EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES"

Transcrição

1 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES Versão actualizada em Fevereiro de 211 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares

2 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES Em Portugal, a produção de carnes representa cerca de 25% da produção agrícola total. Os últimos anos caracterizaram-se por uma instabilidade no mercado da carne, devido à subida significativa dos preços dos alimentos para animais, em consequência do aumento do custo das matérias-primas, como os cereais e a soja, associada posteriormente a uma crise económica e financeira a nível mundial, que afecta todos os sectores e, directa e indirectamente também o mercado da produção de carne. Na última década, tem havido um pequeno crescimento generalizado em quase todos os sectores da produção animal. No entanto, do ano 28 para 29, houve um decréscimo nos sectores da carne de bovino, suíno e ovino e caprino, sendo o das aves e ovos o único cuja produção subiu 2% nestes dois anos. O crescimento na produção nestes sectores não tem sido suficiente para acompanhar o crescimento do consumo nacional de carne, pelo que a dependência da oferta externa é uma característica que se acentua nesta fileira. Com efeito, o grau de auto-aprovisionamento total médio no sector da carne cifra-se em cerca de 74%. À excepção da carne de aves, em que este indicador se situa perto da auto-suficiência (92%), nas restantes carnes o mesmo parâmetro apresenta valores reduzidos, com particular destaque para a carne de bovino com um valor de 52%. Face ao grau de auto-aprovisionamento registado, o saldo da balança comercial é, no geral, acentuadamente negativo. A pressão da oferta externa faz-se sentir em todo o sector da carne com muita intensidade, com os principais fornecedores a pertencerem à União Europeia, os quais asseguram 95% do volume importado. No entanto, nos últimos anos tem vindo a aumentar o volume de importações de países terceiros, em particular da América do Sul. 2 Dezembro 21

3 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO O sector da produção de carne de bovino, em Portugal, representa 25 % do valor da produção animal. A Espanha constitui a principal origem das nossas compras de carne de bovino, sendo o principal abastecedor do mercado nacional, com 53% do valor das entradas de carne deste sector. Em segundo lugar vêm os Países Baixos, com uma quota de 16%. As saídas, embora muito reduzidas, são direccionadas maioritariamente para Espanha e Bélgica. A produção de carne de bovino tem subido de uma forma ligeira, no entanto, continua a não ser suficiente para a procura interna, uma vez que Portugal continua a ter que importar cerca de metade do que consome. Esta dependência do exterior coloca o país numa posição muito vulnerável à oscilação de preços no mercado internacional. O consumo interno mantém-se regular, com uma média anual de toneladas de carne consumidas nos dois anos em estudo. Carne de Bovino PRODUÇÃO CONSUMO Gráfico 1 Evolução da produção e do consumo no sector da carne de bovino Fonte: Elaboração própria com base nos dados do INE A balança comercial deste sector é altamente deficitária, tendo atingido os 357 milhões de euros em Dezembro 21

4 Apesar das saídas terem aumentado 6% de 28 para 29, as importações sofreram um incremento maior, de 17%, que corresponde a um valor de 16,3 milhões de euros. Nos gráficos seguintes apresentamos a evolução da balança de pagamentos deste sector, nos anos de 28 e 29, em volume e em valor. Estes valores incluem as entradas e saídas de carne e miudezas de bovino frescas ou refrigeradas e congeladas. 12. Carne de Bovino Volume Importações , ,4 Exportações 3.6, ,1 Gráfico 2 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de bovino, em volume 4 Carne de Bovino Valor Milhões de Euros Importações 355,8 372,1 Exportações 9,3 15,1 Gráfico 3 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de bovino, em valor 4 Dezembro 21

5 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DA CARNE DE OVINO E CAPRINO O sector da carne de ovino e caprino, em Portugal, representa cerca de 6 % da produção animal. Esta fileira apresenta uma forte ligação à produção extensiva, sendo um sector muito ameaçado, em grande parte devido às dificuldades inerentes ao maneio das explorações e pelas crescentes exigências sanitárias. Em Portugal, a produção de ovinos concentra-se essencialmente na zona do Alentejo (54%), enquanto que os caprinos se encontram disseminados praticamente por todo o país, tendo importância também no Alentejo (22%), Beira interior (23%), Beira Litoral (15%), Trás-os-Montes (14%), EDM (11%) e Ribatejo e Oeste (9%). A produção e consumo deste tipo de carne, em Portugal, apresentam um decréscimo de 29 para 28, sendo o grau de aprovisionamento no último ano em estudo de 72%. Carne de Ovino e Caprino PRODUÇÃO CONSUMO Gráfico 4 Evolução da produção e do consumo no sector da carne de ovino e caprino Fonte: Elaboração própria com base nos dados do INE No que diz respeito ao comércio internacional, este é um sector deficitário, em que o valor das importações é, em média, 24 vezes superior ao das exportações. De 28 para 29 as entradas aumentaram 3 % e as saídas desceram 25%. O valor médio do défice nos dois anos em estudo é de 27,7 milhões de euros. 5 Dezembro 21

6 As nossas compras ao exterior têm como origens principais a Nova Zelândia, donde importamos exclusivamente carne congelada, a Espanha e o Reino Unido. No que se refere às saídas deste sector, têm como destinos principais Angola e Cabo Verde, mas são pouco significativas, quando comparamos com a carne de outros tipos de animais. Nos gráficos 5 e 6 apresentamos a evolução da balança de pagamentos deste subsector, nos anos de 28 e 29, em volume e em valor. Estes valores incluem as entradas e saídas de carne de ovino e caprino fresca ou refrigerada e carne de ovino e caprino congelada Carne de Ovino e Caprino Volume Importações 7.617, ,5 Exportações 1.397,1 378, Gráfico 5 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de ovino e caprino, em volume - 4 Carne de Ovino e Caprino Valor Milhões de Euros Importações 26,3 34, Exportações 3,5 1,4 Gráfico 6 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de ovino e caprino, em valor 6 Dezembro 21

7 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DA CARNE DE SUÍNO A produção de carne de suíno, em Portugal, representa cerca de 2% da produção animal. Esta fileira assenta maioritariamente na produção pecuária intensiva, com um grau de industrialização elevado. A possibilidade de expansão deste sector poderá eventualmente depender de um aumento da concentração da oferta, assim como de uma maior ligação da produção à indústria. Por outro lado, sendo um sector particularmente afectado por normas exigentes nos domínios do ambiente, segurança alimentar e bem-estar animal, a progressão da fileira está também dependente da capacidade de adaptação das explorações à introdução de novas regras, e da necessidade de desburocratizar as exigências ambientais. Quanto ao comércio externo, a Espanha é simultaneamente o nosso principal fornecedor e cliente: em 29 forneceu 96% das nossas compras de carne deste sector ao exterior e absorveu 45 % das nossas vendas. Este sector apresenta um grau de auto-aprovisionamento aprovisionamento de 8%, sendo consumidas anualmente cerca de 493. toneladas deste tipo de carne em Portugal. Carne de Suíno PRODUÇÃO CONSUMO Gráfico 7 Evolução da produção e do consumo no sector da carne de suíno Fonte: Elaboração própria com base nos dados do INE A balança comercial do sector da carne de suíno é muito deficitária, apresentando um saldo médio nos dois anos em estudo de 2 milhões de euros. De 28 para 29 houve uma 7 Dezembro 21

8 subida nas entradas de 4. toneladas, sendo que as saídas se mantiveram estáveis, correspondendo a um aumento do défice de 11 milhões de euros. Nos gráficos seguintes, apresentamos a evolução da balança de pagamentos deste sector, nos anos de 28 e 29, em volume e em valor. Estes valores incluem as entradas e saídas de carne e miudezas de suíno frescas ou refrigeradas e congeladas. 16. Carne de Suíno Volume Importações , ,8 Exportações 24.71, ,1 Gráfico 8 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de suíno, em volume 4 Carne de Suíno Valor Milhões de Euros Importações 244,7 256,9 Exportações 54,6 45,9 Gráfico 9 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de suíno, em valor 8 Dezembro 21

9 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DA CARNE DE AVES A produção de aves de capoeira tem registado, ao longo dos anos, um crescimento sustentado, quer em volume, quer em valor. Apesar das crises dos últimos anos que abalaram o sector avícola, como o problema dos nitrofuranos ou a gripe aviária, que originaram uma retracção do consumo e consequente redução do efectivo em produção, a produção tem vindo a recuperar. No seio deste sector, a carne de frango é o principal segmento de actividade, representando cerca de 8% do seu valor económico. O sector da avicultura caracteriza-se por ser um dos poucos com um grau de auto-aprovisionamento ao nível da auto-suficiência, com um valor de 92%. Em Portugal, consumiram-se, em 29, cerca de 333 mil toneladas de carne de aves, tendo a produção e o consumo, subido, respectivamente 3% e 4% nos anos em estudo Carne de Aves PRODUÇÃO CONSUMO Gráfico 1 Evolução da produção e do consumo no sector da carne de aves Fonte: Elaboração própria com base nos dados do INE O saldo da balança comercial apresenta valores negativos, com um défice médio de 61,6 milhões de euros nos anos de 28 e 29. As entradas registaram um aumento de 18%, em volume, assinalando-se um incremento na entrada de carne de galinha e frango de 3% e de 1 % na carne de peru. As saídas mantiveram-se relativamente estáveis. A Espanha é o nosso principal cliente e fornecedor, representando cerca de 5% do volume de carne de aves total que entra no nosso país. A Itália e Angola são também destinos externos importantes. 9 Dezembro 21

10 Nos gráficos seguintes, apresentamos a evolução da balança de pagamentos deste sector, nos anos de 28 e 29, em volume e em valor. Estes dados incluem as entradas e saídas de carne e miudezas de galinha, frango, peru, pato, ganso e pintada fresca ou refrigerada e congelada. 4. Carne de Aves Volume Importações , ,1 Exportações 8.348, ,4 Gráfico 11 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de aves, em volume 1 Carne de Aves Valor Milhões de Euros Importações 7,7 77,4 Exportações 12,9 12,1 Gráfico 12 Evolução da balança de pagamentos no sector da carne de aves, em valor 1 Dezembro 21

11 Documentação técnica consultada: Gabinete de Planeamento e Politicas (27). Diagnósticos Sectoriais. Disponível em: Gabinete de Planeamento e Políticas. Anuários Pecuários. Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas. Instituto Nacional de Estatística (29). Estatísticas Agrícolas. Instituto Nacional de Estatística. Instituto Nacional de Estatística (28). Estatísticas Agrícolas. Instituto Nacional de Estatística. 11 Dezembro 21

SECTOR AGRO-ALIMENTAR

SECTOR AGRO-ALIMENTAR SECTOR AGRO-ALIMENTAR AEP / Gabinete de Estudos Março de 2007 A indústria alimentar e das bebidas ( 15 1 ) é um sector com forte expressividade na economia nacional, o que não é de estranhar dada a sua

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DO AZEITE ENTRE 2000 E 2009

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DO AZEITE ENTRE 2000 E 2009 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS NO SECTOR DO AZEITE ENTRE 2 E 29 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DO AZEITE

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 25-01 a 31-01- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise registou-se

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009 Observatório rio dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares Alimentares Julho 2011 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS

Leia mais

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2010 1. Variáveis das empresas A fabricação de máquinas para trabalhar madeira insere-se na CAE 294 Fabricação de máquinas ferramentas, que, por sua vez, está contemplada

Leia mais

Base: INE (2008) Peso das Exportações do Vinho no total das Exportações da Economia Portuguesa (em Valor)

Base: INE (2008) Peso das Exportações do Vinho no total das Exportações da Economia Portuguesa (em Valor) OBSERVATÓRIO DO VINHO Análise de Mercados de Exportação EUA Canadá Brasil - Angola Mercados Internacionais de Vinho 1. Balança do Vinho Português 2. Exportações Terceiros de Vinho Português para Países

Leia mais

DESTAQUE ELEMENTOS DE CARACTERIZAÇÃO ELEMENTOS AUXILIARES PONTOS FORTES PONTOS FRACOS

DESTAQUE ELEMENTOS DE CARACTERIZAÇÃO ELEMENTOS AUXILIARES PONTOS FORTES PONTOS FRACOS INDICADORES GLOBAIS DA EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE ECONÓMICA 7,4% 20,4% 11,1% 25,9% 16,7% 13,0% 5,6% Indicador de Confiança dos Consumidores da região do (3º trimestre de 2003): - 41 Variação homologa do Índice

Leia mais

Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo

Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo Claudino Matos ACOS O objectivo deste trabalho é apresentar a evolução recente dos efectivos de pequenos ruminantes no Alentejo bem como dos

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil Setor Agroalimentar

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil Setor Agroalimentar Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Brasil Setor Agroalimentar Outubro 2015 Índice 1. Evolução das exportações portuguesas

Leia mais

Sectores da Economia. Sector Primário Sector Secundário Sector Terciário Sector Quaternário

Sectores da Economia. Sector Primário Sector Secundário Sector Terciário Sector Quaternário Sectores da Economia Sector Primário Sector Secundário Sector Terciário Sector Quaternário Sector Primário O sector primário está relacionado com a produção através da exploração de recursos da natureza.

Leia mais

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes

Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes Situação Actual da Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa,

Leia mais

Produção deficitária e variação média anual dos preços das rações acima da dos preços à produção caracterizam o setor das carnes no período

Produção deficitária e variação média anual dos preços das rações acima da dos preços à produção caracterizam o setor das carnes no período 23 de março de 216 Estatísticas Agrícolas Estatísticas da Produção e Consumo de Carne 214 Produção deficitária e variação média anual dos preços das rações acima da dos preços à produção caracterizam o

Leia mais

Limitação à captura de sardinha faz disparar as importações e reforça a importância da captura de espécies pouco valorizadas

Limitação à captura de sardinha faz disparar as importações e reforça a importância da captura de espécies pouco valorizadas Estatísticas da Pesca 215 31 de maio de 216 Limitação à captura de sardinha faz disparar as importações e reforça a importância da captura de espécies pouco valorizadas Em 215 a frota de pesca nacional

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 15-02 a 21-02- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Brasil. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Brasil Outubro 2015 Índice 1. Evolução das exportações portuguesas de bens para

Leia mais

FABRICO DE VINHO AEP / GABINETE DE ESTUDOS

FABRICO DE VINHO AEP / GABINETE DE ESTUDOS FABRICO DE VINHO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2004 Fabrico de vinho Portugal dispõe de condições edafo-climáticas que lhe permitem ser, por excelência, um produtor de vinhos com características

Leia mais

Informação Estatística Da Indústria Extractiva

Informação Estatística Da Indústria Extractiva Da Indústria Extractiva P O N T O S DE I N T E R E S S E E S P E C I A I S : Elementos Estatísticos da Industria Extractiva no período de 2007 a 2010 Dados de Produção e Comércio Internacional por sectores

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Fevereiro 2016 ISEG Síntese de Conjuntura, fevereiro 2016 1 SUMÁRIO O crescimento em volume da economia portuguesa ao longo de 2015 (1,5%) mostrou sinais de desaceleração na segunda

Leia mais

Relatório anual 2012

Relatório anual 2012 Relatório anual Evolução de cotações Maçã Golden Delicious e Gala Produção de Maçã em Portugal em (Fonte: INE) MAÇÃ Superfície Produção (t) Produção (t) (ha) 2011 Portugal 12.903 247.229 220.761 Entre

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS. EXPORTAÇÃO e EXPEDIÇÃO de VINHOS e PRODUTOS VÍNICOS JUNHO

DADOS ESTATÍSTICOS. EXPORTAÇÃO e EXPEDIÇÃO de VINHOS e PRODUTOS VÍNICOS JUNHO DADOS ESTATÍSTICOS EXPORTAÇÃO e EXPEDIÇÃO de VINHOS e PRODUTOS VÍNICOS JUNHO - 2010 Fonte: INE, IP Elaboração: IVV, IP - Departamento de Organização, Estudos de Mercado e Promoção (DOEMP) 1º semestre de

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PRODUTOS E EQUIPAMENTOS PARA A CONSTRUÇÃO

COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PRODUTOS E EQUIPAMENTOS PARA A CONSTRUÇÃO Título do Eixo COMÉRCIO INTERNACIONAL DE PRODUTOS E A - EXPORTAÇÕES Em 2014, Portugal exportou mais de 6.240 milhões de Euros de Produtos e Equipamentos para a Construção, o que equivale a quase 13% das

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2015. COMPARAÇÃO DO MÊS DE FEVEREIRO DE

Leia mais

Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um

Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO PARCERIAS Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um espaço (CONFEDERAÇÃO

Leia mais

Estatísticas do Turismo 2001

Estatísticas do Turismo 2001 Informação à Comunicação Social 29 de Agosto de 22 Estatísticas do Turismo 21 Estando disponível na Internet a publicação Estatísticas do Turismo 21, o INE apresenta os principais resultados referentes

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens - eiro a embro (resultados preliminares) Informação Portugal, 7 de eiro de 2011 Comércio Internacional Português em 2010 (eiro a embro)

Leia mais

DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL CONTINUA A DIMINUIR

DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL CONTINUA A DIMINUIR 09 de Maio de 2003 Estatísticas do Comércio Internacional Janeiro a Fevereiro de 2003 DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL CONTINUA A DIMINUIR O défice da balança comercial registou, nos dois primeiros meses de

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Evolução das Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Informação Portugal, 10 de ho de 2012 Evolução das Exportações

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Alemanha Janeiro de 2016 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

Desenvolvimento Local

Desenvolvimento Local Desenvolvimento Local Aula 3 Globalização e desenvolvimento local. Regiões ganhadoras e regiões perdedoras. Comparação entre regiões usando como indicador o Índice de dispersão do PIB per capita. Dinâmicas

Leia mais

I - NATURAL II - ESTRUTURAL. Os problemas estruturais que caracterizam a agricultura nacional podem ser de ordem:

I - NATURAL II - ESTRUTURAL. Os problemas estruturais que caracterizam a agricultura nacional podem ser de ordem: Os problemas estruturais que caracterizam a agricultura nacional podem ser de ordem: I - NATURAL Relacionados com condicionalismos naturais, já que a atividade agrícola está muito dependente de fatores

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

A RAA em números. Geografia

A RAA em números. Geografia 09 Foto: Espectro A RAA em números Geografia O arquipélago dos Açores é constituído por nove ilhas dispersas no Atlântico Norte ao longo de 600 km, segundo uma orientação noroeste-sudeste e enquadrado

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 09 setembro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] COMÉRCIO INTRA-COMUNITÁRIO DE BENS DA REGIÃO CENTRO Um confronto entre a região da sede do operador e a região de origem ou destino das mercadorias As relações comerciais

Leia mais

o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA INTRODUÇÃ

o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA INTRODUÇÃ - o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA Oscar Tupy1 INTRODUÇÃ O Este trabalho tem por objetivo mostrar de forma compacta as tendências mundiais de consumo, produção e comércio de carne bovina.

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Implicações da subida do IVA no sector alimentar

Implicações da subida do IVA no sector alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares Implicações da subida do IVA no sector alimentar Junho 2011 Agenda 1. Enquadramento estratégico do sector 2. Análise de competitividade da Indústria

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais PROJECTO DE RESOLUÇÃO Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Exma. Sras. Deputadas e Srs. Deputados Exmo. Sr. Presidente do Governo Exma. Sra. e

Leia mais

Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal

Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal Congresso Estratégias para as novas agriculturas Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal Francisco Avillez (Professor Emérito do ISA/UTL e Coordenador Científico da AGROGES) Lisboa, 5 de

Leia mais

Sumário Executivo de Medida Provisória

Sumário Executivo de Medida Provisória Sumário Executivo de Medida Provisória Medida Provisória nº 609/2013. Publicação: DOU de 8 de março de 2013 Edição Extra. Ementa: Reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP, da COFINS,

Leia mais

INTENSIFICAÇÃO DAS TROCAS COMERCIAIS ENTRE O NORTE DE PORTUGAL E A GALIZA

INTENSIFICAÇÃO DAS TROCAS COMERCIAIS ENTRE O NORTE DE PORTUGAL E A GALIZA 15 de Dezembro de 2004 Trocas comerciais entre a Região Norte de Portugal e a Galiza 2000-2002 INTENSIFICAÇÃO DAS TROCAS COMERCIAIS ENTRE O NORTE DE PORTUGAL E A GALIZA As trocas comerciais entre a Região

Leia mais

A QUALIDADE Uma aposta permanente na melhoria contínua do seu serviço, organização e controlo de toda a sua cadeia de atividades, no sentido de preser

A QUALIDADE Uma aposta permanente na melhoria contínua do seu serviço, organização e controlo de toda a sua cadeia de atividades, no sentido de preser SOBRE NÓS A Macro-Frio S.A. fundada em 1992, com sede em Tarouca - Portugal, dedica-se à importação, produção, exportação e distribuição de Produtos Alimentares. É uma empresa dotada das mais modernas

Leia mais

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 Água Energia Evolução da População Mundial 1950 2011 2050 2,5 bi 7,5 bi 9,3 bi Evolução dos Famintos 1950 2011 2050 0,5 bi 0,9 bi 1,3 bi Alimentos Lixo Pobreza

Leia mais

PECUÁRIA BIOLÓGICA. (Reg. 2082/91, modificado)

PECUÁRIA BIOLÓGICA. (Reg. 2082/91, modificado) PECUÁRIA BIOLÓGICA (Reg. 2082/91, modificado) SATIVA Controlo e Certificação de Produtos Av. Visconde de Valmor, 11, 3º. 1000-289 Lisboa sativa@sativa.pt www.sativa.pt Introdução consumidores - preocupações

Leia mais

Vendas do Grupo crescem 10,5% em 2012

Vendas do Grupo crescem 10,5% em 2012 Com vendas like-for-like acima dos respectivos mercados Vendas do Grupo crescem 10,5% em 2012 Principais destaques Vendas consolidadas crescem 10,5% face a 2011 e atingem os 10,9 mil milhões de euros Biedronka

Leia mais

F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S.,S.A. Sociedade Aberta

F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S.,S.A. Sociedade Aberta F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S.,S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto NIF 508 548 527 Capital social: 25.641.459 Euros Informação financeira de 2009 1 A F. Ramada

Leia mais

Suspensão da COFINS e do PIS e crédito presumido de COFINS e PIS: Base legal: Lei / art. 54 a 57 - alterada pela Lei 12.

Suspensão da COFINS e do PIS e crédito presumido de COFINS e PIS: Base legal: Lei / art. 54 a 57 - alterada pela Lei 12. Suspensão da COFINS e do PIS e crédito presumido de COFINS e PIS: Base legal: Lei 12.350/2010 - art. 54 a 57 - alterada pela Lei 12.431/2011 Lei 12.058/2009 art. 32 -- alterada pela Lei 12.431/2011 Lista

Leia mais

Instrumentos e estratégias para o mercado. Colóquio ACBM Ovibeja. 29 de Abril de 2012

Instrumentos e estratégias para o mercado. Colóquio ACBM Ovibeja. 29 de Abril de 2012 Instrumentos e estratégias para o mercado David Gouveia Director de Serviços de Produção e Mercados Agrícolas Gabinete de Planeamento e Políticas-MAMAOT Colóquio ACBM Ovibeja 29 de Abril de 2012 Produção

Leia mais

EXPORTHOME AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA

EXPORTHOME AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA EXPORTHOME AEP / GABINETE DE INFORMAÇÃO ECONÓMICA JANEIRO DE 2012 1 Índice 1. Variáveis das empresas... 3 2. Comércio internacional de outros móveis e suas partes (NC 9403)... 11 2.1 Evolução das saídas

Leia mais

Empresas exportadoras são maioritariamente de pequena dimensão, mas quase metade do valor exportado provém de empresas com mais de 250 trabalhadores

Empresas exportadoras são maioritariamente de pequena dimensão, mas quase metade do valor exportado provém de empresas com mais de 250 trabalhadores Comércio Internacional por Características das Empresas 2013 23 de outubro de 2014 Empresas exportadoras são maioritariamente de pequena dimensão, mas quase metade do valor exportado provém de empresas

Leia mais

Portugal subiu nove lugares no ranking do desemprego com o Governo PS/ Sócrates. Desemprego aumentou desde que o Governo PS/Sócrates tomou posse

Portugal subiu nove lugares no ranking do desemprego com o Governo PS/ Sócrates. Desemprego aumentou desde que o Governo PS/Sócrates tomou posse Portugal subiu nove lugares no ranking do desemprego com o Governo PS/ Sócrates Desemprego aumentou desde que o Governo PS/Sócrates tomou posse Portugal passou do 14º para o 5º lugar do ranking do desemprego

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores da hotelaria de fevereiro de 2013

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores da hotelaria de fevereiro de 2013 Lisboa, 2 de maio de 2013 Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores da hotelaria de fevereiro de 2013 Subidas de 3,83% na OCUPAÇÃO POR QUARTO (fixou-se em 41,20%), de 2,86% no REVPAR (fixou-se

Leia mais

Agricultura Biológica Rumo a um novo modelo de produção. Jaime Ferreira Presidente da Agrobio

Agricultura Biológica Rumo a um novo modelo de produção. Jaime Ferreira Presidente da Agrobio Agricultura Biológica Rumo a um novo modelo de produção Jaime Ferreira Presidente da Agrobio Agricultura Biológica em Portugal 1985 - AGROBIO Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, de âmbito nacional,

Leia mais

INQUÉRITO ÀS PLANTAÇÕES DE ÁRVORES DE FRUTO 2002

INQUÉRITO ÀS PLANTAÇÕES DE ÁRVORES DE FRUTO 2002 Informação à Comunicação Social 16 de Dezembro de INQUÉRITO ÀS PLANTAÇÕES DE ÁRVORES DE FRUTO Introdução O Inquérito às Plantações de Árvores de Fruto é um operação estatística obrigatória (Directiva 1/9/CE

Leia mais

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Produtos Exportados por Santa Catarina: 2002 e 2009 e Análise de Mercados

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015 EUR / Kg Peso Vivo CONJUNTURA SEMANAL - AVES Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO

ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO COMO ENTENDER A SITUAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL? COMO ENTENDER A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS NO BRASIL E NO MUNDO? Tipos de agropecuária: intensiva e extensiva Principais modelos

Leia mais

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg Produto Min. Mais AVES FRANGO (+ 1.300 Kg.) AVES FRANGO (1.100-1.300 Kg.) AVES FRANGO (600-700 g.) AVES FRANGO (700-900 g.) AVES FRANGO (900 g. - 1.100 Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO

Leia mais

O PAPEL ESTRATÉGICO DA AGRICULTURA BIOLÓGICA Jaime Ferreira Lisboa, 19 Abril 2013

O PAPEL ESTRATÉGICO DA AGRICULTURA BIOLÓGICA Jaime Ferreira Lisboa, 19 Abril 2013 O PAPEL ESTRATÉGICO DA AGRICULTURA BIOLÓGICA Jaime Ferreira Lisboa, 19 Abril 2013 1. Situação de referência A agricultura é produção de alimentos Contribuir para a preservação da biodiversidade e recursos

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Março Unid. Fonte Notas Evolução 2007-2013 Actualizado em Março 2013 Unid. Fonte 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Notas População a Milhares Hab. INE 10.604 10.623 10.638 10.636 10.647 10.600 População tvh % INE 0,2 0,2 0,1

Leia mais

Evolução do sector agrícola português após a adesão à União Europeia

Evolução do sector agrícola português após a adesão à União Europeia Evolução do sector agrícola português após a adesão à União Europeia Maria José Palma L. Santos 1 Resumo Este artigo pretende analisar a evolução do sector agrícola português e dos rendimentos dele provenientes

Leia mais

O Brasil e o Mercado Internacional de Carnes

O Brasil e o Mercado Internacional de Carnes O MERCADO INTERNACIONAL DE CARNES E A ECONOMIA BRASILEIRA Flávia Maria de Mello Bliska 1 Joaquim José Martins Guilhoto 2 Este artigo tem por objetivo mostrar a participação do Brasil no mercado internacional

Leia mais

Panorama da Produção e Importação de Biocombustíveis em Portugal - ano de 2013

Panorama da Produção e Importação de Biocombustíveis em Portugal - ano de 2013 Panorama da Produção e Importação de Biocombustíveis em Portugal - ano de 2013 Manuela Jogo Aurora Cardoso Francisco Gírio LNEG ECS - Estrada do Paço do Lumiar, nº 22, edif J 1º andar, 1649-038 Lisboa

Leia mais

O Valor da Informação no Turismo

O Valor da Informação no Turismo Vê Portugal 3.º Fórum Turismo Interno O Valor da Informação no Turismo João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística 30 de maio de 2016 1 O valor da informação 2 Caraterização das empresas dosetor

Leia mais

DESTAQUE RURAL Nº3 - Março de 2014 PRODUÇÃO ALIMENTAR: UM PROBLEMA CENTRAL POR RESOLVER João Mosca

DESTAQUE RURAL Nº3 - Março de 2014 PRODUÇÃO ALIMENTAR: UM PROBLEMA CENTRAL POR RESOLVER João Mosca DESTAQUE RURAL Nº3 - Março de 214 PRODUÇÃO ALIMENTAR: UM PROBLEMA CENTRAL POR RESOLVER João Mosca 1. INTRODUÇÃO A produção alimentar é a base do combate à pobreza. O défice de alimentos ao nível das famílias

Leia mais

Comércio Internacional de bens: as exportações aumentaram 5,8% e as importações 4,8%

Comércio Internacional de bens: as exportações aumentaram 5,8% e as importações 4,8% Estatísticas do Comércio Internacional Janeiro 2014 12 de março de 2014 Comércio Internacional de bens: as exportações aumentaram 5,8% e as importações 4,8% As exportações de bens aumentaram 5,8% e as

Leia mais

MÁQUINAS PARA TRABALHAR CERÂMICA, ROCHAS E PEDRA

MÁQUINAS PARA TRABALHAR CERÂMICA, ROCHAS E PEDRA MÁQUINAS PARA TRABALHAR CERÂMICA, ROCHAS E PEDRA AEP / DEPARTAMENTO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO MARÇO DE 2003 Índice Panorama Nacional... 3 Panorama Comunitário... 8 Anexo Estatístico... 9 2 Panorama

Leia mais

ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES

ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES 02 de junho de 2015 ESTATÍSTICAS DOS TRANSPORTES Transportes terrestres Veículos e Extensão de Percursos No âmbito das carreiras urbanas de passageiros, constatou-se que, em 2014, existiam 104 veículos,

Leia mais

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL Elaboração: SEAB/DERAL/DCA/PECUÁRIA Data: 04/01/2017 NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano

Leia mais

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 6,3% e as importações 2,1%

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 6,3% e as importações 2,1% 09 de agosto de 2013 Estatísticas do Comércio Internacional Junho 2013 Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 6,3 e as importações 2,1 As exportações de bens aumentaram 6,3 e as importações

Leia mais

Comércio Internacional Português de Vinhos (2009 a 2013 e jan-nov )

Comércio Internacional Português de Vinhos (2009 a 2013 e jan-nov ) Em Análise Walter Anatole Marques 1 Comércio Internacional Português de Vinhos (2009 a 2013 e jan-nov 2013-2014) 1 Nota Introdutória Ao longo dos últimos cinco anos e onze primeiros meses de 2014 as exportações

Leia mais

Os números do Mercado Imobiliário Residencial em 2015

Os números do Mercado Imobiliário Residencial em 2015 Os números do Mercado Imobiliário Residencial em 2015 A AECOPS divulga a sua análise do comportamento do mercado imobiliário residencial em 2015, detalhando a evolução das vendas de alojamentos novos e

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE

HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto HÁBITOS ALIMENTARES DOS PORTUGUESES ALTERARAM-SE Os hábitos alimentares da população portuguesa alteraram-se, tendo o consumo alimentar

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO. GRÁFICO - Taxa de actividade segundo os Censos (%) nos Municípios - Ranking. Fontes/Entidades: INE, PORDATA

MERCADO DE TRABALHO. GRÁFICO - Taxa de actividade segundo os Censos (%) nos Municípios - Ranking. Fontes/Entidades: INE, PORDATA MERCADO DE TRABALHO O quadro sociodemográfico apresentado tem consequências directas no mercado de trabalho. Segundo os últimos Censos, os concelhos de Penamacor, Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão surgiam

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística Variações entre os valores anuais de 2005 e 2006: +4,2% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +38,6% movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost; -0,8%

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Dinâmica do Sector Agrário em Moçambique

Dinâmica do Sector Agrário em Moçambique Dinâmica do Sector Agrário em Moçambique O Papel da Agricultura Comercial Familiar na Redução da Pobreza A transformação estrutural da economia: papel do sector agrário Nível macro: Ao longo do tempo,

Leia mais

Comércio Internacional do Complexo Agroflorestal e Pescas

Comércio Internacional do Complexo Agroflorestal e Pescas Comércio Internacional do Complexo Agroflorestal e Pescas Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral 1. Enquadramento: O Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta as estatísticas

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 0,3% e as importações diminuíram 1,2%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 0,3% e as importações diminuíram 1,2% Estatísticas do Comércio Internacional Outubro 2015 10 de dezembro de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 0,3% e as importações diminuíram 1,2% As exportações de bens aumentaram 0,3% e as

Leia mais

Fundamentação Económica da Proposta Sindical

Fundamentação Económica da Proposta Sindical Fundamentação Económica da Proposta Sindical CALÇADO CCT 2008 GABINETE DE ESTUDOS DA FESETE Enquadramento macroeconómico De acordo com a informação do Banco de Portugal 1 e com a estimativa rápida das

Leia mais

INE divulgou estatísticas da Actividade Turística Abril 2007

INE divulgou estatísticas da Actividade Turística Abril 2007 Data Tema Acontecimento 12/06 Turismo 14/06 Ciência & Tecnologia 14/06 Economia 18/06 Preços 21/06 Economia 21/06 Economia INE divulgou estatísticas da Actividade Turística Abril 2007 http://www.ine.pt/prodserv/destaque/2007/d070612-3/d070612-3.pdf

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/1.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Evolução das exportações de milho do Brasil: países de destino e estados exportadores

Evolução das exportações de milho do Brasil: países de destino e estados exportadores Evolução das exportações de milho do Brasil: países de destino e estados exportadores Ariel P. Oliveira 1, João C. Garcia 2 e Jason O. Duarte 2 1 Estagiário da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG). arielpoliveira@gmail.com.

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio São Paulo, 22 de Setembro de 2015 Parece que estamos decolando ECONOMIA A BRASILEIR Agronegócio - Balança Comercial

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] O PIB REGIONAL UMA ANÁLISE APLICADA À REGIÃO CENTRO O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador habitualmente utilizado para aferir e comparar o grau de desenvolvimento

Leia mais

Jovens Agricultores #82 COMERCIALIZAR NO SECTOR AGRÍCOLA

Jovens Agricultores #82 COMERCIALIZAR NO SECTOR AGRÍCOLA Jovens Agricultores #82 COMERCIALIZAR NO SECTOR AGRÍCOLA Com o apoio º Beneficiário Jovens Agricultores Agricultores cuja actividade agrícola se desenvolva em Zonas Vulneráveis Agricultores

Leia mais

Panorama da Produção e Importação de Biocombustíveis em Portugal - ano de 2012

Panorama da Produção e Importação de Biocombustíveis em Portugal - ano de 2012 Panorama da Produção e Importação de Biocombustíveis em Portugal - ano de 2012 LNEG ECS - Estrada do Paço do Lumiar, nº 22, edif J 1º andar, 1649-038 Lisboa Introdução Neste relatório pretende-se caracterizar

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais por Sector Institucional

Contas Nacionais Trimestrais por Sector Institucional 29 de Junho de 2010 Contas Nacionais Trimestrais por Sector Institucional (Base 2006) (Versão corrigida em 29-06-2010, às 18H) 1º Trimestre de 2010 No parágrafo sob a epígrafe 1º trimestre 2010 Principais

Leia mais

nº 3 Novembro 2009 MERCADOS O VINHO NOS E.U.A. BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR

nº 3 Novembro 2009 MERCADOS O VINHO NOS E.U.A. BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR nº 3 Novembro 29 MERCADOS O VINHO NOS E.U.A. BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR O VINHO NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR Índice 1. INTRODUÇÃO 2 2. PRODUÇÃO 3 3. EXPORTAÇÃO 5 4.

Leia mais

Sistemas de Informação de Mercado Novembro 2014

Sistemas de Informação de Mercado Novembro 2014 A República da Singapura é uma cidade-estado localizada no sul da Ásia e constituída por 63 ilhas. Em tempos considerada a pérola do Império Britânico, Singapura apresenta uma população de 5,4 milhões

Leia mais

José Luís Tirapicos Nunes Depart. de Medicina Veterinária - Universidade de Évora Ap ÉVORA

José Luís Tirapicos Nunes Depart. de Medicina Veterinária - Universidade de Évora Ap ÉVORA José Luís Tirapicos Nunes Depart. de Medicina Veterinária - Universidade de Évora Ap. 94 7002-554 ÉVORA Recuperação do presunto de Barrancos numa perspectiva de sustentabilidade em finais do século XX

Leia mais

A abordagem das despesas públicas em cultura no contexto europeu constitui o objecto desta Nota Estatística.

A abordagem das despesas públicas em cultura no contexto europeu constitui o objecto desta Nota Estatística. A abordagem das despesas públicas em cultura no contexto europeu constitui o objecto desta Nota Estatística. A informação apresentada pretende ser a síntese dos aspectos mais relevantes do trabalho publicado

Leia mais

COMPORTAMENTO HISTÓRICO DA PARTICIPAÇÃO DO SETOR RURAL NA COMPOSIÇÃO DO PIB DA PARAÍBA

COMPORTAMENTO HISTÓRICO DA PARTICIPAÇÃO DO SETOR RURAL NA COMPOSIÇÃO DO PIB DA PARAÍBA 1 COMPORTAMENTO HISTÓRICO DA PARTICIPAÇÃO DO SETOR RURAL NA COMPOSIÇÃO DO PIB DA PARAÍBA Sérgio Furtado - Consultor do Projeto Cooperar 1 DESEMPENHO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS NO ESTADO DA PARAÍBA EM 2012

Leia mais

Atividades produtivas nacionais

Atividades produtivas nacionais Atividades produtivas nacionais Atividades produtivas O trabalho que cada um desenvolve na sua profissão é muito importante, pois contribui não só para a riqueza do país, mas também para o seu bem-estar.

Leia mais

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios

Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios Estimativas de População Residente 09 de Junho 2010 Estimativas de População Residente, Portugal, NUTS II, NUTS III e Municípios A evolução demográfica em caracteriza-se por um ligeiro crescimento da população

Leia mais

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 4 de Março de 2004 Dia Internacional da Mulher DIA INTERNACIONAL DA MULHER O Instituto Nacional de Estatística não quis deixar de se associar à comemoração do Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, apresentando

Leia mais

ANEXO I - ANÁLISE SETORIAL AZEITE

ANEXO I - ANÁLISE SETORIAL AZEITE ANEXO I - ANÁLISE SETORIAL AZEITE O AUMENTO DA PRODUÇÃO DE AZEITE REFLETE O FORTE CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO DE AZEITONA, RESULTADO DAS CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS FAVORÁVEIS E DA ENTRADA EM PRODUÇÃO DE NOVOS

Leia mais

Quebras de Produção Intensificam-se

Quebras de Produção Intensificam-se Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas ANEOP Associação Nacional dos Empreiteiros

Leia mais