UNIP Ciências Contábeis. Contabilidade Internacional e Teoria da Contabilidade Prof. MS Celso Marini

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIP Ciências Contábeis. Contabilidade Internacional e Teoria da Contabilidade Prof. MS Celso Marini E-mail: prof.marini@acharyabrasil.com."

Transcrição

1 UNIP Ciências Contábeis Contabilidade Internacional e Teoria da Contabilidade Prof. MS Celso Marini

2 AMERICAN INSTITUTE OF CERTIFIED PUBLIC ACCOUNTANTS (AICPA) 1939/ CAP - Committee on Accounting Procedure 51 ARB 1959/ APB - Accounting Principles Board - 31 APB Opinions Statements of Positions (SOPs)

3 FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD (FASB) 1973-FASB: 1. Standars aond Interpretations: GAAP a) Financial Accounting Concepts b) Technical Bulletins (doubts) c) Emerging Issues Task Force Statements

4 HIERARQUIA DOS US GAAP SEC Regulations, Staff Accounting Bulletins, Financial Reporting Releases Accounting Principles Board Opinions Accounting Principles Board Opinions FASB Statements of Financial and Accounting Standards and Interpretations Technical Bulletins AICPA Accounting Reserarch Bulletins Industry Audit and Accounting Guide and Statements of Position (if claread by the FASB) Emmerging Issues Task Force(EITF) Consensus Papers Implementation Guides Accounting Standards Executive Committe (AcSEC) Practice Bulletins (if claread by the FASB) Accounting Interpretations

5 GAAP = General Accept Accouting Principles Os Princípios Contábeis Geralmente Aceitos nos EUA são iguais aos Princípios Fundamentais de Contabilidade Brasileiros Entidade Continuidade Custo como base de valor Realização da Receita Confrontação da Despesa com receita Denominador Comum Monetário Objetividade Conservadorismo Materialidade Consistência GAAP = General Acdeptd Accouting Principles O que muda é a prática

6 THE INTERNATIONAL ACCOUNTING SANTARDS COMMITTEE (IASC) X Congresso Internacional de Contadores - Sidney (Austrália) Objetivo: normas contábeis de alta qualidade que possam ser aplicadas mundialmente

7 IASB ESTRUTURA ATUAL Fonte: Gui DTT IFRS

8 IASB International Financial Reporting Standards - IFRS - 41 normas emitidas - 7 substituídas = 34 normas. Standing Interpretations Committee SIC-25 interpretações emitidas. Conjunto Básico (Framework).

9 CRITÉRIOS IASB e FASB a) gastos com pesquisa e desenvolvimento; b) reavaliação de ativos; c) leasing financeiro; d) goodwill; e) avaliação dos estoques (LIFO); f) impostos diferidos (deferred taxes); g) encargos com planos de benefícios de aposentadoria para empregados; h) instrumentos financeiros i) conversão de transações e demonstrações em moeda estrangeira; j) contratos de construção

10 COMPARAÇÃO DOS CRITÉRIOS ITEM Gastos com Pesquisa e Desenvolvimento Reavaliação de Ativos Leasing Financeiro Goodwill Avaliação do Estoque Impostos Diferidos Encargos com Planos de benefícios de Aposentadoria para empregados Instrumentos Financeiros Conversão de Transações e Demonstrações Em modeda estrangeira Contratos de Construção IASB Ias 38 IAS 16 IAS 17 IAS 22 e 38 IAS 2 IAS 12 IAS 19 IAS 32 e 39 IAS 21 IAS 11 FASB SFAS 2 e SFAS 68 FASB Concept 5 SFAS 13 e alterações o SFAS 142 e 144 FASB SFAS 109 SFAS 132 SFAS 107, 126, 133, 137, 138, 149, 150 SFAS 52 ARB 45 e SFAS 66

11 CONTABILIDADE INTERNACIONAL CONVERGÊNCIA CONTÁBIL INTERNACIONAL

12 OUTROS GAAP s USGAAP IAS FASB PADRÕES GLOBAIS globalgaap IASB UKGAAP OUTROS GAAP s BRGAAP

13 HARMONIZAÇÃO Busca acomodação das diferenças locais. Estratégia política para melhoria do processo de adoção de padrões globais CONVERGÊNCIA Volta-se para o alcance de um resultado comum. (ADOPT BUT DON T ADAPT)

14 POR QUE CONVERGIR E/OU HARMONIZAR? Pressões de diversos usuários para convergência contábil e evidenciação: Governos; Empregados e sindicados; Investidores e analistas de investimentos; Banqueiros; Publico em geral; Contadores e auditores

15 Governos e Organizações Internacionais Sindicatos de empregados e Comerciais Paises com filiais: Influências Locais Paises Sede: Influências Locais Empresas Multinacionais com suas Praticas contábeis e de evidenciação Organizações de profissionais de contabilidade e auditoria Bancos Internacionais, Financeiras e agentes de crédito Investidores Internacionais, Analistas Financeiros e Bolsas de Valores Fonte: Radebaugh L; Gray S. Adptado pelos autores

16 POR QUE CONVERGIR E/OU HARMONIZAR? BENEFÍCIOS: Maior consistência das demonstrações financeiras entre os países; Redução dos custos para empreendimentos multinacionais; Facilitar o acesso das empresas nacionais aos mercados de capitais estrangeiros; Maiores possibilidades de trabalho para contadores; Poder auxiliar os países em desenvolvimento

17 POR QUE CONVERGIR E/OU HARMONIZAR? BENEFÍCIOS: John N.Turner, desde janeiro de 1983 escreve que: Maior benefício será a comparabilidade das informações internacionais contábeis e financeiras; A segunda vantagem é o tempo e o dinheiro economizado na consolidação das diferentes informações contábeis e financeiras; A terceira é a tendência de que os padrões contábeis, ao redor do mundo serão definidos de maneira consistente e de acordo com as condições sociais, legais e econômicas;

18 POR QUE CONVERGIR E/OU HARMONIZAR? CRÍTICAS: Adoção das normas internacionais localmente pode não resultar em harmonização efetiva das práticas contábeis; Sempre há um custo para os países; Pode servir como um meio de imposição da vontade dos países desenvolvidos;

19 QUEM PROMOVE A CONVERGÊNCIA? ü IASC International Accounting Standards Commitee; ü EU Commisssion of the European Union; ü IOSCO International Organisation of Securities Commisions; ü IFAC International Federation of Accountants; ü ISAR United Nations Intergovernmental working Group of Experts on International Standards of Accounting Reporting, part of United Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD); ü OECD Working Group Organzisation for Economic Cooperation and Development Working Group on Accounting Standards

20 ESFORÇOS PELA HARMONIZAÇÃO ü 1973 a 1974 Estruturação do IASC; ü 1975 a 1984 Expansão tímida do IASC; Criação da IFAC; Busca de apoio de organismos internacionais (OECD); Elaboração da normas contábeis brasileiras; ü 1985 a 1994 Expansão agressiva do IASC; Publicação das IAS; Aumento das discussões sobre harmonização contábil no mundo; ü 1995 a 1998 IASC concentra-se na revisão das IAS existentes e elaboração de novas normas para obter apoio da IOSCO e adoção das IAS pelas cias listadas nas Bolsas de Valores; ü 1999 a 2002 Reestruturação do IASC/IASB

21 PRINCIPAIS CAUSAS DAS DIFERENÇAS INTERNACIONAIS ü Cultura e Ambiente Externo; ü Sistemas Jurídicos; ü Provedores de Financiamentos; ü Sistema Tributário; ü O profissional de contabilidade e a profissão contábil; ü Taxa e níveis de Inflação; ü Teoria da Contabilidade; ü Fenômenos e/ou acidentes econômicos;

22 PRINCIPAIS DIFERENÇAS INTERNACIONAIS NOS RELATÓRIOS CONTÁBEIS ü Imparcialidade; ü Tributação; ü Conservadorismo e provisionamento; ü Provisões e reservas; ü Base de valor de registro; ü Consolidação; ü Uniformidade e Plano de contas; ü Formatos dos Relatórios Contábeis; ü Orientação aos Acionistas nos Relatórios Contábeis;

23 Classificação do Brasil em Termos Internacionais Em 1991, Salter elaborou um questionário para classificar as práticas contábeis de 50 países e classificou o Brasil no mesmo grupo do México, Chile e Argentina. Em 1998, Nobes ao rever sua classificação proposta em 1984, classificou o Brasil no mesmo grupo de Salter em 1991.

24 O Brasil e a Harmonização na Prática O Brasil implementou o CPC, ou seja Comitê de Pronunciamentos Contábeis que será responsável por ordenar as 80 diferentes normas contábeis em vigor no país atualmente.

25 Participação Internacional do Brasil no IASB No Brasileiro Nelson Carvalho é o presidente do conselho consultivo do IASB, sediado em Londres e é o principal responsável pela criação do CPC

26 Função do CPC Tem como objetivo alinhar o Brasil as práticas internacionais, sobretudo aquelas demandadas pelo IASB cujo padrão é adotado em mais de 94 países e é um dos opositores ao FASB, orgão com as mesmas funções que terá o CPC do Brasil nos Estados Unidos.

27 Função do CPC Nos Estados Unidos, o Fasc propões normas que podem ou não ser aceitas pela SEC (Security and Exchange Comission); No Brasil, o CPC estas normas poderão ou não ser acatadas pelos órgãos reguladores.

28 O CPC e a sua criação prevista em Lei Projeto tende a começar a andar em função da globalização e do interesse do poder Executivo em investimentos Internacionais. Um retrato mais fiel e harmônico das práticas contábeis pode ampliar interesse de investidores internacionais no País.

29 Como funcionará o CPC? Segundo Irineu de Mula, vice presidente técnico do CFC orgãos normativos participarão das discussões técnicas antes do envio da decisão a CVM Estes órgãos são: ABRASCA, BOVESP, FIPECAFI, entre outros.

30 Exemplo Mexicano Em 2001 foi criado o Conselho Mexicano para Pesquisa e Desenvolvimento de Normas de Informação Financeira (CINIF). É um padrão contábil próprio dos mexicanos, que, entretanto, adotam as melhores práticas internacionais dando preferência aquelas ditadas pelo IFRS do IASB que é rival do modelo norte americano.

31 Exemplo Brasileiro As demonstrações contábeis do Banco Central do Brasil referente ao exercício de 2005 foram publicadas de acordo com as normas do IFRS, padrão do IASB A CVM divulgou algumas instruções normativas, exigindo detalhamento a respeito de ganhos estimados com processos tributários e jurídicos.

32 Regras de Auditoria no contexto Internacional Em 18/10/05 os órgãos reguladores do setor de auditoria de 13 países se reuniram para discutir formas de melhorar cooperação internacional. Encontro organizado em Londres pelo Financial Reporting Council (FRC, do Reino Unido.

33 Exercício/Pesquisa As normas internacionais do IASB têm caráter de compulsoriedade? Por quê? Trazer na próxima aula

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS APLICAÇÃO N 3 As novas práticas contábeis instituídas a partir da Lei 11.638/2007 complementadas pela Lei 11.941/2009 e normatização formulada através da edição dos pronunciamentos

Leia mais

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS Visando a redução de riscos nos investimentos internacionais, além de ter mais facilidade de comunicação internacional no mundo dos negócios, com o uso de

Leia mais

A VOLTA À ESCOLA EUROPÉIA (SÉCULO XXI)!!!! SERÁ???? FASB OU IASB? QUEM VENCERÁ?

A VOLTA À ESCOLA EUROPÉIA (SÉCULO XXI)!!!! SERÁ???? FASB OU IASB? QUEM VENCERÁ? A VOLTA À ESCOLA EUROPÉIA (SÉCULO XXI)!!!! SERÁ???? FASB OU IASB? QUEM VENCERÁ? ORIGEM DE UMA NOVA ESCOLA Para fazer frente ao enorme poderio econômico norteamericano, após a 2ª Guerra Mundial, alguns

Leia mais

Unidade: As principais normas contábeis brasileiras (BRGAAP), americanas (USGAAP) e européias (IFRSGAAP) Revisor Textual: Profa. Esp.

Unidade: As principais normas contábeis brasileiras (BRGAAP), americanas (USGAAP) e européias (IFRSGAAP) Revisor Textual: Profa. Esp. Unidade: As principais normas contábeis brasileiras (BRGAAP), americanas (USGAAP) e européias (IFRSGAAP) Revisor Textual: Profa. Esp.Márcia Ota As NORMAS Internacionais de (International Accounting Standard

Leia mais

Auditoria Efeitos da Convergência. FERNANDO CALDAS Sócio da 100PORCENTO AUDIT, CONSULT, SOLUÇÕES S.A. www.100porcento.srv.br

Auditoria Efeitos da Convergência. FERNANDO CALDAS Sócio da 100PORCENTO AUDIT, CONSULT, SOLUÇÕES S.A. www.100porcento.srv.br Auditoria Efeitos da Convergência FERNANDO CALDAS Sócio da 100PORCENTO AUDIT, CONSULT, SOLUÇÕES S.A. www.100porcento.srv.br Final do Século XX Início do processo de globalização Diminuição das fronteiras

Leia mais

IBRACON NELSON GOUVEIA

IBRACON NELSON GOUVEIA IBRACON NELSON GOUVEIA 2 Assuntos Abordados U O que são Normas de Contabilidade U Os organismos que estudam os PFC no Brasil U A força da legislação sobre a contabilidade U Estrutura Conceitual Básica

Leia mais

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC O Comitê de Pronunciamentos - CPC Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de - FBC Objetivo: O estudo, o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de e a divulgação de informações

Leia mais

ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE 1. Introdução Nos dias atuais, várias entidades trabalham internacionalmente no desenvolvimento e uniformização de normas e procedimentos para a área contábil internacional,

Leia mais

NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL

NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL 12ª SEMANA DE CONTABILIDADE DO BANCO CENTRAL PAINEL 6: O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA, UnB Maio/2007 O QUE É CONTABILIDADE INTERNACIONAL? 1.

Leia mais

IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil

IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil Ano X - Nº 77 - Julho/Agosto de 2014 IFRS A nova realidade de fazer Contabilidade no Brasil Profissionais da Contabilidade deverão assinar prestações de contas das eleições Ampliação do Simples Nacional

Leia mais

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS

IFRS INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIOS FINANCEIROS PARTE 1 - IFRS NORMATIVOS E SEUS EFEITOS NO PROCESSO DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS PARTE 2 MENSURAÇÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IFRS GRUPO APLICABILIDADE IFRS FULL ENTIDADES

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Belo Horizonte 2012 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL

Leia mais

Copyright 2003 - Todos os Direitos Reservados a Prof. Arievaldo Alves de Lima CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES SOBRE O FLUXO DE CAIXA

Copyright 2003 - Todos os Direitos Reservados a Prof. Arievaldo Alves de Lima CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES SOBRE O FLUXO DE CAIXA ANÁLISE DE BALANÇOS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES SOBRE O FLUXO DE CAIXA O fluxo de caixa constitui-se no instrumento prático, por excelência, do administrador financeiro, e pode ser comparado a outras denominações

Leia mais

Abertas inscrições para o MBA em IFRS da FIPECAFI

Abertas inscrições para o MBA em IFRS da FIPECAFI Abertas inscrições para o MBA em IFRS da FIPECAFI A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) está com as inscrições abertas para a primeira turma do MBA em IFRS (Normas

Leia mais

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional AS IFRS COMO FATOR IMPULSIONADOR DA ECONOMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL NO BRASIL JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR José Hernandez Perez Junior 1 PALESTRANTE JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR PhD Doctor of Philosophy

Leia mais

A Demonstração no Brasil A Demonstração do Fluxo de Caixa - DFC

A Demonstração no Brasil A Demonstração do Fluxo de Caixa - DFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO CMRV DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E JURÍDICAS DCCJ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CCC EMPRESA JUNIOR DE CONTABILDIADE CONAC JUNIOR CURSO

Leia mais

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem

Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem 1 * Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC Origem Em função das Necessidades de: - convergência internacional das normas contábeis (redução de custo de elaboração de relatórios contábeis, redução de riscos

Leia mais

IAASB propõe nova Norma sobre a utilização do trabalho dos auditores internos

IAASB propõe nova Norma sobre a utilização do trabalho dos auditores internos Auditoria IAASB propõe nova Norma sobre a utilização do trabalho dos auditores internos Reconhecendo a evolução do ambiente de auditoria interna e a evolução da relação entre os auditores internos e externos,

Leia mais

JOSÉ APARECIDO MAION jmaion@maioncia.com.br. IRINEU DE MULA idemula@amcham.com.br. DELIBERAÇÃO CVM N o 539, DE 14/03/2008

JOSÉ APARECIDO MAION jmaion@maioncia.com.br. IRINEU DE MULA idemula@amcham.com.br. DELIBERAÇÃO CVM N o 539, DE 14/03/2008 DELIBERAÇÃO CVM N o 539, DE 14/03/2008 Aprova o Pronunciamento Conceitual Básico do CPC que dispõe sobre a Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis. JOSÉ APARECIDO

Leia mais

ADERÊNCIA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR AO IAS 26

ADERÊNCIA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR AO IAS 26 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Contabilidade de Entidades de Previdência Privada e Seguradoras ADERÊNCIA DAS

Leia mais

HARMONIZAÇÃO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS

HARMONIZAÇÃO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS HARMONIZAÇÃO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS Professor 1 JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR Mestre em Controladoria e Contabilidade Estratégica e Bacharel em Ciências Contábeis. Professor de cursos de MBA da Fundação Getulio

Leia mais

8PSUREOHPDGHSDGURQL]DomR

8PSUREOHPDGHSDGURQL]DomR 25*$1,6026(1250$6,17(51$&,21$,6'(&217$%,/,'$'( 8PSUREOHPDGHSDGURQL]DomR INTRODUÇÃO Com o crescente avanço tecnológico, facilidades de comunicação, rapidez no processamento de informações e mobilidade internacional

Leia mais

HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL IAS

HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL IAS Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais Curso de Ciências Contábeis Contabilidade em Moeda Constante e Conversão de Demonstrações Contábeis para Moeda Estrangeira HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL INTERNACIONAL

Leia mais

Convergência as Normas Internacionais de Contabilidade. Maio/15

Convergência as Normas Internacionais de Contabilidade. Maio/15 Convergência as Normas Internacionais de Contabilidade Maio/15 Fundações de apoio à FEA-USP Universidades Educação, Pesquisa e Extensão Economia Administração IPSAS: ponto de partida nas IFRS A utopia

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

1. Introdução. 2. Lista de Siglas

1. Introdução. 2. Lista de Siglas A IMPORTÂNCIA DA HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS CONTÁBEIS PARA O AUMENTO DA TRANSPARÊNCIA NA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS AOS USUÁRIOS INTERNACIONAIS RESUMO No atual cenário de globalização

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009

DELIBERAÇÃO CVM Nº 610, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 43 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da adoção inicial dos pronunciamentos técnicos CPC 15 a 40. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM

Leia mais

Prof. Egberto L. Teles. Prof. Egberto L. Teles 1

Prof. Egberto L. Teles. Prof. Egberto L. Teles 1 Prof. Egberto L. Teles Prof. Egberto L. Teles 1 Economia Finanças Interação de Conceitos Contabilidade Prof. Egberto L. Teles 2 Segundo Agüero (1996:25): O conceito de valor é bastante discutível e dificilmente

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE INSTITUTO MÉDIO DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DA CATUMBELA ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS CURSO DE CONTABILIDADE 12ª CLASSE NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE IVONE M.BENGUE, JESSICA LOYD C.CAMBUTA,

Leia mais

International Financial Reporting Standards Mudança de Paradigma na Divulgação das Informações Financeiras D.J. Gannon

International Financial Reporting Standards Mudança de Paradigma na Divulgação das Informações Financeiras D.J. Gannon Julho de 2007 Volume 11 / Número 7 International Financial Reporting Standards Mudança de Paradigma na Divulgação das Informações Financeiras D.J. Gannon D.J. Gannon é sócio da Deloitte & Touche LLP, onde

Leia mais

BREVÍSSIMA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE INTERNACIONAL

BREVÍSSIMA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE INTERNACIONAL 1. Introdução CONTABILIDADE INTERNACIONAL BREVÍSSIMA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE INTERNACIONAL Até recentemente (cerca de 50 anos atrás, o que é relativamente diminuto em termos da história econômica mundial),

Leia mais

NORMAS CONTÁBEIS APLICÁVEIS ÀS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL: SEGUNDO AS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE ALUNO: MINASSON ELIAS FERREIRA

NORMAS CONTÁBEIS APLICÁVEIS ÀS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL: SEGUNDO AS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE ALUNO: MINASSON ELIAS FERREIRA CIÊNCIAS CONTÁBEIS NORMAS CONTÁBEIS APLICÁVEIS ÀS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL: SEGUNDO AS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE ALUNO: MINASSON ELIAS FERREIRA ORIENTADOR: PROF. Ms. GESIEL DE

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.315/10

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.315/10 NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 19.40 para NBC TG 43 e de outras normas citadas: de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL; de NBC T 19.18 para

Leia mais

EM QUATRO DIMENSÕES. companhias que. processo de. Diego Barreto Gerente de RI, Lopes. Nelson Pazikas Eternit. Diretor Presidente da Total RI

EM QUATRO DIMENSÕES. companhias que. processo de. Diego Barreto Gerente de RI, Lopes. Nelson Pazikas Eternit. Diretor Presidente da Total RI A experiência de companhias que estão em processo de implementação Diego Barreto Gerente de RI, Lopes Nelson Pazikas Eternit EM QUATRO DIMENSÕES Mediador: Valter Faria Diretor Presidente da Total RI São

Leia mais

A CONVERGÊNCIA DOS PADRÕES DE CONTABILIDADE APLICADOS NO BRASIL ÀS INTERNATIONAL FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS (IFRS)

A CONVERGÊNCIA DOS PADRÕES DE CONTABILIDADE APLICADOS NO BRASIL ÀS INTERNATIONAL FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS (IFRS) A CONVERGÊNCIA DOS PADRÕES DE CONTABILIDADE APLICADOS NO BRASIL ÀS INTERNATIONAL FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS (IFRS) PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ OBJETIVO Apresentar

Leia mais

Auditoria de Sistemas FATEC 2011

Auditoria de Sistemas FATEC 2011 Auditoria de Sistemas FATEC 2011 Histórico 3.000 a.c. - Antropologistas encontraram registros de atividades de auditoria de origem babilônica ~2.000 a.c - No antigo Egito havia a necessidade de se ratificar

Leia mais

A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS. Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009

A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS. Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009 A DISCIPLINA CONTABILIDADE INTERNACIONAL NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: UMA ANÁLISE DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E BIBLIOGRAFIA Prof. Dr. Jorge Katsumi Niyama Março - 2009 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Leia mais

Palavra-Chave: Contabilidade Internacional, Adoção as Normas Internacionais de Contabilidade, CPC-PMEs.

Palavra-Chave: Contabilidade Internacional, Adoção as Normas Internacionais de Contabilidade, CPC-PMEs. CONTABILIDADE INTERNACIONAL: a convergência das Normas Internacionais da Contabilidade aplicada às micros e pequenas empresas no município de Barreiras-BA. Acadêmica: Luana Alves Souza 1 E-mail: Lua.luana23@hotmail.com

Leia mais

Harmonização contábil internacional. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Harmonização contábil internacional. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Harmonização contábil internacional Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo tem por objetivo abordar o conceito e os aspectos formais e legais das Normas Brasileiras de Contabilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE SALVADOR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM CONTROLADORIA PARA GESTÃO DE NEGÓCIOS

UNIVERSIDADE SALVADOR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM CONTROLADORIA PARA GESTÃO DE NEGÓCIOS UNIVERSIDADE SALVADOR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM CONTROLADORIA PARA GESTÃO DE NEGÓCIOS ANDREI GUEDES CARLA SUELY REIS LUCAS AZEVEDO PEDRO PAULO G. SÁ RITA DE CÁSSIA S RIBEIRO CONVERGÊNCIA

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DE EMPRESAS BRASILEIRAS NA ADOÇÃO DAS IFRS

A EXPERIÊNCIA DE EMPRESAS BRASILEIRAS NA ADOÇÃO DAS IFRS A EXPERIÊNCIA DE EMPRESAS BRASILEIRAS NA ADOÇÃO DAS IFRS RESUMO As Normas Internacionais de Contabilidade, emitidas pelo Comitê Internacional de Contabilidade (IASB), constituem, hoje, uma fonte de referência

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO

COMUNICADO AO MERCADO . COMUNICADO AO MERCADO Convergência às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS Apresentamos as principais alterações em nossas demonstrações contábeis decorrentes da adoção do padrão contábil internacional

Leia mais

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Conhecimento essencial em Gestão de Controladoria Depois de sucessivas crises econômicas, os investidores pressionam cada vez mais pela

Leia mais

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS ADOTADAS PELOS PROFISSIONAIS CONTÁBEIS

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS ADOTADAS PELOS PROFISSIONAIS CONTÁBEIS CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS ADOTADAS PELOS PROFISSIONAIS CONTÁBEIS Resumo Para regulamentar a contabilidade das pequenas e médias empresas o Conselho Federal

Leia mais

Dia do Contabilista: Encontro de Especialidades A Atuação da Auditoria Independente no Âmbito das IFRS

Dia do Contabilista: Encontro de Especialidades A Atuação da Auditoria Independente no Âmbito das IFRS Dia do Contabilista: Encontro de Especialidades A Atuação da Auditoria Independente no Âmbito das IFRS Alexandre Dias Fernandes 18 de maio de 2012 Introdução das IFRS no Brasil Órgãos Reguladores Contabilidade

Leia mais

A Contabilidade e o Profissional Contábil nas Pequenas e Médias Empresas

A Contabilidade e o Profissional Contábil nas Pequenas e Médias Empresas A Contabilidade e o Profissional Contábil nas Pequenas e Médias Empresas Irineu De Mula Março/2011 Primeira Fase do Processo de Convergência (Lei 11.638 e 11.941/08) Direito Positivo Brasileiro Alteram

Leia mais

Aula Nº 7 Adoção pela Primeira Vez das Normas Internacionais de Relatórios Financeiros IFRS

Aula Nº 7 Adoção pela Primeira Vez das Normas Internacionais de Relatórios Financeiros IFRS Aula Nº 7 Adoção pela Primeira Vez das Normas Internacionais de Relatórios Financeiros IFRS Objetivos da aula: Nesta aula veremos como cada empresa deve fazer pela primeira vez a adoção do IFRS. Como ela

Leia mais

O IFRS e as cooperativas de crédito no Brasil - Efetividade das ações das auditorias internas e externas

O IFRS e as cooperativas de crédito no Brasil - Efetividade das ações das auditorias internas e externas O IFRS e as cooperativas de crédito no Brasil - Efetividade das ações das auditorias internas e externas JOÃO PAULO VIANA MAGALHÃES Departamento de Supervisão de Cooperativas de Crédito e Instituições

Leia mais

FAS 109, FIN 48, FAS 5, CPC 25 e IAS 37

FAS 109, FIN 48, FAS 5, CPC 25 e IAS 37 FAS 109, FIN 48, FAS 5, CPC 25 e IAS 37 Thais R. Bandeira de Mello Rodrigues Associada 55 21 2127-4236 trodrigues@mayerbrown.com Março, 2015 Tauil & Chequer Advogados is associated with Mayer Brown LLP,

Leia mais

HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: IMPACTOS NO PROCESSO DE ADOÇÃO E OS REFLEXOS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA RESUMO

HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: IMPACTOS NO PROCESSO DE ADOÇÃO E OS REFLEXOS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA RESUMO HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: IMPACTOS NO PROCESSO DE ADOÇÃO E OS REFLEXOS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA RESUMO No Brasil, o tema Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS)

Leia mais

RODRIGO RANIERE DE OLIVEIRA

RODRIGO RANIERE DE OLIVEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ - CERES DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E APLICADAS - DCEA CAMPUS DE CAICÓ RODRIGO RANIERE DE OLIVEIRA HARMONIZAÇÃO

Leia mais

MBA EM CONTABILIDADE DIGITAL M1 D3 - IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

MBA EM CONTABILIDADE DIGITAL M1 D3 - IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE MBA EM CONTABILIDADE DIGITAL M1 D3 - IFRS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE GUIA DE ESTUDO PARTE I: PARTE I INTERNATIONAL FINANCIAL REPORTING STANDARD (IFRS) E LEGISLAÇÃO SOCIETÁRIA DO MERCADO MUNDIAL

Leia mais

A CONTABILIDADE NAS EMPRESAS PRODUTORAS DE PROJETOS CULTURAIS FACE AO NOVO PADRÃO CONTÁBIL

A CONTABILIDADE NAS EMPRESAS PRODUTORAS DE PROJETOS CULTURAIS FACE AO NOVO PADRÃO CONTÁBIL A CONTABILIDADE NAS EMPRESAS PRODUTORAS DE PROJETOS CULTURAIS FACE AO NOVO PADRÃO CONTÁBIL Já tivemos oportunidade de abordar a importância da contabilidade para as pequenas empresas produtoras de projetos

Leia mais

UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. IMPAIRMENT DE ATIVO IMOBILIZADO: FASB x IASB

UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. IMPAIRMENT DE ATIVO IMOBILIZADO: FASB x IASB UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS IMPAIRMENT DE ATIVO IMOBILIZADO: FASB x IASB LUCIMARA BARBOZA Piracicaba, SP. 2008 LUCIMARA BARBOZA IMPAIRMENT

Leia mais

Modelos Puros de Normatização (Passado(

Modelos Puros de Normatização (Passado( 1 * Modelos Puros de Normatização (Passado( Passado) ) Países de Code Law Governo Legislativo ou Executivo ou Ambos Exemplos: Alemanha Itália Espanha França Japão Brasil etc. 2 Modelos Puros de Normatização

Leia mais

Adoção e Aplicação da IFRS

Adoção e Aplicação da IFRS IFRS Normas internacionais de contabilidade PARTE I Adoção e Aplicação da IFRS AULA 2 Prof. MSc. Márcio de Souza e Silva Objetivos: Compreender como adotar e implementar pela primeira vez as normas internacionais

Leia mais

Harmonização das normas internacionais de contabilidade

Harmonização das normas internacionais de contabilidade RESUMO Harmonização das normas internacionais de contabilidade O crescimento da globalização, e, principalmente, a maior integração entre os diferentes mercados mundiais trouxeram necessidade da adoção

Leia mais

O Processo de Convergências às Normas Internacionais de Contabilidade: Histórico e Perspectivas

O Processo de Convergências às Normas Internacionais de Contabilidade: Histórico e Perspectivas O Processo de Convergências às Normas Internacionais de Contabilidade: Histórico e Perspectivas Humberto Carlos Zendersky Departamento de Normas do Sistema Financeiro Denor Maceió, 24 de novembro de 2011

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE Diocézar Costa de Souza (Unicentro/UFPR) Marcos Roberto Kühl (Unicentro/UFPR) Roberto Rivelino Martins Ribeiro (UEM/UFPR) Resumo Este trabalho realiza um estudo teórico

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO RESUMO

NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO RESUMO NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE: DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO Julio Candido de Meirelles Junior 1 RESUMO O crescimento da globalização, e, principalmente, a maior integração entre os diferentes mercados

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 8º PERÍODO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 8º PERÍODO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 8º PERÍODO Profª. Núbia Rodrigues UBERLÂNDIA 1º SEMESTRE - 2012 UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE CURSO PROFESSOR (A): Núbia Aparecida

Leia mais

12º Semana de Contabilidade do Banco Central do Brasil

12º Semana de Contabilidade do Banco Central do Brasil 12º Semana de Contabilidade do Banco Central do Brasil O processo de Convergência Visão dos Preparadores das Demonstrações Contábeis Maio 2007 Agenda Cronologia Dificuldades na transição do Local para

Leia mais

A CONTABILIDADE EM PORTUGAL E O 2005

A CONTABILIDADE EM PORTUGAL E O 2005 A CONTABILIDADE EM PORTUGAL E O 2005 Luís Lima Santos 1 até 1974 cinco * tentativas de normalização 1975 trabalho normalização contabilística 1.ª fase 1977 DL 47/77, aprova o 1977 (cria a CNC) 1980 Portaria

Leia mais

Faz saber que foi aprovada em seu Plenário a seguinte Norma Brasileira de Contabilidade (NBC), que tem por base o CT 04/2010 (R2) do Ibracon:

Faz saber que foi aprovada em seu Plenário a seguinte Norma Brasileira de Contabilidade (NBC), que tem por base o CT 04/2010 (R2) do Ibracon: Norma Brasileira de Contabilidade CFC/CTA Nº 2 DE 27/02/2015 Publicado no DO em 9 mar 2015 Dá nova redação ao CTA 02 que trata da emissão do relatório do auditor independente sobre demonstrações contábeis

Leia mais

JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR

JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR Mestre em Controladoria e Contabilidade Estratégica e Bacharel em Ciências Contábeis. Professor de cursos de MBA da Fundação Getulio Vargas - RJ. Professor das Faculdades Atibaia

Leia mais

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa outubro/2010 1 SIMPLIFICAÇÃO DOS PRONUNCIAMENTOS: Pronunciamento CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (225 páginas)

Leia mais

Introdução à lei Sarbanes- Oxley

Introdução à lei Sarbanes- Oxley Introdução à lei Sarbanes- Oxley A Lei Sarbanes-Oxley (Sarbanes-Oxley Act, normalmente abreviada em SOx ou Sarbox) é uma lei dos Estados Unidos criada em 30 de julho de 2002 por iniciativa do senador Paul

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ AMANDA DE ANDRADE ANA PAULA DE ALMEIDA BRUNA LOZANO DA HORA RAFFAEL GRILLENI TIAGO DE MELO ALONSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ AMANDA DE ANDRADE ANA PAULA DE ALMEIDA BRUNA LOZANO DA HORA RAFFAEL GRILLENI TIAGO DE MELO ALONSO CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ AMANDA DE ANDRADE ANA PAULA DE ALMEIDA BRUNA LOZANO DA HORA RAFFAEL GRILLENI TIAGO DE MELO ALONSO NORMAS CONTÁBEIS: CPC 03 DEMONSTRAÇÃO NOS FLUXOS DE CAIXA e CPC

Leia mais

A Nova Contabilidade do Setor Público. Conselho Federal de Contabilidade

A Nova Contabilidade do Setor Público. Conselho Federal de Contabilidade A Nova Contabilidade do Setor Público Conselho Federal de Contabilidade 1 Conteúdo: Antecedentes Novo foco da contabilidade Convergência às IPSAS Principais entidades normativas O conjunto das NBC T SP

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - Encalso Participações em Concessões S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

14 th Americas School of Mines

14 th Americas School of Mines GAAP no Brasil (CPC) Leandro Ardito Agenda Práticas contábeis adotadas no Brasil: visão geral e convergência com IFRS Norma internacional (IFRS 6) Políticas contábeis aplicadas pela indústria de mineração

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DE CASO DE APLICAÇÕES DAS NORMAS INTERNACIONAIS DA CONTABILIDADE (IFRS) NAS PMES E O IMPACTO NA SUA APLICABILIDADE

TÍTULO: ESTUDO DE CASO DE APLICAÇÕES DAS NORMAS INTERNACIONAIS DA CONTABILIDADE (IFRS) NAS PMES E O IMPACTO NA SUA APLICABILIDADE TÍTULO: ESTUDO DE CASO DE APLICAÇÕES DAS NORMAS INTERNACIONAIS DA CONTABILIDADE (IFRS) NAS PMES E O IMPACTO NA SUA APLICABILIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

RAFAEL DOURADO GIARETTON RESUMO

RAFAEL DOURADO GIARETTON RESUMO CONTABILIDADE INTERNACIONAL: Utilização e adequação das Normas Internacionais de Contabilidade no dia a dia dos escritórios contábeis no município de Barreiras-BA. RAFAEL DOURADO GIARETTON RESUMO O objetivo

Leia mais

Contabilidade Normas Internacionais Futura Normalização Contabilística. 1 de Março de 2007

Contabilidade Normas Internacionais Futura Normalização Contabilística. 1 de Março de 2007 Contabilidade Normas Internacionais 1 de Março de 2007 O pessimista queixa-se do vento, o optimista espera que ele mude e o realista ajusta as velas (William George Ward) 1. Influência do meio envolvente

Leia mais

PERFIL DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC. Élen Cristiane dos Santos¹, Robernei Aparecido Lima ²

PERFIL DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC. Élen Cristiane dos Santos¹, Robernei Aparecido Lima ² PERFIL DO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC Élen Cristiane dos Santos¹, Robernei Aparecido Lima ² 1 Universidade do Vale do Paraíba/Faculdade de Ciências Contábeis, Avenida Dr.Januário Miráglia,

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.321/11

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.321/11 NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração deste Comunicado de CT 08 para CTA 03; e de outras normas citadas: de NBC T 19.10 para NBC TG 01; de NBC T 3.8 para NBC TG 03; de NBC T

Leia mais

FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DERILDA FURLAN JUSTI ROCHA

FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DERILDA FURLAN JUSTI ROCHA FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DERILDA FURLAN JUSTI ROCHA HARMONIZAÇÃO INTERNACIONAL DAS PRÁTICAS CONTÁBEIS UMA NECESSIDADE DO MUNDO GLOBALIZADO

Leia mais

CONTABILIDADE INTERNACIONAL (MATERIAL DE APOIO)

CONTABILIDADE INTERNACIONAL (MATERIAL DE APOIO) CONTABILIDADE INTERNACIONAL (MATERIAL DE APOIO) 2012.2 PROF. LAURIMAR VELOSO LIMA E MARCELO RABELO HENRIQUE 0 Capítulo 1 1.1 A importância da contabilidade internacional para o mercado globalizado 2 1.2

Leia mais

IAS 38 Ativos Intangíveis Gastos com Pesquisa e Desenvolvimento

IAS 38 Ativos Intangíveis Gastos com Pesquisa e Desenvolvimento Paulo Antônio Pereira IAS 38 Ativos Intangíveis Gastos com Pesquisa e Desenvolvimento Relatório apresentado à disciplina Contabilidade em Moeda Constante e Conversão das Demonstrações Contábeis para Moeda

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Marlene dos Santos Arruda

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Marlene dos Santos Arruda UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Marlene dos Santos Arruda IMPACTO DAS DIFERENÇAS ENTRE AS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS E INTERNACIONAIS NOS INDICADORES

Leia mais

Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011. Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII

Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011. Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII Edital de Audiência Pública SNC FUNDOS nº 01/11 Prazo:18/07/2011 Minuta de Norma Contábil Aplicável aos FII Apresentação BM&FBOVESPA 12/07/2011 Disclaimer As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação

Leia mais

SISTEMA FIERGS CIERGS SEMINÁRIO REFLEXOS DAS NOVAS NORMAS DE CONTABILIDADE OBRIGATÓRIAS PARA AS EMPRESAS BRASILEIRAS

SISTEMA FIERGS CIERGS SEMINÁRIO REFLEXOS DAS NOVAS NORMAS DE CONTABILIDADE OBRIGATÓRIAS PARA AS EMPRESAS BRASILEIRAS PRESSUPOSTOS DA CONVERGÊNCIA IFRS pressupõe CIRURGIA DA MIOPIA Entender: - DF s em visão retrospectiva ler o passado X DF s em visão prospectiva FC esperados: ler o futuro FLUXOS DE CAIXA ESPERADOS Prevalece

Leia mais

newsletter Nº 85 FEVEREIRO / 2014

newsletter Nº 85 FEVEREIRO / 2014 newsletter Nº 85 FEVEREIRO / 2014 Assuntos em Destaque Resumo Fiscal/Legal Janeiro de 2014 2 IFRS 10 Demonstrações Financeiras Consolidadas 3 Revisores e Auditores 6 LEGISLAÇÃO FISCAL/LEGAL Presidência

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.328/11. Dispõe sobre a Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.328/11. Dispõe sobre a Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.328/11 Dispõe sobre a Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, e com fundamento

Leia mais

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB

CURSO DE PÓS-MBA. Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB CURSO DE PÓS-MBA Convergência de Normas Contábeis Brasileiras para as Normas Internacionais de Contabilidade Lei 11638/07 e Lei 11941/09, CPC e IASB Código no SIGA: PMBACBIC09/00 Coordenação Acadêmica

Leia mais

São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS).

São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS). São Paulo, 15 de abril de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini, durante o International Financial Reporting Standards (IFRS). 1 Boa tarde a todos! Em primeiro lugar, gostaria de agradecer, em

Leia mais

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) abre inscrições para o curso elearning:

Leia mais

As IFRSs nos Currículos de Ciências Contábeis

As IFRSs nos Currículos de Ciências Contábeis As IFRSs nos Currículos de Ciências Contábeis Prof. Dr. Fábio Moraes da Costa Professor Associado da FUCAPE Business School Grupo Consultivo do International Accounting Education Standards Board (IAESB)

Leia mais

2 Noções de Direito Público e Privado - Paulo César de Melo Mendes, 88 Objetivos, 88

2 Noções de Direito Público e Privado - Paulo César de Melo Mendes, 88 Objetivos, 88 Apresentação 1 Contabilidade Geral - Rodrigo de Souza Gonçalves e Fernanda Fernandes Rodrigues, 1 Objetivos, 1 Introdução, 1 1 Plano de contas - elaboração e utilização, 2 2 Balanço patrimonial - estrutura

Leia mais

Além disso, o contrato é visto como um compromisso firme de compra e venda, e não apenas como uma reserva de imóvel.

Além disso, o contrato é visto como um compromisso firme de compra e venda, e não apenas como uma reserva de imóvel. Data: quarta-feira, 05 de maio de 2010 Site: CTE Fonte: Valor Online Alterações ainda podem ser evitadas O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) se reúne hoje, em São Paulo, com membros do Conselho

Leia mais

O Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade e Auditoria às Normas Internacionais VERÔNICA SOUTO MAIOR

O Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade e Auditoria às Normas Internacionais VERÔNICA SOUTO MAIOR O Processo de Convergência das Normas Brasileiras e Auditoria às Normas Internacionais VERÔNICA SOUTO MAIOR Professora do DCCA/UFPE, Conselheira do CFC, Coordenadora do Comitê Gestor da Convergência no

Leia mais

Princípios primeiros pronunciamentos para orientação de contadores;

Princípios primeiros pronunciamentos para orientação de contadores; ESTRUTURA CONCEITUAL BÁSICA DA CONTABILIDADE Prof. Francisco Marcelo Avelino Junior, MsC. EVOLUÇÃO HISTÓRICA Princípios primeiros pronunciamentos para orientação de contadores; Princípios Contábeis representam

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

A ESTRUTURA CONCEITUAL BÁSICA DA CONTABILIDADE NO BRASIL O QUE EXISTIA E O QUE PASSOU A VALER. Esclarecimento

A ESTRUTURA CONCEITUAL BÁSICA DA CONTABILIDADE NO BRASIL O QUE EXISTIA E O QUE PASSOU A VALER. Esclarecimento A ESTRUTURA CONCEITUAL BÁSICA DA CONTABILIDADE NO BRASIL O QUE EXISTIA E O QUE PASSOU A VALER Esclarecimento Existiam dois documentos sobre a estrutura conceitual da Contabilidade em vigor no Brasil até

Leia mais

Material de apoio. Aula 05 Normas brasileiras de contabilidade Normas técnicas de auditoria independente

Material de apoio. Aula 05 Normas brasileiras de contabilidade Normas técnicas de auditoria independente Material de apoio Aula 05 Normas brasileiras de contabilidade Normas técnicas de auditoria independente Normas de auditoria que entraram em vigor no Brasil, em 2010 O CFC emitiu novas normas de auditoria

Leia mais

BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013. Página 1 de 16

BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013. Página 1 de 16 BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 Página 1 de 16 BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. Demonstrações Contábeis Em 31 de Dezembro de 2014 e de 2013 Conteúdo Relatório

Leia mais

CONTABILIDADE INTERNACIONAL

CONTABILIDADE INTERNACIONAL CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA CONTABILIDADE INTERNACIONAL Com ênfase no IFRS, US Gaap e BR Gaap Maio de 2012 SUMÁRIO DAS AULAS 05/05/2012 Ambiente Econômico Internacional

Leia mais

CONTABILIDADE EM ANGOLA E A HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL EM NÍVEL MUNDIAL: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS NORMAS ADOTADAS NO BRASIL E ANGOLA

CONTABILIDADE EM ANGOLA E A HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL EM NÍVEL MUNDIAL: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS NORMAS ADOTADAS NO BRASIL E ANGOLA 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MARISOL DILIANA FIGUEIRA DE BARROS CONTABILIDADE EM ANGOLA E A HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL EM NÍVEL MUNDIAL: ESTUDO

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ ORIGEM e COMPOSIÇÃO O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) foi idealizado a partir da união de esforços e comunhão de objetivos das seguintes entidades: -ABRASCA: Presidente - ANTONIO DUARTE CARVALHO

Leia mais