Sumário. Parte I VISÃO GERAL. Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO. Introdução A medicina da pessoa...31

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário. Parte I VISÃO GERAL. Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO. Introdução A medicina da pessoa...31"

Transcrição

1 Sumário Introdução...25 Parte I VISÃO GERAL 1. A medicina da pessoa...31 Um pouco de história saúde-doença: evolução do conceito...31 Período pré-histórico...31 Período histórico primórdios...33 O antigo Século das Luzes...35 Medicina romana...42 Período medieval...42 A Renascença...43 A era da razão e da observação...45 O Iluminismo...45 A construção do modelo biomédico...49 Descartes e o modelo biomédico...51 Foucault e a evolução do saber em medicina...51 A construção do modelo biomédico e o ensino médico...52 O complexo de Procusto...53 O resgate do psíquico e a construção do modelo biopsicossocial na prática e no ensino em medicina...54 Freud e a psicanálise...55 A integração do estudo e do treinamento das aptidões psicológicas nos currículos...56 A psicologia médica como estudo da relação e da comunicação...57 O estudo da comunicação e o currículo médico...58 Referências...60 Parte II COMUNICAÇÃO E RELAÇÃO 2. Modelos de comunicação e comunicação em saúde...63 Modelos de comunicação humana...64 De Marco.indd 17 27/3/ :03:45

2 18 Sumário Comunicação e humanização...65 Os padrões vinculares e a constituição do sujeito...67 Natureza e cultura...68 Comunicação em saúde...70 Referências Comunicação em saúde e os meios de informação e comunicação...74 O paciente informado...74 Internet...76 Internet e saúde...77 Os profissionais da saúde e a Internet...78 Internet e saúde: prós e contras...79 O profissional diante do paciente informado...81 Referências Desenvolvimento das capacidades comunicacionais...84 Habilidades de comunicação e entrevista...84 Os desafios a serem enfrentados pelo futuro médico ou por que é importante para o futuro médico aprofundar-se no conhecimento das habilidades de comunicação...85 Desenvolvimento das capacidades...91 Encontrando com o outro...92 Observando...92 Identificação de perspectivas...94 Criação e ampliação da continência...95 Criação e ampliação da empatia...97 Discriminação dos canais de comunicação...98 Referências...99 Leitura sugerida A dinâmica vincular na relação médico-paciente Transferência-contratransferência e o estudante de medicina Os padrões de relacionamento Referências Parte III A ENTREVISTA 6. A dinâmica da observação e registro Continuidade dos cuidados O registro das informações Referências Fases e técnicas de entrevista A fase de recepção O pano de fundo O contato inicial A fase de exploração da entrevista O que perguntar?...118

3 Sumário 19 Como perguntar? Por que é importante perguntar sobre a vida pessoal? A fase de resolução da entrevista Etapa informativa Etapa negociadora Referências O exame físico do paciente: aspectos psicológicos O exame íntimo O exame nas diferentes fases da vida Questões de gênero Questões culturais Referências O exame psíquico Em busca do psíquico Apresentação, aspecto e comportamento geral Consciência Atenção Orientação Memória Inteligência Sensopercepção Pensamento Juízo e crítica Linguagem Humor e afeto Vontade e pragmatismo Referências Parte IV CONSTITUIÇÃO PSÍQUICA E SUBJETIVIDADE 10. Introdução à subjetividade humana A constituição do psiquismo da sensação ao afeto Os afetos e as palavras Caso clínico Defesas contra a angústia Mecanismos de defesa Negação Recalque Projeção Racionalização Formação reativa A angústia e as defesas do profissional Transferência e contratransferência Concluindo Referências...164

4 20 Sumário Parte V O CICLO DE VIDA E MORTE, FASES E DINÂMICAS, CRISES, DESADAPTAÇÕES E PSICOPATOLOGIAS E ASPECTOS INERENTES À RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE 11. O ciclo da vida e da morte: introdução Referências Gestação, parto e puerpério Primeiro trimestre: o começo da gestação Segundo trimestre: o melhor momento? Terceiro trimestre: e então? É para quando? O momento do parto Puerpério Referências A infância: introdução A primeira infância: os três primeiros anos O bebê na família: primeiras experiências sociais A criança, seu desenvolvimento e seus dinamismos psíquicos Primeira infância: 1 a 3 anos Segunda infância: dos 3 aos 6 anos Terceira infância: idade escolar Referências A infância: especificidades Especificidades do desenvolvimento na infância A constituição de um ser social A aquisição da leitura e da escrita: quando tudo isso começa? * Primeiro ano a 24 meses a 36 meses a 4 anos a 7 anos a 10 anos O brincar e sua função nas diferentes faixas etárias Violência física e abuso sexual na infância Psicopatologia na infância: o que um médico pode observar e como intervir a favor da saúde mental nessa fase? Detecção precoce de fatores de risco de patologias mentais graves Referências A puberdade e a adolescência A puberdade A adolescência O processo adolescente Os rapazes As moças Crise de identidade Identidade sexual O grupo...252

5 Sumário 21 Psicopatologia Caso clínico A família Uma ilustração bastante curiosa Referências A idade adulta O jovem adulto O amor e o sexo O pensamento A saúde O trabalho A meia-idade A família Mudanças físicas Sexualidade A idade da sabedoria O trabalho Prevenção Referências A terceira idade: ponto final? Referências A morte na cultura, nos hospitais, no indivíduo Morte e luto durante o ciclo de vida Preparando as crianças para entender o fenômeno morte Como a criança internaliza a noção de morte A cultura A morte, a medicina e os hospitais Referências Leituras sugeridas Anexo O desenvolvimento da inteligência segundo a teoria piagetiana Referência Parte VI O PROCESSO DE ADOECER 19. O adoecer como processo A intervenção que faz a diferença Cura e cuidado: natureza e tecnologias Os poderes curativos da natureza O efeito placebo Cura e cuidado Cuidados paliativos Saúde mental e cuidados paliativos O cuidado com os cuidadores O papel da intervenção em saúde mental Referências...335

6 22 Sumário 20. Reações e crises Doenças agudas Regressão Negação Depressão Cirurgias Transplantes Hemodiálise Oncologia Referências Leitura sugerida A família e o adoecer Referências Parte VII DILEMAS E SITUAÇÕES CRÍTICAS 22. A ética e seus dilemas Abordagem autoritária Abordagem puramente facilitadora Abordagem de facilitação ética Planejando um doador A escolha de Maria A despedida Josué quase perdeu o pé Incorporando a dimensão ética à formação e ao exercício profissional Referências Situações e relações difíceis Consultas e encontros difíceis Lidando com as situações difíceis Doze segundos que fazem a diferença Suspender os juízos de valor e adotar uma atitude avaliadora Percepção das próprias emoções Não tomar as dificuldades ou as limitações como algo pessoal Tentar mudar o padrão de comunicação Reconhecer transtornos mais graves Aceitar limitações Buscar ajuda Referências Comunicação dolorosa Cuidando da comunicação com a família O que é uma má notícia O preparo do profissional Atendendo uma solicitação de assessoria Reações a más notícias Fatores que influenciam a resposta a más notícias Orientações e métodos para a comunicação de más notícias Referências...372

7 Sumário Sobre os relatórios de entrevista O relatório Roteiros de entrevista de psicologia médica Gestação O bebê (0-1 ano) Criança de 1 a 3 anos Criança de 3 a 6 anos Criança de 6 a 12 anos Adolescência Adulto Terceira idade Paciente terminal Familiares de luto...383

PROGRAMA de FORMAÇÃO CONTÍNUA em CUIDADOS CONTINUADOS e PALIATIVOS 2015

PROGRAMA de FORMAÇÃO CONTÍNUA em CUIDADOS CONTINUADOS e PALIATIVOS 2015 PROGRAMA de FORMAÇÃO CONTÍNUA em CUIDADOS CONTINUADOS e PALIATIVOS 2015 Unidade de Cuidados Continuados e Paliativos do Hospital da Luz Justificação, Finalidade e Objectivos: Os Cuidados Paliativos assumem-se

Leia mais

INTRODUÇÃO... 15. Capítulo 1 -A ENTREVISTA... 19 RESUMO... 19. Introdução... 23. 1. O Que Designamos por Entrevista?... 25

INTRODUÇÃO... 15. Capítulo 1 -A ENTREVISTA... 19 RESUMO... 19. Introdução... 23. 1. O Que Designamos por Entrevista?... 25 índice INTRODUÇÃO... 15 Capítulo 1 -A ENTREVISTA... 19 RESUMO... 19 ÍNDICE DO CAPÍTULO... 21 Introdução... 23 1. O Que Designamos por Entrevista?... 25 1.1 Os Sentidos Quotidianos... 25 1.2 Direcções da

Leia mais

TRABALHOS SELECIONADOS

TRABALHOS SELECIONADOS UNIVERSIDADE DE FORTALEZA CONSÓRCIO LATINO-AMERICANO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO HUMANOS IV SEMINÁRIO LATINO-AMERICANO DE DIREITOS HUMANOS FORTALEZA - 28 A 31 DE AGOSTO TRABALHOS SELECIONADOS Os trabalhos

Leia mais

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS. CoBaTrICE AMIB

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS. CoBaTrICE AMIB PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS CoBaTrICE AMIB ÁREAS DE DOMÍNIO 1-Ressuscitação e controle inicial do paciente agudamente enfermo 2-Diagnóstico: avaliação, investigação,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. Estabelece preceitos para o aperfeiçoamento da política educacional estadual dos sistemas públicos de ensino, para a permanência e o sucesso escolar de alunos com distúrbios,

Leia mais

EMPREENDEDORISMO CONCEITOS... 21/03/2014 EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? IMPORTANTE!!!!!

EMPREENDEDORISMO CONCEITOS... 21/03/2014 EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? IMPORTANTE!!!!! EMPREENDEDORISMO CONCEITOS... Profa. MsC. Célia Regina Beiro da Silveira celiabeiro@expresso.com.br EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? É aquele que destrói a ordem econômica existente pela introdução de novos

Leia mais

O PAPEL DA ESCOLA E DO PROFESSOR NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) Introdução

O PAPEL DA ESCOLA E DO PROFESSOR NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) Introdução 421 O PAPEL DA ESCOLA E DO PROFESSOR NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) Amanda Ferreira dos Santos², Felipe Vidigal Sette da Fonseca²,

Leia mais

Sociedade Psicanalítica de Angra dos Reis Rio de Janeiro

Sociedade Psicanalítica de Angra dos Reis Rio de Janeiro Uma Abordagem Psicanalítica da CID-10 da Organização Mundial de Saúde, de F00 a F99. CID - Classificação Internacional de Doenças TRANSTORNOS MENTAIS E COMPORTAMENTAIS I. Objetivos do curso: Conhecer a

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000082 - SERVICO SOCIAL Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000082 - SERVICO SOCIAL Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000082 - SERVICO SOCIAL Nivel: Superior Area Profissional: 0035 - SOCIAL Area de Atuacao: 0044 - RECURSOS HUMANOS/SOCIAL Atuar na area de

Leia mais

Como inovar transformando velhos dilemas em novas práticas.

Como inovar transformando velhos dilemas em novas práticas. Como inovar transformando velhos dilemas em novas práticas. Letícia Andrade Assistente Social HC-FMUSP: Ambulatório de Cuidados Paliativos e Núcleo de Assistência Domiciliar Interdisciplinar Cuidados Paliativos:

Leia mais

PROGRAMA DE PO S-GRADUAÇA O EM PROMOÇA O DA SAU DE

PROGRAMA DE PO S-GRADUAÇA O EM PROMOÇA O DA SAU DE PROGRAMA DE PO S-GRADUAÇA O EM PROMOÇA O DA SAU DE 1. Apresentação A saúde é um conceito positivo, que enfatiza os recursos sociais, naturais e pessoais, bem como, as capacidades físicas do indivíduo.

Leia mais

ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL

ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL ANEXO 14 FICHAS DE AVALIAÇÃO SOCIAL 1 - FICHAS SOCIAIS (Esta ficha deve ser aplicada para todos os subprojetos e contempla o levantamento e demanda da área social, inclusive os povos tradicionais e demais

Leia mais

1ª Série. 6NIC088 FOTOGRAFIA Conceitos de fotografia analógica e digital e sua aplicação nos meios de comunicação de massa e na comunicação dirigida.

1ª Série. 6NIC088 FOTOGRAFIA Conceitos de fotografia analógica e digital e sua aplicação nos meios de comunicação de massa e na comunicação dirigida. 1ª Série 6NIC091 ADMINISTRAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS Conceitos básicos de administração geral. Organizações e grupos formais e informais. Estrutura organizacional. Funções organizacionais da administração.

Leia mais

Fonte: http://office.microsoft.com/pt-br/clipart

Fonte: http://office.microsoft.com/pt-br/clipart 11. Estágio personalismo (3 a 6 anos) A predominância funcional é AFETIVA (relações afetivas) e o conflito é de natureza endógena (centrípeta). Período de formação da personalidade, marcado por conflitos

Leia mais

II SEMINÁRIO DE PRÁTICA DE PESQUISA EM PSICOLOGIA Universidade Estadual de Maringá 28 a 30 de Novembro de 2012

II SEMINÁRIO DE PRÁTICA DE PESQUISA EM PSICOLOGIA Universidade Estadual de Maringá 28 a 30 de Novembro de 2012 AS CONCEPÇÕES DE PSICÓLOGOS SOBRE ANGÚSTIA/ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA CLÍNICA Mayara Lúcia Embercics Calazans (Departamento de Psicologia,, Fundação Araucária, PIBIC); Paulo José

Leia mais

Tópicos Especiais em Educação

Tópicos Especiais em Educação Tópicos Especiais em Educação Física II Unidade I -Cognição - Prof. Esp. Jorge Duarte Cognição Um dos objetivos do sistema de ensino é promover o desenvolvimento cognitivo da criança. Esse desenvolvimento

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Capoeira - menino Pé no Chão

Mostra de Projetos 2011. Capoeira - menino Pé no Chão Mostra Local de: Dois Vizinhos Mostra de Projetos 2011 Capoeira - menino Pé no Chão Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação Casa

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

AMOR, SEXO E DROGAS. Facilitadora: Claudia Pedral. Abril/11

AMOR, SEXO E DROGAS. Facilitadora: Claudia Pedral. Abril/11 AMOR, SEXO E DROGAS Facilitadora: Claudia Pedral Abril/11 Amor, Sexo e Sexualidade O QUE É? AMOR & AMIZADE O QUE UM QUADRO TEM HAVER COM OUTRO? QUEM É O JOVEM DE HOJE? SOBRE RELACIONAMENTOS, O QUE VOCES

Leia mais

É importante destacar que em 2016 ocorrerão simultaneamente os seguintes eventos:

É importante destacar que em 2016 ocorrerão simultaneamente os seguintes eventos: º Encontro Estadual de Serviços-Escola de Psicologia do Estado de São Paulo 2º Encontro Nacional de Serviços-Escola de Psicologia/6º Encontro Nacional de Supervisores de Psicologia 2016 Introdução ao projeto

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Fonoaudiólogo, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado

Leia mais

PERCEPÇÃO DAS CRIANÇAS DA ESCOLA MUNICIPAL CENTRO DE PROMOÇÃO EDUCACIONAL ACERCA DO ESTATUTO CRIANÇA E ADOLESCENTE

PERCEPÇÃO DAS CRIANÇAS DA ESCOLA MUNICIPAL CENTRO DE PROMOÇÃO EDUCACIONAL ACERCA DO ESTATUTO CRIANÇA E ADOLESCENTE 28 PERCEPÇÃO DAS CRIANÇAS DA ESCOLA MUNICIPAL CENTRO DE PROMOÇÃO EDUCACIONAL ACERCA DO ESTATUTO CRIANÇA E ADOLESCENTE FEITOZA, Rosangela 1 BARROS, Ady 2 IGNÁCIO, Alba Valéria Alves 3 CRUZ, Marcelo Sérgio

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq INTRODUÇÃO Este texto apresenta a pesquisa em andamento

Leia mais

1º Encontro Norte Paranaense de Acreditação em Serviços de Saúde COMPLEXO ERASTO GAERTNER

1º Encontro Norte Paranaense de Acreditação em Serviços de Saúde COMPLEXO ERASTO GAERTNER COMPLEXO ERASTO GAERTNER Unidades Estratégicas Rede Feminina de Combate ao Câncer Hospital Erasto Gaertner Instituto de Bioengenharia IBEG Nossa Missão Combater o Câncer com Humanismo, Ciência e Afeto

Leia mais

EMPREENDEDORISMO E MERCADO DE TRABALHO

EMPREENDEDORISMO E MERCADO DE TRABALHO EMPREENDEDORISMO E MERCADO DE TRABALHO SOU EMPREGÁVEL? EMPREENDEDO...QUÊ? EMPREENDER Deliberar-se a praticar; Propor-se; Tentar; Pôr em execução. Fonte: Aurélio Empreendedor Uma das definições mais antigas

Leia mais

CURSO CAPACITAÇÃO EM HIPNOSE E HIPNOTERAPIA COM ÊNFASE EM NEUROCIÊNCIAS

CURSO CAPACITAÇÃO EM HIPNOSE E HIPNOTERAPIA COM ÊNFASE EM NEUROCIÊNCIAS CURSO CAPACITAÇÃO EM HIPNOSE E HIPNOTERAPIA COM ÊNFASE EM NEUROCIÊNCIAS PÚBLICO-ALVO Profissionais graduados e pós-graduados na área da saúde. Especialistas em psicossomática e psicoterapeutas das mais

Leia mais

PARECER SETOR FISCAL Nº 35/2015. Assunto: Parecer Técnico sobre coleta de sangue arterial para fim de realização de gasometria arterial.

PARECER SETOR FISCAL Nº 35/2015. Assunto: Parecer Técnico sobre coleta de sangue arterial para fim de realização de gasometria arterial. PARECER SETOR FISCAL Nº 35/2015 Assunto: Parecer Técnico sobre coleta de sangue arterial para fim de realização de gasometria arterial. 1-Do Fato: Venho por meio deste solicitar um parecer do Coren/CE

Leia mais

Psicanálise. Boa Tarde! Psicanálise 26/09/2015. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica Prof.ª Ms.

Psicanálise. Boa Tarde! Psicanálise 26/09/2015. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica Prof.ª Ms. Boa Tarde! 1 Psicanálise Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica Prof.ª Ms. Otília Loth Psicanálise Fundada por Sigmund Freud, é uma teoria que estabelece uma complexa estrutura mental

Leia mais

X Congresso Sul Mineiro de Medicina Psicossomática Caxambu, novembro/2010. Decio Tenenbaum

X Congresso Sul Mineiro de Medicina Psicossomática Caxambu, novembro/2010. Decio Tenenbaum X Congresso Sul Mineiro de Medicina Psicossomática Caxambu, novembro/2010 Decio Tenenbaum Biológica Psicológica Ôntica Social Cultural Espiritual Níveis de consciência (transcendência) Somos formados por

Leia mais

Saúde Mental e trabalho: Contribuições da Psicologia da Saúde/reposicionamento do psicólogo nas equipes de saúde

Saúde Mental e trabalho: Contribuições da Psicologia da Saúde/reposicionamento do psicólogo nas equipes de saúde Saúde Mental e trabalho: Contribuições da Psicologia da Saúde/reposicionamento do psicólogo nas equipes de saúde SILVIA CURY ISMAEL HOSPITAL DO CORAÇÃO DE SÃO PAULO III Congresso dos Servidores de Saúde

Leia mais

PROJETO CONSTRUINDO SABERES

PROJETO CONSTRUINDO SABERES PROJETO CONSTRUINDO SABERES Justificativa: O Projeto Construindo Saberes em Língua Portuguesa e Matemática, justifica-se pela importância de ser um instrumento de apoio pedagógico e didático para sanar

Leia mais

Escola e características sócioemocionais. Daniel Santos IBRE Dezembro/ 2014

Escola e características sócioemocionais. Daniel Santos IBRE Dezembro/ 2014 Escola e características sócioemocionais Daniel Santos IBRE Dezembro/ 2014 Primórdios: saber fazer coisas Resultados futuros dependem de habilidades, que podem ser aprendidas. Preferências e atributos

Leia mais

BASES PARA ABORDAGEM DO FUMANTE

BASES PARA ABORDAGEM DO FUMANTE BASES PARA ABORDAGEM DO FUMANTE Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e outros Fatores

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014

Plano de Trabalho Docente 2014 Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Área de conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Geografia Série: 2ª

Leia mais

Curso de Formação em PNL - Programação Neurolinguística

Curso de Formação em PNL - Programação Neurolinguística Curso de Formação em PNL - Programação Neurolinguística AndréStroppa o curso O Practitioner foi criado em 1981 por Robert Dilts, ele ajudou a projetar os procedimentos do currículo para o primeiro programa

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA DISCIPLINA MARISTA

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA DISCIPLINA MARISTA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA DISCIPLINA MARISTA AULA COM O IRMÃO CLEMENTE 05/03/2016 A pedagogia Marista foi idealizada por Marcelino Champagnat em 1817, que fundou o Instituto dos Irmãos Maristas. O princípios

Leia mais

Inteligência Emocional + Coaching = Alta Performance Pessoal e Profissional

Inteligência Emocional + Coaching = Alta Performance Pessoal e Profissional Inteligência Emocional + Coaching = Alta Performance Pessoal e Profissional TAUILY CLAUSSEN D ESCRAGNOLLE TAUNAY PSICÓLOGO CRP 11/05595 MESTRE E DOUTORANDO EM CIENCIAS MEDICAS (FAMED/UFC) PROFESSOR DO

Leia mais

A Obsessão Espiritual (Autor: Osvaldo Shimoda)

A Obsessão Espiritual (Autor: Osvaldo Shimoda) A Obsessão Espiritual (Autor: Osvaldo Shimoda) A Obsessão Espiritual como doença da Alma, já é reconhecida pela Medicina Em artigos anteriores, escrevi que a Obsessão espiritual, na qualidade de doença

Leia mais

saiba MAIs sobre o transtorno AFetIVo BIpoLAr TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR

saiba MAIs sobre o transtorno AFetIVo BIpoLAr TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR saiba MAIs sobre o transtorno AFetIVo BIpoLAr Apresentação O conteúdo deste folheto foi elaborado por profissionais do conselho científico da ABRATA, Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO CURRICULAR - SPA

PROJETO DE ESTÁGIO CURRICULAR - SPA PROJETO DE ESTÁGIO CURRICULAR - SPA 01 - Título (Até 68 caracteres contando os espaços) Psicologia Hospitalar Fenomenológico-Existencial 02 - Responsável Supervisor: EQUIPE Cristine Monteiro Mattar PROFESSORES

Leia mais

Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar)

Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar) Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar) Segundo a OMS, saúde é o mais completo estado de bemestar físico, psicológico e social para um indivíduo. O que significa

Leia mais

Fax ( 41)36771187 CPF 447.841.049-68. Função. Gerente. Celular (41) 91760959. R$ 461.800,00 (quatrocentos e sessenta e um mil e oitocentos reais)

Fax ( 41)36771187 CPF 447.841.049-68. Função. Gerente. Celular (41) 91760959. R$ 461.800,00 (quatrocentos e sessenta e um mil e oitocentos reais) 1 IDENTIFICAÇÃO Abrangência do Projeto: ( ) Estadual ( ) Regional ( X) Intermunicipal (no mínimo três municípios) 1.1. Dados Cadastrais do Proponente Entidade Proponente: FUNDAÇÃO SOLIDARIEDADE Endereço

Leia mais

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORTEADORES Art. 1º Os procedimentos em saúde mental a serem adotados

Leia mais

11:00h 13:00h Moderadora: Drª. Soraia Monteiro (Interna de Medicina Geral e Familiar) Dr. Pedro Pablo (Especialista de Medicina Geral e Familiar)

11:00h 13:00h Moderadora: Drª. Soraia Monteiro (Interna de Medicina Geral e Familiar) Dr. Pedro Pablo (Especialista de Medicina Geral e Familiar) PROGRAMA CIENTÍFICO Sexta-feira, 8 de Novembro Hipocoagulação oral: ainda um desafio! 11:00h 13:00h Moderadora: Drª. Soraia Monteiro (Interna de Medicina Geral e Familiar) O que o doente hipocoagulado

Leia mais

Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa.

Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa. Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa. 1. Hipnose é causada pelo poder do hipnotizador Naturalmente o hipnotizador deve ter o devido conhecimento e a força mental

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO SUPERANDO A DEPRESSÃO Andreza do Ouro Corrêa - andreza.correa@ymail.com Mayara Cristina Costa Mariângela Pinto da Silva Gislaine Lima da Silva - gilisilva@ig.com.br Curso de Psicologia Unisalesiano/ Lins

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Distúrbios neurológicos. Crianças. Aprendizado. Professores.

PALAVRAS-CHAVE Distúrbios neurológicos. Crianças. Aprendizado. Professores. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Promoção e proteção dos direitos das crianças. A utilidade de critérios, ou pilares concetuais, é

Promoção e proteção dos direitos das crianças. A utilidade de critérios, ou pilares concetuais, é A utilidade de critérios, ou pilares concetuais, é inquestionável para enquadrar as ações de proteção e cuidados à infância. Os profissionais devem partilhar conceitos básicos, que os ajudem a identificar

Leia mais

PROGRAMA DE COACHING & GERAÇÃO Z GESTÃO DE CARREIRA

PROGRAMA DE COACHING & GERAÇÃO Z GESTÃO DE CARREIRA Cer ficada LAIS SILVA Profissional coach &Leader Coach Analista comportamental & 360 graus Coach, Consultora, Palestrante. Especialista em Recursos Humanos e Gestão Auditoria em Serviços de Saúde. Atua

Leia mais

Pessoa com Deficiência. A vida familiar e comunitária favorecendo o desenvolvimento

Pessoa com Deficiência. A vida familiar e comunitária favorecendo o desenvolvimento Habilitação e Reabilitação da Pessoa com Deficiência A vida familiar e comunitária favorecendo o desenvolvimento Marco Legal Constituição Brasileira Art. 203 inciso IV IV - A habilitação e reabilitação

Leia mais

Payasos de Hospital Hospital Clown Clown dell'ospedale

Payasos de Hospital Hospital Clown Clown dell'ospedale Palhaços de Hospital Payasos de Hospital Hospital Clown Clown dell'ospedale clown d'hôpital Krankenhausclown [ CÓDIGO DEONTOLÓGICO ] Página 1 de 7 ::: I ntrodução O palhaço de hospital surge para dar resposta

Leia mais

GRADE CURRICULAR CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL PARA DELEGADO DE POLÍCIA

GRADE CURRICULAR CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL PARA DELEGADO DE POLÍCIA GRADE CURRICULAR CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL PARA DELEGADO DE POLÍCIA I. ÁREAS TEMÁTICAS DISCIPLINAS 1. LINGUAGEM, COMUNICAÇÃO, INFORMAÇÃO LINGUAGEM E TECNOLOGIA EM SEGURANÇA PÚBLICA. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

http://www.worldday.org 22-10-2008

http://www.worldday.org 22-10-2008 " Cuidados Paliativos como Direito Humano - Reflexão Ética " Maria Teresa Flor de Lima Unidade de Dor, Hospital do Divino Espírito Santo, EPE Av. D. Manuel I, 9500-370, Ponta Delgada, Açores mtflordelima@gmail.com

Leia mais

Pessoa com deficiência: a evolução de um paradigma para reafirmar direitos

Pessoa com deficiência: a evolução de um paradigma para reafirmar direitos Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência Pessoa com deficiência: a evolução de um paradigma para reafirmar direitos

Leia mais

Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem.

Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem. Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem. Fátima Aparecida Machado dos Santos Centro Educacional de Jovens e Adultos /Secretaria Municipal

Leia mais

Currículos e programas. Profa. Luciana Eliza dos Santos

Currículos e programas. Profa. Luciana Eliza dos Santos Currículos e programas Profa. Luciana Eliza dos Santos Currículo??? Base ordenadora da prática Quais os elementos que compõem a prática pedagógica? O que compõe um currículo? Como podemos abarcar conhecimentos

Leia mais

HOSPITAL HELIÓPOLIS SP. Serviço de Cabeça e Pescoço- Hospital Heliópolis [SCPH2]

HOSPITAL HELIÓPOLIS SP. Serviço de Cabeça e Pescoço- Hospital Heliópolis [SCPH2] HOSPITAL HELIÓPOLIS SP Estágio de 2 anos dedicados para Otorrinos na sub especialidade de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Serviço de Cabeça e Pescoço- Hospital Heliópolis [SCPH2] Prólogo Todos os candidatos

Leia mais

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito

Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito UM TÊNUE LIMIAR... 1 Graciella Leus Tomé Lembro de uma cena em especial, no Hospital Psiquiátrico Cyro Martins, que muito me chocou. Foi a internação de uma jovem senhora, mãe, casada, profissão estável,

Leia mais

Comitê Científico do Enangrad

Comitê Científico do Enangrad Comitê Científico do Enangrad Administração Pública Empreendedorismo e Governança Corporativa Ensino, Pesquisa e Formação Docente em Administração Finanças Gestão da Sustentabilidade Gestão de Informações

Leia mais

Oswaldo M. Rodrigues Jr. Instituto Paulista de Sexualidade www.inpasex.com.br

Oswaldo M. Rodrigues Jr. Instituto Paulista de Sexualidade www.inpasex.com.br Oswaldo M. Rodrigues Jr. Instituto Paulista de Sexualidade www.inpasex.com.br Psicoterapia comportamental cognitiva e aplicação na Terapia Sexual. tratamento de problemas sexuais inicia-se na década de

Leia mais

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Desastre: interrupção grave do funcionamento normal de uma comunidade que supera sua capacidade de resposta e recuperação. Principais causas de

Leia mais

Índice. Contacto G R Ü N E N T H A L S. A. D O S S I E R D E I M P R E N S A 2 0 1 6. Informação Geral... 2. Perfil da empresa...

Índice. Contacto G R Ü N E N T H A L S. A. D O S S I E R D E I M P R E N S A 2 0 1 6. Informação Geral... 2. Perfil da empresa... Índice Informação Geral... 2 Perfil da empresa... 3 Grünenthal Portugal... 4 Investigação & Desenvolvimento... 5 Responsabilidade Social... 7 Contacto Grünenthal Portugal Elisabete Godinho elisabete.godinho@grunenthal.com

Leia mais

APAE ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS

APAE ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS RELATÓRIO MENSAL DAS ATIVIDADES 2012 MÊS DE FEVEREIRO ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS Técnicos Responsáveis: Diretora Administrativa: Marinalva de Souza Farias da Costa Secretaria: Terezinha

Leia mais

Competências e Habilidades

Competências e Habilidades Competências e Habilidades Aula 11 Gestão da Carreira Autoconhecimento Personalidade Motivações Valores Habilidades Interesses Análise do Ambiente Definição de objetivos Ações / Estratégias 2 1 Gerenciamento

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA. Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA Centro de Apoio Operacional de Defesa da Infância da Juventude CAODIJ PACTO PELOS DIREITOS DAS CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS DA CIDADE

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ENTREVISTA INICIAL COM OS PAIS NA PSICOTERAPIA INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DA ENTREVISTA INICIAL COM OS PAIS NA PSICOTERAPIA INFANTIL 836 A IMPORTÂNCIA DA ENTREVISTA INICIAL COM OS PAIS NA PSICOTERAPIA INFANTIL Suelen Ribeiro da Rocha 1 Carla Adriana da Silva Villwock 2 Resumo: O presente artigo foca a entrevista inicial com pais como

Leia mais

Autoconfiança. Prof. Raul Franzolin Neto. Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos USP-Pirassununga rfranzol@usp.br

Autoconfiança. Prof. Raul Franzolin Neto. Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos USP-Pirassununga rfranzol@usp.br Autoconfiança Prof. Raul Franzolin Neto Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos USP-Pirassununga rfranzol@usp.br Nada aprenderam de mim, senão o que já sabiam e que são eles quem por si mesmos

Leia mais

Training Course MBA -ASSESSORIA DE DIREÇÃO MELHORES PRÁTICAS

Training Course MBA -ASSESSORIA DE DIREÇÃO MELHORES PRÁTICAS MBA -ASSESSORIA DE DIREÇÃO MELHORES PRÁTICAS DESCRIÇÃO O secretariado ou assessoria de direcção deve contribuir eficazmente para a organização e controlo do trabalho administrativo de uma organização/instituição,

Leia mais

DOENÇA RENAL CRÔNICA E SUBJETIVIDADE: IMPLICAÇÕES CLÍNICAS DA DIFERENÇA ENTRE SER E TER UMA DOENÇA

DOENÇA RENAL CRÔNICA E SUBJETIVIDADE: IMPLICAÇÕES CLÍNICAS DA DIFERENÇA ENTRE SER E TER UMA DOENÇA DOENÇA RENAL CRÔNICA E SUBJETIVIDADE: IMPLICAÇÕES CLÍNICAS DA DIFERENÇA ENTRE SER E TER UMA DOENÇA Priscila Rodrigues da Silva * Prof. Ms. Clovis E. Zanetti ** RESUMO: A doença renal crônica é considerada

Leia mais

Nº 63 - Brasília - DF, quarta-feira, 02 de abril de 2008 Pág: 13 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

Nº 63 - Brasília - DF, quarta-feira, 02 de abril de 2008 Pág: 13 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO Nº 63 - Brasília - DF, quarta-feira, 02 de abril de 2008 Pág: 13 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO Portaria Normativa nº 3, de 1º de abril de 2008 Determina as áreas e os cursos superiores de

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Biomédico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional da área

Leia mais

Apresentação do Serviço de Psicologia. Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte)

Apresentação do Serviço de Psicologia. Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte) Sejam bem vindos no Apresentação do Serviço de Psicologia Roberta de Siqueira Meloso (coordenadora Psicologia CRI-Norte) Mário Amore Cecchini (Psicólogo CRI-Norte) CRI Norte C.R.I. - Centro de Referencia

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística : Técnico em Logística Descrição do Perfil Profissional: Planejar, programar e controlar o fluxo de materiais e informações correlatas desde a origem dos insumos até o cliente final, abrangendo as atividades

Leia mais

Proposta de Parceria Pleno Ser / Escola

Proposta de Parceria Pleno Ser / Escola Proposta de Parceria Pleno Ser / Escola A Parceria Pleno Ser/Escola O ambiente escolar pode representar, muitas vezes, um prolongamento do lar. É onde a criança é inserida nos grupos sociais, colocada

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA LÍNGUA PORTUGUESA Texto: A diferença no escritório Homens e mulheres se comportam de forma desigual no trabalho, dizem os números. - As mulheres representam 42% da população economicamente ativa no Brasil.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PERTURBAÇÕES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PERTURBAÇÕES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular PERTURBAÇÕES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4.

Leia mais

INSTITUIÇÃO RECANTO INFANTIL TIA CÉLIA CNPJ: 05.028.042/0001-54 Rua Eucalipto N 34 Jardim - Ypê - Mauá SP Fone: 4546-9704/ 3481-6788

INSTITUIÇÃO RECANTO INFANTIL TIA CÉLIA CNPJ: 05.028.042/0001-54 Rua Eucalipto N 34 Jardim - Ypê - Mauá SP Fone: 4546-9704/ 3481-6788 Relatório de Atividades Mensal Esse relatório tem como objetivo apresentar as principais atividades desenvolvidas pela Instituição Recanto Infantil Tia, de acordo com o Projeto Biblioteca e Cidadania Ativa.

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

INSTRUÇÕES: Crédito imagem: metasinergia desenvolvimento de pessoas

INSTRUÇÕES: Crédito imagem: metasinergia desenvolvimento de pessoas Crédito imagem: metasinergia desenvolvimento de pessoas INSTRUÇÕES: As 12 seções da roda da vida representam um panorama global de sua vida ; Você deve apontar o seu nível se satisfação em cada seção,

Leia mais

INFORMAÇÕES REFERENTES À EXPOSIÇÃO DOS PÔSTERES APROVADOS NO XXVII COBREM

INFORMAÇÕES REFERENTES À EXPOSIÇÃO DOS PÔSTERES APROVADOS NO XXVII COBREM INFORMAÇÕES REFERENTES À EXPOSIÇÃO DOS PÔSTERES APROVADOS NO XXVII COBREM Os estudantes que tiveram seus resumos de trabalhos aprovados no XXVII COBREM, deverão afixar seus pôsteres no pátio da Escola

Leia mais

Pressupostos teóricos norteadores do trabalho do psicólogo na Comissão Distrital Judiciária de Adoção

Pressupostos teóricos norteadores do trabalho do psicólogo na Comissão Distrital Judiciária de Adoção Pressupostos teóricos norteadores do trabalho do psicólogo na Comissão Distrital Judiciária de Adoção Janaina Simas Souza 1, 2 No trabalho de preparação das crianças para adoção internacional, bem como

Leia mais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Ações Orçamentárias Número de Ações 15 05110000 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Projeto apoiado Unidade de Medida: unidade UO: 26298 FNDE

Leia mais

AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE CONVIVÊNCIA PERMANENTE EM UM CAPS INFANTIL 1

AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE CONVIVÊNCIA PERMANENTE EM UM CAPS INFANTIL 1 AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE CONVIVÊNCIA PERMANENTE EM UM CAPS INFANTIL 1 PEIXOTO, Maristela Jaqueline Reis 2 ; LENA, Marisangela Spolaôr 3, CULAU, Fernanda Steffen 4, CASSEL, Paula Argemi

Leia mais

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA ENCONTRO MULHER DE ATITUDE Campanha de Prevenção do Câncer Cérvico C Uterino Março o 2013 Maristela C Sousa - Médica Psiquiatra DVSAM/DACC/SAS/SESA Dados Epidemiológicos

Leia mais

EDITAL N.º 232/2015 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 230/2015

EDITAL N.º 232/2015 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 230/2015 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 230/2015 O VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, retifica o Edital nº 230/2015, de 25 de setembro de 2015, publicado no

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO HOSPITALAR - BH Unidade Dias

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA Parecer Coren/SC Nº 007/CT/2015 Assunto: realização da retirada ou o tracionamento dos drenos portovack e penrose. I Do fato A Gerência do Serviço de Enfermagem de uma instituição hospitalar solicita parecer

Leia mais

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS EMENTA O presente estudo tem por finalidade abordar o comportamento recente das pequenas empresas na

Leia mais

Ano 5º Ano. Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional. Professor(es) Ms. Demétrius Amaral Beltrão Ms Julio Cesar da Silva Tavares

Ano 5º Ano. Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional. Professor(es) Ms. Demétrius Amaral Beltrão Ms Julio Cesar da Silva Tavares Página 1 de 5 A EMENTA Licitações e Contratos Administrativos. Tipos de atividade administrativa: Serviços Públicos e Limitação da autonomia privada (Poder de polícia). Ordenamento urbano e estatuto da

Leia mais

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Elzira Leão Trabalho Social/DHAB/DUAP/SNH Ministério

Leia mais

LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares. A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas

LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares. A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas Apresentação: Cândido Portinari: painel Guerra e Paz A criança

Leia mais

- Sessão 2 - Estratégias para ampliar a capacidade institucional para usar evidências na formulação e implementação de políticas de saúde

- Sessão 2 - Estratégias para ampliar a capacidade institucional para usar evidências na formulação e implementação de políticas de saúde Oficina Estratégica - EVIPNet Brasil Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências Dimensão estratégica da Formulação de Políticas Informadas por Evidências (PIE) - Sessão 2 - Estratégias

Leia mais

INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS III Curso do IAB Formação de Agentes Multiplicadores em Prevenção às Drogas

INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS III Curso do IAB Formação de Agentes Multiplicadores em Prevenção às Drogas INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS III Curso do IAB Formação de Agentes Multiplicadores em Prevenção às Drogas Módulo IV O AFETO NA PRÁTICA TERAPÊUTICA E NA FORMAÇÃO DO MULTIPLICADOR Regina Lucia Brandão

Leia mais