BIOLCHIM EM CAFÉ. Bruno Martins Pereira Hudson G. Cavalcante

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BIOLCHIM EM CAFÉ. Bruno Martins Pereira Hudson G. Cavalcante"

Transcrição

1 BIOLCHIM EM CAFÉ Bruno Martins Pereira Hudson G. Cavalcante

2 Produtor: Evander Santos Correia Juliano de Oliveira Correia Responsável Técnico: Reinaldo Ferreira Neves Supervisor Agrícola: Sandro Bandeira Município: Taiobeiras MG Cultivar: Catuaí 62 População: pl.ha -1 Plantio: Março de 2006 (1ª safra após decote)

3

4 Croqui: = Tratamento Biolchim Foliar 2= Tratamento Biolchim Foliar + Solo 3= Tratamento Biolchim Solo 4= Tratamento do Produtor

5 Data da aplicação 14/09/2010 Aplicações Tratamento Biolchim Foliar Posicionamento: Produtos Dosagem (kg ou L por hectare) 1ª Aplicação Foliar Agrumax Café 1 Boromin 0,5 Ligoplex Ca 1 Phosfik Cu 1 Spray Dünger 1 2ª Aplicação Foliar Fase da Cultura Pré-Florada Agrumax Café 1 Boromin 0,5 15/10/2010 Ligoplex Ca 1 Pós-Florada Phosfik Cu 1 Spray Dünger 1 3ª Aplicação Foliar Agrumax Café 1 Nutrigema 1 18/11/2010 Phosfik Mn-Zn 1 Pós-Florada Rizammina 1,5 Vita-L 1 14/12/2010 4ª Aplicação Foliar Agrumax Café 1 Phosfik Mn-Zn 1 Rizammina 1,5 Vita-L 1 Enchimento de grãos 5ª Aplicação Foliar 25/01/2011 Hydrofert Enchimento de grãos 6ª Aplicação Foliar Agrumax Café 1 18/04/2011 K-Bomber 4 Enchimento de grãos Ligoplex Ca 1

6 Data da aplicação Aplicações Tratamento Biolchim Solo Posicionamento: Produtos Dosagem (kg ou L por hectare) 1ª Aplicação Via Solo Fase da Cultura Fulvumin 5 14/09/2010 Pré-Florada Sprint Alga 2 15/10/2010 2ª Aplicação Via Solo Fulvumin 5 Restorer 5 Pós-Florada 3ª Aplicação Via Solo 18/11/2010 Fulvumin 5 Chumbinho 4ª Aplicação Via Solo 14/12/2010 Fulvumin 5 Restorer 5 Enchimento de grãos 5ª Aplicação Via Solo 18/04/2011 Fulvumin 5 Maturação

7 1ª Aplicação Foliar: 14/09/2010

8 1ª Aplicação Foliar: 14/09/2010

9 1ª Aplicação Via Solo: 15/09/2010

10 1ª Aplicação Via Solo: 15/09/2010

11 2ª Aplicação Foliar: 15/10/2010

12 2ª Aplicação Via Solo: 15/10/2010

13 2ª Aplicação Via Solo: 15/10/2010

14 2ª Aplicação Via Solo: 15/10/2010

15 Foliar Foliar + Solo 15/10/2010

16 Foliar Foliar + Solo 15/10/2010

17 3ª Aplicação Foliar: 18/11/2010

18 3ª Aplicação Via Solo: 18/11/2010

19 3ª Aplicação Folha: Momento de aplicação de: A Rizammina irá alongar, dar calibre e padronizar o tamanho dos frutos. 18/11/2010

20 Observações: O Spray Dünger tem a função de estimular a florada, manter a flor aberta por mais tempo e promover o vingamento de frutos. Ótimo Vingamento de frutos devido utilização de: 33 DA2ªA 18/11/2010

21 Ótimo Vingamento de frutos devido utilização do Spray Dünger. 18/11/2010

22 4ª Aplicação Foliar: 14/12/2010

23 4ª Aplicação Foliar: 14/12/2010

24 4ª Aplicação Via Solo: 14/12/2010

25 5ª Aplicação Foliar: 25/01/2011

26 25/01/2011

27 Grande Ótimo vingamento quantidade de de frutos por roseta. ramos produtivos Foliar + Solo Muitos entrenós, que serão os ramos produtivos da próxima safra. 25/01/2011

28 6ª Aplicação Foliar: 18/04/2011

29 6ª Aplicação Foliar: 18/04/2011

30 5ª Aplicação Via Solo: 18/04/2010

31 Avaliações: 13/05/2011

32 Devido ao baixo nível da água no Fazenda Lagoa Redonda reservatório no período entre Julho e Croqui: Setembro de 2010, os tratamentos 1 e 2 foram irrigados com lâmina inferior aos tratamentos 3 e = Tratamento Biolchim Foliar 2= Tratamento Biolchim Foliar + Solo 3= e Tratamento o início Biolchim da florada. Solo 4= Tratamento do Produtor Este período correspondeu à fase vegetativa

33 Avaliações: Tratamento do Produtor Foliar Foliar + Solo Solo 13/05/2011

34 Avaliações: 13/05/2011

35 Amostragem: Avaliação de K-Bomber Foram retiradas amostragens de ramos produtivos para avaliar a eficiência do K-Bomber na maturação de frutos. As amostras foram retiradas do terço médio das plantas, de forma aleatória. A amostragem foi feita pelo Sandro, o técnico responsável pelas aplicações e acompanhamento do campo. 13/05/2011

36 Avaliações: 13/05/2011

37 Avaliações: Tratamento do Produtor Foliar Foliar + Solo Solo 13/05/2011

38 Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 13/05/2011 Nos tratamentos onde foram realizadas Esta maturação mais uniforme ocorre aplicações foliares com a linha Biolchim, pode se devido a ação do K-Bomber. observar uma maturação antecipada e mais uniforme Área com 25 DAA de K-Bomber. quando comparado aos outros tratamentos.

39 Avaliações: Ramos produtivos Entrenós 13/05/2011

40 Avaliações: Tratamento Ramos Produtivos (por planta) Entrenós (Que serão rosetas produtivas na próxima safra) Biolchim Foliar 95,6 908,6 Biolchim Foliar + Solo 106,5 993,0 Biolchim Solo 110,0 958,5 Tratamento do Produtor 97,5 893,5 13/05/2011

41 Avaliando o Tratamento de Solo... Menor lâmina de irrigação 106,5 110,0 Maior lâmina de irrigação 95,6 11% 97,5 13%

42 993,0 958,5 908,6 893,5

43 Avaliações: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 18/05/2011

44 Avaliações: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 18/05/2011

45 Colheita: 10/06/2011

46 Colheita: 10/06/2011

47 Avaliações: 10/06/2011

48

49 Avaliações: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 18/05/ /06/2011

50 Frutos Maduros Frutos Verdes Frutos Passa ou Bóia

51 Avaliações: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 10/06/2011

52 Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 10/06/2011

53 Avaliando o Tratamento de Solo... Menor lâmina de irrigação Maior lâmina de irrigação 660 4,5% 637 6,7%

54 Avaliando o Tratamento de Solo... Menor lâmina de irrigação Maior lâmina de irrigação 2,02 1,43 1,53 1,38

55 Pesagem das amostras com 10 kg para secagem: 10/06/2011

56 25,5 19,

57 Beneficiamento das amostras (10kG):

58 58% 58% 54% 52%

59 Seleção das amostras (1kG):

60 Seleção dos grãos (100 gramas):

61 Seleção dos grãos (100 Gr): Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor

62 10,6% 10,7% 16,9% 16,6% 88,4% 88,4% 82,1% 81,9% Peneira 16 acima Peneiras 14 e 15 Moca Fundo

63 Avaliações: Tratamento Peso do café após secagem no terreiro (amostra de 10 plantas) *Conversão de café em coco para café beneficiado **Produtividade (Scs.ha -1 ) Biolchim Foliar 19,5 54% 91,3 Biolchim Foliar + Solo 22 58% 110,6 Biolchim Solo 25,5 58% 128,2 Tratamento do Produtor 22 58% 99,1 *dados levantados de amostra de 10 kg de cada tratamento após beneficiamento. **Considerando população de plantas por hectare 13/05/2011

64 Avaliações: Tratamento * Produtividade (Scs.ha -1 ) Biolchim Foliar 91,3 Biolchim Foliar + Solo 110,6 Biolchim Solo 128,2 Tratamento do Produtor 99,1 *Considerando população de plantas por hectare 13/05/2011

65 Avaliando o Tratamento de Solo... Menor lâmina de irrigação 128,2 Maior lâmina de irrigação 91,3 21,1% 110,6 99,1 29,4%

66 Avaliações: Tratamento Peneira 16 acima (Scs.ha -1 ) Peneiras 14 e 15 (Scs.ha -1 ) Moca (Scs.ha -1 ) Fundo (Scs.ha -1 ) Produtividade Total (Scs.ha -1 ) Biolchim Foliar 80,70 9,68 0,46 0,46 91,3 Biolchim Foliar + Solo 97,77 11,84 0,55 0,44 110,6 Biolchim Solo 105,25 21,67 0,64 0,64 128,2 Tratamento do Produtor 81,16 16,45 0,79 0,70 99,1 13/05/2011

67 Análise econômica

68 Aplicações Foliares Produtos Nº de aplicações Dose (L.ha -1 ) Dose total (ha) Valor (R$.L- 1 ) Custo total (R$.ha -1 ) Agrumax Café ,33 86,65 Boromin 2 0,5 1 20,00 20,00 Hydrofert ,20 46,00 K-Bomber ,96 83,84 Ligoplex Ca ,26 48,78 Nutrigema ,16 22,16 Phosfik Cu ,66 77,32 Phosfik Mn-Zn ,33 62,66 Rizammina 2 1,5 3 42,66 127,98 Spray Dünger ,66 85,32 Vita-L ,00 64,00 Custo total (ha) R$ 724,71

69 Investimento por hectare Aplicações Via Solo Produtos Nº de aplicações Dose (L.ha -1 ) Dose total (ha) Valor (R$.L -1 ) Custo total (R$.ha -1 ) Sprint Alga ,00 180,00 Fulvumin ,46 486,50 Restorer ,46 194,60 Custo total (ha) R$ 861,10

70 Fazenda Desta Lagoa maneira: Redonda A cada R$ 31,95 investidos houve um ganho ganho de 1 saca por hectare (R$ 400,00). Incremento na produtividade Ou Seja: Com o investimento de 2,15 Scs.ha -1 houve o incremento de 29,1 Scs.ha -1. Tratamento Biolchim Solo 128,2 Scs.ha -1 Tratamento do Produtor 99,1 Scs.ha -1 Incremento de produtividade 29,1 Scs.ha -1 Valor do Saco de Café (60 kg) R$ 400,00 Receita bruta (ha) -(ganho em R$ a mais que área padrão)- R$ ,00 Custo do investimento (R$/ha) (Somente tratamento de solo) R$ 861,10 Lucro (R$/ha) R$ ,90

71 Acompanhamento da área após a colheita 41 DAC: 21/07/2011

72 41 DAC: Foliar + Solo Tratamento do Produtor Área com tratamento Biolchim está com mais folhas após a colheita, isto proporcionará menos estresse e maior vigor para 21/07/2011 estas plantas iniciarem um novo ciclo produtivo.

73 41 DAC: Foliar + Solo Tratamento do Produtor 21/07/2011

74 41 DAC: Foliar + Solo Tratamento do Produtor 21/07/2011

75 41 DAC: Foliar + Solo Tratamento do Produtor 21/07/2011

76 41 DAC: Foliar + Solo Tratamento do Produtor 21/07/2011

77 41 DAC: Foliar + Solo Tratamento do Produtor 21/07/2011

78 Foliar + Solo 41 DAC: Tratamento do Produtor 21/07/2011

79 41 DAC: Tratamento do Produtor Foliar + Solo 21/07/2011

80

81 Croqui: /10/ /08/2011

82 Croqui: /08/2011

83 68 DAC: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 17/08/2011

84 68 DAC: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 17/08/2011

85 68 DAC: Foliar Foliar + Solo Solo Tratamento do Produtor 17/08/2011

86 Segundo ano do desenvolvimento:

87 Fazenda Desta Lagoa maneira: Redonda A cada R$ 31,95 investidos houve um ganho ganho de 1 saca por hectare (R$ 400,00). Incremento na produtividade Ou Seja: Com o investimento de 2,15 Scs.ha -1 houve o incremento de 29,1 Scs.ha -1. Tratamento Biolchim Solo 128,2 Scs.ha -1 Tratamento do Produtor 99,1 Scs.ha -1 Incremento de produtividade 29,1 Scs.ha -1 Valor do Saco de Café (60 kg) R$ 400,00 Receita bruta (ha) -(ganho em R$ a mais que área padrão)- R$ ,00 Custo do investimento (R$/ha) (Somente tratamento de solo) R$ 861,10 Lucro (R$/ha) R$ ,90

88 BIOLCHIM EM CAFÉ Bruno Martins Pereira Hudson G. Cavalcante

89 Produtor: Evander Santos Correia Juliano de Oliveira Correia Responsável Técnico: Reinaldo Ferreira Neves Supervisor Agrícola: Sandro Bandeira Município: Taiobeiras MG Cultivar: Catuaí 62 População: pl.ha -1

90

91 Croqui: = Tratamento Biolchim Foliar 2= Tratamento Biolchim Foliar + Solo 3= Tratamento Biolchim Solo 4= Tratamento do Produtor

92 Data da aplicação 04/10/2011 Aplicações Tratamento Biolchim Foliar Posicionamento: Produtos Dosagem (kg ou L por hectare) 1ª Aplicação Foliar Agrumax Café 1 Boromin 0,5 Ligoplex Ca 1 Phosfik Cu 1 Spray Dünger 1 2ª Aplicação Foliar Fase da Cultura Agrumax Café 1 Boromin 0,5 01/11/2011 Ligoplex Ca 1 Pós-Florada Phosfik Cu 1 Spray Dünger 1 3ª Aplicação Foliar Pré-Florada Agrumax Café 1 Nutrigema 1 07/12/2011 Phosfik Mn-Zn 1 Pós-Florada Rizammina 1,5 Fylloton 1 02/02/2012 4ª Aplicação Foliar Agrumax Café 1 Phosfik Mn-Zn 1 Rizammina 1,5 Fylloton 1 Enchimento de grãos 5ª Aplicação Foliar 20/02/2012 Hydrofert Fylloton 1 Enchimento de grãos

93 Posicionamento: Aplicações Tratamento Biolchim Solo Data da aplicação Produtos Dosagem (kg ou L por hectare) Fase da Cultura 1ª Aplicação Via Solo 04/10/2011 2ª Aplicação Via Solo Fulvumin 5 Sprint Alga 2 Pré-Florada 01/11/2011 Fulvumin 5 Restorer 5 Pós-Florada 07/12/2011 3ª Aplicação Via Solo Fulvumin 5 Restorer 5 Chumbinho 4ª Aplicação Via Solo 02/02/2012 Fulvumin 5 Enchimento de grãos 5ª Aplicação Via Solo 20/02/2012 Fulvumin 5 Maturação

94 1ª Aplicação Foliar: 04/10/2011

95 1ª Aplicação Solo: 04/10/2011

96 2ª Aplicação Solo: 04/10/ /11/2011

97 2ª Aplicação Solo: 01/11/2011

98 3ª Aplicação Solo: 07/12/2011

99 4ª Aplicação Solo: 07/12/ /02/2012

100 5ª Aplicação Solo: 07/12/ /02/2012

101 Colheita: 17/05/2012

102 Avaliações:

103 Peso após secagem (kg ) (10 plantas) 30 27,5 25,3 25, , ,3 4,7 0 Foliar Foliar + Solo Solo Trat. Produtor

104 Beneficiamento: 05/06/2012

105 Conversão de café em coco para café beneficiado 60 58% 58,2% 58% 50 54% 54,7% 52% 49,9% 50,5% Foliar Foliar + Solo Solo Trat. Produtor

106 Avaliações: Tratamento Peso do café após secagem no terreiro (amostra de 10 plantas) Conversão de café em coco para café beneficiado *Produtividade (Scs. ha -1 ) Safra Safra Safra Biolchim Foliar Biolchim Foliar + Solo ,5 6,8 54% 55% 91,3 32,6 22 6,7 58% 58% 110,6 33,5 Biolchim Solo 25,5 2 58% 50% 128,2 8,7 Tratamento do Produtor 22 1,3 58% 51% 99,1 5,9 *Considerando população de plantas por hectare 13/05/2011

107 Produtividade Média por Hectare (Safra ) ,05 68,43 61,9 52,49 Foliar Completo Solo Padrão

108 Média Tratamento Biolchim Foliar e Solo (Safras: 2010/ 2011 e 2011/2012) Fazenda Lagoa Redonda Incremento Desta na Maneira: produtividade Com o investimento de 4,53 Scs.ha -1 houve o incremento de 19,56 Scs.ha -1 72,05. Scs.ha -1 Média Tratamento do Produtor (Safras: 2010/2011 e 2011/2012) 52,49 Scs.ha -1 Ou Seja: A cada R$ 1,00 investido houve o lucro líquido de R$ 3,32. Incremento de produtividade (Média por safra) 19,56 Scs.ha -1 Valor do Saco de Café (60 kg) (Em 02/09/2012) R$ 350,00 Receita bruta (ha) (Média por safra) R$ 6.846,00 Investimento (R$/ha) (Em 1 ano no tratamento de foliar e solo) R$ 1.585,81 Lucro (R$/ha) (Média por safra) R$ 5.260,19

109 Obrigado! Bruno Martins Pereira RTV - Bahia Fone: (74)

AFRUTOP Produtor: Responsável Técnico: Município: Setor: População Total: População Biolchim:

AFRUTOP Produtor: Responsável Técnico: Município: Setor: População Total: População Biolchim: Produtor: Ailton Porto Viana Responsável Técnico: Sr. Marcondes Município: Dom Basílio Setor: 19 População Total: 1.066 Plantas População Biolchim: 410 Plantas Produtor: Ailton Porto Viana Posicionamento:

Leia mais

Área de Atuação 2010/2011:

Área de Atuação 2010/2011: Área de Atuação 2010/2011: Área de Atuação 2012: Culturas mais Importantes: Norte do ES e Sul da Bahia: Café Conillon, Mamão, Melancia, Banana, Cana de Açúcar, Maracujá e Cacau Região Central do ES: Café

Leia mais

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS 02 de OUTUBRO DE 2014 CRUZ ALTA RIO GRANDE DO SUL O INÍCIO DA IRRIGAÇÃO 5.000 anos atrás, Egito Antigo; Construção de diques, represas e canais para melhor

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS BIOLCHIM NA CULTURA DA MANGA. Bruno Martins Pereira Paulo Henrique S. Santos

DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS BIOLCHIM NA CULTURA DA MANGA. Bruno Martins Pereira Paulo Henrique S. Santos DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS BIOLCHIM NA CULTURA DA MANGA Bruno Martins Pereira Paulo Henrique S. Santos Livramento de Nossa Senhora-BA 28/08/2012 A Região de Livramento de Nossa Senhora-BA é um polo de

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA ÁGUA MAGNETIZADA PARA A IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO DO CAFEEIRO CULTIVADO NO CERRADO DE MINAS GERAIS 3 SAFRAS

UTILIZAÇÃO DA ÁGUA MAGNETIZADA PARA A IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO DO CAFEEIRO CULTIVADO NO CERRADO DE MINAS GERAIS 3 SAFRAS UTILIZAÇÃO DA ÁGUA MAGNETIZADA PARA A IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO DO CAFEEIRO CULTIVADO NO CERRADO DE MINAS GERAIS 3 SAFRAS André Luís Teixeira Fernandes 1, Roberto Santinato 2, Reginaldo Oliveira Silva

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CALAGEM PARA OS SOLOS DO CERRADO

IMPORTÂNCIA DA CALAGEM PARA OS SOLOS DO CERRADO IMPORTÂNCIA DA CALAGEM PARA OS SOLOS DO CERRADO Palestra apresenta no I Seminário alusivo ao Dia Nacional do Calcário, no dia 23 de maio de 2013, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

BOLETIM DE AVISOS Nº 43

BOLETIM DE AVISOS Nº 43 BOLETIM DE AVISOS FITOSSANITÁRIOS ALTO PARANAÍBA / TRIÂNGULO MINEIRO BOLETIM DE AVISOS Nº 43 MARÇO/2014 1 LOCALIZAÇÃO / DADOS CLIMÁTICOS E FENOLÓGICOS DO CAFEEIRO ARAXÁ Latitude 19 o 33 21 S Longitude

Leia mais

CARACTERÍSTICAS VARIETAIS QUE VALEM MUITO DINHEIRO

CARACTERÍSTICAS VARIETAIS QUE VALEM MUITO DINHEIRO CARACTERÍSTICAS VARIETAIS QUE VALEM MUITO DINHEIRO Dib Nunes Jr. Antonio Celso Silva Jr. Grupo IDEA Características Varietais 1. Florescimento: MENOR DENSIDADE DE CARGA MENOR VOLUME DE CALDO 2. Tombamento:

Leia mais

Concimi Speciali PÊSSEGO. Uso dos Produtos Biolchim na cultura do pêssego em Pinto Bandeira-RS Fernando; Ivan Mohr; Bruno Gherardi

Concimi Speciali PÊSSEGO. Uso dos Produtos Biolchim na cultura do pêssego em Pinto Bandeira-RS Fernando; Ivan Mohr; Bruno Gherardi Concimi Speciali PÊSSEGO Uso dos Produtos Biolchim na cultura do pêssego em Pinto Bandeira-RS Fernando; Ivan Mohr; Bruno Gherardi 131 Uso dos Produtos Biolchim na cultura do pêssego em Pinto Bandeira-RS

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO Presidência Setembro/2013 Conheça o... Há 16 anos promovendo a Regularização Fundiária no Estado do Rio de Janeiro Regularização Fundiária Títulos Emitidos por Ano Comunidades

Leia mais

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Gabriel Avelar LAGE 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO²; Iul Brinner Expedito de SOUZA³; Marcus Vinicius SANTOS 3 ; Guilherme

Leia mais

11ª REUNIÃO DO GT-CONAMA

11ª REUNIÃO DO GT-CONAMA 11ª REUNIÃO DO GT-CONAMA MATERIAIS SECUNDÁRIOS COM POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO NA PRODUÇÃO DE FERILIZANTES MICRONUTRIENTES AGOSTO 2011 MICRONUTRIENTE S FINALIDADE: (MODO DE USO) VIA FOLIAR, FERTIRRIGAÇÃO,

Leia mais

Apresentação Case Campeão de Produtividade da Região Norte/Nordeste e Nacional Plínio Itamar de Souza (Ph.D.), Pesquisador de Soja Membro do CESB e

Apresentação Case Campeão de Produtividade da Região Norte/Nordeste e Nacional Plínio Itamar de Souza (Ph.D.), Pesquisador de Soja Membro do CESB e Apresentação Case Campeão de Produtividade da Região Norte/Nordeste e Nacional Plínio Itamar de Souza (Ph.D.), Pesquisador de Soja Membro do CESB e Consultor da ABRASEM Safra 2011/2012 Dados do Participante

Leia mais

Soluções BASF para o Manejo de Plantas Daninhas em Cana-de-Açúcar. Daniel Medeiros Des. Tec. de Mercado BASF daniel.medeiros@basf.

Soluções BASF para o Manejo de Plantas Daninhas em Cana-de-Açúcar. Daniel Medeiros Des. Tec. de Mercado BASF daniel.medeiros@basf. Soluções BASF para o Manejo de Plantas Daninhas em Cana-de-Açúcar Daniel Medeiros Des. Tec. de Mercado BASF daniel.medeiros@basf.com 1 Setor passando por transformações Plantio de cana; Colheita de cana;

Leia mais

Avaliação Econômica do Projeto de Microcrédito para a população da Zona Norte de Natal/RN

Avaliação Econômica do Projeto de Microcrédito para a população da Zona Norte de Natal/RN FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL CENTRO DE APOIO AOS MICROEMPREENDEDORES Avaliação Econômica do Projeto de Microcrédito para a população da Zona Norte de Natal/RN Equipe: Iraê Cardoso, Isabela Almeida, Lilian Prado,

Leia mais

GIRASSOL: Sistemas de Produção no Mato Grosso

GIRASSOL: Sistemas de Produção no Mato Grosso GIRASSOL: Sistemas de Produção no Mato Grosso Clayton Giani Bortolini Engº Agr. MSc Diretor de Pesquisas Fundação Rio Verde Formma Consultoria Agronômica Produção Agrícola no Mato Grosso Uma safra / ano:

Leia mais

Fertilização racional da actinídea

Fertilização racional da actinídea L Q A R S Fertilização racional da actinídea Cecília Pacheco Kiwi de qualidade para assegurar o futuro / Oliveira do Bairro Instituto Nacional de Investigação Agrária ria e das Pescas Ministério da Agricultura,

Leia mais

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba CODEVASF. Investindo no Brasil: Vales do São Francisco e Parnaíba

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba CODEVASF. Investindo no Brasil: Vales do São Francisco e Parnaíba Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba CODEVASF Investindo no Brasil: Vales do São Francisco e Parnaíba O que é Codevasf? Criada em 1974, a Codevasf é uma empresa pública responsável

Leia mais

Estimativas de custo de produção de trigo e de aveia - safra 2006

Estimativas de custo de produção de trigo e de aveia - safra 2006 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 186 Foto: Paulo Kurtz ISSN 1517-4964 Dezembro, 2006 Passo Fundo, RS Estimativas de custo de produção de trigo e de aveia - safra 2006 Cláudia De Mori

Leia mais

Instrução Interna N. 07/2015 NORMAS DE RECEPÇÃO DA SAFRA FEIJÃO INDUSTRIAL

Instrução Interna N. 07/2015 NORMAS DE RECEPÇÃO DA SAFRA FEIJÃO INDUSTRIAL I Instrução Interna N. 07/2015 DE : Diretoria PARA : Todos os setores NORMAS DE RECEPÇÃO DA SAFRA FEIJÃO INDUSTRIAL 01 - RECEPÇÃO: Todo feijão será recebido nas seguintes unidades, sendo que deverá ser

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

Monitoramento Nutricional e Recomendação de Adubação

Monitoramento Nutricional e Recomendação de Adubação NU REE Programa em Nutrição e Solos Florestais DPS - SIF - UFV - Viçosa - MG UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS Monitoramento Nutricional e Recomendação de Adubação Contribuição

Leia mais

PROJETO BIJUPIRÁ BAHIA. (Rachycentron canadum)

PROJETO BIJUPIRÁ BAHIA. (Rachycentron canadum) PROJETO BIJUPIRÁ BAHIA (Rachycentron canadum) PANORAMA GERAL SOBRE A BAHIA PESCA Empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária da Bahia que tem a finalidade de fomentar a aqüicultura

Leia mais

Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada

Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada Disponível em nosso site: www.lisina.com.br A atualização das exigências dos nutrientes nas formulações de rações é importante

Leia mais

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas.

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas. SUSTENTABILIDADE DOS FUNDOS CONSTITUCIONAIS DE FINANCIAMENTO: efeito das medidas excepcionais necessárias frente à manutenção do patrimônio dos Fundos Constitucionais de Financiamento. Discutir os efeitos

Leia mais

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO Rodrigo de Rezende Borges Rosa 1 ; Delvio Sandri 2 1 Eng. Agrícola, Discente do Mestrando Engenharia

Leia mais

Produção de Serapilheira em Florestas de Mangue do Estuário do Rio Paraíba do Sul, Rio de Janeiro, Brasil

Produção de Serapilheira em Florestas de Mangue do Estuário do Rio Paraíba do Sul, Rio de Janeiro, Brasil Universidade Estadual do Norte Fluminense Laboratório de Ciências Ambientais Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais Produção de Serapilheira em Florestas de Mangue do Estuário do Rio

Leia mais

Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO

Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO Alcançar e manter índices ótimos de produtividade florestal é o objetivo principal do manejo

Leia mais

1. Aspectos gerais da cultura

1. Aspectos gerais da cultura CULTURA DO ARROZ 1. Aspectos gerais da cultura Centro de Origem -Asiático -Africano Gênero Oryza 25 espécies dispersas Espécies Sul Americanas Ásia África América do Sul e Central Espécies utilizadas Histórico

Leia mais

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 Estar Mais Próximo do Cliente B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 RESULTADOS CONSOLIDADOS 2T13 Receita Bruta R$ 1.369,8 MILHÕES +24% Receita Líquida R$ 1.210,5 MILHÕES +22% Lucro Bruto

Leia mais

É isto que diferencia a Loja in Company de outros modelos de negócio.

É isto que diferencia a Loja in Company de outros modelos de negócio. O objetivo da Nexus Loja in Company (Outsourcing) é o de prestar serviços que não fazem parte do conjunto de competências essenciais da Empresa Contratante. Outsourcing sugere externalização, no sentido

Leia mais

Currículo. Mestre em Engenharia de Sistemas Agrícolas - ESALQ/USP 2013. Doutorando em Engenharia de Sistemas Agrícolas ESALQ/USP

Currículo. Mestre em Engenharia de Sistemas Agrícolas - ESALQ/USP 2013. Doutorando em Engenharia de Sistemas Agrícolas ESALQ/USP Gestão Financeira e Custo de Produção de Cana-de-açúcar Taquaritinga/SP Outubro/21 João Henrique Mantellatto Rosa PECEGE/ESALQ/USP jhmrosa@pecege.esalq.usp.br Currículo Formação: Engenheiro Agrônomo ESALQ

Leia mais

1111111111111 Ilfi 111111

1111111111111 Ilfi 111111 07000 CPATU 1998 FL-07000 trnpa ISSNO101-5673 'e Empnza 8,nibk. de FUqWsa Agropecuáde Cento de Pnqidn Apto florestal de Amazónia Odantal MinistJ,'lo da Ap,icufture e do Abastecimento Trav. Dr. Enóes Pinheiro

Leia mais

FEIJÃO CAUPI VERDE: ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA EM FUNÇÃO DA POPULAÇÃO INICIAL NA REGIÃO DO CARIRI CEARENSE

FEIJÃO CAUPI VERDE: ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA EM FUNÇÃO DA POPULAÇÃO INICIAL NA REGIÃO DO CARIRI CEARENSE Área: Sócio-economia FEIJÃO CAUPI VERDE: ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA EM FUNÇÃO DA POPULAÇÃO INICIAL NA REGIÃO DO CARIRI CEARENSE Antonio Marcos Duarte Mota 1 ; Felipe Thomaz da Camara 2 ; Francisca

Leia mais

Agricultura: Boas práticas no plantio, colheita, transporte e armazenamento dos alimentos

Agricultura: Boas práticas no plantio, colheita, transporte e armazenamento dos alimentos Agricultura: Boas práticas no plantio, colheita, transporte e armazenamento dos alimentos Murillo Freire Junior Embrapa Agroindústria de Alimentos Rio de Janeiro, RJ 15/03/2016 Perdas e Desperdícios de

Leia mais

Embalagens para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos ABRE Associação Brasileira de Embalagem

Embalagens para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos ABRE Associação Brasileira de Embalagem Embalagens para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos ABRE Associação Brasileira de Embalagem Luciana Pellegrino Diretora Executiva 9 de outubro de 2007 Presidente Paulo Sérgio Peres 40 anos de atividade

Leia mais

Grandes Culturas I Cultura do Milho Fenologia

Grandes Culturas I Cultura do Milho Fenologia UNIPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos Grandes Culturas I Cultura do Milho Fenologia P R O F ª F E R N A N D A B A S S O Definições Fenologia: estuda os fenômenos periódicos da vida da planta e suas

Leia mais

UNIPAR Universidade Paranaense

UNIPAR Universidade Paranaense 2 UNIPAR Universidade Paranaense Dados Principais Acadêmico 1 Fone Contato Email Acadêmico 2 Fone Contato Email Tema do Estágio Local Desenvolvimento Ramo da Empresa Responsável na Empresa Fone Contato

Leia mais

Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo. Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP

Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo. Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP Holambra Agrícola Assessoria e Consultoria S/C Ltda Nome Função MSc Guido Aguilar Sanchez A.

Leia mais

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO LEANDRO CARLOS FERREIRA 1,3 ; ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,3 RESUMO: O sistema de cultivo

Leia mais

PROGRAMA ARYSTA NO CONTROLE DA FERRUGEM E CERCOSPORA DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES DE CERRADO EM LAVOURA IRRIGADA POR GOTEJAMENTO

PROGRAMA ARYSTA NO CONTROLE DA FERRUGEM E CERCOSPORA DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES DE CERRADO EM LAVOURA IRRIGADA POR GOTEJAMENTO PROGRAMA ARYSTA NO CONTROLE DA FERRUGEM E CERCOSPORA DO CAFEEIRO NAS CONDIÇÕES DE CERRADO EM LAVOURA IRRIGADA POR GOTEJAMENTO SANTINATO, R. ENGENHEIRO AGRÔNOMO, MAPA-PRÓCAFÉ, CAMPINAS, SP MOSCA, E. ENGENHEIRO

Leia mais

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café ED 2180/14 15 maio 2014 Original: espanhol P Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café 1. O Diretor Executivo apresenta seus cumprimentos e, em nome da Colômbia, encaminha aos Membros

Leia mais

AVALIAÇÕES AMBIENTAIS

AVALIAÇÕES AMBIENTAIS AVALIAÇÕES AMBIENTAIS Avaliação Ambiental em Áreas Contaminadas Barreiras de Contenção Mobilização de Equipe Análise da Contaminação Avaliação de Impactos em APP AVALIAÇÕES AMBIENTAIS Avaliações Ambientais

Leia mais

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil Uriel Antonio Superti Rotta urielrotta@pensa.org.br O SAG do leite no Brasil O sistema agroindustrial do leite reúne importantes segmentos da

Leia mais

QUESTÕES TECNOLÓGICAS NA LAVOURA CAFEEIRA

QUESTÕES TECNOLÓGICAS NA LAVOURA CAFEEIRA QUESTÕES TECNOLÓGICAS NA LAVOURA CAFEEIRA Matiello, Almeida, Garcia, Fagundes, Garcia e Paiva Engs. Agrs Mapa e Fundação Procafé As questões Desenvolvimento e difusão de tecnologias cafeeiras dificultadas

Leia mais

INVENTÁRIO DE ÁRVORES E ESTIMATIVA DE SAFRA DO CINTURÃO CITRÍCOLA DE SÃO PAULO E TRIÂNGULO/ SUDOESTE MINEIRO

INVENTÁRIO DE ÁRVORES E ESTIMATIVA DE SAFRA DO CINTURÃO CITRÍCOLA DE SÃO PAULO E TRIÂNGULO/ SUDOESTE MINEIRO INVENTÁRIO DE ÁRVORES E ESTIMATIVA DE SAFRA DO CINTURÃO CITRÍCOLA DE SÃO PAULO E TRIÂNGULO/ SUDOESTE MINEIRO PESQUISA DE ESTIMATIVA DE SAFRA (PES) Coleta e divulgação de dados sobre a produção de citros

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1 DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO Sila Carneiro da Silva 1 O interesse pela produção animal em pastagens tem crescido bastante nos últimos

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº, DE 2012

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Deputado Félix Mendonça Júnior) Cria o Selo Verde Cacau Cabruca. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica criado o Selo Verde Cacau Cabruca, com

Leia mais

Ponto de Corte do Milho para Silagem

Ponto de Corte do Milho para Silagem Setor de Forragicultura Ponto de Corte do Milho para Silagem Eng. Agr. Igor Quirrenbach de Carvalho 23/8/213 Acertar o ponto de corte é fundamental para ter alta produção de massa e alta qualidade nutricional.

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1293

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1293 Página 1293 CULTIVAR BRS NORDESTINA EM SISTEMA DE POLICULTIVO NA AGRICULTURA FAMILIAR DO MUNICÍPIO DE ESPERANÇA-PB - SAFRA 2009 1Waltemilton Vieira Cartaxo- Analista Embrapa Algodão, 2. José Aderaldo Trajano

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI PROF. DR. MÁRCIO CLEBER DE MEDEIROS CORRÊA Departamento de Fitotecnia Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal do Ceará Fortaleza - CE III Simpósio

Leia mais

RAZÕES QUE JUSTIFICAM A PRORROGAÇÃO DA ZFM.

RAZÕES QUE JUSTIFICAM A PRORROGAÇÃO DA ZFM. RAZÕES QUE JUSTIFICAM A PRORROGAÇÃO DA ZFM. Razões: 1. Nós defendemos a prorrogação da ZFM como diferencial de tratamento tributário, para suprir as inúmeras dificuldades e obstáculos na promoção do desenvolvimento

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA PRODUÇÃO DE MAMONA EM UMA AMOSTRA DE PRODUTORES FAMILIARES DO NORDESTE

LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA PRODUÇÃO DE MAMONA EM UMA AMOSTRA DE PRODUTORES FAMILIARES DO NORDESTE LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA PRODUÇÃO DE MAMONA EM UMA AMOSTRA DE PRODUTORES FAMILIARES DO NORDESTE Vicente de Paula Queiroga 1, Robério Ferreira dos Santos 2 1Embrapa Algodão, queiroga@cnpa.embrapa.br,

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 682

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 682 Página 682 AVALIAÇÃO DO SISTEMA AGCELENCE NA CULTURA DO ALGODOEIRO NO SISTEMA DE PLANTIO ADENSADO NO OESTE DA BAHIA *Cleiton Antônio da Silva Barbosa 1 ; Benedito de Oliveira Santana Filho 1 ; Ricardo

Leia mais

09 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

09 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 09 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA RR EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste experimento foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja com tecnologia RR em duas

Leia mais

Palavras-Chave: Projeto Aquarius, taxa variada, agricultura de precisão. Material e métodos. Introdução

Palavras-Chave: Projeto Aquarius, taxa variada, agricultura de precisão. Material e métodos. Introdução Agricultura de precisão voltada à melhoria da fertilidade do solo no sistema plantio direto R.B.C. DELLAMEA (1), T.J.C. AMADO (2), G. L. BELLÉ (), G.T.LONDERO (4), R.J. DONDÉ (4). RESUMO - O sistema de

Leia mais

ANEXO I DECLARAÇÃO DE ISENTO

ANEXO I DECLARAÇÃO DE ISENTO ANEXO I DECLARAÇÃO DE ISENTO Eu,, Carteira de Identificação nº, órgão expedidor:, UF:, CPF nº, residente na, nº, complemento:, bairro:, na cidade de /, CEP:, contato pelo(s) telefone(s): ( ) / ( ), declaro

Leia mais

AMOSTRAGEM DO SOLO PARA AVALIAÇÃO DE SUA FERTILIDADE

AMOSTRAGEM DO SOLO PARA AVALIAÇÃO DE SUA FERTILIDADE AMOSTRAGEM DO SOLO PARA AVALIAÇÃO DE SUA FERTILIDADE Amostragem do solo Envio ao laboratório Preparo da amostra Confirmação dos procedimentos Recomendação adubação/calagem Interpretação dos resultados

Leia mais

Investigações Geotécnicas Parte 1

Investigações Geotécnicas Parte 1 Investigações Geotécnicas Parte 1 FUNDAÇÕES AULA 03 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS Reconhecimento do subsolo Investigação preliminar Verificação

Leia mais

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais.

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. RESUMO O trabalho foi conduzido na Área de Pesquisa

Leia mais

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA Cláudia Santos Silva (1), Américo Iorio Ciociola Júnor (2), José Mauro Valente Paes (2),

Leia mais

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 BB Seguro Agrícola Faturamento Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 1 Mitigadores de Produção/Intempéries. 2 Mitigadores de Preço. 3 Seguro de Faturamento. Exemplos. Mitigadores de Produção/Intemp ão/intempéries

Leia mais

Zona Vulnerável a Nitratos-Tejo. Condicionalidades e Obrigações. Agricultura Presente, um Projeto com Futuro

Zona Vulnerável a Nitratos-Tejo. Condicionalidades e Obrigações. Agricultura Presente, um Projeto com Futuro Zona Vulnerável a Nitratos-Tejo Condicionalidades e Obrigações Agricultura Presente, Agricultura Presente, um Projeto com Futuro um Projecto com Futuro Santarém 28 de fevereiro de 2015 Agenda 1. Definição

Leia mais

Reserva Particular do Patrimônio Natural

Reserva Particular do Patrimônio Natural APOIO Reserva Particular do Patrimônio Natural No Brasil: 1094 RPPNs protegem mais de 700 mil hectares. Na Mata Atlântica: 755 reservas protegem mais de 141 mil hectares. Conservação da biodiversidade.

Leia mais

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Audiência Pública O PLANO DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO (PDA) E A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO MATOPIBA (MARANHÃO,

Leia mais

Mercado da borracha natural e suas perspectivas

Mercado da borracha natural e suas perspectivas Mercado da borracha natural e suas perspectivas Getulio Ferreira Junior Diretor da Cautex Florestal Mercado da Borracha Natural e perspectivas Breve Histórico Projeto de Expansão no MS Formação de preço

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS. Professora Ludmila Melo

CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS. Professora Ludmila Melo CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS Professora Ludmila Melo Conteúdo Programático INTRODUÇÃO Agenda Aula 1: Conceitos, objetivos e finalidades da Contabilidade de Custos Aula 2: Classificação e Nomenclatura

Leia mais

Código de Conduta Módulo Café

Código de Conduta Módulo Café Código de Conduta Módulo Café Versão 1.1 www.utzcertified.org 1 Cópias e traduções deste documento estão disponíveis em formato eletrônico no site da UTZ Certified: www.utzcertified.org Este documento

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP N.º 018/05. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais que lhe confere o art. 6º, alínea P, da Lei nº.

RESOLUÇÃO CFP N.º 018/05. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais que lhe confere o art. 6º, alínea P, da Lei nº. RESOLUÇÃO CFP N.º 018/05 Estabelece a previsão orçamentária dos Conselhos Regionais de Psicologia para o ano de 2006 O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais que lhe confere

Leia mais

Soja: manejo para alta produtividade de grãos. André Luís Thomas, José Antonio Costa (organizadores). Porto Alegre: Evangraf, 2010. 248p. : il.

Soja: manejo para alta produtividade de grãos. André Luís Thomas, José Antonio Costa (organizadores). Porto Alegre: Evangraf, 2010. 248p. : il. Soja: manejo para alta produtividade de grãos. André Luís Thomas, José Antonio Costa (organizadores). Porto Alegre: Evangraf, 2010. 248p. : il., 23 cm. ISBN 978-85-7727-226-6 Apresentação Este livro contempla

Leia mais

Lote: 1 Produto: Feijão Carioca. Armazém: Batavo Tipo: 3 End: Av. dos Pioneiros, 2324 Safra: 09/10. Cidade: Carambeí UF: PR Cor: 6,2

Lote: 1 Produto: Feijão Carioca. Armazém: Batavo Tipo: 3 End: Av. dos Pioneiros, 2324 Safra: 09/10. Cidade: Carambeí UF: PR Cor: 6,2 Lote: 1 Armazém: Batavo Tipo: 3 End: Av. dos Pioneiros, 2324 Safra: 09/10 Cidade: Carambeí UF: PR Cor: 6,2 Qtd scs: 596,67 Qtd kg: 35.800 Acondicionamento: 696 scs. polipropileno Amostra: 073 - Odor: Característico

Leia mais

Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja

Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja Aproveitamento dos grãos da vagem verde de soja 53 Marcos César Colacino 1 ; Carolina Maria Gaspar de Oliveira 2 RESUMO A antecipação da colheita da soja resulta em uma grande quantidade de vagens verdes

Leia mais

BATATA BERINGELA PIMENTO TOMATE

BATATA BERINGELA PIMENTO TOMATE BATATA BERINGELA PIMENTO TOMATE 0 CADERNO DE CAMPO A SER UTILIZADO NO ÂMBITO DA PROTEÇÃO INTEGRADA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROPRIETÁRIO Nome: Morada: Nº HF: NIF: Código Postal: - Localidade: Telefone: Telemóvel:

Leia mais

Oficina dos Sentidos

Oficina dos Sentidos EMEF. Profª Zilda Tomé de Moraes Oficina dos Sentidos Diretora Claudete Justo da Silva Profª Coordenadora Gislaine Fernanda Ramos Profº Renan de Campos Leroy SUMÁRIO Introdução... 01 Objetivos... 02 Metodologia...

Leia mais

FOTO1-Preparo do solo inadequado na recuperação de pastagem, ocasionando erosão em sulcos.

FOTO1-Preparo do solo inadequado na recuperação de pastagem, ocasionando erosão em sulcos. IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA, PECUÁRIA E FLORESTA EM PROPRIEDADES DA AGRICULTURA FAMILIAR DA ZONA DA MATA DE MINAS. 1 Ricardo Tadeu Galvão Pereira- Eng o Agrônomo, Dsc, Coordenador Regional

Leia mais

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE PESCADO (Produção acima de 1.500kg dia)

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE PESCADO (Produção acima de 1.500kg dia) Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE PESCADO (Produção acima de 1.500kg dia) 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1. Indique o consumo médio mensal

Leia mais

Reabilitação experimental de lavouras de café abandonadas como pequenas unidades de produção familiar em Angola CFC/ICO/15 (AEP: INCA)

Reabilitação experimental de lavouras de café abandonadas como pequenas unidades de produção familiar em Angola CFC/ICO/15 (AEP: INCA) PJ 29 fevereiro 2012 Original: inglês 29/12 Add. 1 (P) P Comitê de Projetos/ Conselho Internacional do Café 5 8 março 2012 Londres, Reino Unido Resumo dos relatórios de andamento apresentados pelas Agências

Leia mais

EDITAL Nº. 43/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu

EDITAL Nº. 43/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu EDITAL Nº. 43/2014 Processo Seletivo Discente Concessão de Benefícios do Prosup, Bolsas e Taxas No período de 6 a 13 de maio de 2014, estarão abertas as inscrições para o processo seletivo entre os discentes

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A

CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A D E S E M P E N H O D E CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A O R I O G R A N D E D O S U L Julho, 2013 RESULTADOS DE 2012 2013 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas

Leia mais

Cálculo do custo de produção na empresa rural (2)

Cálculo do custo de produção na empresa rural (2) Cálculo do custo de produção na empresa rural (2) Instituto Federal Goiano Disciplina de Elaboração e Gestão de Projetos Agronegócio (Noturno) Bruno Maia, Eng Agrônomo, M. Sc. Custo Fixo Médio Quando se

Leia mais

Cultivares de Mandioca Recomendadas para Várzea do Estado do Amazonas

Cultivares de Mandioca Recomendadas para Várzea do Estado do Amazonas 3-1192) Cultivares de Mandioca Recomendadas para Várzea do Estado do Amazonas IntrodUl;:ao ~ o cultivo de mandioca em várzea apresenta como obstáculo major a falta de cultivares adaptadas a esse ecossistema.

Leia mais

Safra 2013/2014. Primeira Estimativa. Maio/2013. São Paulo e Triângulo Mineiro. Acompanhamento da Safra de Laranja 2013/14 1

Safra 2013/2014. Primeira Estimativa. Maio/2013. São Paulo e Triângulo Mineiro. Acompanhamento da Safra de Laranja 2013/14 1 Safra 2013/2014 Primeira Estimativa São Paulo e Triângulo Mineiro Maio/2013 Acompanhamento da Safra de Laranja 2013/14 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) Companhia Nacional de

Leia mais

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas

Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas Pesquisa da EPAMIG garante produção de azeitonas De origem européia, a oliveira foi trazida ao Brasil por imigrantes há quase dois séculos, mas somente na década de 50 foi introduzida no Sul de Minas Gerais.

Leia mais

Simpósio: Apoio ao uso Balanceado de Potássio na Agricultura Brasileira

Simpósio: Apoio ao uso Balanceado de Potássio na Agricultura Brasileira Simpósio: Apoio ao uso Balanceado de Potássio na Agricultura Brasileira Como criar novos patamares de produtividade na cultura da soja. O que é necessário ser feito para aumentar a produtividade média

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA Os produtores de Luís Eduardo Magalhães se reuniram, em 09/04, para participarem do levantamento de custos de produção de café

Leia mais

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia FATOS 80.000 70.000 60.000 ÁREA CULTIVADA (milhões/ha)

Leia mais

OBJETIVOS DESTE MATERIAL

OBJETIVOS DESTE MATERIAL TEMA: CPC PME / NBC TG 1000 - Resolução CFC nº 1.255/2009 Seção 34 - Atividades Especializadas OBJETIVOS DESTE MATERIAL Este material tem como objetivo específico uma complementação dos principais aspectos

Leia mais

Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso

Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso Pragmatismo Político, 14 de maio de 2014 Explicando o Bolsa Família para Ney Matogrosso Criticado por Ney Matogrosso e peça da campanha de Aécio, Campos e Dilma, benefício é pago para 14 milhões de famílias.

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO IMPORTÂNCIA PARA CONSERVAÇÃO DOS SOLOS E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE BAMBUI-MG 09/09/2008

SISTEMAS DE PRODUÇÃO IMPORTÂNCIA PARA CONSERVAÇÃO DOS SOLOS E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE BAMBUI-MG 09/09/2008 SISTEMAS DE PRODUÇÃO IMPORTÂNCIA PARA CONSERVAÇÃO DOS SOLOS E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE BAMBUI-MG 09/09/2008 19 ANOS DE FUNDAÇÃO MARÇO 1989 PODEMOS ESCOLHER O QUE SEMEAR, MAS SOMOS OBRIGADOS A COLHER

Leia mais

RECRIA INTENSIVA ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E RESULTADOS ECONÔMICOS

RECRIA INTENSIVA ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E RESULTADOS ECONÔMICOS RECRIA INTENSIVA ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E RESULTADOS ECONÔMICOS APRESENTAÇÃO: - NOME: IGOR JÁCOMO BALESTRA - EMPRESA: PECUÁRIA BALESTRA - LOCAL: INHUMAS GO - ETAPAS DA PECUÁRIA: CRIA, RECRIA E ENGORDA -

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG Universidade Federal de Lavras UFLA Departamento de Ciências Florestais DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG Antonio Claudio Davide ABORDAGENS PARA A RESTAURAÇÃO

Leia mais

Título: PREÇO INTERNACIONAL E PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL DE 1995 A

Título: PREÇO INTERNACIONAL E PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL DE 1995 A Título: PREÇO INTERNACIONAL E PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL DE 1995 A 2003. Magali Simoni Azevedo 1 Resumo O estudo sobre o preço internacional e a produção de soja no Brasil de 1995 a 2003 teve como objetivo

Leia mais

Weber Geraldo Valério Sócio Diretor MANEJO INTELIGENTE: SINERGIA ENTRE AS FASES DO PROCESSO PRODUTIVO 14º HERBISHOW

Weber Geraldo Valério Sócio Diretor MANEJO INTELIGENTE: SINERGIA ENTRE AS FASES DO PROCESSO PRODUTIVO 14º HERBISHOW Weber Geraldo Valério Sócio Diretor MANEJO INTELIGENTE: SINERGIA ENTRE AS FASES DO PROCESSO PRODUTIVO 14º HERBISHOW Ribeirão Preto SP Maio 2015 O setor Bioenergético: Necessidade de respostas diante de

Leia mais

EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR RELACIONADA AOS AMBIENTES DE PRODUÇÃO E AS ÉPOCAS DE COLHEITAS

EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR RELACIONADA AOS AMBIENTES DE PRODUÇÃO E AS ÉPOCAS DE COLHEITAS EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR RELACIONADA AOS AMBIENTES DE PRODUÇÃO E AS ÉPOCAS DE COLHEITAS André Cesar Vitti Eng. Agr., Dr. PqC do Polo Regional Centro Sul/APTA acvitti@apta.sp.gov.br Entre

Leia mais

Capítulo 10. Aspectos Econômicos da Comercialização e Custo de Produção do Milho Verde 10.1. Introdução

Capítulo 10. Aspectos Econômicos da Comercialização e Custo de Produção do Milho Verde 10.1. Introdução Capítulo 10. Aspectos Econômicos da Comercialização e Custo de Produção do Milho Verde 10.1. Introdução O milho verde é um tipo especial de milho, como o milho doce, milho pipoca, milho ceroso, milho branco,

Leia mais

ÁCIDOS ORGÂNICOS, SACAROSE E QUALIDADE DE CAFÉS ESPECIAIS

ÁCIDOS ORGÂNICOS, SACAROSE E QUALIDADE DE CAFÉS ESPECIAIS ÁCIDOS ORGÂNICOS, SACAROSE E QUALIDADE DE CAFÉS ESPECIAIS Luisa. P. Figueiredo Profa. Dra. IFSULDEMINAS; Fabiana. C. Ribeiro Profa. Dra. UNB; Flávio. M. Borém Professor Dr. UFLA; Terezinha. J. G. Salva

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO PARA ADUBAÇÃO DA GOIABEIRA

UTILIZAÇÃO DO LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO PARA ADUBAÇÃO DA GOIABEIRA UTILIZAÇÃO DO LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO PARA ADUBAÇÃO DA GOIABEIRA Luiz Carlos S. Caetano¹; Aureliano Nogueira da Costa²; Adelaide de F. Santana da Costa 2 1 Eng o Agrônomo, D.Sc, Pesquisador

Leia mais