SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES. Visão Estratégica do Governo do Estado sobre o uso dos Aeroportos do Galeão e Santos Dumont

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES. Visão Estratégica do Governo do Estado sobre o uso dos Aeroportos do Galeão e Santos Dumont"

Transcrição

1 Visão Estratégica do Governo do Estado sobre o uso dos Aeroportos do Galeão e Santos Dumont Delmo Pinho - março, 2009

2 Cenário Atual da Aviação Mundial aeronaves imobilizadas; Número total de jatos desativados (estocados) aproxima-se dos 2.300, representando mais de 11% da frota global de transporte aéreo; As companhias aéreas norte-americanas lideram a desativação de aeronaves e desde meados de 2008 anunciaram a redução de pelo menos 800 aviões em suas frotas. Fonte: Business Travel Magaz. HotNews,

3 Cenário Atual da Aviação Mundial International Air Transport Association (Iata): Tráfego aéreo de pessoas cai 4,6% e de carga, 22,6% comparando-se dez/07 e dez/08; A British Airways: prejuízo operacional de cerca de 150 milhões de libras no atual exercício, que se encerra em março, anúncio feito pouco depois que a Air France-KLM, a maior companhia aérea da Europa, revelou um prejuízo de cerca de 200 milhões de euros para o quarto trimestre. Fonte: Jornal Valor Econômico, 30/01/09

4 Estratégia Logística Não se pode confundir a a estratégia de uso dos aeroportos para assegurar um HUB no Rio de Janeiro com a necessidade de melhoria das instalações e da operacionalidade do Galeão (via concessão ou não)

5 Aeroporto do Galeão vista geral

6 Aeroporto Santos Dumont

7 Objetivo do Estado Fortalecer a posição do RJ no cenário nacional e internacional Concentrar voos e consolidar o Galeão como hub, aumentando a conectividade de voos nacionais e internacionais Abrir o Santos Dumont significa criar um concorrente no próprio Estado

8 Hierarquia Urbana e Região de Influência das Cidades

9 Redes nacionais de gestão empresarial

10 Objetivo do Estado: Consolidar o Galeão como Hub nacional e internacional para tal é necessário ali concentrar o maior número de vôos Fortalecer a posição do RJ no cenário nacional e internacional Ferramenta chave: Abrir o Santos Dumont é criar um concorrente dentro da própria casa. Estratégia Adotada pelo RJ na questão aérea: Aumentar a conectividade interna e externa.

11 O que estamos observando: Em 2004 o DAC procurou instituir um ordenamento no uso dos aeroportos do eixo RJ, BH, SP No RJ e em BH prosseguiu e, em SP não foi implementado Guarulhos e Congonhas operam acima de suas capacidades Aumenta o Risco de Acidentes nestes aeroportos Galeão opera abaixo de sua capacidade, porém apresenta aumento qualitativo de uso (conectividade) Depois da quebra da VARIG, em 2007 e 2008 aumenta bastante o número de novas rotas internacionais no Galeão (aumento quantitativo e qualitativo) Em 2008 observa-se que entre 30% e 50% dos passageiros dos vôos internacionais do Galeão tem origem ou destino em outros estados

12 Uso dos Aeroportos Aeroportos Movimento de Passageiros Tx Cresc /2007 S. Dumont ,65% Galeão ,04% Congonhas ,65% Guarulhos ,02% Total RJ ,85% Total SP ,38% Fonte: Infraero

13 Utilização da capacidade instalada Aeroporto Capacidade em passageiros/ano Galeão 20 milhões 23,10% 30,12% 43,29% 44,28% 51,76% 54,87% Santos Dumont 3,2 milhões até milhões 168,21% 152,73% 111,32% 112,20% 40,18% 44,43% Guarulhos 15 milhões até milhões 77,21% 86,27% 93,15% 92,70% 110,56% 123,41% Congonhas 12 milhões até milhões 100,58% 113,43% 142,90% 153,83% 101,77% 88,18% Obs.: Valores de 2008 projetados pela Setrans 2.2. Das Limitações e Proibições Operacionais Admitidas à Luz da Lei nº / O marco regulatório instituído pela Lei nº , de 27 de setembro de 2008, estabelece a capacidade operacional dos aeroportos e o atendimento das normas de serviço adequado como condicionantes exclusivos da oferta de serviços aéreos. 10. Isso porque, conforme preconiza o 1º do art. 48 da Lei nº /2005, desde que haja prévio registro na ANAC e observada exclusivamente a capacidade operacional de cada aeroporto e as normas regulamentares de serviço, as prestadoras de serviços aéreos domésticos poderão explorar quaisquer linhas aéreas pretendidas. Observe-se: Art. 48. VETADO 1o Fica assegurada às empresas concessionárias de serviços aéreos domésticos a exploração de quaisquer linhas aéreas, mediante prévio registro na ANAC, observada exclusivamente a capacidade operacional de cada aeroporto e as normas regulamentares de prestação de serviço adequado expedidas pela ANAC. (Grifos não constantes do original)

14 Dos efeitos observados com as limitações e proibições operacionais impostas à utilização da TMA/RJ o caso do SBGL e do SBRJ 24. Conforme já assinalado, com a imposição de restrições a vôos domésticos no Aeroporto SBRJ, a partir de 2004, havia a expectativa de que o SBGL poderia se tornar um grande hub nacional, com o conseqüente incremento dos vôos com origem e destino à cidade do Rio de Janeiro, viabilizando, inclusive as ligações internacionais a partir daquele aeroporto. 25. No entanto, os dados a seguir apresentados demonstram que esses objetivos não se concretizaram Fonte: ANAC

15 Fonte: Infraero 2008: valores projetados pela Setrans

16 Fonte: ANAC

17 Fonte: ANAC

18 Movimentação de Cargas Internacionais Kg Ano GALEÃO GUARULHOS VIRACOPOS MANAUS TOTAL Variação 03/07-20,39% 9,24% 41,09% 145,06% 23,67% Fonte: Infraero

19 Participação na Movimentação de Cargas Internacionais Fonte: Infraero

20 Algumas ações previstas no projeto da política nacional de aviação civil (em discussão) Manter as instalações aeroportuárias em condições de atender adequadamente os usuários Otimizar a infra-estrutura aeroportuária Harmonizar a capacidade e a demanda da infra-estrutura aeroportuária Gerir a demanda dos aeroportos por meio da diferenciação tarifária entre diferentes aeroportos ou em um mesmo aeroporto nos horários de maior demanda (Tarifa Pátio) Gestão de ativos + Estratégia de Ação

21 Movimentação de Passageiros Brasil São Paulo (SBGR+SBSP) Rio de Janeiro (SBRJ+SBGL) Brasília (SBBR)

22 Movimentação de Cargas Internacionais Ano GALEÃO GUARULHOS VIRACOPOS MANAUS TOTAL Kg Fonte: Infraero

23 Participação na Movimentação de Cargas Internacionais Fonte: Infraero

24 MOVIMENTOS SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES Movimento SDU MÉDIA DE MOVIMENTOS / HORA ,1 15, ,2 13,7 12,9 14,1 13,2 14,1 13,2 12,4 13,1 13,8 11,7 11, , ,3 3, ,1 0,7 0,4 0,1 0,1 0,1 0,1 0:00 1:00 2:00 3:00 4:00 5:00 6:00 7:00 8:00 9:00 10:00 11:00 12:00 13:00 14:00 15:00 16:00 17:00 18:00 19:00 20:00 21:00 22:00 23:00 Fonte: CGNA

25 Movimento de Aeronaves SDU Total de Movimentos Fonte: Infraero

26 Algumas questões Centrais do Uso dos Aeroportos do Galeão e Santos Dumont Experiência recente do que ocorreu até 2004 no uso dos dois aeroportos; Não apresentação do planejamento de uso da rede de aeroportos; Boa e crescente conectividade do Galeão, que atualmente é o segundo hub nacional e internacional do país; Crescimento de demanda em ritmo compatível com mercados já consolidados; Período crítico na economia mundial desaconselhando forte alterações em estratégias; Possibilidade de Uso complementar do SDU; Falta um Plano B e um seguro garantia para o caso do Galeão ser desarmado como hub

27 Conectividade Empresa Internacional VOO TTL PAX CONEX % Conexão 179/1DEC ,95% 183/1DEC ,05% 179/2DEC ,95% 175/2DEC ,06% 179/3DEC ,37% 179/4DEC ,16% 175/4DEC ,89% 179/5DEC ,81% 183/5DEC ,18% 179/6DEC ,29% 175/6DEC ,16% 179/7DEC ,28% 179/8DEC ,48% 183/8DEC ,18% 179/9DEC ,31% 175/9DEC ,71% 179/10DEC ,90% 179/11DEC ,27% 175/11DEC ,74% 179/12DEC ,60% 183/12DEC ,38% 175/12DEC ,27% 179/13DEC ,78% 175/13DEC ,31% 179/14DEC ,00% 175/14DEC ,01% 183/15DEC ,73% 179/15DEC ,81% TOTAL ,40%

28 Conectividade Empresa Nacional TRECHO C D G / G I G / C D G LOCAL CONEXÃO + TRÂNSITO 49% 51% P A R I S FLN VIX FOR CNF REC SSA CWB POA BEL CDG JJ 8055 GIG BSB GYN GIG JJ 8054 CDG FLN VIX CWB POA FOR BSB REC CNF GRU SSA

29 Conectividade Empresa Nacional TRECHO J F K / G I G / J F K LOCAL CONEXÃO + TRÂNSITO 50% 50% N E W Y O R K FLN SSA FOR POA REC BSB CWB FLN BEL JFK JJ 8079 GIG CWB GYN GIG JJ 8078 JFK VIX SSA FOR VIX REC POA CNF BSB BEL CNF SSA

30 Conectividade Empresa Nacional TRECHO M I A / G I G / M I A LOCAL CONEXÃO + TRÂNSITO 40% 60% FLN CWB VIX GRU CNF VIX FLN SSA FOR FOR REC REC CWB MIA JJ 8057 GIG BSB BEL GIG JJ 8056 MIA M I A M I CNF GYN BEL SSA POA VIX GYN POA BSB BSB IGU CNF CWB GRU

31 Conectividade Empresa Nacional TRECHO E Z E / G I G / E Z E LOCAL CONEXÃO + TRÂNSITO 43% 57% B U E N O S A I R E S IGU FLN REC BSB VIX CWB BSB EZE JJ 8001 GIG SSA GRU GIG JJ 8002 EZE VIX SSA REC CNF GRU CGH VCP FLN FOR

32 IATA: Impacto Varig

33 IATA: Impacto Varig

34 Obrigado

Transporte aéreo no Brasil: evolução da oferta, da demanda e do preço

Transporte aéreo no Brasil: evolução da oferta, da demanda e do preço Transporte aéreo no Brasil: evolução da oferta, da demanda e do preço 26ª Reunião Conjunta Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle Comissão de Serviços de Infraestrutura

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Proposta de resolução que revoga as limitações e proibições operacionais impostas à Área de Controle Terminal (TMA) do Rio de Janeiro, estabelecidas

Leia mais

INVESTIMENTOS PRIVADOS EM AEROPORTOS 1 / 53

INVESTIMENTOS PRIVADOS EM AEROPORTOS 1 / 53 INVESTIMENTOS PRIVADOS EM AEROPORTOS 1 / 53 INVESTIMENTOS PRIVADOS EM AEROPORTOS Sumário 1 - Panorama Mundial da Aviação Civil 2- Situação Atual dos Aeroportos Brasileiros 3 - O Futuros dos Aeroportos

Leia mais

ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE DOS PRINCIPAIS AEROPORTOS BRASILEIROS

ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE DOS PRINCIPAIS AEROPORTOS BRASILEIROS Anais do XVI Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XVI ENCITA / 2010 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil 20 de outubro de 2010 ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE

Leia mais

Portfólio de produtos

Portfólio de produtos Apresentação A TAM Cargo é a divisão de transporte da TAM. Em operação desde 1996, oferece serviços de transportes de cargas e encomendas expressas porta a porta e convencionais para mais de 4200 localidades,

Leia mais

6. Considerações Finais

6. Considerações Finais 98 6. Considerações Finais Mesmo com a alta dos preços do petróleo, a aviação vem caminhando a passos largos. Pelo menos é o que mostram os recentes números divulgados pela ANAC. As três maiores companhias

Leia mais

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 Pela primeira vez, o setor de aviação está lançando todas as diretrizes operacionais com mais de 300 dias de antecedência, o que contribui decisivamente

Leia mais

Copa do Mundo 2014 Agosto de 2014

Copa do Mundo 2014 Agosto de 2014 Copa do Mundo 2014 Agosto de 2014 Aviação Comercial e GA/BA - 16 aeroportos de cidade sede + 8 de até 200Km terrestre; Exclusivo GA/BA 13 Bases Militares e 5 Aeroportos; Monitorados 53 Aeroportos; Coordenação

Leia mais

Abordagem para os Serviços Aéreos Internacionais. Transporte para o Comércio e a Integração Regional

Abordagem para os Serviços Aéreos Internacionais. Transporte para o Comércio e a Integração Regional Abordagem para os Serviços Aéreos Internacionais Seminário CNI-BID Brasília, 01 de outubro de 2008 Transporte para o Comércio e a Integração Regional Ronaldo Seroa da Motta Diretor da ANAC Marco Legal

Leia mais

Rio de Janeiro - BH / MG Gol Tarifa W Adulto R$ 226,00 Sab, 30 Ago 08 Vôo 1746 18:30 Partida RIO-Galeão-RJ (GIG) 19:30 Chegada BHZ-Confins-MG (CNF

Rio de Janeiro - BH / MG Gol Tarifa W Adulto R$ 226,00 Sab, 30 Ago 08 Vôo 1746 18:30 Partida RIO-Galeão-RJ (GIG) 19:30 Chegada BHZ-Confins-MG (CNF LEVANENTO PASSAGENS AÉREAS DO RIO DE JANEIRO PARA AS DEMAIS CAPITAIS (EM 2 DE JUNHO DE 2008) Rio de Janeiro - Aracaju / Sergipe Tarifa M Adulto R$ 620, Vôo 1714 19:00 Partida RIO-Galeão-RJ (GIG) Escala

Leia mais

MANUAL DE PLANEJAMENTO DO SETOR DE AVIAÇÃO CIVIL COPA DO MUNDO 2014. Comitê Técnico de Operações Especiais CONAERO

MANUAL DE PLANEJAMENTO DO SETOR DE AVIAÇÃO CIVIL COPA DO MUNDO 2014. Comitê Técnico de Operações Especiais CONAERO MANUAL DE PLANEJAMENTO DO SETOR DE AVIAÇÃO CIVIL COPA DO MUNDO 2014 Comitê Técnico de Operações Especiais CONAERO ORGANIZAÇÃO DO SETOR CONAERO Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias -Decisões

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - DIRETORIA

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - DIRETORIA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - DIRETORIA RESOLUÇÃO Nº 57, DE 10 DE OUTUBRO DE 2008: Regulamenta o processo de alocação de freqüências internacionais e de designação de empresas aéreas regulares brasileiras.

Leia mais

CRESCE BRASIL COPA 2014 Aeroportos: Desafios, preparativos, legados DARIO RAIS LOPES

CRESCE BRASIL COPA 2014 Aeroportos: Desafios, preparativos, legados DARIO RAIS LOPES CRESCE BRASIL COPA 2014 Aeroportos: Desafios, preparativos, legados DARIO RAIS LOPES Roteiro Visão oficial Preparativos e pontos de atenção Impacto do tráfego nos aeroportos Gerenciamento da demanda Antes

Leia mais

Sistema Aeroportoviário no Brasil

Sistema Aeroportoviário no Brasil Sistema Aeroportoviário no Brasil FERNANDA MINUZZI LUCIANO DOMINGUES RÉGIS GOMES FLORES VINÍCIOS Transportes Introdução O transporte aéreo no Brasil vem acompanhando o desenvolvimento do País.Hoje, o transporte

Leia mais

ABSA em poucas palavras. Projeto Corredor Logístico GRU-VCP. Iniciativas de Eficiência no Sistema Aeroportuário

ABSA em poucas palavras. Projeto Corredor Logístico GRU-VCP. Iniciativas de Eficiência no Sistema Aeroportuário Benefícios do Projeto Corredor Logístico / Aeroportos Complementares COMUS 29 Junho 2010 Agenda ABSA em poucas palavras Projeto Corredor Logístico GRU-VCP Iniciativas de Eficiência no Sistema Aeroportuário

Leia mais

275$163257($e5(2. $+LVWyULDGR7UDQVSRUWH$pUHRQR%UDVLO

275$163257($e5(2. $+LVWyULDGR7UDQVSRUWH$pUHRQR%UDVLO 275$163257($e5(2 $+LVWyULDGR7UDQVSRUWH$pUHRQR%UDVLO Segundo o Departamento de Aviação Civil (DAC), a exploração dos serviços de transporte aéreo no Brasil só foi liberada à iniciativa privada no ano de

Leia mais

Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil

Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil Relatório final Infraestrutura Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 2010 Este documento é parte integrante do CD anexo ao Estudo do Setor de Transporte Aéreo do

Leia mais

Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil

Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil Estudo do setor de transporte aéreo do Brasil Propostas de melhoria de layout nos aeroportos São Paulo, 26 de fevereiro de 2010 Este documento é parte integrante do CD anexo ao Estudo do Setor de Transporte

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL NOTA TÉCNICA

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL NOTA TÉCNICA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL NOTA TÉCNICA ASSUNTO: Coordenação de aeroportos, alocação inicial de slots e aplicação ao Aeroporto Santos Dumont (SBRJ). 1. OBJETIVO A presente nota técnica tem como

Leia mais

The Role of Business Aviation in the Infrastructure Development of Brazil: A Vision for the Future

The Role of Business Aviation in the Infrastructure Development of Brazil: A Vision for the Future The Role of Business Aviation in the Infrastructure Development of Brazil: A Vision for the Future Brasil O Brasil representa 5% do mercado mundial de aviação executiva e representando a 2ª maior frota

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICAP COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO

AUDIÊNCIA PÚBLICAP COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO AUDIÊNCIA PÚBLICAP COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO Brasília, 19 de maio de 2010 1 3 SEGURANÇA OPERACIONAL SAFETY Continua sendo a prioridade na aviação comercial Brasil 0.00 0.00 Hull losses

Leia mais

ASPECTOS ATUAIS DA REGULAÇÃO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA

ASPECTOS ATUAIS DA REGULAÇÃO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA ASPECTOS ATUAIS DA REGULAÇÃO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA Gabriel de Mello Galvão NDSR FD/UnB 29 de abril de 206 História e panorama regulatório Serviços aéreos Infraestrutura estudo de caso TRANSPORTE

Leia mais

Belo Horizonte, 6 de junho, 2011. Prefeitura de Belo Horizonte Secretaria Municipal Adjunta de Relações Internacionais

Belo Horizonte, 6 de junho, 2011. Prefeitura de Belo Horizonte Secretaria Municipal Adjunta de Relações Internacionais Belo Horizonte, 6 de junho, 2011 Infraestrutura Aeroportuária de Belo Horizonte Região metropolitana: Aeroporto Carlos Prates Aeroporto da Pampulha Aeroporto Internacional Tancredo Neves Movimento operacional

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro 1. 2015 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

Regras gerais para alocação de slots em aeroportos coordenados durante a Copa do Mundo da FIFA de 2014. Comitê de Facilitação de Voos

Regras gerais para alocação de slots em aeroportos coordenados durante a Copa do Mundo da FIFA de 2014. Comitê de Facilitação de Voos Regras gerais para alocação de slots em aeroportos coordenados durante a Copa do Mundo da FIFA de 2014 Comitê de Facilitação de Voos Regras gerais para alocação de slots em aeroportos coordenados durante

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Encontro Econômico Brasil - Alemanha 2009 Cooperação para o Crescimento e Emprego Idéias e Resultados TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Secretaria de Política Nacional de Transportes / MT - Engº Marcelo Perrupato

Leia mais

INFRAESTRUTURA Seminário Internacional de Cidades Aeroportuárias

INFRAESTRUTURA Seminário Internacional de Cidades Aeroportuárias INFRAESTRUTURA Seminário Internacional de Cidades Aeroportuárias Guarulhos - SP 06/07/2011 1 Aeroportos Panorama Projeção de Demanda Aeroportos Selecionados Milhões de Passageiros 2009/2030 153% 91 188,1

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 4 TRIMESTRE 2014 Outubro - Dezembro

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 4 TRIMESTRE 2014 Outubro - Dezembro 1. 2014 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 4 TRIMESTRE 2014 Outubro - Dezembro ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

SENADO FEDERAL Comissão de Infraestrutura Subcomissão Temporária sobre Aviação Civil

SENADO FEDERAL Comissão de Infraestrutura Subcomissão Temporária sobre Aviação Civil SENADO FEDERAL Comissão de Infraestrutura Subcomissão Temporária sobre Aviação Civil Rio de Janeiro, 08/05/2012 Diretor Presidente José Márcio Monsão Mollo presidência@snea.com.br SNEA FROTA (ASSOCIADAS)

Leia mais

Modelo de Concessão da Infra- Estrutura Aeroportuária. ria. Ministério da Defesa Secretaria de Aviação Civil

Modelo de Concessão da Infra- Estrutura Aeroportuária. ria. Ministério da Defesa Secretaria de Aviação Civil Modelo de Concessão da Infra- Estrutura Aeroportuária ria Ministério da Defesa Secretaria de Aviação Civil 1. Contexto institucional 2. Determinação legal 3. Política Nacional de Aviação Civil e a concessão

Leia mais

RELATÓRIO GERAL DOS INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS JULHO-SETEMBRO

RELATÓRIO GERAL DOS INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS JULHO-SETEMBRO 2013 RELATÓRIO GERAL DOS INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS JULHO-SETEMBRO ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

Aéreas terão subsídios para operar rotas já existentes

Aéreas terão subsídios para operar rotas já existentes Fonte: Dr. Renato Kloss Seção: Economia Versão: Online Data: 28/07 Aéreas terão subsídios para operar rotas já existentes Medida do governo deve beneficiar cem linhas rentáveis. Subvenção pode somar R$

Leia mais

5º Painel: Marcos regulatórios e Infra-Estrutura Aeroviária

5º Painel: Marcos regulatórios e Infra-Estrutura Aeroviária I Simpósio Infra-Estrutura e Logística no Brasil: DESAFIOS PARA UM PAÍS EMERGENTE 5º Painel: Marcos regulatórios e Infra-Estrutura Aeroviária Novembro 2008 Constituição Federal Aeródromos Públicos - Responsabilidades

Leia mais

Aviação Comercial no Brasil: Serviços e Infraestrutura Aeroportuária

Aviação Comercial no Brasil: Serviços e Infraestrutura Aeroportuária Aviação Comercial no Brasil: Serviços e Infraestrutura Aeroportuária Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República Sr. WAGNER BITTENCOURT 2 5 d e J u n h o d e 2 0

Leia mais

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009 Aeroportos Copa do Mundo 2014 14 Dezembro 2009 Belo Horizonte e Confins - MG 1. Aeroporto Internacional Tancredo Neves Confins 2. Aeroporto de Belo Horizonte/ Pampulha Carlos Drummond de Andrade Brasília

Leia mais

Press Release 9 de dezembro de 2007

Press Release 9 de dezembro de 2007 GOL Atualiza Projeções para Investidores São Paulo, - A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. (Bovespa: GOLL4 e NYSE: GOL), controladora das companhias aéreas brasileiras de baixo custo GOL Transportes Aéreos

Leia mais

Melhores e Piores no Transporte Aéreo Brasileiro

Melhores e Piores no Transporte Aéreo Brasileiro Melhores e Piores no Transporte Aéreo Brasileiro Sumário executivo Janeiro de 2008 PREFÁCIO Atrasos e cancelamentos nos vôos são problemas constantes na vida de milhões de brasileiros. A antiga excelência

Leia mais

Agência Nacional de Aviação Civil

Agência Nacional de Aviação Civil Relatório Consulta Pública Revogação da Portaria 187/DGAC Página 1 de 71 Agência Nacional de Aviação Civil Relatório de análise das contribuições referentes à Consulta Pública sobre a Revogação da Portaria

Leia mais

TESTEIRA DIGITAL Aeroporto de Congonhas, SP

TESTEIRA DIGITAL Aeroporto de Congonhas, SP 2014 A Empresa A Meta 29, fundada em 1993, iniciou suas atividades na exploração de Mídias Aeroportuárias, tornando-se a maior e mais importante empresa desse segmento. Através de pesquisas qualitativas

Leia mais

Cenário do Transporte de Carga Aérea no Brasil (2005-2007)

Cenário do Transporte de Carga Aérea no Brasil (2005-2007) Leonardo Lefkovits Cenário do Transporte de Carga Aérea no Brasil (2005-2007) Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre

Leia mais

Regulação do Transporte Aéreo

Regulação do Transporte Aéreo 10º Seminário de Relações de Consumo Regulação do Transporte Aéreo Marcelo Guaranys Diretor-Presidente São Paulo, 12 de agosto de 2013 Sumário Dados do Setor Regulação do Transporte Aéreo Serviços Aéreos

Leia mais

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas 8 de dezembro de 2011 SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL INFRAERO ANAC Ministério da Defesa DECEA AVIAÇÃO CIVIL PANORAMA INVESTIMENTOS CONCESSÕES INFRAERO

Leia mais

Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias. O que ainda há por fazer

Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias. O que ainda há por fazer Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias O que ainda há por fazer Conteúdo A Agenda da Indústria do Transporte Aéreo Resultados Já Alcançados Os Próximos Candidatos As Necessidades de Cada Um Congonhas

Leia mais

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro Bernardo Figueiredo Presidente da Empresa Brasileira de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico

Leia mais

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Sumário 1. Dados da SAC sobre o Setor Aeroportuário 2. Plano Geral de Outorgas

Leia mais

O papel dos governos nacionais na promoção da integração na América do Sul Bruno Dalcolmo Superintendente de Relações Internacionais

O papel dos governos nacionais na promoção da integração na América do Sul Bruno Dalcolmo Superintendente de Relações Internacionais O papel dos governos nacionais na promoção da integração na América do Sul Bruno Dalcolmo Superintendente de Relações Internacionais Oficina sobre Integração Aérea 10 a 11 de setembro de 2014 Rio de Janeiro

Leia mais

Tarifas Aeroportuárias e ATAERO. Uma proposta de destinação de parte destes recursos financeiros ao fomento do potencial turístico nacional

Tarifas Aeroportuárias e ATAERO. Uma proposta de destinação de parte destes recursos financeiros ao fomento do potencial turístico nacional Tarifas Aeroportuárias e ATAERO Uma proposta de destinação de parte destes recursos financeiros ao fomento do potencial turístico nacional Tarifas Aeroportuárias - legislação Criação de Tarifas Aeroportuárias

Leia mais

Análise da situação operacional e econômica do Aeroporto Internacional de São Paulo Guarulhos após a concessão

Análise da situação operacional e econômica do Aeroporto Internacional de São Paulo Guarulhos após a concessão Número de CDU: 629.73.08:656.7 Renan Sousa Mendes Análise da situação operacional e econômica do Aeroporto Internacional de São Paulo Guarulhos após a concessão Orientador: Prof. Dr. Cláudio Jorge Pinto

Leia mais

Cidades e Aeroportos no Século XXI 11

Cidades e Aeroportos no Século XXI 11 Introdução Nos trabalhos sobre aeroportos e transporte aéreo predominam análises específicas que tratam, por exemplo, do interior do sítio aeroportuário, da arquitetura de aeroportos, da segurança aeroportuária,

Leia mais

Regulação da Infraestrutura Aeroportuária

Regulação da Infraestrutura Aeroportuária Regulação da Infraestrutura Aeroportuária Walter Américo da Costa Souza Superintendente de Desenvolvimento Aeroportuário INFRAERO Sistema de Aviação Civil Indústria Aeronáutica Transporte Aéreo Aeroportos

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 2 TRIMESTRE 2014 Abril - Junho

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 2 TRIMESTRE 2014 Abril - Junho 2014 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 2 TRIMESTRE 2014 Abril - Junho ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

Forma de Pagamento Descritivo Forma Tarifa Taxa Total

Forma de Pagamento Descritivo Forma Tarifa Taxa Total PLATINUM TURISMO Usuário: Alberto Arrazi - CRP Telefone (comercial): 55 11 21342134 Telefone (emergência): 55 11 31204040 Dados da Emissão E-Ticket 969-0002032156 Localizador V9LHTL Sistema Gol Passageiro

Leia mais

Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. 10 de novembro de 2011

Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. 10 de novembro de 2011 Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República 10 de novembro de 2011 Secretaria de Aviação Civil INFRAERO ANAC Ministério da Defesa DECEA PANORAMA Passageiros- quilômetros transportados no Brasil,

Leia mais

Forma de Pagamento Descritivo Forma Tarifa Taxa Total

Forma de Pagamento Descritivo Forma Tarifa Taxa Total PLATINUM TURISMO Usuário: Alberto Arrazi - CRP Telefone (comercial): 55 11 21342134 Telefone (emergência): 55 11 31204040 Dados da Emissão E-Ticket 969-0002032155 Localizador SC1VQS Sistema Gol Passageiro

Leia mais

NOTA DA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL - Perguntas e Respostas sobre o processo de concessão Viernes 30 de Septiembre de 2011 17:32

NOTA DA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL - Perguntas e Respostas sobre o processo de concessão Viernes 30 de Septiembre de 2011 17:32 There are no translations available. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL Perguntas e Respostas sobre o processo de concessão A concessão Por que o governo resolveu fazer a concessão? Nos

Leia mais

Concessões. Galeão e Confins

Concessões. Galeão e Confins Concessões Galeão e Confins Galeão: 17,5 milhões de passageiros 13,7 milhões m² 958 empregados Confins: 10,4 milhões de passageiros 15,1 milhões m² 344 empregados Objetivos das Concessões EXPANDIR A INFRAESTRUTURA

Leia mais

Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014

Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014 Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014 David Barioni Neto Mar/10 a Jun/11: Presidente Executivo (CEO) da Facility Group S.A. Nov/07 a Out/09: Presidente Executivo (CEO) da TAM Linhas Aéreas

Leia mais

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Bernardo Figueiredo Julho/2013 TRENS DE ALTA VELOCIDADE Segurança: Trem de Alta Velocidade é mais seguro. AVIÃO Número de mortes por bilhão de passageiro/km RODOVIA

Leia mais

PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO PLCO ROTINAS DE TRABALHO DO PLCO

PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO PLCO ROTINAS DE TRABALHO DO PLCO CGNA PLCO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO PLCO ROTINAS DE TRABALHO DO PLCO OBJETIVO Conhecer a rotina de trabalho da Subseção de Planejamento e Coordenação Estratégico - PLCO. ROTEIRO 1. Finalidade do PLCO

Leia mais

Plano de Aviação Regional. Janeiro I 2013

Plano de Aviação Regional. Janeiro I 2013 Plano de Aviação Regional 1 Janeiro I 2013 A Azul A maior malha aérea do Brasil servindo 98 destinos, 218 rotas e 798 decolagens por dia #1 em 76% das rotas servidas e 32% de participação no mercado brasileiro

Leia mais

A QUESTÃO DA MODERNIZAÇÃO REGULATÓRIA Por Comandante Francisco Lyra, Presidente da C>FLY Aviation

A QUESTÃO DA MODERNIZAÇÃO REGULATÓRIA Por Comandante Francisco Lyra, Presidente da C>FLY Aviation SENADO FEDERAL SECRETARIA-GERAL DA MESA SECRETARIA DE COMISSÕES SUBSECRETARIA DE APOIO ÀS COMISSÕES PERMANENTES 2ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA DA 54ª LEGISLATURA Em 08 de agosto de 2012 (quarta-feira)

Leia mais

Desenvolvimento da Infraestrutura Aeroportuária

Desenvolvimento da Infraestrutura Aeroportuária Desenvolvimento da Infraestrutura Aeroportuária Reiterando o compromisso com a sociedade brasileira para o atendimento das crescentes demandas e necessidades do sistema aeroportuário nacional, a Secretaria

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS. Ordem decrescente. Taxa de crescimento. acumulado. Aeroportos (Cód. ICAO) 2º Trimestre.

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS. Ordem decrescente. Taxa de crescimento. acumulado. Aeroportos (Cód. ICAO) 2º Trimestre. Contato: Cmte Ronaldo Jenkins Diretor Técnico Office: Fone: (55 21)3578 1171 Fax: (55 21) 22201194 Rua Marechal Câmara, 160, sala 1734 Ed. Le Bourget Centro 20.020-080 RJ Brasil www.snea.com.br SINDICATO

Leia mais

RELATÓRIO GERAL INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS 1º TRIMESTRE DE 2013

RELATÓRIO GERAL INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS 1º TRIMESTRE DE 2013 RELATÓRIO GERAL INDICADORES DE DESEMPENHO OPERACIONAL EM AEROPORTOS 1º TRIMESTRE DE 2013 ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária. Coordenação de Meio Ambiente MERJ TERMO DE REFERÊNCIA

Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária. Coordenação de Meio Ambiente MERJ TERMO DE REFERÊNCIA Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária Superintendência Regional do Rio de Janeiro - SRRJ Coordenação de Meio Ambiente MERJ TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REALIZAÇÃO

Leia mais

Foto: Samsung Divulgação

Foto: Samsung Divulgação ESPAÇOS EDIFÍCIOS EMPRESAS 42 DIGITAL SIGNAGE Seguindo as mudanças no consumo Brasil alcança o segundo maior crescimento mundial em número de passageiros em aeroportos nos primeiros meses deste ano. O

Leia mais

Perspectivas para o Modal Aéreo Transporte de passageiros e de carga no Brasil. FIESP, São Paulo 27/08/2015

Perspectivas para o Modal Aéreo Transporte de passageiros e de carga no Brasil. FIESP, São Paulo 27/08/2015 Perspectivas para o Modal Aéreo Transporte de passageiros e de carga no Brasil FIESP, São Paulo 27/08/2015 Conteúdo Custos Logísticos no Brasil Carga Aérea no Mundo Evolução do Transporte Aéreo no Brasil

Leia mais

PROVA APLICADA ANAC CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL. Agência Nacional de Aviação Civil PROVA OBJETIVA INSTRUÇÕES UNIVERSA

PROVA APLICADA ANAC CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL. Agência Nacional de Aviação Civil PROVA OBJETIVA INSTRUÇÕES UNIVERSA CURSO DE FORMAÇÃO ANAC Agência Nacional de Aviação Civil ESPECIALISTA EM REGULAÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÕES Verifique atentamente se este caderno de prova contém oitenta itens, correspondentes à prova

Leia mais

A visão da IATA sobre a crise do transporte aéreo no Brasil e propostas de soluções imediatas

A visão da IATA sobre a crise do transporte aéreo no Brasil e propostas de soluções imediatas A visão da IATA sobre a crise do transporte aéreo no Brasil e propostas de soluções imediatas 15 de Agosto 2007 Índice 1.- Introdução 3 2.- IATA: quem somos 3 3.- Segurança Operacional do Transporte Aéreo

Leia mais

Política aeroportuária: as dúvidas e as questões

Política aeroportuária: as dúvidas e as questões Política aeroportuária: as dúvidas e as questões J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade de Lisboa) Professor Universitário e Consultor 1 Sistema Aeroportuário Nacional 2 Questões levantadas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2012. RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2012. Dispõe sobre a obrigação dos operadores de aeródromo de informar à ANAC a capacidade operacional. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das

Leia mais

CONCESSÃO DE AEROPORTOS NO BRASIL: O CASO DO AEROPORTO INTERNACIONAL TANCREDO NEVES- CONFINS

CONCESSÃO DE AEROPORTOS NO BRASIL: O CASO DO AEROPORTO INTERNACIONAL TANCREDO NEVES- CONFINS CONCESSÃO DE AEROPORTOS NO BRASIL: O CASO DO AEROPORTO INTERNACIONAL TANCREDO NEVES- CONFINS Izabela Davanzo de Paiva Wesllay Carlos Ribeiro CONCESSÃO DE AEROPORTOS NO BRASIL: O CASO DO AEROPORTO INTERNACIONAL

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T13 Março 2014

Teleconferência de Resultados 4T13 Março 2014 Teleconferência de Resultados Março 2014 Agenda 1. Destaques e 2013 2. Indústria 3. Estratégia GOL 4. Smiles 5. Resultado Financeiro e Operacional 6. Projeções Financeiras 2 1. Destaques e 2013 Destaques

Leia mais

OFICINA DE INTEGRAÇÃO AÉREA

OFICINA DE INTEGRAÇÃO AÉREA OFICINA DE INTEGRAÇÃO AÉREA 10 e 11 de setembro de 2014 Hotel Pestana Rio Atlântica Rio de Janeiro, Brasil 1. APRESENTAÇÃO O Plano de Ação Estratégico (PAE) 2012-2022 do COSIPLAN propõe como objetivo "impulsionar

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PAESP 2007-2027

CLASSIFICAÇÃO PAESP 2007-2027 1 AEROPORTO REGIONAL CLASSIFICAÇÃO PAESP 27-227 São os aeroportos destinados a atender as áreas de interesse regional e/ou estadual que apresentam demanda por transporte aéreo regular, em ligações com

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA Conferência Internacional sobre Capital Privado em Aeroportos FIESP / CIESP 23/Abril/2009 A Costa da Sol Operadora Aeroportuária S.A. é uma

Leia mais

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Frederico Hartmann de Souza frederico.souza@ipea.com.br Abril de 2011 Objetivos Avaliar

Leia mais

INFRAERO Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Jaime Parreira E-mail: jparreira@infraero.gov.br

INFRAERO Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Jaime Parreira E-mail: jparreira@infraero.gov.br 1 INFRAERO Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Jaime Parreira E-mail: jparreira@infraero.gov.br 2 Organização 9 Superintendências Regionais Superintendência Regional do Noroeste; Superintendência Regional

Leia mais

* Subcomissão Permanente CMACOPOLIM. Carlos Eduardo M.S. Pellegrino Brasília, 07 de junho de 2011

* Subcomissão Permanente CMACOPOLIM. Carlos Eduardo M.S. Pellegrino Brasília, 07 de junho de 2011 Apresentação ao Senado Federal Audiência Pública Conjunta das Comissões de * Serviços de Infraestrutura * Desenvolvimento Regional e Turismo * Assuntos Econômicos * Meio Mi Ambiente, Df Defesa do Consumidor

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Falta um projeto estruturante para o setor de aeroportos

Falta um projeto estruturante para o setor de aeroportos Falta um projeto estruturante para o setor de aeroportos Josef Barat Segundo dados do Instituto de Estudos Estratégicos e de Políticas Públicas em Transporte Aéreo, nos últimos vinte anos o tráfego de

Leia mais

Segurança Operacional no Brasil

Segurança Operacional no Brasil Rio de Janeiro, 28 de abril de 2014 Segurança Operacional no Brasil O futuro já chegou Carlos Eduardo Pellegrino Diretor de Operações de Aeronaves Estrutura Governamental Presidência CONAC Conselho Nacional

Leia mais

Audiência Pública CREA/SP - 21/06/2011. InfraestruturaAeroportuária em SÃO PAULO para a COPA 2014

Audiência Pública CREA/SP - 21/06/2011. InfraestruturaAeroportuária em SÃO PAULO para a COPA 2014 INFRAERO Audiência Pública CREA/SP - 21/06/2011 InfraestruturaAeroportuária em SÃO PAULO para a COPA 2014 Arq. Jonas Lopes Superintendente de Estudos e Projetos de Engenharia jonas_lopes@infraero.gov.br

Leia mais

Agência Nacional de Aviação Civil ANAC

Agência Nacional de Aviação Civil ANAC Relatório Audiência Pública Revogação da Portaria 187/DGAC Página 1 de 47 Agência Nacional de Aviação Civil ANAC Relatório de análise das contribuições referentes à Audiência Pública sobre a Revogação

Leia mais

SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL. RESOLUÇÃO No- 316, DE 9 DE MAIO DE 2014

SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL. RESOLUÇÃO No- 316, DE 9 DE MAIO DE 2014 SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO No- 316, DE 9 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre o Regime Especial da Copa do Mundo FIFA 2014 e dá outras providências. A DIRETORIA DA

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DO FLUXO DE POUSOS E DECOLAGENS EM AEROPORTOS. ESTUDO DE CASO DO AEROPORTO DE CONGONHAS. Aline Paulin paulin.a@ig.com.

OTIMIZAÇÃO DO FLUXO DE POUSOS E DECOLAGENS EM AEROPORTOS. ESTUDO DE CASO DO AEROPORTO DE CONGONHAS. Aline Paulin paulin.a@ig.com. OTIMIZAÇÃO DO FLUXO DE POUSOS E DECOLAGENS EM AEROPORTOS. ESTUDO DE CASO DO AEROPORTO DE CONGONHAS. Aline Paulin paulin.a@ig.com.br Graduação em Logística e Transportes Faculdade de Tecnologia de Jahu

Leia mais

INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS

INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS AEROPORTOS INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS 6 concessões de aeroportos Investimentos de R$ 26 Bilhões São Gonçalo do Amarante RN Brasília DF Guarulhos SP Confins MG Viracopos SP Galeão RJ 5 operadores aeroportuários

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do Contrato

Leia mais

00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014)

00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014) Programa 2017 - Aviação Civil Número de Ações 26 Tipo: Operações Especiais 00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014) Esfera: 10 - Orçamento Fiscal Função:

Leia mais

TÁXI AÉREO NO BRASIL

TÁXI AÉREO NO BRASIL TÁXI AÉREO NO BRASIL 1 TÁXI AÉREO NO BRASIL Número de empresas no Brasil : 177 ( ANAC) Frota: 510 aviões (monomotores, bimotores, turbo-hélices e jatos) 240 helicópteros (aeronaves leves, médias e de grande

Leia mais

Resultados 9M16. 7 de novembro de 2016

Resultados 9M16. 7 de novembro de 2016 Resultados 9M16 7 de novembro de 2016 Terceiro Trimestre Sólido Menor capacidade da indústria, BRL mais forte, economia de combustível Crescimento do tráfego em 10% vs. 2T16, taxa de ocupação de 80% Aumento

Leia mais

TEMPORÁRIA SOBRE A AVIAÇÃO CIVIL SENADO FEDERAL ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA ANAC ASA

TEMPORÁRIA SOBRE A AVIAÇÃO CIVIL SENADO FEDERAL ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA ANAC ASA AUDIÊNCIA PÚBLICA DA SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA SOBRE A AVIAÇÃO CIVIL SENADO FEDERAL ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA ANAC ASA 1 OBJETIVO Apresentar a visão dos servidores da ANAC a respeito da instituição em

Leia mais

As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras. Diretoria de Engenharia - DE

As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras. Diretoria de Engenharia - DE As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras Diretoria de Engenharia - DE Cidades candidatas e seus aeroportos Aeroportos da INFRAERO primeira e última imagem que o turista estrangeiro

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO INSTRUÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL IAC 202-1001 NORMAS PARA A SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO E OPERAÇÃO

Leia mais

GUIA INTERNACIONAL EUROPA 2008 Nº. 16 Versão 3 - Efetivo: 08JUL08 ÍNDICE. Parte 1 Regras Gerais ------------------------------------- pg.

GUIA INTERNACIONAL EUROPA 2008 Nº. 16 Versão 3 - Efetivo: 08JUL08 ÍNDICE. Parte 1 Regras Gerais ------------------------------------- pg. ANEXO DO ACORDO COMERCIAL PARA CONDIÇÃO DE OPERADORA Este anexo é parte integrante do Acordo Comercial para Condição de Operadora e não pode ser dissociado desse. O presente anexo tem início em 20 de Janeiro

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício n 2803/2009/SDE/GAB, de 20 de abril de 2009.

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício n 2803/2009/SDE/GAB, de 20 de abril de 2009. MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer n o 06462/2009/RJ COGCE/SEAE/MF Rio de janeiro, 19 de agosto de 2009. Referência: Ofício n 2803/2009/SDE/GAB, de 20 de abril de 2009.

Leia mais

INVEPAR INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA S.A. FIESP - Painel sobre Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias 07/05/2013

INVEPAR INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA S.A. FIESP - Painel sobre Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias 07/05/2013 FIESP - Painel sobre Investimento Privado e Concessões Aeroportuárias 07/05/2013 A concessão de aeroportos tem um papel crucial na elevação de qualidade e eficiência operacional... Perspectiva Cenário

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO INSTRUÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL IAC 200-1001 PLANO DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S15 29/03/15 a 24/10/2015

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S15 29/03/15 a 24/10/2015 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA S15 29/03/15 a 24/10/2015 01 de Outubro de 2014 1. TERMINAIS DE PASSAGEIROS CAPACIDADE ESTÁTICA TERMINAL DE PASSAGEIROS (PAX/HORA) INTERNACIONAL TERMINAL

Leia mais