Divisão Alimentícia I. PRODUTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Divisão Alimentícia I. PRODUTOS"

Transcrição

1 Divisão Alimentícia I. PRODUTOS No segmento alimentício a Saggio oferece uma linha de produtos solúveis, instantâneos e outros produtos diferenciados, verdadeiras especialidades, aliando a mais moderna tecnologia com as tradições européias de fabricação. A Saggio fabrica, ainda neste segmento, modernas máquinas para bebidas quentes e equipamentos para diversas aplicações, projetos econômicos e criativos desenvolvidos especificamente para o mercado brasileiro, que priorizam a qualidade e a satisfação do consumidor. Além dos produtos alimentícios de alta qualidade, a Saggio oferece suporte e um plano de marketing justo para seus distribuidores independentes que compram os produtos para revenda. O plano de marketing da Saggio permite igual acesso a todos que desejarem participar de seu sistema de distribuição. O objetivo fundamental do plano de marketing da Saggio é promover o consumo de seus produtos, e o primeiro propósito de seus distribuidores é construir uma organização de vendas para promover a venda dos produtos e distribuí-los aos consumidores. Os distribuidores são incentivados a vender os produtos no mercado de varejo. DEFINIÇÃO DE DISTRIBUIDOR Toda empresa que firmar contrato de distribuição com a Saggio. Os distribuidores poderão comprar produtos diretamente da companhia, pelo preço de atacado. Um distribuidor ativo é o distribuidor cuja última compra ocorreu a menos de 45 dias. Cada distribuidor, ao assinar o contrato de distribuição, concorda em obedecer às políticas da Saggio. O pedido de produtos é a reafirmação do comprometimento com as políticas da companhia. DEFINIÇÃO DE CONSUMIDOR Qualquer pessoa física ou jurídica que comprar produtos dos distribuidores pelo preço de varejo. Um consumidor ativo é o consumidor cuja última compra ocorreu a menos de 30 dias. II. MERCADO A década passada viu a entrada de inúmeras empresas, inclusive multinacionais, que hoje competem pelo mercado de produtos solúveis no Brasil. Ao mesmo tempo assistiu-se a formação de um oligopólio da distribuição, liderado pelo maior grupo supermercadista, que passou a ter um poder de barganha nas negociações com as indústrias nunca antes visto no país. A Saggio tomou, em função dos fatores acima, a decisão estratégica de comercializar seus produtos através de um sistema de distribuição independente, que explora principalmente o canal de vendas

2 diretas. A missão dos distribuidores é instalar consumidores e abastecê-los com produtos. Tal sistema depende primordialmente da elevada qualidade dos produtos oferecidos e serviços agregados. O mercado alvo de consumidores constitui-se de escritórios, consultórios, lojas de qualquer segmento ou qualquer tipo de negócio que necessite servir café, capuccinos, mates, achocolatados e outros produtos diferenciados, tanto para seus clientes quanto para consumo interno. A Saggio acredita ser o mercado ainda inexplorado, oferecendo grande oportunidade de penetração e crescimento. SETORIZAÇÃO GEOGRÁFICA E ÉTICA DE TRABALHO O tamanho do mercado e a variedade de potenciais consumidores fizeram com que a Saggio decidisse contra a demarcação de regiões para a atuação de seus distribuidores. As áreas geográficas são, portanto, livres para penetração. É esperado, entretanto, um comportamento ético por parte dos distribuidores no que se refere à competição pelos consumidores. A Saggio julgará os casos de disputa que porventura venham a ocorrer no nível da rede de distribuição. PEDIDOS Todos os distribuidores devem fazer pedidos diretamente à companhia. Todos os pedidos devem acompanhar comprovante de depósito nas contas da Saggio. Os pedidos devem ser feitos à área comercial da Saggio, e o produto deve ser coletado no local designado. Todos os pedidos estão condicionados à aceitação final do escritório comercial da Saggio. Os distribuidores não estão autorizados a comprar produtos visando sua exportação sem autorização da Saggio. PEDIDO MÍNIMO Não existe pedido mínimo de produtos nas linhas de solúveis ou sobremesas instantâneas. O distribuidor pode colocar seus pedidos conforme o giro de seus estoques. Existe, entretanto, o pedido mínimo de 10 (dez) máquinas para bebidas quentes (independente do modelo). Quando pedir um produto que foi objeto de um pedido anterior, o distribuidor está certificando à companhia que 75% de seu pedido anterior já foi vendido ou utilizado em seu negócio. III. PREÇOS Os preços praticados pela Divisão Alimentícia da Saggio são preços de atacado que permitem a seus distribuidores a obtenção de margens elevadas, das maiores encontradas atualmente no mercado alimentício no Brasil. Isso é possível também em função da transferência do custo da logística de distribuição para a rede de distribuidores. O objetivo de tal política é o crescimento sustentado da rede de distribuição.

3 Os preços constantes nas tabelas de preços de atacado da Saggio são preços a vista, FOB, sem impostos inclusos. No varejo, A Saggio pratica através de seus distribuidores o Preço Sugerido de Varejo (PSV). O PSV é um preço a vista, CIF, sem impostos inclusos. Trata-se de uma política de preços mínimos que os distribuidores são orientados a obedecer, tal como definida no contrato de distribuição, que visa a proteção do mercado consumidor. IV. PROMOÇÃO A Saggio definirá, a seu critério, as ações permitidas para promoção de seus produtos, para que sejam aplicadas e/ou utilizadas por sua rede de distribuição. Os distribuidores não deverão permitir que brochuras ou produtos da Saggio sejam vendidos ou exibidos em lojas de varejo outras que não suas próprias. V. RESCISÃO DO CONTRATO DE DISTRIBUIÇÃO TÉRMINO Sem prejuízo do disposto no contrato de distribuição, o término significa o fim de todos os privilégios e direitos contratuais disponíveis a um distribuidor. As atividades proibidas que podem gerar causas para término de contrato ou até penalidades por danos causados incluem, mas não se limitam, a: a) Praticar preços no mercado de varejo abaixo do PSV. b) Imprimir, reproduzir, distribuir ou utilizar materiais promocionais não autorizados. c) Vender ou exibir brochuras ou produtos da Saggio em lojas de varejo outras que não suas próprias. d) Deixar de honrar compromissos assumidos com seus consumidores sem justificativa. e) Competir pelo mercado consumidor contrariando a ética de trabalho da companhia. TÉRMINO VOLUNTÁRIO Se um distribuidor desejar terminar seu contrato de distribuição, deverá fazê-lo por escrito. A data efetiva do término será a data na qual a Saggio aceitar o pedido de rescisão do contrato de distribuição. Isto para que a Saggio possa: a) Tomar providências no sentido de não deixar sua carteira de clientes sem atendimento. b) Intermediar a transferência do negócio a outro distribuidor que dará continuidade ao negócio do distribuidor que sai. O distribuidor ao optar pelo término voluntário renuncia a seus direitos sobre sua carteira de clientes. REEMBOLSO E DEVOLUÇÃO DE PRODUTOS A Saggio não oferece aos distribuidores a possibilidade de devolver os produtos adquiridos caso queiram rescindir o contrato de distribuição celebrado. É, entretanto, permitida a transferência do

4 negócio do distribuidor que sai para outra empresa que tenha a intenção de assumir sua carteira de clientes, desde que a transferência tenha sido pré-aprovada pela Saggio. VI. GARANTIAS DISTRIBUIDOR Produtos solúveis e sobremesas instantâneas. A Saggio garante que seus produtos estarão livres de defeitos de fabricação e estarão exatamente de acordo com suas especificações. Esta garantia limitada se estenderá por um período que terminará na data de validade mostrada no produto. Durante este período limitado de garantia, a Saggio deverá trocar qualquer produto defeituoso por um produto novo ou reembolsar o valor pago (exceto descontos concedidos), sujeita à apresentação e validação de alguma prova de compra. Máquinas para bebidas quentes A Saggio oferece garantia permanente para todos os modelos de máquinas para bebidas quentes, que estarão livres de defeitos de fabricação e exatamente de acordo com suas especificações. A Saggio se compromete a trocar ou prestar assistência técnica e manutenção a qualquer produto defeituoso, desde que o distribuidor esteja ativo (vide definição de distribuidor ativo neste documento). Esta garantia estabelece importante fator diferenciador, oferecendo vantagem competitiva em relação à concorrência e integra o pacote de produtos e serviços oferecidos ao mercado pelos distribuidores. É, portanto, função dos distribuidores oferecer esta garantia aos consumidores, comprometendo-se a trocar qualquer produto defeituoso, desde que o consumidor esteja ativo (vide definição de consumidor ativo neste documento). A Saggio do Brasil se compromete com o distribuidor a repor o produto trocado. CONSUMIDOR Produtos solúveis e sobremesas instantâneas A Saggio garante integralmente a qualidade dos seus produtos que são vendidos ao consumidor final (venda a varejo) por um período que terminará na data de validade mostrada no produto. Esta garantia total pode resultar em troca do produto adquirido ou reembolso da quantia paga. Para isto, são necessários uma prova de compra e o retorno do produto. O distribuidor que inicialmente recebeu a quantia da venda do consumidor é o responsável pela troca do produto ou pelo reembolso do dinheiro, seja qual for o caso. A Saggio do Brasil se compromete com o distribuidor a repor o produto trocado mediante o recebimento do mesmo, e resolverá as questões cuja solução não tenha sido encontrada pelas partes diretamente envolvidas. Para quaisquer reembolsos ou trocas, fica estabelecido que a pessoa que está retornando o produto é

5 a mesma que o comprou. Retornos infundados de produtos serão recusados. Máquinas para bebidas quentes A Saggio oferece garantia permanente para as máquinas para bebidas quentes de qualquer modelo, que estarão livres de defeitos de fabricação e exatamente de acordo com suas especificações. É função dos distribuidores operacionalizar esta garantia, comprometendo-se a trocar qualquer produto defeituoso, desde que o consumidor esteja ativo (vide definição de consumidor ativo neste documento).

Os Promotores e ou Afiliados podem incentivar outras pessoas a Divulgarem e comercializarem os serviços, tornando-se seus patrocinadores.

Os Promotores e ou Afiliados podem incentivar outras pessoas a Divulgarem e comercializarem os serviços, tornando-se seus patrocinadores. Liquida Net Rogério Richard - ME. Atua na área de Assinaturas de Lojas, e utiliza um plano de marketing que incentiva e apoia o uso e a divulgação de seus serviços através de uma Rede de Promotores autônomos

Leia mais

Administração Mercadológica

Administração Mercadológica Organização Competitiva e Estratégias de Branding Administração Mercadológica Os elementos do mix de marketing Marketing-mix = Composto de MKt = 4P s Estratégia de produto Estratégia de preço Estratégia

Leia mais

Adendo de ao Contrato da Oracle PartnerNetwork

Adendo de ao Contrato da Oracle PartnerNetwork Adendo de ao Contrato da Oracle PartnerNetwork Este Adendo de Validação de Integração de Aplicativos (este "Adendo") é firmado entre você e a Oracle do Brasil Sistemas Limitada. As definições usadas no

Leia mais

REGULAMENTOS PARA INTERNET, PEDIDOS POR CORREIO E GERAÇÃO DE CONTATOS (LEADS) NO BRASIL. Em vigor a partir 1 de novembro de 2003

REGULAMENTOS PARA INTERNET, PEDIDOS POR CORREIO E GERAÇÃO DE CONTATOS (LEADS) NO BRASIL. Em vigor a partir 1 de novembro de 2003 REGULAMENTOS PARA INTERNET, PEDIDOS POR CORREIO E GERAÇÃO DE CONTATOS (LEADS) NO BRASIL Em vigor a partir 1 de novembro de 2003 Estes regulamentos aplicam-se aos sites da web, programas de pedido pelo

Leia mais

CÓDIGO EUROPEU DE CONDUTA DE VENDA DIRECTA FACE A REVENDEDORES, ENTRE REVENDEDORES E ENTRE COMPANHIAS

CÓDIGO EUROPEU DE CONDUTA DE VENDA DIRECTA FACE A REVENDEDORES, ENTRE REVENDEDORES E ENTRE COMPANHIAS CÓDIGO EUROPEU DE CONDUTA DE VENDA DIRECTA FACE A REVENDEDORES, ENTRE REVENDEDORES E ENTRE COMPANHIAS 2. GERAL 1. 1. Introdução O Código Europeu de Conduta de Venda Directa face a Revendedores, entre Revendedores

Leia mais

Termos Gerais & Política de Compras da Fon

Termos Gerais & Política de Compras da Fon Termos Gerais & Política de Compras da Fon Definições Termos e Condições: Termos e Condições para a Venda de Equipamento (doravante denominado TCVE ). Fon Technology, S.L.: A Companhia que fornece ou vende

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DO USUÁRIO FINAL (EULA) PARA O YSOFT SAFEQ. Y Soft Corporation, a.s.

CONTRATO DE LICENÇA DO USUÁRIO FINAL (EULA) PARA O YSOFT SAFEQ. Y Soft Corporation, a.s. CONTRATO DE LICENÇA DO USUÁRIO FINAL (EULA) PARA O YSOFT SAFEQ Y Soft Corporation, a.s. N.º de versão do Contrato de Licença do Usuário Final: EULA V 5 Data do início da vigência desta versão do Contrato

Leia mais

Cartilha do Contrato de Opção de Venda

Cartilha do Contrato de Opção de Venda Cartilha do Contrato de Opção de Venda CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO 01 O QUE É O CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA? É uma modalidade de seguro de preços que dá ao produtor rural e/ou sua cooperativa

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires Princípios e Conceitos de Marketing Prof. Felipe A. Pires O que é Marketing? É a execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos ou serviços entre produtores

Leia mais

Administrando os canais de distribuição (aula 2)

Administrando os canais de distribuição (aula 2) 13 Aula 2/5/2008 Administrando os canais de distribuição (aula 2) 1 Objetivos da aula Explicar como os profissionais de marketing usam canais tradicionais e alternativos. Discutir princípios para selecionar

Leia mais

Manual de normas Mega Nível

Manual de normas Mega Nível Manual de normas Mega Nível Apresentando as regras do seu negócio www.meganivel.com.br MANUAL MEGANÍVEL 1 A Empresa 1.1 A missão 1.2 Objetivos 1.3 Marketing Multinível MEGA NÍVEL 1.4 Como funciona o Marketing

Leia mais

CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION

CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION Pelo presente instrumento particular, de um lado: Winco Sistemas Ltda., pessoa jurídica de direito privado, com sede estabelecida à Rua Amazonas, 669 sala 37, Centro da

Leia mais

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de propriedade intelectual

Leia mais

CONTRATO DE REVENDA DO ANTIVÍRUS AVG

CONTRATO DE REVENDA DO ANTIVÍRUS AVG CONTRATO DE REVENDA DO ANTIVÍRUS AVG Pelo presente instrumento particular, de um lado: Winco Sistemas Ltda., pessoa jurídica de direito privado, com sede estabelecida à Rua Amazonas, 669 sala 37, Centro

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO MAGNA INTERNATIONAL INC. DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO Oferecer ou receber presentes e entretenimento é muitas vezes uma

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO CONDIÇÃO, FORMA E TERMOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO CONDIÇÃO, FORMA E TERMOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO CONDIÇÃO, FORMA E TERMOS 1 DAS PARTES 1.1. CONTRATADA O EXCLUSIVO COMERCIAL LTDA, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO PROFESSOR: HAMIFRANCY MENESES 1 TÓPICOS ABORDADOS DEFINIÇÃO DE CANAL

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade Serviços Associados Manual de Procedimentos ATAP

Sistema de Gestão da Qualidade Serviços Associados Manual de Procedimentos ATAP Pág. 1 / 6 1 Objetivos do Programa Neste manual, estão descritos os procedimentos, a política e os pré-requisitos que regem o Programa para Assistência Técnica Autorizada Perto, singularmente denominada

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA SARAIVA

CÓDIGO DE CONDUTA DA SARAIVA CÓDIGO DE CONDUTA DA SARAIVA 2010 Pág.: 2 de 9 A maioria das empresas exige dos seus fornecedores um excelente produto/serviço, a preço competitivo. Além disso, para nós da Saraiva, é muito importante

Leia mais

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO

ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO ANEXO III PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG MINUTA DO CONTRATO Instrumento Particular de Contrato referente ao PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 15/0019-PG, que entre si fazem o Serviço Social do Comércio

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE

ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE TELEFONICA BRASIL S.A, com sede à Rua Martiniano de Carvalho, nº. 851, na cidade de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 02.558.157/0001-62, neste ato representada

Leia mais

CERTIFICADO DO PROGRAMA DE LICENCIAMENTO COREL LICENCE FOR LEARNING Termos e condições

CERTIFICADO DO PROGRAMA DE LICENCIAMENTO COREL LICENCE FOR LEARNING Termos e condições CERTIFICADO DO PROGRAMA DE LICENCIAMENTO COREL LICENCE FOR LEARNING Termos e condições 1. Declaração de propósito. A COREL criou o programa de licenciamento CLL ( Programa ) para proporcionar a determinados

Leia mais

Perguntas e respostas Mais Qualidade

Perguntas e respostas Mais Qualidade Perguntas e respostas Mais Qualidade O que é o Programa Mais Qualidade? O Mais Qualidade é um programa da Bayer CropScience que tem como objetivo a obtenção de frutas com qualidade superior. Tudo isso

Leia mais

CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE

CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE CHÃO DE FÁBRICA A PRODUÇÃO COMPETITIVA CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE Foco principal das empresas que competem com

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

FOREVER LIVING PRODUCTS BRASIL LTDA. CONTRATO DE CREDENCIAMENTO COM PESSOA JURÍDICA

FOREVER LIVING PRODUCTS BRASIL LTDA. CONTRATO DE CREDENCIAMENTO COM PESSOA JURÍDICA FOREVER LIVING PRODUCTS BRASIL LTDA. CONTRATO DE CREDENCIAMENTO COM PESSOA JURÍDICA Nome da Sociedade/Empreendedor Independente Pessoa Jurídica: Esta Pessoa Jurídica é uma: Sociedade de Responsabilidade

Leia mais

1.5 Estes termos e condições gerais substituem todo e quaisquer termos e condições e pode ser alterado unicamente pela Golden Tulip.

1.5 Estes termos e condições gerais substituem todo e quaisquer termos e condições e pode ser alterado unicamente pela Golden Tulip. Artigo 1 Geral 1.1 Estes Termos e Condições Gerais se aplicam ao Programa Ambassador Club executado pela empresa de sociedade privada, limitada GT Investments B.V. e/ou suas subsidiárias, aqui denominada

Leia mais

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o DATABASE MARKETING No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o empresário obter sucesso em seu negócio é

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA E CREDENCIAMENTO DE PARTICIPANTE ATIVO.

CONTRATO DE COMPRA E VENDA E CREDENCIAMENTO DE PARTICIPANTE ATIVO. CONTRATO DE COMPRA E VENDA E CREDENCIAMENTO DE PARTICIPANTE ATIVO. De um lado, a empresa: CENTER CORP. GESTÃO E NEGÓCIOS LTDA; com Matriz situada a Rua Rio Grande do Sul 904/201 Poços de Caldas / MG. CEP

Leia mais

ACORDO DE PRESERVAÇÃO DE REVERSIBILIDADE DA OPERAÇÃO

ACORDO DE PRESERVAÇÃO DE REVERSIBILIDADE DA OPERAÇÃO ACORDO DE PRESERVAÇÃO DE REVERSIBILIDADE DA OPERAÇÃO Pelo presente instrumento, entre partes, de um lado: CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA ( CADE ), com sede no Setor Comercial Norte, Quadra

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO

CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO I - Formalização e Aceitação do Pedido 1.1 - O Aceite será automático caso o fornecedor não faça uma recusa parcial ou total, Por escrito no prazo de 2(dois) após o recebimento

Leia mais

ELABORAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO

ELABORAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO ELABORAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO D. Daniela tem uma fábrica de móveis e vende seus produtos para todo o Brasil. Como os produtos de sua fábrica têm ótima qualidade e seus preços no mercado interno são

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DISMED MAIS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DISMED MAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA DISMED MAIS O PROGRAMA DISMED MAIS ("PROGRAMA"), desenvolvido pela empresa DISMED DISTRIBUIDORA DE MEDICAMENTOS OLÍMPIA LTDA, sociedade por cotas de responsabilidade limitada, estabelecida

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

TERMO DE LICENCIAMENTO, SEGURANÇA, PRIVACIDADE E NÍVEL DE SERVIÇO

TERMO DE LICENCIAMENTO, SEGURANÇA, PRIVACIDADE E NÍVEL DE SERVIÇO TERMO DE LICENCIAMENTO, SEGURANÇA, PRIVACIDADE E NÍVEL DE SERVIÇO O objeto deste Termo de Licenciamento, Segurança, Privacidade e Nível de Serviço é o imanager - um conjunto de programas de computador

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

PROJETO DE LEI N, DE 2013

PROJETO DE LEI N, DE 2013 1 PROJETO DE LEI N, DE 2013 (Dos Srs. Deputados Acelino Popó, Angelo Agnolin, Afonso Florence, Marcelo Matos, Perpétua Almeida, Renato Molling e Rosinha da Adefal) Regulamenta o Marketing Multinível, estabelece

Leia mais

Política de entrega, troca e devolução de produtos

Política de entrega, troca e devolução de produtos Política de entrega, troca e devolução de produtos Este documento é parte integrante do Pedido de Venda / Termos e Condições de aquisição de produtos da MADEPAL. Caso haja con ito entre o pedido e o expresso

Leia mais

SCC SEGURO DOS CONCESSIONÁRIOS CHEVROLET DIRETRIZES BASICAS

SCC SEGURO DOS CONCESSIONÁRIOS CHEVROLET DIRETRIZES BASICAS SCC SEGURO DOS CONCESSIONÁRIOS CHEVROLET DIRETRIZES BASICAS O objetivo do programa é combinar a sinergia existente entre concessionárias e seguradoras a fim de que, mediante a fidelização dos clientes,

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A AUSTRALIAN SECURITIES COMMISSION E A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DO BRASIL

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A AUSTRALIAN SECURITIES COMMISSION E A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DO BRASIL MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A AUSTRALIAN SECURITIES COMMISSION E A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DO BRASIL INTRODUÇÃO 1. A Australian Securities Commission e a Comissão de Valores Mobiliários, reconhecendo

Leia mais

Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação

Fundação de Apoio à Ciência, Tecnologia e Educação MANUAL DO PESQUISADOR SUMÁRIO 1. Apresentação 2. Inclusão de Projetos 2.1. Apresentações de novos projetos 2.2. Tipos de instrumentos legais 2.3. Situação de adimplência das instituições 3. Orientações

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013.

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. Dispõe sobre as regras e os critérios para operação do seguro de garantia estendida, quando da aquisição de

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE AQUISIÇÃO INTERNET PRÉ PAGO

TERMOS E CONDIÇÕES DE AQUISIÇÃO INTERNET PRÉ PAGO TERMOS E CONDIÇÕES DE AQUISIÇÃO INTERNET PRÉ PAGO O presente Termo tem por objeto regular as relações entre a CLARO e os Clientes Banda Larga Pré-Pago, no que concerne a aquisição de planos promocionais

Leia mais

Regulamento Promoção Compre e Ganhe AMIGO INTEL Parceria Claro e Intel 2013

Regulamento Promoção Compre e Ganhe AMIGO INTEL Parceria Claro e Intel 2013 Regulamento Promoção Compre e Ganhe AMIGO INTEL Parceria Claro e Intel 2013 O presente Regulamento tem por objeto regular as relações entre a empresa Realizadora, o Parceiro Comercial e os clientes aderentes

Leia mais

Código de Ética. Diante dos Consumidores Diante dos Vendedores Diretos e entre Empresas

Código de Ética. Diante dos Consumidores Diante dos Vendedores Diretos e entre Empresas Código de Ética Diante dos Consumidores Diante dos Vendedores Diretos e entre Empresas Código de Ética Diante dos Consumidores (Texto em conformidade com as deliberações da Assembléia Geral Extraordinária

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL

GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL Sumário O que é Leasing?... 04 As partes deste negócio... 05 Entendendo o Leasing... 06 Modalidades de Leasing... 07 A escolha do bem... 08 Este guia tem por objetivo

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção Soluções que impulsionam e valorizam sua empresa. Política Anticorrupção Ano fiscal 2016 Política Anticorrupção Objetivo Definir procedimentos para assegurar que todos os colaboradores, funcionários, sócios

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

PORTARIA Nº 3064, de 5 de novembro de 1998

PORTARIA Nº 3064, de 5 de novembro de 1998 PORTARIA Nº 3064, de 5 de novembro de 1998 A REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições e tendo em vista o que consta no Programa Tecnológico, que integra o Plano

Leia mais

MULTIPLY CONSULTORIA

MULTIPLY CONSULTORIA MULTIPLY CONSULTORIA Para profissionais inscritos e adimplentes com o CRMV/BA e para os funcionários da Autarquia que tem ou planejam ter um negócio. Serviço de Consultoria empresarial a ser desenvolvido

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA

CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA I. Aplicabilidade Estas Condições Gerais serão aplicáveis a todas as compras efetuadas pela Nefab e suas afiliadas (COMPRADOR) junto aos seus fornecedores (VENDEDOR). Desvios

Leia mais

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi Marketing Prof. Angelo Polizzi Gestão de Produção Gestão de Produção Objetivos: Mostrar que produtos (bens e serviços) consumidos, são produzidos em uma ordem lógica, evitando a perda ou falta de insumos

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS 1. DISPOSIÇÕES GERAIS a) Este Regulamento faz parte integrante do Contrato de Cartão de Crédito ( Contrato ) e regula as condições aplicáveis ao Programa

Leia mais

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell LEIA ESTE CONTRATO COM ATENÇÃO. AO INSTALAR OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZAR O SOFTWARE (INCLUINDO SEUS COMPONENTES),

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Obter um fluxo contínuo de suprimentos, a fim de atender aos programas de produção;

Obter um fluxo contínuo de suprimentos, a fim de atender aos programas de produção; Fascículo 7 A atividade de compras Não existe a área de suprimentos sem que exista a atividade de compras, que é fundamental para a gestão da área de materiais. Um bom volume de vendas e uma abordagem

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO CLUBE DE VANTAGENS SUPER DANIELI

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO CLUBE DE VANTAGENS SUPER DANIELI REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO CLUBE DE VANTAGENS SUPER DANIELI 1. INTRODUÇÃO 1.1. O presente regulamento ( Regulamento ) estabelece as regras para participação, bem como as vantagens e benefícios

Leia mais

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO OS NEGÓCIOS Odilio Sepulcri* INTRODUÇÃO A sobrevivência dos negócios, dentre outros fatores, se dará pela sua capacidade de gerar lucro. O lucro, para um determinado produto, independente da forma como

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

T4F ENTRETENIMENTO S.A. CNPJ/MF N.º 02.860.694/0001-62

T4F ENTRETENIMENTO S.A. CNPJ/MF N.º 02.860.694/0001-62 T4F ENTRETENIMENTO S.A. CNPJ/MF N.º 02.860.694/0001-62 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES O presente Plano de Opção de Compra de Ações da T4F ENTRETENIMENTO S.A. ( Companhia ), aprovado pela Assembléia

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS 1 INTRODUÇÃO A ANEC Associação Nacional de Educação Católica do Brasil, através de sua estrutura organizacional e de seus colaboradores, tem avançado muito no cumprimento

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos.

POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos. POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos. 1. OBJETIVO Este documento tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a aquisição de bens e serviços nas empresas

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DOS OBJETIVOS Art. 1 - O presente regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT)

Leia mais

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO Artigo 1º Âmbito Ao abrigo do n.º 1 do artigo 8.º da Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, o presente regulamento estabelece os procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO ENTREGA DE BRINDE EMPREENDIMENTO MIO RESIDENCIAL KIT DE COZINHA

REGULAMENTO ENTREGA DE BRINDE EMPREENDIMENTO MIO RESIDENCIAL KIT DE COZINHA REGULAMENTO ENTREGA DE BRINDE EMPREENDIMENTO MIO RESIDENCIAL KIT DE COZINHA 1) OBJETIVO 1.1. A Brookfield Rio de Janeiro Empreendimentos Imobiliários S/A, estabelece os termos e as condições para a entrega

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

WWW.MEUOCULOSDEMADEIRA.COM.BR

WWW.MEUOCULOSDEMADEIRA.COM.BR SIGNATURE STORE WWW.MEUOCULOSDEMADEIRA.COM.BR Sucesso é quando criamos algo de que podemos ter orgulho. Richard Branson - Fundador do grupo Virgin 2 A História da MOM Há muitos anos venho trabalhando com

Leia mais

Estratégia Competitiva 16/08/2015. Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor

Estratégia Competitiva 16/08/2015. Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor Módulo II Cadeia de Valor e a Logistica Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. CADEIA DE VALOR E A LOGISTICA A Logistica para as Empresas Cadeia de Valor Estratégia Competitiva é o conjunto de planos, políticas,

Leia mais

POLÍTICA COMERCIAL. COMO COMPRAR: 1. Cadastrando-se como Cliente 2. Obrigatoriedade para compra

POLÍTICA COMERCIAL. COMO COMPRAR: 1. Cadastrando-se como Cliente 2. Obrigatoriedade para compra 1 POLÍTICA COMERCIAL Para realizar um excelente atendimento e garantir uma ótima experiência de compra aos nossos clientes, nos preocupamos com todos os detalhes que envolvem a venda. E um quesito ao qual

Leia mais

Política de Atendimento de Lubrificantes. Índice. Item Tópico Página. 1. Introdução e Propósito 2. 2. Nossa Missão 2. 3.

Política de Atendimento de Lubrificantes. Índice. Item Tópico Página. 1. Introdução e Propósito 2. 2. Nossa Missão 2. 3. Política de Atendimento de Lubrificantes Índice Item Tópico Página 1. Introdução e Propósito 2 2. Nossa Missão 2. CALL Center 2 e. Disponibilidade de Produtos.1 Pedidos Mínimos.2 Tipos e Características

Leia mais

Forever Top 100. Novidades anunciadas no evento. 1. Missão da Forever Living. 2. Mudança da palavra. 11 de Junho de 2011 São Paulo - Brasil

Forever Top 100. Novidades anunciadas no evento. 1. Missão da Forever Living. 2. Mudança da palavra. 11 de Junho de 2011 São Paulo - Brasil 11 de Junho de 2011 São Paulo - Brasil Novidades anunciadas no evento Forever Top 100 No dia 11 de junho foi realizado um evento para os 100 maiores Empreendedores Forever. O objetivo foi apresentar diversas

Leia mais

TERMOS DE USO DO PORTAL BEMDEMAIS

TERMOS DE USO DO PORTAL BEMDEMAIS TERMOS DE USO DO PORTAL BEMDEMAIS 1. ACEITAÇÃO DO TERMO DE USO 1.1 O PORTAL BEMDEMAIS (BEMDEMAIS QUALIDADE DE VIDA, SERVIÇOS DE NUTRIÇÃO E REPRESENTAÇÃO LTDA., CNPJ 15.667.989/0001-69) fornece a você (doravante

Leia mais

Rede de Lojas Leo Madeiras

Rede de Lojas Leo Madeiras Rede de Lojas Leo Madeiras Prezado Sr. (a), É com muito prazer e orgulho que lhe enviamos este documento, contendo as principais informações sobre a Parceria Leo Madeiras. Isto significa que despertamos

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

MANUAL DE RELACIONAMENTO DO FORNECEDOR Diretoria de Compras Construindo Resultados

MANUAL DE RELACIONAMENTO DO FORNECEDOR Diretoria de Compras Construindo Resultados MANUAL DE RELACIONAMENTO DO FORNECEDOR Diretoria de Compras Construindo Resultados As informações contidas neste documento são proprietárias e para uso confidencial dos destinatários explicitados. Propriedade

Leia mais

Estratégia de Marketing II

Estratégia de Marketing II Estratégia de Marketing II Quais São os Mercados Mais Atraentes? Questões: 1. Segmentos que oferecem bastante margem (??) (Estratégia de Marketing 1) 2. Mercados em que você tem maior poder (Marketing

Leia mais

Apresentação. Objetivo. Conhecendo a Empresa. Visão. Missão. Princípios e Valores. Política Integrada da Qualidade

Apresentação. Objetivo. Conhecendo a Empresa. Visão. Missão. Princípios e Valores. Política Integrada da Qualidade Apresentação Conhecendo a Empresa Objetivo Visão Missão Princípios e Valores Política Integrada da Qualidade 2 P á g i n a F e r r a m e n t a s Apresentação A é uma empresa especializada em comercializar

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES Agosto/15 Análise de Competitividade Rações Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da competitividade

Leia mais

1.2 Glossário de termos Para os objetivos deste Código, os termos usados têm os seguintes significados:

1.2 Glossário de termos Para os objetivos deste Código, os termos usados têm os seguintes significados: CÓDIGO DE CONDUTA DIANTE DOS VENDEDORES DIRETOS E ENTRE EMPRESAS (Texto em conformidade com as deliberações da Assembléia Geral da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas - ABEVD realizada

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO O presente Regulamento institui a normatização adotada pelo Conselho

Leia mais

Visão Geral. Concorrência Perfeita. Concorrência Imperfeita. Restrições Legais

Visão Geral. Concorrência Perfeita. Concorrência Imperfeita. Restrições Legais Preço Visão Geral Concorrência Perfeita Concorrência Imperfeita Restrições Legais Concorrência Perfeita Lembrança: preço baixam ao custo Exceção: acordos de preço entre concorrentes Acordo precisa ser

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

CURITIBA PARANÁ MBA GPJ 3/14. Julho de 2015

CURITIBA PARANÁ MBA GPJ 3/14. Julho de 2015 CURITIBA PARANÁ MBA GPJ 3/14 Julho de 2015 A Global Exportation é uma empresa especializada em exportação comercial com distribuição de cargas para compradores independentes e varejistas de distribuidores

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA pág. 1 / 5 TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA 1. INTRODUÇÃO O site de vendas online www.fitnesshut.pt (adiante designado por site ou loja online) é um site de vendas online

Leia mais

Procedimentos de Suporte

Procedimentos de Suporte Descrição de Serviço Serviço de Recuperação de Dados do Disco Rígido Visão Geral do Serviço A Dell tem o prazer de oferecer o Serviço de Recuperação de Dados do Disco Rígido ("Serviço" ou "Serviços") de

Leia mais

A Dom Colletto é uma empresa de roupa de homem e mulher de inspiração italiana, com presença e expansão nacional e internacional.

A Dom Colletto é uma empresa de roupa de homem e mulher de inspiração italiana, com presença e expansão nacional e internacional. DOM COLLETTO: A certeza de um conceito A Dom Colletto é uma empresa de roupa de homem e mulher de inspiração italiana, com presença e expansão nacional e internacional. O sistema de franchising permite

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado com sede na Rua Sampaio Viana, 44 - Paraíso,

Leia mais