CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A"

Transcrição

1 D E S E M P E N H O D E CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A O R I O G R A N D E D O S U L Julho, 2013 RESULTADOS DE Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas pelo zoneamento agrícola, em ensaios uniformes nas diferentes regiões do Rio Grande do Sul. Orientação complementar para a assistência técnica e produtores rurais, na tomada de decisão sobre quais cultivares recomendar ou usar.

2 Os dados aqui apresentados foram obtidos em uma rede experimental conduzida pela área de Pesquisa e Desenvolvimento da Fundação Pró- Sementes. Fundação Pró-Sementes Rua Diogo Oliveira, Passo Fundo, RS, Brasil Fone/Fax: Site: Este documento foi elaborado por Victor Sommer, Kassiana Kehl e José Hennigen. 2

3 SUMÁRIO SUMÁRIO... 3 ÍNDICE DE TABELAS... 4 ÍNDICE DE FIGURAS... 6 INTRODUÇÃO... 7 CONDIÇÕES CLIMÁTICAS... 7 METODOLOGIA UTILIZADA PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS APOIO RESULTADOS CULTIVARES TRANSGÊNICAS (RR) DADOS POR MICRROREGIÃO CULTIVARES TRANSGÊNICAS (RR) DADOS POR LOCAL CULTIVARES TRANSGÊNICAS (RR) DADOS DE ÁREAS CULTIVADAS COM ARROZ ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema Farsul 3

4 ÍNDICE DE TABELAS Tabela 1 - Relação de obtentores, cultivares transgênicas (RR) e grupo de maturação relativa (GMR)...12 Tabela 2 Obtentores de cultivares de soja incluídos nos ensaios...14 Tabela 3 - Locais dos ensaios, cooperadores e características fisiográficas, Rio Grande do Sul...15 Tabela 4 - Locais dos ensaios, microrregiões, datas de semeadura, emergência e término da colheita, Rio Grande do Sul...15 Tabela 5 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião (MR) 101, RS, safra 2012/2013, local, rendimento (kg/ha e sacos/ha). Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 6 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião (MR) 102, RS, safra 2012/2013, local, rendimento ( kg/ha e sacos/ha ). Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 7 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião (MR) 103, RS, safra 2012/2013, local, rendimento (kg/ha e sacos/ha). Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 8 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Cachoeira do Sul, no dia 29 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 9 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em São Gabriel, no dia 10 de dezembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 10 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Jaguarão, no dia 05 de dezembro de Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 11 - Rendimento de grãos (kg/ha e sacos/ha ), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2011/12, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Dom Pedrito, no dia 15 de novembro de Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 12 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Júlio de Castilhos, no dia 26 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e 2012/2013 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 13 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/2013, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Não-Me-Toque, no dia 20 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2011/2012 e 2012/2013 e Média do período 2011/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema Farsul

5 Tabela 14 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/2013, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Passo Fundo, no dia 14 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012, 2012/2013 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 15 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Santo Augusto, no dia 9 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 16 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em São Luiz Gonzaga, no dia 17 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010 e 2010/2011 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 17 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Vacaria, no dia 15 de dezembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 18 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião 101, RS, safra 2012/2013, semeada em áreas de várzea, local, rendimento (kg/ha e sacos/ha ). Fundação Pró- Sementes, julho/ Tabela 19 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Cachoeira do Sul, em área de várzea, no dia 30 de novembro de Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 20 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Camaquã, em área de várzea, do dia 4 de dezembro de Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 21 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2011/12, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Dom Pedrito, em área de várzea, no dia 15 de novembro de Fundação Pró-Sementes, julho/ Tabela 22 - Rendimento de grãos (kg/ha), safra 2011/12 e 2012/2013, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Cachoeira do Sul, Camaquã, Capão do Leão, Dom Pedrito e São Gabriel, em área de várzea. Fundação Pró-Sementes, julho/ ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema Farsul 5

6 ÍNDICE DE FIGURAS Figura 1 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, outubro de 2012, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...8 Figura 2 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, novembro de 2012, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...8 Figura 3 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, dezembro de 2012, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...9 Figura 4 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, janeiro de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...9 Figura 5 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, fevereiro de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...10 Figura 6 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, março de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...10 Figura 7 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, abril de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro...11 Figura 8 - Macrorregião 1 com as respectivas microrregiões e município s onde foram realizados os Ensaios de Cultivares em Rede no Rio Grande do Sul ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema Farsul

7 DESEMPENHO DAS CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA O RIO GRANDE DO SUL - SAFRA 2012/2013 INTRODUÇÃO A obtenção de dados sobre o rendimento e características agronômicas de cultivares de soja, indicadas pelo zoneamento agrícola, nas diferentes microrregiões do Rio Grande do Sul, é de suma importância para auxiliar a assistência técnica e produtores rurais, na tomada de decisão sobre quais cultivares recomendar ou utilizar já próxima safra. O objetivo deste trabalho é oferecer informações adicionais sobre o desempenho agronômico das cultivares registradas de soja, obtidas através de ensaios uniformes, nas diversas regiões produtoras do RS. CONDIÇÕES CLIMÁTICAS Nesta safra 2012/2013, diferentemente do observado na safra anterior, foram registradas no RS condições climáticas mais estáveis e próximas da normalidade que propiciaram bom desenvolvimento da cultura da soja nos estádios vegetativo e reprodutivo. Esta realidade climática, aliada aos bons preços praticados sobre o grão de soja no mercado, determinaram, na maioria das regiões, boas receitas que favoreceram parcialmente na recuperação e estabilização financeira de muitos agricultores. A visualização do regime pluviométrico ocorrido nas diversas fases de desenvolvimento da cultura da soja da safra 2012/2013 pode ser observada na sequência das Figuras 1 a 7 que abrangem o período de outubro de 2012 a abril de 2013.

8 Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) - Outubro/2012 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 1 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, outubro de 2012, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro. Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) - Novembro/2012 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 2 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, novembro de 2012, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro. 8 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

9 Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) - Dezembro/2012 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 3 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, dezembro de 2012, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro. Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) Janeiro/2013 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 4 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, janeiro de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro.

10 Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) Fevereiro/2013 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 5 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, fevereiro de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro. Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) Março/2013 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 6 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, março de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro. 10 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

11 Precipitação Pluvial Desvio da Normal (mm) Abril/2013 Fonte: FEPAGRO e 8 DISME ( ) Figura 7 Precipitação Pluvial Desvio da Normal, em mm, abril de 2013, segundo informações do Centro de Meteorologia Aplicada da Fepagro. METODOLOGIA UTILIZADA PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS Conforme classificação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA, os ensaios foram constituídos por cultivares indicados no Zoneamento Agrícola de soja respeitando seus respectivos Grupos de Maturidade Relativa, GMR. No GMR I foram testandas todas as cultivares do grupo de maturidade inferior a 6.4. No GMR II foram incluídas e testadas as cultivares com grupo de maturidade compreendido entre 6.4 e 7.4. Os cultivares de ciclo mais longo foram incluídos no ensaio de GMR III onde foram testados todos cultivares com grupo de maturidade superior a 7.4. Foram testadas 102 cultivares de soja transgênica RR de diferentes obtentores e diferentes GMR, respeitando a indicação do Zoneamento Agrícola do MAPA para o estado do Rio Grande do Sul. (Tabela 1). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com três repetições. As unidades experimentais foram constituídas de cinco linhas, com quatro metros de comprimento, espaçadas de 45 centímetros e densidade de semeadura de

12 plantas/ha. A semeadura foi efetuada por semeadeira de parcelas, marca Vence Tudo, adaptada ao sistema pneumático. Em áreas sem problemas de drenagem utilizou-se o sistema de plantio direto enquanto que em várzeas foi utilizado o sistema de plantio convencional. Das parcelas foram colhidas as três linhas centrais, totalizando uma área útil de 5,4 m 2. A colheita foi realizada com colheitadeira de parcelas marca Hege. Os ensaios foram instalados em 13 locais (Tabela 3) estrategicamente distribuídos nas principais regiões produtoras de soja. O estado do Rio Grande do Sul está localizado na Macrorregião 1 e é subdivido em três Microrregiões, que são: 101, 102 e 103 (Figura 8). Tabela 1 - Relação de obtentores, cultivares transgênicas (RR) e grupo de maturação relativa (GMR). Obtentor Cultivar GMR Obtentor Cultivar GMR BR Genética IGRA 818 III Brasmax ROOS AVANCE RR I BR Genética IGRA 828 III Brasmax ROOS CAMINO RR I BR Genética IGRA510 II CCGL FUNDACEP 53 RR II BR Genética IGRA526 II CCGL FUNDACEP 55 RR I BR Genética IGRA545TR I CCGL FUNDACEP 57 RR II BR Genética IGRA645TR I CCGL FUNDACEP 58 RR II BR Genética IGRA745TR II CCGL FUNDACEP 59 RR III BR Genética RA 518 I CCGL FUNDACEP 61RR I BR Genética RA 626 II CCGL FUNDACEP 62 RR I BR Genética RA 628 II CCGL FUNDACEP 64 RR II BR Genética RA 728 II CCGL FUNDACEP 65 RR I Brasmax AFS 110 RR I CCGL FUNDACEP 66 RR I Brasmax BMX ATIVA RR I Coodetec 5D660 RR II Brasmax BMX ENERGIA RR I Coodetec 5D688 RR II Brasmax BMX FORÇA RR I Coodetec 5D690 RR II Brasmax BMX POTÊNCIA RR II Coodetec 5D711 RR II Brasmax BMX TITAN RR I Coodetec CD 202 RR II Brasmax BMX TURBO RR I Coodetec CD 206 RR II Brasmax DON MARIO 5.8i RR I Coodetec CD 214 RR II Brasmax DON MARIO 6200 RR I Coodetec CD 215 RR I Brasmax DON MARIO 7.0i RR I Coodetec CD 219 RR III Brasmax FPS ANTARES RR II Coodetec CD 231 RR II Brasmax FPS JÚPITER RR I Coodetec CD 235 RR II Brasmax FPS NETUNO RR I Coodetec CD 236 RR I Brasmax FPS URANO RR I Coodetec CD 238 RR II 12 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

13 Obtentor Cultivar GMR Obtentor Cultivar GMR Coodetec CD 239 RR II Melhor. A. Ltda FPS PARANAPANEMA RR I Coodetec CD 248 RR II Melhor. A. Ltda FPS SOLIMÕES RR I Coodetec CD 249 RR STS II Nidera A 4725 RG I Coodetec CD 250 RR I Nidera A 6411 RG I Coodetec CD 2585 RR I Nidera A 7321 RG II Coodetec CD 2630 RR I Nidera NA 4990 RG I Coodetec CD 2737 RR II Nidera NA 5909 RG I Don Mario 6863 RSF I Nidera NK 7059 RR I Don Mario 7869 RSF II Nidera NS 4823 I Don Mario 8473RSF II Nidera NS 5858 I Embrapa BRS 243 RR II Nidera NS 6262 I Embrapa BRS 246 RR II Nidera NS 6636 II Embrapa BRS CHARRUA RR II Syngenta SYN 1049 RR I Embrapa BRS ESTÂNCIA RR I Syngenta SYN 1059 RR I Embrapa BRS PAMPA RR III Syngenta SYN 1152 RR I Embrapa BRS TAURA RR II Syngenta SYN 1157 RR I Embrapa BRS TERTÚLIA RR II Syngenta SYN 1158 RR I Embrapa BRS TORDILHA RR I Syngenta SYN 1161 RR I Fepagro FEPAGRO 36 RR II Syngenta SYN 1163 RR I Fepagro FEPAGRO 37 RR I Syngenta SYN 3358 RR I FTS Sementes FTS CAFELÂNDIA RR I Syngenta SYN 9053 RR I FTS Sementes FTS CAMPO MOURÃO RR II Syngenta SYN 9070 RR II FTS Sementes FTS REALEZA RR III TMG TMG 1067 RR II Luiz A. Benso BENSO 1 RR I TMG TMG 4001 RR II Melhor. A. Ltda AMS TIBAGI RR I TMG TMG 7161 RR I Melhor. A. Ltda FPS IGUAÇÚ RR I TMG TMG 7262 RR I Fonte: MAPA Portaria do Zoneamento Agrícola da soja para a safra 2012/2013.

14 Tabela 2 Obtentores de cultivares de soja incluídos nos ensaios. Obtentor BR Genética Brasmax Genética CCGL Tecnologia Coodetec Don Mario Sementes Ltda Embrapa - Embrapa Soja Embrapa - Embrapa Trigo Fepagro FTS Sementes SA Luiz Alberto Benso Melhoramento Agropastoril Ltda Nidera Sementes Ltda Syngenta Seeds Ltda Tropical Melhoramento e Genética Endereço eletrônico As sementes foram tratadas com inseticidas e fungicidas recomendados para a cultura da soja. A adubação, no momento da semeadura, foi feita conforme a análise de solo de cada área, resultando numa média de 320 kg/ha. Por ocasião da semeadura foi realizado no sulco a inoculação das sementes com Bradyrizobium japonicum. Durante o desenvolvimento das plantas foi realizado, com produtos indicados pela pesquisa, o controle químico de insetos e doenças. O número de aplicações, por ensaio, variou de acordo com a intensidade e ocorrência das pragas e enfermidades. O rendimento das parcelas foi obtido pelo peso de cada parcela, corrigido pela umidade a 13%, sendo, posteriormente, transformado em kg/ha. Em cada ensaio, foram determinadas as principais variáveis: data de semeadura, dias da emergência à floração, dias da emergência à colheita e altura de planta. O planejamento da semeadura seguiu as orientações estabelecidas no Zoneamento Agrícola de Risco Climático para a cultura da soja no estado do Rio Grande do Sul. 14 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

15 Tabela 3 - Locais dos ensaios, cooperadores e características fisiográficas, Rio Grande do Sul. Município Microrregião Cooperador Altitude Latitude Longitude (m) Sul Oeste Cachoeira do Sul 101 Udo Strobel ' 46,13'' 52 58' 6,80'' Cachoeira do Sul ¹ 101 Udo Strobel ' 54,20'' 52 39' 40,13'' Camaquã ¹ 101 AUD ' 08,56'' 51 47' 41,01'' Dom Pedrito 101 Campo Limpo ' 17,01'' 54 45' 41,01'' Dom Pedrito ¹ 101 Campo Limpo ' 58,12'' 54 44' 39,03'' Jaguarão 101 Sindicato Rural ' 01,77'' 53 22' 11,61'' Júlio de Castilhos 102 FEPAGRO ' 10,68'' 53 41' 34,27'' Não-Me-Toque 102 Cotrijal ' 49,35'' 52 53' 25,66'' Passo Fundo 102 Iomar Razera ' 48,57'' 52 33' 44,33'' Santo Augusto 102 ASP Sementes ' 19,53'' 53 51' 30,71'' São Gabriel 101 Ivo Muller ' 15,07'' 54 14' 13,93'' São Luiz Gonzaga 102 Sementes Umbú ' 48,13'' 54 45' 56,99 '' Vacaria 103 Chapada Grãos ' 34,81'' 51 02' 16,86'' Obs.: 1 várzea Tabela 4 - Locais dos ensaios, microrregiões, datas de semeadura, emergência e término da colheita, Rio Grande do Sul. Município Microrregião Semeadura Emergência Término da Colheita Cachoeira do Sul /11/ /12/ /05/2013 Cachoeira do Sul ¹ /11/ /12/ /05/2013 Camaquã ¹ /12/ /12/ /04/2013 Dom Pedrito /11/ /11/ /04/2012 Dom Pedrito ¹ /11/ /11/ /04/2012 Jaguarão /12/ /12/ /05/2013 Júlio de Castilhos /11/ /12/ /04/2013 Não-Me-Toque /11/ /12/ /05/2013 Passo Fundo /11/ /11/ /04/2013 Santo Augusto /11/ /11/ /05/2013 São Gabriel /12/ /12/ /05/2013 São Luiz Gonzaga /11/ /11/ /05/2013 Vacaria /11/ /11/ /04/2013 Obs.: ¹várzea

16 APOIO A realização deste trabalho, em seu quinto ano de execução, foi possível graças à parceria estabelecida entre o Sistema FARSUL e a Fundação Pró-Sementes. Ressalte-se o alto grau de informalidade e confiança entre as organizações mencionadas. Nos municípios de Cachoeira do Sul, Camaquã e Dom Pedrito os ECR de soja foram conduzidos em áreas de várzeas de arroz, respectivamente com o apoio do Sr. Udo Strobel, da Associação dos Usuários do Perímetro de Irrigação do Arroio Duro, AUD, e da empresa Campo Limpo Insumos Agropecuários Ltda. A Cooperativa Cotrijal e a empresa Campo Limpo Insumos Agropecuários Ltda apoiaram na condução dos ECR em áreas de coxilha nos município de Não-Me-Toque e Dom Pedrito. RESULTADOS Os diferentes locais dos ensaios foram agrupados de acordo com o zoneamento agrícola para a cultura da soja, nas microrregiões 101, 102 e 103, no Rio Grande do Sul (Figura 8). Os rendimentos médios mais expressivos, dos ensaios de Grupos de Maturidade Relativa I, II e III, foram registrados nos ensaios da microrregião 102 conduzidos em São Luiz Gonzaga, kg/ha, Não-Me-Toque, kg/ha e Santo Augusto com kg/ha. 16 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

17 Macrorregião Sojícola 1 S. Augusto Passo Fundo Não-Me-Toque S. L. Gonzaga Júlio de Castilhos Vacaria Fundo Cachoeira do Sul (2) São Gabriel D. Pedrito(2) Camaquã Jaguarão Figura 8 - Macrorregião 1 com as respectivas microrregiões e municípios onde foram realizados os Ensaios de Cultivares em Rede no Rio Grande do Sul.

18 CULTIVARES DE SOJA TRANSGÊNICA ( RR ) - DADOS POR MICRORREGIÃO Tabela 5 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião (MR) 101, RS, safra 2012/2013, local, rendimento (kg/ha e sacos/ha). Fundação Pró-Sementes, julho/2013. Cultivar GMR Cachoeira do Sul Jaguarão São Gabriel Dom Pedrito Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha 8473RSF II NA 5909 RG I CD 2737 RR II RA 628 II ROOS AVANCE RR I CD 231 RR II SYN 3358 RR I NS 6262 I SYN 9053 RR I FUNDACEP 65 RR I BMX POTÊNCIA RR II RSF II CD 248 RR II SYN 1059 RR I FPS JÚPITER RR I CD 236 RR I IGRA545TR I DON MARIO 7.0i RR I ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

19 Cultivar GMR Cachoeira do Sul Jaguarão São Gabriel Dom Pedrito Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha CD 219 RR III FPS URANO RR I TMG 7161 RR I A 6411 RG I NK 7059 RR I FUNDACEP 64 RR II SYN 9070 RR II TMG 7262 RR I FUNDACEP 62 RR I IGRA 818 III RA 518 I BMX ATIVA RR I BRS 246 RR II D688 RR II FTS CAFELÂNDIA RR I SYN 1161 RR I FUNDACEP 53 RR II BMX TURBO RR I RA 728 II FUNDACEP 57 RR II CD 239 RR II FPS NETUNO RR I TMG 1067 RR II

20 Cultivar GMR Cachoeira do Sul Jaguarão São Gabriel Dom Pedrito Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha IGRA645TR I D660 RR II CD 214 RR II BRS PAMPA RR III RA 626 II CD 235 RR II BENSO 1 RR I FEPAGRO 37 RR I BRS CHARRUA RR II RSF I AFS 110 RR I IGRA526 II CD 249 RR STS II BRS ESTÂNCIA RR I FTS CAMPO MOURÃO RR II BRS TERTÚLIA RR II SYN 1163 RR I DON MARIO 6200 RR I SYN 1157 RR I FUNDACEP 55 RR I NS 6636 II FUNDACEP 61RR I SYN 1158 RR I ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

21 Cultivar GMR Cachoeira do Sul Jaguarão São Gabriel Dom Pedrito Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha 5D690 RR II BRS TAURA RR II CD 202 RR II ROOS CAMINO RR I FUNDACEP 58 RR II A7321 RG II BRS TORDILHA RR I FEPAGRO 36 RR II IGRA510 II TMG 4001 RR II D711 RR II FUNDACEP 59 RR III FPS SOLIMÕES RR I DON MARIO 5.8i RR I BRS 243 RR II BMX ENERGIA RR I NS 5858 I CD 2630 RR I CD 206 RR II BMX FORÇA RR I BMX TITAN RR I CD 238 RR II FTS REALEZA RR III

22 Cultivar GMR Cachoeira do Sul Jaguarão São Gabriel Dom Pedrito Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha FUNDACEP 66 RR I FPS PARANAPANEMA RR I FPS ANTARES RR II NS 4823 I CD 215 RR I CD 2585 RR I IGRA 828 III NA 4990 RG I CD 250 RR I IGRA745TR II SYN 1049 RR I AMS TIBAGI RR I SYN 1152 RR I A 4725 RG I FPS IGUAÇÚ RR I Média , , , , ,7 22 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

23 Tabela 6 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião (MR) 102, RS, safra 2012/2013, local, rendimento ( kg/ha e sacos/ha ). Fundação Pró-Sementes, julho/2013. Cultivar GMR Júlio de Castilhos Não-Me-Toque Passo Fundo Santo Augusto São Luiz Gonzaga Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha 6863 RSF I FPS JÚPITER RR I NA 5909 RG I BMX TURBO RR I BRS TORDILHA RR I BMX FORÇA RR I AFS 110 RR I A 6411 RG I FPS ANTARES RR II DON MARIO 5.9i I FPS URANO RR I SYN 1059 RR I DON MARIO 6200 RR I DON MARIO 7.0i RR I FEPAGRO 37 RR I CD 2630 RR I SYN 1163 RR I RSF II FUNDACEP 55 RR I FUNDACEP 65 RR I

24 Cultivar GMR Júlio de Castilhos Não-Me-Toque Passo Fundo Santo Augusto São Luiz Gonzaga Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha ROOS CAMINO RR I BMX ENERGIA RR I ROOS AVANCE RR I SYN 1157 RR I RA 628 II DON MARIO 5.8i RR I BMX ATIVA RR I IGRA526 II IGRA510 II NS 6636 II SYN 1158 RR I BMX POTÊNCIA RR II BENSO 1 RR I SYN 1161 RR I CD 236 RR I FPS NETUNO RR I CD 235 RR II FPS SOLIMÕES RR I A7321 RG II TMG 7262 RR I CD 202 RR II SYN 3358 RR I NK 7059 RR I ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

25 Cultivar GMR Júlio de Castilhos Não-Me-Toque Passo Fundo Santo Augusto São Luiz Gonzaga Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha 5D660 RR II RA 626 II BRS ESTÂNCIA RR I CD 215 RR I RA 518 I IGRA545TR I BMX TITAN RR I FPS PARANAPANEMA RR I FUNDACEP 61RR I IGRA645TR I FTS CAMPO MOURÃO RR II CD 2585 RR I FTS CAFELÂNDIA RR I FUNDACEP 62 RR I BRS CHARRUA RR II TMG 7161 RR I CD 2737 RR II BRS 246 RR II TMG 1067 RR II CD 239 RR II SYN 9070 RR II CD 238 RR II AMS TIBAGI RR I

26 Cultivar GMR Júlio de Castilhos Não-Me-Toque Passo Fundo Santo Augusto São Luiz Gonzaga Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha BRS 243 RR II RSF II BRS TERTÚLIA RR II CD 219 RR III FUNDACEP 57 RR II FUNDACEP 53 RR II CD 231 RR II NS 6262 I TMG 4001 RR II SYN 1049 RR I SYN 9053 RR I CD 250 RR I CD 248 RR II CD 214 RR II FUNDACEP 66 RR I NS 5858 I FPS IGUAÇÚ RR I RA 728 II NS 4823 I BRS PAMPA RR III BRS TAURA RR II SYN 1152 RR I FUNDACEP 64 RR II ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

27 Cultivar GMR Júlio de Castilhos Não-Me-Toque Passo Fundo Santo Augusto São Luiz Gonzaga Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha CD 249 RR STS II FUNDACEP 58 RR II D690 RR II FEPAGRO 36 RR II NA 4990 RG I IGRA745TR II D711 RR II IGRA 818 III D688 RR II FTS REALEZA RR III CD 206 RR II A 4725 RG I IGRA 828 III FUNDACEP 59 RR III Média , , , , , ,6

28 Tabela 7 - Ensaio de cultivares registradas de soja transgênica RR, Microrregião (MR) 103, RS, safra 2012/2013, local, rendimento (kg/ha e sacos/ha). Fundação Pró- Sementes, julho/2013. Cultivar GMR Vacaria Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha IGRA545TR I DON MARIO 5.8i RR I BENSO 1 RR I FPS JÚPITER RR I BRS ESTÂNCIA RR I TMG 7161 RR I FPS ANTARES RR II ROOS CAMINO RR I CD 202 RR II DON MARIO 5.9i I BMX ATIVA RR I CD 215 RR I SYN 1157 RR I BMX ENERGIA RR I CD 236 RR I FEPAGRO 37 RR I NS 6262 I AFS 110 RR I BRS TERTÚLIA RR II RA 628 II BMX TURBO RR I FTS CAFELÂNDIA RR I A 6411 RG I DON MARIO 7.0i RR I NA 5909 RG I FPS PARANAPANEMA RR I RA 518 I SYN 1158 RR I FUNDACEP 65 RR I IGRA645TR I NS 6636 II AMS TIBAGI RR I BRS TORDILHA RR I IGRA526 II BMX POTÊNCIA RR II ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

29 Cultivar GMR Vacaria Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha SYN 1152 RR I DON MARIO 6200 RR I FTS CAMPO MOURÃO RR II CD 235 RR II RA 626 II FPS URANO RR I FUNDACEP 61RR I BRS 243 RR II CD 2737 RR II IGRA510 II SYN 1163 RR I D690 RR II RSF I CD 2585 RR I ROOS AVANCE RR I SYN 1059 RR I FUNDACEP 59 RR III FUNDACEP 62 RR I A7321 RG II SYN 1161 RR I BMX FORÇA RR I FUNDACEP 55 RR I SYN 9070 RR II FUNDACEP 57 RR II CD 248 RR II FPS NETUNO RR I BRS CHARRUA RR II RSF I NS 5858 I CD 206 RR II TMG 7262 RR I FPS SOLIMÕES RR I NK 7059 RR I A 4725 RG I CD 238 RR II TMG 1067 RR II CD 249 RR STS II CD 239 RR II CD 2630 RR I IGRA745TR II

30 Cultivar GMR Vacaria Média Produtividade kg/ha sacos/ha kg/ha sacos/ha BRS 246 RR II CD 250 RR I D660 RR II D688 RR II FUNDACEP 53 RR II FUNDACEP 66 RR I FTS REALEZA RR III FUNDACEP 64 RR II CD 231 RR II SYN 9053 RR I SYN 1049 RR I BMX TITAN RR I D711 RR II SYN 3358 RR I TMG 4001 RR II FEPAGRO 36 RR II FPS IGUAÇÚ RR I BRS TAURA RR II IGRA 828 III RA 728 II CD 214 RR II NA 4990 RG I NS 4823 I FUNDACEP 58 RR II Média , ,6 30 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

31 CULTIVARES DE SOJA TRANSGÊNICAS (RR) - DADOS POR LOCAL Tabela 8 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em Cachoeira do Sul, no dia 29 de novembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/2013. Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha AFS 110 RR I CD 231 RR II IGRA545TR I NA 5909 RG I CD 2737 RR II D690 RR II TMG 7262 RR I NK 7059 RR I RA 626 II RSF I D688 RR II BMX POTÊNCIA RR II RSF II FUNDACEP 61RR I FUNDACEP 58 RR II BMX TURBO RR I TMG 4001 RR II FPS URANO RR I

32 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha FPS ANTARES RR II DON MARIO 7.0i RR I FEPAGRO 36 RR II RA 518 I FPS JÚPITER RR I A7321 RG II DON MARIO 6200 RR I FUNDACEP 59 RR III D711 RR II FUNDACEP 57 RR II FEPAGRO 37 RR I FUNDACEP 55 RR I RA 628 II DON MARIO 5.8i RR I SYN 1161 RR I RSF II BRS TERTÚLIA RR II D660 RR II FPS NETUNO RR I IGRA 818 III SYN 1157 RR I A 6411 RG I ROOS CAMINO RR I ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

33 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha BMX ENERGIA RR I RA 728 II BRS PAMPA RR III BRS CHARRUA RR II BRS ESTÂNCIA RR I CD 236 RR I BMX FORÇA RR I BRS 246 RR II SYN 9070 RR II IGRA510 II SYN 1158 RR I CD 235 RR II SYN 3358 RR I FPS SOLIMÕES RR I CD 248 RR II SYN 1163 RR I BRS 243 RR II BMX ATIVA RR I BMX TITAN RR I NS 4823 I CD 214 RR II CD 2630 RR I IGRA645TR I

34 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha IGRA526 II BRS TORDILHA RR I TMG 7161 RR I BRS TAURA RR II CD 239 RR II CD 250 RR I CD 249 RR STS II BENSO 1 RR I FUNDACEP 64 RR II CD 219 RR III FTS CAFELÂNDIA RR I FTS REALEZA RR III FUNDACEP 65 RR I FUNDACEP 53 RR II A 4725 RG I CD 215 RR I CD 206 RR II ROOS AVANCE RR I SYN 1049 RR I CD 2585 RR I SYN 1059 RR I IGRA 828 III NA 4990 RG I ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

35 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha FTS C. MOURÃO RR II CD 238 RR II IGRA745TR II CD 202 RR II SYN 9053 RR I FPS PARANAPANEMA RR I TMG 1067 RR II FUNDACEP 66 RR I SYN 1152 RR I NS 6262 I AMS TIBAGI RR I NS 6636 II FPS IGUAÇÚ RR I FUNDACEP 62 RR I NS 5858 I Média CV (%) 9,06

36 Tabela 9 - Rendimento de grãos (kg/ha), dias da emergência à floração e à colheita, altura de planta em cm, safra 2012/13, do ensaio de cultivares de soja transgênica RR, semeado em São Gabriel, no dia 10 de dezembro de Rendimento de grãos (kg/ha) das safras 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e Média do período 2008/2013. Fundação Pró-Sementes, julho/2013. Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha 7869 RSF II RSF II SYN 1161 RR I TMG 7262 RR I AFS 110 RR I CD 2737 RR II SYN 1163 RR I RSF I SYN 1158 RR I IGRA545TR I IGRA526 II CD 202 RR II FPS SOLIMÕES RR I FPS PARANAPANEMA RR I IGRA510 II SYN 1157 RR I FPS ANTARES RR II CD 2630 RR I AMS TIBAGI RR I ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

37 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha CD 2585 RR I SYN 1152 RR I A7321 RG II FTS CAFELÂNDIA RR I BENSO 1 RR I IGRA645TR I IGRA 818 III CD 215 RR I IGRA745TR II NA 5909 RG I FPS JÚPITER RR I SYN 1049 RR I FUNDACEP 64 RR II SYN 3358 RR I RA 728 II BMX ENERGIA RR I NS 6262 I BMX ATIVA RR I TMG 1067 RR II TMG 7161 RR I CD 239 RR II A 6411 RG I RA 626 II

38 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha IGRA 828 III RA 628 II BRS TAURA RR II BMX FORÇA RR I NS 4823 I BMX TURBO RR I DON MARIO 7.0i RR I CD 236 RR I BRS 246 RR II FEPAGRO 36 RR II FEPAGRO 37 RR I FPS NETUNO RR I CD 231 RR II SYN 9070 RR II SYN 9053 RR I ROOS AVANCE RR I SYN 1059 RR I D711 RR II NA 4990 RG I FUNDACEP 62 RR I FPS IGUAÇÚ RR I BMX POTÊNCIA RR II BRS CHARRUA RR II ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

39 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha CD 235 RR II A 4725 RG I D690 RR II NS 5858 I TMG 4001 RR II BRS TORDILHA RR I ROOS CAMINO RR I NK 7059 RR I FUNDACEP 58 RR II FPS URANO RR I D688 RR II BRS PAMPA RR III FUNDACEP 65 RR I RA 518 I FUNDACEP 57 RR II FUNDACEP 53 RR II DON MARIO 6200 RR I FUNDACEP 59 RR III NS 6636 II BRS 243 RR II D660 RR II CD 248 RR II FUNDACEP 66 RR I

40 Cultivar GMR Safra 2012/ /09 09/10 10/11 11/12 Média 08 a 13 kg/ha Floração Colheita Altura Produtividade, kg/ha FTS REALEZA RR III BRS ESTÂNCIA RR I FUNDACEP 61RR I CD 249 RR STS II DON MARIO 5.8i RR I FTS CAMPO MOURÃO RR II CD 214 RR II CD 238 RR II CD 219 RR III CD 250 RR I FUNDACEP 55 RR I CD 206 RR II BRS TERTÚLIA RR II BMX TITAN RR I Média CV (%) 9,67 40 ECR Soja 2012/2013 Parceria Fundação Pró-Sementes Sistema FARSUL

CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA

CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA DESEMPENHO DE CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA O RIO GRANDE DO SUL Julho, 2012 RESULTADOS DE 2011 2012 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas pelo zoneamento agrícola, em ensaios

Leia mais

RESULTADOS DE DESEMPENHO DAS CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA SC, PR, SP e MS. Julho, 2010

RESULTADOS DE DESEMPENHO DAS CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA SC, PR, SP e MS. Julho, 2010 DESEMPENHO DAS CULTIVARES DE SOJA INDICADAS PARA SC, PR, SP e MS Julho, 2010 RESULTADOS DE 2009 2010 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas pelo zoneamento agrícola, em ensaios

Leia mais

Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015

Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015 Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015 REALIZAÇÃO: Apoio www.fundacaoprosementes.com.br A Fundação Pró-Sementes 1999 Constituída por 39 Produtores de sementes do estado do Rio Grande do Sul

Leia mais

PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL

PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RS, Safras 2008/2009 a 2012/2013 1 Antonio Eduardo Loureiro da Silva Presidente CSM/RS

Leia mais

RESULTADOS DE 2009 CULTIVARES DE TRIGO INDICADAS PARA O PARANÁ E SÃO PAULO. Fevereiro, 2010

RESULTADOS DE 2009 CULTIVARES DE TRIGO INDICADAS PARA O PARANÁ E SÃO PAULO. Fevereiro, 2010 DESEMPENHO DE CULTIVARES DE TRIGO INDICADAS PARA O PARANÁ E SÃO PAULO Fevereiro, 2010 RESULTADOS DE 2009 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas pelo zoneamento agrícola, em

Leia mais

PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL

PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RIO GRANDE DO SUL PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO RS, Safras 2005/2006 a 2011/2012 1 Antonio Eduardo Loureiro da Silva Presidente CSM/RS

Leia mais

Desempenho de Cultivares de Soja Transgênica (Intacta e Rr1) na Macrorregião Sojícola 1, Avaliadas na Safra 2013/14 ela Rede Soja Sul de Pesquisa

Desempenho de Cultivares de Soja Transgênica (Intacta e Rr1) na Macrorregião Sojícola 1, Avaliadas na Safra 2013/14 ela Rede Soja Sul de Pesquisa 07 Desempenho de Cultivares de Soja Transgênica (Intacta e Rr) na Macrorregião Sojícola, Avaliadas na Safra 203/4 ela Rede Soja Sul de Pesquisa Paulo Fernando Bertagnolli Mércio Luiz Strieder Francisco

Leia mais

Ensaio de Cultivares em Rede de Trigo Safra 2016/2016

Ensaio de Cultivares em Rede de Trigo Safra 2016/2016 Ensaio de Cultivares em Rede de Trigo Safra 2016/2016 1. O Ensaio de cultivares em Rede - ECR Dentre os experimentos conduzidos pela Unidade de Pesquisa & Desenvolvimento destaca-se o Ensaio de Cultivares

Leia mais

CARACTERÍSTICAS AGROMORFOLÓGICAS DE VARIEDADES DE SOJA INDICADAS PARA CULTIVO NO RIO GRANDE DO SUL, SAFRA 2011/2012

CARACTERÍSTICAS AGROMORFOLÓGICAS DE VARIEDADES DE SOJA INDICADAS PARA CULTIVO NO RIO GRANDE DO SUL, SAFRA 2011/2012 CARACTERÍSTICAS AGROMORFOLÓGICAS DE VARIEDADES DE SOJA INDICADAS PARA CULTIVO NO RIO GRANDE DO SUL, SAFRA 2011/2012 STEFANELLO, Fernando 1. Tagliapietra & BONETTI, Luiz Pedro 2 Palavras-chave: Descritores

Leia mais

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja disponíveis comercialmente

Leia mais

Base de dados. Assessoría Agrícola. Produtores do grupo de. Área Total de Soja: has.

Base de dados. Assessoría Agrícola. Produtores do grupo de. Área Total de Soja: has. Eng. Agr. Tilio Lucas 30 de Junho 2015 Base de dados Produtores do grupo de Assessoría Agrícola Área Total de Soja: 7514.93 has. Produtividade do Grupo Grupo Agrícola Área total (ha) Produtividade Sc/ha

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Soja Safra 14/15 e Recomendações para Safra 15/16 Assistências Técnicas Conveniadas

Avaliação de Cultivares de Soja Safra 14/15 e Recomendações para Safra 15/16 Assistências Técnicas Conveniadas Avaliação de Cultivares de Soja Safra 14/15 e Recomendações para Safra 15/16 Assistências Técnicas Conveniadas Equipe Fitotecnia Soja Eng. Agr. Carlos Pitol Pesquisador Téc.Agr. Elton José Erbes Adm.Rural/Téc.Agr.

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA PORTARIA Nº 64, DE 8 DE JULHO DE 2013

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA PORTARIA Nº 64, DE 8 DE JULHO DE 2013 TEMÁRIO: 1 Portaria nº 64, de 8 de julho de 2013. Publicação: D.O.U. do dia 11/07/13 - Seção 1. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA PORTARIA Nº 64, DE 8

Leia mais

C EA E 3 1 4 27 2 84 8 /D / -RS R 23 2 92 9 -MS) P

C EA E 3 1 4 27 2 84 8 /D / -RS R 23 2 92 9 -MS) P Avaliação das Cultivares de Soja Safra 2013/14 e Posicionamento para Safra 2014/15. Carlos Pitol 1 Elton José Erbes 2 Thiago da Silva Romeiro 3 1 Eng Agrº (CREA 42784/D-RS Visto 2392-MS) Pesquisador da

Leia mais

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS

II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS II ENCONTRO DE IRRIGANTES POR ASPERSÃO DO RS 02 de OUTUBRO DE 2014 CRUZ ALTA RIO GRANDE DO SUL O INÍCIO DA IRRIGAÇÃO 5.000 anos atrás, Egito Antigo; Construção de diques, represas e canais para melhor

Leia mais

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul Machado, J.R. de A. 1 ; Guimarães, L.J.M. 2 ; Guimarães, P.E.O. 2 ; Emygdio, B.M. 3 Introdução As variedades sintéticas

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO 2015/16

BOLETIM TÉCNICO 2015/16 1 02 AVALIAÇÃO DE CULTIVAR TECNOLOGIA RR2 (Intacta Objetivo Avaliar diferentes cultivares de soja com tecnologia RR2 (Intacta RR2 PRO) em duas épocas de semeadura em Lucas do Rio Verde MT. BOLETIM TÉCNICO

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Avaliação do comportamento de CULTIVARES DE SOJA semeadas em 2 épocas na região Parecis de Mato Grosso.

RELATÓRIO TÉCNICO. Avaliação do comportamento de CULTIVARES DE SOJA semeadas em 2 épocas na região Parecis de Mato Grosso. RELATÓRIO TÉCNICO Avaliação do comportamento de CULTIVARES DE SOJA semeadas em 2 épocas na região Parecis de Mato Grosso. Executora: P.A. Av. Nilo Torres, n 913 W, Parque Leblon, Tangará da Serra-MT CEP:

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA RECOMENDADAS PARA O OESTE DA BAHIA

CULTIVARES DE SOJA RECOMENDADAS PARA O OESTE DA BAHIA Foto: Fabiano Bastos WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS CULTIVARES DE SOJA RECOMENDADAS PARA O OESTE DA BAHIA André Ferreira Pereira Sebastião Pedro da Silva Neto Pesquisadores Embrapa Cerrados

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas

CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas Cultivares da Embrapa Soja: Embrapa 48 Grupo de Maturação: Precoce/Semiprecoce; *Semeadura: a partir de 25/10 até 10/12; Substituiu a cv. BR-16; *Alto

Leia mais

DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE SUCESSÃO TRIGO-SOJA PARA MANUTENÇÃO DA VIABILIDADE DAS CULTURAS NO SUL DO BRASIL

DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE SUCESSÃO TRIGO-SOJA PARA MANUTENÇÃO DA VIABILIDADE DAS CULTURAS NO SUL DO BRASIL DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE SUCESSÃO TRIGO-SOJA PARA MANUTENÇÃO DA VIABILIDADE DAS CULTURAS NO SUL DO BRASIL João Leonardo Fernandes Pires 1, Mércio Luiz Strieder 1, Alberto Luiz Marsaro Júnior 1, Paulo

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine Max) NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRA 2014/2015, EM QUERÊNCIA - MT

RELATÓRIO TÉCNICO. ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine Max) NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRA 2014/2015, EM QUERÊNCIA - MT RELATÓRIO TÉCNICO ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA (Glycine Max) NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRA 2014/2015, EM QUERÊNCIA - MT Executora: RURAL TÉCNICA EXPERIMENTOS AGRONÔMICOS LTDA Av. Norte,

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA TEMÁRIO: 1 Portaria nº 196, de 29 de novembro de 2013. Publicação: D.O.U. do dia 05/12/13 - Seção 1. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA PORTARIA Nº 196,

Leia mais

Márcio Santos Diretor Estratégia & Produtos Brasilia/DF, 08/08/2013

Márcio Santos Diretor Estratégia & Produtos Brasilia/DF, 08/08/2013 Márcio Santos Diretor Estratégia & Produtos Brasilia/DF, 08/08/2013 A Evolução do Mercado de Soja no Brasil Avanços da genética, mais e melhores opções de insumos (sementes, máquinas, fertilizantes e defensivos)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais. Núcleo de Pesquisas em Práticas Culturais e Ecofisiologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais. Núcleo de Pesquisas em Práticas Culturais e Ecofisiologia UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Rurais Núcleo de Pesquisas em Práticas Culturais e Ecofisiologia População de plantas para maximização de rendimentos em soja Lucio Zabot Santa Maria,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA FENOLOGIA DE CULTIVARES DE SOJA EM AMBIENTE SUBTROPICAL

CARACTERIZAÇÃO DA FENOLOGIA DE CULTIVARES DE SOJA EM AMBIENTE SUBTROPICAL CARACTERIZAÇÃO DA FENOLOGIA DE CULTIVARES DE SOJA EM AMBIENTE SUBTROPICAL THIAGO SCHMITZ MARQUES DA ROCHA 1, ALENCAR JUNIOR ZANON 2, ANDRÉ TREVISAN DE SOUZA 3, BRUNO KRAULICH 1, FRANCISCO GIRALDI 1, JOSÉ

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO 11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO ESTÁDIO R3 DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de diferentes fontes de potássio aplicados no estádio

Leia mais

Estratégias de sucessão trigo/cevada/aveia preta-soja para sistemas de produção de grãos no sul do Brasil

Estratégias de sucessão trigo/cevada/aveia preta-soja para sistemas de produção de grãos no sul do Brasil Estratégias de sucessão trigo/cevada/aveia preta-soja para sistemas de produção de grãos no sul do Brasil João Leonardo Fernandes Pires, Mércio Luiz Strieder, Claudia De Mori, Eduardo Caierão, Alberto

Leia mais

Soja: Lavoura mais produtiva e 06 Tolerante à Seca

Soja: Lavoura mais produtiva e 06 Tolerante à Seca Soja: Lavoura mais produtiva e 06 à Seca 1 1 Carlos Pitol 2 2 Carlos Pitol Dirceu Dirceu Luiz Broch Luiz Broch 6.1. Introdução A soja é reconhecida como uma cultura muito tolerante à seca, em comparação

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

Genética Embrapa: INOVAÇÃO E SUPERIORIDADE NO CAMPO

Genética Embrapa: INOVAÇÃO E SUPERIORIDADE NO CAMPO Genética Embrapa: INOVAÇÃO E SUPERIORIDADE NO CAMPO Foz do Iguaçu PR 20/06/2017 Engº Agrº Ralf Udo Dengler Engº Agrº Milton Dalbosco Fundação Meridional Novos patamares de produtividade! Destaques do Melhoramento

Leia mais

ENSAIO COMPARATIVO DE CULTIVARES DE SOJA EM ÁREA DE SEQUEIRO, GUAÍRA-SP. SAFRA 2015/16

ENSAIO COMPARATIVO DE CULTIVARES DE SOJA EM ÁREA DE SEQUEIRO, GUAÍRA-SP. SAFRA 2015/16 ENSAIO COMPARATIVO DE CULTIVARES DE SOJA EM ÁREA DE SEQUEIRO, GUAÍRA-SP. SAFRA 2015/16 COMPARATIVE STUDY AMONG DIFFERENT SOYBEAN CULTIVARS AT CONVENTIONAL TIME IN GUAÍRA, SP. 2015/16 CROP Ivana Marino

Leia mais

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89)

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) 3562-2274 Efeito do uso dos produtos da linha Celleron no tratamento de semente e na parte aérea, para o aumento do

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 10 EFEITO DE DOSES E FONTES DE ENXOFRE NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o efeito de diferentes doses e fontes de enxofre na cultura da soja em Lucas do Rio Verde-MT na Safra 2014/15. BOLETIM TÉCNICO

Leia mais

Influência da População de Plantas: Caracterização Morfológica de Cultivares de Soja em Solos de Varzeasob Irrigação por Aspersão

Influência da População de Plantas: Caracterização Morfológica de Cultivares de Soja em Solos de Varzeasob Irrigação por Aspersão 40ª Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul - Atas e Resumos 145 Influência da População de Plantas: Caracterização Morfológica de Cultivares de Soja em Solos de Varzeasob Irrigação por Aspersão Ewerton

Leia mais

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE A Fundação Pró-Sementes aponta que um dos grandes problemas encontrados nos arrozais é a forte atuação de plantas invasoras, que são de difícil controle, prejudicando

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1573

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1573 Página 1573 AVALIAÇÃO DE LINHAGENS DE MAMONEIRA NO MUNICÍPIO DE NOSSA SENHORA DAS DORES/SE Francisco Elias Ribeiro 1 ; Samuel Silva da Mata 1 ; Milena Mascarenhas de Jesus Ribeiro 2 ; Máira Milani 3 1Pesquisador

Leia mais

20 PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM

20 PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM 20 PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM SEGUNDA SAFRA EM DOIS NÍVEIS DE TECNOLOGIA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de híbridos de milho em segunda

Leia mais

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS 05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DE DOENÇAS NA CULTURA DA SOJA EM DUAS EPOCAS DE SEMEADURA OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência dos principais

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

CULTIVARES DE SOJA NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO ENCONTRO REGIONAL SOBRE TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO DE MILHO E SOJA 61 CULTIVARES DE SOJA NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DE SÃO PAULO LOPES, L.G. 1 CLEMENTE FILHO, A. 1 UNÊDA-TREVISOLI, S.H. 2 RECO, P.C. 3 BARBARO,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT Alexandre Ferreira da Silva (1), Miguel Marques Gontijo Neto (2), Flávio Dessaune Tardin (3) Eduardo Lopes Filimberti (4),

Leia mais

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL Auri Fernando de Moraes 1, Alexandre Pereira Bonfá 1, Walter Quadros Ribeiro Júnior 2, Maria Lucrécia Gerosa Ramos 3, Júlio César Albrecht 2, Renato

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL

FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL 1 de 6 FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL XVIII REUNIÃO TÉCNICA 08 DE AGOSTO DE 2001 O Fórum Permanente de Monitoramento de Tempo e Clima para a

Leia mais

MOMENTO DE APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO EM COBERTURA EM TRIGO: QUALIDADE TECNOLÓGICA E RENDIMENTO DE GRÃOS

MOMENTO DE APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO EM COBERTURA EM TRIGO: QUALIDADE TECNOLÓGICA E RENDIMENTO DE GRÃOS MOMENTO DE APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO EM COBERTURA EM TRIGO: QUALIDADE TECNOLÓGICA E RENDIMENTO DE GRÃOS João Leonardo Fernandes Pires 1, Ricardo Lima de Castro 1, Eliana Maria Guarienti 1, Luiz Eichelberger

Leia mais

Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2014/15. Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA

Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2014/15. Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA REUNIÃO TÉCNICA SOBRE A CULTURA DO MILHO CAMPINAS - 18 /06/ 2015 Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2014/15 Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA

Leia mais

3 Biotrigo Genética, Rua João Battisti, 71,

3 Biotrigo Genética, Rua João Battisti, 71, Ensaio Estadual de Cultivares de Trigo no Rio Grande Sul, safra 2013 Jacson Zuchi¹, Rogério Ferreira Aires¹, Ricardo Lima de Castro², Eduardo Caierão², André Rosa³, Ana Valentini 4, Juliano Wagner 4, Fernando

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Soja Safra 15/16 e Sugestões para Safra 16/17

Avaliação de Cultivares de Soja Safra 15/16 e Sugestões para Safra 16/17 Avaliação de Cultivares de Soja Safra 15/16 e Sugestões para Safra 16/17 Equipe Fitotecnia Soja Eng. Agr. Carlos Pitol Pesquisador Téc.Agr. Elton José Erbes Adm.Rural/Téc.Agr. Thiago da Silva Romeiro Eng.Agr

Leia mais

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE Marcos Antônio Drumond 1, José Barbosa dos Anjos 1, Máira Milani 2, Luiz Balbino Morgado 1, e José Monteiro

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL

CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL José Lopes Ribeiro (1), Eleusio Curvelo Freire 2), Francisco José Correia Farias 2), Francisco Pereira de Andrade

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR 28 Resumos da XXXIII Reunião de Pesquisa de Soja da Região Central do Brasil - Londrina, PR, agosto de 203 5 PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1213

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1213 Página 1213 COMPORTAMENTO DA CULTIVAR DE MAMONA BRS ENERGIA CULTIVADA SOB DUAS DENSIDADES DE PLANTIO EM IRECÊ, BA Jalmi Guedes Freitas 1, José Carlos Aguiar da Silva 1, Jocelmo Ribeiro Mota 1 Gilvando

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO Página 1481 CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. Murilo Barros Pedrosa (Fundação Bahia / algodao@fundacaoba.com.br), Camilo de Lelis Morello (Embrapa

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO 2015/16

BOLETIM TÉCNICO 2015/16 1 09 AVALIAÇÃO DO POTENCIAL PRODUTIVO DE HIBRIDOS DE MILHO EM SEGUNDA SAFRA EM Objetivo Avaliar os atributos agronômicos e a produtividade de diferentes híbridos de milho cultivados em segunda safra em

Leia mais

MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO. Resumo

MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO. Resumo MANEJO DE RESTOS CULTURAIS DE MILHO PARA PLANTIO DIRETO DE TRIGO Denardin, J.E. 1 ; Kochhann, R.A. 1 Resumo Presume-se que semeadoras para plantio direto apresentam problemas operacionais para semear trigo

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Milho na Safra 2009/2010, em Dourados, MS

Avaliação de Cultivares de Milho na Safra 2009/2010, em Dourados, MS Avaliação de Cultivares de Milho na Safra 2009/2010, em Dourados, MS Gessi Ceccon 1, Leonardo M. P. Rocha 2, Islaine C. Fonseca 3, Antonio L. N. Neto 3 e Rodrigo C. Sereia 4 1 Embrapa Agropecuária Oeste,

Leia mais

DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1

DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1 DESEMPENHO DE NOVAS CULTIVARES DE CICLO PRECOCE DE MILHO EM SANTA MARIA 1 TOEBE, Marcos 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; SILVEIRA, Tatiani Reis da 2 ; CASAROTTO, Gabriele 4 ; SCHWANTES, Ismael Albino

Leia mais

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA 17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA PRODUTIVIDADE DA SOJA O objetivo deste experimento foi avaliar a resposta do programa nutricional via foliar recomendado pela microquímica na cultura da soja

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA 13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA FOLIAR APLICADOS NA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi testar e avaliar o programa de nutrição foliar recomendado pela empresa Helena

Leia mais

SISTEMAS DE CULTIVO DE TRIGO NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO SUL, PARANÁ E MATO GROSSO DO SUL

SISTEMAS DE CULTIVO DE TRIGO NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO SUL, PARANÁ E MATO GROSSO DO SUL SISTEMAS DE CULTIVO DE TRIGO NOS ESTADOS DO RIO GRANDE DO SUL, PARANÁ E MATO GROSSO DO SUL Claudia De Mori 1, Eduardo Caeirão 1, João Leonardo Pires 1, Mércio Luiz Strieder 1, Giovani Stefani Faé 2 e Vladirene

Leia mais

Pereira e Erlei MeIo Reis

Pereira e Erlei MeIo Reis 4. Título: Rotação de culturas em Guarapuava. IV. Rendimento de graos do trigo e de outras culturas de inverno e de verão, em semeadura direta de 1984 a 1986 4.1. Pesquisadores: Henrique Pereira dos Santos,

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Algodão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento VII CONGRESSO BRASILEIRO DO ALGODÃO Sustentabilidade da Cotonicultura

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 15 EFEITO DA APLICAÇÃO FOSFATADA VIA FOLIAR NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o comportamento da cultura da soja mediante adubação complementar de fósforo via aplicação foliar através do produto Free

Leia mais

Importância do uso de FÓSFORO e NITROGÊNIO em sulco de semeadura na cultura do milho safrinha Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão

Importância do uso de FÓSFORO e NITROGÊNIO em sulco de semeadura na cultura do milho safrinha Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão Importância do uso de FÓSFORO e NITROGÊNIO em sulco de semeadura na cultura do milho safrinha Consultor: Paulo Sérgio de Assunção Daniel Bennemann Frasson OBJETIVO O objetivo do presente foi verificar

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009. 1 02 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do vigor de sementes de soja na produtividade BOLETIM Material

Leia mais

DENSIDADE DE SEMEADURA E POPULAÇÃO INICIAL DE PLANTAS PARA CULTIVARES DE TRIGO EM AMBIENTES DISTINTOS DO PARANÁ

DENSIDADE DE SEMEADURA E POPULAÇÃO INICIAL DE PLANTAS PARA CULTIVARES DE TRIGO EM AMBIENTES DISTINTOS DO PARANÁ DENSIDADE DE SEMEADURA E POPULAÇÃO INICIAL DE PLANTAS PARA CULTIVARES DE TRIGO EM AMBIENTES DISTINTOS DO PARANÁ José Salvador Simoneti Foloni 1*, Manoel Carlos Bassoi 1, Luis César Vieira Tavares 1, Larissa

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Diferentes Épocas de Corte e Densidade de Plantas no Desempenho Agronômico de Duas Cultivares de Sorgo

Leia mais

E-mail:waldir.dias@embrapa.br

E-mail:waldir.dias@embrapa.br NEMATOIDE DE CISTO DA SOJA (NCS) (Heterodera glycines): IDENTIFICAÇÃO E MANEJO Waldir Pereira Dias Embrapa Soja, Cx. Postal 231, 86001-970- Londrina, PR E-mail:waldir.dias@embrapa.br Tel.: (43) 3371-6276

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ DE SEQUEIRO 2012/13 1

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ DE SEQUEIRO 2012/13 1 AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ DE SEQUEIRO 2012/13 1 TRAGNAGO, José Luiz 2 ; BONAZZA, Luiz Gustavo 3 ; BRESSA, Vinicius 4 Palavras chave: Competição cultivares. Arroz. Rendimento de grãos. Introdução

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 16 POTENCIAL PRODUTIVO DE HÍBRIDOS DE MILHO EM DOIS NÍVEIS TECNOLÓGICOS Objetivo Avaliar o potencial produtivo de diversos híbridos de milho na segunda safra de 2015 em dois níveis de tecnologia em Lucas

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Sorgo Sacarino em Ecossistema de Cerrado no Estado de Roraima

Avaliação de Cultivares de Sorgo Sacarino em Ecossistema de Cerrado no Estado de Roraima XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Avaliação de Cultivares de Sorgo Sacarino em Ecossistema de Cerrado no Estado de Roraima 1 Everton Diel Souza, 2

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1516-8840 Dezembro, 2015 Documentos 406 Resultados de Pesquisa de Soja na Embrapa

Leia mais

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Página 1650 COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Marcelo Abdon Lira 1 ; Máira Milani 2 ; Hélio Wilson Lemos de Carvalho 3 ; João

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO 2015/16

BOLETIM TÉCNICO 2015/16 1 04 EFEITO DE DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTA SOJA Objetivo Avaliar a produtividade e atributos agronômicos de três cultivares de soja com hábitos de crescimento distintos em dois espaçamentos entre linhas

Leia mais

Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja

Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja 40ª Reunião de Pesquisa de Soja da Região Sul - Atas e Resumos 401 Avaliação da Severidade da Ferrugem Asiática em Diferentes Arranjos da População de Plantas de Soja Cley Donizeti Martins Nunes 1 Introdução

Leia mais

DENSIDADE POPULACIONAL DE TRIPES EM CULTIVARES DE SOJA 1

DENSIDADE POPULACIONAL DE TRIPES EM CULTIVARES DE SOJA 1 DENSIDADE POPULACIONAL DE TRIPES EM CULTIVARES DE SOJA 1 SARI, Bruno G. 2 ; GUEDES, Jerson V. C. 3 ; STÜRMER, Glauber R. 3 ; ARNEMANN, Jonas A. 3 ; PALMA, Janine 3 ; TOMAZI, Bruno R. 2 ; BOSCHETTI, Moisés

Leia mais

DUAS ADUBAÇÕES DIFERENTES, NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRINHA ( 2015, EM QUERÊNCIA - MT

DUAS ADUBAÇÕES DIFERENTES, NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRINHA ( 2015, EM QUERÊNCIA - MT RELATÓRIO TÉCNICO ENSAIO DE COMPETIÇÃO DE HÍBRIDOS DE MILHO (Zea mays) EM DUAS ADUBAÇÕES DIFERENTES, NA REGIÃO DO VALE DO ARAGUAIA, SAFRINHA 2015, EM QUERÊNCIA - MT Executora: RURAL TÉCNICA EXPERIMENTOS

Leia mais

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA 10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA CONVENCIONAL (SOJA LIVRE) EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo deste experimento foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja convencionais (Soja Livre) em

Leia mais

09 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

09 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 09 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA RR EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste experimento foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja com tecnologia RR em duas

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE AVEIA BRANCA (Avena sativa) NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO SUL, SAFRAS 1997 E 1998

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE AVEIA BRANCA (Avena sativa) NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO SUL, SAFRAS 1997 E 1998 ISSN 0104-5164 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Emrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura e do Aastecimento BR 163, km 253,6 - Trecho Dourados-Caarapó km 5 Caixa Postal 661 79804-970

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA Rafael Santos Finholdt (1), Roberto Kazuhiko Zito (2), Maria Eugenia Lisei de Sá (3) (1) Bolsista PIBIC FAPEMIG/EPAMIG, rafaelfinholdt@yahoo.com.br;

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Agenda 1. Histórico Soja marca Pioneer 2. Pesquisa Soja Brasil 3. Qualidade das Sementes DuPont Pioneer 4. Cultivares

Leia mais

QUEBRA DE PLANTAS DE SOJA

QUEBRA DE PLANTAS DE SOJA QUEBRA DE PLANTAS DE SOJA? SINTOMA Dano caracterizado por depressão na haste, logo acima do nó cotiledonar, que pode evoluir para um anelamento, resultando no tombamento ou quebra das plantas de soja.

Leia mais

Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹

Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹ Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹ L.C.Dias², W.S. Rezende³, M. R. Carbalial 4, L. A. Silva 5 Resumo Com o objetivo de se avaliar o efeito de produção

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA. BAHIA Safra 2011/12. Soja. Transferência de Tecnologia

CULTIVARES DE SOJA. BAHIA Safra 2011/12. Soja. Transferência de Tecnologia Soja Rod. Carlos João Strass, s/n, acesso Orlando Amaral Distrito de Warta, CP 231, CEP 86001-970, Londrina, PR Fone (43) 3371 6000 Fax (43) 3371 6100 www.cnpso.embrapa.br sac@cnpso.embrapa.br Transferência

Leia mais

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 0 Carlos itol Dirceu Luiz Broch Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo Carlos itol Elton José Erbes Thiago da Silva Romeiro 0.. Introdução A falta de uma política de incentivo à

Leia mais

Prognósticos e recomendações para o período

Prognósticos e recomendações para o período ESTADO DO RIO GRADE DO SUL COSELHO PERMAETE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRADE DO SUL Prognósticos e recomendações para o período Abril/maio/junho de 2012 Boletim de Informações º 32 12

Leia mais

Ensaio Regional de Variedades de Milho na Região Sul Safra 2011/2012

Ensaio Regional de Variedades de Milho na Região Sul Safra 2011/2012 ISSN 1516-8832 Ensaio Regional de Variedades de Milho na Região Sul Safra 2011/2012 146 Introdução Entre as regiões brasileiras, a região Sul é a maior produtora de milho, respondendo por mais de 30% da

Leia mais

Gessi Ceccon, Giovani Rossi, Marianne Sales Abrão, (3) (4) Rodrigo Neuhaus e Oscar Pereira Colman

Gessi Ceccon, Giovani Rossi, Marianne Sales Abrão, (3) (4) Rodrigo Neuhaus e Oscar Pereira Colman 9º Seminário Nacional de Milho Safrinha. Rumo à estabilidade: anais. 311 COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA, EM DOURADOS, MS (1) (2) (3) Gessi Ceccon, Giovani Rossi,

Leia mais

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco Página 1075 PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1 Jefferson Luis Anselmo 1 ; Denis Santiago da Costa; Thiago Zago Leonel; Fábio da Silva

Leia mais

Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator)

Campeão da Região Sudeste. (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator) Campeão da Região Sudeste (Produtor) (Consultor) (Estudo de caso) (Relator) Produtor: Ivaldo Lemes da Costa Consultor: Cleber Longhin Cultura: SOJA Propriedade Agrícola: Sítio Matarazzo Município: Itapetininga/SP

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Milho-Verde em Consórcio com Feijão em Diferentes Populações Lauro Kenji Komuro 1, João Antonio da Costa Andrade

Leia mais

TBIO SELETO - Rusticidade, precocidade e bom potencial de rendimento

TBIO SELETO - Rusticidade, precocidade e bom potencial de rendimento TBIO SELETO - Rusticidade, precocidade e bom potencial de rendimento Igor Tonin 1, André Cunha Rosa 2, Ottoni Rosa Filho 3 Ana Silvia de Camargo 4 1 Eng. Agrônomo, Biotrigo Genética Ltda (BIOTRIGO), Rua

Leia mais

Site do Consórcio. Antiferrugem: 2007/2008. Reunião do Consórcio Antiferrugem 26 de junho de 2008. Londrina, PR.

Site do Consórcio. Antiferrugem: 2007/2008. Reunião do Consórcio Antiferrugem 26 de junho de 2008. Londrina, PR. Reunião do Consórcio Antiferrugem 26 de junho de 2008. Londrina, PR. Site do Consórcio Antiferrugem: avaliação e balanço o da safra 2007/2008 Rafael Moreira Soares - Embrapa Soja Emerson Del Ponte - UFRGS

Leia mais

ESTUDO DE ÉPOCA DE PLANTIO DO ALGODOEIRO ADENSADO NA REGIÃO DE CAMPINAS-SP INTRODUÇÃO

ESTUDO DE ÉPOCA DE PLANTIO DO ALGODOEIRO ADENSADO NA REGIÃO DE CAMPINAS-SP INTRODUÇÃO Página 985 ESTUDO DE ÉPOCA DE PLANTIO DO ALGODOEIRO ADENSADO NA REGIÃO DE CAMPINAS-SP Luiz Henrique Carvalho 1 ; Nelson Machado da Silva 1 ; Julio Isao Kondo 1 ; Edivaldo Cia 1 ; Ederaldo José Chiavegato

Leia mais