Plano TIC 07/09. Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cacela. Anos lectivos D I R E C Ç Ã O R E G I O N A L D E E D U C A Ç Ã O D O ALGARVE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano TIC 07/09. Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cacela. Anos lectivos D I R E C Ç Ã O R E G I O N A L D E E D U C A Ç Ã O D O ALGARVE"

Transcrição

1 Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cacela D I R E C Ç Ã O R E G I O N A L D E E D U C A Ç Ã O D O ALGARVE Plano TIC Por: Paula Coelho [COORDENADORA TIC] Escola Básica 2º e 3º Ciclos Infante D. Fernando EB1 / JI Manuel Cabanas - EB1 S. João Anos lectivos 07/09

2 Índice Índice Enquadramento do Plano Introdução Objectivos Breve Caracterização do Agrupamento...3 Dados detalhados do Agrupamento Equipa de Apoio Estrutura Tecnológica do Agrupamento Parque Informático / Tecnológico Desenvolvimento Pessoal, Profissional e Organizacional Formação Formação Interna Formação Externa Sítio Web do Agrupamento Plataforma de Gestão de Aprendizagem Moodle Calendarização das Actividades / Tarefas Actividades / Tarefas referentes ao Ano Lectivo 2007/ Actividades / Tarefas referentes ao Ano Lectivo 2008/ Actividades/Tarefas referentes a 2007/ Avaliação do Plano Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 1

3 1. Enquadramento do Plano 1.1. Introdução O Plano de Acção para as TIC implementado pelo Ministério de Educação visa promover a integração da utilização das TIC nas actividades lectivas e não lectivas, rentabilizando os meios informáticos e generalizando a sua utilização por todos os elementos da Comunidade Educativa. O Plano de Acção, bem como a Coordenação e Equipa TIC, regem-se pelo despacho n.º 26691/2005. As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) podem ser usadas sob várias formas para nos ajudar a atingir as nossas metas e/ou objectivos. Inclui vários tipos de tecnologias tais como, computadores, vídeos, a Internet, correio electrónico, sítios web e mesmo telefones. As TIC nem sempre são facilmente integradas e aceites pela comunidade educativa. Se por um lado existe um grupo inovador que as aceita, utiliza, divulga e partilha, por outro lado existe outro grupo mais conservador que as vê com alguma relutância. Pelas potencialidades que contém, a aprendizagem realizada através de plataformas de e-learning é considerada, hoje em dia, uma opção estratégica essencial no processo ensino/aprendizagem. Daí que se perspective a sua implementação, através de um processo que se requer metódico, consistente e abrangente. A elaboração deste plano procura definir, de entre um vasto leque de necessidades e ideias recolhidas e observadas, um conjunto de prioridades que se consideram de possível resolução no presente ano lectivo, tendo como base as orientações da Equipa de Missão Computadores, Redes e Internet nas Escolas (CRIE) e o Plano Tecnológico da Educação, no sentido de melhorar, proporcionar e desmistificar o acesso às TIC por parte de toda a comunidade educativa. O plano assenta, fundamentalmente, em dois eixos: estrutura tecnológica do agrupamento e desenvolvimento pessoal, profissional e organizacional. Para cada um dos eixos será apresentada a situação actual, as necessidades/problemas diagnosticados e as medidas a tomar para caminhar nesse sentido. Com este plano pretendemos, por um lado, que os nossos alunos utilizem as TIC de forma adequada e desenvolvam as suas capacidades e aptidões para pesquisar, gerir, tratar e difundir informação, por outro lado, permitir-nos criar ambientes de aprendizagem com recursos diversificados que as TIC e a Internet nos colocam à disposição. O plano prevê uma articulação com o Plano Tecnológico e objectivos definidos pelas instâncias superiores, procurando ainda dar resposta às necessidades identificadas com a aplicação dos questionários sobre as TIC. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 2

4 1.2. Objectivos O presente plano pretende contribuir para: Aumentar o acesso e o uso das tecnologias pela comunidade educativa, na perspectiva de que a escola é uma comunidade de aprendizagem; Promover uma efectiva utilização das TIC nos processos de ensino/aprendizagem, perspectivando o uso das TIC como ferramenta potenciadora e geradora de novas situações de aprendizagem e novas metodologias de trabalho; Promover uma efectiva utilização das TIC na realização de tarefas administrativas e de gestão escolar; Estimular o interesse pelas TIC no pessoal docente; Proporcionar, à comunidade educativa, formação interna e apoio na utilização das tecnologias existentes na escola e aplicações informáticas; Efectuar um levantamento das necessidades de formação do pessoal docente e posterior articulação com centro de formação da área de abrangência; Gerir, de modo eficaz, o parque informático em termos de hardware e software; Melhorar o parque informático, através de actualizações e aquisição de novo equipamento; Divulgar, de forma gradual, a existência de software livre e estimular a sua utilização; Prever e criar condições para a implementação das medidas previstas no plano tecnológico da educação; Disponibilizar a informação escolar e conteúdos produzidos em qualquer hora e em qualquer lugar, através da Internet Breve Caracterização do Agrupamento O Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cacela, constituído pela Escola EB 2,3 Infante Dom Fernando, pela Escola EB1 São João e pela Escola EB 1 / JI Manuel Cabanas, é um estabelecimento de ensino que conta com 540 alunos, 52 professores, 16 auxiliares da acção educativa, 6 assistentes administrativos e 4 outros funcionários. Ao nível do equipamento tecnológico, à data de 3 de Dezembro de 2007 este agrupamento está dotado de um parque informático composto por 64 computadores, 13 impressoras, 9 dispositivos de rede, 5 videoprojectores, 2 quadros interactivos e 2 digitalizadores (scanners). O agrupamento conta ainda com outro tipo de equipamento tecnológico diverso, como por exemplo televisores, reprodutores VHS, reprodutores DVD, fotocopiadoras, retroprojectores, sistemas HI-FI, rádios, etc. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 3

5 Dados detalhados do Agrupamento Identificação da Escola: Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cacela o Escolas Constituintes: E.B. 2, 3 Infante Dom Fernando (Sede) E.B. 1 / JI Manuel Cabanas E.B. 1 S. João o Morada: Largo Manuel Cabanas Vila Nova de Cacela o o Distrito: Faro Concelho: Vila Real de Santo António o Telefone: o FAX: o Código GIASE: o URL: Taxa de Insucesso: 7 % Taxa de Abandono: 0 % Comunidade Escolar o Número de Turmas 1º Ciclo 6 diurnas 2º Ciclo 5 diurnas 3º Ciclo 7 diurnas + 1 nocturna o Corpo Discente Diurno 440 Nocturno o Corpo Docente 52 o Corpo Discente Administrativo 6 Auxiliar de Acção Educativo 16 Outros - 4 Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 4

6 1.4. Equipa de Apoio Tal como refere o despacho n.º 26691/2005, para apoiar as funções do coordenador TIC, pode ser criada uma equipa de apoio técnico-pedagógico à concretização do plano TIC. Assim, para o presente ano lectivo a equipa TIC será constituída pelos seguintes elementos: Coordenador TIC Prof.ª Paula Coelho; Presidente do Conselho Executivo Prof. Vítor Nunes; Funcionário responsável pela sala TIC Sr. Luís Correia. Coordenadora do Plano de Acção para a Matemática Prof.ª Susana Lourenço O seguinte quadro apresenta um conjunto de funções a desempenhar e os respectivos intervenientes: Funções [Nota: a designação dos intervenientes para as funções não implica necessariamente a sua responsabilização pelas mesmas, visto que pode indicar apenas a sua colaboração.] Prof. Paula Coelho Prof.ª Susana Lourenço Prof. Vítor Nunes Sr. Luís Correia Outro(s) Elaborar o plano TIC Elaborar a avaliação do plano TIC no final do ano lectivo Elaborar/actualizar o regulamento de utilização dos computadores da sala de professores Elaborar/actualizar o regulamento de utilização dos computadores da sala de directores de turma Elaborar/actualizar o regulamento de utilização dos computadores da BE-CRE 1 Elaborar/actualizar o regulamento de utilização do laboratório móvel Elaborar/actualizar o regulamento de utilização da sala TIC Organizar o dossier de coordenação de TIC Organizar o dossier digital iniciativa escolas, professores e computadores portáteis. Manter actualizados, estáveis e funcionais os sistemas de todo o parque informático do agrupamento Manter actualizados, estáveis e funcionais os sistemas dos 2 1 Coordenadora da Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos (BE-CRE). 2 Técnicos da empresa que presta serviço de manutenção à escola. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 5

7 Funções [Nota: a designação dos intervenientes para as funções não implica necessariamente a sua responsabilização pelas mesmas, visto que pode indicar apenas a sua colaboração.] Prof. Paula Coelho Prof.ª Susana Lourenço Prof. Vítor Nunes Sr. Luís Correia Outro(s) computadores portáteis provenientes da Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis (laboratório móvel e departamentos) Efectuar reparações de hardware 2 Actualizar o sítio web do agrupamento 3 Implementar a plataforma de gestão de aprendizagem Moodle Promover formação e apoio na utilização das TIC para toda a comunidade escolar Efectuar o levantamento das necessidades de formação do pessoal docente Articular com os técnicos da câmara municipal que prestam apoio à escola do 1º ciclo Articular com os técnicos da empresa que presta serviço de manutenção ao equipamento informático Articular com serviços centrais e regionais de educação, no que respeita a questões relacionadas com os equipamentos, redes e conectividade Identificar as necessidades de aquisição de equipamento tecnológico Divulgar e promover a utilização de software livre Quadro 1 Funções a desempenhar pela equipa TIC e respectivos intervenientes 3 Todos os membros da comunidade educativa, principalmente aqueles que desempenham cargos de coordenação. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 6

8 2. Estrutura Tecnológica do Agrupamento 2.1. Parque Informático / Tecnológico Sala de Professores 2 computadores HP Vectra VL420DT + monitor CRT 14 HP56 Pentium IV 1.7 GHz 128 MB RAM 20 GB disco; Windows XP Home Edition (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 1 televisor Starlux 1. Elaborar o regulamento de utilização dos computadores da sala; 2. Manter os computadores actualizados, estáveis e funcionais, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, da remoção de software e ficheiros desnecessários, e de pequenas reparações se necessário; 3. Criar um posto de trabalho que, a par do software comum, inclui algum software livre, nomeadamente o openoffice e o Firefox. O objectivo deste posto de trabalho é dar a conhecer este tipo de software e facultar um primeiro contacto com o mesmo. Quadro 2 Parque informático / tecnológico da sala de professores Sala de Directores de Turma 1 computador HP Vectra VL420DT + monitor CRT 14 Fijitsu Siemens Pentium IV 1.7 GHz 128 MB RAM 20 GB disco; Windows XP Professional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 2 computadores Compaq Evo D310 + monitor CRT 14 Compaq 5500 Pentium IV 2.5 GHz 248 MB RAM 40 GB disco; Windows XP Professional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 1 impressora HP Laserjet 2100TN 1. Elaborar o regulamento de utilização dos computadores da sala; 2. Manter os computadores actualizados, estáveis e funcionais, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, da remoção de software e ficheiros desnecessários, e de pequenas reparações se necessário; 1 ponto de acesso wireless SMC WEBT-G Quadro 3 Parque informático / tecnológico da sala de directores de turma Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 7

9 Sala de Gestão 1 computadores Laser Expresión 640P + monitor CRT 14 Laser (Servidor JPM) X MB RAM 4 GB disco; Windows NT (EN), Office 97 (EN), AVG Antivírus, JPM; 1 impressora Xerox Phaser fax Cannon Multipass C20 1 UPS Smart-ups computadores portáteis IMB Lenovo ThinkPad (computadores dos departamentos) Core Duo 1.83 GHz 1 GB RAM 40 GB disco Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), Panda Internet Security; Ligação à Internet: sim (wireless). 1. Manter o computador actualizado, estável e funcional, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, e de pequenas reparações se necessário; 2. Efectuar cópias de segurança do servidor JPM regularmente. 3. Está previsto o redimensionamento da rede com a aquisição de um novo servidor, no valor de Este redimensionamento prevê a futura instalação do sistema GIAE. Quadro 4 Parque informático / tecnológico da sala de gestão Reprografia 1 fotocopiadora Naslinatec Dsm 645 Aficio 1 fotocopiadora RisoGraph CR1610EP Quadro 5 Parque informático / tecnológico da reprografia PBX 1 UPS Mustek PowerMust 600USB 1 router Cisco System Cisco 800 Series Quadro 6 Parque informático / tecnológico do PBX Sala 5 1 quadro interactivo 1 videoprojector Quadro 7 Parque informático / tecnológico da sala 5 Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 8

10 Sala 7 1 quadro interactivo Quadro 8 Parque informático / tecnológico da sala 7 1 computadores Asus + monitor TFT 19 LG Flatron L192WS Core Duo 1.86 GHz 1 GB RAM ; Windows XP Profissional (PT), Office XP (PT), Panda Internet Security; 1 computador Acer Veriton monitor TFT 15 Acer V Manter os computadores actualizados, estáveis e funcionais, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, e de pequenas reparações se necessário; 2. Efectuar cópias de segurança regularmente; Pentium IV 1.6 GHz 256 MB RAM; Windows XP Profissional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus, aplicação JPM; Ligação à Internet: sim. 2 computador Compaq + monitor CRT 15 Compaq Pentium IV 2.5 GHz 248 MB RAM; Secretaria Windows XP Profissional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 1 computador HP + monitor CRT 15 HP 56 Pentium IV 1.7 GHz 256 MB RAM; Windows XP Profissional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 1 computador HP + monitor CRT 15 HP 56 Pentium IV 1.7 GHz 385 MB RAM; Windows XP Profissional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 1 fotocopiadora Canon impressora Xerox Phaser 6120 Quadro 9 Parque informático / tecnológico da secretaria Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 9

11 Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos 1 computador Laser Expression 640P + monitor CRT 14 Acer V551 Pentium 128 MB RAM 8 GB disco; Windows 98, Office 97 (EN), AVG Antivírus; 1 computador Laser Expression 640P + monitor CRT 14 Fijitsu Siemens Pentium MMX 128 MB RAM 8 GB disco; Windows 98, Office 97 (EN), AVG Antivírus; 1 computador Fujitsu Siemens + monitor CRT 14 Laser X86 64 MB RAM 2 GB disco; Windows 98, Office 97 (EN), AVG Antivírus; 1 computador Cooler Master + monitor CRT 14 Laser Intel Celeron 900 MHz 192 MB RAM 10 GB disco; Windows XP Profissional (PT), Office XP (PT), AVG Antivírus; 1 computador Asus + Monitor TFT 15 LG Flatron L17535 Intel Core Duo 2,30 GHz 1 GB de Ram 240 GB disco; Windows XP Professional (PT), Office 2003 (PT), AVG Antivírus; Bibliobase; 1 computador sem marca + monitor CRT 14 sem marca X86 64 MB RAM 2 GB disco; Windows 98, Office 97 (EN), AVG Antivírus; 1 fotocopiadora Cannon NP televisor Toshiba 1 reprodutor VHS Samsung 1 reprodutor DVD Samsung 1. Elaborar/reformular o regulamento de utilização dos computadores da sala; 2. Manter os computadores actualizados, estáveis e funcionais, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, da remoção de software e ficheiros desnecessários, e de pequenas reparações se necessário; 3. Criar um posto de trabalho que inclui apenas software livre, desde o sistema operativo até pequenas aplicações de escritório. O objectivo do ponto verde é dar a conhecer este tipo de software e facultar um primeiro contacto com o mesmo; 4. Efectuar cópias de segurança da aplicação Porbase regularmente. Quadro 10 Parque informático / tecnológico da BE-CRE Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 10

12 Poliva lente 1 vídeoprojector 1 televisor Quadro 11 Parque informático / tecnológico da sala polivalente Conselho Executivo 1 computador Enix + monitor TFT 15 Samsung SyncMaster 152v Intel Pentium IV 3,0 GHz 512 MB RAM 75 GB disco; Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), AVG Antivírus; Rato e teclado Microsoft; 3 computadores portáteis IMB Lenovo ThinkPad Core Duo 1.83 GHz 1 GB RAM 40 GB disco Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), Panda Internet Security; Ligação à Internet: sim (wireless e wired). 4. Manter o computador actualizado, estável e funcional, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, e de pequenas reparações se necessário; 5. Efectuar cópias de segurança regularmente. Quadro 12 Parque informático / tecnológico do conselho executivo 1 videoprojector Epson EMP-X3 1 videoprojector Toshiba TDP-S8 Sala de audiovisuais 1 rádio com leitor de CD s e cassetes 2 televisões 2 reprodutores DVD Samsung 2 reprodutores VHD Grundig 1 reprodutor VHS Philips 1 mesa de mistura 2 aparelhagens 1 câmara de vídeo 1 máquina fotográfica digital 1 máquina fotográfica analógica ---- Quadro 13 Parque informático / tecnológico da sala de audiovisuais Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 11

13 Sala TIC 1 computador Acer Veriton 7600GT + monitor CRT 17 Acer AC713 (servidor) Pentium IV 2.8 GHz 1 GB RAM GB disco; Windows Server 2003 (EN), ISA Server, McAfee Antivírus; 3 computadores Acer Veriton 7600GT + monitor CRT 17 Acer AC713 Pentium IV 2.8 GHz 512 MB RAM 20 GB disco; Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), McAfee Antivírus; 11 computadores Fujitsu-Siemens Scenic P320 + monitor CRT 17 Fujitsu-Siemens Pentium IV 3.0 GHz 512 MB RAM 20 GB disco; Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), McAfee Antivírus; 1 computador Compaq Evo + monitor CRT 17 Compaq 5500 Pentium IV 2.5 GHz 248 MB RAM 20 GB disco; Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), AVG Antivírus; 1 bastidor composto por: 1 switch Allied Telesyn AT-FS portas; 1 hub Accton CheetaHub Classic portas; 1 rac CAT5PLUS EC Verified BICC Brand-Rex - 16 portas; 1 videoprojector Epson EMP S1H 1 impressora HP Deskjet 710 C 1 impressora Epson EPL scanner HP Scanjet scanner Epson Perfection 3490 Photo 1. Reformular o regulamento de utilização dos computadores da sala; 2. Manter os computadores actualizados, estáveis e funcionais, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, da remoção de software e ficheiros desnecessários, e de pequenas reparações se necessário; 3. Repor o sistema das estações de trabalho quando necessário; 4. Definir contas de utilizadores e respectivas permissões de acesso; 5. Efectuar, regularmente, cópias de segurança dos documentos dos utilizadores; 6. Efectuar um upgrade às estações de trabalho, adquirindo módulos de memória RAM; 7. Implementar a solução Microsoft LNM (Learning Network Manager) Windows 2003 Server e ISA Server 2006 no servidor, e Windows Vista e Office 2007 nos postos de trabalho. Quadro 14 Parque informático / tecnológico da sala TIC Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 12

14 Laboratório Móvel 11 computadores portáteis IMB Lenovo ThinkPad Core Duo 1.83 GHz 1 GB RAM 40 GB disco Windows XP Profissional (PT), Office 2003 (PT), Panda Internet Security; Ligação à Internet: sim (wireless). 1. Elaborar/reformular o regulamento de utilização do equipamento tecnológico; 2. Manter os computadores actualizados, estáveis e funcionais, através da actualização periódica do sistema operativo e do antivírus, e da remoção de software e ficheiros desnecessários; Quadro 15 Parque informático / tecnológico do laboratório móvel Escolas EB1/JI Manuel Cabanas e EB1 São João 1º Ciclo Manuel Cabanas 4 computadores e 4 impressoras multifunções Jardim de Infância Manuel Cabanas 2 computadores e 2 impressoras multifunções 1º Ciclo São João 2 computadores e 2 impressoras multifunções 1. A empresa VisualForma faz a manutenção dos computadores e presta a formação necessária aos docentes. 2. Todos os computadores têm algum software livre instalado, nomeadamente o OpenOffice. Quadro 16 Parque informático / tecnológico das escolas do 1º ciclo e do jardim de infância 4 pontos de acesso wireless SMC WEBT-G espalhados pela escola: Escola Sala de Directores de Turma (R/C) Perto do elevador (R/C) Perto da Biblioteca (1º piso) Perto do elevador (1º piso) Quadro 17 Parque informático / tecnológico espalhado pela escola Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 13

15 3. Desenvolvimento Pessoal, Profissional e Organizacional 3.1. Formação Todos os sistemas, ideias e intenções falham, desde logo, na sua implementação e utilização se as pessoas não estiverem predispostas à aceitação das mesmas e se não receberem a formação básica para trabalhar. Neste intuito, pretende-se promover e desenvolver, ao longo do ano lectivo, a formação necessária em diferentes áreas prioritárias. Importa salientar que a formação será dividida em duas vertentes: interna e externa Formação Interna De carácter menos formal, esta vertente de formação tem como objectivo ir ao encontro das necessidades reais do pessoal docente e não docente da escola. No presente ano lectivo, a equipa TIC pretende desenvolver as seguintes acções de formação / sessões de esclarecimento: Sessão de esclarecimento de audiovisuais: destinada ao pessoal docente com o objectivo de explicar o funcionamento básico dos meios audiovisuais existentes na escola. Correio electrónico conceitos básicos e práticos: destinada ao pessoal docente e não docente com o objectivo apresentar as potencialidades desta tecnologia e as vantagens da sua utilização. Software livre o que é?: destinada ao pessoal docente e não docente com o objectivo de divulgar o software livre e alertar para a problemática software autoritário vs. software livre. Quadros interactivos: destinada ao pessoal docente com o objectivo de dar a conhecer as potencialidades deste equipamento e formas de utilização. A plataforma de gestão de aprendizagem Moodle: destinada ao pessoal docente com o objectivo de dar a conhecer as potencialidades desta plataforma e formas de utilização Formação Externa Nesta vertente de formação, englobada na formação contínua de professores, os procedimentos a adoptar passam pelo levantamento das necessidades de formação do pessoal docente e posterior comunicação ao centro de formação de professores de Vila Real de Santo António. Deste modo, espera-se que o plano de formação deste centro para o ano 2008 venha a incluir algumas acções do interesse dos professores do agrupamento. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 14

16 3.2. Sítio Web do Agrupamento Actualizar permanentemente os conteúdos já introduzidos, sempre que necessário e tão rápido quanto possível; Disponibilizar informação; Promover a imagem da Escola; Disponibilizar documentos institucionais em formato digital, necessários ao funcionamento das várias estruturas pedagógicas; Divulgar projectos, actividades e trabalhos desenvolvidos pelos alunos; Disponibilizar recursos e materiais didácticos; Estudar a possível introdução de novas secções; Possível reformulação. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 15

17 3.3. Plataforma de Gestão de Aprendizagem Moodle O Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment) é um sistema on-line de gestão da aprendizagem, de utilização livre. É pois uma ferramenta educacional bastante completa que permite a sua utilização ao nível das actividades dentro da sala de aula e de ensino à distância (elearning). A filosofia de aprendizagem que está por de trás deste sistema é a teoria sócio-construtivista, assente na premissa de que as pessoas constroem o conhecimento mais activamente quando interagem com o ambiente e numa partilha de materiais produzidos gerando-se um espírito de colaboração muito intenso. Isto significa que este sistema permite que os diversos intervenientes (professores/alunos/outros) possam disponibilizar e tratar informação de forma colaborativa. Apesar das questões relacionadas com o alojamento da plataforma Moodle já terem sido tratadas no passado, só este ano lectivo será feita a sua implementação no agrupamento. Pretende-se, à semelhança do que acontece em outras escolas, utilizar esta plataforma para disponibilização de conteúdos à comunidade. Por conseguinte, as tarefas a desenvolver neste ano lectivo são: Organização e gestão da plataforma o Inscrição de membros e atribuição de privilégios Configurar de toda a plataforma operações de administração; Criar disciplinas/espaços solicitadas pelos vários professores. Implementar espaços virtuais para as Coordenações e Órgãos da escola, a título de exemplo: Direcções de Turma, Conselho Pedagógico, Coordenação dos Directores de Turma, Coordenações das Áreas Disciplinares Não Curriculares, Biblioteca. Efectuar a manutenção da plataforma; Adicionar / remover dados de acesso à plataforma; Divulgar a plataforma e promover uma acção de formação sobre a utilização básica da mesma. Criar e manter fóruns de discussão com os vários elementos da Comunidade Educativa. Promover o desenvolvimento de projectos on-line, espaço para alunos estrangeiros, espaço para educação sexual, orientação vocacional entre outros. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 16

18 4. Calendarização das Actividades / Tarefas Para além das tarefas acima mencionadas, existem outras cuja execução não se pode precisar, uma vez que são tarefas a desenvolver ao longo de todo o ano lectivo: Manter o parque informático de todo o agrupamento actualizado; Efectuar cópias de segurança dos computadores do gabinete de gestão; Efectuar cópias de segurança do servidor JPM; Efectuar cópias de segurança do programa de catalogação Porbase; Efectuar cópias de segurança do servidor da sala TIC; Repor as estações de trabalho da sala TIC; Actualizar o sítio web do agrupamento; Manter e actualizar a plataforma Moodle; Organizar o dossier de coordenação de TIC; Organizar o dossier digital da iniciativa escolas, professores e computadores portáteis; Tomar as medidas necessárias de acordo com as orientações da equipa CRIE e do plano tecnológico da educação. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 17

19 Actividades / Tarefas referentes ao Ano Lectivo 2007/08 Actividade / Tarefa 1º Período 2º Período 3º Período Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Elaborar o plano TIC Elaborar / actualizar o dossier de coordenação de TIC Elaborar / actualizar o regulamento de utilização dos computadores da sala de professores Apresentar propostas de aquisição de material tecnológico para os diferentes sectores da escola Elaborar / actualizar o regulamento de utilização dos computadores da sala de directores de turma Elaborar / actualizar o regulamento de utilização dos computadores da BE-CRE Elaborar / actualizar o regulamento de utilização e requisição do laboratório móvel Elaborar / actualizar o regulamento de utilização da sala TIC Definir contas de utilizadores para todos os alunos da escola no servidor da sala TIC Efectuar o levantamento das necessidades de formação do pessoal docente Comunicar ao Centro de Formação de Professores de Vila Real de Santo António o resultado da tarefa acima mencionada Instalação / configuração / personalização de toda a plataforma de gestão de aprendizagem Moodle Promover uma sessão de esclarecimento dos meios audiovisuais Promover uma acção de formação sobre conceitos básicos e práticos da utilização do correio electrónico Promover a acção de formação Software livre o que é? Promover uma acção de formação sobre as potencialidades e as formas de utilização dos quadros interactivos. Promover uma acção de formação sobre a utilização básica da plataforma de gestão de aprendizagem Moodle Criar um posto de trabalho na BE-CRE com algum software livre, nomeadamente o OpenOffice e o FireFos Criar um posto de trabalho na Sala dos Professores com algum software livre, nomeadamente o OpenOffice e o FireFox Promover as sessões de sensibilização para o uso das TIC 1º ciclo Elaborar a avaliação do plano TIC Implementar a solução LNM Sala TIC Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 18

20 Actividades / Tarefas referentes ao Ano Lectivo 2008/09 Actividade / Tarefa 1º Período 2º Período 3º Período Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Elaborar o plano TIC Elaborar / actualizar o dossier de coordenação de TIC Elaborar / actualizar o regulamento de utilização dos computadores da sala de professores Apresentar propostas de aquisição de material tecnológico para os diferentes sectores da escola Elaborar / actualizar o regulamento de utilização dos computadores da sala de directores de turma Elaborar / actualizar o regulamento de utilização dos computadores da BE-CRE Elaborar / actualizar o regulamento de utilização e requisição do laboratório móvel Elaborar / actualizar o regulamento de utilização da sala TIC Definir contas de utilizadores para todos os alunos da escola no servidor da sala TIC Efectuar o levantamento das necessidades de formação do pessoal docente Comunicar ao Centro de Formação de Professores de Vila Real de Santo António o resultado da tarefa acima mencionada Instalação / configuração / personalização de toda a plataforma de gestão de aprendizagem Moodle Promover uma sessão de esclarecimento dos meios audiovisuais Promover uma acção de formação sobre conceitos básicos e práticos da utilização do correio electrónico Promover a acção de formação Software livre o que é? Promover uma acção de formação sobre as potencialidades e as formas de utilização dos quadros interactivos. Promover uma acção de formação sobre a utilização básica da plataforma de gestão de aprendizagem Moodle Criar um posto de trabalho na BE-CRE com algum software livre, nomeadamente o OpenOffice e o FireFos Criar um posto de trabalho na Sala dos Professores com algum software livre, nomeadamente o OpenOffice e o FireFox Promover as sessões de sensibilização para o uso das TIC 1º ciclo Elaborar a avaliação do plano TIC Implementar a solução LNM Sala TIC Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 19

21 Actividades/Tarefas referentes a 2007/2009 Pelos Docentes Actividade / Tarefa Pelos Discentes Elaboração no processador de texto de planificações, actas, relatórios, fichas de avaliação/trabalho. Elaboração de apresentações em PowerPoint. Elaboração de gráficos etários e de sucesso/insucesso no Excel. Elaboração de protocolos experimentais. Elaboração das grelhas de avaliação no Excel. Publicitação e elaboração de actividades extra-curriculares, utilizando o processador de texto. Pesquisa na Internet de trabalhos de investigação, problemas da disciplina de Matemática. Utilização da Internet para inscrição na actividade on-line TD Mat e consulta de resultados. Utilização da Internet para obtenção de informação do GAVE e da DGIDC relativa a exames, provas de aferição e testes intercalares. Utilização da Internet para acesso à plataforma da DGIDC relativa ao PAM. Utilização de diverso software específico para preparação de actividades para a aula, como por exemplo: Sketchpad, Starboard e Escola Virtual. Utilização da Internet para realizar pesquisas de diversos temas. Realização de WebQuest. Realização de trabalhos em Word. Apresentação de trabalhos em PowerPoint. Nas disciplinas de Línguas é utilizado o processador de texto com recurso ao corrector automático e dicionários on-line. Actividades com recurso a CD s educativos. Elaboração de relatórios experimentais. Criação de Blogs sobre diversos temas. Realização de trabalhos (Word, Paint, PowerPoint) Na disciplina de Matemática, utilização do Excel para resolução de fichas de trabalho. Na disciplina de Matemática, utilização da Internet para realização de actividades on-line e participação no TD Mat e em campeonatos, nomeadamente, Sub12 e Sub 14. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 20

22 5. Avaliação do Plano A avaliação do plano será efectuada num momento único, através de um relatório a produzir no final. Esta avaliação, entre outras coisas, terá como base os seguintes indicadores: Grau de satisfação dos intervenientes; Taxa de sucesso escolar nas disciplinas que mais utilizam as TIC; Taxa de utilização do equipamento informático; Número de professores que assistiram às acções de formação / sessões de esclarecimento; Resultados de pequenos inquéritos aplicados aos professores; Observação directa da utilização das TIC. Este plano deverá ainda conter as principais linhas orientadoras para o plano TIC do próximo ano lectivo. Ano Lectivo 2007 / 2008 Página 21

PLANO TIC. O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] 2 0 0 9-2 0 1 0

PLANO TIC. O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] 2 0 0 9-2 0 1 0 PLANO TIC 2 0 0 9-2 0 1 0 O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] EB1/PE Santa Cruz http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pescruz eb1pescruz@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Egídia

Leia mais

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 O Coordenador TIC João Teiga Peixe Índice Índice...2 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 3 3. Sectores Afectos... 4 1. Salas de Aulas... 4 2. Administrativo... 4 3. Outras

Leia mais

Escola EB 2,3 Abade Correia da Serra PLANO DE ACÇÃO DAS TIC 2009/2010

Escola EB 2,3 Abade Correia da Serra PLANO DE ACÇÃO DAS TIC 2009/2010 Escola EB 2,3 Abade Correia da Serra PLANO DE ACÇÃO DAS TIC EQUIPA PTE Serpa Dezembro de 2009 Índice 1. Identificação da escola... 2 2. Equipa PTE... 2 3. Recursos humanos... 3 4. Caracterização dos meios

Leia mais

Plano TIC 2010-2011. Agrupamento de Escolas de Castro Verde. Equipa PTE

Plano TIC 2010-2011. Agrupamento de Escolas de Castro Verde. Equipa PTE Agrupamento de Escolas de Castro Verde Plano TIC 2010-2011 Equipa Mónica Mendinhos (Coord.) Sónia Gomes Conceição Lobo Lucinda Simões Maria Leonor Mestre Índice 1. Identificação... 3 1.1. Identificação

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC. E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o 2 0 0 8-2 0 0 9

PLANO TIC. O Coordenador TIC. E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o 2 0 0 8-2 0 0 9 PLANO TIC 2 0 0 8-2 0 0 9 O Coordenador TIC E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o [1] ESCOLA EB1/PE Santa Cruz http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pescruz eb1pescruz@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1]

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] PLANO TIC 2009-2010 O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] ESCOLA EB1/PE Visconde Cacongo URL: http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pevcacongo Email: eb1pevcacongo@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC Equipa PTE "A exclusão digital não é ficar sem computador ou telefone celular. É continuarmos incapazes de pensar, de criar e de organizar novas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANTÓNIO NOBRE. Plano TIC (2011-2012)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANTÓNIO NOBRE. Plano TIC (2011-2012) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANTÓNIO NOBRE Plano TIC (2011-2012) Criar as condições básicas para uma maior e melhor utilização das TIC, potenciando novas situações de aprendizagem e novas metodologias de

Leia mais

Plano TIC EB1/PE do Paul do Mar - ETI

Plano TIC EB1/PE do Paul do Mar - ETI 2007 2008 Plano TIC EB1/PE do Paul do Mar - ETI Documento de suporte às funções do Coordenador TIC para o ano lectivo 2007/2008. Objectivos, recursos existentes, necessidades ao nível das TIC, actividades

Leia mais

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis Resumo do projecto Com a candidatura a este projecto, e envolvendo todos os departamentos, alunos e encarregados de educação, a nossa escola

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC Edgar Vieira Jardim 2010-2011 [1]

PLANO TIC. O Coordenador TIC Edgar Vieira Jardim 2010-2011 [1] PLANO TIC 2010-2011 O Coordenador TIC Edgar Vieira Jardim [1] IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Edgar Jardim 291740010 ctichbg@gmail.com edgarvj@gmail.com IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPA TIC Prof. Carlos Mendonça

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO

PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO 2010-2011 O Coordenador TIC Maria Jacinta Lopes IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Maria Jacinta Lopes 962937650 marijacinta@gmail.com CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Escola Secundária com 3º Ciclo da Quinta das Flores PLANO TIC 2007/2008 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO por Sílvio Freire (Coordenador TIC) Coimbra 2008 Índice 1- Introdução...2 2 - Objectivos do Plano TIC...3

Leia mais

2010/11 EQUIPA PTE, 2010/11

2010/11 EQUIPA PTE, 2010/11 Agrupamento de Escola de Canas de Senhorim PLANO TIC 2010/11 EQUIPA PTE, 2010/11 Capítulo: Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 AGRUPAMENTO... 4 2.1 Escolas do Agrupamento... 4 3 Equipa PTE... 5 3.1 Elementos da

Leia mais

SiDEI. Sistema de Avaliação Automática de Alunos. Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas

SiDEI. Sistema de Avaliação Automática de Alunos. Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas SiDEI Sistema de Avaliação Automática de Alunos Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas Disciplina de Engenharia de Software Instituto Superior de Engenharia do Porto Alunos: André Serafim

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO... 3 1. A EQUIPA EDUCATIVA... 3 2. COMPETÊNCIAS

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Direcção de Sistemas de Informação Serviços disponíveis aos Docentes 2012/2013 Índice Direcção de Sistemas de Informação Pré requisitos e modo de acesso aos sistemas Pré

Leia mais

Anteprojecto. Grupo 2. Projecto Informático do 5º ano. Informática de Gestão

Anteprojecto. Grupo 2. Projecto Informático do 5º ano. Informática de Gestão Grupo 2 Projecto Informático do 5º ano Informática de Gestão Índice Índice ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 2 MISSÃO 3 OBJECTIVOS 4 AMBIENTE DE EXPLORAÇÃO 5 Software 5 Hardware 6 POLÍTICA DE HISTÓRICOS 7 POLÍTICA DE

Leia mais

E B I / J I d e T Á V O R A

E B I / J I d e T Á V O R A E B I / J I d e T Á V O R A R E G U L A M E N T O D E U T I L I Z A Ç Ã O D O S COMPUTA D O R E S PO R T Á T E I S O objectivo deste documento é regulamentar todas as actividades curriculares desenvolvidas,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES

RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE FORMAÇÃO E ADAPTAÇÕES TECNOLÓGICAS RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES 2006 ÍNDICE 1. Nota Introdutória...

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE RAUL PROENÇA PLANO DE TIC 2007 08

ESCOLA SECUNDÁRIA DE RAUL PROENÇA PLANO DE TIC 2007 08 ESCOLA SECUNDÁRIA DE RAUL PROENÇA PLANO DE TIC 2007 08 ÍNDICE página 1. INTRODUÇÃO---------------------------------------------------------------------------------------------------3 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Computadores Portáteis. Regulamento de utilização

Computadores Portáteis. Regulamento de utilização Computadores Portáteis Regulamento de utilização 1 Introdução Os computadores portáteis estão disponíveis para: a) a utilização individual e profissional por professores; b) a utilização por professores,

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESPAÇO DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGRAS PARA UTILIZAÇÃO E GESTÃO DO ESPAÇO

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESPAÇO DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGRAS PARA UTILIZAÇÃO E GESTÃO DO ESPAÇO Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESPAÇO DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGRAS PARA UTILIZAÇÃO E GESTÃO DO ESPAÇO 1. ÂMBITO O Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura (DECivil) dispõe

Leia mais

O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas,

O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas, O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas, pois este é um dos meios de socialização e da aquisição das primeiras competências

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Direcção de Sistemas de Informação Serviços disponíveis aos Alunos 2012/2013 Índice Direcção de Sistemas de Informação Pré requisitos e modo de acesso aos sistemas Pré

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Direcção de Sistemas de Informação Serviços disponíveis aos Docentes 2014/2015 Índice Direcção de Sistemas de Informação Pré requisitos e modo de acesso aos sistemas Pré

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Direção de Sistemas de Informação Serviços disponíveis aos Alunos 2014/2015 Índice Direção de Sistemas de Informação Pré requisitos e modo de acesso aos sistemas Pré requisitos

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano Escola Básica do 2º e 3º Ciclos João Afonso de Aveiro Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Secção de Informática Planificação Anual (1.º Período) Ano lectivo 2010/2011 Tecnologias da Informação

Leia mais

Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura

Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura (vide instruções no URL: http://www.crie.min-edu.pt/portateis/index.htm) 1. Identificação

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade Planificações 2012/2013 Tecnologias da Informação e Comunicação C E F Apoio à Família e à Comunidade 2ºAno Escola Básica Integrada de Pedome Grupo Disciplinar de Informática Planificação a Longo Prazo

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado O Plano Tecnológico da Educação (PTE), aprovado pela Resolução de

Leia mais

ANEXO 5 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DA EQUIPA PTE

ANEXO 5 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DA EQUIPA PTE ANEXO 5 Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DA EQUIPA PTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014 INDÍCE ARTIGO 1º - DEFINIÇÃO DA EQUIPA DO PLANO TECNOLÓGICO DA EDUCAÇÃO... 3 ARTIGO 2º - COMPETÊNCIAS...

Leia mais

Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos

Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos Plano Tecnológico da Educação Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos 23 de Jun de 2008 O Plano Tecnológico da Educação constitui-se como um poderoso meio

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

Dualinfor Formação e Serviços Informáticos, Lda.

Dualinfor Formação e Serviços Informáticos, Lda. Dualinfor Formação e Serviços Informáticos, Lda. Sobre Nós Estamos no mercado desde 1998 e temos registado um crescimento sustentado, alavancado por uma equipa que integra profissionais com muitos anos

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 Biblioteca Escolar GIL VICENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EB1 CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 As atividades constantes do presente

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Website disponível em: Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt. Palavra-chave: *aluno*

Website disponível em: Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt. Palavra-chave: *aluno* Website disponível em: http://formar.tecminho.uminho.pt/moodle/course/view.php?id=69 Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt Palavra-chave: *aluno* Associação Universidade Empresa para o Desenvolvimento Web

Leia mais

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma.

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. Universidade de Aveiro Mestrado em Gestão da Informação Christelle Soigné Palavras-chave Ensino superior. e-learning.

Leia mais

O e-learning como etapa da universidade para o virtual

O e-learning como etapa da universidade para o virtual lmbg@ufp.pt & fergomes@ufp.pt O e-learning como etapa da universidade para o virtual Luis Borges Gouveia Fernando Gomes Universidade Fernando Pessoa e-learning como objectivo ou etapa? o e-learning como

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8B/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PICO DE REGALADOS RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO TIC 2007/2008. O Coordenador TIC FERNANDO JOÃO COSTA SOARES

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PICO DE REGALADOS RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO TIC 2007/2008. O Coordenador TIC FERNANDO JOÃO COSTA SOARES AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PICO DE REGALADOS RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO TIC 2007/2008 O Coordenador TIC FERNANDO JOÃO COSTA SOARES ÍNDICE Introdução... 3 Balanço e avaliação dos resultados... 4 Formação/apoio

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO

CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO Enquadramento geral Um dos principais desafios que se colocam à sociedade portuguesa é o do desenvolvimento de uma Sociedade de Informação, voltada para o uso

Leia mais

Plano de Acção da Equipa do Plano Tecnológico da Educação

Plano de Acção da Equipa do Plano Tecnológico da Educação Ano Lectivo 2009/2010, 30 de Janeiro de 2010 Índice Introdução... 3 Caracterização do Agrupamento... 5 Equipa do... 6 Objectivos... 8 Actividades a Desenvolver... 10 Divulgação do plano PTE... 12 Avaliação

Leia mais

Educação Especial. 2. Procedimentos de Referenciação e Avaliação e Elaboração do Programa Educativo Individual

Educação Especial. 2. Procedimentos de Referenciação e Avaliação e Elaboração do Programa Educativo Individual Educação Especial O Grupo da Educação Especial tem como missão fundamental colaborar na gestão da diversidade, na procura de diferentes tipos de estratégias que permitam responder às necessidades educativas

Leia mais

Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008)

Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008) Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008) Centro de Formação Centro de Formação da Batalha Formando Selma

Leia mais

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0 PLATAFORMA Versão 1.0 31 de Março de 2008 TABELA DE REVISÕES Versão Autores Descrição da Versão Aprovadores Data António Rocha Cristina Rodrigues André Ligeiro V0.1r Dinis Monteiro Versão inicial António

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O ANTONY CARVALHO, Nº 9063 RELATÓRIO PARA A OBTENÇÃO DO DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM

Leia mais

ITEM 1 - A melhoria dos resultados escolares dos alunos Ano/Turma Disciplina Meta PE (%) Objectivo(s) (%)

ITEM 1 - A melhoria dos resultados escolares dos alunos Ano/Turma Disciplina Meta PE (%) Objectivo(s) (%) Período em avaliação: 2007 a 2009 ESCOLA S/3 ARQUITEO OLIVEIRA FERREIRA Identificação dos Intervenientes Nome do avaliado - Patrícia Cunha Melo Campos Corado Carvalhais Fonseca Categoria - PQZPND Departamento

Leia mais

Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet nas Escolas Públicas do 1.º ciclo no distrito de Bragança

Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet nas Escolas Públicas do 1.º ciclo no distrito de Bragança Seminário Contextualização SOCIEDADE DE CONHECIMENTO E NOVAS TECNOLOGIAS NAS ZONAS RURAIS as novas acessibilidades na procura da qualidade de vida Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet

Leia mais

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução

Regulamento Interno AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS BIBLIOTECA ESCOLAR 2011 / 2012 Regulamento Interno Introdução A Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas é parte integrante do processo educativo

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. Despacho Normativo n.º 40/2005 de 7 de Julho de 2005

S.R. DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA. Despacho Normativo n.º 40/2005 de 7 de Julho de 2005 S.R. DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Despacho Normativo n.º 40/2005 de 7 de Julho de 2005 Pela Resolução n.º 100/2005, de 16 de Junho, foi aprovado o Plano Integrado para a Ciência e Tecnologia. Desse Plano consta

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DOS PORTOS MARÍTIMOS QUINHENTISTAS 1. Preâmbulo

REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DOS PORTOS MARÍTIMOS QUINHENTISTAS 1. Preâmbulo REGULAMENTO DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DOS PORTOS MARÍTIMOS QUINHENTISTAS 1 Preâmbulo O presente Regulamento é dirigido aos utentes do Centro de Documentação dos Portos Marítimos Quinhentistas (CEDOPORMAR),

Leia mais

Laboratório de Sistemas e Redes. Nota sobre a Utilização do Laboratório

Laboratório de Sistemas e Redes. Nota sobre a Utilização do Laboratório Nota sobre a Utilização do Laboratório 1. Introdução O laboratório de Sistemas e Redes foi criado com o objectivo de fornecer um complemento prático de qualidade ao ensino das cadeiras do ramo Sistemas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria 2015l2017 ÍNDICE ÍNDICE: INTRODUÇÃO... 3 ÁREAS DE AÇÃO DE MELHORIA.... 4 PLANOS DE AÇÃO DE MELHORIA.. 5 CONCLUSÃO...

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Fotografia Digital e Pós-produção de imagem. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O "Curso de Fotografia

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO

CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO An 2-A Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo

Leia mais

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO 2010 Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. METODOLOGIA... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS... 4 1. RESULTADOS

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

Coord. TIC: Jacinta Lopes

Coord. TIC: Jacinta Lopes Coord. TIC: Jacinta Lopes ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO DO PLANO TIC... 2 1.1. INTRODUÇÃO... 3 1.1.1. CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA/CONTEXTO... 3 1.2. OBJECTIVOS GERAIS... 5 1.3. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS... 6 1.4.

Leia mais

CINEP ESAC. Grupos de aprox. 10 Participantes INSCRIÇÕES aceites por ORDEM DE CHEGADA

CINEP ESAC. Grupos de aprox. 10 Participantes INSCRIÇÕES aceites por ORDEM DE CHEGADA CINEP Workshops Novembro-Dezembro/2012 Inscrições abertas Frequência gratuita! Grupos de aprox. 10 Participantes INSCRIÇÕES aceites por ORDEM DE CHEGADA Inscrições: enviar para cinep@ipc.pt acção em que

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Ciências Empresariais Licenciatura Ciências Económicas e Empresariais / Contabilidade Unidade Curricular Introdução à Informática Semestre: 1 Nº ECTS: 6,0 Regente

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Gaianima, E. M., Equipamentos Municipais Departamento do Desporto Escolar Escola Profissional de Gaia Academia de Xadrez de

Leia mais

PROJECTO MAIS SUCESSO ESCOLAR A MATEMÁTICA

PROJECTO MAIS SUCESSO ESCOLAR A MATEMÁTICA PROJECTO MAIS SUCESSO ESCOLAR A MATEMÁTICA 2010/2011 Coordenadora Elvira Maria Azevedo Mendes Projecto: Mais Sucesso Escolar Grupo de Matemática 500 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1.1 Nome do projecto:

Leia mais

Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia. Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions.

Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia. Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions. Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions.pt Conteúdo Introdução... 2 Gestão de acessos... 3 Ficha de

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

DESCRIÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DESCRIÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Laboratório 1 FACI II 56,98 0,60 1,04 Pro, Microsoft Office 2013, Foxit PDF, Antivírus, Compactador de arquivos, NetBeans, versão 8.0, My SQL 5.0, SQL Server 2013

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 1 O plano de ação que se apresenta teve por base as autoavaliações efetuadas durante os anos 2009-10; 2010-11;

Leia mais

3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências

3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências 3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências Dar a cana para ensinar a pescar (adágio popular) 3.1 O Centro de Competência O Centro de Competência Softciências, instituição activa desde

Leia mais

O P E R A C I O N A L I Z A Ç Ã O D A S U N I D A D E S D E S A Ú D E F A M I L I A R E S. Carlos Nunes. Missão para os Cuidados de Saúde Primários

O P E R A C I O N A L I Z A Ç Ã O D A S U N I D A D E S D E S A Ú D E F A M I L I A R E S. Carlos Nunes. Missão para os Cuidados de Saúde Primários O P E R A C I O N A L I Z A Ç Ã O D A S U N I D A D E S D E S A Ú D E F A M I L I A R E S Carlos Nunes Missão para os Cuidados de Saúde Primários VILAMOURA 23 Março 2007 C A N D I D A T U R A S A U S F

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES A intervenção do Psicólogo na escola baseia-se num modelo relacional e construtivista, que fundamenta uma prática psicológica

Leia mais

NORMAS DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE MANTENA FAMA /2010

NORMAS DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE MANTENA FAMA /2010 NORMAS DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE MANTENA FAMA /2010 1. MATERIAIS Os materiais que ficam no laboratório são de uso exclusivo dos professores e alguns de uso exclusivo da coordenação

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 PROJECTO EM SIMULAÇÃO EMPRESARIAL Índice Introdução 1 Recursos Humanos afectos ao PSE... 3 1.1 Caracterização...

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala

Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala 0 Agrupamento de Escolas da Zona Urbana da Figueira da Foz Escola EB 2,3 Dr. João de Barros Escola EB 1 de Abadias Escola EB1 da Gala Regulamento das Bibliotecas Escolares Centro de Recursos Educativos

Leia mais

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 Biblioteca Virtual BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 A. Introdução A Biblioteca Virtual da Universidade do Porto (BVUP) continuará no ano de 2007 com a sua missão

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

Plano de Actividades 2010

Plano de Actividades 2010 Plano de Actividades 2010 Gabinete de Apoio ao Estudante com Deficiência Janeiro de 2010 O presente relatório explicita as actividades que, de forma permanente, são asseguradas pelo, bem como um conjunto

Leia mais

Plano Tecnológico da Educação objectivo estratégico e metas

Plano Tecnológico da Educação objectivo estratégico e metas Plano Tecnológico da Educação objectivo estratégico e metas Objectivo estratégico Colocar Portugal entre os cinco países europeus mais avançados na modernização tecnológica do ensino em 2010 Metas EU 2006

Leia mais

Plano de ação da biblioteca escolar

Plano de ação da biblioteca escolar AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNÇÃO Plano de ação da biblioteca escolar 2013-2017 O plano de ação constitui-se como um documento orientador de linhas de ação estratégicas, a desenvolver num

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química Regulamento dos Laboratórios de Física e Química 1 Missão Os Laboratórios de Física e de Química são essencialmente um lugar de aprendizagem, onde se encontram todo o tipo de materiais, devidamente organizados

Leia mais

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas.

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. Solução Base Descrição do Serviço A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. O acesso Internet Banda Larga que evolui com as suas necessidades. Características Solução adequada para:

Leia mais

Curso básico em técnicas de manutenção para activistas comunitários

Curso básico em técnicas de manutenção para activistas comunitários Curso básico em técnicas de manutenção para activistas comunitários Modulo I INTRODUÇÃO AO EQUIPAMENTO INFORMÁTICO Respostas as perguntas do modulo I Aula 1 1. Qual dos seguintes itens faz parte do kit

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Director... 3 Professor bibliotecário... 5 Docentes... 10

Leia mais

A plataforma. Sistemas de Gestão de Aprendizagem. Carlos Nunes csmnunes@gmail.com

A plataforma. Sistemas de Gestão de Aprendizagem. Carlos Nunes csmnunes@gmail.com A plataforma Sistemas de Gestão de Aprendizagem Carlos Nunes csmnunes@gmail.com O que é o Moodle? É um Sistema de Gestão de Aprendizagem (LMS) e de trabalho colaborativo, acessível através da Internet

Leia mais

Análise real de dados

Análise real de dados Análise real de dados Para tacógrafos analógicos e digitais www.siemensvdo.com 1 Maximize todas as potencialidades dos tacógrafos digitais Novas obrigações, novas opções de análise Para si e para a sua

Leia mais