2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F"

Transcrição

1 1. Considere um bloco de gelo de massa 300g encontra-se a 0 C. Para que todo gelo se derreta, obtendo água a 0 C são necessárias cal. Determine o calor latente de fusão do gelo. 2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F 80cal / g e c gelo 0,5cal, pede-se: a)a quantidade de calor necessária para elevar a temperatura do bloco até 50 C b) Construa um gráfico que represente a variação da temperatura (eixo das ordenadas) em função da quantidade de calor (eixo das abscissas) recebida pelo bloco. 3. Num recipiente de paredes impermeáveis ao calor são colocados 200g de água à temperatura de 90 C e um pedaço de gelo de 50g à temperatura de 20 C. Determinar a temperatura final de equilíbrio. Dados: Calor específico da água = 1 cal/g C Calor especifico do gelo = 0,55 cal/g C Calor de fusão do gelo 80 cal/g 4. Num calorímetro de Berthelot, cuja massa em água, ou equivalente em água, era de l00 g, introduziu-se um bloco de 200g de certa substância, cuja temperatura inicial era de 172 C. A temperatura do sistema, de início, com 20 C, atinge no estado de equilíbrio o valor 23 C. Pede-se: a) o calor específico da referida substância; b) qual seria a temperatura final adquirida pelo sistema, se, após atingir o estado de equilíbrio já referido, fossem introduzidos no calorímetro 20g de gelo a 0 C. Dado: calor de fusão do gelo = 80 cal/g C 1

2 Dados para os problemas 5 e 6 c GELO 0,5cal ; L F 80cal / g L V 540cal / g ; 1cal c ÁGUA 5. Determine a quantidade de calor necessária para transformar 2g de gelo a 10 C em água a 10 C. 6. Determine a quantidade de calor necessária para transformar 2g de gelo a 10 C em vapor a 100 C. 7. Dentro de uma cavidade seca, praticada numa bar ra de gelo à temperatura de 0 C, põe-se um corpo de 500g de massa e cuja temperatura é de 90 C. Após algum tempo, quando se dá o equilíbrio térmico, retira-se, de dentro da cavidade, 70g de água. O calor de fusão do gelo é de 80 cal/g. Determine o calor específico do corpo. 8. Um pedaço de gelo de massa 40g a 0 C é colocado com 20g de cobre a 100 C em um calorímetro contendo 180g de água a 20 C. O equivalente em água dos acessórios e do calorímetro é igual a 20g. Qual é a temperatura final da mistura? Dados: Calor específico do cobre = 0,095 cal/g C Calor de fusão do gelo = 80 cal/g 9. Determine a quantidade de calor que deve ser fornecida a 200g de gelo a 40 C para se obter vapor d água a 120 C. Construa um gráfico que represente a variação da temperatura (eixo das ordena das) em função da quantidade de calor (eixo das abscissas) recebida pelo gelo. Dados: c 0,5cal GELO c 0,5cal Vapor L 80cal / g F 2

3 10.O diagrama abaixo representa a variação da temperatura de uma substância líquida de massa 20g, inicialmente a 0 C, em função do calor por ela absorvido. Determine: a) a temperatura de ebulição do líquido; b) o calor específico do líquido; c) o calor de vaporização do líquido; d) o calor específico na fase gasosa. 11.Num calorímetro de capacidade térmica desprezível misturamos 200g de água a 32 C e 150g de gelo a 25 C. Determine a massa de vapor de água a 140 C, que devemos introduzir no calorímetro para que a temperatura de equilíbrio térmico seja 28 C. Dados: c c 0,5cal ; L F 80cal / g ; L V 540cal / g ; GELO VAPOR 12.Deseja-se esfriar 8,5 litros de água de 20 C a 5,0 C, empregandose cubos de gelo a 0 C. Admita que o sistema atinja o equilíbrio térmico e despreze as trocas de calor com o meio ambiente. Quantos litros de água serão obtidos no fmal? Adote: massa específica da água: = 1,0 kg/litro calor específico da água: c = 1,0 cal/g C calor latente de fusão do gelo: L = 80 cal/g 3

4 13.Um bloco de gelo de massa 60g a 10 C é introduzido ao mesmo tempo que 20 g de cobre a 80 C em um calorímetro contendo 300 g de água a 20/ C. Sendo a capacidade térmica do calorímetro iguala 50 cal/ C e c CU 0,092cal, L F 80cal / g, c GELO 0,5cal, determine a temperatura final de equilíbrio térmico. 14.Um corpo, inicialmente sólido, de massa 80g, recebe calor e sofre variação de temperatura conforme indica o gráfico: Pede-se: a) a temperatura de fusão da substância; b o calor latente de fusão do corpo; c) o calor específico do corpo no estado sólido; d) o calor específico no estado líquido. 15.Num calorímetro de capacidade térmica desprezível misturamos 500g de água a 30 C e 200g de gelo a 20 C. Determine a massa de vapor d água a 130 C que devemos introduzir no calorímetro para que a temperatura no equilíbrio seja 40 C. 16.Um recipiente contém 20 litros de ar e suporta uma pressão de 2 atmosferas. Determine o volume ocupado pelo ar quando a pressão passar a 0,4 atmosfera, mantendo-se constante a temperatura. 17.Certo corpo gasoso sofre uma transformação em que sua temperatura varia de 0 C a 91 C; simultaneamente, a pressão do 4

5 gás se eleva ao dobro. Em que proporção se modifica o volume do gás? 18.Num reservatório de capacidade constante há gás sob pressâo de 75cm Hg à temperatura de 27 C. Determine a nova pressão da mesma massa gasosa, quando a temperatura passa para 170,6 F. 19.O volume de um gás é de 280cm 3 à temperatura de 30 C e sob pressão de 740mm de Hg. Qual seria ó volume a 0 C e sob 760 mm de Hg? 20.Três litros de ar, inicialmente a 27 C e 4, N/m 2 de pressão, sofre compressão isotérmica atingindo o volume de 0,5 litro. Em seguida passam por uma expansão isobárica até atingir volume de J 4 litros. Sendo R 8,4, mol. K ' Determine: a) o número de moles do volume de ar em que tão; b) a pressão do ar após a transformação isotérmica; c) a temperatura absoluta no final da transformação isobárica. 21.Um litro de ar, nas CNTP, tem massa igual 1,293 grama. Qual a massa de 1,0 litro de ar sob 770mm Hg de pressão e 0 C de temperatura? 22.A profundidade de um certo lago é de 6,0 metros. No fundo de tal lago a temperatura é de 10 C ao passo que na superfície é de 18 C e a pressão atmosférica é de 760 mm Hg. A massa específica da água é de 1 g/cm 3 e a do mercúrio é 13,6 g/cm 3. Certa bolha gasosa, emanada do fundo desse lago, chega à tona do mesmo ocupando um volume. de 8,0cm 3. Determine o volume ocupado pela bolha no fundo do lago. 5

6 23.Nos recipientes A e B da figura temos dois gases, X e Y, nas pressão 3 atm. e 1 atm, respectivamente, na temperatura ambiente (constante): O volume do recipiente B é o triplo do de A e o volume do tubo que liga A a B é desprezível. Determine a pressão final do conjunto, depois de se abrir a torneira do tubo de união. 24.Considere uma massa de gás à temperatura de 0 C, pressão de 4,0 atm e volume de 6 litros. A massa de gás é comprimida isotermicamente até que a pressão seja 2,0 atm. Em seguida, a temperatura do gás é aumentada até 77 C, numa transformação isobárica. Determine o volume final da massa de gás. 25.A mesma quantidade de ar ocupa primeiro urna es fera com raio de 1cm, e depois outra esfera cujo raio é de 2cm. Determine a pressão na segunda esfera, sabendo que, na primeira, o gás se acha nas CNTP e, na segunda, a sua temperatura é de 20 C. 6

7 26.Uma certa massa de gás, inicialmente no estado 1, é levada, por transformações sucessivas, até o esta do 3, conforme indica o diagrama: Determine: a) T b) V 1 1 Dado: 27.Um recipiente de capacidade V = 2 litros contém 0,02 mol de um gás perfeito a 27 C. Mantendo-se o volume constante, aquece-se o gás até 227 C. Determine as pressões inicial e final do gás. R 0, 082 atm l mol k 28.Uma certa massa de gás, no estado inicial A, passa para o estado final B, sofrendo a transformação indicada na figura: Determine a temperatura T B. 7

8 29.Um cilindro, de paredes rígidas e êmbolo móvel sem atrito, contém um certo gás em seu interior, conforme indica a figura: Quando a temperatura é de 27 C, o volume ocupado pelo gás é de 5 litros. Qual deve ser a temperatura para que o volume do gás seja de 8 litros, mantendo a pressão constante? 30.Um recipiente contém 20 litros de ar e suporta uma pressão de 1,5 atmosfera. Determine o volume ocupado pelo ar quando a pressão passar a 1 atmosfera, mantida constante a temperatura. 31.O gráfico abaixo ilustra uma isoterma de uma certa quantidade de gás levado do estado A para o estado B Determine a pressão do gás no estado B. 8

9 32.O diagrama abaixo indica a transformação ABCA sofrida por um gás perfeito: Determine o trabalho realizado na transformação. 33.Um gás perfeito sofre a transformação ABCD indicada no diagrama abaixo: Determine o trabalho realizado nas transformações: a) AB b) BC c) CD d) ABCD 34.De que altura deveria cair uma determinada massa de água para que a sua energia final, convertida em calor, aumentasse a temperatura dessa massa de 1 C? Admita não haver perdas. Dados: 1 cal = 4,18J; g = 9,8 m/s 2 c = 1 cal/g C 9

10 35.Uma massa de gás recebe 2.000J de calor e sofre transformação isobárica, sob pressão de 40 N/m 2. como ilustra o diagrama: Determine a variação de energia interna do gás. 36.Uma massa de água de 20g a 100 C, sob pressão normal (10 5 N/m 2 ) ocupa volume de 20cm 3. Transformando-a em vapor, isobaricamente o volume passa a 8.000cm 3. Sendo o calor latente de vaporização da água 540 cal/g, determine: a) o trabalho realizado na transformação; b) a quantidade de calor absorvida pelo sistema; c) a variação da energia interna do sistema. 37.Uma esfera de chumbo é atirada com a velocidade de 20m/s. Choca-se com um obstáculo perfeitamente rígido. Se a energia cinética da esfera se transforma totalmente em calor e somente 70% é absorvida pela esfera, calcular a temperatura final da esfera. A massa da esfera é 20g e sua temperatura inicial 25 C. Dados: C PB (sólido) = 0,03 cal/g C C PB (liquido) = 0,04 cal/g C temperatura de fusão do chumbo 325 C L F = 6 cal/g. 38.Certa massa gasosa, de volume 5 litros, sob pressão N / m sofre transformação isotérmica recebendo 8.000J de calor do meio externo. Sendo o número de moles do gás igual a 4 e a constante universal dos gases perfeitos igual a 8,32 J/mol K, determine: a) a temperatura da transformação, b) a variação da energia interna do gás; c) o trabalho realizado na transformação. 10

11 39.Numa transformação isobárica, um gás realiza o trabalho de 400J, quando recebe do meio externo 500J. Determine a variação de energia interna do gás nessa transformação. 40.Uma máquina de Carnot é operada entre duas fontes, cujas temperaturas são, respectivamente, 100 C e 0 C. Admitindo-se que a máquina recebe da fonte quente uma quantidade de calor igual a 1000cal por ciclo, pede-se: a) o rendimento térmico da máquina; b) o trabalho realizado pela máquina em cada ciclo (expresso em joules); c) a quantidade de calor rejeitada à fonte fria. Use: 1cal = 4,19J 41.Uma máquina térmica retira da fonte quente, 400 calorias e passa para a fonte fria 300 calorias. Determine o seu rendimento. 42.Uma máquina térmica de Carnot fornece ao meio exterior, em cada ciclo, um trabalho de 600J. As temperaturas das fontes quente e fria são respectivamente, 127 C e 27 C. Determine: a) o rendimento da máquina; b) a quantidade de calor que a fonte quente fornece ao sistema; c) a quantidade de calor que o sistema fornece à fonte fria. 43.Urna máquina de Carnot, cuja fonte fria está a 7 C, tem rendimento de 40%. Determine em quantos graus precisamos elevar a temperatura da fonte quente para que o rendimento passe a ser 50%. 44.Num lugar onde g = 9,8m/s 2 um corpo metálico de massa = 2Kg cai de 200m de altura. Supondo que todo o calor produzido no impacto permaneça no corpo, e sabendo que sua temperatura se elevou de 10 C, qual é, aproximadamnete, o calor específico do corpo em cal/g C? 11

12 45.O gráfico da figura representa uma transformação reversível sofrida por uma determinada massa gás perfeito. a) Qual foi a variação da temperatura do gás entre o estado inicial A e o estado final C? b) Qual a quantidade de calor, em joules, recebida pelo gás na transformação ABC? 46.(UF-PI) O gráfico representa a variação de temperatura em função do tempo de um corpo inicialmente sólido. Os patamares AB e CD representam, respectivamente, as seguintes mudanças de estado: a) solidificação e fusão b) solidificação e vaporização c) fusão e solidificação d) vaporização e sublimação e) fusão e vaporização 12

13 Gabarito: b) 1. L F 80cal / g 2. a) cal ou 42Kcal 3. t 53, 8 C 4. a) c 0,01cal b) t 6, 1 C 5. Q 190cal 6. Q cal 7. c 0,124cal 8. t 4, 1 C 9. Q 150cal b) 10. a) t 80 C b) c 0,625cal c) L V 100cal / g d) c 1,25cal 11. m 27, 33g 13

14 12. V 10 litros 13. t 4, 97 C 14. a) t F 200 C b) L F 2,5cal / g c) c SÓLIDO 0,012cal d) c LÍQUIDO 0,037cal ,41g 16. V 100 litros V V p 87, 5 cm Hg V 245,6 cm 20. a) n 0, 5 moles b) p' 2,52 10 c) T =2.400K 21. m' 1, 31g V 4,9 cm 23. p 1, 5 atm 24. V 15, 38 litros p 0, 134 atm a) T K b) litros 1 3 V p 0, 246 atm p' 0, 41 atm 6 N / M 2 14

15 28. T B 900K 29. T ' 480K 30. V 30 litros 31. P B 1, 8 atm J ABCA 33. a) 6J b) 6J AB BC c) 7, 5J CD d) 19, 5J ABCD 34. h 427m 35. U J 36. a) 798J b) Q cal ou 2.584J c) U J 37. t 26, 1 C 38. a) T 75, 12K b) U 0 c) 8.000J 39. U 100J 40. a) 26,8% b) 1.120,3J c) Q 732 cal % 42. a) 25% b) Q J c) Q J T 93K 44. c 0,046cal 45. a) Nula b) 12J ABC 46.E 47.50g 48.C 15

16 49.E 50.a) coexistência de sólido e líquido 51. a) 30 cal/g b) 0,25 cal/g C 52. b) cal 16

Física Geral e Experimental III. Dilatação

Física Geral e Experimental III. Dilatação Física Geral e Experimental III Dilatação 6. Em um dia quente em Las Vegas um caminhão-tanque foi carregado com 37.000 L de óleo diesel. Ele encontrou tempo frio ao chegar a Payson, Utha, onde a temperatura

Leia mais

NOME: TURMA: 33AA / 33IA / 33MA Nº PROFESSOR: ELIO ASSALIN TRABALHO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA (VALOR DE 2,0 PONTOS) NOTA:

NOME: TURMA: 33AA / 33IA / 33MA Nº PROFESSOR: ELIO ASSALIN TRABALHO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA (VALOR DE 2,0 PONTOS) NOTA: NOME: TURMA: 33AA / 33IA / 33MA Nº PROFESSOR: ELIO ASSALIN TRABALHO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA (VALOR DE 2,0 PONTOS) NOTA: Questões do 1 bimestre: Conteúdo: Escalas termométricas, conversão de temperatura

Leia mais

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36 1ª QUESTÃO Valor 1,0 Uma lâmpada é colocada no fundo de um recipiente com líquido, diretamente abaixo do centro de um cubo de cortiça de 10 cm de lado que flutua no líquido. Sabendo que o índice de refração

Leia mais

AULA 13 CALORIMETRIA. 1- Introdução

AULA 13 CALORIMETRIA. 1- Introdução AULA 13 CALORIMETRIA 1- Introdução Neste capítulo estudaremos o calor e suas aplicações. Veremos que o calor pode simplesmente alterar a temperatura de um corpo, ou até mesmo mudar o seu estado físico.

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação Física Geral e Experimental III Exercícios Temperatura e Dilatação 1. Em um dia quando a temperatura alcança 50ºF, qual é a temperatura em graus Celsius e Kelvins? R: 10ºC; 283 K. 2. O ouro tem um ponto

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades Caro educando, você está recebendo o conteúdo de recuperação. Faça a lista de exercícios com atenção, ela norteará os seus estudos. Utilize o livro didático adotado pela escola como fonte de estudo. Se

Leia mais

Aula 6 A 2a lei da termodinâmica Física II UNICAMP 2012

Aula 6 A 2a lei da termodinâmica Física II UNICAMP 2012 Aula 6 A 2a lei da termodinâmica Física II UNICAMP 2012 http://en.wikipedia.org/wiki/steam_car Caldeira de carro a vapor de 1924. Populares até a década de 1930, perderam prestígio com a popularização

Leia mais

Prof. Vanderlei I Paula -

Prof. Vanderlei I Paula - Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Gabarito 3 a lista de exercícios 01 Alimentos desidratados apresentam maior durabilidade e mantêm a maioria das

Leia mais

Propagação do Calor e Calorimetria

Propagação do Calor e Calorimetria Condução Térmica Física 3 - Capítulo 3 Propagação do Calor e Calorimetria Propagação de calor em que a energia térmica passa de partícula para partícula, sem transporte de matéria. Ocorre nos materiais

Leia mais

Unifesp Física 3: prova específica 2002 a 2013 Resolução

Unifesp Física 3: prova específica 2002 a 2013 Resolução Unifesp Física 3: prova específica 2002 a 2013 Resolução 1. Estender as roupas no varal e puxar a água com rodo em um piso molhado têm como intuito aumentar a área da superfície do líquido, facilitando,

Leia mais

PROVA PARA ALUNOS DO 1 E 2 ANO

PROVA PARA ALUNOS DO 1 E 2 ANO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: a 3 FASE o o PROVA PARA ALUNOS DO 1 E 2 ANO 1 Essa prova destina-se exclusivamente aos alunos do 1 o e 2 o ano e contém vinte (20) questões. 2 Os alunos do 1 o ano

Leia mais

3ª Série / Vestibular

3ª Série / Vestibular 3ª Série / Vestibular 21. Considere dois corpos A e B de mesma massa de substâncias diferentes. Cedendo a mesma quantidade de calor para os dois corpos, a variação de temperatura será maior no corpo: (A)

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra Apostila de Revisão n 3 DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: Mecânica - 3. FLUIDOS 1. Densidade: Razão entre a massa de um corpo e o seu volume. massa densidade = volume

Leia mais

Ob. As questões discursiva deve ser apresentado os cálculos.

Ob. As questões discursiva deve ser apresentado os cálculos. GOIÂNIA, 16_ / _11 / 2016 PROFESSOR: Jonas Tavares DISCIPLINA: Física SÉRIE: 2ª ALUNO(a): L2 4º Bimestre Data da prova: 16/11/16 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia

Leia mais

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Substância pura Princípio de estado Equilíbrio de fases Diagramas de fases Substância Pura Substância pura é a aquela que tem composição química invariável

Leia mais

Física 3 aulas 11 e 12

Física 3 aulas 11 e 12 www.fisicanaveia.com.br www.fisicanaveia.com.br/cei Mudança de Estado Processos Q > 0 Q < 0 Calor e Mudança de Estado Curva de Aquecimento Temperatura e Calor Exercício 1 Um calorímetro ideal possui em

Leia mais

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C Colégio Santa Catarina Unidade XIII: Termodinâmica 89 Exercícios de Fixação: a) PV = nr T b)pvn = RT O gráfico mostra uma isoterma de uma massa c) PV = nrt d) PV = nrt de gás que é levada do e) PV = nrt

Leia mais

Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA

Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA Aos valores da pressão, do volume e da temperatura chamamos de ESTADO DE UM GÁS Assim: V 5 L T 300 K P 1 atm Os valores da

Leia mais

Exercícios de Termodinâmica

Exercícios de Termodinâmica Exercícios de Termodinâmica 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica

Leia mais

Preencha a tabela a seguir, de acordo com as informações do texto.

Preencha a tabela a seguir, de acordo com as informações do texto. 1. Uma amostra de um gás está contida em um cilindro ao qual se adapta um êmbolo. A figura a seguir mostra o diagrama pressão X volume das transformações sofridas pelo gás. A energia interna do gás no

Leia mais

Prof. Renato. EME Prof. Vicente Bastos SESI Carrão. Física 2ª. Série Aula 13

Prof. Renato. EME Prof. Vicente Bastos SESI Carrão. Física 2ª. Série Aula 13 Aula 13 Medindo o calor 1. Mudança de estado físico (solidificação) (liquefação) Sólido - Líquido - Gás (fusão) (ebulição) 2. Curvas de aquecimento Gráfico de Temperatura x Quantidade de calor: T x Q Exemplos:

Leia mais

Energia: Capacidade de realizar trabalho.

Energia: Capacidade de realizar trabalho. Energia: Capacidade de realizar trabalho. Formas de energia: Matéria: - Cinética (movim. macroscópico, térmica, etc) - Potencial (elétrica, gravitacional, elástica, etc) Tudo que tem massa e ocupa lugar

Leia mais

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r 1) No sistema mostrado abaixo, as roldanas e os fios são ideais e o atrito é considerado desprezível. As roldanas A, B, e C são fixas e as demais são móveis sendo que o raio da roldana F é o dobro do raio

Leia mais

Lista de exercícios Prisma e cilindro

Lista de exercícios Prisma e cilindro Lista de exercícios Prisma e cilindro 1. Na figura a seguir, que representa um cubo, o perímetro do quadrilátero ABCD mede 8(1 + Ë2) cm. Calcule o volume do cubo em cm. 4. Em um tanque cilíndrico com raio

Leia mais

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03 FOLHAS DE PROBLEMAS Termodinâmica e teoria cinética Física dos Estados da Matéria 00/03 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto ª FOLHA

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases Apostila de Química 01 Estudo dos Gases 1.0 Conceitos Pressão: Número de choques de suas moléculas contra as paredes do recipiente. 1atm = 760mHg = 760torr 105Pa (pascal) = 1bar. Volume 1m³ = 1000L. Temperatura:

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 3ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 3ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA º ANO - ª MENSAL - º RIMESRE IPO A 0) Um gás sofre a transformação termodinâmica cíclica ABCA representada no gráfico p x V. No trecho AB, a transformação é isotérmica. Analise as afirmações

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. Um cilindro com pistão, contendo uma amostra de gás ideal, comprime a amostra de maneira que a temperatura, tanto do cilindro com pistão quanto da amostra de gás ideal, não varia. O valor absoluto do

Leia mais

QUESTÕES DE FÍSICA A RESUMO BIMESTRAL AULA 25 A 32

QUESTÕES DE FÍSICA A RESUMO BIMESTRAL AULA 25 A 32 Processo Avaliativo AVP - 3º Bimestre/2016 Disciplina: Física 2ª série EM A Data: Nome do aluno Nº Turma Atividade Avaliativa: entregar a resolução de todas as questões. ATENÇÃO: Esta lista é o trabalho

Leia mais

Atividade extra. Questão 1 Cecierj Questão 2 Cecierj Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química

Atividade extra. Questão 1 Cecierj Questão 2 Cecierj Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química Atividade extra Questão 1 Cecierj - 2013 Desenhe uma esfera de ferro e outra de chumbo que tenham massas iguais. Para isso, considere as seguintes densidades: densidade do ferro = 7,9 g/cm3 densidade do

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS: POTÊNCIA, TRABALHO E ENERGIA TURMAS: 1C01 a 1C10 (PROF. KELLER)

LISTA DE EXERCÍCIOS: POTÊNCIA, TRABALHO E ENERGIA TURMAS: 1C01 a 1C10 (PROF. KELLER) LISTA DE EXERCÍCIOS: POTÊNCIA, TRABALHO E ENERGIA TURMAS: 1C01 a 1C10 (PROF. KELLER) 1) Uma máquina consome 4000 J de energia em 100 segundos. Sabendo-se que o rendimento dessa máquina é de 80%, calcule

Leia mais

Diagramas termodinâmicos e Propriedades das substâncias. Prof. Bogdan

Diagramas termodinâmicos e Propriedades das substâncias. Prof. Bogdan Diagramas termodinâmicos e Propriedades das substâncias Prof. Bogdan Objetivos Apresentar relações de propriedades relevantes à Termodinâmica voltada para a engenharia; Utilizar as propriedades e relações

Leia mais

Fisica 1 A B. k = 1/4πε 0 = 9, N.m 2 /C Um automóvel faz o percurso Recife-Gravatá a uma velocidade média de 50 km/h.

Fisica 1 A B. k = 1/4πε 0 = 9, N.m 2 /C Um automóvel faz o percurso Recife-Gravatá a uma velocidade média de 50 km/h. Fisica 1 Valores de algumas constantes físicas celeração da gravidade: 10 m/s 2 Densidade da água: 1,0 g/cm 3 Calor específico da água: 1,0 cal/g C Carga do elétron: 1,6 x 10-19 C Velocidade da luz no

Leia mais

4. Introdução à termodinâmica

4. Introdução à termodinâmica 4. Introdução à termodinâmica 4.1. Energia interna O estabelecimento do princípio da conservação da energia tornou-se possível quando se conseguiu demonstrar que junto com a energia mecânica, os corpos

Leia mais

0 0 A carga elétrica que passa nesse condutor nos 4 primeiros segundos vale 3

0 0 A carga elétrica que passa nesse condutor nos 4 primeiros segundos vale 3 0 0 A carga elétrica que passa nesse condutor nos 4 primeiros segundos vale 3 1 1 Sendo a carga elementar e = 1,6.10-19 C, a quantidade de elétrons que passa condutor nos 10 s vale 3,75.10 17. 2 2 A corrente

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Exercício Termodinâmica (com solução comentada)

Exercício Termodinâmica (com solução comentada) Exercício ermodinâmica (com solução comentada ara o cálculo do trabalho realizado pelo gás em uma transformação em que a pressão varia devemos calcular a área do gráfico, porém deve-se dividir a área do

Leia mais

Professor: Rodrigo Rocha Monteiro

Professor: Rodrigo Rocha Monteiro Professor: Rodrigo Rocha Monteiro Pressão Máxima de Vapor Definição Vamos imaginar um cilindro munido de um êmbolo totalmente apoiado em um líquido puro contido no seu interior. Se elevarmos o êmbolo,

Leia mais

Resolução de Questões de Provas Específicas Aula 7

Resolução de Questões de Provas Específicas Aula 7 Resolução de Questões de Provas Específicas Aula 7 Resolução de Questões de Provas Específicas Aula 7 1. (UECE) Um varal de roupas é construído com um cabo de aço longo, muito fino e flexível. Em dias

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECAPTULAÇÃO DOS CONTEÚDOS

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECAPTULAÇÃO DOS CONTEÚDOS Curso : Engenharia civil Disciplina: Fenômeno dos transportes Professor(a): Nome do(s) Aluno(a)(s): LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECAPTULAÇÃO DOS CONTEÚDOS Período Letivo: 2014.2 Unidade: I Nota: Semestre:

Leia mais

I - colocam-se 100 g de água fria no interior do recipiente. Mede-se a temperatura de equilíbrio térmico de 10ºC.

I - colocam-se 100 g de água fria no interior do recipiente. Mede-se a temperatura de equilíbrio térmico de 10ºC. Questão 1: Um recipiente metálico, isolado termicamente, pode ser usado como calorímetro. Com esse objetivo, é preciso determinar primeiramente a capacidade térmica C do calorímetro, o que pode ser feito

Leia mais

Unidade I. Aula 4.2 Conteúdo. Termologia, Vida e Ambiente. Calorimetria: Princípio das trocas de calor envolvendo mudança de fase e diagrama de fases.

Unidade I. Aula 4.2 Conteúdo. Termologia, Vida e Ambiente. Calorimetria: Princípio das trocas de calor envolvendo mudança de fase e diagrama de fases. CONTEÚDO E HABILIDADES Unidade I Termologia, Vida e Ambiente Aula 4.2 Conteúdo Calorimetria: Princípio das trocas de calor envolvendo mudança de fase e diagrama de fases. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES Habilidades:

Leia mais

CAPITULO 2 A Primeira lei da termodinâmica

CAPITULO 2 A Primeira lei da termodinâmica Neste capítulo são introduzidos alguns dos conceitos fundamentais da termodinâmica. O foco da exposição é a conservação de energia a observação experimental de que a energia não pode ser destruída nem

Leia mais

Preparação na Potência Máxima Página 1

Preparação na Potência Máxima Página 1 Gases e Termodinâmica 1) A figura a seguir representa dois reservatórios cilíndricos providos de êmbolos de massa desprezível, com mesma área de base e que contêm o mesmo número de mols de um gás ideal.

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 Fixação 1) (UNESP) O volume de uma massa fixa de gás ideal, a pressão constante, é diretamente proporcional à: a) concentração do gás.

Leia mais

TRANSFORMAÇÕES GASOSAS

TRANSFORMAÇÕES GASOSAS TRANSFORMAÇÕES GASOSAS 01. A pressão do ar no interior dos pneus é recomendada pelo fabricante para a situação em que a borracha está fria. Quando o carro é posto em movimento, os pneus se aquecem, seus

Leia mais

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol.

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol. Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol. 2 Nos exercícios abaixo adotar! = 8,315!!"#! = 0,08206!!"#!"#!

Leia mais

TERMODINÂMICA APLICADA CAPÍTULO 2

TERMODINÂMICA APLICADA CAPÍTULO 2 TERMODINÂMICA APLICADA CAPÍTULO 2 PROPRIEDADES DAS SUBSTÂNCIAS PURAS SUMÁRIO Neste capítulo o conceito de substância pura é introduzido e as várias fases, bem como as propriedades físicas dos processos

Leia mais

Exercícios Gases e Termodinâmica

Exercícios Gases e Termodinâmica Exercícios Gases e Termodinâmica 1-O gás carbônico produzido na reação de um comprimido efervescente com água foi seco e recolhido àpressão de 1 atm e temperatura de 300K, ocupando um volume de 4 L. Se

Leia mais

Termologia. Em um dia de inverno, a temperatura abaixou de 9 F. Essa variação na escala Celsius seria de: a) 12,7 C b) 5 C c) 9 C d) 12,5 C e) n.r.a.

Termologia. Em um dia de inverno, a temperatura abaixou de 9 F. Essa variação na escala Celsius seria de: a) 12,7 C b) 5 C c) 9 C d) 12,5 C e) n.r.a. 1. Questão Termologia Nas lâmpadas de filamento de tungstênio, a temperatura desse filamento atinge o valor de 2500 C. Determinar o valor dessa temperatura na escala Fahrenheit. a) 2685 F b) 4532 F c)

Leia mais

Universidade Federal do Pará Centro de Ciências Exatas e Naturais Departamento de Física Laboratório Básico I

Universidade Federal do Pará Centro de Ciências Exatas e Naturais Departamento de Física Laboratório Básico I Universidade Federal do Pará Centro de Ciências Exatas e Naturais Departamento de Física Laboratório Básico I Experiência 11 CALOR DE FUSÃO DO GELO 1. OBJETIVOS Ao término da experiência o aluno deverá

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 2 ANO

LISTA DE EXERCÍCIOS 2 ANO LISTA DE EXERCÍCIOS 2 ANO 01 - (UNIMONTES MG) Um balão de volume igual a 750 m 3 5 2 deve ser preenchido com hidrogênio e ficar à pressão atmosférica (P 1,03 10 N/m ) quando estiver totalmente cheio. O

Leia mais

2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA

2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA AULA 07 ERMODINÂMICA GASES 1- INRODUÇÃO As variáveis de estado de um gás são: volume, pressão e temperatura. Um gás sofre uma transformação quando pelo menos uma das variáveis de estado é alterada. Numa

Leia mais

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Substância pura Princípio de estado Equilíbrio de fases Diagramas de fases Equação de estado do gás ideal Outras equações de estado Outras propriedades termodinâmicas

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 Questão 01) Quando uma pessoa se aproxima de um espelho plano ao longo da direção perpendicular a este e com uma velocidade de módulo 1 m/s, é correto afirmar que

Leia mais

ENERGIA MECÂNICA. Considerações Gerais

ENERGIA MECÂNICA. Considerações Gerais SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 1º TURMA(S):

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Departamento de Estudos Básicos e Instrumentais 3 Termologia Física II Prof. Roberto Claudino Ferreira Prof. Roberto Claudino 1 ÍNDICE 1. Conceitos Fundamentais;

Leia mais

Folhas de exercícios de Termodinâmica

Folhas de exercícios de Termodinâmica DEF-FEUP Física MIEC - 2012/2013 Termodinâmica - 1 Folhas de exercícios de Termodinâmica Temperatura; lei dos gases perfeitos; calorimetria; 1 a lei da termodinâmica Admita os valores seguintes para a

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 O cérebro humano determina a direção de onde provém um som por meio da diferença de fase entre

Leia mais

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR Temperatura: é a grandeza que mede o grau de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Calor: é a energia térmica em trânsito,

Leia mais

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL

TRABALHO DA FORÇA ELÉTRICA E ENERGIA POTENCIAL TRLHO D FORÇ ELÉTRIC E ENERGI POTENCIL 1. (OF 006) Um corpo esférico, condutor, oco, de espessura irrelevante e com carga total nula tem um raio R = 50,0 cm e envolve um corpo esférico, a ele concêntrico,

Leia mais

QiD 1 1ª SÉRIE PARTE 3 FÍSICA

QiD 1 1ª SÉRIE PARTE 3 FÍSICA QiD 1 1ª SÉRIE PARTE 3 FÍSICA 1. (1,0) Estime a ordem de grandeza do numero de passos que um atleta dá durante uma prova de maratona, sabendo que seu deslocamento é cerca de 42km e que um passo de um atleta

Leia mais

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C.

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. H (g) + 1/2 O (g) ë H O(Ø) (ÐH) H (g) + 1/2 O (g) ë H O(s) (ÐH) A diferença entre os efeitos térmicos, (ÐH) - (ÐH), é igual a) a

Leia mais

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO 1- Um aluno de química, ao investigar as propriedades de gases, colocou uma garrafa plástica (PET), contendo ar e devidamente fechada, em um freezer e observou

Leia mais

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, Prof. Marco Simões Transferência de calor, exercícios selecionados do Sears & Zemansky, cap.

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, Prof. Marco Simões Transferência de calor, exercícios selecionados do Sears & Zemansky, cap. Unimonte, Engenharia Física Aplicada, Prof. Marco Simões Transferência de calor, exercícios selecionados do Sears & Zemansky, cap. 17 17.65) Suponha que a barra da figura seja feita de cobre, tenha 45,0

Leia mais

DISCIPLINA: Professores: Afonso, Cézar, Gustavo, Luciano e Maragato. COMENTÁRIO GERAL Alguns pontos devem ser destacados:

DISCIPLINA: Professores: Afonso, Cézar, Gustavo, Luciano e Maragato. COMENTÁRIO GERAL Alguns pontos devem ser destacados: DISCIPLINA: Professores: Afonso, Cézar, Gustavo, Luciano e Maragato. COMENTÁRIO GERAL Alguns pontos devem ser destacados: 1. A questão 7 trata da hidrodinâmica, assunto não apresentado no manual do candidato.

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 01 HIDROSTÁTICA: INTRODUÇÃO

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 01 HIDROSTÁTICA: INTRODUÇÃO FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 01 HIDROSTÁTICA: INTRODUÇÃO F S F p = S FN p = S F n F S B h p = μ g h h B B h A h A B A h B h A Linha de nível μ A h B μ B h A 1,25 m ÓLEO 1,0 m ÁGUA 76 cm Como pode cair no enem

Leia mais

Lista: Hidrostática (densidade, pressão, Stevin, empuxo)

Lista: Hidrostática (densidade, pressão, Stevin, empuxo) Lista: Hidrostática (densidade, pressão, Stevin, empuxo) 1) (Fuvest 95) Um recipiente cilíndrico de eixo vertical tem como fundo uma chapa de 2,0cm de espessura, e 1,0m² de área, feita de material de massa

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

1 a QUESTÃO Valor 1,0

1 a QUESTÃO Valor 1,0 1 a QUESTÃO Valor 1,0 Um esquimó aguarda a passagem de um peixe sob um platô de gelo, como mostra a figura abaixo. Ao avistá-lo, ele dispara sua lança, que viaja com uma velocidade constante de 50 m/s,

Leia mais

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras 1. A condição de estabilidade Inicialmente precisamos estabelecer a importância da energia de Gibbs molar na discussão das transições de fase. A energia de

Leia mais

DILATAÇÃO TÉRMICA FONTE DA IMAGEM: CESGRANRIO. Esfriando-se o conjunto e supondo-se que o álcool não evapore, o volume da gota:

DILATAÇÃO TÉRMICA FONTE DA IMAGEM: CESGRANRIO. Esfriando-se o conjunto e supondo-se que o álcool não evapore, o volume da gota: DILATAÇÃO TÉRMICA 1. Fausto é dono de uma empresa que fabrica recipientes termicamente isolados. Ele herdou a empresa do pai e seguiu seus passos. Um dos recipientes termicamente isolados de Fausto contém

Leia mais

C 04. Qual o módulo do campo elétrico resultante no ponto A, da figura a seguir, sendo que as partículas se encontram no vácuo.

C 04. Qual o módulo do campo elétrico resultante no ponto A, da figura a seguir, sendo que as partículas se encontram no vácuo. ª série EM - Lista de Questões para a EXAME FINAL - FÍSICA 01. Em uma carga elétrica região? (Lembre-se E q mc atua uma força elétrica de 4N. Qual o Valor do capo elétrico gerado nesta F e q ) 0. Qual

Leia mais

17/08/ /08/2011 Prof. Dr. Ricardo A. Mazza 3

17/08/ /08/2011 Prof. Dr. Ricardo A. Mazza 3 Propriedades de Uma Substância Pura Prof. Dr. Ricardo A. Mazza DE/FEM/UNICAMP 17/08/2011 Prof. Dr. Ricardo A. Mazza 1 Substância Pura Substância pura é a aquela que tem composição química invariável e

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 22/10/05.

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 22/10/05. P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 22/10/05. Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes e Fatores de Conversão R = 8,314

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO GRÉ MATA NORTE UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO CAMPUS MATA NORTE ESCOLA DE APLICAÇÃO PROFESSOR CHAVES LISTA DE EXERCÍCIOS ALUNO(A): Nº NAZARÉ DA MATA, DE DE 2015 2º ANO ESTUDO

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

Estudo dos Gases. Equação de estado de um gás f(m, p, V, T) Estado de um gás m (p, V, T) estado inicial: p 1, V 1, T 1. estado final: p 2, V 2, T 2

Estudo dos Gases. Equação de estado de um gás f(m, p, V, T) Estado de um gás m (p, V, T) estado inicial: p 1, V 1, T 1. estado final: p 2, V 2, T 2 Estudo dos Gases Introdução Na fase gasosa as forças de atração entre as artículas são raticamente desrezíveis quando comaradas com as das fases sólida e líquida; or isso elas se movimentam desordenadamente

Leia mais

a) a Lua e as estrelas. b) somente a Lua. c) somente as estrelas. d) uma completa escuridão. e) somente os planetas do sistema solar.

a) a Lua e as estrelas. b) somente a Lua. c) somente as estrelas. d) uma completa escuridão. e) somente os planetas do sistema solar. 1) dmita que o Sol subitamente "morresse", ou seja, sua luz deixasse de ser emitida. Vinte e quatro horas após, um eventual sobrevivente, olhando para o céu, sem nuvens veria: a) a Lua e as estrelas. b)

Leia mais

UDESC 2015/2 FÍSICA. Comentário

UDESC 2015/2 FÍSICA. Comentário FÍSICA I. Incorreta. Com o aumento da distância a força aplicada é menor para produzir o mesmo torque. II. Incorreta. Joule é a unidade específica para energia. III. Correta. IV. Incorreta. Se a força

Leia mais

ENERGIA TÉRMICA: A Energia Térmica de um corpo é a energia cinética de suas moléculas e corresponde à sua temperatura.

ENERGIA TÉRMICA: A Energia Térmica de um corpo é a energia cinética de suas moléculas e corresponde à sua temperatura. CALOR 1 ENERGIA: É a capacidade de se realizar um trabalho. Ela se apresenta sob várias formas: cinética (de movimento), gravitacional, elástica (de molas), elétrica, térmica, radiante e outras. Mede-se

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03//05 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol - K - = 8,34 J

Leia mais

CEFET-UNIDADE DE ENSINO DE SIMÕES FILHO Curso: Petróleo & Gás Turma: Disciplina: Física Carga Horária: 30 horas Professor: Melquisedec Lourenço Aluno:

CEFET-UNIDADE DE ENSINO DE SIMÕES FILHO Curso: Petróleo & Gás Turma: Disciplina: Física Carga Horária: 30 horas Professor: Melquisedec Lourenço Aluno: CEFET-UNIDADE DE ENSINO DE SIMÕES FILHO Curso: Petróleo & Gás Turma: Disciplina: Física Carga Horária: 30 horas Professor: Melquisedec Lourenço Aluno: Lista de Exercícios Hidrostática II. Um corpo maciço

Leia mais

Márcio Nasser Medina Moisés André Nisenbaum

Márcio Nasser Medina Moisés André Nisenbaum A Márcio Nasser Medina Moisés André Nisenbaum Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

FCAV/ UNESP NOÇÕES DE TERMODINÂMICA

FCAV/ UNESP NOÇÕES DE TERMODINÂMICA FCAV/ UNESP NOÇÕES DE TERMODINÂMICA Profa. Dra. Luciana Maria Saran 1 1.TERMODINÂMICA Compreende o estudo da energia e suas transformações. Em grego, thérme-; calor, dy namis, energia. Termoquímica: área

Leia mais

Uma fase é definida como uma quantidade de matéria homogênea.

Uma fase é definida como uma quantidade de matéria homogênea. Aula 02 Estado e fase. Propriedades, processos e Ciclo Se considerarmos uma dada massa de água, reconhecemos que ela pode existir sob várias formas (fases). Se ela é inicialmente líquida pode-se tornar

Leia mais

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante.

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante. Setor 2306 Aula 06 Transformações Gasosas em sistemas fechados Complemento. Como vimos em aula, as transformações realizadas em sistemas fechados tem sua quantidade de gás constante. Nessa situação, a

Leia mais

VARIAÇÃO DA TEMPERATURA

VARIAÇÃO DA TEMPERATURA VARIAÇÃO DA TEMPERATURA 1. CAPACIDADE TÉRMICA DE UM OBJETO Todos os objetos, quando recebem a mesma quantidade de energia, sofrem a mesma variação temperatura? Em geral, a temperatura de um objeto aumenta

Leia mais

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 4 Capítulo 3 Propriedades de uma Substância Pura 24/10/2013

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 4 Capítulo 3 Propriedades de uma Substância Pura 24/10/2013 DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 4 Capítulo 3 Propriedades de uma Substância Pura 24/10/2013 Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.br Ji-Paraná - 2013

Leia mais

Pedro Alves

Pedro Alves 1. No método de Rüchhardt para medir γ = Cp do ar, usa-se um grande frasco com um gargalo cilíndrico estreito de raio a, aberto para a atmosfera ( P0 = Pressão atmosférica), no qual se ajusta uma bolinha

Leia mais

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido.

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. EXERCÍCIOS PREPARATÓRIOS 1. (G1) Explique o significado das palavras a seguir. Observe o modelo. Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. Vaporização:

Leia mais

ENG1200 Mecânica Geral Semestre Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos

ENG1200 Mecânica Geral Semestre Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos ENG1200 Mecânica Geral Semestre 2013.2 Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos 1 Prova P3 2013.1 - O corpo submerso da figura abaixo tem 1m de comprimento perpendicularmente ao plano do papel e é formado

Leia mais

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA Ensino Médio Nome:...N o...turma:... Data: / / Disciplina: Física Dependência Prof. Marcelo Vettori ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA I- ESTUDO DOS GASES 1- Teoria Cinética dos Gases: as moléculas constituintes

Leia mais

Exercícios: gases (2)

Exercícios: gases (2) Química Ficha 8 2 os anos Rodrigo abril/12 Nome: Nº: Turma: Exercícios: gases (2) 1) (Unicamp) Após a limpeza do banheiro, Rango foi à sala e removeu todos os móveis e, de tão feliz e apaixonado, começou

Leia mais

4.1. Propriedades físicas e propriedades químicas dos materiais

4.1. Propriedades físicas e propriedades químicas dos materiais Ciências Físico-químicas - 7º ano de escolaridade Unidade 4 O MUNDO MATERIAL 4.1. Propriedades físicas e propriedades químicas dos materiais - Propriedades físicas e químicas dos materiais - Densidade

Leia mais

p A = p B = = ρgh = h = Por outro lado, dado que a massa total de fluido despejada foi m, temos M 1 m = ρ(v 1 + V 2 ) = ρ 4 H + πd2 4 h = H = 4

p A = p B = = ρgh = h = Por outro lado, dado que a massa total de fluido despejada foi m, temos M 1 m = ρ(v 1 + V 2 ) = ρ 4 H + πd2 4 h = H = 4 Q1 (,5) Um pistão é constituído por um disco ao qual se ajusta um tubo oco cilíndrico de diâmetro d. O pistão está adaptado a um recipiente cilíndrico de diâmetro D. massa do pistão com o tubo é M e ele

Leia mais

Assunto: Tralho de uma força. Energia Mecânica. Conservação da Energia Mecânica.

Assunto: Tralho de uma força. Energia Mecânica. Conservação da Energia Mecânica. Física Ulisses Assunto: Tralho de uma força. Energia Mecânica. Conservação da Energia Mecânica. TEXTO: 1 - Comum à questão: 1 Andar de bondinho no complexo do Pão de Açúcar no Rio de Janeiro é um dos passeios

Leia mais