DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG"

Transcrição

1 Universidade Federal de Lavras UFLA Departamento de Ciências Florestais DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG Antonio Claudio Davide

2 ABORDAGENS PARA A RESTAURAÇÃO FLORESTAL: Benefícios ambientais e sócioeconômicos (Adaptado de Lamb et al., 2005)

3 OPÇÃO: PLANTIO DE MUDAS COMO ESTÁ A OFERTA? Dados do Registro Nacional de Sementes e Mudas RENASEM, CSM/MAPA (MAPA, 2011); Análise do número total de viveiros em Minas Gerais, cadastrados no RENASEM e que produzem mudas de espécies florestais nativas; 12 mesorregiões (IBGE, 2006)

4 Figura 1: Doze mesorregiões do Estado de Minas Gerais, estabelecidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística - IBGE (2006).

5 Figura 2. Domínios (3) e Subdomínios (12) fitogeográficos de Minas Gerais. Fonte: Inventário de MG

6 Levantado do número de viveiros encontrados nos municípios: 853 municípios em MG 442 inscrições no RENASEM 134 municípios espécies florestais nativas

7 Figura 3: Municípios do Estado de Minas Gerais que possuem viveiros florestais registrados no RENASEM, que produzem mudas de espécies nativas. Fonte: Carvalho et al., 2014

8 Tabela 1: Número de registros de produtores de mudas de espécies florestais nativas por mesorregião de Minas Gerais. Mesorregião Nº de viveiros Campos das Vertentes 5 Central Mineira 2 Metropolitana de Belo Horizonte 37 Noroeste de Minas 3 Norte de Minas 11 Oeste de Minas 14 Sul e Sudeste de Minas 60 Triângulo e Alto Paranaíba 48 Vale do Jequitinhonha 2 Vale do Mucuri 20 Vale do Rio Doce 11 Zona da Mata 229 TOTAL 442 Fonte: Carvalho et al., 2014

9 Figura 4: Porcentagem dos viveiros florestais que produzem mudas de espécies florestais nativas no Estado de Minas Gerais, em cada uma das doze mesorregiões. Fonte: Carvalho et al., 2014

10 Estudo da disponibilidade de espécies florestais nativas por mesorregião de MG Listagem sp ocorrência florestas naturais Listagem sp produzidas nos viveiros MG MAPA 2011 RENASEM Lista de ss viveiros Especialistas UFLA Lista da Flora do Brasil Checagem da nomenclatura

11 Extensão de MG: ,122 km 2 19 % 109 famílias Oc. 509 gêneros Oc. 67 famílias Prod. 238 gêneros Prod. 63 espécies produzidas não estão na lista ocorrência em MG

12 Figura 5: Riqueza de espécies florestais nativas de ocorrência natural, de espécies produzidas e de mudas cujas espécies coincidem com as de ocorrência em cada mesorregião de Minas Gerais.

13 Figura 6: Percentual de espécies florestais nativas que são produzidas em relação ao número total de espécies que ocorrem nas florestas naturais nas mesorregiões de Minas Gerais (média geral de 7,5%).

14 Tabela 2.

15 E A QUALIDADE MORFOLÓGICA DAS MUDAS? A B Figura 7: Localização das mesorregiões (A) e municípios onde foi realizado o estudo (B) Fonte: IBGE, 2006 (A) e Carvalho et al., 2014 (B)

16 COLETA DAS AMOSTRAS Viveiros permanentes RENASEM 2011/IEF e CEMIG 20 ou + sp florestais nativas 20% das espécies (fase de expedição) Quatro repetições de oito mudas (AMOSTRA) Viveiro Florestal da UFLA Avaliações da qualidade morfológica das amostras

17 Diagnóstico em MG (DAVIDE et al., CNPq) 188 amostras 26 viveiros 10 mesorregiões 21 municípios 102 espécies 77 gêneros 34 famílias 420 espécies MG (CARVALHO et al., 2014) 149 espécies RS (POESTER, 2009) 435 espécies SP (BARBOSA et al., 2009) 402 espécies RJ (SEA, 2010)

18 Artigo 2

19 Avaliação das características morfológicas

20 76, 6% sacos plásticos 23,4% tubetes Expedição (diferentes idades) Produtores de pequeno porte Resistência a mudanças JOSÉ et al., 2009 eficácia do tubete para nativas SEA, % sacos plásticos RJ BARBOSA et al., % tubetes SP

21 Tabela 2. Custos de mudas e rendimentos operacionais na produção, transporte e plantio de mudas de espécies florestais nativas produzidas em tubetes e em sacos plásticos. Fonte: Davide et al., 2015

22 Figura 8. Vista geral de um viveiro de produção de mudas de espécies florestais nativas no estado de Minas Gerais (Foto: Josina Carvalho).

23 Tabela 3. Espécies mais comuns na amostragem, suas respectivas famílias, nomes comuns e número de viveiros em que foram amostradas. Família Espécie Nome comum Nº Viveiros Myrtaceae Psidium guajava goiaba 7 Malvaceae Ceiba speciosa paineira 5 Verbenaceae Citharexylum myrianthum pau viola 5 Anacardiaceae Myracrodruon urundeuva aroeira do sertão 5 Lecythidaceae Cariniana legalis jequitibá 4 Meliaceae Cedrela fissilis cedro 4 Rubiaceae Genipa americana jenipapo 4 Bignoniaceae Handroanthus impetiginosus ipê roxo 4 Bignoniaceae Handroanthus serratifolius ipê amarelo 4 Fabaceae Hymenaea courbaril jatobá 4 Fabaceae Libidibia ferrea pau ferro 4 Fabaceae Peltophorum dubium canafístula 4 Anacardiaceae Schinus terebinthifolius aroeira vermelha 4 Fonte: Carvalho, 2015

24 Tabela 4. Valores médios das características de avaliação da qualidade de mudas de Psidium guajava produzidas na rede de viveiros do estado de Minas Gerais. Viveiro H DC MSPA MSR MST H/D MSPA/ MSR IQD 17 17,44 f 2,75 d 2,24 c 1,98 d 4,23 c 6,32 c 1,15 b 0,56 c 1 18,75 f 3,51 c 2,72 c 2,64 d 5,36 c 5,38 d 1,02 b 0,85 c 26 23,82 e 3,45 c 2,63 c 2,39 d 5,02 c 6,92 b 1,09 b 0,62 c 22 34,03 d 4,86 b 6,23 b 5,36 c 11,59 b 7,03 b 1,20 b 1,41 b 8 40,62 c 5,30 b 6,06 b 5,80 c 11,87 b 7,67 b 1,05 b 1,36 b 12 47,12 b 6,35 a 9,49 a 8,35 b 17,84 a 7,43 b 1,14 b 2,09 a 5 53,25 a 5,55 b 7,30 b 11,78 a 19,08 a 9,62 a 0,62 a 1,86 a CV (%) 8,79 10,75 22,98 16,46 16,01 7,20 22,06 19,27 F 0,0001* 0,0001* 0,0001* 0,0001* 0,0001* 0,0001* 0,0317 0,0001* Letras minúsculas iguais na coluna não diferem significativamente pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade. Fonte: Carvalho, 2015

25 Figura 9. Deformações no sistema radicular de mudas florestais nativas produzidas em sacos plásticos em viveiros de Minas Gerais. (A) Sistema radicular de mudas de Schinus terebinthifolius; (B) Evidência de pequena contribuição da raiz pivotante e (C) Enovelamento e bifurcação na extremidade inferior do sistema radicular (Fotos: Josina Carvalho).

26 E a diversidade genética dentro de lotes de mudas de uma mesma espécie? Lotes de mudas de Cedrela fissilis de 13 viveiros florestais de MG Figura 10: Localização dos 13 viveiros onde foram coletadas amostras foliares de Cedrela fissilis e mesorregiões do estado de Minas Gerais. Fonte: Carvalho, 2015

27 Uso de marcadores moleculares ISSR para o estudo da diversidade genética em lotes de mudas de cedro.

28 Figura 11. Padrão de um gel de agarose 1,5%, para indivíduos de Cedrela fissilis, com fragmentos de DNA amplificados com primer ISSR.

29 Figura 12. Padrão de distância genética entre mudas de Cedrela fissilis Vell. de 13 viveiros, a partir de marcadores ISSR. Análise de agrupamento hierárquico definido pelo método UPGMA e baseado nas distâncias genéticas de Nei (1978).

30 Figura 10. Dendrograma de similaridade genética entre 25 mudas de Cedrela fissilis Vell. de um lote do viveiro de Januária/MG. Diversidade genética do lote 0,20.

31 Figura 10. Dendrograma de similaridade genética entre 25 mudas de Cedrela fissilis Vell. de um lote do viveiro de Januária/MG. Diversidade genética do lote 0,20.

32 Figura 11. Dendrograma de similaridade genética entre 25 mudas de Cedrela fissilis Vell. de um lote do viveiro de Barbacena/MG. Diversidade genética do lote 0,36.

33 Equipe Coordenação Antonio Claudio Davide Principais Colaboradores Josina Aparecida de Carvalho Dulcinéia de Carvalho Lucas Amaral de Melo Warley Augusto Caldas de Carvalho Clarissa de Moraes Souza José Pedro de Oliveira

34 Apoio Projeto CNPq/Edital 026/2010 Dados Tese: Josina Carvalho (2015)

35 DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS EM MG Muito obrigado! Antonio Claudio Davide

Desenvolvimento inicial de espécies arbóreas nativas destinadas à restauração de margem de rio intermitente em Linhares, ES

Desenvolvimento inicial de espécies arbóreas nativas destinadas à restauração de margem de rio intermitente em Linhares, ES Desenvolvimento inicial de espécies arbóreas nativas destinadas à restauração de margem de rio intermitente em Linhares, ES Viviane Helena Palma, Alexandre Uhlmann, Gustavo Ribas Curcio, Michele Ribeiro

Leia mais

Prof. Lucas Amaral de Melo Departamento de Ciências Florestais UFLA. Produção de mudas florestais de eucalipto

Prof. Lucas Amaral de Melo Departamento de Ciências Florestais UFLA. Produção de mudas florestais de eucalipto Prof. Lucas Amaral de Melo Departamento de Ciências Florestais UFLA Produção de mudas florestais de eucalipto Distribuição da área de plantios florestais no Brasil por gênero. ABRAF (2013). Distribuição

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE MUDAS DE Luehea divaricata Martius et Zuccarini SOB DIFERENTES TRATAMENTOS, 180 DIAS APÓS O SEMEIO 1

ANÁLISE DA QUALIDADE DE MUDAS DE Luehea divaricata Martius et Zuccarini SOB DIFERENTES TRATAMENTOS, 180 DIAS APÓS O SEMEIO 1 ANÁLISE DA QUALIDADE DE MUDAS DE Luehea divaricata Martius et Zuccarini SOB DIFERENTES TRATAMENTOS, 180 DIAS APÓS O SEMEIO 1 FELKER, Roselene Marostega 2 ; GASPARIN, Ezequiel 3 ; AIMI, Suelen Carpenedo

Leia mais

Viveiricultura e Sementes florestais Profa. Cristiana C. Miranda

Viveiricultura e Sementes florestais Profa. Cristiana C. Miranda Viveiricultura e Sementes florestais Profa. Cristiana C. Miranda Adaptado de Érika Cortinez- UFRRJ Contextualizando Cadeia Produtiva da Restauração Florestal SEA, 2010 Viveiros florestais permanentes Tem

Leia mais

Nome comum Nome científico Família Grupo ecológico 1

Nome comum Nome científico Família Grupo ecológico 1 Características oses de fósforo (mg dm -3 ) 1 25 5 8 ph (H 2O) 6, 6, 6, 6,1 6,1 P (mg dm -3 ) 1 3 9 29 67 K (mg dm -3 ) 15 154 147 154 151 Ca (mmol c dm -3 ) 3 29 26 27 25 Mg (mmol c dm -3 ) 6 4 6 9 8

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS PARA

PRODUÇÃO DE MUDAS PARA Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agronômicas PRODUÇÃO DE MUDAS PARA RECUPERAÇÃO DE MATA CILIAR Profª Magali Ribeiro da Silva Encontro sobre Recuperação de Matas Ciliares e Proteção

Leia mais

Distrito do Ipiranga, São Paulo, SP - BRASIL ÁRVORES do Parque da Independência, São Paulo

Distrito do Ipiranga, São Paulo, SP - BRASIL ÁRVORES do Parque da Independência, São Paulo Distrito do Ipiranga, São Paulo, SP - BRASIL 1 1 Rafael Felipe de Almeida, Simone Justamante De Sordi2 & Ricardo José Francischetti Garcia2 1.Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo. 2. Herbário Municipal

Leia mais

ESPÉCIES ARBÓREAS RARAS E A RESTAURAÇÃO AMBIENTAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: O ESQUECIMENTO DA DIVERSIDADE FLORESTAL

ESPÉCIES ARBÓREAS RARAS E A RESTAURAÇÃO AMBIENTAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: O ESQUECIMENTO DA DIVERSIDADE FLORESTAL ESPÉCIES ARBÓREAS RARAS E A RESTAURAÇÃO AMBIENTAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: O ESQUECIMENTO DA DIVERSIDADE FLORESTAL Introdução: Aluna: Lorranny da Silva Brito Orientador: Richieri Antonio Sartori O

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 GERMINAÇÃO EM VIVEIRO DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS LUÍS ANTONIO FONSECA TEIXEIRA 1, GRACIELLE NOGUEIRA OLIVEIRA 2 ; EDSON JUNIO COSTA MOREIRA 3, LUCAS AMARAL DE MELO 4, ANTONIO CLAUDIO DAVIDE 5 RESUMO

Leia mais

EFEITOS DE DIFERENTES RECIPIENTES NA QUALIDADE DE MUDAS DE CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata M. Roemer)

EFEITOS DE DIFERENTES RECIPIENTES NA QUALIDADE DE MUDAS DE CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata M. Roemer) EFEITOS DE DIFERENTES RECIPIENTES NA QUALIDADE DE MUDAS DE CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata M. Roemer) Priscila Silva Matos (1) ; Walleska Pereira Medeiros (2) ; Jéssica Costa de Oliveira (3) ; Lúcia Catherinne

Leia mais

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Recuperação de área degradada em encosta

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Recuperação de área degradada em encosta Experiências em Recuperação Ambiental Código Florestal Recuperação de área degradada em encosta Recuperação de área degradada em encosta 1. Bioma: Mata Atlântica Estado: São Paulo Município: Ubatuba 2.

Leia mais

V Reunião do CONSELHO GESTOR PROJETO. Nós do Pisca: Articulação Social e Restauração Florestal na Bacia do Piracicamirim

V Reunião do CONSELHO GESTOR PROJETO. Nós do Pisca: Articulação Social e Restauração Florestal na Bacia do Piracicamirim V Reunião do CONSELHO GESTOR PROJETO Nós do Pisca: Articulação Social e Restauração Florestal na Bacia do Piracicamirim Relatório: Atividades Realizadas Período: 14 de agosto a 14 de novembro, 2007 Saltinho,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM DEZEMBRO/2013 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES) 157* 32,6

Leia mais

Priscilla Nátaly de Lima Silva 1, Edílson Costa 2

Priscilla Nátaly de Lima Silva 1, Edílson Costa 2 DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE GUAVIRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES AMBIENTES E SUBSTRATOS Priscilla Nátaly de Lima Silva 1, Edílson Costa 2 1 Estudante do curso de agronomia, Bolsista PIBIC-CNPq, Universidade

Leia mais

PROTEÇÃO DE NASCENTES. Pensando no amanhã

PROTEÇÃO DE NASCENTES. Pensando no amanhã PROTEÇÃO DE NASCENTES Pensando no amanhã Ciclo Hidrológico Nascentes de água Nascente sem acúmulo inicial Área de Preservação Permanente Área de Preservação Permanente Área destinada à Reserva Legal

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS JANEIRO/2014 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES)

Leia mais

PRODUCAO DE MUDAS DE ESPÉCIES FRUTIFERAS DO CERRADO

PRODUCAO DE MUDAS DE ESPÉCIES FRUTIFERAS DO CERRADO PRODUCAO DE MUDAS DE ESPÉCIES FRUTIFERAS DO CERRADO Alfredo Penzo de Barros 1 ; Norton Hayd Rego 2 ; Aluisio Pereira da Luz 3 ; Aliston Flàvio de Souza 3 ; Nivaldo Liuzzi Gomes 4 ; Bruno Jacobson 5. 1

Leia mais

CAMBARÁ. Grosso do Sul até Rio Grande do Sul. Informações ecológicas: semidecídua ou decídua,

CAMBARÁ. Grosso do Sul até Rio Grande do Sul. Informações ecológicas: semidecídua ou decídua, CAMBARÁ Nome científico: Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera Nome popular: cambará Família: Asteraceae Classificação: espécie pioneira Porte arbóreo: (13-20 m) Zona de ocorrência natural: Bahia, Minas

Leia mais

MÉTODOS PARA RESTAURAÇÃO DE FLORESTAS DE BREJO DEGRADADAS

MÉTODOS PARA RESTAURAÇÃO DE FLORESTAS DE BREJO DEGRADADAS MÉTODOS PARA RESTAURAÇÃO DE FLORESTAS DE BREJO DEGRADADAS Cláudia Mira Attanasio Eng. Agrônoma, Dra., PqC do Polo regional Centro Sul/APTA claudiattanasio@apta.sp.gov.br Luciana A. Carlini-Garcia Eng.

Leia mais

EMPREENDEDORISMO FEMININO

EMPREENDEDORISMO FEMININO EMPREENDEDORISMO FEMININO Março 2013 0 APRESENTAÇÃO As mulheres representam 51% da população brasileira e em Minas Gerais já são aproximadamente 10 milhões. A participação do empreendedorismo feminino

Leia mais

Artigo científico. Leticia de Souza Quirino Pereira (1) Marcos Eduardo Paron (2) Guilherme Augusto Canella Gomes (2)

Artigo científico. Leticia de Souza Quirino Pereira (1) Marcos Eduardo Paron (2) Guilherme Augusto Canella Gomes (2) 15 Artigo científico O manejo de sistema agroflorestal para a recuperação da área degrada ao entorno da nascente do IFSP campus São Roque Agro-forestry system management to recover the degraded area around

Leia mais

Estratégias de controle de plantas daninhas na restauração florestal

Estratégias de controle de plantas daninhas na restauração florestal Estratégias de controle de plantas daninhas na restauração florestal Prof. Paulo Sérgio dos S. Leles Laboratório de Pesquisas e Estudos em Reflorestamentos LAPER / UFRRJ Instituto de Florestas Rio de Janeiro,

Leia mais

Análise espacial do prêmio médio do seguro de automóvel em Minas Gerais

Análise espacial do prêmio médio do seguro de automóvel em Minas Gerais Análise espacial do prêmio médio do seguro de automóvel em Minas Gerais 1 Introdução A Estatística Espacial é uma área da Estatística relativamente recente, que engloba o estudo dos fenômenos em que a

Leia mais

Valorização do profissional do sistema CREA-MG no serviço público. Seminário de Boas Práticas

Valorização do profissional do sistema CREA-MG no serviço público. Seminário de Boas Práticas Valorização do profissional do sistema CREA-MG no serviço público Seminário de Boas Práticas Câmara Temática de Valorização Profissional Objetivos a) Mapear quem é e qual a formação do profissional CREA-Minas

Leia mais

Princípios básicos para o projeto de arborização urbana

Princípios básicos para o projeto de arborização urbana Princípios básicos para o projeto de arborização urbana Respeitar os valores culturais, ambientais e de memória da cidade. Proporcionar conforto sombreamento, abrigo e alimento para avifauna, diversidade

Leia mais

Análise Da Distribuição Espacial Do Programa Bolsa Verde Em Minas Gerais Com Técnicas De Geoprocessamento

Análise Da Distribuição Espacial Do Programa Bolsa Verde Em Minas Gerais Com Técnicas De Geoprocessamento Análise Da Distribuição Espacial Do Programa Bolsa Verde Em Minas Gerais Com Técnicas De Geoprocessamento Jéssica Costa de Oliveira (1) ; Priscila Silva Matos (1) ; Hugo Henrique Cardoso Salis (1) (1)

Leia mais

Ana Paula Moreira da Silva

Ana Paula Moreira da Silva A atual infraestrutura de sementes e mudas de espécies florestais nativas pode atender às novas expectativas da demanda por restauração florestal no Brasil? Ana Paula Moreira da Silva Como nasceu a pesquisa?

Leia mais

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Gabriel Avelar LAGE 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO²; Iul Brinner Expedito de SOUZA³; Marcus Vinicius SANTOS 3 ; Guilherme

Leia mais

PLANTIOS DE PAU-ROSA (Aniba rosaeodora Ducke) E A PRODUÇÃO DE ÓLEO A PARTIR DE MUDAS PLANTADAS

PLANTIOS DE PAU-ROSA (Aniba rosaeodora Ducke) E A PRODUÇÃO DE ÓLEO A PARTIR DE MUDAS PLANTADAS GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS SECREATARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO AMAZONAS E INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA PLANTIOS DE PAU-ROSA (Aniba

Leia mais

RESUMO ABSTRACT IDENTIFY NECESSARY CHANGES

RESUMO ABSTRACT IDENTIFY NECESSARY CHANGES 28 Florestar Estatístico ARTIGOS TÉCNICOS / ARTICLES RECUPERAÇÃO FLORESTAL COM ESPÉCIES NATIVAS NO ESTADO DE SÃO PAULO: PESQUISAS APONTAM MUDANÇAS NECESSÁRIAS * / FOREST RECOVERY WITH NATIVE SPECIES IN

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE FLORESTA

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE FLORESTA RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE FLORESTA Londrina, Maio de 2016 INTRODUÇÃO A proposta de trabalho desenvolvida em 2015/2016 voltada a realização de compensação de emissões de CO 2 por meio do plantio de

Leia mais

Instituto de Florestas Departamento de Silvicultura. Prof. Paulo Sérgio dos S. Leles

Instituto de Florestas Departamento de Silvicultura. Prof. Paulo Sérgio dos S. Leles Instituto de Florestas Departamento de Silvicultura Espaçamento de plantio em recomposição florestal Prof. Paulo Sérgio dos S. Leles Laboratório de Pesquisa e Estudos em Reflorestamentos LAPER Departamento

Leia mais

POTENCIAL DE REGENERAÇÃO NATURAL DE FLORESTAS NATIVAS NAS DIFERENTES REGIÕES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

POTENCIAL DE REGENERAÇÃO NATURAL DE FLORESTAS NATIVAS NAS DIFERENTES REGIÕES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO POTENCIAL DE REGENERAÇÃO NATURAL DE FLORESTAS NATIVAS NAS DIFERENTES REGIÕES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Documento Síntese Vitória ES Março de 2014 1 POTENCIAL DE REGENERAÇÃO NATURAL DE FLORESTAS NATIVAS

Leia mais

BIOMASSA DE MUDAS DE CALISTEMO, ESCUMILHA E QUARESMEIRA PARA ARBORIZAÇÃO URBANA PRODUZIDAS EM DIFERENTES SUBSTRATOS

BIOMASSA DE MUDAS DE CALISTEMO, ESCUMILHA E QUARESMEIRA PARA ARBORIZAÇÃO URBANA PRODUZIDAS EM DIFERENTES SUBSTRATOS BIOMASSA DE MUDAS DE CALISTEMO, ESCUMILHA E QUARESMEIRA PARA ARBORIZAÇÃO URBANA PRODUZIDAS EM DIFERENTES SUBSTRATOS Ferreira, Jéssica Cristina Barbosa¹ (jessicacbf.ifmg@gmail.com); Lafetá, Bruno Oliveira

Leia mais

PANORAMA DA FISIOTERAPIA E DA TERAPIA OCUPACIONAL EM MINAS E O ENSINO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA. Dr. Anderson Luís Coelho Presidente do CREFITO-4

PANORAMA DA FISIOTERAPIA E DA TERAPIA OCUPACIONAL EM MINAS E O ENSINO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA. Dr. Anderson Luís Coelho Presidente do CREFITO-4 PANORAMA DA FISIOTERAPIA E DA TERAPIA OCUPACIONAL EM MINAS E O ENSINO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA Dr. Anderson Luís Coelho Presidente do CREFITO-4 Percentual de cursos por graduação em saúde. Brasil, 2000 e

Leia mais

Semana da Mata Atlântica

Semana da Mata Atlântica Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste Semana da Mata Atlântica Conservar e recuperar a Mata Atlântica é questão de

Leia mais

Anacardiaceae Schinus terebinthifolius Nativa terebinthifolius ou Schinus Terebinthifolia

Anacardiaceae Schinus terebinthifolius Nativa terebinthifolius ou Schinus Terebinthifolia Árvores do campus São Roque Levantamento das espécies de arvores nativas e exóticas existente no Instituto Federal São Paulo (IFSP) no campus São Roque. As espécies abaixo estão dividas por áreas: Área

Leia mais

Principais famílias de Angiospermas das matas brasileiras. Erik Gilberto Alessandra

Principais famílias de Angiospermas das matas brasileiras. Erik Gilberto Alessandra Principais famílias de Angiospermas das matas brasileiras Erik Gilberto Alessandra Myrtaceae Myrtaceae Espécie: Psidium guajava. Nomes populares; Goiabeira, araçá-goiaba, guiaba. Psidium guajava Ocorrência;

Leia mais

COLETIVA DE SAFRA 2017/2018. Mário Campos Presidente SIAMIG

COLETIVA DE SAFRA 2017/2018. Mário Campos Presidente SIAMIG COLETIVA DE SAFRA 2017/2018 Mário Campos Presidente SIAMIG UBERABA 28/04/2017 MOAGEM DE CANA EM MINAS GERAIS ( mil toneladas) MIX DE PRODUÇÃO SAFRA MG 2016/2017 POSIÇÃO: 01-04-2017 PRODUTOS SAFRA VAR(%)

Leia mais

Os OITO Elementos da Restauração. Sergius Gandolfi LERF/LCB/ESALQ/USP

Os OITO Elementos da Restauração. Sergius Gandolfi LERF/LCB/ESALQ/USP Os OITO Elementos da Restauração Sergius Gandolfi LERF/LCB/ESALQ/USP COEXISTÊNCIA ENTRE ECOSSISTEMAS NATURAIS E AGROECOSSISTEMAS 1.Diagnóstico 2.Prescrição = Terapias / Cirurgias 3.Acompanhamento O primeiro

Leia mais

c) Observando essa imagem, o que podemos considerar como: um elemento natural? um elemento cultural?

c) Observando essa imagem, o que podemos considerar como: um elemento natural? um elemento cultural? SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / 2 / 205 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 4.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

CAPÍTULO 05 PERGUNTA EM PROFUNDIDADE MULTIDADOS ELEIÇÕES GOVERNADOR COM APRESENTAÇÃO DE CARGOS, HISTÓRICO E APOIOS.

CAPÍTULO 05 PERGUNTA EM PROFUNDIDADE MULTIDADOS ELEIÇÕES GOVERNADOR COM APRESENTAÇÃO DE CARGOS, HISTÓRICO E APOIOS. CAPÍTULO 05 PERGUNTA EM PROFUNDIDADE MULTIDADOS ELEIÇÕES GOVERNADOR COM APRESENTAÇÃO DE CARGOS, HISTÓRICO E APOIOS. ATENÇÃO: É apresentado ao eleitor o grupo político do Governador Anastasia e do senador

Leia mais

Temperatura, luz e desinfecção na germinação das sementes de Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera

Temperatura, luz e desinfecção na germinação das sementes de Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera Temperatura, luz e desinfecção na germinação das sementes de Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera Temperature, light and desinfection on seeds germination of Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera Daniele

Leia mais

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia Semana Nacional de Ciência e Tecnologia A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) promoverá diversos eventos que integram a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que acontece entre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL PRODUÇÃO DE MUDAS DE Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong EM DIFERENTES

Leia mais

USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi)

USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi) USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi) Kelly Dayana Benedet Maas 1 ; Greyce Charllyne Benedet Maas 1 ; Cristiane Ramos Vieira 1, Oscarlina Lucia

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s)

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Sinimbu Número: 013/2012 Número do Processo: 013/2012 Unidade de Compra: Setor de Compras e Licitações Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Mudas de Pessegueiro

Leia mais

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Recuperação de área degradada com o uso de lodo de esgoto

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Recuperação de área degradada com o uso de lodo de esgoto Experiências em Recuperação Ambiental Código Florestal Recuperação de área degradada com o uso de lodo de esgoto Recuperação de área degradada com o uso de lodo de esgoto 1. Bioma: Mata atlântica Estado:

Leia mais

Restauração de APP e RL

Restauração de APP e RL Restauração de APP e RL Demandas legais: manter ou recuperar a vegetação nativa em determinadas porções da propriedade rural (Lei Florestal) áreas pré-determinadas espacialmente (onde recuperar?). Demandas

Leia mais

Lista de Siglas e Abreviaturas

Lista de Siglas e Abreviaturas Lista de Siglas e Abreviaturas - ADENE - Agência de Desenvolvimento do Nordeste - APA - Área de Proteção Ambiental - ASA - Projetos de Articulação do Semi-Árido - BDMG - Banco de Desenvolvimento de Minas

Leia mais

blico-privada ( PPP ): Sinergia de sucesso no Fomento Florestal em Minas Gerais.

blico-privada ( PPP ): Sinergia de sucesso no Fomento Florestal em Minas Gerais. Parceria PúblicoP blico-privada ( PPP ): Sinergia de sucesso no Fomento Florestal em Minas Gerais. João Cancio de Andrade Araújo Superintendente Florestal ASIFLOR BRASÍLIA MARÇO/2010 ASSOCIAÇÃO DAS SIDERÚRGICAS

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Abril de 2014

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Abril de 2014 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Abril de 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff

Leia mais

As Florestas Plantadas na Sustentabilidade do Agronegócio

As Florestas Plantadas na Sustentabilidade do Agronegócio As Florestas Plantadas na Sustentabilidade do Agronegócio Junho de GILMAN VIANA RODRIGUES SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL EVOLUÇÃO DO USO DE FONTES

Leia mais

Avaliação da altura do Cedro Australiano (Toona ciliata var. australis) após diferentes níveis de adubação de plantio

Avaliação da altura do Cedro Australiano (Toona ciliata var. australis) após diferentes níveis de adubação de plantio Avaliação da altura do Cedro Australiano (Toona ciliata var. australis) após diferentes níveis de adubação de plantio Josimar Rodrigues OLIVEIRA 1** ; Josiane Rodrigues OLIVEIRA²; Urbano Teixeira Guimarães

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA MICROBACIA DO CÓRREGO MAMANGABA, MUNICÍPIO DE MUNDO NOVO/MS.

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA MICROBACIA DO CÓRREGO MAMANGABA, MUNICÍPIO DE MUNDO NOVO/MS. LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA MICROBACIA DO CÓRREGO MAMANGABA, MUNICÍPIO DE MUNDO NOVO/MS. Mauro do Nascimento¹; Msc. Claudia Universal Neves Batista Deinzer Duarte² ¹ Estudante do Curso de Ciências Biológicas

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ESTERCO BOVINO NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE JACARANDA CUSPIDIFOLIA (JACARANDÁ DE MINAS)

INFLUÊNCIA DO ESTERCO BOVINO NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE JACARANDA CUSPIDIFOLIA (JACARANDÁ DE MINAS) INFLUÊNCIA DO ESTERCO BOVINO NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE JACARANDA CUSPIDIFOLIA (JACARANDÁ DE MINAS) Rafaela Montanhera Antunes Graduanda em Agronomia, Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Wesley

Leia mais

ZONEAMENTO CLIMÁTICO DO CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata) PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

ZONEAMENTO CLIMÁTICO DO CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata) PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ZONEAMENTO CLIMÁTICO DO CEDRO AUSTRALIANO (Toona ciliata) PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Valéria H. Klippel 1, José Eduardo M. Pezzopane 2, José Ricardo M. Pezzopane 3, Fábio S. Castro 4, Roberto A. Cecílio

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ LABORATÓRIO DE ECOLOGIA E RESTAURAÇÃO FLORESTAL E LABORATÓRIO DE SILVICULTURA TROPICAL Modelos de silvicultura de espécies nativas

Leia mais

MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS

MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO E LANTIO DE MUDAS DE ESÉCIES FLORESTAIS MEIO AMBIENTE ARESENTAÇÃO Este manual foi desenvolvido como ferramenta destinada aos profissionais e aos interessados em realizar plantios

Leia mais

MANUTENÇÃO DO VIVEIRO DE MUDAS DA UNIDADE DE IVINHEMA

MANUTENÇÃO DO VIVEIRO DE MUDAS DA UNIDADE DE IVINHEMA MANUTENÇÃO DO VIVEIRO DE MUDAS DA UNIDADE DE IVINHEMA Daiane Luna de Sá 1 ; Glaucia Almeida de Morais 2 1 Estudante do Curso de Ciências Biológicas da UEMS, Unidade Universitária de Ivinhema. E-mail: daiane.ivi_16@hotmail.com

Leia mais

PLANEJAMENTO E MONITORAMENTO DE EVENTOS HIDROMETEOROLÓGICOS EXTREMOS

PLANEJAMENTO E MONITORAMENTO DE EVENTOS HIDROMETEOROLÓGICOS EXTREMOS PLANEJAMENTO E MONITORAMENTO DE EVENTOS HIDROMETEOROLÓGICOS EXTREMOS SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Palestrante: Jeane Dantas de Carvalho Instituto Mineiro de Gestão das Águas

Leia mais

Palavras-chave: Bromeliaceae, casa de vegetação, fertilização.

Palavras-chave: Bromeliaceae, casa de vegetação, fertilização. PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MACAMBIRA (Bromelia laciniosa) Wadson de Menezes Santos 1 ; Emile Dayara Rabelo Santana 2 ; Crislaine Alves dos Santos 2 ; Ana Paula Santana Lima 2 ;

Leia mais

MATAS CILIARES DO RIO BARBACENA: UM PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

MATAS CILIARES DO RIO BARBACENA: UM PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 MATAS CILIARES DO RIO BARBACENA: UM PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Anderson Correa Branco 1 ; Éderson Dias de Oliveira

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE NASCENTES EM ÁREA DE CERRADO, EMBRAPA GADO DE CORTE, CAMPO GRANDE, BRASIL.

RECUPERAÇÃO DE NASCENTES EM ÁREA DE CERRADO, EMBRAPA GADO DE CORTE, CAMPO GRANDE, BRASIL. RECUPERAÇÃO DE NASCENTES EM ÁREA DE CERRADO, EMBRAPA GADO DE CORTE, CAMPO GRANDE, BRASIL. Danielle Romagnoli Pregelli 1 ; Lidiamar Barbosa de Albuquerque 2 ; Jucely Gouveia 1 ; Rodiney de Arruda Mauro

Leia mais

Alternativas de Substratos Para Produção de Mudas de Piptadenia moniliformis Benth.

Alternativas de Substratos Para Produção de Mudas de Piptadenia moniliformis Benth. Alternativas de Substratos Para Produção de Mudas de Piptadenia moniliformis Benth. Welyton Martins de Freitas Souza ( ¹ ) ; Verônica Carvalho de Castro (2) ; Taíse Severo Aozani (3) ; Denilzia Marques

Leia mais

PROPOSTA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALTA QUALIDADE PARA ARBORIZAÇÃO URBANA NA REGIÃO LESTE E JEQUITINHONHA

PROPOSTA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALTA QUALIDADE PARA ARBORIZAÇÃO URBANA NA REGIÃO LESTE E JEQUITINHONHA PROPOSTA DE PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALTA QUALIDADE PARA ARBORIZAÇÃO URBANA NA REGIÃO LESTE E JEQUITINHONHA OBJETIVOS: MUDANÇA DE CULTURA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DESTINADAS A PROJETOS DE ARBORIZAÇÃO URBANA PARA

Leia mais

Relatório de Plantio de Florestas no Projeto de Carbono no Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari

Relatório de Plantio de Florestas no Projeto de Carbono no Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari Relatório de Plantio de Florestas no Projeto de Carbono no Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari Mineiros - GO Fevereiro de 2012 Oréades Núcleo de Geoprocessamento 2 Relatório de Plantio de Florestas

Leia mais

SUBSTRATO E VOLUME DE RECIPIENTE NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE JATOBÁ (Hymenaea courbaril L.)

SUBSTRATO E VOLUME DE RECIPIENTE NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE JATOBÁ (Hymenaea courbaril L.) Pesquisas Agrárias e Ambientais doi: 1.1483/2318-767.v2n2a7 http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/nativa ISSN: 2318-767 SUBSTRATO E VOLUME DE RECIPIENTE NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE JATOBÁ (Hymenaea

Leia mais

SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM SUBSTRATOS COM DIFERENTES DOSES DE AIB PLANTADAS EM TUBETE

SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM SUBSTRATOS COM DIFERENTES DOSES DE AIB PLANTADAS EM TUBETE 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM SUBSTRATOS COM DIFERENTES

Leia mais

Restauração de Áreas de Preservação Permanente APPs: Status e Perspectivas

Restauração de Áreas de Preservação Permanente APPs: Status e Perspectivas Restauração de Áreas de Preservação Permanente APPs: Status e Perspectivas Paulo Kageyama SBF/MMA, ESALQ/USP Seminário GEF Matas Ciliares - SMA Marília lia; ; 02/07/07 APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO HISTÓRICO

Leia mais

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Plantio de Enriquecimento em Linhas em Área de Cerradão, Assis, SP

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Plantio de Enriquecimento em Linhas em Área de Cerradão, Assis, SP Experiências em Recuperação Ambiental Código Florestal Plantio de Enriquecimento em Linhas em Área de Cerradão, Assis, SP Plantio de Enriquecimento em Linhas em Área de Cerradão, Assis, SP 1. Bioma: Cerrado

Leia mais

Utilização de diferentes proporções de casca de café carbonizadas para a produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Utilização de diferentes proporções de casca de café carbonizadas para a produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG-Campus Bambuí VIII Jornada Científica Utilização de diferentes proporções de casca de café carbonizadas para a produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Leia mais

PESQUISA ESTADO DE MINAS GERAIS:

PESQUISA ESTADO DE MINAS GERAIS: Pesquisa divulgada no site www.multidadospesquisa.com.br PESQUISA ESTADO DE MINAS GERAIS: GOVERNADOR SENADOR - PRESIDENTE PESQUISA ELEITORAL REGISTRO MG-00186/2014 PESQUISA: 29 DE SETEMBRO A 01 DE OUTUBRO

Leia mais

ANÁLISE TEMPORAL DAS ÁREAS DE EXPANSÃO DE REFLORESTAMENTO NA REGIÃO DO CAMPO DAS VERTENTES-MG

ANÁLISE TEMPORAL DAS ÁREAS DE EXPANSÃO DE REFLORESTAMENTO NA REGIÃO DO CAMPO DAS VERTENTES-MG 151 Introdução ANÁLISE TEMPORAL DAS ÁREAS DE EXPANSÃO DE REFLORESTAMENTO NA REGIÃO DO CAMPO DAS VERTENTES-MG Viviane Valéria Silva¹, Laura Rafaele S. Silva 1, Júlio Cezar Costa¹, Bruna Cardoso de Faria¹,

Leia mais

CRESCENTE EMPREENDIMENTOS LTDA.

CRESCENTE EMPREENDIMENTOS LTDA. CRESCENTE EMPREENDIMENTOS LTDA. Rua Alfa, 367 Bairro Vila Paris Contagem/MG Telefax: (31) 3281-8975 E-mail: gerencia@grupocrescente.com.br CRESCENTE EMPREENDIMENTOS LTDA. PROJETO: Agropecuária Rancho do

Leia mais

LEVANTAMENTO DO ÍNDICE DE DIVERSIDADE DA ARBORIZAÇÃO EM TRÊS BAIRROS DA CIDADE DE JANUÁRIA/MG

LEVANTAMENTO DO ÍNDICE DE DIVERSIDADE DA ARBORIZAÇÃO EM TRÊS BAIRROS DA CIDADE DE JANUÁRIA/MG 1 LEVANTAMENTO DO ÍNDICE DE DIVERSIDADE DA ARBORIZAÇÃO EM TRÊS BAIRROS DA CIDADE DE JANUÁRIA/MG Igor Geraldo Alves Santana 1 ; Wellisson Pereira Martins 2 ; Tattiane Gomes Costa 3 Resumo: O levantamento

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALBÍZIA SOB DIFERENTES DENSIDADES NA BANDEJA E VOLUMES DOS TUBETES

PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALBÍZIA SOB DIFERENTES DENSIDADES NA BANDEJA E VOLUMES DOS TUBETES PRODUÇÃO DE MUDAS DE ALBÍZIA SOB DIFERENTES DENSIDADES NA BANDEJA E VOLUMES DOS TUBETES Aline Ramalho dos Santos (1) ; Marília Dutra Massad (2) ; Tiago Reis Dutra (3) ; Eduarda Soares Menezes (4) ; Marcos

Leia mais

Produção e Doação de Mudas pela Secretaria de Meio Ambiente de Ji-Paraná, Rondônia

Produção e Doação de Mudas pela Secretaria de Meio Ambiente de Ji-Paraná, Rondônia Produção e Doação de Mudas pela Secretaria de Meio Ambiente de Ji-Paraná, Rondônia Production and donation of seedlings by the Department of the Environment Ji -Parana, Rondonia PEQUENO, Maiane Vilanova

Leia mais

[T] Utilização do pó de fumo no substrato para produção de mudas de tucaneira

[T] Utilização do pó de fumo no substrato para produção de mudas de tucaneira ISSN 0103-989X Licenciado sob uma Licença Creative Commons [T] Utilização do pó de fumo no substrato para produção de mudas de tucaneira [I] Utilization of the powder smoke in the substrate for production

Leia mais

SELEÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE GENÓTIPOS DE EUCALIPTO CITRIODORA (Corymbia citriodora) QUANTO À PRODUÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL NA REGIÃO SUL DO TOCANTINS

SELEÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE GENÓTIPOS DE EUCALIPTO CITRIODORA (Corymbia citriodora) QUANTO À PRODUÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL NA REGIÃO SUL DO TOCANTINS SELEÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE GENÓTIPOS DE EUCALIPTO CITRIODORA (Corymbia citriodora) QUANTO À PRODUÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL NA REGIÃO SUL DO TOCANTINS Ana Beatriz Marques Honório 1 ; Tarcísio Alves Castro Barros

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COFFEA ARABICA PRODUZIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COFFEA ARABICA PRODUZIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES TÍTULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COFFEA ARABICA PRODUZIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: CIÊNCIAS AGRÁRIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO

Leia mais

Características biométricas de cafeeiro intercalado com diferentes sistemas de produção de abacaxizeiro para agricultura familiar do Projeto Jaíba

Características biométricas de cafeeiro intercalado com diferentes sistemas de produção de abacaxizeiro para agricultura familiar do Projeto Jaíba Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Características biométricas de cafeeiro intercalado com diferentes sistemas de produção de abacaxizeiro para agricultura familiar

Leia mais

PROJETO NASCENTES VERDES RIOS VIVOS RELATÓRIO DE ATIVIDADES Nº

PROJETO NASCENTES VERDES RIOS VIVOS RELATÓRIO DE ATIVIDADES Nº PROJETO NASCENTES VERDES RIOS VIVOS RELATÓRIO DE ATIVIDADES Nº 01.2011 Maio 2011 Realização: IPÊ Instituto de Pesquisas Ecológicas Unidade de Negócios Sustentáveis Projeto Nascentes Verdes Rios Vivos Coordenação:

Leia mais

Adequação das Propriedades Rurais ao Código Florestal : Alternativas Econômicas e Novos Mercados criados pela Restauração Florestal

Adequação das Propriedades Rurais ao Código Florestal : Alternativas Econômicas e Novos Mercados criados pela Restauração Florestal Adequação das Propriedades Rurais ao Código Florestal : Alternativas Econômicas e Novos Mercados criados pela Restauração Florestal Dr. Sergius Gandolfi 2ª - Conferência do Desenvolvimento Instituto de

Leia mais

Efeitos da mudança de recipiente em viveiro na qualidade de mudas de Cassia leptophylla Vogel, Eugenia involucrata DC. e de Cedrela fissilis Vell

Efeitos da mudança de recipiente em viveiro na qualidade de mudas de Cassia leptophylla Vogel, Eugenia involucrata DC. e de Cedrela fissilis Vell Efeitos da mudança de recipiente em viveiro na qualidade de mudas de Cassia leptophylla Vogel, Eugenia involucrata DC. e de Cedrela fissilis Vell Effect of changes in seeding container on the quality of

Leia mais

4 Núcleos de Trabalho. 26 Colaboradores. Entidade civil sem fins lucrativos de caráter socioambiental, fundada em 1996, sediada na cidade de São Paulo

4 Núcleos de Trabalho. 26 Colaboradores. Entidade civil sem fins lucrativos de caráter socioambiental, fundada em 1996, sediada na cidade de São Paulo Entidade civil sem fins lucrativos de caráter socioambiental, fundada em 1996, sediada na cidade de São Paulo 4 Núcleos de Trabalho São Paulo Porto Feliz Pilar do Sul Capão Bonito 26 Colaboradores eng.

Leia mais

Luiz Mauro Barbosa Pesquisador Científico. VI Coordenadoria Especial de Restauração de Áreas Degradadas - CERAD Instituto de Botânica / SMA

Luiz Mauro Barbosa Pesquisador Científico. VI Coordenadoria Especial de Restauração de Áreas Degradadas - CERAD Instituto de Botânica / SMA Luiz Mauro Barbosa Pesquisador Científico VI Coordenadoria Especial de Restauração de Áreas Degradadas - CERAD Instituto de Botânica / SMA PROCESSO HISTÓRICO 20 anos de RAD Processo Histórico Anos 80...

Leia mais

A profusão de igrejas entre estudantes do curso de teologia do Izabela Hendrix, em Belo Horizonte, MG

A profusão de igrejas entre estudantes do curso de teologia do Izabela Hendrix, em Belo Horizonte, MG A profusão de igrejas entre estudantes do curso de teologia do Izabela Hendrix, em Belo Horizonte, MG Adilson Schultz Ebenezer da Silva Melo Junior O tema da pesquisa: a filiação religiosa diversificada

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica Casca de café carbonizada e vermiculita como substrato alternativo para produção de mudas de tomate Jakeline Aparecida

Leia mais

IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DE SEMENTES FLORESTAIS. Produção de sementes da Floresta Atlântica de Tabuleiros Costeiros -ES/BA

IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DE SEMENTES FLORESTAIS. Produção de sementes da Floresta Atlântica de Tabuleiros Costeiros -ES/BA IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DE SEMENTES FLORESTAIS Produção de sementes da Floresta Atlântica de Tabuleiros Costeiros -ES/BA ESTRATÉGIA Reunião de atores relacionados Pesquisa + Extensão + Normatização

Leia mais

Desenvolvimento inicial e acúmulo da biomassa de mudas de pinhão manso em diferentes condições de luminosidade

Desenvolvimento inicial e acúmulo da biomassa de mudas de pinhão manso em diferentes condições de luminosidade 11737 - Desenvolvimento inicial e acúmulo da biomassa de mudas de pinhão manso em diferentes condições de luminosidade Early growth accumulation of biomass jatropha seedlings in different light conditions

Leia mais

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Módulos demonstrativos de restauração ecológica para ambientes savânicos do bioma Cerrado

Experiências em Recuperação Ambiental. Código Florestal. Módulos demonstrativos de restauração ecológica para ambientes savânicos do bioma Cerrado Experiências em Recuperação Ambiental Código Florestal Módulos demonstrativos de restauração ecológica para ambientes savânicos do bioma Cerrado Módulos demonstrativos de restauração ecológica para ambientes

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA POPULAÇÃO EM MINAS GERAIS: UMA ANÁLISE SOBRE A POBREZA

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA POPULAÇÃO EM MINAS GERAIS: UMA ANÁLISE SOBRE A POBREZA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA POPULAÇÃO EM MINAS GERAIS: UMA ANÁLISE SOBRE A POBREZA Breno A. T. D. de Pinho Alane Siqueira Rocha Fausto Brito RESUMO Nas últimas décadas, observou-se uma tendência de declínio

Leia mais

Crescimento de mudas de cedro-rosa em diferentes substratos

Crescimento de mudas de cedro-rosa em diferentes substratos Pesquisa Florestal Brasileira Brazilian Journal of Forestry Research https://www.embrapa.br/pfb Crescimento de mudas de cedro-rosa em diferentes substratos Lúcio dos Reis Oliveira 1, Sebastião Ferreira

Leia mais

NOVO MAPA NO BRASIL?

NOVO MAPA NO BRASIL? NOVO MAPA NO BRASIL? Como pode acontecer A reconfiguração do mapa do Brasil com os novos Estados e Territórios só será possível após a aprovação em plebiscitos, pelos poderes constituídos dos respectivos

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 11 a 20 de Janeiro de 2011

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 11 a 20 de Janeiro de 2011 BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 11 a 20 de Janeiro de 2011 I. DIAGNÓSTICO Comportamento das Chuvas O segundo decêndio de janeiro foi caracterizado por chuvas fortes e recorrentes, principalmente no

Leia mais

PESQUISA DE OPINIAO PUBLICA SOBRE TORCIDAS DE FUTEBOL MINAS GERAIS OUTUBRO DE 1998 OPP 586 IBOPE

PESQUISA DE OPINIAO PUBLICA SOBRE TORCIDAS DE FUTEBOL MINAS GERAIS OUTUBRO DE 1998 OPP 586 IBOPE SOBRE TORCIDAS DE FUTEBOL OUTUBRO DE 1998 OPP 586 E S P E C I F I C A C O E S =========================== OBJETIVO - LEVANTAR JUNTO A POPULACAO DA AREA EM ESTUDO OPINIOES RELACIONADAS A FUTEBOL. LOCAL

Leia mais

POTENCIAIS MATRIZES PRODUTORAS DE SEMENTES DE UVAIA DO IFSULDEMINAS CÂMPUS INCONFIDENTES PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS EM ESCALA COMERCIAL

POTENCIAIS MATRIZES PRODUTORAS DE SEMENTES DE UVAIA DO IFSULDEMINAS CÂMPUS INCONFIDENTES PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS EM ESCALA COMERCIAL 6ª Jornada Científica e Tecnológica e 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 04 e 05 de novembro de 2014, Pouso Alegre/MG POTENCIAIS MATRIZES PRODUTORAS DE SEMENTES DE UVAIA DO IFSULDEMINAS CÂMPUS

Leia mais

TEMA: Sementes e mudas florestais

TEMA: Sementes e mudas florestais TEMA: Sementes e mudas florestais EFEITO DO TAMANHO DE RECIPIENTE E DOSES DE FERTILIZANTE NO CRESCIMENTO DE MUDAS DE Parapiptadenia rigida (BENTH.) BRENAN. EM PLANTIO A CAMPO Patrícia Mieth; Maristela

Leia mais