Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada"

Transcrição

1 Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN Requisito Norma ISO / OHSAS / ISO Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados 3. Termos e Definições 4. Responsabilidades 5. Procedimentos 5.1. Histórico da Empresa Compromisso da Direção 5.2. Escopo do Sistema de Gestão Integrada 5.3. Política do Sistema de Gestão Integrada 5.4. Objetivos e Metas 5.5. Gestão por Processos 5.6. Processos Estratégicos Processo Estratégico Recursos para Manutenção do SGI Representante da Direção e Comitê Gestor Analise Critica do SGI pela Administração Gestão da Documentação Gestão dos Registros Estabelecimento de Objetivos, Metas e Programas Monitoramento dos Processos de Gestão Controle de Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas Auditorias Internas Gestão Ambiental Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Preparação e Atendimento às Emergências Requisitos Legais e Outros Requisitos 5.7. Processos Operacionais Procedimento Comercial Gestão Administrativa Operacional 5.8. Processos de Suporte Suprimento/Almoxarifado Homologação de Fornecedores e Prestadores de Serviços Manutenção de Veículos, Maquinas e Equipamentos Comunicação Interna e Externa Gestão de Recursos Humanos 6. Anexos 7. Histórico de Revisões Elaboração: Diego Neves Gerente SMAS Aprovação: Arnaldo Tonanni Diretor Comercial Assinatura: Verificado: Willian Pereira RD Emissão Alfredo Tonanni Diretor Administrativo Marcelo Tonanni Diretor Operacional

2 Página 2 de Objetivo e Abrangência Este Manual contém os elementos fundamentais do Sistema de Gestão Integrada da A. Tonanni Construções e Serviços Ltda. e tem como finalidade orientar as ações e decisões dos seus funcionários, visando atingir e manter os padrões de qualidade dos seus serviços, a preservação do meio ambiente e a segurança e saúde ocupacional de seus funcionários, atendendo dessa forma, as necessidades e expectativas das partes interessadas internas e externas. As diretrizes gerais para o funcionamento do Sistema de Gestão Integrada estão fundamentadas nos requisitos das normas NBR ISO 9001, NBR ISO e OHSAS 18001, servindo como referência permanente para implantação e manutenção deste Sistema de Gestão. Este manual visa estabelecer o escopo, a política de gestão, os macro processos e sua interdependência, referenciando os procedimentos do Sistema de Gestão Integrada. Como elementos estratégicos também são definidos a estrutura organizacional da A. Tonanni Construções e Serviços Ltda. e seus objetivos ambientais, de segurança e saúde ocupacional e qualidade. Este documento é aplicável a A. Tonanni Construções e Serviços Ltda. 2. Documentos Referenciados NBR-ISO-14001:2004 / OHSAS-18001:2007 / NBR-ISO-9001: Termos e Definições SGI: É a denominação dada aos Sistemas de Gestão Integrada, que orienta a gestão da A. Tonanni, reunindo os principais elementos que compõem o negócio, em um único sistema, permitindo que as metas estratégicas sejam alcançadas, conforme planejado, com maior agilidade e organização, atendendo assim às expectativas das partes interessadas, ou seja, dos funcionários, clientes, parceiros, acionistas e da comunidade. CG: Comitê Gestor para assuntos pertinente ao SGI. Todos os termos técnicos aplicáveis ao SGI encontram-se descritos no item 3 da Norma ISO 14001:2004, no item 3 da Norma OHSAS 18001:2007 e no item 3 da Norma ISO 9001:2008.

3 Página 3 de Responsabilidades Função / Responsabilidades Funções Gerenciais/CG SMAS Diretoria Elaborar e aprovar conteúdo deste manual. Fazer o controle corporativo e realizar revisões quando necessária. Divulgar o conteúdo deste manual e solicitar revisões nas unidades, contratos e obras. Garantir as praticas definidas neste manual. - X - - X - - X - X - X Este Manual é controlado atendendo a sistemática estabelecida de controle de documentos, conforme procedimento GI ; cópias não controladas do Manual do Sistema de Gestão somente serão emitidas para fins de divulgação. O Manual de Gestão será analisado sempre que houver alterações significativas (escopo, estratégia da empresa e processos organizacionais) para o Sistema de Gestão Integrada, podendo ocorrer revisões. 5. Procedimentos 5.1. Histórico da Empresa De controle familiar desde a sua fundação em 01 de abril de 1970, a A.TONANNI iniciou sua atividade atuando em Plantação de Grama e Jardinagem no município de São Paulo. Omônima de seu fundador ARNALDO TONANNI, teve sua razão social alterada a partir de entrada dos filhos na sociedade em Junho de 1982, quando a empresa passou a ter o nome em que hoje é conhecida. Assim, com letra A que representa o nome do fundador seguido pelo nome que representa a familia, surgiu a A.TONANNI Construções e Serviços Ltda, que além de jardinagem, passou a atuar nas áreas de Construção Civil, Infra-estrutura, Manutenção de Tanques e Dutos de Derivados de Petróleo e Limpeza e Conservação Predial. Desde então a A.TONANNI tem prestado uma vasta gama de serviços correlatos às áreas de atuação, com estrutura sólida e preparada para atuar em todo o território nacional, tendo uma expressiva lista de clientes, entre elas: instituições financeiras, escritórios, universidades e empresas públicas e privadas. A motivação da A.TONANNI está na busca constante por novos negócios, identificando oportunidades e mantendo o foco na satisfação dos clientes Compromisso da Direção A Direção da A.TONANNI compromete-se a promover as ações necessárias para concepção, implementação, manutenção e melhoria do Sistema de Gestão Integrada de

4 Página 4 de 14 Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, tomando as decisões e disponibilizando os recursos necessários e adequados ao cumprimento dos processos definidos. O Sistema de Gestão Integrada de Qualidade, Segurança, Maio Ambiente e Saúde da A.TONANNI, assenta nos seguintes princípios: - Liderança e comprometimento da Direção, promovendo o envolvimento de todos os colaboradores; - Gerir a atividade da empresa como um processo, garantindo os recursos e meios necessários à sua eficácia; - Cumprimento de todos os requisitos legais, regulamentares e outros associados à atividade da empresa; - Relação aberta e atuação responsável com as partes interessadas e parceiros de negócios; - Promover a cultura de Segurança, Meio Ambiente e Saúde, de forma orientada para a melhoria contínua com inovações. Seguindo estes princípios de orientação e inovação, a A.TONANNI irá desenvolver atuações de Melhoria Contínua atuando no envolvimento de todas as áreas da empresa, promovendo eventos específicos para análise, debate e melhoria do desempenho, sendo: - Reuniões de Direção; - Formação do Grupo Gestor de SMAS; - Formação de Auditores Internos de SMAS; - Desenvolvimento de equipes para projetos de melhoria e obtenções de ganhos rápidos em SMAS; - Divulgação de meios para apresentação de sugestões e de alterações na empresa; - Realização de eventos para promover a comunicação e o desenvolvimento do espirito de equipe. A Direção da A.TONANNI estabeleceu sua Politica de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, decorente dos objetivos de SMAS ampliados a todos os níveis hierárquicos dentro da empresa. A Direção espera de todos um total comprometimento e envolvimento na implementação, manutenção e melhoria do Sistema de Gestão Integrada de Qualidade, Segurança, Maio Ambiente e Saúde Escopo do Sistema de Gestão Integrada A A. Tonanni, empresa especializada em construção, manutenção civil, prestação de serviço e fornecimento de mão de obra para atuação em serviços públicos e privados em

5 Página 5 de 14 todo território nacional, assume o compromisso de buscar a satisfação de nossos clientes, comunidade e funcionários, trabalhando com qualidade, protegendo o meio ambiente, atuando na prevenção para evitar acidentes e doenças ocupacionais e garantindo a melhoria continua do Sistema de Gestão Integrada. O presente manual contem as diretrizes sobre Meio Ambiente, Qualidade e Saúde e Segurança do Trabalho para aplicação na Sede e Oficina da A.Tonanni Política dos Sistemas de Gestão Integrada A Política e as diretrizes representam um compromisso da organização perante todas as partes interessadas e constituem a base na busca da melhoria contínua de seus processos. POLÍTICA DO SGI

6 Página 6 de 14 A Política de SGI foi definida a partir dos compromissos que a A.Tonanni definiu que serão cumpridos através da Implantação do Sistema de Gestão de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Qualidade. E foi aprovado em conjunto o Depto de SMAS, Representante da Direção e Alta Direção. A Alta Direção garante que a Política do SGI é comunicada aos profissionais da A. Tonanni Construções e Serviços Ltda., nos diversos níveis da organização e está disponível para todas as partes externas interessadas quando solicitada. A compreensão, implementação e manutenção desta Política são objetos de verificação pela Alta Direção, no decorrer dos processos de auditoria e durante a Análise Crítica do Sistema de Gestão e reuniões do Comitê Gestor A responsabilidade pela divulgação da Política do SGI é do Representante da Direção em conjunto com SMAS e RH, assegurando que a mesma seja compreendida por todos os níveis hierárquicos da empresa. A divulgação da Política do SGI para os funcionários da A.Tonanni é feita através de integração, quadros e banner distribuídos em diversos departamentos da empresa. A divulgação para partes interessadas é feita através do site da A.Tonanni (www.atonanni.com.br) e também está disponível para divulgação com o RD. No caso de mudanças de algum dos itens relacionados aos serviços prestados pela A.Tonanni ou na visão da empresa no que tange aos seus compromissos de qualidade, saúde e segurança do trabalho e/ou meio ambiente, a Política de SGI será revisada. A política é distribuída e controlada de acordo com o procedimento de Controle de Documentos, através da Lista Mestra de Documentos Objetivos e Metas Os objetivos e metas da empresa são definidos a partir da Política do Sistema de Gestão Integrada e as diretrizes que a integram, sendo os mesmos estabelecidos em planejamento anual ou discutidos neste intermédio e revisados durante as reuniões anuais de Análise Crítica pela Direção ou reuniões do CG e/ou Diretoria. A sistemática para tratativa de objetivos e metas está descrita no procedimento GI Objetivos, Metas e Programas. A divulgação do atendimento dos objetivos e metas pode ser acompanhado através dos quadros e banner s localizados e distribuídos em diversos departamentos da empresa. A partir destes objetivos de gestão e suas metas, são desenvolvidos os programas de melhoria da empresa. Toda essa estrutura é devidamente acompanhada de indicadores de desempenho que permitem medir a evolução da gestão integrada Gestão por Processos

7 Página 7 de 14 A estrutura dos processos da A. Tonanni está baseada nas seguintes premissas: Macro-processos, que estão divididos em três categorias: o Estratégicos: Relacionados à estratégia de negócios da organização e sua gestão; o Operacionais: Relacionados com a prestação dos serviços; o Suporte: Necessário para a correta execução dos processos, estando ou não envolvidos com o fornecimento dos serviços ao cliente. Para a realização destas atividades a Empresa: Identifica os processos de seu sistema de gestão e sua aplicação por toda a empresa; Determina a seqüência e interação desses processos; Determina critérios e métodos necessários para assegurar que a operação e o controle desses processos sejam eficazes; Assegura a disponibilidade de recursos e informações necessárias para apoiar a operação e o monitoramento desses processos; Monitora e analisa esses processos; Implementa ações necessárias para atingir os resultados planejados e a melhoria contínua desses processos Processos Estratégicos

8 Página 8 de Processo Estratégico O Planejamento do Sistema de Gestão está fundamentado na Política dos Sistemas de Gestão Integrada, nos recursos da empresa, na legislação vigente aplicável ao seu tipo de negócio, nos contratos de prestação de serviços firmados com os clientes, no compromisso com os Órgãos Ambientais, Ministério do Trabalho e no gerenciamento e monitoramento dos processos. A estrutura organizacional da A. Tonanni está estruturada de forma a assegurar o pleno desenvolvimento das atividades de cada processo, bem como garantir a interação destes processos. Além disso, os descritivos de cargo, os procedimentos e instruções de trabalho definem as funções responsáveis por cada atividade Recursos para Manutenção do SGI Pelo menos 1 vez ao ano a Alta Direção analisa e define os recursos destinados à manutenção do Sistema de Gestão, baseados em prioridades e/ou necessidades identificadas para cada processo e requisito dos Sistemas. Eventual suplementação dos recursos é submetida à aprovação da Diretoria da A. Tonanni Representante da Direção e Comitê Gestor O Representante da Direção RD para o Sistema de Gestão Integrada é formalmente nomeado pela Diretoria, com o objetivo de assegurar que o Sistema de Gestão seja implementado e mantido, relatando à Diretoria o seu desempenho e melhoria contínua. Para garantir a implantação do SGI, a A. Tonanni definiu um grupo de trabalho definido como CG Comitê Gestor, composto por lideranças e convidados Análise Crítica do SGI pela Administração A Análise Crítica do Sistema de Gestão deve ser realizada pelo menos 1 vez ao ano, através de reuniões agendadas pelo SMAS/RD. Para a análise crítica devem estar presentes Diretoria, Gerencia, componentes do CG, SMAS e o RD, sendo facultativa a participação de outros convidados. Nas reuniões serão verificadas as necessidades de adequações da Política do Sistema de Gestão, serão definidos e avaliados os objetivos e metas da empresa, serão verificadas a adequação e eficácia operacional, onde serão analisados os resultados das ações preventivas e corretivas, os resultados das auditorias internas e externas, serão avaliados os indicadores ambientais, da segurança e da saúde ocupacional, As reuniões podem ser extraordinárias, convocadas pela Diretoria ou pelo RD, sempre que pelo menos um item de sua agenda mínima necessite ser analisado. Os assuntos tratados nas análises críticas devem ser registrados em ata e quando apropriado será divulgado (na íntegra ou elementos do mesmo) às partes interessadas, em local de fácil visualização e ou através de qualquer outro meio de comunicação. A sistemática para o desenvolvimento das reuniões de Análise Crítica dos Sistemas de Gestão está estabelecida no procedimento GI Análise Crítica pela Administração.

9 Página 9 de Gestão da Documentação O Sistema de Gestão está estruturado com base nos requisitos estabelecidos pela Norma ISO 9001:2008 (quando aplicável), ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:2007. Os documentos que fazem parte dos Sistemas são: NÍVEL 1 POLÍTICA E MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA NÍVEL 2 PROCEDIMENTOS NÍVEL 3 INSTRUÇÕES NÍVEL 4 FORMULÁRIOS / REGISTROS Política SGI: Documento do SGI, onde são descritas as intenções e princípios gerais da organização em relação ao comprometimento dentro dos sistemas A política provê uma estrutura para ação e definição de seus objetivos e metas ambientais e de segurança e saúde ocupacional. Manual SGI: Documento macro do Sistema de Gestão Integrada, onde são descritas as diretrizes dos sistemas e elementos básicos do escopo do SGI. Apresenta a Política do SGI, define a estrutura organizacional e a interação dos processos. Procedimentos: Documento que descreve as principais diretrizes para a realização dos processos de caráter administrativo e operacional, definindo responsabilidades e critérios para o atendimento aos Sistemas de Gestão. Instruções: Documento que descreve detalhadamente, processos operacionais e administrativos (tabelas, fluxogramas, métodos de laboratório ou dados que descrevem atividades operacionais, tarefas ou fornecem informações, que influenciam nos Sistemas de Gestão). Formulários/Registros: Documento que tem um modelo definido para utilização/preenchimento, o qual passará a ser um registro (evidência). Documentos Externos: São considerados documentos externos os desenhos construtivos, os documentos e licenças emitidos pelas Autoridades, a Legislação vigente aplicável à operação da Empresa, Normas, Manuais de Operação, Manutenção e Métodos Analíticos, Tabelas de Consulta, Procedimentos de clientes que devem ser atendidos, Contratos e demais documentos emitidos e atualizados por Organismos Externos.

10 Página 10 de 14 Todos os documentos da Empresa são referenciados através de uma lista mestra de documentos internos GI , que integra o SGI, e permite associar todos os processos a seus respectivos procedimentos, instruções e formulários. A lista mestra está disponível eletronicamente para verificação por todos funcionários através do seguinte caminho: \\srvdados\arquivos\areacompartilhadas\smas A sistemática de elaboração e controle de documentos está descrita no procedimento GI Gestão dos Registros A A. Tonanni mantém um procedimento específico para identificar, elaborar/coletar, recuperar / indexar, acessar, arquivar, proteger, armazenar, reter e dispor os registros dos Sistemas de Gestão, permitindo dessa forma a sua imediata recuperação, quando necessário. A sistemática de controle de registros está descrita no procedimento GI Estabelecimento de Objetivos, Metas e Programas No seu planejamento de objetivos e metas, a A. Tonanni prioriza aqueles que efetivamente levarão a empresa a atingir o sucesso no segmento em que atua. Dentre os vários processos existentes na empresa, a Alta Direção identifica aqueles que por conta de suas características agregam maior valor a suas operações. Para os principais benefícios gerados por estes processos, a Alta Direção estabelece indicadores de medição. Estas medições, baseadas em fontes de dados da empresa, são utilizadas como base para a tomada de decisões. Pelo menos 1 vez ao ano, nas Análises Críticas a Alta Direção avalia os resultados, para assim determinar a eficácia dos processos. Os resultados das medições devem mostrar os níveis de atendimento, tendências e variações, cujo entendimento permitirá definir, conforme apropriado, a revisão ou estabelecimento de novos programas ou planos de ação. Informações obtidas de considerações financeiras da organização deverão ser providenciadas, permitindo assim, a Alta Direção planejar e implementar melhorias para os processos, definindo atividades e recursos. Assim sendo a Alta direção, junto com o RD e SMAS, definem os objetivos, metas e ações em relação ao Sistema de Gestão Integrada, os quais são documentados através dos Programas de Gestão. A sistemática para estabelecimento de objetivos, metas e programas está descrita no procedimento GI Monitoramento dos Processos de Gestão Devem ser monitorados, quando exeqüível, os processos que possam ter impacto ambiental significativo e/ou riscos de Segurança e Saúde Ocupacional consideráveis, através de indicadores.

11 Página 11 de 14 Os resultados destes monitoramentos permitem avaliar o grau de controle exercido pela empresa sobre seus processos produtivos e estabelecer assim permanentes objetivos de melhoria, com suas respectivas metas e programas. Dentre o possíveis indicadores será estabelecidos os monitoramentos. A sistemática de monitoramento de processos está descrita no procedimento GI Controle de Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas Existem diversas fontes para identificação de não conformidades de serviços ou de gestão, sendo as principais: Registradas a partir de reclamações de clientes e outras partes interessadas; Detectadas a partir de auditorias internas e externas; Identificadas por funcionários e por prestadores de serviços, com base nos processos, procedimentos e requisitos da A. Tonanni. As ações corretivas e preventivas são iniciadas a partir da identificação e análise das não conformidades potenciais ou existentes. A A. Tonanni mantém uma sistemática para a identificação, avaliação e tratamento de não conformidades existentes e potenciais e para a tomada de ações corretivas e preventivas. A sistemática de controle de Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas está descrita no procedimento GI Auditorias Internas As auditorias são programadas conforme o Plano de Auditorias, elaborado e gerido pelo SMAS / RD. A execução das auditorias é coordenada pelo SMAS / RD, através deste Plano. Sua elaboração está fundamentada na importância dos processos envolvidos em relação ao Sistema de Gestão Integrada e nos resultados das auditorias anteriores. As auditorias internas são realizadas no mínimo uma vez por ano, entretanto, mediante necessidade, poderão ser realizadas auditorias internas extraordinárias, cuja abrangência será definida pelo RD e SMAS. As não conformidades identificadas nas auditorias são registradas no formulário GI Registro de Não Conformidades, Ação Corretiva e Preventiva. Os resultados gerais são avaliados na reunião de Análise Crítica, de acordo com a sistemática descrita neste Manual. O relatório das auditorias, as atas de reunião de Análise Crítica e os resultados da implementação das ações corretivas integram os registros do SGI. O planejamento, procedimentos e critérios relativos ao desenvolvimento das auditorias internas para os Sistemas de Gestão, assim como os requisitos mínimos para a qualificação dos auditores internos estão estabelecidos no procedimento GI Auditorias Internas.

12 Página 12 de Gestão Ambiental Todas as atividades de interesse ambiental gerenciada pela A. Tonanni estão relacionadas nas Matrizes de Aspectos e Impactos Ambientais. Em função da diversidade do escopo de serviços realizados pela A. Tonanni, os impactos ambientais, tais como: contaminação do solo, águas e ar e esgotamento de recursos naturais são possíveis de ocorrer em todas as atividades, obras e contratos, portanto, são identificados e divulgados por meio das Matrizes de Aspectos e Impactos ambientais de cada obra, atividade e contrato. A sistemática de identificação e classificação dos aspectos e impactos ambientais, requeridos para a elaboração das matrizes, está descrita no procedimento GA Identificação e Avaliação de Aspectos Impactos Ambientais e Determinação de Controles. Outros procedimentos, complementados pelas respectivas instruções e formulários integram a documentação da Gestão Ambiental, constando os mesmos na Lista mestra de documentos. Todos voltados para gestão e controle ambiental Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Todas as atividades de segurança e saúde ocupacional gerenciadas pela A. Tonanni estão relacionadas nas Matrizes de Perigos e Riscos. Em função da diversidade do escopo de serviços realizados pela A. Tonanni existem diversos perigos e como conseqüência há riscos, em todas as atividades, obras e contratos, que são identificados e divulgados por meio das Matrizes de Perigos e Riscos de cada atividade, obra e contrato. Para os perigos que necessitam de controle, são estabelecidos o tipo de monitoramento, a freqüência, os responsáveis e os parâmetros a serem acompanhados. A sistemática de identificação e pontuação dos perigos e riscos, requeridos para a elaboração das matrizes, está descrita no procedimento GS Identificação de Perigos e Avaliação dos Riscos e Determinação de Controles. Outros procedimentos, complementados pelas respectivas instruções e formulários integram a documentação da Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional, constando os mesmos na Lista mestra de documentos. Todos voltados para gestão e controle de segurança e saúde ocupacional Preparação e Atendimento às Emergências A A. Tonanni possui um procedimento documentado para avaliar situações de emergências e seu atendimento. Esta sistemática está descrita no procedimento GI Atendimento a Emergências. O Plano de Atendimento a Emergências - PAE é avaliado anualmente. Os funcionários da A. Tonanni são treinados em relação ao estabelecido no Plano de Atendimento às Emergências - PAE. Os funcionários recém admitidos ou terceiros são informados sobre as ações mínimas necessárias para o seu atendimento conforme sistemática de integração Requisitos Legais e outros requisitos A A. Tonanni faz a gestão de requisitos legais e outros requisitos por meio do procedimento GI Requisitos Legais e Outros Requisitos. NOTA: A Gestão de Qualidade esta intrínseca nos processos e sistema de gestão.

13 Página 13 de Processos Operacionais Processo Comercial Na comercialização de seus serviços, a A. Tonanni avalia os requisitos especificados pelo cliente, assim como os requisitos não declarados, mas necessários para o desenvolvimento adequado dos trabalhos. Esta atividade é realizada pela equipe comercial, com suporte das áreas de gestão operacional, jurídica, recursos humanos e SMAS. A A. Tonanni analisa criticamente os requisitos relacionados aos serviços, antes de assumir o compromisso de fornecer uma proposta ou assinar um contrato. Define e implementa providências para desenvolver uma comunicação eficaz com seus clientes, em relação às informações sobre os serviços, tratamento de consultas, contratos ou pedidos e realimentação do cliente, incluindo suas reclamações Gestão Administrativa Operacional Através do seu planejamento, a Gestão Operacional organiza todas as atividades necessárias para atendimento às operações e contratos, tais como: definição de tecnologias a serem utilizadas, disponibilizando os veículos, recrutando e capacitando o pessoal operacional e implementando subcontratos, adquirindo materiais e serviços quando requerido, definindo a sistemática pela qual os processos serão monitorados e controlados, definindo a logística operacional, elaborando a documentação e os registros necessários, definindo os indicadores de gestão que assegurem o eficaz controle dos processos e a rentabilidade do negócio, etc. A Gestão Operacional, também, participa do desenvolvimento de novos negócios, fornecendo subsídios e informações relacionados com a disponibilidade de recursos técnicos, informações de projetos equivalentes em andamento ou já desenvolvidos no passado, dados de indicadores operacionais e demais subsídios que permitam avaliar a viabilidade e sistemáticas requeridas para os novos negócios que estão em fase de estudo Processos de Suporte Suprimento / Almoxarifado Homologação de Fornecedores e Prestadores de Serviços A A. Tonanni, através do processo SU - Aquisição de bens e serviços avalia e qualifica os fornecedores de serviços que interferem na qualidade e continuidade da sua operação, assegurando que os mesmos atendam as necessidades da empresa garantindo itens de qualidade, meio ambiente e segurança Manutenção de Veículos, Maquinas e Equipamentos Os veículos, equipamentos e maquinas são gerenciados pela Oficina e pela equipe de Frota, garantindo seu correto funcionamento e processos de manutenção preventiva e corretiva. Existem procedimentos vinculados a esta gestão e serão determinados dentro do modulo de MT Manutenção Comunicação Interna e Externa

14 Página 14 de 14 A A. Tonanni mantém critérios que asseguram a recepção, o registro e a comunicação interna com seus profissionais e comunicação externa com seus clientes e demais partes interessadas, decorrentes das suas atividades e serviços prestados, quando aplicável. A A. Tonanni decide por não realizar a comunicação externa espontânea sobre os aspectos e impactos ambientais e perigos e riscos de suas atividades, cabendo análise sobre cada consulta recebida. A Comunicação interna e externa, está descrita no procedimento CO Gestão de Recursos Humanos A gestão de Recursos Humanos inicia-se na admissão do funcionário e o contínuo acompanhamento do seu desenvolvimento e desempenho na Empresa, assegurando o cumprimento dos requisitos do Sistema de Gestão Integrada, conforme estabelecido no procedimento RH Competência, Treinamento e Conscientização. As necessidades para cada função desempenhada na A. Tonanni estão definidas no Descritivo de Funções, sendo que a partir deste, é efetuado o levantamento das necessidades de capacitação e elaborado um Programa de Gestão de Competências, abrangendo todos os níveis hierárquicos envolvidos com o desenvolvimento dos processos do Sistema de Gestão Integrada, objetivando a capacitação operacional e conscientização para os funcionários. 6. Anexos ANEXO I MN - Manual do SGI - Organograma SGI 7. Histórico de Revisões DATA MOTIVO REVISÃO ALTERADO POR 14/12/2012 Emissão do documento. 00 Willian Pereira 01/03/ /04/2013 Revisão Geral do documento, incluindo a gestão por processos e seus detalhamentos Alteração do item 5.2 Escopo; 5.3 Política; 5.4 Objetivos e Metas; Controle de Documentos. 01 Diego Neves 02 Fernanda Sábia

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

PARTICIPANTES Nome Área Assinatura Nome Área Assinatura Mario Pereira da Silva Ger. Industrial

PARTICIPANTES Nome Área Assinatura Nome Área Assinatura Mario Pereira da Silva Ger. Industrial RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA PELA DIREÇÃO Data da Reunião: 15/03/2011 Data da Próima Reunião: março/2012 Folha: Total de 4 PARTICIPANTES Nome Área Assinatura Nome Área Assinatura Mario Pereira da Silva

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Páginas: 1 de 13 APROVAÇÃO Este Manual de Gestão está aprovado e representa o Sistema de Gestão Integrada implementado na FOX Comércio de Aparas Ltda. Ricardo Militelli Diretor FOX Páginas: 2 de 13 1.

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL PÁGINA: 1/10 1. OBJETIVO Descrever o procedimento para a execução de auditorias internas a intervalos planejados para determinar se o sistema de gestão da qualidade é eficaz e está em conformidade com:

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Manual da Gestão Integrada - M.G.I

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 001 / Outubro de 2009 CBC - Consultoria e Planejamento Ambiental Ltda. Rua Felicíssimo Antonio Pereira, 21-37, CEP 17045-015 Bauru SP Fone: (14) 3313 6332 www.cbcambiental.com.br

Leia mais

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DE GESTÃO INTEGRADO

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DE GESTÃO INTEGRADO 1. OBJETIVO Estabelecer, documentar, implementar, aprimorar e manter um Sistema de Gestão da Qualidade e de Energia, que assegure a conformidade com os requisitos da norma de referência. Outrossim, a responsabilidade

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

M A N U A L D A Q U A L I D A D E

M A N U A L D A Q U A L I D A D E M A N U A L D A Q U A L I D A D E 14ª Versão Última atualização: MANUAL DA QUALIDADE - Rev. Data Elaborado por Descrição da alteração 01 10/06/2012 Hélio Lipiani Versão Inicial 02 20/07/2010 Hélio Lipiani

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.010 Denominação: Controle de Documentos do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento define a sistemática e os critérios para a elaboração, revisão, aprovação

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD) 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável

Leia mais

PLANO BÁSICO AMBIENTAL

PLANO BÁSICO AMBIENTAL ESTALEIRO ENSEADA 1/9 PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. Objetivo Este procedimento define o processo de elaboração, revisão, aprovação, divulgação e controle de documentos do Estaleiro Enseada

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO OBJETIVO GERAL ESTABELECER E IMPLEMENTAR UM MODO INTEGRADO PARA O DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES DAS PRINCIPAIS

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

Aplica-se obrigatoriamente a todas as áreas que possuem empresas contratadas na Vale Fertilizantes.

Aplica-se obrigatoriamente a todas as áreas que possuem empresas contratadas na Vale Fertilizantes. Responsável Técnico: Alex Clementino Ferreira Gerência de Sistema de Gestão Público-alvo: Empregados designados para realizarem as auditorias. 1. OBJETIVO Nº: PGS-3209-82-04 Pág.: 1 de 8 Código de Treinamento:

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 1/SETIN, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 O SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO, no

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade IDENTIFICAÇÃO Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09 Código: CMSeixalSGQ_2600204_ManualGestaoV09 Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da CMSeixal Campo de aplicação:

Leia mais

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por

Enviado por sanson@tecpar.br. em 19/12/11. Recebido por Pedido nº.: Destinatário/ Addressee: PREFEITURA MUNICIPAL DE COLOMBO ((41) 3656-8161) Data/Date: 16 / 12 / 2011 Nome/Name: ISMAILIN SCHROTTER Fax N : Remetente/Sender: TECPAR CERTIFICAÇÃO Páginas/Pages:

Leia mais

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana.

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana. Data Revisão Página Código 11/04/2014 03 1 / 22 MQ-01 Referência MANUAL DA QUALIDADE TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE Escrital Contabilidade Rua Capitão Otávio Machado, 405 São Paulo/SP Tel: (11) 5186-5961 Site:

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2010 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia

Leia mais

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ Índice 1.0. Objectivo. 2 2.0. Campo de aplicação... 2 3.0. Referências e definições....... 2 4.0. Responsabilidades... 3 5.0. Procedimento... 4 5.1. Política da Qualidade 4 5.2. Processos de gestão do

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Relatório de Atividade Técnica

Relatório de Atividade Técnica RUA DESEMBARGADOR JÚLIO GUIMARÃES, 275 SAÚDE -SÃO PAULO -BR-SP CEP: 04158-060 CNPJ: 46.995.494/0001-92 Telefone: (11) 5058-6066 Pessoa de Contato: ALMO BRACCESI (almo@betta.com.br) Tipo: Auditoria de Manutenção

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

livros indicados e / ou recomendados

livros indicados e / ou recomendados Material complementar. Não substitui os livros indicados e / ou recomendados Prof. Jorge Luiz - 203 Pág. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE - SGQ Sistema de Gestão da Qualidade SGQ é a estrutura a ser criada

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5. OG Procedimento de Gestão PG.SMS.014 Denominação: Auditoria Interna do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento estabelece premissas básicas sobre os critérios de planejamento e princípios a

Leia mais

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte!

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte! Câmara Municipal de Barueri Conheça a Norma SA8000 Você faz parte! O que é a Norma SA 8000? A SA 8000 é uma norma internacional que visa aprimorar as condições do ambiente de trabalho e das relações da

Leia mais

Manual Brasileiro NR: MA 1 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000. LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO Data desta Revisão: 06/03/2006

Manual Brasileiro NR: MA 1 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000. LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO Data desta Revisão: 06/03/2006 Manual Brasileiro NR: MA 1 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000 LIDERANÇA E ADMINISTRAÇÃO Esta seção agrupa os componentes relacionados ao sistema de governo da Organização, aos aspectos

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01 Manual de Acolhimento LogicPulse Technologies, Lda. Índice PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. OBJETIVOS DO MANUAL... 4 3. APRESENTAÇÃO DA LOGICPULSE TECHNOLOGIES... 5 4. ORGANOGRAMA ORGANIZACIONAL...

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 003 / Novembro de 2010

Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 003 / Novembro de 2010 Manual da Gestão Integrada - M.G.I Revisão 003 / Novembro de 2010 Analisado por: Aprovado por: Maxiliano Costa Xavier Representante da Direção Caio Cesar Passianoto Diretor Rua Felicíssimo Antônio Pereira,

Leia mais

feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002

feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002 Página 1 feema - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente Curso de Legislação e Normas para o Licenciamento Ambiental Junho de 2002 DZ 056 - Diretriz para Realização de Auditoria Ambiental capa

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PÁGINA: 1 de 20 CLAUSULA 4.0 DA NORMA ISO 91:28 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Requisitos gerais. A TIVOLITUR estabelece, documenta, implementa e mantêm seu sistema de gestão da qualidade, visando

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS

ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS SUMÁRIO 1. Objetivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documentos Complementares... 2 4. Definições/Siglas... 2 5. Descrição dos Procedimentos... 3 5.1 Identificação da Necessidade... 3 5.1.1 Estrutura da Documentação

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

PP001/00 ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS

PP001/00 ELABORAÇÃO E CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS SUMÁRIO 1. Objetivo... 2 2. Abrangência... 2 3. Documentos Complementares... 2 4. Definições/Siglas... 2 5. Descrição dos Procedimentos... 2 5.1 Identificação da Necessidade... 3 5.1.1 Estrutura da Documentação

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

Processo Controle de Documentos e Registros

Processo Controle de Documentos e Registros Dono do Processo Marilusa Lara Bernardes Bittencourt Aprovado por Comitê da Qualidade Analisado criticamente por Representante da Direção Substituto: Kelly Vitoriny 1. OBJETIVOS: Descrever a forma como

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES 21/11/28 Página 1 de 8 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REVISÃO DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 21/11/28 Emissão Inicial RESPONSÁVEL PELO DOCUMENTO: (ÁREA) FUNÇÃO/INICIAIS: R SO / VC RESPONSÁVEL PELA DISTRIBUIÇÃO : (ÁREA)

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS

Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS anos 1. OBJETIVO Este documento tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a Política Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS)

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Disciplina: Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 3.

Disciplina: Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 3. Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração AULA 3 Ago/2013 Gerenciamento de Projetos e Práticas de Integração Áreas de conhecimentos de gerenciamento de projetos ESCOPO TEMPO CUSTO QUALIDADE RECURSOS

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008

PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008 1 - OBJETIVO PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008 Este retrata a forma que deve ser conduzida a gestão dos s da entidade desde a sua concepção até o seu acompanhamento e melhoria. 2 - AUTORIDADE

Leia mais

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade 3 Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade Não existe um jeito único de se implementar um sistema da qualidade ISO 9001: 2000. No entanto, independentemente da maneira escolhida,

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 3. 5 Responsabilidades: 3. Procedimento de Gestão OGX Denominação: Tratamento de não conformidades, ações corretivas e preventivas PG.SMS.015 SUMÁRIO Este procedimento define a sistemática utilizada na identificação, registro e

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão 00-fevereiro de 2014 1/11 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 2. OBJETIVOS DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 3. ORGANIZAÇÃO... 4 4. HISTÓRICO... 6 5.

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 Revisão:14 Folha:1 de17 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1 POLÍTICA DA QUALIDADE... 3 2.2 OBJETIVOS DA QUALIDADE... 4 2.3 ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA PARA A QUALIDADE...

Leia mais

Webinário : Os vinte passos da implantação SGQ baseado na ISO 9001 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008

Webinário : Os vinte passos da implantação SGQ baseado na ISO 9001 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008 Sistema de gestão qualidade implantado e certificado pela norma NBR ISO 9001:2008 torna uma necessidade da empresa por: competitividade no mercado interno Competitividade no mercado externo Aumentar a

Leia mais

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança?

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança? INTERPRETAÇÃO NBR ISO 14001 (1996), JULHO 2001 CB-38/SC-01/GRUPO DE INTERPRETAÇÃO INTRODUÇÃO O CB-38, Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental, da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, decidiu criar

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

Programa Brasileiro de Autorregulamentação de Boas Práticas em Arbitragem, Conciliação e Mediação, PARCONIMA.

Programa Brasileiro de Autorregulamentação de Boas Práticas em Arbitragem, Conciliação e Mediação, PARCONIMA. Revisão maio 2015 Programa Brasileiro de Autorregulamentação de Boas Práticas em Arbitragem, Conciliação e Mediação, PARCONIMA. NÍVEIS DE CERTIFICAÇÃO 1 Nível Ingresso Documentos que deverão ser apresentados

Leia mais