Instituto Israelita de Responsabilidade Social Gerência de Programas Governamentais

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Israelita de Responsabilidade Social Gerência de Programas Governamentais"

Transcrição

1 Instituto Israelita de Responsabilidade Social Gerência de Programas Governamentais Relato de Experiência A experiência da implantação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) em 12 Unidades Básicas de Saúde da Estratégia Saúde da Família no município de São Paulo

2 Portaria GM de 19 de Julho de 2011 Objetivos do Programa: Promover a comparabilidade dos serviços Integração: esferas federal, estadual e municipal com os profissionais das equipes. Melhoria contínua Promover a mudança: por meio da cultura de contratualização e negociação.

3 Comparabilidade Construção de um parâmetro de comparação entre as equipes de atenção básica, a fim de possibilitar a comparação das ações dos diferentes serviços ofertados. Melhoria Contínua Estímulo ao processo contínuo e progressivo de melhoria dos padrões e indicadores de acesso e de qualidade que envolva a gestão, o processo de trabalho e os resultados alcançados pelas equipes de saúde da atenção básica. Integração Envolver, mobilizar e responsabilizar os gestores federais, estaduais, municipais e do Distrito Federal, as equipes de saúde de Atenção Básica e os usuários num processo de mudança de cultura de gestão e qualificação da atenção básica. Promover a mudança Desenvolver cultura de negociação e contratualização, que implique na gestão dos recursos em função dos compromissos e resultados pactuados e alcançados.

4

5 Fase 2- Desenvolvimento Implantação da Auto Avaliação AMAQ (10%) - Momento de Autoavaliação pelas próprias equipes Peso 10% da avaliação - Escolha dos padrões da Matriz de Intervenção total de 60 requisitos - Padrões de Qualidade; - Avaliação de 0 a 10 com relação a diversos atributos. - Para todas as equipes, 2 padrões eram comuns, sendo eles: A equipe de atenção básica identifica e mantém registro atualizado de todos os hipertensos do seu território e organiza a atenção com base na sua classificação de risco. A equipe de atenção básica identifica e mantém registro atualizado de todos os diabéticos do seu território e organiza a atenção a partir de sua classificação de risco. Um padrão foi de livre escolha o qual também foi acompanhado.

6 Ciclo 2012

7 Conduzido por instituições de ensino e pesquisa contratadas pelo MS, para a realização de uma avaliação externa. Ações que analisam as condições de acesso e de qualidade da totalidade de municípios e equipes de atenção básica. Evidências por meio de documentos, observação direta e outras fontes verificáveis. Contempla também, a avaliação da satisfação do usuário. Obs.: comparação a partir de estratos. A partir do 2º ciclo, será realizada a comparação da serie histórica dos resultados.

8 ADAPTAÇÕES PARA DEFICIENTES E IDOSOS Equipes Avaliadas HIAE Município de São Paulo ESTRUTURA FÍSICA E AMBIÊNCIA Equipes Avaliadas HIAE Município de São Paulo muito acima da média acima da média mediano ou um pouco abaixo da média muito acima da média acima da média mediano ou um pouco abaixo da média O objetivo é avaliar a infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBS), equipamentos e materiais necessários para o desenvolvimento das ações fundamentais para o acolhimento, para a humanização do atendimento, para a organização do trabalho e para cuidar da saúde da população.

9 Nesse item foi avaliado se a unidade possui, por exemplo, remédios para hipertensão, diabetes, antibióticos, medicações para dor ou febre, dentre outros. COM RELAÇÃO AOS MEDICAMENTOS Equipes Avaliadas HIAE Município de São Paulo EM RELAÇÃO AOS EQUIPAMENTOS muito acima da média Equipes Avaliadas HIAE acima da média Município de São Paulo 0 4 mediano ou um pouco abaixo da média muito acima da média acima da média mediano ou um pouco abaixo da média Equipamentos e materiais necessários para o desenvolvimento das diversas ações realizadas pela equipe de saúde. Nesse item, foram avaliados: termômetro, balança, aparelho de pressão, aparelho para medir a glicose, fita métrica, aparelho para escutar os batimentos cardíacos do bebê durante a gravidez, nebulizador, cama para observação e para realização de exames, esparadrapo, etc.

10 Avaliação Geral das Equipes Equipes Avaliadas HIAE Município de São Paulo Estado de São Paulo Brasil 10 0 muito acima da média acima da média 0 0 mediano ou um pouco abaixo da média Insatisfatória Avaliação não disponível

11 Lições Aprendidas Promove um maior engajamento das equipes e estimular o acompanhamento das ações. Dificuldade na pactuação de indicadores e a forma de mensuração: oportunidade de capacitação? Organização e responsabilização das ações da AB para as equipes foco menos operacional. Ainda há uma lacuna com relação ao financiamento oportunidade de estreitamento de parceria. Avaliação da Satisfação do Usuário. Planejar a comunicação com instâncias da SMS- SP durante o processo. Melhoria para Bibliografia: Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica. PMAQ-AB.

12 Muito obrigada! Contato: Larissa Kozloff Naves Coordenadora de Projetos e Qualidade Programas Governamentais SBIBAE

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.654, DE 19 DE JULHO DE 2011

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.654, DE 19 DE JULHO DE 2011 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.654, DE 19 DE JULHO DE 2011 Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde,

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e PORTARIA Nº. x.xxx, DE XX DE XXXXX DE 2011. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde o Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica e o componente de qualidade do Piso de Atenção

Leia mais

O PMAQ COMO ATENÇÃO BÁSICA ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DA. Célia Regina Rodrigues Gil Saúde Coletiva/UEL

O PMAQ COMO ATENÇÃO BÁSICA ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DA. Célia Regina Rodrigues Gil Saúde Coletiva/UEL O PMAQ COMO ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA Célia Regina Rodrigues Gil Saúde Coletiva/UEL Avaliação de Políticas Públicas em Saúde E O QUE FOI FEITO É PRECISO CONHECER PARA MELHOR PROSSEGUIR...

Leia mais

O papel da Secretaria de Estado da Saúde no apoio e na articulação dos municípios para qualificar a Atenção Básica no Estado de São Paulo

O papel da Secretaria de Estado da Saúde no apoio e na articulação dos municípios para qualificar a Atenção Básica no Estado de São Paulo O papel da Secretaria de Estado da Saúde no apoio e na articulação dos municípios para qualificar a Atenção Básica no Estado de São Paulo 31º Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São

Leia mais

Ana Luiza Queiroz Vilasbôas Professora associada I UFBA/ISC/GRAB

Ana Luiza Queiroz Vilasbôas Professora associada I UFBA/ISC/GRAB Utilização de dados do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) na avaliação de qualidade da APS e seus usos potenciais na avaliação de impacto Ana Luiza Queiroz

Leia mais

3º Ciclo PMAQ Equipes de Atenção Básica. Padrões de Qualidade Essenciais e Estratégicos MARI ÂNGELA DE FREITAS

3º Ciclo PMAQ Equipes de Atenção Básica. Padrões de Qualidade Essenciais e Estratégicos MARI ÂNGELA DE FREITAS 3º Ciclo PMAQ Equipes de Atenção Básica Padrões de Qualidade Essenciais e Estratégicos MARI ÂNGELA DE FREITAS PMAQ É a principal estratégia indutora de mudanças nas condições e modos de funcionamento das

Leia mais

PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica

PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica Portaria nº 1.654, de 19 de julho de 2011 PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 Contratualização

Leia mais

ORIENTAÇÃO SIMPLIFICADA SOBRE A AVALIAÇÃO EXTERNA PARA AS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA, SAÚDE BUCAL NASF - 3º CICLO FIQUE SABENDO QUE:

ORIENTAÇÃO SIMPLIFICADA SOBRE A AVALIAÇÃO EXTERNA PARA AS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA, SAÚDE BUCAL NASF - 3º CICLO FIQUE SABENDO QUE: ORIENTAÇÃO SIMPLIFICADA SOBRE A AVALIAÇÃO EXTERNA PARA AS EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA, SAÚDE BUCAL NASF - 3º CICLO FIQUE SABENDO QUE: As equipes participantes no PMAQ serão certificadas, conforme o seu desempenho,

Leia mais

3º Ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) VI Fórum de Gestão da Atenção Básica

3º Ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) VI Fórum de Gestão da Atenção Básica 3º Ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) VI Fórum de Gestão da Atenção Básica Brasília, 23 de Outubro de 2015 PMAQ Objetivos e Características do Programa

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica Fases do PMAQ - 3º Ciclo FASE 1 FASE 2 FASE 3 Adesão e Contratualização

Leia mais

XXVII Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde

XXVII Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde XXVII Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Brasília, 9 a 12 de julho de 2011 A rede cegonha deve ser organizada de maneira a possibilitar

Leia mais

Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - 3º CICLO. São Luís, 26 de abril de 2018

Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - 3º CICLO. São Luís, 26 de abril de 2018 Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - 3º CICLO São Luís, 26 de abril de 2018 Quais os desafios atuais para organização da Atenção Básica? 1. Estrutura física das unidades básicas

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006

Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006 Política Nacional de Atenção Básica Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006 ! A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde no âmbito individual e coletivo que abrangem a promoção

Leia mais

PMAQ COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA

PMAQ COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA Fortalecimento da Atenção Básica no Estado da Bahia PMAQ COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA Ana Luiza Queiroz Vilasbôas Professora associada I GRAB/ISC/UFBA Salvador-Bahia 06/07/2018 APS como

Leia mais

PAUTA PMAQ 3º CICLO MINUTA PORTARIA

PAUTA PMAQ 3º CICLO MINUTA PORTARIA PAUTA PMAQ 3º CICLO MINUTA PORTARIA REUNIÃO DIRETORIA BRASILIA, 26/08/2015 PMAQ É um programa de âmbito nacional que tem como objetivo promover a melhoria do acesso e da qualidade da atenção à saúde. Lançado

Leia mais

Atenção Básica na Atenção Integral à Saúde da Criança. PMAQ Processo de trabalho ofertas para o cuidado

Atenção Básica na Atenção Integral à Saúde da Criança. PMAQ Processo de trabalho ofertas para o cuidado Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral de Gestão da Atenção Básica Atenção Básica na Atenção Integral à Saúde da Criança PMAQ Processo de trabalho

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ-AB)

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ-AB) SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA EXECUTIVA DE ATENÇÃO À SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA GERÊNCIA DE EXPANSÃO E QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA: Carlos Leonardo Cunha

POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA: Carlos Leonardo Cunha POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA: PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO Carlos Leonardo Cunha POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA (PNAB)-PORTARIA/GM Nº 648 DE 28/03/06 Definição expressa do MS de revitalizar a

Leia mais

ANÁLISE DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE: UM RECORTE EM JOÃO PESSOA PB. Géssika Araújo de Melo. Universidade Federal da Paraíba

ANÁLISE DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE: UM RECORTE EM JOÃO PESSOA PB. Géssika Araújo de Melo. Universidade Federal da Paraíba ANÁLISE DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE: UM RECORTE EM JOÃO PESSOA PB Géssika Araújo de Melo Universidade Federal da Paraíba gessika.fisio@gmail.com Introdução O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e

Leia mais

Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica 3º CICLO Davllyn Santos Oliveira dos Anjos

Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica 3º CICLO Davllyn Santos Oliveira dos Anjos Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica 3º CICLO Davllyn Santos Oliveira dos Anjos Coordenação Geral de Acompanhamento e Avaliação CGAA Departamento de Atenção Básica DAB

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO BRASIL Brasília, Junho/2004

Leia mais

e-sus Atenção Básica

e-sus Atenção Básica e-sus Atenção Básica Visão Geral A Estratégia e-sus AB Reestruturação nas formas de coleta, processamento, validação e uso de informações em saúde na AB Prontuário Eletrônico do Cidadão - PEC Uso em cenários

Leia mais

Programa Mais médicos E Provab NORTE. Oficina Regional

Programa Mais médicos E Provab NORTE. Oficina Regional Programa Mais médicos E Provab NORTE Oficina Regional Belém PA Junho 2014 Política Nacional de Atenção Básica Construção Tripartite Federal Estadual Municipal Atenção Básica: trajetória de 2011-2014 Atenção

Leia mais

ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS

ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS TEMÁTICA CATEGORIA ESPECIFICAÇÃO DE RELATO Inclui relatos sobre práticas na elaboração e acompanhamento dos Instrumentos: 1.A FERRAMENTAS DO PLANEJAMENTO

Leia mais

PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica

PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica PMAQ Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica Fases do PMAQ - 3º Ciclo FASE 1 FASE 2 FASE 3 Adesão e Contratualização Avaliação Externa e Certificação Recontratualização

Leia mais

Programa nacional de melhorias do acesso e da sua qualidade na atenção básica (PMAQ)

Programa nacional de melhorias do acesso e da sua qualidade na atenção básica (PMAQ) Programa nacional de melhorias do acesso e da sua qualidade na atenção básica (PMAQ) PMAQ Iniciativa proposta pelo Ministério da Saúde para a qualificação do sistema de atenção básica Instituído pela Portaria

Leia mais

SAÚDE MAIS PERTO DE VOCÊ

SAÚDE MAIS PERTO DE VOCÊ SAÚDE MAIS PERTO DE VOCÊ Ampliação do Acesso e Qualidade da Atenção Básica Congresso de Secretarias Municipais de Saúde de São Paulo Alexandre Ramos Diretor Adjunto DAB/SAS SAÚDE MAIS PERTO DE VOCÊ A Atenção

Leia mais

Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - 3º CICLO. Piauí Teresina, 22 e 23 de maio de 2017

Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - 3º CICLO. Piauí Teresina, 22 e 23 de maio de 2017 Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - 3º CICLO Piauí Teresina, 22 e 23 de maio de 2017 Quais são os principais objetivos do PMAQ? Aumentar o financiamento das equipes de atenção

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE NA ATENÇÃO BÁSICA - PMAQ

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE NA ATENÇÃO BÁSICA - PMAQ PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE NA ATENÇÃO BÁSICA - PMAQ Brasília, agosto de 2015 Adesão ao PMAQ (2011 e 2013) 1º Ciclo (2011/2012) 2º Ciclo (2013/2014) 3.965 municípios 71,2 % 5.070

Leia mais

e-sus Atenção Básica

e-sus Atenção Básica e-sus Atenção Básica Informatização é prioridade PRIORIDADE DE GESTÃO Integrar o controle das ações, permitindo o melhor atendimento ao cidadão, a correta aplicação dos recursos públicos e o fornecimento

Leia mais

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado XXX Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo 13/abril/2016 O SUS e a Atenção

Leia mais

3º Ciclo do PMAQ ( ) Brasília, 11 de Abril de 2018

3º Ciclo do PMAQ ( ) Brasília, 11 de Abril de 2018 3º Ciclo do PMAQ (2016-2018) Brasília, 11 de Abril de 2018 Fases do PMAQ - 3º Ciclo PORTARIA Nº 1.645, DE 2 DE OUTUBRO DE 2015. FASE 1 FASE 2 FASE 3 Adesão e Contratualização Avaliação Externa e Certificação

Leia mais

Unidades de Análise. Avaliação Municipal da estratégia Saúde da Família

Unidades de Análise. Avaliação Municipal da estratégia Saúde da Família Unidades de Análise Avaliação Municipal da estratégia Saúde da Família Componente I: Gestão, Coordenação e Estrutura USF Componente II: Ações e resultados do trabalho das Equipes Instrumento 1 : Gestor

Leia mais

JANIZE L. BIELLA IRA SILVA GISELE DAMIAN A. GOUVEIA LISANDRA DE SOUZA CARLOS ALBERTO VALE DA COSTA

JANIZE L. BIELLA IRA SILVA GISELE DAMIAN A. GOUVEIA LISANDRA DE SOUZA CARLOS ALBERTO VALE DA COSTA Novo Manual Instrutivo e Instrumento de Avaliação Externa para Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) - Terceiro ciclo (2015-2017) JANIZE L. BIELLA IRA SILVA GISELE

Leia mais

OFICINA EM PICS. Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CNPICS DAB) Ministério da Saúde

OFICINA EM PICS. Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CNPICS DAB) Ministério da Saúde OFICINA EM PICS Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (CNPICS DAB) Ministério da Saúde Uberlândia, 12 de julho de 2018 Atividades Propostas 1º Momento - Acolhimento e

Leia mais

CELMÁRIO CASTRO BRANDÃO

CELMÁRIO CASTRO BRANDÃO CELMÁRIO CASTRO BRANDÃO e-sus Atenção Básica/SISAB Informatização é prioridade PRIORIDADE DE GESTÃO Integrar o controle das ações, permitindo o melhor atendimento ao cidadão, a correta aplicação dos recursos

Leia mais

Oficina Estadual Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica - PMAQ

Oficina Estadual Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica - PMAQ Oficina Estadual Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica - PMAQ Julho de 2015 Objetivos e importância da Oficina 1 Fomentar qualificação do cuidado e da gestão na Atenção

Leia mais

e-sus Atenção Básica

e-sus Atenção Básica e-sus Atenção Básica Visão Geral A Estratégia e-sus AB Reestruturação nas formas de coleta, processamento, validação e uso de informações em saúde na AB Prontuário Eletrônico do Cidadão - PEC Uso em cenários

Leia mais

ATRIBUTOS E PROCESSO DE TRABALHO PNAB 2017 TERRITORIALIZAÇÃO

ATRIBUTOS E PROCESSO DE TRABALHO PNAB 2017 TERRITORIALIZAÇÃO ATRIBUTOS E PROCESSO DE TRABALHO PNAB 2017 TERRITORIALIZAÇÃO A desconformidade entre as estruturas da demanda e da oferta na atenção primária à saúde ESTRUTURA DA DEMANDA Condições agudas Condições crônicas

Leia mais

Estágio Curricular I

Estágio Curricular I Estágio Curricular I CAMPUS: CURSO: ENFERMAGEM E OBSTRETÍCIA HABILITAÇÃO: BACHARELADO OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: ENFERMAGEM IDENTIFICAÇÃO: 26 CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO PERIODIZAÇÃO IDEAL ENF05039

Leia mais

Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica

Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica Sobre o TelessaúdeRS O TelessaúdeRS é um projeto de pesquisa do Programa de Pós- Graduação em Epidemiologia da Faculdade

Leia mais

Situação, Perspectivas e Desafios da Atenção Básica no Brasil.

Situação, Perspectivas e Desafios da Atenção Básica no Brasil. Situação, Perspectivas e Desafios da Atenção Básica no Brasil. A Atenção Básica nas Redes de Atenção A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo,

Leia mais

Resultados das ações de Alimentação e Nutrição na avaliação externa do PMAQ

Resultados das ações de Alimentação e Nutrição na avaliação externa do PMAQ Resultados das ações de Alimentação e Nutrição na avaliação externa do PMAQ XIII Encontro Nacional da Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Brasília/DF 19 de Agosto de 2015 Estrutura de apresentação Infraestrutura

Leia mais

Processo de Trabalho no contexto da Atenção Básica de Boa Vista

Processo de Trabalho no contexto da Atenção Básica de Boa Vista Processo de Trabalho no contexto da Atenção Básica de Boa Vista Encontro Estadual para fortalecimento da Atenção Básica Roraima. Junho - 2018 População: 320. 022 habitantes 34 unidades básicas de saúde

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL ESTRATÉGIA AMAMENTA E ALIMENTA BRASIL

ESTRATÉGIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL ESTRATÉGIA AMAMENTA E ALIMENTA BRASIL ESTRATÉGIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR SAUDÁVEL ESTRATÉGIA AMAMENTA E ALIMENTA BRASIL XIV ENCONTRO NACIONAL DA REDE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO SUS Brasília,

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 3. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 3. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 3 Profª. Lívia Bahia Atribuições comuns a todos os profissionais da Atenção Básica: Manter atualizado o cadastramento das famílias e dos indivíduos no

Leia mais

Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica

Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica Recife, 17 de abril de 2018 Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Instituto Aggeu Magalhães Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica Sidney Farias sidney@cpqam.fiocruz.br

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO

RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO RELATO DE EXPERIÊNCIA AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TERESINA Ayla Maria Calixto de Carvalho Alba Alves Costa Marques Telma Maria Evangelista

Leia mais

Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica

Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica Rio Grande do Norte, abril de 2018 SUS: SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO Um dos maiores do mundo; Abrange desde atendimento ambulatorial

Leia mais

O SUS como cenário de prática e o COAPES como dispositivo de fortalecimento da integração ensino serviço.

O SUS como cenário de prática e o COAPES como dispositivo de fortalecimento da integração ensino serviço. O SUS como cenário de prática e o COAPES como dispositivo de fortalecimento da integração ensino serviço. Pressupostos Constituição Federal de 1988 Art. 200 Compete ao SUS ordenar a formação de recursos

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 030/2012, DE 07 DE MAIO DE 2012.

PROJETO DE LEI Nº 030/2012, DE 07 DE MAIO DE 2012. PROJETO DE LEI Nº 030/2012, DE 07 DE MAIO DE 2012. ABRE CRÉDITO ESPECIAL NO ORÇAMENTO E CRIA NO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DO SUL O PRÊMIO VARIÁVEL DE QUALIDADE E INOVAÇÃO- PMAQ DO PROGRAMA DE MELHORIA DE

Leia mais

AMQ é um projeto inserido no contexto da institucionalização da avaliação da Atenção Básica

AMQ é um projeto inserido no contexto da institucionalização da avaliação da Atenção Básica O QUE É AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE? AMQ é um projeto inserido no contexto da institucionalização da avaliação da Atenção Básica Está dirigido ao âmbito municipal e oferece instrumentos para Avaliação

Leia mais

Saber online. como é investido cada real do SUS na saúde do brasileiro

Saber online. como é investido cada real do SUS na saúde do brasileiro Saber online como é investido cada real do SUS na saúde do brasileiro Informatização é prioridade PRIORIDADE DE GESTÃO Integrar o controle das ações, permitindo o melhor atendimento ao cidadão, a correta

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 5

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 5 AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 5 ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Atenção Primária à Saúde e/ou Atenção Básica No Brasil, observa-se mudanças na concepção de APS desde a NOB

Leia mais

ATENÇÃO BÁSICA. A produção do cuidado em Rede MARÇO/ 2017

ATENÇÃO BÁSICA. A produção do cuidado em Rede MARÇO/ 2017 ATENÇÃO BÁSICA m A produção do cuidado em Rede MARÇO/ 2017 Política Nacional de Atenção Básica Portaria MS n 2488 de 21de outubro de 2011 A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde,

Leia mais

Processo de autoavaliação: AMAQ NASF GISELE DAMIAN ANTONIO GOUVEIA

Processo de autoavaliação: AMAQ NASF GISELE DAMIAN ANTONIO GOUVEIA Processo de autoavaliação: AMAQ NASF GISELE DAMIAN ANTONIO GOUVEIA PMAQ Portaria GM/MS nº 1.654, de 19/07/2011: institui o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica e os

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da VI Seminário Internacional da Atenção Básica A construção de modelagens de AB em grandes centros urbanos Aparecida Linhares Pimenta SMS de Diadema Vice presidente do CONASEMS REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE

Leia mais

Qualificação da Gestão

Qualificação da Gestão Qualificação da Gestão O que é o SUS Instituído pela Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde SUS é formado pelo conjunto das ações e serviços de saúde sob gestão pública Com direção única em cada

Leia mais

Núcleo e Apoio à Saúde da Familia - NASF

Núcleo e Apoio à Saúde da Familia - NASF Núcleo e Apoio à Saúde da Familia - NASF Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) regulamentada pela Portaria 648, de 28 de março de 2006, que estabeleceu a

Leia mais

Análise da Contratação de Serviços de Atendimento ao Cliente de TI no Setor Público Utilizando a IN 02 e a IN 04: O Caso da CHESF

Análise da Contratação de Serviços de Atendimento ao Cliente de TI no Setor Público Utilizando a IN 02 e a IN 04: O Caso da CHESF Análise da Contratação de Serviços de Atendimento ao Cliente de TI no Setor Público Utilizando a IN 02 e a IN 04: O Caso da CHESF Daniel Câmara Gadê de Vasconcelos Engenheiro de Computação Especialista

Leia mais

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a Função da CPA neste contexto Profa. Dra. Marion Creutzberg Coordenadora da CPA / PUCRS Papel da CPA na avaliação de cursos de graduação

Leia mais

Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Unidade Básica de Saúde (UBS)

Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Unidade Básica de Saúde (UBS) Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem - Departamento de Enfermagem Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão

Leia mais

Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica. Setembro, 2012

Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica. Setembro, 2012 Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica Portaria 2488 Setembro, 2012 Política Nacional de Atenção Básica Portaria n. 2488, de 21 de outubro de 2011. AAtençãoBásica é oprimeiropontodeatençãoàsaúde

Leia mais

Indicadores de Desempenho para as Equipes AB e NASF do PMAQ - 3º ciclo. Janize L. Biella

Indicadores de Desempenho para as Equipes AB e NASF do PMAQ - 3º ciclo. Janize L. Biella apresentam Indicadores de Desempenho para as Equipes AB e NASF do PMAQ - 3º ciclo Janize L. Biella Como se mede a Saúde? Importância dos Indicadores Identificar pontos críticos e fragilidades Reorientar

Leia mais

O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº

O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: 2016-2020 O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº 8.246. As ações estratégicas serão monitoradas e

Leia mais

As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs

As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs Anexo I As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs As atribuições globais abaixo descritas podem ser complementadas com diretrizes e normas da gestão local.

Leia mais

CONGRESSO COSEMSRS/2016. Sistema de Gerenciamento de Consultas

CONGRESSO COSEMSRS/2016. Sistema de Gerenciamento de Consultas CONGRESSO COSEMSRS/2016 Oficina 1 Mudança do Sistema de Regulação do Rio Grande do Sul Sistema de Gerenciamento de Consultas GRUPO DE TRABALHO (Portaria 712 de 18/06/2015 - DOPA ) CR CMCE, GTI, CRAB, CRAE,

Leia mais

Dimensão 1: organização didático-pedagógica

Dimensão 1: organização didático-pedagógica 1 Dimensão 1: organização didático-pedagógica Item avaliado Objetivos do programa Os objetivos do programa estão claros? Itens avaliados no Eixo Transversal Dificuldades Facilidades Perfil do egresso e

Leia mais

Casos de Gestão Governamental Aula 02. Prof. Gilberto Porto

Casos de Gestão Governamental Aula 02. Prof. Gilberto Porto Casos de Gestão Governamental Aula 02 Prof. Gilberto Porto Problema Prof. Gilberto Porto CASOS DE GESTÃO GOVERNAMENTAL CASO 2 - CONTRATUALIZAÇÃO A contratualização de resultados iniciada em 2007 já demonstra

Leia mais

APOIO INSTITUCIONAL: ESTRATÉGIA PARA QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA NO MUNICÍPIO DE DESCALVADO/SP

APOIO INSTITUCIONAL: ESTRATÉGIA PARA QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA NO MUNICÍPIO DE DESCALVADO/SP XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo e a III Mostra de Experiências Regionais Dr. Sebastião de Moraes COSEMS/SP APOIO INSTITUCIONAL: ESTRATÉGIA PARA QUALIFICAÇÃO DA

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO:

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: 2016-2020 O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº 8.246. As ações estratégicas serão monitoradas e

Leia mais

Depende da aprovação do Plano

Depende da aprovação do Plano Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Reunião de 19/08/2014 SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de

Leia mais

ForPDI Documento de referência para elaboração do PDI nas IFES. Caetano Carlos Bonchristiani Guilherme Henrique A. Borges Paulo H. S.

ForPDI Documento de referência para elaboração do PDI nas IFES. Caetano Carlos Bonchristiani Guilherme Henrique A. Borges Paulo H. S. ForPDI Documento de referência para elaboração do PDI nas IFES Caetano Carlos Bonchristiani Guilherme Henrique A. Borges Paulo H. S. Bermejo ForPDI Metodologia e entregas 2 Investigação PDI nas IFES Avaliação

Leia mais

A Matriz de intervenção no contexto do Planejamento local e PMAQ/AB. Gisele Damian Antonio Gouveia

A Matriz de intervenção no contexto do Planejamento local e PMAQ/AB. Gisele Damian Antonio Gouveia apresentam A Matriz de intervenção no contexto do Planejamento local e PMAQ/AB Gisele Damian Antonio Gouveia Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - PMAQ-AB Portaria

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica provimento de profissionais em AB: trajetória de Campo Grande Maio 2014

Política Nacional de Atenção Básica provimento de profissionais em AB: trajetória de Campo Grande Maio 2014 Oficina regional Provab e Mais médicos CENTRO OESTE Política Nacional de Atenção Básica provimento de profissionais em AB: trajetória de 2011-2014 Campo Grande Maio 2014 ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA A Política

Leia mais

Experiência de Belém na Política de educação Permanente na atenção Básica. I. Pressupostos Teóricos

Experiência de Belém na Política de educação Permanente na atenção Básica. I. Pressupostos Teóricos Experiência de Belém na Política de educação Permanente na atenção Básica I. Pressupostos Teóricos Concepção de Promoção á Saúde à luz do conceito de Armando de Negri; Sistema de Saúde Processo saúde doença

Leia mais

e-sus Atenção Básica

e-sus Atenção Básica e-sus Atenção Básica Objetivo da Estratégia Promover o avanço tecnológico dos sistemas de informação utilizados na captação de dados da Atenção Básica (AB); Monitorar e Avaliar as ações da AB no país;

Leia mais

O Núcleo de Apoio à Saúde da Família e suas funções na ABS

O Núcleo de Apoio à Saúde da Família e suas funções na ABS TEXTOS DIDÁTICOS DO CEMED Nº 2.c Compreendendo o SUS e a Assistência Farmacêutica Módulo 2 Tema 8 Aula Expositiva 6 O Núcleo de Apoio à Saúde da Família e suas funções na ABS Simone Alves do Vale Secretaria

Leia mais

Estratégia e-sus Atenção Básica. Desafios Evolução Visão de Futuro

Estratégia e-sus Atenção Básica. Desafios Evolução Visão de Futuro Estratégia e-sus Atenção Básica Desafios Evolução Visão de Futuro Agenda 1. Visão Geral a. A estratégia e-sus AB b. Situação de implantação 2. Evolução a. Correções b. Melhorias 3. Desafios a. Ampliação

Leia mais

PORTO ALEGRE MAIS SAUDÁVEL. Implantação do Apoio Institucional na Atenção Básica

PORTO ALEGRE MAIS SAUDÁVEL. Implantação do Apoio Institucional na Atenção Básica Implantação do Apoio Institucional na Atenção Básica de Porto Alegre ATENÇÃO BÁSICA EM Garantir o acesso, coordenar o cuidado e ordenar a Rede de atenção à saúde Garantir a modalidade de atenção à saúde

Leia mais

O PAPEL DA UNIVERSIDADE NO FORTALECIMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA

O PAPEL DA UNIVERSIDADE NO FORTALECIMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA O PAPEL DA UNIVERSIDADE NO FORTALECIMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA Coordenação Geral (RN e CE): Paulo de Medeiros Rocha (Depto. Saúde Coletiva/UFRN) Severina Alice da Costa Uchoa (Depto. Saúde Coletiva/UFRN)

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS

IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS FARMACÊUTICOS NA ATENÇÃO BÁSICA EM UMA REGIÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO FELIPE TADEU CARVALHO SANTOS CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Região do Itaim Pta composta por dois

Leia mais

Parto e nascimento no RS REDE MATERNO INFANTIL MS REDE CEGONHA

Parto e nascimento no RS REDE MATERNO INFANTIL MS REDE CEGONHA GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE Parto e nascimento no RS REDE MATERNO INFANTIL MS REDE CEGONHA Dra. Nadiane Lemos Gineco-obstetra coord. SSM/SES-RS Grupo Condutor Estadual Rede

Leia mais

Implantação do Sistema de Gerenciamento de Consultas GERCON COMPLEXO REGULADOR - CMCE

Implantação do Sistema de Gerenciamento de Consultas GERCON COMPLEXO REGULADOR - CMCE Implantação do Sistema de Gerenciamento de Consultas GERCON COMPLEXO REGULADOR - CMCE COMPLEXO REGULADOR: DEFINIÇÃO / COMPETÊNCIA É a estrutura que congrega e articula os dispositivos operacionais de Regulação

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

Prefeitura Municipal de Abaré publica:

Prefeitura Municipal de Abaré publica: Prefeitura Municipal de 1 Ano Nº 2825 Prefeitura Municipal de publica: Decreto Nº 048, de Junho de 2017 - Altera o Decreto nº 033, de 05/12/2016, que trata do Incentivo financeiro para os profissionais

Leia mais

ÁLVARO MELO Prefeito KÁTIA BETINA RIOS Secretária Municipal de Saúde RENILDO MANOEL Diretor de Atenção a Saúde MYRNA PIMENTEL VILLAS BÔAS Assessora

ÁLVARO MELO Prefeito KÁTIA BETINA RIOS Secretária Municipal de Saúde RENILDO MANOEL Diretor de Atenção a Saúde MYRNA PIMENTEL VILLAS BÔAS Assessora ÁLVARO MELO Prefeito KÁTIA BETINA RIOS Secretária Municipal de Saúde RENILDO MANOEL Diretor de Atenção a Saúde MYRNA PIMENTEL VILLAS BÔAS Assessora da APS População: 18.331 Urbana: 8.956 Rural: 9.375 7ª

Leia mais

Gestão da Atenção Especializada e articulação com a Atenção Básica

Gestão da Atenção Especializada e articulação com a Atenção Básica Gestão da Atenção Especializada e articulação com a Atenção Básica 31º Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo Março/2017 06/04/2017 1 1 2 2 Rede assistencial / pontos de atenção

Leia mais

FINANCIAMENTO EM SAÚDE: A QUESTÃO DOS MEDICAMENTOS

FINANCIAMENTO EM SAÚDE: A QUESTÃO DOS MEDICAMENTOS IV Jornada de Economia da Saúde da Associação Brasileira de Economia da Saúde (ABRES) Salvador /BA 20 a 22 agosto de 2008 Profª Iola Gurgel Grupo de Pesquisa em Economia da Saúde Faculdade de Medicina

Leia mais

A articulação de práticas integrais: Atenção Básica e Saúde Mental

A articulação de práticas integrais: Atenção Básica e Saúde Mental A articulação de práticas integrais: Atenção Básica e Saúde Mental Adriana Miranda Enfermeira Sanitarista Técnica da Coordenação da Atenção Básica do município de Salvador Salvador-Ba Novembro 2012 ATENÇÃO

Leia mais

BRASIL SAUDÁVEL. Ação Nacional em favor de Modos de Viver Saudáveis

BRASIL SAUDÁVEL. Ação Nacional em favor de Modos de Viver Saudáveis BRASIL SAUDÁVEL Ação Nacional em favor de Modos de Viver Saudáveis Inserida no contexto do Bom Exemplo SECOM Coordenação Geral Ministério da Saúde Ministério da Educação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E QUALIDADE (PMAQ)

PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E QUALIDADE (PMAQ) Maringá - PR PROGRAMA DE MELHORIA DO ACESSO E QUALIDADE (PMAQ) Panorama adesão PMAQ 1º Ciclo (2011/2012) 2º Ciclo (2013/2014) 3º Ciclo (2016/2017) 3.965 municípios 71,2 % 5.070 municípios 91,0 % 5.324

Leia mais

Autores: YUNES, Aída M.; ALECRIM, Maristela O.S.D.; SAID, Sheila M. V.

Autores: YUNES, Aída M.; ALECRIM, Maristela O.S.D.; SAID, Sheila M. V. RELATO DE EXPERIÊNCIA OFICINAS DE APS: REORIENTANDO O MODELO ASSISTENCIAL NO AMAZONAS. Autores: YUNES, Aída M.; ALECRIM, Maristela O.S.D.; SAID, Sheila M. V. INSTITUIÇÕES _ Ministério da Saúde _ Secretaria

Leia mais

a)situação problema e/ou demanda inicial que motivou ou requereu o desenvolvimento desta atividade:

a)situação problema e/ou demanda inicial que motivou ou requereu o desenvolvimento desta atividade: TÍTULO DA PRÁTICA: Melhoria na qualidade das informações geradas pelo ACS no Sistema Cadastral Familiar e melhor conhecimento da população das equipes de Saúde da Família. CÓDIGO DA PRÁTICA: T3 1 2 3 4

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Situação e Perspectivas

Política Nacional de Atenção Básica. Situação e Perspectivas Política Nacional de Atenção Básica Situação e Perspectivas Linhas Nacionais de Ação Ampliação do acesso à atenção básica Aumento do financiamento Ampliação e melhoria da infraestrutura das UBS Incentivo

Leia mais

PMAQ = Acesso e Qualidade!

PMAQ = Acesso e Qualidade! PMAQ = Acesso e Qualidade! Atenção básica ajusta foco em sua missão CAPA Por: Fernando Ladeira / Fotos: Radilson Carlos Gomes A atenção básica (AB) à saúde encontra-se em um bom momento! Vinte e um anos

Leia mais

Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades"

Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades" 3.8 atingir a cobertura universal de saúde, incluindo a proteção do risco financeiro, o acesso a serviços de saúde essenciais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ITAITUBA ARTICULADOR

TERMO DE REFERÊNCIA ITAITUBA ARTICULADOR TERMO DE REFERÊNCIA ITAITUBA ARTICULADOR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA INDIVIDUAL EM ARTICULAÇÃO DE REDE INTERSETORIAL ALCOOL E DROGAS DESCENTRALIZADO I. CONTEXTO O decreto 7.179 de 2010 da Presidência

Leia mais

175 profissionais CLT

175 profissionais CLT Breve Histórico As UPA s são definidas como um estabelecimento de saúde de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde/Saúde da Família e a Rede Hospitalar, devendo com estas compor uma

Leia mais

Processo de Trabalho das Equipes de Saúde da Família sob os olhares do PMAQ

Processo de Trabalho das Equipes de Saúde da Família sob os olhares do PMAQ Processo de Trabalho das Equipes de Saúde da Família sob os olhares do PMAQ PROF. JOÃO CAVALCANTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE Fases do PMAQ - 3º Ciclo FASE 1 FASE 2 FASE 3 Adesão e Contratualização

Leia mais