CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS. Professora Ludmila Melo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS. Professora Ludmila Melo"

Transcrição

1 CURSO DE CONTABILIDADE DE CUSTOS Professora Ludmila Melo

2 Conteúdo Programático INTRODUÇÃO

3 Agenda Aula 1: Conceitos, objetivos e finalidades da Contabilidade de Custos Aula 2: Classificação e Nomenclatura de Custos Aula 3: Controle e Registro Contábil dos Custos Aula 4: Métodos de Custeio Aula 5: Sistema de Acumulação de Custos Aula 6: Custos para Controle

4 Ludmila Melo Aula 1: Conceitos, objetivos e finalidades da Contabilidade de Custos 4

5 a. Finalidade da Contabilidade de Custos Objetivo da Contabilidade Reconhecimento Mensuração Evidenciação

6 b. Estrutura Conceitual e Princípios Contábeis aplicados a Contabilidade de Custos Custo Histórico Mensuração de Ativos Valor Justo Custo de Produção Valor Corrente

7 b. Estrutura Conceitual e Princípios Contábeis aplicados a Contabilidade de Custos Custo Histórico Mensuração de Ativos Valor Justo Custo de Produção Valor Corrente Estoques

8 b. Estrutura Conceitual e Princípios Contábeis aplicados a Contabilidade de Custos Fato gerador do evento econômico Aumenta a comparabilidade Princípio da Competência

9 c. Terminologia de Gastos Gastos Despesa Custo Investimento

10 c. Terminologia de Gastos Custo Investimento Despesa

11 (Exame de Suficiência, 2012, 2ª)

12 (Exame de Suficiência, 2011, 1ª)

13 (Exame de Suficiência, 2011, 1ª) Resolução: Custos dos Estoques: ($ $150 - $342) + $204 = $2.712

14 (Exame de Suficiência, 2013, 2ª)

15 (Exame de Suficiência, 2013, 2ª) Resolução: Classificar os gastos Os gastos que podem ser classificados como custo são: Custo da mão de obra Depreciação de bem utilizado no serviço Custo do material aplicado Ou seja: $ $ $ = $

16 Ludmila Melo Aula 2: Classificação e Nomenclatura de Custos 16

17 a. Objeto de Custo Bem ou serviço que se deseja mensurar por meio da apropriação de custos de produção Exemplo: Empresa produtora de mesas e cadeiras Custo da Mesa Exemplo: Clínica médica Custo da Consulta

18 b. Classificação de Custos Custos Quanto ao objeto Quanto à variabilidade Quanto ao controle Outras Nomenclaturas

19 Custos Quanto ao objeto Quanto à variabilidade Quanto ao controle Outras Nomenclaturas Diretos Indiretos

20 Custos Quanto ao objeto Quanto à variabilidade Quanto ao controle Outras Nomenclaturas Variáveis Fixo

21 Custos Quanto ao objeto Quanto à variabilidade Quanto ao controle Outras Nomenclaturas Controláveis Não Controláveis

22 Custos Quanto ao objeto Quanto à variabilidade Quanto ao controle Outras Nomenclaturas Primários Transformação MOD + MD MOD + CIF

23 (Exame de Suficiência, 2012, 1ª)

24 (Exame de Suficiência, 2011, 1ª)

25 (Exame de Suficiência, 2011, 1ª) Resolução: a) Custo de Transformação = MOD + CIF Custo de Transformação = $ $ Custo de Transformação = $ b) e c) Custo da Produção do Período MOD + MD + CIF $ $ $ CPP = $ d) Custo Primário = MOD + MD Custo Primário = $ $ Custo Primário = $

26 (Exame de Suficiência, 2013, 2ª)

27 (Exame de Suficiência, 2013, 1ª)

28 (Exame de Suficiência, 2013, 1ª) Resolução: Custo de Transformação = CIF + MOD Custo de Transformação = ($ $ $ $18.500) + $ Custo de Transformação = $ $ = $

29 (Exame de Suficiência 2013, 1ª)

30 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª)

31 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª) Resolução: Custo Total (Pelo Custeio por Absorção) = $ Custo de Transformação = CIF + MOD Custo de Transformação = $ Custo Primário = MD + MOD Custo Primário = $74.200

32 Ludmila Melo Aula 3: Controle e Registro Contábil dos Custos 32

33 Matéria- Prima Produtos em Elaboração Produtos Vendidos Produtos Acabados

34 Matéria-Prima Material Direto Material Indireto

35 Maior quantidade de controles e tecnologia Inventário Permanente Ciclo Estimativa do Consumo Inventário Periódico

36 Inventário Periódico Material Consumido Produtos Acabados Produtos Vendidos Estoque Inicial (+) Aquisições do Período (-) Estoque Final

37 Avaliação de Estoques PEPS (Primeiro a entrar, primeiro a sair) UEPS (Último a entrar, primeiro a sair) CMP (Custo Médio Ponderado)

38 Primeiro a entrar, primeiro a sair (PEPS) Data Operação Saldo Custo da Produção 01 de março $ de março Compra de 100 unidades de matéria-prima a $10 07 de março Compra de 200 unidades de matéria-prima a $8 15de março Consumo na produçãode 150 unidades $ $ $1.200 (100u * $10) + (50 u *$8) = $1.400

39 Último a entrar, primeiro a sair (UEPS) Data Operação Saldo Custo da Produção 01 de março $ de março Compra de 100 unidades de matéria-prima a $10 07 de março Compra de 200 unidades de matéria-prima a $8 15de março Consumo na produçãode 150 unidades $ $ $1.400 (150 * $8) = $1200

40 Custo Médio Data Operação Saldo Custo da Produção 01 de março $ de março Compra de 100 unidades de matéria-prima a $10 07 de março Compra de 200 unidades de matéria-prima a $8 15de março Consumo na produçãode 150 unidades $ $ $1.600 $8,67 * 150 = $1.300 Ponderação: (100 * $10) + (200 * $8) / 300 = $8,67

41 Mão de Obra Direta Indireta Variável Fixa Custo Indireto de Fabricação

42 Custos Indiretos de Fabricação (Critério de Rateio ou Alocação) Depreciação Salário do Supervisor (MOI) Energia Elétrica Aluguel Material Indireto Seguro predial

43 Material Consumido Produtos em Elaboração Produtos Acabados

44 Departamentalização Os custos indiretos fabris são atribuídos aos Departamentos Produtivos e, em seguida, são atribuídos aos produtos de acordo com o(s) critério(s) de alocação.

45

46 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª)

47 (Questão Exame de Suficiência 2012, 1ª)

48 (Questão Exame de Suficiência 2012, 1ª) Resolução: Cálculo do Custo da Matéria-Prima Estoque Inicial + Aquisição Estoque Final $ $ $ Custo Matéria-Prima = $

49 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª)

50 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª) Resolução: 1) Custos do Período = $ $ $1.000 = $ ) Estoque Inicial em elaboração + Custo do Período Custo da Produção Acabada = EFPE EFPE = 0 + $ $6.000 = $15.000

51 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª)

52 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª) Resolução: CIF por unidade = $15.000/1.500 unidades = $10 por unidade Produto X = $ $ $ = $ / = $24 Produto Y = $ $ $5.000 = $ /500 = $42

53 (Questão Exame de Suficiência 2013, 2ª)

54 (Exame de Suficiência ª) Resolução: 1) Calcular a taxa de CIF Aluguel: $6.500 / 650 = $10/m² Energia: $5.800/ 540 = $ 10,74/KWH 2) CIF atribuído aos departamentos: Departamento de Corte: ($10*195) + ($10,74 * 108) = $ $1.160 = $3.110 Departamento de Costura: ($10 * 455) + ($10,74 * 432) = $ $4.640 = $ ) Atribuir o custo dos Departamentos ao Produto (no caso, a calça) CIF da Calça = CIF Corte + CIF Costura CIF da Calça = ($3.110 * 40%) + ($9.190 * 30%) CIF da Calça = $ $2.757 = $4.001 Custo Total = CD + CIF Custo Total = $ $4.001 = $ Custo Unitário = $ / = $13,00

55 (Questão Exame de Suficiência 2013, 2ª)

56 (Questão Exame de Suficiência 2013, 2ª) Resolução: 1) Matéria-Prima consumida no período Estoque Inicial MP + Compra MP Estoque Final MP $ $ $9.100 = $ ) Custos incorridos no período MOD + CIF + MP consumida $ $ $ = $36.400

57 (Questão Exame de Suficiência 2012, 2ª)

58 (Questão Exame de Suficiência 2012, 2ª) Resolução: 1) Custo da Produção do Período MOD + MD + CIF $ $ $ CPP = $ ) Custo dos Produtos Acabados Estoque Inicial PEE + CPP Estoque Final PEE $ $ $ CPA = $ ) Custo dos Produtos Vendidos Estoque Inicial PA + CPP Estoque Final PA $ =0 + $ Estoque Final PA Estoque Final PA = $17.500

59 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª)

60 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª) Resolução: 1) Custo da Produção do Período MOD + MD + CIF $ $ $ = $ ) Custo do Produto Acabado Estoque Inicial PEE + CPP Estoque Final PEE $ $ $ = $ ) Custo dos Produtos Vendidos CPV = Estoque Inicial PA + CPA Estoque Final PA $ = 0 + $ Estoque Final PA Estoque Final PA = $35.000

61 Ludmila Melo Aula 4: Métodos de Custeio 61

62 a. O que são Métodos de Custeio? São as formas existentes para mensuração dos custos dos produtos ou serviços

63 Métodos de Custeio Absorção Variável ABC RKW

64 Custeio por Absorção Método em que todos os custos são apropriados aos produtos para fins de sua mensuração Abordagem de mensuração: Quanto ao objeto de custo

65 Custeio por Absorção Custos Diretos Indiretos Produto A Produto B Critério de Rateio ou Alocação Produto A Produto B

66 Custeio por Absorção Estoques Produto A Produto B Custo do Produto Vendido (Demonstração de Resultado do Exercício)

67 Custeio Variável Método em que os custos variáveis, e somente eles, são apropriados aos produtos para fins de sua mensuração. Os custos fixos são baixados na Demonstração de Resultado do Exercício, independentemente da venda dos estoques Abordagem de mensuração: Quanto a variabilidade

68 Custeio Variável Custos Variáveis Fixos Produto A Produto B Demonstração de Resultado do Exercício

69 Custeio por Absorção Insumo Custeio Variável Custos de Mão-de-obra Custos de Produção Custos de Matéria-Prima Custos Indiretos Variáveis de Produção Custos de Produção Demonstração de Resultado do Exercício Custos Indiretos Fixos de Produção Despesas Variáveis de Vendas Despesas Fixas de Venda Demonstração de Resultado do Exercício

70 Custeio Baseado em Atividades (ABC) Método que se baseia nas atividades inerentes ao processo produtivo para apropriação dos custos de fabricação. Os custos são alocados às atividades e posteriormente aos produtos. Possui uma infinidade de aplicações. Abordagem de mensuração: Direcionadores de Gastos

71 Custeio ABC Custos Indiretos Atividade 1 Atividade 2 Atividade 3 Atividade 4 Produto A Produto B

72 Custeio RKW É um método de custeio em que todos os gastos, inclusive os financeiros, são apropriados aos produtos e serviços para fins de cálculo do custo dos produtos.

73 Custeio RKW Custos e Despesas Produto A Produto B

74 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª)

75 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª)

76 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª) Resolução: CIF: $5.000/200 unidades = $25 por unidade Custo Unitário = $25 + $15 = $40 Estoque Final = $2.000 Resultado Líquido = $ $6000 = $1.500

77 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª Edição)

78 (Questão Exame de Suficiência 2014, 2ª Edição) Resolução: Custo Total pelo Custeio por Absorção: CIF + CD Custo Total = $ ($12* unidades) = $ $ = $ Receita CPV = $ $ = $

79 (Questão Exame de Suficiência 2015, 2ª Edição)

80 (Questão Exame de Suficiência 2015, 2ª Edição) Resolução: Matéria-Prima Consumida = Estoque Inicial + Matérias- Primas Compradas Estoque Final Matéria-Prima Consumida = Matéria-Prima Consumida = $22.000

81 (Questão Exame de Suficiência 2015, 2ª Edição)

82 (Questão Exame de Suficiência 2015, 2ª Edição) Custos Indiretos de Fabricação: $15.000/ horas-máquina = $1,50 por HMAQ Produto A: HMAQ * $1,50 = $4.500 $4.500 / unidades = $2,25 de CIF por unidade $2,25 + $5,00 = $7,25

83 (Questão Exame de Suficiência 2015, 2ª)

84 (Questão Exame de Suficiência 2015, 2ª) Gasto Direcionador Gasto por Direcionador Produto 1 $ ,00 80 $ 905, , , , , , , ,00 Custos Diretos ,00 Total $ ,00

85 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª)

86 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª) Resolução: 1) Custo do material consumido: Estoque Inicial MP + Compras Estoque Final MP $ $ $ = $ ) Custos incorridos no período: MOD + Salário da Supervisão + Outros Custos + Material $ $ $ $ = $ ) Cálculo do custo da produção de Fevereiro Estoque Inicial Processo + Custos incorridos no período Estoque Final Processo $ $ $9.000 = $

87 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª)

88 (Questão Exame de Suficiência 2014, 1ª) Resolução: 1) Custo da produção no período: MP + MOD + GGF $ $890 + $670 = $ ) Produção Acabada no período Estoque Inicial PEE + Custo da produção no período Estoque Final PEE $320 + $ $560 = $ ) Custo dos Produtos Vendidos Estoque Inicial PA + Produção Acabada no período Estoque Final PA $930 + $ $330 = $ 3.900

89 (Questão Exame de Suficiência 2013, 1ª)

90 (Questão Exame de Suficiência 2013, 1ª) Resolução: 1) Calcular o custo da produção no período CIF + MOD + MP = $ $ $ CPP = $ ) Calcular o custo dos produtos acabados Estoque Inicial PEE + CPP Estoque Final PEE $ $ $ CPA = $ ) Custo dos Produtos Vendidos CPV = Estoque Inicial PA + CPA Estoque Final PA $ = 0 + $ Estoque Final PA Estoque Final PA = $ $ Estoque Final PA = $50.100

91 (Questão Exame de Suficiência 2013, 1ª)

92 (Questão Exame de Suficiência 2013, 1ª) Resolução: 1) Cálculo da Taxa de Rateio dos Custos Indiretos $10.000/3.000 = $3,33 por matéria-prima consumida 2) Cálculo do Custo Indireto para o Produto A CIF = $3,33 * = $ ) Cálculo do Custo Total do Produto A MOD + MP + CIF $ $ $6.000 Custo Total = $8.800

93 (Questão Exame de Suficiência 2012, 2ª)

94 (Questão Exame de Suficiência 2012, 2ª) Resolução: 1) Cálculo do Material Direto Estoque Inicial = 0 Material Adquirido = $ $400 = $ Material Consumido = $ ) Cálculo da Produção do Período Material + MOD + CIF $ = $ ) Custo dos Produtos Acabados Estoque Inicial PEE + CPP Estoque Final PEE 0 + $ CPA = $ ) Custo dos Produtos Vendidos Estoque Inicial PA = 0 CPV = $5.838

95 (Questão Exame de Suficiência 2012, 2ª)

96 (Questão Exame de Suficiência 2012, 2ª) Resolução: 1) Custeio Variável CPV = $20 * 400 CPV = $ ) Custeio por Absorção Custo Fixo Unitário = $18.000/600 Custo Fixo Unitário = $30 Custo Unitário = $30 + $20 = $50 CPV = $50 * 400 CPV = $20.000

97 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª)

98 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª) Resolução: 1) Calcular as taxas das atividades Realizar engenharia = $84.000/40 = $2.100 Energizar = $15.000/ = $0,75 2) Custos Indiretos de Fabricação por Produto Produto A = ($2.100*15) + ($0,75*7.000) Produto A = $ Produto B =($2.100*25) + ($0,75*13.000) Produto B = $ ) Custo Total por Produto Produto A = Produto A = $ Produto B = Produto B = $

99 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª)

100 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª) Resolução: 1) Custo Indireto de Fabricação Unitário $2.000 / 500 = $4 2) Custo Unitário (Custeio Absorção) $15 + $4 = $19 3) Custo dos Produtos Vendidos $19 * 400 = $ ) Resultados Receita (-) CPV (7.600) (=) Lucro Bruto $400 (-) Despesas Fixas (350) (-) Despesas Variáveis (600) (=) Prejuízo Líquido (550)

101 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª)

102 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª) Resolução: 1) Custeio Variável Custo Unitário = MOD + MD Custo Unitário = $30 + $28 Custo Unitário = $58 2) Custeio por Absorção Custo Fixo Unitário = $ / = $16 Custo Unitário = $30 + $28 + $16 = $74

103 Ludmila Melo Aula 5: Sistema de Acumulação de Custos 103

104 Sistema de Acumulação de Custos Forma da empresa trabalhar Conveniência Contábiladministrativa

105 Sistema de Acumulação de Custos Ordem de Produção Processo ou Contínuo

106 Ordem Produtos sob encomenda ou com características especiais Exemplos: Indústria de roupa, auditoria e consultoria

107 b. Sistema de Acumulação por Ordem Os custos são acumulados em uma conta específica para cada ordem ou encomenda Quando essa ordem ou encomenda é finalizada, a conta é encerrada e o seu saldo é transferido para Estoques de Produtos Acabados ou para Custo dos Produtos Vendidos Se, ao final do exercício social, a ordem ou encomenda não tiver sido finalizada, a conta não será encerrada

108 b. Sistema de Acumulação por Ordem

109 (FGV, 2010, SEFAZ RJ)

110 (Esaf, 2012) a) Qual o custo dos produtos vendidos da Ordem ? b) Qual o custo da produção em elaboração da Ordem ?

111 (Esaf, 2012) Resolução: 1) Rateio dos Custos Indiretos de Fabricação Total dos Gastos MOD = $ Total dos Gastos MOD = $ ) Ordem Estoque Inicial: $ CPP = MOD + MD + CIF CPP = (35% * $6.000) CPP = CPP = Estoque Final: 0 CPV = $ ) Ordem Estoque Inicial: $ CPP = (15% * 6.000) CPP = = $9.900 Estoque Final = $ a) Qual o custo dos produtos vendidos da Ordem ? b) Qual o estoque final em elaboração da Ordem ?

112 Processo Produtos iguais de forma contínua Exemplo: Indústria de cimento, petróleo, alimentícia

113 c. Sistema de Acumulação por Processo Os custos são acumulados em contas representativas de diversas linhas de produção, e são encerradas sempre no fim de cada exercício Não se avaliam custos unidade por unidade, e sim à base do custo médio do período

114 c. Sistema de Acumulação por Processo

115 Processo: Unidade Equivalente de Produção É um artifício para se calcular o custo médio por unidade quando existem produtos em elaboração nos finais de cada período Em essência: unidades que seriam totalmente iniciadas e acabadas se todo um certo custo fosse aplicado só a elas

116 c. Sistema de Acumulação por Processo Exemplo prático (Martins, 2010): Dados: Custo da Produção no período: $ Unidades Iniciadas no período: unidades Unidades Acabadas: unidades Em elaboração no fim do período: unidades em um estágio de50% Cálculo das Unidades Equivalentes: Unidades unidades acabadas e vão constar pelo valor integral unidades com 50% deacabamento (2.000 * 50%) Equivalentes total de produção CustoMédio por unidade totalmente acabada ($ /22.000) $252 por unidade

117 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª)

118 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª) Resolução: 1) Cálculo das Unidades Equivalentes Unidades acabadas = Unidades em elaboração = 195 (300 * 0,65) Unidades Equivalentes = unidades 2) Cálculo do Custo por Unidade Equivalente $ /1.395 = $400 3) Cálculo do Custo dos Produtos Acabados unidades * $400 = $ ) Cálculo do Custo dos Produtos em Processo $ $ = $ * 65% * $400 = $78.000

119 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª)

120 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª) Resolução: 1) Cálculo das Unidades Equivalentes de Produção por Insumo Matéria-Prima = 775 unidades MOD e CIF = (75 unidades * 36%) 2) Cálculo do Custo por Unidade Média Matéria-Prima = $ /775 = $160 MOD e CIF = $86.700/727 = $119, ) Produção Acabada ($160 + $119,25722) * 700 = $ ,06 4) Produção em Elaboração $ $ ,06 = $15.219,94 Ou ($119,25722*27)+($160*75)

121 Custos Conjuntos É o aparecimento de diversos produtos a partir, normalmente, da mesma matéria-prima Exemplo: a partir do petróleo (gasolina, querosene, emulsão asfáltica)

122 Produção Conjunta Subproduto: Valor de venda e condições de comercialização normais Surgem do processo normal Pouca relevância Coproduto: São próprios produtos principais Possuem a mesma matéria-prima Possuem relevância Sucata: Não tem valor de venda Podem ou não ser provenientes do processo normal

123 Produção Conjunta Subproduto: Valor Líquido de Realização considerando como redução do custo de elaboração dos produtos principais: Débito em Estoques ou Crédito aos Custos de Produção Valor Líquido de Realização: Valor da venda despesas de vendas Coproduto: Recebem custos de produção Diversos critérios de alocação: proporcionalidade de valores de mercado, de volume produzido Sucata: Não recebem nenhum custo Quando vendidas, classifica-se como Outras Receitas Operacionais

124 Exemplo de Subproduto

125 (Questão Cesgranrio,2011)

126 (Questão Cesgranrio,2011) Resolução: 1) Cálculo dos custos conjuntos totais: l * $2 = $ $ $ = Custos Conjuntos Totais = $ ) Cálculo do valor de venda total Queijo = kg * $120 = $ Manteiga = kg * $80 = $ Total = $ % queijo 25% manteiga

127 (Questão Cesgranrio,2011) Resolução: 3) Distribuição dos Custos Conjuntos Queijo = 75% * $ = $ Manteiga = 25% * $ = $ ) Cálculo do custo por Kg Queijo = $ $ $ $ = $ Por quilo = $ / = $25,95 Manteiga = $ $ $ $ = $ $ / = $20,50

128 i. Sistema de Acumulação de Custos A escolha do Sistema de Acumulação de Custos em uma entidade pode ser dar por doisfatores: a forma da empresatrabalhar; conveniência contábil administrativa Se o (s) produto (s) ou serviço (s) produzido (s) forem iguais e contínuos, o sistema de acumulação de custos provavelmente será por Processo Se a entidade trabalha atendendo pedido e especificações de clientes ou produz produtos com especificidades, então possivelmente o sistema de acumulação utilizado será por Ordem de Produção

129 ii. Sistema de Acumulação por Ordem Os custos são acumulados em uma conta específica para cada ordem ou encomenda Quando essa ordem ou encomenda é finalizada, a conta é encerrada e o seu saldo é transferido para Estoques de Produtos Acabados ou para Custo dos Produtos Vendidos Se, ao final do exercício social, a ordem ou encomenda não tiver sido finalizada, a conta não será encerrada

130 ii. Sistema de Acumulação por Processo Os custos são acumulados em contas representativas de diversas linhas de produção, e são encerradas sempre no fim de cada exercício

131 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª)

132 (Questão Exame de Suficiência 2012, 1ª)

133 (Questão Exame de Suficiência 2011, 2ª)

134 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª)

135 Ludmila Melo Aula 6: Custos para Controle 135

136 (Questão Exame de Suficiência 2012, 1ª)

137 (Questão Exame de Suficiência 2012, 1ª)

138 (Questão Exame de Suficiência 2012, 1ª)

139 (Questão Exame de Suficiência 2011, 1ª)

CUSTEIOS. CUSTEIO significa apropriação de custos.

CUSTEIOS. CUSTEIO significa apropriação de custos. CUSTEIOS CUSTEIO significa apropriação de custos. Custeio por Absorção (Aceito pelos GAAP BR e Legislação do IR) Custeio por Departamentalização Custeio Variável Custeio ABC Custeio RKW Etc. 1 Estágio

Leia mais

Aula Nº 5 Custeio por Absorção

Aula Nº 5 Custeio por Absorção Aula Nº 5 Custeio por Absorção Objetivos da aula: O Custeio por Absorção é muito importante para os contadores, pois as empresas são obrigadas a apresentar suas demonstrações para o fisco utilizando-se

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO. 2.1 Custos diretos e custos indiretos

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO. 2.1 Custos diretos e custos indiretos CONTABILIDADE DE CUSTOS Aula 3 - UNIDADE 2 - CUSTOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES: CUSTEIO POR ABSORÇÃO 2.1 Custos diretos e custos indiretos Prof.: Marcelo Valverde CUSTOS Em relação a unidade produzida

Leia mais

Para ilustrar o tratamento de taxas CIP pré-fixadas consideraremos as atividades de um único mês na Ruger Corporation, uma empresa produtora de

Para ilustrar o tratamento de taxas CIP pré-fixadas consideraremos as atividades de um único mês na Ruger Corporation, uma empresa produtora de Para ilustrar o tratamento de taxas CIP pré-fixadas consideraremos as atividades de um único mês na Ruger Corporation, uma empresa produtora de medalhas comemorativas de ouro e prata. A Empresa possui

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS PROFESSOR: Salomão Dantas Soares TURMA: 4º CCN1

CONTABILIDADE DE CUSTOS PROFESSOR: Salomão Dantas Soares TURMA: 4º CCN1 Classificação de custos: custos diretos, custos fixos e variáveis. Separação entre custos e despesas Custos diretos e indiretos: Custos diretos São custos diretos aqueles relacionados diretamente com a

Leia mais

Unidade I CONTABILIDADE GERENCIAL. Profª Divane Silva

Unidade I CONTABILIDADE GERENCIAL. Profª Divane Silva Unidade I CONTABILIDADE GERENCIAL Profª Divane Silva Objetivos Gerais Desenvolver com os alunos conhecimentos necessários para as seguintes competências: Avaliar os fundamentos teóricos da contabilidade

Leia mais

Custos Industriais. Produção por ordem e produção contínua. Produção por ordem e produção contínua. Custeio de Ordens e de Encomendas

Custos Industriais. Produção por ordem e produção contínua. Produção por ordem e produção contínua. Custeio de Ordens e de Encomendas Custos Industriais Custeio de Ordens e de Encomendas Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 1 Produção por ordem e produção contínua Produção contínua: a empresa trabalha produzindo produtos iguais de forma contínua

Leia mais

1) Os valores a seguir foram extraídos dos registros contábeis de uma empresa industrial:

1) Os valores a seguir foram extraídos dos registros contábeis de uma empresa industrial: 1) Os valores a seguir foram extraídos dos registros contábeis de uma empresa industrial: 2) Uma indústria apresentou, no mês de fevereiro de 2013, os seguintes custos de produção: 3) Uma sociedade empresária

Leia mais

1) A empresa JCP produtora de componentes, em determinado período apresentou os seguintes dados: (em $)

1) A empresa JCP produtora de componentes, em determinado período apresentou os seguintes dados: (em $) Prof, Luciano Paiva Atividades em Sala de Aula - CPV 1) A empresa JCP produtora de componentes, em determinado período apresentou os seguintes dados: (em ) Valores em Estoque inicial de matéria-prima 10.000,00

Leia mais

Mecânica de acumulação Grau de absorção

Mecânica de acumulação Grau de absorção ADM - 033 ADMINISTRAÇÃO DE CUSTOS - II Prof. Luiz Guilherme Azevedo Mauad, Dr. mauad@unifei.edu.br 2010 Classificação dos sistemas de custeio Característica Mecânica de acumulação Grau de absorção Momento

Leia mais

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga. CONTABILIDADE GERENCIAL Aula 01

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga. CONTABILIDADE GERENCIAL Aula 01 Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga CONTABILIDADE GERENCIAL Aula 01 Quanto mais cedo se recebe informação, mais fácil é resolver algum problema. Principais Diferenças entre

Leia mais

3ª Aula. Desenvolvimento do Tema: Custos

3ª Aula. Desenvolvimento do Tema: Custos 3ª Aula Desenvolvimento do Tema: Custos Os participantes poderão apresentar entendimentos e experiências com base em suas atividades cabendo ao professor os comentários pertinentes com destaque dos aspectos

Leia mais

Egbert Buarque

Egbert Buarque Egbert Buarque (egbert.buarque@yahoo.com.br) Custos Industrial Serviços Comercial Contabilidade Bancária Pública Comercial Industrial ATIVO Mercadorias em estoque RESULTADO CMV Mão-de-obra Direta - MOD

Leia mais

Contabilidade de Custos

Contabilidade de Custos Sumário 1 SEFAZ/SP - Fiscal ICMS (FCC - 2009) Custo de Produção... 2 2 SEFAZ/RJ - Fiscal de Rendas (FGV - 2010) - Apuração do CPV... 2 3 SEFAZ/RJ Fiscal de Rendas (FGV - 2008) - Rateio de custos... 3 4

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL. Aula 2- Unidade 01. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL. Aula 2- Unidade 01. Prof.: Marcelo Valverde E GERENCIAL Aula 2- Unidade 01 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino UNIDADE 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS À CONTABILIDADE GERENCIAL 1.1 Contabilidade de Custos x Contabilidade Gerencial

Leia mais

Métodos de Custeamento. Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame

Métodos de Custeamento. Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Métodos de Custeamento Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Método de Custeamento RKW ou Pleno e Integral Também denominado método de custeio pleno ou integral, foi desenvolvido na Alemanha no início

Leia mais

Lista de Exercícios P2 Método de Custeio por Absorção e Custo Padrão

Lista de Exercícios P2 Método de Custeio por Absorção e Custo Padrão Lista de Exercícios P2 Método de Custeio por Absorção e Custo Padrão Exercício 2: Uma indústria de confecções produz e vende dois tipos de roupas femininas: saias e vestidos. Ela não possui sistema de

Leia mais

Contabilidade de Custos

Contabilidade de Custos Contabilidade de Custos PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI Agenda - Gestão de Custos e Tomada de Decisão - Custo x Volume x Lucro - Ponto de Equilíbrio (Contábil, Financeiro, Econômico) - Grau de Alavancagem

Leia mais

Capítulo 1. Conceitos Gerais

Capítulo 1. Conceitos Gerais Capítulo 1 Conceitos Gerais 1. Conceito de Contabilidade de Custos A CONTABILIDADE DE CUSTOS é aquela aplicada às empresas industriais, prestadoras de serviços, rurais (pecuárias ou agrícolas) e às empresas

Leia mais

Rodada #1 Análise das Demonstrações e Contabilidade de Custos

Rodada #1 Análise das Demonstrações e Contabilidade de Custos Rodada #1 Análise das Demonstrações e Contabilidade de Custos Professor Marcelo Seco Assuntos da Rodada Conceitos iniciais de contabilidade de custos. Estrutura e Análise de Custos. Classificações. Reconhecimento

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL

ORÇAMENTO EMPRESARIAL ORÇAMENTO EMPRESARIAL Engenharia de Produção Prof. Flávio Smania Ferreira flavioferreira@live.estacio.br http://flaviosferreira.wordpress.com ORÇAMENTO DE CUSTO DE PRODUÇÃO Orçamento do Custo de Produção

Leia mais

EXERCÍCIOS DE EPR 002 Profª Gleicilene Siqueira de Mello

EXERCÍCIOS DE EPR 002 Profª Gleicilene Siqueira de Mello EXERCÍCIOS DE EPR 002 Profª Gleicilene Siqueira de Mello 1) Questão: João é proprietário de uma empresa geradora e distribuidora de energia termoelétrico em sua pequena cidade natal. João vende seu produto

Leia mais

Contabilidade de Custos

Contabilidade de Custos Sumário 1 Questões sobre Conceitos Básicos... 4 1.1 SEFAZ/SP - Fiscal ICMS (FCC- 2009) Custo de Produção... 4 1.2 SEFAZ/SP - Fiscal ICMS (FCC- 2009) Sucatas... 4 1.3 SEFAZ/SP - Fiscal ICMS (FCC- 2009)

Leia mais

Teleaula 2: Classificando os Gastos. Profª : Msc. Glenda Soprane

Teleaula 2: Classificando os Gastos. Profª : Msc. Glenda Soprane Contabilidade de Custos Teleaula 2: Classificando os Gastos Profª : Msc. Glenda Soprane Objetivos da Teleaula 2 Compreender os fundamentos da Contabilidade de Custos Compreender as nomenclaturas pertencentes

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS EXERCÍCIOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS EXERCÍCIOS CONTABILIDADE DE CUSTOS EXERCÍCIOS 1. (UNIVERSA - SEJUS/DF ESPECIALISTA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2010) Um sistema de custeio consiste em um critério por meio do qual os custos são apropriados

Leia mais

DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014. ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota:

DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014. ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota: DISCIPLINA: Contabilidade de Custos I PROFESSOR: Fábio José Diel, Me. PERÍODO: 4º SEMESTRE/ANO: 2º/2014 DATA: / /2014 ACADÊMICO(A): MATRICULA: Nota: Para realização do trabalho será necessária a utilização

Leia mais

Contabilidade de Custos Lista 02

Contabilidade de Custos Lista 02 1 Contabilidade de Custos Lista 02 1. (CESPE TRE-RJ Contador 2012) Se determinada entidade faz o levantamento de seus custos apenas pelo método de custeio por absorção, o valor correspondente aos custos

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Gerais...1

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Gerais...1 Sumário Capítulo 1 Conceitos Gerais...1 1. Conceito de Contabilidade de Custos...1 2. Breve Histórico da Contabilidade de Custos...1 3. Tipos de Indústrias...3 3.1. Quanto ao ritmo de fabricação dos produtos...3

Leia mais

Prefácio. Rio de Janeiro, janeiro de Ricardo J. Ferreira

Prefácio. Rio de Janeiro, janeiro de Ricardo J. Ferreira Prefácio Neste livro, nosso principal objetivo é permitir a você o estudo da Contabilidade de Custos em linguagem simples, objetiva e de fácil assimilação, sem que haja perda na qualidade do conteúdo abordado.

Leia mais

Auditor Federal de Controle Externo/TCU Prova de Contabilidade de Custos Comentada

Auditor Federal de Controle Externo/TCU Prova de Contabilidade de Custos Comentada Auditor Federal de Controle Externo/TCU - 2015 Prova de Contabilidade de Custos Comentada Pessoal, a seguir comentamos as questões de Contabilidade de Custos aplicada na prova do TCU para Auditor de Controle

Leia mais

Rodada #1 Análise das Demonstrações e Contabilidade de Custos

Rodada #1 Análise das Demonstrações e Contabilidade de Custos Rodada #1 Análise das Demonstrações e Contabilidade de Custos Professor Marcelo Seco Assuntos da Rodada Custo: conceito, classificação, sistemas, formas de custeio, sistemas de controle de custo e nomenclaturas

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL. Aula 9. Prof.: Marcelo Valverde CONTABILIDADE DE CUSTO E GERENCIAL Aula 9 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino da Disciplina: CONTABILIDADE GERENCIAL UNIDADE 05 Custeio Variável 5.1 Conceito de margem de contribuição 5.2 Custeio variável

Leia mais

Quais são os objetivos do tópico... TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS. 05. Estoque

Quais são os objetivos do tópico... TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS. 05. Estoque USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111 Noções de Contabilidade para Administração TEMA II. DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS 05. Estoque Profa. Dra. Joanília Cia (joanilia@usp.br) 1 Quais

Leia mais

CRITÉRIOS DE RATEIO E DISTRIBUIÇÃO DE CUSTOS

CRITÉRIOS DE RATEIO E DISTRIBUIÇÃO DE CUSTOS CRITÉRIOS DE RATEIO E DISTRIBUIÇÃO DE CUSTOS René Gomes Dutra Resumo: Rateio é uma divisão proporcional por uma base que tenha dados conhecidos em cada uma das funções em que se deseja apurar custos. Tal

Leia mais

TERMINOLOGIAS E CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS Gastos, custos, despesas Custos diretos e indiretos Método de avaliação de estoques PEPS, CUSTO MÉDIO

TERMINOLOGIAS E CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS Gastos, custos, despesas Custos diretos e indiretos Método de avaliação de estoques PEPS, CUSTO MÉDIO TERMINOLOGIAS E CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS Gastos, custos, despesas Custos diretos e indiretos Método de avaliação de estoques PEPS, CUSTO MÉDIO 22/02/2016 1. DEFINIÇÕES E TERMINOLOGIAS BÁSICAS Dispêndio

Leia mais

Curso Online Contabilidade de Custos Agente Fiscal de Rendas/SP 2012 Prof. Alexandre Lima. AULA 0 Apresentação do Curso

Curso Online Contabilidade de Custos Agente Fiscal de Rendas/SP 2012 Prof. Alexandre Lima. AULA 0 Apresentação do Curso AULA 0 Apresentação do Curso Caro colega, Tudo bem com você? Sou o professor Alexandre Lima. É uma imensa satisfação tê-lo como meu aluno. Como este é o nosso primeiro encontro, peço a sua licença para

Leia mais

Egbert Buarque

Egbert Buarque Egbert Buarque (egbert.buarque@yahoo.com.br) Custos Industrial Serviços Comercial Contabilidade Bancária Pública Comercial Industrial ATIVO Mercadorias em estoque RESULTADO CMV Mão-de-obra Direta - MOD

Leia mais

5/9/2014. Análise gerencial de custos para empresas industriais de pequeno e médio porte

5/9/2014. Análise gerencial de custos para empresas industriais de pequeno e médio porte Análise gerencial de custos para empresas industriais de pequeno e médio porte Álvaro Paz Graziani 2014 1 Mini-currículo Experiência de 30 anos na gestão industrial/ logística de empresas líderes nos mercados

Leia mais

CEAP Exercícios Professor: Salomão Soares Turma: Contabilidade e Sistemas de Custos

CEAP Exercícios Professor: Salomão Soares Turma: Contabilidade e Sistemas de Custos CEAP s Professor: Salomão Soares Turma: Contabilidade e Sistemas de Custos Data: Nota: 1) Dos livros da empresa Cosmopolitec foram extraídos os seguintes dados, relativos ao período findo 31 de dezembro

Leia mais

PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... GASTOS

PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... CONTABILIDADE DE CUSTOS. Revisão de conceitos... GASTOS PONTO DE EQUILÍBRIO CONTABILIDADE DE CUSTOS Revisão de conceitos... GASTOS é uma expressão mais genérica, significa aquisição de algo, compra. É o sacrifício financeirodespendido pela empresa na aquisição

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 1- Contextualização. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 1- Contextualização. Prof.: Marcelo Valverde Aula 1- Contextualização Prof.: Marcelo Valverde Plano de ensino: Contabilidade de Custo e Gerencial UNIDADE 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS À CONTABILIDADE GERENCIAL 1.1 Contabilidade de

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONTABILIDADE DE CUSTOS PROFESSORA: EUGENIZE BEZERRA LIMA Curriculum Resumido do Professor: Mestre em Educação Docência superior pela Universidade

Leia mais

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi.

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi. 1 2 O objetivo deste capítulo é ensinar a calcular o custo de um produto por meio do sistema de custeio variável, identificando a margem de contribuição, o ponto de equilíbrio e a margem de segurança para

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROVAS 2 ANTERIORES DE CUSTOS INDUSTRIAIS ENG 3040 1) A empresa Fios de Ouro produz fios elétricos em três tamanhos:

Leia mais

CONTABILIDADE E ANÁLISE DE CUSTOS I. Profª. Msc Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes. Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete

CONTABILIDADE E ANÁLISE DE CUSTOS I. Profª. Msc Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes. Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete CONTABILIDADE E ANÁLISE DE CUSTOS I 1 Profª. Msc Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete 2016 PARTE I: INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE DE CUSTOS 1. Contabilidade

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS. Professor Mestre Roberto de O. Sant Anna

GESTÃO DE CUSTOS. Professor Mestre Roberto de O. Sant Anna GESTÃO DE CUSTOS Professor Mestre Roberto de O. Sant Anna AULA 4 Gestão de Custos 2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Aula 4 Custos dos produtos vendidos Conceito Apuração Decisão sobre Rateios Gestão de Custos 3

Leia mais

Contabilidade de Custos Decifrada

Contabilidade de Custos Decifrada 1 Elementos do custo... 1 1.1 Mão de Obra... 1 1.1.1 Conceitos iniciais... 1 1.1.2 Custo da mão de obra x folha de pagamento... 2 1.1.3 Mão de obra direta... 4 1.1.4 Mão de obra indireta... 5 1.1.5 Tempo

Leia mais

Custos Diretos são facilmente alocados à produção. E os custos indiretos?

Custos Diretos são facilmente alocados à produção. E os custos indiretos? Custos Diretos são facilmente alocados à produção. E os custos indiretos? Custeio significa apropriação de custos. Custeio por absorção Custeio Variável Custeio ABC Custeio por absorção: é derivado de

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS MPU 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA

CONTABILIDADE DE CUSTOS PACOTE DE TEORIA E EXERCÍCIOS MPU 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Saudações! Bem vindo às aulas de Teoria e Exercícios de CONTABILIDADE DE CUSTOS para o PACOTE DO ANALISTA DO MPU. É uma imensa satisfação tê-lo como aluno. Como este é o nosso primeiro encontro, peço licença

Leia mais

Métodos de Custeio. Prof. Alan S. Fonseca. Fonseca, Alan Sales da. Métodos de custeio / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il.

Métodos de Custeio. Prof. Alan S. Fonseca. Fonseca, Alan Sales da. Métodos de custeio / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il. Métodos de Custeio F676m Fonseca, Alan Sales da. Métodos de custeio / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 19 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Contabilidade

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi.

Prof. Dr. Silvio Aparecido Crepaldi. 1 2 Os objetivos deste capítulo são: Ensinar a calcular o custo de um produto ou serviço por meio do sistema de custeio por absorção. Justificar os critérios utilizados nesse cálculo, identificando suas

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PROJETOS. 7º semestre Eng. Produção. Prof. Luciel Henrique de Oliveira

GESTÃO DE PESSOAS E PROJETOS. 7º semestre Eng. Produção. Prof. Luciel Henrique de Oliveira GESTÃO DE PESSOAS E PROJETOS 7º semestre Eng. Produção Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@fae.br Terminologia Contábil Prof. Luciel Henrique que Oliveira Gasto Sacrifício Financeiro para obtenção

Leia mais

Gastos é a aquisição de um bem ou serviço mediante pagamento, ou seja, desembolso financeiro. Os gastos podem ser divididos em:

Gastos é a aquisição de um bem ou serviço mediante pagamento, ou seja, desembolso financeiro. Os gastos podem ser divididos em: 3. GASTOS Gastos é a aquisição de um bem ou serviço mediante pagamento, ou seja, desembolso financeiro. Os gastos podem ser divididos em: Custos: Todo desembolso ligado a produção (Ex.: Compra de ). Despesa:

Leia mais

5 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (I)

5 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (I) 5 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (I) 6 Esquema Básico da Contabilidade de Custos (II) - Departamentalização 9 - Aplicação de Custos Indiretos de Produção A Usina de Açúcar Bellezza decidiu

Leia mais

Fonseca, Alan Sales da. Contabilidade de custos: classificação de custos / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il.

Fonseca, Alan Sales da. Contabilidade de custos: classificação de custos / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il. Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade de custos: classificação de custos / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 23 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo deacesso: World Wide

Leia mais

Métodos de Custeio. Artigos da internet

Métodos de Custeio. Artigos da internet Método de Custeio por Absorção - (Custeio Integral) O Custeio por absorção, também chamado custeio integral, é aquele que faz debitar ao custo dos produtos todos os custos da área de fabricação, sejam

Leia mais

Curso de Contabilidade de Custos Professor Luciano Guerra CH 12h/a

Curso de Contabilidade de Custos Professor Luciano Guerra CH 12h/a Curso de Contabilidade de Custos Professor Luciano Guerra CH 12h/a Introdução Custos e Decisão Uma decisão é uma escolha entre alternativas possíveis, desde que uma delas seja a de permanecer na mesma

Leia mais

Contabilidade e Análise de Custos II 2016

Contabilidade e Análise de Custos II 2016 I. EXERCÍCIOS CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO EXERCÍCIO 1 A empresa Arte em Estilo produz móveis de luxo por encomendas. Seus custos fixos totalizam R$ 9.600,00 por semana e suas despesas fixas

Leia mais

A Companhia Pasteurizadora Genoveva Uaaaaaaiiiiii produz leite tipos C e B. O ambiente de produção é composto por quatro departamentos:

A Companhia Pasteurizadora Genoveva Uaaaaaaiiiiii produz leite tipos C e B. O ambiente de produção é composto por quatro departamentos: A Companhia Pasteurizadora Genoveva Uaaaaaaiiiiii produz leite tipos C e B. O ambiente de produção é composto por quatro departamentos: de auxílio à produção: manutenção e adm. prod.; de produção: pasteurização,

Leia mais

7. Análise da Viabilidade Econômica de. Projetos

7. Análise da Viabilidade Econômica de. Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Terminologia em Custos: Gasto Investimento Custo Despesa Perda Desembolso 1 7. Análise da Viabilidade Econômica de

Leia mais

Contabilidade Gerencial PROFESSOR: Salomão Soares

Contabilidade Gerencial PROFESSOR: Salomão Soares Contabilidade Gerencial PROFESSOR: Salomão Soares Apostila 02 Data: 2.3. Classificação e comportamento dos custos Comportamento de Custos Análise do Comportamento de Custos é o estudo de como custos específicos

Leia mais

Aula 00. Aula 0 (DEMONSTRATIVA): apresentação do conteúdo programático, metodologia de ensino e resolução de exercícios.

Aula 00. Aula 0 (DEMONSTRATIVA): apresentação do conteúdo programático, metodologia de ensino e resolução de exercícios. Aula 00 Caro aluno, Bem vindo ao curso de Contabilidade de Custos em Teoria e Exercícios para o cargo de Auditor Federal de Controle Externo (AFCE) AUDITORIA GOVERNAMENTAL do Tribunal de Contas da União

Leia mais

Gestão de Custos. Avaliação dos Custos. Aula 3. Organização da Aula. Contextualização. Contabilidade de Custo O Uso da Informação Útil

Gestão de Custos. Avaliação dos Custos. Aula 3. Organização da Aula. Contextualização. Contabilidade de Custo O Uso da Informação Útil Gestão de Custos Aula 3 Avaliação dos Custos Prof. Me. Ernani João Silva Organização da Aula Avaliação dos custos Ótica contábil Contextualização Ótica econômica Contabilidade de Custo O Uso da Informação

Leia mais

PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL

PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL Braulino José dos Santos TERMINOLOGIAS Terminologia em custos Gasto Investimento Custo

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS CONTABILIDADE DE CUSTOS Elementos e Classificação de Custos: Com Relação aos Produtos, Com Relação ao Volume de Produção e Com Relação Progresso do Processo de Produção ELEMENTOS Custo Industrial (Custo

Leia mais

PRODUÇÃO CONJUNTA, COPRODUTO, SUBPRODUTO E SUCATA

PRODUÇÃO CONJUNTA, COPRODUTO, SUBPRODUTO E SUCATA PRODUÇÃO CONJUNTA, COPRODUTO, SUBPRODUTO E SUCATA Flávio Adalberto Debastiani Mariângela de Fátima Alves Tassi Sartoretto Ytamar Siqueira Ventura Junior PRODUÇÃO CONJUNTA O que é: processo de produção

Leia mais

Conteúdo: Sistemas de inventário Critérios de avaliação de estoques Cálculo das compras líquidas CPC 16 - Estoques

Conteúdo: Sistemas de inventário Critérios de avaliação de estoques Cálculo das compras líquidas CPC 16 - Estoques Módulo 3 Egbert 1 Conteúdo: Sistemas de inventário Critérios de avaliação de estoques Cálculo das compras líquidas CPC 16 - Estoques 2 1. Operações com mercadorias O controle das mercadorias pode ser realizado

Leia mais

Prof. Alexandre Lima 1

Prof. Alexandre Lima  1 1 Introdução à Contabilidade de Custos... 2 1.1 A Contabilidade Geral, a Contabilidade de Custos e a Contabilidade Gerencial... 2 1.2 Custeio por Absorção... 5 1.3 Terminologia Aplicável à Contabilidade

Leia mais

GASTO. Anotações. Introdução à Contabilidade de Custos. Terminologia da Contabilidade de Custos. Investimento. Custo. Despesa

GASTO. Anotações. Introdução à Contabilidade de Custos. Terminologia da Contabilidade de Custos. Investimento. Custo. Despesa Introdução à Contabilidade de Custos Contexto Histórico Revolução Industrial Diferença entre Contabilidade Financeira (Geral), Custos e Gerencial Contabilidade Financeira Usuários Externos Contabilidade

Leia mais

Orçamento. (continuação) 06/09/2016. Orçamento de Vendas. Orçamento de Produção. Orçamento de Estoque Final

Orçamento. (continuação) 06/09/2016. Orçamento de Vendas. Orçamento de Produção. Orçamento de Estoque Final Orçamento (continuação) Vendas Estoque Final Produção matéria-prima direta mão-de-obra direta custos indiretos de fabricação Custo dos Produtos Vendidos investimentos financiamentos Caixa despesas de vendas

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS CONTABILIDADE DE CUSTOS (Imbel/ 2008) Dado o gráfico a seguir, responda as questões de 01 a 05. 01- O Ponto A de interseção da curva de custo total com o eixo vertical representa: (A) ponto de equilíbrio.

Leia mais

CUSTOS INDUSTRIAIS.

CUSTOS INDUSTRIAIS. CUSTOS INDUSTRIAIS gleicilene@unifei.edu.br Introdução Revolução Industrial Empresas em geral comerciais Empresas industriais Cálculo do CMV, para apuração do Lucro. Poucas entidades jurídicas Preocupação

Leia mais

PROVA ESCRITA CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL COMPLEMENTAR Nº DE INSCRIÇÃO: LEIA COM ATENÇÃO E SIGA RIGOROSAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES

PROVA ESCRITA CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL COMPLEMENTAR Nº DE INSCRIÇÃO: LEIA COM ATENÇÃO E SIGA RIGOROSAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROVA ESCRITA CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROCESSO SELETIVO

Leia mais

Contabilidade de Custos Aula 12. Erivaldo Coutinho

Contabilidade de Custos Aula 12. Erivaldo Coutinho Contabilidade de Custos Aula 12 Erivaldo Coutinho Método de Custeio O modo que a contabilidade de custos utiliza para mensurar os custos do produtos. Modelo de: Informação; Decisão; Mensuração. Métodos

Leia mais

Este é o método de custeio indicado para tomada de decisões, tais como:

Este é o método de custeio indicado para tomada de decisões, tais como: Fonte: Horngren Datar Foster bilidade de Custos Editora Pearson décima primeira Aula Adicional para complementação de Conteúdo - 08_11_2013 Custeio Variável Conceitos e Aplicações Custeio Variável (ou

Leia mais

Conceito de estoque e Apuração do Resultado do Exercício Seção 6

Conceito de estoque e Apuração do Resultado do Exercício Seção 6 Conceito de estoque e Apuração do Resultado do Exercício Seção 6 Prof. Me. Hélio Esperidião O que é estoque? Conceito de Estoque Estoque é a acumulação de recursos materiais em um sistema de produção,

Leia mais

Curso Online Contabilidade de Custos em Exercícios Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo AFR/SP Prof. Alexandre Lima

Curso Online Contabilidade de Custos em Exercícios Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo AFR/SP Prof. Alexandre Lima Caro colega, AULA 0 Apresentação do Curso Tudo bem com você? Sou o professor Alexandre Lima. É uma imensa satisfação tê-lo como meu aluno. Como este é o nosso primeiro encontro, peço a sua licença para

Leia mais

Capítulo 1 Aspectos Gerais de Contabilidade 1. Capítulo 2 Análise das Demonstrações Contábeis 59

Capítulo 1 Aspectos Gerais de Contabilidade 1. Capítulo 2 Análise das Demonstrações Contábeis 59 Sumário Capítulo 1 Aspectos Gerais de Contabilidade 1 1.1. Introdução...1 1.2. Demonstrações conforme a Lei das Sociedades Anônimas...2 1.3. Balanço Patrimonial BP...2 1.4. Demonstração do Resultado do

Leia mais

7ª Edição - Curso Preparatório para o Exame de Suficiência CFC

7ª Edição - Curso Preparatório para o Exame de Suficiência CFC 7ª Edição - Curso Preparatório para o Exame de Suficiência CFC 2017.2 Maratona de Contabilidade de Custos Prof.: Osvaldo Marques Prof. Osvaldo Marques 1 TERMINOLOGIA: GASTOS É todo sacrifício financeiro

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROVAS 2 ANTERIORES DE CUSTOS INDUSTRIAIS ENG 3040 1) A empresa Fios de Ouro produz fios elétricos em três tamanhos:

Leia mais

CORREÇÃO PROVA AUDITOR FEDERAL DE CONTROLE EXTERNO TCU 2015

CORREÇÃO PROVA AUDITOR FEDERAL DE CONTROLE EXTERNO TCU 2015 CORREÇÃO PROVA AUDITOR FEDERAL DE CONTROLE EXTERNO TCU 2015 APRESENTAÇÃO Olá, meus amigos. Como estão?! Apresentamos, a seguir, a correção da prova de Contabilidade de Custos, bem como as possibilidades

Leia mais

É muito importante revisar a matéria antes de iniciar um assunto novo, porque só assim fixamos os conceitos e o aprendizado se consolida.

É muito importante revisar a matéria antes de iniciar um assunto novo, porque só assim fixamos os conceitos e o aprendizado se consolida. Aula 05 Olá concurseiro (a)! Já revisou a última aula?? É muito importante revisar a matéria antes de iniciar um assunto novo, porque só assim fixamos os conceitos e o aprendizado se consolida. A matéria

Leia mais

Empresa 4 BETA Balanço Patrimonial em 31/12/X0

Empresa 4 BETA Balanço Patrimonial em 31/12/X0 1. Cenário: 1 A Empresa sec 5fabrica somente o produto. O processo orçamentário começa em outubro, antes do final do período contábil a 31 de Dezembro. Os resultados esperados no ano corrente, a se encerrar

Leia mais

3 MÉTODOS DE CUSTEIO

3 MÉTODOS DE CUSTEIO 3 MÉTOOS E USTEIO 3.1 usteio por Absorção O método de custeio denominado de custeio por absorção é aquele que distribui todos os custos de produção de um período, sejam fixos ou variáveis, diretos ou indiretos,

Leia mais

1 Introdução à Contabilidade de Custos

1 Introdução à Contabilidade de Custos Saudações, tudo bem com você? Pronto para começar o curso de Contabilidade de Custos? Duas observações antes de iniciarmos a exposição teórica. As notas explicativas estão indicadas pelos símbolos (*)

Leia mais

Preparação de equipamentos. Energia - 0,05 0,70 0,20 0,05. Depreciação 0,05-0,80 0,10 0,05. Materiais diversos 0,10 0,10 0,60 0,20 -

Preparação de equipamentos. Energia - 0,05 0,70 0,20 0,05. Depreciação 0,05-0,80 0,10 0,05. Materiais diversos 0,10 0,10 0,60 0,20 - 1. A empresa J. Oriental Ltda. fabrica três produtos, A, B e C, em um único departamento. No mês de abril/x0 a produção foi de 300 unidades de A, 250 unidades de B e 400 unidades de C. Os custos desse

Leia mais

CONTABILIDADE GERENCIAL. Aula 16. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE GERENCIAL. Aula 16. Prof.: Marcelo Valverde CONTABILIDADE GERENCIAL Aula 16 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino da Disciplina: CONTABILIDADE GERENCIAL UNIDADE 5 - CUSTEIO VARIÁVEL 5.1 Conceito de margem de contribuição 5.2 Custeio variável 5.3

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Técnico em Gestão de Pequenas Empresas Gestão de Custos II - Prof. Josué Alexandre Sander

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Técnico em Gestão de Pequenas Empresas Gestão de Custos II - Prof. Josué Alexandre Sander Exercícios retirados do livro Gestão de Custos e Formação de Preços 1 Exercício 4 Como os elementos seguintes podem ser classificados em despesas fixas (DF), custos fixos (CF), despesas variáveis (DV),

Leia mais

Por que devemos conhecer os Custos?

Por que devemos conhecer os Custos? Terminologias e Classificação em Custos OBJETIVOS DA AULA: Entender o por que estudar os custos. Explorar a terminologia adotada. Definir e classificá los. Apresentar os elementos básicos. Por que devemos

Leia mais

Contabilidade de Gestão I GESTÃO FINANÇAS & CONTABILIDADE GIL/ GEI

Contabilidade de Gestão I GESTÃO FINANÇAS & CONTABILIDADE GIL/ GEI Departamento de Contabilidade Contabilidade de Gestão I GESTÃO FINANÇAS & CONTABILIDADE GIL/ GEI CADERNODE EXERCÍCIOS 1 RESOLUÇÕES EXERCÍOS 1 A 10 Ano Letivo 2014/2015 1 EXERCÍCIO 1 Empresa PRODP FIFO

Leia mais

Contabilidade de Custos

Contabilidade de Custos Contabilidade de Custos Material Teórico Sistemas de Custeio, Elementos de Custos e Métodos de Custeio Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Walter Franco Lopes da Silva Revisão Textual: Profa. Ms. Selma

Leia mais

CUSTOS: ANÁLISE EM UMA EMPRESA METAL-MECÂNICA DE CAXIAS DO SUL

CUSTOS: ANÁLISE EM UMA EMPRESA METAL-MECÂNICA DE CAXIAS DO SUL CUSTOS: ANÁLISE EM UMA EMPRESA METAL-MECÂNICA DE CAXIAS DO SUL Marina Cappelletti Périco 1 Catherine Chiappin Dutra 2 Odir Berlatto 3 INTRODUÇÃO Esta pesquisa apresenta como tema central a Contabilidade

Leia mais

CSA1017 ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS

CSA1017 ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS CSA1017 ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS Prof. Marcos Vinicius CON 2015/2 DESEMBOLSOS Saídas de dinheiro do caixa ou das contas bancárias das empresas, ou seja, entrega a terceiros de parte dos numerários

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Programa de Certificação de Qualidade Curso de Graduação em Administração PROVA DE CONTABILIDADE GERENCIAL 2º Semestre / 2010 - P2 - TIPO 1 DADOS DO ALUNO: Nome: Assinatura INSTRUÇÕES:

Leia mais

Contabilidade de Custos PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI

Contabilidade de Custos PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI Contabilidade de Custos PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI Custeio Baseado em Atividades - ABC 2 Quadro 2 Quadro 1 Apuração dos Custos das Atividades Uma empresa de confecções produz três tipos de produtos,

Leia mais

1.4 - CUSTOS São os gastos relativos a bens ou serviços utilizados na produção de outros bens ou serviços.

1.4 - CUSTOS São os gastos relativos a bens ou serviços utilizados na produção de outros bens ou serviços. CONTABILIDADE GERAL E DE CUSTOS MÓDULO (1): CONTABILIDADE DE CUSTOS 1. CONCEITOS 1.1 CONTABILIDADE DE CUSTOS É a área da contabilidade que estuda os gastos referentes à produção de bens e serviços. Abrange

Leia mais

ESTOQUES PROFESSOR Marcelo Grifo

ESTOQUES PROFESSOR Marcelo Grifo QUARTA DO CONHECIMENTO ESTOQUES PROFESSOR Marcelo Grifo Palestra CRC - Estoques Marcelo Grifo Mini currículo do Palestrante: Contador, Pós-graduado em finanças, mestrado em Contabilidade, Certificação

Leia mais

Fonseca, Alan Sales da. Custeio baseado em atividade ABC e custeio padrão / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il.

Fonseca, Alan Sales da. Custeio baseado em atividade ABC e custeio padrão / Alan Sales da Fonseca. Varginha, slides; il. Fonseca, Alan Sales da. F676c Custeio baseado em atividade e custeio padrão / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 20 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS II

LISTA DE EXERCÍCIOS II CUSTEIO VARIÁVEL MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS II ORIENTAÇÕES GERAIS: CUSTEIO VARIÁVEL E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 1º Passo: Separação entre Custos e Despesas. Qual a diferença conceitual entre

Leia mais