Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Unidade Básica de Saúde (UBS)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Unidade Básica de Saúde (UBS)"

Transcrição

1 Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem - Departamento de Enfermagem Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Unidade Básica de Saúde (UBS) Março de 2005

2 - Avaliação Apresentação - Contextualização da avaliação - Aproximação ao objeto de estudo - Instrumentos - Logística para coleta dos dados - Trabalho em grupos por tipo de Unidade de Saúde - Discussão

3 - Avaliação Contextualização - Relação com PROESF Estrutura - Componente I Processo - Componente II Resultados - impacto Na infra-estrutura disponível em termos de área física, equipamentos e recursos humanos No processo de trabalho Nos indicadores de saúde da população Na satisfação dos usuários do sistema - Avaliação e o objetivo do estudo de linha de base - Componente III

4 Avaliação Estrutural Princípio de que a qualidade de um serviço está em relação direta com a infra-estrutura disponível para o trabalho recursos materiais, humanos,, e financeiros Forma de organização dos recursos(eqüidade eqüidade) Mudanças na estrutura X resultados alcançados

5 Avaliação processo de trabalho Qualifica e contextualiza os resultados Identifica Ações necessárias para o adequado manejo de situações e suas aplicações Ações desnecessárias que podem ser limitadas ou abandonadas - apontando novas alternativas Objetivo da avaliação do processo de trabalho no estudo de linha de base Caracterizar o processo de trabalho em UBS tradicionais e PSF

6 Avaliação dos Resultados Instrumentos Coletivo da UBS Profissionais Satisfação Demanda - PACOTAPS - 5ª feira População - crianças, mulheres, adultos e idosos - 5ª feira Utilização dos resultados necessidade de avaliações freqüentes Relevância do GLAS

7 Questões Contempladas no Instrumento Coletivo - Acesso - Acolhimento - Vínculo com a comunidade e com os usuários - Atividades na e com a comunidade: cuidado domiciliar, escolas, igrejas e conselho gestor local - Atividades de educação em saúde: equipe e comunidade - Diagnóstico de saúde da comunidade e mapa de risco - Atividades de avaliação do trabalho - Trabalho em equipe - A integração da UBS com o nível de gestão da Secretaria de Saúde

8 Instrumento Coletivo - Metodologia - Entrevista Coletiva - dinâmica e princípios da estratégia - Coordenador - estabelece o debate - Equipe de Saúde - Valorização da experiência da equipe - Não delegação - Validação consensual

9 Questões Contempladas no Instrumento dos Profissionais de Saúde - Perfil dos trabalhadores - Características contratuais - Atualizações e utilização - Satisfação - Condições de Saúde dos Cuidadores Metodologia - individual e auto-aplicado

10 Papel do Supervisor Contatar representante municipal e das UBS Estimular as equipes para responderem o questionário coletivamente Auxiliar equipe e profissionais das UBS Distribuir e recolher os questionários - revisar preenchimento Manter controle sobre questionários entregues/faltosos Encaminhar para equipe técnica do projeto

11 TRADICIONAIS PSF Idosos Adultos Crianças Linha de Cuidados Individuais Ações Programáticas Cuidados Domiciliares Mulheres Educação Popular População Território Diagnóstico de Saúde Mapa de Risco no território

12 Dinâmica dos grupos de trabalho Grupos de trabalho por tipo de UBS: tradicional e PSF Identificação das categorias profissionais Formação de grupos multiprofissionais - entre 8 e 10 pessoas Distribuições nas salas de apoio e auditório Discussão e preenchimento da planilha

13 PROCESSO DE TRABALHO Tipo de UBS: ( ) Tradicional ( ) PSF ( ) Outra: Descrição Dificuldades Sugestões Atividade - identificar as tarefas realizadas na UBS Jornada de Trabalho - tempo para realizar cada atividade Organização e Divisão do Trabalho - Rede de apoio e insumos

Processo de trabalho em Unidade Básica de Saúde

Processo de trabalho em Unidade Básica de Saúde Universidade Federal de Pelotas Centro de Pesquisas Epidemiológicas Departamento de Medicina Social Departamento de Enfermagem Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação da Saúde

Leia mais

Resultados Processo de Trabalho Oficina 1

Resultados Processo de Trabalho Oficina 1 Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação

Leia mais

Logística do Trabalho de Campo

Logística do Trabalho de Campo Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Logística do Trabalho de Campo Logística do Trabalho de Campo

Leia mais

Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF)

Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação

Leia mais

Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Oficina de Capacitação 1 Nordeste

Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Oficina de Capacitação 1 Nordeste Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006

Política Nacional de Atenção Básica. Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006 Política Nacional de Atenção Básica Portaria nº 648/GM de 28 de Março de 2006 ! A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde no âmbito individual e coletivo que abrangem a promoção

Leia mais

Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF)

Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Social Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários

SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: o vínculo e o diálogo necessários II Mostra Nacional de Saúde Família 01º a 03 de junho de 2004 Diretrizes da política de saúde mental do MS Redução Progressiva dos Leitos

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO BRASIL Brasília, Junho/2004

Leia mais

Ana Luiza Queiroz Vilasbôas Professora associada I UFBA/ISC/GRAB

Ana Luiza Queiroz Vilasbôas Professora associada I UFBA/ISC/GRAB Utilização de dados do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) na avaliação de qualidade da APS e seus usos potenciais na avaliação de impacto Ana Luiza Queiroz

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 26/ /12/2013

PARECER CREMEC N.º 26/ /12/2013 PARECER CREMEC N.º 26/2013 06/12/2013 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 10924/2013 ASSUNTO: ATRIBUIÇÕES DOS MÉDICOS QUE ATUAM NAS EQUIPES DE SAÚDE DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA (ESF) PARECERISTA:

Leia mais

ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE

ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE ENFERMAGEM LEGISLAÇÃO EM SAÚDE Sistema Único de Saúde - SUS: Constituição Federal, Lei Orgânica da Saúde - Lei nº 8.080 de 1990 e outras normas Parte 22 Profª. Tatiane da Silva Campos PORTARIA Nº 648,

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 5

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 5 AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 5 ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Atenção Primária à Saúde e/ou Atenção Básica No Brasil, observa-se mudanças na concepção de APS desde a NOB

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 4. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 4. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 4 Profª. Lívia Bahia Atenção Básica e Saúde da Família Programa de Agentes Comunitários de Saúde PACS Existente desde o início da década de 1990, porém

Leia mais

Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde

Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde Questões para discussão No seu municipio como está organizada a gestão da AB e da vigilância? 1. São uma coordenação única ou coordenações diferentes? 2.

Leia mais

Avaliação e monitoramento de serviços de Atenção Básica: atualização e validação do instrumento QualiAB para nível nacional

Avaliação e monitoramento de serviços de Atenção Básica: atualização e validação do instrumento QualiAB para nível nacional Avaliação e monitoramento de serviços de Atenção Básica: atualização e validação do instrumento QualiAB para nível nacional EQUIPE QUALIAB Coord: Elen Rose Lodeiro Castanheira Depto Saúde Pública FMB/Unesp

Leia mais

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE RESPEITO E SUCESSO EXPERIÊNCIA DE ARACAJU 2002 Ampliação do PSF cobertura de 70% da população; Implantação do Acolhimento; Na Saúde Mental a implantação de equipes

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Escritório de Gestão de Processos

Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Escritório de Gestão de Processos - ANVISA Escritório de Gestão de Processos III Congresso Paraibano da Qualidade IV Seminário em Busca da Excelência João Pessoa - PB 25/08/2010 Cenário Desejado Cumprimento efetivo de sua missão Agência

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da

REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da VI Seminário Internacional da Atenção Básica A construção de modelagens de AB em grandes centros urbanos Aparecida Linhares Pimenta SMS de Diadema Vice presidente do CONASEMS REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE

Leia mais

SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA VINCULAÇÃO EM PROJETOS DE EXTENSÃO DA FCMMG 2º SEMESTRE/2013

SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA VINCULAÇÃO EM PROJETOS DE EXTENSÃO DA FCMMG 2º SEMESTRE/2013 SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA VINCULAÇÃO EM PROJETOS DE EXTENSÃO DA FCMMG 2º SEMESTRE/2013 O Núcleo de Extensão Acadêmica (NEA) da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais torna público o presente edital

Leia mais

Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica. Setembro, 2012

Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica. Setembro, 2012 Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica Portaria 2488 Setembro, 2012 Política Nacional de Atenção Básica Portaria n. 2488, de 21 de outubro de 2011. AAtençãoBásica é oprimeiropontodeatençãoàsaúde

Leia mais

CONTROLE SOCIAL E PARTICIPAÇÃO POPULAR EM ARACAJU: UMA EXPERIÊNCIA DA 2ª REGIÃO

CONTROLE SOCIAL E PARTICIPAÇÃO POPULAR EM ARACAJU: UMA EXPERIÊNCIA DA 2ª REGIÃO CONTROLE SOCIAL E PARTICIPAÇÃO POPULAR EM ARACAJU: UMA EXPERIÊNCIA DA 2ª REGIÃO Ana Cláudia de Oliveira Pimenta (Apresentadora) Yara Verônica Couto de Vasconcelos Leandro Dominguez Barretto JUNHO/2004

Leia mais

Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde

Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde Contextualização da Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde 1999 - Fundação Nacional de Saúde inicia o processo de descentralização para os municípios

Leia mais

O PMAQ COMO ATENÇÃO BÁSICA ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DA. Célia Regina Rodrigues Gil Saúde Coletiva/UEL

O PMAQ COMO ATENÇÃO BÁSICA ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DA. Célia Regina Rodrigues Gil Saúde Coletiva/UEL O PMAQ COMO ESTRATÉGIA DE FORTALECIMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA Célia Regina Rodrigues Gil Saúde Coletiva/UEL Avaliação de Políticas Públicas em Saúde E O QUE FOI FEITO É PRECISO CONHECER PARA MELHOR PROSSEGUIR...

Leia mais

ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 001/2016

ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 001/2016 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 00/206 Manaus, 5 de fevereiro de 206 O Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED) torna pública a abertura do Processo Seletivo Nº 00/206 para as vagas abaixo

Leia mais

Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica. Profra Dra Rejane Queiroz

Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica. Profra Dra Rejane Queiroz Estratégia Saúde da Família e a agenda de fortalecimento da Atenção Básica Profra Dra Rejane Queiroz Atenção Primária à Saúde: marco histórico Conferência Internacional de Cuidados Primários em Saúde,

Leia mais

Secretaria Municipal de Saúde de Matelândia-PR Enfª Clenice Bado Relato de Experiência

Secretaria Municipal de Saúde de Matelândia-PR Enfª Clenice Bado Relato de Experiência ACOLHIMENTO AOS USUÁRIOS NO MUNICÍPIO DE MATELÂNDIA Secretaria Municipal de Saúde de Matelândia-PR Enfª Clenice Bado Relato de Experiência Matelândia está localizado no oeste do Paraná, as margens da BR

Leia mais

Instituto Israelita de Responsabilidade Social Gerência de Programas Governamentais

Instituto Israelita de Responsabilidade Social Gerência de Programas Governamentais Instituto Israelita de Responsabilidade Social Gerência de Programas Governamentais Relato de Experiência A experiência da implantação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção

Leia mais

ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS

ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS ANEXO 2 TEMÁTICAS E CATEGORIAS DAS EXPERIÊNCIAS TEMÁTICA CATEGORIA ESPECIFICAÇÃO DE RELATO Inclui relatos sobre práticas na elaboração e acompanhamento dos Instrumentos: 1.A FERRAMENTAS DO PLANEJAMENTO

Leia mais

1.4 Centro/Departamento/Coordenação de origem: CCME - Coordenação do curso de Medicina-UFMA Pinheiro

1.4 Centro/Departamento/Coordenação de origem: CCME - Coordenação do curso de Medicina-UFMA Pinheiro 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título: EDUCAÇÃO EM SAÚDE: PROMOÇÃO DA SAÚDE PARA A MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DA COMUNIDADE 1.2 Área temática Principal: ( ) Comunicação ( ) Educação ( ) Direitos Humanos

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 2. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 2. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 2 Profª. Lívia Bahia Política Nacional da Atenção Básica Aprovada pela portaria 2.488, de 21 de Outubro de 2011; A Atenção Básica caracteriza-se por um

Leia mais

E-MAIS Educação Permanente Monitoramento e Avaliação de Iniciativas em Saúde. Letycia Barros Gonçalves Brasília Março de 2018

E-MAIS Educação Permanente Monitoramento e Avaliação de Iniciativas em Saúde. Letycia Barros Gonçalves Brasília Março de 2018 E-MAIS Educação Permanente Monitoramento e Avaliação de Iniciativas em Saúde Letycia Barros Gonçalves Brasília Março de 2018 Equipe técnica: Leandro Leitzke Thurow Mariane Baltassare Laroque Raquel Viegas

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde DESENVOLVIMENTO DA GESTÃO DO TRABALHO E SAÚDE DO TRABALHADOR DA SAÚDE Adryanna Saulnier Bacelar Moreira Márcia Cuenca

Leia mais

As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs

As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs Anexo I As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs As atribuições globais abaixo descritas podem ser complementadas com diretrizes e normas da gestão local.

Leia mais

Aracaju. Avanços e Desafios da Saúde da Família no município de Aracaju: a experiência do Modelo Saúde Todo Dia

Aracaju. Avanços e Desafios da Saúde da Família no município de Aracaju: a experiência do Modelo Saúde Todo Dia Avanços e Desafios da Saúde da Família no município de Aracaju: a experiência do Modelo Saúde Todo Dia Mônica Sampaio de Carvalho Rogério Carvalho Santos Leandro Dominguez Barretto Secretaria Municipal

Leia mais

Apoio na Bahia Fórum Nacional da Atenção Básica Brasília 2 a 4 de abril de 2013

Apoio na Bahia Fórum Nacional da Atenção Básica Brasília 2 a 4 de abril de 2013 Secretaria de Saúde do Estada da Bahia - SESAB Superintendência de Atenção Integral à Saúde - SAIS Diretoria de Atenção Básica - DAB Apoio na Bahia Fórum Nacional da Atenção Básica Brasília 2 a 4 de abril

Leia mais

PMAQ COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA

PMAQ COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA Fortalecimento da Atenção Básica no Estado da Bahia PMAQ COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA Ana Luiza Queiroz Vilasbôas Professora associada I GRAB/ISC/UFBA Salvador-Bahia 06/07/2018 APS como

Leia mais

Linha de Cuidados. Mila Lemos Cintra

Linha de Cuidados. Mila Lemos Cintra Linha de Cuidados Mila Lemos Cintra Assistência à Saúde Ainda há uma prática: Centrada no ato prescritivo procedimento Dimensões biológicas Centrado em exames e medicamentos Custo elevado Assistência à

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades Relatório de Atividades Termo de Colaboração 002/2017 ESF POÁ Mês 06/06 Dezembro de 2017 IDENTIDADE ORGANIZACIONAL CEJAM... 3 LEMA... 3 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO CEJAM 2015-2020... 4 ATIVIDADES REALIZADAS

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE ENGAJAMENTO PÚBLICO. Maria Elizabeth Gastal Fassa, Anaclaudia Gastal Fassa, Elaine Tomasi, Denise Silveira, Luiz Augusto Facchini

QUESTIONÁRIO DE ENGAJAMENTO PÚBLICO. Maria Elizabeth Gastal Fassa, Anaclaudia Gastal Fassa, Elaine Tomasi, Denise Silveira, Luiz Augusto Facchini QUESTIONÁRIO DE ENGAJAMENTO PÚBLICO Maria Elizabeth Gastal Fassa, Anaclaudia Gastal Fassa, Elaine Tomasi, Denise Silveira, Luiz Augusto Facchini ENGAJAMENTO PÚBLICO BLOCO A CONTROLE SOCIAL 1. Existe Conselho

Leia mais

PORTARIA Nº 2.027, DE 25 DE AGOSTO DE 2011

PORTARIA Nº 2.027, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 PORTARIA Nº 2.027, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 Altera a Portaria nº 648/GM/MS, de 28 de março de 2006, na parte que dispõe sobre a carga horária dos profissionais médicos que compõem as Equipes de Saúde da

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE Conceito: São arranjos organizativos de ações e serviços de saúde, de diferentes densidades tecnológicas,

Leia mais

3º Ciclo PMAQ Equipes de Atenção Básica. Padrões de Qualidade Essenciais e Estratégicos MARI ÂNGELA DE FREITAS

3º Ciclo PMAQ Equipes de Atenção Básica. Padrões de Qualidade Essenciais e Estratégicos MARI ÂNGELA DE FREITAS 3º Ciclo PMAQ Equipes de Atenção Básica Padrões de Qualidade Essenciais e Estratégicos MARI ÂNGELA DE FREITAS PMAQ É a principal estratégia indutora de mudanças nas condições e modos de funcionamento das

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL PARA PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

ESTRATÉGIA NACIONAL PARA PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE ESTRATÉGIA NACIONAL PARA PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO CGAN/DAB/SAS COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE DA CRIANÇA

Leia mais

Empoderamento de lideranças por meio da educação profissional para estimular processos de mudança na atenção odontológica no Estado do Paraná

Empoderamento de lideranças por meio da educação profissional para estimular processos de mudança na atenção odontológica no Estado do Paraná UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ Empoderamento de lideranças por meio da educação profissional para estimular processos de mudança na

Leia mais

CARTEIRA DE SERVIÇOS DA APS E PROCESSO DE TRABALHO

CARTEIRA DE SERVIÇOS DA APS E PROCESSO DE TRABALHO CARTEIRA DE SERVIÇOS DA APS E PROCESSO DE TRABALHO Diretoria de Políticas de Atenção Primária à Saúde Superintendência de Atenção Primária à Saúde Subsecretaria de Políticas e Ações de Saúde Secretaria

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL 5 Tópicos da apresentação Menu 2 01 02 03 04 05 INTRODUÇÃO METODOLOGIA UTILIZADA DIAGNÓSTICOS PLANO ESTRATÉGICO PRÓXIMOS

Leia mais

P.A.I. PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

P.A.I. PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL P.A.I. PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL O QUE É O P.A.I? O PAI - Programa de Avaliação Institucional, promove os processos de avaliação internos baseados nos preceitos do Ministério da Educação e da

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL: Nº 001/2017 DATA DA PROVA: 20/04/2018 CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (NÍVEL FUNDAMENTAL)

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL: Nº 001/2017 DATA DA PROVA: 20/04/2018 CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (NÍVEL FUNDAMENTAL) PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL: Nº 001/2017 DATA DA PROVA: 20/04/2018 CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (NÍVEL FUNDAMENTAL) Candidato(a): Assinatura do Candidato(a): Avaliação será uma prova objetiva

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA: Carlos Leonardo Cunha

POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA: Carlos Leonardo Cunha POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA: PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO Carlos Leonardo Cunha POLÍTICA NACIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA (PNAB)-PORTARIA/GM Nº 648 DE 28/03/06 Definição expressa do MS de revitalizar a

Leia mais

REFERENCIAL PARA A GESTÃO DO CUIDAR. Prof. Dr. Pedro Marco Karan Barbosa - FAMEMA -

REFERENCIAL PARA A GESTÃO DO CUIDAR. Prof. Dr. Pedro Marco Karan Barbosa - FAMEMA - REFERENCIAL PARA A GESTÃO DO CUIDAR Prof. Dr. Pedro Marco Karan Barbosa - FAMEMA - O trabalho em equipe Pode ser entendido como uma estratégia, concebida pelo homem, para melhorar a efetividade do trabalho

Leia mais

2017 Contrato de Gerenciamento do Hospital Estadual de Urgência e Emergência

2017 Contrato de Gerenciamento do Hospital Estadual de Urgência e Emergência MARÇO 2017 Contrato de Gerenciamento do Hospital Estadual de Urgência e Emergência RELATÓRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PERÍODO: 01/03/2017 A 31/03/2017. RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2017 CONTRATANTE:

Leia mais

II MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

II MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA II MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA A ESTRATÉGIA DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A GESTÃO DO SUS Brasília-DF, 1 a 3 de junho de 2004 Jurandi Frutuoso Silva Secretário

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE

POLÍTICAS PÚBLICAS ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE POLÍTICAS PÚBLICAS ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE CONCEITO DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE (APS) A APS é a atenção à saúde essencial baseada em - métodos e tecnologias, cientificamente fundamentados e socialmente

Leia mais

Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Oficina Macrorregional Sul

Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão e Consolidação do Saúde da Família (PROESF) Oficina Macrorregional Sul Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Medicina - Departamento de Medicina Social Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Proposta de Monitoramento e Avaliação do Programa de Expansão

Leia mais

Interação-ensino-serviço-comunidade: uma proposta inovadora na educação do trabalho em saúde, no município de Porto Seguro, BA.

Interação-ensino-serviço-comunidade: uma proposta inovadora na educação do trabalho em saúde, no município de Porto Seguro, BA. Interação-ensino-serviço-comunidade: uma proposta inovadora na educação do trabalho em saúde, no município de Porto Seguro, BA. Eixo temático: Integração ensino-serviço-comunidade Instituição: Secretaria

Leia mais

AMQ é um projeto inserido no contexto da institucionalização da avaliação da Atenção Básica

AMQ é um projeto inserido no contexto da institucionalização da avaliação da Atenção Básica O QUE É AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE? AMQ é um projeto inserido no contexto da institucionalização da avaliação da Atenção Básica Está dirigido ao âmbito municipal e oferece instrumentos para Avaliação

Leia mais

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda ATENÇÃO BÁSICAB SICA: Programa de Saúde da Família (PSF) ou Estratégia de Saúde da Família (ESF) Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Disciplina: SAÚDE PÚBLICA P I (MS-052) Prof. Walfrido K.

Leia mais

Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde

Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde Política Nacional de Atenção Básica - PNAB A Atenção Básica é o conjunto de ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem promoção, prevenção,

Leia mais

ANEXO II PLANO DE TRABALHO ATIVIDADES DO BOLSISTA DE EXTENSÃO

ANEXO II PLANO DE TRABALHO ATIVIDADES DO BOLSISTA DE EXTENSÃO ANEXO II PLANO DE TRABALHO ATIVIDADES DO BOLSISTA DE EXTENSÃO INTRODUÇÃO/ JUSTIFICATIVA: As ações previstas neste Plano de Trabalho possuem como articuladores comuns a efetivação de forma indireta de 04,

Leia mais

Luiz Augusto Facchini

Luiz Augusto Facchini Luiz Augusto Facchini Propósito do curso Melhorar a atenção à saúde nas UBS dos especializandos Formação e educação permanente de profissionais de saúde caminho para alcançar este propósito Objetivo do

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Leia mais

Unidades de Análise. Avaliação Municipal da estratégia Saúde da Família

Unidades de Análise. Avaliação Municipal da estratégia Saúde da Família Unidades de Análise Avaliação Municipal da estratégia Saúde da Família Componente I: Gestão, Coordenação e Estrutura USF Componente II: Ações e resultados do trabalho das Equipes Instrumento 1 : Gestor

Leia mais

Para isto, a estrutura formativa proposta se organiza em três blocos: básica, específica e acompanhamento formativo.

Para isto, a estrutura formativa proposta se organiza em três blocos: básica, específica e acompanhamento formativo. Para garantir sua implementação e gestão, é fundamental que a Política de Educação Integral conte com um Plano de Formação que contemple todos os envolvidos cada qual em sua especificidade, garantindo

Leia mais

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado XXX Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo 13/abril/2016 O SUS e a Atenção

Leia mais

ATENÇÃO BÁSICA : Um olhar para a Saúde do Trabalhador

ATENÇÃO BÁSICA : Um olhar para a Saúde do Trabalhador ATENÇÃO BÁSICA : Um olhar para a Saúde do Trabalhador FUNDAMENTOS E DIRETRIZES DA Ter território adstrito; AB Acesso universal e contínuo; Serviços resolutivos e de qualidade; Porta aberta e preferencial

Leia mais

Atenção Básica na Atenção Integral à Saúde da Criança. PMAQ Processo de trabalho ofertas para o cuidado

Atenção Básica na Atenção Integral à Saúde da Criança. PMAQ Processo de trabalho ofertas para o cuidado Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral de Gestão da Atenção Básica Atenção Básica na Atenção Integral à Saúde da Criança PMAQ Processo de trabalho

Leia mais

Ademar Cezar Volpi. Coordenador d da Atenção Básica em Saúde

Ademar Cezar Volpi. Coordenador d da Atenção Básica em Saúde Avaliação para Melhoria da Qualidade na Estratégia Saúde da Família - Implantação em Curitiba Ademar Cezar Volpi Coordenador d da Atenção Básica em Saúde População: 1.851.316 Distrito i Santa Felicidade

Leia mais

Prefeitura de Goiânia Secretaria Municipal de Saúde 2018

Prefeitura de Goiânia Secretaria Municipal de Saúde 2018 Prefeitura de Goiânia Secretaria Municipal de Saúde 2018 Coletividade e Protagonismo na transformação do trabalho em Saúde Laboratório de Inovações em Educação na Saúde com ênfase em Educação Permanente

Leia mais

PROCESSO SELETIVO INTERNO DE GERENTE DISTRITAL PARA A GERÊNCIA DISTRITAL LESTE NORDESTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE

PROCESSO SELETIVO INTERNO DE GERENTE DISTRITAL PARA A GERÊNCIA DISTRITAL LESTE NORDESTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE PROCESSO SELETIVO INTERNO DE GERENTE DISTRITAL PARA A GERÊNCIA DISTRITAL LESTE NORDESTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE A SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

Projeto Acolhimento ao Cuidador do Paciente Dependente em Unidade de Internação

Projeto Acolhimento ao Cuidador do Paciente Dependente em Unidade de Internação Projeto Acolhimento ao Cuidador do Paciente Dependente em Unidade de Internação Projeto - Acolhimento ao Cuidador do Paciente Dependente Proposta do acolhimento... Humanização Qualificação dos serviços

Leia mais

B. PRIORIDADES E OBJETIVOS DO PACTO PELA VIDA. Prioridades e objetivos a serem pactuados, mas que não demandam preenchimento do quadro o abaixo.

B. PRIORIDADES E OBJETIVOS DO PACTO PELA VIDA. Prioridades e objetivos a serem pactuados, mas que não demandam preenchimento do quadro o abaixo. B. PRIORIDADES E OBJETIVOS DO PACTO PELA VIDA Prioridades e objetivos a serem pactuados, mas que não demandam preenchimento do quadro o abaixo. Prioridades Federais Saúde do Idoso Disponibilizar a Caderneta

Leia mais

SUGESTÃO DE MODELO DE ATENDIMENTO PARA CAMPANHAS DE RETINOPATIA DIABÉTICA

SUGESTÃO DE MODELO DE ATENDIMENTO PARA CAMPANHAS DE RETINOPATIA DIABÉTICA SUGESTÃO DE MODELO DE ATENDIMENTO PARA CAMPANHAS DE RETINOPATIA DIABÉTICA Retinopatia Diabética (RD) - Biomarcador Morte por Doença Cardiovascular foi 5,6x maior nos portadores de RD GRAVE do que nos sem

Leia mais

ANEXO 1 OFICINA MACRORREGIONAL NORDESTE

ANEXO 1 OFICINA MACRORREGIONAL NORDESTE ANEXO 1 OFICINA MACRORREGIONAL NORDESTE ANEXO 1.1 PROGRAMA DA OFICINA MACRORREGIONAL LOTE REGIÃO NORDESTE. RECIFE, 24-25 de fevereiro de 2005. Agenda Responsáveis Atividades DIA 1 9:00-11:30 ABERTURA Apresentação

Leia mais

2. DA CARGA HORÁRIA, REMUNERAÇÃO, VAGAS E VÍNCULO EMPREGATÍCIO;

2. DA CARGA HORÁRIA, REMUNERAÇÃO, VAGAS E VÍNCULO EMPREGATÍCIO; PROCESSO DE SELEÇÃO PARA SUPERVISORES E/OU ENTREVISTADORES PARA ATUAR NO PROJETO PROGRAMA NACIONAL DA MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ) 3º CICLO NO ÂMBITO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Leia mais

EDUCADOR SOCIAL SITE: FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE

EDUCADOR SOCIAL SITE:  FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE EDUCADOR SOCIAL SITE: WWW.CARITASPORTOALEGRE.ORG FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL CRIANÇAS ADOLESCENTES ADULTOS IDOSOS ÁREAS DE

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica provimento de profissionais em AB: trajetória de Campo Grande Maio 2014

Política Nacional de Atenção Básica provimento de profissionais em AB: trajetória de Campo Grande Maio 2014 Oficina regional Provab e Mais médicos CENTRO OESTE Política Nacional de Atenção Básica provimento de profissionais em AB: trajetória de 2011-2014 Campo Grande Maio 2014 ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA A Política

Leia mais

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR REESTRUTURAÇÃO DAS ATIVIDADES DO CURSO MÉDICO CARACTERIZAÇÃO DAS DISCIPLINAS E ESTÁGIOS DA NOVA MATRIZ CURRICULAR REVISÃO DA PROPOSTA DAS DISICIPLINAS IAPS junho CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: MED NOME ATUAL:

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS

IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS FARMACÊUTICOS NA ATENÇÃO BÁSICA EM UMA REGIÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO FELIPE TADEU CARVALHO SANTOS CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Região do Itaim Pta composta por dois

Leia mais

LUIZ FRANCISCO SCHMIDT, Prefeito Municipal de Erechim, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de atribuições conferidas pela Lei Orgânica do Município:

LUIZ FRANCISCO SCHMIDT, Prefeito Municipal de Erechim, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de atribuições conferidas pela Lei Orgânica do Município: LEI Nº 3.156, DE 25 DE MAIO DE 1999. REESTRUTURA O QUADRO DE CARREIRA, CRIADO PELA LEI MUNICIPAL nº 2.197/89, COM POSTERIORES ALTERAÇÕES, CRIA EMPREGOS E CARGOS EM COMISSÃO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUIZ

Leia mais

REALIZAR REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação

REALIZAR REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação REALIZAR REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 06/05/2013 01 Documento Revisado sem alteração Elaborado por: Revisado por: Marcela Garrido

Leia mais

Exemplos de integração socio -sanitárias em atenção básica: a experiência de São Paulo. Carmen L. A. de Santana

Exemplos de integração socio -sanitárias em atenção básica: a experiência de São Paulo. Carmen L. A. de Santana Exemplos de integração socio -sanitárias em atenção básica: a experiência de São Paulo Carmen L. A. de Santana 2014 Princípios do SUS 1) 1) 3) 4) 5) Acesso universal, Equidade da oferta de serviços, Descentralização,

Leia mais

Pois em ti está o manancial de vida; na tua luz, vemos a luz. (Salmos 36:9)

Pois em ti está o manancial de vida; na tua luz, vemos a luz. (Salmos 36:9) A INCLUSÃO DOS ODONTOLOGIA PROFISSIONAIS DE NAS E Q U I P E S DA FAMILIA MUNICÍPIO DE GOIÂNIA DE S A Ú D E Apresentação: Hugo Montalvão Dias de Melo (...) Assim diz o Senhor: o que estendeu o céu, fundou

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO:

POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO: Princípios, objetivos e diretrizes 19/05/2014 Dorisângela Lima - Assistente

Leia mais

DESAFIO NOTA MÁXIMA. Versão 1.06 REGULAMENTO PARA O DESAFIO NOTA MÁXIMA ENSINO PRESENCIAL

DESAFIO NOTA MÁXIMA. Versão 1.06 REGULAMENTO PARA O DESAFIO NOTA MÁXIMA ENSINO PRESENCIAL 0 2018.2 DESAFIO NOTA MÁIMA Versão 1.06 REGULAMENTO PARA O DESAFIO NOTA MÁIMA ENSINO PRESENCIAL 2018.2 1 SUMÁRIO O QUE É O DESAFIO NOTA MÁIMA...2 A QUEM O DESAFIO NOTA MÁIMA É DESTINADO...2 COMPOSIÇÃO

Leia mais

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO ATRIBUIÇÕES COORDENADOR DO CENTRO POP Coordenar as rotinas administrativas, os processos de trabalho e os recursos humanos da Unidade; Participar da elaboração, do

Leia mais

Levantamento das Demandas de Práticas das Disciplinas da EMED- UFOP

Levantamento das Demandas de Práticas das Disciplinas da EMED- UFOP Levantamento das Demandas de Práticas das Disciplinas da EMED- UFOP Monitoras: Maria Eliza Machado Romeros Marina Eduarda Santos PET SAÚDE Ouro Preto, 21 de março de 2018 Avaliar as atividades práticas

Leia mais

QualiAB Avaliação e monitoramento de serviços de Atenção Básica

QualiAB Avaliação e monitoramento de serviços de Atenção Básica QualiAB Avaliação e monitoramento de serviços de Atenção Básica Integrado ao projeto Qualificação da Rede de Cuidados em DST, HIV/aids e Hepatites Virais em regiões prioritárias do Estado de Santa Catarina

Leia mais

Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP): Que modelo de funcionamento?

Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP): Que modelo de funcionamento? Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP): Que modelo de funcionamento? João Barbosa Diretor do Departamento de Gestão Integrada de Sistemas de Qualificação 22 de março de 2013 1 I. Organização

Leia mais

Seminário de lançamento para implantação do APL de Energias Renováveis de Sorocaba e Região REALIZAÇÃO APOIO EXECUÇÃO

Seminário de lançamento para implantação do APL de Energias Renováveis de Sorocaba e Região REALIZAÇÃO APOIO EXECUÇÃO Seminário de lançamento para implantação do APL de Energias Renováveis de Sorocaba e Região REALIZAÇÃO APOIO EXECUÇÃO Agenda 14:00 h 14:30 h 15:00 h 15:30 h 16:30 h 17:30 h 2 Objetivos e escopo do projeto

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR NOTA TÉCNICA 02 2006 POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR 1 Brasília, 10 de fevereiro de 2006. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 02 2006 O Ministério da Saúde está propondo a implantação da Política Nacional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021-A/2017

RESOLUÇÃO Nº 021-A/2017 RESOLUÇÃO Nº 021-A/2017 Aprova o Regulamento Interno do Núcleo de Apoio aos Direitos Humanos NUADH, do Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI. O Reitor do Centro Universitário Leonardo da Vinci

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 3. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 3. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 3 Profª. Lívia Bahia Atribuições comuns a todos os profissionais da Atenção Básica: Manter atualizado o cadastramento das famílias e dos indivíduos no

Leia mais

Atenção Primária à Saúde: como e por quê avaliar o processo de atenção?

Atenção Primária à Saúde: como e por quê avaliar o processo de atenção? Atenção Primária à Saúde: como e por quê avaliar o processo de atenção? Erno Harzheim Médico de Família, Doutorando em Saúde Pública, Universidad de Alicante. Introdução Atenção primária à saúde (APS);

Leia mais

a)situação problema e/ou demanda inicial que motivou ou requereu o desenvolvimento desta atividade:

a)situação problema e/ou demanda inicial que motivou ou requereu o desenvolvimento desta atividade: TÍTULO DA PRÁTICA: Melhoria na qualidade das informações geradas pelo ACS no Sistema Cadastral Familiar e melhor conhecimento da população das equipes de Saúde da Família. CÓDIGO DA PRÁTICA: T3 1 2 3 4

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades Relatório de Atividades Termo de Colaboração 002/2017 ESF POÁ Mês 02/06 - Agosto de 2017 IDENTIDADE ORGANIZACIONAL CEJAM... 3 LEMA... 3 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO CEJAM 2015-2020... 4 ATIVIDADES REALIZADAS

Leia mais

Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica

Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica Sobre o TelessaúdeRS O TelessaúdeRS é um projeto de pesquisa do Programa de Pós- Graduação em Epidemiologia da Faculdade

Leia mais

Auditoria em ensino, pesquisa e extensão. João Vitor Menezes (IF Baiano)

Auditoria em ensino, pesquisa e extensão. João Vitor Menezes (IF Baiano) Auditoria em ensino, pesquisa e extensão João Vitor Menezes (IF Baiano) joão.menezes@ifbaiano.edu.br Tópicos 1) Contextualização da auditoria em ensino, pesquisa e extensão - Gestão acadêmica - nas universidades

Leia mais

O que é o PROESF? O Projeto de Expansão e. Consolidação do Saúde da Família - PROESF é uma iniciativa do Ministério da

O que é o PROESF? O Projeto de Expansão e. Consolidação do Saúde da Família - PROESF é uma iniciativa do Ministério da O que é o PROESF? O Projeto de Expansão e Consolidação do Saúde da Família - PROESF é uma iniciativa do Ministério da Saúde, apoiada pelo Banco Mundial - BIRD, voltada para a organização e o fortalecimento

Leia mais