FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012"

Transcrição

1 FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/ DESIGNAÇÃO DO CURSO Fotografia Digital e Pós-produção de imagem. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O "Curso de Fotografia Digital e pós-produção de imagem" enquadra-se na área da imagem Digital, direccionado a quem, de alguma forma, recorra à fotografia Digital como actividade específica ou a utilize de forma mais abrangente no decorrer da sua actividade. Este curso não se destina apenas a quem recorra à fotografia digital, já que a abrangência da imagem digital vai muito além do uso exclusivo da fotografia (Design gráfico, arquitectura, 3D, etc.). Em termos gerais esta formação abrange uma área alargada, que vai desde a captura da imagem digital, como é o caso de conhecer os sistemas de captura de imagem, até à edição avançada de Imagens digitais, recorrendo ao Software Photoshop. Propõe-se uma formação em 3 módulos fundamentais interligados (embora possam ser independentes): O 1º módulo pretende esclarecer as características do mecanismo de captura da Fotografia Digital, incluindo a forma pela qual a luz é convertida em imagem digital. Nesta fase serão exploradas, dessas características, quais as que deveremos procurar e quais evitar. Ainda nesta fase pretende-se dar um conhecimento estrutural ao formando, por forma a, em qualquer fase da criação de imagens digitais, possa identificar e ajustar o método de trabalho a essas mesmas características (sabendo identificar as vantagens e desvantagens de cada abordagem especifica) O 2º módulo é uma viagem no programa Adobe Photoshop, onde serão abordadas todas as ferramentas essenciais à edição de Fotografia Digital, preparando o formando para a 3ª fase, onde essas mesmas ferramentas se conjugarão na criação, edição e correcção das imagens O 3º módulo é composto por técnicas de integração da matéria dada na primeira e segunda fase, bem como, aplicação de técnicas avançadas de edição e tratamento de imagem para fins específicos. Aqui os formandos serão confrontados com um conjunto de técnicas que maximizam o processo de trabalho, para além de os preparar para resolver qualquer tarefa que sejam confrontados na área da imagem Digital. 3. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS Aprender todas as características da imagem digital, desde a captura da luz no sensor até à utilização final (Impressão, Internet, etc)

2 Saber decifrar o que cada uma das características de uma máquina fotográfica e quais as mais importantes bem como as suas implicações em termos de vantagens e desvantagens Obter um conhecimento alargado sobre as técnicas de captura de imagem digital (tanto em Scanner como em Máquinas Fotográficas Digitais) Aprender todas as ferramentas e funções essenciais à edição de fotografias Digitais através do Photoshop Aprender a analisar uma imagem Digital, reconhecendo nas suas características, as suas limitações e as suas virtudes. Saber aplicar métodos de edição ajustados às características de cada imagem, por forma a tornar a sua edição o menos destrutiva possível, Bem como gerir as ferramentas por forma a rentabilizar o espaço em Disco, memória e capacidades dos computadores Aprender a conjugar as ferramentas do Photoshop por forma a interpretar a melhor forma de ajustar a utilização destas por forma a rentabilizar as suas potencialidades individuais e na conjugação entre elas Identificar as características de uma imagem e saber, através destas, identificar a melhor forma de editar essa mesma imagem Determinar que características uma imagem deverá ter para cada fim especifico Ajustar métodos de trabalho às características das imagens a tratar, bem como ao processo de captura de imagens, tanto em máquinas fotográficas digitais como na criação de imagens a partir de software 3D e Scanners. Adquirir conhecimentos necessárias por forma a, no final, cada formando ter capacidade de tomar decisões na forma de tirar o melhor proveito na captura da imagem, método a aplicar na edição e tratamento de cada imagem (ou conjunto de imagens), converter e preparar ficheiros para impressão, preparar as imagens digitais para utilização em diferentes programas, etc. A matéria dada aplica-se a qualquer área da imagem digital, podendo esta ser aplicada nas mais diversas áreas. A aprendizagem está seccionada em 3 fases que, no seu conjunto se completam, num objectivo final de: Aprender as bases e características principais da fotografia digital e qual o seu enquadramento na relação com a fotografia analógica; Aprender as funcionalidades e ferramentas necessárias ao tratamento e correcção de imagem no Adobe Photoshop; Saber aplicar cada uma dessas ferramentas, individualmente e em conjunto, na busca do melhor resultado possível.

3 4. ÁREA DE FORMAÇÃO 581 Arquitectura e urbanismo. 5. DESTINATÁRIOS Arquitectos, Arquitectos estagiários, estudantes e designers. Pré-requisitos para a frequência do curso: Conhecimento básico de fotografia e informática; Computador pessoal com Sistema Operativo Windows ou MacOS; para inscrição no módulo 1 deverá ter conhecimentos básicos de fotografia e informática; para inscrição no módulo 2 deverá ter conhecimentos de imagem digital; para inscrição no módulo 3 deverá ter conhecimentos de imagem digital e photoshop. 6. MODALIDADE DE FORMAÇÃO/ FORMA DE ORGANIZAÇÃO Formação Contínua, Reciclagem, Actualização e Aperfeiçoamento / Presencial 7. PROGRAMA DESIGNAÇÃO DO MÓDULO CONTEÚDOS A ABORDAR DURAÇÃO MÓDULO 1 As bases da imagem digital 16 horas MÓDULO 2 As bases do Adobe Photoshop 18 horas MÓDULO 3 Photoshop aplicado à Arquitectura 18 horas 8. EQUIPAMENTOS E MATERIAL DIDÁTICO A entidade formadora coloca ao dispor da formação todo o material necessário ao desenvolvimento da acção, nomeadamente: Computador; Caneta; Papel: Quadro; Flipchart; Tela de Projecção; Videoprojector; Ligação à internet.

4 9. DURAÇÃO TOTAL DO CURSO 52 horas de formação em contexto de sala. 10. METODOLOGIAS PEDAGÓGICAS Expositivo e demonstrativo. Exercícios de simulação de casos práticos com resolução individualizada. 11. ATRIBUIÇÃO DE CRÉDITOS Para efeitos de Admissão na Ordem dos Arquitectos, a frequência da totalidade do presente Curso equivale a 8 (oito) créditos de "Formação Obrigatória em Matérias Opcionais de Arquitectura". 12. METODOLOGIAS DE SELECÇÃO DE FORMANDOS E FORMADORES Para candidatar-se ao curso, os formandos deverão preencher uma ficha de inscrição, efectuar o pagamento e assinar uma declaração em que concordam com o Manual de Funcionamento da Formação. Os formadores: serão seleccionados em função do cumprimento dos seguintes requisitos: Avaliação satisfatória por parte dos formandos (no caso de já terem dado formação anteriormente) CAP e/ou Experiência profissional na área em que vão dar formação Experiência profissional como formador ou docente. 13. METODOLOGIAS DE ACOMPANHAMENTO DA FORMAÇÃO O coordenador da formação fará o acompanhamento da acção com base em 2 visitas ao grupo: início da acção e no final da acção. Durante a toda a formação haverá um acompanhamento presencial por parte de um técnico de formação. Se no decorrer do curso, for identificada alguma anomalia, nomeadamente através dos contactos com o técnico e com os formadores, será feita uma nova intervenção. 14. METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação é realizada ao longo do desenvolvimento de cada um dos módulos e diz respeito aos indicadores (comportamentais e técnicos), que o formador identifica como sendo os necessários para avaliar a prestação de cada formando. A avaliação final traduz-se na observação da capacidade de aplicação de conhecimentos considerando os seguintes critérios: 60% para a avaliação e 40% para a assiduidade.

5 15. CERTIFICAÇÃO (DIREITO A CERTIFICADO E TIPO DE CERTIFICADO EMITIDO) De acordo com os critérios de avaliação definidos pelos formadores, serão emitidos os seguintes certificados: um certificado comprovativo da frequência do curso aos formandos que não tenham cumprido os critérios de avaliação estabelecidos; um certificado comprovativo de aprovação no curso aos formandos que tenham cumprido os critérios de avaliação estabelecidos. 16. METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO Inquéritos a serem preenchidos no final do curso onde serão avaliados os seguintes parâmetros: avaliação das metodologias utilizadas pelo formador e os conteúdos programáticos, avaliação a organização do curso, condições da sala e trabalho do coordenador.

FICHA TÉCNICA DO CURSO ARCHICAD 15 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO ARCHICAD 15 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO ARCHICAD 15 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Archicad 15. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER No final da formação o formando deverá ser capaz de criar a simulação de um edifício

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO A FOTOGRAFIA (INTRODUÇÃO) E TÉCNICA FOTOGRÁFICA EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO A FOTOGRAFIA (INTRODUÇÃO) E TÉCNICA FOTOGRÁFICA EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO A FOTOGRAFIA (INTRODUÇÃO) E TÉCNICA FOTOGRÁFICA EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO A fotografia (introdução) e Técnica Fotográfica. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER - Reflectir

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Adobe Muse: crie e publique o seu site 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Acesso a novas oportunidades:

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO

FICHA TÉCNICA DO CURSO FICHA TÉCNICA DO CURSO AVALIAÇÃO DE BENS IMOBILIÁRIOS EDIÇÃO Nº01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Avaliação de Bens Imobiliários. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER No final da formação, os participantes deverão

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO 3DS MAX 2013 PARA ARQUITECTOS nível 2 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO 3DS MAX 2013 PARA ARQUITECTOS nível 2 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO 3DS MAX 2013 PARA ARQUITECTOS nível 2 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO 3DS MAX 2013 PARA ARQUITECTOS nível 2 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Com o curso 3ds max 2013 para arquitectos

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO

FICHA TÉCNICA DO CURSO FICHA TÉCNICA DO CURSO PROJECTAR COM REVIT ARCHITECTURE 2014 EDIÇÃO Nº03/2014 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Projectar com Revit Architecture 2014 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O Revit Architecture é uma plataforma

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Especialização em Gestão de Projectos Nível 1 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Este curso constitui

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO FISCALIZAÇÃO DE OBRA FERRAMENTAS E METODOLOGIAS

FICHA TÉCNICA DO CURSO FISCALIZAÇÃO DE OBRA FERRAMENTAS E METODOLOGIAS FICHA TÉCNICA DO CURSO FISCALIZAÇÃO DE OBRA FERRAMENTAS E METODOLOGIAS EDIÇÃO Nº1/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Fiscalização de obra ferramentas e metodologias 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER A construção

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO

FICHA TÉCNICA DO CURSO FICHA TÉCNICA DO CURSO ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS EDIÇÃO Nº01/2015 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER - Saber dotar um edifício de boas condições de conforto acústico,

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular 2009/2010

Ficha de Unidade Curricular 2009/2010 Ficha de Unidade Curricular 2009/2010 Unidade Curricular Designação Ferramentas Digitais/Gráficas I Área Científica Design Gráfico e Multimédia Ciclo de Estudos Obrigatório Carácter: Obrigatório Semestre

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

Curso Combate a Incêndios

Curso Combate a Incêndios Curso Combate a Incêndios Referencial do Curso Objectivos Objectivos Gerais Dotar os participantes de conhecimentos básicos sobre o combate a incêndios e colocar em prática os conteúdos teóricos abordados.

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

811 Hotelaria e Restauração

811 Hotelaria e Restauração 811 Hotelaria e Restauração Empregado/a de Restaurante/Bar Destinatários Pessoas que pretendam adquirir conhecimentos na área de empregados de Restaurante e/ou Bar. Não existentes. Formação Continua. Requisitos

Leia mais

Módulo Presencial Síncrona Assíncrona TOTAL

Módulo Presencial Síncrona Assíncrona TOTAL REFRESCAMENTO DE PROFESSORES EM TIC NÍVEL 1 (125 horas) Objectivos gerais Este curso visa a aquisição de competências técnicas básicas no âmbito das aplicações informáticas de processamento de texto, folha

Leia mais

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade Geral - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade Geral - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade Geral - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS

DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA AS ENTIDADES FORMADORAS ÍNDICE OBJECTIVOS

Leia mais

Regulamento Geral da Formação

Regulamento Geral da Formação Regulamento Geral da Formação Regulamento n.º 32/2006, de 3 de Maio publicado no Diário da República, II Série, n.º 85, de 3 de Maio de 2006 Artigo 1.º Objecto 1 Este regulamento define as regras relativas

Leia mais

CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS. e learning. Uma parceria entre:

CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS. e learning. Uma parceria entre: CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS e learning Uma parceria entre: Curso CEAD - Comunicação Empresarial e Análise de Dados NECESSITA DE PREPARAR PROPOSTAS, RELATÓRIOS OU OUTRAS COMUNICAÇÕES

Leia mais

Curso Requisitos da ISO 14001 - Introdução à Implementação da Norma

Curso Requisitos da ISO 14001 - Introdução à Implementação da Norma Curso Requisitos da ISO 14001 - Introdução à Implementação da Norma Referencial do Curso Objectivos Objectivos Gerais Dar a conhecer os requisitos da ISO 14001 e metodologias de resposta aos mesmos. Objectivos

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DA ACÇÃO. Domínio de Formação. Área de Formação. Modalidade de Formação. Duração: (Número total de horas) 36

ACÇÃO DE FORMAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DA ACÇÃO. Domínio de Formação. Área de Formação. Modalidade de Formação. Duração: (Número total de horas) 36 Plano de Formação 2009 ACÇÃO DE FORMAÇÃO Competências em TIC : Curso A nível 1 CARACTERIZAÇÃO DA ACÇÃO Área de Formação Domínio de Formação Tecnologias de Informática e Comunicação Utilização e/ou Manutenção

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1. Identificação do Curso Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos 2. Destinatários Profissionais em exercício de funções na área de especialização do curso ou novos

Leia mais

CMs - Gestão de cor. josé gomes ferreira

CMs - Gestão de cor. josé gomes ferreira josé gomes ferreira CMs - Gestão de cor APRESENTAÇÃO A Gestão de Cor da captura à impressão! Conhecer e compreender a teoria da cor para a gestão de cor. A Luz e a sua natureza, os espaços de cor, etc.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

3. Critérios de Selecção dos Participantes (conhecimentos prévios) 1 ano de experiência na utilização do Sifarma2000

3. Critérios de Selecção dos Participantes (conhecimentos prévios) 1 ano de experiência na utilização do Sifarma2000 1. Nome do Curso/actividade Pós-Graduação Sifarma 2000 2. Destinatários Todos os colaboradores da Farmácia. 3. Critérios de Selecção dos Participantes (conhecimentos prévios) 1 ano de experiência na utilização

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TÉCNICAS DE FOTOGRAFIA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TÉCNICAS DE FOTOGRAFIA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular TÉCNICAS DE FOTOGRAFIA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Comunicação e Multimédia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS PREOCUPAÇÕES EM OBRA

GESTÃO DE RESÍDUOS PREOCUPAÇÕES EM OBRA GESTÃO DE RESÍDUOS PREOCUPAÇÕES EM OBRA Os resíduos de construção e demolição, quer devido à sua perigosidade, quer devido às quantidades produzidas, é considerado um fluxo de resíduos prioritário a nível

Leia mais

APEL Associação Promotora do Ensino Livre REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA ANEXO AO REGULAMENTO INTERNO

APEL Associação Promotora do Ensino Livre REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA ANEXO AO REGULAMENTO INTERNO APEL Associação Promotora do Ensino Livre REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA ANEXO AO REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO 2. REQUISITOS DE ACESSO E FORMAS DE INSCRIÇÃO 3. CRITÉRIOS

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

PLANIGEST O - Planeamento de curto prazo e controlo orçamental ACADEMIA AGROGESTÃO. Formação em informática aplicada à agricultura

PLANIGEST O - Planeamento de curto prazo e controlo orçamental ACADEMIA AGROGESTÃO. Formação em informática aplicada à agricultura www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura PLANIGEST O - Planeamento de curto prazo e controlo orçamental 2 www.agrogestao.com 1 Material de apoio Cada um dos

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

FICSAM - WORKSHOP INTENSIVO DE CINEMA DIGITAL (com rodagem de curta-metragem) Dias 8, 9 e 10 OUTUBRO de 2015 (três dias de formação)

FICSAM - WORKSHOP INTENSIVO DE CINEMA DIGITAL (com rodagem de curta-metragem) Dias 8, 9 e 10 OUTUBRO de 2015 (três dias de formação) FICSAM - WORKSHOP INTENSIVO DE CINEMA DIGITAL (com rodagem de curta-metragem) Dias 8, 9 e 10 OUTUBRO de 2015 (três dias de formação) Horário: Dias 8 e 9 das 18h às 22h Dia 10 das 10:30 às 13:30 e das 14:30

Leia mais

Enquadramento 02. Justificação 02. Metodologia de implementação 02. Destinatários 02. Sessões formativas 03

Enquadramento 02. Justificação 02. Metodologia de implementação 02. Destinatários 02. Sessões formativas 03 criação de empresas em espaço rural guia metodológico para criação e apropriação 0 Enquadramento 02 Justificação 02 de implementação 02 Destinatários 02 Sessões formativas 03 Módulos 03 1 e instrumentos

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura ENOGEST O - Gestão informática de adega

www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura ENOGEST O - Gestão informática de adega www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura ENOGEST O - Gestão informática de adega 2 www.agrogestao.com 1 Material de apoio Cada um dos módulos será acompanhado

Leia mais

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação A Ciência Viva tem como missão a difusão da Cultura Científica e Tecnológica apoiando acções dirigidas à promoção da Educação Científica e Tecnológica

Leia mais

Criação e Desenvolvimento de Novos Negócios no Sector Agro-Alimentar

Criação e Desenvolvimento de Novos Negócios no Sector Agro-Alimentar Curso de Formação Avançada Criação e Desenvolvimento de Novos Negócios no Sector Agro-Alimentar Em colaboração com 9 de Maio a 21 de Junho de 2008 Instituto Superior de Agronomia / Universidade Técnica

Leia mais

Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira São Jorge e Graciosa

Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira São Jorge e Graciosa Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira São Jorge e Graciosa Ação n.º 31/12 «Tratamento de Imagem e Animação em Photoshop» (Registo de acreditação - DREFAçores/AAFCM/011/2012) 1. OBJETIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNÃO DE MAGALHÃES. REGULAMENTO DOS CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos. I - Objecto

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNÃO DE MAGALHÃES. REGULAMENTO DOS CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos. I - Objecto ESCOLA SECUNDÁRIA FERNÃO DE MAGALHÃES REGULAMENTO DOS CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos I - Objecto O presente regulamento define a organização, desenvolvimento e acompanhamento dos Cursos de Educação

Leia mais

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development luanda www.letstalkgroup.com 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE Gestão da Formação 14

Leia mais

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho L DE PESSOAS IDERANÇA E GESTÃO Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho Coordenadores e Chefias Intermédias Adquirir técnicas de Liderança, de

Leia mais

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO ACÇÃO-TIPO: 2.3.1 ACÇÕES DE FORMAÇÃO NA ROTA DA QUALIFICAÇÃO VALORIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO SECTOR AGRO-ALIMENTAR E TURÍSTICO CURSO N..ºº 11 TTÉCNI

Leia mais

Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008)

Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008) Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008) Centro de Formação Centro de Formação da Batalha Formando Selma

Leia mais

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente 1. Perfil Profissional Edital de abertura de concurso Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente O/A Técnico/a Especialista em Gestão da Qualidade e do Ambiente é o/a

Leia mais

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Página 2 de 12 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. REQUISITOS DE ACESSO E FORMAS DE INSCRIÇÃO...

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2009 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO INDICE INDICE...2 ÂMBITO...4 1. GESVEN - GESTÃO DE PESSOAL E VENCIMENTOS CGV02 Gestão Base de Cadastro...5 CGV03 Report Writer (Base)...5 CGV04 Processamento

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designação do Curso... 2 Duração Total do Curso de Formação... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar á ficha modelo ACC 2

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar á ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado O Plano Tecnológico da Educação (PTE), aprovado pela Resolução de

Leia mais

Regulamento Cursos de Educação e Formação - EFA

Regulamento Cursos de Educação e Formação - EFA Regulamento Cursos de Educação e Formação - EFA 1 Preâmbulo Artigo 1.º - Objeto e âmbito Artigo 2.º Modelo de formação Artigo 3.º - Modelo de formação Artigo 4.º - Posicionamento nos percursos de educação

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Técnicas de Representação Digital I Área Científica: Desenho (DES) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 3º ECTS: 6 Tempo

Leia mais

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO ACÇÃO-TIPO: 2.3.1 ACÇÕES DE FORMAÇÃO VALORIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA ÁREA DO COMÉRCIO CURSO N..ºº 11 INFFORMÁTTI I ICA NA ÓPTTI ICA DO UTTI ILLI IZZADOR

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESATRES CEPED/RS CURSO DE EXTENSÃO

Leia mais

O NOVO REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE SEGURO. Concepção e Tutoria: Dr.ª Cátia Marisa Gaspar e Dr.ª Maria Manuela Ramalho

O NOVO REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE SEGURO. Concepção e Tutoria: Dr.ª Cátia Marisa Gaspar e Dr.ª Maria Manuela Ramalho O NOVO REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE SEGURO WORKSHOP I O CONTRATO DE SEGURO: PARTE GERAL 1ª Edição 1 de Fevereiro de 2010 Curso on line (formação a distância) CICLO DE CURSOS DE FORMAÇÃO CONTÍNUA Organizado

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EM FOTOGRAFIA Club Setubalense

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EM FOTOGRAFIA Club Setubalense ACÇÃO DE FORMAÇÃO EM FOTOGRAFIA Club Setubalense DESIGNAÇÃO OLHAR A FOTOGRAFIA,... DE OUTRO MODO LOCAL CLUB SETUBALENSE CARGA HORÁRIA - Nº de horas teóricas 28 h (4 módulos) - Nº de horas práticas (recolha

Leia mais

UNIVERSIDADE POPULAR DO PORTO

UNIVERSIDADE POPULAR DO PORTO ACÇÃO DE FORMAÇÃO OS ARQUIVOS DO MUNDO DO TRABALHO TRATAMENTO TÉCNICO ARQUIVÍSTICO RELATÓRIO FINAL Enquadramento A acção de formação Os arquivos do mundo do trabalho tratamento técnico arquivístico realizou-se

Leia mais

Instrumentos de Avaliação

Instrumentos de Avaliação Instrumentos de Avaliação 7 Questionário de expectativas Atendendo à integração do Curso "Formação de eformadores" no Projecto etrainers, que tem como objectivo a testagem de metodologias e ambientes inovadores

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais

Vantagem Garantida PHC

Vantagem Garantida PHC Vantagem Garantida PHC O Vantagem Garantida PHC é um aliado para tirar maior partido das aplicações PHC A solução que permite à empresa rentabilizar o seu investimento, obtendo software actualizado, formação

Leia mais

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade Planificações 2012/2013 Tecnologias da Informação e Comunicação C E F Apoio à Família e à Comunidade 2ºAno Escola Básica Integrada de Pedome Grupo Disciplinar de Informática Planificação a Longo Prazo

Leia mais

Mini MBA de Especialização em Análise e Gestão de Seguros de Vida Pedro Milheiro Galha

Mini MBA de Especialização em Análise e Gestão de Seguros de Vida Pedro Milheiro Galha Mini MBA de Especialização em Análise e Gestão de Seguros de Vida Pedro Milheiro Galha www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designação do Curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil

Leia mais

Dia 21 (sábado de manhã, das 10 às 13h00) Saida para exterior Aula práctica de Fotografia num local a escolher)

Dia 21 (sábado de manhã, das 10 às 13h00) Saida para exterior Aula práctica de Fotografia num local a escolher) Local: Évora Hotel Av. Tulio Espanca, Apartado 93 Évora Tel: 266 403 315 Inscrições e Informações: Contactar Pedro Vilhena Site: Pedro Vilhena Fotografia Tm: 96 807 61 81 email: pedrovilhena.fotografo@gmail.com

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA Março de 2015 4ª Edição Índice 1 O DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO... 3 1.1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA... 3 1.2. ESTRUTURA... 3 2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Nelas, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão e Vila Nova de Paiva

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Nelas, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão e Vila Nova de Paiva Percurso Formativo Acreditado O Diretor de Turma na Escola Atual Jornadas da Coordenação dos Diretores de Turma do Ensino Básico do Agrupamento de Escolas de Mangualde 30 de setembro, 1 e 8 de outubro

Leia mais

PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO

PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO DESIGNAÇÃO DO CURSO E-Tutor: especialização pedagógica em e-learning DURAÇÃO DO CURSO 60 HORAS LOCAL E DATAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO 1. VIRTUAL LEARNING CENTER

Leia mais

- Organização de eventos - CERTFORM Tema a ser apresentado pela Dr.ª Madalena Leão.

- Organização de eventos - CERTFORM Tema a ser apresentado pela Dr.ª Madalena Leão. INSCRIÇÕES GRATUÍTAS Registo de utilizador no portal INFORMAR.PT obrigatório tel. 220 931 192 geral@informar.pt SEMINÁRIOS INFORMAR.PT - dia 4 de Setembro No âmbito da Feira CERANOR - Casa, Hotelaria,

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8B/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

Banca, Seguros e Mercados Financeiros

Banca, Seguros e Mercados Financeiros Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Banca, Seguros e Mercados Financeiros Edital 2ª Edição 2011 1 Enquadramento A Escola Superior

Leia mais

Mini-MBA de Marketing

Mini-MBA de Marketing Mini-MBA de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Designação do curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objectivo Geral... 3 Objetivos

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores MÓDULOS CARGA HORÁRIA Acolhimento 1 O formador face aos sistemas e contextos de formação 8 Factores e processos de aprendizagem 6 Comunicação e Animação de Grupos

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO EXPERIMENTAL EM BIOLOGIA MARINHA DO MESTRADO EM BIOLOGIA MARINHA

REGULAMENTO DE TRABALHO EXPERIMENTAL EM BIOLOGIA MARINHA DO MESTRADO EM BIOLOGIA MARINHA REGULAMENTO DE TRABALHO EXPERIMENTAL EM BIOLOGIA MARINHA DO MESTRADO EM BIOLOGIA MARINHA INTRODUÇÃO A unidade curricular Trabalho Experimental em Biologia Marinha, adiante designada TEBM, é uma unidade

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Ficha de Unidade Curricular Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Unidade Curricular Designação PROJECTO INTERDISCIPLINAR ARTÍSTICO Área Científica CV Ciclo de Estudos SOM E IMAGEM Carácter: Obrigatória

Leia mais

Operadores de Grupos Eletrogéneo com Facilidades de

Operadores de Grupos Eletrogéneo com Facilidades de 1 CARATERIZAÇÃO RESUMIDA 1.1 Objetivo No final da ação os formandos deverão ser capazes de: Dominar os procedimentos operacionais para a realização do socorro de Quadro de BT dos diferentes PTs a partir

Leia mais

www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura A G R O G E S T Ã O - Apoio Técnico e Administrativo

www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura A G R O G E S T Ã O - Apoio Técnico e Administrativo www.agrogestao.com 1 ACADEMIA AGROGESTÃO Formação em informática aplicada à agricultura A G R O G E S T Ã O - Apoio Técnico e Administrativo 2 www.agrogestao.com 1 Material de apoio Cada um dos módulos

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

REGULAMENTO DE OCUPAÇÃO MUNICIPAL TEMPORÁRIA DE JOVENS

REGULAMENTO DE OCUPAÇÃO MUNICIPAL TEMPORÁRIA DE JOVENS REGULAMENTO DE OCUPAÇÃO MUNICIPAL TEMPORÁRIA DE JOVENS REGULAMENTO Artigo 1.º Objecto 1 O programa de ocupação municipal temporária de jovens, adiante abreviadamente designado por OMTJ, visa a ocupação

Leia mais

Coordenador da área - Engº Pedro Marques

Coordenador da área - Engº Pedro Marques Requisitos e implementação da ISO 9001 gestão da qualidade, ISO 14001 gestão ambiental e OHSAS 18001 gestão de segurança e saúde no trabalho Coordenador da área - Engº Pedro Marques Índice Duração Total...

Leia mais

Formação presencial em contexto de sala de aula, com recurso à utilização prática do software WordPress.

Formação presencial em contexto de sala de aula, com recurso à utilização prática do software WordPress. ENQUADRAMENTO Num mundo em que a concorrência é cada vez maior e todos parecem estar ligados à internet, o website tornou-se um componente fundamental da estratégia de comunicação de qualquer empresa.

Leia mais

Ficha de Inscrição. Ação. *Nacionalidade País de Origem: NIF* *Morada *Código Postal - *Telefone Telemóvel Fax. E-mail Nível de Escolaridade.

Ficha de Inscrição. Ação. *Nacionalidade País de Origem: NIF* *Morada *Código Postal - *Telefone Telemóvel Fax. E-mail Nível de Escolaridade. Ficha de Inscrição Ação *Nome completo *Sexo Masculino Feminino *Naturalidade Distrito: Concelho: *Nacionalidade País de Origem: NIF* *BI CC N.º *Data Validade BI / CC / / *Data de Nascimento / / *Morada

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL CURSOS LIVRES ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL Secção I Disposições

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS PREÂMBULO Na sequência da transposição para o ordenamento jurídico nacional da Directiva n.º 2006/43/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA De acordo com o art. 14 da Lei de Bases do Sistema Educativo e ao abrigo do Capítulo III do Decreto-Lei 74/2006, e para aprovação pelo Conselho

Leia mais

CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos. Regulamento CAPÍTULO I. Legislação de Referência

CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos. Regulamento CAPÍTULO I. Legislação de Referência CURSOS EFA Educação e Formação de Adultos Regulamento (Apreciado pelo Conselho Pedagógico, em reunião realizada no dia 10 de Fevereiro de 2010) CAPÍTULO I Legislação de Referência - Portaria n. 230/2008

Leia mais

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição.

No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 1. OBJETIVOS GERAIS No final do curso os formandos deverão realizar a gestão de uma IPSS, promovendo a sustentabilidade da instituição. 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Descrever a orgânica das Instituições Sociais;

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Prototipagem Digital II Área Científica: Design Gráfico e Multimédia Ciclo de Estudos: 1º Ciclo Carácter: Obrigatória Ano Lectivo: 2008/2009 Semestre:

Leia mais

SEW-EURODRIVE PORTUGAL. Programas de Formação Técnica

SEW-EURODRIVE PORTUGAL. Programas de Formação Técnica SEW-EURODRIVE PORTUGAL Programas de Formação Técnica ÍNDICE Curso Página Accionamentos Electromecânicos 3 Accionamentos ATEX 6 Conversor de Frequência MOVITRAC 31C 9 Conversor de Frequência MOVITRAC 07

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISE DE DADOS E GESTÃO DE INFORMAÇÃO Grupo de trabalho Armando Mendes Áurea Sousa Fátima Brilhante Rita Marques Brandão Osvaldo Silva Fevereiro 2010 Enquadramento e justificação

Leia mais

FICHA DE CURSO. Gestão de Conflitos

FICHA DE CURSO. Gestão de Conflitos FICHA DE CURSO DESCRIÇÃO DO CURSO Os conflitos fazem parte do nosso dia a dia. Saber lidar com eles é essencial não só à nossa sobrevivência, mas também ao nosso bem-estar. Quem souber aceder a recursos

Leia mais

DSTAR. Divisão da Diversificação da Atividade Agrícola, Formação e Associativismo. Norma orientadora n.º 07/2010 3ª Revisão

DSTAR. Divisão da Diversificação da Atividade Agrícola, Formação e Associativismo. Norma orientadora n.º 07/2010 3ª Revisão DSTAR Divisão da Diversificação da Atividade Agrícola, Formação e Associativismo Norma orientadora n.º 07/2010 3ª Revisão Assunto: Homologação de Cursos na área da Distribuição, Comercialização e Aplicação

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR. Licenciatura em desporto Gestão das Organizações Desportivas

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR. Licenciatura em desporto Gestão das Organizações Desportivas INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR Licenciatura em desporto Gestão das Organizações Desportivas Programa da Unidade Curricular Gestão de Sistemas de Informação I

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Formação

Regulamento do Núcleo de Formação Regulamento do Núcleo de Formação 2013 1.Nota Introdutória Qualquer processo de formação com qualidade exige medidas e instrumentos de normalização e controlo, que permitam garantir desempenhos de excelência

Leia mais

TopSolid Design para Projecto de Moldes e TopSolid' Electrode 489 - Outros Programas Informáticos Nâo Classificados. Duração 88 h

TopSolid Design para Projecto de Moldes e TopSolid' Electrode 489 - Outros Programas Informáticos Nâo Classificados. Duração 88 h PROGRAMA DE FORMAÇÃO Curso Área de Formação Local Instalações da CadSolid - Leiria Duração h Formador Gonçalo Lemos Data 2/07/201 Destinatários Pré-Requisitos TopSolid Design para Projecto de Moldes e

Leia mais

ISPA Instituto Universitário

ISPA Instituto Universitário ISPA Instituto Universitário Marketing na Saúde Uma ferramenta para todos os profissionais de saúde. "Está na altura de dominar melhor o mercado" 18 e 25 de Outubro 2014, ISPA (12 horas intensivas) Destinatários

Leia mais