem apresentar soluções simples e rápidas mesmo para usuários iniciantes. Erros graves ou sem solução não podem ocorrer. Satisfação o sistema deve agradar ao usuário, sejam eles iniciantes ou avançados permitindo uma interação agradável. Baseado nestes conceitos é certo afirmar que usabilidade é uma combinação de características da interface de software relacionada com o usuário, como por exemplo, os atributos descritos anteriormente. Dentre as diferentes formas de se avaliar a usabilidade uma das mais importantes (NIELSEN, 2003), é a observação da interação com o usuário, podendo esta ser feita em laboratório com uma quantidade representativa de usuários para os quais o sistema foi desenvolvido, ou no ambiente de trabalho onde o sistema será implantado. O mais importante durante os testes de interação é que, sempre que possível, seja utilizado o usuário certo para as tarefas certas, com o objetivo de se obter o máximo de desempenho avaliativo. De acordo com Cybis (2003), quando se realiza uma avaliação de interface, o avaliador terá como primeira tarefa a elaboração de um Plano de Testes de Usabilidade, no qual irá descrever a realização de uma seqüência estruturada de avaliações de usabilidade. Os principais objetivos de uma avaliação de usabilidade são: Averiguar, observar e registrar problemas de usabilidade durante a interação; Calcular métricas objetivas para eficácia, eficiência e produtividade do usuário na interação com o sistema;

7 Diagnosticar características do projeto que provavelmente irão atrapalhar a interação por estarem em desconformidade com padrões implícitos e explícitos de usabilidade; Prever dificuldades de aprendizagem relativas a operação do sistema; Prever o tempo de execução de tarefas informatizadas; Conhecer a opinião do usuário em relação ao sistema; e Sugerir ações de re-projeto mais evidentes face aos problemas de interação efetivos ou diagnosticados. A avaliação de interface pode ser realizada em qualquer etapa do ciclo de desenvolvimento de um sistema, e até mesmo após sua implementação. E uma vez que os problemas relacionados à usabilidade sejam detectados, devem ser imediatamente solucionados ou ter seus efeitos minimizados. CONSIDERAÇÕES FINAIS O conhecimento construído e adquirido até o momento, no que diz respeito a teoria que foi estudada, foi de grande importância para a realização desta caracterização. De acordo com o contexto apresentado anteriormente e analisando o atual estado da arte, este artigo apresenta como solução a utilização de ensaios de interação (Testes de Usabilidade), bem como a necessidade de se realizar avaliações de usabilidade no Software Livre com grupos de usuários em diferentes níveis de aprendizado. Grande parte dos desenvolvedores de Software Livre preocupou-se em criar soluções com segurança, produtividade e qualidade, estágio este já alcançado no cenário mundial. Porém, percebe-se uma necessidade de incorporar a usabilidade para usuários com diferentes níveis de conhecimento, bem como na absorção de usuários novos e resistentes as mudanças. Com isso, seria possível tornar o sistema mais intuitivo diminuindo as necessidades de suporte. BIBLIOGRAFIA

8 AMSTEL, Frederick van. Afinal, o que é Usabilidade? Disponível em: <http://www.usabilidoido.com.br/afinal_o_que_e_usabilidade.html> Acesso em 29 set CYBIS, Walter de Abreu. Engenharia de Usabilidade: uma abordagem ergonômica. Florianópolis: Laboratório de Utilizabilidade em Informática, GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. LTC: Rio de Janeiro, NIELSEN, Jacob. Usability Engineering. São Francisco: Morgan Kaufmann, SILVEIRA, Sérgio Amadeu da (org); CASSINO, João (org). Software Livre e Inclusão Digital. São Paulo: Conrad Editora do Brasil, 2003.

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com. Curso Introdução ao Linux Desmistificando o Software Livre Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.br Índice 1 O que é Software Livre? 2 A história por trás do Software Livre.

Leia mais

software livre: a tecnologia que liberta!

software livre: a tecnologia que liberta! software livre: a tecnologia que liberta! conteúdo original de www.cachorrosurtado.blogspot.com www.escolaep.blogspot.com copyleft 2010 (((SLIDE 01))) RELEMBRANDO O CONCEITO DE SOFTWARE SOFTWARE é o mesmo

Leia mais

CC Montagem e manutenção de hardware Docente: Nataniel Vieira 1 sem Técnico em Informática Roteiro 06: Atividade sobre o Documentário RevolutionOS

CC Montagem e manutenção de hardware Docente: Nataniel Vieira 1 sem Técnico em Informática Roteiro 06: Atividade sobre o Documentário RevolutionOS SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CC Montagem e manutenção de hardware Docente: Nataniel Vieira 1 sem Técnico em Informática Roteiro 06: Atividade sobre o

Leia mais

CC Montagem e manutenção de hardware Docente: Nataniel Vieira 1 sem Técnico em Informática Roteiro 06: Atividade sobre o Documentário RevolutionOS

CC Montagem e manutenção de hardware Docente: Nataniel Vieira 1 sem Técnico em Informática Roteiro 06: Atividade sobre o Documentário RevolutionOS SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CC Montagem e manutenção de hardware Docente: Nataniel Vieira 1 sem Técnico em Informática Roteiro 06: Atividade sobre o

Leia mais

Administração de Sistemas Livres. Prof. Lais Farias Alves

Administração de Sistemas Livres. Prof. Lais Farias Alves Administração de Sistemas Livres Prof. Lais Farias Alves Administração de Sistemas Livres Software e Suas Licenças O que é um Software Livre? Software Livre x Software Proprietário Software e Suas Licenças

Leia mais

Manifesto Software Livre

Manifesto Software Livre Manifesto Software Livre Histórico iniciou com a elaboração de um documento denominado: " Manifesto GNU " por Richard Stallman 1.984; marco histórico do surgimento de uma nova forma de criação de Software;

Leia mais

1 / 6. Cartilha O ABC do Software Livre. O que é PcLivre?

1 / 6. Cartilha O ABC do Software Livre. O que é PcLivre? 1 / 6 Cartilha O ABC do Software Livre O que é PcLivre? O PC Livre é um projeto de iniciativa do PSL-Brasil, coordenado por voluntários e operado por vários parceiros que apoiam a iniciação de novos usuários

Leia mais

Circuito Curitibano de Software Livre

Circuito Curitibano de Software Livre Circuito Curitibano de Software Livre 1ª etapa: UniBrasil Software Livre e a Paulo Henrique de Lima Santana 19 de maio de 2015 Paulo Henrique de Lima Santana Bacharel em Ciência da Computação na UFPR.

Leia mais

SOFTWARE LIVRE NO SETOR PÚBLICO

SOFTWARE LIVRE NO SETOR PÚBLICO SOFTWARE LIVRE NO SETOR PÚBLICO Marco Túlio dos Santos(mtuliods@hotmail.com) Thales Macieira(monteiro_macieira@yahoo.com.br) Richardson Mendes(richardsonmendes407@gmail.com) Resumo: O artigo a seguir tem

Leia mais

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux. Prof. Jefferson Santiago

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux. Prof. Jefferson Santiago Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux Prof. Jefferson Santiago Apresentação Qual seu nome? Já possui experiência na área? Questionário avaliativo Acesse: http://goo.gl/forms/4rfaomufim

Leia mais

Software Livre. para concursos. Questões comentadas

Software Livre. para concursos. Questões comentadas Software Livre para concursos Questões comentadas Prefácio Hoje, qualquer instituição, seja ela pública ou privada, necessita utilizar programas de computadores para auxiliar os seus processos, gerando

Leia mais

Como é o desenvolvimento de Software?

Como é o desenvolvimento de Software? Como é o desenvolvimento de Software? Fases do Desenvolvimento Modelo Cascata Define atividades seqüenciais Outras abordagens são baseadas nesta idéia Especificação de Requisitos Projeto Implementação

Leia mais

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre 16:21:50 Introdução à Informática com Software Livre 1 16:21:50 Hardware & Software 2 16:21:50 Hardware Hardware é a parte física de um computador, é formado pelos componentes eletrônicos, como por exemplo,

Leia mais

ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI

ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI SOFTWARE LIVRE E SOFTWARE PROPRIETARIO Software Livre. O software livre foi desenvolvido,

Leia mais

Terceiro Resumo de Projeto de Engenharia de Software

Terceiro Resumo de Projeto de Engenharia de Software Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Terceiro Resumo de Projeto de Engenharia de Software Grupo Open Source: Eduardo Telles Giovani Tadei Marco Aurélio Renata Monique Primeira Aula O aspecto

Leia mais

Aula 01. Introdução ao Linux

Aula 01. Introdução ao Linux Aula 01 Introdução ao Linux Introdução Objetivos aprender a usar um novo sistema aprender a usar uma nova interface Como no Windows navegar pela internet (e-mails, facebook, etc) criar pastas e arquivos

Leia mais

Informática I. Aula 26. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Baseada no Capítulo 2 do Livro Introdução a Informática Capron e Johnson

Informática I. Aula 26. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Baseada no Capítulo 2 do Livro Introdução a Informática Capron e Johnson Informática I Aula 26 Baseada no Capítulo 2 do Livro Introdução a Informática Capron e Johnson http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 26-17/07/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de

Leia mais

SOFTWARES LIVRES PARA TRANSPARÊNCIA PÚBLICA. Nome Expositor: Adriano Almeida Órgão: Secretaria Executiva de Transparência Púbica da PMJP

SOFTWARES LIVRES PARA TRANSPARÊNCIA PÚBLICA. Nome Expositor: Adriano Almeida Órgão: Secretaria Executiva de Transparência Púbica da PMJP SOFTWARES LIVRES PARA TRANSPARÊNCIA PÚBLICA Nome Expositor: Adriano Almeida Órgão: Secretaria Executiva de Transparência Púbica da PMJP 2015 A SETRANSP Criada em 2005, tem como missão estabelecer os fundamentos

Leia mais

Software de sistema Software aplicativo

Software de sistema Software aplicativo SOFTWARE O que é Software? Software, logicial ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redireccionamento ou modificação de um dado/informação

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Curso Técnico em Redes de Computadores Disciplina de Sistemas Operacionais Livres SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Professora: Juliana Cristina dos Santos E-mail: professora@julianacristina.com Site:

Leia mais

Introdução. Hardware X Software. Corpo Humano Parte Física. Capacidade de utilizar o corpo em atividades especificas explorando seus componentes

Introdução. Hardware X Software. Corpo Humano Parte Física. Capacidade de utilizar o corpo em atividades especificas explorando seus componentes Introdução Hardware X Software Corpo Humano Parte Física Componentes 18 Capacidade de utilizar o corpo em atividades especificas explorando seus componentes Hardware Introdução Parte física: placas, periféricos,

Leia mais

Gustavo Noronha Silva. Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital

Gustavo Noronha Silva. Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital Gustavo Noronha Silva Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES junho / 2003 Gustavo Noronha Silva Projeto de Pesquisa: Impactos

Leia mais

O modelo Bazar de Produção de Softwares. O caso das Comunidades Virtuais de Software livre.

O modelo Bazar de Produção de Softwares. O caso das Comunidades Virtuais de Software livre. O modelo Bazar de Produção de Softwares O caso das Comunidades Virtuais de Software livre. Por Vicente Aguiar Fonte: Lucas Rocha Feced/2005 Sobre esta apresentação 2008 Vicente Aguiar

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Software. Livre. Será que é isso mesmo que eu quero? João Eriberto Mota Filho Eriberto jun. 10

Software. Livre. Será que é isso mesmo que eu quero? João Eriberto Mota Filho Eriberto jun. 10 Software Livre Será que é isso mesmo que eu quero? João Eriberto Mota Filho Palmas, TO, 11 de junho de 2010 Sumário O que é o Software Livre? O que é o Linux? O licenciamento de software Alguns mitos,

Leia mais

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Aula 34 Software livre e código aberto Aula 34 2 Gestão em Sistemas

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS E FISCALIZ S AO PLN 0002 / 2007 - LDO Página: 489 de 2393 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 24760001 0461 Promoção da Pesquisa e do Desenvolvimento Científico

Leia mais

CONHECENDO O SOFTWARE LIVRE

CONHECENDO O SOFTWARE LIVRE CONHECENDO O SOFTWARE LIVRE Reinaldo Candido da Costa 1 * Rosaria Ferreira Otoni dos Santos* Resumo O presente artigo busca instigar a reflexão dos usuários dos meios de comunicação e disseminação da informação

Leia mais

São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar.

São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar. São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar. Quais são eles? Vários outros programas 1 Sistema Básico

Leia mais

NÚCLEO DE CIDADANIA DIGITAL Caminho Livre para o novo mundo! Conceitos básicos de Linux. www.ncd.ufes.br

NÚCLEO DE CIDADANIA DIGITAL Caminho Livre para o novo mundo! Conceitos básicos de Linux. www.ncd.ufes.br NÚCLEO DE CIDADANIA DIGITAL Caminho Livre para o novo mundo! Conceitos básicos de Linux www.ncd.ufes.br Licença Este trabalho é licenciado sob a licença Creative Commons Attribution NonCommercial-ShareAlike

Leia mais

Software Livre na Escola

Software Livre na Escola Introdução Reflexão sucinta sobre a adopção de software livre na Escola "O alargamento do acesso às redes digitais, indispensável para que não se gerem novas formas de exclusão, pode passar pela consideração

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre O que é software livre Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 17:12. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns de novos

Leia mais

Introdução Software Livre Projeto GNU/Linux Software Livre vs Software Proprietário Liberdade para todos. Software Livre. Grupo 5

Introdução Software Livre Projeto GNU/Linux Software Livre vs Software Proprietário Liberdade para todos. Software Livre. Grupo 5 Introdução Projeto GNU/Linux vs Software Proprietário Liberdade para todos Tronco Inicial Universidade Federal de Alagoas - UFAL- Arapiraca 29 de Março 2012 Introdução Projeto GNU/Linux vs Software Proprietário

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná, rua Cristo Rei, 19, Vila Becker, Toledo, Paraná, 85902-490. E-mail: faspanhol@utfpr.edu.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná, rua Cristo Rei, 19, Vila Becker, Toledo, Paraná, 85902-490. E-mail: faspanhol@utfpr.edu. MOVIMENTO DO SOFTWARE LIVRE NO ENSINO TÉCNICO DE INFORMÁTICA PARA PROMOVER A CONSCIENTIZAÇÃO E EMANCIPAÇÃO SOCIAL Fabio Alexandre Spanhol; Raquel Ribeiro Moreira, rua Cristo Rei, 19, Vila Becker, Toledo,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Faculdade de Direito - Ciências do Estado e Governança Mundial

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Faculdade de Direito - Ciências do Estado e Governança Mundial UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Faculdade de Direito - Ciências do Estado e Governança Mundial A CONTRIBUIÇÃO DO SOFTWARE LIVRE PARA O FOMENTO À EDUCAÇÃO Brener Fidelis de Seixas Belo Horizonte Junho/2011

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

Software Livre em Empresas. Cesar Bezerra Teixeira

Software Livre em Empresas. Cesar Bezerra Teixeira Software Livre em Empresas Cesar Bezerra Teixeira 2004 Objetivo Apresentar tópicos diversos, para implantação de uma política de utilização de software livre, em empresas. Cesar Bezerra Teixeira 2 Sumário

Leia mais

Software Livre e proprietário: Coexistência de diferentes formas de Licenciamento, interoperabilidade e eficiência na inclusão digital e social.

Software Livre e proprietário: Coexistência de diferentes formas de Licenciamento, interoperabilidade e eficiência na inclusão digital e social. Software Livre e proprietário: Coexistência de diferentes formas de Licenciamento, interoperabilidade e eficiência na inclusão digital e social. Palestrante: Paulo Cesar Alves 19/09/2005 Agenda Formulação

Leia mais

Conteúdo. Uma visão social. O que é? Dá certo? Custos. Recomendações. Apresentação Ricardo Gazoni Semiotic Systems. Software Livre Junho de 2011

Conteúdo. Uma visão social. O que é? Dá certo? Custos. Recomendações. Apresentação Ricardo Gazoni Semiotic Systems. Software Livre Junho de 2011 Conteúdo Uma visão social O que é? Dá certo? Custos Recomendações Apresentação Ricardo Gazoni Semiotic Systems Página 2 Uma visão social História da computação: o começo de tudo 1936 década de 40 Máquina

Leia mais

Software Livre. Carlos José Pereira carlao2005@gmail.com

Software Livre. Carlos José Pereira carlao2005@gmail.com Software Livre Carlos José Pereira carlao2005@gmail.com Professor Ens. Bas. Tecnológico - IFSP - São Carlos, SP Doutor em Geografia - UNESP - Rio Claro, SP http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/br/

Leia mais

Implantação do Sistema Operacional Pandorga Gnu/Linux como forma de Inclusão Digital e Aprendizagem Funcional

Implantação do Sistema Operacional Pandorga Gnu/Linux como forma de Inclusão Digital e Aprendizagem Funcional 985 Implantação do Sistema Operacional Pandorga Gnu/Linux como forma de Inclusão Digital e Aprendizagem Funcional Lisiane Murlik Moraes Lazarotti 1, Luis Gustavo Galves Mählmann 2 1 Acadêmico do Curso

Leia mais

Software Livre, Ética, Segurança e Privacidade na Internet. Prof. Alexandro Silva

Software Livre, Ética, Segurança e Privacidade na Internet. Prof. Alexandro Silva Software Livre, Ética, Segurança e Privacidade na Internet Prof. Alexandro Silva Alexandro Silva penguim.wordpress.com Hacker Professor dos cursos de Redes, SI e Desenvol. de Software Atua no mercado OpenSource

Leia mais

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO MIRANDA 1, Márcia Verônica Costa; SILVA 2, Gilmar Batista da 1 Professora Orientadora

Leia mais

O modelo Bazar de Produção de Softwares. O caso das Comunidades Virtuais de Software livre.

O modelo Bazar de Produção de Softwares. O caso das Comunidades Virtuais de Software livre. O modelo Bazar de Produção de Softwares O caso das Comunidades Virtuais de Software livre. Por Vicente Aguiar Fonte: Lucas Rocha Feced/2005 Sobre esta apresentação 2005 Lucas Rocha > lucasr@gnome.org

Leia mais

Edição Jaguarão / RS. Ministério do Planejamento - SLTI Ministério das Comunicações Departamento de Banda Larga

Edição Jaguarão / RS. Ministério do Planejamento - SLTI Ministério das Comunicações Departamento de Banda Larga Edição Jaguarão / RS Ministério do Planejamento - SLTI Ministério das Comunicações Departamento de Banda Larga FLISOL Um dia de colaboração e compartilhamento de conhecimento... Ronald Costa Qual é a essência

Leia mais

ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL

ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL Erick Lino Pedro 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso

Leia mais

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013)

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Eduardo Bueno Simões Pires 1, Aline da Cunha Simões Pires 2 1 Instituto de Informática Universidade

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

Modelos de Negócio com Software Livre

Modelos de Negócio com Software Livre Modelos de Negócio com Software Livre Marcelo Souza (marcelo@cebacad.net) Tech Jr. Empresa Júnior de Informática UCSal CEBACAD Centro Baiano de Computação de alto Desempenho PSL-BA Projeto Software Livre

Leia mais

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Vitor Cleton Viegas de Lima 1 Cristiane Camargo Aita 2 Daniele Pinto Andres 3 Resumo: este artigo tem por objetivo levantar

Leia mais

Razões que contribuíram para o processo de automação das bibliotecas, citado por Cardoso (2003):

Razões que contribuíram para o processo de automação das bibliotecas, citado por Cardoso (2003): No que diz respeito ao mundo do trabalho, profundas transformações aconteceram (e acontecem!) tanto no nível estrutural transformação de postos de trabalho, surgimento, extinção e transformação de profissões,

Leia mais

Introdução aos Sistemas da InformaçãoAula 4 p. 1

Introdução aos Sistemas da InformaçãoAula 4 p. 1 Introdução aos Sistemas da Informação Aula 4 Ivan da Silva Sendin ivansendin@yahoo.com FACOM - Universidade Federal de Uberlândia Introdução aos Sistemas da InformaçãoAula 4 p. 1 Software O que é software?

Leia mais

SOFTWARE LIVRE DISCIPLINA:

SOFTWARE LIVRE DISCIPLINA: SOFTWARE LIVRE DISCIPLINA: Introdução a Ciência da Computação DOCENTE: Ricardo Sant ana DISCENTE: Matheus Vieira e Silva 1º ANO ARQUIVOLOGIA Junho de 2006 Entendendo o que é Software Livre: Liberdade dos

Leia mais

PL 3280/2004 PROJETO DE LEI Nº 3280/2004

PL 3280/2004 PROJETO DE LEI Nº 3280/2004 PL 3280/2004 Dispõe sobre a utilização de programas de computador nos estabelecimentos de ensino público dos Estados brasileiros e do Distrito Federal e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 3280/2004

Leia mais

Carla Morais e João Paiva. Software Educativo 2009/2010

Carla Morais e João Paiva. Software Educativo 2009/2010 Carla Morais e João Paiva Software Educativo 2009/2010 Os conceitos: Software livre e Open Source O conceito de Software livre (Free Software, no original), anterior ao de Open source, foi cunhado por

Leia mais

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software; Sistemas Operacionais: Evolução; Conceitos Básicos; Tipos; Exemplos. DEINFO/UFRPE

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL ATRAVÉS DE CURSOS DE INFORMÁTICA NA ULBRA CAMPUS GUAÍBA

INCLUSÃO DIGITAL ATRAVÉS DE CURSOS DE INFORMÁTICA NA ULBRA CAMPUS GUAÍBA INCLUSÃO DIGITAL ATRAVÉS DE CURSOS DE INFORMÁTICA NA ULBRA CAMPUS GUAÍBA Daniele Pinto Andres RESUMO Este artigo aborda uma análise das atividades realizadas na ULBRA de Guaíba sobre os cursos de informática

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

SOFTWARE LIVRE PARA UM MUNDO MELHOR

SOFTWARE LIVRE PARA UM MUNDO MELHOR SOFTWARE LIVRE PARA UM MUNDO MELHOR A evolução tecnológica da humanidade... Professor Milton José Lyrio Simonetti prof.milton@ig.com.br Nem antropólogo Nem historiador Nem sociólogo Nem paleontólogo...

Leia mais

Principais Sistemas Operacionais. Prof. Fernando Nakayama de Queiroz

Principais Sistemas Operacionais. Prof. Fernando Nakayama de Queiroz Principais Sistemas Operacionais Prof. Fernando Nakayama de Queiroz Principais S.O. Unix Linux Windows Mac OS Microsoft Windows Criado por Bill Gates e Paul Allen em 1985. Sistema proprietário (pago).

Leia mais

Software Livre Introdução ao Linux

Software Livre Introdução ao Linux Software Livre Introdução ao Linux Instituto Granbery 06/03/2004 Carlos de Castro Goulart Departamento de Informática-UFV goulart@dpi.ufv.br Parte I - Software Livre O que é Software Livre? Vantagens da

Leia mais

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Formosa Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Prof. M.Sc. Victor Hugo Lázaro Lopes IHC Paradigmas de IHC AGENDA Engenharia Cognitiva

Leia mais

Fabio Favarim 1 (Coordenador da Ação de Extensão)

Fabio Favarim 1 (Coordenador da Ação de Extensão) INCLUSÃO DIGITAL PROMOVENDO OPORTUNIDADES DE TRABALHO E CIDADANIA Área Temática: Trabalho Fabio Favarim 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Fabio Favarim Beatriz Terezinha Borsoi 2 Palavras-chave: inclusão

Leia mais

Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada à Educação

Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada à Educação Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada à Educação Software Livre e Educação Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc tiagodemelo@gmail.com 1 Sumário Introdução ao Software Livre Licenciamento de software

Leia mais

Tiago Rodrigo Marçal Murakami

Tiago Rodrigo Marçal Murakami Tiago Rodrigo Marçal Murakami Bacharel em Biblioteconomia pela USP Estudante de Administração Pública na UFOP Editor do Blog Bibliotecários sem Fronteiras - BSF Responsável pelo RABCI Estrutura e objetivo

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 9-1. O KERNEL DO LINUX Nos sistemas GNU/Linux, todas as distribuições baseadas nos sistemas GNU/Linux existentes são compatíveis, graças ao uso de um kernel único desenvolvido por uma equipe de

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente:

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente: ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Unidade IV DEFINIR A MELHOR SOLUÇÃO DE BANCO DE DADOS PARA AS NECESSIDADES DA EMPRESA.1 O uso das tecnologias.1.1 O software livre 1 A tecnologia de banco de dados, assim

Leia mais

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Resumo O projeto tem como objetivo principal promover a inclusão digital dos softwares

Leia mais

MSF- MICROSOFT SOLUTIONS FRAMEWORK. Cesar Eduardo Freitas Italo Alves

MSF- MICROSOFT SOLUTIONS FRAMEWORK. Cesar Eduardo Freitas Italo Alves MSF- MICROSOFT SOLUTIONS FRAMEWORK Cesar Eduardo Freitas Italo Alves A ORIGEM DO MSF (MICROSOFT SOLUTIONS FRAMEWORK) Baseado na experiência da empresa na construção de softwares como Office e Windows e

Leia mais

Software Livre na UFG e em Casa

Software Livre na UFG e em Casa UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CONPEEX 2010 Software Livre na UFG e em Casa Hugo Alexandre Dantas do Nascimento Diretor do CERCOMP diretor@cercomp.ufg.br hadn@inf.ufg.br Sumário Introdução Definição de

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução 14

Capítulo 1 - Introdução 14 1 Introdução Em seu livro Pressman [22] define processo de software como um arcabouço para as tarefas que são necessárias para construir software de alta qualidade. Assim, é-se levado a inferir que o sucesso

Leia mais

CENTRAL DE SERVIÇOS APOIADA EM SOFTWARE LIVRE

CENTRAL DE SERVIÇOS APOIADA EM SOFTWARE LIVRE CENTRAL DE SERVIÇOS APOIADA EM SOFTWARE LIVRE Juliano Flores Prof. Wagner Walter Lehmann Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI0034) Prática do Módulo

Leia mais

Introdução 12/06/2012. Software Livre

Introdução 12/06/2012. Software Livre Software Livre Introdução Software Livre, software de código aberto ou software aberto é qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo

Leia mais

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller 1 Introdução O objetivo deste trabalho é verificar a eficiência da Avaliação com o Usuário e da

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR DA REDE PÚBLICA

CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR DA REDE PÚBLICA IV Congresso RIBIE, Brasilia 1998 CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES PARA USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR DA REDE PÚBLICA Cristina Vermelho, Glaucia da Silva Brito, Ivonélia da Purificação

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica ANÁLISE DA APLICABILIDADE DE SOFTWARE LIVRE NAS INSTITUIÇÕES DO ESTADO DE GOIÁS E A INCLUSÃO DIGITAL Daniel Seabra 1,4 e Ly Freitas Filho 1,4 RESUMO Este estudo tem o intuito de auxiliar os gestores organizacionais

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PRONATEC PROFESSOR: NATANIEL VIEIRA ALUNOS: ANA CAROLINA, ROMÁRIO, WAGNER.

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PRONATEC PROFESSOR: NATANIEL VIEIRA ALUNOS: ANA CAROLINA, ROMÁRIO, WAGNER. 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PRONATEC PROFESSOR: NATANIEL VIEIRA ALUNOS: ANA CAROLINA, ROMÁRIO, WAGNER. TURMA: 2 TERMOS TÉCNICOS PELOTAS, 2012 ANA CAROLINA, ROMÁRIO,

Leia mais

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional Curso de Linux Básico com o Felipe Buarque de Queiroz felipe.buarque@gmail.com Unidade Gestora de Tecnologia da Informação - UGTI Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Alagoas - FAPEAL Maio de 2009

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO Caio Cesar Caio Cesar? Ensino / Pesquisa / Consultoria Comunicação online Marketing Design de Interação www.caiocesar.cc Tema de hoje Design Centrado no Usuário O quê? Por quê?

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre CAMPOS, Augusto. O que é software livre. BR-Linux. Florianópolis, março de 2006. Disponível em . Consultado em 16 de Dezembro de 2008. O que é software livre

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Capítulo 12 REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS De que forma o desenvolvimento de um novo sistema poderia mudar a maneira de uma organização trabalhar?

Leia mais

SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E LIBERDADE DE CONHECIMENTO. Professor Milton José Lyrio Simonetti prof.milton@ig.com.br

SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E LIBERDADE DE CONHECIMENTO. Professor Milton José Lyrio Simonetti prof.milton@ig.com.br SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E LIBERDADE DE CONHECIMENTO Professor Milton José Lyrio Simonetti prof.milton@ig.com.br Nem antropólogo Nem historiador Nem sociólogo Nem paleontólogo... engenheiro eletricista,

Leia mais

Conhecer as características e possibilidades do SO GNU Linux como servidor em uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema em OM do

Conhecer as características e possibilidades do SO GNU Linux como servidor em uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema em OM do OBJETIVOS Conhecer as características e possibilidades do SO GNU Linux como servidor em uma rede; Analisar a viabilidade de implantação do sistema em OM do Exército Brasileiro. SUMÁRIO 1. Introdução 2.

Leia mais

www.efoto.eng.uerj.br PROJETO E-FOTO: UMA ESTAÇÃ EDUCACIONAL EM AMBIENTE DE SOFTWARE LIVRE

www.efoto.eng.uerj.br PROJETO E-FOTO: UMA ESTAÇÃ EDUCACIONAL EM AMBIENTE DE SOFTWARE LIVRE Autores: Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Geomática: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Programa de Mestrado Acadêmico em Engenharia de Computação Área de Concentração: GEOMÁTICA (Departamento

Leia mais

Software Livre e Inovação Tecnológica

Software Livre e Inovação Tecnológica Software Livre e Inovação Tecnológica Fábio Olivé (fabio.olive@gmail.com) Tópicos O que significa Livre em Software Livre? De onde veio e quem usa Software Livre? A qualidade diferenciada do Software Livre

Leia mais

Software livre: solução ou problema? Autores: Prates, C. F., Souza, C. H. F. B., Castro, C. V., Vilela, D. R. G., Almeida, N. M

Software livre: solução ou problema? Autores: Prates, C. F., Souza, C. H. F. B., Castro, C. V., Vilela, D. R. G., Almeida, N. M Software livre: solução ou problema? Autores: Prates, C. F., Souza, C. H. F. B., Castro, C. V., Vilela, D. R. G., Almeida, N. M Resumo Quando o tema da discussão são softwares livres, é possível perceber

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O Papel do Software Livre na Inclusão Digital Cristiano César Wazlawick * RESUMO A inclusão digital como ação para a inclusão social está no foco de ações do governo federal brasileiro.

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL PROMOVENDO INCLUSÃO SOCIAL

INCLUSÃO DIGITAL PROMOVENDO INCLUSÃO SOCIAL INCLUSÃO DIGITAL PROMOVENDO INCLUSÃO SOCIAL Letícia de Abreu Araujo 1 Beatriz Terezinha Borsoi 2 Fabio Favarim 3 1,2,3 Informática/UTFPR, Pato Branco, Brasil e-mail: l.abreuaraujo@hotmail.com Resumo Promover

Leia mais

Gestão de Documentos: Um estudo da difusão do uso de softwares livres no curso de graduação em Arquivologia da UFMG.

Gestão de Documentos: Um estudo da difusão do uso de softwares livres no curso de graduação em Arquivologia da UFMG. Gestão de Documentos: Um estudo da difusão do uso de softwares livres no curso de graduação em Arquivologia da UFMG. Alex Soares André Ogando Karime Marcenes Márcia Bolina Wallace Carvalho RESUMO No contexto

Leia mais

Que tipo de arranjo de computadores e processamento computacional traria o maior benefício para a organização?

Que tipo de arranjo de computadores e processamento computacional traria o maior benefício para a organização? Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 08 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Dos Senhores PAULO TEIXEIRA e JORGE BITTAR) Dispõe sobre uso do Fundo Setorial para Tecnologia da Informação - CTInfo para financiar o desenvolvimento de software livre. O Congresso

Leia mais

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB OBJETIVO GERAL Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB Marisol de Andrade Maués Como objetivo geral, buscou-se avaliar a qualidade de produtos Web, tendo como base o processo de avaliação de qualidade descrito

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Arquitetura de Informação

Arquitetura de Informação Arquitetura de Informação Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Arquitetura de Informação? Ferramentas para Web Design 2 Arquitetura de Informação (AI): É a arte de expressar

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais