UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE HOSPITAL DE CLÍNICAS DIRETORIA DE ENSINO E PESQUISA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE HOSPITAL DE CLÍNICAS DIRETORIA DE ENSINO E PESQUISA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE HOSPITAL DE CLÍNICAS DIRETORIA DE ENSINO E PESQUISA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL - COREMU Edital n 01/2014 COREMU - Prova Específica 10/11/ ATENÇÃO HOSPITALAR PSICOLOGIA INSTRUÇÕES 1. Aguarde autorização para abrir o caderno da prova. 2. Confira, abaixo, seu número de protocolo e nome. Assine no local indicado. 3. A interpretação das questões é parte do processo de avaliação, não sendo permitidas perguntas aos aplicadores de prova. 4. Nesta prova, as questões são de múltipla escolha com cinco alternativas cada uma, sempre na sequência a, b, c, d, e, das quais somente uma deve ser assinalada. 5. Ao receber o cartão-resposta, examine-o e verifique se o nome nele impresso corresponde ao seu. Caso haja irregularidade, comunique-a imediatamente ao aplicador de prova. 6. O cartão-resposta deverá ser preenchido com caneta esferográfica preta, tendose o cuidado de não ultrapassar o limite do espaço para cada marcação. 7. No cartão-resposta, a marcação de mais de uma alternativa em uma mesma questão, rasuras e o preenchimento além dos limites do círculo destinado para cada marcação poderão anular a questão. 8. Não haverá substituição do cartão-resposta por erro de preenchimento. 9. Não serão permitidas consultas, empréstimos e comunicação entre candidatos, bem como o uso de livros, apontamentos e equipamentos, eletrônicos ou não, inclusive relógio. O não cumprimento dessas exigências implicará a exclusão do candidato deste concurso. 10. Não será permitido ao candidato manter em seu poder relógios e aparelhos eletrônicos (BIP, telefone celular, tablet, calculadora, agenda eletrônica, MP3 etc.), devendo ser desligados e colocados OBRIGATORIAMENTE no saco plástico. Caso essa exigência seja descumprida, o candidato será excluído do concurso. 11. Ao concluir a prova, permaneça em seu lugar e comunique ao aplicador de prova. Aguarde autorização para devolver o caderno da prova e o cartão-resposta, devidamente assinados, e a ficha de identificação. 12. O tempo para o preenchimento do cartão-resposta está contido na duração desta prova. 13. Se desejar, anote as respostas no quadro abaixo, recorte na linha indicada e leveo consigo. DURAÇÃO DESTA PROVA: 4 HORAS Geral Específica INSCRIÇÃO TURMA NOME DO CANDIDATO ASSINATURA DO CANDIDATO... RESPOSTAS

2 2 Utilize os dados abaixo para ter acesso ao seu desempenho individual no site do NC (www.nc.ufpr.br). nº de inscrição: senha de acesso:

3 3 GERAL 01 - Assinale a alternativa que NÃO apresenta um princípio ou diretriz do Sistema Único de Saúde. a) Universalidade. b) Centralização. c) Regionalização. d) Hierarquização. e) Participação social Sobre o Sistema Único de Saúde (SUS), considere as seguintes atribuições: 1. Controle e fiscalização dos fatores condicionantes e determinantes da saúde. 2. Formulação de política destinada a promover a saúde, nos campos econômico e social. 3. Assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas. É/São atribuição(ões) do Sistema Único de Saúde: a) 1 apenas. b) 3 apenas. c) 1 e 2 apenas. d) 2 e 3 apenas. e) 1, 2 e Considere a direção do SUS e seu exercício nas diferentes esferas governamentais: 1. No âmbito da União, pelo Ministério da Previdência Social. 2. No âmbito dos Estados e do Distrito Federal, pela respectiva secretaria de saúde ou órgão equivalente. 3. No âmbito dos Municípios, pela respectiva secretaria de saúde ou órgão equivalente. Está/Estão correto(s) o(s) item(ns): a) 2 apenas. b) 3 apenas. c) 1 e 2 apenas. d) 2 e 3 apenas. e) 1, 2 e Em relação ao controle social e participação da comunidade, o Conselho de Saúde deve contar com a representação de: a) 10% de usuários. b) 20% de usuários. c) 30% de usuários. d) 40% de usuários. e) 50% de usuários Com relação à história natural das doenças, que medidas representam ações de prevenção secundária? a) prover moradia adequada e controle de vetores. b) tratamento e controle de doenças. c) reabilitação de imunização. d) tratamento e reabilitação. e) prover moradias adequadas e controle de doenças A Saúde da Família é entendida como uma estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes multiprofissionais em unidades básicas de saúde. Além de um médico de família e um enfermeiro, compõem a equipe: a) dois auxiliares de enfermagem e quatro agentes comunitários de saúde; quando ampliada, conta ainda com um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental. b) um auxiliar de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde; quando ampliada, conta ainda com um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental. c) dois auxiliares de enfermagem e quatro agentes comunitários de saúde; quando ampliada, conta ainda com um dentista, dois auxiliares de consultório dentário e um técnico em higiene dental. d) um auxiliar de enfermagem e três agentes comunitários de saúde; quando ampliada, conta ainda com um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental. e) dois auxiliares de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde; quando ampliada, conta ainda com um dentista, dois auxiliares de consultório dentário e um técnico em higiene dental.

4 Considere os seguintes conceitos e princípios: 1. Conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde. 2. Práticas gerenciais e sanitárias democráticas e participativas, sob forma de trabalho em equipe, dirigidas a populações de territórios bem delimitados, pelas quais assume a responsabilidade sanitária, considerando a dinamicidade existente no território em que vivem essas populações. 3. Tecnologias de baixa complexidade e elevada densidade, que devem resolver os problemas de saúde de maior frequência e relevância em seu território. 4. Princípios da universalidade, da acessibilidade e da coordenação do cuidado, do vínculo e continuidade, da integralidade, da responsabilização, da humanização, da equidade e da participação social. A Atenção Básica caracteriza-se por: a) 1 e 2 apenas. b) 3 e 4 apenas. c) 1, 2 e 4 apenas. d) 1, 2 e 3 apenas. e) 1, 2, 3 e O trabalho nas Unidades Saúde da Família (USF) se dá pela atuação de uma ou mais equipes de profissionais que devem se responsabilizar pela atenção à saúde da população, vinculada a um determinado território. Cada equipe é responsável por uma área onde residem: a) entre 400 e 800 famílias, com limite máximo de 3000 habitantes. b) entre 500 e 800 famílias, com limite máximo de 3000 habitantes. c) entre 600 e 1000 famílias, com limite máximo de 3000 habitantes. d) entre 600 e 1000 famílias, com limite máximo de 4000 habitantes. e) entre 600 e 1200 famílias, com limite máximo de 4000 habitantes Sobre as principais atividades que devem ser desempenhadas pelos profissionais da Estratégia Saúde da Família na Atenção à Saúde da Criança, assinale a alternativa INCORRETA. a) Vigilância nutricional com acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, promoção ao aleitamento materno. b) Realização de esquema vacinal básico e busca ativa de faltosos. c) Assistência às doenças prevalentes, entre elas as diarreicas em crianças menores de cinco anos. d) Assistência e prevenção das patologias bucais com foco no desenvolvimento neurolinguístico e no processo de socialização da criança. e) Cadastramento das gestantes com e sem riscos gestacionais e atividade educativa de promoção à saúde O Ministério da Saúde, em 2008, criou o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) (BRASIL, 2009b) para ampliar a abrangência e as ações da Atenção Básica, reforçando o processo de territorialização e regionalização em saúde. Sobre o NASF 1, assinale a alternativa correta. a) É constituído de, no mínimo, quatro profissionais com formação universitária e deve estar vinculado a no mínimo oito e no máximo doze equipes de SF, exceto nos estados da região Norte, onde o número mínimo passa a ser cinco. b) É constituído de, no mínimo, quatro profissionais com formação universitária e deve estar vinculado a no mínimo oito e no máximo vinte equipes de SF, exceto nos estados da região Norte, onde o número mínimo passa a ser cinco. c) É constituído de, no mínimo, cinco profissionais com formação universitária e deve estar vinculado a no mínimo oito e no máximo vinte equipes de SF, exceto nos estados da região Norte, onde o número mínimo passa a ser cinco. d) É constituído de, no mínimo, cinco profissionais com formação universitária e deve estar vinculado a no mínimo dez e no máximo vinte equipes de SF, exceto nos estados da região Norte, onde o número mínimo passa a ser oito. e) É constituído de, no mínimo, seis profissionais com formação universitária e deve estar vinculado a no mínimo dez e no máximo vinte equipes de SF, exceto nos estados da região Norte, onde o número mínimo passa a ser oito Em relação aos princípios doutrinários do SUS, numere a coluna da direita de acordo com sua correspondência com a coluna da esquerda. 1. Universalização. 2. Equidade. 3. Integralidade. ( ) O objetivo desse princípio é diminuir desigualdades. Apesar de todas as pessoas possuírem direito aos serviços, as pessoas não são iguais e, por isso, têm necessidades distintas. ( ) A saúde é um direito de cidadania de todas as pessoas e cabe ao Estado assegurar esse direito, sendo que o acesso às ações e serviços deve ser garantido a todas as pessoas, independentemente de sexo, raça, ocupação ou outras características sociais ou pessoais. ( ) Esse princípio considera as pessoas como um todo, atendendo a todas as suas necessidades, incluindo a promoção da saúde, a prevenção de doenças, o tratamento e a reabilitação. Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo. a) b) c) d) e)

5 Em relação à sensibilidade, no processo de investigação epidemiológica, é correto afirmar: a) É a capacidade que o teste diagnóstico/triagem apresenta de detectar os indivíduos verdadeiramente positivos, ou seja, de diagnosticar corretamente os doentes. b) É a capacidade que o teste diagnóstico/triagem tem de detectar os verdadeiros negativos, isto é, de diagnosticar corretamente os indivíduos sadios. c) É a proporção de doentes entre os positivos pelo teste. d) É a proporção de sadios (sem a doença) entre os negativos ao teste. e) É o espectro de variação dos resultados obtidos para que se possa compará-los com os testes convencionais É utilizado para designar um grupo de indivíduos que têm em comum um conjunto de características e que são observados durante um período de tempo com o intuito de se analisar a sua evolução. a) Estudo de caso-controle. b) Estudo de prevalência. c) Estudo de coorte. d) Estudo de incidência. e) Estudo de ensaio-clínico Nos debates atuais sobre Vigilância a Saúde, considere as seguinte afirmativas: 1. A vigilância de efeitos sobre a saúde, como agravos e doenças, é uma tarefa tradicionalmente realizada pela vigilância epidemiológica. 2. A vigilância de perigos, como agentes químicos, físicos e biológicos que possam ocasionar doenças e agravos, é uma tarefa tradicionalmente realizada pela vigilância sanitária. 3. A vigilância de exposições se dá através do monitoramento da exposição de indivíduos ou grupos populacionais a um agente ambiental ou seus efeitos clinicamente ainda não aparentes (subclínicos ou pré-clínicos); este último se coloca como o principal desafio para a estruturação da vigilância ambiental. a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira. b) Somente a afirmativa 3 é verdadeira. c) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. e) As afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras Com relação às disposições da Lei 8.080/90 referentes à Saúde do Trabalhador, quais são as atividades a serem desenvolvidas? a) Ações voltadas à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho. b) Ações que evitam as mortes das pessoas doentes e suas sequelas. c) Ações de universalidade, igualdade e integralidade. d) Ações relacionadas a fatores biológicos, psicológicos e sociais. e) Ações específicas para prevenir riscos e exposições às doenças, ou seja, manter o estado de saúde. ESPECÍFICA 16 - Os ritos de passagem na história familiar são eventos familiares que acontecem em momentos emocionalmente críticos no ciclo da vida das famílias. Considerando o exposto, é correto afirmar: a) Nenhuma crise provocada pelos ritos de passagem pode ser compreendida como uma oportunidade de crescimento familiar. b) Os eventos do ciclo de vida da familiar não são compreendidos como movimentos psicodinâmicos. c) Uma família normal enfrenta seus ritos de passagem de acordo com a cultura dominante. d) A noção de que as famílias são principalmente veículos passivos durante os ritos de passagem não é verdadeira. e) Durante o evento dos ritos de passagem, as oportunidades de mudança ficam paralisadas Para a construção de entrevistas clínicas, é essencial pensarmos simultaneamente sobre a inter-relação do desenvolvimento do indivíduo e da família com evento da doença. Sobre o tema, assinale a alternativa correta. a) Para a construção da entrevista clínica no contexto hospitalar, são importantes perguntas que façam a distinção entre os sistemas indivíduo e doença. b) Na entrevista clínica, a doença crônica deve ser compreendida pelo contexto desenvolvimental por três fios evolutivos: os ciclos de vida da doença, do indivíduo e da família. c) As doenças crônicas exercem um efeito bastante focal na psicodinâmica do indivíduo e da família, de modo que as perguntas devem ser diretas e objetivas. d) A capacidade de o indivíduo manejar sua doença é o ponto mais importante da inter-relação paciente/tratamento, foco crucial da entrevista clínica. e) As entrevistas clínicas devem ser construídas com a intenção de produzir diagnósticos individuais e familiares rápidos, para a equipe poder trabalhar sem margem de erro.

6 O ano de 2013 foi marcado por intensas discussões e manifestações políticas em diversos âmbitos: transporte público, saúde, corrupção e ética na política. Um dos pontos levados ao debate público foi o do anteprojeto de lei chamado cura gay. O código de ética profissional já abrange esse tema parcialmente em um de seus artigos, de acordo com o qual: a) ao psicólogo é vedado induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas e de orientação sexual, ou a qualquer tipo de preconceito. b) ao psicólogo é permitido induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas e de orientação sexual. c) ao psicólogo é vedado induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, exceto em casos clínicos de psicose e/ou transsexualismo. d) ao psicólogo é permitido induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas e de orientação sexual, exceto em casos os de psicose e ou transsexualismo. e) ao psicólogo é vedado induzir correções de orientação sexual, exceto em casos de possibilidade de suicídio Quando um paciente fala que quer morrer, está agitado, tentando resolver seus assuntos inacabados ou lidando com seus temores. Acerca desse estado, assinale a alternativa correta. a) Cabe ao psicólogo clínico desenvolver junto com a equipe multidisciplinar ações terapêuticas para acalmá-lo. b) O psicólogo clínico deve chamar o médico do paciente e solicitar que conversem sobre seu diagnóstico e prognóstico novamente. c) O paciente muitas vezes em fases graves de sua doença não tem consciência de que sua enfermidade é fatal, motivo pelo qual o psicólogo deve acompanhar esse estado de consciência e avisar a equipe. d) Cabe aos profissionais engajados no processo de reumanização da morte abrir espaço para expressão da dor e do sofrimento. e) As ações mais importantes nesses momentos de possibilidade de morte são da enfermagem e dos médicos O profissional da área de saúde precisa estar atento aos possíveis fenômenos adversos decorrentes das doenças, tratamentos e efeitos secundários do âmbito biopsicossocial e espiritual no contexto hospitalar, assim como ter em mente os fenômenos subjetivos provenientes das imagens dos conteúdos do inconsciente. Segundo Murray Stein (2006), a teoria dos complexos foi uma importante contribuição de Carl Gustav Jung para o entendimento do inconsciente. De acordo com as incursões teóricas de Jung em relação aos complexos, considere as seguintes afirmativas: 1. O conteúdo cognitivo do complexo consiste num elemento nuclear e também num grande número de associações primariamente consteladas. 2. O potencial curativo da psicoterapia depende de um sutil estímulo disparador endógeno dos complexos, para que convertam em ação os propósitos subjetivos dos arquétipos. 3. Não há diferença entre personalidades múltiplas e complexos, pelo fato de que ambos estão subordinados à desintegração egoica e à inconsciência da constelação. 4. Complexos são como fragmentos da personalidade, portanto podem ser pensados como subpersonalidades. 5. Os complexos são criados por traumas. Antes de um trauma, a peça arquetípica já existe, mas como imagem e força motivadora. Porém não tem as mesmas qualidades perturbadoras e produtoras de ansiedade do complexo. Estão corretas as afirmativas: a) 1, 2 e 3 apenas. b) 1, 2, 3 e 5 apenas. c) 2 e 4 apenas. d) 3, 4 e 5 apenas. e) 4 e 5 apenas A morte e uma doença grave de qualquer membro da família desorganizam o equilíbrio familiar. Levando essa situação em consideração, e pensando no contexto hospitalar, é correto afirmar: a) No hospital, as famílias chegam multiestressadas, e a equipe tem que analisar as disfuncionalidades dos familiares para ensinar as ações de cuidados para os pacientes internados. b) As famílias carentes têm alto grau de dificuldade de superação do sofrimento provocado pelo impacto de doença grave e internação. c) Quanto mais grave a doença, mais difícil é o entendimento entre equipes e familiares. d) Uma das tarefas das famílias na fase da crise é, perante a incerteza, desenvolver flexibilidade no sistema, tendo em vista objetivos futuros. e) As crises vividas pelas famílias no hospital estão diretamente relacionadas com a resistência de envolvimento com o ambiente hospitalar e equipe Sobre a utilização da técnica psicanalítica, é correto afirmar que ela: a) é inadequada em internamentos hospitalares. b) mostra-se insuficiente para situações demasiadamente complexas. c) revela-se inadequada ao tratamento da anorexia histérica. d) não permite tratar de anorexia nervosa. e) pode apresentar algumas restrições em situações de urgência.

7 Em maio de 1945, na conferência proferida em sessão do Senado, Carl Gustav Jung, da Academia Suíça de Ciências Médicas, fez uma exposição sobre diferenças existentes no modo de encarar a patologia, devido à compreensão diferenciada do ponto de vista da medicina geral e da psicoterapia, com o intuito de ampliar o entendimento da posição específica da psicoterapia em relação à medicina. Ainda nos dias atuais, essa reflexão procede, e tem-se a incumbência de examinar essa temática mais de perto no contexto da clínica. Acerca disso, identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas: ( ) Para a psicoterapia, o diagnóstico é extremamente irrelevante, na medida em que propicia apenas um nome mais ou menos adequado para o estado neurótico do paciente, em nada contribuindo, principalmente no que diz respeito ao prognóstico e à terapia. ( ) Por meio da anamnese, são coletadas informações sobre o histórico do caso, fatos e patogêneses que fazem parte de sistemas de representações com valorações positivas e negativas. O psicoterapeuta tem de estar preparado para não ouvir justamente a própria voz e esforçar-se para perguntar sobre questões outras que não da doença em si. ( ) Em psicoterapia, o reconhecimento da enfermidade depende muito menos do quadro clínico da doença do que dos complexos inclusos. A origem do mal tem de ser detectada nos complexos que representam uma grandeza psíquica que perdeu a autonomia. ( ) Todo psicoterapeuta tem o seu método e, ao mesmo tempo, ele próprio é esse método. Portanto, o grande fator de cura, na psicoterapia, é a personalidade desse profissional. ( ) De um modo geral, quanto mais o psicoterapeuta e o médico souberem, de antemão, melhores as perspectivas para o tratamento. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo. a) V F V V F. b) F V V V F. c) V V F V F. d) F F V F V. e) F V F F V De acordo com Teresa Cristina da Silva dos Reis & Carlos Henrique Debenedito Silva, nas décadas de 60 e 70, no cenário bioético e paliativo oncológico, mudanças dos olhares sociais dirigiram os debates éticos, jurídicos e filosóficos, na esfera da saúde, para questões de ordem prática. Diante dessa nova perspectiva alguns registros foram implicados. Considerando o exposto, identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas: ( ) Houve a utilização da biotecnociência para a implantação da eutanásia, proporcionando aos enfermos um suporte capaz de superar as funções fisiológicas perdidas ou prejudicadas. ( ) O prolongamento da sobrevida, a quem se deve proteger, consiste em um ato médico de obstinação terapêutica. ( ) O envelhecimento da população, com um aumento significativo das doenças crônico-degenerativas, trouxe um processo de morrer mais prolongado e implicações da alocação dos recursos. ( ) Observou-se a queda do mito de que o paciente conhecedor do diagnóstico de doença avançada, sem cura, com prognóstico reservado, poderia suicidar-se ou entregar-se à evolução da doença. ( ) Houve o amadurecimento da bioética da proteção, entendida como ramo aplicado do jurídico que se propõe a analisar a conduta que pode ter efeito sobre o ser humano, na defesa dos interesses do bem-estar individual e coletivo. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo. a) V F F V F. b) F V V V F. c) V V F V F. d) F F V F V. e) V V F F V Sobre a neurose e a psicose, considere as seguintes afirmativas: 1. A neurose resulta de processos que fornecem uma compensação à parte do id danificada, isto é, na reação contra a repressão e no fracasso da repressão. 2. A neurose e a psicose diferem uma da outra muito mais no primeiro tempo que no segundo tempo de sua formação. 3. A neurose não nega a realidade, apenas a ignora; a psicose a nega e tenta substituí-la. 4. Existe uma analogia entre a neurose e a psicose pelo fato de que, em ambas, a tentativa de reparação da primeira etapa é parcialmente malsucedida, pois o substituto encontrado na neurose é insatisfatório e a remodelação da realidade na psicose é insuficiente. a) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. b) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras. e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

8 Desde 1997, a National Comprehensive Cancer Network (NCCN) recomenda que os psicólogos que trabalham em unidades oncológicas adotem protocolos para mensurar a condição psicológica dos pacientes. Em 2007, a NCCN concordou com a sugestão dos pesquisadores dessa área de aplicação do termo distress para caracterizar o estresse vivenciado pelos pacientes desde a fase do diagnóstico. A esse respeito, considere as seguintes afirmativas: 1. Distress é definido como uma experiência emocional desagradável e multifatorial, de natureza psicológica, social e/ou espiritual, que oscila entre percepção do próprio medo, labilidade e tristeza diante do porvir até reações e transtornos mais intensos. 2. O termômetro de distress é uma ferramenta simples que tem o objetivo de identificar o nível de distress e suas possíveis causas no período referente ao último mês. 3. Existe uma alta incidência de distress na população mundial de pacientes com câncer que desenvolvem algum transtorno psiquiátrico, principalmente transtorno de ansiedade generalizada e transtorno pós-traumático. 4. O termômetro de distress é uma medida autoavaliativa, com uma lista de 20 problemas distribuídos no perímetro do termômetro, cabendo ao paciente assinalar o nível do distress de cada problema, tais como náusea, dor e fadiga, entre outros. 5. A lista de problemas que compõe o termômetro de distress são dificuldades reconhecidas como possíveis causas do distress, mesmo que não estejam associadas ao diagnóstico ou ao tratamento. a) Somente as afirmativas 1 e 5 são verdadeiras. b) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 1, 3 e 5 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2, 3, 4 e 5 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras A psicoterapia é um campo da terapêutica que foi se desenvolvendo aos poucos e ganhando autonomia através das diferenciações entre as diversidades das tendências da psicologia, dos acúmulos de experiências e dos procedimentos dialéticos. O conhecimento de alguns pressupostos teóricos são fundamentais na realização de tratamentos analíticos. Nesse sentido, identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas: ( ) A neurose é um desenvolvimento patológico unilateral da personalidade, cujas origens são quase imperceptíveis, podendo ser desencadeada na mais remota infância. ( ) O fator principal de uma neurose não é a tensão de fundo afetivo, mas a dissociação da psique. Assim, o problema terapêutico consiste, prioritariamente, na ab-reação. ( ) Não há por quê fomentar uma evolução individual acima das necessidades do paciente, de modo que a preocupação do psicoterapeuta deve ser o doente e não o curado. ( ) A causa da neurose é a discrepância entre a atitude consciente e a tendência inconsciente, dissociação que é superada por meio da assimilação dos conteúdos do inconsciente. ( ) A primeira obrigação do psicólogo é entender a situação psíquica do tempo contemporâneo e ter dela uma visão clara, para perceber as demandas e exigências do tempo de cada um. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo. a) V F F V F. b) F F V F V. c) V V F V F. d) V F V V V. e) F V F F V A morte é um destino inexorável para todos os seres vivos. No contexto hospitalar, o processo da morte é uma experiência significativa para o paciente, familiares e para os profissionais. O psicólogo deve estar preparado e treinado para lidar com o sofrimento oriundo dessas perdas, para que o processo de finitude ocorra de forma digna. A esse respeito, considere as seguintes afirmativas: 1. A tanatofobia presente no ambiente do entorno do paciente pode impedir que ele tenha um enfrentamento digno da situação de morte inevitável. 2. O paciente pode dignificar o ato final da sua vida com o modelo de identificação que passa para seus descendentes. 3. A ortotanásia é a manutenção de uma pessoa viva através de processos artificiais, apesar do quadro irreversível. 4. Diante de uma doença progressiva irreversível, o problema de culpas e a necessidade de punição não elaborados são sentimentos de pouca frequência. 5. A distanásia consiste numa forma de morrer abrindo mão de processos artificiais, apressando a morte natural. a) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2, 4 e 5 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 1 e 5 são verdadeiras.

9 Em texto sobre a psicoterapia, Freud menciona um estado de expectativa crédula que, herança da tradição médica, tornou-se parte constitutiva da relação psicanalítica. Atualmente, os psicanalistas consideram que tal afirmação descreve uma situação: a) considerada como sendo de ordem religiosa e pouco científica. b) válida apenas para os primórdios da psicanálise. c) válida ainda hoje para a instalação da transferência. d) inútil para o trabalho do psicanalista em hospital geral. e) que atrapalha a realização do trabalho clínico Sobre o inconsciente, Freud afirma que: a) sustenta-se em 3 pontos de análise: dinâmico, topológico e econômico. b) o resultado do processo de repressão é tornar inconscientes as ideias e os afetos ligados a elas. c) suprimir o desenvolvimento do afeto constitui a verdadeira finalidade da repressão. d) ideias e catexias são elementos psíquicos completamente diferentes entre si. e) o sistema Cs. (Pcs.) é completamente irrelevante para a liberação de afeto a) Tudo o que é reprimido é inconsciente, por isso também se pode afirmar que a recíproca é verdadeira. b) Sobre o inconsciente, S. Freud afirma que sua suposição é necessária e legítima. c) A repressão atua sobre a ideia, mas não possui qualquer relação com o afeto que esta ideia possui. d) A transição de uma ideia do sistema consciente para o sistema inconsciente significa a realização de um novo registro dessa ideia. e) O único mecanismo com o qual conta a repressão propriamente dita é a anticatexia Considere as seguintes afirmativas: 1. O inconsciente é um sinal vestigial do processo de desenvolvimento. 2. O estudo dos derivados do Ics permite estabelecer uma diferença nítida entre ele e a consciência. 3. A diferença entre os sistemas psíquicos significa diferentes modalidades de organização do psiquismo. 4. A qualidade de ser consciente não é útil para a análise da diferença entre os sistemas psíquicos. a) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras. b) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras Na epicrise do trabalho Análise da fobia de um menino de 5 anos, qual dos fatos relacionados abaixo é apresentado por Freud como o mais importante para o desenvolvimento psicossexual do paciente? a) A visão da mãe nua quando o paciente tinha 4 anos. b) O nascimento da irmãzinha quando o paciente tinha 3 anos e meio. c) O incidente ocorrido com o cavalo quando o paciente tinha 4 anos. d) Presenciar o relacionamento sexual dos pais quando o paciente tinha 2 anos. e) O encontro com Freud quando o paciente tinha 5 anos No caso clínico Análise da fobia de um menino de 5 anos, Sigmund Freud, estabelece e confirma descobertas anteriores. Sobre o tema, considere as seguintes afirmativas: 1. Esse caso clínico confirma com evidência máxima afirmações contidas nos trabalhos Três ensaios para uma teoria sexual e Interpretação dos sonhos. 2. Freud afirma que o paciente em questão é verdadeiramente um pequeno Édipo, confirmando as teses sobre a sexualidade infantil. 3. Freud afirma que a fobia originava-se no impulso homossexual inconsciente do paciente em relação ao pai, confirmando as teses sobre a neurose de angústia. 4. Freud descreve a perversão do paciente confirmando teses desenvolvidas na obra Duas mentiras contadas por crianças. a) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. b) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.

10 Com relação ao conceito de transferência, é correto afirmar: a) Inexiste qualquer espécie de catexia pronta por antecipação que possa ser utilizada nesse contexto. b) As peculiaridades da transferência são explicadas pela existência de ideias inconscientes, não tendo qualquer relação com as ideias conscientes. c) A força do inconsciente é muito grande, mas a resistência não está presente todo o tempo no tratamento psicanalítico. d) As características da transferência são muito mais determinadas pelo processo psicanalítico do que pela neurose em si. e) A intensidade e persistência da transferência possuem extrema relação com a resistência Com base no código de ética profissional, numere a coluna da direita de acordo com sua correspondência com a coluna da esquerda. 1. Greve. 2. Relação multiprofissional. 3. Leigos e técnicas profissionais. 4. Previsão de resultados. 5. Censura pública. ( ) Penalidade. ( ) Preservar emergências. ( ) Confidencialidade. ( ) Vedado. ( ) Proibido na publicidade. Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo. a) b) c) d) e) Segundo Moreno, onde começam a surgir os papéis? a) Na sociometria. b) Na tele. c) Na Conserva Cultural. d) No aquecimento. e) Na Matriz de Identidade Clima terapêutico pode ser definido como uma relação interpessoal que fornece elementos básicos para o crescimento e amadurecimento psicológico do indivíduo: a) na fase do ingeridor. b) durante o processo terapêutico. c) no primeiro ano de vida. d) na fase do defecador. e) na fase do urinador Segundo Victor Dias, a capacidade de continência de um terapeuta está diretamente relacionada à (aos): a) vivência pessoal do terapeuta, grau de saúde e conhecimento teórico. b) sociometria, sociatia e sociodinâmica. c) modelos do ingeridor, defecador e urinador. d) espontaneidade, criatividade e conserva cultural. e) sociometria, teoria dos papéis e sociodinâmica O que proporciona a exclusão das Zonas de PCI? a) A sociometria. b) A sociodinâmica. c) Uma calma interna, com a diminuição da insegurança, que vai permitir que a criança possa continuar sua evolução psíquica. d) Aumento da insegurança, que não vai permitir que a criança possa continuar sua evolução psíquica. e) A sociatria No trabalho com o psicodrama nas organizações, Drummond (2005) admite que a teoria dos três clusters, desenvolvida por Bustos, tem lhe ajudado na condução de seu trabalho. Qual é o significado de clusters? a) Perfis psicopatológicos. b) Vínculos compensatórios. c) PCI. d) POD. e) Cachos.

11 Assinale a alternativa que apresenta o método desenvolvido por Lamaze. a) Método psicodramático no hospital. b) Método psicoprofilático. c) Método psicodramático com grávidas. d) Método psicodramático como psicoterapia. e) Método psicodramático para intervenções nas instituições Na instituição hospitalar, a morte pode ser esperada ou inesperada, pode envolver ou não períodos de cuidados e pode inclusive ocorrer antes do nascimento. Diante dessas questões, cabe ao psicólogo clínico: a) Desenvolver ações terapêuticas vinculadas às demandas da equipe. b) Comunicar suas observações em prontuário, após quatro entrevistas de avaliação, e aguardar que equipe e familiares solicitem seus atendimentos. c) Selecionar determinados familiares dos pacientes para ter contatos semanais de acompanhamento do nível do estresse, com o objetivo de manter a equipe informada. d) Reconhecer e ajudar a família a utilizar rituais, costumes e estilos para lidar com a morte. e) Manter-se atento às necessidades institucionais e resolutivas em suas ações com a equipe Dislexia e transtorno de déficit de atenção com hiperatividade são doenças que invadiram o universo educacional, transformando o modo como educadores professores e cuidadores abordam questões relativas à infância e adolescência. Com base nas reflexões propostas pelo Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade, considere as seguintes afirmativas: 1. Medicalização é a transformação artificial de questões não médicas em problemas médicos. 2. Na medicalização, o doente é transformado em consumidor. 3. O modo de ser deve ser medicado, sob o risco de construção e aprofundamento de ameaças sociais. 4. A aprendizagem é o foco principal da medicalização. a) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. b) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras. c) Somente a afirmativa 4 é verdadeira. d) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras Quando se refere aos transtornos psiquiátricos no pós-parto, encontramos na literatura três transtornos frequentes (Baptista, 2010). Qual deles se caracteriza com uma incidência de 0,1 a 02%, pode acontecer entre a segunda e terceira semana após o parto e é caracterizado por insônia, distúrbio de humor e comportamentos incomuns ao estilo de vida do indivíduo? a) Depressão pós-parto. b) Blues. c) Psicose pós-parto. d) TOC. e) Neurose depressiva Em relação à avaliação psicológica em ambientes médicos, segundo Baptista (2010), assinale a alternativa INCORRETA. a) Pode ser considerada uma adequada ferramenta na tomada de decisões sobre o diagnóstico diferencial. b) Deve ter como base um corpo de conhecimentos acumulados por intermédio do binômio prática/pesquisa. c) O desenvolvimento de protocolos de avaliação de pacientes é fundamental para o estabelecimento de condutas de tratamento mais eficientes. d) É importante utilizar instrumentos com qualidades psicométricas comprovadas. e) Há necessidade de se utilizar técnica psicométrica indicada pelo médico para o seu paciente A respeito das técnicas psicodramáticas, considere as seguintes afirmativas: 1. Duplo trata-se de uma autoapresentação específica. 2. Solilóquio trata-se de uma inversão de papéis, tomar o lugar do outro. 3. Realidade suplementar permite dramatizar o não acontecido. 4. Interpolação de resistência visa a contrariar disposições conscientes e rígidas do protagonista. a) Somente a afirmativa 3 é verdadeira. b) Somente a afirmativa 4 é verdadeira. c) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras. e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

12 Para Moreno, como se constitui o ego? a) Através da Conserva Cultural. b) Através da tele. c) Através da telessensibilidade. d) Através da formação de papéis. e) Através do aquecimento inespecífico. *49 - A partir do texto de Freud inibição, sintoma e angústia, considere as seguintes afirmativas: 1. O sintoma é sinal de processo mórbido. 2. Não há diferença entre inibição e sintoma. 3. Inibição é a expressão de uma restrição funcional do ego. 4. O sintoma é uma forma de substituir uma satisfação. a) Somente a afirmativa 2 é verdadeira. b) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras. e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras Lacan, no texto Nota sobre a criança (1969), aborda o tema do sintoma da criança. Com base em suas elaborações, numere a coluna da direita de acordo com sua correspondência com a coluna da esquerda, relacionando os aspectos clínicos com as perspectivas terapêuticas. 1. O sintoma da criança pode representar a verdade do casal familiar. 2. O sintoma da criança decorre da subjetividade da mãe. ( ) Maior complexidade. ( ) Maior possibilidade de articulação. ( ) Menor possibilidade de articulação. ( ) Quando articulado a um sintoma somático garante o desconhecimento. Assinale a alternativa que apresenta a numeração correta da coluna da direita, de cima para baixo. a) b) c) d) e) * Questão anulada, portanto todos os candidatos serão pontuados.

Sistema Único de Saúde (SUS) Professor: Dr. Eduardo Arruda

Sistema Único de Saúde (SUS) Professor: Dr. Eduardo Arruda Sistema Único de Saúde (SUS) Professor: Dr. Eduardo Arruda Sistema Único de Saúde (SUS) Finalidade é alterar a situação de desigualdade na assistência à saúde da população; Obrigatório o atendimento público

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2013 10/12/2012 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

Princípios e Diretrizes Sistema Único de Saúde

Princípios e Diretrizes Sistema Único de Saúde Princípios e Diretrizes Sistema Único de Saúde 1 DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES Lei Orgânica da Saúde Lei n. 8.080 de 19 de setembro de 1990. Art. 7º: I - universalidade de acesso aos serviços de saúde em

Leia mais

Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum

Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum Curso de Atualização em Psicopatologia 2ª aula Decio Tenenbaum Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro 2ª aula Diferenciação

Leia mais

255 Terapia Ocupacional

255 Terapia Ocupacional UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 06/2015 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 18/10/2015 255 Terapia Ocupacional INSTRUÇÕES

Leia mais

Coordenação de Psicologia

Coordenação de Psicologia Coordenação de Psicologia ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA INESP/FUNEDI/UEMG 2º SEMESTRE 2011 ESTÁGIOS OFERECIDOS PARA OS ALUNOS DE 5º ao 7º PERÍODOS (Núcleo Básico) 1. ANÁLISE INSTITUCIONAL

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011

PROCESSO SELETIVO 2011 PROCESSO SELETIVO 2011 Anos 06/12/2010 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2010 13/12/2009 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. Conhecimentos Específicos 2. Aguarde autorização para abrir o caderno

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2015

PROCESSO SELETIVO 2015 PROCESSO SELETIVO 2015 Anos 01/12/2014 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado XXX Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo 13/abril/2016 O SUS e a Atenção

Leia mais

Alexandre de Araújo Pereira

Alexandre de Araújo Pereira SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA / SAÚDE DA FAMÍLIA: CO-RESPONSABILIDADE NO TERRITÓRIO III MOSTRA NACIONAL DE III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA BRASÍLIA 08/2008 Alexandre de Araújo Pereira

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2016 07/12/2015 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Prof. Dr. Eduardo Arruda

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Prof. Dr. Eduardo Arruda PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Prof. Dr. Eduardo Arruda O QUÉ O PSF? Uma estratégia de política de saúde que incorpora e reafirma princípios básicos do SUS, destacando-se: Universalização. Eqüidade no acesso.

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA SAÚDE PÚBLICA SUS LEI N /90 AULA 03

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA SAÚDE PÚBLICA SUS LEI N /90 AULA 03 SAÚDE PÚBLICA SUS LEI N. 8.080/90 AULA 03 LEI ORGÂNICA DA SAÚDE 8.080/90 8.142/90 Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços

Leia mais

Cuidados em Oncologia: o Desafio da Integralidade. Gelcio Luiz Quintella Mendes Coordenador de Assistência Instituto Nacional de Câncer

Cuidados em Oncologia: o Desafio da Integralidade. Gelcio Luiz Quintella Mendes Coordenador de Assistência Instituto Nacional de Câncer Cuidados em Oncologia: o Desafio da Integralidade Gelcio Luiz Quintella Mendes Coordenador de Assistência Instituto Nacional de Câncer O que é integralidade? s.f. 1 qualidade do que é integral, 1.1 reunião

Leia mais

ABORDAGEM PSICOTERÁPICA ENFERMARIA

ABORDAGEM PSICOTERÁPICA ENFERMARIA I- Pressupostos básicos: 1- Definição: aplicação de técnicas psicológicas com a finalidade de restabelecer o equilíbrio emocional da pessoa pp. fatores envolvidos no desequilibrio emocional conflitos psicológicos

Leia mais

2) O SUS foi desenvolvido em razão do artigo 198 da Constituição Federal, com base nos seguintes princípios, exceto:

2) O SUS foi desenvolvido em razão do artigo 198 da Constituição Federal, com base nos seguintes princípios, exceto: QUESTÕES DO SUS ) São objetivos do SUS: a) identificação de fatores que condicionem à saúde; b) política financeira de incentivo à saúde; c) ação de ordem social que vise arrecadação de recursos; d) identificação

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2012 Anos 12/12/2011 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

Matemática e Redação. Setor de Educação Profissional Tecnológica Teste de Seleção Curso Técnico em Petróleo e Gás Integrado ao Ensino Médio

Matemática e Redação. Setor de Educação Profissional Tecnológica Teste de Seleção Curso Técnico em Petróleo e Gás Integrado ao Ensino Médio Setor de Educação Profissional Tecnológica Teste de Seleção 2012 Edital N 13/2011 NC Prova: 11/12/2011 Anos Curso Técnico em Petróleo e Gás Integrado ao Ensino Médio INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2015 Anos 01/12/2014 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

Semana de Psicologia PUC RJ

Semana de Psicologia PUC RJ Semana de Psicologia PUC RJ O Psicólogo no Hospital Geral Apresentação: Decio Tenenbaum Material didático e concepções: Prof. Abram Eksterman Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica do Hospital

Leia mais

PSICOLOGIA, SISTEMA ÚNICO DE SAUDE E DIREITOS HUMANOS: RELATO DE UMA PSICÓLOGA SOBRE SUA ATUAÇÃO PROFISSIONAL.

PSICOLOGIA, SISTEMA ÚNICO DE SAUDE E DIREITOS HUMANOS: RELATO DE UMA PSICÓLOGA SOBRE SUA ATUAÇÃO PROFISSIONAL. PSICOLOGIA, SISTEMA ÚNICO DE SAUDE E DIREITOS HUMANOS: RELATO DE UMA PSICÓLOGA SOBRE SUA ATUAÇÃO PROFISSIONAL. BARROS, Aline; RISSON, Ana Paula; GORCZVESKI, Jucilane. Resumo Apresentação: Este trabalho

Leia mais

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*)

RAPS. Saúde Mental 26/08/2016. Prof.: Beto Cruz PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Saúde Mental Prof.: Beto Cruz betocais2@gmail.com PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011(*) Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste

Universidade Estadual do Centro-Oeste Universidade Estadual do Centro-Oeste º Vestibular de 007 INSTRUÇÕES 04/09/06. Confira seu nome, Nº de inscrição e assine no local indicado abaixo.. Aguarde autorização para abrir o caderno de provas..

Leia mais

PSICOLOGIA HOSPITALAR

PSICOLOGIA HOSPITALAR PSICOLOGIA HOSPITALAR 2012 Diogo Batista Pereira da Silva Psicólogo formado pela UNISUL em 2012. Atualmente atuando como palestrante e desenvolvedor estratégico (Brasil) Email: diogobatista.p@gmail.com

Leia mais

Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde

Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde SINAIS E SINTOMAS Sinais, sintomas, observações e manifestações clínicas que podem ser tanto objetivas (quando observadas por médicos) como subjetivas (quando

Leia mais

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida A atuação do Assistente Social na e a interface com os demais níveis de complexidade Inês Pellizzaro I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas

Leia mais

Caderno de Prova. Agente Comunitário de Saúde. Município de Balneário Camboriú Secretaria de Administração. Edital n o 04/2007

Caderno de Prova. Agente Comunitário de Saúde. Município de Balneário Camboriú Secretaria de Administração. Edital n o 04/2007 Município de Balneário Camboriú Secretaria de Administração Edital n o 04/2007 Caderno de Prova A Agente Comunitário de Saúde Dia: 29 de março de 2008 Horário: das 16:30 às 18:30 h Duração: 2 (duas) horas,

Leia mais

Trabalhando a ansiedade do paciente

Trabalhando a ansiedade do paciente Trabalhando a ansiedade do paciente Juliana Ono Tonaki Psicóloga Hospitalar Título SOFRIMENTO... principal Sofrimento humano como condição à todos; Cada um sente à sua forma e intensidade; Manifestação

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO

RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TERESINA Ayla Maria Calixto de Carvalho Alba Alves Costa Marques Telma Maria Evangelista

Leia mais

QUESTÕ ES DA APRÕVAÇA Õ

QUESTÕ ES DA APRÕVAÇA Õ QUESTÕ ES DA APRÕVAÇA Õ QUESTÃO 1. CETRO/SP (2005) CIRUSGIÃO DENTISTA 2. O Sistema Único de Saúde, dentro das Disposições Gerais, Seção II, art. 196 da Constituição Federal, afirma que: a) a assistência

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA DIREITO À SAÚDE NO BRASIL Brasil colônia 1500 a 1889 Ausência total de saneamento básico (esgoto) Poucos médicos (Europa) Saúde: curandeiros / índios

Leia mais

Sumário. Parte I VISÃO GERAL. Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO. Introdução A medicina da pessoa...31

Sumário. Parte I VISÃO GERAL. Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO. Introdução A medicina da pessoa...31 Sumário Introdução...25 Parte I VISÃO GERAL 1. A medicina da pessoa...31 Um pouco de história saúde-doença: evolução do conceito...31 Período pré-histórico...31 Período histórico primórdios...33 O antigo

Leia mais

MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE I INTRODUÇÃO PROF. MS. ALEX MIRANDA RODRIGUES.

MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE I INTRODUÇÃO PROF. MS. ALEX MIRANDA RODRIGUES. MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE I INTRODUÇÃO PROF. MS. ALEX MIRANDA RODRIGUES. Objetivos desta aula. Ao final desta aula você deverá: Identificar a Medicina de Família e Comunidade como uma especialidade

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Morfofisiológica e Comportamento Humano Estudo anátomo-funcional de estruturas orgânicas na relação com manifestações emocionais. Comunicação e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA PONTOS DAS PROVAS ESCRITA E DIDÁTICA CONCURSO DOCENTE, EDITAL Nº 10/2013 ÁREA DO CONHECIMENTO / MATÉRIA: Ciências Básicas da Saúde / Biointeração 1. Distúrbios Endócrinos do controle glicêmico: patologia,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 17/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 17/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 17/2014 CARGO E UNIDADES: Professor de Educação Infantil e Fundamental (Natal) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova:

Leia mais

Teste Legislação do SUS Concurso Saúde Maceió Prof.: Rafael Azeredo

Teste Legislação do SUS Concurso Saúde Maceió Prof.: Rafael Azeredo Teste Legislação do SUS Concurso Saúde Maceió -2012 Prof.: Rafael Azeredo 1. Pode-se classificar com Região de Saúde segundo o decreto 7508/11 a alternativa: a) Acordo de colaboração firmado entre entes

Leia mais

221 Estatística - Noturno

221 Estatística - Noturno UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 09/2016 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 16/10/2016 INSCRIÇÃO TURMA NOME DO CANDIDATO

Leia mais

Atuação do Psicólogo na Radioterapia. Psicóloga: Alyne Lopes Braghetto

Atuação do Psicólogo na Radioterapia. Psicóloga: Alyne Lopes Braghetto Atuação do Psicólogo na Radioterapia Psicóloga: Alyne Lopes Braghetto Hospital Israelita Albert Einstein 650 leitos História Década de 50: nascimento da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert

Leia mais

Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar e lidar com estes pacientes?

Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar e lidar com estes pacientes? Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar e lidar com estes pacientes? Sávia M. Emrich Pinto Psicóloga Serviço de Radioterapia Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar

Leia mais

O FAZER DA PSICOLOGIA DO IFRN: Mitos e Verdades. Apresentação dos profissionais de Psicologia do IFRN

O FAZER DA PSICOLOGIA DO IFRN: Mitos e Verdades. Apresentação dos profissionais de Psicologia do IFRN O FAZER DA PSICOLOGIA DO IFRN: Mitos e Verdades Apresentação dos profissionais de Psicologia do IFRN Psicologia e Educação Atualmente, a Psicologia inserida na Educação, preocupase com as políticas públicas

Leia mais

Habilidade Específica

Habilidade Específica 1 PROCESSO SELETIVO 2014 13/10/2013 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

MEDIDAS DE PREVENÇÃO NA SAÚDE MENTAL. Prof. João Gregório Neto

MEDIDAS DE PREVENÇÃO NA SAÚDE MENTAL. Prof. João Gregório Neto MEDIDAS DE PREVENÇÃO NA SAÚDE MENTAL Prof. João Gregório Neto PREVENÇÃO Ato ou efeito de prevenir-se Disposição ou preparo antecipado e preventivo Precaução, cautela Modo de ver antecipado, premeditado

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO ADMINISTRATIVO I ADMINISTRATIVO II COMUNITÁRIO DE SAÚDE DE COMBATE A ENDEMIAS ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ATRIBUIÇÕES Executar tarefas auxiliares de escritórios e secretária envolvendo registros,

Leia mais

Demanda crescente aos serviços de saúde Incorporação de tecnologias de mais alto custo Diminuição de qualidade dos serviços

Demanda crescente aos serviços de saúde Incorporação de tecnologias de mais alto custo Diminuição de qualidade dos serviços Redução da mortalidade Prolongamento da vida Demanda crescente aos serviços de saúde Incorporação de tecnologias de mais alto custo Diminuição de qualidade dos serviços PIORA DA QUALIDADE DE VIDA. INCREMENTO

Leia mais

LEI 8.080/90 CONTEÚDO COMUM A TODOS OS CARGOS: ANALIS- TA E TÉCNICO

LEI 8.080/90 CONTEÚDO COMUM A TODOS OS CARGOS: ANALIS- TA E TÉCNICO Lei Orgânica da Saúde Andréa Paula LEI 8.080/90 CONTEÚDO COMUM A TODOS OS CARGOS: ANALIS- TA E TÉCNICO 01. O Brasil institucionalizou o direito à saúde a todos os cidadãos brasileiros com a promulgação

Leia mais

105 Ciências Contábeis

105 Ciências Contábeis UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Coordenação de Políticas de Acesso e Permanência Unidade de Ocupação de Vagas Remanescentes PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS

Leia mais

AS TEORIAS ADMINISTRATIVAS INSERIDAS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF)

AS TEORIAS ADMINISTRATIVAS INSERIDAS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Antonio Nascimento Araujo Ericarla Castro Corrêa José Vitor Vieira Ferreira

Leia mais

217 Engenharia de Produção

217 Engenharia de Produção UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 09/2016 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 16/10/2016 INSCRIÇÃO TURMA NOME DO CANDIDATO

Leia mais

O Impacto Psicossocial do Cancro na Família

O Impacto Psicossocial do Cancro na Família O Impacto Psicossocial do Cancro na Família Maria de Jesus Moura Psicóloga Clínica Unidade de Psicologia IPO Lisboa ATÉ MEADOS DO SEC.XIX Cancro=Morte PROGRESSOS DA MEDICINA CURA ALTERAÇÃO DO DIAGNÓSTICO

Leia mais

100 QUESTÕES DE SAÚDE PÚBLICA PARA AGENTE COMUNITÁRIO

100 QUESTÕES DE SAÚDE PÚBLICA PARA AGENTE COMUNITÁRIO Caro Leitor, A equipe técnica do Concurseiro da Saúde empenha-se em desenvolver apostilas e materiais atualizados de acordo com as leis recentemente publicadas a fim de estar sempre em consonância com

Leia mais

Visita domiciliar ao recém nascido: uma prática Interdisciplinar.

Visita domiciliar ao recém nascido: uma prática Interdisciplinar. TÍTULO DA PRÁTICA: Visita domiciliar ao recém nascido: uma prática Interdisciplinar. CÓDIGO DA PRÁTICA: T23 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 a)situação problema e/ou demanda inicial que

Leia mais

Psicanálise em Psicóticos

Psicanálise em Psicóticos Psicanálise em Psicóticos XIX Congresso Brasileiro de Psicanálise Recife, 2003 Dr. Decio Tenenbaum Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro, Rio 2 End: decio@tenenbaum.com.br Processos Psicanalíticos

Leia mais

EBSERH QUESTÕES COMENTADAS LEGISLAÇÃO APLICADA AO SUS CONCURSO EBSERH PARÁ AOCP/2016. Prof.ª Natale Souza

EBSERH QUESTÕES COMENTADAS LEGISLAÇÃO APLICADA AO SUS CONCURSO EBSERH PARÁ AOCP/2016. Prof.ª Natale Souza EBSERH QUESTÕES COMENTADAS LEGISLAÇÃO APLICADA AO SUS CONCURSO EBSERH PARÁ AOCP/2016 NÍVEL MÉDIO/TÉCNICO TARDE Prof.ª Natale Souza Olá queridos concurseiros EBSERH, vamos continuar os estudos? Vários editais

Leia mais

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda ATENÇÃO BÁSICAB SICA: Programa de Saúde da Família (PSF) ou Estratégia de Saúde da Família (ESF) Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Disciplina: SAÚDE PÚBLICA P I (MS-052) Prof. Walfrido K.

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

Para os cargos com exigência de curso de ensino fundamental, exceto Auxiliar de Serviços Gerais.

Para os cargos com exigência de curso de ensino fundamental, exceto Auxiliar de Serviços Gerais. PREFEITURA MUNICIPAL DE TIJUCAS PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL 007/2011 TERMO ADITIVO N 1 A COMISSÃO ORGANIZADORA do Processo Seletivo da Secretaria Municipal da Saúde, destinado ao provimento de vagas

Leia mais

Caderno 2 de Prova AE02. Educação Especial. Auxiliar de Ensino de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação

Caderno 2 de Prova AE02. Educação Especial. Auxiliar de Ensino de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Edital n o 003/2009 Caderno 2 de Prova AE02 Auxiliar de Ensino de Educação Especial Dia: 22 de novembro de 2009 Horário: das 8 às

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR CURSO: PSICOLOGIA HORÁRIA 1 SEMESTRE 2 SEMESTRE 3 SEMESTRE

ESTRUTURA CURRICULAR CURSO: PSICOLOGIA HORÁRIA 1 SEMESTRE 2 SEMESTRE 3 SEMESTRE ESTRUTURA CURRICULAR - 2017 CURSO: PSICOLOGIA DISCIPLINA CARGA HORÁRIA C. H. TEORICA C.H. PRÁTICA Nº DE 1 SEMESTRE 1 HISTÓRIA DA PSICOLOGIA 1 ANATOMIA HUMANA 60 60 ---- 3 1/2 1 PSICOLOGIA GERAL 90 90 ----

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVAS

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVAS PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 20/10/2013 INSTRUÇÕES CADERNO DE PROVAS 1. Confira, abaixo, seu nome e número de inscrição. Confira, também, o curso e a série correspondentes à sua inscrição.

Leia mais

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos Débora Martini Saúde Direito de todos Núcleo de Apoio a Saúde da Família - NASF Atenção Primária à Saúde Centros de Saúde Assistência

Leia mais

ANVISA. EXERCÍCIOS - CESPE Lei 8.080/90. Profa. Andréa Paula

ANVISA. EXERCÍCIOS - CESPE Lei 8.080/90. Profa. Andréa Paula ANVISA EXERCÍCIOS - CESPE Lei 8.080/90 Profa. Andréa Paula Banca: CESPE - Órgão: SESA- ES Ano: 2013 Cargos: Todos os cargos Lei n.º 8.080/1990, conhecida como a Lei Orgânica da Saúde, foi criada para regular,

Leia mais

Carga horária total: 04 Prática: 04 Teórico Prática: Semestre Letivo 1º/2012 Ementa

Carga horária total: 04 Prática: 04 Teórico Prática: Semestre Letivo 1º/2012 Ementa Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso Psicologia Disciplina Psicopatologia Psicodinâmica Professor(es) e DRTs Fernando Genaro Junior 114071-3 Sandra Fernandes de Amorim

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM Missão Objetivo Geral Objetivos Específicos

CURSO: ENFERMAGEM Missão Objetivo Geral Objetivos Específicos CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

MORAR EM CASA 1. IDENTIFICAÇÃO

MORAR EM CASA 1. IDENTIFICAÇÃO MORAR EM CASA Fanny Helena Martins Salles 1 Lorena Pinheiro Furtat 2 Miriam Kloppenburg Ferreira 3 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Nome: Implementação ao projeto de moradias assistidas vinculadas ao Centro de Atendimento

Leia mais

AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE FACULDADE CATÓLICA RAINHA DO SERTÃO CURSO DE FARMÁCIA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PROFESSOR: MÁRCIO BATISTA AULA 3 DIREITO À SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIREITO À SAÚDE DIREITO À

Leia mais

Gestão do Programa de Arboviroses do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas

Gestão do Programa de Arboviroses do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas Gestão do Programa de Arboviroses do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas Apresentação: Andrea von Zuben Médica Veterinária Sanitarista Diretora Departamento de Vigilância em Saúde Comparação

Leia mais

SAÚDE COLETIVA HISTÓRICO DA SAÚDE NO BRASIL

SAÚDE COLETIVA HISTÓRICO DA SAÚDE NO BRASIL SAÚDE COLETIVA HISTÓRICO DA SAÚDE NO BRASIL Prof.ª Dr.ª Rosana Carneiro Tavares I. Histórico do sistema de saúde brasileiro: Linha do tempo Brasil: um século de historia... 1900 - Sanitarismo Campanhista

Leia mais

I - Apresentação. II - Marcos históricos e normativos SÚMULA: POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

I - Apresentação. II - Marcos históricos e normativos SÚMULA: POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA SÚMULA: POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA ste documento foi elaborado pela equipe da Secretaria de Educação Especial do Ministério da Educação e pesquisadores

Leia mais

INTRODUÇÃO À SAÚDE DO TRABALHADOR. Profª Maria Dionísia do Amaral Dias Departamento de Saúde Pública Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP

INTRODUÇÃO À SAÚDE DO TRABALHADOR. Profª Maria Dionísia do Amaral Dias Departamento de Saúde Pública Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP INTRODUÇÃO À SAÚDE DO TRABALHADOR Profª Maria Dionísia do Amaral Dias Departamento de Saúde Pública Faculdade de Medicina de Botucatu UNESP Trabalho ATIVIDADE INTENCIONAL DO HOMEM PARA MODIFICAR A NATUREZA

Leia mais

A PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO

A PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica A PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO Profa. Ms. Joanna Heim PSICOLOGIA Contribuições Histórica Filosóficas Fisiológicas FILOSÓFICA(psyché = alma e logos=razão)

Leia mais

Introdução

Introdução 1. 2. 3. 4. Introdução A estratégia Saúde da Família Os princípios organizativos da estratégia Saúde da Família A reorganização da Atenção Primária a partir da Saúde da Família Introdução A Atenção Primária

Leia mais

Sumário. FUNDAMENTOS DA PRÁTICA DE ENFERMAGEM 32 Capítulo 1 Introdução à Enfermagem 34. Capítulo 6 Valores, Ética e Defesa de Direitos 114

Sumário. FUNDAMENTOS DA PRÁTICA DE ENFERMAGEM 32 Capítulo 1 Introdução à Enfermagem 34. Capítulo 6 Valores, Ética e Defesa de Direitos 114 Sumário UNIDADE I FUNDAMENTOS DA PRÁTICA DE ENFERMAGEM 32 Capítulo 1 Introdução à Enfermagem 34 Perspectivas históricas da enfermagem 35 Definições da enfermagem 37 Objetivos da enfermagem 38 Enfermagem

Leia mais

Professora: Yanna D. Rattmann

Professora: Yanna D. Rattmann Professora: Yanna D. Rattmann Sistema Único de Saúde Objetivo da implantação: SISTEMA -> Sistematizar ações, organizar ações; ÚNICO -> Unificar ações -> mesmos princípios e diretrizes em todo o território

Leia mais

RESULTADO DE AVALIAÇÕES DAS REUNIÕES PLENÁRIAS DO CEP - CESUMAR ATÉ O DIA 14/12/2012

RESULTADO DE AVALIAÇÕES DAS REUNIÕES PLENÁRIAS DO CEP - CESUMAR ATÉ O DIA 14/12/2012 RESULTADO DE AVALIAÇÕES DAS REUNIÕES PLENÁRIAS DO CEP - CESUMAR ATÉ O DIA 14/12/2012 NÃO ACEITO Nº CAAE TÍTULO DO PROJETO SITUAÇÃO 01 07303612.0.0000.5539 PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS E DA ATIVIDADE ELETROMIOGRÁFICA

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: TÉCNICO DE ENFERMAGEM Qualificação: Técnico

Leia mais

História Natural da Doença Professor Neto Paixão

História Natural da Doença Professor Neto Paixão ARTIGO História Natural da Doença Olá guerreiro concurseiro. Neste artigo iremos abordar um importante aspecto da epidemiologia: a história natural das doenças e formas de prevenção. De forma sucinta você

Leia mais

RESSIGNIFICAR: PSICOLOGIA E ONCOLOGIA 1. Jacson Fantinelli Dos Santos 2, Flávia Flach 3.

RESSIGNIFICAR: PSICOLOGIA E ONCOLOGIA 1. Jacson Fantinelli Dos Santos 2, Flávia Flach 3. RESSIGNIFICAR: PSICOLOGIA E ONCOLOGIA 1 Jacson Fantinelli Dos Santos 2, Flávia Flach 3. 1 Trabalho de Extensão Departamento de Humanidades e Educação, Curso de Graduação em Psicologia 2 Acadêmico do 8ºsemestre

Leia mais

I Fórum de Cuidados Paliativos do CREMEB

I Fórum de Cuidados Paliativos do CREMEB I Fórum de Cuidados Paliativos do CREMEB SOBRE A MORTE E O MORRER Prof.Dr.Franklin Santana Santos HISTÓRIA DO MEDO DA MORTE Não é fácil lidar com a morte, mas ela espera por todos nós... Deixar de pensar

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS DIFERENTES CENÁRIOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM NUM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

UMA REFLEXÃO SOBRE A NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS DIFERENTES CENÁRIOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM NUM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO UMA REFLEXÃO SOBRE A NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS DIFERENTES CENÁRIOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM NUM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Rosa Elisa Pasciucco da Costa rosaelisapasciucco@hotmail.com

Leia mais

BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO

BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO BIOGRAFIA Nasceu em 1897 na Índia, filho de ingleses Com 8 anos foi p\ Inglaterra Oficial na I e na II Guerra Mundial iniciou primeiras experiências

Leia mais

220 Ciências Econômicas

220 Ciências Econômicas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 06/2015 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 18/10/2015 220 Ciências Econômicas INSTRUÇÕES

Leia mais

Projeto para Credenciamento do NASF do Município de

Projeto para Credenciamento do NASF do Município de Projeto para Credenciamento do NASF do Município de Projeto elaborado para implantação do Núcleo de Apoio à Saúde da Família tipo do Município de Mês ano Sumário 1 Apresentação 2 Caracterização do Município

Leia mais

INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA. Profa. Dra. Laura Carmilo granado

INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA. Profa. Dra. Laura Carmilo granado INTRODUÇÃO À PSICOPATOLOGIA PSICANALÍTICA Profa. Dra. Laura Carmilo granado Pathos Passividade, paixão e padecimento - padecimentos ou paixões próprios à alma (PEREIRA, 2000) Pathos na Grécia antiga Platão

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da VI Seminário Internacional da Atenção Básica A construção de modelagens de AB em grandes centros urbanos Aparecida Linhares Pimenta SMS de Diadema Vice presidente do CONASEMS REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE

Leia mais

SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA

SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA SOCIEDADES E ASSOCIAÇÕES DE PSICOTERAPIA PROTOCOLADAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICANÁLISE E PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA Apresentação da psicoterapia e do(s) modelo(s) teórico(s) subjacente(s) A Associação

Leia mais

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE ANEXO 3 PROGRAMA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE 1. Conhecimentos sobre o SUS - Legislação da Saúde: Constituição Federal de 1988 (Título VIII - capítulo II - Seção II); Lei 8.080/90 e Lei 8.142/90; Norma

Leia mais

DISTRITOS SANITÁRIOS

DISTRITOS SANITÁRIOS DISTRITOS SANITÁRIOS CONCEITO: É unidade mais periférica de administração sanitária, que detém responsabilidades e poder decisório ante a política local de saúde, tendo como objetivo chegar a uma integração

Leia mais

CONTROLE SOCIAL e PARTICIPAÇÃO NO SUS: O PAPEL DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE

CONTROLE SOCIAL e PARTICIPAÇÃO NO SUS: O PAPEL DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE CONTROLE SOCIAL e PARTICIPAÇÃO NO SUS: O PAPEL DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE EDERSON ALVES DA SILVA Vice-Presidente Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais conselhoestadualdesaudemg@gmail.com O Sistema

Leia mais

ORTOTANÁSIA: A AUTONOMIA DA VONTADE DO PACIENTE E A OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA DO MÉDICO

ORTOTANÁSIA: A AUTONOMIA DA VONTADE DO PACIENTE E A OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA DO MÉDICO ORTOTANÁSIA: A AUTONOMIA DA VONTADE DO PACIENTE E A OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA DO MÉDICO Carlos Vital Tavares Correa Lima Presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM) O FUTURO UM MUNDO MELHOR AUTONOMIA

Leia mais

Fisioterapia na Atenção Primária à Saúde

Fisioterapia na Atenção Primária à Saúde Fst. Ms. Priscylla Knopp Mestre em Psicologia/ Psicologia social e da saúde UFJF/PPG-Psi Pesquisadora do Grupo de estudo e práticas sociais em Saúde Coletiva UFJF 30 out Fisioterapia na Atenção Primária

Leia mais

Quinta das LIVES COM A PROFESSORA NATALE SOUZA. Solicite a entrada no grupo: https://www.facebook.com/grou ps/ /?

Quinta das LIVES COM A PROFESSORA NATALE SOUZA. Solicite a entrada no grupo: https://www.facebook.com/grou ps/ /? Quinta das LIVES COM A PROFESSORA NATALE SOUZA Todas as quintas DICAS DE RESIDÊNCIAS; RESOLUÇÃO DE QUESTÕES; CUPONS DE DESCONTOS E MUITO MAIS. Solicite a entrada no grupo: https://www.facebook.com/grou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CONCURSO DOCENTE, EDITAL Nº 14/2015 PONTOS DAS PROVAS ESCRITA E DIDÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CONCURSO DOCENTE, EDITAL Nº 14/2015 PONTOS DAS PROVAS ESCRITA E DIDÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CONCURSO DOCENTE, EDITAL Nº 14/2015 PONTOS DAS PROVAS ESCRITA E DIDÁTICA MATÉRIA: NEUROPSICOLOGIA 1. Modelos nomotéticos e ideográficos

Leia mais

PRINCIPAIS DILEMAS NA ATENÇÃO PRIMARIA EM SAUDE (APS)

PRINCIPAIS DILEMAS NA ATENÇÃO PRIMARIA EM SAUDE (APS) PRINCIPAIS DILEMAS NA ATENÇÃO PRIMARIA EM SAUDE (APS) No contexto internacional Dr. Juan Seclen OPAS PWR Brasil Maio 2003 Aspectos preliminares Objetivos: Descrever os aspectos conceptuais da APS no contexto

Leia mais

O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE, A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE, A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE, A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Janise Braga Barros

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde PROJETO DE APRIMORAMENTO DO TRABALHO EM EQUIPE SEGUNDO O MÉTODO RESSÉGUIER DOS SERVIDORES DA SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA

QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE HOSPITAL PSIQUIÁTRICO SÃO PEDRO DIREÇÃO DE ENSINO E PESQUISA QUADRO DE VAGAS 2017/2 ESTÁGIO CURRICULAR PSICOLOGIA LOCAL VAGAS MODALIDADE DE ESTÁGIO Data

Leia mais

1. Texto publicado na revista In VIVO

1. Texto publicado na revista In VIVO Ética, Direitos Humanos, Saúde Mental e Enfermagem Ana Albuquerque Queiroz 1 Ninguém pode ficar indiferente a nada do que é humano, particularmente a doença mental. 1 Quando se trata de saúde mental, sabe-se

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT

O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT O DESENVOLVIMENTO HUMANO SOB A PERSPECTIVA DE BION E WINNICOTT Carla Maria Lima Braga Inicio a minha fala agradecendo o convite e me sentindo honrada de poder estar aqui nesta mesa com o Prof. Rezende

Leia mais