SECTOR AGRO-ALIMENTAR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SECTOR AGRO-ALIMENTAR"

Transcrição

1 SECTOR AGRO-ALIMENTAR AEP / Gabinete de Estudos Março de 2007

2 A indústria alimentar e das bebidas ( 15 1 ) é um sector com forte expressividade na economia nacional, o que não é de estranhar dada a sua importância como principal produtor de bens de consumo essenciais. Trata-se, aliás, do sector que detém maior peso no seio da indústria transformadora (I.T.), representando 16% do Volume de Negócios, 13% do valor acrescentado bruto (VAB), cerca de 11% das e 12% do emprego. O sector tem vindo a registar uma tendência no sentido do crescimento do peso do seu VAB no VAB total da I.T Indústria alimentares e das bebidas Peso na Indústria Transformadora Ano Empresas ao serviço Volume de VAB Produtividade C. Méd ,5% 11,5% 16,7% 10,7% 92,5% 99,5% ,3% 11,9% 16,7% 10,2% 85,9% 97,2% ,5% 11,2% 15,9% 10,5% 93,6% 97,7% ,9% 11,3% 16,1% 12,4% 109,8% 100,3% ,3% 11,2% 15,7% 11,6% 103,1% 98,7% ,7% 11,3% 16,0% 12,3% 108,6% 98,3% ,9% 10,9% 15,9% 12,2% 112,0% 100,7% ,9% 11,8% 16,1% 13,0% 109,6% 97,7% ,5% 11,9% 15,9% 12,8% 107,7% 97,7% Fonte: Cálculos com base no INE Em 2004, o sector englobava 8500 e empregava mais de 103 mil pessoas, sendo que a produtividade do sector (23,7 mil euros) se encontrava acima da média da indústria transformadora (22 mil euros) e os custos médios com o pessoal totalizavam um valor ligeiramente abaixo (13 mil euros contra 13,3 mil euros). O VAB do sector representa cerca de 23% do valor da produção, sendo inferior ao valor médio da indústria transformadora (27,4%). No entanto, o grau de transformação varia conforme o sector, sendo os valores mais elevados os referentes à fabricação de outros produtos alimentares (37%), onde se inclui a panificação e pastelaria, à indústria de frutos e hortícolas (24,5%) e à indústria das bebidas (23,4%). 1 A 15 - Indústrias alimentares e das bebidas, inclui os seguintes grupos: Abate de animais, preparação e conservação de carne e de produtos à base de carne; Indústria transformadora da pesca e da aquacultura Indústria de conservação de frutos e de produtos hortícolas Produção de óleos e gorduras animais e vegetais Indústria de lacticínios Transformação de cereais e leguminosas; fabricação amidos, féculas e produtos afins Fabricação de alimentos compostos para animais Fabricação de outros produtos alimentares Indústria das bebidas 2

3 15 - Indústrias alimentares e das bebidas Ano Empresas ao serviço / Empresas Custos Volume VAB Produtividade C. Méd. milhões euros milhares euros ,7 9846, ,8 9, , , ,8 9, , ,4 1952,5 17,7 9, , ,2 2202,5 19,5 10, , ,8 2096,4 19,9 11, , ,4 2207,6 21,4 11, , ,5 2232,1 22,4 12, , ,1 2402,7 22,8 12, , ,6 2446,4 23,7 13,0 Fonte: INE Apesar de entre 1996 e 2004 se terem registado quebras tanto no número de (12,4%) como no pessoal ao serviço (13,6%), o volume de aumentou 16,8% e o VAB cresceu 29,9%. Como resultado das trajectórias do VAB e do emprego, a produtividade revelou um aumento de 50,2%, superior à média verificada na I.T. para o mesmo período (29,1%), tendo os custos médios com o pessoal registado também uma evolução notável (44,5%), embora inferior ao valor registado no cômputo da I.T. (47,3%) Indústrias alimentares e das bebidas Taxas de crescimento Ano Empresas ao serviço Volume de VAB Produtividade C. Méd ,1% 1,5% 6,3% 1,8% 1,5% ,7% -9,1% -3,6% 1,8% 12,0% 7,9% ,2% 2,9% 4,0% 12,8% 10,2% 6,9% ,1% -7,0% 1,6% -4,8% 2,1% 5,7% ,6% -2,4% 4,5% 5,3% 7,5% 5,4% ,9% -3,4% -2,5% 1,1% 4,7% 5,2% ,3% 5,7% 2,5% 7,6% 1,8% 1,5% ,5% -1,8% 3,3% 1,8% 4,1% 3,8% 2004/ ,4% -13,6% 16,8% 29,9% 50,2% 44,5% Fonte: Cálculos com base no INE O sector é constituído maioritariamente por de pequena dimensão, cerca de 78% das têm menos de 10 trabalhadores. As com mais de 20 trabalhadores representam apenas 11% do total das mas, no entanto, geram 85% das vendas e empregam cerca de dois terços do total de trabalhadores. 3

4 Estrutura empresarial da 15, por escalões de pessoal ao serviço, em ,1% 11,4% 77,5% 65,2% 12,4% 85,0% 20 ou mais Até ,4% 6,6% 8,4% Empresas ao serviço Vendas O grau de concentração empresarial do sector não é muito elevado e mantevese praticamente no mesmo nível entre 2003 e Em 2004, as dez maiores do sector representavam 21,5% do volume de e 7,7% do emprego. Concentração empresarial da 15 Peso no volume de (Ano: 2004) Concentração empresarial da 15 Peso no emprego (Ano: 2004) 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 15,4 15,3 5 maiores 21,3 21,5 10 maiores 25,8 26,2 15 maiores ,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 5,1 5,0 5 maiores 7,8 7,7 10 maiores 10,1 10,1 15 maiores O sector é composto por um conjunto muito diversificado de indústrias, com pesos bastante diferenciados, embora com a característica comum de transformarem as matérias-primas em bens alimentares para os diferentes tipos de consumidores. 4

5 Estrutura sectorial das indústrias alimentares e bebidas, em 2004 Empresas ao serviço Volume de (Milhões ) VAB (Milhões ) ,6 2446, ,8% 14,6% 13,7% 11,2% 152 1,2% 5,4% 7,1% 4,7% 153 1,8% 3,7% 4,9% 5,6% 154 4,9% 2,2% 5,2% 2,9% 155 3,7% 6,9% 13,4% 11,0% 156 4,2% 2,0% 4,3% 3,1% 157 1,3% 4,4% 9,5% 5,8% ,9% 48,1% 23,1% 35,9% 159 6,2% 12,6% 18,8% 2 A estrutura do VAB evidencia uma maior importância da Fabricação de outros produtos alimentares ( 158) e da Indústria das bebidas ( 159), responsáveis, conjuntamente, por mais de metade do VAB da 15, seguindo-se a Preparação e conservação de carne e de produtos à base de carne ( 151) e a Indústria dos lacticínios ( 155), com um peso idêntico (11%). Os restantes grupos assumem, individualmente, um peso abaixo dos 6%. Entre 2000 e 2004 o grupo que mais subiu, relativamente ao VAB, foi o da Indústria de conservação de frutos e de produtos hortícolas ( 153), com uma taxa de variação média anual de 10,4%, seguido da Indústria transformadora da pesca e da aquacultura ( 152), sendo de registar a elevada taxa de crescimento do VAB destes dois sectores em 2002, de 30,2% e 24,2%, respectivamente. O único grupo com variação negativa foi o da Indústria das bebidas ( 159). A importância que este último grupo representa no cômputo da 15 (em torno dos 20%) teve, certamente, influência no comportamento global do sector. Taxa de crescimento média anual do VAB (2004/2000) 12,0% 1 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% -2,0% -4,0%

6 VAB - Taxas de crescimento Tradicionalmente o sector produz essencialmente para o mercado nacional. No entanto as exportações têm vindo a crescer de forma sustentada, tendo aumentado 38,6% entre 1999 e Agregando oito posições pautais associadas a produtos agroalimentares (NC 16 a 23), verifica-se que Portugal tem vindo sistematicamente a registar défices comerciais, embora se registe uma tendência de melhoria da taxa de cobertura a partir de 2000, apenas interrompida em Em 2005 o saldo negativo atingiu 417 milhões de euros, tendo a taxa de cobertura sido de 75,6%. Este resultado retoma, assim, a evolução favorável registada entre 2002 e 2003 (com o défice a passar de 502,3 milhões de euros para 384,2 milhões de euros) e interrompida em 2004, com um agravamento do saldo negativo para 451,4 milhões de euros. Estes produtos têm um peso significativo no total das trocas comerciais portuguesas: representam 4,2% das exportações e 3,5% das importações. Comércio Externo (NC 16 a 23) milhões euros 1800,0 1600,0 1400,0 1200,0 1000,0 800,0 600,0 400,0 200,0 0, Exportações Importações Tx. Cob. 6

7 As trocas comerciais dos produtos agroalimentares apresentam-se fortemente concentradas na União Europeia, ocupando Espanha e França os dois primeiros lugares no ranking de fornecedores e de clientes de Portugal. No grupo dos fornecedores, salientam-se ainda a Alemanha, Holanda e Reino Unido. No grupo dos clientes, destaca-se, fora da Europa, Angola, cuja quota é igual à do Reino Unido, seguindo-se-lhes a Holanda. Principais parceiros comerciais de Portugal em 2004 (NC 16 a 23) Importações Exportações Espanha 36,0% Espanha 18,1% França 11,1% França 15,3% Alemanha 8,4% Reino Unido 11,0% Holanda 7,0% Angola 11,0% Reino Unido 6,0% Holanda 5,7% Fonte: INE Evolução do comércio externo (NC 16 a 23) Ano Exportações Importações Saldo Tx. Milhões euros Tx. Cresc. % no total nacional Milhões euros Tx. Cresc. % no total nacional Milhões euros Cobertura ,7 4,20% 1330,0 3,90% -396,3 70,2% ,4 3,7% 4,30% 1539,1 15,7% 4,20% -570,7 62,9% ,2 5,7% 3,90% 1581,6 2,8% 3,70% -558,4 64,7% ,2 1,5% 3,80% 1605,4 1,5% 3,60% -567,2 64,7% ,6 10,9% 5,10% 1653,9 3,0% 4,90% -502,3 69,6% ,5 2,9% 4,30% 1568,7-5,1% 3,90% -384,2 75,5% ,6 2,9% 4,24% 1670,0 6,5% 3,78% -451,4 73,0% ,2% 4,22% ,5% 3,48% -417,0 75,6% Fonte: Cálculos com base no INE 7

AGRICULTURA, PECUÁRIA E INDÚSTRIA TRANSFORMADORA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

AGRICULTURA, PECUÁRIA E INDÚSTRIA TRANSFORMADORA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AGRICULTURA, PECUÁRIA E INDÚSTRIA TRANSFORMADORA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho 2007 1 1. Sectores a montante da indústria agroalimentar De acordo com as Contas Económicas da Agricultura

Leia mais

AGRICULTURA, PECUÁRIA E INDÚSTRIA TRANSFORMADORA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

AGRICULTURA, PECUÁRIA E INDÚSTRIA TRANSFORMADORA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AGRICULTURA, PECUÁRIA E INDÚSTRIA TRANSFORMADORA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 1. Sectores a montante da indústria agroalimentar Os sectores a montante da indústria agroalimentar

Leia mais

INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO

INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2005 Indústria do Mobiliário A indústria do mobiliário (CAE 361 fabricação de mobiliário e de colchões) reunia, em 2002, 6933 empresas, responsáveis

Leia mais

SERVIÇOS E EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO RELATÓRIO DE CONJUNTURA

SERVIÇOS E EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO RELATÓRIO DE CONJUNTURA SERVIÇOS E EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Novembro de 2006 O sector da fabricação de máquinas de escritório e de equipamento para o tratamento automático de

Leia mais

COSMÉTICA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO

COSMÉTICA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO COSMÉTICA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO MARÇO DE 2003 Índice Panorama Nacional... 3 Panorama comunitário... 7 Anexo Estatístico... 8 2 Panorama Nacional O fabrico de produtos cosméticos

Leia mais

OURIVESARIA RELOJOARIA

OURIVESARIA RELOJOARIA OURIVESARIA RELOJOARIA AEP / GABINETE DE ESTUDOS JULHO DE 2005 CAE 362 Fabricação de joalharia, ourivesaria e artigos similares O tecido empresarial da CAE 362 é caracterizado pelo predomínio de unidades

Leia mais

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2010 1. Variáveis das empresas A fabricação de máquinas para trabalhar madeira insere-se na CAE 294 Fabricação de máquinas ferramentas, que, por sua vez, está contemplada

Leia mais

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2010 Fabricação de Perfumes, Cosméticos e de Produtos de Higiene (CAE 2452) Índice 1. Variáveis das Empresas (CAE 2452)... 3 2. Comércio Inter... 6 2.1

Leia mais

MÁQUINAS PARA TRABALHAR CERÂMICA, ROCHAS E PEDRA

MÁQUINAS PARA TRABALHAR CERÂMICA, ROCHAS E PEDRA MÁQUINAS PARA TRABALHAR CERÂMICA, ROCHAS E PEDRA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO MARÇO DE 2003 Índice Panorama Nacional... 3 Panorama Comunitário... 8 Anexo Estatístico... 9 2 Panorama

Leia mais

FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO

FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2004 1. Panorama Mundial O sector do mobiliário tem registado uma evolução bastante positiva, designadamente ao nível do processo produtivo,

Leia mais

EXPORTHOME AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA

EXPORTHOME AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA EXPORTHOME AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA JANEIRO DE 2012 1 Índice 1. Variáveis das empresas... 3 2. Comércio internacional de outros móveis e suas partes (NC 9403)... 11 2.1 Evolução das saídas

Leia mais

EXPORTHOME AEP / GABINETE DE ESTUDOS

EXPORTHOME AEP / GABINETE DE ESTUDOS EXPORTHOME AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2010 FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO Índice 1. Variáveis e Indicadores das Empresas (CAE 361)... 3 2. Comércio internacional de outros móveis e suas partes (NC

Leia mais

PORTOJÓIA AEP / Gabinete de Estudos

PORTOJÓIA AEP / Gabinete de Estudos PORTOJÓIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Maio de 2008 Índice 1. Variáveis e Indicadores das Empresas... 3 2. Alguma informação sobre o mercado do ouro... 4 3. Comércio Externo... 6 Anexo Estatístico...

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES Versão actualizada em Fevereiro de 211 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO

Leia mais

CONSTRUÇÃO RELATÓRIO DE CONJUNTURA

CONSTRUÇÃO RELATÓRIO DE CONJUNTURA CONSTRUÇÃO RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Abril de 2006 Construção civil e obras públicas Após vários anos de acentuado dinamismo, o sector da construção civil e obras públicas tem registado

Leia mais

Cork Information Bureau Pág. 1 CORTIÇA EM NÚMEROS. Cork Information Bureau 2015 CORTIÇA EM NÚMEROS. apcor.pt

Cork Information Bureau Pág. 1 CORTIÇA EM NÚMEROS. Cork Information Bureau 2015 CORTIÇA EM NÚMEROS. apcor.pt Pág. 1 Cork Information Bureau 2015 Cork Information Bureau 2015 CORTIÇA EM NÚMEROS apcor.pt Cork Information Bureau 2015 Pág. 2 Índice MONTADO... 3 ÁREA DE MONTADO... 3 PRODUÇÃO DA CORTIÇA... 4 INDÚSTRIA...

Leia mais

OURIVESARIA RELOJOARIA

OURIVESARIA RELOJOARIA OURIVESARIA RELOJOARIA AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2004 Panorama Nacional CAE 362 Fabricação de joalharia, ourivesaria e artigos similares A fabricação de joalharia, ourivesaria e artigos similares

Leia mais

A EVOLUÇÃO DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM NÚMEROS. TERESA CARDOSO DE MENEZES Diretora Geral INFORMA D&B Lisboa, 9 de maio de 2017

A EVOLUÇÃO DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM NÚMEROS. TERESA CARDOSO DE MENEZES Diretora Geral INFORMA D&B Lisboa, 9 de maio de 2017 A EVOLUÇÃO DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM NÚMEROS TERESA CARDOSO DE MENEZES Diretora Geral INFORMA D&B Lisboa, 9 de maio de 2017 PARCERIA COM O BANCO SANTANDER TOTTA Desde 2012 (4ª edição) Premiar empresas

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NOS SECTORES DA CARNE DE AVES E OVOS

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NOS SECTORES DA CARNE DE AVES E OVOS EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NOS SECTORES DA CARNE DE AVES E OVOS A produção de aves de capoeira tem registado, ao longo dos anos, um crescimento sustentado, quer em volume, quer em valor. Apenas

Leia mais

CERÂMICA E VIDRO AEP / GABINETE DE ESTUDOS

CERÂMICA E VIDRO AEP / GABINETE DE ESTUDOS CERÂMICA E VIDRO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JULHO DE 2005 CAE 261 Fabricação de vidro e artigos de vidro A CAE 261 agregava, em 2002, 426 empresas, empregando cada uma, em média, 20 trabalhadores. Naquele

Leia mais

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014 Empresas em Portugal 2010-28 de setembro de 2015 VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em Os dados preliminares de das estatísticas das empresas reforçam os sinais positivos

Leia mais

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS FEVEREIRO DE 2009 1. Indústria da cosmética: situação a nível mundial e tendências Segundo um relatório sobre o sector da cosmética a nível mundial, publicado, em

Leia mais

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Fevereiro de 2009 1. Indústria da cosmética: situação a nível mundial e tendências Segundo um relatório sobre o sector da cosmética a nível mundial, publicado, em

Leia mais

Base: INE (2008) Peso das Exportações do Vinho no total das Exportações da Economia Portuguesa (em Valor)

Base: INE (2008) Peso das Exportações do Vinho no total das Exportações da Economia Portuguesa (em Valor) OBSERVATÓRIO DO VINHO Análise de Mercados de Exportação EUA Canadá Brasil - Angola Mercados Internacionais de Vinho 1. Balança do Vinho Português 2. Exportações Terceiros de Vinho Português para Países

Leia mais

DECORAÇÃO E AFINS (INDÚSTRIA)

DECORAÇÃO E AFINS (INDÚSTRIA) DECORAÇÃO E AFINS (INDÚSTRIA) AEP / GABINETE DE ESTUDOS FEVEREIRO DE 2004 Panorama Nacional CAE 262 Fabricação de produtos cerâmicos não refractários (excepto os destinados à construção) e refractários

Leia mais

nº 2 Outubro 2009 COMÉRCIO EXTERNO MERCADOS DE EXPORTAÇÃO E.U.A. CANADÁ BRASIL ANGOLA

nº 2 Outubro 2009 COMÉRCIO EXTERNO MERCADOS DE EXPORTAÇÃO E.U.A. CANADÁ BRASIL ANGOLA nº 2 Outubro 29 COMÉRCIO EXTERNO MERCADOS DE EXPORTAÇÃO E.U.A. CANADÁ BRASIL ANGOLA MERCADOS DE EXPORTAÇÃO: EUA Canadá Brasil - Angola COMÉRCIO EXTERNO INDICE Balança do Vinho Português.. 3 Exportações

Leia mais

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016 OBSERVATÓRIO Exportações e Investimento Externo Novembro O presente documento constitui uma análise do desempenho recente das relações económicas de Portugal com o estrangeiro, ao nível das exportações

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO

EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO O sector da

Leia mais

Information Bureau 2016 CORTIÇA EM NÚMEROS

Information Bureau 2016 CORTIÇA EM NÚMEROS Information Bureau 2016 CORTIÇA EM NÚMEROS ÍNDICE MONTADO... 3 ÁREA DE MONTADO... 3 PRODUÇÃO DA CORTIÇA... 4 INDÚSTRIA... 5 TECIDO EMPRESARIAL... 5 PRINCIPAIS ACTIVIDADES... 5 MERCADO INTERNACIONAL DA

Leia mais

Empresas exportadoras são maioritariamente de pequena dimensão, mas quase metade do valor exportado provém de empresas com mais de 250 trabalhadores

Empresas exportadoras são maioritariamente de pequena dimensão, mas quase metade do valor exportado provém de empresas com mais de 250 trabalhadores Comércio Internacional por Características das Empresas 2013 23 de outubro de 2014 Empresas exportadoras são maioritariamente de pequena dimensão, mas quase metade do valor exportado provém de empresas

Leia mais

Importações e exportações de mercadorias. Taxas de variação em valor, volume e preço por produto - Janeiro a dezembro de 2016

Importações e exportações de mercadorias. Taxas de variação em valor, volume e preço por produto - Janeiro a dezembro de 2016 Em Análise Importações e exportações de mercadorias. Taxas de variação em valor, volume e preço por produto - Janeiro a dezembro de 2016 Walter Anatole Marques 1 1 - Nota introdutória O presente trabalho

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil Setor Agroalimentar

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil Setor Agroalimentar Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Brasil Setor Agroalimentar Outubro 2015 Índice 1. Evolução das exportações portuguesas

Leia mais

Portugal e o Comércio Internacional com Marrocos

Portugal e o Comércio Internacional com Marrocos Em Análise Portugal e o Comércio Internacional com Marrocos Walter Anatole Marques 1 Introdução As exportações portuguesas, muito concentradas no espaço comunitário, têm sido objeto nos últimos anos de

Leia mais

Fundamentação Económica da Proposta Sindical

Fundamentação Económica da Proposta Sindical Fundamentação Económica da Proposta Sindical CALÇADO CCT 2008 GABINETE DE ESTUDOS DA FESETE Enquadramento macroeconómico De acordo com a informação do Banco de Portugal 1 e com a estimativa rápida das

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DO AZEITE ENTRE 2000 E 2009

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DO AZEITE ENTRE 2000 E 2009 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DO AZEITE ENTRE 2 E 29 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DO AZEITE

Leia mais

AS INDÚSTRIAS TÊXTIL, VESTUÁRIO E CALÇADO DA REGIÃO NORTE NOS ANOS 80. 1

AS INDÚSTRIAS TÊXTIL, VESTUÁRIO E CALÇADO DA REGIÃO NORTE NOS ANOS 80. 1 AS INDÚSTRIAS TÊXTIL, VESTUÁRIO E CALÇADO DA REGIÃO NORTE NOS ANOS 80. 1 ANA PAULA AFRICANO* A década de 80 foi marcada pela estabilização do processo político em Portugal bem como pela adesão de Portugal

Leia mais

MARROCOS FICHA DE MERCADO BREVE CARACTERIZAÇÃO II COMÉRCIO EXTERNO

MARROCOS FICHA DE MERCADO BREVE CARACTERIZAÇÃO II COMÉRCIO EXTERNO FICHA DE MERCADO MARROCOS I BREVE CARACTERIZAÇÃO Embora Marrocos não seja um dos principais parceiros comerciais de Portugal nos setores agroalimentar e florestal (17ª posição em termos de exportações,

Leia mais

Comércio Internacional do Complexo Agroflorestal e Pescas

Comércio Internacional do Complexo Agroflorestal e Pescas Comércio Internacional do Complexo Agroflorestal e Pescas Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral 1. Enquadramento: O Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta as estatísticas

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Brasil Outubro 2015 Índice 1. Evolução das exportações portuguesas de bens para

Leia mais

Portugal - Balança de Bens e Serviços

Portugal - Balança de Bens e Serviços Portugal - Balança de Bens e Serviços As trocas comerciais no semestre terminado em Fevereiro Neste tema analisamos a evolução da balança de bens e serviços tendo por base o acumulado das trocas comerciais

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Espanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Espanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Espanha Dezembro de 2015 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS. Alguns Indicadores

TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS. Alguns Indicadores TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS Alguns Indicadores FICHA TÉCNICA COORDENAÇÃO E EQUIPA TÉCNICA: Área de Monitorização e Avaliação AUTORIDADE DE GESTÃO DO PDR2020 Rua de São Julião,

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PRODUTOS E EQUIPAMENTOS PARA A CONSTRUÇÃO

COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PRODUTOS E EQUIPAMENTOS PARA A CONSTRUÇÃO Título do Eixo COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PRODUTOS E A - EXPORTAÇÕES Em 2014, Portugal exportou mais de 6.240 milhões de Euros de Produtos e Equipamentos para a Construção, o que equivale a quase 13% das

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL DE BENS RESULTADOS PROVISÓRIOS 1 ANO 2014

COMÉRCIO INTERNACIONAL DE BENS RESULTADOS PROVISÓRIOS 1 ANO 2014 30 de outubro de 2015 COMÉRCIO INTERNACIONAL DE BENS RESULTADOS PROVISÓRIOS 1 ANO 2014 De acordo com os dados provisórios de 2014 relativos ao Comércio Internacional de bens, aquele ano fica assinalado

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Índia. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Índia. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Índia Fevereiro de 2016 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Alemanha Janeiro de 2016 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

FABRICO DE VINHO AEP / GABINETE DE ESTUDOS

FABRICO DE VINHO AEP / GABINETE DE ESTUDOS FABRICO DE VINHO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2004 Fabrico de vinho Portugal dispõe de condições edafo-climáticas que lhe permitem ser, por excelência, um produtor de vinhos com características

Leia mais

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011 O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA 2011 Funchal, 10 de Novembro de 2011 BUSINESS PLAN Financial Analysis Agenda O tecido empresarial

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DA AZEITONA DE MESA ENTRE 2000 E 2009

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DA AZEITONA DE MESA ENTRE 2000 E 2009 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DA AZEITONA DE MESA ENTRE 2 E 29 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR

Leia mais

TÊXTEIS, VESTUÁRIO E CALÇADO RELATÓRIO DE CONJUNTURA

TÊXTEIS, VESTUÁRIO E CALÇADO RELATÓRIO DE CONJUNTURA TÊXTEIS, VESTUÁRIO E CALÇADO RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Setembro de 2006 CAE 17 Fabricação de têxteis e CAE 18 Indústria do vestuário; preparação, tingimento e fabricação de artigo

Leia mais

AGENDA CARACTERIZAÇÃO DA FILEIRA VINHO E AZEITE AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS ADERENTES DEBATE DE IDEIAS CONCLUSÕES

AGENDA CARACTERIZAÇÃO DA FILEIRA VINHO E AZEITE AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS ADERENTES DEBATE DE IDEIAS CONCLUSÕES AGENDA CARACTERIZAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS ADERENTES DEBATE DE IDEIAS CONCLUSÕES ENQUADRAMENTO ECONÓMICO Portugal Norte Terras de Trás-os- Montes Douro Alto Tâmega

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6%

Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6% 08 de Agosto de 2008 Estatísticas do Comércio Extracomunitário Junho de 2008 Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6% No segundo trimestre de 2008, as exportações registaram

Leia mais

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Análise de Conjuntura Janeiro 2014 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico manteve em Dezembro, a tendência de melhoria

Leia mais

Produtividade, crescimento e rendimento agrícolas em Portugal na última década. Francisco Avillez

Produtividade, crescimento e rendimento agrícolas em Portugal na última década. Francisco Avillez Produtividade, crescimento e rendimento agrícolas em Portugal na última década Francisco Avillez Maio de 2017 Produtividade, crescimento e rendimento agrícolas em Portugal na última década Francisco Avillez

Leia mais

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 3 março 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens - eiro a embro (resultados preliminares) Informação Portugal, 7 de eiro de 2011 Comércio Internacional Português em 2010 (eiro a embro)

Leia mais

Comércio Internacional Português de Vinhos (2009 a 2013 e jan-nov )

Comércio Internacional Português de Vinhos (2009 a 2013 e jan-nov ) Em Análise Walter Anatole Marques 1 Comércio Internacional Português de Vinhos (2009 a 2013 e jan-nov 2013-2014) 1 Nota Introdutória Ao longo dos últimos cinco anos e onze primeiros meses de 2014 as exportações

Leia mais

Estatísticas do Comércio Extracomunitário Janeiro a Março 2007 EXPORTAÇÕES AUMENTAM 17,9% E IMPORTAÇÕES DIMINUEM 1,5%

Estatísticas do Comércio Extracomunitário Janeiro a Março 2007 EXPORTAÇÕES AUMENTAM 17,9% E IMPORTAÇÕES DIMINUEM 1,5% 09 de Maio de 2007 Estatísticas do Comércio Extracomunitário Janeiro a Março 2007 EXPORTAÇÕES AUMENTAM 17,9% E IMPORTAÇÕES DIMINUEM 1,5% De Janeiro a Março de 2007, as exportações registaram um aumento

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer pelo conjunto

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas Evolução 2007-2013 Actualizado em Março 2013 Unid. Fonte 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Notas População a Milhares Hab. INE 10.604 10.623 10.638 10.636 10.647 10.600 População tvh % INE 0,2 0,2 0,1

Leia mais

E M A F 2012 AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA JULHO DE 2012 ÍNDICE

E M A F 2012 AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA JULHO DE 2012 ÍNDICE E M A F 2012 AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA JULHO DE 2012 ÍNDICE 1 1. Fabricação de Máquinas-Ferramentas, exceto portáteis (CAE 284)): variáveis das empresas... 2 2. Comércio Inter dos produtos

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

Análise ao Comércio Externo de Equipamento Elétrico e Eletrónico

Análise ao Comércio Externo de Equipamento Elétrico e Eletrónico Análise ao Comércio Externo de Equipamento Elétrico e Eletrónico Janeiro Dezembro 2015 Recuperação do peso do mercado intracomunitário 1. Análise global - Setor Elétrico e Eletrónico O período de Janeiro-Dezembro

Leia mais

O COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PORTUGAL

O COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PORTUGAL O COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PORTUGAL Por Eugénio Rosa* A maioria das análises do comércio externo de Portugal que são divulgadas no espaço público limitam-se a salientar um ou outro aspeto do comércio

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Novembro 217 ISEG Síntese de Conjuntura, novembro 217 1 SUMÁRIO Segundo a estimativa rápida do INE, o PIB português cresceu no 3º trimestre, em volume, 2,% em termos homólogos e,%

Leia mais

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS DADOS ESTATÍSTICOS A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas I. DADOS NACIONAIS 1. POPULAÇÃO 1.1 População Residente por Sexo e Grupo Etário: Censos 1 1.2 População Residente - Estimativas 1 2.

Leia mais

Atividade agrícola em 2013 marcada pelo aumento de produção das principais culturas agrícolas e pelo decréscimo da produção de carne e leite

Atividade agrícola em 2013 marcada pelo aumento de produção das principais culturas agrícolas e pelo decréscimo da produção de carne e leite Estatísticas Agrícolas 2013 22 de julho de 2014 Atividade agrícola em 2013 marcada pelo aumento de produção das principais culturas agrícolas e pelo decréscimo da produção de carne e leite A atividade

Leia mais

INTENSIFICAÇÃO DAS TROCAS COMERCIAIS ENTRE O NORTE DE PORTUGAL E A GALIZA

INTENSIFICAÇÃO DAS TROCAS COMERCIAIS ENTRE O NORTE DE PORTUGAL E A GALIZA 15 de Dezembro de 2004 Trocas comerciais entre a Região Norte de Portugal e a Galiza 2000-2002 INTENSIFICAÇÃO DAS TROCAS COMERCIAIS ENTRE O NORTE DE PORTUGAL E A GALIZA As trocas comerciais entre a Região

Leia mais

1º Caderno de Exercícios

1º Caderno de Exercícios 1º Caderno de Exercícios Exercícios Referentes aos Capítulos 1 e 2 do Programa 1. Considere os seguintes elementos referentes ao Capital e o valor da Produção na empresa do Sr. A, ao longo dos últimos

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 6 Junho 2010 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

CABO VERDE. AERLIS - Oeiras

CABO VERDE. AERLIS - Oeiras CABO VERDE AERLIS - Oeiras 20.01.2010 Relações Económicas com Portugal Cabo Verde Relações Económicas com Portugal Importância de Cabo Verde nos Fluxos Comerciais de Portugal 2004 2005 2006 2007 2008 COMO

Leia mais

Contas Económicas da Silvicultura 1990 2001

Contas Económicas da Silvicultura 1990 2001 Informação à Comunicação Social 27 de Dezembro de 22 Contas Económicas da Silvicultura 199 21 O Valor Acrescentado Bruto da Silvicultura decresceu,4% em termos reais, mas aumentou 35% em valor entre 199

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa,

Leia mais

Barómetro das Crises

Barómetro das Crises Barómetro das Crises 02-08-2012 Nº 2 Comércio Externo A última informação divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (a 10 de Julho) acerca do comércio externo diz respeito às exportações e importações

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009 Observatório rio dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares Alimentares Julho 2011 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS

Leia mais

Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares Enquadramento macroeconómico da indústria Agro-Alimentar em Portugal

Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares Enquadramento macroeconómico da indústria Agro-Alimentar em Portugal Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares Enquadramento macroeconómico da indústria Agro-Alimentar em Portugal Luís Magalhães ManagingPartner Deloitte Portugal Agenda 1. A Indústria Agro-Alimentar:

Leia mais

Portugal - BALANÇA CORRENTE

Portugal - BALANÇA CORRENTE Portugal - BALANÇA CORRENTE ANÁLISE DA RECENTE EVOLUÇÃO Janeiro 2018, a partir dos dados do Banco de Portugal ÍNDICE 1. Balança corrente Principais componentes Exportações e importações de bens e serviços

Leia mais

Nota Prévia. Análise Sectorial das Indústrias Alimentares

Nota Prévia. Análise Sectorial das Indústrias Alimentares Análise Sectorial das Indústrias Alimentares Nota Prévia A presente análise baseia-se na informação recolhida através da Informação Empresarial Simplificada (IES) e tratada pela Central de Balanços do

Leia mais

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 1,0% e importações diminuíram 6,4%

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 1,0% e importações diminuíram 6,4% Estatísticas do Comércio Internacional Janeiro 2013 12 de março de 2013 Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 1,0% e importações diminuíram 6,4% As exportações de bens aumentaram 1,0%

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal outubro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais

Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais Paulo Lobo Viana do Castelo - 11 de fevereiro 1 Segmentos de Atividade da Construção e Imobiliário VAB Volume de Negócios

Leia mais

Exportações portuguesas de produtos industriais transformados por nível de intensidade tecnológica Mercados de destino (2009 a 2013 e Jan-Out 2014)

Exportações portuguesas de produtos industriais transformados por nível de intensidade tecnológica Mercados de destino (2009 a 2013 e Jan-Out 2014) Temas Económicos Número 31 Janeiro de 2015 Exportações portuguesas de produtos industriais transformados Mercados de destino (2009 a e ) Walter Anatole Marques Rua da Prata, nº 8 1149-057 Lisboa Tel.:

Leia mais

ONDE NASCE O NOVO EMPREGO?

ONDE NASCE O NOVO EMPREGO? www.informadb.pt ONDE NASCE O NOVO EMPREGO? 2ª EDIÇÃO DO ESTUDO ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL 63% do novo emprego é criado pelas PEQUENAS EMPRESAS 46% do novo emprego criado vem das EMPRESAS JOVENS

Leia mais

Portugal : Retrato Económico e Social em gráficos

Portugal : Retrato Económico e Social em gráficos Portugal 198-1: Retrato Económico e Social em gráficos E.E.F. Mercados Financeiros Setembro 15 Perante o processo de ajustamento efectuado nos últimos quatro anos, é nosso propósito mostrar e realçar que

Leia mais

ELETRICIDADE, GÁS, VAPOR, ÁGUA QUENTE E FRIA E AR FRIO ANÁLISE SETORIAL

ELETRICIDADE, GÁS, VAPOR, ÁGUA QUENTE E FRIA E AR FRIO ANÁLISE SETORIAL ELETRICIDADE, GÁS, VAPOR, ÁGUA QUENTE E FRIA E AR FRIO ANÁLISE SETORIAL Novembro 2016 ELETRICIDADE, GÁS, VAPOR, ÁGUA QUENTE E FRIA E AR FRIO O presente documento constitui um resumo analítico do desempenho

Leia mais

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a ganhar projecção a nível mundial, impulsionada, pela procura externa e pela perícia e experiência

Leia mais

As exportações e importações aumentaram 7,6% e 8,4%, respetivamente, em termos nominais

As exportações e importações aumentaram 7,6% e 8,4%, respetivamente, em termos nominais Estatísticas do Comércio Internacional Novembro 09 de janeiro de 2017 As exportações e importações aumentaram 7,6% e 8,4%, respetivamente, em termos nominais Em novembro de, as exportações e as importações

Leia mais

Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em 2016

Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em 2016 Empresas em Portugal 28-28 de setembro de 217 Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em Em, assistiu-se à melhoria generalizada dos principais indicadores das empresas não financeiras.

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE

HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE Os hábitos alimentares da população portuguesa alteraram-se, tendo o consumo alimentar

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer por uma competitiva

Leia mais

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro.

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro. Mar-04 Mar-05 Mar-06 Mar-07 Mar-08 Mar-09 Mar-10 Mar-11 Mar-12 Análise de Conjuntura Abril 2014 Indicador de Sentimento Económico Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos

Leia mais

nº 4 Dezembro 2009 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL

nº 4 Dezembro 2009 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL nº 4 Dezembro 2009 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL 2005 A 2008 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL Índice 1. INTRODUÇÃO 2 2. ÁREA DE VINHA 3 3. PRODUÇÃO 5 4. CONSUMO GLOBAL 8 5. CONSUMO PER CAPITA

Leia mais

TOMATE PARA INDÚSTRIA

TOMATE PARA INDÚSTRIA FICHA DE INTERNACIONALIZAÇÃO TOMATE PARA INDÚSTRIA CENÁRIO DE ANTECIPAÇÃO BREVE CARATERIZAÇÃO DIAGNÓSTICO O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FORTES O ANÁLISE INTERNA - PONTOS FRACOS O ANÁLISE EXTERNA - OPORTUNIDADES

Leia mais