Evolução negativa das commodities em Julho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Evolução negativa das commodities em Julho"

Transcrição

1 1 Evolução negativa das commodities em Julho 1 Agosto de 215 Desde Julho que se tem assisti uma queda significativa s preços das commodities no merca internacional. O preço ouro caiu ao longo ano cerca de 7,29 de 1.181,98 USD/oz para 1.95,8 USD/oz no final de Julho, ten o preço ouro atingi mínimo s últimos 5 anos. Destaca-se que o perío de queda mais acentua verificou-se no mês de Julho, com recuo preço de 1.171,65 USD/oz para 1.95,8 USD/oz no mês, cerca de 6,47. Em relação a prata, o preço atingiu mínimo s últimos 6 anos, ten recua 5,72 no ano (s quais 5,61 só no mês de Julho) para 14,78 USD/oz no final de Julho. O preço petróleo tem decresci, penaliza pelo excesso de oferta com a produção petróleo de xisto pelos EUA e com a actual expectativa de levantamento das sanções ao Irão (como consequência acor nuclear entre o mesmo e as grandes potências mundiais), desvalorizan-se de 146USD/barril em 28, 115USD/barril em 214, para perto de 5 USD/barril actuais. De 21 a 211 os preços s metais preciosos evoluíram positivamente, aptan uma tendência negativa nos anos seguintes. O ouro cresceu de 255,65 USD/oz para 1.91,64 USD/oz e a prata de 4,6 USD para 48,53 USD, suporta pela procura de opções de investimento mais seguras durante a crise económica e financeira mundial. A queda s preços das commodities pode ser explicada pela redução da procura por parte gigante asiático (China), excesso de oferta (no que se refere ao petróleo) e pelo fim das crises e situações de incertezas que afectavam o merca financeiro internacional (crise económica mundial de 28 e a recente crise financeira grega - dada a forte procura por metais preciosos como opção alternativa de investimento em perío de crise). A China é um s maiores consumires de matérias-primas mun, logo é um s maiores intervenientes no merca das commodities. A história demonstra que quanto mais ricos se tornam as nações, o consumo de matérias-primas se eleva a um ritmo significante e a uma taxa crescente, antes de estabilizar-se em níveis altos. Segun o FMI, em 21 o consumo mundial era de aproximadamente 2 para as energias não renováveis, 23 para as principais culturas agrícolas e 4 para os metais. Por isso, moderar da expansão da economia chinesa, correlaciona a uma menor procura por matérias-primas, pressiona negativamente os preços e reduz as receitas obtidas pelos países produtores das mesmas. Os países africanos, da o desempenho, quase exclusivo, continente como fornecer de matérias-primas no merca internacional, estão mais vulneráveis em caso de variação s preços das commodities.

2 DESTAQUES Economia Internacional EUA: Os pedis de subsídios de desemprego se situaram nos 27 mil pedis na última semana de julho, menos 2 mil que o previsto. O bom desempenho indicar reduz o impacto das expectativas negativas no merca laboral, após a divulgação, no dia anterior, número de empregos crias em Julho (ten reduzi de 229 mil para 185 mil empregos crias). Houve um aumento défice da balança comercial em 7,1 para -43,8 mil milhões USD em Junho, que representa o segun recuo consecutivo das exportações. O USD mais forte pressiona negativamente as exportações, tornan-as mais caras. 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1,, -1, -2, 3,2 3 Economia Mundial PIB Estimativas 1,8 -,6 -,6 Global EUA Zona Euro 7,97,7 1,5 1,8 3 2,5 6 5,6 4,44,1 China Japão Brasil Índia África As despesas com a construção mensal se situaram em,1 no mês de Junho, comparativamente aos 1,8 registas em Maio. O fraco desempenho foi influencia pela contracção nas construções não-residenciais privadas, mas que poderá melhorar nos próximos meses influencias pelo recente aumento indicar Architectural Billing Index (indicar da procura na actividade de construção para fins comerciais e industrias). Reino uni: O preço das habitações aumentou,4 em Julho, comparativamente aos -,2 no mês anterior. O indicar tem demonstran sinais de estabilização e poderá no longo prazo impulsionar o aumento das construções de habitações e das aplicações em hipotecas. A produção industrial reduziu,4 em junho o que contrasta com o crescimento de,3 no mês anterior. O sector tem si penaliza pela libra mais forte em relação as principais contrapartes, o que tem ti um efeito negativo sobre a procura externa pelos produtos reino. Alemanha: Houve um aumento de 2 nas encomendas de fábrica em Junho, que contrasta com o recuo de,3 no mês anterior. O bom desempenho indicar é suporta pela baixa taxa de desemprego (a mais baixa desde a reunificação da Alemanha), pelo estímulos Central Europeu (BCE) e pelo baixo preço petróleo. Canadá: O índice PMI Manufactura se situou nos 5,8 pontos em Julho, um decréscimo face aos 51,3 pontos no mês anterior. O sector industrial mantém-se positivo pelo segun mês consecutivo, contrastan com o desempenho negativo s meses anteriores. O desempenho indicar reflecte o efeito da queda preço petróleo para o sector energético. Itália: A produção industrial mensal recuou 1,1 em Junho, o que contrasta a expansão de,9 verificada no mês anterior. Da o crescimento sector nos meses anteriores, a contracção em Junho não preocupa os analistas económicos, porque pode ser temporária Fonte: OPEP EUA - Sentimento Consumir Zona Euro PIB Estimativas Fonte:FMI Estimativas (213/218). previsão anterior previsão actual 1, 98, 96, 94, 92, 9, 88, 86, 84, 82, 8, nov/14 fev/15 mai/15 Destaques desta semana: serão divulgas na Alemanha, no dia 11, os indicares ZEW referente ao mês de Agosto com realce para indicar ZEW de Expectativa, sen previsto que se situe em 31,9 pontos. Na Zona euro será divulgada a taxa de inflação referente ao mês de Julho, preven-se que atinja os,2. Economias Emergentes Angola: Foi assina o acor monetário que garante a transacção directa entre a moeda angolana e a moeda chinesa (Yuan) nos respectivos países. As trocas comerciais entre os países superaram os 37 mil milhões USD em 214, mais 3,23 que no perío homólogo. A medida visa simplificar as relações comerciais entre os 2 países, que antes necessitavam de uma moeda forte intermédia Mb/dia Produto de Petróleo Angola Brasil: A taxa de inflação aumentou,62 em Julho em relação ao mês anterior, inferior ao aumento de,79 no mês anterior. A taxa de inflação homóloga, em Julho, situou-se em 9,56, superan os 9,53 esperas. Os níveis de preços têm si afectas pelos recuos s níveis de produção influencias pela queda s preços petróleo. Tal condição tem obriga o central Brasil a apertar a sua taxa de juro de referencia com o objectivo de conter os avanços s níveis de preços Fonte: OPEP. 2

3 MERCADO CAMBIAL O euro depreciou-se em relação ao dólar em,48 para 1,9 dólares. A moeda única é pressionada pela moeda norte-americana mais forte, e pelo possível apertar da taxa de juro Refi ainda no 3º trimestre. Taxas de Câmbio Variação Moedas Fecho 1 Dia MTD YTD Max Min USD Index 97,48,38 2,9 7,99 1,39 8,73 EUR/USD 1,9 -,48-1,91-9,59 1,35 1,5 EUR/CHF 1,5 -,3 -,87 14,3 1,22,85 GBP/USD 1,55 -,17-1,51 -,6 1,7 1,46 USD/JPY 124,5 -,21-1,56-3,39 125,86 11,51 Moedas emergentes USD/ZAR 12,6-1,25-3,6-8,33 12,71 1,49 USD/CNY 6,21, -,14 -,6 6,28 6,11 USD/BRL 3,29-1,91-5,56-19,12 3,31 2,22 USD/AKZ 126,24 -,2-3,54-18,52 126,37 96,83 EUR/AKZ 137,59,35-1,5-9,52 138,79 111, ,6 12 1,4 15 1,2 9 1, 75 6,8 45,6 3,4 15,2 EUR/AOA USD/AOA, dez/14 abr/15 ago/15 MERCADO de ACÇÕES As praças norte-americanas transacionam em queda influenciadas pela expectativa de aumento das taxas de juro pela Reserva Federal norte-americana. O índice bolsista Dow Jones caiu,27 para ,38 pontos e o S&P5 recuou,29 para 2.77,57 pontos. Índices MSCI Variação Índices Fecho 1 Dia MTD YTD Max Min Dow Jones (EUA) ,38 -,27-1,79-2, , ,12 S&P 5 (EUA) 2.77,57 -,29-1,25, , ,66 Nasdaq (EUA) 5.43,54 -,26-1,65 6, , ,6 Dax 3 (Alemanha) ,94 -,15 1,46 17, , ,97 FTSE 1 (Inglaterra) 6.683,8 -,52 -,19 1, , ,68 PSI2 (Portugal) 5.566,36 -,42-2,61 15, , ,48 Nikkei 225 (Japão) 2.88,69,41 1,9 19, , ,3 Bovespa (Brasil) ,32-2,87-4,5-2, , ,81 CSI 3 (China) 4.84,37 4,54 7,1 15, , ,64 SA All Shares (África Sul) 52.14,96 -,86 -,7 4, , , MSCI Emergentes MSCI Global MSCI World (Global) 435,12 -,38 -,69 4,78 445,42 377,2 MSCI Emerging Markets ,32 -,17-1,36-1, , ,4 MERCADO de MATÉRIAS-PRIMAS Os preços crude diminuíram pressionas pelo excesso de oferta e pela expectativa gerada pelo levantamento das sanções ao Irão. O preço barril de WTI caiu em 2,88 para 43,87 USD e o Brent diminuiu,91 para 48,61 USD Variação Commodities Fecho 1 Dia MTD YTD Max Min 1.5 Ene rgia WTI crude 43,86 -,2-6,92-17,66 98,58 42,3 1.3 Brent Crude 48,58 -,6-6,95-15,26 15,43 45,19 Gás natural 2,83 1,18 4,23-5,98 3,93 2, Metais Preciosos Ouro 1.95,15,1 -,6-7, , ,35 9 Prata 14,94,78 1,7-4,85 2,15 14,29 Outros Alumínio 1.556,5 -,18-1,61-14, , 1.552,5 7 Cobre 234,1,36 -,95-17,21 324, 23,75 5 Baltic dry Index 1.2, -,8 6,1 53, , 59, Commodities Ouro (USD/onça) WTI (USD/barril) Commodities (CRY) 198,32 -,11-2,1-13,76 294,6 197,

4 MERCADO de TAXAS DE JURO A taxa de juro da dívida soberana da Suíça a 1 anos rende juros negativos, com uma evolução da yield (taxa de juro) de -,43 para -,114 ao longo da semana. As taxas reflectem a maior procura pelos títulos suiços, da o menor risco que o país oferece. EUA - Libor USD Perío 1 Dia MTD YTD Max Min 3M,29 -,54 3,28 14,44,3,23 6M,47 -,69 5,8 28,85,47,32 12M,8 -,9 4,29 27,96,81,54 Zona Euro - EURIBOR Variação (bps) 3M -,2, -35,71-124,36,21 -,2 6M,5, -2, -71,35,31,5 12M,17, 4,27-47,39,49,16 Angola - Luibor O/n 12,48, 1,54 13,26 12,48,5 1M 1,8, 11,88 35,3 1,8,7 3M 1,32, 1,61 28,68 1,32,8 6M 1,65, 7,58 25,29 1,65 7,93 12M 1,88, 5,84 13,93 1,88,1 Taxas de Juro de Longo Prazo (5Y e 1 Y) EUA - Treasury 1 anos 2,27,24-3,4 4,7 2,65 1,64 ZONA EURO - Bund 1 anos,71-4,4-6,81 31,61 1,2,5,3,3,2,2,1,1, -,1 -,1 Taxas de Merca Monetário Euribor 6 meses Libor 6 meses JP Morgan Global spread Bonds Emerging Markets versus EUA 1 anos Legenda da visão: Muito Positiva Angola: curva de taxas de juro Luibor Positiva Negativa Muito Negativa O/n 3M 6M 12M Fonte: BNA AGENDA DE EVENTOS ECONÓMICOS Movimento Movimento no no Próxima Central Nível Nível actual actual Última alteração ano Ciclo Próxima reunião reunião Data Data valor valor Previsão Nacional Central de Europeu Angola- BCE 1,25,5 Jul 15 Set 14+5 p.b. -11 p.b p.b p.b. 28/8/215 16/7/215 Reserva Federal Federal s s EUA EUA - FED - FED,25,25 Dez 8 dez/8-75 p.b. -75 p.b. p.b. -512,5 p.b. 17/9/215 17/6/215 Central de Inglaterra Europeu - - BoE BCE,5,5 Set 14 nov/14-1 p.b. -5 p.b. p.b p.b. 3/9/215 9/7/215 da Inglaterra Canadá - BoE,5,5 Mar 9 jun/15-5 p.b. -2 p.b. p.b. -4 p.b. 6/8/215 17/7/215 Popular Nacional da de China Angola - PBC 4,85 9,75 Jun 15 jun/15-25 p.b. 25 p.b. -75 p.b p.b. 29/6/215 n.a. n.a. Central Central Brasil Brasil - BACEN 14,25 13,75 Jun 15 jun/15 +5 p.b. -75 p.b. +2 p.b p.b. 2/9/215 29/7/215 da de África África sul Sul - SARB 6, 5,75 Jul 15 Nov p.b. 25 p.b. +25 p.b. 1 p.b. 23/9/215 23/7/215 O central europeu divulgará a taxa de juro de referência na região, sen previsto que se mantenha nos,5. Devi ao nível baixo das taxas, inferior aos 2 inflation target BCE, a das taxas garantiria maior liquidez na economia, impulsionan os níveis de inflação. 4

5 Indicares Económicos 5 Economias Desenvolvidas País Indicar Zona Euroonómico Data/ Hora (UTC) Perio Última Informação Japão Produção industrial M/M 8/12/215 :3 Junho F.8 -- Expe ctativa s analistas EUA Novos pedis de subsídios de desemprego 8/13/215 8:3 Ago/8 27K 27K Alemanha Pesquisa ZEW (Expectativas) 8/11/215 5: Agosto Rússia Reserva de ouro e divisas 8/13/215 8: Ago/ B -- Reino uni Variação pedis de subsídios de desemprego 8/12/215 4:3 Julho 7.K 1.K Zona euro Taxa de inflação A/A 8/14/215 5: Julho F.2.2 Alemanha Pesquisa ZEW Situação atual 8/11/215 5: Agosto Itália Inflação EU harmoniza A/A 8/11/215 4: Julho F.4.4 Japão Pedis de máquinas M/M 8/12/215 19:5 Junho França Taxa de inflação A/A 8/13/215 2:45 Julho.3.3 EUA Sentimento Univ de Mich 8/14/215 1: Agosto P Zona euro PIB SAZ T/T 8/14/215 5: 2º Trim A.4.4 EUA MBA-Solicitações de empréstimos hipotecários 8/12/215 7: Ago/ Japão Índice de preço produtor A/A 8/11/215 19:5 Julho EUA Adiantamento de vendas no varejo M/M 8/13/215 8:3 Julho Reino uni Taxa de desemprego ILO 3M 8/12/215 4:3 Junho Zona euro PIB SAZ A/A 8/14/215 5: 2º Trim A Japão Índice de setor terciário (M/M) 8/12/215 :3 Junho França PIB T/T 8/14/215 1:3 2º Trim P.6.2 EUA Produção industrial M/M 8/14/215 9:15 Julho.2.3 Itália PIB WDA T/T 8/14/215 4: 2º Trim P.3.3 EUA Demanda final IPP M/M 8/14/215 8:3 Julho.4.1 Alemanha PIB SAZ T/T 8/14/215 2: 2º Trim P.3.5 França PIB A/A 8/14/215 1:3 2º Trim P Alemanha Taxa de inflação A/A 8/13/215 2: Julho F.2.2 Itália PIB WDA A/A 8/14/215 4: 2º Trim P.1.5 Zona euro Taxa de inflação M/M 8/14/215 5: Julho. -.6 Reino uni Taxa novos pedis seg desemprego 8/12/215 4:3 Julho Alemanha PIB NSAZ A/A 8/14/215 2: 2º Trim P EUA Estoques no ataca M/M 8/11/215 1: Junho.8.4 Canadá Construção de casas novas 8/11/215 8:15 Julho 23.1K -- Alemanha Taxa de inflação M/M 8/13/215 2: Julho F.2.2 EUA Índice de preços de importação M/M 8/13/215 8:3 Julho Japão Oferta monetária M2 A/A 8/1/215 19:5 Julho França Taxa de inflação EU harmoniza A/A 8/13/215 2:45 Julho.3.3 Japão Oferta monetária M3 A/A 8/1/215 19:5 Julho Rússia PIB A/A 8/11/215 8/12 2º Trim A Alemanha Taxa de inflação EU harmoniza A/A 8/13/215 2: Julho F.1.1 EUA Orçamento mensal 8/12/215 14: Julho -$94.6B -$128.5B França Taxa de inflação M/M 8/13/215 2:45 Julho Alemanha Taxa de inflação EU harmoniza M/M 8/13/215 2: Julho F.3.3 Economias Emergentes País Indicar Zona Euroonómico Data da Divulgação Pe rio Última Informação Rússia Reserva de ouro e divisas 8/13/215 8: Agosto\ B -- Índia Produção industrial A/A 8/12/215 8: Junho Expe ctativa s analistas Brasil Vendas a grosso A/A 8/12/215 8: Junho África sul Produção sector de fabricação NSAZ A/A 8/11/215 7: Junho China Oferta monetária M2 A/A 8/9/215 8/15 Julho África sul Prod sector de fabricação SA M/M 8/11/215 7: Junho Índia Exportações A/A 8/9/215 8/17 Julho China Produção industrial A/A 8/12/215 1:3 Julho Brasil Vendas a grosso M/M 8/12/215 8: Junho

6 Research ATLANTICO RESEARCH Página Bloomberg: ATLO <GO> DISCLAIMER: Este cumento foi elabora com base em informação obtida em fontes consideradas fiáveis, mas a sua precisão não pode ser totalmente garantida. O conteú deste cumento não constitui recomendação para investir, desinvestir ou manter o investimento nos activos aqui descritos ou em qualquer outro, como não constitui oferta, convite, nem solicitação para a compra ou venda s instrumentos referis. Este cumento não deve ser utiliza na avaliação s instrumentos nele referis, não poden o ATLANTICO ser responsabiliza por qualquer perda, directa ou potencial, decorrente da utilização deste cumento ou s seus conteús. O ATLANTICO, ou os seus colaborares, poderão deter posições em qualquer activo menciona nesta publicação. A reprodução de parte ou totalidade desta publicação é permitida, sujeita a indicação da fonte. 6

O relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo de Julho

O relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo de Julho 1 2 Julho de 215 O relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo de Julho Foi divulgado o relatório de Julho da Organização dos Países Exportadores do Petróleo, em que são analisadas as

Leia mais

A China desvalorizou o Yuan

A China desvalorizou o Yuan A China desvalorizou o Yuan 17Agosto de 215 O Popular da China desvalorizou a taxa de câmbio de referência diária yuan em 1,86 no dia 11 de Agosto, e no dia seguinte por,96, ten se situa nos 6,325 CNY

Leia mais

A queda das bolsas chinesas e o seu impacto

A queda das bolsas chinesas e o seu impacto A queda das bolsas chinesas e o seu impacto 31 Agosto de 215 No dia 24 de Agosto a bolsa de Shangai registou a maior queda dos últimos 8 anos, ganhando rótulo de black monday. O índice composto de Shangai

Leia mais

A economia Angolana não entrará em recessão: Esta é a frase de ordem! (1parte)

A economia Angolana não entrará em recessão: Esta é a frase de ordem! (1parte) 1 26 de Outubro de 2015 A economia Angolana não entrará em recessão: Esta é a frase de ordem! (1parte) Em Outubro de 2014 o Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2015 previa uma taxa de crescimento real

Leia mais

Relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo

Relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo 1 27 de Abril de 2015 Relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo Foi divulgado o quarto relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em 2015, com destaque para

Leia mais

Razões do reajuste do AKZ no Mercado Cambial

Razões do reajuste do AKZ no Mercado Cambial 15 Junho de 2015 Razões do reajuste do AKZ no Mercado Cambial Assistiu-se a uma desvalorização do AKZ na última sexta-feira, dia 5 de Junho, de aproximadamente 110,582 AKZ para 117,47 AKZ por unidade de

Leia mais

Petróleo: Preços de referência atingiram os 50 USD

Petróleo: Preços de referência atingiram os 50 USD 1 9 de Fevereiro de 2015 Petróleo: Preços de referência atingiram os 50 USD Os preços de referência do crude (WTI e Brent) estão a transaccionar acima dos 50 USD, o que poderá representar um momento de

Leia mais

A tendência da evolução do preço do Brent

A tendência da evolução do preço do Brent 1 A tendência da evolução do preço do Brent 21 de Setembro de 2015 O preço do petróleo mantém a tendência negativa no mês de Setembro. A média do preço do petróleo (Brent) nas primeiras duas semanas atingiu

Leia mais

Euro em valor mínimo dos últimos 12 anos face ao USD

Euro em valor mínimo dos últimos 12 anos face ao USD 1 16 de Março de 2015 Euro em valor mínimo dos últimos 12 anos face ao USD O Euro transaccionou a 1,0696 USD, o nível mais baixo dos últimos 12 anos, e só em 2015 acumula uma depreciação de cerca de 12.

Leia mais

Taxas de juro dos Bilhetes do Tesouro angolanos em máximos dos últimos 4 anos

Taxas de juro dos Bilhetes do Tesouro angolanos em máximos dos últimos 4 anos 1 10 de Março de 2015 Taxas de juro dos Bilhetes do Tesouro angolanos em máximos dos últimos 4 anos As taxas de juro dos Bilhetes do Tesouro (BT) angolano, títulos de dívida de curto prazo (inferior a

Leia mais

01 Junho de 2015. Política de compra de activos do BCE

01 Junho de 2015. Política de compra de activos do BCE 01 Junho de 2015 Política de compra de activos do BCE A Zona euro tendo experimentado algumas dificuldades no que se refere ao nível de crescimento das economias, reflectido no crescimento moderado da

Leia mais

Relatório Económico do Fundo Monetário Internacional

Relatório Económico do Fundo Monetário Internacional 1 de Novembro de 214 Relatório Económico do Fundo Monetário Internacional O Fundo Monetário Internacional (FMI) indica no seu último relatório que a economia mundial deverá apresentar um crescimento na

Leia mais

2015: Mais austeridade ou início de prosperidade económica?

2015: Mais austeridade ou início de prosperidade económica? 1 26 de Janeiro de 2015 2015: Mais austeridade ou início de prosperidade económica? A actual conjectura económica torna inevitável a seguinte questão: 2015, será um ano de mais medidas de austeridade ou

Leia mais

Banco Central Europeu: rumo da política monetária em 2015?

Banco Central Europeu: rumo da política monetária em 2015? 1 19 de Janeiro de 2015 Banco Central Europeu: rumo da política monetária em 2015? As expectativas relativamente as novas medidas que poderão ser anunciadas pelo Banco Central Europeu (BCE) na sua primeira

Leia mais

Evolução da venda de divisas do Banco Nacional de Angola

Evolução da venda de divisas do Banco Nacional de Angola 29 de Setembro de 214 Evolução da venda de divisas do Banco Nacional de Angola Nos primeiros oito meses de 214, o Banco Nacional de Angola (BNA) vendeu divisas num montante de 13,398 mil milhões de USD,

Leia mais

Tema quente da semana: Kwanza perde terreno face ao Dólar

Tema quente da semana: Kwanza perde terreno face ao Dólar 27 de Outubro de 214 Tema quente da semana: Kwanza perde terreno face ao Dólar Segundo dados do Banco Nacional de Angola ( BNA ), no dia 21 de Outubro a cotação de venda do Dólar Norte-Americano ( Dólar

Leia mais

01 _ Enquadramento macroeconómico

01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico O agravamento da crise do crédito hipotecário subprime transformou-se numa crise generalizada de confiança com repercursões nos mercados

Leia mais

A Reforma dos subsídios aos combustíveis: O caminho a seguir

A Reforma dos subsídios aos combustíveis: O caminho a seguir 1 5 de Janeiro de 15 A Reforma dos subsídios aos combustíveis: O caminho a seguir A Reforma dos subsídios aos combustíveis: O caminho a seguir é o título do programa desenhado pelo Fundo Monetário Internacional

Leia mais

O NOVO ANO E A EVOLUÇÃO DOS MERCADOS

O NOVO ANO E A EVOLUÇÃO DOS MERCADOS NEWSLETTER RESUMO SEMANAL 20 DE MARÇO DE 2017 O NOVO ANO E A EVOLUÇÃO DOS MERCADOS O Comité de Política Monetária do BNA tem mantido as taxas inalteradas desde a segunda metade de 2016. As taxas de juro

Leia mais

A Evolução do Preço do Petróleo e o impacto sobre Angola

A Evolução do Preço do Petróleo e o impacto sobre Angola RESUMO SEMANAL 23 de Maio de 2016 A Evolução do Preço do Petróleo e o impacto sobre Angola No último mês a evolução dos preços do crude tem animado investidores e produtores, o que já levou à revisões

Leia mais

Uma Análise à Lupa Sobre as Medidas Esboçadas Pelo Executivo Angolano para Sair da Crise

Uma Análise à Lupa Sobre as Medidas Esboçadas Pelo Executivo Angolano para Sair da Crise 01 de Fevereiro de 2016 Uma Análise à Lupa Sobre as Medidas Esboçadas Pelo Executivo Angolano para Sair da Crise O ano de 2015 foi desafiante para o país, as receitas inicialmente aprovadas no OGE inicial

Leia mais

O MERCADO CAMBIAL E A INDISPONIBILIDADE DE KWANZAS

O MERCADO CAMBIAL E A INDISPONIBILIDADE DE KWANZAS NEWSLETTER RESUMO SEMANAL 10 DE ABRIL DE 2017 O MERCADO CAMBIAL E A INDISPONIBILIDADE DE KWANZAS A taxa de câmbio mantém-se em 165 KZ por unidade de dólar, constante desde a segunda metade de 2016. A estabilidade

Leia mais

A CONSISTÊNCIA DA POSTURA DO BANCO CENTRAL EUROPEU

A CONSISTÊNCIA DA POSTURA DO BANCO CENTRAL EUROPEU RESUMO SEMANAL 12 de Setembro de 2016 A CONSISTÊNCIA DA POSTURA DO BANCO CENTRAL EUROPEU O presidente do Banco Central Europeu (BCE) continua confiante quanto ao sucesso das políticas de Quantitative Easing

Leia mais

A ALTA DAS BOLSAS NORTE-AMERICANAS E A POSTURA DO FED

A ALTA DAS BOLSAS NORTE-AMERICANAS E A POSTURA DO FED Dow Jones S&P 0 Nasdaq WTI 1 RESUMO SEMANAL 25 de Julho de 2016 A ALTA DAS BOLSAS NORTE-AMERICANAS E A POSTURA DO FED Os principais índices bolsistas dos EUA registaram na primeira semana de Julho altas

Leia mais

Portugal Forte crescimento no início do ano

Portugal Forte crescimento no início do ano 8 Abr ANÁLISE ECONÓMICA Portugal Forte crescimento no início do ano Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento Nos primeiros meses do ano, a retoma do consumo privado teria impulsionado

Leia mais

O RENTÁVEL INVESTIMENTO EM ÁFRICA

O RENTÁVEL INVESTIMENTO EM ÁFRICA RESUMO SEMANAL 17 de Outubro de 216 O RENTÁVEL INVESTIMENTO EM ÁFRICA A crise das matérias-primas que afectou principalmente as economias exportadoras de crude, contribuiu para que se registasse em alguns

Leia mais

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA 2017

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA 2017 NEWSLETTER 09 DE JANEIRO DE 2017 RESUMO SEMANAL PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA 2017 O ano de 2016 foi marcado, tal como no ano que lhe antecedeu, pela procura de soluções para que a economia se recupere

Leia mais

TAXA DE JURO NOMINAL, TAXA DE JURO REAL E ILUSÃO MONETÁRIA EM ANGOLA

TAXA DE JURO NOMINAL, TAXA DE JURO REAL E ILUSÃO MONETÁRIA EM ANGOLA RESUMO SEMANAL 11 de Julho de 216 TAXA DE JURO NOMINAL, TAXA DE JURO REAL E ILUSÃO MONETÁRIA EM ANGOLA O Banco Central pela terceira vez no ano aumentou as taxas de juro, levando a taxa básica para 16%

Leia mais

A Inflação em Angola e a Divergência entre Monetaristas e Keynesianos

A Inflação em Angola e a Divergência entre Monetaristas e Keynesianos 1 RESUMO SEMANAL 16 de Maio de 2016 A Inflação em Angola e a Divergência entre Monetaristas e Keynesianos Desde os primeiros dias da história económica moderna, a inflação foi um dos assuntos mais discutidos

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Março de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Março de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Março de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Fed e Curva de Juros...Pág.3 Europa: Melhora dos Indicadores...Pág.4

Leia mais

O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA

O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA NEWSLETTER RESUMO SEMANAL 07 DE AGOSTO DE 2017 O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA A POLÍTICA MONETÁRIA E A DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA A crise económica mundial persiste, afectando as economias

Leia mais

PETRÓLEO, LIBRA E DÓLAR

PETRÓLEO, LIBRA E DÓLAR RESUMO SEMANAL 25 de Julho de 201 PETRÓLEO, LIBRA E DÓLAR O preço do petróleo voltou a reduzir devido a vitória do referendo para a saída do Reino Unido da União Europeia, depois de ter registado performance

Leia mais

Análise de Conjuntura

Análise de Conjuntura Análise de Conjuntura Novembro 2006 Associação Industrial Portuguesa Confederação Empresarial Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico de Outubro de 2006 apresenta uma melhoria

Leia mais

Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA

Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA Dezembro de 2013 Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA Relatório Gestão Sumário Executivo 2 Síntese Financeira O Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA apresenta em 31 de Dezembro de 2013, o valor de 402

Leia mais

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos).

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos). Mai-04 Mai-05 Mai-06 Mai-07 Mai-08 Mai-09 Mai-10 Mai-11 Mai-12 Análise de Conjuntura Junho 2014 Indicador de Sentimento Económico Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União

Leia mais

O Desempenho da Economia Angolana segundo o FMI

O Desempenho da Economia Angolana segundo o FMI 1 RESUMO SEMANAL 1 de Outubro de 216 O Desempenho da Economia Angolana segundo o FMI O Fundo monetário Internacional divulgou, no dia 4 de Outubro, mais uma edição do World Economic Outlook (WEO) de 216.

Leia mais

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro.

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro. Julho 2012 Jun-02 Jun-03 Jun-04 Jun-05 Jun-06 Jun-07 Jun-08 Jun-09 Jun-10 Jun-11 Jun-12 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

Contexto económico internacional

Contexto económico internacional 1 ENQUADRAMento MACroeConóMICO 1 ENQUADRAMento MACroeConóMICO Contexto económico internacional O ano de 21 ficou marcado pela crise do risco soberano na Zona Euro e pela necessidade de ajuda externa à

Leia mais

Análise à possível implementação do IVA em Angola

Análise à possível implementação do IVA em Angola 1 RESUMO SEMANAL 19 de Setembro de 2016 Análise à possível implementação do IVA em Angola Para o aumento da arrecadação de receitas fiscais não petrolíferas, existe a possibilidade de implementação do

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Maio 2011 Indicador de Sentimento Económico Os indicadores de sentimento económico da União Europeia e da Área

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Abril 2012 Indicador de Sentimento Económico Após uma melhoria em Janeiro e Fevereiro, o indicador de sentimento

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 24 de abril de 2015

INFORME ECONÔMICO 24 de abril de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Economia global não dá sinais de retomada da atividade. No Brasil, o relatório de crédito apresentou leve melhora em março. Nos EUA, os dados de atividade seguem compatíveis

Leia mais

18,0 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0. milhares 159500

18,0 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0. milhares 159500 Comentário Semanal Estudos Económicos e Financeiros Telef. 21 31 11 86 Fax: 21 353 56 94 Email: deef@bancobpi.pt 16 de Maio de 216 Agostinho Leal Alves EUA: a criação de emprego está no limite? Os números

Leia mais

O MERCADO DAS COMMODITIES EM MARÇO

O MERCADO DAS COMMODITIES EM MARÇO NEWSLETTER RESUMO SEMANAL 17 DE ABRIL DE 2017 O MERCADO DAS COMMODITIES EM MARÇO Os mercados de commodities ajudam a garantir alguma estabilidade em termos de preços, principalmente através de contractos

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Junho de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Junho de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Junho de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Reunião do FOMC...Pág.3 Europa: Grécia...Pág.4 China: Condições

Leia mais

O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA

O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA NEWSLETTER RESUMO SEMANAL 12 DE JUNHO DE 2017 O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA AS ELEIÇÕES NO REINO UNIDO E OS PRINCIPAIS IMPACTOS A eleição do 57º Parlamento do Reino Unido ocorreu no passado

Leia mais

O VALOR DA DESVALORIZAÇÃO CAMBIAL PARA O REINO UNIDO

O VALOR DA DESVALORIZAÇÃO CAMBIAL PARA O REINO UNIDO RESUMO SEMANAL 08 de Agosto de 2016 O VALOR DA DESVALORIZAÇÃO CAMBIAL PARA O REINO UNIDO O Reino Unido logo após a vitória do BREXIT viu a sua moeda atingir os níveis de cotação mais baixos das últimas

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 20 de março de 2015

INFORME ECONÔMICO 20 de março de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS FED reduz projeções de crescimento e inflação nesse ano, e mostra cautela em relação ao início do aperto monetário nos EUA. No Brasil, inflação se mantém pressionada. O Comitê

Leia mais

RESUMO SEMANAL. 05 de Dezembro de 2016 O ACORDO DA OPEP

RESUMO SEMANAL. 05 de Dezembro de 2016 O ACORDO DA OPEP 1 RESUMO SEMANAL 5 de Dezembro de 216 O ACORDO DA OPEP Os preços do petróleo subiram mais de 8% na quarta-feira, dia 3 de Novembro, quando a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) surpreendeu

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

O NOVO MERCADO DA BODIVA

O NOVO MERCADO DA BODIVA 1 RESUMO SEMANAL 28 de Novembro de 216 O NOVO MERCADO DA BODIVA O Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira, inaugurou aos 15 de Novembro do corrente ano o Mercado de Bolsa de Títulos do Tesouro

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

RESUMO SEMANAL. 19 de Dezembro de 2016 A EVOLUÇÃO DO CARTEL

RESUMO SEMANAL. 19 de Dezembro de 2016 A EVOLUÇÃO DO CARTEL RESUMO SEMANAL 19 de Dezembro de 216 A EVOLUÇÃO DO CARTEL Ao longo dos últimos 55 anos, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo tentou, com graus variados de sucesso, influenciar o mercado mundial

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 11 Novembro Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

O IMPACTO DAS IMPORTAÇÕES SOBRE A TAXA DE INFLAÇÃO

O IMPACTO DAS IMPORTAÇÕES SOBRE A TAXA DE INFLAÇÃO 1 RESUMO SEMANAL 31 de Outubro de 216 O IMPACTO DAS IMPORTAÇÕES SOBRE A TAXA DE INFLAÇÃO A descida do preço do barril de petróleo a partir do segundo semestre 214, contribuiu para a contracção das receitas

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 22 de maio de 2015

INFORME ECONÔMICO 22 de maio de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Setor de construção surpreende positivamente nos EUA. Cenário de atividade fraca no Brasil impacta o mercado de trabalho. Nos EUA, os indicadores do setor de construção registraram

Leia mais

Brexit: factor de incerteza com efeitos disruptores, pelo menos no curto-prazo

Brexit: factor de incerteza com efeitos disruptores, pelo menos no curto-prazo Comentário Semanal Estudos Económicos e Financeiros Telef. 21 31 11 86 Fax: 21 353 56 94 Email: deef@bancobpi.pt 2 de Junho de 216 Teresa Gil Pinheiro Brexit: factor de incerteza com efeitos disruptores,

Leia mais

O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA

O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA NEWSLETTER RESUMO SEMANAL 05 DE JUNHO DE 2017 O BANCO DO FUTURO CHEGOU AO XYAMI NOVA VIDA O ACORDO DE PARIS APÓS O ABANDONO DOS EUA Recorremos e reestruturamos o trabalho do Jornal internacional El país

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 9 de outubro de 2015

INFORME ECONÔMICO 9 de outubro de 2015 Aug-10 Feb-11 Aug-11 Feb-12 Aug-12 Feb-13 Aug-13 Feb-14 Aug-14 Feb-15 Aug-15 INFORME ECONÔMICO RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Alta de juros nesse ano ainda é o cenário base do FED. No Brasil, a inflação

Leia mais

Prazo das concessões e a crise econômica

Prazo das concessões e a crise econômica Prazo das concessões e a crise econômica ABCE 25 de Setembro de 2012 1 1. Economia Internacional 2. Economia Brasileira 3. O crescimento a médio prazo e a infraestrutura 2 Cenário internacional continua

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Julho de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Inflação e Salários...Pág.3 Europa: Grexit foi Evitado,

Leia mais

Taxas de juros domésticas cedem seguindo mercado de juros norte-americano; Apesar dos dados fortes de emprego nos EUA, dólar encerra semana em queda;

Taxas de juros domésticas cedem seguindo mercado de juros norte-americano; Apesar dos dados fortes de emprego nos EUA, dólar encerra semana em queda; 05-mai-2014 Taxas de juros domésticas cedem seguindo mercado de juros norte-americano; Apesar dos dados fortes de emprego nos EUA, dólar encerra semana em queda; Ibovespa avançou 3,1% na semana, influenciado

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

Classificação da Informação: Uso Irrestrito

Classificação da Informação: Uso Irrestrito Cenário Econômico Qual caminho escolheremos? Cenário Econômico 2015 Estamos no caminho correto? Estamos no caminho correto? Qual é nossa visão sobre a economia? Estrutura da economia sinaliza baixa capacidade

Leia mais

MZMERCADO. 7.5% 0.52% pelo segundo mês consecutivo. 2.37% em relação ao Rand Sul Africano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano

MZMERCADO. 7.5% 0.52% pelo segundo mês consecutivo. 2.37% em relação ao Rand Sul Africano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano A economia cresceu 7.5% no primeiro trimestre de 2014 A inflação reduziu 0.52% pelo segundo mês consecutivo O Metical teve apreciação de 2.37%

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

RESUMO SEMANAL. 27 de Junho de 2016 O INESPERADO BREXIT

RESUMO SEMANAL. 27 de Junho de 2016 O INESPERADO BREXIT 1 RESUMO SEMANAL 27 de Junho de 2016 O INESPERADO BREXIT A proposta de realização do referendo para se aferir a intenção dos britânicos saírem da União Europeia (UE), denominada Brexit (Britain + Exit),

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Situação Económico-Financeira Balanço e Contas

Situação Económico-Financeira Balanço e Contas II Situação Económico-Financeira Balanço e Contas Esta parte do Relatório respeita à situação económico-financeira da Instituição, através da publicação dos respectivos Balanço e Contas e do Relatório

Leia mais

Portugal: Mantém-se o ritmo de recuperação débil, mas estável, em 4T14

Portugal: Mantém-se o ritmo de recuperação débil, mas estável, em 4T14 dez 1 ANÁLISE ECONÓMICA Portugal: Mantém-se o ritmo de recuperação débil, mas estável, em T1 Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento / Ana María Almeida Claudino Neste último trimestre

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

MZMERCADO. 2.24% 0.04% pelo terceiro mês consecutivo. 1.27% em relação ao Dólar. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano

MZMERCADO. 2.24% 0.04% pelo terceiro mês consecutivo. 1.27% em relação ao Dólar. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano O Índice de Confiança empresarial cresceu 2.24% no mês de Junho A inflação reduziu 0.04% pelo terceiro mês consecutivo O Metical teve apreciação

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Maio de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Maio de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Maio de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: GDP Mais Fraco no Primeiro Trimestre...Pág.3 Europa: Curva

Leia mais

Reflexão depreciação do Metical em relação ao Dólar Norte- Americano, 2015.

Reflexão depreciação do Metical em relação ao Dólar Norte- Americano, 2015. CTA-CONFEDERAÇÃO DASASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE Reflexão depreciação do Metical em relação ao Dólar Norte- Americano, Eduardo Sengo Julho 2015 Uma depreciação do Metical, torna os bens e serviços

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Petrobras, Poupança e Inflação. 16 de Abril de 2015

Petrobras, Poupança e Inflação. 16 de Abril de 2015 Petrobras, Poupança e Inflação 16 de Abril de 2015 Tópicos Poupança e Cenário Econômico Petrobras Fundos Poupança e Cenário Econômico Caderneta de Poupança 1990: Data do confisco:16 de março de 1990. Cenário

Leia mais

O IMPREVISÍVEL COLÉGIO ELEITORAL NORTE-AMERICANO

O IMPREVISÍVEL COLÉGIO ELEITORAL NORTE-AMERICANO 1 RESUMO SEMANAL 14 de Novembro de 216 O IMPREVISÍVEL COLÉGIO ELEITORAL NORTE-AMERICANO No dia 8 de Novembro do corrente ano, os norte-americanos foram às urnas decidir quem seria o 45º presidente dos

Leia mais

Relatório Mensal - Julho

Relatório Mensal - Julho Relatório Mensal - Julho (Este relatório foi redigido pela Kapitalo Investimentos ) Cenário Global A economia global apresentou uma relevante desaceleração nos primeiros meses do ano. Nosso indicador de

Leia mais

AS CRISES ECONÓMICAS MUNDIAIS MAIS SEVERAS E AS MEDIDAS PARA CONTRAPÔ-LAS

AS CRISES ECONÓMICAS MUNDIAIS MAIS SEVERAS E AS MEDIDAS PARA CONTRAPÔ-LAS RESUMO SEMANAL 13 de Junho de 2016 AS CRISES ECONÓMICAS MUNDIAIS MAIS SEVERAS E AS MEDIDAS PARA CONTRAPÔ-LAS Desde o início do século XX o mundo tem sido marcado por várias crises internacionais e como

Leia mais

Cenários. Cenário Internacional. Cenário Nacional

Cenários. Cenário Internacional. Cenário Nacional Ano 7 Edição: maio/2015 nº 57 Informações referentes a abril/2015 Cenários Cenário Internacional No mês de abril, o crescimento dos EUA se mostrou enfraquecido, com criação de empregos abaixo do esperado

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 29 de maio de 2015

INFORME ECONÔMICO 29 de maio de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Atividade econômica mostra reação nos EUA. No Brasil, o PIB contraiu abaixo do esperado. Nos EUA, os dados econômicos mais recentes sinalizam que a retomada da atividade

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Análise de Conjuntura Maio 2008 Indicador de Sentimento Económico O clima económico na União Europeia volta a deteriorar-se em Abril. Comparativamente

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

A FLEXIBILIZAÇÃO DA LIBRA EGÍPCIA

A FLEXIBILIZAÇÃO DA LIBRA EGÍPCIA 1 RESUMO SEMANAL 7 de Novembro de 216 A FLEXIBILIZAÇÃO DA LIBRA EGÍPCIA O Egipto juntou-se recentemente às economias em regime de taxa de câmbio flexível, anteriormente indexada ao dólar, seguido pelo

Leia mais

Economic Outlook October 2012

Economic Outlook October 2012 Economic Outlook October 2012 Agenda Economia global Consolidação de crescimento global fraco. Bancos centrais estão atuando para reduzir riscos de crise. Brasil Crescimento de longo prazo entre 3.5% e

Leia mais

MZMERCADO. 0.48% 8.25% para 7.5% em Novembro. 0.89% em relação ao Dólar Norte-Americano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano

MZMERCADO. 0.48% 8.25% para 7.5% em Novembro. 0.89% em relação ao Dólar Norte-Americano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano A confiança empresarial deteriorou em 0.48% no mês de Outubro O Banco de Moçambique cortou a FPC de 8.25% para 7.5% em Novembro O Metical depreciou

Leia mais

ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO

ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1 ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1 Abrandamento da atividade económica mundial ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1.1. Evolução da conjuntura internacional A atividade económica mundial manteve o abrandamento

Leia mais