REQUISITOS PARA A MODELAGEM DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DA PUCRS VIRTUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REQUISITOS PARA A MODELAGEM DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DA PUCRS VIRTUAL"

Transcrição

1 REQUISITOS PARA A MODELAGEM DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DA PUCRS VIRTUAL Adja F. de Andrade 1 Beatriz Franciosi Adriana Beiler 2 Paulo R. Wagner Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS Av. Ipiranga, bloco 30 - FACIN/Unidade de Educação a Distância - PUCRS VIRTUAL Porto Alegre - RS - Brasil {adja, bea, adrianab, Abstract This paper presents a framework for modelling distance learning environments. These learning environments may be either supported by information and communication technology or in a computing system. In this paper, the process of constructing a learning environment is seen as a modelling process, similar to the software development process in software engineering, where every phase must be accomplished in order to provide an adequate adaptation of the student to the environment. This framework is being used by the research team at the Distance Learning Education group - PUCRS Virtual - to create and monitor extension, undergraduate and "latu-sensus" graduate courses. Palavras- chave: Educação a Distância, Modelagem de Ambientes, Engenharia de Software, Engenharia de Requisitos. 1. Introdução O processo de desenvolvimento de um ambiente de EAD é muito mais do que traduzir aulas presenciais para um ambiente web. Este trabalho inicia a partir do design educacional (ou arquitetura pedagógica) que irá dar suporte ao ambiente computacional. A estruturação de uma ambiente pressupõe uma rede de articulações de estratégias e táticas pedagógicas, as quais são definidas a partir dos objetivos e pressupostos pedagógicos. Neste artigo são apresentadas as principais fases do processo de construção de um ambiente de aprendizagem proposta pela equipe do projeto PUCRS Virtual. Estas fases não seguem uma ordem obrigatória, a fim de possibilitar a melhor adequação do ambiente a que se destina e dar liberdade a equipe de desenvolvimento para a construção do ambiente. 2. Modelagem dos Ambientes de Aprendizagem A proposta para a construção de um ambiente de aprendizagem está dividido em seis fases. A fase 1 refere-se ao design educacional, a fase 2 à modelagem computacional, a fase 3 à implementação do ambiente. As fases 4, 5 e 6 tratam da avaliação do ambiente sob do ponto de vista pedagógico, levando em consideração características como ergonomia e usabilidade. 2.1 Design Educacional A primeira fase na construção de uma ambiente de aprendizagem refere-se ao design educacional do ambiente, basicamente a definição da arquitetura pedagógica do ambiente. Esta fase é desenvolvida por uma 1, 2 PGIE- Programa de Pós Graduação em Informática na Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Av. Paulo Gama, 110-sala 810-8º andar (FACED), Porto Alegre- RS.

2 equipe constituída por profissionais com vasta experiência em formação de professores com visão crítica sobre o uso de tecnologias educacionais, especialista em conteúdo e especialista em computação com conhecimento sedimentado em redes de computadores e hipermídia. Nesta fase é importante verificar as seguintes informações: Tabela 1: Requisitos pedagógicos Identificação do público alvo Definição dos objetivos Definição da área de conhecimento Definição da sub-área Definição do conteúdo Definição das estratégia de ensinoaprendizagem Definição dos tipos de tarefas (aprendizagem de conceitos, solução de problemas, desenvolvimento de projeto, construção de conhecimento, fórum de discussões etc.) Definição dos tipos de interação (síncrona/ assíncrona) Definição dos grau de interação (alta, baixa, pequena) da atividade (Exemplo: solução de problema - alta) Definição das Atividades Colaborativas: (coordenação de atividades, tomada de decisão, brainstorming etc.) Definição do plano de trabalho Designação de papéis: papel do aluno, papel do professor No contexto do ambiente de aprendizagem a proposta pedagógica deve promover autonomia e reflexão crítica. Por sua vez, os objetivos pedagógicos devem estar associados a uma lista de métodos associados às atividades presenciais e dos possíveis métodos associados às atividades a distância. Tabela 2: Atividades presenciais versus a distância Aula presencial Notas de aula impressas são distribuídas no primeiro encontro. Perguntas são feitas e respondidas nas aulas. A lista de alunos é fornecida ao professor no primeiro dia de aula. Aula a distância Notas de aula são disponibilizadas na Web semanas antes do primeiro encontro. Para reduzir o tempo que o professor utiliza com esclarecimentos, as perguntas feitas e suas respectivas respostas são organizadas em listas (FAQ s). As perguntas são feitas via correio eletrônico, por exemplo. A lista de alunos e seus respectivos endereços eletrônicos são disponibilizados para todos a partir do início do curso.

3 As avaliações são marcadas pelo professor, realizadas nos dias definidos e corrigidas pelo professor. A aplicação de avaliações é realizada no final de cada unidade a fim de verificar o desempenho dos alunos. Os alunos devem se incluir no ritmo do grupo. Nas aulas tradicionais os profs. trabalham com grupos maiores e eles estimulam a colaboração através de atividades em laboratório. Os testes são corrigidos automaticamente e oferecidos em oportunidades regulares. A partir dos testes o professor pode acompanhar o desempenho do aluno passo-apasso e identificar aqueles alunos que estão com problemas. Então, o professor pode organizar pequenos tutoriais/grupos de discussão para estes alunos. Os alunos realizam os testes de acordo com o seu ritmo individual. No ensino a distância é importante o planejamento dos encontros via chat a fim de possibilitar a interação direta aluno professor. Ferramentas de comunicação são também bem vindas para anunciar assuntos ou discussões gerais para o grupo de alunos. Uma página web é importante para obter o feedback dos alunos. 2.2 Modelagem Computacional Um ambiente de aprendizagem pode ser constituído pelas tecnologias de informação e comunicação (C&IT) ou por um sistema de computação. Estas duas formas apresentam vantagens e desvantagens. Um sistema de computação é um "pacote fechado" onde geralmente é difícil ou impossível realizar alterações nas partes constituintes do sistema. Por sua vez, um ambiente baseado em C&IT é uma interface usuário-sistema baseada em hipertexto e elaborada a partir de uma linguagem para formatação de informação na web. Então, o objetivo imediato de uma página web é veicular informação e não a de constituir um ambiente. A modelagem computacional do ambiente segue uma estrutura semelhante ao levantamento de requisitos técnicos de um software tradicional, isto é, necessita de um todo um estudo prévio do ambiente, tanto a nível de software, quanto de hardware. O projeto do ambiente de aprendizagem tem como ponto de partida a proposta pedagógica e como produto um ambiente baseado no computador que integra diversas mídias, serviços e ferramentas da Internet, assim como sistemas de computação. Os requisitos desta fase são os seguintes: Tabela 3: Requisitos Computacionais Tipo do armazenamento: web, CD-ROM Definição do ambiente de desenvolvimento ou linguagem de programação Definição das ferramentas e serviços da Internet Definição do sistema de computação Definição dos módulos relacionados com outras áreas de pesquisa: inteligência artificial, realidade virtual, banco de dados etc. Definição dos requisitos necessários ao desenvolvimento: software de apoio gráfico, gravador de CD-ROM, etc.

4 Os recursos multimídia que compõem o ambiente de aprendizagem deve ser cuidadosamente planejado por webdesigners e devem considerar os seguintes requisitos: Tabela 4: Requisitos para Projeto do Ambiente de Aprendizagem Definição das mídias eletrônicas e impressas (hipertexto, texto, som, imagem, animação etc.) Elaboração de materiais (edição de textos, sons, imagens etc.) Seleção de imagens e sons Criação de uma biblioteca virtual Definição de padrões de cores Elaboração da programação visual Elaboração dos mapas conceituais e da modelagem de conteúdos Verificação final do projeto Os elementos que compõem o ambiente de aprendizagem via web necessitam estar correlacionados de forma a tornar possível a produção e ilustração de conceitos, realizar experimentos, agilizar tarefas e incentivar a interação social. A tabela a seguir apresenta um paralelo entre uma página web e um espaço de aprendizagem. Tabela 5: Página web versus Espaço de Aprendizagem Página Web Espaço de Aprendizagem Notas de aula são disponibilizadas com onotas de aula são disponibilizadas para que o objetivo facilitar o acesso ao material utilizado aluno possa ler o material utilizado nas aulas nas aulas. antes do início do curso. A lista de perguntas mais freqüentes (FAQ) é disponibilizada com o objetivo de informar sobre aspectos técnicos referente ao uso de sistemas de computação. A lista de alunos do curso é disponibilizada com o objetivo de facilitar a verificação na matrícula no curso e o acesso ao resultado das avaliações. A lista de exercícios é disponibilizada com o objetivo de facilitar o acesso a exercícios relativos aos conteúdos apresentados no curso. A preparação para a avaliação é feita através das listas de exercícios resolvidos são oferecidas possibilitando que o aluno se auto-avalie, identifique seus problemas e procure o professor para resolvê-los. A lista de perguntas mais freqüentes (FAQ) é disponibilizada com o objetivo de socializar a informação que flui nas aulas, ou seja, informar sobre aspectos técnicos referente ao uso de sistemas de computação e sobre aspectos teóricos referentes ao conteúdo do curso. A lista de alunos do curso além de facilitar a verificação da matrícula do curso e o acesso ao resultado das avaliações a lista de alunos é disponibilizada com o objetivo de facilitar o contato entre alunos e professores. A lista de exercícios é disponibilizada com o objetivo de facilitar o acesso a exercícios relativos aos conteúdos apresentados no curso. A preparação para a avaliação é feita através de testes com correção automática. Estes testes são oferecidos em oportunidades regulares possibilitando ao professor acompanhar o desempenho do aluno passo-a-passo. A partir destes testes é possível identificar aqueles alunos com dificuldades e organizar com eles tutoriais/grupos de discussão.

5 Sistemas de computação são disponibilizados com o objetivo de agilizar tarefas e ilustrar conceitos. Ferramentas da Internet são disponibilizadas com o objetivo de ampliar o conjunto de possibilidades de interação entre aluno e professor. Sistemas de computação são disponibilizados com o objetivo de introduzir/ilustrar conceitos, verificar hipóteses e agilizar tarefas. Ferramentas da Internet são disponibilizadas com o objetivo de ampliar o conjunto de possibilidades de interação e intercâmbio entre alunos e professores. 2.3 Implementação do Ambiente A terceira fase diz respeito a construção do ambiente propriamente dito. Durante esta fase é necessária a utilização de uma linguagem de programação específica para implementação do ambiente (html, java, asp etc.) ou alguma plataforma de gerenciamento de curso como Webct [7], Aulanet [6], Learning Space [8]. Esta fase deve ser desenvolvida por profissionais da Ciência da Computação. Para a implementação das características do ambiente como espaço físico, tipo de rede, conexão de computadores pessoais, acesso a Internet precisam ser consideradas. 2.4 Avaliação Ergonômica A quarta fase refere-se a fase de avaliação ergonômica. Nesta fase algumas características precisam ser observadas a fim de obter uma melhor adequação da integração de mídias, funcionamento dos links, forma de visualização e os graus de liberdade na navegação. Durante esta fase de avaliação deverão ser observados: Tabela 6: Critérios Ergonômicos Quanto a navegação: Existe facilidade na navegação? Dispõem de uma mapa de navegação? Os botões são bem definidos e facilmente identificados? Existe liberdade de entrada/saída das páginas? Existe cardápio de comandos? Quanto a legibilidade: As cores estão adequadas? O tamanho das figuras e das fontes são adequados? O projeto de Interface está bem elaborado? Quanto a utilização das mídias: Utiliza na interface recursos de multimídia, animação, gráficos e figuras? Há integração entre as mídias? O sistema responde com rapidez as ações do usuário? Quanto a ajuda ao usuário: Existe acesso a helps? (por exemplo, contextual, índice ou hipertextos) Quanto a impressão: As ilustrações podem ser impressas? O conteúdo pode ser impresso?

6 2.5 Avaliação Pedagógica A quinta fase refere-se a avaliação pedagógica, a qual deve estar em consonância com a proposta pedagógica definida na fase de design educacional (fase1). Esta fase deve ser desenvolvida, preferencialmente, por profissionais da Educação e da Psicologia Cognitiva os quais estão habilitados para avaliar as funções pedagógicas que o software pode proporcionar. Levando em consideração as diferentes formas de aprendizagem e os diversos perfis de aluno dentro de um ambiente de EAD, uma série de elementos devem ser cuidadosamente questionados. Durante a fase de avaliação deve levar em consideração os seguintes elementos: Tabela 7: Requisitos para Avaliação Pedagógica Conteúdo É coerente com o público alvo? A seqüência é coerente? Estimula várias formas de aprendizagem? Interdisciplinaridade Objetivos Coerentes com o público alvo? Coerente com o curriculum? Está a linguagem adaptada ao público? Como é tratado o erro? a) Pesquisa b) Reflexão c) Resposta direta d) Construção da resposta pelo aluno O software é motivante para o aluno aprender O software é auto-didático ou ele necessita da mediação do professor? O programa permite ser utilizado tanto individual quanto em grupo? 2.6 Avaliação de Usabilidade A sexta e última fase refere-se a avaliação do ambiente com os alunos. Nesta fase devem ser feitas validação e testes pilotos com os alunos. O objetivo é detectar o grau de satisfação, motivação e as dificuldades no uso do ambiente assim como o tipo de suporte dado durante as interações. Esta fase é de extrema importância para dar retorno a equipe pedagógica e técnica que idealizou o ambiente e dessa forma sugerir modificações e atualizações para versões futuras. 3. Considerações Finais Para a modelagem de ambientes de educação a distância utilizando mídias integradas torna-se necessário a organização prévia das atividades, desde preocupações com o design educativo até a implementação e avaliação pelos alunos. Uma das vantagens deste artigo está na utilização, previamente, dos requisitos para a elaboração de cursos para web e através de videoconferência, podendo também ser aplicados durante a gestão do curso e em fase de validação de cursos, possibilitando tanto a avaliação a nível pedagógico quanto computacional. Como consideração final, ressalta-se a importância do papel do professor como um mediador do processo de ensino-aprendizagem, visando criar atitudes de colaboração, estimulando o raciocínio do aluno e investigando os conflitos cognitivos que levam o aluno a questionar seu próprio pensamento.

7 A proposta apresentada neste artigo está sendo aplicado para a criação do ambiente virtual de aprendizagem do curso de graduação em Engenharia Química, com ênfase em Operação Petroquímica- projeto OPP. 4. Referências Bibliográficas [1] McCormack, C.;Jones, D. Building a Web-Based Education System. John Wiley & Sons, Inc., [2] Laaser, W. Desenho. produção e avaliação de software educacional. In: Tecnologia Educacional, v.22 (123/124), mar/jun [3] Vasconcellos, C.D. Construção do conhecimento em sala de aula. São Paulo, Ed. Libertad, [4] Fuks, H. Aprendizagem e trabalho cooperativo no ambiente AulaNet. Revista Brasileira de Informática na Educação, n.6, abril pp [5] Santos, N. Estado da arte em espaços virtuais de ensino e aprendizagem. Revista Brasileira de Informática na Educação, n.4, abril pp [6] Crespo, Sérgio. AulaNet TM: Uma Ferramenta para Desenvolvimento de Cursos à Distância. Anais do XIX Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Computação, Julho, [7] Webct. Web Course Tools. Extraído de /webct.html [8] Learning Space. Lotus Learning Space. Instructor Guide. Lotus Development Corporation. Cambridge. USA, 1998.

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Adja F. de Andrade adja@inf.pucrs.br 1 Beatriz Franciosi bea@inf.pucrs.br Adriana Beiler 2 adrianab@inf.pucrs.br Paulo R. Wagner prwagner@inf.pucrs.br

Leia mais

Modelando Ambientes de Aprendizagem a Distância Baseado no Uso de Mídias Integradas: um Estudo de Caso

Modelando Ambientes de Aprendizagem a Distância Baseado no Uso de Mídias Integradas: um Estudo de Caso 1 Modelando Ambientes de Aprendizagem a Distância Baseado no Uso de Mídias Integradas: um Estudo de Caso Beatriz Franciosi Adja F. de Andrade Adriana Beiler Paulo R. Wagner Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

Desenho didático para cursos online

Desenho didático para cursos online Desenho didático para cursos online Edméa Santos Professora da UERJ Professora-tutora do PROGED/ISP/UFBA E-mail: mea2@uol.com.br Site: www.docenciaonline.pro.br/moodle Que é cibercultura? Educação online:

Leia mais

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. CENÁRIO PROFISSIONAL 3. CONCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM E METODOLOGIA 4. ESTRATÉGIAS

Leia mais

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Fabrício Viero de Araújo, Gilse A. Morgental Falkembach Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Universidade

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes na Plataforma MOODLE para Apoio às Atividades Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Parnaíba, 14 de Novembro de 2012

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA 9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA Autor(es) MICHELE CRISTIANI BARION FREITAS Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO 1. Introdução A partir de ferramentas

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense

Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense Gerência da tutoria - o diferencial em uma plataforma on-line Luiz Valter Brand Gomes* Rosângela Lopes Lima* Filipe Ancelmo Saramago* Rodrigo Telles Costa* Instituto de Computação Universidade Federal

Leia mais

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL A nossa meta é envolver alunos e professores num processo de capacitação no uso de ferramentas tecnológicas. Para isto, mostraremos ao professor como trabalhar as suas disciplinas (matemática, português,

Leia mais

Um modo de ser. em educação a distância. dinâmica do meio educacional

Um modo de ser. em educação a distância. dinâmica do meio educacional dinâmica do meio educacional 1 :: marilú fontoura de medeiros professora doutora em Educação/UFRGS Um modo de ser em educação a distância Percorrer o atual contexto da Educação a Distância é trilhar um

Leia mais

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática II Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Sistemas Computacionais de Apoio à Educação Santa Cruz

Leia mais

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web 2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web A eficiência da educação a distância (EAD) depende da contribuição de diversas disciplinas. É comum encontrarmos estudos nas áreas da ciência da computação,

Leia mais

1. O processo de desenvolvimento de soluções tecnológicas educacionais

1. O processo de desenvolvimento de soluções tecnológicas educacionais MATPAPO: FERRAMENTA DE INTERAÇÃO SÍNCRONA PARA A APRENDIZAGEM DE ÁLGEBRA LINEAR Juliana Pereira G. de Andrade Universidade Federal de Pernambuco julianaandradd@gmail.com Verônica Gitirana Universidade

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região Objetivo geral Elaborar um projeto básico de curso on-line Objetivos específicos 1.Aplicar conceitos e fundamentos do DI na concepção

Leia mais

Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância

Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância Tânia Martins Preto 85 Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância Tânia Martins Preto (Mestre) Curso de Tecnologia em Processamento de Dados - Universidade Tuiuti do Paraná 86 Considerações

Leia mais

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE A CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Beatriz Regina Tavares Franciosi * bea@inf.pucrs.

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE A CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Beatriz Regina Tavares Franciosi * bea@inf.pucrs. ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE A CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Beatriz Regina Tavares Franciosi * bea@inf.pucrs.br * Anamaria Lopes Colla acolla@pucrs.br Marco Aurélio Souza Mangan * mangan@inf.pucrs.br

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO DE CASO REALIZADO NA UNISUL VIRTUAL

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO DE CASO REALIZADO NA UNISUL VIRTUAL ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO DE CASO REALIZADO NA UNISUL VIRTUAL DAFNE FONSECA ARBEX 1 DÊNIA FALCÃO DE BITTENCOURT 2 UNISUL VIRTUAL RESUMO O objetivo

Leia mais

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA por Anelise Pereira Sihler é Pedagoga, Especialista em Gestão de Pessoas, Gestão Educacional, Educação a Distância, Educação colaborativa, Relações Humanas, mestre

Leia mais

Tecnologia para o Ensino de Tecnologia

Tecnologia para o Ensino de Tecnologia FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Uma experiência no programa de pós-graduação da FEEC/UNICAMP Ivan Luiz Marques Ricarte Depto. Engenharia de Computação

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais

Manual do. Aluno. Brasília Empreendimentos Educacionais

Manual do. Aluno. Brasília Empreendimentos Educacionais Brasília Empreendimentos Educacionais 3 Apresentação 4 A BEE 5 A Educação a Distância EaD 6 O curso 7 O Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA 10 Como estudar na modalidade a distância 2 Apresentação Este

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

INTRODUÇÃO. Engenharia Ambiental PUCPR. 1 COURA, Gustavo Adriano & 2 ANDREOLI, Fabiana de Nadai 1 Orientando 2 Orientador

INTRODUÇÃO. Engenharia Ambiental PUCPR. 1 COURA, Gustavo Adriano & 2 ANDREOLI, Fabiana de Nadai 1 Orientando 2 Orientador DESENVOLVER E APLICAR O CONTEÚDO TÉCNICO INTERATIVO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA FUNDAMENTADA NO PARADIGMA DA COMPLEXIDADE MEDIADO PELO SISTEMA DE APOIO AO ALUNO VIA WEB - SAAW 1 COURA, Gustavo

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Ambientes Virtuais de Aprendizagem

Ambientes Virtuais de Aprendizagem SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS Modelagem Computacional de Ambientes de Apredizagem Profa. Silvia

Leia mais

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância HERMOSILLA, Lígia Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça FAEG - Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone (14) 3407-8000

Leia mais

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto PROJETO 7 1. Identificação do projeto Título:Cinema, vídeo e tridimensionalidade: o AVA-AV na integração do ensino presencial e a distância. Responsável:Dra. Ana Zeferina Ferreira Maio Vínculo institucional:professora

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos

CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos CONTRIBUIÇÕES DO USO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA O ENSINO- APRENDIZAGEM DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: a visão dos alunos Marli Fátima Vick Vieira 1 ; Gicele Vieira Prebianca 2 ; Tháfila Krum de

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

O MUNDO MUDOU. #fato

O MUNDO MUDOU. #fato DO GIZ AO BYTE O MUNDO MUDOU #fato Sociedade da Informação Informação como recurso estratégico Uso intensivo das TIC Interação digital Diversas formas de fazer as mesmas, ou novas coisas Qual é a sua?

Leia mais

APRENDENDO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO VIA WEB

APRENDENDO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO VIA WEB APRENDENDO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO VIA WEB Romero Tori Universidade de São Paulo Escola Politécnica INTERLAB Laboratório de Tecnologias Interativas-USP Instituto Sumaré de Educação Superior rometori@usp.br

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres

Tópicos de Ambiente Web. Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Tópicos de Ambiente Web Modulo 2 Processo de desenvolvimento de um site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Motivação Desenvolvimento de um site Etapas no desenvolvimento de software (software:site) Analise

Leia mais

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013)

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Questionamentos que devem ser enfrentados 1. Como você descreveria esse ambiente

Leia mais

CONVITE Nº 01/2012 ANEXO I - DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS

CONVITE Nº 01/2012 ANEXO I - DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS CONVITE Nº 01/2012 ANEXO I - DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS OBJETIVO E ESCOPO 1. Informações Gerais 1.1 Objetivo geral do trabalho: desenvolvimento de novo site institucional para o Senac (www.senac.br), nas versões

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Aspectos Importantes - Desenvolvimento de Software Motivação A economia de todos países dependem do uso de software. Cada vez mais, o controle dos processos tem sido feito por software. Atualmente, os

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg.

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg. CURSO DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS ON-LINE: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA Mônica Mota Tassigny Professora doutora da Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil 1. INTRODUÇÃO Numa sociedade mundial, na qual

Leia mais

GLOSSÁRIO. Ação educacional ação de ensino-aprendizagem (ex.: curso, seminário, palestra, treinamento, capacitação).

GLOSSÁRIO. Ação educacional ação de ensino-aprendizagem (ex.: curso, seminário, palestra, treinamento, capacitação). 137 GLOSSÁRIO Abordagem sistêmica método que integra diferentes ciências na investigação, pesquisa ou estudo de determinado tema, assunto, objeto ou fenômeno. Ação educacional ação de ensino-aprendizagem

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

INTERNET COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA: uma experiência de capacitação de professores

INTERNET COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA: uma experiência de capacitação de professores INTERNET COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA: uma experiência de capacitação de professores PADILHA, Maria Auxiliadora Soares, Faculdades Integradas da Vitória de Santo Antão Vitória de Santo Antão, PE apadilha@faintvisa.com.br

Leia mais

Simulação baseada na web: uma ferramenta ao ensino em Enfermagem em Terapia Intensiva. Sayonara de Fátima F. Barbosa Heimar de Fátima Marin

Simulação baseada na web: uma ferramenta ao ensino em Enfermagem em Terapia Intensiva. Sayonara de Fátima F. Barbosa Heimar de Fátima Marin Simulação baseada na web: uma ferramenta ao ensino em Enfermagem em Terapia Intensiva Sayonara de Fátima F. Barbosa Heimar de Fátima Marin Objetivos Desenvolver, implementar e avaliar uma simulação em

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

Interação Homem-Computador: As Interfaces

Interação Homem-Computador: As Interfaces Especialização em Tecnologias de Software para Ambiente Web Interação Homem-Computador: As Interfaces Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Projeto e Avaliação de Interfaces:

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ 1 A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ Maio/2007 Fabiano Palhares Galão - Unopar Universidade

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tecnologias da Informação e. Comunicação. Ano Letivo: 2011/2012 E 2012/2013. Professora: Marlene Fernandes. (Marlene Fernandes)

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tecnologias da Informação e. Comunicação. Ano Letivo: 2011/2012 E 2012/2013. Professora: Marlene Fernandes. (Marlene Fernandes) PLANIFICAÇÃO ANUAL Tecnologias da Informação e Comunicação CEF 1 Práticas Técnico-Comerciais Ano Letivo: 2011/2012 E 2012/2013 Professora: Marlene Fernandes (Marlene Fernandes) / / Ano Letivo 2011/2012

Leia mais

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia.

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia. Tecnologias da Educação Marco Antônio Tecnologias e mídias Comunicar não é de modo algum transmitir uma mensagem ou receber uma mensagem. Isso é a condição física da comunicação, mas não é comunicação.

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

MBA Executivo. Coordenação Acadêmica: Prof. Marcos Avila Apoio em EaD: Prof a. Mônica Ferreira da Silva Coordenação Executiva: Silvia Martins Mendonça

MBA Executivo. Coordenação Acadêmica: Prof. Marcos Avila Apoio em EaD: Prof a. Mônica Ferreira da Silva Coordenação Executiva: Silvia Martins Mendonça Coordenação Acadêmica: Prof. Marcos Avila Apoio em EaD: Prof a. Mônica Ferreira da Silva Coordenação Executiva: Silvia Martins Mendonça 1 O Instituto COPPEAD: O Instituto COPPEAD oferece o curso de especialização

Leia mais

Um Assistente Virtual Inteligente Dirigido por Várias Metodologias Educacionais no Ensino em Informática

Um Assistente Virtual Inteligente Dirigido por Várias Metodologias Educacionais no Ensino em Informática Um Assistente Virtual Inteligente Dirigido por Várias Metodologias Educacionais no Ensino em Informática Abstract. This work shows the evolution of Intelligent Teaching Assistant SAE that include and provide

Leia mais

Planejamento de Atividades a Distância em Cursos Presenciais

Planejamento de Atividades a Distância em Cursos Presenciais Planejamento de Atividades a Distância em Cursos Presenciais Ricardo Carvalho Rodrigues Faculdade Sumaré Duração: 6 horas Planejamento de Atividades a Distância em Cursos Presenciais Ricardo Carvalho Rodrigues

Leia mais

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES Silvia Regina Viel Rodrigues - Uni-FACEF Introdução Localizado no Departamento de Matemática, Unesp, Rio Claro, sob a coordenação do professor

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura OEI/TOR/MEC/DTI nº 003/2009 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004

Leia mais

USO DE MAPAS CONCEITUAIS NA AUTORIA DE CURSOS A DISTÂNCIA

USO DE MAPAS CONCEITUAIS NA AUTORIA DE CURSOS A DISTÂNCIA USO DE MAPAS CONCEITUAIS NA AUTORIA DE CURSOS A DISTÂNCIA Anderson Ricardo Yanzer Cabral Resumo Em instituições que trabalham com o desenvolvimento de cursos e treinamentos a distância um dos grandes desafios

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º EMENTA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE ENSINO Rua Esmeralda, 430 Faixa Nova Camobi -97110-767

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática.

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática. MATRIZ CURRICULAR* Disciplina CH Integração 20 Planejamento e Gestão em Educação a Distância 40 Cultura Virtual, Pensamento e Construção do Conhecimento na Educação a Distância 40 Noções de Gestão de Projetos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO Avenida Cel. Antonio Esteves nº 01. Campos da Aviação. Cep 27.523.000. Resende-RJ. Tel/Fax: (24) 3383-9000

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO Avenida Cel. Antonio Esteves nº 01. Campos da Aviação. Cep 27.523.000. Resende-RJ. Tel/Fax: (24) 3383-9000 ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO Avenida Cel. Antonio Esteves nº 01. Campos da Aviação. Cep 27.523.000. Resende-RJ. Tel/Fax: (24) 3383-9000 www.aedb.br Prezado (a) Aluno (a) Sejam bem-vindos as disciplinas

Leia mais

SISTEMAS HIPERMÍDIA E MULTIMÍDIA

SISTEMAS HIPERMÍDIA E MULTIMÍDIA SISTEMAS HIPERMÍDIA E MULTIMÍDIA Prof. Dr. Juliano Schimiguel Tutor. Msd. Rolfi C. Gomes Unidade V Engenharia de Software x Engenharia Web Propósitos de Websites Atividades da EW Categorias de Aplicações

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 NOVA ANDRADINA MS MARÇO DE 2015 ESCOLA ESTADUAL LUIZ SOARES ANDRADE PLANO DE AÇÃO 2015 Plano de ação a ser desenvolvido no ano letivo de 2015, pelo

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores Profª Levany Rogge Os softwares são considerados programas educacionais a partir do momento em que são projetados através de uma metodologia que os contextualizem no processo ensino-aprendizagem; Tajra

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL Prezado(a) aluno(a); Este material que você está começando a ler trata-se do manual do aluno, referente às disciplinas que serão ministradas através

Leia mais

Workflow Genético para Planejamento e Gerenciamento de Currículo em EAD

Workflow Genético para Planejamento e Gerenciamento de Currículo em EAD Workflow Genético para Planejamento e Gerenciamento de Currículo em EAD Autor: Robson da Silva Lopes 1, Orientadora: Prof a. Dr a. Márcia Aparecida Fernandes 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da

Leia mais

http://www2.joinville.udesc.br/~gpie Avanilde Kemczinski, Dra.

http://www2.joinville.udesc.br/~gpie Avanilde Kemczinski, Dra. http://www2.joinville.udesc.br/~gpie Foco As investigações do grupo estão relacionadas a utilização, avaliação e desenvolvimento de Tecnologias de Informação e Comunicação - TIC, como elemento facilitador

Leia mais

O modelo unificado de processo. O Rational Unified Process, RUP.

O modelo unificado de processo. O Rational Unified Process, RUP. Cursos: Sistemas de Informação Disciplina: Administração ADM Prof. Jarbas Avaliação: Prova B1, 5º/6º semestres Data: 27/09/2010 Nome: Gabarito RA: Assinatura: Turma: 1) Segundo as afirmações a seguir,

Leia mais

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DO SOFTWARE DE GESTÃO DE PROJETOS DOTPROJECT NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DO SOFTWARE DE GESTÃO DE PROJETOS DOTPROJECT NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD 1 UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DO SOFTWARE DE GESTÃO DE PROJETOS DOTPROJECT NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD Serra, 05/2009 Saymon Castro de Souza Ifes saymon@ifes.edu.br

Leia mais

Comportamento Humano: Liderança, Motivação e Gestão do Desempenho

Comportamento Humano: Liderança, Motivação e Gestão do Desempenho A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL. Proposta de operacionalização. Formação dos professores na escola

PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL. Proposta de operacionalização. Formação dos professores na escola Ministério da Educação Secretaria de Educação a Distância Projeto Um Computador por Aluno PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL Proposta de operacionalização Formação dos professores na escola Outubro, 2009 FORMAÇÃO

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR 1º SEMESTRE P101 Desenvolvimento Web 80 CE05 CE06 P102 Língua Portuguesa 40 CG08 CG13 P103 Algoritmos e Lógica de Programação 80

Leia mais

Projeto do Curso de Especialização em Informática na Educação

Projeto do Curso de Especialização em Informática na Educação Projeto do Curso de Especialização em Informática na Educação - Modalidade a Distância Coordenação FACULDADE DE INFORMÁTICA - FACIN Profa. Dr. Adriana Beiler FACULDADE DE EDUCAÇÃO FACED Profa. Msc. Sônia

Leia mais

Educação a Distância no TRT-RS desenvolvimento de pessoas e gestão do conhecimento

Educação a Distância no TRT-RS desenvolvimento de pessoas e gestão do conhecimento Educação a Distância no TRT-RS desenvolvimento de pessoas e gestão do conhecimento Apresentação Rene Chabar Kapitansky- Diretor da SRH Fernanda Carneiro Leão Gonçalves- Coordenadora de EAD Colar foto aqui

Leia mais

PLANO DE TREINAMENTO

PLANO DE TREINAMENTO DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Curso: Curso de Desenvolvimento de Servidores PLANO DE TREINAMENTO Treinamento: Controle de Sistemas de Informação Módulo II Método

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

REDU: UM AMBIENTE VIRTUAL COLABORATIVO PARA ENSINO DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO. Porto Nacional TO Maio 2012

REDU: UM AMBIENTE VIRTUAL COLABORATIVO PARA ENSINO DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO. Porto Nacional TO Maio 2012 REDU: UM AMBIENTE VIRTUAL COLABORATIVO PARA ENSINO DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO Porto Nacional TO Maio 2012 Categoria: Métodos e Tecnologia Setor Educacional: 3 Classificação das Áreas de Pesquisa

Leia mais

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS Carlos Eduardo Rocha dos Santos, UNIBAN, carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

2. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

2. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 2. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Neste capítulo serão apresentados conceitos sobre Educação a Distância, as tecnologias de comunicação envolvidas nesse processo e alguns ambientes de gerenciamento de cursos utilizados

Leia mais

Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet

Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet 1 de 5 22/7/2008 17:14 Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet Adriana Soares Pereira Cláudio Fernando Resin Geyer adriana@inf.ufrgs.br Resumo Este trabalho apresenta uma proposta de desenvolvimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais