Interface Homem-Computador

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Interface Homem-Computador"

Transcrição

1 Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros

2 Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos Modelo de Norman Engenharia Semiótica Comunicação designer-usuário Processo de comunicação Semiótica e Signo

3 Teorias da interação Fundamentos A Engenharia cognitiva centraliza-se na idéia de que a Interação Homem-Computador é completamente gerida pela interpretação e avaliação de atividades executadas por usuários: que possuem o desafio de traduzir metas em eventos de entrada; e de julgar as reações do sistema a partir de eventos de saída. A proposição da Engenharia Cognitiva estabeleceu a base para o que se denominou de Engenharia Semiótica. 3

4 A Interação Usuário - Sistema Interação Sistema Usuário DIMAp-UFRN 4

5 Engenharia Cognitiva Das teorias de design centrado no usuário, é uma mais conhecidas; Baseado nos modelos de usuário e de tarefa, o projetista de sistema cria inicialmente o seu modelo mental do sistema, chamado de design, e este modelo passa a ser a imagem do sistema [NORMAN, 1986]. A partir da implementação do modelo, o usuário começa a interagir com a imagem do sistema, denominado modelo do usuário, que nada mais é que seu modelo mental da aplicação; O modelo mental é o que permite ao usuário estabelecer suas intenções e seus objetivos relativos a comando e funções do sistema. 5

6 Engenharia Cognitiva De acordo com a engenharia cognitiva, o objetivo do designer é desenvolver um sistema que, com o processo de interação, ofereça aos usuário a possibilidade de criar um modelo mental afinado como que foi projeto pelo designer.... acredita ser necessário que o projetista de sistema entenda o processo de interação entre o usuário e a interface do sistema [NORMAN, 1986]. Cognitivo [AURÉLIO, v.5] [Adjetivo] Relativo à cognição, ou ao conhecimento. 6

7 O design no Projeto de Interfaces de Usuário DIMAp-UFRN Interação Designer Sistema Teorias e Modelos Métodos e técnicas Princípios, Diretrizes, Normas e Padrões Ferramentas e Linguagens Usuário 7

8 Engenharia Cognitiva A estratégia das abordagens cognitivas para o apoio ao design de sistemas interativos consiste na elaboração de modelos cognitivos genéricos que permitam aos designers entender os processos cognitivos humanos usados na interação; e realizar experimentos ou previsões com esses modelos. 8

9 A área Interação Humano-Computador IHC DIMAp-UFRN 9

10 Engenharia Cognitiva A idéia básica é que modelos cognitivos que descrevem os processos e estruturas mentais Ex: recordação, interpretação, planejamento e aprendizado. Podem indicar para pesquisadores e projetistas quais as propriedades que os modelos de interação devem ter de maneira que a interação possa ser desempenhada mais facilmente pelos usuários. 10

11 Engenharia Cognitiva :: Modelo de Norman lh4.ggpht.com 11

12 Engenharia Cognitiva :: Modelo de Norman Teoria da Ação Esta teoria defende que a relação entre usuário e sistema seja mentida durante um ciclo de ação de sete etapas, ao longo dos quais, por sua vez, dois golfos deverão ser transportados; Golfo de Execução etapas de definição da meta, da especificação das ações para alcançá-la e das atividades físicas de execução; Golfo da Avaliação deve ser superado por meio da percepção, da interpretação e da avaliação da meta. 12

13 Engenharia Cognitiva Conclusão Engenharia Cognitiva, o objetivo do designer é desenvolver um sistema que, com o processo de interação, ofereça ao usuário a possibilidade de criar um modelo mental afinado com o que foi projetado pelo designer. O processo de design se inicia com o modelo mental que o designer cria do sistema; Engenharia Cognitiva focaliza centralmente a interação usuário-sistema, enfatizando o produto final do processo de design, o sistema; e O modo como o usuário o entende. 13

14 Engenharia Cognitiva - Situação Exemplo. Etapas da interação usuário - sistema. Em um sistema de biblioteca, um usuário que queira fazer uma consulta sobre um livro ou artigo, poderia passar pelas seguintes etapas de interação, de acordo com a abordagem centrada no usuário: 14

15 Golfo de execução Engenharia Cognitiva e Semiótica Interface Homem Computador - Prof. M.Sc. Flávio Barros Engenharia Cognitiva - Situação Formulação da intenção Quero procurar a referência completa do livro Human-Computer Interaction, editado por Preece. Especificação da sequência de ações Devo selecionar o comando de busca e entrar com os dados que eu tenho. Execução Ativo busca no menu; digito o nome do livro no campo nome do livro ; digito o nome do autor no campo nome do autor ; seleciono OK 15

16 Golfo de avaliação Engenharia Cognitiva e Semiótica Interface Homem Computador - Prof. M.Sc. Flávio Barros Engenharia Cognitiva - Situação Percepção Apareceu uma nova tela com dados de livro. Interpretação Os dados apresentados correspondem à busca que eu fiz. Avaliação Encontrei as informações que eu queria; Completei a tarefa com sucesso. 16

17 Engenharia Cognitiva - Atividade Questão 01. Imagine que você é o usuário do sistema de biblioteca do exemplo anterior e deseja imprimir a referência encontrada, e que na interface existe um botão imprime. Descreva cada um dos passos que você tomaria para atravessar o golfo de execução. Observação: A travessia do golfo de avaliação, neste caso, envolve dispositivos periféricos, papel, submetas, etc. Questão 02. Imagine que você é o usuário do sistema de biblioteca e precisa fazer uma consulta. Para isto, você seguiu os três primeiros passos descritos no exemplo anterior para atravessar o golfo de execução. Para cada uma das respostas do sistema apresentadas abaixo, descreva seus passos para atravessar o golfo de avaliação (percepção, interpretação, avaliação): Sistema não forneceu feedback; Sistema emitiu um som de bip; Sistema voltou para a tela inicial. 17

18 Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos Modelo de Norman Engenharia Semiótica Comunicação designer-usuário Processo de comunicação Semiótica e Signo

19 Engenharia Semiótica Definição É uma abordagem para IHC na qual o design e a interação fazem parte de um processo comunicativo. É uma abordagem na qual os sistemas computacionais são vistos como artefatos de meta-comunicação, através do qual o designer envia uma mensagem para o usuário, cujo conteúdo é a funcionalidade (o que o usuário pode fazer) e a interatividade (como o usuário pode interagir). 19

20 Engenharia Semiótica Características Nesse processo, o designer envia uma mensagem para o usuário, cujo conteúdo é: O que o usuário pode fazer e; Como o usuário pode interagir. 20

21 lh6.ggpht.com Engenharia Semiótica Comunicação designer-usuário O processo de design é uma atividade de comunicação unidirecional e assíncrona. 21

22 Engenharia Semiótica Características (cont.) É uma teoria explicativa de IHC, ou seja, uma teoria que nos permite entender os fenômenos envolvidos no design, uso e avaliação de um sistema interativo; É uma teoria explicativa, que privilegia métodos qualitativos de pesquisa; Objetivo: Esclarecer a natureza e aspectos envolvidos nestas atividades; Não é objetivo prever resultados de uma ação ou levar o designer a buscar a solução correta para o problema em questão. 22

23 Engenharia Semiótica Como teoria da IHC IHC é um tipo de metacomunicação mediada por computador; Os designer do sistema computacional enviam uma mensagem única e unidirecional; A mensagem diz aos usuários como eles podem comunicar com o sistema. 23

24 Engenharia Semiótica Comunicabilidade Qualidade da eficácia na comunicação designer-usuário; Avalia se o designer conseguiu ser bem sucedido na tarefa de comunicar para o usuário suas intenções de design: Quais são as soluções para o problema do usuário; Como o usuário pode interagir com o sistema. Vide Processo de Comunicação. 24

25 Engenharia Semiótica Processo de Comunicação 25

26 Engenharia Semiótica Processo de Comunicação 26

27 Engenharia Semiótica Semiótica e Signo Semiótica Disciplina que estuda processo de significação e comunicação. Signo Um signo é qualquer coisa que está no lugar de uma outra coisa para alguém sob determinados aspectos ou capacidades 27

28 Engenharia Semiótica Semiótica e Signo 28

29 Engenharia Semiótica Engenharia de Signos Engenharia semiótica é uma engenharia de significados O que o designer precisa comunicar: Dados, funções, comandos, resultados, erros, etc; e de representações Janelas, botões, menus, páginas; através da escolha de signos Signo >> Alguma coisa que está no lugar de outra para alguém; Interpretação é um processo mental ilimitado. 29

30 Engenharia Semiótica Signos, quais? DIMAp-UFRN 30

31 Engenharia Semiótica Signos como elementos de comunicação DIMAp-UFRN A importância do conceito de interpretante Cada interpretação feita é particular ao interprete; É um processo ilimitado. 31

32 Engenharia Semiótica Signos em IHC - Gui DIMAp-UFRN 32

33 Engenharia Semiótica A mensagem interativa em IHC - Gui DIMAp-UFRN O processo de interação faz parte da mensagem 33

34 Pontos Importantes... O processo comunicativo designer-usuário faz parte do processo de design; A teoria da engenharia semiótica coloca o processo comunicativo em primeiro plano; Não se tem garantia de que o usuário vai interpretar os significados pretendidos pelo designer. 34

35 Pontos Importantes... Técnicas de design devem utilizar técnicas de comunicação - não é apenas a definição de ícones: Definir o que precisa comunicar; Escolher os signos e códigos mais adequados: Uso da linguagem do usuário Uso de códigos mais representativos Diálogo contínuo e coerente Organização dos signos na mensagem 35

36 Pontos Importantes... A engenharia semiótica diz que: O design envolve o um processo de comunicação designer-usuário; A interface de usuário é a mensagem interativa desta comunicação. Assim, os modelos de comunicação: Conhecer o contexto: análise de usuário e tarefas; Definir o conteúdo: design conceitual e funcional; Elaborar a mensagem: design da interface; Saber se usuário entendeu: avaliação da experiência. 36

37 Referências NETTO, A. A. O. IHC Modelagem e Gerência de Interfaces com o Usuário. 1ª. ed., São Paulo: Visual Books, TIOLA, Fabrícia. Interação Humano-Computador: um dos grades desafios da computação na atualidade. FIC. ASSIS, Gilda A. de. Interface Homem-Computador. UCS. LEITE, Jair C. Design de Interfaces de Usuário DIMAp- UFRN. LEITE, Jair C. Seminário do grupo de pesquisa em IHC DIMAp-UFRN. SOUZA, Aguinaldo. O software, a interface e os gêneros digitais. UFPE.

38 Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Obrigado pela atenção!

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Teoria de IHC Explicações e previsões fenômenos de interação entre usuário e o sistema. Na década de 80 as fundamentações

Leia mais

Teoria para IHC: Engenharia Semiótica

Teoria para IHC: Engenharia Semiótica Teoria para IHC: Engenharia Semiótica ERBASE EPOCA 2009 2010 Engenharia Semiótica: uma nova perspectiva A Engenharia Semiótica é uma abordagem para IHC na qual o design e a interação fazem parte de um

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia de Usabilidade Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia de Usabilidade Definição

Leia mais

Fundamentos de Design Web

Fundamentos de Design Web Fundamentos de Design Web Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web Dimensões do sistema &RQFHLWXDO )XQFLRQDO,QWHUDomR &RPXQLFDomR Conceitual Modelo conceitual da aplicação. Funcional Funções

Leia mais

Interface Homem- Computador

Interface Homem- Computador Interface Homem- Computador (IHC) Profª. Leticia Lopes Leite Software Educacional I Interface Deve ser entendida como sendo a parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato física,

Leia mais

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Objetivos - por que avaliar? Critérios - o que avaliar? Métodos e técnicas - como avaliar? Forma - quando e onde avaliar?

Leia mais

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP Interação Humano-Computador Avaliação em IHC: Percurso Cognitivo www.inf.puc-rio.br/~inf1403 4 paradigmas para a avaliação de IHC 1. O rápido e rasteiro (que prima pela informalidade) 2. Os testes de usabilidade

Leia mais

A abordagem da Engenharia Semiótica para o desenvolvimento de software centrado no usuário

A abordagem da Engenharia Semiótica para o desenvolvimento de software centrado no usuário A abordagem da Engenharia Semiótica para o desenvolvimento de software centrado no usuário Jair Cavalcanti Leite Departamento de Informática e Matemática Aplicada Universidade Federal do Rio Grande do

Leia mais

Projeto de Interfaces de Usuário

Projeto de Interfaces de Usuário Projeto de Interfaces de Usuário Perspectivas Cognitivas e Semióticas Clarisse Sieckenius de Souza *, Jair Cavalcanti Leite, Raquel Oliveira Prates *, Simone D.J. Barbosa * clarisse@inf.puc-rio.br; jair@dimap.ufrn.br;

Leia mais

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Formosa Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Prof. M.Sc. Victor Hugo Lázaro Lopes IHC Paradigmas de IHC AGENDA Engenharia Cognitiva

Leia mais

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Instituto Federal do Sertão-PE Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Prof. Felipe Correia Conteúdo Por que estudar Design de Interfaces e Usabilidade?! Conceitos básicos sobre Design! Primeira

Leia mais

Projeto de Interfaces de Usuário

Projeto de Interfaces de Usuário Resumo Projeto de Interfaces de Usuário Perspectivas Cognitivas e Semióticas Clarisse Sieckenius de Souza *, Jair Cavalcanti Leite, Raquel Oliveira Prates *, Simone D.J. Barbosa * clarisse@inf.puc-rio.br;

Leia mais

Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)?

Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)? Profa. Tatiana Aires Tavares tatiana@lavid.ufpb.br Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)? Criar desejos... Resolver problemas do nosso dia-a-dia Facilitar a vida da gente Tornar possível...

Leia mais

Engenharia Semiótica. Engenharia Cognitiva. Engenharia Cognitiva [Norman, 1986] Engenharia Semiótica [de Souza, 1993, 2005] Interface?

Engenharia Semiótica. Engenharia Cognitiva. Engenharia Cognitiva [Norman, 1986] Engenharia Semiótica [de Souza, 1993, 2005] Interface? Engenharia Cognitiva MODELO MENTAL DO SISTEMA: modelo de design MODELO MENTAL DO SISTEMA: modelo de uso contexto Elton José da Silva (UFOP) Milene Selbach (PUCRS) Ouro Preto- MG Março de 2012 imagem do

Leia mais

IHM Interface Humano-Máquina

IHM Interface Humano-Máquina A IHM Interface Humano-Máquina Prof. Dra. Sílvia Dotta Aula 1 - Introdução Roteirodaaula Apresentação da disciplina Motivação, Objetivos Metodologia de ensino Introdução e conceituação de IHM Histórico

Leia mais

8 Considerações finais

8 Considerações finais 8 Considerações finais Neste trabalho, propusemo-nos a elaborar uma ferramenta epistêmica de apoio ao design de SiCo s, fundamentada na EngSem, que ajude o designer a elaborar seu projeto da comunicação

Leia mais

USABILIDADE COMO A QUALIDADE QUE AO MESMO TEMPO SATISFAZ AS NECESSIDADES DO USUÁRIO.

USABILIDADE COMO A QUALIDADE QUE AO MESMO TEMPO SATISFAZ AS NECESSIDADES DO USUÁRIO. USABILIDADE COMO A QUALIDADE QUE AO MESMO TEMPO SATISFAZ AS NECESSIDADES DO USUÁRIO. RESUMO: Profº. MSc. PAULO ROBERTO LOBÃO LIMA Desde o princípio a industrialização sempre foi um tema inquietante em

Leia mais

2 Trabalhos Relacionados

2 Trabalhos Relacionados 2 Trabalhos Relacionados Neste capítulo serão descritos alguns modelos para o design de sistemas interativos e suas limitações, apontando as motivações práticas e teóricas para se criar novas representações

Leia mais

Interação Humano-Computador: Conceitos Básicos INF 1403 Introdução a IHC Aula 03 19/02/2014 Conteúdo da Aula Interação, Interface e Affordance Critérios de qualidade de uso Usabilidade Experiência do Usuário

Leia mais

Parte II. Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web. Roteiro. z Usabilidade. z Interatividade. z Comunicabilidade. Conceitos Problemas

Parte II. Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web. Roteiro. z Usabilidade. z Interatividade. z Comunicabilidade. Conceitos Problemas Parte II Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web Roteiro z Usabilidade Conceitos Problemas z Interatividade Modelo teórico Técnicas e diretrizes z Comunicabilidade Modelo teórico Técnicas

Leia mais

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo (abraposo@inf.puc-rio.br Sala 417 RDC) Aula Inaugural 29/Fev/2012 INF 1403 Site da disciplina SERG,

Leia mais

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Introdução -Apesar de IHC ser uma área bastante prática, muitos métodos, modelos

Leia mais

Usabilidade Trabalhando com Hierarquias de Metas (2)

Usabilidade Trabalhando com Hierarquias de Metas (2) 1 Usabilidade Trabalhando com Hierarquias de Metas (2) 10/09/2014 www.inf.puc-rio.br/~inf1403 2 Recordando Hierarquia de Metas 1 2a 2b 3a 3b 1. Qual é a Meta Global? 2. Em quantas Submetas a Meta Global

Leia mais

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação 1 Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação INF1403 Introdução a IHC Luciana Salgado Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações

Leia mais

Interface Humano -Computador

Interface Humano -Computador A Interface Humano -Computador Aula 01 - Conceitos Iniciais Giliane Bernardi - giliane@inf.ufsm.br http://nte.ufsm.br Introdução Relembrando aspectos da Engenharia de Software Ciclo de Vida de um Software

Leia mais

Humano-Computador (IHC)

Humano-Computador (IHC) 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WA Professora: Clarisse Sieckenius de Souza O Método M de Inspeção Semiótica (MIS) 2/2 26/04/2010 2 O MIS vai EXPLICITAR a mensagem DO DESIGNER

Leia mais

DEINF - UFMA Especialização em Análise e Projeto de Sistema

DEINF - UFMA Especialização em Análise e Projeto de Sistema DEINF - UFMA Especialização em Análise e Projeto de Sistema Interação Humano Computador Prof. Anselmo C. de Paiva Depto de Informática - UFMA Fatores Humanos em IHC Fatores Humanos em IHC Estudo das capacidades

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Percepção Visual e de Cores - Parte I Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Percepção Visual e de

Leia mais

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação 1 Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação INF1403 Introdução a IHC Luciana Salgado Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações

Leia mais

Avaliação de IHC: objetivos

Avaliação de IHC: objetivos Avaliação de IHC: objetivos Decisões de design afetam usabilidade Conhecimento dos usuários e de suas necessidade Design: Design: diferentes diferentes soluções soluções possíveis possíveis Interação:

Leia mais

Cognição e Fatores Humanos em IHC

Cognição e Fatores Humanos em IHC Cognição e Fatores Humanos em IHC Profa. Cristina Paludo Santos Slides baseados no livro: Design e Avaliação de Interfaces Humano Computador (Heloísa Vieira da Rocha/M.Cecília C. Baranauskas). Material

Leia mais

A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000

A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000 A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000 Jair Cavalcanti Leite Universidade Federal do Rio Grande do Norte Campus Universitário, Lagoa Nova 59072-970 Natal,

Leia mais

Aplicação do Método M Exemplo: Bloco de Notas [Bim, 2009]

Aplicação do Método M Exemplo: Bloco de Notas [Bim, 2009] 1 Aplicação do Método M de Inspeção Semiótica (MIS) Exemplo: Bloco de Notas [Bim, 2009] Introdução a IHC 09/05/2013 2 MIS do Bloco de Notas - Etapa de Preparação (1/2) Porção do artefato inspecionada:

Leia mais

MAX-FLOW Um estudo de interface e usabilidade de uma ferramenta de editoração de processo

MAX-FLOW Um estudo de interface e usabilidade de uma ferramenta de editoração de processo MAX-FLOW Um estudo de interface e usabilidade de uma ferramenta de editoração de processo Isac Velozo de C. Aguiar, Eduardo M. F. Jorge Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia Centro Universitário da

Leia mais

Interação Humano Computador IHC

Interação Humano Computador IHC Universidade Federal do Vale do São Francisco -UNIVASF Colegiado de Engenharia de Computação IHC Prof. Jorge Cavalcanti Jorge.cavalcanti@univast.edu.br www.twitter.com/jorgecav Informações Gerais da Disciplina

Leia mais

Professora: Clarisse Sieckenius de Souza

Professora: Clarisse Sieckenius de Souza 1 INF1403 O Método M de Inspeção Semiótica (MIS) Professora: Clarisse Sieckenius de Souza 2 Caracterização de IHC A visão centrada na comunicação A idéia ia central de Engenharia Semiótica Os designers

Leia mais

I F N 1 F 4 1 0 4 3 0 3 In I t n r t o r d o u d ç u ã ç o ã o a a I n I t n e t r e a r ç a ã ç o ã

I F N 1 F 4 1 0 4 3 0 3 In I t n r t o r d o u d ç u ã ç o ã o a a I n I t n e t r e a r ç a ã ç o ã 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo Interface e interação Qualidade da Experiência do Usuário Usabilidade, comunicabilidade, acessibilidade

Leia mais

Interação e Interface com Sistemas Aéreos. IV Encontro Brasileiro de Psicologia Aplicada à Aviação

Interação e Interface com Sistemas Aéreos. IV Encontro Brasileiro de Psicologia Aplicada à Aviação Interação e Interface com Sistemas Aéreos IV Encontro Brasileiro de Psicologia Aplicada à Aviação Objetivo Conhecer os conceitos de interação e interfaces homem-maquina e suas implicações nos processos

Leia mais

I F1 F 403 In I t n rod o u d ç u ão o a I n I t n eração Hum u ano n -Com o pu p t u ado d r o ( IH I C) Turm r a m 3W 3 C 2 / 8 Fev e /20 2 1 0 1

I F1 F 403 In I t n rod o u d ç u ão o a I n I t n eração Hum u ano n -Com o pu p t u ado d r o ( IH I C) Turm r a m 3W 3 C 2 / 8 Fev e /20 2 1 0 1 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WC Professor: Alberto Barbosa Raposo Interface e interação Qualidade da Experiência do Usuário Usabilidade, comunicabilidade, acessibilidade

Leia mais

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Linguagem de Programação Visual Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Historico 50s Interfaces são painel de controles do hardware, usuário são engenheiros; 60-70s Interfaces são programas em linguagens

Leia mais

Modelos e Formalismos para a Engenharia Semiótica de Interfaces de Usuário

Modelos e Formalismos para a Engenharia Semiótica de Interfaces de Usuário Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Informática Jair Cavalcanti Leite Modelos e Formalismos para a Engenharia Semiótica de Interfaces de Usuário Tese apresentada ao Departamento

Leia mais

Principais Estilo de. Fabricio de Sousa

Principais Estilo de. Fabricio de Sousa Principais Estilo de Interação Fabricio de Sousa Principais Estilos de Interação Termo genérico que inclui todas as formas usadas pelos usuários para comunicarem ou interagirem com sistemas computacionais

Leia mais

Alan Kay: For users, the user interface is the program

Alan Kay: For users, the user interface is the program O que é Interface Interface Ambiente onde se dá a comunicação com os usuários do sistema. A introdução de uma ferramenta de informática interativa em um ambiente de trabalho, modifica a realização da tarefa

Leia mais

APLICAÇÃO DA SEMIÓTICA NO DESENVOLVIMENTO DE INTERFACES HUMANO COMPUTADOR. Adriana MORAIS 1 Ricardo Roberto LEME 2

APLICAÇÃO DA SEMIÓTICA NO DESENVOLVIMENTO DE INTERFACES HUMANO COMPUTADOR. Adriana MORAIS 1 Ricardo Roberto LEME 2 APLICAÇÃO DA SEMIÓTICA NO DESENVOLVIMENTO DE INTERFACES HUMANO COMPUTADOR Adriana MORAIS 1 Ricardo Roberto LEME 2 Resumo: Desenvolver uma interface para o usuário final nos sistemas computacionais envolve

Leia mais

Desenvolvimento da Interface com Foco no Usuário. Parte II

Desenvolvimento da Interface com Foco no Usuário. Parte II Desenvolvimento da Interface com Foco no Usuário Parte II Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Agosto de 2012 Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Guidelines em Design Guidelines

Leia mais

VI Cinform O USO DAS CORES COMO INFORMAÇÃO EM INTERFACES DIGITAIS

VI Cinform O USO DAS CORES COMO INFORMAÇÃO EM INTERFACES DIGITAIS VI Cinform O USO DAS CORES COMO INFORMAÇÃO EM INTERFACES DIGITAIS TAÍS MORAES CAMPOS PEDROSA * tais.pedrosa@uol.com.br LÍDIA BRANDÃO TOUTAIN ** lbrandao@ufba.br A indústria da comunicação pode ser entendida

Leia mais

MAX-FLOW Um estudo de interface e usabilidade de uma ferramenta de editoração de processo

MAX-FLOW Um estudo de interface e usabilidade de uma ferramenta de editoração de processo CENTRO UNIVERSITÁRIO DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO E TECNOLOGIA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ISAC VELOZO DE C. AGUIAR MAX-FLOW Um estudo de interface e usabilidade de uma ferramenta

Leia mais

Avaliação da comunicabilidade de sistema odontológico de município de Quizada-Cé

Avaliação da comunicabilidade de sistema odontológico de município de Quizada-Cé Avaliação da comunicabilidade de sistema odontológico de município de Quizada-Cé Andréia Libório Sampaio Universidade Federal do Ceará Campus Quixadá andreia.ufc@gmail.com Resumo Communicability is a characteristic

Leia mais

Princípios e Diretrizes das Interfaces. Fabrício Sousa

Princípios e Diretrizes das Interfaces. Fabrício Sousa Princípios e Diretrizes das Interfaces Fabrício Sousa Diretrizes Diretrizes são ações e/ou especificações propostas por manuais, guias ou livros, geralmente disponíveis publicamente, para o melhor desenvolvimento

Leia mais

FATEC-SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO AVALIAÇÃO DE INTERFACES DE UM SISTEMA DE HOME BROKER

FATEC-SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO AVALIAÇÃO DE INTERFACES DE UM SISTEMA DE HOME BROKER FATEC-SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO AVALIAÇÃO DE INTERFACES DE UM SISTEMA DE HOME BROKER SÃO PAULO 2011 FATEC-SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO ANDRÉ HENRIQUE PACHECO GEBAILE AVALIAÇÃO

Leia mais

Disciplina: Interface Humano-Computador Prof: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Interface Humano-Computador Prof: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Interface Humano-Computador Prof: João Carlos da Silva Junior Definição Interação homem-computador é o conjunto de processos, diálogos, e ações através dos quais o usuário humano interage com

Leia mais

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012 Clodis Milene Raquel Sílvia Simone 1 abril a junho de 2013 75 respondentes válidos cursos: graduação pós-graduação stricto sensu pós-graduação lato sensu avulsos

Leia mais

Multimídia e Interface Usuário - Máquina

Multimídia e Interface Usuário - Máquina Multimídia e Interface Usuário - Máquina Profa. Cristina Paludo Santos Slides baseados no livro: Design e Avaliação de Interfaces Humano Computador (Heloísa Vieira da Rocha/M.Cecília C. Baranauskas). Material

Leia mais

O Professor. Objetivos. Ementa. Sistemas de Informação. Interfaces Gráficas. Planejamento de Ensino. Prof. Eng. Rafael Rehm

O Professor. Objetivos. Ementa. Sistemas de Informação. Interfaces Gráficas. Planejamento de Ensino. Prof. Eng. Rafael Rehm Sistemas de Informação Planejamento de Ensino Prof. Eng. Rafael Rehm -Mestrado em Engenharia (PUCRS) -Engenheiro de Controle e Automação (PUCRS) Atualmente: O Professor Faculdade de Sistemas de Informação

Leia mais

Conceitos cognitivos e modelos mentais no uso de sistemas computacionais

Conceitos cognitivos e modelos mentais no uso de sistemas computacionais Conceitos cognitivos e modelos mentais no uso de sistemas computacionais Cognição A cognição se refere aos processos por meio dos quais nos relacionamos com as coisas ou, em outras palavras, a como ganhamos

Leia mais

Interação Homem-Computador: As Interfaces

Interação Homem-Computador: As Interfaces Especialização em Tecnologias de Software para Ambiente Web Interação Homem-Computador: As Interfaces Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Projeto e Avaliação de Interfaces:

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A INTEGRAÇÃO DE ASPECTOS DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NOS MÉTODOS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTERATIVOS

UM ESTUDO SOBRE A INTEGRAÇÃO DE ASPECTOS DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NOS MÉTODOS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTERATIVOS UM ESTUDO SOBRE A INTEGRAÇÃO DE ASPECTOS DA INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR NOS MÉTODOS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTERATIVOS Sarah Sther Chagas de Aquino MONOGRAFIA APRESENTADA AO CENTRO DE CIÊNCIAS

Leia mais

Usabilidade da interface de sites e-commerce

Usabilidade da interface de sites e-commerce - 1 - Revista Eletrônica Multidisciplinar Pindorama do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia IFBA Usabilidade da interface de sites e-commerce Profª. MSc. Simone Azevedo Bandeira

Leia mais

Estilos de Interação

Estilos de Interação Universidade Federal Fluminense Mestrado em Computação Interação Humano-Computador Prof Ana Cristina Adrielle Aparecida da Silva Linha de Comando Estilos de Interação A interação realizada por linha de

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DEE - DEPA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DO EXÉRCITO E COLÉGIO MILITAR DE SALVADOR

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DEE - DEPA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DO EXÉRCITO E COLÉGIO MILITAR DE SALVADOR MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DEE - DEPA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DO EXÉRCITO E COLÉGIO MILITAR DE SALVADOR IHC - AVALIANDO A INTERFACE DE USUÁRIO DO SITE DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DO EXÉRCITO

Leia mais

Interface com o Usuário

Interface com o Usuário Interface com o Usuário Trabalho da disciplina optativa Computação Gráfica III 1/7 A Interface com o usuário A Interface com o Usuário é uma parte fundamental de um software; é a parte do sistema visível

Leia mais

Projeto, Implementação e Avaliação de um Espaço Virtual para Apoiar a Disciplina Introdução às Redes.

Projeto, Implementação e Avaliação de um Espaço Virtual para Apoiar a Disciplina Introdução às Redes. Projeto, Implementação e Avaliação de um Espaço Virtual para Apoiar a Disciplina Introdução às Redes. Abril/2004 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET sallesantonio@aol.com Ana Paula Morgado Carneiro

Leia mais

Desenvolvimento de Interfaces Prototipação

Desenvolvimento de Interfaces Prototipação Autarquia Educacional do Vale do São Francisco AEVSF Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina - FACAPE Centro de Engenharia e Ciências Tecnológicas CECT Curso de Ciência da Computação Desenvolvimento

Leia mais

Mistool, uma Ferramenta para Aplicação Colaborativa do Método de Inspeção Semiótica

Mistool, uma Ferramenta para Aplicação Colaborativa do Método de Inspeção Semiótica Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM Mistool, uma Ferramenta para Aplicação Colaborativa do Método de Inspeção Semiótica

Leia mais

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 -

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 - GUIA RÁPIDO - 1 - Sumário Introdução...3 Por que utilizar o Construtor de Sites?...3 Vantagens do Construtor de Sites...3 Conceitos básicos...3 Configuração básica do site...5 Definindo o layout/template

Leia mais

Introdução à Teoria e Prática da Interação Humano Computador fundamentada na Engenharia Semiótica

Introdução à Teoria e Prática da Interação Humano Computador fundamentada na Engenharia Semiótica Capítulo 6 Introdução à Teoria e Prática da Interação Humano Computador fundamentada na Engenharia Semiótica Raquel Oliveira Prates 1, Simone Diniz Junqueira Barbosa 2 Abstract The goal of this chapter

Leia mais

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64)

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Manual do Usuário Índice O que é Token?... 03 Instalação do Token... 04 Verificação do Certificado... 07 Troca de Senhas... 10 O que é Token? É um dispositivo

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Análise de Tarefas. Análise Hierárquica de Tarefas

Análise de Tarefas. Análise Hierárquica de Tarefas Análise de Tarefas Em IHC, a análise de tarefas pode ser utilizada em diferentes momentos do desenvolvimento de software, destacando-se três atividades: (a) análise da situação atual (apoiada ou não por

Leia mais

CommEST Uma ferramenta de apoio ao método de Avaliação de Comunicabilidade

CommEST Uma ferramenta de apoio ao método de Avaliação de Comunicabilidade CommEST Uma ferramenta de apoio ao método de Avaliação de Comunicabilidade Luciana Cardoso de Castro Salgado, Clarisse Sieckenius de Souza Departamento de Informática / PUC-Rio SERG Semiotic Engineering

Leia mais

FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA

FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA O que é Design de Interação? Flavio Barbosa professor@flaviobarbosa.com.br Definindo design de interação. Por design de interação entende-se: Projetar produtos interativos

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE INFORMÁTICA EDITOR DE HELP MANUAL DO USUÁRIO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE INFORMÁTICA EDITOR DE HELP MANUAL DO USUÁRIO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE INFORMÁTICA EDITOR DE HELP MANUAL DO USUÁRIO ANA PAULA CARVALHO LORENZONI MICHELINE PARIZOTTO PROFESSORA. MILENE SELBACH SILVEIRA ORIENTADORA

Leia mais

Metodologias para. Avaliação de Interfaces. Humano Computador

Metodologias para. Avaliação de Interfaces. Humano Computador Metodologias para Avaliação de Interfaces Humano Computador Sérgio Furgeri Técnicas de Avaliação Técnicas de Avaliação Ergonômica Técnicas Empíricas Técnicas Diagnósticas Inspeção via Checklists Avaliação

Leia mais

O design de IHC. Jair C Leite. Jair C Leite

O design de IHC. Jair C Leite. Jair C Leite O design de IHC ERBASE EPOCA 2009 2010 Arquitetura e Engenharia Civil Idealiza, Concebe, Desenha Planeja e executa o projeto; realiza cálculos; gerencia recursos, custos e prazos. Design Industrial exemplos

Leia mais

ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE

ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE Gustavo Peloi da Silva 1, Valdecir Bertoncelo 2, Filipe Cogo 3 RESUMO:

Leia mais

Testes de Usabilidade

Testes de Usabilidade Testes de Usabilidade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Setembro de 2012 Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Reflexão Ao fazer referência à questão da qualidade da relação

Leia mais

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Solução de Despacho Integrada. Manual do Usuário

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Solução de Despacho Integrada. Manual do Usuário Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes Solução de Despacho Integrada Manual do Usuário Índice Solução de Despacho Integrada... O que é necessário para ter a Solução de Despacho Integrada...

Leia mais

Conhecendo o Computador

Conhecendo o Computador Capítulo 1 Conhecendo o Computador 1.1 Conhecendo o Computador Tudo que é novo nos causa um certo receio. Com os computadores não é diferente. Tenha sempre em mente que o homem domina a máquina e não a

Leia mais

mídia, psicologia e subjetividade I 2014-2 I egc I ufsc sílvio serafim marisa carvalho

mídia, psicologia e subjetividade I 2014-2 I egc I ufsc sílvio serafim marisa carvalho mídia, psicologia e subjetividade I 2014-2 I egc I ufsc sílvio serafim marisa carvalho Sumário Conhecimento introdução EGC estudo Mídias conceito teoria Cibercultura processo Inovação mídias Temas seminários

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM RECURSOS EXPRESSIVOS - ESTUDO DIRIGIDO Nº 2 : DESIGNS INSTRUCIONAL, VISUAL E DE INTERAÇÃO

A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM RECURSOS EXPRESSIVOS - ESTUDO DIRIGIDO Nº 2 : DESIGNS INSTRUCIONAL, VISUAL E DE INTERAÇÃO 1 A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM RECURSOS EXPRESSIVOS - ESTUDO DIRIGIDO Nº 2 : DESIGNS INSTRUCIONAL, VISUAL E DE INTERAÇÃO Belo Horizonte MG Abril 2012 Categoria: C - Método e Tecnologias Setor

Leia mais

Interface Humano -Computador

Interface Humano -Computador A Interface Humano -Computador Aula 04 Modelos de Processos de Design de IHC Giliane Bernardi - giliane@inf.ufsm.br http://nte.ufsm.br O Processode Design de IHC Relembrando Questões chave no projeto centrado

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

3. MODELOS E TÉCNICAS DE MODELAGEM EM IHC

3. MODELOS E TÉCNICAS DE MODELAGEM EM IHC 3. MODELOS E TÉCNICAS DE MODELAGEM EM IHC 3.1 Um modelo para o processo de design de interfaces Design é a atividade intelectual de conceber e descrever um produto a partir dos requisitos de seus potenciais

Leia mais

Agendador de tarefas. Morgan N. Sandquist Desenvolvedor: Gary Meyer Revisor: Lauri Watts Tradução: Henrique Marks

Agendador de tarefas. Morgan N. Sandquist Desenvolvedor: Gary Meyer Revisor: Lauri Watts Tradução: Henrique Marks Morgan N. Sandquist Desenvolvedor: Gary Meyer Revisor: Lauri Watts Tradução: Henrique Marks 2 Conteúdo 1 Introdução 4 1.1 Inicialização......................................... 4 1.1.1 Tarefas Agendadas.................................

Leia mais

Modelagem de Interação

Modelagem de Interação 1 Modelagem de Interação Turma 3WA: Profa Clarisse de Souza Aula 16: 23/05/2012 Um cenário simples para pensar Aplicação: MS Word Função: Gravação e Uso de Macros Cenário em questão: Um usuário avançado

Leia mais

MANUAL DO CatBib* * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online. Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner

MANUAL DO CatBib* * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online. Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner MANUAL DO CatBib* Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner RIO DE JANEIRO 2002 * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 3 2. ENTRADA

Leia mais

1. Introdução... 3 2. Instalação... 4 2.1 Baixando o arquivo... 4 2.2 Instalando... 4 3. Enviando SMS... 7 3.1 Configurando o Itcell sms massa...

1. Introdução... 3 2. Instalação... 4 2.1 Baixando o arquivo... 4 2.2 Instalando... 4 3. Enviando SMS... 7 3.1 Configurando o Itcell sms massa... 1. Introdução... 3 2. Instalação... 4 2.1 Baixando o arquivo... 4 2.2 Instalando... 4 3. Enviando SMS... 7 3.1 Configurando o Itcell sms massa... 7 3.2 Testando envio... 9 3.3 Enviando sms em massa... 10

Leia mais

Ricardo Pereira e Silva UML 2. Modelagem Orientada a Objetos. Visual. Books

Ricardo Pereira e Silva UML 2. Modelagem Orientada a Objetos. Visual. Books Ricardo Pereira e Silva UML 2 Modelagem Orientada a Objetos Visual Books Sumário Parte I - Modelagem em Desenvolvimento de Software Orientado a Objetos...15 1 Modelagem em Desenvolvimento de Software...17

Leia mais

INTERFACES USUÁRIO-MÁQUINA

INTERFACES USUÁRIO-MÁQUINA 1 INTERFACES USUÁRIO-MÁQUINA Muito tem se falado a respeito da preocupação com a interface por parte dos profissionais ligados ao projeto de sistemas. E realmente existe esta necessidade de se focar a

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

Quinta Lista de Exercícios -

Quinta Lista de Exercícios - INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO COORDENADORIA DE INFORMÁTICA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO Quinta Lista de Exercícios - INSTRUÇÕES: 1) Nesta lista de exercícios, vamos nos preocupar em implementar o comportamento

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE UM MODELO PARA COMUNICAR MODIFICAÇÕES EM SISTEMAS WEB

UM ESTUDO SOBRE UM MODELO PARA COMUNICAR MODIFICAÇÕES EM SISTEMAS WEB UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS QUIXADÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LEONARA DE MEDEIROS BRAZ UM ESTUDO SOBRE UM MODELO PARA COMUNICAR MODIFICAÇÕES EM SISTEMAS WEB QUIXADÁ 2013 LEONARA DE

Leia mais

Processos de Design de IHC (Parte II)

Processos de Design de IHC (Parte II) Interface Homem/Máquina Aula 8 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-00.184 Roteiro da Aula de Hoje

Leia mais

3 O Papel do Sistema de Ajuda na Teoria de Engenharia Semiótica

3 O Papel do Sistema de Ajuda na Teoria de Engenharia Semiótica 3 O Papel do Sistema de Ajuda na Teoria de Engenharia Semiótica A Engenharia Semiótica considera a interface de uma aplicação como uma mensagem do designer para o usuário (figura 3.1), representando a

Leia mais

Manual UFC9. Software para Traçado e Cálculo de Redes de Esgotos em AutoCAD. Orientador: Marco Aurélio Holanda de Castro

Manual UFC9. Software para Traçado e Cálculo de Redes de Esgotos em AutoCAD. Orientador: Marco Aurélio Holanda de Castro Manual UFC9 Software para Traçado e Cálculo de Redes de Esgotos em AutoCAD Orientador: Marco Aurélio Holanda de Castro Programadores: Alessandro de Araújo Bezerra Gustavo Paiva Weyne Rodrigues Índice Introdução

Leia mais

Mauricio Barbosa e Castro

Mauricio Barbosa e Castro Mauricio Barbosa e Castro A interação homem-computador está muito relacionada com o processo de projeto, provendo soluções que levam em consideração todas as restrições e requisitos. O aspecto de projeto

Leia mais

4. SISTEMA PORTAL SUPORTE IMPORTANTE

4. SISTEMA PORTAL SUPORTE IMPORTANTE 4. SISTEMA PORTAL SUPORTE IMPORTANTE Em caso de possuir um chamado aberto acompanhe até finalizar, pois é através da Aba Mensagem que o técnico pode solicitar outras informações detalhadas para solução.

Leia mais

Permissão de Usuários

Permissão de Usuários Permissão de Usuários 1 Conteúdo 1. Propósito 3 2. Permissão de Usuários PrefGest 4 3. Permissão de Usuário para PrefCad 10 2 1. Propósito Este documento destina-se a explicar a ação para liberar permissões

Leia mais