A ORGANIZAÇÃO DOS DESCRITORES NA PROVINHA BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ORGANIZAÇÃO DOS DESCRITORES NA PROVINHA BRASIL"

Transcrição

1 00604 Resumo A ORGANIZAÇÃO DOS DESCRITORES NA PROVINHA BRASIL Célia Aparecida Bettiol Arliete Socorro Da Silva Neves O presente texto faz parte de um trabalho em andamento e se constitui em pesquisa documental, com abordagem qualitativa. A pesquisa é desenvolvida no âmbito do PAIC (Programa de Apoio à Iniciação Científica) da Universidade do Estado do Amazonas e tem como objeto de investigação as três últimas versões da provinha Brasil de Língua Portuguesa aplicadas nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. A pesquisa tem como objetivos analisar a forma de organização dos trabalhos pedagógicos na área da linguagem na perspectiva dos descritores da prova Brasil, verificar como esses são trabalhados nas atividades de leitura, compreensão e interpretação de textos dos exemplares da Provinha Brasil e por fim, analisar se a forma de trabalho descrita nas provas selecionadas está de acordo com as propostas de trabalho de autores da área sobre a competência da leitura, dentre eles Marcushi (2008). Como metodologia usamos a análise documental norteada pelas seguintes questões norteadoras: Em que consiste os descritores da Prova Brasil na área da Língua Portuguesa para os anos iniciais do ensino fundamental? Esses descritores presentes na Provinha Brasil, aplicadas nas três últimas versões estão em consonância com o que dizemos estudiosos da área da leitura? Os resultados preliminares apontam para uma categorização das habilidades da leitura em forma de descritores que avaliam a competência leitora dos alunos no tocante à decodificação, compreensão, interpretação e inferências ao texto lido. Tais descritores são apresentados à escola em forma de uma Matriz de Referência para uso dos professores no trabalho pedagógico com leitura. Os resultados da provinha Brasil tem acusado uma fragilidade dos alunos no tocante ao uso da competência leitora e, consequentemente, indicam a necessidade de um trabalho mais intenso na escola na temática abordada. Palavras-chave: Provinha Brasil; Descritores; Leitura. Introdução A Provinha Brasil é hoje uma realidade nas escolas da Educação Básica e, apesar das contestações na sua formulação e aplicação, acabou tornando-se objeto de discussão entre os professores atuantes no Ensino Fundamental. Instituída por meio da Portaria Normativa nº 10, de 26 de Abril de 2007 a Provinha Brasil é um mecanismo de avaliação do Ensino Fundamental organizado e coordenado pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC), e tem como objetivo realizar diagnostico dos níveis de alfabetização dos alunos após um ano de estudo no Ensino Fundamental, de maneira que as informações resultantes possam apoiar a prática pedagógica do professor em sala de aula. Nas suas versões ela avalia a área de Língua Portuguesa e Matemática, estando em processo de expansão para outras áreas.

2 00605 A leitura é fundamental para o acesso a informação e o exercício da cidadania e se constitui uma das tarefas proclamadas como função da escola. No Brasil, os resultados de testes como a provinha Brasil, objeto de estudo desta pesquisa, têm mostrado uma grande dificuldade dos alunos na apropriação desse saber e no seu uso social. Dessa forma, entendemos que a Universidade como lócus da formação inicial de professores não pode eximir-se da responsabilidade de discutir o tema e, nesse sentido, entendemos a relevância do trabalho aqui apresentado no âmbito da Iniciação Científica. Percurso metodológico da pesquisa Este estudo se constitui em uma pesquisa documental que utiliza a abordagem qualitativa cujo objeto de investigação é as três últimas versões da Provinha Brasil de Língua Portuguesa aplicadas nos anos Iniciais do Ensino Fundamental. Segundo Chizotti ( 2007, p. 79), A abordagem qualitativa parte do fundamento de que há uma relação dinâmica entre o mundo e o sujeito [...] o conhecimento não se reduz a um rol de dados isolados, conectados por uma teoria explicativa [...] O objeto não é um dado inerte e neutro; está possuído de significados e relações que sujeitos concretos criam em suas ações. A pesquisa documental se faz necessário porque revela alguns dados empíricos, muitas vezes não relatados em materiais que já receberam tratamento analítico. O acesso a documentos escritos - seja em forma de relatórios, artigos, jornais, revistas e documentos eletrônicos em muito contribui para um conhecimento mais profundo da realidade. (OLIVEIRA, 2007, p. 90) A análise documental orientou-se pelas seguintes questões: Em que consiste os descritores da prova Brasil na área da Língua Portuguesa para os anos Iniciais do Ensino Fundamental? Esses descritores presentes na Provinha Brasil, aplicadas nas três últimas versões estão em consonância com o que dizem os estudiosos da área da leitura? A investigação organizou-se em três fases: a fase exploratória que se constitui de um momento dedicado a interrogações preliminares sobre o objeto, as teorias pertinentes, e as questões operacionais sobre a Provinha Brasil e os descritores. A segunda fase foi o levantamento de material e teve como ação mapear as três últimas versões da Provinha Brasil e seus descritores na competência da Leitura; por fim a última fase consistiu no tratamento do material no sentido de ordenar, classificar e analisar os dados coletados.

3 00606 Essa fase ainda encontra-se em andamento, porém já tem resultados preliminares apresentados a seguir. Organização dos Descritores na Provinha Brasil Desde 2008 a Provinha Brasil com foco vem sendo disponibilizada em dois períodos: no inicio e no término do ano letivo. A Matriz de Referência da Provinha Brasil está organizada em dois grandes eixos: 1º Eixo- Apropriação do sistema de escrita (habilidades relacionadas à identificação e ao reconhecimento de princípios do sistema de escrita). 2º eixo- Leitura. Em cada eixo, estão descritas as habilidades selecionadas para avaliação, chamadas de descritores e identificadas pala letra D. Na Matriz destinada a 4ªsérie são trabalhados 15 descritores. Cada descritor detalha uma habilidade cognitiva. As matrizes de Língua Portuguesa do Saeb e da Prova Brasil estão estruturadas da seguinte forma: na dimensão objeto do conhecimento, foram elencados seis tópicos, conforme disposto a seguir; na dimensão competência, foram elaborados descritores referentes a cada tópico. I - Procedimentos de leitura: D1 Localizar informações explícitas em um texto, D3 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão, D4 Inferir uma informação implícita em um texto, D6 Identificar o tema de um texto, D11 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. II - Implicações do suporte, do gênero e /ou do enunciador na compreensão do texto: D5 Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.), D9 Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros. III - Relação entre textos: D15 Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido. IV- Coerência e coesão no processamento do texto: D2 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto, D7 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa, D8 Estabelecer relação causa /consequência entre partes e

4 00607 elementos do texto, D12 Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc. V- Relações entre recursos expressivos e efeitos de sentido: D13 Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados, D14 Identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações. VI- Variação linguística: D10 Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. Essa organização é disponibilizada às escolas e, de certa forma, acaba norteando o trabalho docente no tocante à leitura. Contudo, pelos resultados apresentados percebe-se uma distância entre as habilidades avaliadas e os saberes dos alunos. Isso nos questiona sobre a forma como essas questões são efetivamente trabalhadas na escola. A organização da provinha Brasil nas suas três últimas versões e os referenciais de leitura Para Marcushi (2008) compreender o que se lê exige habilidade, interação e trabalho. Na realidade, sempre que ouvimos alguém ou lemos um texto, entendemos algo, mas nem sempre essa compreensão é bem sucedida Sempre que produzimos algum enunciado, desejamos que ele seja compreendido, e que a interpretação dos enunciados é sempre fruto de um trabalho e não uma simples extração de informações objetivas. Uma análise ainda preliminar das três últimas versões da Provinha Brasil mostra que a forma de organização das questões segue o pressuposto pelos teóricos da leitura no tocante às habilidades presentes no ato da leitura. Há questionamentos levantados acerca da linguagem utilizada embasada numa pseudo igualdade nacional da prova sem levar em conta variações linguísticas regionais e outras especificidades próprias ignoradas na prova. Considerações Finais A Provinha Brasil é um instrumento de medição da aprendizagem, como se pode perceber nesta pesquisa. O aluno ao realizar a leitura e compreender o que está

5 00608 sendo solicitado pelos enunciados das questões presentes nos testes da Provinha Brasil deve demonstrar as habilidades previstas em cada descritor avaliado Os resultados apresentados, ainda que parciais, evidenciam a necessidade, de formação para os professores quanto ao conhecimento e uso dos descritores propostos nessa matriz, bem como salientam a necessidade de uma linguagem acessível aos estudantes que são submetidos aos testes. Outro fator que nos chama a atenção é a formação da competência leitora nos alunos a partir do uso de descritores enquanto forma de organização das habilidades necessárias à leitura. REFERÊNCIAS BRASIL.MEC. Matriz de Referência da Avaliação da Alfabetização e do Letramento Inicial da Provinha Brasil. Elaboração:Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb). CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petropólis, RJ: Vozes, MARCUSCHI, Luiz Antonio. Produção Textual, Análise de Gêneros e Compreensão. São Paulo: Parabola, OLIVEIRA, Maria Marly de. Como fazer uma pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes, PDE/Provinha Brasil- Matrizes de Referência, Temas, Tópicos e Descritores- MEC/2011.

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL 6º ANO Ensino Fundamental Língua Portuguesa 2) Inferir o sentido

Leia mais

As Avaliações externas e o acompanhamento pedagógico utilizando indicadores e a as bases do SIGA e do INEP

As Avaliações externas e o acompanhamento pedagógico utilizando indicadores e a as bases do SIGA e do INEP As Avaliações externas e o acompanhamento pedagógico utilizando indicadores e a as bases do SIGA e do INEP VAMOS FALAR DE QUALIDADE DA EDUCAÇÃO? Falar de qualidade da educação é falar de IDEB ...o que

Leia mais

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL 6º ANO Ensino

Leia mais

TÓPICOS DA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL ( DE ACORDO COM SAEB)

TÓPICOS DA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL ( DE ACORDO COM SAEB) TÓPICOS DA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL ( DE ACORDO COM SAEB) I. PROCEDIMENTOS DE LEITURA Localizar informações explícitas em um texto. Inferir o sentido de uma palavra

Leia mais

D01 Reconhecer especificidades da linguagem escrita.

D01 Reconhecer especificidades da linguagem escrita. MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA PAEBES ALFA 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental Tópicos Competências Descritores Níveis de Complexidade 1º ANO 2º ANO 3º ANO T1- Reconhecimento de convenções do

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA AVALIA BH 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Na realização de uma avaliação educacional em larga escala, é necessário que os objetivos da

Leia mais

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES AVALIA BH / OUTUBRO º CICLO LÍNGUA PORTUGUESA

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES AVALIA BH / OUTUBRO º CICLO LÍNGUA PORTUGUESA CEP: 31.6-0 Venda Nova, Belo Horizonte/MG RESULTADO DAS AVALIAÇÕES AVALIA BH / OUTUBRO 3º CICLO 0 LÍNGUA PORTUGUESA 1 ETAPA 3 CICLO D05 D06 D07 D09 D D11 D12 D16 D24 D28 DESCRITORES AVALIADOS: D05 Interpretar

Leia mais

Descritores da Prova do 3º ano - Português. Descritores da Prova do 3º ano - Matemática

Descritores da Prova do 3º ano - Português. Descritores da Prova do 3º ano - Matemática Descritores da Prova do 3º ano - Português Tópico I Procedimentos de leitura D1 Localizar informações explícitas em um texto D3 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão D4 Inferir uma informação implícita

Leia mais

HÁ QUASE 30 ANOS O COLEGUIUM FORMA SEUS ALUNOS PARA O SUCESSO. CONFIRA ALGUNS DOS NOSSOS RESULTADOS MAIS RECENTES:

HÁ QUASE 30 ANOS O COLEGUIUM FORMA SEUS ALUNOS PARA O SUCESSO. CONFIRA ALGUNS DOS NOSSOS RESULTADOS MAIS RECENTES: Há quase 3 décadas, o Coleguium ensina a enfrentar os desafios da vida por meio de uma formação de excelência. Desde cedo, nossos alunos desenvolvem habilidades e valores que extrapolam o conteúdo de sala

Leia mais

Quanto aos textos de estrutura narrativa, identificam personagem, cenário e tempo.

Quanto aos textos de estrutura narrativa, identificam personagem, cenário e tempo. Língua Portuguesa - Ensino Médio SISPAE 2013 01 Abaixo do Básico 1º e 2º ano até 200 pontos Neste Padrão de Desempenho, os estudantes se limitam a realizar operações básicas de leitura, interagindo apenas

Leia mais

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre - 2010 INFORME GESTOR teste capa verde.indd 1 13/1/2010 08:40:47 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação

Leia mais

Conteúdo do Exame de Admissão para o 6º Ano do Ensino Fundamental

Conteúdo do Exame de Admissão para o 6º Ano do Ensino Fundamental Conteúdo do Exame de Admissão para o 6º Ano do Ensino Fundamental MATEMÀTICA 1) NÚMEROS NATURAIS, SISTEMAS DE NÚMERAÇÃO DECIMAL E NÚMEROS RACIONAIS 1.1) Números Naturais Reconhecimento de números naturais

Leia mais

CONTEÚDOS PARA O TESTE DE SELEÇÃO 2017 CONTEÚDO ABORDADO NO PLACEMENT TEST NO FUNDAMENTAL 1.

CONTEÚDOS PARA O TESTE DE SELEÇÃO 2017 CONTEÚDO ABORDADO NO PLACEMENT TEST NO FUNDAMENTAL 1. VOCABULÁRIO: CONTEÚDO ABORDADO NO PLACEMENT TEST NO FUNDAMENTAL 1. Objetos escolares Brinquedos Animais Roupas Alimentos Partes de uma casa Esportes Condições meteorológicas Numerais ordinais e cardinais

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013

Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados PAEBES 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de BIOLOGIA Dinâmica Eu não sou eu.sou o momento:passo. Mario Quintana Objetivos: Interpretar os resultados da avaliação

Leia mais

PROVA BRASIL 4ª SÉRIE /5 º ANO LÍNGUA PORTUGUESA

PROVA BRASIL 4ª SÉRIE /5 º ANO LÍNGUA PORTUGUESA PROVA BRASIL 4ª SÉRIE /5 º ANO LÍNGUA PORTUGUESA Alessandra Mara Sicchieri Pedagoga e Psicopedagoga, Formada em Letras. Tutora de Pró-Letramento-MEC. 11 e 12 de Maio 2011 APRENDIZAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA - SAEGO

MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA - SAEGO 22 MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA - SAEGO 2º ano do Ensino Fundamental D1 Reconhecer as letras do alfabeto. D2 Distinguir letras de outros sinais gráficos. D3 Reconhecer as direções da escrita.

Leia mais

PROVA BRASIL: LEITURA E INTERPRETAÇÃO

PROVA BRASIL: LEITURA E INTERPRETAÇÃO PROVA BRASIL: LEITURA E INTERPRETAÇÃO Pamella Soares Rosa Resumo:A Prova Brasil é realizada no quinto ano e na oitava série do Ensino Fundamental e tem como objetivo medir o Índice de Desenvolvimento da

Leia mais

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA -

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA - AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA - EIXO ESTRUTURANTE: Leitura HABILIDADE H1. Ler palavras com estrutura silábica canônica H2. Ler palavras com estrutura silábica

Leia mais

Tatiane Moraes Analista de instrumentos de avaliação

Tatiane Moraes Analista de instrumentos de avaliação Tatiane Moraes Analista de instrumentos de avaliação Tatianemoraes@caed.ufjf.br Objetivo Analisar e interpretar os resultados do SAEPB para (re)planejamento das ações pedagógicas implementadas em sala

Leia mais

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG

AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO (ANA) Profa. Ivana de Oliveira Carvalho FaE/UEMG Estrutura da Apresentação Cenário das Avaliações em larga escala, no Brasil, implementadas pela União, no contexto da

Leia mais

G A B A R I T O 01. B 05. B 09. B 13. A 02. A 06. C 10. D 14. B 03. D 07. D 11. C 15. B 04. B 08. C 12. D. SISTEMA ANGLO DE ENSINO Prova Anglo P-01

G A B A R I T O 01. B 05. B 09. B 13. A 02. A 06. C 10. D 14. B 03. D 07. D 11. C 15. B 04. B 08. C 12. D. SISTEMA ANGLO DE ENSINO Prova Anglo P-01 SISTEMA ANGLO DE ENSINO Prova Anglo P-01 G A B A R I T O Tipo D3-05/2016 01. B 05. B 09. B 13. A 02. A 06. C 10. D 14. B 03. D 07. D 11. C 15. B 04. B 08. C 12. D Resoluções Prova Anglo Língua Portuguesa

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

Processo de Admissão de Novos Estudantes Conteúdos programáticos para candidatos que ingressarão no. 1º ano do Ensino Médio MATEMÁTICA

Processo de Admissão de Novos Estudantes Conteúdos programáticos para candidatos que ingressarão no. 1º ano do Ensino Médio MATEMÁTICA Processo de Admissão de Novos Estudantes 2016 Conteúdos programáticos para candidatos que ingressarão no 1º ano do Ensino Médio MATEMÁTICA CONTEÚDOS Efetuar cálculos com números reais envolvendo as operações

Leia mais

Claudia Moura da Rocha (UERJ)

Claudia Moura da Rocha (UERJ) ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA AVALIAÇÃO EDUCACIONAL E LÍNGUA PORTUGUESA Claudia Moura da Rocha (UERJ) claudiamoura30@oi.com.br CONSIDERAÇÕES INICIAIS Nos últimos anos, em decorrência do insucesso educacional

Leia mais

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa 2014. 1 Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa FACULDADE POLIS DAS ARTES Professor: Tiago Silva de Oliveira E-mail: psicotigl@yahoo.com.br Noturno/2014.1 Carga Horária 80h 1 Dia da Semana

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS OLIVIA EVANGELISTA BENEVIDES THIANE ARAUJO COSTA TRABALHANDO A MATEMÁTICA DE FORMA DIFERENCIADA A

Leia mais

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André Objetivos Gerais: Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André # Promover as competências necessárias para as práticas de leitura e escrita autônomas

Leia mais

G A B A R I T O PH SISTEMA DE ENSINO. Prova ph P-01. Tipo H4-05/2015

G A B A R I T O PH SISTEMA DE ENSINO. Prova ph P-01. Tipo H4-05/2015 PH SISTEMA DE ENSINO Prova ph P-01 Tipo H4-05/2015 G A B A R I T O 01. D 11. D 21. C 31. D 02. C 12. B 22. B 32. A 03. D 13. D 23. D 04. A 14. A 24. C 05. B 15. A 25. A 00 06. A 16. B 26. B 00 07. D 17.

Leia mais

Processo de Admissão de Novos Estudantes Conteúdos programáticos para candidatos que ingressarão no. 3º ano do Ensino Médio MATEMÁTICA

Processo de Admissão de Novos Estudantes Conteúdos programáticos para candidatos que ingressarão no. 3º ano do Ensino Médio MATEMÁTICA Processo de Admissão de Novos Estudantes 2017 Conteúdos programáticos para candidatos que ingressarão no 3º ano do Ensino Médio MATEMÁTICA HABILIDADES CONTEÚDOS Identificar padrões numéricos ou princípios

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS DISCIPLINAS 1. Introdução à Pesquisa em Letras 2. Metodologia de ensino de línguas estrangeiras I: perspectivas teóricas e abordagens

Leia mais

ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM)

ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM) 1 REDEENSINAR JANEIRO DE 2001 ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM) Guiomar Namo de Mello Diretora Executiva da Fundação Victor Civita Diretora de Conteúdos da

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) - Parte 2

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) - Parte 2 Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) - Parte 2 INEP Ana Djéssika Silva Cruz Vidal UFJF Abril 2012 MSI Tech Support (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 12 Realização

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ ORIGEM DO UNIVERSO, FORMAÇÃO DA VIDA NA TERRA ESTUDANDO FÓSSEIS: O CAMINHO DA EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES 1º semestre de 201 3ª feira, das 13h30 às 17h30 SANTO ANDRÉ

Leia mais

TÍTULO: OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REGIÃO MÉDIO PARAÍBA

TÍTULO: OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REGIÃO MÉDIO PARAÍBA TÍTULO: OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REGIÃO MÉDIO PARAÍBA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2016

PLANEJAMENTO ANUAL 2016 PLANEJAMENTO ANUAL 2016 Professor Joabe Bernardo dos Santos Língua Portuguesa 9º ano Colégio Nossa Senhora da Piedade Referências: -SAE, 9º ano: Língua Portuguesa. Livro do professor: livro 1 / IESDE BRASIL

Leia mais

AS PERSPECTIVAS TEÓRICAS DE LEITURA DA PROVA BRASIL.

AS PERSPECTIVAS TEÓRICAS DE LEITURA DA PROVA BRASIL. AS PERSPECTIVAS TEÓRICAS DE LEITURA DA PROVA BRASIL. ROSILENE DA SILVA DE MORAES CAVALCANTI (UEM). Resumo Por reconhecer a importância da leitura, o Ministério da Educação implantou a Prova Brasil, que

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês 2015 2º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova final do 2.º Ciclo da disciplina de Inglês, a realizar em 2015,

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE PROCEDIMENTOS DE LEITURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE PROCEDIMENTOS DE LEITURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE PROCEDIMENTOS DE LEITURA Nome: Nº 9º Data: / /2015 Professores: Belisa, Natália e Willian Nota: A - Introdução Neste ano, sua média final foi inferior a 6,0, o que revela

Leia mais

GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014

GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014 GEOGRAFIA UNIFAL/MG 2014 ETAPAS DO EXAME 19/09 - Divulgação eletrônica da lista de estudantes inscritos e convocados ao Enade 2014 21/10 a 23/11 Período para resposta eletrônica ao Questionário do Estudante

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA

MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA MAIS RESENHA: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO NA ESCOLA Adriana Letícia Torres da Rosa adrianarosa100@gmail.com Cristina Lúcia de Almeida krisluci@yahoo.com.br José Batista de Barros Instituto

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Plano de Curso nº aprovado pela portaria Cetec nº de / / Etec: Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Habilitação Profissional:

Leia mais

O PROCESSO DE LOCALIZAR E DE INFERIR INFORMAÇÕES NA ALFABETIZAÇÃO

O PROCESSO DE LOCALIZAR E DE INFERIR INFORMAÇÕES NA ALFABETIZAÇÃO O PROCESSO DE LOCALIZAR E DE INFERIR INFORMAÇÕES NA ALFABETIZAÇÃO O processo de alfabetização nos três primeiros anos do Ensino Fundamental compreende um conjunto de competências a serem construídas pelos

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS/PORTUGUÊS Gêneros textuais como ferramenta para o ensino de Língua Portuguesa INTRODUÇÃO De acordo com os objetivos do programa, conforme portaria 096/2013 Capes, essa proposta de

Leia mais

A escala de Língua Portuguesa para o 3º ano do Ensino Médio

A escala de Língua Portuguesa para o 3º ano do Ensino Médio A escala de Língua Portuguesa para o 3º ano do Ensino Médio LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANO DO ENSINO MÉDIO (continua) 1 225-250 2 250-275 3 275-300 4 300-325 Nesse nível, o estudante pode ser capaz de identificar

Leia mais

Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE

Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE Eixo 3 - Processos de avaliação na formação de qualidade em Enfermagem Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE Prof. Dr. Marcos Antonio Ferreira Júnior Universidade Federal do Rio Grande do Norte Comissão

Leia mais

Decreto-Lei nº3 / 2008, de 7 de janeiro, Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, Despacho Normativo n.º 24-

Decreto-Lei nº3 / 2008, de 7 de janeiro, Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, Despacho Normativo n.º 24- INFORMAÇÃO DE PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA Português ANO LETIVO 2012/2013 TIPO DE PROVA: Escrita CÓDIGO DA PROVA: 81 ANO: 9º Decreto-Lei nº3 / 2008, de 7 de janeiro, Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de

Leia mais

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik O ensino de ciências segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais O ensino de Ciências tem

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 4º CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA História:

Leia mais

Admissão de alunos 2017

Admissão de alunos 2017 Tradição em Excelência Admissão de alunos 2017 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO CIÊNCIAS 1. CINEMÁTICA 1.1. Estudo dos movimentos e referenciais. 1.2. Movimentos uniformes. 2. PROPRIEDADES

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Avaliação Educacional Código da Disciplina: EDU 340 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 7º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE ESCOLA E. B. 2,3 DE SANTO ANTÓNIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE ESCOLA E. B. 2,3 DE SANTO ANTÓNIO 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova final a nível de escola do 2º ciclo do Ensino Básico da disciplina de Português, a realizar em pelos alunos que se encontram

Leia mais

Resumo Expandido Título da Pesquisa (Português) Título da Pesquisa (Inglês) Palavras-chave Keywords:

Resumo Expandido Título da Pesquisa (Português) Título da Pesquisa (Inglês) Palavras-chave Keywords: Resumo Expandido Título da Pesquisa (Português): Leitura e escrita no Ensino Médio: desafios para o professor de Português: Análise do desempenho de estudantes em avaliações de larga escala: entre a Prova

Leia mais

OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA ESCREVENDO O FUTURO

OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA ESCREVENDO O FUTURO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA ESCREVENDO O FUTURO Professora Luciene Juliano Simões UFRGS Participação na Reunião Técnica de Abril de 2012, durante o lançamento da OLPEF para a região sul, em Curitiba

Leia mais

APROXIMAÇÕES ENTRE O PISA E SAEB

APROXIMAÇÕES ENTRE O PISA E SAEB APROXIMAÇÕES ENTRE O PISA E SAEB PISA Breve histórico Educação comparada: antiga área de investigação Sputinik, 1957 IEA: International Association for the Evaluation of Educational Achievement, 1958 1960:

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A letivo: 2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Francês, 3º Ciclo, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos três as do Ciclo, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

RICALDES, Daltron Maurício UFMT DARSIE, Marta Maria Pontin UFMT

RICALDES, Daltron Maurício UFMT DARSIE, Marta Maria Pontin UFMT ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E AS POLÍTICAS EDUCACIONAIS: ENCONTROS E DESENCONTROS NAS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA E LÍNGUA PORTUGUESA DA PROVA BRASIL Resumo RICALDES, Daltron Maurício UFMT

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru Curso 1503 / 1504 - Licenciatura em Matemática 1701 - Bacharelado em Meteorologia 3002 / 3003 - Licenciatura em Pedagogia Ênfase Identificação Disciplina 0004460A - Leitura e Produção Textual Docente(s)

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês LE I (2 anos) 2016

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês LE I (2 anos) 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês LE I (2 anos) 2016 Prova 06 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

UNIDADE DE ESTUDO - 3ª ETAPA

UNIDADE DE ESTUDO - 3ª ETAPA OBJETIVOS GERAIS: UNIDADE DE ESTUDO - 3ª ETAPA - 2016 Disciplina: Linguagem Oral e Escrita Professoras: Anália, Carla, Fabiana e Roberta Período: 2º Segmento: Educação Infantil Mostrar autonomia na utilização

Leia mais

Sugestão de Atividade / Redação / 8ª Série (9ºAno)

Sugestão de Atividade / Redação / 8ª Série (9ºAno) Sugestão de Atividade / Redação / 8ª Série (9ºAno) COMPONENTE CURRICULAR: Redação INTERDISCIPLINARIDADE: Língua Portuguesa SÉRIE: 8ª Série / 9º Ano CONTEÚDOS: Eixo Temático IV: 01: Produção de Textos Eixo

Leia mais

PERFIS DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR LÍNGUA PORTUGUESA

PERFIS DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR LÍNGUA PORTUGUESA PERFIS DE SAÍDA DOS ESTUDANTES DA 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, COMPONENTE CURRICULAR LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDOS EIXO TEMÁTICO COMPETÊNCIAS ESPERADAS Variedades lingüísticas; Diálogo; Turnos. Gênero

Leia mais

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º PARÂMETROS GERAIS DE AVALIAÇÃO Integração escolar e profissionalizante Intervenções e Atividades na sala de aula: PESOS PARÂMETROS ESPECÍFICOS INSTRUMENTOS Peso 2 Peso 5 Comportamento-assiduidade-pontualidadecumprimento

Leia mais

Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR

Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR Profa. Dra. Flávia Dias de Souza Docente do Departamento de Educação DEPED Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Docente do Programa

Leia mais

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros:

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros: 3º ciclo Oferta Complementar: Apoio ao estudo da disciplina de Português Domínios Ponderação Componente cognitiva (capacidades e conhecimentos) Oralidade Leitura Escrita Gramática 80% Componente socioafetiva

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Alvide

Escola Básica e Secundária de Alvide Informação-Exame de equivalência à frequência de Inglês (prova escrita) Prova 21 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro 1. Objeto de avaliação A prova tem por referência

Leia mais

COMO ELABORAR RESPOSTAS DE QUESTÕES DISSERTATIVAS

COMO ELABORAR RESPOSTAS DE QUESTÕES DISSERTATIVAS COMO ELABORAR RESPOSTAS DE QUESTÕES DISSERTATIVAS By Prof. Ms. Deborah Costa - 2014 INTRODUÇÃO 1 Este e-book discutirá sobre as questões dissertativas propostas em diferentes avaliações : universidade,

Leia mais

a) O Plano de Atendimento Educacional Especializado é o planejamento das intervenções pedagógicas a serem desenvolvidas no turno contrário ao da

a) O Plano de Atendimento Educacional Especializado é o planejamento das intervenções pedagógicas a serem desenvolvidas no turno contrário ao da a) O Plano de Atendimento Educacional Especializado é o planejamento das intervenções pedagógicas a serem desenvolvidas no turno contrário ao da escolarização do aluno. A elaboração deste plano deve envolver

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE LEGISLAÇÃO Constituição da República

Leia mais

Realizam a prova alunos autopropostos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho.

Realizam a prova alunos autopropostos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho. Agrupamento de Escolas Padre João Coelho Cabanita INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Francês (escrita e oral) 2016 Prova 16 3.º Ciclo do Ensino Básico Ao abrigo do Despacho normativo n.º 1-G/2016,

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação. PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (7.º Ano) 2016/2017

Critérios Específicos de Avaliação. PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (7.º Ano) 2016/2017 Critérios Específicos de Avaliação PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (7.º Ano) 2016/2017 Domínio de Avaliação Saber e Saber Fazer Instrumentos de Avaliação. Atividades de planeamento de produções orais: grelhas

Leia mais

DISCIPLINA INGLÊS ( PROVA ESCRITA )

DISCIPLINA INGLÊS ( PROVA ESCRITA ) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA INGLÊS ( PROVA ESCRITA ) PROVA 21/2016 9º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, republicado pelo Decreto-Lei nº 91/2013,

Leia mais

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA Governo dos Açores NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA I Caracterização da UNECA-TVA II Identificação e caracterização dos Alunos III Matriz Curricular para

Leia mais

UNIDADE I A Construção do Conhecimento Psicológico: 1.1 Conceituações

UNIDADE I A Construção do Conhecimento Psicológico: 1.1 Conceituações PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Psicologia da Educação II Código da Disciplina: EDU312 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 3º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

Processo Extraordinário de Seleção e Admissão de Alunos Novatos 2016

Processo Extraordinário de Seleção e Admissão de Alunos Novatos 2016 Tradição em Excelência Processo Extraordinário de Seleção e Admissão de Alunos Novatos 2016 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7º ANO ENSINO FUNDAMENTAL CIÊNCIAS 1. PLANETA TERRA 1.1. Noções sobre gravidade e outras

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL RELAÇÃO DE ASSUNTOS PRÉ-REQUISITOS À MATRÍCULA AMPARADA NOS COLÉGIOS

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Mairiporã Etec: Mairiporã Código: 27 Município: Mairiporã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível Médio de

Leia mais

Introdução. 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro)

Introdução. 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) INFORMAÇÃO PROVA LÍNGUA ESTRANGEIRA I INGLÊS Escrita e Oral 2016 Prova 21 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) Introdução O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014 C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 000 - Fone (05) 5-6 - Fax (05) 79-58 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ DISCIPLINA: PROFESSOR(A): E-MAIL: PROGRAMA

Leia mais

COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO

COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO COLÉGIO CENECISTA DR. JOSÉ FERREIRA LUZ, CÂMERA, REFLEXÃO UBERABA - 2015 PROJETO DE FILOSOFIA Professor coordenador: Danilo Borges Medeiros Tema: Luz, câmera, reflexão! Público alvo: Alunos do 9º ano do

Leia mais

Biologia. (Prova Escrita e Prática) Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho

Biologia. (Prova Escrita e Prática) Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Informação-Prova de Equivalência à Frequência Biologia (Prova Escrita e Prática) Prova 302 2015 12.º Ano de Escolaridade Duração da Prova: 180 minutos (+ 30 minutos de tolerância): (90 minutos na componente

Leia mais

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 INEP Ana Djéssika Silva Cruz Vidal Abril 2012 UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 10 Introdução Sistema de Avaliação

Leia mais

FONTANA, Niura Maria; PAVIANI, Neires Maria Soldatelli; PRESSANTO, Isabel Maria Paese. Práticas de linguagem: gêneros discursivos e interação

FONTANA, Niura Maria; PAVIANI, Neires Maria Soldatelli; PRESSANTO, Isabel Maria Paese. Práticas de linguagem: gêneros discursivos e interação 12 FONTANA, Niura Maria; PAVIANI, Neires Maria Soldatelli; PRESSANTO, Isabel Maria Paese. Práticas de linguagem: gêneros discursivos e interação Caxias do Sul: Educs, 2009 Simone Viapiana * O livro Práticas

Leia mais

1. Identificação Nome do projeto: Nome da Escola: Local: Série: Número de alunos: Professores envolvidos:

1. Identificação Nome do projeto: Nome da Escola: Local: Série: Número de alunos: Professores envolvidos: 1. Identificação Nome do A arte da produção e interpretação de texto em ambientes virtuais projeto: Nome da Escola: Angelina Jaime Tebet Local: Ivinhema/MS Série: 3º, 4º e 5º anos Número de alunos: 160

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Estágio Curricular Supervisionado em Educação Infantil I Código da Disciplina: EDU Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

Curso de Liderança, Empowerment e Coaching

Curso de Liderança, Empowerment e Coaching Curso de Liderança, Empowerment e Coaching Referencial Pedagógico 1. Competências Globais e Específicas Desenvolver competências no âmbito da relação com as equipas de trabalho, identificando os vários

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Sociologia Série: 2º Eixo Tecnológico:

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO CRIATIVA DA LITERATURA INFANTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

TÍTULO: UTILIZAÇÃO CRIATIVA DA LITERATURA INFANTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM TÍTULO: UTILIZAÇÃO CRIATIVA DA LITERATURA INFANTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE BELO HORIZONTE

Leia mais

Programação da 2ª Etapa 8º Ano do Ensino Fundamental Débora e Rafaella

Programação da 2ª Etapa 8º Ano do Ensino Fundamental Débora e Rafaella Programação da 2ª Etapa 8º Ano do Ensino Fundamental Débora e Rafaella Língua Portuguesa QUAL DEVE SER NOSSO ANSEIO TODO DIA? PLANEJAR SEMPRE O MELHOR, MAS SEM NUNCA CANSAR DE PLANEJÁ- LO. Sto. Agostinho

Leia mais

Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade História 2014

Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade História 2014 Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade História 2014 OBJETO DE AVALIAÇÃO O Exame de Equivalência à Frequência de História tem por referência o Programa de História em

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer nº 034/07-CEG, que aprova o Projeto Político

Leia mais

Brasília, 12 de março de 2009

Brasília, 12 de março de 2009 Avaliação dos Cursos de Ciências Contábeis pelo ENADE 2009 Prof. Dr. Valcemiro Nossa Brasília, 12 de março de 2009 ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes integra o Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova de Equivalência à Frequência FRANCÊS L.E II Prova 16 2013 Prova escrita 3.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC de Mairiporã Código: 271 Município: Mairiporã EE: Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional:

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Didática I Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 4º 1 - Ementa (sumário, resumo) A Didática e os fundamentos educacionais

Leia mais

TRIANGONÓPOLIS: A CIDADE DA LEI DOS SENOS E LEI DOS COSSENOS

TRIANGONÓPOLIS: A CIDADE DA LEI DOS SENOS E LEI DOS COSSENOS TRIANGONÓPOLIS: A CIDADE DA LEI DOS SENOS E LEI DOS COSSENOS Selau, Suzana Scandolara 1 ; Cardoso, Marleide Coan 2 3 Instituto Federal Catarinense Campus Avançado Sombrio/SC INTRODUÇÃO Este trabalho é

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ORAL E ESCRITA) PORTUGUÊS Abril de 2016 Prova 61 2016 2º Ciclo do Ensino Básico

Leia mais