Aula 9: Projeto de Amplificador MOSFET para pequenos sinais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 9: Projeto de Amplificador MOSFET para pequenos sinais"

Transcrição

1 Aula 9: Prjet de Amplfcadr MOSFET para pequens snas 207 Eletrônca II PSI3322 Prgramaçã para a SegundaPra 9 Prjet Amplfcadr de pequens snas MOS para experment 06 de Auls lab de eletrônca 0 Amplfcadres MOS prta cmum e fnte cmum Sedra, Cap. 4 p Inersr CMOS: peraçã d crcut, característca de transferênca de tensã. Sedra, Cap. 4 p Inersr CMOS: peraçã dnâmca, crrente e dsspaçã de ptênca. (Exercíc de nersr CMOS para experment 07 de lab de eletrônca) Sedra, Cap. 4 p Amplfcadres dferencas cm MOS: ntrduçã, par dferencal, peraçã em pequens snas d par dferencal, ganh dferencal de tensã. Exercíc Ganh de md cmum, rejeçã de md cmum. Exercíc Fntes de crrente MOS, espelhs de crrente MOS e crcuts guas de crrente MOS. Exempl Prjet de Amplfcadr dferencal MOS para experment 08 de lab de eletrônca R Aula de repsçã das turmas T3 e T4 Sedra, Cap. 7 p Sedra, Cap. 7 p Sedra, Cap. 6, p Auls A Aula aulsa de exercícs ( hrár 3:00h 5:00h) 2 a. Semana de Pras (3/0 a 9/0/206) Data: xx/xx/206 (xx fera) Hrár: xx:xxh 208

2 9ª Aula: Prjet de Amplfcadr MOSFET para pequens snas A fnal desta aula cê deerá estar apt a: - Prjetar amplfcadres baseads em especfcações de desempenh - Identfcar s parâmetrs mas mprtantes de um MOSFET em seu mdel SPICE - Smular amplfcadres n SPICE para aldar seu prjet Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum Parâmetrs ncas alres DD +5 Crrente de dren (I D ) 0, ma Snal de entrada ( sg ) Onda sendal de khz e 00 m pc-pc Resstênca de entrada 4,7 kω (R sg ) Resstênca de carga 00 kω (R L ) Frequênca de crte 80 Hz nferr (f L ) Assumrems que transstr tem as característcas meddas na experênca de labratór: t tensã de lmar,06 e k n k n W/L 0,56 ma/ 2 2

3 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum Calcular plarzaçã e deps CA Na plarzaçã Cs aberts MOSFET em que regã? 0,mA t,06 k n k n W/L 0,56 ma/ 2 khz f L 80Hz 3

4 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum Calcular plarzaçã e deps CA Na plarzaçã Cs aberts MOSFET em que regã? (nte que dad um I D tems GS ) Quas as tensões RD, RS e DS? GS t t e r nde λ λi DS GS D A λ0, r abert 0,mA t,06 k n k n W/L 0,56 ma/ 2 khz f L 80Hz ms em aulas anterres que para crcut abax (se na regã de saturaçã u trd) 0 0,333mA 8kΩ GS,86 2 DS ( deal) Q 3 DD 4

5 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum Calcular plarzaçã e deps CA GS t Na plarzaçã Cs aberts DS GS t e r nde λ λid A MOSFET em que regã? (nte que dad um I D tems GS ) Quas as tensões RD, RS e DS? Adtams RD RS DS DD /3 λ0, r abert Lg DD /3 5 RS 50kΩ I D 0,m /3 5 khz DD RD 50kΩ I 0,m D alres cmercas: Entã 5 ( R + R ) I 5,6 DS D S cmercal D prjet 0,mA t,06 k n k n W/L 0,56 ma/ 2 f L 80Hz Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum Se FET na saturaçã: GS t 2 W ( DS GS t e r nde λ GS ) 4,7 t ( ) λid A ID k n + λ DS L 2 W ( ) 2 GS ID kn L 2 0,56 0, GS,06 2,658 GS ( ) 2 Cm G GS + R S, , 6,358 G t 0,mA t,06 k n 0,56 ma/ 2 4,7 λ0, r abert 5,6 f L 80Hz 5

6 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum alres de R G e R G2? GS t Impedânca de entrada eleada, p.ex. ~MΩ 4,7 DS GS t e r nde λ G G2 M R R Ω λid A Tems um 5 lgad em um dsr resst (R G e R G2 ) e precsams bter exatamente 6,358. Lembrand que precsams usar alres cmercas para s resstres, tems duas alternatas: Chutams um resstr (R G2 MΩ e determnams utr, R G ~,5MΩ) e nesse cas G 6 e precsams recalcular GS e I D Ou arrems a sere de resstres cmercas (E6, E2, E24, até E 96) e encntrams melhr par de resstres 6,358 0,mA,658 t,06 k n 0,56 ma/ 2 4,7 λ0, r abert 5,6 f L 80Hz Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum A segunda alternata enle um algrtm, GS t que está dspníel na web pr exempl em: 4,7 DS GS t e r nde λ λid A 6,358 0,mA t,06 k n 0,56 ma/ 2 λ0, r abert 5,6,658 4,7 f L 80Hz 6

7 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum cmum (FC). O amplfcadr prjetad terá s parâmetrs de entrada da tabela. O Capactr CS curt-crcuta RS sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum Pela segunda alternata RG,MΩ e RG 2,5MΩ GS t 4,7 DS GS t e r λid nde λ A G 6,346 (err : 0,2%) Partms agra para a análse CA Mdel p/ peq. snas d MOSFET 0,mA 6,358 6,346 t,06 kn 0,56 ma/2 λ0, r abert 5,6,658 4,7 fl 80Hz gm DS W kn..(gs t ) L GS Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum cmum (FC). O amplfcadr prjetad terá s parâmetrs de entrada da tabela. O Capactr CS curt-crcuta RS sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum 4,7 d g m gs 0,mA 6,358 t,06 kn 0,56 ma/2 6,346,658 5,6 4,7 gm DS ma W kn..(gs t ) 0,56m(,658-,06) 0, 335 L GS 7 7

8 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum g m 0, 335 ma 47, kω R R G G2 635kΩ 00kΩ R s curtad pr C S em frequêncas médas! Amplfcadr de Tensã A R n A Carga RL Carga RL Carga RL A (max A ) R A Parâmetrs de Crcuts Amplfcadres Carga Carga s (max A ) Carga curt x R x 0 Amplfcadr de Tensã G sg Carga R ut x x sg 0 Relações Rn R + R R sg n sg A L A R R L + A G R m R R G A R R R R R G A R + Rsg G RL G R + R n L n + sg L + L ut 8

9 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum 47, kω R R G G2 635kΩ g m 0335, ma 00kΩ A Carga RL gm( RD RL) 0, 335( 47 00) 0, 7 A ( db) 20 lg( A ) 20, 6dB A g ( R ) 0, 335( 47) 5, 74 m D Carga A ( db) 20 lg( A ) 26, 3dB Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum 47, kω R R G G2 635kΩ g m 0335, ma 00kΩ G sg Carga RL A sg sg R 0, 7 G 0, 6 R + R sg G G ( db) 20 lg( G ) 20, 5dB G sg Carga A sg sg R 5, 74 G 5, 6 R + R sg G G ( db) 20 lg( G ) 23, 9dB 9

10 Uma palara sbre Crcuts Amplfcadres Amplfcadr de Tensã C C C C2 C C C C2 Uma palara sbre Crcuts Amplfcadres C C Amplfcadr de Tensã C C2 sg A C C C C2 Crcuts (fltrs) Passa Altas (PA) R A R + ω j 0 jωc ω cm ω τ 0 s Ts ( ) s + ω se R k Ω e C μf τ CR μf k Ω 0, 00seg / τ k rad/s 0 A -20dB/década 0dB -3dB Aprx. p/ Assínttas ω τ 0 f 0

11 Respsta em frequênca de um Amplcadr estudams esta regã (frequêncas médas u regã de patamar) A A pex.. A g ( R // r // R ) M M m D L Faxa de Passagem (Bandwdth) f H -f L 227 Amplfcadr Fnte Cmum Respsta em BAIXAS Frequêncas Aqu tems um crcut cm três fltrs RC PA Se esses fltrs terem frequêncas característcas mut dstntas ( ωc < 0ω u utra rdem ) 2 0 C C < ωc S pdems analsar efet de cada RC em separad s a + + Ts ( ) PA a s s ω0 ω0 s/ ω0 Dcas para determnar s pls e f L em crcuts: Reduza sg a zer Cnsdere efet de cada capactr separadamente, u seja s utrs caps sã curts Para cada capactr ache a resstênca ttal sta entre seus termnas. Essa resstênca multplcada pel C dá a cnstante de temp d crcut A M f e f f f P P3 P2 L s s s AM ( gs) s + ωp s + ωp2 s + ωp3 R G AM gm( RD RL) A ( ) M gm RD RL R sg G + R sg f P 2 πcc( RG + Rsg) gm fp2 fc(u fl) 80Hz 2πC s f P 3 2 πc ( R + R ) C2 D L

12 Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum g m 0335, ma C s f L gm 80Hz 2πC s gm 0335, m 067, μf 2π80 502, 7 R R R G G G 2 635kΩ f P e fp3 fp2 fl fp < fl 8 e fp3 < fl f P 8 CC 0, 03μF 2πCC( RG + Rsg) < > 2π. 8.( 635k + 4, 7k) f P3 8 CC2 0, 35μF 2πC ( R + R ) < > 2π. 8.( 47k + 00k) C2 D L Prjet de Amplfcadr Fnte Cmum sb pnt de sta de snal que sgnfca que estág é fnte cmum 50nF > 0, 35μF 33nF > 003, μf g m 0335, ma R R R 635kΩ G G G 2 680nF 067, μf ( f 80Hz) L 2

13 Respsta em frequênca de um Amplcadr estudams esta regã (frequêncas médas u regã de patamar) A A pex.. A g ( R // r // R ) M M m D L Faxa de Passagem (Bandwdth) f H -f L 232 Amplfcadr Fnte Cmum Respsta em Altas Frequêncas 233 3

14 Amplfcadr Fnte Cmum Respsta em Altas Frequêncas ω H R C sg f Ts ( ) A n H A M + s / ω R H g R G ' M m L RG + Rsg Rsg Rsg RG ' Cn Cgs + Cgd( + gmrl) ωh 2π 2 πc ( R R ) n G sg 234 4

Aula 21: Amplificadores Diferenciais MOSFETs com Carga Ativa. Prof. Seabra PSI/EPUSP

Aula 21: Amplificadores Diferenciais MOSFETs com Carga Ativa. Prof. Seabra PSI/EPUSP ula : mplfcadres ferencas MOSFETs cm Carga ta 46 ula ata Matéra Capítul/págna Teste 7 /0 Ganh de md Semana cmum, da rejeçã Pátra (04/09 de md a cmum. 08/09/07) Sedra, Cap. 7 3/09 Eercíc 7.5 mplfcadres

Leia mais

Aula 7: O MOSFET como Amplificador III

Aula 7: O MOSFET como Amplificador III Aula 7: O MOSFET como Amplfcador III 150 Aula Matéra Cap./págna 1ª 03/08 Eletrônca I PSI3322 Programação para a Prmera Proa Estrutura e operação dos transstores de efeto de campo canal n, característcas

Leia mais

Introdução. Amplificação linear. Introdução à Eletrônica Inversor. Amplificadores. Amplificadores. Amplificador linear v o (t) = Av i (t)

Introdução. Amplificação linear. Introdução à Eletrônica Inversor. Amplificadores. Amplificadores. Amplificador linear v o (t) = Av i (t) ntrduçã mplfcaçã lnear ntrduçã à Eletrônca nersr TE214 Fundaments da Eletrônca Engenhara Elétrca mplfcadres mplfcadres mplfcaçã de snal: funçã fundamental de prcessament de snas. mplfcadr lnear (t) = (t)

Leia mais

5. Lista de Exercícios - Amplificadores e Modelos TBJ

5. Lista de Exercícios - Amplificadores e Modelos TBJ 5. Lista de Exercícis - Amplificadres e Mdels TBJ. Um TBJ tend β = 00 está plarizad cm uma crrente cc de cletr de ma. Calcule s valres de g m, r e e r π n pnt de plarizaçã. Respsta: 40 ma/; 25 Ω; 2,5 kω.

Leia mais

Conversores CC-CC Não-Isolados Estágio de Potência do Conversor Buck

Conversores CC-CC Não-Isolados Estágio de Potência do Conversor Buck Centr Federal de Educaçã ecnlógca de Santa Catarna Departament Acadêmc de Eletrônca Cnversres Estátcs Cnversres CC-CC Nã-Islads Estág de Ptênca d Cnversr Buck Prf. Clóvs Antôn Petry. Flranópls, utubr de

Leia mais

CIRCUITO AUTOPOLARIZAÇÃO Análise do modelo equivalente para o circuito amplificador em autopolarização a JFET.

CIRCUITO AUTOPOLARIZAÇÃO Análise do modelo equivalente para o circuito amplificador em autopolarização a JFET. MÓDULO 6: RESPOSTA EM FREQÜÊNCIA DO AMPLIFICADOR DE PEQUENOS SINAIS A JFET. 1. Introdução: O circuito amplificador de sinal a JFET possui ganho alto, uma impedância alta de entrada e ampla faixa de resposta

Leia mais

3. Osciladores não senoidais e geradores de pulso

3. Osciladores não senoidais e geradores de pulso 3. Oscladres nã sendas e geradres de puls Sã crcuts que utlzam elements nã lneares e elements reats (C, L) para btençã de snas alternads a partr de fntes de tensã DC. 3.. Cncets geras A grande mara ds

Leia mais

2 Amplificadores Operacionais

2 Amplificadores Operacionais Electrónca - Curs de Engenhara Electrmecânca Amplfcadres Operacnas.. Intrduçã O amplfcadr peracnal (ampp) f desenld na década de 40. O ampp era cnstruíd cm base em cmpnentes dscrets, prmer cm álulas (fgura.)

Leia mais

MOSFET: Polarização do MOSFET Aula 4

MOSFET: Polarização do MOSFET Aula 4 MOSFET: Polarização do MOSFET Aula 4 67 Aula Matéria Cap./página 1ª 03/08 Eletrônica PS33 Programação para a Primeira Prova Estrutura e operação dos transistores de efeito de campo canal n, características

Leia mais

Análise de Circuitos com Amplificadores Operacionais

Análise de Circuitos com Amplificadores Operacionais Tera ds Crcus e undamens de Elecrónca nálse de Crcus cm mplfcadres peracnas Teresa Mendes de lmeda TeresaMlmeda@s.ul.p DEEC Área Cenífca de Elecrónca brl de 0 Maéra mplfcadr peracnal (mpp) ampp real caraceríscas

Leia mais

PFR: O que sucede se o PFR estiver em V I =0V ou V I =5V?

PFR: O que sucede se o PFR estiver em V I =0V ou V I =5V? Andar de Fnte Cmum Crcut analógc básc v O PFR: O que sucede se PFR estver em V I =0V u V I =5V? v I Snas = varações de tensã (crrente) v = A v O { v ganh de tensã I AMPLIFICADOR snas fracs: trç lnear v

Leia mais

Introdução. Configuração Inversora. Amplificadores Operacionais. Configuração Não-Inversora. Amplificadores de Diferença

Introdução. Configuração Inversora. Amplificadores Operacionais. Configuração Não-Inversora. Amplificadores de Diferença ntrodução Confguração nersora mplfcadores peraconas Confguração Não-nersora mplfcadores de Dferença TE4 Fundamentos da Eletrônca Engenhara Elétrca Efeto do Ganho Fnto em Malha erta e da Faxa de Passagem

Leia mais

6 Amplificadores Operacionais

6 Amplificadores Operacionais Curs de Engenhara Electrónca e de Cmputadres - Electrónca II 6 Amplfcadres Operacnas 6. 6. Intrduçã n O amplfcadr peracnal (ampp f desenld na década de 4. O ampp era cnstruíd cm base em cmpnentes dscrets,

Leia mais

Transistor Bipolar de Junção TBJ Cap. 4 Sedra/Smith Cap. 8 Boylestad Cap. 10 Malvino

Transistor Bipolar de Junção TBJ Cap. 4 Sedra/Smith Cap. 8 Boylestad Cap. 10 Malvino Transstor Bpolar de Junção TBJ Cap. 4 Sedra/Smth Cap. 8 Boylestad Cap. 1 Malno Amplfcador C Notas de Aula SL 313 Crcutos letrôncos 1 Parte 6 1 o Sem/216 Prof. Manoel Análse de Amplfcadores Báscos Amplfcador

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA LISTA DE EXERCICIOS # () OSCILADOR PONTE DE MEACHAM O sciladr a pnte Meacham

Leia mais

Amplificadores Operacionais Aula 4

Amplificadores Operacionais Aula 4 Amplfcadore peracona Aula 4 Aula Maéra Cap./págna ª 6/02 2ª 9/02 3ª 23/02 4ª 26/02 5ª 0/03 6ª 04/03 7ª 08/03 8ª /03 9ª 5/03 0ª 8/03 Elerônca I PSI332 Programação para a Prmera Prova Inrodução, Revão de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA LISTA DE EXERCICIOS #4 () O circuit a seguir é usad cm pré-amplificadr e

Leia mais

MFB VCVS EL413 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA ANALÓGICA II ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO N O 7: AMPOP FILTROS ATIVOS K Y1 Y3 =

MFB VCVS EL413 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA ANALÓGICA II ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO N O 7: AMPOP FILTROS ATIVOS K Y1 Y3 = EL413 LABOATÓIO DE ELETÔNIA ANALÓGIA II ENGENHAIA ELÉTIA LABOATÓIO N O 7: AMPOP FILTOS ATIVOS Fltrs sã crcuts elétrcs que permtem passagem de crrente u tensã em uma faxa de freqüêncas e nbem a passagem

Leia mais

ENG ANÁLISE DE CIRCUITOS I ENG04030

ENG ANÁLISE DE CIRCUITOS I ENG04030 ENG04030 ANÁLISE DE CIRCUITOS I Aula 4 Introdução a quadrpolos Quadrpolos resstos Parâmetros de quadrpolos e crcutos equalentes Sérgo Haffner Parâmetro de quadrpolos Impedânca () a c ab cd em função de

Leia mais

Curso de Circuitos Elétricos 2 a. Edição, L.Q. Orsini D. Consonni, Editora Edgard Blücher Ltda. Volume I Errata

Curso de Circuitos Elétricos 2 a. Edição, L.Q. Orsini D. Consonni, Editora Edgard Blücher Ltda. Volume I Errata Curso de Crcutos Elétrcos a Edção, Q rsn D Consonn, Edtora Edgard Blücher tda Pág5 Equação (5): dw( t) v( t) = dq( t) Pág5 no parágrafo após equação (36): Volume I Errata, caso em que não há energa ncal

Leia mais

MONTAGEM E ENSAIO DE UM AMPLIFICADOR OPERACIONAL DISCRETO

MONTAGEM E ENSAIO DE UM AMPLIFICADOR OPERACIONAL DISCRETO Faculdade de Engenhara da Unersdade do Porto Lcencatura em Engenhara Electrotécnca e de Computadores Electrónca II MONTAGEM E ENSAIO DE UM AMPLIFICADOR OPERACIONAL DISCRETO Jorge André Letão, Hugo Alexandre

Leia mais

Eletrônica II PSI3322

Eletrônica II PSI3322 Eletônca II PSI33 Pogamação paa a Tecea Poa 8 3/0 04/ O amplfcado dfeencal MOS com caga ata Eecíco 7. Seda, Cap. 7 p. 45 456 9 6/0 6/0 O amplfcado cascode MOS: análse de pequenos snas Seda, Cap. 6 p. 385

Leia mais

Transistor Bipolar de Junção TBJ Cap. 4 Sedra/Smith

Transistor Bipolar de Junção TBJ Cap. 4 Sedra/Smith Transstor Bpolar de Junção TBJ Cap. 4 Sedra/Smth Modelos de Grandes Snas e de 2a. Ordem Notas de Aula SEL 313 Crcutos Eletrôncos 1 Parte 9 1 o Sem/2017 Prof. Manoel Modelo TBJ para grandes snas Ebers-Moll

Leia mais

CIRCUITO SÉRIE/PARALELO Prof. Antonio Sergio-D.E.E-CEAR-UFPB.

CIRCUITO SÉRIE/PARALELO Prof. Antonio Sergio-D.E.E-CEAR-UFPB. CIRCUITO SÉRIE/PARALELO Prf. Antni Sergi-D.E.E-CEAR-UFPB. Os circuit reativs sã classificads, assim cm s resistivs, em a) Circuits série. b) Circuits paralel c) Circuit série-paralel. Em qualquer cas acima,

Leia mais

Exemplo 4.1 (pag.245)

Exemplo 4.1 (pag.245) Exemplo 4.1 (pag.245) Considere um processo tecnológico com min =0,4 μm, t ox =8nm, μ n =450 cm 2 /V.s, e V t =0,7 V. a) Determine C ox e k n. b) Para um MOSFET com W/=8 μm/0,8 μm, determine os valores

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO DE EL - III B2

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO DE EL - III B2 EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO DE EL - III B2 Exercício Resolvido : Determinar a resposta em freqüência do amplificador de pequeno sinal a JFET e a impedância de entrada e de saída, sabendo-se que : V DD 5V,

Leia mais

AULA 13- Osciladores

AULA 13- Osciladores UNIVESIDDE TENOLÓGI FEDEL DO PNÁ DEPTMENTO DÊMIO DE ELETOTÉNI ELETÔNI ET74B Prf.ª Elsabete Nakneczny Mraes UL 3- Oscladres urtba, 8 de nembr 06. EVISÃO: UL ET3-FUNDMENTOS D ELIMENTÇÃO 0 ( Man) f r 0 a

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO NÚMEROS COMPLEXOS

EXERCÍCIOS DE REVISÃO NÚMEROS COMPLEXOS COMÉRCIO EXTERIOR - REGULAR TERCEIRA SÉRIE NOME: EXERCÍCIOS DE REVISÃO NÚMEROS COMPLEXOS TESTES 1) Cnjunt sluçã da equaçã z z 0, n cnjunt ds númers cmplexs, é: a), 0, - c) d) e) 0 5 ) O cnjugad d númer

Leia mais

AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

AMPLIFICADORES OPERACIONAIS ELECTÓNC GEL MPLFCDES PECNS MPLFCDES PECNS Prof. Beatrz Vera Borges - Junho 5 ELECTÓNC GEL MPLFCDES PECNS CNTEÚD.. Crcutos báscos com mplfcadores peraconas Montagem não nersora, Segudor; nersor; Somadores

Leia mais

SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS REFERENTES A FET DIVISOR DE TENSÃO E AUTOPOLARIZAÇÃO ANÁLISE CC.

SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS REFERENTES A FET DIVISOR DE TENSÃO E AUTOPOLARIZAÇÃO ANÁLISE CC. SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS REFERENTES A FET DIVISOE TENSÃO E AUTOPOLARIZAÇÃO ANÁLISE CC. 1.o Para o Amplificador a seguir, calcular : DADOS : I DSS = 6mA V P = - 4 V V DD = 12 V = 1K Pede-se : a) ( I Dq,V

Leia mais

8. MODELAGEM DE FONTES CHAVEADAS: MÉTODO DAS VARIÁVEIS DE ESTADO

8. MODELAGEM DE FONTES CHAVEADAS: MÉTODO DAS VARIÁVEIS DE ESTADO Fntes Chaveadas - Cap. 8 Mdelagem de Fntes Chaveadas J. A. Pml 8. MODEAGEM DE FONTES CHAEADAS: MÉTODO DAS ARIÁEIS DE ESTADO Mddlebrk e Cuk (976, 977) denvlveram uma técnca para bter um mdel de varáves

Leia mais

EEL211 - LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS II

EEL211 - LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS II EEL2 - LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS II LABORATÓRIO N O 9: RESPOSTA EM FREQÜÊNCIA (BW) FILTROS Filtrs sã circuits que permitem a passagem d sinal alternad para uma determinada faixa de frequência.

Leia mais

CAPÍTULO 2 RETIFICADORES A DIODO 2.1 - RETIFICADOR MONOFÁSICO DE MEIA ONDA A DIODO

CAPÍTULO 2 RETIFICADORES A DIODO 2.1 - RETIFICADOR MONOFÁSICO DE MEIA ONDA A DIODO Cap. etificadres a Did 7 CAPÍTUO ETFCADOES A DODO. ETFCADO MONOFÁSCO DE MEA ONDA A DODO a) Carga esistia Pura (Figura.) () D D Fig.. etificadr mnfásic de meia nda cm carga resistia. Onde: ( ) sen( ) sen(

Leia mais

AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS E MULTIANDAR

AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS E MULTIANDAR Departament de Engenhara Electrtécnca e de mputadres Gua para estud ds AMPLFADOES DFEENAS E MULTANDA Anexs Franclm F. Ferrera Pedr Guedes de Olera Vítr Grade Taares Janer 003 Electrónca Básca Amplfcadres

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 3 RESSONÂNCIA SÉRIE E SELETIVIDADE

Roteiro-Relatório da Experiência N o 3 RESSONÂNCIA SÉRIE E SELETIVIDADE Rteir-Relatóri da Experiência N 3 1. COMPONENTES DA EQUIPE: AUNOS NOTA 1 3 4 Prf.: Cels Jsé Faria de Araúj 5 Data: / / : hs. OBJETIVOS:.1. Nesta experiência será mntad um circuit RC série ressnante, a

Leia mais

Colectânea de problemas

Colectânea de problemas lectânea de problemas Capítulo 3 Transistores de efeito de campo (FET) P-1 nsidere o circuito da figura P1 em que o MOSFET tem as seguintes características: V t =2V, K=1mA/V 2 e λ=0; V DD =15V, R D =4kΩ

Leia mais

Aula 03 Circuitos CA

Aula 03 Circuitos CA Campus I Jã Pessa Disciplina: Análise de Circuits Curs Técnic Integrad em Eletrônica Prfª: Rafaelle Felician 1. Elements de Circuits n dmíni de Fasres Intrduçã Para cmpreender a respsta de dispsitivs básics

Leia mais

Análise de Circuitos em Regime Forçado Sinusoidal

Análise de Circuitos em Regime Forçado Sinusoidal Teria ds Circuits e Fundaments de Electrónica Análise de Circuits em egime Frçad Sinusidal Teresa endes de Almeida TeresaAlmeida@ist.utl.pt DEEC Área Científica de Electrónica T..Almeida ST-DEEC- ACElectrónica

Leia mais

Retificadores (ENG ) Lista de Exercícios (Selecionados) de Dispositivos Eletrônicos

Retificadores (ENG ) Lista de Exercícios (Selecionados) de Dispositivos Eletrônicos ista de Exercícis de ispsitivs Eletrônics etificadres (ENG - 20301) ista de Exercícis (Selecinads) de ispsitivs Eletrônics 06) etermine a queda de tensã direta através d did cujas características aparecem

Leia mais

Amplificador Realimentado. Amplificador Básico. Rede de Realimentação

Amplificador Realimentado. Amplificador Básico. Rede de Realimentação 1 ELMENTÇÃ NEGT ELMENTÇÃ NEGT ntrduçã Devd à grande dspersã ds parâmetrs ds elements atvs e à varaçã de suas característcas cm a temperatura e pnt de peraçã, s amplfcadres sem realmentaçã nrmalmente apresentam

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA COLECTÂNEA DE EXERCÍCIOS DE ELECTRÓNICA II (Para apoio às Aulas Práticas Exercícios retirados do livro Microelectronics Circuits Sedra/Smith)

Leia mais

Circuitos Eletrônicos Analógicos:

Circuitos Eletrônicos Analógicos: Crcutos Eletrôncos Analógcos: Crcutos com Amplfcadores Operaconas Prof. Pedro S. Almeda Pedro de Asss Sobrera Jr. 2 Conteúdo da aula Introdução ao amplfcador operaconal Conceto dealzado Análse com crcutos

Leia mais

Aula 06 Análise no domínio do tempo Parte I Sistemas de 1ª ordem

Aula 06 Análise no domínio do tempo Parte I Sistemas de 1ª ordem Aula 06 Análise n dmíni d temp Parte I Sistemas de 1ª rdem input S utput Sistemas de primeira rdem Sistema de primeira rdem d tip a G(s) bs + c input a bs + c utput Sistemas de primeira rdem u seja: Y(s)

Leia mais

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Transfrmadres 1.1- INTRODUÇÃO N estud da crrente alternada bservams algumas vantagens da CA em relaçã a CC. A mair vantagem da CA está relacinada cm a facilidade de se elevar u abaixar a tensã em um circuit,

Leia mais

Física FUVEST ETAPA. Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. b) A energia cinética (E c ) do meteoro é dada por:

Física FUVEST ETAPA. Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. b) A energia cinética (E c ) do meteoro é dada por: Física QUSTÃO 1 Uma das hipóteses para explicar a extinçã ds dinssaurs, crrida há cerca de 6 milhões de ans, fi a clisã de um grande meter cm a Terra. stimativas indicam que meter tinha massa igual a 1

Leia mais

Sistemas Electrónicos. Amplificadores Operacionais

Sistemas Electrónicos. Amplificadores Operacionais 3-3- Unerdade de Aer Departament de Electrónca, Telecmuncaçõe e nfrmátca Stema Electrónc Metrad ntegrad em Engenhara de Cmputadre e Telemátca Amplfcadre Operacna Slde Sumár O Nullr e cncet de curt-crcut

Leia mais

CIRCUITOS ELETRÔNICOS MÓDULO 4: AMPLIFICADOR DE PEQUENOS SINAIS A JFET.

CIRCUITOS ELETRÔNICOS MÓDULO 4: AMPLIFICADOR DE PEQUENOS SINAIS A JFET. CRCUTOS ELETRÔNCOS MÓDULO 4: AMPLFCADOR DE PEQUENOS SNAS A JFET. NTRODUÇÃO: O transistor J-FET é da família de transistores por efeito de campo. Compõem essa família o transistor de junção J-FET, o transistor

Leia mais

e do sinal de entrada ( V

e do sinal de entrada ( V mplfcadre O prceament de nal ma mple é a amplfcaçã repta de um amplfcadr lnear a um nal endal é um nal endal de mema frequênca, em geral cm ampltude e fae dferente em relaçã a nal de entrada Repta em frequênca

Leia mais

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto ELECTRÓNICA I. 3º ano - Ramo APEL AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto ELECTRÓNICA I. 3º ano - Ramo APEL AMPLIFICADORES OPERACIONAIS Faculdade de Engenhara da Unersdade d Prt Departament de Engenhara Electrtécnca e de Cmputadres ELECTÓNICA I 3º an - am APEL Capítul AMPLIFICADOES OPEACIONAIS Este text é ferecd as aluns para plcparem

Leia mais

UFRJ / POLI / DEL - Laboratório de Eletrônica III AULA PRÁTICA #4 OSCILADORES SENOIDAIS EM PONTE DE WIEN

UFRJ / POLI / DEL - Laboratório de Eletrônica III AULA PRÁTICA #4 OSCILADORES SENOIDAIS EM PONTE DE WIEN AULA PRÁTICA #4 OSCILADORES SEOIDAIS EM POTE DE WIE Obs: Prnuncia-se pnte de in. O nme vem d pesquisadr alemã Max Karl Werner Wien (866-938), que estudu a pnte RC que realimenta amplificadr, que leva seu

Leia mais

Aula 13: Amplificadores Diferenciais com MOSFETs

Aula 13: Amplificadores Diferenciais com MOSFETs Aula 3: Amplificadores Diferenciais com MSFETs 88 Elerônica PS33 Programação para a SegundaProva 9 Projeo Amplificador de pequenos sinais MS para experimeno 06 de Avulso lab de elerônica 0 Amplificadores

Leia mais

Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes

Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes Cnstruíd dretamente a partr ds póls e zers da funçã de transferênca de malha aberta H(. Os póls de malha fechada sã sluçã da equaçã + H( = 0, u: arg( H( ) = ± 80 (k+), k = 0,,,... H( = Para cada pnt s

Leia mais

Circuitos de Corrente Alternada I

Circuitos de Corrente Alternada I Institut de Física de Sã Carls Labratóri de Eletricidade e Magnetism: Circuits de Crrente Alternada I Circuits de Crrente Alternada I Nesta prática, estudarems circuits de crrente alternada e intrduzirems

Leia mais

Ruído. SEL 371 Sistemas de comunicação. Amílcar Careli César Departamento de Engenharia Elétrica da EESC-USP

Ruído. SEL 371 Sistemas de comunicação. Amílcar Careli César Departamento de Engenharia Elétrica da EESC-USP Ruído SEL 371 Sstemas de comuncação Amílcar Carel César Departamento de Engenhara Elétrca da EESC-USP Atenção! Este materal ddátco é planejado para servr de apoo às aulas de SEL-371 Sstemas de comuncação,

Leia mais

1 a AULA PRÁTICA - ESTUDO DE BJT (NPN)

1 a AULA PRÁTICA - ESTUDO DE BJT (NPN) a AULA PÁTICA - ESTUDO DE BJT (NPN) ) Objetio: * Obter características de CC de um transistor bipolar de junção NPN. * Fazer um projeto de polarização. ) Trabalho Preparatório: A) Descrea sucintamente

Leia mais

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico)

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico) Transdutr de temperatura u resistência (analógic) Revisã 2.3 14/1/214 [1] Intrduçã Os transdutres de temperatura e resistência têm pr finalidade, respectivamente, cnverter temperatura (pr mei de sensres,

Leia mais

Amplificadores de Potência ou Amplificadores de Grandes Sinais

Amplificadores de Potência ou Amplificadores de Grandes Sinais UFBA Unversdade Federal da Baha Escola oltécnca Departamento de Engenhara Elétrca Amplfcadores de otênca ou Amplfcadores de Grandes Snas Amaur Olvera Feverero de 2011 1 Característcas: Estágo fnal de amplfcação;

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 4 CARACTERÍSTICAS DO TRANSISTOR BIPOLAR

Roteiro-Relatório da Experiência N o 4 CARACTERÍSTICAS DO TRANSISTOR BIPOLAR PROF.: Joaqum Rangel Codeço Rotero-Relatóro da Experênca N o 4 CARACTERÍSTICAS DO TRANSISTOR BIPOLAR 1. COMPONENTES DA EQUIPE: ALUNOS 1 2 NOTA Prof.: Joaqum Rangel Codeço Data: / / : hs 2. OBJETIVOS: 2.1.

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA P4

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA P4 aculdade de Engenhara "Engenhero Celso Danel" Dscplna: ELETRICIDDE Cclo ásco LIST DE EXERCÍCIOS PR P4 ORMULÁRIO RESISTOR: (t) = I m.cos( [] (t) = R.I m.cos( (t) =.cos( (t) =.cos( [] R INDUTOR: (t) = I

Leia mais

Transdutor de corrente alternada (analógico)

Transdutor de corrente alternada (analógico) Transdutr de crrente (analógic) Revisã 1.1 22/04/2014 [1] Intrduçã Os transdutres de crrente têm pr finalidade cnverter um determinad sinal de crrente em um sinal cntínu islad galvanicamente. Sã dispnibilizads

Leia mais

MICRO-CONVERSOR BOOST OPERANDO COMO CARREGADOR DE BATERIAS COM GERADOR FOTOVOLTAICO

MICRO-CONVERSOR BOOST OPERANDO COMO CARREGADOR DE BATERIAS COM GERADOR FOTOVOLTAICO MCRO-CONERSOR BOOST OPERANDO COMO CARREGADOR DE BATERAS COM GERADOR FOTOOTACO ATOR: ANDRÉ PACHECO MERER CO-ATORES: EERSON MATTOS E ANTONO SPENCER ORENTADOR: MÁRO ÚCO DA SA MARTNS, Dr. Resum Este trabalh

Leia mais

Estudo de Curto-Circuito

Estudo de Curto-Circuito Estudo de Curto-Crcuto Rotero. Objetvo / aplcações. Natureza da corrente de defeto 3. Resposta em regme (4 tpos de defeto) 4. Resposta transtóra 5. Conclusões Objetvo Determnação de correntes e tensões

Leia mais

CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS Neste capítulo, o objetivo é o estudo das aplicações com os Amplificadores Operacionais realizando funções matemáticas. Como integração, diferenciação,

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA INSTITUTO POLITÉNIO DE SETÚBAL ESOLA SUPEIO DE TENOLOGIA OLETÂNEA DE EXEÍIOS DE ELETÓNIA II (Para apoio às Aulas Práticas Exercícios retirados do livro Microelectronics ircuits Sedra/Smith) Setembro 2002

Leia mais

10 10 Resposta em emfrequência dos Amplificadores

10 10 Resposta em emfrequência dos Amplificadores 0 0 Resposta em emfrequência dos Amplificadores 0. 0. As As Três TrêsBandas de de Frequência n Nesta disciplina o estudo da resposta em frequência dos amplificadores, incide nos amplificadores de acoplamento

Leia mais

Resoluções dos testes propostos

Resoluções dos testes propostos da físca Undade B Capítulo 9 Geradores elétrcos esoluções dos testes propostos 1 T.195 esposta: d De U r, sendo 0, resulta U. Portanto, a força eletromotrz da batera é a tensão entre seus termnas quando

Leia mais

Aula 2 Amplificadores de Pequenos Sinais Capacitores de Acoplamento e de Desvio

Aula 2 Amplificadores de Pequenos Sinais Capacitores de Acoplamento e de Desvio Aula 2 Amplificadores de Pequenos Sinais Capacitores de Acoplamento e de Desvio Prof. Dr. Hugo Valadares Siqueira Princípio da Superposição O Princípio da Superposição para circuitos elétricos contendo

Leia mais

- Eletrônica Analógica 1 - Capítulo 2: Fundamentos dos transistores bipolares de junção (TBJ)

- Eletrônica Analógica 1 - Capítulo 2: Fundamentos dos transistores bipolares de junção (TBJ) - Eletrônca Analógca 1 - Capítulo 2: Fundamentos dos transstores bpolares de junção (TBJ) 1 Físca do TBJ 2 Tpos de lgação do TBJ 2.1 Confguração base-comum Sumáro Parta A Introdução ao TBJ e sua operação

Leia mais

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA II

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA II ELETRÔCA E POTÊCA AULA 9 COERORE OLAO - COEROR FLYBACK Prf. Marci Kimpara UFM - Universidade Federal de Mat Grss d ul FAEG Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanism e Gegrafia Prf. Marci Kimpara

Leia mais

Transdutor de tensão ou corrente contínua (analógico)

Transdutor de tensão ou corrente contínua (analógico) Transdutr de tensã u crrente cntínua (analógic) Revisã 3.3-18/11/2015 [1] Intrduçã Os transdutres de tensã u crrente cntínua têm pr finalidade cnverter um determinad sinal de tensã u crrente em um sinal

Leia mais

Ruído em Sistemas de Telecomunicações

Ruído em Sistemas de Telecomunicações Ruído em Sstemas de Telecomuncações SEL 413 Telecomuncações Amílcar Carel César Departamento de Engenhara Elétrca da EESC-USP Atenção! Este materal ddátco é planejado para servr de apoo às aulas de SEL-413:

Leia mais

3. CIRCUITOS COM AMPOP S UTILIZADOS NOS SAPS

3. CIRCUITOS COM AMPOP S UTILIZADOS NOS SAPS 3 CICUITOS COM AMPOP S UTILIZADOS NOS SAPS 3. CICUITOS COM AMPOP S UTILIZADOS NOS SAPS - 3. - 3. Introdução Numa prmera fase, apresenta-se os crcutos somadores e subtractores utlzados nos blocos de entrada

Leia mais

Circuitos Elétricos. 1) Introducão. Revisão sobre elementos. Fontes independentes de tensão e corrente. Fonte Dependente

Circuitos Elétricos. 1) Introducão. Revisão sobre elementos. Fontes independentes de tensão e corrente. Fonte Dependente Crcutos Elétrcos 1) Introducão Resão sobre elementos Fontes ndependentes de tensão e corrente Estas fontes são concetos muto útes para representar nossos modelos de estudo de crcutos elétrcos. O fato de

Leia mais

Cursos de Licenciatura em Engenharia de Instrumentação e Electrónica Licenciatura em Telecomunicações e Redes. Electrónica II. Exercícios Propostos

Cursos de Licenciatura em Engenharia de Instrumentação e Electrónica Licenciatura em Telecomunicações e Redes. Electrónica II. Exercícios Propostos Cursos de Licenciatura em Engenharia de Instrumentação e Electrónica Licenciatura em Telecomunicações e edes Electrónica II Departamento de Matemática e Engenharias Página 1 Universidade da Madeira AMPLIFICADOES

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO B1i EXERCÍCIO REFERENTE À AULA DE AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS.

EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO B1i EXERCÍCIO REFERENTE À AULA DE AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS. EXERCÍCIOS DE PREPARAÇÃO B1i Exercícios Preparação B1i EXERCÍCIO REFERENTE À AULA DE AMPLIFICADORES DIFERENCIAIS. Exercício Resolvido : Projetar a polarização de um amplificador diferencial, segundo os

Leia mais

Amplificadores Operacionais Aula 3

Amplificadores Operacionais Aula 3 mplifiadores peraionais ula PSI/EPUSP ula Matéria Cap./página ª 6/0 ª 9/0 ª /0 ª 6/0 5ª 0/0 6ª 0/0 7ª 08/0 8ª /0 9ª 5/0 0ª 8/0 PSI/EPUSP Eletrônia I PSI Programação para a Primeira Proa Introdução, eisão

Leia mais

Circuitos Eletrónicos Básicos

Circuitos Eletrónicos Básicos Circuitos Eletrónicos Básicos Licenciatura em Engenharia Eletrónica Transparências de apoio às aulas Cap. 1: Circuitos com um transístor 1º semestre 2013/2014 João Costa Freire Instituto Superior Técnico

Leia mais

Exercícios de Java Aula 17

Exercícios de Java Aula 17 Exercícis de Java Aula 17 Link d curs: http://www.liane.cm/2013/10/curs-java-basic-java-se-gratuit/ 1. Faça um prgrama que peça uma nta, entre zer e dez. Mstre uma mensagem cas valr seja inválid e cntinue

Leia mais

CIRCUITO LINEAR Um circuito linear é aquele que obedece ao princípio da sobreposição:

CIRCUITO LINEAR Um circuito linear é aquele que obedece ao princípio da sobreposição: . Crcutos não lneares.. Introdução... Defnção de crcuto lnear CIRCUITO LINEAR Um crcuto lnear é aquele que obedece ao prncípo da sobreposção: y f (x) Se x for a entrada do crcuto e y a saída Consderando

Leia mais

Sistemas Elétricos de Potência 1 Lista de Exercícios No. 1 Revisão de Circuitos em Corrente Alternada

Sistemas Elétricos de Potência 1 Lista de Exercícios No. 1 Revisão de Circuitos em Corrente Alternada Sistemas Elétrics de Ptência Lista de Exercícis N. Revisã de ircuits em rrente lternada Parte : Ptência em Sistemas Mnfásics. Duas cargas em paralel cnsmem respectivamente 20 W cm um fatr de ptência de

Leia mais

Aula 02 Álgebra Complexa

Aula 02 Álgebra Complexa Campus I Jã Pessa Disciplina: Análise de Circuits Curs Técnic Integrad em Eletrônica Prfª: Rafaelle Felician Aula 02 Álgebra Cmplexa 1. Númers Cmplexs Intrduçã Circuits CC smas algébricas de tensões e

Leia mais

o contraste é significativo ao nível

o contraste é significativo ao nível Rteir de Aula 8 Experimentaçã Ztécnica 25/04/2017 Teste de Tukey O prcediment para aplicaçã d teste é seguinte: Pass 1. Calcula-se valr de Pass 2. Calculam-se tdas as estimativas de cntrastes entre duas

Leia mais

PUC ENGENHARIA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP

PUC ENGENHARIA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP PUC ENGENHARIA Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP Prof. Dr. Marcello Bellodi 2 a versão - 2005 ÍNDICE 1 a Experiência: "Amplificador Push-Pull Classe B"...01 2 a Experiência: "Curvas

Leia mais

Lab.05 Capacitor em Regime DC e AC

Lab.05 Capacitor em Regime DC e AC Lab.05 Capacitor em Regime DC e AC. Capacitor em regime DC (corrente contínua) OBJETIVOS Verificar experimentalmente o carregamento e o descarregamento de um capacitor utilizando tensão DC. TEORIA Ao aplicarmos

Leia mais

Aula 5: O MOSFET como Amplificador e como Chave

Aula 5: O MOSFET como Amplificador e como Chave Aula 5: O MOSFET como Amplificador e como Chave Aula Maéria Cap./págia ª 03/08 Elerôica PS33 Programação para a Primeira Prova Esruura e operação dos rasisores de efeio de campo caal, caracerísicas esão-corree.

Leia mais

Resposta: Interbits SuperPro Web 0,5

Resposta: Interbits SuperPro Web 0,5 1. (Eear 017) Um aparelho contnha as seguntes especfcações de trabalho: Entrada 9V- 500mA. A únca fonte para lgar o aparelho era de 1 V. Um cdadão fez a segunte lgação para não danfcar o aparelho lgado

Leia mais

TECNOLOGIAS DE MICRO-GERAÇÃO E SISTEMAS PERIFÉRICOS. 6 Painéis Solares Fotovoltaicos

TECNOLOGIAS DE MICRO-GERAÇÃO E SISTEMAS PERIFÉRICOS. 6 Painéis Solares Fotovoltaicos 6 Painéis Slares Ftvltaics 48 6.1 Descriçã da tecnlgia A funçã de uma célula slar cnsiste em cnverter directamente a energia slar em electricidade. A frma mais cmum das células slares fazerem é através

Leia mais

A figura 1 apresenta um esboço da polarização de um J-FET canal N: junção PN inversamente polarizada, VGS 0, e VDS positivo (VDS > 0).

A figura 1 apresenta um esboço da polarização de um J-FET canal N: junção PN inversamente polarizada, VGS 0, e VDS positivo (VDS > 0). EXPERIMENTO N O 06 Transistor de Efeito de Campo OBJETIVO: Estudar o funcionamento do J-FET MATERIAIS: Instrumentos: Osciloscópio duplo traço Gerador de funções Materiais (responsabilidade do aluno): Fonte

Leia mais

Modulação Angular por Sinais Digitais

Modulação Angular por Sinais Digitais Mdulaçã Angular pr Sinais Digitais Cm n cas da mdulaçã em amplitude, também para a mdulaçã angular se desenvlveu uma nmenclatura especial quand se trata de sinais digitais na entrada. N cas da mdulaçã

Leia mais

Projeto de Inversores e Conversores CC-CC

Projeto de Inversores e Conversores CC-CC epartamento de ngenharia létrica Aula 1.2 Topologias de Conversor CC-CC Prof. João Américo Vilela Conversores Boost Característica de fonte de corrente CONVRSOR LVAOR TNSÃO I e ( BOOST ; STP-UP ) Ch V

Leia mais

Capítulo 11: Trocadores de Calor

Capítulo 11: Trocadores de Calor apítul : radres de alr Ø radres de alr sã lassfads pel arranj de esament e tp de nstruçã Esament em paralel (rrentes pstas u alnadas) Esament ruzad (msturad u nã msturad) 2 ub e araça 3 radres de alr mpats

Leia mais

Circuitos Retificadores Aula 9

Circuitos Retificadores Aula 9 Circuitos Retificadores Aula 9 PS/EPUSP Aula Matéria Ca./ágina ª 6/ ª 9/ 3ª 3/ 4ª 6/ 5ª /3 6ª 4/3 7ª 8/3 8ª /3 9ª 5/3 ª 8/3 PS/EPUSP Eletrônica PS33 Programação ara a Primeira Prova ntrodução, Revisão

Leia mais

Transistores Bipolares de Junção Parte I Transistores Bipolares de Junção (TBJs) Parte I

Transistores Bipolares de Junção Parte I Transistores Bipolares de Junção (TBJs) Parte I Transstores Bpolares de Junção (TBJs) Parte I apítulo 4 de (SEDRA e SMITH, 1996). SUMÁRIO Introdução 4.1. Estrutura Físca e Modos de Operação 4.2. Operação do Transstor npn no Modo Atvo 4.3. O Transstor

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA. Circuitos Eletrônicos Relatório de Laboratório de Eletrônica. Realizada : / / 2012 Entrega : / / 2012

UNIVERSIDADE PAULISTA. Circuitos Eletrônicos Relatório de Laboratório de Eletrônica. Realizada : / / 2012 Entrega : / / 2012 UNIVERSIDADE PAULISTA Circuitos Eletrônicos Relatório de Laboratório de Eletrônica Prof. Realizada : // 2012 Entrega : // 2012 Relatório : Aceito Recusado Corrigir (Visto) EXPERIÊNCIA 08 RESPOSTA EM FREQÜÊNCIA

Leia mais

Aula 10 Resposta em Freqüência de Sistemas Lineares Diagramas de Bode Introdução

Aula 10 Resposta em Freqüência de Sistemas Lineares Diagramas de Bode Introdução Aula 0 Respsta em Freqüência de Sistemas Lineares Diagramas de Bde Intrduçã Diagramas de Bde Escala Lgarítmica de Amplitude Escala Lgarítmica de Freqüência Análise ds Terms das Funções de Transferência

Leia mais

UFPR - DELT Medidas Elétricas Prof. Marlio Bonfim

UFPR - DELT Medidas Elétricas Prof. Marlio Bonfim UFP - DE Meddas Elétras Pr. Marl Bn Medda d alr eaz () de u snal AC O alr eaz de u snal AC rresnde a níel DC que rduz ua esa têna éda sbre ua arga ressta. Na ráta alr é as utlzad ara esear a ntensdade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL UNIVERIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIA INTEGRADA DO PONTAL Físca Expermental IV Lentes Cmpstas Objetv Determnar as stâncas cas e lentes e um sstema e lentes cmpstas. Intruçã utas vezes

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS FET E TIRISTORES

LISTA DE EXERCÍCIOS FET E TIRISTORES Prof Vinícius ecchin de Melo Campus erra COORENAORIA E AUTOMAÇÂO INUTRIAL isciplina: ELETRÔNICA BÁICA Professores: Bene Régis Figueiredo Turma AN1 Vinícius ecchin de Melo Turma AM1 LITA E EXERCÍCIO FET

Leia mais

Projecto de Amplificadores Operacionais. AmpOp de transcondutância - OTA

Projecto de Amplificadores Operacionais. AmpOp de transcondutância - OTA Projecto de Amplificadores Operacionais OTA básico 1º andar 2º andar 3º andar saída V > I I > V V > I I > V v 2 v 1 M1 I1 M2 v out 1 AmpOp de transcondutância OTA Comparativamente com os AmpOp os OTA apresentam:

Leia mais

Circuitos Trifásicos Aula 11 Cálculo de RMS, Potência e Distorção de uma Onda

Circuitos Trifásicos Aula 11 Cálculo de RMS, Potência e Distorção de uma Onda Circuitos Trifásicos Aula 11 Cálculo de RMS, Potência e Distorção de uma Onda Engenharia Elétrica Universidade Federal de Juiz de Fora tinyurl.com/profvariz (UFJF) CEL062 tinyurl.com/profvariz 1 / 30 Valor

Leia mais