Tendências na Tributação Brasileira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tendências na Tributação Brasileira"

Transcrição

1 Tendências na Tributação Brasileira José Roberto Afonso Vilma Pinto Julho de 2016

2 Conclusões Carga tributária bruta global no Brasil deve estar pouco acima de 33% do PIB, mesmo índice registrado em 2010 ou Releitura da (menor) dimensão e evolução da carga por razões metodológicas: o o diferentes apurações (se computado como tributo royalties, multas e juros da dívida ativa; se reclassificado receita de parcelamentos); melhor cobertura das receitas subnacionais; revisão das contas nacionais; e descolamento das variações do DI-PIB versus IPCA. Involução na recessão: absorção interna caindo muito mais que PIB o o aumento marginal da carga global em 2015 mas provável queda em 2016, mesmo depois de ajustes pontuais (como volta da CIDE, reversão parcial da desoneração salarial, fortes aumentos de alíquotas estaduais) decréscimos com movimentos contraditórios afundando ainda mais em tributos sobre negócios; menos pior na folha salarial; cresce em ganhos financeiros Cenário pessimista para rápido e forte aumento de carga tributária o abaixo em 1.4 pontos do PIB da carga recorde (34.7% do PIB em 2008) o crise estrutural de setores e bases mais importantes para arrecadação do que economia Núcleo de Economia do 2 Setor Público (NESP)

3 Avaliação: agosto 2015

4 Sumário Involução da arrecadação não é fenômeno recente: o novas contas nacionais revelaram carga global com viés de baixa (retrocesso mínimo de dez anos) o tempestade perfeita o enfraquecimento estrutural o alta dependência de tributos indiretos passa a sofrer com desindustrialização, guerra fiscal do ICMS, o contribuições previdenciárias não mais ganha com formalização e perde crescentemente base de maior renda Núcleo de Economia do 4 Setor Público (NESP)

5 Sumário retrocesso conjuntural o estagnação e recessão prolongadas o alta inflação administrada em setores em crise peculiar e prolongada (petróleo, eletricidade) o contabilidade criativa (lucros dos bancos) e ajuste fiscal produzem forte rebote na receita (construção civil pesada) o substituição tributária na indústria antecipa queda e tendência a acúmulo de estoques e créditos tributários o desaceleração do consumo afeta até bancos (montadoras) o não reduziram volume de benefícios ao nível pré-expansão o crise de crédito e refinanciamentos induziram inadimplência Núcleo de Economia do 5 Setor Público (NESP)

6 Arrecadação federal: Junho de 2016 (antecipação via TNGerencial)

7 Receita administrada pela RFB Em junho de 2016; acumulado no ano e nos últimos doze meses 7 Boletim Macro IBRE Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE.

8 Receita administrada pela RFB Taxa de Crescimento Real em diferentes períodos 8 Boletim Macro IBRE Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE.

9 Receita administrada pela RFB Taxa de Crescimento Real em diferentes períodos 9 Boletim Macro IBRE Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE.

10 Arrecadação por base de incidência Média móvel em 12 meses em termos reais Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE. 10 Boletim Macro IBRE

11 Receitas Administrada 2016 x 2015 em valores constantes Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE. 11 Boletim Macro IBRE

12 Receitas Administrada 2016 x 2012 em valores constantes Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE. 12 Boletim Macro IBRE

13 Taxa de Crescimento Real da Arrecadação Federal 13 Boletim Macro IBRE Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE.

14 IRPJ + CSLL Taxa de Crescimento Real 14 Boletim Macro IBRE Fonte: Tesouro Gerencial MF/STN. Elaboração: FGV/IBRE.

15 Receita Administrada Federal (RFB)

16 Receita Tributária Federal: RAD x Previd. como % do PIB

17 Previdenciárias como % do PIB

18 Arrecadação das Receitas Administradas pela RFB Fonte: Apresentação Mensal RFB

19 Desempenho de Arrecadação das Receitas Administradas pela RFB Fonte: Apresentação Mensal RFB

20 Arrecadação das Receitas Administradas pela RFB Fonte: Apresentação Mensal RFB

21 Arrecadação das Receitas Administradas pela RFB por divisão econômica Fonte: Apresentação Mensal RFB

22 Fonte: Apresentação Mensal RFB Arrecadação do IRPJ/CSLL

23 Receita Administrada Federal: desempenho setorial crescimento real 2014/15

24 Outros Tributos

25 ICMS grandes estados

26 IPVA grandes estados

27 ITCMD grandes estados

28 Carga tributária estadual

29 Termômetro (principais tributos)

30 Termômetro tributário x Carga Global

31 Acumulado em 12 Meses em % do PIB Ano Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez ,12% 24,76% 24,99% 24,69% 24,15% 23,57% 23,25% 22,54% 22,14% 21,67% 21,06% 20,87% ,81% 20,61% 20,41% 20,48% 20,76% 20,85% 20,91% 21,08% 20,91% 21,00% 21,04% 21,63% ,62% 22,66% 22,02% 22,01% 22,46% 22,37% 22,01% 21,45% 21,18% 20,99% 21,30% 23,22% ,45% 25,38% 26,01% 26,86% 26,25% 25,23% 24,27% 24,29% 24,52% 24,59% 24,66% 25,85% ,09% 25,73% 25,30% 24,82% 24,89% 24,94% 24,93% 24,70% 24,43% 24,14% 23,72% 23,24% ,97% 22,90% 23,35% 23,44% 23,12% 22,84% 22,64% 22,50% 22,51% 22,42% 22,37% 22,50% ,43% 22,52% 22,34% 22,47% 22,47% 22,45% 22,58% 22,59% 22,51% 22,53% 22,60% 22,75% ,05% 23,11% 23,13% 23,06% 22,95% 22,94% 22,94% 23,05% 23,08% 23,07% 23,01% 23,03% ,91% 23,07% 23,03% 23,04% 23,09% 23,17% 23,43% 23,43% 23,75% 23,94% 24,15% 24,23% ,48% 24,42% 24,72% 24,93% 25,14% 25,26% 25,16% 25,31% 25,27% 25,38% 25,73% 25,85% ,08% 26,04% 25,87% 25,95% 26,07% 26,34% 26,55% 26,67% 26,72% 26,82% 26,59% 26,68% ,97% 27,19% 27,19% 27,21% 27,21% 27,01% 27,07% 27,06% 27,38% 27,60% 27,76% 27,90% ,90% 27,90% 27,84% 27,84% 27,91% 27,94% 27,82% 27,69% 27,32% 27,13% 27,15% 27,20% ,22% 27,29% 27,42% 27,50% 27,48% 27,63% 27,64% 27,79% 28,00% 28,07% 27,91% 28,04% ,11% 28,13% 28,20% 28,28% 28,28% 28,43% 28,53% 28,55% 28,53% 28,56% 28,68% 28,79% ,74% 28,73% 28,76% 28,86% 28,79% 28,79% 28,69% 28,59% 28,72% 28,73% 28,67% 28,63% ,66% 28,64% 28,59% 28,58% 28,59% 28,49% 28,53% 28,60% 28,58% 28,62% 28,80% 28,95% ,22% 29,24% 29,29% 29,30% 29,29% 29,26% 29,26% 29,21% 29,14% 29,18% 29,06% 28,94% ,87% 28,75% 28,74% 28,69% 28,61% 28,51% 28,44% 28,30% 28,06% 28,06% 28,30% 28,19% ,28% 28,23% 28,09% 28,17% 28,22% 28,18% 28,15% 28,19% 28,24% 28,15% 27,82% 28,10% ,31% 28,42% 28,48% 28,53% 28,45% 28,65% 28,89% 28,89% 28,98% 29,09% 29,14% 29,06% ,15% 29,00% 29,03% 29,02% 29,00% 28,83% 28,57% 28,40% 28,31% 28,12% 28,09% 28,08% ,14% 28,13% 27,90% 27,76% 27,83% 27,79% 27,75% 27,75% 27,70% 27,73% 28,11% 28,20% ,18% 28,11% 28,12% 28,12% 27,96% 27,96% 27,93% 28,02% 27,96% 27,96% 27,72% 27,57% ,59% 27,68% 27,65% 27,71% 27,76% 27,77% 27,84% 27,79% 27,85% 27,77% 27,55% 27,59% ,70% 27,60% 27,63% 27,59% 27,53%

32 Acumulado em 12 meses em % do PIB - Jan/Dez

33 Acumulado em 12 Meses em % do PIB

34 Var. % real sobre igual período do ano anterior

35 Carga Tributária Global (metodologia mais ampla)

36 CARGA TRIBUTÁRIA: 2010/2015 Fonte: STN/IBGE GFY (em 2015 = 32.7% PIB)

37 CARGA TRIBUTÁRIA: 2010/ FEDERAL Fonte: STN/IBGE GFY (em 2015 = 32.7% PIB)

38 CARGA TRIBUTÁRIA: 2010/2015 ESTADUAL Fonte: STN/IBGE GFY (em 2015 = 32.7% PIB)

39 CARGA TRIBUTÁRIA: 2010/2015 MUNICIPAL Fonte: STN/IBGE GFY (em 2015 = 32.7% PIB)

40 CARGA TRIBUTÁRIA: 1947/2015 Fonte: Afonso, Castro Amplo (em 2015 = 33.4% PIB)

41 ESTRUTURA DA CARGA Fonte: Afonso e Castro (metodologia mais ampla)

42 Decomposição da carga global

43 Receita tributária nacional Crescimento Real Anual /2014

44 Evolução Histórica dos Tributos Indiretos: Valor Adicionado x Cumulativos

45 Renúncia Tributária

46 Gasto Tributário Federal

47 Renúncia e Arrecadação Potencial Evolução da Arrecadação Tributária Federal Efetiva e Potencial 2004/ Em porcentagem do PIB.

48 Arrecadação x Renúncia (sem previd.): -montante e variação anual

49 Arrecadação Federal x Renúncia: -montante e variação anual

50 Renúncia do ICMS

51 Espaço Fiscal

52 Comparações internacionais: Tax Effort

53 Comparações internacionais: Tax Effort

54 Comparações internacionais: IR corporações

55 Fonte: Carlos Rocca/ IBMEC Base lucros: IR corporações

56 Fonte: KPMG Comparações internacionais: IR indíviduos

57 Fonte: KPMG Comparações internacionais: contribuição previdência

58 Fonte: UHY Comparações internacionais: contribuição previdência

59 Tributos sobre bens e serviços em % dos seus preços FONTE: CNC (2014). CITADO POR OECD (2016).

60 ICMS Alíquotas (por fora): principais bases

61 ANEXOS

62 Carga Tributária Bruta no Pós- Guerra: 1947 a 2015e

63 Crescimento Pós-Guerra: PIB e Receita Tributária Global a 2014 Média Móvel em 3 anos da Taxa Real Anual

64 Crescimento Pós-Guerra: PIB e Receita Tributária Global a 2014 Média Móvel em 5 anos da Taxa Real Anual

65 CARGA TRIBUTÁRIA: 2010/2015 Fonte: Afonso (metodologia ampla) 33,03%

66 PIB E RECEITA TRIBUTÁRIA E 2015e

67 Evolução Histórica da Tributação: ICMS x IPI

68 Evolução Histórica da Tributação: CTB x ICMS

69 EVOLUÇÃO DA DIVISÃO FEDERATIVA DA RECEITA TRIBUTÁRIA POR NÍVEL DE GOVERNO Conceito Central Estadual Local Total Central Estadual Local Total Carga - % do PIB Composição - % do Total ARRECADAÇÃO DIRETA ,14 5,45 0,82 17,41 64,0 31,3 4,7 100, ,33 7,95 0,70 25,98 66,7 30,6 2,7 100, ,31 5,31 0,90 24,52 74,7 21,6 3,7 100, ,29 8,52 0,97 28,78 67,0 29,6 3,4 100, ,38 8,45 1,73 30,56 66,7 27,6 5,7 100, ,36 8,81 2,07 33,23 67,3 26,5 6,2 100, ,73 8,79 2,20 33,71 67,4 26,1 6,5 100, ,26 8,86 2,30 33,42 66,6 26,5 6,9 100,0 RECEITA DISPONÍVEL ,37 5,94 1,11 17,41 59,5 34,1 6,4 100, ,79 7,59 2,60 25,98 60,8 29,2 10,0 100, ,71 5,70 2,10 24,52 68,2 23,3 8,6 100, ,95 7,94 3,89 28,78 58,9 27,6 13,5 100, ,07 8,16 5,33 30,56 55,9 26,7 17,5 100, ,76 8,34 6,13 33,23 56,5 25,1 18,4 100, ,19 8,22 6,30 33,71 56,9 24,4 18,7 100, ,60 8,35 6,47 33,42 55,7 25,0 19,3 100,0 Fonte: Elaboração própria, a partir de STN, SRF, IBGE, Ministério da Previdência, CEF, Confaz e Balanços Municipais. Metodologia das contas nacionais inclui impostos, taxas e contribuições, inclusive CPMF, FGTS e royalties, bem assim dívida ativa. Receita Dispon'ivel = arrecadação própria mais e/ou menos repartição constitucional de receitas tributárias e outros repasses compulsórios.

70 Arrecadação Direta por Esfera de Governo: 2015

71 Evolução da Carga Tributária Global /2014

72 Participação da Arrecadação Direta da União sobre a Arrecadação Total /2014

73 Evolução Histórica da Arrecadação Direta e da Receita Disponível dos Estados

74 Evolução Histórica da Receita Disponível: Estados x Municípios

75 Acumulado em 12 meses em % do PIB

76 Mensal e Acumulado em 3 Meses em % do PIB

77 Federal (RAD) Acumulado em 12 Meses em % do PIB

78 Receita Previdenciária Própria

79 IRPJ + CSLL

80 IRPJ + CSLL

81 Fonte: Apresentação Mensal RFB Desempenho de Arrecadação

82 Relatório de Acompanhamento da Arrecadação das Receitas Federais

83 Relatório de Acompanhamento da Arrecadação das Receitas Federais

84 Relatório de Acompanhamento da Arrecadação das Receitas Federais

85 Relatório de Acompanhamento da Arrecadação das Receitas Federais

86 Relatório de Acompanhamento da Arrecadação das Receitas Federais

87 Simples Total

88 Simples Total

89 Receita Administrada Federal: desempenho setorial crescimento real 2011/15

90 Receita Administrada Federal: desempenho setorial crescimento real 2011/15

91 Receita Administrada Federal: desempenho setorial crescimento real 2011/15

92 Obrigado! EXONERAÇÃO DE RESPONSABILIDADE (DISCLAIMER) Este relatório foi elaborado para uso exclusivo de seu destinatário, não podendo ser reproduzido ou retransmitido a qualquer pessoa sem prévia autorização. As informações aqui contidas tem o propósito unicamente informativo. As informações disponibilizadas são obtidas de fontes entendidas como confiáveis. Não é garantida acurácia, pontualidade, integridade, negociabilidade, perfeição ou ajuste a qualquer propósito específico das fontes primárias de tais informações, logo não se aceita qualquer encargo, obrigação ou responsabilidade pelo uso das mesmas. Devido à possibilidade de erro humano ou mecânico, bem como a outros fatores, não se responde por quaisquer erros ou omissões, dado que toda informação é provida "tal como está", sem nenhuma garantia de qualquer espécie. Nenhuma informação ou opinião aqui expressada constitui solicitação ou proposta de aplicação financeira. As disposições precedentes aplicam-se ainda que venha a surgir qualquer reivindicação ou pretensão de ordem contratual ou qualquer ação de reparação por ato ilícito extracontratual, negligência, imprudência, imperícia, responsabilidade objetiva ou por qualquer outra maneira.

Desafios da Lei de Responsabilidade Fiscal José Roberto R. Afonso

Desafios da Lei de Responsabilidade Fiscal José Roberto R. Afonso Desafios da Lei de Responsabilidade Fiscal José Roberto R. Afonso Seminário O Desafio Fiscal do Brasil INSPER, 7/ 15/ 2015 1 LRF Histórico 1922 - Código de Contabilidade Pública (Decreto 4536) 1964 Lei

Leia mais

A importância da eficiência da arrecadação das receitas próprias para os entes públicos

A importância da eficiência da arrecadação das receitas próprias para os entes públicos Especialista em finanças públicas A importância da eficiência da arrecadação das receitas próprias para os entes públicos I Encontro Técnico Nacional do Controle Externo da Receita TCE-RJ Rio, 20/06/2016

Leia mais

A economia brasileira e a situação fiscal

A economia brasileira e a situação fiscal A economia brasileira e a situação fiscal JOSÉ ROBERTO AFONSO Seminário FSP USP Política Econômica e Financiamento da Saúde Pública Associação Brasileira de Economia da Saúde - ABrES São Paulo, 26/06/2015

Leia mais

Nome do Palestrante Lorem Ipsum

Nome do Palestrante Lorem Ipsum Nome do Palestrante Lorem Ipsum EMPREGO, SALÁRIO E RENDA: TENDÊNCIAS DAS RELAÇÕES DE TRABALHO E SEUS EFEITOS PARA A PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR José Roberto R. Afonso e Paulo Roberto Vales de Souza Sessão

Leia mais

A agenda que está na mesa: Reforma do ICMS e do PIS/COFINS. José Roberto R. Afonso

A agenda que está na mesa: Reforma do ICMS e do PIS/COFINS. José Roberto R. Afonso A agenda que está na mesa: Reforma do ICMS e do PIS/COFINS José Roberto R. Afonso Debate Como Avançar na Agenda da Tributação Agência Estado, São Paulo, 09/10/2012 Opiniões exclusivamente pessoais. 1 Síntese

Leia mais

O Simples Nacional e a Estrutura Tributária Brasileira: SuperSimples versus HiperComplexo

O Simples Nacional e a Estrutura Tributária Brasileira: SuperSimples versus HiperComplexo Especialista em finanças públicas O Simples Nacional e a Estrutura Tributária Brasileira: SuperSimples versus HiperComplexo José Roberto Afonso Economista do IBRE/FGV Seminário 10 Anos Simples - FGV e

Leia mais

BNDES: MITOS & FATOS mais contribuições ao debate da MP 777

BNDES: MITOS & FATOS mais contribuições ao debate da MP 777 BNDES: MITOS & FATOS mais contribuições ao debate da MP 777 José Roberto Afonso Agosto/2017 zeroberto@joserobertoafonso.com.br A MP 777/17 não acabará com o BNDES nem tampouco reduzirá a sua relevância.

Leia mais

Uma abordagem macroeconômica: investimentos públicos

Uma abordagem macroeconômica: investimentos públicos Uma abordagem macroeconômica: investimentos públicos José Roberto Afonso Seminário Sociedades de Propósito Específico na área de energia TCU e FGV/CERI Rio de Janeiro, 11/03/2016 Brasil, hoje Pedro Wongtschowski,

Leia mais

A experiência brasileira com o regime de metas fiscais José Roberto Afonso

A experiência brasileira com o regime de metas fiscais José Roberto Afonso A experiência brasileira com o regime de metas fiscais José Roberto Afonso Seminário A nova geração de regras fiscais IPEA, Brasília, 17/12/2015 Precondição INSTITUIÇÕES (e não POLÍTICAS E PRÁTICAS) versus

Leia mais

TERMÔMETRO TRIBUTÁRIO NO BRASIL EM 2016: RECUPERAÇÃO NA RETA FINAL, MAS COM RECEITAS ATÍPICAS

TERMÔMETRO TRIBUTÁRIO NO BRASIL EM 2016: RECUPERAÇÃO NA RETA FINAL, MAS COM RECEITAS ATÍPICAS TERMÔMETRO TRIBUTÁRIO NO BRASIL EM 2016: RECUPERAÇÃO NA RETA FINAL, MAS COM RECEITAS ATÍPICAS José Roberto Afonso Kleber Pacheco de Castro 1 RESUMO: O termômetro tributário é uma medida que antecipa e

Leia mais

Como a reforma da previdência impactará a indústria de fundos?

Como a reforma da previdência impactará a indústria de fundos? Especialista em finanças públicas Como a reforma da previdência impactará a indústria de fundos? José Roberto Afonso 9º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimentos São Paulo, Bienal, 11/5/2017 1 Introdução

Leia mais

Boletim Informativo: Antecipando os números oficiais da Arrecadação Federal: resultados para dezembro de 2015

Boletim Informativo: Antecipando os números oficiais da Arrecadação Federal: resultados para dezembro de 2015 Boletim Informativo: Antecipando os números oficiais da Arrecadação Federal: resultados para dezembro de 2015 Arrecadação tributária federal em 2015: forte decréscimo 14 de janeiro de 2016 José Roberto

Leia mais

Distorções do Sistema tributário Brasileiro. VII Congresso Internacional de Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto Natal, 18 de Outubro de 2017

Distorções do Sistema tributário Brasileiro. VII Congresso Internacional de Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto Natal, 18 de Outubro de 2017 Distorções do Sistema tributário Brasileiro. VII Congresso Internacional de Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto Natal, 18 de Outubro de 2017 Roteiro Distorções do Sistema Tributário 2 Carga Tributária

Leia mais

Carga Tributária Global no Brasil em 2010

Carga Tributária Global no Brasil em 2010 1 Carga Tributária Global no Brasil em 2010 José Roberto R. Afonso e Kleber Castro Com apoio de: Marcia Monteiro, Taiana Castro, André Castro e Vivan Almeida Setembro de 2011 A crise financeira internacional

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Boletim Informativo: Antecipando os números oficiais da Arrecadação Federal: resultados para setembro de 2016

Boletim Informativo: Antecipando os números oficiais da Arrecadação Federal: resultados para setembro de 2016 Boletim Informativo: Antecipando os números oficiais da Arrecadação Federal: resultados para setembro de 2016 14 de outubro de 2016 Arrecadação mantém queda em setembro José Roberto Afonso 1 e Vilma da

Leia mais

Paulo Rabello de Castro

Paulo Rabello de Castro Paulo Rabello de Castro 21. SETEMBRO. 2015 Os Azares de 2016 O Cisne Negro China em chamas O Cisne Cinza Juro americano O Cisne Branco Petróleo a US$ 40 / b 2 Commodities na mínima histórica 200 Pontos

Leia mais

Perspectivas Econômicas O Brasil e o Mundo FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO José Roberto Afonso

Perspectivas Econômicas O Brasil e o Mundo FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO José Roberto Afonso Perspectivas Econômicas O Brasil e o Mundo FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO José Roberto Afonso Rio, 2/12/2016 Perspectivas Pessimistas Curto prazo Conjuntura Fiscal Adversa Inóspito para gestor fiscal: recessão

Leia mais

Um programa de ajuste incompleto

Um programa de ajuste incompleto O desafio do ajuste fiscal brasileiro FGV/EESP Um programa de ajuste incompleto Felipe Salto* *Assessor econômico do senador José Serra, é economista pela FGV/EESP, mestre em administração pública e governo

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira

Panorama da Economia Brasileira Panorama da Economia Brasileira Nelson Barbosa Secretário de Política Econômica Brasília, 23 de novembro de 2009 1 PRODUÇÃO INDUSTRIAL Índice com ajuste sazonal (jan/2007 = 100) 115 110 110,9 105 101,89

Leia mais

A CARGA TRIBUTÁRIA BRUTA BRASILEIRA DE 2014 E A RECEITA DISPONÍVEL POR ENTE DA FEDERAÇÃO

A CARGA TRIBUTÁRIA BRUTA BRASILEIRA DE 2014 E A RECEITA DISPONÍVEL POR ENTE DA FEDERAÇÃO 1 A CARGA TRIBUTÁRIA BRUTA BRASILEIRA DE 2014 E A RECEITA DISPONÍVEL POR ENTE DA FEDERAÇÃO Introdução A carga tributária é a parcela de recursos que o Estado retira compulsoriamente dos indivíduos e empresas

Leia mais

Perspectivas econômicas

Perspectivas econômicas Perspectivas econômicas 5º seminário Abecip Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Maio, 2015 2 Roteiro Recuperação em curso nas economias desenvolvidas. O Fed vem adiando o início do ciclo

Leia mais

CUIABÁ MT DEZEMBRO 2016

CUIABÁ MT DEZEMBRO 2016 CUIABÁ MT DEZEMBRO 2016 DEBATE SOBRE CONJUNTURA Desafio dos trabalhadores e a Conjuntura econômica Nível de Atividade PIB x PIB per capita: Brasil 1950-2010 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012

Leia mais

Carga tributária brasileira por setores

Carga tributária brasileira por setores Esta publicação contempla os seguintes temas: Novembro/2016 Carga tributária brasileira por setores A carga tributária brasileira é equivalente à de países desenvolvidos e muito superior à de outros países

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA. Por Luís Paulo Rosenberg. Junho/ 2013

CONJUNTURA ECONÔMICA. Por Luís Paulo Rosenberg. Junho/ 2013 CONJUNTURA ECONÔMICA Por Luís Paulo Rosenberg Junho/ 2013 Economia Internacional jan/01 ago/01 mar/02 out/02 mai/03 dez/03 jul/04 fev/05 set/05 abr/06 nov/06 jun/07 jan/08 ago/08 mar/09 out/09 mai/10 dez/10

Leia mais

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de 2015 5º. PLENAFUP Economia Brasileira I.54 - Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) Período Índice

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

INDICADORES CONTAS PÚBLICAS

INDICADORES CONTAS PÚBLICAS INDICADORES CONTAS PÚBLICAS ARRECADAÇÃO (RECEITA FEDERAL) abr/05 jul/05 out/05 jan/06 abr/06 jul/06 out/06 jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 abr/09 jul/09 out/09 jan/10 abr/10

Leia mais

Perspectivas para de dezembro de 2006 DEPECON/FIESP

Perspectivas para de dezembro de 2006 DEPECON/FIESP Perspectivas para 2007 13 de dezembro de 2006 DEPECON/FIESP Crescimento Econômico em 2005 = +2,3% CENÁRIOS O desempenho da economia em 2005 dependerá da política econômica a ser adotada. A) Redução de

Leia mais

O Impacto da Reforma Tributária para a Seguridade Social

O Impacto da Reforma Tributária para a Seguridade Social COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA O Impacto da Reforma Tributária para a Seguridade Social Evilásio Salvador Principais Pontos da Reforma A criação do IVA com extinção de 4 tributos: Cofins, Pis,

Leia mais

Resultado do Tesouro Nacional. Brasília 29 de Março, 2012

Resultado do Tesouro Nacional. Brasília 29 de Março, 2012 Resultado do Tesouro Nacional Fevereiro de 2012 Brasília 29 de Março, 2012 Resultado Fiscal do Governo Central Receitas, Despesas e Resultado do Governo Central Brasil 2011/2012 R$ Bilhões 86,8 59,6 65,9

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

4. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA

4. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA 81 4. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA Jose Caio Racy INTRODUÇÃO A arrecadação no primeiro trimestre de 2007 comparado com o de 2006 apresenta um crescimento em função aumento de diversas rubricas das

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Concessões de Crédito - Recursos Livres Variação acumulada em 12 meses. fev/15. nov/14. mai/14. mai/15. ago/14 TOTAL PF PJ

Concessões de Crédito - Recursos Livres Variação acumulada em 12 meses. fev/15. nov/14. mai/14. mai/15. ago/14 TOTAL PF PJ ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre os dias 24 de julho e 28 de julho Crédito O estoque total de crédito do sistema financeiro nacional (incluindo recursos livres e direcionados) registrou variação

Leia mais

TEXTO DE DISCUSSÃO Nº 82 ANTECIPANDO OS NÚMEROS OFICIAIS DA ARRECADAÇÃO FEDERAL: RESULTADOS PARA JUNHO DE 2015*

TEXTO DE DISCUSSÃO Nº 82 ANTECIPANDO OS NÚMEROS OFICIAIS DA ARRECADAÇÃO FEDERAL: RESULTADOS PARA JUNHO DE 2015* TEXTO DE DISCUSSÃO Nº 82 ANTECIPANDO OS NÚMEROS OFICIAIS DA ARRECADAÇÃO FEDERAL: RESULTADOS PARA JUNHO DE 2015* José Roberto Afonso Bernardo Fajardo Vilma da Conceição Pinto** Julho de 2015 0 Introdução

Leia mais

Coordenação-Geral de Política Tributária

Coordenação-Geral de Política Tributária RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Política Tributária Análise da Arrecadação das Receitas Federais Julho de BRASÍLIA AGOSTO SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL Jorge Antônio Deher Rachid COORDENADOR-GERAL

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO GABRIEL/RS

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO GABRIEL/RS INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO GABRIEL/RS CONJUNTURA ECONÔMICA E FINANCEIRA Agosto/17 INTRODUÇÃO Neste relatório disponibilizamos a conjuntura econômica financeira para

Leia mais

SURPRESAS DA CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA EM MEIO A RECESSÃO

SURPRESAS DA CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA EM MEIO A RECESSÃO SURPRESAS DA CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA EM MEIO A RECESSÃO José Roberto Afonso Kleber Pacheco de Castro * RESUMO: Quando uma economia mergulha em recessão, a teoria e as experiências ensinam que se deveria

Leia mais

Análise da Arrecadação das Receitas Federais

Análise da Arrecadação das Receitas Federais Ministério da Fazenda Subsecretaria de Tributação e Contencioso Coordenação-Geral de Estudos Econômico-Tributários e de Previsão e Análise da Arrecadação Análise da Arrecadação das Receitas Federais DEZEMBRO/2011

Leia mais

Termômetro Tributário Brasileiro - Agosto/2011

Termômetro Tributário Brasileiro - Agosto/2011 1 Nota Técnica 30/09/2011 Termômetro Tributário Brasileiro - Agosto/2011 José Roberto R.Afonso Marcia Monteiro Matos RESUMO: A carga tributária brasileira, que mede a relação entre a arrecadação de tributos

Leia mais

CAMPANHA SALARIAL PERSPECTIVAS PARA Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios

CAMPANHA SALARIAL PERSPECTIVAS PARA Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios CAMPANHA SALARIAL PERSPECTIVAS PARA 2016 Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios Conjuntura Econômica Variação real anual do PIB (em %) Brasil, 2003 a 2016* 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0-2,0 1,1 5,8 3,2

Leia mais

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E SEGURIDADE - DIEESE - REUNIÃO DA DSND Rosane Maia 17 de junho de 2009 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E SEGURIDADE APRESENTAÇÃO: I - A EXPERIÊNCIA DO OBSERVATÓRIO DE EQUIDADE

Leia mais

5. Política Fiscal e déficit público

5. Política Fiscal e déficit público 5. Política Fiscal e déficit público 5.1 Política fiscal (tributação e gastos) 5.2 conceito de déficit público 5.3 evolução do déficit público no Brasil 5.4 relação entre déficit público, taxa de juros

Leia mais

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar.

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar. INTERNA Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar. 1 DESAFIOS E INCERTEZAS DO CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO E GLOBAL 2 2 Fabiana

Leia mais

Cenário Macroeconômico e Político: Efeitos sobre a Economia do RS

Cenário Macroeconômico e Político: Efeitos sobre a Economia do RS Cenário Macroeconômico e Político: Efeitos sobre a Economia do RS Luiz Rabi Economista da Serasa Experian Congresso da Federasul 2017 7 de Julho de 2017 Agenda A Origem da Crise A Arrumação da Casa: O

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,52 0,52 4,27 0,54 0,54 4,56 Fev. 0,19 0,71 4,12 0,49 1,03 4,61 Mar. 0,31 1,02 4,33

Leia mais

O Desafio do Ajuste Fiscal: onde estamos? Mansueto Almeida

O Desafio do Ajuste Fiscal: onde estamos? Mansueto Almeida O Desafio do Ajuste Fiscal: onde estamos? Mansueto Almeida Checklist dos Desafios na Área Fiscal Controlar o crescimento da despesa pública;à NÃO Recuperar o superávit primário para, no mínimo, 2,5% do

Leia mais

Crise, Lucratividade e Distribuição:

Crise, Lucratividade e Distribuição: Crise, Lucratividade e Distribuição: Uma Análise da Economia Política Brasileira Adalmir Marquetti PUCRS Setembro, 2017 1. Introdução Maior crise política e econômica desde a redemocratização Divisão de

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Diante da atual conjuntura econômica, qual é a relação da crise fiscal com a cidadania?

Diante da atual conjuntura econômica, qual é a relação da crise fiscal com a cidadania? Especialista em finanças públicas Diante da atual conjuntura econômica, qual é a relação da crise fiscal com a cidadania? José Roberto Afonso Curso de Finanças Públicas e Educação Fiscal para Jornalistas

Leia mais

Resultado do Tesouro Nacional Abril de Brasília 30 de Maio, 2016

Resultado do Tesouro Nacional Abril de Brasília 30 de Maio, 2016 Resultado do Tesouro Nacional Abril de 2016 Brasília 30 de Maio, 2016 Resultado Fiscal do Governo Central Receitas, Despesas e Resultado do Governo Central Brasil 2015/2016 Valores Nominais Resultado Primário

Leia mais

NOTA TÉCNICA ARRECADAÇÃO TRIBUTÁRIA DE 2014 NA CONTABILIDADE FEDERAL

NOTA TÉCNICA ARRECADAÇÃO TRIBUTÁRIA DE 2014 NA CONTABILIDADE FEDERAL NOTA TÉCNICA ARRECADAÇÃO TRIBUTÁRIA DE 2014 NA CONTABILIDADE FEDERAL José Roberto Afonso Bernardo Fajardo Janeiro de 2015 0 Principais Destaques 1 : O ano de 2014 deve ter fechado com queda na carga tributária

Leia mais

Proteção social e novos desafios para a descentralização fiscal: o caso brasileiro

Proteção social e novos desafios para a descentralização fiscal: o caso brasileiro 18º Seminário Regional de Política Fiscal - CEPAL/ILPES Proteção social e novos desafios para a descentralização fiscal: o caso brasileiro Sesión Gobiernos sub-nacionales y políticas sociales CEPAL - Santiago,

Leia mais

Teoria da Tributação Tributação da Renda e do Patrimônio

Teoria da Tributação Tributação da Renda e do Patrimônio Prof. Roberto Quiroga Mosquera 2016 Teoria da Tributação Tributação da Renda e do Patrimônio Aspectos econômicos da tributação do capital Tributação elevada Tributação irrisória Capital Eficiência Econômica

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,52 0,52 4,27 0,54 0,54 4,56 Fev. 0,19 0,71 4,12 0,49 1,03 4,61 Mar. 0,31 1,02 4,33

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2013 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de JANEIRO de 2013, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Crise econômica no Brasil Freie Universitat Berlin 07/02/2017

Crise econômica no Brasil Freie Universitat Berlin 07/02/2017 Crise econômica no Brasil Freie Universitat Berlin 07/02/2017 Luiz Fernando de Paula Professor Titular de Economia Política da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Pesquisador visitante do

Leia mais

Tributária Bruta

Tributária Bruta Evolução da Carga Tributária Bruta 1990 2009 Setembro de 2010 1 Os INFORMATIVOS ECONÔMICOS da (SPE) são elaborados a partir de dados de conhecimento público, cujas fontes primárias são instituições autônomas,

Leia mais

Desafios das finanças públicas no Brasil: Perspectivas e propostas. Manoel Pires IBRE-FGV

Desafios das finanças públicas no Brasil: Perspectivas e propostas. Manoel Pires IBRE-FGV Desafios das finanças públicas no Brasil: Perspectivas e propostas Manoel Pires IBRE-FGV 1 Estrutura Principais fatos estilizados das finanças públicas no Brasil. Política fiscal e ciclos econômicos. O

Leia mais

IRPJ, CSLL, PIS, COFINS

IRPJ, CSLL, PIS, COFINS Alguns Clientes O objetivo da Studio Fiscal é oferecer serviços de consultoria tributária, buscando otimizar a carga tributária das empresas com base em trabalhos que envolvem gestão contábil, fiscal e

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,46 0,46 6,27 0,48 0,48 5,84 Fev. 0,27 0,73 5,52 0,55 1,03 5,90 Mar. 0,40 1,14 6,28

Leia mais

ARRECADAÇÃO DE IMPOSTOS

ARRECADAÇÃO DE IMPOSTOS CONTAS PÚBLICAS ARRECADAÇÃO DE IMPOSTOS jun/05 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10

Leia mais

Perspectivas das finanças municipais para os novos mandatos José Roberto Afonso. Reunião Geral Frente Nacional de Prefeitos Campinas/SP, 29/11/2016

Perspectivas das finanças municipais para os novos mandatos José Roberto Afonso. Reunião Geral Frente Nacional de Prefeitos Campinas/SP, 29/11/2016 Perspectivas das finanças municipais para os novos mandatos José Roberto Afonso Reunião Geral Frente Nacional de Prefeitos Campinas/SP, 29/11/2016 Sumário Macroeconomia Finanças Municipais Perspectivas

Leia mais

Crise Econômica, Mercado de Trabalho e a Seguridade Social no Brasil

Crise Econômica, Mercado de Trabalho e a Seguridade Social no Brasil Crise Econômica, Mercado de Trabalho e a Seguridade Social no Brasil Prof. Denis Maracci Gimenez maracci@unicamp.br Porto Alegre, abril de 2017 QUESTÃO CENTRAL Estabelecer relações entre a evolução da

Leia mais

Indicadores Setoriais da Indústria Farmacêutica. Subsídio à Campanha Salarial 2013

Indicadores Setoriais da Indústria Farmacêutica. Subsídio à Campanha Salarial 2013 Indicadores Setoriais da Indústria Farmacêutica Subsídio à Campanha Salarial 2013 Conjuntura setorial brasileira Evolução dos dados da indústria de farmoquímicos e farmacêuticos - Brasil Ano Número de

Leia mais

FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS FPM PÓS CRISE E O CENÁRIO PARA 2010

FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS FPM PÓS CRISE E O CENÁRIO PARA 2010 FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS FPM PÓS CRISE E O CENÁRIO PARA 2010 Pós s crise e a recuperação Números da crise financeira Apoio Financeiro Impacto do aumento do salário mínimo O cenário para 2010

Leia mais

Perspectivas das finanças municipais para os novos mandatos José Roberto Afonso. Reunião Geral Frente Nacional de Prefeitos Campinas/SP, 29/11/2016

Perspectivas das finanças municipais para os novos mandatos José Roberto Afonso. Reunião Geral Frente Nacional de Prefeitos Campinas/SP, 29/11/2016 Perspectivas das finanças municipais para os novos mandatos José Roberto Afonso Reunião Geral Frente Nacional de Prefeitos Campinas/SP, 29/11/2016 Sumário ümacroeconomia üfinanças Municipais üperspectivas

Leia mais

Spread bancário no Brasil: Tendências de longo prazo, evolução recente e questões metodológicas

Spread bancário no Brasil: Tendências de longo prazo, evolução recente e questões metodológicas Spread bancário no Brasil: Tendências de longo prazo, evolução recente e questões metodológicas São Paulo, 28 de Janeiro de 2009 Rubens Sardenberg Economista-chefe chefe I. Evolução do spread bancário

Leia mais

Ano IV Jan/2016. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Jaqueline Rossali

Ano IV Jan/2016. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Jaqueline Rossali Esta é a primeira edição do ano de 2016 do boletim Termômetro Tributário do CEPER-FUNDACE. Na última edição, lançada em dezembro de 2015, foram analisados os principais impostos federais no mês de outubro

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. Alta carga tributária; 2. A burocracia e entraves da legislação; 3. Interpretação restritiva do Fisco sobre

Leia mais

meses Maio 1,23 2,82 5,41 0,79 2,88 5,58 Jun. 0,96 3,81 5,84 0,74 3,64 6,06 Jul. 0,45 4,27 6,03 0,53 4,19 6,

meses Maio 1,23 2,82 5,41 0,79 2,88 5,58 Jun. 0,96 3,81 5,84 0,74 3,64 6,06 Jul. 0,45 4,27 6,03 0,53 4,19 6, Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Maio 1,23 2,82 5,41 0,79 2,88 5,58 Jun. 0,96 3,81 5,84 0,74 3,64 6,06 Jul. 0,45 4,27 6,03

Leia mais

CIDE Combustíveis e a Federação

CIDE Combustíveis e a Federação CIDE Combustíveis e a Federação O objetivo desta análise é investigar as possíveis causas da queda de arrecadação da CIDE no primeiro trimestre de 2009, na comparação com o primeiro trimestre de 2008.

Leia mais

Cenário Econômico 2018

Cenário Econômico 2018 Cenário Econômico 2018 25/10/2017 7,25% 2 Cenário 2018 3 Cenário político: conturbado, mas ajudou. 4 O espaço conquistado... Boa gestão da política econômica: focada na responsabilidade macroeconômica,

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T de março de 2016

Teleconferência de Resultados 4T de março de 2016 Teleconferência de Resultados 4T15 22 de março de 2016 Agenda Cenário Setorial Destaques Operacionais Destaques Financeiros 2 Financiamento de Veículos Inadimplência em Financiamentos de Veículos Pessoa

Leia mais

Retomada do Crescimento e Reformas Estruturais

Retomada do Crescimento e Reformas Estruturais Retomada do Crescimento e Reformas Estruturais Henrique Meirelles Ministro da Agosto, 2017. Crescimento de Curto Prazo 2 fev-14 abr-14 jun-14 ago-14 out-14 dez-14 fev-15 abr-15 jun-15 ago-15 out-15 dez-15

Leia mais

Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento

Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda Barra Bonita, 25 de Novembro de 2016 BRASIL: EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DO PIB (VAR.

Leia mais

Desafios da Política Fiscal. Caminhos e Possibilidades para o reequilíbrio

Desafios da Política Fiscal. Caminhos e Possibilidades para o reequilíbrio Desafios da Política Fiscal Caminhos e Possibilidades para o reequilíbrio Agosto. 2014 Alternativas para a Política Fiscal Caminhos para o resgate da Âncora Fiscal e da Estabilidade Econômica Adoção de

Leia mais

Novo Sistema Tributário. Síntese da Proposta

Novo Sistema Tributário. Síntese da Proposta 1 SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS (CAE) SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA DA REFORMA TRIBUTÁRIA (CAERT) Relatório Preliminar - Março de 2008 PRESIDENTE: Senador Tasso Jereissati - PSDB - CE VICE-PRESIDENTE:

Leia mais

MCM Consultores Associados. Setembro

MCM Consultores Associados. Setembro MCM Consultores Associados Setembro - 2006 Cenários Econômicos para 2007-2010 Premissas para a Economia Mundial Não se configura o quadro de recessão prognosticado por vários analistas; Queda moderada

Leia mais

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 O papel da construção no desenvolvimento sustentado Há cinco anos, o setor da construção iniciou um ciclo virtuoso de crescimento: Esse ciclo foi pavimentado

Leia mais

Composição da Desoneração (Completa) da Folha de Salários

Composição da Desoneração (Completa) da Folha de Salários Composição da Desoneração (Completa) da Folha de Salários José Roberto Afonso Vilma da Conceição Pinto 21/7/2014 IBRE/Rio de Janeiro Julho de 2014 Desoneração da folha crescente: renúncia calculada pela

Leia mais

Reforma Tributária e Seguridade Social

Reforma Tributária e Seguridade Social Reforma Tributária e Seguridade Social Audiência da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados Brasília 31 de março de 2009 1 Objetivos da Reforma Tributária ria Econômicos Sociais

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS Índice de Preços IGP-M IGP-DI Mensal No ano Em 12 meses Mensal No ano Em 12 meses Jan. 0,39 0,39 11,87 0,33 0,33 11,61 Fev. 0,30 0,69 11,43 0,40 0,74 10,86 Mar. 0,85 1,55 11,12 0,99

Leia mais

GOVERNO FEDERAL ANUNCIA CORTE DE GASTOS

GOVERNO FEDERAL ANUNCIA CORTE DE GASTOS 5 GOVERNO FEDERAL ANUNCIA CORTE DE GASTOS Estudos Técnicos/CNM Janeiro de 2015 O decreto N o 8.389, de 7 de Janeiro de 2015, detalhou cortes imediatos de despesas públicas, para os órgãos, fundos e entidades

Leia mais

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro

CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro CNC - Divisão Econômica Rio de janeiro PEIC Síntese dos Resultados Síntese dos Resultados Total de Endividados Dívidas ou Contas em Atrasos Não Terão Condições de Pagar mar/10 63,0% 27,3% 8,7% fev/11 65,3%

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas PIB e Performance do Agronegócio

Balanço 2016 Perspectivas PIB e Performance do Agronegócio PIB e Performance do Agronegócio 15 16 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 MESMO COM A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTANDO PARA OS EIXOS EM 2017, O AGRONEGÓCIO NOVAMENTE DEVERÁ SER O SETOR COM MAIOR

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

NA VISÃO DOS ESTADOS:

NA VISÃO DOS ESTADOS: Seminário Internacional Tributo ao Brasil A Reforma que queremos REFORMA TRIBUTÁRIA NA VISÃO DOS ESTADOS: Reequilibrar o Federalismo PAULO ANTENOR DE OLIVEIRA Secretário da Fazenda do Estado do Tocantins

Leia mais

Desafios da Crise Mundial: Uma Estimativa do Impacto sobre as Finanças Públicas

Desafios da Crise Mundial: Uma Estimativa do Impacto sobre as Finanças Públicas 1 Desafios da Crise Mundial: Uma Estimativa do Impacto sobre as Finanças Públicas Resumo O presente estudo, realizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), prevê que o impacto da crise econômica

Leia mais

Avanços recentes da política fiscal no Brasil. DYOGO HENRIQUE DE OLIVEIRA Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

Avanços recentes da política fiscal no Brasil. DYOGO HENRIQUE DE OLIVEIRA Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão Avanços recentes da política fiscal no Brasil DYOGO HENRIQUE DE OLIVEIRA Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão Composição do Gasto Primário 2017 (R$ milhões - Valores Correntes) Item 2017

Leia mais

EVOLUÇÃO SALARIAL. Categoria: Sindipetro RJ. Petroleiros do Rio de Janeiro. Deflatores: IPCA-IBGE INPC-IBGE. julho de 2012

EVOLUÇÃO SALARIAL. Categoria: Sindipetro RJ. Petroleiros do Rio de Janeiro. Deflatores: IPCA-IBGE INPC-IBGE. julho de 2012 EVOLUÇÃO SALARIAL Categoria: Petroleiros do Rio de Janeiro Deflatores: IPCA-IBGE INPC-IBGE julho de 2012 Este trabalho contém o estudo sobre o comportamento dos salários desde 01-setembro-2011 até 31-agosto-2012

Leia mais

Os sérios desafios da economia. Econ. Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Maio/2016

Os sérios desafios da economia. Econ. Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Maio/2016 Os sérios desafios da economia Econ. Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Maio/2016 1 Os números da economia brasileira que o novo governo precisa enfrentar 11,089 milhões Número de desempregados no Brasil,

Leia mais

Paulo Rabello de Castro. Setembro 2014

Paulo Rabello de Castro. Setembro 2014 Tributos e Gastos Públicos: Proposta para Simplificar o País Paulo Rabello de Castro Setembro 2014 Produção Industrial Estagnou stagnou... 106 103 100 Índice Índice Geral - Variação anual + 0,4% - 2,3%

Leia mais

Congresso de Fundação da Força Sindical do Distrito Federal Mercado de trabalho e negociação coletiva no DF

Congresso de Fundação da Força Sindical do Distrito Federal Mercado de trabalho e negociação coletiva no DF Congresso de Fundação da Força Sindical do Distrito Federal Mercado de trabalho e negociação coletiva no DF 25 Março de 2009 Conjuntura marcada pela crise Produto Interno Bruto do país teve queda de 3,6%

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. ORÇAMENTO Fechamento

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. ORÇAMENTO Fechamento UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ORÇAMENTO 2016 - Fechamento Janeiro/2017 CODAGE Coordenadoria de Administração Geral Rua da Reitoria, 374 5 o andar Cidade Universitária 05508-220 São Paulo/SP (11) 3091-3014

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais