PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 6"

Transcrição

1 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 6 1. OBJETIVO Orientar a condução dos processos de de forma a garantir a uniformidade e eficiência dos procedimentos, ferramentas e técnicas utilizadas, assim como a perfeita distribuição das informações. 2. RESPONSÁVEIS Engenharia [RJ] Diretor de Construção [Local] Gerente de Obras Central de Planejamento e Gerenciamento de Obras [RJ] Coordenador de Planejamento Empreendimento Gerenciado [Local] 3. PROCEDIMENTOS O PO de Gerenciamento de Obras é composto pelos seguintes procedimentos: Acompanhamento de Desenvolvimento de Projetos Executivos; Fiscalização e Acompanhamento da Obra; Fiscalização e Acompanhamento de Suprimentos; Acompanhamento do Avanço Físico da Obra; Controle de Contratos e Documentação Fiscal e Legal; Controle da Qualidade dos Serviços e Materiais Empregados; Análise de Orçamentos Modificativos / Extra Contratual; Avaliação de Riscos e Procedimentos de Segurança e Higiene do Trabalho; Elaboração de Relatórios Gerenciais; Supervisão da Elaboração de Manuais do Proprietário e do Síndico; Vistoria das Unidades não Comercializadas / Estoque.

2 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 2 de Acompanhamento de Desenvolvimento de Projetos Executivos Trata-se do processo de realização de Reuniões de Coordenação e Desenvolvimento dos Projetos Executivos, abordando além das questões projetuais do produto, as questões relativas a construtibilidade e de uso e manutenção. 3.2 Fiscalização e Acompanhamento da Obra Inicialmente, deve-se analisar todas as informações e documentos fornecidos pelo Contrato de Construção tais como, cronogramas físicos, cronograma de suprimentos, cronograma físico financeiro e dados gerais do Contrato. Paralelamente, deve-se providenciar ART de atividade de gerenciamento da Empresa junto ao CREA. Com estes elementos têm-se uma visão global do escopo e como a Contratada pretende realizar a obra. Desta forma deve ser realizada uma reunião inicial entre a Gerenciadora e a Construtora para o estabelecimento da rotina operacional entre as Empresas, abordando-se os seguintes tópicos básicos: Plano Operacional de Canteiro de Obras; Rotinas de Trabalho Construtora / Gerenciadora; Procedimentos de Suprimentos / Contratações; Validação Cronograma de Obras e Medições; Datas de Medição; Prazos de Pagamento / Depósitos; Seguro da Obra / Vistoria de Vizinhança; Para o acompanhamento da obra, deve-se estabelecer rotina de visitas a obra para a realização da fiscalização dos serviços. Esta fiscalização basicamente deve avaliar quatro aspectos: - Qualidade dos Serviços; - Desenvolvimento / Prazos dos Serviços / Evolução Física; - Avaliação da implementação dos Recursos Financeiros na Obra; - Segurança no trabalho. Todos os itens definidos no Contrato de Gerenciamento serão fiscalizados, documentados e relatados às partes interessadas.

3 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 3 de Fiscalização e Acompanhamento de Suprimentos A Gerenciadora deve realizar a análise e validação do cronograma de suprimentos para os trabalhos na obra. Dependendo do estabelecido em Contrato, a Gerenciadora participará ou não da avaliação das cotações de suprimentos feito pela Construtora. Se as aquisições forem realizadas em nome da Contratante / Incorporadora, deverá ser validada um padrão de minuta contratual para a atividade de suprimentos a ser utilizada na obra. Para validação da compra, deve-se verificar o escopo do suprimento em análise, e a sua compatibilização com os projetos, memoriais de especificação, cláusulas contratuais e custos previstos no orçamento. 3.4 Acompanhamento do Avanço Físico da Obra Esse processo visa acompanhar o avanço físico mensal da obra cruzando as informações do cronograma físico com o cronograma financeiro definido em contrato e o andamento real da obra. Os desvios detectados serão informados às partes interessadas na intenção de viabilizar soluções para que o projeto retorne ao alinhamento original e / ou seja, feito um replanejamento de atividades visando o ajuste dos principais marcos de prazos do projeto. 3.5 Controle de Contratos e Documentação Fiscal e Legal Análise e Liberação de Contratos Após a escolha de um determinado fornecedor, a minuta do Contrato, dos principais fornecedores em nome do Incorporador, é remetida a Gerenciadora para liberação da contratação. Controle dos Contratos em nome dos Contratantes e Prestações de Contas Obra por Empreitada: A Gerenciadora realiza mensalmente uma análise do relatório de prestação de contas da Construtora relativo ao mês anterior e o cronograma físico financeiro do Contrato, avaliando a evolução de gastos incorridos no mês. Noventa dias antes do término da obra, a gerenciadora promove um inventário de saldos em todos os Contratos, Ordens de Compras, e de serviços da obra, para a avaliação e totalização de despesas a vencer até a conclusão da obra, desde que o valor acumulado da prestação de contas não tenha superado o valor do Cronograma Físico Financeiro. Caso isto venha ocorrer esta atividade deverá ser antecipada.

4 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 4 de 6 Obra por Administração: A Gerenciadora realiza um controle de saldos de Contrato, através dos lançamentos das NF s a débito, em um conta corrente de cada Contrato. As liberações de pagamentos de NF s deverão ser realizadas pelogerente, após as verificações dos dados da coleta de preços e saldos contratuais. Após a liberação dogerente, o Contas a Pagar faz novamente as verificações das NF s versus coletas e saldos de Contratos. Controle de Providências de Habite-se Seis meses antes do prazo de conclusão das obras, inicia-se o processo de controle e obtenção de certidões para a vistoria de Habite-se, com base nas solicitações do Alvará de obras e concessionárias de serviços públicos. 3.6 Controle da Qualidade dos Serviços e Materiais Empregados Todos os serviços prestados e materiais adquiridos devem ser avaliados e qualificados conforme os dados de Contrato, Memoriais de Especificação e Projetos. As atividades de Controle de Qualidade devem seguir a rotina de trabalho da Construtora, subsidiada pela Gerenciadora que possui também um Sistema de Qualidade que agrega todos os procedimentos para esta atividade. Devem ser realizados na obra ensaios de conformidade e desempenho dos principais materiais e componentes do Projeto, avaliando-se os resultados com os preceitos das Normas Brasileiras e/ou Internacionais. 3.7 Análise de Orçamentos Modificativos / Extra Contratual Podem ocorrer no projeto, alterações de escopo do produto, mudança de Legislação e/ou melhorias, que concorrerão para a edição de orçamentos modificativos em função das alterações. Cabe a Gerenciadora a análise e qualificação da solicitação através de documentos específicos para a validação ou não do orçamento apresentado. 3.8 Avaliação de Riscos e Procedimentos de Segurança e Higiene do Trabalho Esse processo visa garantir que todas as Normas de Segurança e Medicina do Trabalho estabelecidas pelo Ministério do Trabalho e todos os procedimentos internos e boas práticas adotadas pela Brookfield Incorporações S/A sejam observadas, seguidas e disseminadas entre todos os funcionários que participam da construção, seja essa mão de obra direta, indireta ou de terceiros.

5 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 5 de Elaboração de Relatórios Gerenciais Os Relatórios Gerencias são elaborados pelo e são compostos das seguintes informações: Responsável Gerente Geral de Obras Documento Dados do Empreendimento Comentários do Físico da Obra Progresso da Obra Serviços Executados no Mês Qualidade da Execução Status do Projeto Cronograma de Contratações Após a análise do Gerente Geral de Obras, o Relatório é liberado para distribuição. A distribuição deste Relatório é realizada através de correspondência específica para os Incorporadores. A periodicidade do Relatório de Gerenciamento da Obra é mensal Supervisão da Elaboração dos Manuais de Síndico e Proprietários Cabe a Construtora apresentar uma minuta dos Manuais do Síndico e dos Proprietários, para análise da Gerenciadora. A Gerenciadora deve realizar uma análise destas minutas com base na NBR 14037, avaliando as informações e recomendações descritas, bem como os prazos de garantia e procedimentos de assistências técnicas às unidades / clientes Vistoria das Unidades não Comercializadas / Estoque No período determinado pela Construtora, ao término das obras, deverão ser realizadas vistorias nas unidades em estoque, ficando a Gerenciadora responsável pelo recebimento de tais unidades em nome da Incorporadora. Nesta vistoria são verificadas a qualidade final do produto, e possíveis vícios aparentes que, caso ocorram, são assinalados de imediato em termo próprio de vistoria para o pronto atendimento por parte da Construtora, para o efetivo recebimento do imóvel.

6 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 6 de 6 4. CONTROLE DE REGISTROS DA QUALIDADE Os registros da qualidade gerados por este processo são controlados da seguinte forma: Identificação Relatório Gerencial Contrato da Obra Local do Arquivo Secretaria da Engenharia Secretaria da Engenharia / Central de Planejamento Tipo de Arquivo e Proteção Tempo de Retenção Descarte Pasta Até o término da obra Arquivo Morto Armário Até o término da obra Arquivo Morto Aprovado por: Gui Alexandre 07 / 10 / 2009 Nome/ Visto Data

PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 7

PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 7 PO - Procedimento Operacional Revisão: 02 Folha: 1 de 7 1. OBJETIVO Orientar a condução dos processos de Coordenação e controle de obras, executadas pela Brookfield Incorporações S/A, de forma a garantir

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

DIDIER ARANCIBIA ALVAREZ, PMP

DIDIER ARANCIBIA ALVAREZ, PMP DIDIER ARANCIBIA ALVAREZ, PMP Arquiteta e Urbanista formada pela PUC PR, com especialização em Gerenciamento de Obras pela UFTPR e cursando Gestão Estratégica na UFPR. Possui certificação PMP Atua no mercado

Leia mais

PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8

PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8 PROCEDIMENTO PR 7.02 PROCESSO DE COMPRAS Revisão: 01 Página 1 de 8 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 24/09/2014 01 Adequação da sistemática do processo

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

TERMINOLOGIA, DEFINIÇÕES, SIGLAS E CONCEITOS BÁSICOS

TERMINOLOGIA, DEFINIÇÕES, SIGLAS E CONCEITOS BÁSICOS TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de serviços de consultoria individual para coordenação do programa Desenvolvimento de um Modelo de Negócios Sustentável para a Melhoria de Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

CÓPIA CONTROLADA Nº: 02

CÓPIA CONTROLADA Nº: 02 ESCALA CONSTRUÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA. PROCEDIMENTO OPERACIONAL DE SUPRIMENTOS SP 03 CADASTRO E AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES NBR ISO 9001:2008 e PBQP-H ALTERADO E FORMATADO POR: Kênia Natália de Paulo

Leia mais

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7 Página 1 de 8 ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2-Campo de Aplicação: 3-Documento de Referência: 4-Definições e Siglas: 5-Descrição do Procedimento: Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 20/08/200

Leia mais

TR ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA

TR ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA TR ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO LTDA www.trconstrucao.eng.br Somos uma empresa de consultoria que atua no segmento de orçamento e planejamento para a construção civil. Atuamos no mercado de incorporação, arquitetura,

Leia mais

Licitações e Gestão de Contratos Administrativos

Licitações e Gestão de Contratos Administrativos Licitações e Gestão de Contratos Administrativos Por: José Luiz Lima Abreu 1 A RESPONSABILIDADE DO GESTOR NA EXECUÇÃO CONTRATUAL LEI 8.666 Art. 67 A execução do contrato deverá ser acompanhada e fiscalizada

Leia mais

ESTUDO DA CONTRATAÇÃO DA SUPERESTRUTURA DE VIA PERMANENTE NO METRÔ DE SÃO PAULO

ESTUDO DA CONTRATAÇÃO DA SUPERESTRUTURA DE VIA PERMANENTE NO METRÔ DE SÃO PAULO ESTUDO DA CONTRATAÇÃO DA SUPERESTRUTURA DE VIA PERMANENTE NO METRÔ DE SÃO PAULO Natália Taís Batista 21ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP TRABALHO ESTE TRABALHO FOI SELECIONADO COMO NA EDIÇÃO

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE FISCAIS DE CONTRATOS

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE FISCAIS DE CONTRATOS FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE FISCAIS DE CONTRATOS 1 DGCC Pró-Reitoria de Assuntos Financeiros (PROAF) Assessoria Secretaria Coord. Geral de Contabilidade (COGC) Sub. Coord. de Contabilidade (SCCONT) Coord.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho INSPETORIAS IT. 47 00 1 / 8 1 - OBJETIVO Estabelecer diretrizes para procedimentos referentes a manutenção das instalações das Inspetorias do Crea-GO. 2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Lei n 8.666 de 21 de

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Desenvolvimento, produção e realização da 19ª Festa do Imigrante.

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Desenvolvimento, produção e realização da 19ª Festa do Imigrante. São Paulo, 20 de fevereiro de 2014. CARTA CONVITE Nº 012/2014 Desenvolvimento, produção e realização da 19ª Festa do Imigrante. A, Organização Social gestora do Museu da Imigração, de acordo com seu Regulamento

Leia mais

MATRIZ DE MACRO-ATIVIDADES DE ACE (PMO rev3)

MATRIZ DE MACRO-ATIVIDADES DE ACE (PMO rev3) PROCEDIMENTOS DE ATIVIDADES DE ANÁLISE CRÍTICA DE ESCOPO 1 REUNIÃO DE KICK-OFF- Análise dos Requerimentos do Empreendimento pelo CLIENTE Requisito Termos de Confidencialidade Requisito Recebimento de Documentação

Leia mais

DECRETO RIO Nº DE 30 DE JUNHO DE 2017 (PUBLICADO NO DO DE 03/07/2017) O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO RIO Nº DE 30 DE JUNHO DE 2017 (PUBLICADO NO DO DE 03/07/2017) O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO RIO Nº 43378 DE 30 DE JUNHO DE 2017 (PUBLICADO NO DO DE 03/07/2017) Dispõe sobre a estrutura organizacional da Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S.A. - RIOSAÚDE. O PREFEITO DA CIDADE DO

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock

Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock Introdução à Gestão de Projetos; Gestão de Escopo; Gestão de Prazos; Gestão de Custos; Gestão de Pessoas; Gestão de Comunicação; Gestão

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO UNIDADE SANTO AMARO. Teste, Ajuste e Balanceamento do Sistema de Ar Condicionado dos Setores Administrativo e Odontológico

MEMORIAL DESCRITIVO UNIDADE SANTO AMARO. Teste, Ajuste e Balanceamento do Sistema de Ar Condicionado dos Setores Administrativo e Odontológico MEMORIAL DESCRITIVO UNIDADE SANTO AMARO 01/08 ÍNDICE Página 002 1. Generalidades 003 2. Objetivos 006 3. Descrição dos Serviços 006 4. Prazo 006 5. Finalização 007 6. Contato / Dúvidas 008 02/08 1. GENERALIDADES

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

CONTRATO DE GERENCIAMENTO DE OBRA. Por este instrumento particular de construção de obra, de um lado:

CONTRATO DE GERENCIAMENTO DE OBRA. Por este instrumento particular de construção de obra, de um lado: CONTRATO DE GERENCIAMENTO DE OBRA Por este instrumento particular de construção de obra, de um lado: LUITEX MÁQUINAS E FERRAMENTAS LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 51.051.811/0001-52, estabelecida

Leia mais

ISO/IEC Processo de ciclo de vida

ISO/IEC Processo de ciclo de vida ISO/IEC 12207 Processo de ciclo de vida O que é...? ISO/IEC 12207 (introdução) - O que é ISO/IEC 12207? - Qual a finalidade da ISO/IEC 12207? Diferença entre ISO/IEC 12207 e CMMI 2 Emendas ISO/IEC 12207

Leia mais

CL 05 INSPEÇÃO FINAL E ENTREGA DE CHAVES CÓPIA CONTROLADA Nº: 02

CL 05 INSPEÇÃO FINAL E ENTREGA DE CHAVES CÓPIA CONTROLADA Nº: 02 ESCALA CONSTRUÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA. PROCEDIMENTO OPERACIONAL DE ATENDIMENTO A CLIENTES E VENDAS CL 05 INSPEÇÃO FINAL E ENTREGA DE CHAVES NBR ISO 9001:2008 e PBQP-H ELABORADO E FORMATADO POR: Katherym

Leia mais

Ciclo de vida de um Projeto

Ciclo de vida de um Projeto Ciclo de vida de um Projeto Construção e montagem substancialmente pronta Fase 4 100% completo Finalização das principais contratações Fase 3 Autorização de inicio Fase 2 Fase 1 Fase 1: Viabilidade Formulação

Leia mais

Eng.º Ricardo Toscani Bairro Novo S.A.

Eng.º Ricardo Toscani Bairro Novo S.A. Eng.º Ricardo Toscani Bairro Novo S.A. Economia Mundial (PIB 2010) Economia Mundial (Taxa de Desemprego) Economia Mundial e Brasileira 2,0 % Economia Brasileira (Empregos Formais) Fonte: MTE Economia Brasileira

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DE MOÇAMBIQUE EM AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS

A EXPERIÊNCIA DE MOÇAMBIQUE EM AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS A EXPERIÊNCIA DE MOÇAMBIQUE EM AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS COMPETÊNCIA DO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO Art. 228 Constituição da República O controlo da legalidade dos actos administrativos e da aplicação das

Leia mais

Lançamento. Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais

Lançamento. Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais Lançamento Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais Processo de Projeto para

Leia mais

VALIDAÇÃO DE FORNECEDORES

VALIDAÇÃO DE FORNECEDORES 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial ATO, VSC, LAS 1 Objetivo Estabelecer uma comissão e um fluxo de trabalho para

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENG EDIFICAÇÕES I TRABALHO PRÁTICO /1 PROF. RUY ALBERTO CREMONINI

ESCOLA DE ENGENHARIA - DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENG EDIFICAÇÕES I TRABALHO PRÁTICO /1 PROF. RUY ALBERTO CREMONINI 1. INTRODUÇÃO O trabalho tem como objetivo o acompanhamento da execução de uma obra de edifício de múltiplos pavimentos (mais de 04 pavimentos) com estrutura em concreto armado moldado no local e vedações

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001308 - TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior Area Profissional: GESTAO DA ADMINISTRACAO Area de Atuacao: LOGISTICA/GESTAO Planejar,

Leia mais

AÇÕES DA AUDITORIA INTERNA PREVISTAS E SEUS OBJETIVOS (IN SFC nº 01 de 2007)

AÇÕES DA AUDITORIA INTERNA PREVISTAS E SEUS OBJETIVOS (IN SFC nº 01 de 2007) Tabela 6 AÇÕES DA AUDITORIA INTERNA PREVISTAS E SEUS OBJETIVOS (IN SFC nº 01 de 2007) Ação após avaliação sumária quanto ao risco inerente e sua relevância Origem da Demanda Objetivo da Auditoria Escopo

Leia mais

_mais de empreendimentos entregues

_mais de empreendimentos entregues _+16 milhões de m² construídos _mais de 1.000 empreendimentos entregues _mais de 1 milhão de moradores _5,3 BI de VGV lançado nos últimos 5 anos _Consolidação Estratégica SP+ RJ Inovação É quando uma ideia

Leia mais

REVISÕES C - PARA CONHECIMENTO D - PARA COTAÇÃO. Rev. TE Descrição Por Ver. Apr. Aut. Data

REVISÕES C - PARA CONHECIMENTO D - PARA COTAÇÃO. Rev. TE Descrição Por Ver. Apr. Aut. Data 1/ REVISÕES TE: TIPO EMISSÃO A - PRELIMINAR B - PARA APROVAÇÃO C - PARA CONHECIMENTO D - PARA COTAÇÃO E - PARA CONSTRUÇÃO F - CONFORME COMPRADO G - CONFORME CONSTRUÍDO H - CANCELADO Rev. TE Descrição Por

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS POLÍTICA DE AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS 11/08/2017 INFORMAÇÃO PÚBLICA SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 DISPOSIÇÕES

Leia mais

CONTRATO Nº 041/09 EMPREITADA GLOBAL COM FORNECIMENTO DE MATERIAL E MÃO DE OBRA

CONTRATO Nº 041/09 EMPREITADA GLOBAL COM FORNECIMENTO DE MATERIAL E MÃO DE OBRA CONTRATO Nº 041/09 EMPREITADA GLOBAL COM FORNECIMENTO DE MATERIAL E MÃO DE OBRA CONTRATANTE: Município de Nova Alvorada, pessoa jurídica de direito público, com sede administrativa na Av. Vicente Guerra,

Leia mais

CONTROLE DE EQUIPAMENTOS DE INSPEÇÃO, MEDIÇÃO E ENSAIOS DO LABORATÓRIO DE RADIOMETRIA AMBIENTAL PO-LRA

CONTROLE DE EQUIPAMENTOS DE INSPEÇÃO, MEDIÇÃO E ENSAIOS DO LABORATÓRIO DE RADIOMETRIA AMBIENTAL PO-LRA 1 Objetivo Este procedimento estabelece métodos para controle e calibração de equipamentos de inspeção, medição e ensaios. 2 Campo de Aplicação Aplica-se ao Laboratório de Radiometria Ambiental do Centro

Leia mais

Formação Técnica em Administração. Modulo de Padronização e Qualidade

Formação Técnica em Administração. Modulo de Padronização e Qualidade Formação Técnica em Administração Modulo de Padronização e Qualidade Competências a serem trabalhadas ENTENDER OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 E OS SEUS PROCEDIMENTOS OBRIGATÓRIOS SISTEMA DE GESTÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N 01/2016/Departamento de Engenharia PROJETO DE URBANISMO DA ÁREA DO PARQUE DO PRESIDENTES

TERMO DE REFERÊNCIA N 01/2016/Departamento de Engenharia PROJETO DE URBANISMO DA ÁREA DO PARQUE DO PRESIDENTES TERMO DE REFERÊNCIA N 01/2016/Departamento de Engenharia PROJETO DE URBANISMO DA ÁREA DO PARQUE DO PRESIDENTES 1. OBJETIVO O presente Termo de Referência tem como objetivo a Contratação de pessoa jurídica

Leia mais

Manual. Cartório de registro. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo X

Manual. Cartório de registro. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo X Manual A Engenharia nos Empreendimentos Cartório de registro Anexo X CARTÓRIO DE REGISTRO 1 Empreendimento Descrição: Cartório de Registro é o empreendimento cuja atividade exercida está sob a responsabilidade

Leia mais

Marketing Comercial. campanhas promocionais. marketing. mala direta. classificação de contatos. Menu

Marketing Comercial. campanhas promocionais.  marketing. mala direta. classificação de contatos. Menu Soluções Marketing Comercial Registro e classificação dos contatos com clientes e prospects. Possibilidade de geração de compromissos encadeados, além de acompanhamento das ações promovidas pelas equipes

Leia mais

SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS. Proposta Técnica. Norma de Desempenho Adequação de Processos. Construção Civil ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR

SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS. Proposta Técnica. Norma de Desempenho Adequação de Processos. Construção Civil ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS Proposta Técnica Norma de Desempenho Adequação de Processos ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR Construção Civil 1 OBJETIVO Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... Erro! Indicador não definido. I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS

Leia mais

Nº: PGS Pág.: 1 de 11

Nº: PGS Pág.: 1 de 11 Nº: PGS-3209-51-01 Pág.: 1 de 11 Responsável Técnico: Ana Lucia Silva Taveira Gerência de Saúde, Segurança e Fertilizantes. Público-alvo: Empregados próprios e prestadores de serviços das unidades da Vale

Leia mais

guia do Conselho fiscal da CPfL energia

guia do Conselho fiscal da CPfL energia guia do Conselho fiscal da CPfL energia 1 Sumário I Objetivo 3 II Atividades e Responsabilidades 4 a. Principais atividades e responsabilidades do Conselho Fiscal no papel de Comitê de Auditoria 4 b. Relacionamento

Leia mais

CARTA CONVITE 016/2015 II - TERMO DE REFERÊNCIA

CARTA CONVITE 016/2015 II - TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇO NACIONAL DEAPRENDIZAGEM COMERCIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO AMAZONAS CARTA CONVITE 016/2015 ANEXO II - TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para Contratação de Empresa Especializada paraa Construção

Leia mais

Aprovado por Márcia Rangel

Aprovado por Márcia Rangel Unidade Processo Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas Realização de Eventos por Edital de Pregão Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Leia mais

PROCEDIMENTO DE CONTRATOS

PROCEDIMENTO DE CONTRATOS PAG.: 1 de 7 1. OBJETIVO: Estabelecer procedimentos para elaboração, análise, validação e controle dos contratos firmados pela Portobello para a aquisição de bens e serviços. 2. RESPONSABILIDADES: Este

Leia mais

PORTARIA CAU/SP Nº 88, DE 28 DE MARÇO DE 2016

PORTARIA CAU/SP Nº 88, DE 28 DE MARÇO DE 2016 Amplia o número de cargos efetivos e comissionados, no âmbito do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo CAU/SP, e dá outras providencias. O Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Setembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Conclusão do Domínio de Processos PO (PO7 e PO8)

Leia mais

NORMA TÉCNICA. a) Possibilitar a centralização de informações do sistema, de modo a:

NORMA TÉCNICA. a) Possibilitar a centralização de informações do sistema, de modo a: Página1 Responsável pela Norma: DT/E - Gerência de Engenharia 1 OBJETIVO Esta Norma Técnica (NT) fixa as condições exigíveis no estabelecimento de regras gerais para a elaboração do documento intitulado

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRAS e PAGAMENTO DE GASTOS DO SICOOB CREDIAUC

POLÍTICA DE COMPRAS e PAGAMENTO DE GASTOS DO SICOOB CREDIAUC POLÍTICA DE COMPRAS e PAGAMENTO DE GASTOS DO SICOOB CREDIAUC Aprovado em 28 de Janeiro de 2014 Atualizado em 30 de Janeiro de 2015 Atualizado em 30 de Julho de 2015 Atualizado em 30 de outubro de 2015

Leia mais

Política de Auditoria Interna

Política de Auditoria Interna Política de Auditoria Interna 22 de outubro 2013 Define a missão, a independência, a objetividade, as responsabilidades e regulamenta a função da auditoria interna. ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO ALVO...

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Nacional Sesc Pantanal TERMO DE REFERÊNCIA

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Nacional Sesc Pantanal TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETIVOS Destinam-se as Especificações Técnicas presentes, orientar e apresentar dados técnicos para execução da conclusão da obra de reforma do bloco administrativo do Hotel Sesc

Leia mais

Gerenciamento de integração de projeto

Gerenciamento de integração de projeto Gerenciamento de integração de Sergio Scheer / DCC / UFPR TC045 Gerenciamento de Projetos Interação dos processos de gerenciamento de s Interação dos processos de gerenciamento de s Mapeamento grupos de

Leia mais

CAPÍTULO II Fornecedores SEÇÃO I Qualificação de fornecedores de produtos e insumos

CAPÍTULO II Fornecedores SEÇÃO I Qualificação de fornecedores de produtos e insumos REGULAMENTO PRÓPRIO PARA CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS E COMPRAS COM RECURSOS PROVENIENTES DO PODER PÚBLICO. CONSIDERANDO a necessidade de estabelecer normas de padronização para aquisição de materiais,

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria 1ª Versão 1 Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria PROCESSO DE LICITAÇÃO, DISPENSA OU INEXIGIBILIDADE 1ª Versão 2 ÍNDICE 1

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional E AÇÃO PREVENTIVA PO. 09 10 1 / 5 1. OBJETIVO Descrever a forma como o produto ou serviço não conforme deve ser controlado, a fim de se prevenir a sua utilização ou entrega não intencional ao cliente.

Leia mais

Ref.: COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS

Ref.: COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS FSP Faculdade Sudoeste Paulista Departamento de Engenharia Civil Docente: Eng. Ana Lúcia de Oliveira Daré, Prof. M.Sc. Ref.: COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS COMO GERENCIAR CONTRATOS COM EMPREITEIROS

Leia mais

Apresentação da Disciplina. Planejamento e Controle de Projetos 5 TADS FSR. Apresentação do Professor. Apresentação da Disciplina (Continuação)

Apresentação da Disciplina. Planejamento e Controle de Projetos 5 TADS FSR. Apresentação do Professor. Apresentação da Disciplina (Continuação) Apresentação da Disciplina Componente Curricular: Planejamento e Controle de Projetos Carga horária: 80 horas Competências: Planejamento e Controle de Projetos 5 TADS FSR Prof. Esp. André Luís Belini Identificar

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO

DISPENSA DE LICITAÇÃO DISPENSA DE LICITAÇÃO Processo: Secretaria: Empresa: CNPJ: Objeto: LISTA DE VERIFICAÇÕES Justificativa - deverá ser elaborada pela Secretaria Requisitante, a qual identificará a necessidade administrativa

Leia mais

A Experiência da MRV na Implantação da NBR 15575

A Experiência da MRV na Implantação da NBR 15575 RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A A Experiência da MRV na Implantação da NBR 15575 REALIZAÇÃO Flávio Paulino de Andrade e Silva

Leia mais

Manejo dos resíduos da construção civil e demolição no DF - Desafios presentes e futuros próximo dia 28/09, promovida pela ABES DF e

Manejo dos resíduos da construção civil e demolição no DF - Desafios presentes e futuros próximo dia 28/09, promovida pela ABES DF e Manejo dos resíduos da construção civil e demolição no DF - Desafios presentes e futuros próximo dia 28/09, promovida pela ABES DF e 28/09/2015 ABES/DF CREA DF. Politica Ambiental da Caesb Diretrizes 1.

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Nacional Sesc Pantanal TERMO DE REFERÊNCIA

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Nacional Sesc Pantanal TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETIVOS Destinam-se as Especificações Técnicas presentes, orientar e apresentar dados técnicos para execução da obra de reforma das instalações do restaurante de visitantes do

Leia mais

CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE /2012 ANEXO I

CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE /2012 ANEXO I CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.03.0044/2012 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAL PÉTREO PARA INFRAESTRUTURA DOS LAGOS 01 E 02 DA FASE ZERO DO SAPIENS

Leia mais

Código Revisão Área Aprovação Data Página PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1

Código Revisão Área Aprovação Data Página PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1 PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Estabelecer uma sistemática para análise das causas de não conformidades e implementação de ações corretivas, com o intuito de eliminar a reincidência

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 05/17-SEGES/MPDG. Gabriela Pércio

INSTRUÇÃO NORMATIVA 05/17-SEGES/MPDG. Gabriela Pércio INSTRUÇÃO NORMATIVA 05/17-SEGES/MPDG Gabriela Pércio Tratou a contratação pública como processo Incorporou a ideia de planejamento da contratação Incorporou a e gestão de risco Incorporou doutrina, juris

Leia mais

Modelos de Contratação de Serviços de Sistemas

Modelos de Contratação de Serviços de Sistemas Modelos de Contratação de Serviços de Sistemas Um enfoque gerencial da aplicação de Análise de Pontos de Função Carlos Eduardo Vazquez FATTO Consultoria e Sistemas 30/09/2013 Modelos de Contratação de

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PARANÁ

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PARANÁ ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA N 020/2011-MANUTENÇÃO IMPERMEABILIZAÇÃO DO CRMPR Este Termo de Referência foi elaborado em cumprimento ao disposto na Instrução Normativa nº 02/2008 do MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

Leia mais

D. (49) N, 2º

D. (49) N, 2º CONTROLLER (CÓDIGO 1896) Para empresa de médio porte Atividades a serem desenvolvidas: - Análise de produtividade da fábrica; - Elaborar e apresentar as análises de indicadores de resultados; - Análise

Leia mais

Gestão de Pessoas Revisão: 02 Página 1 de 6

Gestão de Pessoas Revisão: 02 Página 1 de 6 PROCEDIMENTO PR 6.01 Gestão de Pessoas Revisão: 02 Página 1 de 6 CÓPIA CONTROLADA 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 29/07/2014 01 03/12/2015 02 Adequações

Leia mais

CONTRATO Nº 026/10 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE MÃO DE OBRA

CONTRATO Nº 026/10 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE MÃO DE OBRA CONTRATO Nº 026/10 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE MÃO DE OBRA CONTRATANTE: Município de Nova Alvorada, pessoa jurídica de direito público, com sede administrativa na Av. Vicente Guerra, 1429,

Leia mais

ABNT NBR ª edição - Edificações habitacionais Desempenho ASPECTOS JURÍDICOS ENIC GOIÂNIA Carlos Pinto Del Mar

ABNT NBR ª edição - Edificações habitacionais Desempenho ASPECTOS JURÍDICOS ENIC GOIÂNIA Carlos Pinto Del Mar ABNT NBR 15575 4ª edição - Edificações habitacionais Desempenho ASPECTOS JURÍDICOS ENIC GOIÂNIA 2014 Carlos Pinto Del Mar ABNT NBR 15575 4ª edição Edificações habitacionais Desempenho Aplicável aos projetos

Leia mais

Marketing Comercial. campanhas promocionais. marketing. mala direta. classificação de contatos. Menu

Marketing Comercial. campanhas promocionais.  marketing. mala direta. classificação de contatos. Menu Soluções Marketing Comercial Registro e classificação dos contatos com clientes e prospects. Possibilidade de geração de compromissos encadeados, além de acompanhamento das ações promovidas pelas equipes

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE SSC-546 Avaliação de Sistemas Computacionais Profa. Rosana Braga (material profas Rosely Sanches e Ellen F. Barbosa) Agenda Visão Geral de Qualidade Qualidade Aplicada ao Software

Leia mais

CRITÉRIOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE LIMPEZA

CRITÉRIOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE LIMPEZA CRITÉRIOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE LIMPEZA ALGUNS DADOS IMPORTANTES 6.714 prédios ocupados, sendo 96% Agências de Correios Área física a ser limpa 5.029.157,93m 2 Administração Central dos Correios,

Leia mais

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores ESCOPO Este questionário de auto-avaliação tem como objetivo proporcionar um conhecimento geral do fornecedor,

Leia mais

Cada um dos projetos executados pelo Funbio conta com uma Gerência de Projeto, cujas atribuições e responsabilidades são:

Cada um dos projetos executados pelo Funbio conta com uma Gerência de Projeto, cujas atribuições e responsabilidades são: TERMO DE REFERÊNCIA nº 011/2017 Contratação de pessoa física para a função de GERENTE DE PROJETOS da Superintendência de Programas para atendimento às demandas dos projetos apoiados pelo Fundo Brasileiro

Leia mais

Gerenciamento da Integração de Projetos. Parte 03. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Gerenciamento da Integração de Projetos. Parte 03. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza Gerenciamento da Integração de Projetos Parte 03 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e Gerenciamento

Leia mais

POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS

POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS Laboratórios da Área da Informática Política de Manutenção e Aquisição de Equipamentos Laboratórios da Área de Informática Universidade Anhembi Morumbi

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho SERVIÇOS GERAIS IT. 26 08 1 / 6 1. OBJETIVO Orientar a realização de serviços gerais nas dependências do Crea GO e controle dos s. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA IT. 28 Patrimônio. IT.27 Arquivo Geral e Correspondências

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO Sistema de Ar-Condicionado Tipo Split. ÌNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1 NORMAS TÉCNICAS 1. 2 ORIENTAÇÕES INICIAIS 2. SERVIÇOS 3. EQUIPAMENTOS E MATERIAIS 4. REQUISITOS PARA FORNECEDORES

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo.

TERMO DE REFERÊNCIA. Estão discriminados no ANEXO - I do Termo de Referência contido nos autos do processo. 1 OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Engenharia para Reforma da Casa da Gestante, com fornecimento de material e mão de obra, situado na Avenida

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC NÃO CONFORMIDADES MAIS FREQUENTES

ABNT NBR ISO/IEC NÃO CONFORMIDADES MAIS FREQUENTES ABNT NBR ISO/IEC 17025 NÃO CONFORMIDADES MAIS FREQUENTES Item 4.1 Organização Legalidade do laboratório Trabalhos realizados em instalações permanentes Atendimento aos requisitos da Norma, necessidades

Leia mais

ANEXO VIII MODELO DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO VIII MODELO DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL ANEXO VIII MODELO DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA PROPOSTA. Os pagamentos à Gerenciadora serão efetuados pelo exclusivamente com base nos produtos entregues em determinado

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho SERVIÇOS GERAIS IT. 26 09 1 / 6 1. OBJETIVO Orientar a realização de serviços gerais nas dependências do Crea GO e controle dos s. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA IT. 28 Patrimônio. IT.27 Arquivo Geral e Correspondências

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 3/2007 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 2 ÍNDICE 1. Objeto 3 2. Justificativa 3 3. Diretrizes 4 3.1.

Leia mais

FOLHA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS

FOLHA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS FOLHA DE COTROLE DE DOCUMETO 1) IDETIFICAÇÃO Código do documento PG-CRPq-0901 Revisão 03 Data 26/09/2016 Título GERECIAMETO DA PRODUÇÃO E FORECIMETO DE ERVIÇO Classificação Ostensivo n o de páginas 03

Leia mais

Portaria UCI nº 01, de 04 de Janeiro de 2017

Portaria UCI nº 01, de 04 de Janeiro de 2017 Portaria UCI nº 01, de 04 de Janeiro de 2017 ESTABELECE O PROGRAMA ANUAL DE AUDITORIA INTERNA PAAI/2017 DA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO CASCALHEIRA-MT, DEFININDO OS PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS E CRONOLÓGICOS

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A Página 1 de 9 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 11/01/10 Emissão Inicial N/A Documento via original Assinada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS

Leia mais

RELATÓRIO CRITÉRIOS APURAÇÃO DISTRIBUIÇÃO PPR TABELA DE REVISÕES. Finalidade da Emissão

RELATÓRIO CRITÉRIOS APURAÇÃO DISTRIBUIÇÃO PPR TABELA DE REVISÕES. Finalidade da Emissão NOVA PLANTA DE PVC 00 kta 1 de 9 Área TABELA DE REVISÕES Finalidade da Emissão 0 1 PARA INFORMAÇÃO Conforme Comentários GGCOT Conforme Comentários GGCOT 0 A B C D E Data 19/08/10 8/1/10 0/0/11 Executado

Leia mais

Gestão Financeira (Tesouraria)

Gestão Financeira (Tesouraria) Soluções Gestão Financeira (Tesouraria) Contas a Receber - Cobrança Registro de contrato de prestação de serviços com condições de cobrança; Controle de reajuste contratuais com periodicidade, índices

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA 3. VALOR ESTIMADO E ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

1. JUSTIFICATIVA 3. VALOR ESTIMADO E ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS RUA 08 DE MAIO SINo - CENTRO, CEP: 65.712-000 - LAGO DOS RODRIGUES _ MARANHÃO 1. JUSTIFICATIVA PROJETO BÁSICO As atividades operacionais da Prefeitura Municipal de LAGO DOS RODRIGUES, irão requerer a contratação

Leia mais

Inventário Participativo do Museu Vivo de São Bento

Inventário Participativo do Museu Vivo de São Bento TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO POR SERVIÇO ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO CENTRO DE REFERÊNCIA PATRIMONIAL E HISTÓRICO DE DUQUE DE CAXIAS (AA- CRPH) E REDE DE MUSEOLOGIA SOCIAL DO RIO DE JANEIRO (REMUS-

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA. PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO - 2014 a 2017

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA. PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO - 2014 a 2017 PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO - 2014 a 2017 COORDENADORIA DE AUDITORIA Em conformidade com o art. 9º da Resolução CNJ n. 171/2013, elaborou-se este Plano de Auditoria de Longo Prazo PALP, que tem por

Leia mais

ANEXO I da TP 03/2016-CPL/UNIVASF PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO

ANEXO I da TP 03/2016-CPL/UNIVASF PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO ANEXO I da TP 03/2016-CPL/UNIVASF PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO Contratação de empresa especializada na elaboração de projetos de engenharia para construção do acesso viário em rodovia tipo BR para o Campus

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPI JOÃO CÂMARA RATIONAL UNIFIED PROCESS - RUP

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPI JOÃO CÂMARA RATIONAL UNIFIED PROCESS - RUP 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPI JOÃO CÂMARA RATIONAL UNIFIED PROCESS - RUP Nickerson Fonseca Ferreira nickerson.ferreira@ifrn.edu.br Introdução 2 Modelo

Leia mais