PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas"

Transcrição

1 Evolução Actualizado em Março 2013 Unid. Fonte Notas População a Milhares Hab. INE População tvh % INE 0,2 0,2 0,1 0,0 (d) -0,4 PIB pç. corr. Milhões Eur INE PIB pç. corr. tvh % INE 5,3 1,6-2,0 2,6-1,0-3,3 PIB pç. const. Milhões Eur INE PIB pç. const. tvh % INE 2,4 0,0-2,9 1,9-1,6-3,2 Hiato do PIB % PIB Potencial CE 0,8-0,1-2,7-0,9-1,9-3,6-4,3 Previsão PIB per cap PPS (EU-27 = 100) Eurostat Consumo Privado pç. const. % PIB INE 65,2 66,1 66,5 66,8 65,3 63,6 Consumo Privado pç. const. tvh % INE 2,5 1,3-2,3 2,5-3,8-5,6 Consumo Público pç. const. % PIB INE 20,1 20,2 21,8 21,4 20,8 20,5 Consumo Público pç. const. tvh % INE 0,5 0,3 4,7 0,1-4,3-4,4 FBCF pç. const. % PIB INE 22,4 22,3 21,0 19,9 18,1 16,0 FBCF pç. const. tvh % INE 2,6-0,3-8,6-3,1-10,7-14,5 Exportações Globais pç. corr. Milhões Eur INE Exportações Globais pç. corr. % PIB INE 32,2 32,4 28,0 31,3 35,8 38,7 Exportações Globais pç. corr. tvh % INE 9,6 2,4-15,4 14,6 13,0 4,7 Exportações Bens pç. corr. Milhões Eur INE Exportações Bens pç. corr. % PIB INE 23,8 23,8 20,0 22,8 26,4 28,9 Exportações Bens pç. corr. tvh % INE 7,1 1,6-17,8 16,9 14,5 5,8 Exportações Serviços pç. corr. Milhões Eur INE Exportações Serviços pç. corr. % PIB INE 8,4 8,6 8,0 8,5 9,4 9,9 Exportações Serviços pç. corr. tvh % INE 17,5 4,6-8,7 8,7 9,1 1,7 Exportações Globais pç. const. Milhões Eur INE Exportações Globais pç. const. % PIB INE 32,5 32,4 29,8 32,2 35,0 37,4 Exportações Globais pç. const. tvh % INE 7,5-0,1-10,9 10,2 7,2 3,3 Exportações Bens pç. const. Milhões Eur INE Exportações Bens pç. const. % PIB INE 24,2 24,0 21,7 23,6 25,8 27,8 Exportações Bens pç. const. tvh % INE 5,6-0,6-12,4 11,2 7,4 4,3 Exportações Serviços pç. const. Milhões Eur INE Exportações Serviços pç. const. % PIB INE 8,3 8,4 8,1 8,5 9,3 9,6 Exportações Serviços pç. const. tvh % INE 13,6 1,4-6,6 7,5 6,7 0,3 Importações Globais pç. corr. Milhões Eur INE Importações Globais pç. corr. % PIB INE 40,2 42,5 35,4 39,0 40,1 39,2 Importações Globais pç. corr. tvh % INE 6,8 7,5-18,3 12,9 1,7-5,4 Importações Bens pç. corr. Milhões Eur INE Importações Bens pç. corr. % PIB INE 34,7 36,8 30,0 33,4 34,1 33,5

2 Evolução Actualizado em Março 2013 Unid. Fonte Notas Importações Bens pç. corr. tvh % INE 6,5 7,7-20,1 14,0 1,3-5,2 Importações Serviços pç. corr. Milhões Eur INE Importações Serviços pç. corr. % PIB INE 5,5 5,7 5,4 5,7 6,0 5,8 Importações Serviços pç. corr. tvh % INE 9,0 6,0-7,2 6,9 4,5-6,5 Importações Globais pç. const. Milhões Eur INE Importações Globais pç. const. % PIB INE 40,8 41,8 38,7 41,0 39,2 37,7 Importações Globais pç. const. tvh % INE 5,5 2,3-10,0 8,0-5,9-6,9 Importações Bens pç. const. Milhões Eur INE Importações Bens pç. const. % PIB INE 35,3 36,1 33,2 35,4 33,4 32,2 Importações Bens pç. const. tvh % INE 5,5 2,1-10,6 8,6-6,9-6,8 Importações Serviços pç. const. Milhões Eur INE Importações Serviços pç. const. % PIB INE 5,5 5,7 5,5 5,6 5,8 5,5 Importações Serviços pç. const. tvh % INE 5,9 3,8-6,3 4,7 0,7-7,8 Grau de Abertura pç. corr. b % INE 72,4 75,0 63,5 70,3 75,9 78,0 Grau de Abertura pç. const. b % INE 73,3 74,2 68,5 73,2 74,3 75,1 Balança Corrente % PIB CE -10,1-12,6-10,9-10,0-7,2-3,0-1,4 Previsão Taxa de Poupança bruta % PIB CE 12,7 10,6 9,4 9,9 10,9 12,3 Previsão Dívida Pública % PIB CE 68,3 71,6 83,1 93,3 108,0 120,0 123,9 Previsão Carga Fiscal da Economia % PIB INE 32,8 32,8 31,0 31,5 33,2 Estimativa Taxa de Inflação e (IHPC) % CE 2,4 2,7-0,9 1,4 3,6 2,8 2,3 Fevereiro Taxa de Inflação e (IHPC) Zona Euro % CE 2,1 3,3 0,3 1,6 2,7 2,5 2,4 Fevereiro Saldo Sector Público % PIB CE -3,1-3,6-10,2-9,8-4,4-5,0-4,9 Previsão Taxa de Actividade % População > 15 INE 62,6 62,5 61,9 61,9 61,3 61,0 Taxa de Emprego % Pop. Activa > 15 INE 57,6 57,8 56,0 55,2 53,5 51,4 Taxa de Desemprego % INE 8,0 7,6 9,5 10,8 12,7 15,7 16,4 Previsão Custo Real Unitário do Trabalho c tvh % CE -1,6 1,9 2,2-2,1-1,1-3,7-0,2 Previsão Salário Mínimo Eur MFAP IDE - Investimento Milhões Eur BP Janeiro IDE - Investimento tvh % BP -0,6 8,1-9,3 23,8 8,7-8,9 10,3 Janeiro IDE - Desinvestimento Milhões Eur BP Janeiro IDE - Desinvestimento tvh % BP 26,0 5,6-6,3 25,1-6,8-7,8 19,7 Janeiro IDE - Líquido Milhões Eur BP Janeiro IDE - Líquido tvh % BP -74,3 42,3-38,8 2,5 301,5-13,5-47,8 Janeiro IDE - Stock (fim-de-período) Milhões Eur BP IDE - Stock (fim-de-período) tvh % BP 16,6-8,3 10,8 5,0 3,4 2,7 IDPE - Investimento Milhões Eur BP Janeiro IDPE - Investimento tvh % BP 50,9-23,3-31,7 26,0 99,8-54,0-23,7 Janeiro

3 Evolução Actualizado em Março 2013 Unid. Fonte Notas IDPE - Desinvestimento Milhões Eur BP Janeiro IDPE - Desinvestimento tvh % BP 161,6-12,2-24,4 115,1-42,8-15,2-0,8 Janeiro IDPE - Líquido Milhões Eur BP Janeiro IDPE - Líquido tvh % BP -29,5-53,4-68,6-1062,6 289,5-86,1-59,8 Janeiro IDPE - Stock (fim-de-período) Milhões Eur BP IDPE - Stock (fim-de-período) tvh % BP 12,2-1,6 5,0 5,1 11,8-3,2 Turismo - Dormidas de Estrangeiros Milhares INE Janeiro Turismo - Dormidas de Estrangeiros tvh % INE 6,2-2,1-11,4 1,7 10,1 5,0 5,2 Janeiro Turismo - Receitas Milhões Eur BP Janeiro Turismo - Receitas tvh % BP 10,9 0,5-7,2 10,0 7,2 5,6 5,9 Janeiro Taxa de Juro ref. EUA (3 meses) % BCE 5,2970 2,9278 0,6857 0,3436 0,3372 0,4301 0,2905 Fevereiro Taxa de Juro ref. Zona Euro (3 meses) % BCE 4,2776 4,6439 1,2185 0,8143 1,3934 0,5752 0,2234 Fevereiro Taxa de Câmbio (média) EUR/USD BP 1,37 1,4708 1,3948 1,3268 1,3917 1,2856 1,3359 Fevereiro Produtividade do trabalho por pessoa em (EU-27 = 100) Eurostat 74,1 73,6 76,2 77,1 75,6 Índice Global de Crescimento da Competitividade Notas: (a) INE - Estatísticas do Emprego (b) Exportações mais Importações em % do PIB Posição Portugal WEF Nº total de países (c) Este indicador compara remuneração e produtividade (produto interno bruto (PIB) a preços correntes por emprego) (d) Quebra de série (e) Taxa de variação média dos últimos doze meses do IHPC Os valores relativos às Exportações e Importações têm como base as Contas Nacionais Siglas e abreviaturas: BCE - Banco Central Europeu BP - Banco de Portugal CE - Comissão Europeia INE - Instituto Nacional de Estatística MFAP - Ministério das Finanças e da Administração Pública WEF - World Economic Forum FBCF - Formaçãon.d. - não disponível IDE - Investimentpç. const. - preços constantes IDPE - Investime pç. corr. - preços correntes IHPC - Índice Ha per cap - per capita PIB - Produto Intep.p. - pontos percentuais PPS - Purchasingtvh - taxa de variação homóloga RD - Rendimento Disponível Bruto

4 Previsões Data de Actualização FMI CE OCDE BdP MF - OE Jan-13 Fev-13 Nov-12 Mar-13 Out-12 Unid Portugal PIB pç. const. tvh % -1,6-3,0-1,0-3,2-2,3-3,1-1,8-3,2-2,3-3,0-1,0 Consumo Privado pç. const. tvh % -3,8-5,7-2,2-5,8-2,8-5,9-3,5-5,6-3,8-5,9-2,2 Consumo Público pç. const. tvh % -4,3-3,5-3,2-4,1-3,3-3,4-4,0-4,4-2,4-3,3-3,5 FBCF pç. const. tvh % -10,7-13,7-5,5-14,9-8,0-14,5-6,5-14,5-7,1-14,1-4,2 Exportações pç. const. tvh % 7,2 4,6 2,9 3,4 1,4 4,2 3,6 3,3 2,2 4,3 3,6 Importações pç. const. tvh % -5,9-5,9-2,2-7,3-3,7-6,9-2,8-6,9-2,9-6,6-1,4 Procura Externa (bens) tvh % 3,6-0,2-0,5 Balança Corrente % PIB -7,2-2,5-1,1-3,0-1,4-2,9-1,5-2,6-0,6 Dívida Pública % PIB 108,0 120,0 122,2 120,0 123,9 125,6 133,1 120,6 Taxa de Inflação (IHPC) % 3,6 2,8 0,8 2,8 0,6 2,7 0,8 2,8 0,7 2,8 0,9 Saldo Sector Público % PIB -4,4-5,0-4,5-5,0-4,9-5,2-4,9-5,0-4,5 Taxa de Desemprego % 12,7 15,5 16,4 15,7 16,4 15,5 17,3 15,5 16,4 Enquadramento Internacional PIB Zona Euro tvh % 1,4-0,4-0,2-0,6-0,3-0,4 0,1 PIB UE27 tvh % 1,5-0,2 0,2-0,3 0,1 PIB EUA tvh % 1,8 2,3 2,0 2,2 1,9 2,2 2,0 PIB Mundo. tvh % 4,2 3,2 3,5 3,1 3,2 2,9 3,4 Tx. Inflação (IHPC) Zona Euro tvh % 2,8 2,5 1,8 2,4 1,6 Preço do Petróleo (brent) (média anu USD / bbl 110,8 110,0 110,0 111,9 109,4 Euribor (3 meses) (média anual) % 1,39 0,6 0,2 0,6 0,2 Taxa de Câmbio (média) EUR/USD 1,392 1,27 1,27 1,28 1,31 Fontes: GEE-Gabinete de Estratégia e Estudos (Ministério da Economia e do Emprego) Nota: (a) Bens e serviços MF - Ministério das Finanças (Orçamento de Estado 2013) Siglas e abreviaturas: BdP - Banco de Portugal FBCF - Formação Bruta de Capital Fixo CE - Comissão Europeia IHPC - Índice Harmonizado de Preços no Consumidor FMI - Fundo Monetário Internacional PIB - Produto Interno Bruto OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico tvh - taxa de variação homóloga

5 Indicadores de Risco País Notação Risco Data Report Risco Data Report Global [AAA - D] BB 20-Jul-12 BB 14-Jan-13 Soberania [AAA - D] BB 20-Jul-12 BB 14-Jan-13 Cambial [AAA - D] BB 20-Jul-12 BB 14-Jan-13 Sector Bancário [AAA - D] BB 20-Jul-12 BB 14-Jan-13 Político [AAA - D] BBB 20-Jul-12 BBB 14-Jan-13 Estrutura Económica [AAA - D] B 20-Jul-12 B 14-Jan-13 Ambiente de Negócios Índice Global Máx. 10 6,75 07-Jan-13 6,75 08-Fev-13 Índice Global Máx. 10 6,53 07-Jan-13 6,53 08-Fev-13 Ranking Global Em 82 países Jan Fev-13 Ranking Global Em 82 países Jan Fev-13 Ranking Regional Em 18 Países a Jan Fev-13 Ranking Regional Em 18 Países a Jan Fev-13 Fonte: The Economist Intelligence Unit Nota: (a) Áustria, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia e R. Unido.

6 Valor Acrescentado Bruto (VAB) Actualizado em Março de 2013 Sector de Actividade Unid. Fonte Notas Preços Constantes Agricultura, Silvicultura e Pesca Milhões Eur INE Indústria Milhões Eur INE Energia, Água e Saneamento Milhões Eur INE Construção Milhões Eur INE Comércio, Restaurante e Hotéis Milhões Eur INE Transportes, Informação e Comunicações Milhões Eur INE Actividades Financeiras, de Seguros e Imobiliári Milhões Eur INE Outros Serviços Milhões Eur INE VAB total Milhões Eur INE Agricultura, Silvicultura e Pesca tvh % INE 2,4-4,6 3,1-3,8 1,6 0,6-1,0 Indústria tvh % INE 0,9 3,0-1,5-9,8 7,0 1,7-2,6 Energia, Água e Saneamento tvh % INE 11,0 1,1 4,0-5,6 9,2-2,6-0,8 Construção tvh % INE -2,6 2,0-4,9-10,7-5,4-9,7-15,8 Comércio, Restaurante e Hotéis tvh % INE 1,9 1,3-1,3 0,6 2,5-1,2-1,8 Transportes, Informação e Comunicações tvh % INE 4,8 6,8 2,7-2,3 0,3-1,6-2,6 Actividades Financeiras, de Seguros e Imobiliári tvh % INE 5,1 4,8 2,8 1,2 1,1-0,3-0,9 Outros Serviços tvh % INE -0,3 2,3 1,2 0,3 0,8-1,6-1,3 VAB total tvh % INE 1,7 2,7 0,4-2,2 1,9-1,3-2,4 Agricultura, Silvicultura e Pesca % Tot INE 2,7 2,5 2,6 2,6 2,5 2,6 2,6 Indústria % Tot INE 14,8 14,9 14,6 13,5 14,1 14,6 14,5 Energia, Água e Saneamento % Tot INE 3,3 3,2 3,3 3,2 3,4 3,4 3,4 Construção % Tot INE 7,3 7,2 6,8 6,2 5,8 5,3 4,6 Comércio, Restaurante e Hotéis % Tot INE 18,6 18,3 18,0 18,5 18,6 18,7 18,8 Transportes, Informação e Comunicações % Tot INE 8,4 8,8 9,0 9,0 8,8 8,8 8,8 Actividades Financeira e Imobiliária % Tot INE 15,0 15,3 15,7 16,2 16,1 16,3 16,5 Outros Serviços % Tot INE 29,9 29,8 30,0 30,8 30,5 30,4 30,8 VAB total % Tot INE 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0

7 Valor Acrescentado Bruto (VAB) Actualizado em Março de 2013 Sector de Actividade Unid. Fonte Notas Preços Correntes Agricultura, Silvicultura e Pesca Milhões Eur INE Indústria Milhões Eur INE Energia, Água e Saneamento Milhões Eur INE Construção Milhões Eur INE Comércio, Restaurante e Hotéis Milhões Eur INE Transportes, Informação e Comunicações Milhões Eur INE Actividades Financeiras, de Seguros e Imobiliári Milhões Eur INE Outros Serviços Milhões Eur INE VAB total Milhões Eur INE Agricultura, Silvicultura e Pesca tvh % INE 2,8-6,5 0,1-3,0 1,7-6,6-0,6 Indústria tvh % INE 2,3 3,9-1,4-8,0 7,9 3,4-1,8 Energia, Água e Saneamento tvh % INE 14,4 10,9-2,9 9,9 9,5-5,5-2,8 Construção tvh % INE 0,7 6,6 1,8-8,5-5,0-9,9-17,0 Comércio, Restaurante e Hotéis tvh % INE 2,7 4,2 1,4 3,4 0,9-0,5-1,2 Transportes, Informação e Comunicações tvh % INE 6,5 8,7 1,2 1,3-0,9 1,0-0,7 Actividades Financeiras, de Seguros e Imobiliári tvh % INE 9,1 10,1 4,3-5,5 3,2 2,2-0,7 Outros Serviços tvh % INE 1,6 4,7 4,2 4,1 0,5-4,0-5,8 VAB total tvh % INE 3,7 5,7 2,1-0,4 1,8-1,4-3,5 Agricultura, Silvicultura e Pesca % Tot INE 2,7 2,4 2,4 2,3 2,3 2,2 2,2 Indústria % Tot INE 14,8 14,6 14,1 13,0 13,8 14,5 14,7 Energia, Água e Saneamento % Tot INE 3,3 3,4 3,2 3,6 3,9 3,7 3,7 Construção % Tot INE 7,3 7,3 7,3 6,7 6,3 5,7 4,9 Comércio, Restaurante e Hotéis % Tot INE 18,6 18,3 18,2 18,9 18,7 18,9 19,3 Transportes, Informação e Comunicações % Tot INE 8,4 8,7 8,6 8,7 8,5 8,7 9,0 Actividades Financeiras, de Seguros e Imobiliári % Tot INE 15,0 15,6 16,0 15,1 15,3 15,9 16,4 Outros Serviços % Tot INE 29,9 29,7 30,3 31,6 31,2 30,4 29,7 VAB total % Tot INE 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 Sigla: INE - Instituto Nacional de Estatística

8 Emprego Actualizado em Fevereiro de 2013 Sector de Actividade 2008 (% Total) 2009 (% 2010 (% Total) Total) 2011* (% Total) 2012 (% Total) Var. % 2012/2011 Notas Agricultura, Produção Animal, Caça, Floresta e Pesca 11,2 11,2 10,9 9,9 10,5 1,6 Indústria, Construção, Energia e Água 29,3 28,2 27,7 27,3 25,6-10,2 Indústria Transformadora 17,2 16,8 16,6 16,8 16,6-5,4 Construção 10,7 10,0 9,7 9,1 7,7-18,9 Serviços 59,5 60,6 61,4 62,8 63,9-2,5 Comércio por Grosso e a Retalho 14,7 15,1 14,8 14,7 14,6-4,6 Transportes e Armazenagem 3,4 3,5 3,6 3,6 3,7-1,6 Alojamento e Restauração 6,1 5,8 5,9 6,0 6,1-3,3 Actividades de Informação e Comunicação 1,8 1,8 2,1 1,7 1,9 4,5 Actividades Financeiras e de Seguros 1,9 1,7 1,8 2,2 2,1-6,9 Actividades Imobiliárias 0,5 0,7 0,6 0,5 0,5-8,5 Activ. de Consultoria, Científicas e Técnicas 3,4 3,3 3,1 3,6 3,4-10,3 Activ. Administrativas e Serviços de Apoio 2,6 2,7 3,1 2,9 3,2 4,0 Administração Pública; Defesa e Segurança Social 6,6 6,6 6,3 6,4 6,3-5,8 Educação 6,6 7,1 7,4 7,6 8,0 0,7 Saúde e Acção Social 5,8 6,4 7,0 7,6 8,1 2,1 Activ. Artísticas, Espectáculos e Desportivas 0,9 0,9 0,7 1,1 1,1 - Outros Serviços 5,1 4,9 5,1 4,8 5,0 - Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 * Quebra de série Fonte: INE - Instituto Nacional de Estatística

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010 Evolução 2004-2010 Actualizado em Dezembro de 2010 Unid. Fonte 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Notas 2010 População a Milhares Hab. INE 10.509 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.638 3º Trimestre

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Portugal. Principais Indicadores Económicos

Portugal. Principais Indicadores Económicos Portugal Principais Indicadores Económicos janeiro de 2016 Índice 1 - Indicadores Macroeconómicos 2 - Previsões Macroeconómicas 3 - Valor Acrescentado Bruto 4 - Estatísticas de Emprego 5 - Indicadores

Leia mais

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS DADOS ESTATÍSTICOS A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas I. DADOS NACIONAIS 1. POPULAÇÃO 1.1 População Residente por Sexo e Grupo Etário: Censos 1 1.2 População Residente - Estimativas 1 2.

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Produto Interno Bruto

Produto Interno Bruto DESIGNAÇÃO Valores em 10^6 STD, a Preços Correntes TOTAL PRODUTO INTERNO BRUTO 638668 731901 900583 1043317 1332354 1673609 1974030 2786141 3121072 3610485 4229269 5064433 5638912 6230813 VALOR ACRESCENTADO

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal outubro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Boletim de Estatísticas. Fevereiro Banco de Cabo Verde

Boletim de Estatísticas. Fevereiro Banco de Cabo Verde Boletim de Estatísticas Fevereiro 2016 Banco de Cabo Verde BANCO DE CABO VERDE Departamento de Estudos Económicos e Estatísticas Avenida Amílcar Cabral, 27 CP 7600-101 - Praia - Cabo Verde Tel: +238 260

Leia mais

Portugal. Principais Indicadores Económicos

Portugal. Principais Indicadores Económicos Portugal Principais Indicadores Económicos Julho de Índice 1 - Indicadores Macroeconómicos 2 - Previsões Macroeconómicas 3 - Valor Acrescentado Bruto 4 - Estatísticas de Emprego 5 - Indicadores de Risco

Leia mais

COSMÉTICA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO

COSMÉTICA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO COSMÉTICA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO MARÇO DE 2003 Índice Panorama Nacional... 3 Panorama comunitário... 7 Anexo Estatístico... 8 2 Panorama Nacional O fabrico de produtos cosméticos

Leia mais

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 02 fevereiro 2017

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 02 fevereiro 2017 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 02 fevereiro 2017 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa Publicação anual Outubro 2016 Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa Comunidade em gráficos Área terrestre Milhares de km 2 População Milhões de habitantes, PIB EUR, mil milhões, preços

Leia mais

Poupança e Investimento

Poupança e Investimento Poupança e Investimento Fernando Alexandre Ordem dos Economistas, Lisboa 19 de abril 2017 Poupança e Financiamento da Economia Portuguesa 1. A importância da poupança 2. Desequilíbrios e estagnação: uma

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor do Departamento de Estatística 24 novembro 2015 Lisboa BPstat mobile Evolução da difusão estatística

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil

Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil Realizado para: Última Atualização 11/03/2016 Próxima Atualização 11/04/2016 I. Principais indicadores macroeconómicos entre Portugal-Brasil 2016 População,

Leia mais

Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas nível (10 6 euros) taxa de variação. taxa de variação

Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas nível (10 6 euros) taxa de variação. taxa de variação Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas 2013 2013 2014 2015 2016 2017 nível (10 6 euros) 1. PIB (real) 1 B1*g 162852,2-1,4 1,2 1,5 1,7 1,8 1,8 2. PIB (nominal) B1*g 165666,3 0,3 2,0 2,4 3,4 3,7 3,7 Componentes

Leia mais

A ECONOMIA PORTUGUESA NO MUNDO

A ECONOMIA PORTUGUESA NO MUNDO A ECONOMIA PORTUGUESA NO MUNDO MANUEL CALDEIRA CABRAL UNIVERSIDADE DO MINHO FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO 29 DE SETEMBRO 2010 INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA Porque é que é importante Crescimento

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 4º Trimestre de 2010 Coordenação de Contas Nacionais 03 de março de 2010 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

Medidas Fiscais: Impostos sobre o Rendimento TITLE. Samuel Fernandes de Almeida

Medidas Fiscais: Impostos sobre o Rendimento TITLE. Samuel Fernandes de Almeida Medidas Fiscais: Impostos sobre o Rendimento TITLE Samuel Fernandes de Almeida 1 ÍNDICE Dados macroeconómicos / Caracterização das receitas fiscais Estrutura das receitas fiscais no Orçamento do Estado

Leia mais

Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil

Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil Realizado para: Última Atualização 19/05/2016 Próxima Atualização 15/06/2016 Copyright 2016 Portugal Economy Probe PE Probe Preparado pelo PE Probe para

Leia mais

BALANÇA DE PAGAMENTOS Balança de Pagamentos Externos de Portugal Valores Líquidos Base de transacções Balança de Pagamentos Externos

BALANÇA DE PAGAMENTOS Balança de Pagamentos Externos de Portugal Valores Líquidos Base de transacções Balança de Pagamentos Externos ÍNDICE DE QUADROS Parte I ESTATÍSTICAS MONETÁRIAS E FINANCEIRAS Balanço do Banco de Portugal Dez 1947-Dez 1956... 11 Balanço do Banco de Portugal Dez 1957-Dez 1965... 12 Balanço do Banco de Portugal Mar

Leia mais

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 01 janeiro 2017 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

CAE 27 - INDÚSTRIAS METALÚRGICAS DE BASE ESTATÍSTICA DAS EMPRESAS

CAE 27 - INDÚSTRIAS METALÚRGICAS DE BASE ESTATÍSTICA DAS EMPRESAS CAE Rev. 2.1 - INDÚSTRIAS METALÚRGICAS DE BASE ESTATÍSTICA DAS EMPRESAS Totais Nacionais % no total da Indústria Transformadora 2000 2001 2002 2003 2004* 2005* 2006* 2007* 2008 2000 2001 2002 2003 2004*

Leia mais

Hungria - Síntese País

Hungria - Síntese País Informação Geral sobre a Hungria Área (km 2 ): 93 030 Primeiro-Ministro: Viktor Orban População (milhões hab.): 9,82 (estimativa 2016) Risco de crédito: (*) Capital: Budapeste Risco do país: BB (AAA =

Leia mais

Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas nível (10 6 euros) taxa de variação

Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas nível (10 6 euros) taxa de variação Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas 2012 2012 2013 2014 2015 2016 nível (10 6 euros) 1. PIB (real) 1 B1*g 165644,9-3,2-2,3 0,6 1,5 1,8 2,2 2. PIB (nominal) B1*g 165409,2-3,3-0,6 1,8 2,7 3,5 3,7 Componentes

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Maio 2016 Índice 1. Situação Monetária... 1 1.1. Base Monetária (BM)... 1 1.2. Massa Monetária (M3)... 2 1.2.2. Activo Externo Líquido...

Leia mais

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO

PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO 1 PIB DO BRASIL (VARIAÇÃO ANUAL) 1984-2014 2 2 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E PROJEÇÃO: BRADESCO DESAFIOS DA ECONOMIA BRASILEIRA: DEMOGRAFIA, MERCADO DE TRABALHO E AMBIENTE EXTERNO 3 3 O BAIXO DESEMPREGO NO

Leia mais

1º Caderno de Exercícios

1º Caderno de Exercícios 1º Caderno de Exercícios Exercícios Referentes aos Capítulos 1 e 2 do Programa 1. Considere os seguintes elementos referentes ao Capital e o valor da Produção na empresa do Sr. A, ao longo dos últimos

Leia mais

PORTUGAL UMA NOVA CENTRALIDADE LOGÍSTICA. Dia Regional Norte do Engenheiro 2012

PORTUGAL UMA NOVA CENTRALIDADE LOGÍSTICA. Dia Regional Norte do Engenheiro 2012 Dia Regional Norte do Engenheiro 2012 Bragança, 29 de setembro de 2012 José António de Barros Presidente de AEP 1 Gráfico I 2 Tabela I 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Exportações Globais (Bens e Serviços),

Leia mais

2 Enquadramento Económico

2 Enquadramento Económico 2 Enquadramento Económico Economia internacional Economia da União Europeia Economia portuguesa Economia internacional 1. Em 2008, o crescimento da economia mundial desacelerou significativamente. O ritmo

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CGD 2015

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CGD 2015 INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CGD 2015 INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE 2015 G4-10 NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES Discriminados por contrato de trabalho e género - por região (2015) (em número) 2 CGD,SA

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011

O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA Funchal, 10 de Novembro de 2011 O tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira: Caracterização Evolução Crescimento empresarial MADEIRA 2011 Funchal, 10 de Novembro de 2011 BUSINESS PLAN Financial Analysis Agenda O tecido empresarial

Leia mais

gabinete de estratégia e estudos

gabinete de estratégia e estudos Gabinete de Estratégia e Estudos Síntese Estatística gabinete de estratégia e estudos INVESTIMENTO DIRECTO Exterior em Portugal e Portugal no Exterior Agosto de 26 Índice Tratamento e análise dos dados

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 2º Trimestre de 2013 Coordenação de Contas Nacionais 30 de agosto de 2013 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

ISLÂNDIA. Comércio Exterior

ISLÂNDIA. Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ISLÂNDIA Comércio Exterior Fevereiro de 2016 Principais indicadores

Leia mais

EUA - Síntese País. Informação Geral sobre os EUA. Principais Indicadores Macroeconómicos dos EUA

EUA - Síntese País. Informação Geral sobre os EUA. Principais Indicadores Macroeconómicos dos EUA Informação Geral sobre os EUA Área (km 2 ): 9 161 923 Vice-Presidente: Joseph R. Biden População (milhões hab.): 321,3 (2015) Risco de crédito: (**) Capital: Washington, D.C. Risco do país: AA (AAA = risco

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Índice 1. Situação Monetária... 4 1.1. Base Monetária... 4 1.2. Massa Monetária... 5 1.2.1. Crédito à Economia... 6 1.2.2. Activo Externo

Leia mais

Dinamarca Junho Mercado em números

Dinamarca Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Copenhaga Localização: Norte da Europa Fronteiras terrestres: 140 km com a Alemanha Holanda Alemanha Bélgica Luxemburgo Rep. Checa Polónia

Leia mais

INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO

INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2005 Indústria do Mobiliário A indústria do mobiliário (CAE 361 fabricação de mobiliário e de colchões) reunia, em 2002, 6933 empresas, responsáveis

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 09 setembro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

BANCO DE PORTUGAL Eurosistema CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA

BANCO DE PORTUGAL Eurosistema CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA BANCO DE PORTUGAL Eurosistema ESTATÍSTICAS STICAS DA CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA, TÓPICOS 1. A do 2. Resultados da intervenção do sobre os dados individuais das empresas 3. Principais

Leia mais

Coreia do Sul Março Mercado em números

Coreia do Sul Março Mercado em números Março 2017 Mercado em números Designação oficial: República da Coreia Capital: Seul Localização: Ásia Oriental Fronteiras terrestres: Sua única fronteira terrestre é com a Coreia do Norte Área total: 99

Leia mais

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos).

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos). Mai-04 Mai-05 Mai-06 Mai-07 Mai-08 Mai-09 Mai-10 Mai-11 Mai-12 Análise de Conjuntura Junho 2014 Indicador de Sentimento Económico Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União

Leia mais

Coreia do Sul Junho Mercado em números

Coreia do Sul Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: República da Coreia Capital: Seul Localização: Ásia Oriental Fronteiras terrestres: Sua única fronteira terrestre é com a Coreia do Norte Área total: 99

Leia mais

Bélgica Dezembro Mercado em números

Bélgica Dezembro Mercado em números Dezembro 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Bruxelas Localização: Europa Ocidental Fronteiras terrestres: 1.297 km com a Alemanha (133 km), França (556 km), Holanda (478 km)

Leia mais

INDICADORES DE I&D - COMPARAÇÕES INTERNA CIONAIS OCT Observatório das Ciências e das Tecnologias

INDICADORES DE I&D - COMPARAÇÕES INTERNA CIONAIS OCT Observatório das Ciências e das Tecnologias INDICADORES DE I&D - COMPARAÇÕES INTERNA CIONAIS 1999 OCT Observatório das Ciências e das Tecnologias 2001 Índice Comparações Internacionais Despesa total em I&D em percentagem do PIB (1982-1999) (Gráfico)

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de fevereiro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de fevereiro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, de fevereiro de 3 Banco de Portugal divulga estatísticas da balança de pagamentos e da posição de investimento internacional referentes a O Banco de Portugal publica

Leia mais

Em Portugal o PIB per capita expresso em Paridades de Poder de Compra foi 76% da média da União Europeia em 2007.

Em Portugal o PIB per capita expresso em Paridades de Poder de Compra foi 76% da média da União Europeia em 2007. 1111 DDEE DDEEZZEEMMBBRROO DDEE 22000088 Paridades de Poder de Compra 2007 Em Portugal o PIB per capita expresso em Paridades de Poder de Compra foi 76% da média da União Europeia em 2007. Com base em

Leia mais

Portugal. Turismo Interno. Mercado em Números. Rodapé

Portugal. Turismo Interno. Mercado em Números. Rodapé Turismo Interno Mercado em Números 1 Rodapé Designação oficial: República Portuguesa Capital: Lisboa Localização: Sudoeste da Europa Fronteiras terrestres: Espanha (1.241 km) Fronteiras marítimas: Madeira(1076,6

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra manteve-se em 76% da média da União Europeia em 2008.

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra manteve-se em 76% da média da União Europeia em 2008. Paridades de Poder de Compra 2008 15 de Dezembro de 2009 Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra manteve-se em 76% da média da União Europeia em 2008. Com

Leia mais

Perspectivas para a economia brasileira e a América Latina. Ilan Goldfajn Economista-Chefe e sócio Itaú Unibanco

Perspectivas para a economia brasileira e a América Latina. Ilan Goldfajn Economista-Chefe e sócio Itaú Unibanco Perspectivas para a economia brasileira e a América Latina Ilan Goldfajn Economista-Chefe e sócio Itaú Unibanco Abril 2013 1 Roteiro Internacional Recuperação moderada. Riscos de quebra menores, mas volatilidade

Leia mais

Itália Junho Mercado em números

Itália Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: República Italiana Capital: Roma Localização: Sul da Europa. Península que se estende pelo Mar Mediterrâneo a nordeste da Tunísia Fronteiras terrestres:

Leia mais

Itália Março Mercado em números

Itália Março Mercado em números Março 2016 Mercado em números Designação oficial: República Italiana Capital: Roma Localização: Sul da Europa. Península que se estende pelo Mar Mediterrâneo a nordeste da Tunísia Fronteiras terrestres:

Leia mais

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015)

Risco do país: B (AAA = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: José Eduardo dos Santos Tx. Câmbio: 1 EUR = 117,8535 AOA (janeiro 2015) Informação Geral sobre Angola Área (km 2 ): 1 246 700 Vice-Presidente: Manuel Vicente População (milhões hab.): 22,1 (estimativa ) Risco de crédito: 5 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Luanda

Leia mais

Bélgica Junho Mercado em números

Bélgica Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: Reino da Capital: Bruxelas Localização: Europa Ocidental Fronteiras terrestres: 1.297 km com a Alemanha (133 km), França (556 km), Holanda (478 km) e Luxemburgo

Leia mais

Portugal. Turismo Interno. Mercados em Números. Rodapé

Portugal. Turismo Interno. Mercados em Números. Rodapé Turismo Interno Mercados em Números 1 Rodapé Designação oficial: República Portuguesa Capital: Lisboa Localização: Sudoeste da Europa Fronteiras terrestres: Espanha (1.241 km) Fronteiras marítimas: Madeira(1076,6

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

E depois da troika? Viver com o memorando. Fernando Faria de Oliveira. Caixa Geral de Depósitos

E depois da troika? Viver com o memorando. Fernando Faria de Oliveira. Caixa Geral de Depósitos E depois da troika? Viver com o memorando. Fernando Faria de Oliveira Caixa Geral de Depósitos Centro de Congressos de Lisboa, 4 de Julho 2011 A comportamento do mercado em relação ao risco da dívida soberana

Leia mais

O CONTRIBUTO DO IVA PARA AS RECEITAS PÚBLICAS

O CONTRIBUTO DO IVA PARA AS RECEITAS PÚBLICAS CONFERÊNCIA COMEMORATIVA DOS 30 ANOS DO IVA EM PORTUGAL II Painel: O funcionamento do IVA: A experiência do funcionamento do imposto em Portugal O CONTRIBUTO DO IVA PARA AS RECEITAS PÚBLICAS Jorge Oliveira*

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS Índice de Preços IGP-M IGP-DI Mensal No ano Em 12 meses Mensal No ano Em 12 meses Jan. 0,39 0,39 11,87 0,33 0,33 11,61 Fev. 0,30 0,69 11,43 0,40 0,74 10,86 Mar. 0,85 1,55 11,12 0,99

Leia mais

Reino Unido - Síntese País

Reino Unido - Síntese País Informação Geral sobre o Reino Unido Área (km 2 ): 242 509 Primeiro-Ministro: Theresa May População (milhões hab.): 64,4 (2015) Risco de crédito: (*) Capital: Londres Risco do país: BBB (AAA=risco menor;

Leia mais

Portugal Área Euro (1) EUA. Portugal. em percentagem Espanha. Reino Unido. Áustria Estados Unidos Holanda Alemanha. França.

Portugal Área Euro (1) EUA. Portugal. em percentagem Espanha. Reino Unido. Áustria Estados Unidos Holanda Alemanha. França. Fevereiro 7 A. Contas nacionais Fonte: Banco de, Instituto Nacional de Estatística, Banco Central Europeu, Eurostat e Bureau of Economic Analysis Área Euro () EUA ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT

Leia mais

Estatísticas da Globalização

Estatísticas da Globalização Estatísticas da Globalização 28-213 28 de março de 214 Indicadores da globalização revelam integração internacional da economia portuguesa No período 28-213, em particular a partir do ano 21, a economia

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO ENCONTRO BRADESCO-APIMEC CENÁRIO MACROECONÔMICO 26 DE NOVEMBRO DE 2015 FABIANA D ATRI Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC 1 Ambiente Internacional AMBIENTE INTERNACIONAL Fimdolongociclodecommodities.

Leia mais

Implicações da subida do IVA no sector alimentar

Implicações da subida do IVA no sector alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares Implicações da subida do IVA no sector alimentar Junho 2011 Agenda 1. Enquadramento estratégico do sector 2. Análise de competitividade da Indústria

Leia mais

Espanha - Síntese País

Espanha - Síntese País Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 46,4 (2015) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA=risco menor; D=risco

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Análise do Mercado dos Produtos Petrolíferos em 2011 Introdução O preço dos combustíveis é um tema sempre presente na nossa sociedade, que afeta todos os

Leia mais

Espanha - Síntese País

Espanha - Síntese País Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 46,4 (2016) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA=risco menor; D=risco

Leia mais

AGENDA CARACTERIZAÇÃO DA FILEIRA VINHO E AZEITE AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS ADERENTES DEBATE DE IDEIAS CONCLUSÕES

AGENDA CARACTERIZAÇÃO DA FILEIRA VINHO E AZEITE AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS ADERENTES DEBATE DE IDEIAS CONCLUSÕES AGENDA CARACTERIZAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS ADERENTES DEBATE DE IDEIAS CONCLUSÕES ENQUADRAMENTO ECONÓMICO Portugal Norte Terras de Trás-os- Montes Douro Alto Tâmega

Leia mais

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016 OBSERVATÓRIO Exportações e Investimento Externo Novembro O presente documento constitui uma análise do desempenho recente das relações económicas de Portugal com o estrangeiro, ao nível das exportações

Leia mais

Áustria Junho Mercado em números

Áustria Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Designação oficial: República da Capital: Viena Localização: Europa Central Alemanha Rep. Checa Eslováquia Liechtenstein Hungria Suíça Eslovénia Itália Fronteiras terrestres:

Leia mais

Bélgica - Síntese País

Bélgica - Síntese País Informação Geral sobre a Bélgica Área (km 2 ): 30 528 Primeiro-Ministro: Charles Michel População (milhões hab.): 11,1 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Bruxelas Risco do país: A2 (AAA =

Leia mais

Angola. Evolução dos principais indicadores económicos e financeiros entre 2008 e 2012 e perspectivas futuras. Junho 2013

Angola. Evolução dos principais indicadores económicos e financeiros entre 2008 e 2012 e perspectivas futuras. Junho 2013 Angola Evolução dos principais indicadores económicos e financeiros entre 28 e 212 e perspectivas futuras Junho 213 Sumário da apresentação Produto Interno Bruto Inflação Exportações e Reservas Internacionais

Leia mais

Suécia - Síntese País

Suécia - Síntese País Informação Geral sobre a Suécia Área (km 2 ): 450 295 Primeiro-Ministro: Stefan Lofven População (milhões hab.): 10 (2016) Risco de crédito: (*) Capital: Estocolmo Risco do país: AA (AAA = risco menor;

Leia mais

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial XIX Congresso Brasileiro de Economia Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda aclacerda@pucsp.br Bonito, 09 de Setembro de 2011. Page 1 Economia

Leia mais

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 05 de Outubro de 2015 ECONOMIA INTERNACIONAL: TAXAS DE JUROS DE

Leia mais

Brasil - Síntese País

Brasil - Síntese País Informação Geral sobre o Brasil Área (km 2 ): 8 547 400 Vice-Presidente: Michel Temer População (milhões hab.): 202,8 (estimativa 2014) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Brasília

Leia mais

Polónia - Síntese País

Polónia - Síntese País Informação Geral sobre a Polónia Área (km 2 ): 311 889 Primeiro-Ministro: Beata Szydło População (milhões hab.): 38,4 (estimativa 2015) Risco de crédito: (*) Capital: Varsóvia Risco do país: BBB (AAA =

Leia mais

O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado. São Paulo, 06 de julho de 2006

O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado. São Paulo, 06 de julho de 2006 O Papel da Indústria de Fundos Brasileira na Promoção do Desenvolvimento Econômico Sustentado São Paulo, 06 de julho de 2006 Relação Moedas x Ouro - 01/1999=100 Cotação Ouro (onça-troy) - 100=12/2000 270

Leia mais

França - Síntese País

França - Síntese País Informação Geral sobre França Área (km 2 ): 543 965 Primeiro-Ministro: Manuel Valls População (milhões hab.): 66,6 (estimativa janeiro 2016) - Insee Risco de crédito: (*) Capital: Paris Língua oficial:

Leia mais

Crescimento e competitividade da economia moçambicana João Mosca Lisboa, ISEG/UTL, 22 de Março 2012

Crescimento e competitividade da economia moçambicana João Mosca Lisboa, ISEG/UTL, 22 de Março 2012 Crescimento e competitividade da economia moçambicana 2001-2010 João Mosca Lisboa, ISEG/UTL, 22 de Março 2012 Que padrão de crescimento Factores do crescimento e da competitividade (com enfoque macro ex

Leia mais

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 3 março 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

ÍNDICE. Prefácio à presente edição 7. Prefácio à 3. 8 edição 9. Prefácio à 2.- edição 13. Prefácio à 1.* edição 15

ÍNDICE. Prefácio à presente edição 7. Prefácio à 3. 8 edição 9. Prefácio à 2.- edição 13. Prefácio à 1.* edição 15 ÍNDICE Prefácio à presente edição 7 Prefácio à 3. 8 edição 9 Prefácio à 2.- edição 13 Prefácio à 1.* edição 15 1. Introdução e fases do crescimento português 19 Resumo 19 1.1. As fases do crescimento económico

Leia mais

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS EXPOCOSMÉTICA AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2010 Fabricação de Perfumes, Cosméticos e de Produtos de Higiene (CAE 2452) Índice 1. Variáveis das Empresas (CAE 2452)... 3 2. Comércio Inter... 6 2.1

Leia mais

Secção Permanente de Estatísticas Económicas

Secção Permanente de Estatísticas Económicas «Secção Permanente de Estatísticas Económicas QUE INDICADORES EXISTEM PARA AVALIAR O COMPORTAMENTO CONJUNTURAL DA ECONOMIA? «Raquel Ferreira Departamento de Contas Nacionais Lisboa, 24 Maio 2013 Informação

Leia mais

Suíça Junho Mercado em números

Suíça Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Mercado em números junho 2016 Designação oficial: Confederação Capital: Berna Localização: Europa Central Fronteiras terrestres: 1.770 km com a Alemanha (348 km), Áustria

Leia mais

Moçambique -Síntese País

Moçambique -Síntese País Informação Geral sobre Moçambique Área (km 2 ): 799 380 Primeiro-Ministro: Carlos Agostinho do Rosário População (milhões hab.): 26,4 (Banco Mundial 2014) Risco de crédito : 7 (1 = risco menor; 7 = risco

Leia mais

SECTOR AGRO-ALIMENTAR

SECTOR AGRO-ALIMENTAR SECTOR AGRO-ALIMENTAR AEP / Gabinete de Estudos Março de 2007 A indústria alimentar e das bebidas ( 15 1 ) é um sector com forte expressividade na economia nacional, o que não é de estranhar dada a sua

Leia mais

Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga)

Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga) G1 Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga) 35 3 25 Em percentagem 2 15 1 5 Jan-91 Jan-92 Jan-93 Jan-94 Jan-95 Jan-96 Jan-97Jan-98 Jan-99 Jan- Jan-1 Sociedades não Financeiras

Leia mais

A Competitividade Externa da Economia Portuguesa

A Competitividade Externa da Economia Portuguesa Universidade de Aveiro DEGEI Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial Trabalho Individual Análise de dados 24 De Abril de 2014 A Competitividade Externa da Docente: João Paulo Bento Discente:

Leia mais