Instruções para prestação de contas de auxílio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instruções para prestação de contas de auxílio"

Transcrição

1 Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Auxílio à Projetos de Inovação Tecnológica - ADT 1 Auxílio para a Inserção de Novas Tecnologias no Mercado - ADT 2 Pessoa Jurídica 1

2 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro Tels: /1957/1976/1992 Ana Paula Ferreira Andrade Anísia Paula da Silva Campos Dayse do Espirito Santo Pinto (Auditora) Fellipe Madruga Barroso Joice Luzia Higino José Pereira Santos Maria Madalena Silva Oliveira Natália Simões Corrêa Suellen da Conceição Moraes Thiago Brito da Silva Vanessa Amorim da Silva 2

3 Índice O que o outorgado é proibido de fazer Documentos que deverão constar de todas as prestações de contas (todos em original) Passagem do Outorgado Passagem de terceiros ou professor visitante Diárias do Outorgado Diárias de terceiros ou professor visitante Serviços de terceiro de pessoa Física Serviços de terceiro de pessoa jurídica Material de Consumo Material Permanente Equipamentos Obras/Instalação Aluguéis Gráfi ca Outros Comprovantes bancários obrigatórios Importação

4 O exame prévio da Prestação de Contas deverá ser agendado na Auditoria Interna pelos telefones e no horário de 10:00 às 17:00 horas. O que o outorgado é proibido de fazer - Alterar valores entre os grupos de despesas (remanejamentos) dos itens constantes do Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio sem a autorização prévia da FAPERJ. Uma vez comprovado na Prestação de Contas que o Plano de Aplicação do Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio foi alterado sem autorização da FAPERJ o Outorgado deverá recolher o valor devido a Fundação; - Transferir recursos ou saldos de um projeto para o outro, mesmo que sejam do próprio Outorgado como, por exemplo, fracionar valores de importação de um único bem com outro projeto FAPERJ; - Efetuar despesas fora do período de vigência fi xado no Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio/Bolsa como, por exemplo, adquirir materiais ou contratar serviços antes da liberação do fomento; - Prestar contas com pendências nas importações; - Deixar de prestar contas. Documentos que deverão constar de todas as prestações de contas (todos em original) - Ofício de encaminhamento (MODELO I); - Balancete de Prestação de Contas (MODELO II); - Relação dos documentos comprobatórios (MODELO III); - Comprovantes de despesas (Notas Fiscais e Modelos FAPERJ); 4

5 Passagem do Outorgado Passagens Aérea e Terrestre - Apresentar tickets (canhotos) de embarque utilizados (ida e volta) original e documento que certifi que o valor da compra da passagem; - Apresentar cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição científi ca/tecnológica ao Projeto; - Somente serão aceitas passagens na classe econômica; - Apresentar bilhetes de passagens originais utilizados (ida e volta); - Apresentar cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição científi ca/tecnológica ao Projeto; - Colar todos os documentos comprobatórios em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; - O Outorgado também poderá anexar à declaração de vôo da Companhia aérea com uma carta do Outorgado justifi cando o extravio do bilhete; - No caso de extravio da passagem e da não apresentação da declaração de vôo da Companhia aérea, o Outorgado deverá recolher o valor integral a FAPERJ; - NÃO SERÃO ACEITOS Despesas com seguro saúde, taxa de mudança de horário de vôo, vistos e multas/juros, etc. 5

6 Passagem de terceiros ou professor visitante Passagens Aérea e Terrestre - Apresentar originais ou cópias dos tickets (canhotos) de embarque utilizados (ida e volta) e documento que certifi que o valor da compra da passagem; - Apresentar cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição científi ca/tecnológica ao Projeto; - Somente serão aceitas passagens na classe econômica; - Apresentar bilhetes de passagens originais utilizados (ida e volta); - Apresentar cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição científi ca/tecnológica ao Projeto; - Colar todos os documentos comprobatórios em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; - O Outorgado também poderá anexar a declaração de vôo da Companhia aérea com uma carta do viajante justifi cando o extravio do bilhete; - No caso de extravio da passagem e da não apresentação da declaração de vôo da Companhia aérea, o Outorgado deverá recolher o valor integral a FAPERJ; - NÃO SERÃO ACEITOS Despesas com seguro saúde, taxa de mudança de horário de vôo, vistos e multas/juros, etc Diárias do Outorgado - Diárias são despesas com alimentação, hospedagem e locomoção do viajante como, por exemplo: hotéis/pousadas, restaurantes, táxi, combustível e etc. 6

7 - Como comprovar? 1. Apresentar Modelo VI (Relatório de Viagem); 2. Apresentar cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição científi ca/tecnológica ao Projeto. - Valores para diárias: Ver tabela CNPq : (http://www.cnpq.br / valores de diárias / exterior) Diárias de terceiros ou professor visitante - Diárias são despesas com Alimentação, hospedagem e locomoção do viajante como, por exemplo: hotéis/pousadas, restaurantes, táxi, combustível e etc. - Como comprovar? 1. Apresentar Modelo VII; 2. Apresentar cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição cientifi ca/tecnológica ao Projeto. - Valores para diárias: Ver tabela CNPq : (http://www.cnpq.br / valores de diárias / exterior) - ATENÇÃO Em caso de Diárias pagas diretamente ao hotel/pousada SOMENTE SERÁ ACEITO a Nota Fiscal do Hotel. Deverá também ser apresentada a cópia do Certifi cado de Participação em Evento ou declaração da Instituição que o benefi ciário participou do evento, de trabalho de campo ou visita para contribuição científi ca/tecnológica ao Projeto. Os valores deverão respeitar a tabela do CNPq. 7

8 Serviços de terceiro de pessoa física - Serviço no período do projeto 1. seguir o regime de CLT; 2. folha de pagamento somente com os prestadores pagos pela FAPERJ; 3. originais de toda documentação pertinentes a encargos gerados pela Folha de Pagamento; - Serviço eventual do projeto(máximo 03 meses consecutivos) 1. original do RPA(Recibo de Pagamento de Autônomos); 2. originais de toda documentação pertinentes a encargos gerados pela Folha de Pagamento; - NÃO SERÃO ACEITOS: 1. Pagamento de serviços de nenhuma natureza a bolsistas FAPERJ durante o período de vigência da bolsa; 2. Pagamento de despesa com demonstrações contábeis, elaboração da prestação de contas e outros que caracterizem serviços administrativos a não ser nos casos especiais autorizados no Projeto inicial. Serviços de terceiro de pessoa jurídica: - 1ª via da Nota Fiscal de Serviço; - NÃO SERÃO ACEITOS: Pagamento de Inscrição em eventos, banquetes, lanches, tradução simultânea, excursões turísticas, demonstrações contábeis, elaboração da prestação de contas e outros que caracterizem serviços administrativos a não ser nos casos especiais autorizados no Projeto inicial. 8

9 - ATENÇÃO Todas as Notas Fiscais deverão ser emitidas em nome do OUTORGADO/ FAPERJ. Em casos excepcionais PODERÁ A NOTA FISCAL SER EMITIDA em nome da Instituição do Outorgado. - Colar a nota fi scal em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; - Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o serviço foi prestado e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Material de Consumo - O que é material de consumo? É material que, em razão de seu uso corrente, perde normalmente sua identidade física e/ou tem sua duração limitada no tempo. Limitação de utilização do bem no tempo aproximado de 02(dois) anos. 9

10 - Como comprovar? 1. 1ª via da Nota Fiscal original; 2. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado/ FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 3. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 4. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) 10

11 EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Material Permanente - O que é material permanente? Móveis e utensílios. - Como comprovar? 1. 1ª via da Nota Fiscal original; 2. Modelo IV em 03 vias originais assinadas e com o carimbo do Responsável da Instituição. Não deverão ser encaminhadas as copias das notas fi scais junto com o Termo. 3. Informação do Setor de Patrimônio da Instituição em somente uma via assinado e carimbado pelo representante do setor de patrimônio da Instituição. 11

12 4. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado/ FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 5. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 6. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 7. NÃO SERÃO ACEITOS Despesas com seguros e multas/juros. EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Equipamentos - O que é Equipamentos? 12

13 Máquinas, Motores e Aparelhos. - Como comprovar? 1. 1ª via da Nota Fiscal original; 2. Modelo IV em 03 vias originais assinadas e com o carimbo do Responsável da Instituição. 3. Informação do Setor de Patrimônio da Instituição (assinado e carimbado pelo representante do setor de patrimônio da Instituição). 4. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado/ FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 5. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 6. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 7. NÃO SERÃO ACEITOS Despesas com seguros e multas/juros. EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. 13

14 No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Obras/Instalação - 1ª via da Nota Fiscal original; 1. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado/ FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 2. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 3. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia 14

15 autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) - 1ª via da Nota Fiscal de Serviço original; 1. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado/ FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 2. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 3. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o serviço foi prestado e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. 15

16 BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) - Modelo V (Detalhar ao máximo o tipo de serviço executado); Os serviços prestados são, por exemplo: Pedreiro, ajudante de pedreiro, encanador, eletricista e outros serviços previstos no projeto aprovado pela FAPERJ. NÃO SERÃO ACEITOS Pagamento de despesa com Projetistas e Engenheiros e outros que caracterizem serviços administrativos a não ser nos casos especiais autorizados pela FAPERJ. Alugueis - Exemplos de alugueis: Alugueis de salas, alugueis de som, alugueis de veículos, etc... - Como comprovar? 1. 1ª via da Nota Fiscal de Serviço original; 2. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 3. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 4. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o serviço foi prestado e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 16

17 EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ, BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Gráfica - 1ª via da Nota Fiscal de Serviço original; 1. ATENÇÃO Todas as notas fi scais deverão ser emitidas em nome do outorgado/ FAPERJ. Em casos excepcionais poderá a nota fi scal ser emitida em nome da instituição do outorgado. 2. Colar todas as notas fi scais, inclusive as do tamanho A4, em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 3. Declarar (atestar) na própria nota fi scal que o serviço foi prestado e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 17

18 EXTRAVIO DE NOTA FISCAL O Outorgado poderá atender ao disposto no 1 do art. 91 da Lei Estadual n 287, de 04 de dezembro de 1979, a seguir transcrito: No caso de extravio ou inutilização da primeira via do documento fi scal, poderá ser aceita cópia do documento devidamente autenticada pela repartição fi scal competente;.... Obs: Repartição fi scal competente é o órgão que controla o recolhimento dos impostos devidos da referida nota extraviada. No caso de extravio de Nota Fiscal e da não apresentação da copia autenticada pela repartição fi scal competente, o Outorgado deverá recolher o valor a FAPERJ. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Outros - Verba destinada para complementar somente as rubricas que foram aprovadas no Plano de Aplicação do Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio, como Passagens, Diárias, Serviços de Terceiros, Material de Consumo, Alugueis, Correio, Gráfi ca, material permanente, equipamento e/ou obras/instalação. Exemplo: Em caso de no Plano de Aplicação não constar valores para Diárias, o Pesquisador não poderá pagar diárias com a rubrica Outros. Comprovantes bancários obrigatórios: - Esta conta só poderá ser movimentada no prazo de execução do projeto, qualquer valor na conta corrente ou a ser depositado fora do prazo deverá ser recolhido a FAPERJ. 18

19 1. Extrato bancário com toda movimentação, desde a abertura da conta até o saldo fi nal zerado com toda a movimentação da conta corrente. 2. Todas as sobras de Cheques, assim como, todos os canhotos utilizados e o (s) cartão (ões) inutilizado (s). Colar todos os cheques e cartões em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 3. Guia de recolhimento de saldo remanescente (recibo do depósito), se houver, devidamente colado ao centro da folha de papel A4. BANCO BRADESCO Agencia: Conta corrente: Código de identifi cação o CPF do(a) Outorgado(a) Colar todas as guias de depósitos em folha de papel A4, uma vez que a Prestação de Contas será anexada ao processo Administrativo; 4. Carta de encerramento de conta corrente assinada pelo Banco, com carimbo da agência bancária. Importação A devida identifi cação do material será EM LINGUA PORTUGUESA, os valores deverão estar incluídos no Modelo III, de modo a possibilitar a conciliação com o valor destinado à Importação constante do Orçamento apresentado no Projeto aprovado. Instituições Credenciadas No caso de Importação por intermédio de Instituições Credenciadas, os documentos integrantes da Prestação de Contas de material importado serão os mesmos constantes das normas baixadas pelo CNPq, nos termos da Lei Federal n 8010 de (DOU de ) deverá ser encaminhado a FAPERJ a copia do processo de importação, contendo: 19

20 1. Recibo da Instituição Credenciada, especifi cando o material importado e declarando que a importação é para o Outorgado relacionando todas as despesas pertinentes a Importação e o valor total da importação; Declarar (atestar) no recibo da Instituição credenciada que o serviço foi prestado e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 2. Cópia do processo de importação com todos os documentos contendo o confere com a original, emitido pela Instituição Credenciada; Importação direta por cartão de crédito Na importação com a aquisição dos bens paga com Cartão de Crédito e onde a forma de transporte para o Brasil tenha sido o CORREIO (DOOR TO DOOR), o limite será de até U$ (quatro mil dólares americanos) por embarque, e deverão ser incluídas neste valor as taxas e despesas mencionadas na invoice. Os documentos para a Prestação de Contas serão: 1. Cópia do extrato do Cartão de Crédito em nome do Outorgado. 2. Original da invoice quitada pelo fabricante/exportador. Declarar (atestar) na própria Invoice que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. ATENÇÃO: Todas as invoices deverão ser emitidas em nome do OUTORGADO. 3. Comprovantes originais de outras despesas, emitidos pela Empresa Responsável pelo transporte internacional ou pela Receita Federal. Obs: Material perecível não poderá ser adquirido. Material perigoso, radioativo ou controlado somente poderá ser adquirido via Instituição credenciada e com a autorização dos Órgão Controladores como, por exemplo, CENEN e deverá ser anexado a autorização dos Órgãos na Prestação de Contas. No caso das importações pagas com cartão de crédito a serem retidos pela Alfândega, os Outorgados poderão autorizar sua Instituição de Pesquisa 20

21 a desembaraçar as mercadorias, arcando com os custos e solicitando posteriormente o reembolso a FAPERJ, mediante pedido formal, com os esclarecimentos devidos no processo do Fomento. Condições para aceitação do pedido de reembolso: 1. Não se tratando de material perecível, perigoso, radioativo ou controlado. 2. A compra estar de acordo com o valor máximo permitido para a importação e no valor estabelecido no Plano de Aplicação do Auxílio aprovado, incluídas as despesas decorrentes da retenção alfandegária. 3. A cotação da moeda estrangeira é sempre na data da compra. Importação BAGAGEM ACOMPANHADA Na importação com a aquisição dos bens paga com Cartão de Crédito em nome do Outorgado, e na qual a forma de transporte para o Brasil tenha sido feita na modalidade BAGAGEM ACOMPANHADA, o limite será de até US$ (hum mil dólares americanos) por passageiro. Os documentos para a Prestação de Contas, a serem encaminhados à FAPERJ na data prevista no Termo de Outorga e Aceitação do Auxílio, serão: 1. Cópia do extrato do Cartão de Crédito em nome do Outorgado. 2. Original da invoice quitada pelo fabricante/exportador. Declarar (atestar) na própria Invoice que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 3. Comprovantes originais de outras despesas, emitidos pela Empresa Responsável pelo transporte internacional ou pela Receita Federal. 4. Informação do Responsável pelo Projeto, sobre o nome/cpf da pessoa que trouxe a mercadoria. 21

22 ATENÇÃO A INVOICE não poderá ser superior a U$ 1.000,00. IMPORTA FÁCIL Informamos que todas as importações deverão ser prioritariamente efetuadas pela Instituição a que o pesquisador estiver vinculado. Caso esta Instituição não seja habilitada para tais procedimentos, o pesquisador poderá fazer, em seu nome, o Importa Fácil. Os documentos obrigatórios para comprovação das aquisições via Importa Fácil são: 1. Invoice original; Declarar (atestar) na própria Invoice que o material foi recebido e o Outorgado deverá datar e rubricar esta informação. 2. Documentos referentes à solicitação e pagamento do Importa Fácil(Correios e etc...); 3. Cópia da credencial do pesquisador junto ao CNPq (caso o pesquisador efetue a importação diretamente). Importação feita através do SISCOMEX - Sistema Integrado de Comercio Exterior O pesquisador importará bens de valores superiores a US$ ,00(dez mil dolares) sem depender de instituições ou fundações credenciadas. O pesquisador credenciado no cnpq possui autonomia e responsabilidade para importar. 1. que a importação seja previamente autorizada no processo de concessão do fomento; 2. que o pesquisador observe a cota disponível no exercicio para importação no sentido de que o prazo de execução do projeto não seja comprometido; 22

23 3. que o nome do despachante aduaneiro conste do processo na solicitação da importação; 4. que haja um limite máximo para o valor do custo em cada projeto para contratação dos serviços de despachante aduaneiro. Esse valor deverá ser determinado através de pesquisa de mercado; 5. que a instituição a qual o pesquisador seja vinculado, em caso de problemas na importação, de a devida assessoria no sentido de que a legislação brasileira seja atendida; 6. que todas as despesas da importação sejam comprovadas na prestação de contas, tais como: frete, seguro, taxas bancárias, armazenamento, despachante aduaneiro, etc... O pesquisador e a instituição são responsaveis pela fi el execução do projeto conforme consta no processo de concessão aprovado pela FAPERJ. 23

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Jovem Cientista do Nosso Estado JCNE 1 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro Tels: 2333-1948/1957/1976/1992

Leia mais

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Auxílio à Organização de Eventos APQ 2 1 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro Tels: 2333-1948/1957/1976/1992

Leia mais

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Apoio à Participação em Reunião Científica APQ 5 1 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro

Leia mais

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Auxílio à Pesquisador Visitante APV 1 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro Tels: 2333-1948/1957/1976/1992

Leia mais

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Auxílio Instalação INST 1 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro Tels: 2333-1948/1957/1976/1992

Leia mais

Orientações Básicas. FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS

Orientações Básicas. FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS 1 FAPERGS Edital 16/2013 Orientações Básicas Execução Financeira dos Recursos de Subvenção Econômica FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS 2 1. Regras Básicas Vedado alteração do objeto do Termo de Subvenção

Leia mais

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor.

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. acompanhado dos cartões de embarque originais utilizados; f) A FAPERJ não aceitará o pagamento

Leia mais

FORMULÁRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PROINFRA/IFCE -PRPI

FORMULÁRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PROINFRA/IFCE -PRPI PRESTAÇÃO DE CONTAS FORMULÁRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PROINFRA/IFCE -PRPI 1. A prestação de contas deve ser constituída dos seguintes documentos: a) Encaminhamento de Prestação de Contas Anexo I; b) Relação

Leia mais

PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NORMAS E PROCEDIMENTOS GERAIS UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS http://www.fapemig.br/files/manual.

PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NORMAS E PROCEDIMENTOS GERAIS UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS http://www.fapemig.br/files/manual. PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NORMAS E PROCEDIMENTOS GERAIS UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS http://www.fapemig.br/files/manual.pdf INFORMAÇÕES GERAIS Duração do projeto O prazo de vigência do projeto

Leia mais

MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS LEI MURILO MENDES - EDIÇÃO 2010 Instruções para movimentação e prestação de contas de recursos recebidos Os responsáveis pelos projetos aprovados pela Lei Municipal de Incentivo

Leia mais

UNIDADE PRESTAÇÃO DE CONTAS

UNIDADE PRESTAÇÃO DE CONTAS UNIDADE PRESTAÇÃO DE CONTAS Fluxo do Processo de Prestação de Contas Workshop de Alinhamento Estratégico São Paulo Maio 2010 PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PRESTAÇÃO DE CONTAS TÉCNICA FINANCEIRA Unidade

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DO PROAP/CAPES

INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DO PROAP/CAPES INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DO PROAP/CAPES PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS PESQUISA DE CAMPO(REEMBOLSO DE DESPESAS, PASSAGENS AÉREAS E TX. DE INSCRIÇÃO) Introdução: O recurso PROAP/CAPES permite o

Leia mais

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, USO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS DO FUNDECITRUS

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, USO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS DO FUNDECITRUS 1 NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, USO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS DO FUNDECITRUS Todas as normas devem ser lidas atentamente antes da submissão da proposta de pesquisa, bem como antes da realização

Leia mais

Roteiro para Pagamento de Auxílio à Estudante: PROAP - 2014 Convênio 806696

Roteiro para Pagamento de Auxílio à Estudante: PROAP - 2014 Convênio 806696 Aluno deverá: Roteiro para Pagamento de Auxílio à Estudante: PROAP 2014 Convênio 806696 1) Atender as condições previstas na Portaria 64 da CAPES e preencher o formulário de requisição de auxílio. 2) Informar

Leia mais

1. Acesso ao Agilis...2. 2. Elaborar Prestação de contas...4. 3. Inclusão do Material Permanente...6. 4. Inclusão do Material de Consumo...

1. Acesso ao Agilis...2. 2. Elaborar Prestação de contas...4. 3. Inclusão do Material Permanente...6. 4. Inclusão do Material de Consumo... TUTORIAL PRESTAÇÃO DE CONTAS SUMARIO 1. Acesso ao Agilis...2 2. Elaborar Prestação de contas...4 3. Inclusão do Material Permanente...6 4. Inclusão do Material de Consumo...8 5. Inclusão de Serviços de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2009 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO PROPLAN Disciplina no âmbito da UDESC os procedimentos

Leia mais

MANUAL. Cartão Pesquisa/Facepe. Atualizado em Junho/2015

MANUAL. Cartão Pesquisa/Facepe. Atualizado em Junho/2015 MANUAL Cartão Pesquisa/Facepe Atualizado em Junho/2015 Prezado Pesquisador, A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco - FACEPE está adotando um novo meio para a utilização dos

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO RECURSO CAPES/PROEX 2015 Versão 1.5 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOPATOLOGIA

ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO RECURSO CAPES/PROEX 2015 Versão 1.5 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOPATOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO RECURSO CAPES/PROEX 2015 Versão 1.5 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOPATOLOGIA Instruções para utilização do recurso do Convênio CAPES/PROEX pelos orientadores do PPG/Fitopatologia

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Manual de Procedimentos 1º TREINAMENTO DO ESCRITÓRIO REGIONAL DE APOIO À PESQUISA Faculdade de Ciências Farmacêuticas Setembro 2012 Faculdade de Ciências Farmacêuticas 1

Leia mais

SOLICITAÇÕES DE DIÁRIAS/PASSAGENS - SERVIDORES DA UFPB -

SOLICITAÇÕES DE DIÁRIAS/PASSAGENS - SERVIDORES DA UFPB - Página 1 de 5 SOLICITAÇÕES DE DIÁRIAS/PASSAGENS - SERVIDORES DA UFPB - Atualizado em: 18/05/2015 Abaixo segue o passo a passo (dividido em 3 tópicos) para este tipo de solicitação. A partir da página 03

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE/Lei de Incentivo COAME-Coordenadoria de Acompanhamento e Monitoramento da Execução

MINISTÉRIO DO ESPORTE/Lei de Incentivo COAME-Coordenadoria de Acompanhamento e Monitoramento da Execução MINISTÉRIO DO ESPORTE/Lei de Incentivo COAME-Coordenadoria de Acompanhamento e Monitoramento da Execução PRESTAÇÃO DE CONTAS (v. 27 julho 09) 1) A Prestação de Contas deverá ser encaminhada por meio de

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO DA UFC

MANUAL PRÁTICO DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO DA UFC MANUAL PRÁTICO DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO DA UFC Senhores Coordenadores de Pós-Graduação da UFC Com o objetivo de dar mais celeridade no atendimento das diversas solicitações

Leia mais

FUNDO DE APOIO A CULTURA DA SOJA MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009

FUNDO DE APOIO A CULTURA DA SOJA MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009 INTRODUÇÃO FUNDO DE APOIO A CULTURA DA SOJA 1.1 - Recomenda-se a leitura deste manual antes de utilizar os recursos concedidos pelo FACS. O manual está disponível no site http://www.facsmt.com.br. 1.2

Leia mais

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS NÚMERO CIR.FIN.MAT.0001 Elaborada em: 08/08/2011 Atualizada em: - Quant. Páginas DEPARTAMENTO DE ORIGEM Departamento Finanças 5 1 Objetivo Este documento tem como objetivo

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS FINANCEIROS COM OS GASTOS DOS RECURSOS DO PROAP/CAPES

INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS FINANCEIROS COM OS GASTOS DOS RECURSOS DO PROAP/CAPES UNIOESTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS DIVISÃO DE ACOMPANHAMENTO DE CONVÊNIOS INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS FINANCEIROS COM OS GASTOS DOS RECURSOS DO PROAP/CAPES

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA nº 001/PPGQ/2013

RESOLUÇÃO NORMATIVA nº 001/PPGQ/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Centro de Ciências Físicas e Matemáticas PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Campus Universitário-Trindade - 88040-900 - Florianópolis - SC - Brasil Fone: (048)

Leia mais

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador 1 Apresentação Apresentamos o Processo de Viagens GENS Manual do Colaborador. Este Manual é parte integrante do Processo de Viagens GENS.

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS

BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO AUDITORIA GERAL DO ESTADO BOAS PRÁTICAS NA APLICAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS APLICAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS DE CONVÊNIOS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA APOIO FINANCEIRO DE CURSOS E SEMINÁRIOS

INSTRUÇÕES PARA APOIO FINANCEIRO DE CURSOS E SEMINÁRIOS INSTRUÇÕES PARA APOIO FINANCEIRO DE CURSOS E SEMINÁRIOS O instrumento administrativo Cursos e Seminários aplica-se a eventos pontuais como reuniões, capacitações e workshops previstos para serem realizados

Leia mais

1.2. Presenteador: pessoa física ou jurídica que adquire o FLOT TRAVEL CARD mediante a compra direta de carga de valor.

1.2. Presenteador: pessoa física ou jurídica que adquire o FLOT TRAVEL CARD mediante a compra direta de carga de valor. REGULAMENTO DO FLOT TRAVEL CARD FLOT OPERADORA TURÍSTICA LTDA., o Presenteador e o Presenteado do FLOT TRAVEL CARD, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, o segundo e o terceiro,

Leia mais

AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PERGUNTAS FREQUENTES

AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PERGUNTAS FREQUENTES Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 6. CEP: 70.040-020 Brasília/DF Brasil AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PERGUNTAS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2552 Dispõe sobre o ressarcimento de diárias e transporte aos Senhores Funcionários, quando em viagem a serviço, reuniões, eventos e treinamentos dentro e fora do Estado, formalmente convocados

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PADRÃO Código: Versão V.1

NORMA OPERACIONAL PADRÃO Código: Versão V.1 27/07/2015 1 SUMÁRIO 1. Objetivo 1.1 Abrangência 2. Definições, terminologia e siglas 3. Norma Operacional Padrão Viagens 3.1 Adiantamento 3.2 Passagens Aéreas 3.3 Hospedagem 3.4 Veículos 3.5 Recibos 3.6

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

2º WORKSHOP EAIP. Primeira fase a partir de 01/06/2014 e segunda fase a partir de 30/08/2014. Todos os auxílios à pesquisa vigentes

2º WORKSHOP EAIP. Primeira fase a partir de 01/06/2014 e segunda fase a partir de 30/08/2014. Todos os auxílios à pesquisa vigentes Primeira fase a partir de 01/06/2014 e segunda fase a partir de 30/08/2014 Todos os auxílios à pesquisa vigentes Termos de outorga alterados quando gerado aditivo Exceto para alguns Convênios por exigência

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE CONTAS A PAGAR

PROCEDIMENTOS DE CONTAS A PAGAR São Paulo, 6 de dezembro de 2013 PROCEDIMENTOS DE CONTAS A PAGAR Este procedimento visa estabelecer o processo, prazos e orientações aos funcionários do Instituto Ethos para recebimento de notas fiscais

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS - PARCIAL OU FINAL

PRESTAÇÃO DE CONTAS - PARCIAL OU FINAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico Tel. : (061)214-8806 ou 225-3353

Leia mais

AUXILIO FINANCEIRO PARA PARTICIPAÇÃO DE DOCENTES E DISCENTES EM EVENTOS CONVÊNIO PROAP/SICONV Nº 806138/2014 EDITAL Nº 08/2014 - PROPG

AUXILIO FINANCEIRO PARA PARTICIPAÇÃO DE DOCENTES E DISCENTES EM EVENTOS CONVÊNIO PROAP/SICONV Nº 806138/2014 EDITAL Nº 08/2014 - PROPG AUXILIO FINANCEIRO PARA PARTICIPAÇÃO DE DOCENTES E DISCENTES EM EVENTOS CONVÊNIO PROAP/SICONV Nº 806138/2014 EDITAL Nº 08/2014 - PROPG A Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG), no âmbito de sua atuação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 781/2004

RESOLUÇÃO Nº 781/2004 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Cultura e Turismo Programa Estadual de Incentivo à Cultura - FAZCULTURA RESOLUÇÃO Nº 781/2004 Dispõe sobre as Normas para Preenchimento e Encaminhamento da Prestação

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA BOLSISTAS CUBANOS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA BOLSISTAS CUBANOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA BOLSISTAS CUBANOS PROGRAMA CAPES/MES - CUBA BRASIL-CUBA PROGRAMA CAPES/MES CUBA PROJETOS Todas as informações aqui descritas devem ser interpretadas em consonância com as normas

Leia mais

Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs

Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs Prezado CAC (Colecionador, Atirador e Caçador), Todo o procedimento abaixo descrito está de acordo com o Decreto Federal Nº 3665 de 20/Nov/2000

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS, REMANEJAMENTOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS MANUAL

INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS, REMANEJAMENTOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS MANUAL INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS, REMANEJAMENTOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS MANUAL ESTE MANUAL DEVE SER CONSULTADO ANTES DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS CONCEDIDOS PELA Setembro/99 revisado Julho/06 1 Sumário

Leia mais

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013)

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1. Conceito Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1.1 Adiantamento consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho gravado

Leia mais

Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação

Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação MANUAL DO PESQUISADOR SUMÁRIO 1. Apresentação 2. Inclusão de Projetos 2.1. Apresentações de novos projetos 2.2. Tipos de instrumentos legais 2.3. Situação de adimplência das instituições 3. Orientações

Leia mais

Campus Catalão Prefeitura do CAC

Campus Catalão Prefeitura do CAC Campus Catalão Prefeitura do CAC ORIENTAÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS Critérios para liberação de diárias e/ou passagens: Para liberação de diária ou passagem, deve-se dar entrada na Prefeitura

Leia mais

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação EDITAL 06/2012 Universidade de Brasília APOIO À PESQUISA DE CAMPO DE PÓS-GRADUANDOS NO PAÍS 1. Finalidade Apoiar os discentes de pós-graduação bolsistas CAPES, CNPq ou REUNI, regularmente matriculados

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPEP MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPEP MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPEP MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 1 APRESENTAÇÃO As presentes instruções têm por finalidade estabelecer critérios

Leia mais

Manual Prático Para Prestação de Contas

Manual Prático Para Prestação de Contas Manual Prático Para Prestação de Contas INTRODUÇÃO O presente manual tem por finalidade orientar os gestores de projetos culturais sobre os seus deveres, instruir como realizar as despesas e prestar contas

Leia mais

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Prefeitura Municipal de São Leopoldo Secretaria Municipal da Fazenda Coordenadoria Tributária Divisão de Tributos Mobiliários Seção

Leia mais

FORMATO RELATÓRIOS DEMONSTRATIVOS

FORMATO RELATÓRIOS DEMONSTRATIVOS INSTRUÇÕES PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA/PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS TRANSFERIDOS PELO MINISTÉRIO/ORGANISMOS INTERNACIONAL REFERENTE AOS CONTRATOS DE FINANCIAMENTO DE ATIVIDADES FORMATO RELATÓRIOS DEMONSTRATIVOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS - DSG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS - DSG Of. n 1216/2008 Dicomp/DSG Belo Horizonte, 01 de outubro de 2008 Aos Dirigentes das Unidades Acadêmicas e Órgãos Administrativos UFMG Assunto: Procedimentos para importação - detalhamento Senhor Dirigente.

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET LEGISLAÇÃO Lei nº11.180/2005 O professor tutor, de acordo com o 1º do art. 12 da Lei n o 11.180/2005, receberá semestralmente um montante de recursos equivalente

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO CENTRAL DE PEQUISA DE PREÇO CPP/SEINF SHIS Quadra 01 Conjunto B - Bloco A -Edifício Santos Dumont - Lago Sul, Brasília - DF CEP: 71605-001 Telefone: 61 3211 9222 / Fax - 61 3211-9219 E-mail : melquizedeque.coutinho@cnpq.br

Leia mais

CARTILHA DE GESTÃO DE PROJETOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS

CARTILHA DE GESTÃO DE PROJETOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS CARTILHA DE GESTÃO DE PROJETOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS SUBVENÇÃO ECONÔMICA PARA DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS, BENS E SERVIÇOS INOVADORES, NOS TERMOS DO DECRETO Nº 2.372 DE 09 DE JUNHO DE 2009 (Versão de

Leia mais

AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PERGUNTAS FREQUENTES

AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PERGUNTAS FREQUENTES Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 6. CEP: 70.040-020 Brasília/DF Brasil AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PERGUNTAS

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO - ANEXOS - ANEXO I - PROCEDIMENTOS PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO REQUERIMENTO Art. 1º - A capacitação interna poderá ser proposta pela Reitoria, Pró-Reitorias ou Diretorias

Leia mais

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DE AUXÍLIO

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DE AUXÍLIO COORDENADORIA DIDÁTICO-CIENTÍFICA MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DE AUXÍLIO Responsável: Prof. Dr. José Luz Silveira Julho/2009 1 Sumário 1. INFORMAÇÕES GERAIS...3 1.1 Valor do Auxílio Solicitado...3 1.2 Auxílios

Leia mais

India Lac Investment Conclave

India Lac Investment Conclave Edição nº 1 India Lac Investment Conclave 06 Dias / 03 Noites Saída: 13 de Outubro de 2014. Visitando: Delhi Roteiro Aéreo e Terrestre Extensão Pré Lac Conclave: Agra, Jaipur DIFERENTES VISÕES, DIFERENTES

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de Viagens Retenção de Tributos por Entidades Públicas Federais na Intermediação de 17/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO FUNDAÇÃO DE AMPARO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACEPE PORTARIA Nº 018 DE 04 DE JULHO DE 2010

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO FUNDAÇÃO DE AMPARO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACEPE PORTARIA Nº 018 DE 04 DE JULHO DE 2010 GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO FUNDAÇÃO DE AMPARO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACEPE PORTARIA Nº 018 DE 04 DE JULHO DE 2010 EMENTA: Institui o MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS que define procedimentos para a

Leia mais

B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito

B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito Anexo B B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito Os governadores de distrito podem requisitar reembolso das atividades a seguir. Todas as viagens devem ser feitas da forma mais econômica

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS

INSTRUÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS im INSTRUÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS 1 APRESENTAÇÃO As Instruções para Prestação de Contas dispõem sobre os procedimentos para o outorgado elaborar e apresentar, à Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo

Leia mais

RESOLUÇÃO SMC Nº 291 DE 26 DE MAIO DE 2014. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE CULTURA, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO SMC Nº 291 DE 26 DE MAIO DE 2014. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE CULTURA, no uso de suas atribuições legais, RESOLUÇÃO SMC Nº 291 DE 26 DE MAIO DE 2014. Institui as normas para prestação de contas de recursos concedidos pela SMC no Programa de Fomento à Cultura Carioca. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE CULTURA, no uso

Leia mais

Nota Técnica de GTI Orientações para prestação de contas dos projetos de P&D contratados pela Eletronorte

Nota Técnica de GTI Orientações para prestação de contas dos projetos de P&D contratados pela Eletronorte Local/Data: Brasília, 20 de setembro de 2013 GTI-003/2013 Fl. 1/7 Nota Técnica de GTI Orientações para prestação de contas dos projetos de P&D contratados pela Eletronorte 1. INTRODUÇÃO: A presente Nota

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

Política de Viagens e Procedimentos

Política de Viagens e Procedimentos Política de Viagens e Procedimentos A Maxgen desenvolveu uma política de viagens e procedimentos para permitir que cada funcionário possa fazer uma contribuição substancial para a rentabilidade do seu

Leia mais

Normas para concessão de auxílio a discentes do Programa com recursos do Programa de Excelência PROEX.

Normas para concessão de auxílio a discentes do Programa com recursos do Programa de Excelência PROEX. Normas para concessão de auxílio a discentes do Programa com recursos do Programa de Excelência PROEX. 1 Finalidade: Apoiar a participação de discentes do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS: AUXÍLIO FINANCEIRO A PROJETO EDUCACIONAL E DE PESQUISA. Perguntas Frequentes

PRESTAÇÃO DE CONTAS: AUXÍLIO FINANCEIRO A PROJETO EDUCACIONAL E DE PESQUISA. Perguntas Frequentes Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06 CEP 70040-020 - Brasília, DF PRESTAÇÃO DE CONTAS: AUXÍLIO FINANCEIRO

Leia mais

ORIENTAÇÕES IMPORTAÇÃO Versão nº 01 (21/10/2010)

ORIENTAÇÕES IMPORTAÇÃO Versão nº 01 (21/10/2010) ORIENTAÇÕES IMPORTAÇÃO Versão nº 01 (21/10/2010) 1) O servidor interessado na aquisição de bens importados deverá encaminhar ao Setor de Compras do Centro a seguinte documentação: a) A solicitação de compra

Leia mais

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1º PASSO: Recebimento do e-mail de aprovação do projeto. 2º PASSO: Preenchimento e assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro e do Cadastro de Portador, que

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO (este contrato deve ser impresso e preenchido de próprio punho e enviado para o endereço de contato em até 5 dias úteis após a confirmação da compra do

Leia mais

Participação Individual em Congressos no País ou no Exterior

Participação Individual em Congressos no País ou no Exterior Participação Individual em Congressos no País ou no Exterior 1. Objetivo Possibilitar a participação, em congressos técnico-científico, no país ou no exterior, de pesquisadores, autores ou co-autores de

Leia mais

a) constituição e retorno de capitais brasileiros no exterior e de capitais estrangeiros no País;

a) constituição e retorno de capitais brasileiros no exterior e de capitais estrangeiros no País; SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. As pessoas físicas e as pessoas jurídicas podem comprar e vender moeda estrangeira ou realizar transferências internacionais em reais, de qualquer natureza, sem limitação

Leia mais

FAPESP FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA USO DOS RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS AUXÍLIOS

FAPESP FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA USO DOS RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS AUXÍLIOS FAPESP FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA USO DOS RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS AUXÍLIOS ESTE MANUAL É ATUALIZADO CONSTANTEMENTE NO ENDEREÇO: www.fapesp.br/materia/1416

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/DIR/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/DIR/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/DIR/2012 ESTABELECE AS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CONCESSÃO DE ADIANTAMENTO, PARA COMPENSAR FUTURAS DESPESAS COM HOSPEDAGEM, LOCOMOÇÃO URBANA E ALIMENTAÇÃO, DE ALUNOS, TÉCNICOS,

Leia mais

ROTEIRO PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS CAPES-PROAP CONVÊNIO Nº 80.3875/2014 e-convênios nº 35183

ROTEIRO PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS CAPES-PROAP CONVÊNIO Nº 80.3875/2014 e-convênios nº 35183 ROTEIRO PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS CAPES-PROAP CONVÊNIO Nº 80.3875/2014 e-convênios nº 35183 1) Da legislação aplicável - Portaria CAPES nº 156 de 28 de Novembro de 2014 a. Decreto nº 7.692 de 02 de Março

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SCUBA TRIP Passageiros: 1 2 3 4 5 6 Dados do Pacote Comprado: Destino com saída em / / e retorno em / /, através da Agência de Viagens, de acordo com a reserva previamente

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIO COM A SME

PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIO COM A SME PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIO COM A SME Entidades beneficiadas: As unidades educacionais das entidades conveniadas ao Sistema Municipal de Ensino de Campinas. Órgão responsável: Coordenadoria Setorial de

Leia mais

Política de entrega, troca e devolução de produtos

Política de entrega, troca e devolução de produtos Política de entrega, troca e devolução de produtos Este documento é parte integrante do Pedido de Venda / Termos e Condições de aquisição de produtos da MADEPAL. Caso haja con ito entre o pedido e o expresso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO SOFIN CONCESSÃO DE DIÁRIAS OU HOSPEDAGEM E PASSAGENS PARA BANCA EXTERNA DE CONCURSOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO SOFIN CONCESSÃO DE DIÁRIAS OU HOSPEDAGEM E PASSAGENS PARA BANCA EXTERNA DE CONCURSOS 1. Legislação CONCESSÃO DE DIÁRIAS OU HOSPEDAGEM E PASSAGENS PARA BANCA EXTERNA DE CONCURSOS 1.1 A concessão de Diárias ou Hospedagem e Passagens pelo Setor de Educação da UFPR deverá observar o disposto

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA OS BOLSISTAS

ORIENTAÇÕES PARA OS BOLSISTAS PROGRAMA DE BOLSA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA OS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO http://www.reitoria.usp.br/intercambio/ ORIENTAÇÕES PARA OS BOLSISTAS Sistema de Apoio ao Programa:

Leia mais

Manual de Orientações Técnico-Financeiras

Manual de Orientações Técnico-Financeiras Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Manual de Orientações Técnico-Financeiras Programa /COLCIÊNCIAS BRASIL-COLÔMBIA 2013 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

Leia mais

Nova York USA - 2015

Nova York USA - 2015 FICHA DE ADESÃO VIAGEM PEDAGÓGICA INTERNACIONAL ARTE E TECNOLOGIA PARA ESCOLAS DO SEC. XXI Nova York USA - 2015 Todas as páginas devem ser preenchidas e rubricadas. Este documento original deve ser enviado

Leia mais

PORTARIA Nº 979/2009. RESOLVE editar a seguinte Portaria:

PORTARIA Nº 979/2009. RESOLVE editar a seguinte Portaria: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Gabinete da Procuradora Chefe PORTARIA Nº 979/2009 Disciplina, no âmbito da PR/SP, o procedimento de encaminhamento das solicitações de diárias. A PROCURADORA CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

Art. 3º - Além do serviço de Agenciamento de Viagens, o instrumento convocatório poderá prever, justificadamente, outros serviços correlatos.

Art. 3º - Além do serviço de Agenciamento de Viagens, o instrumento convocatório poderá prever, justificadamente, outros serviços correlatos. Campinas, 12 de março de 2015. Of. 18.222 O.E. Sr. Edner Mabeline LNX TRAVEL VIAGENS E TURISMO EIRELE Assunto: Esclarecimentos Pregão Presencial NLP 003/2015 Prezados Senhores, Em resposta à solicitação

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA VIAGENS E TREINAMENTO Data - 24/04/2015. Procedimento do Sistema Gestão da Qualidade

PROCEDIMENTO PARA VIAGENS E TREINAMENTO Data - 24/04/2015. Procedimento do Sistema Gestão da Qualidade FL. 01 / 08 1 OBJETIVO Este documento tem como objetivo estabelecer critérios para a emissão de bilhete de passagem aérea, reserva de hotel e locação de veículos para Serviço e/ou Treinamento em âmbito

Leia mais

REGRAS PARA A UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS PROAP/CAPES

REGRAS PARA A UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS PROAP/CAPES REGRAS PARA A UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS PROAP/CAPES Baseado no que determina a Portaria 64 da CAPES I) Informações gerais: Para entendimento e melhor uso dos recursos provenientes do Programa de Apoio a

Leia mais

EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS

EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), por meio da Pró-Reitoria de Sustentabilidade e Integração Social (PROSIS) torna público o presente EDITAL

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Cartão de crédito corporativo

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Cartão de crédito corporativo pág.: 1/4 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos referentes à utilização do cartão de crédito corporativo para pagamento das despesas de viagem e deslocamento dos empregados a serviço da COPASA

Leia mais

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores 2009 Cartilha de Câmbio Envio e recebimento de pequenos valores Apresentação O Banco Central do Brasil criou esta cartilha para orientar e esclarecer você, que precisa negociar moeda estrangeira, sobre

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO CCAF RESOLUÇÃO Nº 123, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO CCAF RESOLUÇÃO Nº 123, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO CCAF RESOLUÇÃO Nº 123, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Manual de utilização de Recursos Financeiros

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço de Agenciamento de Viagens PO I ESIS

TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço de Agenciamento de Viagens PO I ESIS TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviço de Agenciamento de Viagens POIESIS ÍNDICE DO TERMO DE REFERÊNCIA TÉCNICA 1. OBJETIVO GERAL 2. JUSTIFICATIVA 3. DOS SERVIÇOS 4. DOS CRITÉRIOS DE JULGAMENTO 5. OBRIGAÇÕES

Leia mais

PROCEDIMENTO DE VIAGEM

PROCEDIMENTO DE VIAGEM PG.GAF.001 003 01/11/2015 1 de 16 CENTRO INTERNACIONAL DE ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOGÁS Novembro 2015 PG.GAF.001 003 01/11/2015 2 de 16 Sumário 1. OBJETIVO...3 2. DEFINIÇÕES E SIGLAS...3 3. FLUXO DO PROCESSO

Leia mais

ANEXO IV ORIENTAÇÕES E FORMULÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS

ANEXO IV ORIENTAÇÕES E FORMULÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANEXO IV ORIENTAÇÕES E FORMULÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS Em conformidade às competências do CAU/BR previstas na Lei nº 12.378/2010 e em seu Regimento Geral, são apoiados projetos que contribuem para

Leia mais

BRASILCHINA Imp. E Exp.

BRASILCHINA Imp. E Exp. BRASILCHINA Imp. E Exp. www.brasilchina.ind.br Telefone: (34) 3215-6477 112ª CANTON FAIR GUANGZHOU Maior feira multissetorial do mundo, a Canton Fair é aberta anualmente ao público em dois períodos, em

Leia mais