AULA 01 - GASES QUÍMICA GERAL II QGE2001 Profa. Marcia Margarete Meier

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 01 - GASES QUÍMICA GERAL II QGE2001 Profa. Marcia Margarete Meier"

Transcrição

1 1 AULA 01 - GASES QUÍMICA GERAL II QGE2001 Profa. Marcia Margarete Meier

2 2 CONCEITOS QUE VOCÊ DEVE DOMINAR PARA ACOMPANHAR AS AULAS -Matemática básica -Noções de gráficos -Forças intermoleculares HABILIDADES QUE VOCÊ IRÁ ADQUIRIR COM ESTE CONTEÚDO - Compreender a Lei dos Gases ideais - Compreender os experimentos realizados por Boyle, Charles, Avogadro e Dalton - Elaborar e Interpretar gráficos - Correlacionar gráficos lineares com a equação dos gases ideais - Aplicar a equação dos gases ideias em situações do cotidiano

3 3 As Propriedades dos Gases O que estas imagens dizem sobre os gases?

4 4 As Propriedades dos Gases Um gás é um conjunto de moléculas (ou átomos) em movimento permanente e aleatório, com velocidades que aumentam quando a temperatura se eleva. Um gás pode se transformar em um líquido (liquefação)? Como? O que ocorre a nível molecular? Diferentes estados de agregação da matéria.

5 5 Estados de agregação da matéria O que causa os diferentes estados de agregação da matéria? Distância entre as moléculas/átomos Repulsão e atração entre as moléculas/átomos Equilíbrio de forças Interação (forças intermoleculares) ou conhecido como Energia potencial de interação

6 6 Energia potencial de interação q E atração carga-carga = 1 q 2 Lei de Couloumb 4 ε o r 12 repulsão repulsão atração

7 7 Revisão: Forças Intermoleculares

8 8 Revisão: Forças Intermoleculares A capacidade de atração/repulsão entre as moléculas (não iônicas) depende do dipolo (permanente ou induzido) gerado por moléculas. A intensidade do momento de dipolo (µ) depende de dois fatores: Diferença de eletronegatividade entre átomos; Geometria das moléculas

9 9 Revisão: Forças Intermoleculares Por que O 2 dissolve-se em água? Polarizabilidade

10 10 Revisão: Forças Intermoleculares 1)Justifique o aumento da temperatura de ebulição das substâncias químicas abaixo:

11 11 Revisão: Forças Intermoleculares 2) Por que Butano (gás de cozinha) pode ser liquefeito?

12 12 Revisão: Forças Intermoleculares 3) Coloque as seguintes substâncias em ordem crescente de força intermolecular, justificando.

13 13 Revisão: Forças Intermoleculares 4) Considere as bases nitrogenadas citosina, timina, guanina, adenina responsáveis pela interação entre as cadeias do DNA. Diga quais bases nitrogenadas podem e não podem interagir, mostrando como e por que.

14 14 Revisão: Forças Intermoleculares 5) Quais informações relevantes você pode extrair do gráfico abaixo?

15 15 Revisão: Forças Intermoleculares 6) Por que gelo flutua sobre a água? Uma garrafa de refrigerando congelada pode estourar na geladeira?

16 16 Revisão: Forças Intermoleculares 7) Explique a imagem abaixo, qual a correlação com as forças intermoleculares:

17 17 Revisão: Forças Intermoleculares 8)A Tabela abaixo traz os valores de solubilidade de alguns gases em água. Considerando os valores tabelados, percebe-se que oxigênio apresenta a maior solubilidade em água. Essa característica é de fundamental importância para a sobrevivência de organismos vivos nos rios e lagos. Responda: a) como justificar a solubilidade de uma molécula apolar, como o oxigênio, em água? b) como justificar a diferença de solubilidade em água entre H 2, N 2 e O 2?

18 18 Estados Físicos Como transformar a mesma matéria nos diferentes estados físicos? Variação de pressão Variação de volume Variação de temperatura

19 19 Propriedade dos Gases Comportam-se de forma caótica; Não ocupa lugar definido no espaço, por si só não tem fronteira; Não tem forma definida, adquirindo a forma do recipiente; O choque de suas moléculas ou átomos contra a parede do recipiente que os contém se traduz em uma propriedade denominada PRESSÃO. P = Força (N) Área (m 2 ) N/m 2 = Pascal (Pa) pelo SI. J= 1 N.m = 1 kg.m².s -2 1 atm = Pa = 760 mmhg = 760 Tor

20 20 Propriedade dos Gases Outra propriedade dos gases é seu volume (V) que eles ocupam quando confinados em um espaço limitado fisicamente. V é medido em m 3 pelo SI 1 m 3 = 1000 L Tanto a Pressão como o Volume estão relacionados com a Temperatura de um gás (T). T é expresso em Kelvin (K) pelo SI 1K = o C + 273,15 A quantidade do gás também é uma variável que define o comportamento de um gás e é medida em número de mols (n).

21 21 Propriedade dos Gases O comportamento de um gás é definido por quatro variáveis: P V T n Descreve o Estado do Gás Equação de Estado! Mas, as forças intermoleculares não afetam o comportamento dos gases?

22 22 Lei dos Gases Ideais Os estudos iniciais dos gases desconsideravam as forças intermoleculares. Então um gás não pode ser liquefeito!??? Diz-se que nesta situação o comportamento do gás é IDEAL ou PERFEITO. Na verdade o gás ideal é apenas um modelo (uma idealização) que parte do pressuposto que as interações entre as moléculas são nulas! Por definição, o modelo de gás ideal parte dos seguintes princípios: 1) O gás ideal é composto por partículas tão minúsculas comparadas ao volume do gás, que podem ser consideradas como pontos no espaço com volume zero; 2) Não há interações, atrativas ou repulsivas, entre as partículas do gás. Em qual situação se espera ausência de interação entre as moléculas/átomos de um gás?

23 23 Lei dos Gases Ideais Alguns dos primeiros experimentos de Físico-Química envolveram o estudo de gases num abordagem empírica na compressão dos sistemas químicas. Abordagem empírica: são realizadas e correlacionadas várias observações experimentais de modo a se obter leis que descrevem e explicam o comportamento da matéria. Por outro lado, sistemas químicos podem ser abordados teoricamente. Abordagem teórica: é construído um modelo para descrever o comportamento das moléculas do sistema, e esse modelo é usado para descrever uma teoria.

24 24 Lei dos Gases Ideais Lei de Boyle, 1661 Realizou experimentos com gases mantendo a massa e temperatura constantes. Lei de Charles e Gay-Lussac, 1787 Realizaram experimentos com gases mantendo a massa e a pressão constantes. Lei de Avogadro, 1811 Realizou experimentos com diferentes gases, mas mantendo o número de mols dos gases constantes.

25 25 Lei dos Gases Ideais Lei de Boyle

26 26 Lei dos Gases Ideais Lei de Boyle 1) Vamos elaborar um gráfico de P vs V: 2) Agora, faça outro gráfico mas de V vs. 1/P. 3) Agora, calcule o coeficiente angular da reta e coeficiente linear. Veja que o gráfico torna-se linear!

27 27 Lei dos Gases Ideais Lei de Boyle P 1 x V 1 = k P 2 x V 2 = k P 1 x V 1 = P 2 x V 2 V 2 = k P 2

28 28 Lei dos Gases Ideais Lei de Boyle Temperatura constante = Isoterma A curva acima é chamada de hipérbole. Ao multiplicar xy = constante

29 29 Lei dos Gases Ideais Lei de Boyle Teoria cinética dos gases quando: A pressão do gás aumenta quando o volume do recipiente diminui? Lembre-se que a pressão do gás nas paredes do recipiente devem-se às colisões das moléculas nas paredes. Se o volume do recipiente é reduzido, as moléculas do gás tem uma distância mais curta para deslocar-se antes de colidir com as paredes do recipiente. Isto significa que elas colidirão com as paredes mais frequentemente. O aumento da frequência de colisões com as paredes causa o aumento da pressão. https://phet.colorado.edu/en/simulation/gas-properties

30 30 Lei dos Gases Ideais Lei de Charles ou Gay-Lussac 1) Elabore um gráfico T vs. V (a pressão e massa constante), lembrando de deixar espaço para escala negativa do eixo x. 2) Extrapole a linha do gráfico para V = 0. Qual será o valor da temperatura?

31 31 Lei dos Gases Ideais Lei de Charles ou Gay-Lussac Pressão constante = Isobárico Volume constante= Isométrica Qual explicação molecular para P = 0, quando T = 0?

32 32 Lei dos Gases Ideais Lei de Charles ou Gay-Lussac Teoria cinética dos gases quando: O volume do gás aumenta quando a temperatura se eleva à pressão constante? O aumento da T causa um aumento na velocidade das moléculas; Isso resulta numa maior força exercida pelas moléculas nas paredes do recipiente; Para manter a força (consequentemente a pressão) constantes, o número de colisões de moléculas/área deve diminuir. A única maneira de fazer isso é aumentando a distância percorrida pelas moléculas, ou seja, aumentando o volume do recipiente que contém as moléculas.

33 33 Lei dos Gases Ideais Lei de Avogadro: permite calcular o volume molar T 2 T 1 T 2 > T 1 Sistema Isotérmico e Isóbaro

34 34 Lei dos Gases Ideais Lei de Clayperon: Uniu os resultados experimentais de Boyle, Charles, Gay-Lussac e Avogadro. atm L

35 35 Lei dos Gases Ideais Lei de Clayperon: Uniu os resultados experimentais de Boyle, Charles, Gay-Lussac e Avogadro. Esta equação é uma equação de estado dos gases ideais (descreve as propriedades de um gás) quando a pressão tende a zero. Pois nesta condição as forças intermoleculares podem ser desconsideradas. R = constante dos gases ideais, P tendendo a zero 8,314 JK-1mol-1 0,08205 L atm K-1mol-1

36 36 Lei dos Gases Ideais Como converter unidades... Suponha que você necessite converter a constante universal dos gases, R de 8,314 J K -1 mol -1 para a unidade em?? cal K -1 mol -1 1 cal = 4,184 J Então, 1cal/4,184 = J 8,314 J K -1 mol -1 8,314 cal/4,184 K -1 mol -1 8,314/4,184 cal K -1 mol -1 1,987 cal K -1 mol -1

37 37 Lei dos Gases Ideais Como converter unidades... Suponha que você necessite converter a constante universal dos gases, R de 0, atm L K -1 mol -1 para a unidade em?? J K -1 mol -1 atm = Pa 0,08205 atm L K -1 mol -1 0,08205x Pa L K -1 mol -1 J = Pa. m 2.m = Pa. m 3 = Pa. 1000L J = N.m Pa = N/m 2 ou N = Pa.m 2 Se, J = Pa. 1000L Então, J/1000 = Pa. L 0,08205x J K -1 mol ,314 J K -1 mol -1

38 38 1) Qual será o volume molar de um gás ideal nas Condições Ambientes de Temperatura e Pressão (CNATP), quando T = 25 o C. 2)Uma das aplicações da teoria dos gases ideais na prática farmacêutica é do doseamento gasométrico de substâncias que, quando decompostas em meio ácido, liberam gás. Qual é o grau de pureza de uma amostra de 2,0 g de bicarbonato de sódio (NaHCO 3 ) sabendo-se que a mesma, quando em contato com HCl, libera 0,480 L de CO 2, medido a 273 K e 1 atm? Considere que CO 2 tenha comportamento de gás ideal nestas condições. V teórico = 0,533 L Pureza = 0,480 L/0,533x100 = 90,06% 3)Uma amostra de 1 mol de gás ideal, inicialmente a 25 o C e 1 atm de pressão é aquecida isobaricamente até que seu volume duplique. Após esta expansão, a amostra é resfriada isometricamente até a sua temperatura inicial. Depois dessa etapa, a amostra sofre compressão isotérmica até 1 atm. Calcule a pressão, o volume e a temperatura de cada estado intermediário pelo qual passa o gás e esboce as transformações em um diagrama P vs. V.

39 , 39 Lei Combinada dos gases Ao combinar a Lei de Boyle e Lei de Charles, obtem-se a Lei combinada dos Gases: Para uma quantidade constante de gás, n

40 40 Exercício: Suponha que um balão preenchido com gás hélio seja lançado para a atmosfera quando a temperatura for 22,5 o C e a pressão for 754 mmhg. Se o volume do balão for 4,19 x 10 3 L ( e não há escape de hélio do balão), qual será o volume do balão a uma altitude de 20 milhas, onde a pressão é 76,0 mmhg e a temperatura é de -33 o C? Condição Inicial Condições Finais V 1 = 4,19 x 10 3 L V 1 =?? P 1 = 754 mmhg P 1 = 76,0 mmhg T 1 = 22,5 o C (295,7 K) T 1 = -33,0 o C (240,2 K) Resposta: 3,38 x 10 4 L

41 , 41 Outras possibilidades... Para uma quantidade constante de gás, n Quando V e n são constantes Quando T e n são constantes Quando P e n são constantes

42 42 Lei de Dalton Mistura de Gases Suponha três gases diferentes confinados em cilindros: P T = P 1 + P 2 + P 3 O que ocorrerá ao misturarmos os três gases? Parte-se do princípio dos gases ideais, não há interação entre os gases. Portanto, cada gás irá se comportar de forma independente ao outro. Desta maneira, cada gás se comporta como se estivesse ocupando todo o recipiente sozinho, mas as paredes do recipiente sentirão o choque de todas as moléculas misturadas, portanto a pressão será modificada ao misturar os gases.

43 43 Lei de Dalton Mistura de Gases P T = P 1 + P 2 + P Σ P i Pressão parcial do gás 1 P = x P 1 1 T Fração molar do gás 1 Pressão total de todos os gases misturados Qual a diferença entre fração mássica e fração molar?? Porcentagem podenral!

44 44 4) A percentagem poderal (isto é, em massa) do ar seco, ao nível do mar, é aproximadamente 75,5% de N 2, 23,2 % de O 2 e 1,3% de outros gases, cuja massa molar média é 39,95 g/mol. Qual é a pressão parcial de cada componente quando a pressão total é igual a 1,00 atm?

45 45 RESUMINDO... GASES IDEAIS

46 46 Colunas de mercúrio para medir pressão Historicamente, as pressões eram medidas pela determinação da altura de uma coluna de mercúrio em equilíbrio com a pressão atmosférica. Quanto mais alta a pressão atmosférica, mais longa a coluna de mercúrio que pode ser sustentada no tubo. P = hρg ρ=densidade

47 47 Colunas de mercúrio para medir pressão Exemplo: Próximo da temperatura ambiente, a densidade (massa específica) do mercúrio é 13,6 g.cm -3 e a da água é 1,0 g.cm -3. Calcule a altura de uma coluna de cada líquido que suportaria uma pressão de 1 atm e sugira por que o mercúrio é utilizado em barômetros em lugar da água.

48 48 Lei dos Gases e Densidade d = P.M w RT Exercício: Calcule a densidade do CO 2 nas CNTP. O CO 2 é mais ou menos denso do que o ar (1,2 g/l)?

49 49 Lei dos Gases e Densidade Como o dióxido de carbono do extintor de incêndio é mais denso que o ar ele se acumula sobre o fogo abafando-o. Quando o gás CO 2 é liberado do tanque, ele se expande e se resfria consideravelmente. A nuvem consiste de CO 2 sólido e umidade do ar condensada.

50 50 Lei dos Gases e Densidade O ar seco, que tem massa molar média de 29 g/mol, tem densidade de aproximadamente 1,2 g/l a 1 atm e 25 o C. Os gases ou vapores com massas molares maiores que 29 g/mol apresentam densidades maiores do que 1,2 g/l nas mesmas condições de T e P. Gases como CO 2, SO 2 e vapor da gasolina descem ao nível do solo se liberados na atmosfera. Lago Nyos, Camarões. Liberação de CO 2 causou a morte de 1700 pessoas em Gases como H 2, He, CO, CH 4 sobem se liberados na atmosfera.

FÍSICO-QUÍMICA GASES IDEAIS E GASES REAIS. Prof. MSc. Danilo Cândido

FÍSICO-QUÍMICA GASES IDEAIS E GASES REAIS. Prof. MSc. Danilo Cândido FÍSICO-QUÍMICA GASES IDEAIS E GASES REAIS Prof. MSc. Danilo Cândido CONCEITOS DE GASES Um gás representa a forma mais simples da matéria, de baixa densidade e que ocupa o volume total de qualquer recipiente

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA CIVIL FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II 2º Período Prof.a: Érica Muniz UNIDADE 2. Propriedades Moleculares dos Gases

CURSO: ENGENHARIA CIVIL FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II 2º Período Prof.a: Érica Muniz UNIDADE 2. Propriedades Moleculares dos Gases CURSO: ENGENHARIA CIVIL FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II 2º Período Prof.a: Érica Muniz UNIDADE 2 Propriedades Moleculares dos Gases Estado Gasoso Dentre os três estados de agregação, apenas o estado gasosos

Leia mais

Físico-Química I. Profa. Dra. Carla Dalmolin. Gases. Gás perfeito (equações de estado e lei dos gases) Gases reais

Físico-Química I. Profa. Dra. Carla Dalmolin. Gases. Gás perfeito (equações de estado e lei dos gases) Gases reais Físico-Química I Profa. Dra. Carla Dalmolin Gases Gás perfeito (equações de estado e lei dos gases) Gases reais Gás Estado mais simples da matéria Uma forma da matéria que ocupa o volume total de qualquer

Leia mais

GASES. https://www.youtube.com/watch?v=wtmmvs3uiv0. David P. White. QUÍMICA: A Ciência Central 9ª Edição Capítulo by Pearson Education

GASES. https://www.youtube.com/watch?v=wtmmvs3uiv0. David P. White. QUÍMICA: A Ciência Central 9ª Edição Capítulo by Pearson Education GASES PV nrt https://www.youtube.com/watch?v=wtmmvs3uiv0 David P. White QUÍMICA: A Ciência Central 9ª Edição volume, pressão e temperatura Um gás consiste em átomos (individualmente ou ligados formando

Leia mais

Gases. 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação?

Gases. 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação? Capítulo 2 Gases 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação? Van der Waals verificou que o fato do gás real não se comportar como o gás ideal é

Leia mais

Estudo Físico-Químico dos Gases

Estudo Físico-Químico dos Gases Estudo Físico-Químico dos Gases Prof. Alex Fabiano C. Campos Gás e Vapor Diagrama de Fase Gás Vapor Gás: fluido elástico que não pode ser condensado apenas por aumento de pressão, pois requer ainda um

Leia mais

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases Apostila de Química 01 Estudo dos Gases 1.0 Conceitos Pressão: Número de choques de suas moléculas contra as paredes do recipiente. 1atm = 760mHg = 760torr 105Pa (pascal) = 1bar. Volume 1m³ = 1000L. Temperatura:

Leia mais

Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA

Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA Aos valores da pressão, do volume e da temperatura chamamos de ESTADO DE UM GÁS Assim: V 5 L T 300 K P 1 atm Os valores da

Leia mais

Estudo Físico-Químico dos Gases

Estudo Físico-Químico dos Gases Estudo Físico-Químico dos Gases Prof. Alex Fabiano C. Campos Fases de Agregação da Matéria Sublimação (sólido em gás ou gás em sólido) Gás Evaporação (líquido em gás) Condensação (gás em líquido) Sólido

Leia mais

Características dos gases

Características dos gases Gases Características dos gases Os gases são altamente compressíveis e ocupam o volume total de seus recipientes. Quando um gás é submetido à pressão, seu volume diminui. Os gases sempre formam misturas

Leia mais

11/08/2014. Lei de Avogadro. Equação de Clayperon. CNTP 1 atm 0 C 273K

11/08/2014. Lei de Avogadro. Equação de Clayperon. CNTP 1 atm 0 C 273K Disciplina de Físico Química I - Equação de Clapeyron Misturas Gases reais. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.br Lei de Avogadro 1 Lei de Avogadro Equação de Clayperon CNTP 1

Leia mais

Conceitos Básicos sobre gases

Conceitos Básicos sobre gases Conceitos Básicos sobre gases ara este estudo não vamos fazer distinção entre gás e vapor, desta forma neste capítulo, o estado gasoso (gás ou vapor) será sempre referido como gás... ressão dos gases Suponha

Leia mais

QUÍMICA I Gases

QUÍMICA I Gases QUÍMICA I 106201 Gases Características dos gases Os gases são altamente compressíveis e ocupam o volume total de seus recipientes. Quando um gás é submetido à pressão, seu volume diminui. Os gases sempre

Leia mais

Física II FEP 112 ( ) 1º Semestre de Instituto de Física - Universidade de São Paulo. Professor: Valdir Guimarães

Física II FEP 112 ( ) 1º Semestre de Instituto de Física - Universidade de São Paulo. Professor: Valdir Guimarães Física II FEP 11 (4300110) 1º Semestre de 01 Instituto de Física - Universidade de São Paulo Professor: Valdir Guimarães E-mail: valdir.guimaraes@usp.br Fone: 3091-7104(05) Aula 1 Temperatura e Teoria

Leia mais

Química Prof. Giacometto

Química Prof. Giacometto Química Prof. Giacometto LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE O ESTADO GASOSO (SÓ UEM) OBS: SEMPRE QUE JULGAR NECESSÁRIO O VALOR DA MASSA ATÔMICA DE UM ELEMENTO QUÍMICO, UTILIZAR A TABELA PERIÓDICA 01) (UEM) Considerando

Leia mais

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Teoria Cinética do Gases

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Teoria Cinética do Gases Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA Teoria Cinética do Gases Introdução A descrição de um gás por inteiro (descrição macroscópica) pode ser feito estabelecendo as grandezas macroscópicas que caracterizam

Leia mais

6/Mar/2013 Aula 7 Entropia Variação da entropia em processos reversíveis Entropia e os gases ideais

6/Mar/2013 Aula 7 Entropia Variação da entropia em processos reversíveis Entropia e os gases ideais 6/Mar/01 Aula 7 Entropia ariação da entropia em processos reversíveis Entropia e os gases ideais Entropia no ciclo de Carnot e em qualquer ciclo reversível ariação da entropia em processos irreversíveis

Leia mais

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante.

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante. Setor 2306 Aula 06 Transformações Gasosas em sistemas fechados Complemento. Como vimos em aula, as transformações realizadas em sistemas fechados tem sua quantidade de gás constante. Nessa situação, a

Leia mais

O ESTADO GASOSO - CARACTERÍSTICAS GERAIS

O ESTADO GASOSO - CARACTERÍSTICAS GERAIS Estado Gasoso O ESTADO GASOSO - CARACTERÍSTICAS GERAIS Os gases sempre tendem a ocupar todo o volume do recipiente que os contém (capacidade de expansão) Os gases têm massa (Volumes iguais de gases diferentes

Leia mais

Professora : Elisângela Moraes

Professora : Elisângela Moraes UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA -EEL Professora : Elisângela Moraes 02/03/2012 PROGRAMA RESUMIDO 1. Gases Ideais; 2. Gases Reais; 3. Termodinâmica; 4. Termoquímica; 5. Entropia;

Leia mais

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO 1- Um aluno de química, ao investigar as propriedades de gases, colocou uma garrafa plástica (PET), contendo ar e devidamente fechada, em um freezer e observou

Leia mais

Soluções e Gases III. Gases

Soluções e Gases III. Gases Soluções e Gases III Gases Gases Gás é um material que preenche todo o espaço ou volume do recipiente em que se encontra, independentemente do tamanho do recipiente. Ar 78 % de N 2 21% de O 2 1% de outros

Leia mais

Física Geral II. Aula 1 - Teoria cinética dos gases. D. Valin 1. Universidade do Estado de Mato Grosso. Sinop-MT, April 25, 2017

Física Geral II. Aula 1 - Teoria cinética dos gases. D. Valin 1. Universidade do Estado de Mato Grosso. Sinop-MT, April 25, 2017 Física Geral II Aula 1 - Teoria cinética dos gases D. Valin 1 1 Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade do Estado de Mato Grosso Sinop-MT, April 25, 2017 D. Valin (Universidade do Estado de Mato

Leia mais

Combustíveis Energia e Ambiente. Combustíveis gasosos, líquidos e sólidos: compreender as diferenças

Combustíveis Energia e Ambiente. Combustíveis gasosos, líquidos e sólidos: compreender as diferenças Combustíveis gasosos, líquidos e sólidos: compreender as diferenças 1 Estados físicos de hidrocarbonetos em função do número de carbonos da cadeia Os gases combustíveis podem ser agrupados em famílias,

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 Fixação 1) (UNESP) O volume de uma massa fixa de gás ideal, a pressão constante, é diretamente proporcional à: a) concentração do gás.

Leia mais

QUÍMICA Profº JAISON

QUÍMICA Profº JAISON QUÍMICA Profº JAISON GASES O gás ideal As equações que utilizamos para estudar o comportamento dos gases nunca fornecem valores exatos. Na tentativa de nos aproximarmos mais do valor exato, estabelecemos

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas)

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas) Disciplina: Química Trimestre: 1º Professor(a): Rodrigo Valério e Georgia Monique. Série: 1º Turmas: 101,102,103,104. Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas) 1-

Leia mais

Questão 4. Questão 5

Questão 4. Questão 5 Questão 1 Um mol de gás ideal sofre transformação AëBëC indicada no diafragma pressão x volume da figura a seguir. a) qual é a temperatura do gás no estado A? b) Qual é o trabalho realizado pelo gás na

Leia mais

QUÍMICA MÓDULO 18 RELAÇÕES NUMÉRICAS. Professor Edson Cruz

QUÍMICA MÓDULO 18 RELAÇÕES NUMÉRICAS. Professor Edson Cruz QUÍMICA Professor Edson Cruz MÓDULO 18 RELAÇÕES NUMÉRICAS INTRODUÇÃO Precisamos compreender que houve uma necessidade de se definir uma nova unidade de massa para átomos e moléculas. É importante que você

Leia mais

ATMOSFERA. Volume molar; constante de Avogadro

ATMOSFERA. Volume molar; constante de Avogadro ATMOSFERA Volume molar; constante de Avogadro 25-01-2011 Dulce Campos 2 O ar é uma solução gasosa Enquanto solução gasosa tem comportamentos semelhantes aos das substâncias gasosas 25-01-2011 Dulce Campos

Leia mais

Prof. Vanderlei I Paula -

Prof. Vanderlei I Paula - Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Gabarito 3 a lista de exercícios 01 Alimentos desidratados apresentam maior durabilidade e mantêm a maioria das

Leia mais

Fundamentos da Termodinâmica

Fundamentos da Termodinâmica 1 Fundamentos da Termodinâmica Objetivos: Definição de sistema e vizinhança Compreender o trabalho P-V Compreender processos reversíveis e irreversíveis Definir a primeira Lei da termodinâmica Cálculo

Leia mais

11/Mar/2016 Aula 7 Entropia Variação da entropia em processos reversíveis Entropia e os gases ideais

11/Mar/2016 Aula 7 Entropia Variação da entropia em processos reversíveis Entropia e os gases ideais 11/Mar/016 Aula 7 Entropia ariação da entropia em processos reversíveis Entropia e os gases ideais Entropia no ciclo de Carnot e em qualquer ciclo reversível ariação da entropia em processos irreversíveis

Leia mais

GASES PERFEITOS AULA INTRODUÇÃO

GASES PERFEITOS AULA INTRODUÇÃO AULA 5 GASES PERFEIOS - INRODUÇÃO Neste capítulo, vamos estudar as transformações gasosas e as leis elaboradas por Boyle e ariotte, Clapeyron, Gay-Lussac e Charles, que regem estas transformações. Vamos

Leia mais

1ª Parte: Questões resolvidas

1ª Parte: Questões resolvidas ANÁLISE ELEMENTAR QUANTITATIVA DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL / TURMA: 1º ano Ensino Médio 1ª Parte: Questões resolvidas Nota: A massa molecular de um composto, pode ser calculada em função da densidade de

Leia mais

b) Tendo em conta a conclusão de Avogadro, selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. Em condições PTN,...

b) Tendo em conta a conclusão de Avogadro, selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. Em condições PTN,... QUESTÕES DE EXAME 4 Física e Química A Questões de provas nacionais realizadas entre 2008 e 2014 organizados por subdomínio e por secção, por ordem cronológica. Os itens estão identificados por data e

Leia mais

FUNDAMENTOS FÍSICOS DO AR COMPRIMIDO

FUNDAMENTOS FÍSICOS DO AR COMPRIMIDO DEFINIÇÃO: O ar é incolor, insípido e é uma mistura de diversos gases. Composição percentual do ar seco padrão: (ISO 2533). Elementos Percentual em volume Percentual em massa Nitrogênio 78,08 75,52 Oxigênio

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA. Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso: PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1

PROVA DE QUÍMICA. Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso:  PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1 PROVA DE QUÍMICA Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso: http://wwwiupacorg/reports/periodic_table/ 18 PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1 QUESTÃO 25 1 Na extração do ouro, os garimpeiros costumam

Leia mais

ELEMENTOS QUE FORMAM GASES NAS CONDIÇÕES NORMAIS

ELEMENTOS QUE FORMAM GASES NAS CONDIÇÕES NORMAIS ELEMENTOS QUE FORMAM GASES NAS CONDIÇÕES NORMAIS Substância no estado gasoso é definida por 4 qualidades: Volume Quantidade de matéria (mol) Temperatura Pressão 1. fase gasosa Átomos He Ar (gases nobres)

Leia mais

Experimento N 3 DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DA MASSA MOLAR DO GÁS BUTANO E DO MAGNÉSIO

Experimento N 3 DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DA MASSA MOLAR DO GÁS BUTANO E DO MAGNÉSIO Experimento N 3 DETERMINAÇÃO EXPERIMENTAL DA MASSA MOLAR DO GÁS BUTANO E DO MAGNÉSIO 1) INTRODUÇÃO A maioria dos gases reais mostra um comportamento aproximado ao de um gás ideal, especialmente se a pressão

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO ROMPIMENTO DE FORÇAS INTERMOLECULARES

MUDANÇA DE ESTADO ROMPIMENTO DE FORÇAS INTERMOLECULARES MUDANÇA DE ESTADO ROMPIMENTO DE FORÇAS INTERMOLECULARES DEFORMAÇÃO DA NUVEM ELETRÔNICA EFEITO COLISÃO = CHOQUE ///// EFEITO INDUÇÃO = VARIAÇÃO ELÉTRICA DIPOLO INDUZIDO FORÇAS DE LONDON ///// DIPOLO INSTANTÂNEO

Leia mais

Equilíbrio Físico. Disciplina Química Geral II Curso de Química habilitação em licenciatura Prof a. Marcia Margarete Meier

Equilíbrio Físico. Disciplina Química Geral II Curso de Química habilitação em licenciatura Prof a. Marcia Margarete Meier 1 Equilíbrio Físico Disciplina Química Geral II Curso de Química habilitação em licenciatura Prof a. Marcia Margarete Meier 2 Equilíbrio Físico Estamos rodeados por substâncias que mudam de uma forma a

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação Física Geral e Experimental III Exercícios Temperatura e Dilatação 1. Em um dia quando a temperatura alcança 50ºF, qual é a temperatura em graus Celsius e Kelvins? R: 10ºC; 283 K. 2. O ouro tem um ponto

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO QUÍMICA GASES I

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO QUÍMICA GASES I Aluno (a): Profº: RICARDO Série: Data: / / Disc: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO QUÍMICA GASES I 1. Uma Massa fixa de um gás ideal foi submetida a uma série de transformações isotérmicas e alguns dos valores

Leia mais

Físico-Química Farmácia 2014/02

Físico-Química Farmácia 2014/02 Físico-Química Farmácia 2014/02 1 2 Aspectos termodinâmicos das transições de fase A descrição termodinâmica das misturas Referência: Peter Atkins, Julio de Paula, Físico-Química Biológica 3 Condição de

Leia mais

Estudo dos gases. Profa. Kátia Aquino

Estudo dos gases. Profa. Kátia Aquino Estudo dos gases Profa. Kátia Aquino Vapor ou Gás? O CO2 um gás Vapor de água Industrias em Yokohama-Japão: O homem injeta somente 3% de todo CO2. (foto:paul Davdson) O calor liberado na condensação do

Leia mais

Gases. 1) Assinale a alternativa CORRETA.

Gases. 1) Assinale a alternativa CORRETA. Gases 1) Assinale a alternativa CORRETA. (A) Uma determinada massa de gás ideal, ocupando um volume constante, tem sua pressão inversamente proporcional à sua temperatura absoluta. (B) Em uma transformação

Leia mais

Aula 15 Diagramas de Fase

Aula 15 Diagramas de Fase Aula 15 Diagramas de Fase 1. Introdução O diagrama de fases de uma substância é um mapeamento que mostra as condições de temperatura e pressão em que as diferentes fases são termodinamicamente mais estáveis.

Leia mais

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras 1. A condição de estabilidade Inicialmente precisamos estabelecer a importância da energia de Gibbs molar na discussão das transições de fase. A energia de

Leia mais

Física. Leo Gomes (Vitor Logullo) Termodinâmica

Física. Leo Gomes (Vitor Logullo) Termodinâmica Termodinâmica Termodinâmica 1. No Rio de Janeiro (ao nível do mar), uma certa quantidade de feijão demora 40 minutos em água fervente para ficar pronta. A tabela abaixo fornece o valor da temperatura de

Leia mais

Equilíbrio Físico. Equilíbrio físico estado no qual duas ou mais fases de uma substância coexistem sem uma tendência a mudança.

Equilíbrio Físico. Equilíbrio físico estado no qual duas ou mais fases de uma substância coexistem sem uma tendência a mudança. Equilíbrio Físico Equilíbrio físico estado no qual duas ou mais fases de uma substância coexistem sem uma tendência a mudança. FASES E TRANSIÇÕES DE FASES SOLUBILIDADE PROPRIEDADES COLIGATIVAS MISTURAS

Leia mais

Hipótese de Avogadro e Volume Molar

Hipótese de Avogadro e Volume Molar Hipótese de Avogadro e Volume Molar EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UFES-ES) Três balões contêm H, N e O, conforme ilustrado abaixo: Considerando-se que os gases estão sob pressão de 1 atm e à mesma temperatura,

Leia mais

Lista de Exercícios de Revisão Prova 04

Lista de Exercícios de Revisão Prova 04 Lista de Exercícios de Revisão Prova 04 1) (UnB DF) Um bloco de gelo de 40g, a 10ºC, é colocado em um recipiente contendo 120g de água a 25ºC. Qual é a temperatura de equilíbrio do sistema (em ºC)? Calor

Leia mais

Propriedades de uma substância pura

Propriedades de uma substância pura Propriedades de uma substância pura Substância pura possui composição química invariável e homogênea, independentemente da fase em que está. Ex.: água Equilíbrio de fases em uma substância pura, as fases

Leia mais

PROPRIEDADE DOS GASES

PROPRIEDADE DOS GASES RORIEDADE DOS GASES 0. Gás Ideal x Gás Real eoria Cinética dos Gases A eoria Cinética dos Gases procura dar uma idéia da estrutura interna dos gases através de hipóteses, criando-se um modelo que sirva

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Física

Universidade de São Paulo Instituto de Física Universidade de São Paulo Instituto de Física FEP - FÍSICA II para o Instituto Oceanográfico º Semestre de 009 Sexta Lista de Exercícios a. Lei da Termodinâmica e Teoria Cinética dos Gases ) Uma máquina

Leia mais

Resolução de Questões de Provas Específicas de Química (Aula 7)

Resolução de Questões de Provas Específicas de Química (Aula 7) Resolução de Questões de Provas Específicas de Química (Aula 7) Resolução de Questões de Provas Específicas (Aula 7) 1. (UECE) A tabela periódica já era objeto das preocupações dos antigos químicos a partir

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Dilatação

Física Geral e Experimental III. Dilatação Física Geral e Experimental III Dilatação 6. Em um dia quente em Las Vegas um caminhão-tanque foi carregado com 37.000 L de óleo diesel. Ele encontrou tempo frio ao chegar a Payson, Utha, onde a temperatura

Leia mais

A) 2,5 B) 4 C) 5 D) 7,5 E) 10

A) 2,5 B) 4 C) 5 D) 7,5 E) 10 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica e passa para o estado B. A

Leia mais

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F 1. Considere um bloco de gelo de massa 300g encontra-se a 0 C. Para que todo gelo se derreta, obtendo água a 0 C são necessárias 24.000 cal. Determine o calor latente de fusão do gelo. 2. Considere um

Leia mais

TERMODINÂMICA (Parte 1)

TERMODINÂMICA (Parte 1) TERMODINÂMICA (Parte 1) Estudo das transformações da energia. Baseia-se em duas leis: 1ª Lei: acompanha as variações de energia e permite o cálculo da quantidade de calor produzida numa reação. 2ª Lei:

Leia mais

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol.

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol. Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol. 2 Nos exercícios abaixo adotar! = 8,315!!"#! = 0,08206!!"#!"#!

Leia mais

André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011

André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011 André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011 Conceitos Básicos Gás é um estado da matéria; as partículas de massa m estão em movimento incessante e caótico; O tamanho das partículas

Leia mais

Lista Básica Transformações Gasosas

Lista Básica Transformações Gasosas 1. (Pucrj 2017) Uma certa quantidade de gás ideal ocupa inicialmente um volume 0 com pressão P 0. Se sobre esse gás se realiza um processo isotérmico dobrando sua pressão para 2 P 0. qual será o volume

Leia mais

As moléculas se encontram em movimento desordenado, regido pelos princípios fundamentais da Mecânica newtoniana.

As moléculas se encontram em movimento desordenado, regido pelos princípios fundamentais da Mecânica newtoniana. Estudo dos gases Gás Ideal As moléculas se encontram em movimento desordenado, regido pelos princípios fundamentais da Mecânica newtoniana. As moléculas não exercem força uma sobre as outras, exceto quando

Leia mais

QUESTÕES DE EXAME 4. Física e Química A. Domínio 2 - Propriedades e transformações da matéria. 2.2 Gases e dispersões

QUESTÕES DE EXAME 4. Física e Química A. Domínio 2 - Propriedades e transformações da matéria. 2.2 Gases e dispersões QUESTÕES DE EXAME 4 Física e Química A Questões de provas nacionais realizadas entre 2008 e 2014 organizados por subdomínio e por secção, por ordem cronológica. Os itens estão identificados por data e

Leia mais

Forças Intermoleculares

Forças Intermoleculares Forças Intermoleculares Você já se perguntou por que a água forma gotas ou como os insetos conseguem caminhar sobre a água? Gota d'água caindo sobre a superfície da água. Inseto pousado sobre a superfície

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA Manual da disciplina, livros de Química, computador, Trabalho Escrito. Conteúdos Objetivos e/ou Competências Estrutura Cotações

DURAÇÃO DA PROVA Manual da disciplina, livros de Química, computador, Trabalho Escrito. Conteúdos Objetivos e/ou Competências Estrutura Cotações ÉPOCA ESPECIAL DE EXAMES ANO LETIVO 2011/2012 MATRIZ DO EXAME DO MÓDULO QM6 Estado Físico das Substâncias e Interações Moleculares. Estado Gasoso. Química MATERIAL A UTILIZAR TIPO DE PROVA DURAÇÃO DA PROVA

Leia mais

ATMOSFERA Temperatura, pressão, densidade e volume molar

ATMOSFERA Temperatura, pressão, densidade e volume molar ATMOSFERA Temperatura, pressão, densidade e volume molar As camadas na atmosfera são: Troposfera. Estratosfera. Mesosfera Termosfera Exosfera A variação da temperatura com a altitude permite definir 5

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1, g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1, g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

Primeira Lei da Termodinâmica

Primeira Lei da Termodinâmica Físico-Química I Profa. Dra. Carla Dalmolin Primeira Lei da Termodinâmica Definição de energia, calor e trabalho Trocas térmicas Entalpia e termoquímica Termodinâmica Estudo das transformações de energia

Leia mais

Lista de exercícios 2 QB70D

Lista de exercícios 2 QB70D Lista de exercícios 2 QB70D 1) Suponha que você jogue uma bola de tênis para o alto. (a) A energia cinética da bola aumenta ou diminui à medida que ela ganha altitude? (b) O que acontece com a energia

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA - QUÍMICA Prof. Adriana Strelow 1º Ano

CIÊNCIAS DA NATUREZA - QUÍMICA Prof. Adriana Strelow 1º Ano CIÊNCIAS DA NATUREZA - QUÍMICA Prof. Adriana Strelow 1º Ano - 2016 Geometria molecular : Forma como os átomos estão espacialmente dispostos em uma molécula. A geometria de uma molécula depende do número

Leia mais

19.2 Número de Avogadro mol número de átomos em uma amostra de 12g do carbono-12. Num mol de qualquer substância existem

19.2 Número de Avogadro mol número de átomos em uma amostra de 12g do carbono-12. Num mol de qualquer substância existem Cap. 19 Um gás consiste em átomos que preenchem o volume de seu recipiente. As variáveis volume, pressão e temperatura, são conseqüências do movimento dos átomos. Volume resultado da liberdade dos átomos;

Leia mais

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36 1ª QUESTÃO Valor 1,0 Uma lâmpada é colocada no fundo de um recipiente com líquido, diretamente abaixo do centro de um cubo de cortiça de 10 cm de lado que flutua no líquido. Sabendo que o índice de refração

Leia mais

2.1 Breve história da termodinâmica

2.1 Breve história da termodinâmica 2.1 Breve história da termodinâmica TERMODINÂMICA calor força, movimento No início, estudava os processos que permitiam converter calor em trabalho (força e movimento). 2.1 Breve história da termodinâmica

Leia mais

Fisica do Corpo Humano ( ) Prof. Adriano Mesquita Alencar Dep. Física Geral Instituto de Física da USP B01. Temperatura Aula 5 e 1/2 da 6

Fisica do Corpo Humano ( ) Prof. Adriano Mesquita Alencar Dep. Física Geral Instituto de Física da USP B01. Temperatura Aula 5 e 1/2 da 6 Fisica do Corpo Humano (4300325) Prof. Adriano Mesquita Alencar Dep. Física Geral Instituto de Física da USP B01 Temperatura Aula 5 e 1/2 da 6 1. Existem em torno de uma centena de átomos 2. Cada átomo

Leia mais

Resoluções dos testes propostos

Resoluções dos testes propostos 1 T.102 Resposta: Soma 28 (04 08 16) (01) Incorreta. O estado X corresponde à região onde a substância está na fase sólida e o estado Y à região onde a substância está na fase líquida. Portanto, a passagem

Leia mais

LIGAÇÕES QUÍMICAS INTERMOLECULARES

LIGAÇÕES QUÍMICAS INTERMOLECULARES LIGAÇÕES QUÍMICAS INTERMOLECULARES Ligações Químicas INTRAmoleculares INTERmoleculares Tipo de Ligação Química INTERMOLECULAR INTRAMOLECULAR Magnitude Comparativamente FRACA FORTE Polaridade em Ligações

Leia mais

Geometria molecular :

Geometria molecular : CIÊNCIAS DA NATUREZA - QUÍMICA Prof. Adriana Strelow 1º Ano - 2017 Geometria molecular : Forma como os átomos estão espacialmente dispostos em uma molécula. A geometria de uma molécula depende do número

Leia mais

Critérios de Classificação Específicos da Ficha de Avaliação Sumativa

Critérios de Classificação Específicos da Ficha de Avaliação Sumativa Critérios de Classificação Específicos da Ficha de Avaliação Sumativa Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos DISCIPLINA: Física e Química Módulo: Q 05/0 0 ºAno de

Leia mais

Nessa expansão, o trabalho realizado pelo gás e o aumento de energia interna, em joules, são, respectivamente:

Nessa expansão, o trabalho realizado pelo gás e o aumento de energia interna, em joules, são, respectivamente: Colégio Guilherme Dumont Villares Avaliação: TRABALHO DE FÍSICA SEGUNDO ANO 2 TRI Professor(a): Carlos Eduardo Saes Moreno Aluno(a): Nº: Turm a: Data: / / Nota: Introdução: Questão 1 Física termodinamica

Leia mais

O aluno deverá elaborar resumos teóricos dos textos do livro e de outras fontes sobre os tópicos do conteúdo.

O aluno deverá elaborar resumos teóricos dos textos do livro e de outras fontes sobre os tópicos do conteúdo. Disciplina QUÍMICA Curso ENSINO MÉDIO Professor GUILHERME Série 1ª SÉRIE ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º SEMESTRE / 2012 Aluno (a): Número: 1 - Conteúdo: Ácidos e bases propriedades, conceito

Leia mais

GASES MÓDULO 1 TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS

GASES MÓDULO 1 TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS GASES MÓDULO 1 TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS GASES GASES IDEAIS OU PERFEITOS Um gás perfeito é um gás hipotético. Por definição, é aquele que obedece, rigorosamente, às leis de Boyle e Charles, ou seja: As moléculas

Leia mais

Capítulo 1. Propriedades dos Gases

Capítulo 1. Propriedades dos Gases Capítulo 1. Propriedades dos Gases Baseado no livro: Atkins Physical Chemistry Eighth Edition Peter Atkins Julio de Paula 14-03-2007 Maria da Conceição Paiva 1 O estado físico de uma substância A equação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 3º Teste sumativo de FQA 27. janeiro. 2016 Versão 1 10º Ano Turma A Professora: Maria do Anjo Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído por 8 páginas

Leia mais

LISTA UERJ - GASES. No interior da bola cheia, a massa de ar, em gramas, corresponde a: a) 2,5 b) 5,0 c) 7,5 d) 10,0

LISTA UERJ - GASES. No interior da bola cheia, a massa de ar, em gramas, corresponde a: a) 2,5 b) 5,0 c) 7,5 d) 10,0 1. (Uerj 2012) Em um reator nuclear, a energia liberada na fissão de 1 g de urânio é 4 utilizada para evaporar a quantidade de 3,6 10 kg de água a 227ºC e sob 30 atm, necessária para movimentar uma turbina

Leia mais

Calcule o valor mínimo de M para permitir o degelo (e recongelação) do bloco à medida que é atravessado pela barra.

Calcule o valor mínimo de M para permitir o degelo (e recongelação) do bloco à medida que é atravessado pela barra. Termodinâmica Aplicada (PF: comunicar eventuais erros para pmmiranda@fc.ul.pt) Exercícios 7. Uma barra metálica rectangular fina, com 0 cm de comprimento e mm de largura, está assente num bloco de gelo

Leia mais

Gás Ideal (1) PMT2305 Físico-Química para Metalurgia e Materiais I César Yuji Narita e Neusa Alonso-Falleiros 2012

Gás Ideal (1) PMT2305 Físico-Química para Metalurgia e Materiais I César Yuji Narita e Neusa Alonso-Falleiros 2012 Gás Ideal (1) Para um gás, uma equação de estado é uma relação entre pressão (P), volume (V), temperatura (T) e composição ou número de mols (n). O primeiro passo para a determinação de uma equação de

Leia mais

FORÇAS INTERMOLECULARES

FORÇAS INTERMOLECULARES FORÇAS INTERMOLECULARES São as forças que mantêm os sólidos e líquidos unidos. A ligação covalente que mantém uma molécula unida é uma força intramolecular. A atração entre moléculas é uma força intermolecular.

Leia mais

ESTUDO DOS GASES. Energia cinética de um gás. Prof. Patricia Caldana

ESTUDO DOS GASES. Energia cinética de um gás. Prof. Patricia Caldana ESTUDO DOS GASES Prof. Patricia Caldana Gases são fluidos no estado gasoso, a característica que o difere dos fluidos líquidos é que, quando colocado em um recipiente, este tem a capacidade de ocupa-lo

Leia mais

2/Mar/2016 Aula 4. 26/Fev/2016 Aula 3

2/Mar/2016 Aula 4. 26/Fev/2016 Aula 3 6/Fev/016 Aula 3 Calor e Primeira Lei da Termodinâmica Calor e energia térmica Capacidade calorífica e calor específico Calor latente Diagrama de fases para a água Primeira Lei da Termodinâmica Trabalho

Leia mais

é aproximadamente igual a:

é aproximadamente igual a: Professor: Renan Oliveira 1. (UERJ/2016) Para descrever o comportamento dos gases ideais em função do volume V, da pressão P e da temperatura T, podem ser utilizadas as seguintes equações: De acordo com

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016 INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professora: Lúcia Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K) =

Leia mais

Diagramas de Energia

Diagramas de Energia Diagramas de Energia 1.1- Análise Gráfica Reação exotérmica Reação endotérmica (a) Energia de ativação (Ea) para a reação inversa (b) Energia de ativação (Ea) para a reação direta (c) ΔH 1.2- Entropia

Leia mais

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Substância pura Princípio de estado Equilíbrio de fases Diagramas de fases Equação de estado do gás ideal Outras equações de estado Outras propriedades termodinâmicas

Leia mais

Modelos Atômicos. Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados:

Modelos Atômicos. Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados: Modelos Atômicos Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados: Os elétrons giram, ao redor do núcleo, somente em determinadas órbitas permitidas e com energia quantizada. ONDAS ELETROMAGNÉTICAS Os

Leia mais

Química 2º Ano. Professora Cristina Lorenski Ferreira

Química 2º Ano. Professora Cristina Lorenski Ferreira Química 2º Ano Professora Cristina Lorenski Ferreira 2016 1 GEOMETRIA MOLECULAR POLARIDADE DAS MOLÉCULAS INTERAÇÕES INTERMOLECULARES PROFESSORA CRISTINA LORENSKI FERREIRA 2 ALGUNS QUESTIONAMENTOS Como

Leia mais

Resolução UNIFESP 2015

Resolução UNIFESP 2015 Resolução UNIFESP 2015 1-Utilizando o aparato indicado na figura, certo volume de solução aquosa de sulfato de cobre(ii) hidratado foi colocado dentro do béquer. Quando o plugue foi conectado à tomada

Leia mais