» CÓDIGO 05 «ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "» CÓDIGO 05 «ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO"

Transcrição

1 PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013, de 05 de novembro de 2013 CADERNO DE QUESTÕES» CÓDIGO 05 «ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO OBSERVAÇÕES IMPORTANTES Este caderno tem um total de 50 (cinquenta) questões, distribuídas da seguinte forma: Questões de 01 a 20: Língua Portuguesa; Questões de 21 a 50: Conhecimentos Específicos. Verifique se este caderno está completo. Para cada questão são apresentadas cinco alternativas de resposta (a, b, c, d, e), sendo que o candidato deverá escolher apenas uma e, utilizando caneta esferográfica azul ou preta, preencher o círculo (bolha) correspondente no cartão-resposta. As respostas das questões deverão, obrigatoriamente, ser transcritas para o cartãoresposta, que será o único documento válido utilizado na correção eletrônica. Verifique se os dados constantes no cartão-resposta estão corretos e, se contiver algum erro, comunique o fato imediatamente ao aplicador/fiscal. O candidato terá o tempo máximo de 04 (quatro) horas para responder a todas as questões deste caderno e preencher o cartão-resposta. NÃO HAVERÁ SUBSTITUIÇÃO, sob qualquer hipótese, deste caderno, nem do cartãoresposta. Não serão dadas explicações durante a aplicação da prova. BOA PROVA! COORDENAÇÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS

2 Leia o Texto I e responda às questões de 01 a 15. LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO I Sobre técnicas de torrar café e outras técnicas Ronaldo Correia de Brito Já não existe a profissão de torradeira de café. Ninguém mais escuta falar nessas mulheres que trabalhavam nas casas de família, em dias agendados com bastante antecedência. As profissionais famosas pela qualidade do serviço nunca tinham hora livre. Cobravam caro e só atendiam freguesas antigas. Não era qualquer uma que sabia dar o ponto certo da torrefação, reconhecer o instante exato em que os grãos precisavam ser retirados do fogo. Um minuto a mais e o café ficava queimado e amargo. Um minuto a menos e ficava cru, com sabor travoso. Pra tudo na vida existe um ponto certo, diziam orgulhosas do ofício, mexendo as sementes no caco de barro escuro, a colher de pau dançando na mão bem treinada, o fogo aceso na temperatura exata. Muitos profissionais se especializavam na ciência de pôr um fim: os que mexiam a cocada no tacho de cobre, os que fabricavam o sabão caseiro de gorduras e vísceras animais, os que escaldavam a coalhada para o queijo prensado, os que assavam as castanhas. Nos terreiros de candomblé, onde se tocam para os orixás e caboclos, os iniciados sentem o instante em que a toada e o batuque alcançam o ponto de atuação, o transe que faz o santo descer e encarnar no seu cavalo. Nenhum movimento é mais complexo que o de finalizar. Nele, estão contidos o desapego e a separação, o sentimento de perda e morte. Sherazade contou suas histórias durante mil e uma noites, barganhando com o esposo e algoz Sheriar o direito de continuar vivendo e narrando. Mil noites é um número finito. O acréscimo de uma unidade ao numeral mil tornou-o infinito. Mil e uma noites se estendem pela eternidade. Sobrepondo narrativas, entremeando-as com novos contos, abrindo veredas de histórias que se bifurcam noutras, mantendo os enredos num contínuo com pausas diurnas, porém sem o ponto final, Sherazade adiou o término e a morte. De maneira análoga, Penélope tecia um manto sem nunca acabá-lo, acrescentando pontos durante o dia e desfazendo-os à noite. Também postergava o momento. [...] Uma artesã do barro de Juazeiro do Norte chora quando proponho comprar a cerâmica representando uma mulher com muletas, uma criança no peito, o feixe de lenha na cabeça. Conta a história que representou naquela peça simples, sente pena de separar-se de sua criatura. O xilogravador Gilvan Samico me apresenta os mais de cem estudos e as provas de autor até chegar à gravura definitiva. Olha para os lados e me confessa que se pudesse não venderia nenhuma das impressões. Confessa os dias de horror vividos até chegar ao instante em que se decide pela prova definitiva, quando o trabalho é considerado concluído e o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence. Que valor possui o esposo de Sherazade, comparado à narrativa que a liberta da morte? Talvez apenas o de ser o pretexto para o mar de histórias que a jovem narra ao longo de mil e uma noites. E o que se segue a esse imaginário fim? O que ocupa a milésima segunda noite, supostamente sem narrativas? Eis a pergunta que todos os criadores se fazem. O que se seguirá ao grande vazio? Deus descansou no sétimo dia após sua criação. O artista descansa, ou apenas se angustia pensando se a criatura que pôs no mundo está verdadeiramente pronta, no ponto exato de um grão de café torrado por uma mestra exímia? Afirmam que a flecha disparada pelo arqueiro zen busca sozinha o alvo. Num estado de absoluta concentração, arqueiro, arco, flecha e alvo se desprendem da energia do movimento e partem em busca do ponto exato. Anos de exercício levam ao disparo perfeito. O escritor trabalha com personagens que o obsedam, alguns chegando a cavalgá-lo como os santos do candomblé. Sonha os sonhos do outro, numa entrega do próprio inconsciente à criação. Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manterse na superfície e salvar-se; com a mão esquerda anota frases sobre ruínas. Nunca possui a técnica exata de um arqueiro zen, nem a perícia de uma torradeira de café. Dialoga com a morte como Sherazade, mantém a respiração suspensa, negocia adiamentos e escreve. Num dia qualquer, sem que nada espere e sem compreender o que acontece à sua volta, um editor arranca papéis inacabados de sua mão. Disponível em: /sobre-tecnicas-de-torrar-cafe-e-outras-tecnicas.shtml Acesso em 12 jun (Texto adaptado). Língua Portuguesa 1

3 1. No TEXTO I, o autor a) apresenta a atual situação dos artesãos no Brasil. b) contesta a desigual valoração para as obras de arte. c) argumenta em prol da necessidade de se fomentar o fazer artístico. d) faz analogia entre o trabalho do artesão e o processo criativo do escritor. e) defende o processo de construção literária como o único capaz de ser concluído. 2. Ao afirmar que Sobrepondo narrativas, entremeando-as com novos contos, abrindo veredas de histórias que se bifurcam noutras, mantendo os enredos num contínuo com pausas diurnas, porém sem o ponto final, Sherazade adiou o término e a morte. (parágrafo 3), o autor do texto retrata a) o poder de sedução dos contos de fada. b) a capacidade de inventividade narrativa como possibilidade de salvação. c) a impossibilidade de se concluir uma produção literária em tempos modernos. d) a indispensável interrelação entre ficção e realidade na concepção da obra literária. e) a necessidade de se conhecer os clássicos da literatura, a exemplo de Mil e uma noites e a Odisseia. 3. Todas as passagens a seguir se reportam à dificuldade do artista em separar-se de sua obra, EXCETO: a) Uma artesã do barro de Juazeiro do Norte chora quando proponho comprar a cerâmica representando uma mulher com muletas, uma criança no peito, o feixe de lenha na cabeça. (parágrafo 4) b) Olha para os lados e me confessa que se pudesse não venderia nenhuma das impressões. (parágrafo 4) c) Confessa os dias de horror vividos até chegar ao instante em que se decide pela prova definitiva, quando o trabalho é considerado concluído e o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence. (parágrafo 4) d) Conta a história que representou naquela peça simples, sente pena de separar-se de sua criatura." (parágrafo 4) e) O escritor trabalha com personagens que o obsedam, alguns chegando a cavalgá-lo como os santos do candomblé. (parágrafo 6) 4. A referência à técnica desenvolvida pelas torradeiras de café, apresentada no início do texto, a) denota a predileção do autor por técnicas artesanais, em detrimento das industriais. b) é uma forma de registrar o reconhecimento, por parte das novas gerações, à cultura popular. c) surge como uma homenagem do autor aos trabalhadores que conseguiram manter viva uma tradição popular. d) representa um exemplo da capacidade de certas técnicas rudimentares se perpetuarem ao longo das gerações. e) constitui-se ponto de partida para a discussão acerca da difícil arte de finalizar uma tarefa, tema retratado no decorrer do texto. 2 Língua Portuguesa

4 5. A finalização do processo de produção artística é retratada no texto como algo a) impessoal, em função das demandas comerciais. b) definitivo, já que registra o momento tão desejado pelo artista. c) angustiante e doloroso, por se tratar de uma separação entre criador e criatura. d) complexo, pelo fato de ser toda obra de arte o resultado de um trabalho coletivo. e) libertador, pois a conclusão de uma obra de arte instiga o artista a produzir sempre mais. 6. Considerando o texto, aponte, dentre as alternativas a seguir, aquela em que as expressões apresentam relação sinonímica. a) "fabricavam" "escaldavam" (parágrafo 2) b) "adiou" "postergava" (parágrafo 3) c) "estendem" "bifurcam" (parágrafo 3) d) "impressões" "estranheza" (parágrafo 4) e) "descansa" "angustia" (parágrafo 5) 7. No final do texto, ao comparar o arqueiro zen ao escritor, o autor observa que a) o arqueiro zen, diferentemente do escritor, dificilmente atinge seu objetivo. b) o arqueiro zen, diferentemente do escritor, consegue, com exatidão, finalizar seu trabalho. c) as ações do escritor e do arqueiro zen atingem, simultaneamente, o ponto exato de finalização. d) o escritor, ao contrário do arqueiro zen, dedica-se com esmero ao processo de produção, antes de finalizar seu trabalho. e) o escritor e o arqueiro zen não conseguem finalizar seus trabalhos com êxito, por mais que se esforcem. 8. A coesão de um texto se dá através da conexão entre vários enunciados e da relação de sentido existente entre eles. Em relação à coesão presente no texto, o termo destacado encontra-se devidamente justificado em: a) Ninguém mais escuta falar nessas mulheres que trabalhavam nas casas de família, [...] (parágrafo 1). O termo em destaque indica uma referência à expressão freguesas antigas (parágrafo 1). b) Nele, estão contidos o desapego e a separação *...+ (parágrafo 3). O termo em destaque faz referência a nenhum movimento (parágrafo 3). c) *...+ quando o trabalho é concluído e o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence. (parágrafo 4). O conectivo e indica uma progressão semântica que acrescenta um dado novo. d) *...+ a jovem narra ao longo de mil e uma noites. (parágrafo 5). O vocábulo em destaque caracteriza uma referência mais específica em relação ao termo a que se refere: Sherazade. e) *...+ alguns chegando a cavalgá-lo *...+ (parágrafo 6). O termo destacado substitui a expressão santos do candomblé. Língua Portuguesa 3

5 9. Em Nos terreiros de candomblé, onde se tocam para os orixás e caboclos, os iniciados sentem o instante em que a toada e o batuque alcançam o ponto [...] (parágrafo 2), as vírgulas utilizadas a) evidenciam a expressão vocativa. b) indicam uma oração de valor comparativo. c) demarcam uma explicação acerca do espaço. d) determinam a introdução de expressão da fala do autor. e) marcam a opinião do autor em relação à informação anterior. 10. Analise as proposições a seguir: I. As palavras desapego e separação pertencem ao mesmo campo semântico. II. O prefixo na palavra infinito exprime sentido de negação. III. O termo sublinhado em O escritor trabalha com personagens que o obsedam tem como referente a expressão escritor. É CORRETO o que se afirma apenas em a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) I e III. 11. O termo destacado em Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-se na superfície e salvar-se [...] (parágrafo 6), pode ser substituído, sem alteração de sentido, por: a) Porque b) Para que c) Porquanto d) Contanto que e) Ao mesmo tempo que 12. Os conectivos ou partículas linguísticas de ligação, além de exercer funções coesivas, manifestam ainda diferentes relações de sentido entre os enunciados. Aponte, dentre as alternativas a seguir, aquela em que a relação estabelecida pelo conectivo em destaque está CORRETAMENTE indicada entre parênteses. a) Uma artesã do barro de Juazeiro do Norte chora quando proponho comprar a cerâmica. (Proporção). b) Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-se na superfície e salvar-se; (Consequência). c) Dialoga com a morte como Sherazade, [...] (Comparação). d) Olha para os lados e me confessa que se pudesse não venderia nenhuma das impressões. (Finalidade). e) Num dia qualquer, sem que nada espere e sem compreender o que acontece à sua volta [...] (Adversidade). 4 Língua Portuguesa

6 13. Por vezes, a omissão de palavras ou expressões não acarreta alteração no sentido de orações ou períodos, já que tal omissão pode ser depreendida do contexto. Há, dentre as alternativas a seguir, uma ocorrência assim caracterizada. Aponte-a. a) "Mil e uma noites se estendem pela eternidade". (parágrafo 3) b) "O que se seguirá ao grande vazio?" (parágrafo 5) c) "Deus descansou no sétimo dia após sua criação". (parágrafo 5) d) "Nunca possui a técnica exata de um arqueiro zen, [...] (parágrafo 6) e) "[...] a flecha disparada pelo arqueiro zen busca sozinha o alvo". (parágrafo 6) 14. Analise as proposições a seguir, acerca da pontuação, e assinale (V), para o que for verdadeiro, e (F), para o que for falso. ( ) No trecho De maneira análoga, Penélope tecia um manto [...]", a vírgula é utilizada para separar uma expressão adverbial disposta no início do período. ( ) Em Dialoga com a morte como Sherazade, mantém a respiração suspensa, negocia adiamentos e escreve., as vírgulas são utilizadas para separar orações coordenadas. ( ) Em Enquanto se afoga em paixões, com a mão direita tenta manter-se na superfície e salvarse; [...], não há razão linguístico-gramatical que justifique a presença da vírgula na sentença. Assim, seu uso é facultativo. A sequência que completa CORRETAMENTE os parênteses é a) V V F b) V F F c) F V F d) V V V e) F F V 15. A regência verbal em destaque na frase mulheres que trabalhavam nas casas de família é a mesma do verbo destacado em a) Anos de exercício levam ao disparo perfeito. b) Deus descansou no sétimo dia após sua criação. c) Muitos profissionais se especializavam na ciência de pôr um fim: [...] d) O xilogravador Gilvan Samico me apresenta os mais de cem estudos: [...]. e) *...+ o criador experimenta a estranheza diante do que não mais lhe pertence. Língua Portuguesa 5

7 As questões de 16 a 18 referem-se ao TEXTO II, a seguir: TEXTO II Capítulo I Muito trabalho, mestre Zé? Está vasqueiro. Tenho umas encomendas de Gurinhém. Um tangerino passou por aqui e me encomendou esta sela e uns arreios. Estou perdendo o gosto pelo ofício. Já se foi o tempo em que dava gosto trabalhar numa sela. Hoje estão comprando tudo feito. E que porcarias se vendem por aí! Não é para me gabar. Não troco uma peça minha por muita preciosidade que vejo. Basta lhe dizer que seu Augusto do Oiteiro adquiriu na cidade uma sela inglesa, coisa cheia de arrebiques. Pois bem, aqui esteve ela para conserto. Eu fiquei me rindo quando o portador do Oiteiro me chegou com a sela. E disse, lá isto disse: por que seu Augusto não manda consertar esta bicha na cidade? E deu pela sela um preção. Se eu fosse pedir o que pagam na cidade, me chamavam de ladrão. É, mestre José Amaro sabe trabalhar, não rouba a ninguém, não faz coisa de carregação. Eles não querem mais os trabalhos dele. Que se danem. Aqui nesta tenda só faço o que quero. REGO, José Lins do. Fogo Morto. Record: Rio de Janeiro, Pelo disposto acima, é CORRETO afirmar sobre o Mestre José Amaro: a) Mostra-se insatisfeito com os resultados de seus últimos trabalhos. b) Prefere trabalhar para clientes de fora, pois estes valorizam seu trabalho. c) Orgulha-se do esmero com que desenvolve seu trabalho e da qualidade que lhe imprime. d) Embora se envaideça de seu ofício, preocupa-se com o fato de não poder mais executá-lo da melhor forma. e) Questiona a qualidade do trabalho de outros seleiros, mas reconhece o valor dos novos materiais industrializados. 17. É, mestre José Amaro sabe trabalhar, não rouba a ninguém, não faz coisa de carregação. Eles não querem mais os trabalhos dele. Que se danem. Aqui nesta tenda só faço o que quero. A fala final de Mestre José Amaro revela a) certa resignação diante das novas demandas do mercado. b) revolta por desenvolver seu ofício numa região de parcas condições. c) a decisão de não mais confeccionar produtos para o senhor Augusto do Oiteiro. d) a sua disposição em manter-se fiel ao trabalho de qualidade que sempre desenvolveu. e) a determinação por continuar tentando convencer os vaqueiros da qualidade de suas selas. 6 Língua Portuguesa

8 18. Atente para a seguinte passagem: Eles não querem mais os trabalhos dele. Agora, considere as seguintes afirmações acerca da expressão em destaque: I. Retoma um termo expresso anteriormente. II. Refere-se diretamente aos moradores e comerciantes da cidade. III. Embora não se refira a nenhum elemento textual anterior, o contexto possibilita a recuperação do termo referente. Está(ão) CORRETA(S): a) III apenas b) I e II apenas. c) I e III apenas. d) II e III apenas. e) I, II e III. 19. Leia a seguir: I. Declaração fundamentada em ponto de vista a respeito de um fato ou negócio. II. É o instrumento pelo qual Ministros ou outras autoridades expedem instruções sobre a organização e funcionamento de serviço e praticam outros atos de sua competência. III. Modalidade de comunicação entre unidades administrativas de um mesmo órgão, que podem estar hierarquicamente em mesmo nível ou em níveis diferentes. Trata-se, portanto, de uma forma de comunicação eminentemente interna. As descrições dizem respeito, respectivamente, a a) Parecer Portaria Memorando. b) Ofício Relatório Parecer. c) Parecer Ofício Portaria. d) Memorando Ofício Declaração. e) Portaria Requerimento Relatório. 20. Pela própria natureza, a redação oficial deve apresentar uma linguagem que obedeça a critérios específicos. Todas as características a seguir devem compor a redação oficial, EXCETO: a) Impessoalidade e clareza. b) Uso da linguagem padrão. c) Tratamento linguístico formal. d) Concisão e transparência de sentido. e) Presença de conotação e da criatividade do emissor. Língua Portuguesa 7

9 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CÓDIGO 05 «21. O conceito de SISTEMA é subjacente ao campo de sistemas de informação. Um sistema é um grupo de componentes interrelacionados que trabalham rumo a uma meta comum, recebendo insumos e produzindo resultados em um processo organizado de transformação. Um sistema dessa ordem (às vezes chamado sistema dinâmico) possui três componentes ou FUNÇÕES BÁSICAS em interação, quais sejam: a) Entrada, processamento e desenvolvimento. b) Tecnologia, administração e saída. c) Aplicações empresariais, administração e tecnologia. d) Entrada, processamento e saída. e) Entrada, desenvolvimento e feedback. 22. Um MODELO BÁSICO DE S.I. mostra que um sistema de um sistema de informação consiste em cinco recursos principais: pessoas,,, e redes. A alternativa que preenche CORRETA e sequencialmente as lacunas acima é: a) hardware, software, dados. b) mídias, banco de dados, tecnologia. c) dados, sistemas integrados, informação. d) hardware, software, informação. e) finanças, produção, materiais. 23. Quanto à Tecnologia da Informação HARDWARE, é CORRETO afirmar que: a) Os dispositivos de entrada de um sistema de computador incluem teclado, monitor, mouse, canetas, scanners óticos. b) A unidade central de processamento é o componente secundário de processamento de um sistema de computador. c) Os dispositivos de saída de um sistema de computador não incluem monitores de vídeo, impressoras e unidades de respostas de áudio. d) A unidade de controle da CPU é o componente de controle de um sistema de tomada de decisão. e) A função de armazenagem de um sistema de computador ocorre nos circuitos da unidade de armazenamento primário, ou memória, e em dispositivos de armazenamento secundário, como as unidades de disco magnético e as de disco ótico. 8 Código 05 «Administração de Sistemas da Informação «Conhecimentos Específicos

10 24. No que diz respeito às TENDÊNCIAS DA TECNOLOGIA de entrada, as interfaces tiveram evolução classificadas em gerações, a saber: primeira, segunda, terceira, quarta e quinta. Nessa perspectiva, a mídia/método de entrada correspondente à quarta geração é: a) Cartões e fitas de papel perfurados. b) Entrada de dados pelo teclado, dispositivos de indicação, escaneamento ótico. c) Tecla para fita/disco. d) Cartões perfurados. e) Reconhecimento de voz, dispositivos de toque, reconhecimento de caligrafia. 25. Existem diferentes TIPOS DE REDE, no que se refere ao seu alcance, configuração física ou lógica, cada qual apresentando características peculiares, que precisam ser compreendidas, em busca de uma melhor administração de recursos existentes. Quanto ao ALCANCE GEOGRÁFICO, as redes podem ser: a) LAN (local area network) e ponto a ponto. b) WAM (wide area managemant) e cliente-servidor. c) PAN (personal area network) e LAN (local area network). d) MAN (metropolitan area network) e WAM (wide area managemant). e) WPAN (wireless performance area network) e Estrela. 26. Qual o EQUIPAMENTO utilizado na CONEXÃO de diferentes redes (LAN, MAN ou WAM), que tem como característica a escolha do caminho mais apropriado para o envio de dados de um equipamento a outro na rede? a) Hub. b) Bridge. c) Switch. d) Roteador. e) MODEM. 27. Os CAMPOS DE DADOS afins são agrupados para formarem um que representa, então, uma coleção de atributos que descrevem uma entidade. A alternativa que preenche CORRETAMENTE a lacuna acima é: a) caracter b) registro c) campo d) arquivo e) linha Conhecimentos Específicos» Administração de Sistemas da Informação» Código 05 9

11 28. O que diferencia um banco de dados (e informações) de um simples conjunto de arquivos são algumas características que, embora nem sempre estejam presentes como um todo, são encontradas em muitos dos bancos modernos. Qual das alternativas apresentadas NÃO corresponde a essas características? a) Escalabilidade. b) Garantia de integridade dos dados e informações. c) Controle de aplicações externas. d) Restrição de acesso. e) Uso de plataformas diferentes. 29. é um sistema interfuncional que atua como estrutura para integrar e automatizar muitos dos processos de negócios que devem ser realizados pelas funções de produção, logística, distribuição, contabilidade, finanças e de recursos humanos de uma empresa. A alternativa que preenche CORRETAMENTE a lacuna acima é: a) SCM gerenciamento da cadeia de suprimento. b) CRM gerenciamento de relacionamento com cliente. c) TPS sistema de processamento de transações. d) MRP planejamento de recursos de manufatura. e) ERP planejamento de recursos empresariais. 30. O marketing direcionado se tornou uma importante ferramenta do desenvolvimento de estratégias de propaganda e promoção para os sites de comércio eletrônico de uma empresa. O marketing direcionado é um conceito de administração de propaganda e promoção que engloba cinco componentes alvo. Quando a propaganda na forma de cartazes eletrônicos ou banners pode ser veiculada em várias páginas do site na internet, além da home page da empresa, estamos falando de um dos componentes do marketing direcionado para o COMÉRCIO ELETRÔNICO NA WEB. Marque a alternativa que representa esse contexto. a) Conteúdo. b) Comunidade. c) Finalidade. d) Comportamento on-line. e) Aspectos demográficos e psicológicos. 31. Atualmente, muitas empresas participam ou patrocinam algumas categorias básicas de aplicações de E-COMMERCE. A categoria que representa a ligação de empresa a consumidor é: a) B2B. b) B2C. c) C2C. d) B2G. e) C2G. 10 Código 05 «Administração de Sistemas da Informação «Conhecimentos Específicos

12 32. São fatores de sucesso no E-COMMERCE, EXCETO: a) Seleção e valor seleção de produtos atraentes, preços competitivos, garantias de satisfação e suporte ao cliente após a venda. b) Desempenho e serviço navegação, sondagem, e compras rápidas e fáceis, e pronta remessa e entrega. c) Propaganda e incentivos propaganda dirigida nas páginas da web e nas promoções por , descontos e ofertas especiais, incluindo propaganda em sites associados. d) Atenção organizacional páginas da web, exclusivamente direcionadas ao uso de organização de empresas, recomendações personalizadas de produtos, notícias por e propaganda na web. e) Segurança e confiabilidade segurança de informações do cliente e nas transações do website, confiabilidade das informações sobre os produtos e suprimento confiável do pedido. 33. Algumas características diferenciam dados, informação e conhecimento. A entidade informação recebe uma ponderação intermediária entre os valores atribuídos para dados e conhecimento. Em relação a ANÁLISE ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO, o principal requisito para a geração de dados é a observação, para geração de informação é a interpretação consensual e para gerar conhecimento numa organização é necessário a) o controle e gerenciamento. b) a execução de transações. c) a aplicação de sistemas de processamento. d) a análise e reflexão. e) a aplicação de sistemas de controle. Conhecimentos Específicos» Administração de Sistemas da Informação» Código 05 11

13 34. No tocante às ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO CONHECIMENTO, verifica-se que há duas formas de conhecimento: o tácito e o explícito. Nesse contexto, a socialização, a externalização, a combinação e a internalização são modos de conversão de conhecimento. Marque a alternativa que completa CORRETAMENTE o ciclo virtuoso da espiral do conhecimento na figura 1. Conhecimento compartilhado 1. Tácito Tácito Conhecimento conceitual 2. Tácito Explícito Conhecimento operacional 3. Explícito Tácito Conhecimento sistêmico 4. Explícito Explícito Figura 1 Modos de conversão do conhecimento - Espiral do conhecimento. a) 1. Combinação; 2. Externalização; 3. Internalização; 4. Socialização. b) 1. Externalização; 2. Combinação; 3. Internalização; 4. Socialização. c) 1. Socialização; 2. Externalização; 3. Internalização; 4. Combinação. d) 1. Internalização; 2. Externalização; 3. Combinação; 4. Socialização. e) 1. Externalização; 2. Internalização; 3. Socialização; 4. Combinação. 35. Dentre as formas de categorização das DIMENSÕES DA QUALIDADE DA INFORMAÇÃO, é possível classificá-las em: qualidade intrínseca, qualidade de acessibilidade, qualidade contextual e qualidade representacional. Das alternativas abaixo, qual delas apresenta dimensões da QUALIDADE INTRÍNSECA? a) Acesso e segurança. b) Acurácia e credibilidade. c) Relevância e valor agregado. d) Economia de tempo e quantidade de dados. e) Escopo e completude. 36. Dentre os diversos ATRIBUTOS que podem ser utilizados para qualificar uma informação, temos um que diz que sobre as mesmas circunstâncias de processamento e com o mesmo conjunto original de dados, a informação gerada deverá ser sempre a mesma. Marque a alternativa que corresponde a essa realidade. a) Reprodutibilidade. b) Precisão. c) Fidedignidade. d) Veracidade. e) Inteligibilidade. 12 Código 05 «Administração de Sistemas da Informação «Conhecimentos Específicos

14 37. O CONHECIMENTO é aquele que pode ser codificado, sendo passível de transmissão por meio de uma linguagem formal e sistematizada. Marque a alternativa que completa CORRETAMENTE a lacuna. a) TÁCITO b) EXPLÍCITO c) TÉCNICO d) COGNITIVO e) INFORMACIONAL 38. São atributos relacionados ao uso da informação/conhecimento empregados no processo de gestão do conhecimento, EXCETO: a) Dimensão audiência (frequência de acesso). b) Dimensão audiência (duração de tempo do acesso). c) Dimensão agregação de valor (valor entregue pela informação). d) Dimensão disponibilidade (tempo decorrido entre o ato de solicitar e o de acessar). e) Dimensão confiabilidade (credibilidade do conteúdo). 39. O tipo de sistema de informação que atende às equipes operacionais e supervisores, onde as tarefas, os procedimentos e as metas são predefinidos e muito estruturados é chamado de a) STC Sistema de Trabalho do Conhecimento. b) SAE Sistema de Automação de Escritório. c) SPT Sistema de Processamento de Transações. d) SIG Sistema de Informações Gerenciais. e) SSD Sistema de Suporte a Decisões. 40. O SUPORTE A DECISÕES identifica TRÊS subgrupos. São eles: a) Sistema de Apoio à Gestão (SAG), Sistema de Tomada de Decisões operacionais (STDO) e Sistema de Informação Executiva (SIE). b) Sistema de Suporte à Operação (SSO), Sistema de Apoio à Decisão (SAD) e Sistema de Informação Grupal (SIGR). c) Sistema de Informação Pessoal (SIP), Sistema de Informação Global (SIGL) e Sistema de Apoio à Comunicação (SAC). d) Sistema de Informações Logísticas (SIL), Sistema de Informações Financeiras (SIF) e Sistemas de Informação e Viabilidade Econômica (SIVE). e) Sistemas de Informações Operacionais (SIO), Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) e Sistemas de Informações Estratégicos (SIE). Conhecimentos Específicos» Administração de Sistemas da Informação» Código 05 13

15 41. O crime com o uso do computador é uma ameaça crescente à sociedade, provocado por ações criminosas ou irresponsáveis de indivíduos que estão tirando vantagens do uso generalizado e da vulnerabilidade de computadores, da internet e de outras redes. O crime com o uso do computador ameaça seriamente a integridade, a segurança e a sobrevivência da maioria dos sistemas de e- business, tornando, dessa forma, o desenvolvimento de métodos eficazes de segurança uma prioridade. Exemplo disso são as cópias de softwares sem autorização, ato que é denominado de a) Hacking. b) Ciber roubo. c) Cracking. d) Drag-Drop. e) Pirataria de software. 42. São táticas usuais de HACKING, EXCETO: a) Unificação de Senhas. b) Negação de Serviços. c) Cavalo de Tróia. d) Back Doors. e) Bombas Lógicas. 43. Descentralização regional, dependente de interfaces, consolidação parcial de aplicações e utilização de sistemas comuns, duplicação reduzida de operações são CARACTERÍSTICAS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO em empresas que operam internacionalmente e que adotam estratégias a) regionais. b) nacionais. c) globais. d) internacionais. e) transnacionais. 44. é um conjunto de serviços disponíveis em uma rede local, tendo como interface uma página similar àquelas utilizadas em sites na web. Marque a alternativa que preenche CORRETAMENTE a lacuna. a) Intranet b) Internet c) Rede Local d) Extranet e) Arpanet 14 Código 05 «Administração de Sistemas da Informação «Conhecimentos Específicos

16 45. As oportunidades para diversificação de ESTRATÉGIA BASEADA EM CONHECIMENTO fundamentamse em: a) Metodologia, diversificação, força e fraqueza. b) Capital intelectual, espiral de conhecimento e compartilhamento de conhecimento. c) Oportunidades, ameaças, stakeholders e mentores organizacionais. d) Conteúdo, compartilhamento, obtenção e novos mercados. e) Tecnocracia informacional, balance scorecard e análise SWOT. 46. Quando as ESTRATÉGIAS BASEADAS EM CONHECIMENTOS têm o foco na tecnologia da informação, objetivando criar bases de conhecimento, estamos nos referindo à visão a) cartográfica. b) espacial. c) estratégica. d) informacional. e) sistêmica. 47. A ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS (ARS) pode ser compreendida como uma interpretação matemática de relacionamentos existentes entre os atores de uma rede social. Os atores podem ser: pessoas, equipes (ou grupos), organizações de interesse de análise e coisas que tenham representação virtual suportada por recursos da tecnologia da informação. Os relacionamentos são as interações ou conexões entre esses atores. Quanto à aplicação da abordagem de ARS à gestão das organizações, observa-se os conteúdos transacionais trocados entre dois atores. Dessa forma, tem-se que, o conteúdo transacional é agrupado em quatro categorias que são:,, e. I. troca de afeto (amizade e apreciação). II. troca de influência ou poder. III. troca de informação. IV. troca de mercadorias e serviços. V. troca de recursos financeiros. VI. troca de conhecimentos. Marque a alternativa que preenche CORRETAMENTE os espaços em branco. a) I II III IV. b) II III IV V. c) III IV V VI. d) I II IV V. e) II IV V VI. Conhecimentos Específicos» Administração de Sistemas da Informação» Código 05 15

17 48. O Facebook é como uma reunião global que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana. Ele facilita enormemente o compartilhamento de informações multimídia, tornando-se mais valiosa do que a habitual troca de cartões pessoais. Nesse contexto, a anatomia de uma página no Facebook é composta por alguns elementos. As alternativas a seguir apresentam alguns desses elementos, EXCETO: a) Página principal. b) Perfil. c) Mural. d) Empregos. e) "O que você está pensando?". 49. Apesar da empolgação em torno das MÍDIAS SOCIAIS, a verdade é que elas, provavelmente, não irão recuperar a empresa sozinhas, torná-la rentável ou fazer com que suas vendas aumentem significativamente. Daí que, quando utilizadas de forma estratégica, com conteúdo de qualidade e público-alvo cuidadosamente escolhido, a mídia social torna-se econômica, extremamente personalizada e ajustável. No entanto, sabe-se que alguns mitos ainda estão relacionados a elas. Marque a alternativa que NÃO corresponde a um mito a respeito das mídias sociais. a) Mídias sociais são apenas para crianças. b) É apenas uma moda passageira. c) As mídias sociais são tudo de que você precisa. d) A quantidade é mais importante que a qualidade. e) As mídias sociais não são uma ferramenta de marketing. 50. No PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO e de GESTÃO DO CONHECIMENTO, é uma habilidade não muito comum de se encontrar nas organizações, no tocante à identificação e documentação de conhecimentos não estruturados, ou seja, dos conhecimentos tácitos disponíveis e importantes para a organização. Marque a alternativa que preenche CORRETAMENTE a lacuna. a) obter/adquirir b) identificar/mapear c) distribuir/partilhar d) utilizar/aplicar e) aprender/criar 16 Código 05 «Administração de Sistemas da Informação «Conhecimentos Específicos

» CÓDIGO 72 «MATEMÁTICA APLICADA A GESTÃO E NEGÓCIOS

» CÓDIGO 72 «MATEMÁTICA APLICADA A GESTÃO E NEGÓCIOS PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 21 «CONTABILIDADE

» CÓDIGO 21 «CONTABILIDADE PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 94 «SECRETARIADO

» CÓDIGO 94 «SECRETARIADO PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 07 «ADMINISTRAÇÃO GERAL E EMPREENDEDORISMO

» CÓDIGO 07 «ADMINISTRAÇÃO GERAL E EMPREENDEDORISMO PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 01 «ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

» CÓDIGO 01 «ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 46 «HARDWARE

» CÓDIGO 46 «HARDWARE PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 02 «ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

» CÓDIGO 02 «ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 04 «ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS

» CÓDIGO 04 «ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 100 «TECNOLOGIA AUTOMOTIVA

» CÓDIGO 100 «TECNOLOGIA AUTOMOTIVA PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 86 «PSICOLOGIA APLICADA A GESTÃO E NEGÓCIOS

» CÓDIGO 86 «PSICOLOGIA APLICADA A GESTÃO E NEGÓCIOS PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

» CÓDIGO 45 «GESTÃO RURAL

» CÓDIGO 45 «GESTÃO RURAL PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS 1. Sabe-se que o conceito de Sistema de Informação envolve uma série de sistemas informatizados com diferentes características e aplicações, os quais, porém, têm em comum

Leia mais

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso 1. Muitas organizações estão utilizando tecnologia da informação para desenvolver sistemas

Leia mais

» CÓDIGO 99 «SOCIOLOGIA E METODOLOGIA DA PESQUISA

» CÓDIGO 99 «SOCIOLOGIA E METODOLOGIA DA PESQUISA PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

» CÓDIGO 48 «INFORMÁTICA APLICADA A GESTÃO E NEGÓCIOS

» CÓDIGO 48 «INFORMÁTICA APLICADA A GESTÃO E NEGÓCIOS PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

» CÓDIGO 60 «LEGISLAÇÃO

» CÓDIGO 60 «LEGISLAÇÃO PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções.

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções. Revisão 1 Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento Coletar informação; e Identificar as direções. Precisa; Clara; Econômica; Flexível; Confiável; Dirigida; Simples; Rápida;

Leia mais

» CÓDIGO 31 «DESIGN GRÁFICO - PERFIL 01

» CÓDIGO 31 «DESIGN GRÁFICO - PERFIL 01 PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 27 «CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS - PERFIL 06

» CÓDIGO 27 «CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS - PERFIL 06 PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

08/03/2009. Como mostra a pirâmide da gestão no slide seguinte... Profª. Kelly Hannel. Fonte: adaptado de Laudon, 2002

08/03/2009. Como mostra a pirâmide da gestão no slide seguinte... Profª. Kelly Hannel. Fonte: adaptado de Laudon, 2002 Pirâmide da Gestão Profª. Kelly Hannel Fonte: adaptado de Laudon, 2002 Diferentes tipos de SIs que atendem diversos níveis organizacionais Sistemas do nível operacional: dão suporte a gerentes operacionais

Leia mais

Sistemas de informação Gerencial

Sistemas de informação Gerencial + Sistemas de informação Gerencial Referência: LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Sistemas de información gerencial. 12. ed. México: Pearson Educación, 2012. + Componentes de um sistema de informações n (LAUDON;LAUDON,

Leia mais

» CÓDIGO 69 «MATEMÁTICA - PERFIL 03

» CÓDIGO 69 «MATEMÁTICA - PERFIL 03 PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

» CÓDIGO 38 «EVENTOS

» CÓDIGO 38 «EVENTOS PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 11 Sistemas de E-business Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons

Leia mais

Sistemas de e-business. Objetivos do Capítulo

Sistemas de e-business. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma empresa, seus clientes e parceiros de

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 02 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN CAPÍTULO 01 continuação Páginas 03 à 25 1 COMPONENTES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO Especialistas

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 25

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 25 Informática Prof. Macêdo Firmino Introdução a Informática Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 25 O Que é um Computador? É uma máquina composta de um conjunto de partes eletrônicas e

Leia mais

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini SI- Sistemas de Informação Professora: Mariana A. Fuini INTRODUÇÃO A informação é tudo na administração de uma organização. Mas para uma boa informação é necessário existir um conjunto de características

Leia mais

Existem 109 questões nesta pesquisa

Existem 109 questões nesta pesquisa FASE 2: ANÁLISE DO WEBSITE INSTRUÇÕES Leia atentamente todas as questões Explore o website em avaliação, procurando pelas questões propostas Depois, responda cada questão Algumas questões precisam de informações

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma

Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma 1 Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma empresa, seus clientes e parceiros de negócios: de recursos

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro Tecnologia da Informação e Comunicação Douglas Farias Cordeiro Algumas coisas que vimos até aqui Qual a diferença entre as funções do analista e do projetista? Como funciona o ciclo de vida de um projeto

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis usados, além do crescimento de renda da população e

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Sistema de informação nos negócios Sistemas de informação no apoio ao processo de tomada de decisão Sistemas colaborativos

Leia mais

Prof. Lucas Santiago

Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação são classificados por

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

Classificação dos Sistemas de Informação

Classificação dos Sistemas de Informação Sistemas de Informação Classificação dos Sistemas de Informação O que veremos? Estaremos examinando o tipo de sistema de informação Gerencial. Veremos também, outras classificações dos sistemas de informação.

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação

Fundamentos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação Objetivo da Aula Tecnologia e as Organizações, importância dos sistemas de informação e níveis de atuação dos sistemas de informação Organizações & Tecnologia TECNOLOGIA A razão e a capacidade do homem

Leia mais

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA Muitas organizações terceirizam o transporte das chamadas em seus call-centers, dependendo inteiramente

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A2 DATA 02/07/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

Sistemas de Informação: tipos e características

Sistemas de Informação: tipos e características Sistemas de Informação: tipos e características Tipos de sistemas de informação. Os quatro tipos principais de sistemas de informação. Sistemas do ponto de vista de pessoal Sistemas de processamento de

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Aula 1 Ementa Fases do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software, apresentando como os métodos, ferramentas e procedimentos da engenharia de software, podem

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

Sistemas de Informações e o Uso comercial

Sistemas de Informações e o Uso comercial ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ASI Elabora por Prof.Mestra Rosimeire Ayres Conectan a Empresa à Rede Intranet Internet Extranet B2B B2C B2E C2C As empresas estão se tornan empresas conectadas

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

Algoritmos e Programação I

Algoritmos e Programação I Algoritmos e Programação I Introdução a Computação Prof. Fernando Maia da Mota mota.fernandomaia@gmail.com CPCX/UFMS Fernando Maia da Mota 1 Computadores são dispositivos que só sabem fazer um tipo de

Leia mais

» CÓDIGO 28 «CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS - PERFIL 07

» CÓDIGO 28 «CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS - PERFIL 07 PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Conceitos ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Comunicação; Formas de escritas; Processo de contagem primitivo;

Conceitos ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Comunicação; Formas de escritas; Processo de contagem primitivo; Conceitos Comunicação; Formas de escritas; Bacharel Rosélio Marcos Santana Processo de contagem primitivo; roseliomarcos@yahoo.com.br Inicio do primitivo processamento de dados do homem. ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Prof. JUBRAN. Aula 1 - Conceitos Básicos de Sistemas de Informação

Prof. JUBRAN. Aula 1 - Conceitos Básicos de Sistemas de Informação Prof. JUBRAN Aula 1 - Conceitos Básicos de Sistemas de Informação Conhecimento em Sistemas de Informação Os filósofos tentam há séculos definir dados ou fatores, informação e conhecimento. Seus resultados

Leia mais

Edital Nº 334/2013, de 05 de novembro de 2013 » CÓDIGO 63 «LIBRAS. Não serão dadas explicações durante a aplicação da prova.

Edital Nº 334/2013, de 05 de novembro de 2013 » CÓDIGO 63 «LIBRAS. Não serão dadas explicações durante a aplicação da prova. PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS Vimos em nossas aulas anteriores: COMPUTADOR Tipos de computadores Hardware Hardware Processadores (CPU) Memória e armazenamento Dispositivos de E/S

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A3 DATA 09/07/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

» CÓDIGO 49 «INFORMÁTICA BÁSICA

» CÓDIGO 49 «INFORMÁTICA BÁSICA PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Quadrado duplo = Entidade Externa/Origem ou destino de Dados.

Quadrado duplo = Entidade Externa/Origem ou destino de Dados. DIAGRAMA DE FLUXO DE DADOS O Diagrama de Fluxo de Dados (DFD) é uma das principais ferramentas utilizadas no projeto de sistemas de informação. O DFD é um diagrama gráfico, baseado apenas em quatro símbolos,

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO Número e Título do Projeto Função no Projeto: Resultado: Atividades: Antecedentes: (breve histórico justificando a contratação)

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

MANUAL VESTIBULAR SIMPLIFICADO 2015

MANUAL VESTIBULAR SIMPLIFICADO 2015 MANUAL VESTIBULAR SIMPLIFICADO 2015 AEDS Autarquia Educacional de Salgueiro Fone: (87) 3871 6040 FACHUSC Faculdade de Ciência Humanas do Sertão Central Rua Antônio Filgueira Sampaio, 134 - Salgueiro -

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE MARKETING

COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING Meio através do qual a empresa informa, persuadi e lembra os consumidores sobre o seu produto, serviço e marcas que comercializa. Funções: Informação

Leia mais

» CÓDIGO 37 «EDUCAÇÃO FÍSICA - PERFIL 03

» CÓDIGO 37 «EDUCAÇÃO FÍSICA - PERFIL 03 PROVA ESCRITA DO CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DO CARGO DE PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Edital Nº 334/2013,

Leia mais

Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Sistemas de informação Manual técnicas de arquivamento e recuperação de informações de grandes arquivos.

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

social media para bares, restaurantes e afins

social media para bares, restaurantes e afins BARTIPS social media para bares, restaurantes e afins O que buscamos? Divulgar seu estabelecimento para milhares de potenciais consumidores. Fazer você ser parte do dia-a-dia de seu cliente Ter suas novidades,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Um Sistema de Informação não precisa ter essencialmente

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE INGRESSO INSTRUÇÕES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE INGRESSO INSTRUÇÕES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTRUÇÕES 1 1. Confira seu nome e número de inscrição no cartão-resposta. Se houver algum erro, comunique-o ao fiscal de sala. Assine o cartão-resposta no campo indicado. 2. No

Leia mais

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line;

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line; Encontro Presencial Introdução ao Marketing e Marketing de Serviços Caro aluno, Conheça as três atividades distintas que ocorrerão durante o Encontro Presencial... 1. Revisão estudo, orientado pelo Professor-Tutor,

Leia mais

FORMAÇÃO SÓLIDA E BENEFÍCIOS PARA VOCÊ

FORMAÇÃO SÓLIDA E BENEFÍCIOS PARA VOCÊ A FUNCEX E O ENSINO A DISTÂNCIA Milhões de pessoas aderiram ao Ensino a Distância no Brasil, e a Funcex, acompanhando esta tendência, desenvolveu sua plataforma de ensino para disponibilizar os treinamentos

Leia mais

INGLÊS cont. Código 367 abril 2015

INGLÊS cont. Código 367 abril 2015 Direção Regional de Educação do Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS cont. Código 367 abril 2015 11º Ano de escolaridade (Decreto Lei 139/

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Fonte: Tipos de Sistemas de Informação (Laudon, 2003). Fonte: Tipos de Sistemas

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord Pesquisa e Propagação do conhecimento: Através da Web, é possível

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS

CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS 1. Sobre a Sétima A SÉTIMA quer ajudar os realizadores, artistas, coletivos de audiovisual, distribuidoras e produtoras, que não

Leia mais

1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES 1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES 1 Os sistemas de informação (SI) utilizam hardware, software, redes de telecomunicações, técnicas de administração de dados computadorizadas e outras formas de

Leia mais