Plano de ação da biblioteca escolar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de ação da biblioteca escolar"

Transcrição

1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNÇÃO Plano de ação da biblioteca escolar O plano de ação constitui-se como um documento orientador de linhas de ação estratégicas, a desenvolver num referencial de quatro anos, no sentido de dar resposta às necessidades e deficiências detetadas nas nossas Bibliotecas Escolares.

2 Nota introdutória Realizado o primeiro ciclo de avaliação ficámos com um conhecimento mais aprofundado dos pontos fortes e dos pontos a optimizar e, assim, estabelecer áreas de intervenção prioritárias e metas a atingir que serão operacionalizadas através do plano anual de atividades. Assim: Domínio B Leitura e Literacia ( ) Nível 3 Ações/ sugestões para melhoria -Criar um plano de aquisição regular de novidades literárias -Publicar/divulgar sugestões de alunos sobre livros lidos Domínio D Gestão da BE ( ) D1 - Articulação da BE com o agrupamento Nível 3 D2 - Condições humanas e materiais Nível 3 D3 - Gestão da coleção/informação Nível 3 Ações/ sugestões para melhoria -Fazer cumprir a PDC -Analisar as várias classes com apoio dos grupos disciplinares Domínio A ( ) Apoio ao desenvolvimento curricular A1 Articulação da BE com as estruturas de coordenação Nível 3 A2 Promoção das literacias Nível 3 Ações/ sugestões para melhoria -Solicitar a planificação e realização de uma atividade por Departamento em articulação com a BE Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 2 de 11

3 Domínio C Projetos e parcerias ( ) C1 - Apoio a atividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular. Nível 3 (Com um 2 na dinamização de projetos autónomos dos alunos como núcleos/clubes) C2 Projetos e parcerias Nível 3 (Com um 2 na abertura da BE à comunidade local) Ações/ sugestões para melhoria -Selecionar um grupo de alunos dispostos a colaborar na realização da Newsletter periódica da BE. -Desenvolver um plano de marketing que aumente a taxa de utilização da BE (física ou virtual) pela comunidade Neste ciclo que agora se inicia ficou decidido em reunião de rede do dia 19 de setembro de 2013 que os domínios seriam avaliados pela seguinte ordem: B (2013/14), D (2014/15), A (2015/16) e C (2016/17). Esta decisão foi ratificada pelo Conselho Pedagógico de 9 de outubro de Este plano refere-se às Bibliotecas do Agrupamento integradas na RBE, uma situada na escola sede e outra sita na Escola Básica da Gafanha da Encarnação Centro. Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 3 de 11

4 A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes Participar nas reuniões dos diferentes órgãos de gestão intermédia. x x x x Realizar acções informais de formação sobre a BE junto dos docentes. x x X x Cooperar com os órgãos de gestão intermédia da escola Apresentar aos docentes sugestões de trabalho conjunto em torno do tratamento das diferentes unidades de ensino ou temas de acordo com as planificações e curricula das x x X x várias disciplinas. Elaborar documentos de apoio aos processos de ensino, articulados com as estruturas x x X pedagógicas que promovam processos de autonomia de aprendizagens. Promover a integração de novos docentes no trabalho das BEs. x x X x Reforçar a cooperação e o diálogo com todos os docentes. x x X x Colaborar com os docentes na concretização das atividades curriculares desenvolvidas na BE ou tendo por base os seus recursos. Aumentar o nível de formação dos elementos da Equipa da BE. x X Incluir na Equipa da BE elementos provenientes de áreas disciplinares variadas ou com formações diferenciadas. Melhorar a apresentação e conteúdo e diversificar a forma de difusão dos materiais produzidos. x x X x x X Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 4 de 11

5 A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.2. Promoção da Literacia da Informação Promover a formação de utilizadores Organizar com os Diretores de Turma/Professores titulares de turma um calendário de x x x x sessões de formação de utilizadores com as respetivas turmas. Produzir e partilhar materiais para a formação com outras escolas e bibliotecas. x x x Introduzir uma política no Agrupamento orientada para o ensino sistemático e em x x contexto curricular de competências de informação. Planear antecipadamente com os professores o trabalho de pesquisa a realizar na BE. x x x x Promover o ensino em contexto de competências de informação Estabelecer um plano articulado e progressivo (ao longo dos vários anos de escolaridade) x x x para o desenvolvimento das competências de informação. Sessões de formação na área da literacia da informação. x x x x Promover a utilização das TIC como ferramenta de aprendizagem, produção e comunicação da informação. Implementação do modelo de pesquisa de informação a ser usado por todos os alunos. Reforçar a articulação da BE com as Áreas de Projeto e outras áreas de caráter transversal que fomentem a utilização contextualizada das TIC. Aumentar o nível de incorporação das TIC nos serviços informativos e educativos oferecidos pela BE. Implicar as BEs nos projectos planos e políticas existentes no Agrupamento na área das TIC e da gestão de informação. Assegurar o envolvimento das BEs no cumprimento dos objetivos do PTE apropriação e uso das TIC e inclusão nas práticas formativas e de ensino/aprendizagem. x x x x x x x X x X x x X Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 5 de 11

6 B. Leitura e Literacia Promover e animar a leitura / Contribuir para o desenvolvimento do PNL. Articular atividades com os departamentos e docentes no âmbito da leitura e literacia Utilizar a WEB e outras fontes de informação na prospeção e identificação de materiais x x x x do interesse das crianças e dos jovens. Realizar avaliações periódicas da coleção, no sentido de identificar limitações neste x x x x domínio. Definir um plano integrado de atividades que melhorem os índices de leitura. Comunicá-lo ao Agrupamento, apresentando sugestões que envolvam o trabalho x articulado e a colaboração dos docentes. Reforçar o trabalho articulado com departamentos / conselho de docentes, docentes e a abertura a projetos externos. x x Convidar especialistas; organizar um colóquio ou um seminário sobre a leitura, a literacia x x x e o papel da BE. Delinear um projeto que identifique prioridades e estabeleça objetivos e metas a atingir. X X x Produzir instrumentos de apoio a ser usados por professores e alunos. Trabalhar articuladamente. X X x x X Melhorar a oferta de atividades de promoção da leitura e de apoio ao desenvolvimento de competências no âmbito da leitura, da escrita e das literacias. X x x Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 6 de 11

7 C. Projetos, Parcerias e Atividades Livres e de Abertura à Comunidade C.1. Apoio a Atividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular Contribuir para a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos. Reforçar a articulação com as Áreas de Estudo Acompanhado/Apoio ao Estudo. X x x Contribuir na dinamização de atividades livres, de carácter lúdico e cultural, que correspondam aos interesses e necessidades dos alunos. Promover a utilização autónoma e voluntária da BE, como espaço de lazer e livre fruição dos recursos. X X x x Apoiar as atividades de enriquecimento curricular (AEC), conciliando-as com a utilização livre da BE. Planear, conjuntamente com os docentes envolvidos, atividades que tenham por base quer a utilização dos recursos da BE quer o seu espaço X X x x Dinamizar/colaborar em atividades livres de carácter lúdico, extracurriculares e de enriquecimento curricular. Aumentar a participação das bibliotecas na dinamização de atividades culturais no X x X agrupamento. Solicitar o envolvimento e colaboração dos pais e da comunidade na organização e X X x X financiamento dos eventos. Incentivar o empréstimo domiciliário, nomeadamente nos períodos de férias. X X x X Valorizar mais e divulgar melhor o trabalho organizado e realizado autonomamente pelos alunos. X X x X Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 7 de 11

8 C. Projetos, Parcerias e Atividades Livre e de Abertura à Comunidade C.2. Projetos e Parcerias Promover a maior participação das BEs em Projetos e Parcerias ao nível do Agrupamento. X x X Dinamizar/apoiar projetos ao nível do agrupamento. Melhorar a comunicação entre as BEs e o agrupamento sobre projetos em curso ou em que estas possam vir a participar. Aumentar o grau de intervenção das BEs no agrupamento através da conceção de projetos relevantes de sua iniciativa. x x X X x X Colaborar com grupo de trabalho inter-concelhio Articular os Planos Anuais de Atividades de todas as Bibliotecas da Rede de Bibliotecas do Concelho de Ílhavo, de modo a tirar maior partido das iniciativas das bibliotecas e x X x X rentabilizar as ações previstas de interesse comum. Organizar Encontros e Seminários para comunicação e partilha de experiências. x X x X Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 8 de 11

9 D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE com a Escola. Acesso e serviços prestados pela BE Discutir a necessidade de institucionalização das BEs com a Direção e a urgência da sua x X integração nos documentos orientadores e reguladores da vida no agrupamento e nos projetos e planos operacionais do seu funcionamento. Rever os documentos já referidos. Proceder às alterações necessárias. x X x x Promover a integração das BEs no agrupamento. Desenvolver os serviços das BEs Avaliar o trabalho desenvolvido pelas BEs Promover exposições e encontros, divulgar trabalhos, envolver os encarregados de x X x x educação. Recorrer a diferentes meios e ambientes, incluindo aqueles que faculta a WEB 2.0, para x X promover os recursos das BEs e as atividades que realizam (newsletter, blog, página moodle). Elaborar um plano de marketing que acentue e reforce o valor das BEs, as possibilidades e as mais-valias que facultam. X x x Afetar outros elementos do pessoal docente, auxiliares ou voluntários às BEs, de forma a x X x x alargar as possibilidades de funcionamento. Apoiar os utilizadores no acesso e na procura e produção da informação, incentivando x X x x uma cultura de acesso e uso da BE e dos recursos. Implementar um sistema de avaliação continuado que compreenda a observação e x X x outras formas de acesso à informação. Definir/ redefinir prioridades, objetivos e planos de ação em função da análise efetuada. x X x x Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 9 de 11

10 D. Gestão da BE D.2. Condições humanas e materiais para prestação dos serviços Organizar os recursos humanos Mobilizar recursos financeiros Reforçar a ação das BEs no apoio ao funcionamento do agrupamento e às atividades de x x x ensino/aprendizagem. Desenhar e planificar, conjunta e articuladamente com os docentes, projetos/ atividades inerentes ao cumprimento dos diferentes domínios implicados no funcionamento das x x x BEs. Inventariar as necessidades funcionais das BEs, adequando a distribuição de tarefas a x x essas necessidades e ao perfil apresentado por cada um dos membros da equipa. Incentivar os membros da equipa a procurar formação formal junto de Universidades, Centros de Formação de Professores ou de outras entidades formadoras. x X Apresentar candidaturas a Programas específicos. x X x Inventariar necessidades em termos de atualização ou de reparação técnica dos x x X x equipamentos. Apresentar as necessidades em termos de verba ou de acompanhamento. x x X x Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 10 de 11

11 D. Gestão da BE 3. Gestão da Coleção/da Informação Elaborar o documento que oriente a Política de Desenvolvimento da Coleção. x Estabelecer e aplicar um conjunto de princípios de política documental adequados ao agrupamento Difundir os recursos Realizar avaliações anuais da coleção. Planificar, afetar verbas e executar as ações decorrentes dessa planificação, por forma a manter a coleção atualizada e adequada às x x X x necessidades das populações que serve. Detetar os pontos fracos da coleção e reforçar as áreas com carências identificadas. x x Fazer consultas aos departamentos/ professores acerca da coleção e dos fundos a x x X x adquirir. Explorar e difundir o uso de recursos online e incentivar o recurso de dispositivos da Web X X x para produzir e difundir informação. Estabelecer parcerias inter e intra escolas/ agrupamentos com vista ao desenvolvimento cooperativo da coleção (digital e impressa). X X x Definir e implementar uma estratégia de promoção e de difusão da informação. x X Aproveitar as possibilidades da Web e recorrer aos novos dispositivos para produzir, difundir e comunicar a informação. x X Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Página 11 de 11

Plano de ação (adenda). domínio em avaliação: gestão da biblioteca escolar. email: becre.esfhp@gmail.com Ano letivo 2012/2013

Plano de ação (adenda). domínio em avaliação: gestão da biblioteca escolar. email: becre.esfhp@gmail.com Ano letivo 2012/2013 Plano de ação (adenda). domínio em avaliação: gestão da biblioteca escolar email: becre.esfhp@gmail.com Ano letivo 2012/2013 Plano de ação 2012/2013 (adenda) A. Apoio ao desenvolvimento curricular Responsável

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Escola Básica Frei André da Veiga PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 A. Currículo, literacias e aprendizagem Problemas identificados Falta

Leia mais

AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR ANO LETIVO 2012-2013 Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora Instrumento essencial ao DESENVOLVIMENTO DO CURRÍCULO Uma estrutura ao SERVIÇO DA ESCOLA Recurso fundamental

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA Plano Estratégico de Melhoria 2011-2012 Uma escola de valores, que educa para os valores Sustentabilidade, uma educação de, e para o Futuro 1. Plano Estratégico

Leia mais

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral.

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral. Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o impacto que as atividades desenvolvidas tiveram nos resultados escolares

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017

PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 PLANO DE ACÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2014/2017 1 O plano de ação que se apresenta teve por base as autoavaliações efetuadas durante os anos 2009-10; 2010-11;

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

Relatório de avaliação. Contexto e caracterização 1. Contexto. 1.1 Escola/agrupamento. 603355 Escola Básica Eugénio de Castro, Coimbra

Relatório de avaliação. Contexto e caracterização 1. Contexto. 1.1 Escola/agrupamento. 603355 Escola Básica Eugénio de Castro, Coimbra Contexto e caracterização 1. Contexto 1.1 Escola/agrupamento 1.2 Endereço Rua Almirante Gago Coutinho 3030326 COIMBRA 1.3 Oferta Curricular Currículo normal dos 2º e 3º ciclos; Oferta Curricular no 3º

Leia mais

PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL

PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL 2015/2016 A EQUIPA: Fátima Martins, Manuela Parreira, Ana Paula Melo, Vera Moura, Manuela Simões, Anabela Barroso, Elsa Carvalho, Graça

Leia mais

Relatório de Coordenação das Bibliotecas Escolares INTRODUÇÃO

Relatório de Coordenação das Bibliotecas Escolares INTRODUÇÃO Relatório de Coordenação das Bibliotecas Escolares INTRODUÇÃO A equipa pedagógica das Bibliotecas Escolares (BE) do agrupamento propôs um conjunto de atividades tendo em conta a articulação com o Modelo

Leia mais

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Regulamento Interno. Biblioteca Escolar

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Regulamento Interno. Biblioteca Escolar Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja Regulamento Interno 2014 1. A 1.1. Definição de A é um recurso básico do processo educativo, cabendo-lhe um papel central em domínios tão importantes como: (i) a aprendizagem

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Bibliotecas Escolares - Plano Anual de Atividades (PAA) Ano letivo 2014/2015 Este PAA encontra-se estruturado em 4 domínios (seguindo as orientações da RBE)

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

PLANO DE MELHORIA Julho 2014

PLANO DE MELHORIA Julho 2014 PLANO DE MELHORIA Julho 2014 Índice Nota Introdutória... 2 1. Resultados da avaliação externa... 3 2. Áreas e ações de melhoria... 4 3. Acompanhamento e divulgação... 7 AET Plano de melhoria 2014/2015

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO. Indicações para Operacionalização 2012-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO. Indicações para Operacionalização 2012-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO Indicações para Operacionalização 2012-2015 O Plano Anual de Atividades do Agrupamento é relevante para toda a Comunidade Educativa. Por ele se operacionalizam

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Trofa. Plano de Melhoria e Desenvolvimento

Agrupamento de Escolas da Trofa. Plano de Melhoria e Desenvolvimento Agrupamento de Escolas da Trofa Plano de Melhoria e Desenvolvimento Biénio 2015/2017 INTRODUÇÃO A autoavaliação e a avaliação externa são procedimentos obrigatórios e enquadrados na Lei n.º 31/2002, de

Leia mais

TEXTO DA COMUNICAÇÃO. Palmela THEKA: Aprender Partilhando, Partilhar Aprendendo

TEXTO DA COMUNICAÇÃO. Palmela THEKA: Aprender Partilhando, Partilhar Aprendendo TEXTO DA COMUNICAÇÃO Palmela THEKA: Aprender Partilhando, Partilhar Aprendendo Este projecto foi concebido no início do ano escolar de 2004/2005 quando decorria o segundo ano do processo de constituição

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria 2015l2017 ÍNDICE ÍNDICE: INTRODUÇÃO... 3 ÁREAS DE AÇÃO DE MELHORIA.... 4 PLANOS DE AÇÃO DE MELHORIA.. 5 CONCLUSÃO...

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações [setembro de 2011] Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Diretor... 3 Professor bibliotecário...

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Director... 3 Professor bibliotecário... 5 Docentes... 10

Leia mais

Projeto de Intervenção

Projeto de Intervenção Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga Projeto de Intervenção 2014/2018 Hortense Lopes dos Santos candidatura a diretora do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga Braga, 17 abril de 2014

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016 Plano Anual de Atividades 2015/ 2016 Ser,Intervir e Aprender PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016 Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º2; EB1 com JI da Serra das Minas

Leia mais

Proposta para o Plano de Atividades - Biblioteca Escolar 14/15

Proposta para o Plano de Atividades - Biblioteca Escolar 14/15 Professor: Ana Maria Galveia Taveira Proposta para o Plano de Atividades - Biblioteca Escolar 14/15 O Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar divide-se em quatro grandes áreas de funcionamento/intervenção,

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2013/2014

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2013/2014 Pág.1 INTRODUÇÃO O Plano Anual de Atividades das s Escolares do Agrupamento de Escolas n.º 1 de Grândola atende à especificidade das bibliotecas

Leia mais

RELATÓRIO DA BIBLIOTECA sede 2012/2013

RELATÓRIO DA BIBLIOTECA sede 2012/2013 RELATÓRIO DA BIBLIOTECA sede 2012/2013 1. Introdução De acordo com as orientações do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares, do Ministério da Educação, a Biblioteca Escolar sede desenvolve o seu trabalho

Leia mais

Plano Anual de Atividades do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda. Planificação de Atividades - Ano Letivo 2014/2015

Plano Anual de Atividades do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda. Planificação de Atividades - Ano Letivo 2014/2015 Plano Anual de Atividades do de Escolas Sá de Miranda Planificação de Atividades - Ano Letivo 2014/2015 (devem ser indicadas as atividades que ultrapassem a dimensão do pequeno grupo ou da turma) Calendarizaç

Leia mais

Planificação das Atividades 2013/2014 Domínio Sub-domínio Atividades Objetivos Destinatários Dinamizadores Calendarização Recursos materiais

Planificação das Atividades 2013/2014 Domínio Sub-domínio Atividades Objetivos Destinatários Dinamizadores Calendarização Recursos materiais LEITURA E LITERACIAS Promoção Leitura BIBLIOTECA ESCOLAR MÁRIO CLÁUDIO / BIBLIOTECA ESCOLAR DA POUSA Planificação s Ativides 2013/2014 Domínio Sub-domínio Ativides Objetivos Destinatários Dinamizadores

Leia mais

PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO

PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO AE de maximinos EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO 2012/2013 Equipa de Autoavaliação Alcina Pires Ana Paula Couto Antonieta Silva António Rocha Beatriz Gonçalves José Pedrosa Paula Mesquita

Leia mais

PESSOAL DOCENTE AÇÕES DE FORMAÇÃO ACREDITADAS PELO CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA PARA O CENTRO EDUCATIS

PESSOAL DOCENTE AÇÕES DE FORMAÇÃO ACREDITADAS PELO CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA PARA O CENTRO EDUCATIS TREINO DA APTIDÃO MUSCULAR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Registo: CCPFC/ACC-61196/09 Válida até: 30-09-2012 Destinado a: Professores dos Grupos 260 e 620 AERÓBICA NA ESCOLA - METODOLOGIA BÁSICA Registo: CCPFC/ACC-61225/09

Leia mais

2013/2014 [PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - BIBLIOTECA ESCOLAR]

2013/2014 [PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - BIBLIOTECA ESCOLAR] Projeto / Atividade Objetivos Intervenientes Recursos/ materiais Voluntários de Leitura Construir relações/parcerias com a BMP e com as redes locais (ADA/Centro Comunitário de Portel) BE - Vamos Partilh@r

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ERMESINDE

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ERMESINDE Conhecimento e humanismo PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ERMESINDE 2013/2017 Índice Preâmbulo... 3 Quem somos?... 4 Análise Swot... 5 Plano Estratégico... 9 Avaliação... 21 Divulgação do

Leia mais

2013/4. Plano de melhoria da biblioteca escolar. Biblioteca do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil

2013/4. Plano de melhoria da biblioteca escolar. Biblioteca do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil 2013/4 Plano de melhoria da biblioteca escolar Biblioteca do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil Índice A. Currículo literacias e aprendizagem... 5 Problemas identificados... 5 Resultados esperados...

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS Artigo 1º - Definição A Biblioteca Escolar - Centro de Recursos Educativos da Escola Secundária Quinta

Leia mais

Relatório de avaliação. Contexto e caracterização 1. Contexto. 1.1 Escola/agrupamento. 1106079 Escola Básica do Castelo, Lisboa

Relatório de avaliação. Contexto e caracterização 1. Contexto. 1.1 Escola/agrupamento. 1106079 Escola Básica do Castelo, Lisboa Contexto e caracterização 1. Contexto 1.1 Escola/agrupamento 1.2 Endereço Rua das Flores de Santa Cruz, 14 1100-245 Lisboa 1.3 Oferta Curricular JI+1ºCEB 1.4. Dados Escolares 1.4.1. Taxa média de transição/conclusão

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS 1 Índice

Leia mais

AVALIAÇÃO FINAL DO PROJETO EDUCATIVO 2010/2013

AVALIAÇÃO FINAL DO PROJETO EDUCATIVO 2010/2013 AVALIAÇÃO FINAL DO PROJETO EDUCATIVO 2010/2013 O presente documento constitui-se como uma avaliação final que procura refletir, não só a evolução dos aspetos indicados nas avaliações anteriores como também

Leia mais

Agrupamento Vertical de Ourique. Relatório de Avaliação Interna. Relatório de Avaliação Interna

Agrupamento Vertical de Ourique. Relatório de Avaliação Interna. Relatório de Avaliação Interna Agrupamento Vertical de Ourique Relatório de Avaliação Interna Relatório de Avaliação Interna 211/212 Índice I - Introdução. II - Enquadramento Legal III Metodologia. A - Constituição da Equipa de Avaliação

Leia mais

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade)

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade) Escola Secundária da Ramada Plano Plurianual de Atividades Pro Qualitate (Pela Qualidade) 2014 A Escola está ao serviço de um Projeto de aprendizagem (Nóvoa, 2006). ii ÍNDICE GERAL Pág. Introdução 1 Dimensões

Leia mais

O Agrupamento de escolas do concelho

O Agrupamento de escolas do concelho O Agrupamento de escolas do concelho de Campo Maior...... Agrupamento de Escolas de Campo Maior A missão do Agrupamento de Escolas de Campo Maior reside na promoção do sucesso educativo e na valorização

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Cuba. Plano de Formação

Agrupamento de Escolas de Cuba. Plano de Formação Agrupamento de Escolas de Cuba Plano de Ano Letivo de 2012/2013 Índice Introdução... 3 1- Departamento curricular da educação pré-escolar... 6 2- Departamento curricular do 1º ciclo... 6 3- Departamento

Leia mais

POLíTICA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DA COLEÇÃO. da BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas do Sudeste de Baião

POLíTICA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DA COLEÇÃO. da BIBLIOTECA ESCOLAR. Agrupamento de Escolas do Sudeste de Baião POLíTICA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DA COLEÇÃO da BIBLIOTECA ESCOLAR Agrupamento de Escolas do Sudeste de Baião ÍNDICE 1. Enquadramento teórico... 3 2. Prioridades da Coleção... 4 3. Avaliação da coleção...

Leia mais

Avaliação da biblioteca escolar 2009-2013

Avaliação da biblioteca escolar 2009-2013 Avaliação da biblioteca escolar 2009-2013 2010 D. Gestão da biblioteca escolar Avaliação D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. 3 D.2 Condições humanas e materiais

Leia mais

Introdução... 3. Diagnóstico estratégico... 5. Visão e missão... 7. Finalidades e objetivos estratégicos... 8. Monitorização e avaliação...

Introdução... 3. Diagnóstico estratégico... 5. Visão e missão... 7. Finalidades e objetivos estratégicos... 8. Monitorização e avaliação... PROJETO EDUCATIVO Triénio 2012/2015 Colaborar, Formar, Construir o Futuro ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA Página 1 de 16 Índice Introdução... 3 Diagnóstico... 5 Visão e missão... 7 Finalidades e

Leia mais

Plano de Atividades. Ano letivo 2011 / 2012

Plano de Atividades. Ano letivo 2011 / 2012 Plano de Atividades Ano letivo 2011 / 2012 Plano de Atividades de Informática @ 2011-2012 Plano de Atividades Pretende-se com este plano promover o uso efetivo das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARCO DE CANAVESES Nº 1 (150745) Actividades/Iniciativas Objectivos Intervenientes/ Público-alvo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARCO DE CANAVESES Nº 1 (150745) Actividades/Iniciativas Objectivos Intervenientes/ Público-alvo Escola E.B. 2,3 de Toutosa Ano letivo: 2013/2014 PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES BIBLIOTECA ESCOLAR D Gestão da BE Actividades diárias: ü Orientação do serviço das Assistentes Operacionais ü Orientação do trabalho

Leia mais

Avaliação interna e monitorização do Projeto Educativo do AEVP 2014/2015. Avaliação Interna. e monitorização do. Projeto Educativo do Agrupamento

Avaliação interna e monitorização do Projeto Educativo do AEVP 2014/2015. Avaliação Interna. e monitorização do. Projeto Educativo do Agrupamento Avaliação Interna e monitorização do Projeto Educativo do Agrupamento 2014-2015 0 1. INTRODUÇÃO No ano letivo (2012/13), no nosso agrupamento, concluiu-se um processo de autoavaliação iniciado em 2009/10,

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA

AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA JULHO 2015 1 Abreviaturas AEAG Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo CAF Common Assessment Framework (Estrutura Comum de Avaliação) AM - Ação de Melhoria

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015-2018

PLANO ESTRATÉGICO 2015-2018 PLANO ESTRATÉGICO 2015-2018 Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas de Mira, a vigorar no quadriénio de 2014 a 2018. O projeto não é um futuro qualquer mas um futuro a construir, o que exige, à partida,

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas de Sátão 2015-2016 Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos

Leia mais

Timor-leste. parcerias internacionais Rede Bibliotecas Escolares

Timor-leste. parcerias internacionais Rede Bibliotecas Escolares Timor-leste parcerias internacionais Rede Bibliotecas Escolares Ler para aprender Lee atu aprende Em abril de 2010, a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) lançou, em articulação com o Plano Nacional de

Leia mais

Projeto de Intervenção. Jorge Manuel da Conceição Nunes

Projeto de Intervenção. Jorge Manuel da Conceição Nunes Projeto de Intervenção Jorge Manuel da Conceição Nunes Concurso para provimento do lugar de Diretor do Agrupamento de Escolas de Odivelas Nº1 Pontinha 2014 " ( ) a escola eficaz é aquela que faz com que

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014 / 2017

PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014 / 2017 PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014 / 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PRADO Plano Estratégico de Melhoria 2014/2017 O Plano de Melhoria da Escola é um instrumento fundamental para potenciar o desempenho

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

SINTRA E-CONTEÚDOS ECRÃS QUE MOTIVAM

SINTRA E-CONTEÚDOS ECRÃS QUE MOTIVAM SINTRA E-CONTEÚDOS ECRÃS QUE MOTIVAM Isabel Mendinhos EB23 Professor Galopim de Carvalho cregalopimcarvalho@gmail.com Resumo Sintra e-conteúdos é um projeto conjunto das bibliotecas escolares dos Agrupamentos

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada nível e de cada ciclo de ensino têm como referência os programas

Leia mais

I [Escreva o subtítulo do documento] ESCOLA C+S DE CAMINHA

I [Escreva o subtítulo do documento] ESCOLA C+S DE CAMINHA ATL,LDA TEL.:(053)215650 PROJETO DE INTERVENÇÃO º 4776/2014, de 8 de abril I [Escreva o subtítulo do documento] ESCOLA C+S DE CAMINHA Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, Caminha Concurso prévio à eleição

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO MOITA PROJETO EDUCATIVO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO MOITA PROJETO EDUCATIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO MOITA PROJETO EDUCATIVO TRIÉNIO 2014-2017 1 ÍNDICE Capítulo 1 Orientação Estratégica do PE... 3 1.1. Missão do Agrupamento... 3 1.2. Finalidades e Objetivos Estratégicos

Leia mais

Política de Desenvolvimento da Gestão da Coleção

Política de Desenvolvimento da Gestão da Coleção Escola Secundária/3 de Barcelinhos Biblioteca Escolar/Centro de Recurso Educativos Política de Desenvolvimento da Gestão da Coleção Ler Engrandece a alma Voltaire Professora Bibliotecária Florinda Bogas

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES Preâmbulo Considerando a criação e o desenvolvimento de uma Rede de Bibliotecas Escolares, assumida como política articulada entre

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE PLANO DE MELHORIA. Julho de 2012

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE PLANO DE MELHORIA. Julho de 2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE PLANO DE MELHORIA Julho de 2012 Rua da Verónica, 37, 1170-384 Lisboa Tel: 218860041/2 Fax: 218868880 Email: geral@aegv.pt INDICE I. Introdução. 3 II. Ponto de partida.....

Leia mais

Projecto de Intervenção 2010-2014

Projecto de Intervenção 2010-2014 Projecto de Intervenção 2010-2014 Desafios da Boa Água AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BOA-ÁGUA QUINTA DO CONDE - SESIMBRA Nuno Mantas Maio de 2010 1. Introdução O Agrupamento de Escolas da Boa-Água foi criado

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE 2014/2015. Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE 2014/2015. Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE 2014/2015 Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência Introdução Os Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência dos Ensinos Básico e Secundário

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO 2015/2016 ÍNDICE I INTRODUÇÃO... 3 II ENQUADRAMENTO DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

Projeto Educativo de Escola

Projeto Educativo de Escola -- Escola Secundária da Ribeira Grande Projeto Educativo de Escola 2013-2016 Projeto apreciado em reunião de Conselho Pedagógico do dia 2 de maio de 2013 B Escola Secundária da Ribeira Grande - Projeto

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico Relatório 008-009 Colecção Relatórios FICHA TÉCNICA Título Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no

Leia mais

uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn MABE auscultação em 2013/2014 mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl 19-06-2014

uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn MABE auscultação em 2013/2014 mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl 19-06-2014 qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz xcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty Questionário aos docentes uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES O Plano Plurianual de Atividades é um documento de planeamento que define, em função do Projeto Educativo, os objetivos, as formas de organização e de programação das atividades e que procede à identificação

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2013 / 2014. agrupamentodeescolasdagafanhadaencarnação

PLANO DE FORMAÇÃO 2013 / 2014. agrupamentodeescolasdagafanhadaencarnação PLANO DE FORMAÇÃO 2013 / 2014 agrupamentodeescolasdagafanhadaencarnação Índice I. CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 5 II. FUNDAMENTAÇÃO... 7 2.1. PESSOAL DOCENTE... 7 2.1.1 DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR...

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DE ALVITO PROJETO EDUCATIVO

ESCOLA PROFISSIONAL DE ALVITO PROJETO EDUCATIVO ESCOLA PROFISSIONAL DE ALVITO PROJETO EDUCATIVO Setembro 2013 ...A condição humana devia ser o objecto essencial de todo o ensino. (M.O. Mourin 2000) Índice 1-Introdução... 3 2 Caracterização do Meio...

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres

Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres - Anexo X Regulamento do Mérito Escolar Artigo 1.º Prémios de valor, mérito e excelência 1. Para efeitos do disposto na alínea h) do ponto 1 do artigo 7.º, conjugado

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES Inovação e Qualidade Plano de Ação Estratégico - 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES PROJECTO DE INTERVENÇÃO PLANO DE ACÇÃO ESTRATÉGICO 2012/2013 Escola de Oportunidades e de Futuro Telmo

Leia mais

Eu leio+, tu lês+, nós lemos m@is!

Eu leio+, tu lês+, nós lemos m@is! Apresentação do Projeto Eu leio+, tu lês+, nós lemos m@is! 2014-2016 O projeto envolve toda a comunidade escolar e extraescolar. Assenta na paixão pela leitura que uns vão, certamente, transmitir a outros,

Leia mais

Plano de Melhoria. Biénio 2013/2015

Plano de Melhoria. Biénio 2013/2015 Escola EB1 João de Deus CÓD. 242 937 Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende CÓD. 346 779 AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE CÓD. 152 870 Plano de Melhoria Biénio 2013/2015 Agrupamento de Escolas de Clara

Leia mais

Externato Académico. Projeto Educativo

Externato Académico. Projeto Educativo Externato Académico Projeto Educativo 2015-2018 Índice 1. Introdução... 3 2. Caracterização... 4 2.1. Recursos materiais e educativos... 5 3. Princípios orientadores... 7 3.1.Missão, Visão, Objetivos e

Leia mais

Tipologia Textual O conto. Competências a trabalhar associadas ao processo CO L CEL

Tipologia Textual O conto. Competências a trabalhar associadas ao processo CO L CEL Ministério da Educação Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora nº2 Novo Programa de Português do Ensino Básico Sequência Didáctica 5º ano Ano lectivo de 2010/2011 Tipologia Textual O conto Competências

Leia mais

Modelo de Auto-avaliação. Biblioteca Escolar. * Actions, not positions; * Evidence, not advocacy. Ross Todd (2003)

Modelo de Auto-avaliação. Biblioteca Escolar. * Actions, not positions; * Evidence, not advocacy. Ross Todd (2003) Modelo de Auto-avaliação Biblioteca Escolar * Actions, not positions; * Evidence, not advocacy. Ross Todd (2003) Auto-avaliar a BE Porquê avaliar a Biblioteca? Quais são os objectivos da auto-avaliação?

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS 2013/2017

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS 2013/2017 PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS 2013/2017 UNIDOS NO QUERER, A CAMINHO DO SUCESSO! Vale de Milhaços dezembro, 2014 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. CARATERIZAÇÃO GERAL DO AGRUPAMENTO

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO GRUPO DE TRABALHO Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010 O Plano de Acção da Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal é um instrumento de trabalho ao nível da organização e

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Portuguesa Ruy Cinatti 2013/2014

BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Portuguesa Ruy Cinatti 2013/2014 O Pl Anual de Atividades é o documento que define as linhas orientadoras da ação da Biblioteca Escolar e tem como objetivo último tornar os alunos autónomos e eficientes nas diversas literacias. A adquisição

Leia mais

DOMÍNIO 1 - Estratégia para toda a escola/ todo o agrupamento:

DOMÍNIO 1 - Estratégia para toda a escola/ todo o agrupamento: Plano de Intervenção Projeto ALer+ - 2014/2015 Designação Sempre ALer+ 2.1. Descrição sumária do Plano de Intervenção O Agrupamento de Escolas André Soares entrou para o projeto ALer+ no 1º ano de desenvolvimento

Leia mais

Plano de Melhorias do Agrupamento

Plano de Melhorias do Agrupamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRANCISCO SIMÕES Plano Melhorias do Agrupamento 2014/2016 Equipa Autoavaliação Setembro 2014 Conhece-te a ti mesmo Aforismo grego inscrito no pronaus do templo Apolo em Delfos Página

Leia mais

Plano de Estudos e de Desenvolvimento Curricular. Agrupamento de Escolas de Castelo de Paiva 2014-2015

Plano de Estudos e de Desenvolvimento Curricular. Agrupamento de Escolas de Castelo de Paiva 2014-2015 Plano de Estudos e de Desenvolvimento Curricular Agrupamento de Escolas de Castelo de Paiva 2014-2015 O presente documento é um instrumento que define as estratégias de desenvolvimento do currículo nacional,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 JULHO 2015 1. Enquadramento. O presente Plano Estratégico para o ano 2015-2016, dá cumprimento ao disposto no artigo 15.º do Despacho Normativo n.º6/2014, de 26 de maio. Apresentam-se

Leia mais

5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico;

5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico; Segundo o Guia para ambientes de aprendizagem digitais quer alunos, quer professores, precisam de novas competências ao nível da literacia digital à medida que cada vez mais recursos estão presentes na

Leia mais

AGENDA DE TRABALHO 2

AGENDA DE TRABALHO 2 AGENDA DE TRABALHO 2 Agrupamento de Escolas (Educação Pré-Escolar e Ensino Básico/ Educação Pré-Escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário) 1.º DIA 9:00 CHEGADA À ESCOLA-SEDE 9:00-10:30 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO

Leia mais

Introdução. Para a condução de cada ação teremos presentes duas questões importantes:

Introdução. Para a condução de cada ação teremos presentes duas questões importantes: Fevereiro 2014 Introdução A Escola é hoje um mundo onde todos os atores educativos têm voz por isso a facilidade, a celeridade, a clareza e a abertura são as caraterísticas da comunicação que possibilitam

Leia mais

Projeto aler+ SEMEAR LEITURAS

Projeto aler+ SEMEAR LEITURAS Projeto aler+ SEMEAR LEITURAS 2013-2014 ÍNDICE 1.CONTEXTUALIZAÇÃO... 2 2. INTERVENIENTES...... 3 3. OBJETIVOS. 4 4. REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO. 5 5. ATIVIDADES/AÇÕES/ESTRATÉGIAS... 6/ 7 6. DIVULGAÇÃO..

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015. Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado

PLANO DE ATIVIDADES 2014-2015. Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado 20142015 Bibliotecas escolares do Agrupamento de escolas Mosteiro e Cávado 20142015 Domínio A Currículo, literacias e aprendizagem Intervenientes Público alvo Datas Desenvolver atividades curriculares

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PROENÇA-A-NOVA - 160799. Plano de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PROENÇA-A-NOVA - 160799. Plano de Melhoria Índice Objetivo... 2 1 Introdução... 2 2... 3 2.1 Identificação do Agrupamento... 3 2.2 Áreas de Melhoria... 3 2.3 Identificação das Ações de Melhoria... 4 2.4 Visão global do Plano de melhoria.... 5 3

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014/2015

Plano Anual de Atividades 2014/2015 Ação do PE e Atividade Ação nº1: Diversificação Pedagógica: a) Componente local do currículo (rentabilizar a cultura patrimonial ambiental e histórica da região); b) Assessorias Pedagógicas (colaboração

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GRÂNDOLA PROJETO EDUCATIVO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GRÂNDOLA PROJETO EDUCATIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GRÂNDOLA PROJETO EDUCATIVO PARECER FAVORÁVEL DO CONSELHO PEDAGÓGICO AVE/ESAIC, EM 3.SETEMBRO.2015 APROVADO EM CONSELHO GERAL, EM 29. SETEMBRO. 2015 I - Enquadramento O concelho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA 6308 Diário da República, 1.ª série N.º 208 28 de outubro de 2013 deve ler-se: «O valor da remuneração adicional do agente de execução destinado a premiar a eficácia e eficiência da recuperação ou garantia

Leia mais

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis Resumo do projecto Com a candidatura a este projecto, e envolvendo todos os departamentos, alunos e encarregados de educação, a nossa escola

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais